Você está na página 1de 91
SPHAN Servico do Patriménio Histérico e Artistico Nacional No Brasil, rato em 22 como em 36, os empenbades a renovagio foram os mesmos empentrias na "pre. Soebin nde ce, na pts, eps de maga artaginica exe contripunham. Em 22, Mirio, Terla, Onwald¢ Cia, enguanto atuae lisavam internacionalente nova defuse cure 14 também pecorriam as cidades antiga de Minas¢ do norte, na busca “antropofigiea” das nosis naive om 1936, 08 anpuiteos que futaram pela deguao Arquiernica is nova tecnolgiasconatutoas, fam 95 mesmo gue te empenbaraon corn Rodrigo Ml. de Andrade na estudo ¢saleaguarda do permanente ter. ‘emunho do nose passado uutenico Vocagio 1970 Ofprvblera de recuperao resauragio de monumentos,erace-se de uma casa sie Conragucle trato eortés que cra.o seu modo tural de ser, explicou-me 0 propésito do go- verno revolucionirio de dar nova orientagio aos departamentos culturais do Ministétia, ja tendo neste sentido convidado, entre outros, Rodolfo Garcia e Luciano Gallet, pedindo-me encio que aceitassea ditegio da ENBA. Inconformado com 2 minha pronta recusa levou-me a presenga do professor da Politécnica Lino de Sé Pereira, con- sultor do ministro. Inceligente e caureloso mas preciso nas incerpelagoes, a conversa a principio. dificil se prolongou, ele, ponderando ques opor- ‘unidade era excepcional acabou me convencen- do que devia accitar. ‘A reforma fraeassou, mas 9 seu objetivo de reintegrar as artes e adequar a arquitetura a nova Pref para a pablicagi0 “Rodrigo e seus tempos” fete pelo SPHAN. tecnologia construtiva, coneretizou-se na edificagao da sede do Ministério ¢ na criagio do SPHAN; ¢ foi entao que, seis anos depois, nos reencontramos. Nao que ele me tvesse inciuido tno elenco inicial dos seus colaboradores, consti- so, Paulo Barreto ¢ José Reis, orque em fins de 37 me incumbiu de uma tarefa 2 parte, a de inspecionar propor o que fazer com as ruinas dos Sete Povos dis Missoes Jesuiticas no sul do pais. A partir dai passei a assessori-lo na qualidade de consultor eécnico contratado, ¢ nuinea passed disso, A orientagao, dosestudas, as pesquisas foram sempre da iniciaci va dele, Mesmo quando reestrucurado 0 Servign pro forma” feito direwor da Divi a. como voeé quer.” Assinra ditegio efe- tiva da Divisio continuou, tal como vinha sen- do, da algada do diretor-geral, ou seja, do. pro~ prio Redrigo, Acarando embora © meu conselho, nunca dispensow 0 confronto dele com a opiiio de seus demais colaboradores ¢ seu proprio juizo e discernimento quando, Finalmente, optava. n- clusive comou a importante decisio de confiar a Oscar a claboragio do projero do hotel para Ouro Preto, s6 me comunicando depois, por telefone. No inicio cle tinha uma corve de mogas, a comegar pela bonita e inteligente Judith Martins, que foi o seu brago direito: além de sécretiria e colaboradora, discutia de igual para igual codos os problemas da Reparticio, Hélcia Dias, Maria de Lourdes Pontual, Nair Batista, nao se limica- vam &s tarefas burocraticas normais, procediam a estudos ¢ elaboravam trabalhos sugeridos ¢ ori- entados pessoalinente por cle. ‘Além dessa piade feminina e de Mitio de ‘Andrade, paeecico ¢ assiduo colaborador do SPHAN, havia Luis Jardim, exis de Gilberto Frere, Aleides da Rocha Mieanda, puro como pesioa eapurado ao extrema como artista, Joa- {quim Cardoso, o sibio engenhiro “expulso” de Pernambuco, oconsulorjuridicoe amigo de sem- pe Prudente de Moras Neto ~ Pedro Dantas. 