Você está na página 1de 29

Análise Preliminar de Risco

Gisele Duque Bernardes de Sousa, SSM/ANP

Salvador, 29 de abril de 2018


PASSO 5
Identificação das Recomendações e/ou
Observações

PASSO 4
Classificação dos Riscos

PASSO 3
Identificação dos modos de detecção e
salvaguardas

PASSO 2
Identificação de Causas e Efeitos

PASSO 1
Identificação do Perigo
Perigos são EVENTOS ACIDENTAIS
com potencial para causar DANOS ÀS
PESSOAS, INSTALAÇÕES, MEIO
AMBIENTE E IMAGEM DA EMPRESA
APR
 A Análise Preliminar de Risco – APR é focada
principalmente em CENÁRIOS DE PERDA DE
CONTENÇÃO de produtos inflamáveis, tóxicos,
asfixiantes, etc, que podem levar a incêndio, explosões
ou outros, resultando em lesões pessoais, danos
ambientais, etc.

 APR NÃO É ADEQUADA para avaliar DESVIOS NOS


PARAMETROS DE PROCESSO.
PASSO 5
Identificação das Recomendações e/ou
Observações

PASSO 4
Classificação dos Riscos
PASSO 3
Identificação dos modos de detecção e
salvaguardas

PASSO 2
Identificação de Causas e Efeitos

PASSO 1
Identificação do Perigo
As causas podem estar relacionadas a:
FALHAS DE EQUIPAMENTOS, ERRO
HUMANO, UMA CONDIÇÃO DE OPERAÇÃO
DO PROCESSO NÃO PREVISTA, FATORES
EXTERNOS etc.
São os resultados decorrentes da concretização
do perigo identificado, incluindo os EFEITOS
FÍSICOS DAS POSSÍVEIS PERDAS DE
CONTENÇÃO, a saber: Incêndio em poça,
incêndio em jato, explosão, dispersão de produto
tóxico ou inflamável, etc.
PASSO 5
Identificação das Recomendações e/ou
Observações

PASSO 4
Classificação dos Riscos
PASSO 3
Identificação dos modos de detecção e
salvaguardas

PASSO 2
Identificação de Causas e Efeitos

PASSO 1
Identificação do Perigo
São DISPOSITIVOS, SISTEMAS OU OUTROS
MEIOS JÁ EXISTENTES NA INSTALAÇÃO OU
PREVISTOS NO PROJETO, utilizados para
identificar a ocorrência do cenário acidental.
Exemplos: alarmes, detectores de gás, visual,
auditivo, olfativo etc
PREVENTIVAS MITIGADORAS
PASSO 5
Identificação das Recomendações e/ou
Observações

PASSO 4
Classificação dos Riscos
PASSO 3
Identificação dos modos de detecção e
salvaguardas

PASSO 2
Identificação de Causas e Efeitos

PASSO 1
Identificação do Perigo
As CATEGORIAS DE FREQUÊNCIA visam
permitir uma avaliação da
FREQUÊNCIA DO CENÁRIO ACIDENTAL
F – Conforme MATRIZ DE CATEGORIA DE
FREQUÊNCIA
Categorias Frequência
Categoria Denominação

Não esperado ocorrer durante a vida útil da


A
instalação.

Evento provável de ocorrer uma vez durante a


B
vida útil da instalação

Evento possível de ocorrer várias vezes


C
durante a vida útil da instalação
Categorias Frequência
Categoria Denominação

Não esperado ocorrer durante a vida útil da


A
instalação.
As frequências dos
cenários devem
Evento provável deconta
levar em ocorrer
as uma vez durante a
B
vida útil da instalação
SALVAGUARDAS
PREVENTIVAS
Evento possível de ocorrer várias vezes
C
durante a vida útil da instalação
As CATEGORIAS DE SEVERIDADE visam permitir
uma avaliação da MAGNITUDE DAS
CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS FÍSICOS de
interesse (sobrepressão, concentração tóxica,
radiação térmica etc.). Conforme MATRIZ DE
CATEGORIA DE SEVERIDADE
Categorias Severidade
Descrição/Característica
Pessoas (P) Instalações (IN) Meio Ambiente (M) Imagem (I)

Impacto nacional e/ou


Danos irreparáveis ou severos em Dano ambiental
internacional.
Fatalidades ou lesões equipamentos ou irreversível ou dano
Repercussão na
Grave

3 que gerem impacto instalações (operação interrompida remediável em


população nacional,
reversível a saúde ou perda parcial da capacidade de longo
Categoria de Severidade

atenção e reação pública


produção por extenso período) prazo (> 24 meses).
internacional.

