Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Instituto de Relações Internacionais (IRI/USP)


Disciplina: História Econômica e Social do Brasil no século XX
Professor Responsável: Felipe Pereira Loureiro (felipeloureiro@usp.br)
Monitor: Rafael Lopez Andreotti (rafael_lopez_a8@hotmail.com)
Período letivo: 1º Semestre de 2016

I. Objetivo

A disciplina tem como objetivo analisar questões que marcaram a história econômica e
social do Brasil entre o início do século XX até o golpe civil-militar de 1964, sem ter a
pretensão de apresentar um panorama exaustivo do período. Entre os temas a serem
abordados, destacam-se as características da economia cafeeira, o auge e declínio do
processo de industrialização substitutiva de importações, o papel do Estado na
promoção do desenvolvimento e as implicações sociais do crescimento econômico.
Esses temas serão discutidos, na medida do possível, dentro de uma perspectiva de
economia política internacional. Pretende-se que os alunos adquiram ao final do curso
uma compreensão não apenas das bases históricas da economia brasileira, mas,
sobretudo, das relações entre as mudanças econômicas ocorridas no Brasil no século
XX e as transformações na ordem econômica mundial.

II. Metodologia

O curso será composto exclusivamente de seminários dirigidos pelo professor, baseados


em leituras orientadas. Haverá um texto obrigatório para cada encontro, que será
discutido coletivamente em sala. Além disso, serão indicados textos complementares,
cuja leitura será opcional.

Enfatiza-se a importância da leitura dos textos obrigatórios, sem a qual o


acompanhamento do curso ficará comprometido. Recomenda-se ainda que os alunos
enviem questões e/ou comentários sobre o texto para o monitor com até 24 horas de
antecedência, a fim de estimular a discussão em sala de aula.

III. Avaliação

A avaliação será composta por duas provas de pesos 4 (quatro) e 6 (seis),


respectivamente. As provas versarão sobre temas discutidos em sala, tendo como foco
os textos obrigatórios do curso. Sua duração será de 3 (três) horas, sendo que nos 40

1
minutos iniciais os alunos poderão consultar material de apoio (textos, anotações, etc.).
A partir de então, as provas ocorrerão sem consulta.

IV. Programa

Aula Tema Texto


25/fev Apresentação -
03/mar Economia cafeeira na 1o República Fausto, 'Expansão do café'
10/mar Padrão-ouro e Funding Loans Abreu, 'Os Funding Loans'
17/mar Origens da industrialização Dean, 'Industrialização de São Paulo'
24/mar Feriado (Semana Santa) -
31/mar Brasil e a crise de 1929 Silber, 'Análise da política econômica'
Anos 1930: a disputa teuto-americana no
07/abr Hilton, Brasil e as grandes potências , cap. 2
Brasil
14/abr Brasil, EUA e a 2o Guerra Mundial Abreu, O Brasil e a economia mundial , cap. 9
21/abr Feriado (Tiradentes) -
28/abr Prova 1 (40%) -
Industrialização Substitutiva de Importações
05/mai Tavares, 'Auge e declínio'
(ISI) no pós-guerra
Planejamento econômico e cooperação
12/mai Malan, 'Relações econômicas'
internacional no Brasil
A crise do início dos anos 1960 e o fim da
19/mai Wallerstein, 'The Collapse''
república do pós-guerra
26/mai Feriado (Corpus Christi) -
Movimento operário brasileiro no pós-
02/jun Weffort, Populismo, cap.1
guerra (I)
Movimento operário brasileiro no pós-
09/jun Ferreira, Populismo e sua história, cap.2
guerra (II)
Relações econômicas internacionais do
16/jun Almeida, 'Relações econômicas internacionais'
Brasil: visões de longo prazo
23/jun Prova 2 (60%) -
30/jun Entrega das notas e balanço do curso -

VI. Bibliografia: apoio e seminários

ABREU, Marcelo de Paiva. O Brasil e a economia mundial (1930-1945). Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 1999.
ABREU, Marcelo de Paiva. “Os Funding Loans brasileiros (1898-1931). Pesquisa e Planejamento
Econômico, 32 (3), dez. 2002, pp. 515-40.
ALMEIDA, Paulo Roberto. “As relações econômicas internacionais do Brasil dos anos 1950 aos 1980”.
Revista Brasileira de Política Internacional, 50 (2), 2007, pp. 60-79.
DEAN, Warren. A industrialização de São Paulo, 1880-1945. 4º edição. Difel, São Paulo, 1991.
FAUSTO, Boris. “Expansão do café e política cafeeira”, in Boris Fausto (ed.). História geral da
civilização brasileira (HGCB). São Paulo: Bertrand, 1997, tomo III, vol. 1.

