Você está na página 1de 276
Ruger Keeran Thomas Kenny’ 0 SOCIALISM TRAIDO POR TRAS DO COLAPSO DA UNIAO SOVIETICA coigoes Pabwamter COLECGAO PROBLEMAS DO MUNDO CONTEMPORANED Nota da editors Ac wongo do texto € nas notas « letlur encontrard diferengas na gratia de alguns nomes. Essas dife.engax devem-se ao modo di- verso dec! -tuar a transliteracdo dos nomes russos para portu- gués e pura suglés. Os autores Roger Keeran ¢ professo: r+» SUN ¥/Empire State Colle»: ¢ autor do livro The Conumunis ! «arty and the Auto Workers'Unions. Thomas Kenny é cconomista. ‘OSOCIALISMO TRADO Por trés do colapso da Unio So (2-edigho) ‘Autor: Roger Kectan e Thomas Kenny ‘Titulo original: Socialism Betraver!: Behind the collapse ofthe Soviet Union Tradugae. Vitor Guerreiro Capa: José Monginho Revisto: Colectiv das EdigBes «Avante!» © 2004 Intemational Publishers Co., Inc. Direitos de tradugto em lingua portuguesa reservados por torial «Avante'», SA, Lisboa — 2008 Tiragem: 500 exemplares jpelmunde — Sociedade de Manufacturas Grificas, Lda, Data de impressio: Dezembro de 2008 Depésito legal n°281 60608 ISBN 978-972-550-336-2 Impressio e acabamen Indie Prefacio........ 9 1 Introdugdte co 2. Duas tendéncias na politica sovie.- trabalhadores fabris ¢ rur Um breve resumo das realizagées da Unido Soviética realca.» que se perdeu. A Uniao Soviética nao sé eliminou as classes exploradoras da Iha order como também pés fin: a inflagdo, desemprege,, discrimina- <4o racial : nacional, pobreza extrema, desigualdades flagrantes de ri- ,jueza, rendimento, educago e oportunidades. Em cinquenta anos, o pais passou de uma produgao industrial que correspondia a apenas 12% da »vodugao nos Estados Unidos para uma producio industrial de 80% e uma producdo agricola que equivalia a 85% da dos EUA. Embora o consumo soviético per capita permanecesse mais baixo que nos EUA, nenhuma ociedade tinha até entao elevado o nive! de vida e 0 consumo para toda a populacdo tao rapidamente e num periodo de tempo tao reduzido O em- prego cra garantido. A educacao gratuita cra acessivel a todos, dos infan- trios as escolas secundarias (gerais, técnicas, profissionais), universidades € escolis pés-laborais. Além de isengao de propinas, os estudantes pés- -liceais 1ecebiam subsidios. Havia um servigo de sadde gratuito para todos, com cerca de duas vezes mais médicos por pessoa do que nos Estados Unidos. Os trabalhadores que sofriam acidentes ou doengas tinham em- prego ussegurado e baixa médica paga. Em meados da década de 1970, os trabalhadores gozavam em média de 21,2 dias titeis de férias (um més de férias), e os sanatérios, casas de repouso e campos de férias infantis eram ‘ou gratuitos ou comparticipados. Os sindicatos tinham o poder de vetar despedimentos e revogar administradores. O Estado regulava os pregos € subsidiava os custos da alimentagao bdsica e a habitagao. As rendas cons- 12 situiam 2% a 3% do organ; vigos piblicos apenas 4°. a 5%, Nao hava discriminagao da nabitagd« em fungao do rendimento. Embora algun bairros fossem reservados para altos funcio- nérios, em qualquer outro lugar 0: gestores de fabrica. e:,fermeiras, pro- fessores e porteiros viviam lado « «ada. O govero inclufa 0 c:scimeiito cultural e intelectual como parte do ‘esforgo para melhorar o ni«.| de vida. Os subsidios do Estado mantinham inénimo 0 prego dos livros, periédicos, eventos culturais. Como resultado disso, os trabalhadores tinham frequentemente a sua prépi a biblioteca e a familia média assinava quatro publicagdes periédicas. Segundo a UNESCO 05 cidadaos soviéticos liam mais livros e viam mais filmes do que qualquer outro povo no mundo. Todos 0s anos o nimero de visitan- ies dos museus correspondia a qua-s. metade da populagdo, ¢ a frequéncia de teatros, concertos ¢ outros espectéculos ultrapassava « total da popu- lagdo. O govemo fez um esforgo concertado paraelevar a iiteracia e o nivel de vida das regides mais remotas e encorajar a expressio cultural da mais de uma centena de grupos nacionais que constituiam a Uniao Soviética. Na Quirguizia, por exemplo, ape'-s uma em cada quinhentas pessoas sabia ler e escrever em 1917, mas «nquenta anos depois praticamente toda a populagdo sabia ler e escrever * Em 1983, o sociélogo americano Albert Szymanski passou em re- vista uma série de estudos ocidentais sobre a distribui¢o de rendimentos o nivel de vida soviéticos Apurou que as pessoas mais bem pagas da Uniao Sov .