Você está na página 1de 10

PLANO DE ENSINO

CURSO: Psicologia
SÉRIE: 6º semestre
DISCIPLINA: Desdobramentos da Teoria Psicanalítica
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 3 horas/aula
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 horas

I – EMENTA

Evolução da teoria psicanalítica nas perspectivas de Melanie Klein e Donald


Winnicott. Introdução dos principais conceitos teóricos, técnicos e clínicos destes
autores, articulados ao método psicanalítico e sua ética à compreensão das
experiências humanas contemporâneas. Articulação dos textos clássicos da
psicanálise e o pensamento psicanalítico contemporâneo.

II – OBJETIVOS GERAIS

 Estabelecer os fundamentos teóricos, técnicos e clínicos das concepções


psicanalíticas kleiniana e winnicottiana.
 Compreender o pensamento kleiniano para o desenvolvimento da
Psicanálise e o papel fundante dele para o trabalho psicanalítico com
crianças.
 Compreender o pensamento winnicottiano para o desenvolvimento da
Psicanálise sua influência sobre a sociedade e a cultura.
 Estabelecer convergências e divergências – teóricas, técnicas e clínicas
– dos pensamentos kleiniano e winnicottiano, com reconhecimento das
possibilidades de atuação profissional nestes referenciais.

III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Tais competências serão desenvolvidas a partir das seguintes habilidades:


 Identificar o contexto histórico-social de evolução das concepções
psicanalíticas kleiniana e winnicottiana, visão de homem e de mundo.
 Ler e interpretar textos clássicos da teoria psicanalítica.
 Construir um saber psicanalítico a partir da apreensão de alguns conceitos
fundamentais das teorias kleiniana e winnicottiana.
 Ser capaz de diferenciar o pensamento kleiniano, winnicottiano e freudiano,
estabelecendo suas convergências e divergências.
 Consolidar a construção da teoria psicanalítica, compreendendo a sua
aplicação na clínica kleiniana e winnicottiana.
 Introduzir e desenvolver um raciocínio psicanalítico que permita abordar o
material clínico, assim como, exercitar uma compreensão de fenômenos sociais
através de uma leitura psicanalítica.
 Reconhecer a Psicanálise como um saber científico inscrito na história da
modernidade.
 Expressar o pensamento de forma clara, coerente e concisa.
IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1- Expansões da psicanálise
1.1- Desdobramentos da Psicanálise na Inglaterra, França e Estados Unidos.

2- Melanie Klein
2.1- Panorama geral da vida e obra de Melanie Klein.
2.1.1- O contexto cultural, histórico e político.
2.1.2- A psicanálise de crianças e a técnica do brincar.

2.2- O inconsciente kleiniano


2.2.1- Vida emocional e mundo interno: fantasia, cisão, projeção, introjeção,
identificação projetiva.
2.2.2- Agressividade e destrutividade. Sadismo infantil, angústia e culpa.
2.2.3- Conflito entre pulsão de vida e pulsão de morte (amor e ódio).
2.2.4- Conflito edipiano e Édipo precoce, formação do superego e Superego
implacável.

2.3- Teoria das posições - Posição esquizo-paranóide e depressiva

2.4- Inveja, Reparação e Gratidão

2.5- Clínica kleiniana


2.5.1- Transferência e contratransferência.
2.5.2- Limites da dupla analítica.
2.5.3- Elaboração enquanto finalidade da análise.
2.5.4- Limites à analisibilidade.

2.6- Convergências e divergências com a proposta freudiana.


2.6.1- Especificidade da obra de Klein.
2.6.2- Limites da teoria e da proposta psicanalítica nos diferentes
contextos de atuação profissional.
2.6.3- O pensamento kleiniano sobre sociedade e cultura.

3- Donald W. Winnicott
3.1- Panorama geral da vida e obra de Donald W. Winnicott.
3.1.1- Contexto cultural, histórico e político.

3.2- O Grupo Independente da Sociedade Psicanalítica Britânica

3.3- Desenvolvimento emocional


3.3.1- Provisão ambiental, Ambiente facilitador e Mãe suficientemente boa.
3.3.2- Processo maturacional.
3.3.3- Da dependência à independência.
3.3.4- Agressividade e tendência antissocial.
3.3.5- Objeto transicional – fenômeno transicional.
3.3.6- O gesto espontâneo e sua relação com o falso e verdadeiro self.

3.4- O método psicanalítico


3.4.1- Observação direta da criança.

2
3.4.2- Espaço potencial.
3.4.3- Regressão e continência na análise.
3.4.4- Transferência e Contratransferência.
3.4.5- Limites do setting, da analisibilidade e do analista.
3.4.6- O objetivo do tratamento.

