Você está na página 1de 10

Liderando desde el Sur (Liderando desde o Sul, LFS, segundo a sigla em inglês) é um Fundo

criado para financiar e apoiar o ativismo pelos direitos das mulheres no Sul Global por um período
de quatro anos (2017-2020). É uma iniciativa programática conjunta implementada por quatro
Fundos de mulheres: Fondo Mujeres del Sur na América Latina e Caribe1, o Fundo Africano para o
Desenvolvimento das Mulheres na África e no Oriente Médio, o Fundo de Mulheres da Ásia na Ásia
e o Fórum Internacional de Mulheres Indígenas no nível global. É financiada pelo Ministério das
Relações Exteriores dos Países Baixos.

O programa irá canalizar 40 milhões de euros para apoiar o ativismo conformado, implementado e
liderado por organizações de mulheres que trabalham pelo empoderamento político, social e econômico
das mulheres, no âmbito da política de igualdade de gênero e direitos das mulheres do Ministério de
Relações Exteriores da Holanda e do seu Programa Diálogo e Dissenso. Trata-se de um fundo feminista
que pretende contribuir para a concretização de duas prioridades da política holandesa para o
desenvolvimento: i) o avanço dos direitos das mulheres e da igualdade de gênero, e ii) o fortalecimento
das organizações da sociedade civil.

Vários países da América Latina e o Caribe estão atravessando uma forte crise sociopolítica que
incide de forma direta no debilitamento das democracias e num claro retrocesso em matéria de
direitos humanos, o que se manifesta –dentre outras coisas- na criminalização e perseguição de
ativistas, no assassinato de militantes, no fechamento de espaços de participação cidadã, na
politização da Justiça, na elevada violência de gênero, nas altas taxas de femicídios/feminicídios, e
no avanço de fundamentalismos e grupos anti-direitos que obstaculizam o trabalho das defensoras de
direitos e dos movimentos de mulheres e feministas na região.

Liderando desde el Sur pretende, através da concessão de donativos e do desenvolvimento de


capacidades, dentre outras estratégias, fortalecer os movimentos de mulheres no Sul Global para que
possam resistir, incidir nas políticas públicas, enfrentar as relações desiguais de poder e eliminar a
exclusão, a discriminação, a violência e a desigualdade no tratamento. O Programa foca a defesa dos
direitos das mulheres e a eliminação da marginalização e a discriminação; o que revela o seu forte
alinhamento com uma série de metas globais das Nações Unidas, particularmente com o Objetivo de
Desenvolvimiento Sustentável 5 da Agenda 2030, sobre a concretização da igualdade de gênero e o
empoderamento de todas as mulheres e meninas.

O Fondo de Mujeres del Sur (Fundo de Mulheres do Sul, FMS) foi fundado em 12 de outubro de
2007, por seis conselheiras feministas de reconhecida trajetória na luta pelos direitos humanos das
mulheres. Origina-se com o objetivo de fortalecer o movimento de mulheres a nível sub-regional: na
Argentina, Uruguai e Paraguai. Sua missão é mobilizar recursos financeiros e técnicos a nível local e

1 O FMS é um fundo de mulheres com mandato sub regional (Argentina, Uruguai e Paraguai) que, aos fins deste Programa,
trabalha em nível regional (América Latina e o Caribe).
internacional para fortalecer as iniciativas de organizações de mulheres em situação de desvantagem
socioeconômica, cultural e ambiental, que visam à promoção da igualdade de gênero.

O FMS trabalha na promoção dos direitos sociais, econômicos, culturais e de trabalho das mulheres,
meninas e pessoas LGBTI, dos direitos ambientais, direitos sexuais e reprodutivos, direitos políticos,
à identidade e do direito a uma vida livre de violências.

O FMS faz parte de Prospera - Rede Internacional de Fundos de Mulheres, uma associação que
reúne 38 fundos de mulheres do mundo todo para promover a filantropia com perspectiva feminista,
através de parcerias de arrecadação de recursos. Na América Latina e o Caribe, o Fundo de
Mulheres do Sul atua com a assessoria político-estratégica do Conselho Assessor de Liderando
desde el Sur, constituído pelos fundos de mulheres da região: o Fondo de Acción Urgente para
América Latina y el Caribe, o Fundo ELAS do Brasil, o Fondo Centroamericano de Mujeres – FCAM e
por integrantes da Comissão Diretiva do Fondo de Mujeres del Sur.

Liderando desde el Sur está finalizando o seu primeiro período de apoios (2017-2018) e iniciando
sua segunda rodada de subvenções (período 2019-2020). Portanto, o Fundo de Mulheres do Sul tem
o prazer de tornar público o Segundo Edital para Propostas, mediante o qual convida grupos,
organizações e consórcios liderados por mulheres para apresentar propostas de trabalho inovadoras
e de alto impacto, com foco na defesa e promoção dos direitos das mulheres e da igualdade de
gênero, que contribuam para o impulso da concretização da Agenda 2030 das Nações Unidas, com
foco Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 5 (ODS 5 – Igualdade de Gênero).

Daremos prioridade ás propostas de organizações e/ou consórcios para participar apresentando


iniciativas que contribuam para concretizar os objetivos definidos pela comunidade internacional no
Decênio Internacional para as/os Afrodescendentes 2015 – 2024 declarado pela Assembleia
Geral da ONU (RES. AG 68/237)2, cujo tema é “Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e
desenvolvimento”. Proclamando este decênio, a comunidade internacional reconhece que as pessoas
afrodescendentes representam um grupo específico com direitos humanos que devem ser
promovidos e protegidos. Em torno de 200 milhões de pessoas que se identificam como
descendentes de africanos/as moram nas Américas.

Além disso, serão consideradas especialmente aquelas iniciativas de organizações atuando em


países que atravessam crises democráticas, onde a integridade e a vida das defensoras e ativistas
estejam em risco.

2
Vide http://decada-afro-onu.org/
As abordagens a seguir vão orientar o processo de acompanhamento do Programa Liderando
desde el Sur:

➢ Direitos Humanos das mulheres.


➢ Feminismo, Perspectiva de Gênero e Empoderamento das Mulheres.
➢ Diversidade e Interseccionalidade.

Serão financiadas propostas de grupos, organizações e consórcios de mulheres que estiverem


localizados e atuando em um ou em mais de um dos 23 países da América Latina e o Caribe
detalhados a seguir.

Por questões operativas e de equilíbrio geográfico, para a seleção de propostas a região da América
Latina e o Caribe será dividida em três sub-regiões:

a) México, América Central e o Caribe: Belize, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, El
Salvador, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá e Suriname.

b) Sub-região Andina: Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

c) Brasil e Cone Sul: Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Paraguai.

Área temática 1: Liderança, voz-agência e participação política das mulheres.

Área temática 2: Justiça econômica para as mulheres.

Área temática 3: Violência contra as mulheres (VCM).

Área temática 4: Justiça ambiental e mudança climática.

Será dada especial atenção a propostas que demonstrarem um forte compromisso para o trabalho
com mulheres e meninas que enfrentam discriminações múltiplas em posições de exclusão
política, econômica, social, cultural e territorial. Isso pode incluir, mas não fica limitado a: mulheres
que vivem em situação de pobreza extrema, agricultoras, indígenas, negras/afrodescendentes,
moradoras de áreas rurais, de áreas urbanas marginalizadas, migrantes, trabalhadoras dos sectores
precarizados (domésticas, costureiras, etc.), portadoras de deficiências, que vivem com VIH / AIDS
e/ou outras doenças sexualmente transmissíveis, defensoras do meio ambiente, lésbicas, bissexuais,
transgênero e intersexuais (LBTI), dirigentes sindicais, jovens, dentre outras.

O FMS fomentará iniciativas lideradas por estes grupos e/ou que incorporarem a participação e as
agendas deles.

Em concordância com o decênio internacional das pessoas afrodescendentes (2015 – 2024),


receberão especial consideração (priorização) aquelas propostas apresentadas por organizações
lideradas por mulheres negras/afrodescendentes.

Sugerimos que as propostas incluam alguma(s) das seguintes estratégias:

Dissenso e resistência, ativismo e mobilização, lobby e advocacy3, prestação de contas,


desenvolvimento de capacidades organizacionais, campanhas de difusão e comunicação,
parcerias estratégicas, geração de conhecimentos e aprendizados, dentre outras.

Para o presente edital foram estabelecidas três categorias de organizações a serem selecionadas:
grandes organizações, organizações intermediárias e consórcio de organizações de base.

Grandes Organizações: As organizações da sociedade civil (OSC) com orçamento anual de


100.000 euros ou mais. Podem se apresentar a título individual ou na modalidade de redes ou
consórcios. No caso das redes e consórcios de organizações, a organização solicitante4 deve dispor
do orçamento anual indicado. Este requisito não se aplica ao resto das organizações integrantes.

Organizações Intermediárias: As organizações da sociedade civil (OSC) com orçamento


anual de 50.000 euros ou mais. Podem se apresentar a título individual ou na modalidade de redes
ou consórcios. No caso das redes e consórcios de organizações, a organização solicitante5 deve
dispor do orçamento anual indicado. Este requisito não se aplica ao resto das organizações
integrantes.

Consórcio de Organizações de Base (COB): As organizações de base poderão se


apresentar em parceria com outras organizações de base. Serão consideradas organizações de
base aqueles grupos ou organizações de mulheres que trabalham diretamente com atores da

3
Lobby e advocacy reúne aquelas propostas que incluírem ações de lobby, influência, incidência, ativismo, defensa e
advocacia perante órgãos do Estado, de todos os níveis, para reclamar pelos direitos das mulheres e pela igualdade de
gênero.
4
A organização solicitante é a principal responsável pela gestão e coordenação do projeto e pelas obrigações contratuais.
5
Op. Cit.
comunidade e usualmente são as primeiras em responder e oferecer apoio em casos de violação de
direitos (defensoras de primeira linha). Esta categoria inclui organizações emergentes, grupos de
base comunitários e grupos de mulheres em organizações ou comunidades mistas que geralmente
têm dificuldades para ter acesso a recursos internacionais ou locais, mas realizam importantes
contribuições para o avanço dos direitos de mulheres e meninas a nível local. Todas as integrantes
do COB devem ter orçamento individual anual de menos de €50.000. A soma do orçamento das
organizações membros do COB deve ser superior a 35.000 euros. A quantidade mínima de
integrantes do consórcio deve ser de 4 organizações de base.

GRANDES INTERMEDIÁRIAS CONSÓRCIO DE


ORGANIZAÇÕES DE
BASE (COB)

Status legal Devem estar registradas Devem estar registradas Só será exigido o
legalmente. legalmente. registro legal da
organização
solicitante.

Caso se trate de Caso se trate de consórcio Se nenhuma


consórcio ou rede, este ou rede, este requisito só integrante do COB
requisito só será exigido será exigido à possuir personalidade
à organização organização solicitante. jurídica, poderá
solicitante. apresentar patrocínio
fiscal6 de uma terceira
organização que
possuir.

Orçamento Deverá ter orçamento Deverá ter orçamento A soma dos


anual7 anual de € 100.000 ou anual de € 50.000 ou orçamentos das
mais. mais. organizações
integrantes do COB
deve ser de mais de €
35.000.

6
Organização patrocinadora fiscal é aquela organização parceira que disponibiliza a sua estrutura (personalidade jurídica e
conta bancária), que fica à disposição do COB. A direção, gestão de recursos financeiros e a implementação do
projeto/iniciativa será responsabilidade exclusiva do consórcio.
7
Para a comprovação deste requisito será levado em conta os orçamentos da organização dos últimos dois anos, 2016 e
2017. Em pelo menos um dos dois deve ter tido um orçamento maior do indicado. A organização deverá apresentar os
balanços/relatórios financeiros que apresentaram ao Estado/agências oficiais.
Caso se trate de redes e Caso se trate de redes e Todas as integrantes
consórcios, só a consórcios, só a do COB devem ter
organização solicitante organização solicitante orçamento individual
deve ter orçamento deve ter orçamento anual anual de menos de €
anual de € 100.000 ou de € 50.000 ou mais. 50.000.
mais.

A organização ou A organização ou Todas as organizações


Liderança e rede/consórcio deve rede/consórcio deve que compõem o COB
composição estar composta e estar composta e devem estar
liderada por liderada por mulheres. compostas e lideradas
mulheres. por mulheres.

- - A quantidade mínima de
integrantes do consórcio
deve ser de 4
organizações de base.

Abrangência Regional ou Regional, sub-regional ou Regional,


Geográfica sub-regional. nacional. sub-regional,
da proposta8 nacional ou local-
comunitário.

Bianual Bianual Bianual


Duração do
Projeto e do
Orçamento
Devem contar com Devem contar com O COB deve ter
Experiência experiência comprovável experiência experiência colaborativa
de pelo menos dois anos comprovável de pelo de pelo menos dois anos
em áreas prioritárias e menos dois anos em nas áreas prioritárias e
com a população alvo do áreas prioritárias e com com a população alvo
a população alvo do deste Programa, ou fazer
presente Programa. presente Programa. aliança ad hoc com um
objetivo estratégico claro.

Até € 130.000 por ano - Até € 60.000 por ano - Até € 45.000 por ano - €
Valor máximo € 260.000 por dois anos. €120.000 por dois anos. 90.000 por dois anos.
do donativo

8
Trabalho regional significa a intervenção entre países de dois ou mais sub-regiões; trabalho sub-regional significa a
intervenção em pelo menos dois ou mais países de uma sub-região e nacional, local ou comunitário é o trabalho dentro das
fronteiras de um país. Considera-se sub-região cada uma das três definidas no ponto sobre abrangência geográfica na página
4 destas bases.
Para todas as categorias, NÃO serão consideradas:

✓ As candidaturas de organizações, redes e movimentos de mulheres que não estiverem


localizados e atuando em um ou mais dos 23 países da América Latina e o Caribe
mencionados anteriormente.

✓ As candidaturas apresentadas por indivíduos sem filiação organizacional.

✓ As candidaturas apresentadas por organizações que foram fundadas por ou são dependentes
estrutural ou economicamente de partidos políticos, organismos governamentais ou
instituições religiosas.

✓ As candidaturas apresentadas por grandes ONGs globais.

✓ As candidaturas que não tiverem como matéria os direitos das mulheres e a igualdade de
gênero, ou que não forem lideradas por mulheres.

✓ As candidaturas orientadas à geração de recursos, prestação de serviços ou


beneficência. Isto inclui microfinanciamento, treinamento vocacional e atenção médica. Por
exemplo: projetos produtivos, micro empreendimentos, microcréditos, empresas, provisão de
atenção médica, dentre outros.

✓ Despesas de infraestrutura, tais como a compra de terrenos, bens, a aquisição de espaço


para escritórios ou a construção ou a reabilitação de prédios ou escritórios já existentes.

✓ Reuniões, encontros, viagens ou participação em eventos de modo isolado (serão


considerados reuniões, encontros, viagens e a participação em eventos que fazem parte
integral de uma proposta mais ampla).

✓ As candidaturas dirigidas a entregar subvenções a terceiros/grantmaking.

✓ As candidaturas apresentadas por organizações parceiras do FMS em algum dos seus


Programas vigentes.

As
organizações que desejarem participar desta Convocatória deverão preencher o Formulário
de Apresentação no LINK e anexar a documentação obrigatória.
O Formulário Eletrônico, depois de fechado, não permite salvar
nova informação. Nesse sentido, é importante preencher o conteúdo do formulário
off-line (o formulário em formato Word está disponível no site do FMS -
www.mujeresdelsur.org). Sugerimos que preencham a sua proposta no arquivo
de Word e depois de reunir a documentação obrigatória, copiem e colem a
informação no Formulário Eletrônico. Apenas os pedidos enviados no
formulário on-line serão considerados. O tempo para carregar a informação
reunida no formulário é de aproximadamente 30 minutos.

Documentação obrigatória:
- Relatórios financeiros certificados/auditados (balanço) aprovados por autoridade local dos
2 últimos períodos fiscais (2016 e 2017). Só se aplica a grandes organizações e
organizações intermediárias (ficam excluídos os Consórcios de Organizações de Base).

- Cópia do documento de registro legal/certificação de personalidade jurídica e estatutos.


Válido para as três categorias de organizações.

O prazo para o envio de propostas começa na segunda-feira 19 de dezembro de


2018 e finaliza na segunda-feira 18 de fevereiro de 2019, às 23h59. (Horário da Argentina).

As candidaturas poderão ser apresentadas em espanhol, inglês e português.


As bases desta convocatória também estão disponíveis em francês para uma maior
cobertura.

Para levar em conta:


✓ Número de propostas por organização solicitante: Só será aceita uma
candidatura por organização. Múltiplas candidaturas de uma mesma organização
serão automaticamente excluídas. A mesma organização não poderá se apresentar
como parte de um consórcio ou rede e, ao mesmo tempo, de forma individual como
grande organização ou organização intermediária.

✓ Organizações parceiras de Liderando desde el Sur do primeiro


ciclo (2017 – 2018): As grandes organizações e organizações intermediárias
selecionadas na primeira convocatória (2017) só poderão participar desta
convocatória, se fizerem parte de novos consórcios, redes e parcerias, que
incorporarem novas organizações integrantes e apresentarem uma organização
solicitante diferente.

✓ Consultas: Aceitam-se perguntas por correio eletrônico ao endereço


liderando@mujeresdelsur.org enviadas até 07 de fevereiro de 2019.
As propostas elegíveis serão avaliadas quanto à qualidade da proposta técnica e segundo a
coerência de sua distribuição orçamentária, resultando 100 a pontuação máxima possível, de acordo
com os critérios de seleção a seguir:

Experiência das organizações 25

Qualidade e pertinência do projeto 60

Pertinência e coerência do orçamento 15

TOTAL 100

A decisão final, além da pontuação, levará em conta os critérios de equilíbrio geográfico e temático, e
a promoção das agendas dos direitos das pessoas de ascendência africana.

No processo de seleção participarão a Equipe Executiva (EE) do Fondo de Mujeres del Sur; o
Conselho Assessor de Liderando desde del Sur, um Comitê de Referentes e a Comissão
Diretiva do FMS, que será responsável pela tomada da decisão final.

Publicação da Convocatória para apresentação de propostas do


19 de dezembro de 2018
programa LFS.

Último dia em que as organizações solicitantes podem fazer


07 de fevereiro de 2019
perguntas e pedir esclarecimentos relacionados com a Convocatória.

Data limite para a enviar as propostas. 18 de fevereiro de 2019

18 de fevereiro a 15 de abril
Avaliação das propostas e Processo de seleção
de 2019

Contato com as organizações selecionadas mediante correio


16 de abril de 2019
eletrônico e/ou ligação.

Assinatura de Termo de Cooperação com as organizações


16 a 30 de abril de 2019
selecionadas. Envio do primeiro donativo.

Implementação dos projetos. A partir de 1º maio de 2019