Você está na página 1de 109

Gestão de Pessoas I

Profª Vládia Moura

E-mail: vladiamoura@rocketmail.com

A Gestão de Pessoas (GP) é responsável por

“um conjunto de políticas e práticas que

permitem a conciliação de expectativas entre a organização e as pessoas para que ambas

possam realizá-las ao longo do tempo”

(Joel Souza Dutra)

DIFERENTES VISÕES DA FUNÇÃO RH
DIFERENTES VISÕES DA FUNÇÃO RH

Administração de Pessoal

Administração de Recursos Humanos

Administração de Pessoas

de Pessoal Administração de Recursos Humanos Administração de Pessoas Visão Clássica Visão Contemporânea

Visão

Clássica

Visão

Contemporânea

OBJETIVOS DA GESTÃO DE PESSOAS
OBJETIVOS DA GESTÃO DE PESSOAS
• Ajudar a organização a alcançar seus objetivos e realizar sua missão. • Garantir um
• Ajudar a organização a alcançar seus
objetivos e realizar sua missão.
• Garantir um equilíbrio entre os
interesses dos funcionários e os da
organização.
• Contribuir para a melhoria do
desempenho individual e organizacional.
OBJETIVOS DA GESTÃO DE PESSOAS
OBJETIVOS DA GESTÃO DE PESSOAS
• Atrair, desenvolver e manter profissionais qualificados. • Garantir o comprometimento e a motivação dos
• Atrair, desenvolver e manter profissionais
qualificados.
• Garantir o comprometimento e a
motivação dos indivíduos.
• Desenvolver e manter qualidade de vida
no trabalho.
• Administrar as mudanças.
CARACTERÍSTICAS DA GESTÃO DE PESSOAS
CARACTERÍSTICAS DA
GESTÃO DE PESSOAS
A GESTÃO DE PESSOAS É:
A GESTÃO DE PESSOAS É:
☞ CONTINGENCIAL E SITUACIONAL ☞ RESPONSABILIDADE DE LINHA E STAFF ☞ SISTÊMICA
☞ CONTINGENCIAL E SITUACIONAL
☞ RESPONSABILIDADE DE LINHA E STAFF
☞ SISTÊMICA
O CARÁTER CONTIGENCIAL E SITUACIONAL DA GESTÃO DE PESSOAS
O CARÁTER CONTIGENCIAL E
SITUACIONAL DA GESTÃO DE PESSOAS
O CARÁTER CONTIGENCIAL E SITUACIONAL DA GESTÃO DE PESSOAS Não existe um único Modelo ou o

Não existe um único Modelo ou o Melhor Modelo de Gestão de Pessoas,

aplicável a toda ou qualquer organização

O Desenho da Gestão de Pessoas é elaborado de acordo com o perfil de

cada organização em particular, pois depende de aspectos como:

Negócio da Organização

Capacidade Financeira

Processos Internos

Contexto Ambiental

Estrutura Organizacional

Tecnologia Utilizada

Cultura Organizacional

GESTÃ0 DE PESSOAS
GESTÃ0 DE PESSOAS

OS PROCESSOS DE

GESTÃO DE PESSOAS

SERVEM PARA DAR

SUPORTE ÀS AÇÕES GERENCIAIS E AOS

DEMAIS

PROCESSOS

ORGANIZACIONAIS

OS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS SERVEM PARA DAR SUPORTE ÀS AÇÕES GERENCIAIS E AOS DEMAIS
POR QUE, NOS ÚLTIMOS ANOS, A GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS VEM SENDO APONTADA COMO ESTRATÉGICA
POR QUE, NOS ÚLTIMOS ANOS, A GESTÃO DE RECURSOS
HUMANOS VEM SENDO APONTADA COMO ESTRATÉGICA
PARA AS ORGANIZAÇÕES?

POR QUE AS PESSOAS VÊM SENDO APONTADAS COMO FATOR ESTRATÉGICO PARA AS ORGANIZAÇÕES?

Gestão Estratégica

Gestão Estratégica Processo de ação gerencial sistemática e contínua que visa assegurar à Instituição,

Processo de ação gerencial sistemática

e contínua que visa assegurar à

Instituição, simultaneamente:

(1)senso de direção e continuidade a longo prazo;

(2)flexibilidade e agilidade no dia-a-dia.

Focaliza o potencial de desempenho futuro da instituição.