3.5- Convergências e divergências com a proposta freudiana.


3.5.1- Especificidade da obra de Winnicott.

V – ESTRATÉGIAS DE TRABALHO

As estratégias de trabalho serão planejadas de forma a desenvolver as


habilidades que possibilitam o estabelecimento das competências visadas no
programa. Desta forma, privilegiar-se-ão:

- Seguimento do Plano de Ensino quanto aos objetivos, às bibliografias,


estratégias e avaliação.
- Aulas expositivas feitas pelo professor atreladas e complementadas às leituras
definidas no Plano de Aula pelo aluno.
- Elaboração pelos alunos de resumos, resenhas, fichamentos, ou verificações
em sala de aula, de acordo com a determinação do professor, a fim de
familiarizar os alunos à norma culta da língua portuguesa, a linguagem técnica
da psicanálise e as normas da ABNT (indicadas na bibliografia).
- Utilização de outros recursos (audiovisuais, textos literários, exposição de
obras de arte), à escolha do professor, que sejam ilustrativos do surgimento da
psicanálise ou de seu exercício atual, seja na clínica, seja na compreensão de
fenômenos psicossociais.
- Fechamento do tema, pelo professor, nos últimos 30 minutos de cada aula, por
meio de exposição dialogada, para assinalamento dos principais aspectos
abordados em aula, relacionando-os às leituras e às tarefas preparatórias
realizadas pelos alunos.
- Desenvolvimento de trabalhos sobre produções artísticas.

VI – AVALIAÇÃO

Primeiro bimestre:
 Prova individual, avaliada de zero a dez pontos, peso 8 (oito).
 A prova deverá conter 12 (doze) questões, sendo 10 (dez) objetivas e 2
(duas) dissertativas.
 A porcentagem da pontuação das 10 (dez) questões objetivas é de 60%
e o valor é de 0,6 pontos para cada questão objetiva.
 A porcentagem da pontuação das 2 (duas) questões dissertativas é de
40% e o valor é de 2,0 (dois) pontos para cada questão dissertativa.
 Trabalho individual ou grupal (máximo de 5 alunos), o que deve ser
decidido pelo professor com os alunos, avaliado de zero a dez, peso 2
(dois). O trabalho serve à concretização dos objetivos da disciplina,
auxiliando o aluno na compreensão dos temas propostos e servindo ao
professor como verificação da aprendizagem do aluno. Este trabalho
consiste em reflexões escritas à luz da teoria psicanalítica, a partir de
produções artísticas como:- audiovisuais (filmes de longa e curta
metragem, peças teatrais, vinhetas, propagandas); textos literários (livros,
narrativas, poesia, poemas); obras de arte (pintura, escultura) ou outro
veículo que permita ao aluno desenvolver, exercitar e refletir criticamente
sobre as produções humanas e sua expressão. O professor deverá
escolher e definir a temática para realização desse único trabalho
bimestral.
 Eventuais resenhas, fichamentos, pesquisas bibliográficas não poderão
substituir o trabalho bimestral.
 Todo trabalho solicitado deverá ser entregue por escrito e deverão ser
elaborados em conformidade com as normas da ABNT.

Segundo bimestre:
 Prova individual, avaliada de zero a dez pontos.
 A prova deverá conter 12 (doze) questões sendo 10 (dez) objetivas e 2
(duas) dissertativas.
 A porcentagem da pontuação das 10 (dez) questões objetivas é de 60%
e o calor é de 0,6 pontos para cada questão objetiva.
 A porcentagem da pontuação das 2 (duas) questões dissertativas é de
40% e o valor é de 2,0 pontos para cada questão dissertativa.
 No segundo bimestre não há previsão de trabalho.

A média do semestre será calculada de acordo com o Regimento da IES.

VII – BIBLIOGRAFIA

BÁSICA

KLEIN, M. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1991-1997.

WINNICOTT, D. W. O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre:


Artes Médicas, 1983.

WINNICOTT, D. W. Da Pediatria à Psicanálise. Rio de Janeiro: Livraria


Francisco Alves Editora, 1993.

COMPLEMENTAR

CINTRA, E. M. U.; FIGUEIREDO, L. C. Melanie Klein, estilo e pensamento.


São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

4
JOSEPH, B. Equilíbrio psíquico e mudança psíquica. Rio de Janeiro: Imago
Editora Ltda, 1992.

NASIO, J. D. Introdução às obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein,


Winnicott, Dolto, Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

OUTEIRAL, J. O.; GRAÑA, R. B. Donald W. Winnicott: estudos. Porto Alegre:


Artes Médicas Editora, 1991.

WINNICOTT, D. W. Natureza Humana. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1990.