Lesões moderadas que Danos leves em equipamentos ou


Moderado

Dano remediável em Impacto local e regional.


gerem restrição de instalações (Perda parcial da
2 médio prazo (8 Repercussão na
atividade, afastamento capacidade
semanas). população regional.
com impacto reversível de produção por curto período)

Sem danos ou lesões Sem danos ou danos


Sem impacto na mídia.
leves com primeiros insignificantes em Sem danos ou dano
Repercussão na
Leve

1 socorros e sem equipamentos ou remediável em curto


população local ou sem
afastamento/restrição de instalações (sem efeitos para prazo (2 semanas).
repercussão local
atividades capacidade de produção)
Categoria do Risco = F x S
Conforme MATRIZ DE RISCO
MATRIZ DE RISCO
Categorias de Frequência
A B C
Grave

3 Moderado Não Tolerável Não Tolerável


Categoria de Severidade

Moderado

2 Tolerável Moderado Não Tolerável


Leve

1 Tolerável Tolerável Moderado


PASSO 5
Identificação das Recomendações e/ou
Observações
PASSO 4
Classificação dos Riscos
PASSO 3
Identificação dos modos de detecção e
salvaguardas

PASSO 2
Identificação de Causas e Efeitos

PASSO 1
Identificação do Perigo
Recomendações de MEDIDAS
MITIGADORAS DE RISCOS propostas
pela equipe de realização da APR
Risco Denominação

Não há necessidade de medidas adicionais. A monitoração é


Tolerável
necessária para assegurar que os controles sejam mantidos.

Controles adicionais devem ser avaliados com o objetivo de


obter-se uma redução dos riscos e implementados aqueles
Moderado
considerados praticáveis (região ALARP - "As Low As
Reasonably Practicable").

Os controles existentes são insuficientes. Métodos


alternativos devem ser considerados para reduzir a
Não Tolerável probabilidade de ocorrência ou severidade das
consequências, de forma a trazer os riscos para regiões de
menor magnitude de riscos (regiões ALARP ou tolerável).
ESTUDO PRÁTICO
ESTUDO PRÁTICO
Efeitos Físicos Das
Possíveis Perdas De RISCO = F X S
Contenção. Ex.: Incêndio Conforme MATRIZ
em poço, incêndio em DE RISCO
jato, explosão, etc.
Conforme MATRIZ
As causas podem estar DE CATEGORIA DE
relacionadas a: FALHAS DE SEVERIDADE Recomendações de
EQUIPAMENTOS, ERRO MEDIDAS
HUMANO, UMA CONDIÇÃO MITIGADORAS DE
DE OPERAÇÃO DO F – Conforme MATRIZ DE RISCOS propostas pela
PROCESSO NÃO PREVISTA, CATEGORIA DE equipe de realização da
FATORES EXTERNOS etc. FREQUÊNCIA APR

Perigos são EVENTOS


ACIDENTAIS com potencial Contém o número do cenário
Dispositivos, Sistemas Ou Outros Meios Já da análise
para causar danos às
Existentes Na Instalação Ou Previstos No
pessoas, instalações, meio Projeto. Ex.: alarmes, detectores de gás,
ambiente e imagem da auditivo.
empresa
GABARITO
GABARITO
Superintendência de Segurança Operacional e Meio Ambiente
Av. Rio Branco, 65, 18 andar - Anexo
Rio de Janeiro – Brasil

www.anp.gov.br
sgi@anp.gov.br