Você está na página 1de 22

TFM – Total Flow Management Model

II. Production III. Internal Logistics IV. External


Flow Flow Logistics Flow

5. Low Cost 5. Production Pull 5. Logistics Pull


Automation Planning Planning

4. Smed 4. Leveling 4. Deliver Flows

3. Standard 3. Synchronization
Work 3. Source Flows
(KB/JJ)

2. Border 2. Mizusumashi 2. Milk Run


of Line

1. Line and 1.Storage and


Layout Design 1. Supermarkets Warehouse Design

I. Basic Reliability

V. Supply Chain Design


(SCD)
Line Design
TFM – Total Flow Management

The #1 Specialist in:


World Class Performance…
Operational Excellence…
Continuous Improvement Kaizen Lean !
Em que consiste a metodologia Line Design?

 O Line Design é uma metodologia de


desenho de linhas de produção com o
objetivo de criar fluxo;
 Consiste:
˃ Estudo do layout de produção;

˃ Desenho do posto de trabalho;

˃ Eliminação de operações que não acrescentam


valor ao produto;

˃ Melhoria do abastecimento;

˃ Normalização do trabalho nas linhas.

O Line Design é uma metodologia de desenho de linhas de produção flexíveis e produtivas.

3
Onde se pode aplicar o Line Design?

PRODUTOS
Diferença entre PROCESSOS e OPERAÇÕES
PRODUTO A PRODUTO B
 PROCESSO é o fluxo (movimento) de
materiais desde Matéria Prima até Produto
Stock Acabado. Inclui as seguintes operações:
Materiais
˃ Transporte;

˃ Espera de formação de lote;

˃ Transformação;

˃ Espera de operação;

˃ Inspeção.

 OPERAÇÃO é o fluxo de tarefas de


trabalhadores para execução de um
transporte, transformação ou inspeção do
Stock
Produtos produto.

OPERAÇÃO
 Os conceitos de Line Design podem ser
aplicados a qualquer processo quer seja
industrial, administrativo, hospitalar, etc.

O Line Design é aplicado a qualquer processo (conjunto de operações).

4
Porquê aplicar o Line Design?

PROCESSO

VA Op.1 Op.2 Op.3 Op.4 O Line Design visa a criação de fluxo:


Matérias
Primas
Produto
Acabado  Aumento de produtividade:
Muda Espera Espera + Transporte Inspecção Transporte Setup ˃ Eliminar as atividades que não acrescentam
Tempo valor ao cliente;
MELHORIA TRADICIONAL… ˃ Simplificar antes de automatizar.
Muda VA
 Redução de lead-time e aumento de nível
de serviço:
Tempo

Muda VA ˃ Fluxo peça-a-peça;

˃ Redução de Stock em curso;


Tempo
Tempo poupado… … mas a poupança é reduzida ˃ Redução do retrabalho;
CRIAÇÃO DE FLUXO ˃ Trabalho em pequenos lotes com eficiência;
Muda VA
 Melhor resposta ao mercado:
˃ Aumento da flexibilidade.
Tempo

Grande redução de Muda = ↑ Produtividade

O Line Design visa o aumento de Produtividade e Nível de Serviço.

5
Como implementar o Line Design?

A. Layout Macro:
˃ Conceito de Layout;

˃ Análise Produto-Quantidade (PQ);

˃ Matriz de Processo vs. Produto;

˃ Tempo de Takt;

B. Linha:
˃ Gráfico de Processo;

˃ Balanceamento de Linhas;

C. Desenho do posto de trabalho:


˃ Standard Work;

˃ Bordo de linha.

Após o diagnóstico, devem desenhar-se as linhas, os postos de trabalho e finalmente o bordo de linha.

6
O que é um Layout Funcional?

 O layout é formado por “ilhas funcionais”;


 Produção de grandes lotes gerando elevado stock de produtos em-curso (WIP) entre postos
de trabalho.

Pré-Montagem Montagem Controlo

A
R
M
A
Z
É
M

Material em Espera

Um Layout Funcional agrupa áreas e operações por função.

7
O que é um Layout de Processo?

 Produção de pequenos lotes;


 O layout em linha e organizado por sequência de operações e máquinas;
 Dificuldade em garantir balanceamento da produção.