Como proceder então?
Como proceder então?
Planejamento Estratégico de Gestão de Pessoas • Missão. • Visão. • Estratégia Organizacional.
Planejamento Estratégico de
Gestão de Pessoas
• Missão.
• Visão.
• Estratégia Organizacional.

Estratégia de RH.

Planejamento de RH.

Modelos de Planejamento de RH.

Fatores que Intervêm no Planejamento de RH.

Apreciação Crítica do Planejamento de RH.

Mas o foco sempre

será um: PESSOAS

E estas pessoas SENTEM

E estas pessoas SENTEM

E estas pessoas: EXECUTAM
E estas pessoas: EXECUTAM
E estas pessoas:
EXECUTAM
Ou não

Ou não

Revisão histórica da

evolução da gestão de

pessoas.

Segundo alguns estudiosos da área de administração, o departamento de recursos humanos surgiu no século
Segundo alguns estudiosos da área de administração, o departamento
de recursos humanos surgiu no século XIX, com a necessidade de
“contabilizar” os registros dos trabalhadores, as faltas e os atrasos.
A Fase Contábil: (1930) - Caracterizou-se pela preocupação existente com os custos da organização. Os
A Fase Contábil: (1930) - Caracterizou-se
pela preocupação existente com os
custos da organização. Os trabalhadores
eram vistos exclusivamente sob o
enfoque contábil: comprava-se a mão de
obra, e, portanto, as entradas e saídas
provenientes dessa conta deveriam ser
registradas contabilmente.
A Fase Legal: (1930 a 1950) - Registrou o aparecimento da função de chefe de
A Fase Legal: (1930 a 1950) - Registrou o
aparecimento da função de chefe de pessoal,
profissional cuja preocupação estava centrada
no acompanhamento e na manutenção das
recém-criadas leis trabalhistas da era getulista.
Outro dado importante é destacar que neste
momento o poder deixa de estar na mão dos
feitores e passa para as mãos do chefe de
pessoal pelo domínio exercido sobre as regras
e normas jurídicas impostas pela CLT.
A Fase Tecnicista: (1950 a 1965) - Foi nesta fase que o Brasil implantou o
A Fase Tecnicista: (1950 a 1965) - Foi nesta fase que o Brasil
implantou o modelo americano de gestão de pessoa e alavancou
a função de RH ao status orgânico de gerência.
A Fase Administrativa: (1965 a 1985) - Criou um marco histórico nas relações entre capital
A Fase Administrativa: (1965 a
1985) - Criou um marco
histórico nas relações entre
capital e trabalho, na medida
em que é berço de uma
verdadeira revolução que,
movida pelas bases
trabalhadoras, implementou o
movimento sindical
denominado “ novo
sindicalismo”.
A Fase Estratégica: (1985 a atual) - Foi demarcada operacionalmente pela introdução dos primeiros programas
A Fase Estratégica: (1985 a atual) - Foi demarcada operacionalmente
pela introdução dos primeiros programas de planejamento
estratégico atrelados ao planejamento estratégico das organizações.

Os seis processos básicos da Gestão de Pessoas são os seguintes:

1.

Processos de Agregar Pessoas

2.

Processos de Aplicar Pessoas

3.

Processos de Recompensar Pessoas

4.

Processos de Desenvolver Pessoas

5.

Processos de Manter Pessoas

6.

Processos de Monitorar Pessoas

Todos esses processos estão intimamente relacionados entre si, de tal

maneira que se interpenetram e se influenciam reciprocamente.

A Nova Estrutura do Órgão da Gestão de Pessoas

Com a abordagem sistêmica, a velha tradição cartesiana de dividir, segmentar e separar foi

substituída por uma nova maneira de organizar a

empresa.

A ênfase agora está em juntar separar.

e não mais em

A Nova Estrutura do Órgão da Gestão de Pessoas

O foco não está mais nos meios, mas nos fins e resultados.

Não mais em cargos individualizados, separados e

confinados, mas no trabalho conjunto feito por equipes autônomas e disciplinares.

A gestão de pessoas nas

organizações contemporâneas

Mudanças nas organizações Século XX

Redução de

hierarquias - foco na

participação e no comprometimento;

Trabalho em time e

equipes;

Flexibilidade de

horário;

Remuneração

variável;

Criatividade e

intuição;

Qualidade total e melhoria contínua;

Trabalhos temporários, atuação em projetos;

Velocidade e

responsabilidade pelos resultados;

Organizações hoje

Complexas

estruturas

produtivas: tratam

as pessoas com

maior relevância. Uma empresa

realmente

produtiva e que vê nos seus colaboradores grandes parceiros.

ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO ORGANISMOS :

Busca a melhor compreensão das relações entre a

organização e o seu meio;

Importância da inovação;

Foco na harmonia estratégica, estrutura, tecnologia e dimensões humanas.

Gestão de Pessoas I

Liderança
Liderança
Liderar é fazer com que as pessoas QUEIRAM fazer o que é preciso.
Liderar é fazer
com que as
pessoas
QUEIRAM
fazer o que é
preciso.
Reflexões sobre liderança
Reflexões sobre liderança

Penso que, no passado, liderança significava força física; atualmente, significa dar-se bem com as pessoas.”

(Indira Gandhi )

40

O QUE É INTELIGÊNCIA EMOCIONAL?

Refere-se à eficácia com a

qual

as

pessoas

percebem

e

compreendem

suas

as

outros,

de

seu comportamento. (Morris;

sendo

próprias

emoções

emoções

dos

capazes

e

administrar

Maisto, 2004).

as outros, de seu comportamento. (Morris; sendo próprias emoções emoções dos capazes e administrar Maisto, 2004).

Os líderes desenvolvem entusiasmo, auto-estima e ideais entre os liderados.

Para ser líder não é necessário nascer

líder

As habilidades de liderança podem ser

aprendidas através de ensinamentos,

experiências, desenvolvimento da intuição, da persistência e da capacidade de

aprender com acertos e erros.

experiências, desenvolvimento da intuição, da persistência e da capacidade de aprender com acertos e erros.
3 – 51

351

3 – 52

352

Gestão de Pessoas I

Código
Código
Código
Código

Código

Código
Código
Código
Código
Canal
Canal
Canal

Canal

Canal
Canal
Canal
Canal
Canal
Contexto
Contexto
Contexto

Contexto

Contexto
Contexto
Contexto
Contexto
Contexto
Código Canal Contexto
Comunicação
Comunicação
Comunicação É necessária a intervenção de, pelo menos, dois indivíduos, um que emita, outro que receba;

É necessária a intervenção de, pelo menos, dois

indivíduos, um que emita, outro que receba;

57

Emissor • Emite, codifica a mensagem Receptor • Recebe, decodifica a mensagem Mensagem • Conteúdo

Emissor

Emite, codifica a mensagem

Receptor • Recebe, decodifica a mensagem
Receptor
• Recebe, decodifica a mensagem
Mensagem • Conteúdo transmitido pelo emissor
Mensagem
• Conteúdo transmitido pelo emissor
a mensagem Mensagem • Conteúdo transmitido pelo emissor Código • Conjunto de signos usado na transmissão

Código

Conjunto de signos usado na transmissão e

recepção da mensagem

Contexto • Contexto relacionado a emissor e receptor
Contexto
• Contexto relacionado a emissor
e receptor
Canal • Meio pelo qual circula a mensagem
Canal
• Meio pelo qual circula a
mensagem

Por que a comunicação é tão importante ?!?!?

Pesquisas revelam que uma pessoa comum gasta cerca de 70% do seu tempo ativo ouvindo,
Pesquisas revelam que uma
pessoa comum gasta cerca de
70% do seu tempo ativo
ouvindo, falando, lendo e
escrevendo, nessa ordem.
Isto quer dizer que gasta-se
de dez a onze horas, por dia,
todos
os
dias,
em
comportamentos
de
comunicação verbal.
quer dizer que gasta-se de dez a onze horas, por dia, todos os dias, em comportamentos

Problemas de comunicação

Por parte do EMISSOR
Por parte do EMISSOR

Incapacidade verbal

Falta de coerência

Uso de frases longas para impressionar

Acúmulo de detalhes irrelevantes

Ausência de espontaneidade

Manifestação evidente de linguagem afetada

Uso de termos técnicos, gírias, regionalismos e desconhecidos pelos receptores

Excesso de adjetivos, advérbios e frases feitas

Problemas de comunicação

Por parte do RECEPTOR
Por parte do RECEPTOR

Nível de conhecimento insuficiente

Distração

Falta de disposição para

entender

Níveis cultural, social, intelectual,

econômico e de escolaridade diferentes do emissor

Comunicação X Informação

Comunicação X Informação

Semiologia

ou Semiótica

Ciência que estuda o funcionamento do sistema

de signos. Por signo entende-se a interpretação

e alguém diante de uma “coisa” ou “evento”.

