Você está na página 1de 3

CLASSIFICAÇÃO DFOS VERSOS QUANTO AO NÚMERO DE SÍLABAS MÉTRICAS (POÉTICAS)

As sílabas gramaticais, formadoras das palavras que usamos na linguagem comum, não são as mesmas que as
sílabas métricas (ou poéticas), e por vezes não coincidem.

Veja o exemplo:

Sílabas Mi nha ter ra tem pal mei ras


gramaticais

Nº de 1 2 3 4 5 6 7 8
sílabas

Sílabas Mi nha ter ra tem pal mei * ras

métricas

Nº de 1 2 3 4 5 6 7 X
sílabas

* última sílaba tônica

Como você pôde observar, o número de sílabas métricas e gramaticais não coincidiu. As regras básicas para a
contagem de sílabas métricas são:

a) Só se contam as sílabas até a última sílaba tônica de cada verso.

b) Havendo encontro de vogais iguais, em palavras diferentes, elas podem fundir-se numa sílaba somente. É o
caso da crase.

c) Havendo encontro de vogais diferentes, em palavras diferentes, elas podem fundir-se numa sílaba somente. É
o caso da elisão.

Escandir ou fazer a escansão dos versos é indicar suas sílabas métricas.

1 2 3 4 5 6 7 8

Em cis mar so zi nho a noi te

Mais pra zer en con tro eu lá

Mi nha ter ra tem pal mei ras


On de can ta o sa bi á

O número de sílabas métricas em cada verso depende da vontade do poeta. Geralmente vão de uma sílaba (muito
raro) até doze sílabas.

Uma sílaba Monossílabos

Duas sílabas Dissílabos

Três sílabas Trissílabos

Quatro sílabas Tetrassílabos

Cinco sílabas Pentassílabos ou redondilha menor

Seis sílabas Hexassílabos

Sete sílabas Heptassílabos ou redondilha maior

Oito sílabas Octossílabos

Nove sílabas Eneassílabos

Dez sílabas Decassílabos

Onze sílabas Hendecassílabos

Doze sílabas Dodecassílabos ou alexandrinos

Mais de doze Bárbaros

Classifique os versos de acordo com o número de sílabas métricas.

1- “A idade austera e nobre a que chegamos”. (Alberto de Oliveira)


2- “Acha em lugar da glória o lodo impuro.” (Olavo Bilac)

3- Operário modesto, abelha pobre.” (Olavo Bilac)

4- “Quando no poente o sol desdobra as clâmides

De sangue e de oiro que nos ombros leva.” (Cabral do Nascimento)

5- “Nem fez castelos grandiosos

Sobre as areias movediças.” (Cabral do Nascimento)

6- “Deixa correr a fonte da ilusão”. (Cabral do Nascimento)

7- “Surgem velas muito além.” (Cabral do Nascimento)

8- “Já dormiram todos.” (Cecília Meireles)

9- O sol desponta”. (Gonçalves Dias)

10- “De uma paisagem morta, igual, deserta, imensa.” (Vicente de Carvalho)

11- “Falam deuses nos cantos do piaga.” (Gonçalves Dias)

12- “É o choro surdo, entrecortado, do batuque.” (Cassiano Ricardo)

13-“ Pingo

dágua

pinga

bate

tua

mágoa” (Cassiano Ricardo)

14- “”... me virão cantar.” (Cecília Meireles.

15- “A lua vem entre as ramagens”. (Ribeiro Couto)