Você está na página 1de 2

Diferenças entre o Estado Liberal e o Estado Neoliberal e entre o Estado

de Bem-Estar Social e o Estado Desenvolvimentista. Mudanças no


governo e mercado no Brasil ao longo do século XX
Estado liberal Defendia a ideia de que o Mercado era autor regulável,
não necessitando da intervenção do Estado nas relações econômicas para que
elas funcionassem bem, onde teríamos a presença de mais Mercado e menos
Estado. Ao Estado cabia defender a propriedade privada, assegurando o
direito e o usufruto da mesma. Ao Estado era proibida a assistência pública sob
qualquer forma, com exceção de workhouses ( workhouse era um lugar onde
as pessoas pobres que não tinham com que subsistir podiam ir viver e
trabalhar.), contudo, as condições que ofereciam obrigavam as pessoas a
trabalharem, ao invés de se acomodarem. Defendia a liberdade econômica
(livre mercado), uma cultura individualista, igualdade civil perante a lei (Estado
de direito) e os direitos econômicos de liberdade de profissão e de trabalho no
mercado. Outorgava mais autonomia ao campo econômico em relação ao
político, porém, com liberdade política. O Estado deveria desenvolver uma
política monetária, permitindo aos mecanismos de mercado fazerem os ajustes
necessários à economia, Estado deveria garantir a proteção da vida e o direito
de ir e vir de seus cidadãos, a manutenção da lei e da ordem pública. Esse
modelo alterou os elementos fundamentais da produção, quais sejam, trabalho,
terra e dinheiro em mercadorias; Institui a democracia representativa;
Restringiu o direito ao voto, através do voto censitário, voto plural e do sufrágio
universal masculino.

Estado Neoliberal
Defendia a ideia de que o Estado deveria interferir o mínimo possível na
economia, porém, assumiria o papel de agente regulador, passando a intervir
de forma específica em determinadas esferas, Desenvolveu políticas de
privatizações de empresas estatais para torná-las eficientes e mais lucrativas,
retirando o ônus do Estado; Promoveu a abertura econômica para a entrada de
multinacionais; Defendia uma maior desregulamentação do mercado, com
pouca intervenção do Estado na economia e no mercado de trabalho,
afrouxando as garantias trabalhistas, dentre outras características.
Principais diferenças:
Liberal uma ordem política sob a qual todos os indivíduos são livres e
independentes, não submetidos ao poder de nenhuma outra pessoa, mas
todos igualmente submetidos à lei; E por Estado mínimo designa-se a
organização política que interviria apenas naquilo que fosse estritamente
necessário para garantir a liberdade e igualdade dos cidadãos, ficando todas
as demais dimensões da vida social a cabo da regulação do mercado. Cabia
ao poder público a manutenção da lei e da ordem.
Estado de Bem-Estar Social sucede o Estado liberal, intervindo por meio de
políticas públicas no mercado a fim de assegurar aos seus cidadãos um
patamar mínimo de igualdade social e um padrão mínimo de bem-estar. No
Brasil, chamado de direitos sociais: condições mínimas nas áreas de saúde,
educação, habitação, seguridade social, entre outras. Ademais, em momentos
de crise e de desemprego, o Estado deve intervir na economia de forma que se
busque a manutenção da renda e do trabalho das pessoas prejudicadas com a
situação do país.

Aluno: Dimes Rael Soares

Referências Bibliográficas:
http://guiadoestudante.abril.com.br/blog/atualidades-vestibular/qual-a-diferenca-
entre-o-estado-liberal-e-o-estado-de-bem-estar/
Acessado em 03/07/17