Você está na página 1de 4

CAMPUS _______________

CURSO TÉCNICO EM _____________________________INTEGRADO AO MÉDIO


ALUNO (A) ________________________________________ Nº _____
Profª. Virgínia Lopes de Lemos
APOSTILA DE ARTE / __º BIMESTRE

PRÉ-HISTÓRIA

A arte teve início na pré-história, nascida da mente do homem paleolítico, habitante da terra entre 30
mil e 8 mil anos. As pinturas das paredes das cavernas de Altamira, na Espanha, são exemplos de arte rupestre
– como são chamadas as pinturas feitas nas rochas. O bisão abaixo (figura 1) foi pintado no teto da caverna.
Figura 1
Bisão da Gruta de Altamira (15000-12000 a.C., 196 cm (comprimento do
bisão).

Figura 2 – Pintura em Lascaux

Outro exemplo de arte rupestre na Europa é a gruta de Lascaux, na França, cujas inscrições possuem
cerca de 15.500 anos.

No Brasil o registro mais significativo de arte pré-


histórica está no Parque Nacional Serra da Capivara, no
Piauí, abrangendo áreas dos municípios de São Raimundo
Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. De
acordo com especialista, em especial a antropóloga france-
sa Niède Guindon, lá existe vestígios humanos de 40.000
anos e pinturas de 15.000 anos.

Figura 3

Significado das pinturas das cavernas

Embora não seja ainda possível a real interpretação das imagens pré-históricas encontradas nas caver-
nas de todo o mundo, tampouco o motivo que levou os humanos desse período a realizar tais pinturas, acredi-
ta-se que elas tivessem uma função mágica, ou ligadas a rituais de magia. Os artistas que as pintavam eram
também caçadores, e acreditavam que suas vidas dependiam dos bichos cujas imagens pintavam nas cavernas.
Muitas figuras mostram animais feridos ou flechados, o que leva a crer que o artista pré-histórico acreditava
ser capaz de controlar-lhes o espírito e subtrair-lhes a força antes da caçada.
Já as imagens humanas não apresentavam o mesmo
naturalismo dos animais retratados, ao contrário, apresen-
tam-se de forma básica, até mesmo tosca, como a figura an-
tropomorfa presente na caverna de Lascaux, feita entre 15 mil
e 10 mil a.C. O homem com cabeça de pássaro parece ser
atacado pelo bisão ferido. Abaixo do homem aparece algo que
pode ser tanto um totem quanto um estandarte, possivel-
mente a arma propulsora da azagaia que feriu o animal.

Homem próximo a um bisão ferido. Gruta de Lascaux (15000-10000 a.C.).

DIVISÃO DA PRÉ-HISTÓRIA

PALEOLÍTICO ou IDADE DA PEDRA LASCADA

PALEOLÍTICO INFERIOR – Entre 5 milhões de anos a 250 mil anos

 Período que surgem os primeiros hominídeos1, que eram nômades caçadores e coletores.
 Início do controle do fogo e do uso de instrumentos de pedra e pedra lascada, como facas e machados.
 Pintura:
 Naturalista – o artista pintava os seres como os via de uma determinada perspectiva.

PALEOLÍTICO SUPERIOR – Entre 50 mil e 10 mil anos atrás

 Os instrumentos passam a ser feitos de marfim, ossos,


madeira e pedra.
 Desenvolvimento da pintura e da escultura.

Cavalos na gruta de Chauvet, França

As principais características da pintura desse período são:

 Pintura:

o Figurativa: representações de pessoas, animais, árvores, objetos etc.


o Naturalista: o animal era pintado da forma como era visto pelo artista.
 Principais manifestações no interior de cavernas, em paredes de pedra.
 Temática: cenas envolvendo animais, homens e mulheres, além de caçadas e pintura de símbolos.
 O preto e o vermelho eram as cores predominantes, com tintas obtidas de argila e do óxido de manganês,
cuja aplicação era feita com as mãos, espátulas, bastonetes ou pincéis rudimentares.

1
Os hominídeos constituíram uma família da ordem dos primatas cuja única espécie atual é o homem (Homo sapiens sapiens).
ESCULTURA NO PALEOLÍTICO SUPERIOR

• Primeiras manifestações escultóricas.