0 Prudeniinho”. Rodsigo era euro chegado 20 usodo diminutvo carinhoso como “Aloesinho", ‘© primo eujo fend destino o cempo consol ‘dou No edificio NILOMEX. onde primeio fun- ‘ionou 0 Servco, tive o priviégio de conver na mesma sala com Prudence, Cardoso Isis, 0 Profera, mokiado de corpo intero pelo Tecles, assim como, no edfcio novo do Minisrio 0 de compartthara mesma "baia” do arquivo com Carlos Drummond de Andrade. ‘Apes do lisco dese colaborudores, havia alco ebsinos na dedicat is earls. Eramos o- dos mismo tempo dticalose eps. €0 peso maior da erg eeia sempre no dretoe. quectiou tuna espice de boss particular de valores onde registra, no cto, 4 wtagio periddica de exda um, ecm comowente de verse camo, depois de semanas e meses negativo,bastava 0 minim fi sorde ui cur peioda de imerese ededicago a cotgio regia logo tia experculr sscen- Sto, Assn, ele psa do maior pessimisme tor tal desrenga, 2 uma generose desea con ang mas pessoas es intengdes. Apenas seer Corer ¢constante dedicacio do confivel Soeiro sseapou descs aelages, d's escolha dele para sucedé-lo na direio do Patrimonio, tendo Alda Mentses com sere ‘Acomtece que fai colhido nos humors dsse pencalaedescompasso quando ee confiou a ou- trem ur este da minha aleigfo cdo meu par- ticular incerese. E que, naturalmente devia estar saturdo de anta protelagio, (© primeira pesquisador, estimalato pelo proprio Rodrigo, foi serseio Manuel de Paiva, de Ouro Preto, guido por dona Marietae Carlos ‘Ore na Bahia: e depos, igualmente em Minas pelo conego Raimundo Trindade, ditecor do Museu da Inconfidénci, restaurado pelo enge- ahcito Francisco Lopes, eambéat pesquisdor, segunda planejamento do Sociro e ambienas30 de Simoni, Ali se esconde uma obra-prims ar- ‘quiterdnicaconcebida por José de Souza Reis que soube, com um minime de meios e extrema sen- ‘sbilidade e apura,transformar uma simples sala rum sébeio “antimausoléu”, digi da meméria dos Inconfidentes. (Outravaliosa reeuperagio foi a da arruinada casa de Subst. hoje Museu do Ouro, cujz insta- lagio Rodrigo coniicu ao civilizado bom gosto de Antonio Joaquim de Almeida. Iniciaiva se guida pelo reseauro do prédio, criminosumente cdesmantelado, onde agora funciona o bem equi- ppado Museu Regional de Sio Joao Del Rey. epela sucessva criagio dos museus das Bandeiras, na antiga Casa da Cimara de Goiis Velho. edo Di- mane, na casa que ostenca o tnioo muxarabi- tdesteadasobrevivente no pais. E ainda, como se jo bastasse. pela providéncia de salvaro anti- ‘20 Colgio dos jesultas destinado 20 Museu de Paranagu instalado com aparo por Jo Fernandes. Essa norivel constelagio de rmuseus,iniiada mm Perrdpolis com o Museu Lmperial, seria anal ‘ematad por sa inteligenteeatuante primaiema fe grande amiga Maria do Carmo Nabuco, com a Inauguragio do Museu da Casa do Padre Toledo com Tiradentes, antiga Sio José del Rey. E rude isto sem deseurae dos grandes mu seus existentes, coma @ Nacional, o da Quinea, ¢ 6 das BelawArvs, [nclusive eom a reformullagio do Salso, devarrente ainda da experiéncia de 31 Lamenravelmente 0 seu propésito de orga- bizar um nian de iscultune arquieeinica, cao iniciado com as impeciveis mol smestre Teces das portadas do p: das igreias do Alejadiaho, acre Thao do fronsispicio de Sio Francisco de Ouro Preto, frontal do seu altar-mor pilpitos elavaré- Fios da sactsta, nio foi levade a cabo. Eo acervo desgarrou. "Na primeira fase de obras herdou da extinta Insperoria de Monumencos, criada por Gustavo Barroso, o engenheiro Epaminondas de Macedo, muito dedicado, embora um canto afoito nas suas intervengdes, No estauro da talha epinrurs con- tou com a extrrordinieia disposicio e comperén- ca de Edson Mota, sendo imprestionante 0 vul- importncia dis obras empreendidas, entre