ética eram artistas proeminentes, escritores, professures vni- versitarios, administradores, cientistas, que auferiam quantias entre os 1200 os 1500 rublos mensais. Os altos funciondrios do governo auferiam cerca de 600 rublos; os directozes empresariais entre 190 a 400 rublos men- sais; os trabalhadores cerca de 150 rublos mensais. Consequentemente, os rendimentos mais elevados correspondiam a apenas 10 vezes o salério do trabalhador médio, ao passo que nos Estados Unidos as mais altas chefias empresariais recebiam 115 vezes o saldrio de um trabalhador. Os privilé- gios associados a altos cargos do Estado, como lojas especiais ¢ autom6- veis oficiais, permaneciam baixos ¢ limitados e nao contrariavam uma tendéncia continua de quarenta anos no sentido de um maior igualitarismo. (A tendéncia oposta ocorreu nos Estados Unidos, onde, em finais da dé- cada de 1990, as chefias empresariais recebiam 480 vezes 0 salério do tra- balhador médio.) Embora a tendéncia para nivelar saldrios ¢ rendimentos 13 tetiva criado problemas (que discuti:. mos mais adiante), o nivelamento day condigdes de vida na Unido Sov;-tica representou um feno sem pre- Cc -entes na historia humana. © n:velamento foi impulsionaé: yor uma po- iit, a de pregos que fixava o cusio dos artigos de luxe acinie ‘0 seu salor €¢ 208 ncus de j rimeira necessidade abaixo do seu valor. Foi tambén: im- pulsionade pelo crescimento constante de um «salario soci!» ist &. a Prestacao de um numero crescente de beneficios sociais gratuitos ou subsi- diados. Além dos ja mencionados, os beneficios inclufam baixas de ma- temnidade pagas. creches acessiveis ¢ reformas yenerosas. S/ymanski concluiu: «Hmbor: « estrutura sucial soviética possa ndo corresponde: ao ideal comunista wu sociaiista, ¢ a0 mesmo tempo qualitativamente dife- rente c mais igualitaria que a dos paises capitalistas ocidentais. O socialismo Tepresentou uma diferenga radical em favor da classe trabalhadora.» ° No contexto mundial, o desuparecimento da Unido Soviética signi- ficou também uma perda incalculavel. Significou o desaparecimento de um contra9eso ao colenialismo ¢ ao imperialismo. Significou w eclipse de um modelo de como as nagdes recentemente libertas podiam harmo:...-ar 0s seus diferences constituinies Sinicos e desex:volver-se por si sem h:po- tecar 0 seu futuro aos Estados Unidos ou a Europa Ocidental. Em 1991, 0 principal pais nao capitalista no mundo, o suporte principal dos movi- menios d libertagao nacional e de governos socialistas como o de Cuba, desmoror.sra-se. Nenhuma racionalizasdo poderia disfarcar este factoe o revés que represent-vu para as lutas socialistas populares. Ainda mais iniportante Uo que avaliar o que se perdeu com o colapso soviético é 0 esforgo de o compreende: A dimensao do impacto que tera este acontecimento depende em parte ‘« modo como forem entendidas as suas causas, Na grande celebracdo anticomunista dos primeiros anos da década de 1990, a direita triunfante martclou diversas ideias na consciéncia de milhGes: 0 socialismo soviético como sistema econémico planificado indo funcionava e nao podia trazer abundancia, porque fora um acidente. uma experiéncia nascida na violéncia e mantida pela coacgao, uma aber- ra¢do condenada ao fracasso pelo seu desdém da natureza humana ea sua incompatibilidade com a democracia. A Unido Soviética terminou porque uma sociedade governada pela classe trabalhadora ¢ uma ilusio; nao existe ordem pés-capitalista. A esquerda, alguimas pessoas, em geral as que perfilham perspecti- vas sociais-democratas, retiraram conclusées similares, embora nao ta0 14 extremus -umo as da direita. Ac-editavam que 0 socialismo soviél: era fundamenalmente defeituoso: -:repardvel, que as falhas eram «sistémi cx», enratzadas numa falta de aemocracia e num excesso de centraliza- ‘ao daeconomia. Os sociais-democratas nao concluiram que v socialismo esta condenad:- ao fracasso no futuro, ynas conclufram que o colapso so- victico privou o marxismo-leninismo de muita da sua autoridade e que um socialisns. futuro terd de ser constn.iao sobre uma base completamente ditcrente da forma soviética. Para estes, as 'eformas de Gorbatcho. nao foram erradas, foram apenas demasiado tardias. Obviamente, s¢ tais afirmacoes forem verdadeiras, o futuro da teo- ria marxista-leninista, do socialismo e da