ARMAZÉM

Pré - Montagem Montagem Controlo

Fluxo de Material

Um Layout de Processo é organizado por sequência de operações.

8
O que é um Layout em Célula ou em Fluxo?

 Linha de Fluxo unitário (ou peça-a-peça) dedicada a um tipo fluxo;


 Maior flexibilidade para balancear os operadores e grande redução de stock em-curso (WIP);
 Melhor compreensão do fluxo por parte dos operadores;
 Separação entre fluxos de Logística e zona de Produção

Embalar Controlo

S
U
P Fluxo de Material
E
R
M
E
R
C
A
D
O Pré - Montagem Montagem

Entreajuda

Linhas de Fluxo Unitário são mais flexíveis para balancear operações.

9
Bordo de Linha: Abastecimento do Posto de Trabalho

 O Bordo de Linha (BL) deve ser desenhado da melhor maneira para minimizar o MUDA de
movimento de pessoas;
 Normalmente abastecimentos em palete não são aceites no Bordo de Linha;
 Contentores pequenos ou carros devem ser colocados na melhor localização possível do Bordo
de Linha, de preferência ao alcance dos operadores (abastecimento frontal).

Grandes Contentores

Muda de movimento
Ausência de Standard Work
Dificuldades de Picking

Contentores
Bordo de Linha pequenos
(abastecimento frontal com
contentores pequenos)

Bordo de Linha é a interface entre a Produção e a Logística e o trabalho destas duas áreas deve ser
completamente separado.

10
Bordo de Linha: Área de Valor Acrescentado

 Use abastecimento por trás com contentores


Abastecimento Frontal pequenos ou carros quando o abastecimento frontal
não é possível (devido ao volume dos produtos);

 “Abastecimento em KIT” perto da AVA é o melhor tipo


de abastecimento em termos de Standard Work
(Eliminação de Muda).
60 cm

FLUXO DA PEÇA PRINCIPAL FLUXO DA PEÇA PRINCIPAL

70 cm

60 cm
AVA – Área de Valor Acrescentado 70 cm

Abastecimento
 Use Abastecimento Frontal com contentores por trás
pequenos sempre que for possível;

 Logística deve abastecer contentores o mais próximo


possível da AVA do operador;

 Alguns contentores podem ser colocados pelo


operador na AVA (quando não é possível o contentor
ser abastecido na AVA).

O Abastecimento perto da AVA é o melhor standard para eliminação de muda.

11
Bordo de Linha: Abastecimento do Posto de Trabalho

COMPONENTE A TIPO
LOCAL NO BL
CHEGAR AO BL BL
Palete de contentores
1 pequenos

Contentores em estante e
2 prateleira fixa
Em contentores
pequenos Contentor em prateleira fixa,
3 estante FIFO (estante Kanban)
(inferior a
600x400)
Contentores empilhados numa
4 base rolante

Contentor com vários


5 componentes (Junjo KIT)
1 7 9
6 Carro Standard

Carro para componente


Em carros 7 específico

Carro com vários componentes


8 (Carro Junjo)

Em Contentores
9 Contentores de Rede
(1200x800) 3
10 Prateleira, Estante Fixa

Prateleira, estante FIFO


11 (estante Kanban)
Soltas
Carro específico (não
12 normalizado)
4 6 13
13 Estante para produtos especiais

Existem diferentes tipos de Bordo de Linha (BL).

12
Bordo de Linha: Área de Valor Acrescentado

Exemplos de Bordos de Linha.

13
Bordo de Linha: Contentores Pequenos

Grande Contentor Melhoria Pequeno Contentor

Protecção dos Componentes

Eliminar Muda de Movimento

Criar Fluxo na Logística

Ergonomia

A utilização e manuseamento de pequenos contentores traz benefícios em relação aos grandes


contentores.

14
Bordo de Linha: Acondicionamento de Peças

DUNNING
 Componentes são acondicionados nos contentores de forma a garantir
protecção adequada, picking preciso e colocação eficiente;
 O acondicionamento do componente no contentor é naturalmente
determinado pela forma do componente ou imposto por Dunning.

