Você está na página 1de 16

ANO IX Nº 101 2018

ASSISTENTES SOCIAIS
NO COMBATE AO RACISMO
22 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

CRESS opina

Os 25 anos do Código de Ética

N
Profissional do Serviço Social
estes 25 anos do Código de enterrar seus mortos, ou viram desaparecer afetos
Ética Profissional do Serviço e reaparecer cadáveres, sem falar nas milhares
Social e também de sua Lei de de pessoas torturadas que ainda vivem com a
Regulamentação, desafiamos lembrança daqueles porões. Não há neutralidade na
cotidianamente, em nosso trabalho Ética: ela é, sobretudo, um posicionamento político.
profissional, a ordem burguesa, principalmente no O Código de Ética de 1993 contém em seu cerne
que tange aos seus valores. princípios fundamentais que devem ser objetivados Nesses 25 anos, urge
Os princípios fundamentais constantes no não somente em nosso exercício profissional, mas reafirmarmos o comprometimento
Código norteiam nossas escolhas em nosso sobremaneira em nossas escolhas sócio-ideo- com a liberdade como valor ético
cotidiano profissional, na direção da viabilização políticas que dizem respeito não somente a nós, central. Não a liberdade liberal, mas sim
de direitos sociais historicamente conquistados indivíduos-singulares, mas à sociedade. Deste a que é manifesta nas escolhas concretas na
pelas trabalhadoras. Em face ao reacionarismo modo, não existem dois sujeitos: os valores que direção da autonomia dos sujeitos. Portanto,
crescente na sociedade brasileira, urge se apresentam naquele profissional não podem apoiar violações de direitos humanos, retração
reafirmamos a importância do Código de Ética ser separados das escolhas que fazemos quando de direitos no que tange à proteção social,
Profissional em seus fundamentos, e objetivarmos não estamos usando nosso número de registro extermínio de populações que a sociabilidade
o sentido desta profissão na sociedade: possibilitar profissional. Atentemo-nos para nossas escolhas, burguesa insiste em chamar de “minorias”,
o acesso de nossos usuários aos bens e serviços sejam elas concernentes ao trabalho realizado junto dentre outras atrocidades, como apoiar a tortura,
sociais. aos nossos usuários, sejam elas relativas à nossa vida está diametralmente oposto aos princípios
Após 25 anos, temos muitos desafios pela cotidiana fora do espaço sócio-ocupacional. fundamentais do Código de Ética Profissional das
frente! Todos os avanços que o Serviço Social Nesta conjuntura que acirra o retrocesso de Assistentes Sociais.
construiu desde a vertente intenção de ruptura direitos historicamente conquistados pela classe Urge pensarmos nas farsas e nas tragédias
com o conservadorismo profissional – este trabalhadora brasileira, os princípios fundamentais que vêm sendo acentuadas a partir dos irracionais
que nunca foi de fato superado – estão sendo do Código de Ética Profissional estão ameaçados em e crescentes discursos de ódio, os quais têm
questionados por um crescente reacionarismo vários aspectos. Ao pensarmos nos direitos sociais lado: dirigem-se a humilhar, descriminar,
manifesto abertamente nos últimos anos. da Constituição de 1988, por exemplo, mesmo segregar e eliminar, seja com a morte ou com
O comprometimento com outro projeto com limites na sociabilidade burguesa, estes estão o silenciamento, negras e negros, LGBTIs e
societário, com destaque para a defesa sendo retirados de maneira vergonhosa. Pensemos coletivos diversos; propõem-se a reafirmar que
intransigente dos direitos humanos, nos aponta sobre o sucateamento do SUS e nos retrocessos o feminicídio é culpa das mulheres; a defender
uma orientação profissional em que nossas legais no que diz respeito à política de assistência, a diminuição da maioridade penal e o aumento
escolhas acerca das respostas dadas aos usuários como a Lei 13.714 que alterou a LOAS no que tange do número de prisões, atingindo principalmente
nos serviços devem ter em seu bojo valores que à responsabilidade de normatizar e padronizar a pessoas que personificam o trinômio raça, classe
sejam contrários à opressão, ao preconceito, à identidade visual do SUAS e assegurar o acesso da e gênero.
intolerância, ao extermínio das populações, desde população mais empobrecida à atenção integral Mesmo em face ao reacionarismo histori-
o dos judeus nos campos de concentração nazista à saúde, ou como a Lei 13.431 que estabelece o camente presente e acirrado contempo-
até o dos jovens negros nas favelas dos grandes sistema de garantia de direitos da criança e do raneamente, sigamos, sem tempo de temer, pois a
centros urbanos. Vivenciamos essas violações de adolescente vítima ou testemunha de violência saída não é construirmos mitos ou mártires, mas a
direitos humanos diariamente, passando pela definindo questões acerca do depoimento especial mesma é coletiva, de várias orientações, escolhas e
não menos aviltante ditadura empresarial/civil/ e da escuta especializada. Sem falar nas ameaças matizes, mas em uma única direção: reafirmarmos
militar brasileira, que deixou marcas ainda muito aos movimentos sociais e às organizações políticas, o comprometimento com a direção ético-política
recentes nas famílias que, ou não conseguiram partidárias ou não. desta profissão.

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL 7ª REGIÃO - No 101 - MaIo/Agosto 2018


Rua México, 41, grupos 1203-1205 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20031-144
Telefax: (21) 3147-8787 - e-mail: diretoria@cressrj.org.br
www.cressrj.org.br
Seccional de Campos dos Goytacazes
Presidenta: Dácia Cristina Teles Costa
Rua 21 de Abril, 272, s.311 - CEP 28010-170 – Centro – Telefax: (22) 2723-9464
Vice-Presidente: Nelson Felix Lima Neto
Coordenadora: Eliana Monteiro Feres
1ª Secretária: Simone Eliza do Carmo Lessa
Secretário: Marco Antonio Pedro Vieira
2º Secretário: Fábio do Nascimento Simas
Tesoureiro: Paulo Santos Freitas Júnior
1ª Tesoureira: Luciana Cristina Teixeira da Silva
Suplente: Isabella Motta de Oliveira Pinto, Suzana Mancebo Barros, Luciana Custódio Soares
2ª Tesoureira: Mariana Setúbal Nassar de Carvalho
Conselho fiscal: Janaina Bilate Martins, Jussara de Lima Ferreira, Natália da Seccional Sul Fluminense - Volta Redonda
Silva Figueiredo R. Gen. Oswaldo Pinto da Veiga, 350, salas 1001 a 1003 – Pontual
Suplentes: Luciane Barbosa do Amaral Rangel, Carla Maria Diniz Fernandes, Shopping – CEP 27261-050 – Telefax: (24) 3342-6886 PRAXIS NO FEMININO:
Silvia Maria Ribeiro, Paulo Martins Faleiro dos Santos, Camilla Muniz da Costa Coordenador: Gleydson Felipe Duque de Paiva No trabalho permanente de
Pereira, Mônica Simone Pereira Olivar, Malú Ribeiro Vale, Charles Vieira de Araujo Tesoureira: Cynthia Correa de Oliveira Ferreira construir uma linguagem não
Comissão de Comunicação e Cultura: Carlos D Medeiros, Célio Albuquerque, Secretário: Luiza Silva Pires discriminatória, os materiais do
Dácia Teles, Fábio Simas, Janaina Bilate, Luciana Teixeira, Natalia Figueiredo e
Rafael Lopes Jornalistas responsáveis: Célio Albuquerque (MTB/RJ 15751) e CRESSRJ voltados à categoria
Rafael Lopes (SRTE/RJ 33988) usam o gênero feminino para
Projeto gráfico, diagramação e ilustrações: Carlos D se referir a profissionais e
Impressão: Grafitto Gráfica – Tiragem: 16.600 exemplares
estudantes de Serviço Social.
Data de impressão: 14/01/2019
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 3

Registro e anuidade

Estar em dia com o CRESS é defender


a profissão de Serviço Social!
Atento à conjuntura e às dificuldades enfrentadas por assistentes sociais, o CRESSRJ
orienta como profissionais que estão com o pagamento de sua anuidade em atraso, por
distintos motivos, podem regularizar sua situação junto ao Conselho.

Esse é o seu caso? Veja como é possível colocar em dia sua anuidade!
O Conjunto CFESS-CRESS é composto por autarquias federais com atribuições previstas na lei 8.662/93 e possui
a função de orientar e fiscalizar o exercício profissional de assistentes sociais. O Conselho é reconhecido pelo seu
importante papel político na sociedade, na defesa da profissão, do Código de Ética e das políticas sociais, pois não se
limita apenas às suas funções legais.