2
FERREIRA, Jorge. O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,
2001.
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 27º edição. Cia Editora Nacional, São Paulo, 2000.
HILTON, Stanley. Brasil e as grandes potências, 1930-1939: os aspectos políticos da rivalidade
comercial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.
MALAN, Pedro. “Relações econômicas internacionais do Brasil (1945-1964)”, in Boris Fausto (ed.).
História geral da civilização brasileira (HGCB). 3a. ed., São Paulo: Difel, 1986, tomo III, vol. 4.
SILBER, Simão. “Análise da política econômica e do comportamento da economia brasileira no período
1929-1939”. In: Flávio R. Versiani e José Roberto Mendonça de Barros. (orgs). Formação Econômica do
Brasil. A Experiência da Industrialização. São Paulo: Saraiva, 1977.
TAVARES, Maria da Conceição. “Auge e declínio do processo de substituição de importações no
Brasil”, in Maria da Conceição Tavares. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro. Rio
de Janeiro, Zahar, 1972.
WALLERSTEIN, Michael. “The Collapse of Democracy in Brazil. Its Economic Determinants”. Latin
American Reserach Review, 15 (3), 1980, pp. 3-40.
WEFFORT, Francisco. O populismo na política brasileira. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

VII. Bibliografia complementar

AGUIRRE, Basilia e SADDI, Fabiana. “Uma alternativa de interpretação do II PND”. Revista de


Economia Política. 17 (4), outubro/novembro, 1997, pp. 78-98.
AURELIANO, Liana. No limiar da industrialização. Brasiliense, São Paulo, 1981.
BAER, Werner. “Import Substitution and Industrialization in Latin America: experiences and
interpretations”. Latin American Research Review. 7 (1), pp. 95-122, 1972.
BAER, Werner. A industrialização e o desenvolvimento econômico do Brasil. 6o edição. FGV, Rio de
Janeiro, 1985.
BAER, Werner and KERSTENETZKY, Isaac. “Import substitution and industrialization in Brazil”.
American Economic Review. 54 (3), May 1964, pp. 411-425.
BANDEIRA Jr., Antônio. A indústria no estado de São Paulo em 1901. Tipografia do Diário Oficial, São
Paulo, 1901.
BETHELL, Leslie. The Cambridge History of Latin America. Brazil since 1930. Volume IX. Cambridge
University Press, New York, 2008.
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos e NAKANO, Yoshiaki. “Inflação, desequilíbrio externo e salários”.
Revista de Economia Política. 1 (4), outubro/dezembro, 1981, pp. 116-126.
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos e NAKANO, Yoshiaki. “Fatores aceleradores, mantenedores e
sancionadores da inflação”. Revista de Economia Política. 4(1), janeiro/março, 1984, pp. 5-21.
BROADBERRY, Stephen e O’ROURKE, Kevin. The Cambridge Economic History of Modern Europe.
1870 to Present. Vol. 2. Cambridge University Press, Cambridge, 2010.
BRUTON, Henry. “A Reconsideration of Import Substitution”. Journal of Economic Literature. 36, June,
1998, pp. 903-936.
BUENO, Newton. “A Revolução de 1930: uma sugestão de interpretação baseada na Nova Economia
Institucional”. Estudos Econômicos. 37 (2), abril/junho, 2007, pp. 435-455.
CANO, Wilson. Raízes da concentração industrial em São Paulo. 3º edição. Instituto de
Economia/Unicamp, Campinas, 1998.
CARDOSO, Eliana. “Da inércia à megainflação: o Brasil nos anos 80”. Pesquisa e Planejamento
Econômico. 21 (1), abril, 1991, pp. 129-160.
CARONE, Edgard. A República Velha. Instituições e classes sociais. Difel, São Paulo, 1970.
CARONE, Edgard. A República Liberal (1945-1964). Difel, São Paulo, 1985.
CARVALHO, Carlos. “As origens e a gênese do Plano Collor”. Nova Economia. 16(1), jan.-abr. 2006,
pp. 101-34.
COLISTETE, Renato. “Trade Unions and the ICFTU in the Age of Developmentalism in Brazil, 1953-
1962“. Hispanic American Historical Review. Vol. 92, no. 4, November 2012.

