Você está na página 1de 28

O Arco de Metahistoria :

A Natureza Sagrada
Quaisquer que sejam as origens da humanidade , em termos cósmicos , a sua fonte imediata
é a natureza, o habitat fornecido por Gaia, o planeta vivo. Todas as tradições pré-históricas
ao redor do mundo refletem a crença de que o mundo natural anda lado a lado com o poder
mágico e espiritual variavelmente chamado mana, wakonda , Dema, Deva e muitos outros
nomes. Todas estas palavras indicam a presença do sagrado na esfera dos sentidos , e não
em algum reino remoto além do alcance humano . Quase universalmente, essa presença foi
imaginada sob a forma de uma deusa , e não um Deus.

No início houve Isis , Hathor. Ela era a deusa da qual todo mundo surgiu. Ela era a Grande
Dama , senhora das Duas Terras do Egito, Senhora do Céu, dona da casa da Vida, Senhora
do Verbo Divino . Ela foi a única . Em todas as suas obras grandes e maravilhosas. Ela era
sábia e um mago mais excelente do que qualquer Deus.

- Texto sagrado de Tebas , 14C aC , no Egito.

Sagrado vem da raiz sânscrita sak -, " a poderosa " . O que sustenta algo precisa ser mais
poderoso do que ele suporta. Assim, a natureza, o que sustenta a vida , é mais poderosa que
a humanidade, mas que é uma espécie de tecido na teia da natureza. Se Deus cria a
Natureza ou a própria Natureza é Deus, a fonte misteriosa da vida é sagrada e todas as
formas de vida que participam de sacralidade.

A certeza de que a natureza é sagrada, é o ponto de partida para todas as formas de


espiritualidade humana , e por isso representa a pedra angular do arco de meta-história . Se
o arco é imaginado como uma ponte, a Natureza Sagrada é o pé que tem que ser erguido na
margem do rio a partir do qual passamos. A vida prossegue com a Natureza e toda a
atividade humana está fundamentada no habitat de Gaia . Todas as histórias e scripts que
codificam as crenças sobre nossa relação com a natureza refletem o tema principal.

Na vida religiosa da humanidade, Deus aparece pela primeira vez na Natureza. Só mais
tarde é que Deus se afasta e paira no exterior, como o criador desencarnado do mundo
natural. A religião se origina no " culto à natureza " A Divina assim é reconhecida ser
sempre feminina: portanto, Gaia é uma deusa , e não um deus. Muito antes das religiões
institucionalizadas surgirem , a Deusa da Natureza era o Ser Supremo. Entre os gnósticos ,
ela foi entendida como Sophia, a divindade da Natureza. Sophia significa " sabedoria ",
sublinhando a consciência universal que a natureza está viva e inteligente, sábia em seus
caminhos . Gaia -Sophia , onisciente Mãe Natureza, aparece de várias formas em diversos
mitos e lendas. A Natureza Sagrada e a Deusa são, portanto, idênticas. As culturas
indígenas constantemente afirmaram que tudo o que sabem sobre como viver vem de uma
comunicação direta com a Deusa . Essas histórias dizem: todos os nascimentos vêm da
Deusa , a Deusa sustenta tudo, a Deusa sabe tudo.
" Animismo " é o nome dado pelos antropólogos para a experiência (ou, se quiserem, a
crença ) que toda a natureza está viva e animada. A Deusa equiparada com a Natureza
Sagrada foi incorporada em uma miríade de formas e disfarces adorado em seu manifesto ,
como árvores . (Clay impressão, Indus Valley, c. 2000 aC)

Navigator para Psychonautics

Teocracia e Theogamia

Todas as raças nasceram de uma única matriz genética na Natureza Sagrada. A Eva bíblica
tem milhares de contrapartes em outras culturas , cada uma delas uma versão legítima da
Mãe Grande. Esta noção mitológica emergiu recentemente na teoria científica , que agora
fala de " Eva mitocondrial ", a mãe genética da espécie humana inteira. Ela é a matriz
biológica do código do DNA para toda a humanidade. As antigas histórias raciais , como a
história da dinastia dos egípcios conferem identidade ao povo pela descida da Deusa- Mãe
primordial conhecida por vários nomes : Nut, Mut, Neith, Hathor, Isis. Na religião egípcia a
continuidade das linhas de sangue da família real ( faraós ), foi constantemente renovado
pela Deusa Hathor . Histórias que afirmam que a Deusa confere autoridade sobre aqueles
que irão orientar a sociedade é uma das fórmulas mais antigas da civilização. Teocracia é
habitualmente definido por historiadores como " regência da sociedade humana, os deuses
ou seus descendentes , mas esta definição é enganosa , porque ignora o papel central da
Deusa na seleção e capacitação do rei que reinará sobre a civilização. Uma questão
extremamente problemática na natureza meta-história , a realeza sagrada linka para a
Origem Sagrada, de forma crucial.

Muitas histórias traçam as origens ancestrais de uma corrida para o acoplamento de uma
deusa e um progenitor humano, um herói. Assim, o herói troiano Eneias é filho de um outro
herói , Anquises , que acasalou com a deusa Afrodite. Tecnicamente , a relação divino-
humano é chamado theogamia: acasalamento com o deus. As histórias de theogamia
precedem as histórias de teocracia, em que todas as antigas nações civilizadas foram
originalmente criados . O mito da theogamia é prevalente em muitas culturas indígenas e
isso foi muito evidente nas religiões pagãs , mas o assunto associado com este tema
(incluindo as práticas controversas da prostituição no templo sagrado e da sexualidade )
passou a ser proibido e diabolizado quando a ética torta judaico-cristã passou a uma posição
dominante.

A Guerra de Tróia em 1200 aC, mas mais de 2000 anos mais tarde, cartas escritas para as
famílias reais da Europa já Enéias como seu ancestral racial nacional. Para este dia, muitas
famílias da nobreza européia ainda traçar suas linhas ancestrais de volta para as figuras
mitológicas . No Japão, o Imperador era visto como o "Filho do Céu ", um ser humano, de
ascendência divina, até o último imperador , Hirohito , foi forçado a renunciar a esta
afirmação no final da Segunda Guerra Mundial . Entre os povos indígenas, as diversas
tribos e nações são todos filhos da Grande Mãe . Os antigos celtas consideravam-se o
Tuatha de Danaan, "Crianças de Dana ", a Deusa Mãe primordial que deu seu nome ao rio
Danúbio.

Os scripts de dizer: A Deusa Mãe produz heróis e heróis encontrado corridas , por isso ela é
a mãe comum de todas as raças.

Humanidade acima da natureza

Quando as histórias raciais nacionais tornam-se explicitamente sexuais , os heróis nacionais


do sexo masculino , ou " pais fundadores ", tornam-se mais importantes do que a Deusa que
era a mãe deles. Embora o papel da natureza sagrada da Deusa pode ser minimizada , a
Deusa está sempre presente no fundo. Nas sociedades indígenas a identidade tribal baseia-
se na descendência matrilinear , muitas vezes sob a forma de identificação com mágicas
ancestrais totêmicas (plantas, animais , ou seja , as forças sagradas da natureza ). Estas
ligações ancestrais estão rigorosamente preservadas ao longo dos milênios. O amplo
espectro de grupos tribais de todo o mundo compartilham uma reverência universal para
outras espécies na natureza e reconhecem os poderes espirituais em animais como o leão , a
águia , o urso ou o jaguar. O vínculo entre as espécies foi rompida profundamente na
religião judaico-cristã que fez a humanidade superior a todas as outras criaturas. A história
da dominância do Homem é contada no Gênesis , onde o deus criador , o Senhor, dá o seu
domínio sobre todas as criaturas da Terra a descendência de Adão.

Essa mudança produziu o que os estudiosos chamam a dessacralização da natureza. O


conto diz : a humanidade aparece no mundo natural , mas é superior a ela. A ligação vital
entre a humanidade e a natureza sagrada passa a ter um vínculo entre a humanidade e
devoção a Deus Criador, fora e acima da natureza . No curso da história humana , o tema
principal que era a Natureza Sagrada sofreu uma enorme mudança com a dominação do
homem sobre ela. As conseqüências dessa mudança monumental emergiu como um eterno
conflito entre os povos.

Devido a um antagonismo aparentemente inato entre os sexos (que não só explica o mito )
as histórias muitas vezes se misturam nesses dois temas principais . Na Bíblia a Deusa é o
agitador que faz com que Adão e Eva sejam jogados para fora do Éden , isto é, alienados da
Natureza Sagrada . Este história é bastante sinuosa, porque torna a mulher , a
personificação da natureza, a causa de uma ruptura com o mundo natural. Na versão
gnóstica do Outono , a serpente sinuosa , que tenta Eva que é proibida de adquirir
conhecimento é apresentado como um benfeitor e não um intruso mal. A versão gnóstica da
Caída da Humanidade é um raro exemplo de uma inversão direta e deliberada de uma outra
história mais antiga. (Leitura básica: Os Evangelhos Gnósticos.)