Para que estas atribuições sejam garantidas, é fundamental que nós, assistentes sociais regularmente inscritas
e com nossos registros ativos, paguemos nossas anuidades. Esta é a principal fonte de arrecadação do Conselho
para realizar suas funções precípuas e políticas, e também atuar na garantia da qualidade dos serviços prestados por
assistentes sociais para a população.
Para contribuir com a regularização do pagamento das anuidades, o CRESSRJ tem realizado as seguintes ações:
• Parcelamento dos valores em atraso: as profissionais que possuem anuidades em atraso podem parcelar
o valor total de sua dívida junto ao Conselho;
• Cancelamento do registro: as profissionais que não estão atuando como assistentes sociais podem
cancelar os registros. Com isso, solicitações realizadas até dia 31 de dezembro não geram anuidades para o
exercício seguinte e aquelas que são feitas ao longo do ano resultam na cobrança de um valor proporcional
ao mês de pedido do cancelamento. Cabe considerar que é possível se reinscrever em qualquer momento;
• Interrupção do exercício profissional: as profissionais têm o direito de solicitar a interrupção do registro
por três motivos, que são situações de saúde que as impossibilitem de trabalhar, viagem ao exterior por mais
de seis meses e por reclusão. Todas essas situações devem ser comprovadas por meio de documentação
e devem ser requeridas junto ao CRESS. A cobrança da anuidade será devida até o momento da entrada
do requerimento.

Um serviço social crítico, propositivo e interventivo exige um Conselho forte e atuante. Participe das atividades do
CRESS. Acompanhe nossos canais de comunicação: site, Facebook, Praxis e informativo Via CRESS.

Para saber como regularizar sua situação entre em contato com o CRESSRJ pelo e-mail
registroeanuidade@cressrj.org.br e se informe.

A diretoria está disponível para a categoria através do e-mail


diretoria@cressrj.org.br . Será uma satisfação receber seu contato.

Gestão “Não Temos Tempo de Temer” – 2017-2020

Nova modalidade de pagamento de anuidade


es com cartão de débito
Desde o início do mês de dezembro, é possível realizar o pagamento das anuidad
de uma nova modalidade
e crédito (à vista ou parcelado) na Sede e nas Seccionais do Conselho. A adoção
o a categoria.
de pagamento das anuidades é uma forma do CRESSRJ aprimorar o serviço prestad

ERRATA: Na última edição, Praxis 100, na matéria da página 15 “Trabalhadoras se organizam para a luta e resistência”, o nome da assistente
social saiu errado. Ao invés de Renata Dutra Freitas, o correto é Renata Martins de Freitas.
4 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Exercício profissional

A luta contra o genocídio


da juventude negra
C
Foto: Rafael Lopes
om base nos atendimentos e

“ O genocídio
acompanhamentos que têm
sido feitos com adolescentes
em cumprimento das medidas
socioeducativas, a assistente
social Dayana de Souza Juliano buscou
não está atrelado
compreender como o genocídio da
juventude negra estava relacionado ao seu
apenas à política de
exercício profissional. Em quase dois anos
de trabalho junto ao Centro de Referência
segurança pública,
de Assistência Social – CRAS Largo da
Batalha, em Niterói/RJ, dispositivo do mas permeia as
políticas de educação,
Sistema Único de Assistência Social -
SUAS, ela percebeu que mais do que o

saúde, moradia etc “


atendimento previsto pela política, era
preciso refletir sobre as condições de vida
desses jovens e, a partir disso, criar em
conjunto com os mesmos novas e reais
perspectivas, sem perder a compreensão
maior da realidade dos desdobramentos
do genocídio.
“Na política de assistência
social, o tempo inteiro pensamos na
Dayana de Souza Juliano
Assistente social do Centro de Referência de
territorialidade, no lugar que estamos
inseridos e na intersetorialidade, ou Assistência Social - CRAS/Largo da Batalha
seja, como vamos articular as demais
políticas para efetivar a proteção social.
Os adolescentes chegam em situação de incidido diretamente sobre os jovens negros trabalhadores das políticas públicas e
risco e/ou vulnerabilidade social e se faz moradores dessas regiões. No entanto, sociais que atuam diretamente na garantia e
necessário que identifiquemos junto com ela destaca que para abordar esse tema é efetivação desses direitos. O neoliberalismo
eles outros caminhos e projetos de vida. preciso levar em consideração o racismo que revelado numa de suas facetas: a retração de
O genocídio não está atrelado apenas à faz parte da organização e construção da direitos sociais, que incide diretamente na
política de segurança pública, mas permeia sociedade brasileira. Essa estrutura atravessa sociabilidade da juventude negra, sobretudo
as políticas de educação, saúde, moradia as esferas política, econômica, social e cultural de adolescentes em situação de cumprimento
etc. E como um processo ou um ciclo, se manifestando-se concretamente em atitudes das medidas socioeducativas decorrentes dos
apresenta também na assistência social, e posturas preconceituosas e discriminatórias atos infracionais. As pesquisas sobre violência
e nesse campo não estamos distantes que corroboram na manutenção do abismo no Brasil que serviram de base à análise,
dessa realidade. Isso é perceptível quando da desigualdade racial: “Tem uma questão apontam que em 2017 a cada 100 pessoas
vemos que esse jovem está com baixa que me toca enquanto profissional que é assassinadas no Brasil, 71 eram negras. O
escolaridade, não acessa lazer, cultura”, pensar no desafio de como trabalhar com Atlas da Violência ainda detalha outros
detalha a profissional. esse jovem tendo como pano de fundo esse números dos homicídios de jovens negros:
Para a assistente social, o termo genocídio. Digo isso, pois temos a tendência esses aumentaram 18,2%, enquanto entre os
genocídio da juventude negra ainda está de incorrer, de taxar esse sujeito apenas jovens brancos o índice diminuiu 12,2%, no
muito associado à forma letal da violência. como alguém que está em situação de período entre 2005 a 2015. A naturalização
Cabe mencionar aqui o contexto que a vulnerabilidade social e violência, porém, ele dessas mortes revela uma grave violação
periferia e as comunidades da cidade possui potencialidades”. de direitos humanos, o consentimento e
do Rio de Janeiro têm vivido com as Dayana aponta que a conjuntura que a omissão do Estado na responsabilização
ações da intervenção militar, que tem vivemos também afeta as condições dos quanto a esse fato.
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 5

significativa da população em que o direito à determinando os encaminhamentos sem