Ex.: Preto é uma cor, mas passa a ser signo (luto)

na comunicação.

Signos naturais e artificiais

Signos

naturais e

artificiais

Naturais Não são produzidos pelo homem. São

“coisas” e “eventos” que o homem passa a interpretar

como signos.

Ex.: Nuvens negras (chuva

vindoura), vôo de certas aves

(mau agouro), sintomas de doença

Artificiais São criados pelo homem para que funcionem no processo da comunicação.

Caracterizam-se, portanto,

pela intenção.

Ex.: apitos de juiz, sinal de

trânsito, signos linguísticos.

Caracterizam-se, portanto, pela intenção. Ex.: apitos de juiz, sinal de trânsito, signos linguísticos.
O comportamento das pessoas é baseado em suas percepções do que a realidade é, e
O comportamento das pessoas é baseado em suas percepções do que a realidade é, e
O comportamento das pessoas é baseado
em suas percepções do que a realidade é,
e não na realidade em si.

Percepção

Percepção O mesmo objeto ou evento pode ser notado de maneiras diferentes quando a situação muda.

O mesmo objeto ou evento pode ser notado de maneiras

diferentes quando a situação

muda.

Há alguns fatores que influenciam a percepção
Há alguns fatores que influenciam a percepção

Situação

Tempo

Local

Situação

Social

Indivíduo

Atitudes

Motivações

Interesses

Experiências

Expectativas

Alvo

Novidade

Movimento

Som

Tamanho

Fundo

Proximidade

75

Julgamento

dos outros

A percepção e o julgamento das ações de uma

pessoa serão significativamente influenciados pelas

suposições que se faz sobre o estado interno dessa pessoa.

Percepção

seletiva

Uma característica que faz uma pessoa sobressair

aumenta a probabilidade de que ela seja percebida.

Efeito de

halo

Quando se tem uma impressão geral sobre um

indivíduo com base em uma única característica

Efeitos de

contraste

Avalia-se uma pessoa frequentemente em comparação com outras que foram recentemente encontradas

Projeção

Tendência de atribuir as próprias características a outras pessoas

Estereótipo

Julgamento de alguém com base na percepção do grupo ao qual esta pessoa pertença.

Retroalimentação
Retroalimentação
Retroalimentação
Retroalimentação

Retroalimentação

Retroalimentação
Retroalimentação
Retroalimentação
Retroalimentação
Retorno da informação
Retorno da informação
Retorno da informação
Retorno da informação

Retorno da informação

Retorno da informação
Retorno da informação
Retorno da informação
Retorno da informação
Processar informações e transmiti- las ao sistema O feedback
Processar informações e transmiti-
las ao sistema
O feedback
Comunicação Excelente
Comunicação Excelente
Comunicação Excelente
Comunicação Excelente

Comunicação Excelente

Comunicação Excelente
Comunicação Excelente
Comunicação Excelente
Comunicação Excelente
Efetivar mudanças
Efetivar mudanças
Efetivar mudanças
Efetivar mudanças

Efetivar mudanças

Efetivar mudanças
Efetivar mudanças
Efetivar mudanças
Efetivar mudanças
Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento

Influenciar mudança de comportamento

Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento
Influenciar mudança de comportamento
Visar criação
Visar criação
Visar criação
Visar criação

Visar criação

Visar criação
Visar criação
Visar criação
Visar criação
Promoção da imagem
Promoção da imagem
Promoção da imagem
Promoção da imagem

Promoção da imagem

Promoção da imagem
Promoção da imagem
Promoção da imagem
Promoção da imagem
Manutenção das empresas
Manutenção das empresas
Manutenção das empresas
Manutenção das empresas

Manutenção das empresas

Manutenção das empresas
Manutenção das empresas
Manutenção das empresas
Manutenção das empresas
Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional

Desenvolvimento Organizacional

Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional
Desenvolvimento Organizacional