• Também chamada arte móvel. Abrange tanto os objetos religio-
sos e artísticos quanto os utensílios
• Principal utensílio: machado de mão, de Sílex.
• Surgimento de estatuetas de figuras femininas em marfim e osso,
baixos-relevos em pedra, desenhos de incisões em pedra, objetos
de adorno pessoal, decoração de armas e utensílios.
• Elaboração de objetos religiosos e utensílios domésticos.
• Esculturas de figuras femininas (Vênus): retratadas com seios
fartos, ventre avolumado e amplas nádegas.

Vênus de Willendorf
Tem entre entre 22 mil e 24 mil anos.

Vênus de Lespug
ARQUITETURA NO PALEOLÍTICO
Sem vestígios de obras arquitônicas provavelmente em virtude do nomadismo.
Depois surgem cabanas grosseiras feitas de madeira e barro, cobertas de ramagens e peles de animais, eram
feitas nos pousos de caça e pesca. É o que sugere signos em forma de teto em desenhos e pinturas no interior
de algumas cavernas.

NEOLÍTICO ou IDADE DA PEDRA POLIDA – Entre 12 mil a 4 mil a.C.

 Os instrumentos passam a ser de pedra polida, e com o uso da enxada


tem início o cultivo dos campos.
 Desenvolve-se o artesanato de cerâmica e a tecelagem de tecidos.
 As construções passam a ser de pedra.
 O homem deixa de ser nômade e se sedentariza, aproximando-se paula-
tinamente2 do estágio das largas organizações sociais, com divisão de ta-
refas e negociações dos excedentes.

A sedentarização permitiu o desenvolvimento das primeiras comunidades
(tribos, aldeias, vilas e cidades). Estas primeiras comunidades desenvolviam-
se às margens de rios e lagos. Além de suprir as necessidades básicas, a água assumia uma nova função na vida dos
homens: irrigar o solo para o plantio.
 A domesticação dos animais (cabras, bois, porcos, cavalos e aves) também colaborou com a melhoria na qualidade de
vida. Aliada a agricultura, a domesticação dos animais permitiu ao homem um aumento significativo na quantidade
de produção de alimentos.
 O aumento populacional e o impulso das práticas econômicas, como criação de animais, agricultura e arte-
sanato, bem como a intensificação das relações de troca proporcionaram a extensão da posse e da proprie-
dade individual e a mudança das antigas relações familiares.
 Com o aumento na produção de alimentos, criou-se a necessidade de armazenamento. No Neolítico ocor-
reu um grande desenvolvimento da arte cerâmica.
 No Neolítico ocorreu um expressivo desenvolvimento das práticas religiosas (rituais), culturais e artesanais.
As principais características da pintura desse período são:

 Temática: cenas do cotidiano.

2
Paulatinamente: algo que se faz aos poucos, gradualmente, lentamente.
 Utilização de instrumentos fabricados (picéis, espátilas etc.).
 Primeira revolução estilística da história da arte:
 Abandono do realismo figurativo (naturalismo, ocorrido no Paleolítico).
 Maior grau de abstração:
• Simplificação e geometrização das imagens visuais. Buscam simplificar, esquematizar as formas,
substituindo, muitas vezes, as imagem realistas por símbolos e signos.

ESCULTURA NO NEOLÍTICO

 As cerâmicas eram utilizadas em rituais religiosos e


para armazenar alimentos e água. Eram produzidas
pelas mulheres, diferentemente do período ante-
rior.
 O “escultor” do período Neolítico sabe cozinhar a
argila, surgindo vasos com motivos geométricos.
Exemplos dessa cerâmica foram encontrados na
Romênia e Hungria.

ARQUITETURA NO NEOLÍTICO

Construções palafíticas e megalíticas.


Palafíticas: habitações rústicas de madeira, erguidas sobre pilotis (estacas
resistentes e profundamente enterradas nos lagos às margens de rios).
Megalíticos: (do grego mega = grande, lítico = pedra). Enormes construções que
assumem formas e disposições diversas e recebem denominações de
menir, dólmen, cromleques, alinhamento e navetas.

MÉNIR: São grandes blocos de pedra erguidos verticalmente.


- Pedras sagradas / marco de migração humana / estatuas de divindades.

DÓLMEN: São formados de duas pedras verticais que sustentam uma


terceira colocada horizontalmente.
- Sepulturas coletivas / templos

CROMLEQUES: São vários blocos de pedras erguidos


verticalmente sustentando uma pedra horizontalmente.
- Moradia / Proteção

ALINHAMENTOS: São menires enfileirados,


regularmente espaçados e às vezes possuem uma
extensão considerável.
- Culto à deuses.

NAVETAS: Espécie de câmera funerária. Posteriormente os egípcios evoluem as


navetas em mastabas.