A urgência do tema racial vida sofre constante ameaça. levar em conta as demandas deles. Busca-
“Acompanhei três grupos de jovens se estabelecer uma relação de confiança,
Para Dayana, colocar a análise desse tema em cumprimento de medidas. Cada grupo fora da tutela, da caridade para poder dar
é necessário e urgente para o Serviço Social, levava em média seis meses de duração para sentido junto com eles dos projetos de vida
porém, a profissão não precisa ir longe para acompanhamento da equipe. As mortes de atrelados a história dos sujeitos e da relação
buscar as fontes, como podem ser vistos nos jovens negros fazem parte de um cenário anterior que os mesmos estabeleceram com
fundamentos do trabalho profissional a partir amplo do conceito de genocídio e esses óbitos os espaços e pessoas.”
do movimento de reconceituação na década nos desafiam e revelam um caminho longo, Dayana também acredita que durante
de 80 e da contribuição do movimento social necessário a ser percorrido para valorização e seu dia a dia o fato de ser negra contribuiu
negro. A categoria tem sido provocada a garantia da vida da juventude negra no Brasil”. para um melhor contato com a população
reconhecer a existência do racismo e chamada É preciso ter sensibilidade para lidar com usuária dos serviços nos quais atende e
a incorporar esse debate, mas a partir da as histórias e subjetividades, que segundo dialoga sobre as diferentes expressões do
apreensão crítica acerca da realidade dos Dayana, a oferta de um espaço de escuta racismo.
usuários das políticas sociais e da apropriação e de atendimento do Serviço Social pode “Não é algo verbalizado, mas existe
de conhecimentos sobre o fenômeno do apoiar no fortalecimento dessa juventude uma ligação. Meu subjetivo está totalmente
racismo e de suas diversas expressões na vida e na possibilidade de vislumbrar novas atravessado por uma formação política,
social. Seguindo os princípios do Código de perspectivas. então essa visão aparece em toda a minha
Ética Profissional do Serviço Social em vigor, “Eles chegam ao atendimento pelo produção de vida.”
afirma Dayana, a assistente social possui requisito do cumprimento da medida. Então, O desafio de potencializar a defesa dos
por compromisso ético político a escolha a entrevista funciona também para se criar direitos desses jovens e instrumentalizar
de um projeto profissional vinculado ao um elo de confiança. Mais uma vez a questão a população usuária das políticas públicas
processo de construção de uma nova ordem não se resume só à formação acadêmica, mas e nos diversos espaços sócio ocupacionais
societária, sem discriminação de qualquer também envolve uma visão política. Isso faz está para todas as assistentes sociais,
natureza, como inaugura esse Código, onde toda a diferença, pois aquele sujeito que está independente de pertença racial, ativismo
a dominação, opressão e exploração sejam na nossa frente, não é um sujeito vazio. E se ou militância. A demanda antirracista está
superadas na direção de um novo horizonte não levarmos isso em consideração acabamos colocada para toda a categoria.
emancipatório.
“Da leitura crítica que fazemos das
relações raciais e sociais é possível construir Discutir e enfrentar o genocídio de jovens
essa prática profissional. Sabemos que nosso
cotidiano é limitado por todos os lados, porém, negros é uma luta coletiva que precisa ser
entendo que o trabalho da assistente social na
política de assistência social, em especial na assumida pela profissão
proteção social, é um lugar privilegiado para
efetivações de princípios defendidos em nosso
Código de Ética Profissional de 1993. Como
exemplo disso, está a defesa intransigente de
direitos humanos. Nessa, como em qualquer
outra área, existe o convite cotidiano para
que cada assistente social contribua para
o enfrentamento dessa realidade cruel que
violenta a população jovem negra de todo o
país, que é uma realidade de extermínio.”
Em relação ao debate sobre o racismo, a
assistente social identifica que ainda há lacuna
no Serviço Social e que se faz necessário
fortalecer essa discussão, dando visibilidade
ao exercício profissional e as relações
étnico-raciais no Brasil, que resultam em
desigualdades e discriminações. Entretanto,
ela acredita que a profissão é convocada a
atuar de maneira propositiva e antirracista e,
independente do espaço sócio ocupacional,
essa deve ser uma pauta da categoria.
Para a profissional, vale ressaltar que a
categoria atua na defesa e garantia de direitos
sociais, civis, políticos e humanos garantidos
nos instrumentos jurídicos e legais, mas sua
efetivação não se apresenta nas dinâmicas
da realidade social de jovens negros, parcela
6 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Pergunte à COFI
Atuação em cursos de Serviço Social e
a relação com as normativas profissionais
A direção da unidade ou coordenadora para o exercício profissional, em especial, de estágio no Serviço Social. Essa
de curso universitário de Serviço Social a citada Lei de Regulamentação e também legislação caracteriza as atribuições e
deve ser exclusivamente exercida por o Código de Ética Profissional. Desse responsabilidades de coordenadoras
assistente social? modo, a atuação de docentes nestas de curso, de estágio, supervisoras
Sim, as profissionais que ocupam a condições impõe a obrigatoriedade de acadêmicas e de campo nesse momento
função de Coordenação de Curso ou de registro no CRESS da área de abrangência de contribuição com a formação de
Unidades de Serviço Social, que respondem em que se situa o trabalho efetivo e a discentes na condição de estagiárias.
por uma atribuição privativa de assistentes devida situação regular junto ao mesmo, Assistentes sociais das unidades de
sociais, devem possuir registro ativo no bem como o zelo e respeito dos princípios formação têm a posição estratégica de
CRESS da área de abrangência em que se éticos da profissão. Sob estes termos, avaliar os potenciais campos de estágio
situa o trabalho efetivo e a situação regular as penalidades previstas para toda a para receber estudantes. Neste processo,
junto ao mesmo. Igualmente, no que diz categoria profissional se aplicam também essas profissionais devem observar se há
respeito a direitos e deveres, elas também às/aos que se ocupam com o exercício da condições técnicas e éticas para o exercício
devem cumprir as normativas vigentes docência em matéria privativa do Serviço profissional e se, de fato, as atribuições
para a categoria de assistentes sociais. Vale Social. de assistentes sociais são realizadas por
ressaltar a importância de não se restringir profissionais devidamente habilitadas,
essa discussão sobre o trabalho nas O que devo fazer quando suspeitar de conforme estabelecido na Resolução
Coordenações de Curso ou de Unidades de violação do Código de Ética e da Lei CFESS Nº493/2006. Esse é um processo
Serviço Social aos aspectos legal-formal e de Regulamentação da Profissão por de avaliação difícil de ser realizado e
financeiro, que é algo menos central, pois se assistente social no exercício docente? pode revelar irregularidades de distintas
trata de contribuir com o fortalecimento das Toda e qualquer irregularidade e naturezas, que devem ser comunicadas
entidades que atuam em defesa do exercício infração frente às normativas vigentes para o CRESS do âmbito de sua jurisdição
profissional, dos princípios e bandeiras para o exercício profissional do que realizará ações de orientação e
associados historicamente à profissão. Serviço Social, previstas tanto em seu fiscalização. O objetivo é garantir o
Assim, nesse debate, cumpre considerar a Código de Ética quanto em sua Lei de cumprimento das normativas profissionais,
importância de valorização da dimensão Regulamentação, deve ser comunicada de modo a possibilitar melhores condições
ético-política do registro profissional como ao CRESS responsável pela área de de trabalho, com isso, também contribuir
parte dos deveres do exercício profissional. abrangência para a devida averiguação e, com a manutenção e abertura de
quando necessário, tomada das medidas oportunidades de estágio. No entanto,
A professora que ministra aulas sobre a cabíveis. Assim, diante de possíveis também são identificadas situações
matéria privativa de Serviço Social deve irregularidades e de infrações há o dever que dão ensejo a ações complexas e
estar inscrita e em dia com as anuidades de se comunicar ao Conselho, do contrário, indesejáveis, mas necessárias como:
do CRESS? em determinadas circunstâncias, pode cancelamento e fechamento de campos
Sim, deve estar em situação regular. gerar o entendimento de que também estágios, responsabilização por infrações
A Lei de Regulamentação da Profissão houve infração ética por parte de quem éticas e por exercício ilegal da profissão.
define como uma atribuição privativa de se omitiu, conforme previsto no artigo 21, Fatos com essa gravidade não podem
assistentes sociais no magistério de Serviço alínea b do Código de Ética. ser desconsiderados, seja de infrações às
Social, tanto em nível de graduação, como normativas, seja de irregularidades, bem
pós-graduação, disciplinas e funções No caso de assistente social que faz como o impacto e a influência junto às
que exijam conhecimentos próprios e supervisão acadêmica de estágio ou futuras assistentes sociais que, nessas
adquiridos em curso de formação regular. coordena estágio, o que devo fazer circunstâncias, podem naturalizar e talvez
As assistentes sociais são as únicas se identificar suposta violação das reproduzir irregularidades e violações
profissionais com previsão do exercício legislações e normativas profissionais? éticas quando exercer a profissão. Diante
de docência de disciplinas específicas em Tanto na supervisão acadêmica quanto dessa realidade, comunicar ao Conselho
matéria de Serviço Social. Trata-se de uma na Coordenação de Estágio são aplicadas inadequações identificadas quanto às
premissa que iguala tais assistentes sociais a mesma lógica das questões anteriores, condições éticas, físicas e técnicas do
às demais profissionais que atuam em mas tem a particularidade de contar exercício é defender a profissão e a garantia
outras áreas e espaços sociocupacionais, com a Resolução CFESS Nº533/2008, de campos de estágio.
com isso, há que se respeitar as normativas que regulamenta a supervisão direta Assistente Social: Contribua! Participe!
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 7

Orientação e Fiscalização
Nova gestão CFESS

Requisições incompatíveis
a assistentes sociais

V
ocê já se deparou com alguma
requisição no seu espaço sócio-
ocupacional, que provocou a
dúvida se de fato era indevida ou
incompatível com o seu projeto
profissional? Essa situação é mais comum do
que parece. E isto ocorre quando a instituição
demanda da assistente social atuação estranha
ao cargo ou mesmo aos princípios defendidos
pelo Serviço Social e podem ser consideradas
requisições indevidas. Muitas vezes tais pedidos
estão escamoteados e podem ser caracterizados
como desvio de função. O preocupante é a médico-pericial”. No entanto, o cargo estava eles os processos de solução dos problemas que
não identificação de tais solicitações enquanto denominado como Analista do Seguro Social com emergirem da sua relação com a Previdência
indevidas pelas profissionais. Um dos fatores que formação em Serviço Social, mas de acordo com a Social, tanto no âmbito interno da instituição
pode estar relacionado a demandas estranhas à Lei de Regulamentação da Profissão nº 8.662/93, como na sociedade”, assim como a Matriz Teórico-
profissão são as denominações e nomenclaturas o diploma não é suficiente. Para ser assistente Metodológica do Serviço Social e o Manual Técnico
genéricas dos cargos, que resultam das alterações social, é necessária inscrição no CRESS, do do Serviço Social. Desta forma, “a realização de
no mundo do trabalho e também são associadas contrário, a trabalhadora é considerada Bacharel atividades que não sejam compatíveis com a área
com o fenômeno da desprofissionalização. em Serviço Social, o que caracteriza exercício de formação do profissional, exigida por concurso
É certo que isso não ocorre de forma isolada ilegal da profissão, em caso de realizar atribuições público, daquele que exerce cargo genérico,
com o Serviço Social, mas na categoria, como privativas. poderá se caracterizar como desvio de função”
exemplo, podem ser citadas as assistentes Após reuniões entre CFESS e INSS, mesmo (Parecer Jurídico nº12/2010, CFESS).
sociais que trabalham no Instituto Nacional de com a nomenclatura genérica de “Analista do Diante do exposto, cumpre ressaltar que
Seguro Social (INSS), que a partir do concurso Seguro Social” com atribuições específicas é vedado à assistente social, de acordo com o
de 2009 passaram a se chamar Analistas do “formação em Serviço Social” passou-se a exigir o art. 4º do Código de Ética Profissional, “acatar
Seguro Social com formação em Serviço Social. registro profissional para nomeação e posse, em determinação institucional que fira os princípios
O conjunto CFESS-CRESS empenhou-se em decorrência do tipo de trabalho realizado. Ainda deste Código”. Sendo assim, o Conjunto CFESS-
garantir a exigência da comprovação de inscrição assim, as assistentes sociais do INSS se deparam CRESS atua na defesa do Serviço Social, e
das assistentes sociais nos Conselhos Regionais com requisições indevidas, como a pressão para através das suas Comissões de Orientação e
de Serviço Social (CRESS), uma vez que não se exercer a atividade de habilitar o Benefício de Fiscalização (COFI), orienta e fiscaliza o exercício
configurava uma das exigências para nomeação Prestação Continuada (BPC). A habilitação do profissional. Orientação e fiscalização estas que
e posse. Além disso, a solicitação de convocação benefício é caracterizada por ação puramente já vêm sendo exercidas através de reuniões com
de mais 50% do número de aprovados, tendo em administrativa, de caráter fiscalizatório, tendo o INSS, produção de documentos, com intuito
vista a defasagem de três décadas sem concursos em vista que consiste no recolhimento dos de defender as atribuições e competências
públicos para categoria. Hoje em dia, a maioria documentos e confronto das informações profissionais perante a tentativa de desmonte do
das assistentes sociais encontra-se inserida em prestadas em sistemas com banco de dados dos Serviço Social, bem como reafirmar a garantia da
dois serviços previdenciários: o Serviço Social usuários. atuação profissional de acordo com os dispositivos
e a Reabilitação Profissional. A atuação das Tal conduta é incompatível com as atribuições legais da profissão, bem como, no que se refere às
assistentes sociais na Reabilitação Profissional profissionais da assistente social, conforme consta dimensões teórico-metodológicas, ético-políticas
também necessita de uma reflexão específica em no Parecer Jurídico 12/2010 (CFESS). No que se e técnico-operativas.
conjunto com a categoria. refere ao BPC, à assistente social cabe realizar a Para tal, é fundamental que cada vez mais
No edital do concurso 01/2008, item 2, estava avaliação social, na qual é avaliada a deficiência e sejam identificadas as requisições indevidas e que,
especificado nas atividades do cargo que se o grau de impedimento, considerando os fatores coletivamente e individualmente, as assistentes
tratavam de atribuições privativas de assistentes pessoais, sociais e ambientais, conforme Decreto sociais, lançando mão da documentação técnica
sociais, tais como “elaborar, executar, avaliar 6214/2017, além de socialização de informações produzida, não sucumbam a possíveis pressões
planos, programas e projetos na área de Serviço individual e coletiva, articulação, encaminhamento e assédios em caso de incitação a atividades que
Social; realizar avaliação social quanto ao acesso à rede de serviços socioassistenteciais, tendo configurem desvio de função ou comprometa a
aos direitos previdenciários e assistenciais; como diretriz o art. 88 da Lei nº 8.213/91, em qualidade dos serviços prestados à população. Em
produzir estudo socioeconômico para subsidiar que “Compete ao Serviço Social esclarecer junto quaisquer das situações apresentadas, é possível
a manutenção e reconhecimento de direitos aos beneficiários seus direitos sociais e os meios buscar orientação junto a Comissão de Orientação
previdenciários, bem como subsidiar a decisão de exercê-los e estabelecer conjuntamente com e Fiscalização.
8 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Direitos Humanos