A maioria dos contos antigos sobre o tema da Natureza Sagrada dão superioridade ao
feminino , mas alguns textos religiosos foram compostos com a intenção de eliminar o
componente feminino da Divindade . A Deusa hebraica Ḥokmah , idêntica às deusas
pagãs , como Astarte, Asteroth e Elate, era originalmente a esposa e co- igual de Jeová. Até
o momento a maior parte do Torah (Antigo Testamento ), os textos foram escritos, algumas
centenas de anos aC , seu papel na vida religiosa dos antigos hebreus foi praticamente
apagada. O objetivo desta mudança foi para endossar a autoridade patriarcal e promover o
monoteísmo. Os estudiosos têm trabalhado arduamente para compreender o real papel
desempenhado por deusas pagãs na cultura hebraica antiga. ( Este esforço tem sido
chamada de " recuperação da Deusa ")

Dentro de religião baseada na Deusa, um vasto espectro de divindades, masculinas e


femininas, compreenderam a dimensão do sagrado do mundo natural. A Imposição da
crença monoteísta andava de mãos dadas com a repressão da Deusa. Durante um período de
centenas de anos, o declínio gradual da consciência e da crença no poder da Natureza
Sagrada ( dessacralização ) preparou o caminho para a crença monoteísta em uma
divindade onipotente remota.

A natureza se consolida

As antigas crenças religiosas falam de histórias onde a Mãe Terra é descrita como a mãe de
todas as criaturas vivas , todas as espécies. Este ponto de vista da terra implica uma
capacidade humana inata para sentir reverência para com o habitat natural - um sentimento
recuperado parcialmente pelo movimento ambiental. Exceto no caso das culturas nativas
indígenas, a reverência para a terra como mãe tem sido largamente desviada para o reino
humano. (O termo " espírito nativo "denota as perspectivas dos povos indígenas que vêem
seus valores refletidos no habitat do qual eles são nativos. É intercambiável com
indígenas. ) Em muitas famílias, a mãe ainda é uma matriarca e simboliza a misteriosa
fonte da vida que sustenta toda a família , apesar de seu papel e influência ela pode ser
incapacitante para o crescimento psicológico dos membros de cada família. Da mesma
forma , a ligação à Natureza Sagrada pode se tornar patológica e se degenerar em
superstições cegas e jogos de poder sinistro. Os tabus em torno do incesto e da menstruação
indicam como a humanidade pode escorregar para fora da harmonia com a natureza em
obsessão temível.

Incesto pertence ao mitema da Sagrada natureza , pois representa o risco de ligação da


família humana à Deusa Mãe de uma forma doentia e regressiva. A preocupação com o
incesto está presente nas mitologias mais antigas e tribais, com os tabus para impedir que
ele se torne demasiado esmagadora. No antigo culto de Cibele sacerdotes castravam-se em
honra a Deusa. Esta prática lembra um padrão religioso-sexual-familiar de grande interesse
na psicologia moderna , que está cheia de casos de homens que são emocionalmente
castrados. O paralelo é estranho, porque parece que o homem moderno é castrado , devido à
falta de uma ligação vital com a Natureza Sagrada , enquanto que a castração do antigo
culto era simbólico para se dedicar à sua personificação feminina, a Deusa.

Os sacerdotes católicos , que renunciaram ao sexo , estão simbolicamente imitando os


devotos de Cibele (daí vem o nome celibato) , mas o fazem na dedicação a um deus pai do
sexo masculino , e não uma deusa. O motivo da castração é constante , embora a sua
aplicação varia conforme a história.

As histórias religiosas , familiares que seguem o modelo patriarcal representam o pai como
a divindade suprema da família , um juiz severo que premia os seus filhos somente quando
eles seguem suas regras, e pune severamente quando eles não o fazem. O roteiro religioso,
"Deus dá as ordens ", se traduz facilmente para o script familiar , "o pai sabe melhor "
como pai, a divindade masculina representa uma autoridade para além da natureza , esta
história de conflitos com o que diz, "mãe" (natureza) alimenta todos .

Nas sociedades indígenas , a família permanece intimamente relacionada com a natureza


como fonte de sobrevivência. Esta dependência gera um conjunto de normas em que os
padrões familiares interativos não consomem os membros da família, ou obscurece os
vínculo primordiais de cada membro com o mundo natural. A identidade do grupo familiar
e as pessoas dentro dela são refletidas em harmonia com a natureza ativa - em participação,
Para citar o termo-chave antropológica para este relacionamento. Na vida moderna de uma
família dedicada à conservação e à exploração da natureza estaria agindo para restaurar o
vínculo primordial. Esta família operaria a partir de normas que dizem " a natureza fornece
inspiração "e" natureza une a humanidade ".

Leitura sugerida : Sacred Natureza

Blackfoot Física por F. David Peat compara vista indígena sobre a Natureza com os ideais e
pressupostos da ciência moderna.

InannaPor Diana Wolkstein e Samuel Noah Kramer se recupera em linguagem erótica viva
a mística da Deusa central para todos os pagãos e sociedades indígenas.

Vozes do primeiro dia por Robert Lawlor apresenta uma avaliação profunda e de longo
alcance da visão de mundo dos aborígines australianos, herdeiros de uma tradição de 40 mil
anos cultural em que todos os aspectos da experiência espiritual e prática são baseadas em
simbiose com a natureza sagrada .

Oposição
Tanto o mito e a ciência parecem concordar sobre uma ontologia em que o universo é
catastroficamente transformador , a partir da supernova da estrela binária com a extinção do
Cretáceo. Se a ciência está nos dizendo a verdade, o mito não estava mentindo para nós
sobre a guerra no céu.
- William Irwin Thompson , Imaginary Landscape
Para criar a sociedade no estabelecimento de um habitat natural levanta muitas questões
complexas a respeito de como as necessidades humanas podem entrar em conflito com o
ambiente ou para harmonizar com ele. Histórias de um estado paradisíaco original ou Idade
Dourada pode ser mais do que meras fantasias sobre o misterioso passado da humanidade.
Esses mitos codificam a crença de que a humanidade viveu sem conflito, quando ela estava
totalmente imersa na ligação com a Natureza Sagrada. (Leitura básica: Memórias e Visões
do Paraíso)

Quando ele se afasta da ligação , tudo muda.

No arco de meta-história , o lado esquerdo representa a longa passagem de raízes


evolucionárias na pré-história das origens gravadas da civilização. Muito antes de a
primeira evidência de origens históricas - por exemplo , os primeiros vestígios da primeira
dinastia , no Egito, datado de cerca de 3400 aC - a espécie humana tivesse se empenhado
em definir -se como distinto da natureza , formando colônias e sociedades , a introdução da
cultura. A "luta pela sobrevivência "envolve conflito com a natureza, mas a socialização
introduz outros tipos de conflitos. As complexidades da partilha do poder e da
diferenciação dos indivíduos de acordo com as suas capacidades presentes muitas ocasiões
de conflito e confusão. A necessidade de liderança em qualquer ordem social introduz a
possibilidade de um conflito sobre quem vai assumir esse papel. Conflitos que surgem no
seio da sociedade são inicialmente avaliados e resolvidos por tentativa e erro , mas aos
poucos uma sensação de ordem emerge , regras e normas de comportamento são
estabelecidas, ea sociedade torna-se (idealmente) um organismo de auto-regulação . Esta
evolução reflete o tema da Moral Design , cuja posição em todo o arco é complementar
Eternal Conflict.

Eterno conflito pode ser inerente ao cosmos como um todo , mas é endêmico à natureza
humana ?

A origem do comportamento violento e destrutivo da espécie humana tem sido amplamente


debatido ao longo dos tempos . O renegado psicólogo Wilhelm Reich ( Leitura sugerida )
propôs uma teoria que tem sido promovida recentemente por James DeMeo . De acordo
com Reich, " couraça de caráter "é uma forma de comportamento bloqueados que inverte a
força de vida ( que ele chamou de orgone), Produzindo uma movimentação em direção à
morte e destruição. DeMeo atributos blindagem para o stress traumático que ocorreu no
Velho Mundo, por volta de 4000 aC, devido às mudanças severas no clima. Sua teoria é
amplamente argumentado em Saharasia, Um pedido histórico da teoria reichiana , que
abrange seis milênios da experiência humana. Como Reich, DeMeo refuta o argumento de
que a violência é um erro trágico inata do homo sapiens. Na sua opinião, trauma climáticas
e a perda territorial são suficientes para provocar um conflito intra-humano em larga
escala . [Veja www.orgonelab.org]

Durante anos , os historiadores assumiram que a guerra foi o principal motivo por trás da
civilização, mas descobertas recentes na cidade "mãe" de Caral , no Peru contestaram essa
teoria. ( SIDEBAR em Caral ). Sabemos muito pouco sobre como as sociedades civilizadas
da pré-história chegaram ao conflito mútuo, mas é quase certo que os Deuses da Guerra não
apareceram até a civilização full-blown chegou. Daí a guerra pode não ter sido tanto o
catalizador para a civilização como uma conseqüência dela . Se o homo sapiens é realmente
um animal social , a ordem social poderia ter surgido sem a necessidade de uma força
violenta para controlar e subjugar as energias humanas . Uma vez que foi estabelecido , no
entanto , a estabilidade e a continuidade poderia muito bem ter sido problemática. A guerra
e a luta poderia ter surgido ao longo dos transferência de poder consolidados na ordem
social. Esta evolução reflecte-se nos mitos de origem de muitas culturas , histórias de
guerra e conflitos entre os deuses ou entre os deuses e seres humanos. Os fundadores
das nações são frequentemente gêmeos que concorrem até a morte : Hórus e Set no Egito,
Rômulo e Remo , na Itália. Mesmo a criação do mundo , muitas vezes começa com um
cenário de guerra de gêmeos. A geminação é um mitema universal aplicada em inúmeros
casos para descrever Eterno Conflito.

Na mitologia grega as batalhas entre as gerações dos deuses foram registrados na


cosmogonia poética de Hesíodo : Os Deuses Celestiais versus Titãs versus olímpicos . O
roteiro sugere que o conflito é geracional, reafirmando a crença no Antigo Testamento, na
noção de que os pecados dos pais são visitados nos filhos . A passagem de uma geração
anterior para um posterior um exemplo da transferência do poder. A mudança é constante, e
assim que o conflito introduz será perpétua , embora a natureza do conflito vai mudar como
as gerações evoluem.