Tipos de COMUNICAÇÃO

Comunicação Não Verbal

A comunicação

humana é aproximadamente

50 a 70% não

verbal

Aparência física

Postura

Gestos

Posição do corpo

Toque

Expressões Faciais

Comunicação Intra Pessoal

O diálogo

interior ou

comunicação

intrapessoal

afeta a motivação e o

comportamento

Comunicação

Interna

Comunicação

Externa

Barreiras à Comunicação

Percepções diferentes Diferenças de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

Percepções

diferentes

Percepções diferentes Diferenças de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

Diferenças de linguagem

Percepções diferentes Diferenças de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

Ruído

Percepções diferentes Diferenças de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança
Percepções diferentes Diferenças de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança
Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança
Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

Inconsistência nas comunicações verbais e

Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança
Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança
Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

Desconfiança

Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança

não-verbais

de linguagem Ruído Inconsistência nas comunicações verbais e Desconfiança não-verbais Reações Emocionais

Reações

Emocionais

Comunicação na GESTÃO DE

PESSOAS

Diversos autores concordam que cerca de 80% dos problemas gerados internamente nas empresas acontecem por

Diversos

autores

concordam

que cerca de

80% dos problemas gerados internamente

nas empresas

acontecem

por questões

de

comunicação

Uma comunicação não só transmite informação referencial, mas também relacional.

Uma comunicação não só transmite

informação

referencial, mas também

relacional.

A audição ativa exige que e entenda a comunicação a partir do ponto de vista

A audição ativa

exige que e entenda a

comunicação a

partir do ponto de vista do

emissor, ou seja, lidar e

responder à

realidade do outro e não a

nossa própria

realidade

É como se

fossemos uma

música: cada

pessoa tem um “tom” interior

Comunicação entre as

equipes

Comunicação

entre os

gestores

Comunicação

entre as

equipes e os gestores

DESCENDENTE Lateral ASCENDENTE
DESCENDENTE
Lateral
ASCENDENTE

Canal FORMAL Canal INFORMAL

Processo de

comunicação

Comunicação

INTEGRADA

Comunicação integrada: “Uma filosofia que direciona a convergência das

diversas áreas, permitindo uma

atuação sinérgica. Pressupõe uma junção da comunicação institucional, da comunicação administrativa, da

comunicação mercadológica e da

comunicação interna”

Margarida Kunsch

Característica

da rede de

rumores

Características da rede de rumores:

- Informal, sem controle da administração.

- É tida pela maioria dos funcionários como mais

confiável e fidedigna do que os comunicados formais.

- É largamente utilizada para servir aos interesses pessoais dos que a integram.

Gestão do

Conhecimento

Processo de organização e distribuição do saber coletivo

da empresa que faz com que a informação certa chegue à pessoa certa na hora certa.

Gestão do

Conhecimento

Por que a gestão do conhecimento é importante? • Os ativos intelectuais são hoje tão
Por que a gestão do conhecimento é importante?
• Os ativos intelectuais são hoje tão importantes quanto os
ativos físicos e financeiros.
• Quando as pessoas deixam a organização, seus
conhecimentos e experiências vão embora com elas.
• Um sistema de gestão do conhecimento bem planejado reduz
a redundância e torna a organização mais eficiente.
ESCOLHA DO CANAL DE COMUNICAÇÃO Riqueza de canal A quantidade de informação que pode ser
ESCOLHA DO CANAL DE COMUNICAÇÃO
ESCOLHA DO CANAL DE COMUNICAÇÃO

Riqueza de canal

A quantidade de informação que pode ser transmitida durante um episódio de comunicação.

Características dos canais ricos:

1.

Capacidade de manejar diferentes sinais ao mesmo tempo.

2.

Capacidade de facilitar um rápido feedback.

3.

Capacidade de ser extremamente pessoal.

QUADRO 10-7 Riqueza de informação dos canais de comunicação Rotina Não-rotina Fonte : Baseado em
QUADRO 10-7 Riqueza de informação dos canais de comunicação
QUADRO 10-7
Riqueza de informação dos canais de comunicação
Rotina Não-rotina
Rotina
Não-rotina

Fonte: Baseado em R. H. Lengel e R. L. Daft, “The selection of communication media as an executive skill”,

Academy of Management Executive, ago. 1988, p. 225-232; e R. L. Daft e R. H. Lengel, “Organizational information

requirements, media richness, and structural design”, Managerial Science, maio 1986, p. 554-572. Reproduzido de R. L. Daft e R. A. Noe, Organizational behavior. Fort Worth: Harcourt, 2001, p. 311.