Acessibilidade na comunicação:
um debate necessário

A
Foto: Rafael Lopes
acessibilidade na comunicação é do Modelo de Acessibilidade em Governo
um direito regulamentado pela Lei Eletrônico ou e-MAG, sintetizadores de voz
10.098/00. Essa medida busca dar e tradutores de libras virtuais, materiais
base à utilização de tecnologias audiovisuais com legendas e janelas de
assistivas que ampliem a tradução de libras (Linguagem Brasileira de
participação da pessoa com deficiência ou com Sinais), entre outros”.
mobilidade reduzida, visando “a autonomia, Dentro dessa perspectiva, o CRESSRJ
independência, qualidade de vida e inclusão busca atualizar e adequar seus veículos de
social”. Porém a sua efetiva implementação comunicação para a categoria e a sociedade.
ainda está longe de ser alcançada. Essa adequação é um desafio cotidiano e
Atualmente existem diversas ferramentas, que necessita de sugestões de melhorias.
programas e aplicativos que têm a Como por exemplo, quando a Comissão
perspectiva de aumento da interação de Comunicação e Cultura do Conselho
comunicativa. Com a velocidade de criação adequou sua abordagem após ter postado
de redes virtuais, os tradicionais meios um dos cartazes virtuais na rede social.
impressos, eletrônicos e audiovisuais Isso se deu em razão do contato de
ganham novas potencialidades e com Marcelle Silva, à época bacharel em
isso novos desafios. Serviço Social, que é cega de nascença
e utiliza aplicativos virtuais que não
A acessibilidade no realizam leitura de imagens ou gifs, por
Conjunto CFESS/CRESS isso, ela precisou de auxilio para realizar
leitura da postagem. Esse foi o sinal de que
A garantia e a ampliação democrática era preciso ampliar a comunicabilidade.
do direito à comunicação da pessoa com “Era uma divulgação de um seminário
deficiência permanecem como desafios para na UFF. Postaram a foto e eu compartilhei,
o Conjunto CFESS-CRESS. Isto porque a porque veio de uma pessoa de confiança,
acessibilidade impõe enfrentar não apenas
as barreiras de comunicação (sites, jornais e “A questão mas queria saber o que havia na imagem
para poder compartilhar com outros amigos.
meios eletrônicos e virtuais) e dos espaços bibliográfica, por não Entrei em contato para saber o que tinha na
físicos, mas ultrapassar as barreiras atitudinais imagem, e ela (Comissão de Comunicação –
com o objetivo de desconstruir preconceitos ter acessibilidade, informação nossa) percebeu que precisaria
que são facilmente reproduzidos no cotidiano.
Nesse sentido, com o intuito de estimular
perdemos muitos levar esse assunto para frente”.
Essa é uma das muitas experiências
o debate e a implementação da acessibilidade conteúdos, porque se vivenciadas por Marcelle que também
nos meios de comunicação do Conjunto,
após o Encontro Nacional de Tocantins, em
quiser se aprofundar relatou vários episódios sobre como a falta
de acessibilidade e o preconceito foram
2012, foram publicados o Código de Ética e não tem como, e é esse barreiras em sua trajetória. “Quando cheguei
a Lei de Regulamentação da Profissão (Lei nº
8662/93) nas versões em braile e o audiolivro, conteúdo que baseia, à faculdade, tinha medo e vergonha. Medo
de não conseguir me incluir, de como seria e
cujo arquivo foi liberado pelo CFESS e que dá margem para também por nunca ter ido para lá, mas logo
está disponível em seu sítio eletrônico. Na no primeiro dia, encontrei amigas que fizeram
biblioteca do CRESS RJ, é possível também o profissional lá na a graduação comigo. Fui à rua, participei do
ter acesso a um exemplar desse material na
versão em braile.
frente, uma leitura trote. Logo no primeiro dia, todo o medo que
tinha foi se desfazendo e elas começaram
Na Política de Comunicação do Conjunto acessível” a perceber as necessidades que existem
está disposto que “o Conjunto CFESS-CRESS quando a gente passa a conviver nos diversos
deve buscar, dentro da sua realidade financeira,
ampliar as soluções de acessibilidade. Alguns Marcelle Silva espaços. Eu fui muito feliz ao encontrá-las. Foi
uma coisa que foi se desenhando ao longo do
sites, como o do CFESS e de alguns CRESS, Deficiente visual e Assistente Social tempo e temos contato até hoje. E é muito
já oferecem ferramentas nesse sentido: - Serviço de Família Acolhedora em legal incorporar isso na vida das pessoas que
o Código de Ética em audiolivro, páginas São Gonçalo estão ao redor”.
virtuais desenvolvidas com as recomendações Ela relata como inúmeras dificuldades
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 9

