Você está na página 1de 3

PRÁTICA Nº 1

PIGMENTOS HIDROSSOLÚVEIS E LIPOSSOLÚVEIS EM TECIDOS


VEGETAIS

INTRODUÇÃO

Além das clorofilas e dos carotenóides, que são lipossolúveis, as plantas


contêm outros pigmentos, como os flavonóides, que constituem uma série de
compostos relacionados, solúveis em água, tendo como estrutura básica um
esqueleto C15 de flavona. Os flavonóides ocorrem universalmente nas plantas
superiores, mas são incomuns entre as criptógamas. Encontram-se dissolvidos em
água, no suco celular (no interior do vacúolo) tanto de folhas como de frutos e de
raízes, mas se acumulam especialmente nas flores, conferindo-lhes as cores
características. Desses pigmentos, os mais conhecidos são as antocianinas, cada
qual com uma cor distinta, que varia, conforme o pH, do azul ao vermelho, embora
algumas sejam incolores. Além de sua importância como atrativo para insetos
polinizadores, parecem ter a função de inibidores de bactérias e têm sido utilizadas
como marcadores, por taxonomistas, na classificação de plantas.
As antocianinas ocorrem na forma de glicosídeos, ligados comumente a uma
ou duas unidades de glicose ou de galactose. A parte molecular sem o açúcar ainda
mantém a coloração e é denominada antocianidina. O acúmulo de antocianinas em
caules, folhas ou frutos é estimulado por altos níveis de luz, por deficiências de
certos nutrientes (nitrogênio, fósforo, enxofre e outros) e por temperaturas baixas.

OBJETIVO

 Observar a separação de pigmentos lipossolúveis e hidrossolúveis, por meio de


sua partição em solventes não miscíveis.
 Acompanhar as variações das propriedades de alguns destes pigmentos, em
função das variações do pH do meio ou de sua hidrólise parcial.

MATERIAL

- Folhas variegadas
- Funil separador
- Acetona 80%
- Éter etílico
- NaOH 0,1N
- HCl 0,1N
- KOH 3N
PROCEDIMENTO

 Homogenize 10 a 20 g de folhas coloridas (Coleus, por exemplo) em 50 a 100


mL de acetona 80%. Filtre o homogenato através de oito camadas de
musselina e, em seguida, filtre-o novamente através de duas camadas de
papel-filtro.
 Coloque 10 mL do filtrado num funil separador e adicione, escorrendo pelas
paredes, igual quantidade de éter etílico e igual quantidade de água destilada
(Figura 1).
 Execute movimentos leves de rotação no funil separador.
 Observe a separação das camadas.
 Recolha, em um tubo de ensaio, cerca de 5 mL da camada inferior e dilua com
igual volume de água destilada (Figura 2A).
 Proceda da mesma forma com a camada superior, observando as diferenças
(Figura 2B).
 Acrescente à mistura proveniente da camada inferior algumas gotas de NaOH
0,1 N e anote o resultado.
 Em seguida, adicione a mesma quantidade de HCl 0,1 N e observe o que
acontece.
 À mistura proveniente da camada superior acrescente algumas gotas de KOH
3 N e observe o que ocorre.
 Explique os resultados obtidos.

Figura 1. Balão separador com o extrato (A), após a adição de éter etílico (B) e após a
adição de água destilada (C).
Figura 2. Camada inferior (A) carotenóides e superior (B) clorofilas, extrato de folhas
de Coleus.

QUESTÕES

1. Represente esquematicamente a partição dos pigmentos lipo e hidrossolúveis nas


fases da mistura de solventes.
2. Onde se localizam, na célula, os pigmentos lipossolúveis das plantas verdes?
Quais são estes pigmentos?
3. Quais são os pigmentos hidrossolúveis e em que partes das células eles se
encontram?
4. Faça o esquema de uma célula vegetal, indicando os seus principais constituintes.
5. Por que podemos afirmar, com certeza, que as antocianinas não participam da
fotossíntese?
6. Por que certos frutos ficam mais vermelhos quando expostos à luz solar?
7. Se você fizesse um extrato de pétalas de uma flor vermelha, que tipo de pigmento
seria encontrado ao fazer sua separação por partição em solventes? O que
aconteceria se você alterasse o pH da solução?

Interesses relacionados