 Formas de Dunning:
 Inserções termoformadas que podem ser adaptadas à forma do
componente, e podem formar o próprio contentor, mas requer
investimentos em ferramentas especiais;

Formato dos componentes  Dunning em akilux ou materiais rígidos facilita a implementação sem
permite o acondicionamento necessidade de ferramentas especiais;
sem dunning
 Dunning de cartão permite que o contentor possa ser reutilizado para
outros componentes.

Dunning protege os
componentes de impactos Polipropileno Expandido Akilux Cartão

O acondicionamento dos componentes é importante para garantir proteção e um bom manuseamento.

15
Bordo de Linha: Carros e Bases Rolantes

 Vários tipos de carros podem ser desenhados de modo a se adaptarem à geometria do componente ou ao tipo
de abastecimento;

 O ponto de partida é sempre a ergonomia do posto de trabalho.

Carros e bases rolantes tornam o transporte flexível e devem respeitar a ergonomia em primeiro lugar.

16
Bordo de Linha

17
Standard Work

 O Standard Work permite reduzir os tempos


de execução;
 Permite simplificar, medir e melhorar os
métodos de trabalho;
 Garante a partilha de boas práticas entre
colaboradores;
 Possibilita o alinhamento da organização
pela melhor forma conhecida de trabalhar até
ao momento;
 Tem por objetivo normalizar/uniformizar
tarefas como forma de redução de MUDA.

Ver mais detalhe

O Standard Work é uma forma de partilha de boas práticas entre colaboradores

18
Automação de Baixo Custo

• Máquinas Automáticas de Teste;


• Usar mecanismos simples explorando as leis
da natureza (KARAKURI): • Descarga Automática;

• Uso da gravidade (chutes, rollers, • Uso de materiais e componentes de baixo


mecanismos); custo;

• Uso de forças naturais de balanceamento • Uso de materiais de aplicação geral (sensores,


(contra - pesos); tubos, motores);

• Uso de soluções de fluxo (simple AGV´s, • Reciclar componentes antigos (usar


bases rolantes, mesas com rodas). equipamento antigo);

• Usar dimensões reduzidas (objectivo é reduzir • Modificação de máquinas antigas;


o muda de movimentação): • Incorporar princípios SMED;
• Miniaturização (redução do tamanho e do • Engenharia simultânea;
peso);
• Construção de máquinas baseada nas
• Aproximação (redução do comprimento para necessidades do Gemba;
diminuir).
• Construção facilmente modificável.

Os princípios para a aplicação de ABC centram-se na simplicidade de utilização e baixo custo de


construção.

19
Automação de Baixo Custo

Funcionalidade Mecanismos

• Elevador de Componentes;
Elevação de Pesos
• Plataformas de Carga;

• Tapetes e Caixas;
• Estantes com Rodas;
Ajudas de Transporte
• AGVs (Automated Guided Vehicules) feitos na
empresa;

• Rampas;
• Dunning;
Apresentação de • Calhas de Componentes;
Componentes • Fornecimento unitário no ponto de utilização
(seiretsu-sochi);
• Utilização de Kits;

Plataformas Móveis para • Plataformas para trabalho sentado;


Assemblagem • Carros em movimento;

Mecanismos de Poupança de
• Para facilitar as operações.
Tempo

Mecanismos de automação de baixo custo permitem a poupança de tempo nas operações.

20
Automação de Baixo Custo
LAVAGEM AUTOMÁTICA EM LINHA ROTAÇÃO DE LATAS EM LINHA ABASTECIMENTO DO BL POR GRAVIDADE

DESCARGA DAS PEÇAS POR GRAVIDADE MEDIAÇÃO INTEGRADA ENTRE 2 PROCESSOS

O abastecimento e a integração de processos podem ser melhorados recorrendo a automação de


baixo custo.

21
Informação Adicional

Para Informação Adicional por favor Consultar:

˃ www.kaizen.com

˃ Lista de 1 a 3 Leituras (Livros e Artigos):

‒ Cellular Manufacturing one-piece flow for workteams, Productivity Press D.T;

‒ Assembly and Handling Technology, ROEMHELD;


‒ Achieving Excellence with Kaizen and Lean Supply Chains, Euclides Coimbra.

˃ Nome do formador:
‒ Email:
‒ Telemóvel:

22