foram amenizadas através do suporte e apoio As tecnologias assistivas Os próprios surdos têm dificuldade com
coletivo, pois “foi essencial a construção da os avatares. A língua é viva! É articulação,
relação de amizade dentro da graduação O avanço das tecnologias de inclusão, movimento, expressão! O mesmo sinal
de Serviço Social, mas hoje elas descrevem porém, não consegue abarcar o conjunto pode ter sentido diferente dependendo da
tudo para mim na rua. Também fui buscando das especificidades. Para os surdos, o closed expressão facial. O avatar faz uma versão
a acessibilidade junto com elas, não é uma caption (sistema de transcrição de sons da linguagem escrita para libras. Aquilo
receita de bolo. Foi uma troca muito rica, através de sua transmissão por textos, que não é vivo. Essa ferramenta não consegue
crescemos juntas”, destaca. é denominada como legenda oculta) é a interpretar, por exemplo, a expressão
Assim, compartilha algumas dessas tecnologia mais encontrada em programas ‘opressão do trabalhador’ se um avatar ler o
experiências em meio a sua difícil rotina televisivos e vídeos na internet A rede social termo ao pé da letra. Não lê, dentre outras, a
durante a faculdade, que incluía desde o adaptou suas produções para que tenham palavra descentralização”, aponta.
deslocamento do município de São João essas legendas, inclusive nas transmissões ao A também assistente social da equipe,
de Meriti a UFF-Campus Niterói, o que vivo, porém o uso desta ferramenta ainda é Rosária Maia, destaca que no Brasil a questão
dava aproximadamente 90km percorridos operacionalmente complexa. No entanto, a da surdez e outras deficiências estão ligadas
diariamente, até a falta de material didático crítica realizada a essa medida diz respeito à pobreza por ser uma das consequências de
acessível. a outros entraves na comunicação, pois a doenças como rubéola, sarampo e sífilis.
“A questão bibliográfica, por não ter construção gramatical de uma frase para os “A nossa população usuária aqui é
acessibilidade, perdemos muitos conteúdos, não ouvintes é diferente. majoritariamente empobrecida. Cerca de 30%
porque se quiser se aprofundar não tem Amplamente utilizada pela facilidade de dos nossos alunos são da baixada fluminense
como, e é esse conteúdo que baseia, que acesso, as redes sociais também ampliaram e vem dos bolsões, não estamos falando
dá margem para o profissional lá na frente, o leque de ferramentas inclusivas. O do centro de Nova Iguaçu ou de Duque de
uma leitura acessível. Gravava as aulas, Twitter disponibiliza um espaço específico Caxias. Temos um número significativo de
depois fazia os resumos. Além dos textos para descrição de imagens, além dos 280 pessoas de Bangu, na Zona Oeste e alunos
que minhas amigas liam para mim, pois não caracteres habituais. Já no Facebook é de São Gonçalo. Além de crianças da Maré,
havia nenhum material em braile ou áudio. possível usar a hashtag #pracegover e Complexo do Alemão e aqui na Zona Sul são
Se existissem versões impressas em braile descrever a imagem postada. oriundos, sobretudo, da Rocinha”, detalha.
ou em pdf poderia colocar no celular para
realizar a leitura, ir estudando no ônibus”, O trabalho do Serviço Social no INES Por uma comunicação e
relembra Marcelle. Ela chama atenção para a informações acessíveis
necessidade de se garantir que os arquivos O assistente social Leandro Freitas
sejam disponibilizados em formato aberto ou trabalha no Colégio de Aplicação do Instituto A inclusão da acessibilidade nos veículos
gravados no formato “pdf pesquisável”, pois Nacional de Educação de Surdos (INES) de comunicação do Conjunto CFESS-CRESS
o documento salvo sem essa extensão não vinculado ao departamento de educação é um compromisso ético da categoria. Por
é reconhecido pelos leitores de tela, seja no básica. Ele destaca que a acessibilidade esse motivo, em julho deste ano, o CRESSRJ
computador ou no celular. precisa, necessariamente, da aproximação convidou a bacharel em Serviço Social
Essa não adequação dos meios de dos sujeitos usuários. Sem essa participação Marcelle Silva e o assistente social Leandro
comunicação para pessoas com deficiência essa medida fica pelo meio do caminho. Freitas para uma roda de conversa. A intenção
é apenas a ponta do iceberg. Dentre outras, “Para se construir um plano eficaz de do encontro foi instrumentalizar a equipe
também há dificuldades relacionadas ao acessibilidade nos meios de comunicação da Comissão de Comunicação e Cultura a
mobiliário urbano e aos espaços públicos é necessária a participação de pessoas aprimorar a utilização de ferramentas assistivas
que estão distantes de atender toda a de referências de cada comunidade, pois de inclusão nos meios de comunicação textual,
diversidade, que hoje é composta por cerca determinados conceitos, por exemplo, ainda audiovisual e visual.
de aproximadamente 24% da população não estão construídos na língua de sinais. E O processo de aprendizagem é longo,
brasileira. De acordo com o Instituto Brasileiro quem os constrói são os linguistas surdos. mas é importante que se busque assessoria
de Geografia e Estatística (IBGE), o país possui Algumas categorias teóricas ainda não possui de institutos, associações, movimentos
45 milhões de Pessoas com Deficiência (PCDs) conceito em libras”. sociais que contribuam para ampliação
seja física, auditiva, visual, mental ou múltipla. Leandro chama atenção para os limites da acessibilidade em todos os meios de
A falta desses espaços em comum e que algumas ferramentas possuem: “A comunicação, inclusive dentro do Conjunto
adequação de suportes a essa parcela da expressão facial faz parte da linguagem CFESS-CRESS. O Serviço Social tem que estar
sociedade é refletida no mundo do trabalho. e uma máquina não consegue fazer isso. junto a essa luta.
Segundo dados divulgados pela Relação
Anual de Informações Sociais (RAIS), o ano de
2016 contabilizou a presença de 418.521 PCDs
com carteira assinada. As informações reúnem
#pracegover
ers no Facebook, o CRESSRJ
dados dos setores privado e público. Apesar Com esse hashtag nas postagens de bann
e à informação em seu canal
do crescimento, ainda de acordo com a RAIS, tem procurado aumentar a acessibilidad
rição da imagem postada que
93,48% das contratações visam cumprir a de comunicação. A hashtag indica a desc
oas com deficiência visual.
determinação legal. Além disso, esse número será lida nos aplicativos de celular de pess
de 2016 representa apenas 1% das pessoas
com deficiência.
10 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

SECCIONAIS
O avanço político Serviço Social
do reacionarismo e questão racial

O N
Volta Redonda Campos dos Goytacazes

ano em que a Constituição Federativa do Brasil completa o Brasil, para se entender a estruturação da questão social
trinta anos de sua promulgação também foi marcado com a é central aprofundar o conhecimento sobre a questão
eleição mais reacionária da história do congresso brasileiro. racial que se materializa em uma série de desigualdades
Apesar da pulverização dos partidos, o Congresso teve e discriminações, onde a cor da pele e os traços
um crescimento considerável de deputados federais e senadores fenotípicos definem a “situação” e o “lugar” da população negra
sintonizados com uma concepção que se alinha à extrema direita nas relações sociais e econômicas. Isto significa que uma pessoa
do espectro político. Nas câmaras estaduais não foi diferente, esses negra lida com barreiras para usufruto da riqueza socialmente
mesmos congressistas se depararão com um 2019 que será marcado produzida, para acesso e permanência à educação e ao mercado
pelos efeitos deletérios da Emenda Constitucional (EC) 95/17, que de trabalho, bem como com toda sorte de discriminações e formas
congelou os gastos públicos por vinte anos. de destituições de valor.
Há uma análise de que este Congresso seria o mais conservador da Deste modo, é um equívoco dissociar desigualdades sociais e
história, pois está permeado por bancadas extremamente reacionárias, econômicas de desigualdade racial, pois, ainda que consideremos
ou seja, que são avessas à democracia e, consequentemente, ao a questão social brasileira circunscrita ao modelo de produção
projeto ético-político do Serviço Social e aos direitos trabalhistas, capitalista, tal modelo só foi possível dentro uma lógica vinculada a
sociais e previdenciários. O estado do Rio de Janeiro encontra-se séculos de escravidão e a adoção de uma política de silenciamento
com a maioria de deputados desta extrema direita e alguns deles sobre as condições de existência da população negra imposta pela
protagonizaram e apoiaram a barbárie da destruição da placa em sociedade e pelo Estado no pós-abolição, que é marcado pelo
homenagem à vereadora Marielle Franco. racismo em todas as suas expressões.
A região Sul Fluminense, área de abrangência desta Seccional, não Considerando que instituições demandam o trabalho de
passou incólume a esta onda reacionária e também elegeu candidatos assistentes sociais e se constituem enquanto espaços sócio-
com discurso de extrema direita. E o que significa dizer isso? Significa ocupacionais do exercício profissional, podem tanto servir à
que nos próximos anos, a categoria terá desafios hercúleos para a reprodução e ocultamento do racismo, como também participar
defesa dos usuários da seguridade social e de confronto ainda mais da necessária atuação que possibilite descortinar a ossatura social
direto e permeado por relações cada vez mais autoritárias, que que sustenta as relações de dominação, exclusão e discriminação
infringirão diretamente os onze princípios do nosso Código de Ética, racial. Assim, as instituições colocam contextos de disputas, em que
que acabou de fazer vinte e cinco anos. simultaneamente estão postas essas possibilidades contraditórias
Assim sendo, enquanto profissionais comprometidas com uma em que as profissionais realizarão um trabalho complexo de
concepção de mudança social profunda da sociedade brasileira, nós desvelamento dessas relações.
deveremos nos posicionar frontalmente contra essa perspectiva que
nos aguarda. Nas palavras do dramaturgo alemão, Bertold Brecht Para tanto, qual tem sido a centralidade da
“em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de questão racial no Serviço Social?
arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve
parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar”. No âmbito da produção acadêmica, em que pese o esforço
histórico de algumas docentes e pesquisadoras em abordar esse
tema, cabe uma avaliação do seu impacto, pois se comparada à
produção total no Serviço Social, os conteúdos relacionados ao
racismo em seu exercício profissional ainda não tem sido suficiente
para que assistentes sociais se defrontem com as condições
objetivas e subjetivas que culminam na reprodução do racismo.
Com a aprovação da Lei 12.288/10, que institui o Estatuto
da Igualdade Racial, apesar da apropriação do debate acerca da
questão racial e das ações afirmativas, é preciso avaliar como todo
este acúmulo contribuiu para o trabalho das assistentes sociais
nos seus espaços sócio-ocupacionais. É extremamente necessária
a apreensão do debate sobre a questão racial, para que o exercício
profissional não reitere as marcas de nossa formação social,
principalmente pelo fato de ainda ser cultivada a mentalidade
de uma sociedade “harmônica”, tornando o racismo invisível,
normalizado e esperado.
Isso significa que uma pessoa é lida através destas barreiras
e isto dificulta o usufruto da riqueza socialmente produzida, o
acesso e permanência à educação e ao mercado de trabalho. O
que acarreta toda sorte de discriminações e formas de destituições
de valor.
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 11