luta anticapitalista tem de ser muito diferente do que os marxistas previram antes de 1985. Se a teoria mazxisla tcninista traiu os lideres soviéticos que presidiram ao desmoro- namento, a teoria marxista estava na sua maior parte errada v devia ser abandonada. Os esforcos pussados para edificar 0 socialismo nao conti- nham ligdes validas para o futuro. Os que se opdem ao capitalismo global (ém de compreender que a historia nao esté do seu lado e contentar-se com retormas gr is € suaves, no maximo. Claramente, estas eram as ligdes que a direita trunfante esperava que todos retirassem. A nossa investigagao foi motivada pela enormidade das consequén- cias do colapso. Permaneciamos cépticos face 4 direita triunfante, mas dispostos a seguir os factos onde estes nos levassem. Estavamos cientes de que outros partidérios do socialismo tiveram de analisar enormes der- rotas da . lasse trabalhadora. Em A Guerra Civil em Franca, Karl Marx analisou z derrota da Comuna de Paris em 1871. Vinte anos mais tarde, Friedrich Engels ampliou essa andlise numa introdugao & obra de Marx sobre a Comuna ’, Vladimir Lénine e a sua yeragdo tiveram de explicar 0 fracasso revolucionario russo em 1907 ¢ 0 facto de as revolugdes na Eu- ropa Ocidental nao se terem concretizado em 1918-1922. Marxistas pos- teriores, como Edward Boorstein, tiveram de analisar 0 fracasso da tevolugao chilena em 1973 ®. Tais andlises mostraram que a simpatia para com os derrotados nao impedia a formulagao de questées dificeis sobre as Tazdes da derrota. Dentro da questo global de saber por que caiu a Unido Soviética surgem cutras questdes: Qual o estado da sociedade soviética quando ‘comegou a perestroika? A Unido Soviética enfrentava uma crise em 1985? A que problemas respondia supostamente a perestroika de Gorbatchov? 15 Que forgas tavareceran e 4ue f"Gas se opuseran:a senda de reformas au conduziu ao capit. smo”? Quiido a reforma de Gorbatchov comegou produzir o desastr: econdmice e a des: miegragao nacional, por que r: mudou Gorba. how tiv rune, 0% por que ni#0 0 substituiram os outros cs rigentes do Partido ( »mumista” Po: que estava aparentemente tdo fragil 0 socialismo sov.ctico? Por que ra.40 os dirigentes subestimaram tanto 0 se- paratismo nacional? Por que conseguiy « \:.cialismo — pelo menos numa ceita forma — sobreviver na China, na Corcia do Norte, no Vietname, em Cuba, ao passo que na Unido Soviética, onde aparentemente se encontrava mais enraizado e desenvolvido, nao conseguiu durar? O desaparecimento da Unido Soviética era inevitavel? Esta tiltima questao era crucial. O facto de o socialismo ter ou nao um futuro depende da inevitabilidade ou evitabilidade do que ocorreu na Unido Soviética. Certamente que era possivel imaginar uma explicacao diferente da inevitabilidade alardeada pela direita. Tome-se, por exemplo, a seguinte experiéncia mental. Suponhamos que a Unido Soviética rufra porque um ataque nuclear dos Estados Unidos destruira o governo e devas- tara as cidades ¢ a inadstria. Poder-se-ia ainda concluir que a guerra-fria terminara e que o capital:sino vencera, mas ninguém poderia argumentar razoavelmente que este acontecimento provava que Marx estava errado ou que entregue a si proprio o socialismo era impraticavel. Por outras pala- vras, s€ 0 socialismo soviético terminasse pincipalmente devido a causas externas, como ameagas militares ov subversio estrangeiras, poder-se-ia concluir que este destino ndo comprometera o marxismo com. teoriae 0 socialismo como um sistema vidvel. Noutro e>:mplo, alguns afirmaram que a Unido Soviética fracassou devido a «erro humano» e nao a «fraquezas sistémicas». Por outras pa- lavras, lideres mediucres e decisdes erradas derrubaram um sistema basi- camente saudavel. A ser verdadeira, esta explicayao, como a anterior, Preservaria a integridade da teoria marxistae a viabilidade do socialismo. Na verdade, contudo, esta ideia nao serviu como explicagao, nem mesmo como inicio de explicagao, mas antes como uma razAo para evitar procurar uma explicacao. Nas palavras de um conhecido nosso: «Os comunistas soviéticos lixaram tudo, mas nés faremos melhor.» Para ter alguma plau- sibilidade, contudo, esta explicacao teria de dar resposta a questdes impor- tantes: 0 que tornou os lideres mediocres e as decisdes erradas? Por que produziu o sistema tais lideres e como conseguiram eles sobreviver a0 16