PLANO DE AULAS – Desdobramentos da Teoria Psicanalítica – 2017

1ª Aula:
1) Apresentação da disciplina
Ementa, objetivos, conteúdo programático, estratégias de ensino, instrumentos
e critérios de avaliação, bibliografia básica e complementar.

2) Apresentação do plano geral de discussões sobre os Desdobramentos da


Teoria Psicanalítica.
Primeiro Bimestre: O pensamento teórico-clínico de Melanie Klein.
Segundo Bimestre: O pensamento teórico-clínico de Donald Winnicott.

Desdobramentos e expansões da psicanálise:- a Psicanálise na Inglaterra,


França e Estados Unidos.
Diferentes matrizes clínicas e suas consequências para a teorização
psicanalítica.
Panorama geral da vida e obra de Melanie Klein. Contexto cultural, histórico e
político.

Bibliografia Complementar:
CINTRA e FIGUEIREDO (2004). Capítulo 1: Melanie: algumas informações
introdutórias (29-35). In: Melanie Klein, Estilo e Pensamento.
CINTRA e FIGUEIREDO (2004). Capítulo 2: Melanie Klein, a psicanálise e o
movimento psicanalítico internacional: dados históricos (36-48). In: Melanie
Klein, Estilo e Pensamento.

2ª Aula:
Tema de discussão: A psicanálise de crianças. A técnica do brincar.
Agressividade e destrutividade. Sadismo infantil, angústia e culpa.

Leitura Obrigatória:
KLEIN (1959) A técnica psicanalítica através do brinquedo, sua história e
significado (1955), In: Obras Completas, Inveja, Gratidão e outros trabalhos, Vol.
III.

Bibliografia Complementar:
CINTRA e FIGUEIREDO (2004), Capítulo 3: Apreciação introdutória do estilo de
pensamento e de escrita (49-58), In: Melanie Klein, Estilo e Pensamento.

3ª Aula:
Édipo precoce. Conflito edipiano e formação do superego. Superego implacável.
Conflito entre pulsão de vida e pulsão de morte (amor e ódio).

Leitura Obrigatória:
KLEIN (1928) Estágios iniciais do conflito edipiano. In: Obras Completas, Amor,
culpa e reparação e outros trabalhos, Vol I.

Bibliografia Complementar:
ROCHA BARROS (2004). Introdução: Á guisa de introdução (07-22), In: CINTRA
e FIGUEIREDO (2004), Melanie Klein, Estilo e Pensamento.
6
4ª Aula:
Tema de discussão: O inconsciente kleiniano: Vida emocional e mundo interno:
fantasia, cisão, projeção, introjeção, identificação projetiva.

Leitura Obrigatória:
KLEIN (1981) Capítulo 10: O significado das primeiras situações de angústia no
desenvolvimento do ego. In: Obras Completas, Psicanálise da criança, Vol. I.
KLEIN (1946) Capítulo 1: Notas sobre alguns mecanismos esquizóides. In:
Obras Completas, Inveja, Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.

Bibliografia Complementar:
KLEIN (1955) Capítulo 9: Sobre a identificação, In: Obras Completas, Inveja,
Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.
JOSEPH (1983) Capítulo 12: Identificação Projetiva, alguns aspectos, In
Equilíbrio psíquico e mudança psíquica.

5a e 6ª Aulas:
Tema de discussão: Posição esquizo-paranóide e Posição depressiva;
Reparação; A inveja.

Leitura Obrigatória:
KLEIN (1935) Capítulo: Psicogênese dos estados maníaco-depressivos, In:
Obras Completas, Amor, culpa e reparação e outros trabalhos, Vol. I.
KLEIN (1940) Capítulo: O luto e suas relações com os estados maníaco-
depressivos, In: Obras Completas, Amor, culpa e reparação e outros trabalhos,
Vol. I.
KLEIN (1957) Capítulo 10: Inveja e Gratidão, In: Obras Completas, Inveja,
Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.
KLEIN (1959) Capítulo 12: Nosso mundo adulto e suas raízes na infância, In:
Obras Completas, Inveja, Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.

Bibliografia Complementar:
KLEIN (19). Sobre a teoria da ansiedade e da culpa. In: Obras Completas, Inveja,
Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.

7a e 8ª Aulas:
Tema de discussão: Transferência e contratransferência; Limites da dupla
analítica; Elaboração enquanto finalidade da análise. Limites à analisibilidade.

Leitura Obrigatória:
KLEIN (1952) Capítulo 4: As origens da transferência, In: Obras Completas,
Inveja, Gratidão e outros trabalhos, Vol. III.
JOSEPH (1983) Capítulo 13: Transferência: a situação total, In Equilíbrio
psíquico e mudança psíquica.