O que a ciência moderna entende ser princípios opostos na natureza, tais como a gravidade
e a força centrífuga , era comumente representada nos antigos mitos da luta dos deuses ,
como Quetzalcoatl e Tezcatlipoca nas tradições da Mesoamérica. As características desses
deuses em guerra muitas vezes complexa, porque reflete simultaneamente ambas as forças
que operam tanto na natureza quanto na psique humana . ( Codex astecas )

O que se aplica para o fundo mitológico da vida também figuras da história. O nascimento
da cultura clássica europeia começa com um enorme conflito , a Guerra de Tróia . Nesta
situação, os gregos , que representam a Europa Ocidental e no futuro, ganhar a
independência da Ásia , que representa o passado arcaico. Outro aspecto do destino
europeu é determinado pela fundação de Roma pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo . Este
evento é historicamente registrado nas crônicas do Império Romano , mas a ação é
atribuída a personagens míticos - como um exemplo único mito e história podem
convergir . (Tecnicamente , isso é chamado de nexo mito-historico ). Os irmãos competem
pela honra da fundação da primeira cidade , mas a questão é decidida pelo destino : parece
um presságio sobre as colinas de Roma, doze abutres avistado por Rômulo , que então
matam o seu irmão e reivindica o papel soberano do construtor do império .

Os historiadores mais tarde assumiram o presságio para indicar que o Império tinha
colocado um período de tempo, e a especulação raged sobre como calculá-lo. A estimativa
de um abutre por século acaba por ser muito próximo da realidade histórica, Roma
governou a partir de 747 aC até cerca de 450 dC , quando caiu para as hordas de Átila, o
Huno . Esta anedota tipifica a crença arcaica de que toda atividade humana , incluindo a
ascensão e queda de civilizações, é atribuído um prazo de poderes superiores que
supervisionam o destino humano . Ele indica como Eterno conflito pode ter um papel
regulador nos assuntos humanos. A garantia de que os conflitos em tempo trazer um ciclo
de atividade para um fim estabelece limites para o alcance do desejo e da ambição humana ,
mas seria mais sensato para a humanidade para definir seus próprios limites. Como poderia
fazê-lo é uma questão a ser explorada no âmbito de um outro tema principal, Moral Design.

O Império Romano triunfou na força de sua máquina de guerra de decisão, apenas para ser
destruída por saqueadores bárbaros. A crença de que uma guerra baseada em Ariano cultura
poderia dominar o mundo inteiro foi re-promulgada pelos nazistas, que seguiram as teorias
catastróficas de Hans Horbinger , um geólogo chanfrado , cujas " Teoria da Idade do Gelo "
supor que a Terra foi devastada por ciclicamente enormes perturbações planetárias. (Leitura
básica: Arktos) A destruição periódica do mundo pelo " fogo e gelo "é um dos motivos mais
difundido na história mitológica . Com os nazistas , tornou-se uma fixação patológica
ligada à sua crença na capacidade da Raça Superior para sobreviver às catástrofes . Não
surpreendentemente, Hitler , como os imperadores romanos antes dele, empregou uma
equipe de astrólogos para calcular as probabilidades cósmica a favor e contra a sua máquina
de guerra . Hitler envolvido em Eterno Conflito como se fosse um jogo de xadrez que ele
poderia ganhar.

Trata-se de tarde , historicamente baseado exemplos de Eterno Conflito. A crença de que "
o poder faz o direito " tem levado muitos movimentos históricos, mas se era tão importante
para a arqueologia é uma questão em aberto . Se o motivo do eterno conflito é atribuído à
pré-história lado esquerdo (de arco ) , deve haver algum evento principal na pré-história
para exemplificar que , assim como, ou melhor , os casos extraídos da história .

O evento-chave na pré-história é , sem dúvida, a introdução da agricultura. Pelo menos um


historiador cultural (Jared Diamond ) argumentou que a agricultura é o único e maior erro
na vida de nossa espécie. Uma opinião semelhante é desenvolvido por Daniel Quinn, um
autor que apresenta problemas meta-histórico em forma de ficção . Em Ismael um gorila
execuções guru de um antropólogo , iluminando -lhe sobre como a humanidade se dividiu
em dois campos, Takers e saídas, representadas por Caim e Abel na Bíblia. As saídas são
caçadores-coletores que vivem fora da natureza e deixá-lo intacto, mas os compradores são
agricultores que tomam mais do que necessitam , portanto, natureza devastadora e infectar
-se com a inveja e competição. Aqui, novamente, o cerne do Eterno Conflito no reino
humano parece envolver a falta de auto-regulação.

Alguns cenários alternativos de atributo pré-história da descoberta e desenvolvimento da


agricultura para as mulheres. Esta alegação figuras fortemente na revisão feminista da
história , que propõe uma alternativa para a glorificação do " homem caçador ", como o
mentor da civilização. O valor atribuído para a realização da mulher na pré-história
depende do ponto de vista tem um da agricultura. Ironicamente , dando crédito para as
mulheres essa inovação durante a Revolução Neolítica pode ser uma maneira de
responsabilizá-los para o pior erro " na evolução humana. " O salto agrícola tornou possível
para os assentamentos em grande escala a ser estabelecida , e a organização social
resultante levou (Em muitos mas não todos os casos) para os centros urbanos mercantil . O
experimento agrícola -urbano no Oriente Médio exacerbada e exagerada a cisão natureza-
cultura , aumentando assim a aposta de Eternal Conflict. Agora muito mais do que a
sobrevivência estava em jogo, para a agricultura apresenta uma divisão da riqueza e do
trabalho, de luxo, privilégio , a burocracia - , bem como os fatores opostos, escravização ,
privação , corrupção, pobreza.

identidade social se desenvolve através do conflito (" tomar partido ") eno poder social é
adquirido pelo domínio dos conflitos por via arbitral ou brigas entre facções . O que antes
parecia ser conflito na natureza, tais como a interação da luz e da escuridão, agora se torna
um símbolo do que está a desenvolver na humanidade , na sua vida da alma coletiva . Aqui,
a espécie humana entra em uma longa experiência que é extremamente paradoxal, porque
todos os conflitos da humanidade desafios para restaurar o equilíbrio , no individual e por
fora.

Deus exige guerra, Um termo encontrado no Antigo Testamento , codifica a crença de que
funciona uma vontade divina por meio da agressão e da violência organizada . Escusado
será dizer que este é um termo mais volátil , cuja promulgação é agora evidente
globalmente em uma base diária . Na partida da Natureza Sagrada, a humanidade tende a
olhar para uma divindade abstrata para um senso de propósito - pelo menos essa tem sido a
tendência do pensamento judaico- cristão -muçulmano religiões monoteístas. A Guerra
Sagrada termo que aparece pela primeira vez no Antigo Testamento é um cenário de
conflito desde o início, porque exige pitting a crença de que "Deus suporta a bondade
"contra a crença de que "Deus incita "a agressão , incluindo genocídio e apreensão
territorial forte. Agravada , essas duas crenças contraditórias produzir uma permutação
estranha : Deus suporta a agressão como causa do Seu plano final para o bem triunfar. Que
tal proposição poderia incitar um comportamento esquizóide , em quem ele infecta não é
difícil de entender. Nesta fórmula, Eterno Conflito é assegurada para a humanidade ,
porque é projetada em assuntos humanos pela vontade sobre-humana do Criador. A maioria
dos historiadores concordam que a liderança religiosa dos antigos hebreus derivado a noção
do eterno conflito de princípios cósmicos absoluta do Bem e do Mal de ensinamentos
Zoroastrianos encontradas durante o cativeiro babilônico ( 586-516 aC ), quando toda a
elite judaica foi exilada na Mesopotâmia. O zoroastrismo é muito obscuro, mas o cenário
de dois princípios absolutos e independentes, dois deuses da Luz e das Trevas, Ahura
Mazda e Ahriman , é amplamente pensado para ter originado em uma religião arcaica da
Pérsia.
Significativamente, a cultura persa matriz, que data desde 6000 aC, está associada com o
surgimento da agricultura, do arado (figurativamente , se não literalmente, uma inovação de
"macho") é dito ter sido introduzida por Zoroastro. A justaposição de arar a terra com a
teologia do Diabo bom é surpreendente , porque reflete a crença de muitos povos indígenas
que a "violação" da Mãe Terra pelo arado é um mal , um estupro real que perturba o
equilíbrio simbiótica entre humanidade e a natureza. Para esse dia os americanos nativos na
região de quatro cantos do sudoeste participar nas atividades em batalhas legais com o
governo E.U. sobre o direito à minha terra sagrada para os minerais . confrontos
semelhantes surgiram na África e na Austrália, onde os povos indígenas que protestam
extrair minerais da terra prejudica a Mãe Terra e ameaçam a ordem cósmica . ( Lawlor,
Vozes do primeiro dia na leitura de Sacred Natureza) pré-históricos que possa ser , o
motivo do Eterno Conflito é muito atual hoje por trás do debate sobre o meio ambiente .

