Você está na página 1de 3

AQUISIÇÃO DE PROPRIEDADE POR REGISTRO DE TÍTULO –

1.245/1.247 CC/02

 Originária: desvinculada de qualquer relação com o titular anterior,


como a usucapião e acessão;
 Derivada: vinculada a uma relação jurídica com algum antecessor.

Conceituação: forma derivada de aquisição de propriedade de


imóvel através do registro de título translativo no Registro de
Imóveis.

- Enquanto não houver o registro, o alienante continua sendo o


proprietário do imóvel.

- como se faz a transmissão: via escritura pública. Quando o instituto


pedir, os dois contratantes vão perante o tabelião e pedem que
registre-se aquela expressão de vontades.

DA ESCRITURA PÚBLICA

Art. 108: é essencial à validade de negócios jurídicos de


transferência sobre imóveis de 30x o valor do salário mínimo.

Art. 104: agente capaz, objeto lícito, forma prescrita ou não defesa
em lei; objetivar fraudar a lei, ou a lei assim dispor. (art. 166)

Anulável: incapacidade relativa, erro, dolo, coação, estado de perigo,


lesão ou fraude contra credores.

Art. 215: requisitos – 1: data e local da realização;


2: identificação das partes e averiguação de sua
capacidade;
3: qualificação com estado civil
4: manifestação da vontade das partes
5: referência ao cumprimento das exigência
legais e fiscais;
6: declaração de que o documento foi lido para
as partes.
7: língua nacional.

IMPORTÂNCIA: A ESCRITURA PÚBLICA FAZ PROVA


PLENA, ou seja, faz prova da sua autenticidade e do seu conteúdo. A
presunção só cede com prova robusta em contrário

DIFERENCIANDO DENOMINAÇÃO

Matrícula: folha de papel onde estão todos os dados daquele bem.


Exemplificar com os cartórios do recife, e que cada um é responsável
por uma localidade. É criada a partir do primeiro registro.

Prenotação: processamento do registro. Data para retroagir. Marca o


início do direito a propriedade.

Registro: transferência da propriedade, posterior a matrícula.


Diferença Averbação = as anotações e modificações.

Efeitos do registro

1.1. Publicidade: efeito erga omnes. 05 dias com base na Lei


6.015/73.
1.2. Força probante: Há uma presunção juris tantum dos registros
públicos. O documento faz prova de si.
1.3. Legalidade: garantia de que não há irregularidades. Ex:
declaração anual de conta de água.
1.4. Possibilidade de retificação: juiz pode determinar a correção
do registro.
1.5. Continuidade: o registro obedece uma sequência lógica
Procedimento

1. Enquanto não registrado, o alienante é o dono do imóvel.


2. Enquanto não se promover, por meio de ação invalidade do registro
que acarrete o seu cancelamento, presume-se que o adquirente como
dono do imóvel
3. O registro é eficaz desde a prenotação
4. Se o teor do registro não exprimir a verdade, pode requerer-se
retificação ou anulação do registro. Se cancelado, o proprietário
poderá reivindica-lo independentemente de boa fe do terceiro
adquirente

Registro Torrens

Forma diferenciada de registro: não há como produzir prova em


contrário, pois a presunção é absoluta.

Requisitos art. 277 e 278 da lei 6.015

Imóveis rurais

Começa com a verificação de todos os documentos pelo oficial do cartório


e depois é encaminhada para o juiz.

MP e publicação de editais.

Você também pode gostar