Você está na página 1de 24

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

CAMPUS CATALÃO
Departamento de Engenharia Civil
Hidráulica

Redes de Condutos

Professor: Ed Carlo Rosa Paiva


UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
CAMPUS CATALÃO
Departamento de Engenharia Civil
Hidráulica

Condutos Equivalentes

Professor: Ed Carlo Rosa Paiva


Condutos Equivalentes
Conceito

Um conduto é equivalente a outro ou a outros quando escoa a mesma


vazão sob a mesma perda de carga total.
Pode-se ter uma gama de condutos equivalentes, porém se apresentará os
condutos equivalentes em série e em paralelo.

Condutos em série ou misto

São os condutos constituídos por trechos de tubulação, com características


diferentes, tal como diâmetro, de modo a conduzir uma mesma vazão, conforme
ilustra a Figura 1.
Condutos Equivalentes
Desconsiderando as perdas localizadas: hf = hf1 + hf2 + hf3 ...
em que:
hf = a perda de carga total no conduto
hf1 = a perda contínua de carga no trecho de diâmetro D1 e comprimento L1 ;
hf2 = idem para diâmetro D2 e comprimento L2
hf3 = idem para diâmetro D3e comprimento L3

Figura 1 - Conduto misto com 2 diâmetros.


Condutos Equivalentes
Usando a fórmula genérica de perda de carga tem-se:

Para uma condição de mesma rugosidade,

E como a vazão deve ser a mesma, condição de ser equivalente, a equação


simplifica-se:

que é a expressão que traduz a regra de Dupuit.


Condutos Equivalentes
A aplicação prática desta regra se faz presente no dimensionamento dos condutos, e
normalmente são encontrados diâmetros não comerciais.
Exemplo: D = 133 mm
 Se adotar o diâmetro comercial 125 mm, não terá a vazão desejada ou a perda de
carga ultrapassará o limite de projeto.
Se for escolhido 150 mm, que é o imediatamente superior, a vazão será maior que
a de projeto ou a perda de carga será menor que a projetada

NESSE CASO, pode-se colocar um registro para aumentar a perda de carga total e
consequentemente reduzir a vazão até o projetado.
PORÉM, esta saída não é a mais econômica, pois o custo das tubulações
cresce exponencialmente com o diâmetro.
ENTÃO, a melhor solução técnica e econômica é fazer uma associação em
série, ou seja, colocar um trecho do conduto com o diâmetro comercial
imediatamente superior, e um trecho com o diâmetro comercial imediatamente
inferior, de tal forma que este conduto misto seja equivalente ao projetado.
Porém, quais os comprimentos de cada diâmetro?
Condutos Equivalentes
Suponha que o comprimento total seja L e os comprimentos de cada
trecho sejam L1 e L2 , de tal forma que:

L = L1 + L2 ;

e que

hf = hf1 + hf 2

Como genericamente

hf = J.L, Tem-se: J.L = J1.L1 + J2.L2

Fazendo L1 = L - L2

J.L = J1(L – L2) – J2.L2

J.L = J1.L – J1.L2 + J2.L2


Condutos Equivalentes

Rearranjando

em que:

L2 = comprimento do trecho de diâmetro D2 ;

J = perda de carga unitária no conduto de diâmetro não comercial;

J1 = perda de carga unitária no conduto de diâmetro comercial D1 ;

J2 = perda de cara unitária no conduto de diâmetro comercial D2 ; e

L = o comprimento total da canalização.


Condutos Equivalentes
Condutos em paralelos ou múltiplos
São os condutos que têm as extremidades comuns, ou seja, a pressão no
início e no final de todos os condutos é a mesma.
Assim, os condutos em paralelo estão sujeitos à mesma perda de carga.
Na Figura 2, no ponto A, a vazão total Q se divide nas vazões Q1,Q2 e
Q3. Na extremidade final, ponto B, estas vazões voltam a se somar, voltando-se
novamente à vazão Q, portanto:

Q = Q1 + Q2 + Q3

Figura 2 - Esquema de três condutos em paralelo.


Condutos Equivalentes
Pela equação genérica de perda de carga tem-se que:

Partindo-se desta equação e, uma vez que todos apresentam à mesma perda de carga,
tem-se:
Condutos Equivalentes
Considerando a mesma rugosidade para todos os condutos e como hf deve ser igual
em todos, condição de ser equivalente, tem-se:

Se todos os comprimentos forem iguais, a equação acima torna-se:


Condutos Equivalentes
Generalizando:

Sendo K o número de condutos em paralelo.

Se também os diâmetros forem iguais a D:

Qual a aplicação prática deste tipo de conduto ?????