Bem antes das normas da vida civilizada foram definidos (por exemplo, em tais diplomas
legais como o casamento e as leis de herança e as regras de comércio) , acreditava-se que a
ordem cósmica e social eram uma unidade, mas uma polarização. Na religião de
Zoroastro , os Espíritos duplos, Asha e Droga permeiam todas as atividades no cosmos em
todos os níveis , naturais, humanas e divinas. Estes não são o Bem e o Mal , no entanto.
Asha é Retidão ( o que é justo e correto) e Droga é o engano ou erro. Os sacerdotes hebreus
, que adotaram uma forma , no final decadente da religião Zoroastria pode ter perdido a
diferença entre o erro ( um erro) e o mal ( deliberada wrong-doing ). Nos Manuscritos do
Mar Morto descobertos em Qumran , perto de Jerusalém , em 1947, os espíritos duplos re-
aparecem como um anjo bom e um anjo do mal que nasce com cada ser humano. O
alinhamento do indivíduo à vontade de Deus depende de cujos conselhos são tomadas. A
batalha dos Filhos da Luz contra os Filhos das Trevas anunciado com fervor militarista no
Manuscrito da Guerra é uma fórmula infalível para o Eterno conflito com nenhuma solução
, exceto um final apocalíptico confronto entre os dois lados . O cenário apocalíptico judaico
de Qumran foi herdado pelo Cristianismo e Islamismo. Os zelotas , uma facção de
revolucionários(drogados) , em seguida, incitaram uma guerra apocalíptica contra
Roma inspirados por Chrestos(o messias que mora na planta mágica), que resultou na
destruição do templo Judaísmo e a erradicação da nação de Israel em 70 dC . Ele continua a
ser central para a humanidade é dominante tradições religiosas.

Em contraste com os credos fundamentalistas de hoje, a religião pagã abrangia a crença em


muitos deuses cujos devotos coexistiram em um amplo espectro de seitas e escolas.
Politeísmo foi a forma de religião adaptada à diversidade racial e cultural , refletindo a
diversidade de espécies no mundo natural. "Os deuses pagãos , mesmo os deuses dos
Mistérios, não têm ciúmes um do outro , formam, por assim dizer, uma sociedade aberta. "
(Walter Burkert, Mistério antigos cultos) Da mesma forma, entre os povos indígenas ,
cada grupo tribal tem seus próprios deuses , que são, em muitos casos, as mesmas
entidades reconhecidas , sob diferentes nomes . Não houve conflito ou concorrência
entre as raças para afirmar a supremacia de seus deuses tribais, exceto no caso altamente
original dos hebreus antigos para quem o "Senhor Deus Javé" , (idêntico ao Haddad
cananeus e outras divindades pagãs ), foi elevada para um papel de supremo e exclusivo.
Após o cativeiro, tornou-se codificado crença monoteísta da história que afirma que " uma
regulamentação Deus toda a humanidade. " Quando a identidade racial de um povo é
determinada pela aprovação ou desaprovação de imaginar uma divindade , exclusivo
exigente , o conflito é certo para se tornar endêmica .

O problema do monoteísmo foi agravado pela fórmula bem-mal derivado do zoroastrismo,


como descrito acima. Com este desenvolvimento de uma variedade de crenças confusas
emerge: a afirmação de que "o bom derrota o mal " (a crença de brutal contradição em
muitos casos, pela evidência da experiência humana), esbarra com a afirmação de que
"Deus envia o mal " (a crença de que contradiz a fé em uma divindade suprema como um
pai benevolente para a humanidade ) e resulta em uma fórmula de compromisso , "o mal é
dada por Deus para testar a humanidade. " Essa proposta é extremamente problemática ,
porque permite o mal como uma diretiva moral em vez de uma mera força cega de
violência e negação. Como tal divinamente com noções esquizofrênicas concorre para a
credulidade do crente , o seu terreno moral se torna turvo e a atmosfera mental clara
necessária para uma escolha fundamentada gira perigosamente de forma obscura.

O complexo de justiça, Tzaddik em hebraico, pode ser uma derivação do Zoroastriana


Asha, acerto , mas se assim for , é uma distorção : a direita não é necessariamente para ser
justo, e vice-versa. Tzaddik é roteirizada pesadamente no Mar Morto. (Leitura básica: The
Dead Sea Scrolls Deception ) É o princípio ideológico central da seita de Qumran , um
grupo dissidente de judeus radicais com aspirações místicas combinadas com uma agenda
de militantes para a libertação da Palestina da ocupação romana. É também a raiz da
religião judaico-cristã - muçulmana. Tzaddik consagra a crença de que Deus finalmente vai
para a aprovação de alguns escolhidos, que segue estritamente as suas regras .

Na fusão do Antigo Testamento com o Novo Testamento, o juízo de Jeová é dito ser
temperado pelo amor do perdão de Jesus Cristo: o termo diz, "o Deus Pai testa a
humanidade, mas seu filho redime a humanidade , porque o filho ama a humanidade , " e o
amor do filho acredita-se que vêm do pai. No início das disputas sobre a doutrina cristã,
teólogos gnósticos heréticos chamados categoricamente rejeitaram este link do OT- NT
porque não podiam ver uma maneira de misturar o termo do deus pai vingativo com o
termo do filho compassivo. No entanto, a conexão foi finalmente forçada e continua a ser a
pedra angular da teologia de redenção do cristianismo. Os cristãos acreditam que o termo
da vida de Jesus realiza - história " sagrada " dos judeus , mas com a ressalva de que esse
cumprimento é universal ( "católica" ) e destinados a toda a humanidade , não para o grupo
racial que originou o termo.

Os problemas do termo racial-religioso com bases na dualidade cósmica Zoroastriana tem


sido um problema contínuo através da era cristã e continua por resolver. No presente
momento da história, as ramificações desses sistemas de crenças ainda são altamente
voláteis e ameaçam invadir a comunidade global em conflito insolúvel .

A maioria das nações modernas têm surgido através do conflito ou da revolução. O papel
contraditório do herói nacional é evidente em todos os países e as nações resultantes
encontram-se frequentemente envolvidas em termos de concorrência e de cooperação. O
ideal de uma comunidade de estados vizinhos , a "comunidade internacional ", é
amplamente alardeado na mídia, mas essa noção beguiling permanece largamente
hipotética. observadores atenciosos, como Noam Chomsky nota que o poder de uma
nação depende da diabolização do outro : daí a América e o Iraque foi uma entidade
polarizada carregada com os elementos do Eterno Conflito agora a crise é entre a América
o o Irã. A sugestão de Chomsky de que a América realmente mantém Saddam Hussein no
poder para fornecer uma folha para a sua própria hegemonia no Oriente Médio parece
ultrajante para alguns, mas razoável para os outros. O "eixo do mal ", citado pelo presidente
americano George W. Bush no seu Estado de 2002, o discurso é um pronunciamento União
ritual do Eterno Conflito , por um eixo que deve ter dois pólos opostos . Não importa o
quanto a diplomacia internacional pode estar a funcionar a qualquer momento, o eterno
conflito ainda domina na real politics dos Estados-nação porque também gera muito
dinheiro para as elites corruptas e as grandes empresas que controlam as guerras fabricadas.

O tema do Eterno Conflito reflecte-se também sexualmente. A crença de que " todas as
relações sexuais é composta de homens estuprando as mulheres ", proposto no clássico
feminista Contra a nossa vontade por Susan Brownmiller , pode parecer extremista , mas é
apoiado pelos cenários mitológicos de estupro e agressão masculina . Inúmeros mitos
indicam que a violação da mulher e da expropriação de seu poder (espiritual , biológico,
intelectual e moral ) foi necessária para o estabelecimento das primeiras sociedades
masculina liderada pelos EUA. Muitas vezes, estes termos mitológicos parecem levar
lembranças perdidas ou esquecidas de história. ( Isto confirma a intuição de William Irwin
Thompson, um pioneiro da meta-história , que propôs que " o mito é a história real de
detritos . "See Basic Reading: O Time Falling Bodies Take a Light.)

Na mitologia grega , Europa, uma deusa em forma humana, era a mãe do rei Minos , uma
das figuras do sexo masculino da civilização cretense. Ela foi raptada por Zeus sob a forma
de um touro. Desde a Zeus Olímpico representa a geração dos deuses que definem a cultura
intelectual ocidental enraizada no grego Idade Dourada, o mito indica como Grécia seguido
(ou seja, conseguiu , venceu ) Creta na sucessão de civilizações antigas. O mito prefigura os
eventos históricos e a Europa torna-se o homônimo de um sub-continente inteiro.

Apesar de muitos cenários de "guerra dos sexos ", o termo sexual positivo não existe , no
entanto. A crença que diz que "sexo é uma cura ", cantado pelo ritmo -and- blues cantor
Marvin Gaye , em 1960, reflecte-se numa longa tradição de histórias de amor em que a
união sexual assume um sacramental e eficácia da cura. O argumento de "prazer sagrado ",
apresentado por Riane Eisler em seu livro de mesmo título, e representa um quadro de
crenças positivas que possam vencer a batalha eterna entre os sexos. Radical psicólogo
Wilhelm Reich desenvolveu uma série de termos ousados para superar os eternos conflitos
a nível sexual. Sua obra (ver sugestões de leitura abaixo) propõe a crença de que " a
agressão curas orgasmo. "Isto contrasta fortemente com o que disse Brownmiller , redigida
em quase os mesmos termos : " a agressão descarrega o orgasmo. "Será que o orgasmo uma
descarga violenta, uma maneira de dissipar a violência masculina a drenagem , ou é uma
forma de acesso de ternura pelo derretimento " do corpo blindagem "descrita por Reich? A
redacção final do processo de scripts ilustra como a sintaxe sutil começa a olhar as crenças
quando investigamos codificadas sobre Conflito Eterno.

Leitura sugerida : oposição


Cosmos , Caos e Ordem do Mundo por Norman Cohn descreve a religião de Zoroastro
dualista de que as três religiões fundamentalistas (Judaísmo , Cristianismo e Islamismo )
derivam seus conceitos de bem e mal , assim como suas doutrinas da justiça cósmica e
apocalipse.

A psicologia de massas do fascismo por Wilhelm Reich é um único estudo das bases
biológicas do fascismo como se manifesta em duas tendências desviantes , o misticismo
( fanatismo religioso ) e o militarismo .

A anatomia da destrutividade humana por Erich Fromm é talvez o mais completo


panorama psicologicamente orientada para a questão da violência na sociedade humana.

Design Moral
A noção de design moral - a definição do certo e do errado ,
enquadrada por princípios cósmicos do equilíbrio , da justiça ou
compensação - certamente já existia antes origens, mas com o
surgimento da civilização , tornou-se uma questão central. Pode-se
dizer que o Eterno Conflito está sempre presente , mas nem sempre
operatório na sociedade humana. O risco do Eterno Conflito está
sempre presente , mas a capacidade humana de opostos equilíbrio
pode impedir ou atenuar o seu potencial destrutivo. Design Moral
não é um resumo do programa , um conjunto de regras escritas em
pedra. É a maneira de conhecer e agir , através da qual a humanidade regula os fatores
conflitantes inerentes a toda a experiência . Quando o filósofo britânico e ativista pela paz
Bertrand Russell declarou que o mundo precisa de " um equivalente moral da guerra ",
reconheceu o perigo do Eterno conflito, mas propõe-se que poderia haver uma forma
positiva de envolver as energias que provoca a guerra, até convertê-los. Design Moral é o
quadro de referência através da qual uma conversão como pode ser imaginado e
conseguido.

A infra-estrutura do I Ching consiste em seis trigramas composto por linhas sólidas e


quebradas. O "Mais tarde Paraíso " ou Inner -World Convénio descrito em um comentário
que chamou a Shua Kua apresenta uma mandala das quatro estações e os quatro pontos
cardeais. Daí o espaço psíquico do oráculo reflete a ordem natural do espaço no mundo
externo . A combinação dos seis trigramas dois em um tempo produz 64 hexagramas ,
cada um deles representa uma situação ética particular . Por uma coincidência (ou
talvez não), os códons de três letras no DNA são formados a partir de quatro ácidos
nucléicos , gerando um total de 4³ unidades , que também é 64. Muito tem sido feito da
correspondência entre o código genético e o oráculo chinês. Uma inferência desta paralelo
intrigante é que a vida – a própria vida, no cerne biológico , pode ter uma estrutura ética
que está em conformidade com as leis cosmológicas : o último caso de Design Moral. Ao
apresentar uma teoria da sociedade que reflete os princípios cósmicos e alinhado com o
humanismo ético da escola de Confúcio, o I Ching oferece lições valiosas para a escolha
pessoal e cooperação interpessoal. Por isso, contribui para a sobrevivência harmônica da
espécie humana , mesmo se não representar , literalmente, um ethos misterioso inatos a
nossos genes.

Como as culturas indígenas, que sobrevivem até hoje , o povo da pré-história chamou seu
senso de moralidade da Natureza , mas a tendência de "pessoas civilizadas " é ver a
natureza como imoral ou amoral. A crença de que o Design Moral é transmitido para a
humanidade da natureza é codificado em muitos roteiros tradicionais . Crenças ao contrário
levantam a questão da fonte da ordem moral e autoridade moral. Se não a natureza , então
Deus , ou os próprios seres humanos devem ser responsáveis pela introdução da
moralidade.

As religiões de grande escala , como o cristianismo e o islamismo resolveram este


problema importante , relegando toda a autoridade moral a Deus , o Ser Supremo e Criador
concebido para estar acima e além da natureza. Ele que é o deus criador sempre diz como
os seres humanos devem se comportar. Ele define as regras para a moralidade e os escribas
masculinos receberam os seus mandamentos e os preservou nas suas "escrituras sagradas".
De algum modo, tão difícil de entender que exige um ato de fé ,Deus garante que aqueles
que seguirem as suas regras prevalecerão , a justiça acabará por ser feita e retribuida e os
iníquos que ignoram ou violam as suas regras serão eliminados. Na verdade, a palavra "fé"
deriva de uma raiz indo-européia bhidh -"acreditar, confiar". As crenças sobre os poderes
do deus criador variam em diferentes denominações religiosas, e as interpretações destes
poderes podem ser muito divergentes , mas continuam a ser uma convicção universal na
religião monoteísta : o deus criador determina a ordem moral do mundo. Na fé
fundamentalista , o Design Moral é a confiada em Deus. A crença de que as regras do deus
pai da justiça sobre todos é a pedra fundamental da moralidade de três das religiões em
escala mundial , o Judaísmo , Cristianismo e Islamismo . (Nota: o termo " escala mundial
"refere-se à ampla influência da religião , e não à medida da sua importância pelo número
de adeptos. ) Mas essa crença não é absoluta e universal nas sociedades humanas . Isso não
ocorre nas filosofias espirituais, como o Budismo ou o Taoísmo , no qual nenhum ser
divino como autoridade moral é postulada.

Uma coisa é introduzir os princípios morais supostamente dados por Deus , e outro para
reforçá-los. Cada uma das três religiões monoteístas tem normas que usam a sagrada sanção
da força para impor a autoridade de Deus . Em outras palavras, a justificativa para a
aplicação dos princípios dados por Deus estão escritos nos textos em que esses princípios
são apresentados. Por exemplo , o Novo Testamento não só registra as palavras de Jesus ,
exorta aqueles que abraçam-lo a evangelizar o mundo e que autoriza a violência para esse
fim , pois Jesus diz: " Não penseis que vim trazer paz à terra; eu não vim trazer paz,
mas a espada, Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, a filha contra
sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os da sua
própria casa." (Mateus 10:34-35). Fiel a estas palavras , milhões foram mortos à espada
em nome de Jesus Cristo. Um número incontável de pessoas foram mortas no processo de
serem convertidos ao cristianismo. A crença composta codificada na história - a saber, que
aqueles que seguem os mandamentos de Deus têm o direito de impô-las aos outros - é
representado por aqueles que se identificam com a história.
Em muitos aspectos, o tema principal do Design Moral, no lado direito do Arco ( a
trajetória da história) , reflete o tema principal do Eterno Conflito no lado esquerdo ( a
trajetória da pré-história ). A polaridade das forças de toda a Natureza pode aparecer para
mostrar o conflito, mas em última análise, o dinamismo é harmonioso , caso contrário seria
destruir a natureza em si - o que não faz. Humanidade , no entanto, pode muito bem ser
capaz de destruir a si mesma . Se optar por participar na dinâmica de auto-regulação da
Natureza , ele pode ser excluído da dinâmica. Quando a atividade humana torna-se
predatória e excessiva, corre o risco de entrar em um caminho em direção à auto-exclusão
do mundo natural. Nos reinos extra- humano , muitas espécies de predam umas sobre as
outras para sobreviver.

Os Leões atacam os búfalos, mas não exterminam toda a espécie de seres como os
humanos foram acostumados a fazer desde que a história começou. Na Natureza, o Eterno
Conflito é regulada pela reciprocidade e da simbiose, o princípio divino conhecido pelos
egípcios como Ma'at, Para os hindus como Rita, E por muitos outros nomes em outras
culturas. Corresponde à idéia de justiça ou de equilíbrio em termos humanos. Nossos
ancestrais foram sábios o suficiente para reconhecer a ordem cósmica de trabalho por todo
o mundo natural e, ao mesmo tempo , a perceber que operam automaticamente na
natureza humana. Eles entenderam que a humanidade está incluída em algo maior que si
mesmo , o mundo natural, e por extensão do cosmos em geral , mas em outro sentido , a
humanidade está isolada e deve desenvolver este princípio de equilíbrio dentro de si. Para
a humanidade , o Design Moral dispõe de um sistema de voluntariado.

Em termos práticos , o Design Moral é o imperativo de agir com veracidade nas situações
decorrentes de organização social e complexa evolução histórica . Em suma, é a base da
resposta ética . É o quadro que determina todas as crenças sobre o fim da aventura humana .
Que moral pode ter sido na pré-história é uma questão complexa . Infelizmente, a noção
geral de harmonia com a Natureza e os maiores ordem cósmica - paradigmas da moralidade
derivados de culturas antigas como a egípcia e indiana - não parecem abordar os dilemas
morais que surgem na história, mas que pode ser , porque não podemos entrar ou recapturar
o espírito das antigas perspectivas ...

Hoje em dia, e por um longo tempo , muitas pessoas aceitam os princípios da moralidade
ready-made, predefinida pelo seu milenar de idade tradições religiosas. A crença por trás
deste consenso é que " Deus dita a moralidade. "Claramente, não há nenhum ponto na
elaboração de moralidade de seu próprio espírito , se a fórmula já tenha sido fornecida por
um organismo supra-humanos. Nesta perspectiva, a Moral não é Design Participou em pelo
indivíduo , ele é simplesmente aprovado. (Ver glossário sobre participação.) Moralidade
não depende da consciência interior do indivíduo, mas em um contrato entre a humanidade
e Deus, o criador .

Todas as culturas antigas tinham crenças desenvolvidas sobre a moralidade. Talvez a


filosofia mais sofisticada do Design Moral ocorre no I Ching, Um manual chinês de
adivinhação. (Veja box) Um mito diz que o sol primordial ancestral Fu Hsi, imaginado
como uma espécie de macaco com asas de anjos , descobriu seis trigramas primários nos
padrões nas costas de uma tartaruga que emergiu do rio Amarelo, após a última grande
enchente baixou. De 1500 aC até a época de Confúcio no século 6 aC , o sistema de
comentários ético ligado ao oráculo se tornou mais e mais elaborado e refinado. A moral
codificada na I Ching é puramente secular, humanista. Que concede estreitamente com o
código de ética proposto por Confúcio em suas principais obras , o Ta Hsio" The Great
Digest ", e os Chung Yung, "O Pivot Unwobbling . " Estes textos expressam a noção perene
de que a moralidade humana tem uma função ritual : a prática de bondade e de julgamento
correto é um ritual que garante o alinhamento da humanidade para a ordem natural. Essa
concepção , expressa em um alto nível de sofisticação intelectual em filosofia do I Ching ,
É idêntica à orientação moral dos povos indígenas como os índios Hopi do sudoeste norte-
americana. Os Hopi acreditam que seus ritos e danças devem ser executadas de maneira
correta e coerente , caso contrário, o equilíbrio das leis naturais vai ficar chateada .

Em comum com os povos indígenas , que sobrevive até hoje , muitas culturas antigas
representavam suas crenças sobre o Design Moral em mandalas ( desenhos geométricos ,
simbólico) de grande complexidade e beleza. (Clan pólen Pintura areia Navajo . )

O charme da ética chinesa consiste na maneira como ele combina prática, mesmo caseira
insight com os princípios sublimes. No Ta Hsio (13.2) , a continuidade da cultura é
expressa pela simples observação de que um machado escultura artesanal alças devem usar
um machado equipado com um cabo por um artesão anterior que soube da forma ax alças, e
assim por diante no passado indefinido. O Ta Chuan, O "Grande Tratado " anexado ao I
Ching, Diz que " a vantagem de barcos e remos estabelece em fornecer os meios de
comunicação. " Refere-se o ancestral know-how (techne, Consulte Tecnologia) de
escavando troncos de árvore para fazer barcos ao ato de divulgação cultural , através da
qual os diversos povos ao redor do mundo compartilham suas experiências. Este é um
comentário sobre Hexagrama 36, apropriadamente chamado Dispersão.
A idéia fundamental da I Ching é dito estar contidos em Hexagrama 42, Aumento. O grande
tratado diz : "Aumente mostra um crescimento orgânico de personalidade que não é
artificial e, portanto, promove o que é útil . "Aqui, em uma frase formulada
aproximadamente 1000 anos aC, é a essência do movimento do potencial humano que
apareceu no E.U.A. em 1960. Este movimento representa a floração final da filosofia
humanista do Renascimento europeu. Ele sobrevive até hoje em uma escala social correntes
filosóficas e vagamente etiquetados como "humanismo secular ". Esta perspectiva rejeita
a crença de que a humanidade precise acreditar em ser moralmente guiada por um
Deus criador.

Nas religiões tradicionais , as pessoas geralmente acreditam que Deus os proteja e os guia
por um caminho de crescimento pessoal para a realização final. Na ética da I Ching, O
princípio de Aumento - definido como " um sacrifício maior do elemento que produz um
aumento da menor "- é inerente à polaridade do cosmo. Por isso, ilustra o princípio do
eterno conflito , assim como muitas das ideias inerentes ao oráculo chinês. Aumento chega
a expressão da natureza humana , quando o crescimento humano leva uma pessoa a ser útil
para o todo maior em que ele ou ela participa. Assim, o fim ou o fim do "crescimento
orgânico da personalidade "é transpessoal, consistente com a trajetória moral descrito por
esses pioneiros do movimento do potencial humano como Abraham Maslow. Esta é uma
concepção totalmente secular que pode ficar por conta própria, independente de quaisquer
crenças ou suposições sobre como os poderes sobre-humanos podem influenciar os
assuntos humanos.

As tradições indígenas têm forte códigos morais baseados em crenças baseadas em seu
contato direto com a natureza sagrada . Na filosofia final estóica do mundo greco-
latino, a moral dependia do uso cuidadoso da razão e do efeito da influência de caracteres ,
ambos os fatores de origem puramente humana , ao invés de um conjunto de
mandamentos , que disse ter sido ditada por um deus pai remoto. A espiritualidade pagã
era profundamente humanista em sua afirmação de que os seres humanos tem tudo o
que precisam para viver harmoniosamente com verdade e pode ser descoberto na
natureza humana. Os estudiosos têm identificado Sócrates no Ocidente e no Oriente
Confúcio como os dois representantes seminal dessa visão . A expressão mais clara e
completa de Pagã ethos humanista é encontrado no Meditações do imperador romano
Marco Aurélio, que viveu no século 2 dC .

As tradições nativas presentes em muitos normas que o Design Moral é dado à humanidade
pelos membros de outras espécies. O folclore indígena é rico em contos de animais
selvagens e vilões que realizam ações que se tornam exemplares para o comportamento
humano . Este é precisamente o papel dos ancestrais Dreamtime no mito aborígine da
Austrália . Comparativo mitólogo Mircea Eliade definiu o propósito da mitologia como
proporcionar formas de comportamento exemplar , os precursores do Design Moral. Os
antepassados que exibem um comportamento a ser imitado por toda a tribo geralmente são
mágicos, sobre-humano, ou podem ser traiçoeiras , cuja atividade é paradoxal e
aparentemente imoral, julgados por padrões convencionais. A moral nativa é muitas vezes
difícil de entender para quem não viveu nas tradições de onde ela surge , mas uma coisa é
absolutamente claro sobre isso: simbiose, A interdependência de todas as espécies , é
fundamental para a visão dos nativos sobre o certo e errado .

A moralidade pagã apresenta dificuldades semelhantes para as pessoas civilizadas criadas


em fés monoteístas. (Nota: por toda parte, o termo pagãos denota a cultura pré- cristã do
Ocidente , que consiste de um conjunto de valores e visões que se assemelham aos dos
povos indígenas. Grosseiramente falando , o paganismo é a forma de vida dos indígenas
desenvolvidas em mais configuração sociocultural complexo formado pelas culturas do
Mediterrâneo e do antigo Oriente Próximo ). Os deuses gregos como Zeus e Hermes que
seduziram e enganaram dificilmente podem ser tomados como modelos de comportamento
moral, ainda existem no mesmo panteão de divindades pagãs específicas figuras femininas
que eram venerados como guardiões da ordem social. Deusas como Dique e Têmis
representavam a encarnação divina da consciência social. Todas as regras cívicas e sociais
teriam vindo dessas divindades. Na religião pagã vida moral estava enraizada em
reverência para estas figuras imaginárias ainda sensual. Podemos imaginar as deusas da
moralidade dotando como arquétipos junguianos , as entidades que habitam a psique
coletiva . Esta abordagem acordos com a visão humanista que as capacidades necessárias
para o Design Moral são inatos para o potencial humano e, portanto, não tem que ser
ditados do alto por um outro remoto ser não-humano. Eles, no entanto , têm que ser levados
para saber consciente por enobrecer os valores , símbolos exemplares . Na opinião
partilhada por pagãos e as tradições indígenas , a moralidade não pode ser legislada ou
incutida , mas pode ser exemplificado e inspirado.

Os deuses e deusas Pagãos imaginado para conferir consciência moral produziu os mesmos
efeitos que os poderes animais ou animais totêmicos na religião indígena da América do
Norte . Entre os Sioux Oglala , a Sociedade Badger é uma tribo que acredita que tenha
recebido orientação moral do texugo. A força e a tenacidade do animal, com suas garras
impressionantes, mostraram essas pessoas como se comportar como guerreiros formidáveis.
As habilidades do texugo de escavação traduzida imaginação na capacidade de encontrar a
cura secreta da natureza, e os membros desse clã foram especialmente tão talentoso , mas
porque o texugo é um animal pequeno, comparado por exemplo com o urso (animal
totêmico de outras Lojas ) as curas que eles eram bons em encontrar para doenças
geralmente eram crianças. Obviamente, esse tipo de comportamento imitativo (denominado
simpatias por meta-história precursor Sir James Frazer ) só pode ocorrer em uma sociedade
que vive em contacto próximo com os animais sagrados de que adquire o seu perfil moral e
intelectual.

Muitas raças e nações no mundo ocidental derivam um sentimento de identidade de


associações natural e animal. A capital da Federação da Suíça é Berna e totem animal é o
urso. Tais associações , muitas vezes estimulado pelas alusões linguística, não são de forma
trivial. Esta estende-se a tradição suíça na pré-história , por ter -adorando clãs viviam em
cavernas da Alpes dezenas de milhares de anos antes de grandes grupos sociais que
apareceram na região. Curiosamente , o urso considerado sagrado pelos suíços , que são
conhecidos por ser um país de banqueiros, também aparece como um animal totêmico em
Wall Street. Os ancestrais totêmicos podem parecer um longo trecho , mas o simbolismo
animal permeia muitos scripts que definem tanto racial e identidade nacional : a águia no
E.U.A. por exemplo. (O animal totêmico inicialmente sugerido pelo pai fundador Benjamin
Franklin foi o peru. ) Mesmo nas sociedades modernas não orientada para a Natureza
-oriented, a presença de animais de poder permanece forte, mas exatamente como essas
criaturas simbólicas contribuir para a orientação moral do povo está obscura.

Se houver Design Moral na sexualidade ou as relações sexuais , parece ter sido reduzida à
simples fórmula de que " sexo é para reprodução. " Essa crença é fortemente apoiado pela
Igreja Católica, para quem o prazer sexual é considerado um dos sete pecados capitais. O
prazer sexual e a química , por vezes, louca de atracção sexual parecem ameaçar a ordem
social , mas não necessariamente assim. A crença de que a liberdade sexual pode contribuir
para a sanidade e a ordem social harmoniosa tornou-se um item legítimo de debate social ,
devido à investigação da antropóloga Margaret Mead , que estudou as culturas na Polinésia
em 1930. Foi aprovada ardentemente pelos defensores do "amor livre ", em 1960 , mas o
surgimento da AIDS na década de 1980 foi gravemente perturbado este debate. Os
fundamentalistas têm proclamado que a Aids é uma maldição enviada por Deus para punir
a imoralidade sexual. Essa noção vem diretamente do Antigo Testamento, onde Jeová
inflige praga sobre o seu povo para sucumbir à tentação de licença sexual pagã. Assim, os
evangelistas de TV em 1990 berravam condenações do Antigo Testamento da imoralidade ,
como se estivesse lendo direto do script original - que, é claro que são. (A AIDS foi uma
doença criada em laboratório pela elite mundial e foi experimentada pela primeira vez na
África para exterminar os negros pobres e nos EUA nos grupos hemofílicos de
homossexuais. Foi uma doença criado pelo homem para exterminar o homem e não enviada
como punição de “Deus”.)

Sigmund Freud(ele mesmo um sionista que trabalhava para a mesma elite repressora que
introduziu a AIDS e as demais doenças viróticas) desenvolveu uma falsa teoria sexual
barroca baseada na crença de que " Eros interrompe a civilização ". Ele concluiu que o
desejo sexual ( Eros, libido ), deve ser reprimido , sublimado , e re-canalizado para a
produção de uma sociedade estável. Seu aluno rebelde, Wilhelm Reich, ficou contrariado
com a crença de que " a repressão sexual da sociedade corrompe o comportamento natural
". O apelo para a liberdade sexual ou permissividade social -sexual desenvolvido de mãos
dadas com o movimento feminista do começo do século 20 . A liberação da sexualidade
joga toda a noção de Design Moral em dúvida , com tanta firmeza é a sociedade com base
na rigorosa regulamentação das relações sexuais - ou pelo menos a pretexto de tal
regulamentação .

Programas para o Design Moral estão constantemente a ser propostos pelos políticos para
resolver os problemas sociais. Todas essas tentativas se baseiam na crença de que "o
controle produz harmonia. "Por exemplo , a questão do controle de drogas é
constantemente debatido. É moral em uma sociedade de proibir certas drogas ou tolerá-los
de uma forma controlada? Contraditórias crenças sobre estas questões são scripts em
dramas sociológicos que se desdobram diariamente na imprensa mundial. Aqueles que
representam a si próprios como guardiões da ordem social são continuamente introduzir leis
e regras para controlar o comportamento , mas o sucesso destes programas é
lamentavelmente pequeno porque a moral depende do consentimento do interior e,
finalmente, não pode ser imposta de fora ou legislado . Assim, a crença humanista ", a
moralidade surge no interior, " os conflitos diretamente com a crença de que a moralidade
social deve ser legislado e executadas pelos códigos penal. Um exemplo extremo da fusão
dos roteiros religiosos e políticos para controlar a moralidade social ocorre no caso do
regime talibã no Afeganistão. As políticas resultantes do controle social contribuiu para a
aniquilação completa do tecido moral do país. Durante a campanha para derrubar o Taliban,
uma agência da ONU informou (não surpreendentemente) que nove entre dez mulheres
afegãs sofrem de problemas mentais graves.

De longe, a crença predominante de ocorrer em scripts político " do governo resolve


problemas ". políticos estão constantemente ocupados em atuar fora de cenários que
confirmam essa crença. Os resultados reais de suas negociações de resolução de problemas
são menos importantes que o espetáculo de suas boas intenções. A crença de que "os
políticos sirvam ao interesse público " em conflito com a convicção muito difundida de que
" os políticos só manipular o público para seu próprio benefício . " Não importa o que é
realmente realizado , a expectativa , ou esperança de que um político , vai manter a moral
para o Design comunidade ou nação parece ser um público não pode viver sem. Os dilemas
envolvidos aqui são puramente secular. Mesmo que os políticos são obrigados a
comparecer como pessoas que possuem fortes posições religiosas , a política não faz
referência à religião para soluções. Os problemas de Design Moral na sociedade moderna
são ponderados inteiramente do lado da escolha humana e da responsabilidade em que a
autoridade divina não desempenha nenhum papel . Nem o antigo vínculo entre a
humanidade e a natureza fator na situação. Portanto, há uma espécie de vácuo moral no
centro da vida moderna.

Leitura sugerida : Design Moral

O I Ching, Traduzido por Richard Wilhelm , é um antigo livro chinês de adivinhação que
contém muitas reflexões profundas sobre a natureza da chance , mudar e escolha.

Vozes dos Nossos Antepassados por Dhyani Ywahoo é uma soma moderna da sabedoria
sagrada dos povos Cherokee. Ele descreve de forma exemplar como as culturas nativas
conceber a relação entre a humanidade e outras dimensões, além de como eles definem a
responsabilidade moral da humanidade em relação à Terra , revelando um equilíbrio único
dos fatores mágicos e moral.

Homo Ludens por Johanna Huizinga é um estudo acadêmico sobre o papel essencial do
jogo na manutenção da sociedade humana e na criação da cultura.

Tecnologia
A tecnologia é a terra "outros" para a humanidade , o pé do arco de natureza oposta meta-
Sacra . O arco é um dispositivo simbólico que relaciona visualmente os cinco temas
principais , e ele faz outra coisa também. Ele ilustra o problema mais urgente da história:
Como pode a nossa espécie conectar o mundo de sua própria autoria com o mundo que fez
humana em primeiro lugar? A linha de base do arco une a Natureza Sagrada Tecnologia.
Resta ver como esses dois temas podem ser coordenados para os melhores interesses da
família humana.
Em muitas culturas, de épocas anteriores, os dois não estavam separados . Sobre os
alcances vastos da experiência humana coletiva, até muito recentemente , o sentido da
sacralidade da Natureza tem sido estreitamente associada a uma forma cuidadosa e
reverente de fazer as coisas . Esta visão é preservada até hoje entre as pessoas Canaque da
Nova Caledônia (Micronésia ), para quem o termo Do Kamo (Pronuncia-se doke amo ) é o
equivalente a " autenticidade ". Esta palavra indica não só a consciência do Sagrado e do
modo de agir para expressar essa consciência. Para a mente indígena da Canaque , Do
Kamo é a marca de ser autenticamente humano, mas isso não é possível se os seres
humanos reconhecem Sagrado Natureza e responder a ela de modo adequado . O Canaque
dizer que Do Kamo é revelado pelas linhas do caminho alguém numa canoa, come inhame,
ou tem um filho recém-nascido. Tais ações não são de tecnologia , no sentido amplamente
entendida hoje, mas eles poderiam nos fornecer uma base para reavaliar o que a tecnologia
é , essencialmente. Para Canaque e outros " primeiros povos "do mundo ,
independentemente da espécie humana pode alcançar através da manipulação da Natureza
tem de ser fundamentada em uma sã e resposta reverente a Natureza. Além disso, para a
mente indígena esta forma de tratar a natureza é o que nos faz autenticamente humano.
Qualquer outra coisa que traz o risco potencial de desvio da nossa humanidade inata.

Consistente com os scripts que atribuem a civilização para os homens, os iniciadores da


cultura são muitas vezes representados como figuras idealizadas do sexo masculino que
possuem conhecimento técnico e prático (embora como eles vêm por ela é outra questão
completamente). O Triphonius herói grego é creditado com a introdução da apicultura , mas
ele também é reconhecido como um arquiteto. Curiosamente, o domo geodésico
promovidos no século XX por R. Buckminster Fuller é construído de triângulos
entrelaçados que imitem os hexágonos de uma colméia. A introdução da tecnologia na
sociedade é muitas vezes elogiado como " domínio sobre a natureza ", embora em
muitos casos, os iniciadores da tecnologia aprenderam a sua arte com a natureza em
primeiro lugar. Assim, pode surgir uma falsa oposição entre natureza e " techné ".
( Triphonius , retratado em um manual clássico Historia Fatidicorum Deorum.)

Estas considerações podem parecer distantes da tecnologia, mas elas são de fato íntimo de
cada manifestação possível da mesma. A palavra grega techne significa " know-how , a
habilidade para fazer algo . " tradutores de obras clássicas gregas sobre ciência e tornar a
filosofia techne como arte " , as artes ", em referência às atividades diversas como a arte da
tecelagem, a arte da persuasão verbal, ou as artes da civilização. Em " know-how " o
primeiro componente é o conhecimento, e o segundo é como aplicá-la . Assim techne
sempre envolve técnica , a forma hábil para executar uma ação específica , seja fording um
córrego ou construir uma ponte sobre ele. A principal ferramenta de toda a ação é o corpo
humano , a instrumentação da mão , dedos, braços e pernas e implementação complexa dos
sentidos físicos . Remando uma canoa é techne, para a ação requer uma técnica . Da mesma
forma , fazendo com que a canoa com a mão necessita de uma bateria de capacidade
técnica : a escolha da madeira, com base no conhecimento de que a árvore que melhor
atender às necessidades precisas para um determinado tipo de embarcação adaptada a
determinadas águas , formando a canoa para que ele será artisticamente feito , confortável e
duradoura, e assim por diante . Os barcos construídos pelos índios do lago Titicaca , nos
Andes são idênticas na forma e na construção para aquelas que navegavam no Nilo 2500
aC . A tecnologia de construção de barcos de junco tem persistido no Peru , mas
desapareceu no Egito. Outro tipo de barco sobrevive com o Nilo, o felucca de madeira que
é latino - manipuladas exatamente como eram as barcas reais dos faraós. A sonda latina é
um dispositivo simples para fixar a vela ao mastro de um modo que permite a versatilidade
de navegação e utilização optimizada da energia eólica . As tecnologias arcaicas de
construção de junco e latino - aparelhamento ter sobrevivido por milênios, não porque
seus criadores não poderiam criar algo melhor , mas porque eles são tão bem
concebidos que não podem ser melhorados.