3
COLISTETE, Renato. “Revisiting Import-Substituting Industrialization in Brazil”. MPRA Papers, 2010.
COLISTETE, Renato. “Salários, produtividade e lucros na indústria brasileira, 1945-1979”. Revista de
Economia Política, 29 (4), outubro/dezembro, 2009, pp. 386-405.
COLISTETE, Renato. Labour relations and industrial performance in Brazil: Greater São Paulo, 1945-
1960. Macmillan Palgrave, Hampshire, 2001.
COSTA, Emília Viott. Da senzala à colônia. 4ª Edição. Unesp, São Paulo, 1997.
COUTINHO, Luciano e BELLUZZO, Luis Gonzaga. “Política econômica, inflexões e crise: 1974-1981”,
in Luis G. Belluzzo e Renata Coutinho (orgs). Desenvolvimento capitalista no Brasil. Ensaios sobre a
crise. São Paulo: Brasiliense, 1982, vol. 1.
CRUZ, Paulo Davidoff. “Notas sobre o endividamento externo brasileiro nos anos setenta”. In: Luis G.
Belluzzo e Renata Coutinho (orgs). Desenvolvimento capitalista no Brasil. Ensaios sobre a crise. Vol. 2.
Brasiliense, São Paulo, 1983.
DEAN, Warren. Rio Claro. Um sistema brasileiro de grande lavoura. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1977.
DELFIM NETTO, Antonio. O problema do café no Brasil. FGV, Rio de Janeiro, 1979.
FAUSTO, Boris. A Revolução de 1930. 10º edição. Brasiliense, São Paulo, 1986.
FAUSTO, Boris. “Expansão do café e política cafeeira”. In: Boris Fausto (ed.). História geral da
civilização brasileira. São Paulo: Bertrand, 1997, tomo III, vol. 1.
FISHLOW, Albert. “Origens e consequências da substituição de importações no Brasil”. Estudos
Econômicos. 2 (6), dezembro, 1972, pp. 7-75.
FISHLOW, Albert. “Algumas reflexões sobre a política econômica brasileira após 1964”. Estudos
Cebrapp. 7, janeiro/março, 1974.
FISHLOW, Albert. “A dívida externa latino-americana: um caso de desenvolvimento com incerteza”.
Pesquisa e Planejamento Econômico. 11 (2), agosto, 1981, pp. 283-322.
FISHLOW, Albert. “A economia política do ajustamento brasileiro aos choques do petróleo: uma nota
sobre o período 1974/84”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 16 (3), dezembro, 1986, pp. 507-550.
FONSECA, Pedro Cézar Dutra. “Legitimidade e credibilidade: impasses da política econômica do
governo Goulart”. Estudos Econômicos. 4 (3), julho-setembro, 2004, pp. 587-622.
FONSECA, Pedro Cézar Dutra. “Sobre a intencionalidade da política econômica industrializante do
Brasil na década de 1930”. Revista de Economia Política. 23 (1), janeiro-março, 2003, pp. 133-48.
FONT, Maurício. “Coffee planters, politics, and development in Brazil”. Latin American Research
Review. 22(3), 1987, pp. 69-90.
FRENCH, John. “The origin of corporatist state intervention in Brazilian industrial relations, 1930-1934:
a critique of the literature”. Luso-Brazilian Review. 28 (2), Winter 1991, pp. 13-26.
FRIEDEN, Jeffrey. “The Brazilian borrowing experience: from Miracle to debacle and back”. Latin
American Research Review. 22 (1), 1987, pp. 95-131.
FRITSCH, Winston. “Apogeu e crise na Primeira República: 1900-1930”, in Marcelo de Paiva Abreu
(org.). A ordem do progresso. Cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro:
Campus, 1990.
GOMES, Ângela Maria de Castro. A invenção do trabalhismo. Vértice, Rio de Janeiro, 1994.
GOMES, Ângela Maria de Castro. “O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória
de um conceito”. Tempo. 1 (2), 1996, pp. 31-58.
GREMAUD, Amaury e PIRES, Julio. “II Plano Nacional de Desenvolvimento - II PND (1975-1979)”, in
Anita Kon (org.). Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999.
HANLEY, Anne. “A Bolsa de Valores e o financiamento de empresas em São Paulo, 1886-1917”.
História Econômica & História de Empresas. 4 (2), 2001, pp. 115-142.
HABER, Stephen. “Lucratividade industrial e a Grande Depressão no Brasil: evidências da indústria têxtil
de algodão”. Estudos Econômicos. 21 (2), maio/setembro 1991, pp. 241-270.
HARDMAN, Francisco Foot e LEONARDI, Victor. História da indústria e do trabalho no Brasil. Global
Editora, São Paulo, 1982.
HERMANN, Jennifer. “Auge e declínio do modelo de crescimento com endividamento: o II PND e a
crise da dívida externa (1974-1984)”, in Fábio Giambiagi e André Villela (orgs). Economia brasileira
contemporânea. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