Condutos Equivalentes
Está na expansão de uma área ou de um projeto hidráulico. Se vai haver expansão,
basta projetar o conduto para atender ao projeto global que deverá ficar em
paralelo.

Exercício: A perda de carga entre os pontos A e D no sistema da figura abaixo é


de 50,0 m. Sabendo que a vazão no trecho AB é de 25,0 L s-1, e adotando-se a
fórmula de Hazen-Williams, com C = 120 para todos os trechos, calcular: a) as
vazões nos trechos 2 e 3; b) o(s) diâmetro(s) comercial(is) e o(s) comprimento(s)
correspondente(s) da tubulação 3, sabendo que os diâmetros disponíveis no
mercado são 75, 100, 150, 200 mm. (desprezar as perdas localizadas).
Sistemas Ramificados

Definição:

Um sistema hidráulico é dito ramificado quando em uma ou mais


seções de um conduto ocorre variação de vazão por derivação de água. A
derivação de água pode ser para um reservatório ou para consumo direto
em uma rede de distribuição.
Sistemas Ramificados
Tomada d’ água entre dois reservatórios
Sistemas Ramificados
Tomada d’ água entre dois reservatórios
 Sejam os reservatórios R1 e R2, interligados pela tubulação ABC e
mantidos constantes, em que em B é a seção de tomada d’água:
 Trecho AB: tem comprimento L1 e diâmetro D1;
 Trecho BC: tem comprimento L2 e diâmetro D2.

 Se a vazão em B é nula, a vazão de R1 chega, integralmente em R2;


 A linha piezométrica é LB1M;
 Os trechos fucionam como condutos em série;
 A perda de carga total ∆H = Z1 – Z2;
 A vazão pode ser determinada como:
Sistemas Ramificados
Tomada d’ água entre dois reservatórios - continuação

 À medida que a solicitação em B aumenta:


 a linha piezométrica cai, pela diminuição da cota piezométrica em B;
 a vazão que chega a R2 reduz;
 este processo continua até que a cota B3 se iguala a Z2;
 Nesse ponto a linha piezométrica B3M é horizontal e vazão no trecho
2 é nula;
 A vazão retirada em B pode ser determinada como:
Sistemas Ramificados
Tomada d’ água entre dois reservatórios - continuação
 Aumentando ainda mais a reitrada de água em B:
 a cota piezométrica em B cai para B4;
 o reservatório R2 também passa a funcionar como abastecedor;
 A vazão retirada em B é a soma das vazões nos dois trechos, e é
dada por:
Sistemas Ramificados
Problema dos três reservatórios
Sistemas Ramificados
Problema dos três reservatórios - continuação
 Sejam três reservatórios mantidos em níveis constantes e conhecidos e
interligados por três tubulações de comprimentos, diâmetros e rugosidades
definidos.
 Questão básica: saber como as vazões são distribuidas pelos três
condutos (Regime Permanente);
 Determinação das vazões:
 conhecer a cota piezométrica em B (Bifurcação);
 pela topografia observa-se que:
 o reservatório R1 irá funcionar sempre como abastecedor;
 o reservatório R3 irá funcionar sempre como abastecido;
Sistemas Ramificados
Problema dos três reservatórios - continuação

 Seja X o valor da cota piezométrica em B. Tem-se três situações:

a) Se X > Z2, a vazão de R1 irá parte para R2 e parte para R3;

b) Se X = Z2, a vazão no conduto 2 é nula, perda de carga nula, e a


vazão R1 irá, integralmente, para R3;

c) S X < Z2, R2 passa também a ser abastecedor e R3 passa a ser


abastecido pelos outros dois.
Sistemas Ramificados
 A determinação das vazões é um processo de tentativa e erro:
 Fixa o valor da cota piezométrica em B (Bifurcação);
 o que define as perdas de carga nos três trechos;
 verifica-se a condição de continuidade na bifurcação;
 Admitindo um coeficiente de atrito único, para as três tubulações,
tem-se:
Sistemas Ramificados
Problema dos três reservatórios - continuação

 Para resolução rápida e de maneira simples:


 Fixa o valor da cota piezométrica em B (Bifurcação) igual ao nível d’água
do reservatório intermediário, X = Z2;
 Assim:
 Q2 = 0 e pelas equações anteriores determinam-se Q1 e Q3.
 Se Q1 = Q3, o problema está resolvido, senão:
 Se Q1>Q3, aumenta-se a cota piezométrica em B Q1 e Q3 e Q2;
 Se Q1<Q3, diminui-se a cota piezométrica em B Q1 e Q2 e Q3;

 Isto ocorrerá até que seja satisfeita a equação da continuidade em B, ou


seja:
Sistemas Ramificados
Problema dos três reservatórios - continuação

Exemplo: