Você está na página 1de 1

Não entendo homem que defende o uso e a existência de uma coisa desprezível

chamada: CAMISINHA.

Desculpe a sinceridade, mas o homem pra usar aquilo tem que estar muito arruinado,
muito lascado.

Incapaz de conseguir uma mulher confiável e que confie nele, que ele ame e que o ame, lhe
resta usar um pedaço de plástico intransponível para impedir o contato e para separar...

...tudo o que haveria de conexão autêntica e real, de pele e suor, de carne e sangue, que são
as coisas que possibilitam uma verdadeira união e uma possível procriação.

Agora, usar isso dentro do casamento, aí já é abominação. É como dizer pra sua mulher ou
seu homem: "eu te amo, baby, mas não arrisco me contaminar com você". É uma piada
boçal, né nón?

E mesmo numa relação ilícita, não consigo imaginar como a modernidade conseguiu
normalizar nas mentes o uso disso, como conseguem interromper o fluxo do ato para colocar
tamanha vergonha entre as pernas. Isso é uma verdadeira obscenidade.

Uma pessoa humana dificilmente consegue separar sexo de amor e a camisinha é o objeto
que de fato e cabalmente, separa os dois. Um ato sexual por amor sempre arrisca tudo,
sempre é completo, sempre é totalmente, a entrega jamais se restringe.

Não é só por isso que vejo com maus olhos, também é algo que, a meu ver, tira a dignidade
da mulher. O homem pode até não confessar, mas ele não vê com os mesmos olhos uma
mulher que aceita manter relações sem contato íntimo: ela se deixou ser uma peça na
masturbação a dois dele.

É a animalização do ser humano, é um tipo de pornografia ruim e de mal gosto no meio do


século das liberdades sexuais mais amplas e generalizadas. Na Idade Média o povo sabia
aproveitar. No século XXI só sabem fazer imitação caricata e broxa de sexo.

Os homens estão viciados e hipnotizados pelo porn em hdtv e as mulheres estão morrendo
de falta de macho. Uma avó de 80 anos teve 10 filhos, e até hoje conta suas histórias de
sacanagens, enquanto as mocinhas e os rapazes jovens ~transam~ via app.

A realidade é um negócio que as vezes me incomoda tanto que eu não consigo ver isso sem
falar nada. Vocês não sabem o que estão perdendo, jovens. Vocês realmente não sabem.

Homens, larguem o celular e o computador e vão procurar uma mulher de verdade. Pelo
amor de Deus, das poucas que sobraram, façam uma boa escolha e bom romance. Não
aguento mais ouvir chororô de vocês. A situação está ficando apelativa.

As mulheres estão abandonadas. Os homens não querem mais saber delas. Tem site, tem
putaria online, comidinha da mamãe, pra eles tá tudo oks. Que lamento pra vocês, dessa
geração ínfame. Que asco.

Uma relação monogâmica, limpa de químicas, de anticonceptivos e do consumo de soja,


limpa dos aplicativos e estímulos virtuais, sexualmente ativa e disponível para amar e se
apaixonar a cada dia, é o melhor dos mundos, não sejam tolinhos. O bom é casar.

Mônica camatti – aluna do Olavo