4
HILTON, Stanley. “Vargas and Brazilian Economic Development, 1930-1945: A reappraisal of his
attitude toward industrialization and planning”. Journal of Economic History. 35 (4), December, 1975,
pp. 754-778.
HIRSHMAN, Albert. “The Political Economy of Import-Substituting Industrialization in Latin America”.
Quarterly Journal of Economics. 82 (1), February, 1968, pp. 1-32.
KNIGHT, Alan. “Populism and Neo-Populism in Latin America, Especially Mexico”. In: Journal of
Latin American Studies, 30, 1998, pp. 223-48.
LANGONI, Carlos. “Distribuição da renda e desenvolvimento econômico do Brasil”. Estudos
Econômicos. 2 (5), outubro, 1972, pp. 5-88.
LEACOCK, Ruth. “JFK, business, and Brazil”. The Hispanic American Historical Review. 59 (4),
November 1979, pp. 636-673.
LEFF, Nathaniel. “Import Constraints and Development: causes of the recent decline of Brazilian
economic growth”. Review of Economics and Statistics. 49 (4), November, 1976, pp. 494-501.
LEFF, Nathaniel. “Export stagnation and autarkic development in Brazil, 1947-1962”. Quarterly Journal
of Economics. 81 (2), May 1967a, pp. 286-301.
LEFF, Nathaniel. “Import constraints and development: causes of the recent decline of Brazilian
economic growth”. Review of Economics and Statistics. 49 (4), November 1967b, pp. 494-501.
LESSA, Carlos. Quinze anos de política econômica. 3º edição. Brasiliense, São Paulo, 1982.
LESSA, Carlos e FIORI, José Luis. “E houve uma política econômica nacional-populista?”. Textos para
Discussão. IEI-UFRJ, no. 251, janeiro 1991.
LOPES, Francisco. Choque heterodoxo. Combate à inflação e reforma monetária. Campus, Rio de
Janeiro, 1986.
LOUREIRO, Felipe. “O Plano Trienal no contexto das relações entre Brasil e Estados Unidos”, Revista
de Economia Política, 33 (4), 2013, pp. 671-91.
LOUREIRO, Felipe “The Alliance For or Against Progress? US–Brazilian Financial Relations in the
Early 1960s.” Journal of Latin American Studies 46 (02), 2014, p. 323–51.
LOUREIRO, Felipe. “Strikes in Brazil during the Government of João Goulart”. Canadian Journal of
Latin American and Caribbean Studies, 41 (1), 2016.
LOVE, Joseph. A Locomotiva. São Paulo na federação brasileira, 1889-1937. Paz e Terra, São Paulo,
1982.
MACARINI, José Pedro. “A política econômica do governo Médici, 1970-1973”. Nova Economia. 15
(3), setembro, 2005, pp. 53-92.
MACARINI, José Pedro. “A política econômica do governo Costa e Silva, 1967-1969”. Revista de
Economia Contemporânea. 10 (3), setembro/dezembro, 2006, pp. 453-489.
MACARIO, Santiago. “Protectionism and Industrialization in Latin America”. Economic Bulletin for
Latin America. 9, 1964, pp. 61-101.
MALAN, Pedro et alli. Política econômica externa e industrialização no Brasil, 1939-52. 2º edição.
IPEA, Rio de Janeiro, 1980.
MARQUES, Maria Silvia. “O Plano Cruzado: teoria e prática”. Revista de Economia Política. 8 (3),
1988, pp. 101-30.
MARTINS, José de Souza. Empresário e empresa na biografia do Conde Matarazzo. Instituto de
Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1967.
MATTOON, Robert M. “Railroads, coffee, and the growth of big business in São Paulo, Brazil”.
Hispanic American Historical Review. 7 (2), May 1977, pp. 273-295.
MELLO, João Manuel Cardoso de. O capitalismo tardio. Contribuição à revisão crítica da formação e
do desenvolvimento da economia brasileira. 3º edição. Brasiliense, São Paulo, 1984.
MESQUITA, Mário. 1961-1964: a política econômica sob Quadros e Goulart. Tese de mestrado, PUC-
RJ, Rio de Janeiro, 1992.
MODIANO, Eduardo. “A ópera dos três Cruzados: 1985-1989”, in Marcelo de Paiva Abreu (org.). A
ordem do progresso. Cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus,
1990.
MOLLO, Maria de Lourdes e SAAD FILHO, Alfredo. “Reconhecimento social da moeda: observações
sobre a inflação e a estabilização de preços no Brasil”. Revista de Economia Política. 21 (2), abril/junho
2001, pp. 24-42.