Bibliografia Complementar:
JOSEPH (1983) Capítulo 13: A inveja na vida cotidiana, In: Equilíbrio psíquico e
mudança psíquica.

9ª Aula:
Revisão do conteúdo.

Leitura Obrigatória:
CINTRA e FIGUEIREDO (2004) Capítulo 4: Pequena reconstituição da história
dos sistemas kleinianos (59-102). In: Melanie Klein, Estilo e Pensamento.

10ª Aula:
NP1

11a Aula:
Devolutiva do desempenho dos alunos e discussão da prova NP1.
Tema de discussão: Panorama geral da vida e obra de Donald Winnicott.
Contexto cultural, histórico e político. O Grupo Independente da Sociedade
Psicanalítica Britânica.

Leitura Obrigatória:
OUTEIRAL (1983) Prefácio à edição brasileira e Winnicott, D. Introdução, In O
Ambiente e os processos de maturação.
WINNICOTT (1983) Capítulo 16: Enfoque pessoal da contribuição kleiniana, In
O Ambiente e os processos de maturação.

12a Aula:
Tema de discussão: Desenvolvimento emocional; Ambiente facilitador; Mãe
suficientemente boa; Processo maturacional. Da dependência à independência.

Leitura Obrigatória:
WINNICOTT (1993) Capítulo 12: Desenvolvimento emocional primitivo (1945),
In Da pediatria à psicanálise,
WINNICOTT (1983) Capítulo 5: Provisão para a criança na saúde e na crise
(1962), In O ambiente e os processos de maturação.

Bibliografia Complementar:
WINNICOTT (1993) Capítulo 24: Preocupação materna primária (1956), In Da
pediatria à psicanálise,

13ª Aula:
Tema de discussão: Objeto transicional e fenômenos transicionais em
psicanálise.

Leitura obrigatória:
WINNICOTT (1993) Capítulo 18: Objetos transicionais e fenômenos transicionais
(1951), In Da pediatria à psicanálise.

Bibliografia Complementar:
WINNICOTT (1962) Capítulo 3: Teoria do relacionamento paterno-infantil, In O
ambiente e os processos de maturação.

14ª Aula:

8
Tema de discussão: Falso e verdadeiro Self. A polarização entre o falso
verdadeiro self, a submissão e excessiva adaptação ao meio.

Leitura Obrigatória:
WINNICOTT (1962) Capítulo 12: Distorção do ego em termos de falso e
verdadeiro self, In O ambiente e os processos de maturação.

Bibliografia Complementar:
ARCANGIOLI, M.A. Introdução à obra de Winnicott. In. NASIO, J.D. Introdução
às obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Dolto, Lacan.

15ª Aula:
Tema de discussão: Agressividade e tendência antissocial.

Leitura Obrigatória:
WINNICOTT (1993) Capítulo 16: A agressividade em relação ao
desenvolvimento emocional (1950/55), In Da pediatria à psicanálise.

Bibliografia Complementar:
WINNICOTT (1993) Capítulo 25: A tendência anti-social (1956), In Da pediatria
à psicanálise.

16ª Aula:
Tema de discussão: O método psicanalítico: Observação direta da criança;
Espaço potencial como zona intermediária entre realidade interna e externa.

Leitura Obrigatória:
WINNICOTT (1962) Capítulo 9 Sobre a contribuição da observação direta da
criança para a psicanálise, In O ambiente e os processos de maturação.
WINNICOTT (1993) Capítulo 15: Os objetivos do tratamento psicanalítico (1962),
In Da pediatria à psicanálise.

Bibliografia Complementar:
WINNICOTT (1993) Capítulo 22: Aspectos clínicos e metapsicológicos da
regressão no contexto analítico (1954), In Da pediatria à psicanálise.

17ª Aula:
Tema de discussão: Transferência e Contratransferência; Teoria da
Contratransferência - verdadeira e objetiva representada pelo amor e pelo ódio
do analista na situação clínica. Regressão e continência; Limites do setting, da
analisibilidade, limites pessoais ou contratransferenciais do analista.

Leitura Obrigatória:
WINNICOTT (1962) Capítulo 13: Contratransferência, In O ambiente e os
processos de maturação.
WINNICOTT (1993) Capítulo 23: Formas clínicas da transferência (1955), In Da
pediatria à psicanálise.
WINNICOTT (1993) Capítulo 20: Retraimento e regressão (1954), In Da pediatria
à psicanálise.
Bibliografia Complementar:
WINNICOTT (1993) Capítulo 15: O ódio na contratransferência (1947), In Da
pediatria à psicanálise.

18ª Aula:
NP2

19ª Aula:
Devolutiva do desempenho dos alunos e discussão da prova NP2.
Avaliação Substitutiva

20ª Aula:
Exame

10