Você está na página 1de 2

governo

e sociedade
P Ó L I S - I L D E S F E S

IDÉIAS PARA A AÇÃO MUNICIPAL

GS No 95 1997

QUEM É O AGENTE cializador e mobilizador das experiências dos


grupos culturais locais. Deve agir como porta-
FORMAÇÃO CULTURAL? dor e organizador da memória coletiva, a partir
de uma percepção do tempo cultural, e sua fun-

DE AGENTES
CULTURAIS
O agente cultural é um cidadão tanto do
poder público (Agentes Culturais Pú-
blicos) como da sociedade civil (Agentes Cultu-
ção é impulsionar as práticas culturais democrá-
ticas, abrindo os espaços públicos para as co-
munidades, informando e prestando contas das
ações da política cultural do governo municipal.
rais Comunitários), que se relaciona com as prá-
ticas e ações culturais no município. O agente
cultural não é um mero “administrador” de ativi-
O investimento do governo dades culturais, mas deve ter uma sensibilidade
POR QUE INVESTIR
municipal na formação de voltada para o sócio-cultural, exercendo ativa- EM FORMAÇÃO?
mente sua função de elo de ligação entre o poder
agentes culturais, que exer-
çam o papel de gestores de
processos culturais, favorece o
desenvolvimento local e aju-
público e as comunidades. Deverá exercer o
papel de gestor de processos culturais da cida-
de, com capacidade inventiva e formadora de
massa crítica.
A formação de agentes culturais públicos
e comunitários coloca-se num contexto
de novos requerimentos para o trabalho, associ-
Assim, o agente cultural pode ser: ados a novas habilidades que não se restringem
da a criar espaços de sociabi- a) Dirigente cultural: É o servidor público in- a aprender um ofício ou uma profissão, mas a
lidade. vestido de poder decisório na formulação e na desenvolver atividades de relação entre grupos
e pessoas, colocando a necessidade de o traba-
gestão da política cultural do governo municipal
ou de atividades que a compreendam (secretário lhador da cultura entender não só sobre a produ-

A cultura é um dos campos mais propíci-


os para o fortalecimento do diálogo de-
mocrático, para articulação social e também para
de cultura, diretor de cultura, etc.). As atividades
de formação de dirigentes culturais devem in-
cluir, além dos conteúdos gerais de interesse
para a formação de qualquer agente cultural,
ção cultural, mas saber lidar com processos cul-
turais das cidades e das comunidades.
Há muitas necessidades de formação nesta área
e o poder público exerce um papel importante ao
praticar o desenvolvimento local em sua dimen-
são cultural. O trabalho do agente cultural im- conteúdos destinados a ampliar sua capacitação investir na formação de agentes que implemen-
pulsiona as potencialidades econômicas, soci- para a gestão pública. tem uma política cultural articulada a uma políti-
ais, turísticas e ajuda a formar espaços de socia- b) Servidor envolvido em ações culturais: ca de cultura mais ampla para o município, prin-
bilidade na cidade. Nesta categoria enquadram-se aqueles servido- cipalmente devido à carência de informação so-
Atualmente, a cultura tem mostrado sua impor- res que ocupam funções fundamentais para a bre as possibilidades de se trabalhar com ativi-
tância como agregadora das relações na cidade implantação de ações e operação de programas dades e programas culturais nas pequenas e
sendo esta um espaço essencialmente cultural. culturais no município. É o caso dos animado- médias localidades.
Cada vez mais entende-se que os conflitos so- res culturais, bibliotecários, atendentes de bibli-
ciais estão relacionados às práticas culturais, oteca, coordenadores de oficinas, etc. Estes pro-
isto é, o desentendimento cultural leva a ações
de incompreensão entre os diversos segmen-
fissionais requerem um trabalho de formação
básica (comum aos demais agentes culturais) e
CONTEÚDO

P
tos sociais. O desenvolvimento hoje passa tam- atividades de formação específica para as fun-
bém pelas ações culturais locais e o desenvol- ções profissionais que desempenham. ela própria natureza da ação do agente
vimento cultural se impõe como cenário catali- c) Produtor cultural da comunidade: São os cultural, o trabalho de formação deve se
sador das relações sociais e econômicas; é pos- membros da comunidade que possuem alguma preocupar em oferecer não somente conteúdos
sível desenvolver o aspecto cultural no muni- atuação profissional, semi-profissional ou específicos voltados para a sua participação na
cípio, trabalhando com a diversidade e as ca- amadora no campo cultural (artistas, artesãos, ação cultural, mas também uma formação mais
racterísticas das culturas locais. O trabalho do “agitadores” culturais, etc.). ampla, que lhe permita compreender e atuar face à
agente cultural é de fundamental importância O papel do agente cultural estende-se para além complexidade da vida social e da dinâmica urba-
nesse contexto e muitas prefeituras estão in- da simples realização de atividades. Ele deve na. Essa formação básica deve compreender:
vestindo na formação destes trabalhadores da ser, antes de mais nada, um dinamizador das a) Entendimento dos processos urbanísti-
cultura, tanto do poder público como das co- potencialidades culturais da comunidade onde cos culturais na cidade: o conhecimento da
munidades. atua. Isto significa atuar como incentivador, so- dinâmica e das intervenções urbanas; necessi-
dade de colocar a cultura como uma preocupa- g) Visão democrática da ação cultural: per- para a cultura local.
ção no Plano Diretor da cidade. ceber a interligação do trabalho de democratiza- A Coordenadoria de Cultura da cidade de Ouro
b) Entendimento da inserção das cidade num ção da cultura e da democracia cultural; conside- Fino (32 mil hab.), coordenou e realizou, em 1997,
processo global: a cidade não pode ser consi- rar que é no campo que emergem direitos. com o apoio do Instituto Pólis, um “Curso de
derada isoladamente, mas num quadro de mun- Formação de Agentes Culturais”, abrangendo
dialização e a ação local deve ser tratada como participantes de várias cidades da Região do Sul
impulsionadora de transformações globais; o
agente cultural deve estar apto a unir o global e o
EXPERIÊNCIAS de Minas Gerais (Pouso Alegre, Monte Sião,
Inconfidentes, Jacutinga, Bueno Brandão e
local (‘glocal’). Andradas). Foi constatada uma insuficiência de
c) Compreensão dos registros das várias A Fundação Cultural “Cassino Ricardo” de São agentes culturais para o desenvolvimento da cul-
culturas: na cidade circulam várias práticas (po- José dos Campos-SP (470 mil hab.) investiu tura nos municípios. Ao todo foram 40 partici-
pulares, de massa, “culta”, etc.) e discursos que fortemente na Formação de seu quadro de traba- pantes, entre artistas, dirigentes de secretarias de
precisam ser entendidos para se poder trabalhar lhadores, realizando, em 1996, o “Curso de Ca- cultura e de associações culturais. Este curso in-
com políticas culturais. pacitação de Agentes Culturais”, coordenado tegra o Programa “Oficina de Cultura” da Secre-
d) Entendimento das diversas artes: cada lin- pelo Instituto Pólis, direcionado a 40 funcioná- taria Estadual de Cultura de Minas Gerais, com o
guagem artística tem seu próprio modo de ope- rios e servidores da área (supervisores, direto- financiamento do Fundo de Amparo ao Traba-
ração (teatro, música, literatura, artes plásticas, res e agentes culturais). lhador (FAT), que se destina à formação de recur-
etc.) e sem a compreensão das linguagens espe- Entre os objetivos do Curso destacam-se: capa- sos humanos na área de cultura na modalidade
cíficas o trabalho do agente cultural pode ficar citar agentes públicos e comunitários para o tra- de qualificação profissional visando gerar em-
incompleto. balho cultural para a população, voltado para prego e renda e melhorar a qualidade de vida das
e) Entendimento da multiplicidade cultural uma intervenção cultural na cidade e nos bair- comunidades locais. Dentre os objetivos do cur-
das comunidades: compreender os trabalhos ros; oferecer aos agentes e gestores municipais so destacam-se: entender os conceitos de Cultura
culturais voltados para a dinâmica própria de de cultura elementos de reflexão sobre seu papel e de Política Cultural; apreender métodos de tra-
cada comunidade. na reorganização das instituições, práticas e va- balho e elaborar projeto cultural; aprender a ma-
f) Entendimento do papel político e social da lores associados ao universo da cultura; forne- nejar instrumentos de captação de recursos para
cultura: a ação cultural e a política cultural de- cer visão das cidades entendidas como espaços projetos culturais; possibilitar a realização de um
vem ser dirigidas para a mudança de valores culturais; desenvolver as possibilidades de um trabalho com novas parcerias na produção e ges-
culturais e sociais. trabalho cultural voltado para a comunidade e tão cultural local.

RESULTADOS
O trabalho de formação de b) entender processos cul- e) entender questões re- tretanto, esses resultados
agentes culturais deve turais do poder público e lacionadas à Gestão Pú- não são únicos. A forma-
produzir resultados de cur- da sociedade civil (comu- blica da Cultura. ção de agentes produz um
to, médio e longo prazos. nidades); O desenvolvimento dessas impacto positivo no de-
Na verdade, esses resul- c) elaborar projetos cul- habilidades melhora o senvolvimento da cidada-
tados são cumulativos: turais; desempenho dos agentes nia e é, também, elemen-
complementam-se e criam d) trabalhar com ativi- culturais e, portanto, tor- to de valorização do ser
possibilidades para novos dades culturais relaciona- na mais eficaz e eficiente humano, oferecendo aos
resultados futuros. É im- das às comunidades; e a ação cultural local. En- cidadãos envolvidos a
portante ter em mente possibilidade de ampliar
essa variedade de prazos seu horizonte cultural e de
de maturação das ativi- CONHEÇA OS CURSOS DO INSTITUTO PÓLIS NA intervenção na sociedade.
dades, para evitar inefi- Os resultados dos traba-
ciência dos projetos ou
ÁREA DE CULTURA:
lhos e atividades desen-
frustrações. volvidos na área de cul-
A formação de agentes cul-
Formação de Agentes Culturais
tura nem sempre alcan-
turais, quando leva em Políticas Municipais de Cultura çam visibilidade imedia-
consideração as necessida- ta, mas transparecem na
des e potencialidades es- Plano Municipal de Cultura melhoria do atendimento
pecíficas dos envolvidos, ao público que usufrui
ampliar sua aptidão para: Leis de Incentivo à Cultura dos bens e dos equipa-
a) operar conceitualmen- mentos culturais da cida-
te a temática cultural; de e do município.
Autores: Valmir de Souza, Hamilton Faria e José Carlos Vaz
Revisão: Veronika Paulics
DISC DICAS: (011) 822-9076, Rua Joaquim Floriano, 462
CEP 04534-002 - São Paulo - SP - e-mail: polis@ax.apc.org

Você também pode gostar