Racismo e
sobretudo, elas são negras e nordestinas.
Então é uma fala que retrata o que pode
vir a acontecer no sistema de saúde como

violência obstétrica
A
um todo. É uma reatualização da política de
embranquecimento”.
Jussara se refere à política de
violência obstétrica ocorre de intervenção médica. Mas o que vemos é um branqueamento, que foi a adoção por parte
modo muito mais frequente do que movimento contrário, a interferência antes de do governo brasileiro de políticas de incentivo
se pode imaginar, sendo comum tudo. E nesse bojo, também tem a discussão da a imigração de alemães, italianos e espanhóis
escutar relatos de muitas mulheres mercantilização da cesárea. O Brasil é campeão postas no começo do século XX, mas inspiradas
que passaram por experiências nessa modalidade”. por teorias racialistas do século XIX, que
similares, tais como tratamento humilhante Um estudo da Escola Nacional de Saúde disseminavam o ideário de uma superioridade
e vexatórios (ironias, ridicularizações ou Pública Sérgio Arouca (ENSP) da Fiocruz, da raça branca e da inferioridade dos negros.
recriminações por qualquer característica, ato demonstra essa realidade brasileira, onde a Ou seja, por meio desse clareamento se teria
físico ou comportamentos), agressões verbais cesárea representa 52% dos procedimentos. uma higienização moral e cultural da sociedade
(gritos, ameaças de naturezas distintas e/ No setor público isso corresponde a 46% dos brasileira através de teses que defendiam um
ou xingamentos), recusa de atendimento, partos realizados e no setor privado, esse projeto de nação somente possível sem a
extensão do tempo para a realização do parto, percentual chega a 88%, quando a Organização presença da população negra. A disseminação
privação de acompanhante, realização de Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as dessa ideologia deixa como legado o “racismo
intervenções e procedimentos médicos mesmo cesarianas não ultrapassem 15% do total de à brasileira” que se expressa por meio das
sem necessidade (como o corte no períneo partos. Essa realidade, que por si só é violadora violações e violências cotidianas ainda dadas
– episiotomia; subida na barriga da mulher do direito da mulher ao corpo, ganha um como naturalizadas e frequemente silenciadas.
para expulsar o feto – manobra de Kristeller; agravante quando o debate étnico racial é
dentre muitos outros).Todas essas experiências adicionado. O tema do preconceito na formação
traumatizantes ainda são rotineiramente em Serviço Social
realizadas em uma gama de instituições de Racismo institucional Para Jussara o “Serviço Social também é
saúde, tanto públicas quanto privadas. Porém, A assistente social chama a atenção para a atravessado pelo mito da democracia racial”
muitas mulheres, apesar da dor, não sabem maneira como a violência obstétrica rebate nas e é necessária muita discussão dentro da
nomear essa natureza de violência. mulheres negras, situação que se agrava ainda formação para garantir a inclusão da temática
Em todo o país, esse tipo de violência, que mais quando se trata das pobres e periféricas, na própria grade curricular.
pode ser física e/ou psicológica, atinge muitas que estão na base de nossa pirâmide social “Enquanto assistentes sociais, precisamos
mulheres e bebês no momento da gestação, brasileira e que vivenciam as expressões do estar alinhadas com essa questão e nos
parto, nascimento e/ou pós-parto. Desse tipo racismo em todas as dimensões de vida. posicionarmos politicamente. É chamar a
de conduta abusiva resultam vítimas com uma “Nós sabemos muito bem como essa atenção da categoria para as possibilidades
série de sequelas e, infelizmente, ainda hoje, engrenagem funciona. A discussão é a seguinte: profissionais dentro das unidades de
também há muitos óbitos. se para as mulheres de classe média é uma saúde, que trabalham com pré-natal, com o
O uso da expressão violência obstétrica questão de direito ao corpo, para as mulheres acompanhamento puerperal. Pensar como a
é recente, chega à cena política e acadêmica negras o grande ponto é o acesso ao serviço de profissão pode contribuir no enfrentamento
a partir dos anos 2000, oriunda do encontro forma digna. Não é apenas a via de parto, mas da violência obstétrica. Essa é uma grande
de mulheres da classe média que começaram é ter seus filhos com o direito básico de saúde proposta de minha pesquisa”.
a trocar e compartilhar suas experiências de sendo respeitado. A questão da peregrinação Para a também docente, a expectativa
parto. “Durante os relatos elas percebiam que para acessar o serviço de saúde, dentre outras sobre o tema dentro do Serviço Social é
que a profissão possa realizar ações de

Foto: Rafael Lopes


alguns fatos não eram legais. Por exemplo, variáveis, é algo que precisamos sempre estar
a autonomia das mulheres na escolha da atentos”. orientação e informação que contribuam
via de parto (normal, cesárea, em casa), é Ela também alerta que dentro dessas para estimular a reflexão junto à
uma discussão primordial que é o direito ao expressões do racismo, é preciso estar com sociedade sobre todas essas
corpo. Então, eu tenho direito ao meu corpo atenção redobrada à representação que o situações de discriminação
enquanto mulher. Mas quando estamos em corpo feminino negro possui dentro dos e racismo que podem
contato com o serviço de saúde seja público espaços de assistência à saúde, pois o racismo levar a muito sofrimento e
ou privado, essa autonomia é deixada de lado, institucional naturaliza a interpretação de que perdas de distintas naturezas.
não é considerada”, explica a assistente social as mulheres negras são mais fortes e, portanto, Destacando que as principais
e pesquisadora Jussara Assis, que nos chama não teriam necessidade de anestesia para alívio usuárias do serviço público
a atenção para o fato de que muitos estudos da dor, por exemplo. de saúde são as
demonstram que o próprio surgimento da “Fazemos uma análise da fala do ex- mulheres negras, ou
ginecologia, da intervenção médica no parto governador de que as mulheres da Rocinha seja, não há como
possui um viés violento. seriam fábricas de produzir marginais. Ele faz pensar o campo
“O corpo feminino trabalha no momento uma comparação da taxa de natalidade dos sem levar em
do parto, tem todo seu funcionamento para bairros periféricos do Rio com países como consideração o
que o bebê venha ao mundo com o mínimo Gabão e Zâmbia. Depois faz o mesmo com recorte de gênero,
de intervenção possível. Logicamente que o bairros da Zona Sul e os compara a países raça e classe.
avanço da medicina mostra a existência, em europeus, mas se analisarmos quem são as
determinadas situações, da necessidade da mulheres que estão nas regiões periféricas,

Jussara Assis - assistente social e pesquisadora


12 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Conjunto CFESS-CRESS

Planejamento orçamentário
N
o Brasil, os conselhos quase que exclusivamente pelo pagamento Seccionais
profissionais começaram a ser das anuidades.
regulamentados na década “A cada assembleia temos a Além da sede, o CRESS-RJ conta
de 1950. Isso ocorreu como responsabilidade de prestarmos contas de com duas seccionais: Norte Fluminense
desdobramento da Consolidação das tudo o que fazemos, todas as ações como (Campos de Goytacazes) e Sul Fluminense
Leis Trabalhistas (CLT) de 1943, com o visitas, plantões, situações de lacração de (Volta Redonda), cuja função é atender as
objetivo de orientar e fiscalizar a atividade documentos do Serviço Social, denúncias demandas das assistentes sociais na sua área
profissional das respectivas categorias. sobre exercício ilegal da profissão, se o de jurisdição. Isso faz parte de um projeto
Enquanto Conselho, o Conjunto CFESS- empregador está atendendo as prerrogativas de descentralização política das ações do
CRESS tem por função precípua organizar da profissão. E depois esse documento fica Conselho. Como forma de buscar a maior
e manter o registro profissional, orientar disponível no site para quem quiser ter aproximação com as assistentes sociais de
e fiscalizar o exercício profissional e zelar acesso”, explica a diretora. base desde 2012, também foram criados 12
pela observância do Código de Ética A prestação de contas é um princípio Núcleos, que são espaços de articulação e
Profissional. Contudo, a compreensão sobre constitucional, que promove a ideia do controle trocas com profissionais de todas as regiões
essa atuação e o seu papel foi ampliada social a partir da maior transparência de uma do estado do Rio. Isto cria a possibilidade de
no Conjunto a partir da década de 1980, gestão. É uma formalização, que pressupõe maior aproximação do CRESS com a categoria
englobando as dimensões pedagógicas e o compartilhamento de informações e a no interior do Estado e vice-versa. O objetivo
de formação política. possibilidade do seu aprimoramento. E todas desta ação é criar condições concretas para
É através da anuidade do conselho as informações são monitoradas e controladas que as assistentes sociais participem das
profissional, contribuição obrigatória pelo Conselho Fiscal do CRESS, pelo CFESS e ações planejadas.
prevista em Lei, que todo o funcionamento pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
Foto: Rafael Lopes
dessa estrutura é possível de ser realizada.
O atendimento às assistentes sociais, as
ações de fiscalização e demandas de outras
naturezas, em todo o território nacional só
podem ser viabilizadas pelo pagamento
das anuidades. Além dessas ações, o
Conselho também realiza orientação e
ações pedagógicas tais como reuniões,
rodas de conversa, debates, seminários,
minicursos e cursos de formação.
“A contribuição anual viabiliza toda
manutenção física, administrativa e da
orientação e fiscalização dos Conselhos
profissionais”, destaca Jussara Ferreira,
primeira vogal do Conselho Fiscal CRESS-
RJ.