5
PELÁEZ, Carlos Manuel. “Análise econômica do programa brasileiro de sustentação do café”. Revista
Brasileira de Economia, 25 (4), out./dez. 1971, pp. 5-212.
PELÁEZ, Carlos Manuel. História da industrialização brasileira. Crítica à teoria estruturalista no
Brasil. APEC Editora, Rio de Janeiro, 1972.
PEREIRA, José Eduardo C. Financiamento externo e crescimento econômico no Brasil: 1966-1973. Rio
de Janeiro: IPEA/INPES, 1974.
PERISSINOTTO, Renato. “Estado, capital cafeeiro e política tributária na economia paulista exportadora,
1889-1930”. Latin American Research Review. 36 (1), 2001, pp. 151-170.
PINHEIRO, Armando e ALMEIDA, Guilherme. “O que mudou na proteção à indústria brasileira nos
últimos 45 anos?”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 25 (1), abril 1995, pp. 199-222.
PRADO Jr., Caio. História econômica do Brasil. 46º edição. Brasiliense, São Paulo, 2004.
RESENDE, André Lara. “A política brasileira de estabilização, 1963-1968”. Pesquisa e Planejamento
Econômico. 12 (3), dezembro, 1982, pp. 757-806.
RIBEIRO, Maria Alice Rosa. Condições de trabalho na indústria têxtil paulista, 1870-1930. Editora da
Unicamp/Hucitec, São Paulo, 1988.
ROSSI Jr., José e FERREIRA, Pedro Cavalcanti. “Evolução da produtividade industrial e abertura
comercial”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 29 (1), abril 1999, pp. 1-36.
SAES, Flávio Azevedo Marques de. Crédito e bancos no desenvolvimento da economia paulista: 1850-
1930. IPE-USP, São Paulo, 1986.
SAES, Flávio Azevedo Marques de. “Estradas de ferro e diversificação da atividade econômica na
expansão cafeeira em São Paulo, 1870-1900”, In: Tamás Szmrecsányi (org.). História econômica da
Independência e do Império. Hucitec, São Paulo, 1996.
SALM, Claudio; SABÓIA, João e CARVALHO, Paulo. “Produtividade na indústria brasileira: questões
metodológicas e novas evidências empíricas”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 27 (2), agosto 1997,
pp. 377-396.
SIMONSEN, Roberto. Evolução industrial do Brasil e outros estudos. Cia. Editora Nacional, São Paulo,
1973.
SIMONSEN, Roberto. História econômica do Brasil (1500-1820). 8º edição. Cia. Editora Nacional, São
Paulo, 1978.
SILBER, Simão. “Análise da política econômica e do comportamento da economia brasileira durante o
período 1929-1939”, in Flávio R. Versiani e José Roberto Mendonça de Barros (orgs). Formação
econômica do Brasil. A experiência da industrialização. São Paulo: Saraiva, 1978.
SILVA, Mariene. “Política industrial e interesses industriais: o II PND (1974-1979)”. In: Anais do V
Congresso Brasileiro de História Econômica, setembro, 2003.
SILVA, Sérgio. Expansão cafeeira e origens da indústria no Brasil. Alfa-Ômega, São Paulo, 1976.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Getúlio a Castelo. 7º edição. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1982.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo. 7º edição. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 2000.
SODRÉ, Nelson Werneck. História da burguesia brasileira. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1964.
STEIN, Stanley. Origens e evolução da indústria têxtil no Brasil – 1850/1950. Campus, Rio de Janeiro,
1979.
THORP, Rosemary. “A reappraisal of the origins of import-substituting industrialization, 1930-1950”.
Journal of Latin American Studies. 24, 1992, pp. 181-195.
VERSIANI, Flávio e VERSIANI, Maria Teresa. “A industrialização brasileira antes de 1930: uma
contribuição”. In Flávio Versiani e José Mendonça de Barros (orgs). Formação econômica do Brasil. A
experiência da industrialização. Saraiva, São Paulo, 1978.
VERSIANI, Flávio R. “Imigrantes, trabalho qualificado e industrialização: Rio e São Paulo no início do
século”. Revista de Economia Política. 13 (4), outubro/dezembro 1993, pp. 77-96.
VILLELA, Aníbal e SUZIGAN, Wilson. Política de governo e crescimento da economia brasileira
(1889-1945). IPEA/INPES, Rio de Janeiro, 1973.
VILLELA, André. “Tarifas de importação e câmbio na gênese da indústria brasileira, 1901-1928”.
História Econômica & História de Empresas. 3 (2), 2000, pp. 27-46.