Planejamento e prestação de contas

Todos os anos, a Gestão realiza o


planejamento de todas as ações e do
orçamento necessário para garantir as “A contribuição anual viabiliza toda
realizações para o exercício seguinte. A
partir das deliberações dos Encontros
Nacionais do Conjunto CFESS-CRESS,
manutenção física, administrativa e da
durante as reuniões das Comissões
Temáticas, assistentes sociais de base e
orientação e fiscalização dos conselhos
diretoria definem as prioridades das ações,
levando em consideração a realidade profissionais”
regional.
A viabilidade de execução do Jussara Ferreira
planejamento está atrelada ao orçamento Assistente Social - TJRJ e Conselheira Fiscal - CRESSRJ
financeiro do Conselho, que é composto
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 13

A arrecadação
ATUAÇÃO DAS COMISSÕES EM NÚMEROS*
O orçamento de qualquer conselho
COMISSÃO DE REGISTRO E ANUIDADE
profissional é composto pelas anuidades
pagas no respectivo ano. E também por INSCRIÇÕES 757
renegociações de anuidades anteriores e REINSCRIÇÕES 142
processos de dívidas ativas. TRANSFERÊNCIAS 31
A viabilidade de manutenção das
atividades dos conselhos profissionais, CANCELAMENTOS 693
incluindo o pagamento das despesas inerentes SOLICITAÇÕES DE BOLETOS ATENDIDAS 3.760
ao seu funcionamento, ocorre por meio da TOTAL DE ATENDIMENTOS 5.383
arrecadação de anuidades das profissionais
regularmente inscritas. COMISSÃO PERMANENTE DE ÉTICA
“Estas autarquias de fiscalização de
DENÚNCIAS ÉTICAS EXISTENTES 27
profissões regulamentadas são autorizadas a
fixar, cobrar e executar as contribuições anuais PROCESSOS ÉTICOS 16
devidas por pessoas físicas ou jurídicas. Assim PROCESSOS ÉTICOS EM ANDAMENTO 36
como estabelecer preços de serviços e multas, TRIBUNAIS ÉTICOS REALIZADOS 8
que constituirão receitas próprias”, detalha.
ASSISTENTES SOCIAIS EM COMISSÃO DE INSTRUÇÃO 34
As ações do Conselho são
frutos das anuidades COMISSÃO ORIENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO
ATENDIMENTOS REALIZADOS - PRESENCIAL, E-MAIL E TELEFONE 832
As diretorias eleitas, em nome das MUNICÍPIOS ATENDIDOS 40
assistentes sociais, realizam a gestão pública
INSTITUIÇÕES DE ENSINO ACOMPANHADAS 35
das anuidades que são arrecadas. São
responsáveis legais e por isso zelam pelo PROCESSOS SELETIVOS ACOMPANHADOS 7
uso dos recursos com base nos princípios da *Janeiro a setembro/2018
administração pública, como são a legalidade,
impessoalidade, moralidade, publicidade e
eficiência. Para tanto, estimula e conta com São 24 trabalhadores que atuam
a participação da categoria em seus espaços
de planejamento, que definem as ações que
serão realizadas, conforme demandas da
na Sede e nas duas Seccionais:
categoria e postas pela conjuntura. Assim, 5 assistentes sociais agentes fiscais 3 auxiliares de serviços gerais:
as comissões temáticas e regimentais são manutenção cotidiana da estrutura
9 agentes administrativos:
espaços democráticos de participação política física
organização administrativa apoio técnico
das assistentes sociais no Conselho.
da orientação e fiscalização, na secretaria, 1 bibliotecária:
“Atualmente, cerca de 70% das anuidades
no registro, na cobrança das anuidades, suporte técnico para uso da biblioteca
são investidas no pagamento de funcionários,
organização e suporte em eventos, dentre
manutenção da estrutura física da sede e das 1 jornalista:
outras atividades
seccionais. Vale lembrar, que conselheiras e realiza ações próprias na Comunicação
conselheiros não recebem nenhuma espécie 5 assessores - 1 administrativo, 1 contábil,
remuneratória por parte do CRESS e nem são 1 jurídica, 1 político, 1 de comunicação:
liberados de suas atividades, com exceção orientação e atuação nas rotinas de
de esferas governamentais que possuam funcionamento, emissão de pareceres e apoio
previsão em lei. E para comporem a gestão nas ações políticas de naturezas diversas
precisam estar em dia com o pagamento de
suas anuidades. É um trabalho de militância”,
destaca Jussara. foram 3.760 solicitações de emissão de boletos É nessa perspectiva que o CRESS busca
Para dar conhecimento e publicidade das e 757 novas inscrições, além de atendimento incidir politicamente, tanto por meio do
ações desenvolvidas, durante a Assembleia via telefone e e-mail. aprimoramento do atendimento à categoria,
Geral Ordinária, que aconteceu em outubro Também foi informado que a Comissão de buscando atualizar processos e garantir
de 2018, a Gestão “Não temos tempo de Orientação e Fiscalização, que conta com cinco a transparência, quanto contribuir para a
temer” apresentou um balanço dos setores e assistentes sociais, sendo três na sede e duas formação contínua do cotidiano profissional
das ações e atividades que foram realizadas nas seccionais, concluiu, no mesmo período, de assistentes sociais. Isso se dá por meio
pelo Conselho. 832 solicitações. As ações abrangeram 40 da construção de espaços coletivos e
Por exemplo, de janeiro a setembro de munícipios, o acompanhamento de 35 ações desenvolvidas que possibilitem a
2018, o setor de registro e anuidade realizou instituições de ensino, e sete processos participação e promoção de discussões e
um total de 5.383 atendimentos. Desse total, seletivos de concurso público. fortalecimento do projeto ético político.
14 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Outras ações
XIV Jornada de Intercâmbio de Trabalhos desse evento que buscou dialogar sobre
Em 3 de outubro, o CRESSRJ realizou de Serviço Social na área da Saúde do as negociações e tensionamentos em
visita de orientação e fiscalização às Estado do Rio de Janeiro e VII Mostra que se veem envolvidos acadêmicos,
assistentes sociais que trabalham de Produção Técnico-Científica da cientistas, gestores, militantes e membros
na política de assistência social Residência Multiprofissional: evento de comunidades de fé, partindo do
do município de Nova Friburgo. integrado realizado no dia 15 de junho, entendimento de que essas categorias
Na ocasião, além das demandas no Hospital Universitário Clementino não são estanques e se interpenetram nas
apresentadas pela categoria, Fraga Filho - UFRJ (HUCFF/UFRJ). O CRESS experiências concretas de atores e grupos.
também foram debatidas a prestação participou da mesa de abertura desse
de contas das ações realizadas pelo evento que debateu temas relacionados Debate “Laicidade do Estado e
Conselho no período 2017/2018. aos processos de trabalho e impactos na Religiosidade”: no dia 19 de agosto,
saúde mental do trabalhador. o CRESS participou desse debate no
Patronato Magarinos Torres, quando
Dia Nacional da Luta Antimanicomial: o Plenária Final de Eleição do Conselho foi possível dialogar com pessoas em
CRESS participou do ato organizado pelo Estadual de Saúde/RJ: no dia 13 de julho, o cumprimento de medida sobre o tema da
Núcleo Estadual do Movimento da Luta CRESS participou na mesa da plenária final laicidade do Estado e a necessidade do
Antimanicomial, cujo mote escolhido foi enquanto membro da comissão eleitoral. respeito religioso.
“Intervenção não é segurança, manicômio
não é tratamento: antimanicomiais na Seminário acadêmico – ciência, política
luta contra o genocídio negro!”. O evento e religião: no dia 18 de junho, o Instituto
foi realizado no dia 18 de maio, no Largo de Medicina Social (IMS- UERJ) promoveu
da Carioca. esse seminário com o propósito de refletir
sobre as disputas, no Brasil, em torno
VII Seminário de Serviço Social do das chamadas “terapias de reorientação
Instituto Nacional de Traumatologia e sexual” – conhecidas como “cura gay”.
Ortopedia (INTO): no dia 23 de maio, As tentativas de implementação desses Curso de Extensão “O Trabalho e a
no INTO, o Conselho participou da mesa “tratamentos psicoterápicos” vêm se dando Formação do Serviço Social na Residência
de abertura do seminário que debateu simultaneamente pela via legislativa, Multiprofissional”: o evento aconteceu
“Seguridade Social na atual conjuntura e através de projetos de lei que buscam no dia 14 de agosto e foi realizado pelo
repercussões para o trabalho profissional sustar as referidas resoluções do Conselho Hospital Universitário Clementino Fraga
dos assistentes sociais”. Essa atividade foi Federal de Psicologia (CFP) e mediante Filho da UFRJ. O CRESSRJ participou da
realizada em comemoração ao mês da ações judiciais. Assim, o CRESS participou mesa de abertura.
assistente social.
Foto: Rafael Lopes

Atuação conjunta dos conselhos pro-


fissionais de fiscalização sobre os
institutos e hospitais federais: entre os
meses de maio e junho, o CRESS, CRP,
CRN, CREFITO e CREMERJ realizaram
uma série reuniões com a Comissão
Externa dos Hospitais Federais com o
Diretor do Departamento de Gestão
Hospitalar do Ministério da Saúde no
Rio de Janeiro (DGH/MS) e ações de
fiscalização junto às unidades federais de
saúde. O propósito foi debater aspectos
relacionados a renovação dos contratos
temporários de trabalhadores de saúde
nas unidades da rede de saúde federal e
também cobrar o aumento da quantidade
Debate Serviço Social e Religiosidade: o CRESS participou da mesa de debate sobre
de trabalhadores, pois afeta as condições
Serviço Social e Religiosidade, realizado no dia 18 de julho, na Universidade Castelo
de trabalho. Assim, foram realizadas
Branco, em Realengo. O objetivo foi discutir o papel do Serviço Social diante das
atividades nos dias 25 de maio e nos dias
demandas que tencionam a laicidade expressa no projeto ético político profissional.
4, 18 e 20 de junho.
CRESSRJ 2018 ANO IX No 101 15

47º Encontro Nacional do Conjunto Cfess-Cress


Foto: Rafael Lopes

O
Delegação do CRESSRJ

47º Encontro Nacional do Conjunto das ações deliberadas em cada eixo temático da categoria de “defesa intransigente
CFESS-CRESS aconteceu de 6 a 9 (administrativo-financeiro, comunicação, dos direitos humanos e a recusa do
de setembro, em Porto Alegre (RS). ética/direitos humanos, orientação/ autoritarismo” e ressaltou a necessidade
Assistentes sociais de todo o Brasil, fiscalização profissional, seguridade social e de se comprometer com o combate ao
que estavam reunidas no fórum máximo formação/relações internacionais). racismo em seu cotidiano de trabalho
deliberativo da categoria, reafirmaram Dentro do Encontro, também foram e de lutas. Desse modo, esse coletivo
o posicionamento em favor dos direitos realizadas três plenárias nacionais: a Plenária reafirmou o tema da campanha de gestão
historicamente conquistados pela classe Ampliada do Conjunto CFESS-CRESS, que do Conjunto (2017-2020): “assistentes
trabalhadora, ao mesmo tempo em que, decidiu pelo voto eletrônico para o processo sociais no combate ao racismo”. Por fim,
também se colocaram contrárias a qualquer eleitoral da categoria; a Plenária das Bandeiras definiu-se que o 48º Encontro Nacional
prática autoritária e conservadora dentro e de Luta, que deliberou sobre a atualização do CFESS-CRESS, em 2019, ocorrerá em
fora da categoria. documento; e a Plenária das Seccionais do Belém (PA) e, ainda, foi informado que o
Neste ano, o 47º Encontro Nacional Conjunto CFESS/ CRESS, que debateu sobre as 16º Congresso Brasileiro de Assistentes
do Conjunto CFESS-CRESS foi a etapa de funções político-administrativas e financeiras Sociais (CBAS) será realizado em Brasília
monitoramento das atividades aprovadas em das seccionais e sobre a redefinição das (DF), entre os dias 13 e 17 de novembro
2017, ano em que foi realizado o primeiro estratégias de ação e organização de sua de 2019. pes
Encontro das gestões do triênio 2017-2020. estrutura e atribuições. Foto: Rafael Lo

Assim, durante quatro dias, as participantes Nesse Encontro estavam presentes cerca
Rafael Werkema/CFESS

informaram e debateram como tem sido de 300 participantes, dentre representantes


realizado o das direções dos CRESS, CFESS, assistentes
cumprimento sociais de base, eleitas nas assembleias
realizadas em cada Estado pelos Regionais e
profissionais que trabalham nos Conselhos.
Também contou com a representação da
ENESSO e ABEPSS que participaram de todo
o evento.
A Plenária Final aprovou a Carta de
Porto Alegre, documento político que
reiterou o compromisso ético político

Grupo de mulheres negras fez a leitura conjunta


da Carta de Porto Alegre, na plenária final
16 No 101 ANO IX 2018 CRESSRJ

Biblioteca do CRESSRJ
Acervo contribui para a formação de profissionais e estudantes

O
CRESSRJ possui uma biblioteca
especializada em Serviço Social Biblioteca Maria Josephina Albano
que reúne mais de 2.000 títulos R. México, 12º andar
impressos, cujo propósito é Segunda a sexta – 13h às 17h
contribuir com o processo de formação
continuada das assistentes sociais e Quaisquer dúvidas quanto a
estudantes. Em seu acervo também há CDs e possibilidades de acesso a todo o acervo
DVDs com gravações e filmagens de palestras basta telefonar para (21) 3147-8787
e outras modalidades de apresentações. para recebimento das
Este é mais um espaço para que a categoria orientações devidas.
ocupe, participe e construa coletivamente o
Conselho.
Ao dispor de uma biblioteca, o Conselho catalogação para a busca ser a mais rápida Biblioteca do CRESS:
tem por objetivo contribuir no processo possível”, explica. normas para utilização do acervo
de formação continuada de profissionais Na opinião de Mônica, um aspecto
e estudantes do Serviço Social através fundamental da biblioteca do Conselho está O acervo conta com livros do Serviço
de empréstimos e consultas a assuntos no fato de favorecer o desenvolvimento da Social e áreas afins, bem como, com
relacionados à profissão, bem como a capacidade de pesquisa e estudo das suas periódicos, pesquisas acadêmicas, folhetos,
realização de levantamentos e sugestões usuárias. Assim são possibilitados tanto a relatórios, DVDs, CDs, fotografias e VHS, que
bibliográficas. Em 1996, a biblioteca foi pesquisa e os estudos, como a fruição em podem ser consultados durante o horário
reinaugurada e denominada Maria Josephina diversos temas da área de Serviço Social. de funcionamento da biblioteca por todos
Rabello Albano, em homenagem a uma das
que tenham interesse. Para acessar estes
pioneiras do Serviço Social, que compôs a A biblioteca como prática cultural materiais, as pessoas devem ser cadastradas.
primeira turma de Serviço Social do Brasil
Para isso, basta comparecer ao Conselho
e que também foi sua primeira presidente, Atualmente, a biblioteca é um espaço com um comprovante de residência, uma
no período de 1963 a 1966. Desde 2011, a que está integrado às cidades, espalhadas fotografia 3x4, CPF e alguma identificação
bibliotecária Monica Abreu trabalha nesse em diversas localidades. No entanto, a oficial, que, no caso das assistentes sociais
setor e conta um pouco da história de história desse tipo de documentação acerca pode ser a carteira profissional. Quanto a
constituição e organização desse espaço. dos conhecimentos humanos não começou estudantes também é preciso apresentar o
“A biblioteca foi construída a partir aberta a consulta da população. comprovante de escolaridade atual. Sempre
de doações de assistentes sociais que se “As bibliotecas surgem com a finalidade que necessário, é importante atualizar as
aposentaram e de alguns itens que também de registrar o conhecimento de forma informações cadastrais junto ao setor como
foram comprados. O acervo ficava no auditório documental. Temos em 288 a.C. (antes de forma de agilizar o atendimento.
e quando a sala foi reinaugurada, ele veio Cristo), o primeiro registro com a criação da As assistentes sociais em dia com
para cá. As obras estavam classificadas pela biblioteca de Alexandria, no Egito, lugar que a anuidade do CRESS e devidamente
ordem de chegada, só que essa classificação foi o maior centro do saber de seu período. Na cadastradas podem realizar empréstimos,
fazia com que os títulos e autores ficassem Idade Média a biblioteca passa a ser inserida assim, é possível retirar no máximo três itens,
dispersos. Fiz um projeto para a adoção da nos mosteiros. As bibliotecas monásticas, que deverão ser devolvidos em sete dias
classificação por área temática. Porque os como são denominadas, ficavam restritas para corridos. Caso haja interesse, poderá renovar
livros servem para ser lidos, acessados, não acesso exclusivo do clero e da nobreza. Eles já pelo mesmo prazo, desde que a obra não
podem ficar na estante. Tem que ter uma boa defendiam que quanto maior o conhecimento, tenha sido solicitada para consulta ou esteja
maior o poder. No renascimento, surgem na lista de espera. Em situações de extravio
bibliotecas particulares, que ou perda de exemplar, os usuários devem
são precursoras das bibliotecas indenizar a biblioteca com material similar.
modernas, cuja característica é a Para as obras que estejam esgotadas, serão
acessibilidade ao público. E na era analisados teor e qualidade da perda para
da prensa se dá a disseminação que o Conselho possa indicar uma reposição
da informação e laicização. compatível com o título extraviado.
Surgem a partir daí, as bibliotecas
nacionais. E em nosso caso, uma
RESS!
biblioteca especializada surge pela Vem para o C !
SS
Ocupe o CRE
necessidade de se segmentar as
áreas de conhecimento no pós
revolução industrial”, detalha.