Hoje somos constantemente informados de que a tecnologia está mudando tão rapidamente
que dificilmente podemos acompanhá-la . Nesta mensagem familiar oracular , a palavra "
mudança "traz a implicação (talvez até o imperativo ) de "melhorar ". A mensagem aqui é
que precisamos manter o contato com a melhoria constante da tecnologia , caso contrário a
nossa qualidade de vida vão diminuir ou , na pior das hipóteses , seremos totalmente e
irremediavelmente perdidos. Esta afirmação demonstra o "imperativo tecnológico" , cuja
validade foi cuidadosamente analisado pelo historiador francês Jacques Ellul cultural . As
demandas imperativas de se manter atualizado com todas as mudanças e inovação. Em
contrapartida, a visão antiga e de vida dos indígenas é muito conservadora. Para a mente
nativa, uma tecnologia que tem de ser continuamente melhorada é dúbia , se não está
defeituosa. As tabuletas de argila tem sobrevivido pelo sol da Suméria por mais de
3500 anos. Alguém pode imaginar um CD-ROM durando perto de tanto tempo?

Tecnologia agora dirige a civilização , por isso é tematicamente ligadas a origens . Mas o
tipo da civilização produzido depende a escala de aplicação da tecnologia que conduz. No
quarto milênio aC a engenharia agrícola foi introduzida em larga escala no Crescente
Fértil , mas a agricultura em pequena escala já existia há vários milênios antes. Deusa
sociedades orientadas para que a agricultura de pequena escala combinadas com a
pastorícia nómada floresceu pacificamente na Velha Europa e em outros lugares antes de
cidades full-blown aparecerem. (Veja Gimbutas na leitura sugerida para Origins. ) Os
limites da tecnologia evidente nestas sociedades pacíficas reflete um sentido indígenas de
auto-regulação que foi esquecido ou substituído quando a civilização nasceu do menor , a
escala humana. A lição a ser tirada dessas povoações proto -históricas reflete muitas vezes
o mesmo princípio enunciado pela mente povos nativos como os índios americanos : uma
sociedade pacífica e sustentável é aquele que preserva a relação direita da
humanidade a seu habitat . "O que acontecer à Terra , acontecerá aos filhos da terra.
O homem não teceu a teia da vida, ele é meramente um fio dela . Tudo o que ele faz à
teia ele faz a si mesmo "( paráfrase do Chefe Seattle) .

A mudança para a urbanização maciça no Médio Oriente foi impulsionado por uma
combinação de tecnologias. Um grande colaborador foi escrita cuneiforme em tabuinhas de
argila . A contrapartida da antiga tecnologia de hoje " informacional " (IT) , este techne
forneceu os meios para manter registro de estoques de grãos e registro de transações
comerciais e legais . Em combinação com a engenharia agrícola, contabilidade cuneiforme
permitiu que os sumérios a avançar rapidamente com o agro-negócio , mas esta iniciativa
não se espalhou por todo o mundo civilizado . Ele limitou-se a região onde os rios Tigre e
Eufrates, desde os recursos naturais passíveis de irrigação e plantio organizado,
plantio e colheita. A escala das operações foi grande, mas não ilimitado. E tudo isso
chegou a um final repentino, dramático em torno de 2000 aC, talvez devido às
inundações e à seca - talvez estranhamente similar aos excessos das alterações
climáticas já que atualmente se desenrola à escala global.

A noção de "globalização" pressupõe que a tecnologia pode ser prorrogado , sem limite,
mas esta suposição contradiz um sentido profundamente arraigado do Design Moral. Escala
e reciprocidade são elementos essenciais para a mente dos povos nativos , e eles também
parecem ter sido observado pelos antigos em várias culturas do Mediterrâneo ao Extremo
Oriente. A civilização chinesa foi muito bem organizada e cultura mandato agricultura de
base, ainda preservada uma atitude reflexiva em relação à natureza das culturas de dotação.
( sobre o mandato e as culturas de doações, ver dicionário ). O Imperador, chamado Filho
do Céu, representou o instrumento humano de forma abrangente o processo cósmico de
T'ien, "Paraíso", mas a expressão imediata do presente despacho sobre a terra foi Tao, A
polaridade dos ciclos naturais no habitat. A noção de um processo maior intenção do céu é
hierárquica , típica de uma cultura de mandato. Com seu elaborado sistema de autoridades
reais centrada sobre o Imperador , na China antiga , certamente reflete esse padrão
hierárquico . No entanto, a própria organização da vida social agrária na China antiga, foi
em grande parte horizontal , refletindo um vasto mosaico de culturas que encontrou seu
dom de identidade funcional em relação ao seu contexto local.

Em Ciência e Civilização na China, Joseph Needham revelou a extensão e sofisticação da


tecnologia chinesa. Publicado em oito volumes no início em 1954 , este trabalho apresenta
evidências de feitos impressionantes de tecnologia em áreas como a cartografia , a escrita,
metalurgia , astronomia, meteorologia , botânica, engenharia hidráulica , agronomia, e
muito mais. Needham investigação se estende ao longo de um vasto leque de artes
particular: apicultura , bronzeamento artificial, o cultivo do chá , piscicultura e tecnologia
militar. Alguns desses desenvolvimentos foram um milênio ou mais antes dos seus
equivalentes no Ocidente. Muitas das invenções específicas que ele descreve - a fábrica de
corredor de ponta , o fole de pistão , arreios para animais de tarefa , o arco em forma de
cruz, a perfuração de ferramentas como o virabrequim - ainda estavam em uso na China,
bem no início do século 20 , exatamente como eles tinha sido para cinco milênios
anteriores. Não há nada , no mínimo para trás sobre a retenção de tais elementares e
tecnologias ecologicamente adaptadas , ou pelo menos Needham não penso assim. Ele
argumentou que a melhor razão para reconhecer o alcance e sofisticação da tecnologia na
China antiga, é incentivar a perspectiva moderna em direção a " uma percepção mais
humana do futuro. "

A China é um caso impressionante, mas não é o único exemplo de uma sociedade pré-
industrial do avanço tecnológico elevado. Embora o Império Romano, desde o modelo de
hegemonia global , as realizações culturais e práticos dos romanos eram de várias maneiras
tanto humana e à escala humana. viadutos romana da beleza modesta ainda são utilizados
para o transporte público de água no sul da França . os banhos romanos na Grã-Bretanha
ainda são reparadas hoje. Pela mesma medida , uma ânfora grega , através normalmente
encontrados em uma caixa de vidro em um museu, como poderia muito bem servir a sua
função original , como fez hoje em 600 aC. As sociedades europeias Classical legada aos
séculos depois, um manancial de know-how em várias áreas da vida. Grande parte dessa
techne foi reprimida ou destruídos durante a repressão religiosa da Idade Média , mas uma
quantidade justa sobreviveu. O Renascimento consistiu não só na redescoberta da
aprendizagem greco-latina, mas também o renascimento da arquitetura, engenharia,
anatomia e outras ciências.

O aviso de que a tecnologia pode sobrecarregar e prejudicar quem adotá-lo foi sinalizado
em voz alta e claramente, o representante mais reverenciados da tradição clássica ocidental,
de Platão . Na caixa de diálogo chamada Fedro Platão relata um encontro entre Thamus ,
um rei egípcio da região de Tebas, e Thoth , o sábio egípcio e lendário inventor. Quando o
texto diz: " Thoth veio para mostrar as invenções ao rei ", a palavra usada é technas, Plural
de techne. Várias invenções foram discutidos, mas o que provocou a resposta mais forte a
partir de Thamus estava escrevendo, escrita alfabética (grammason). Thoth elogia muito : "
Esta invenção tornará os egípcios mais sábios e irá melhorar as suas memórias , pois é um
elixir da memória e da sabedoria. "Para isso , o rei responde: " A maioria Thoth
engenhoso , alguns têm a capacidade de criar arte, mas para julgar a sua utilidade ou a
nocividade pertence aos outros ... Você, que é o inventor das letras, foram liderados por seu
carinho para atribuir -lhes um poder oposto ao que eles realmente possuem. "O Rei explica
a Thoth como o alfabeto vai desestimular o uso das competências inatas de memória. Ele
adverte que a ferramenta para auxiliar a memória venha a substituí-lo e as faculdades
correspondentes entrarão em declínio. Além disso , o rei diz, a escrita alfabética não é um
elixir da sabedoria "(Sophias pharmicon): "não oferece a sabedoria, mas a aparência de
sabedoria, pois as pessoas vão ler muitas coisas sem instrução, e, portanto, parecem
saber muitas coisas quando elas são para a maior parte ignorantes , e assim o será
difícil chegar a acordo o que é conhecido, uma vez que não são sábios , mas apenas
parecem ser. "( As citações do texto grego / Inglês da Fedro na Biblioteca Clássica Loeb .
Consulte a bibliografia para detalhes).

No terceiro milênio dC, o monumental Revolução Industrial é um mero duzentos anos ,


mas o Ocidente acredita -se ser plenamente " pós- industrial ". Humanidade ainda não
afiada para além do terceiro século, desde a industrialização , mas é geralmente
considerado que nós vivemos em uma era totalmente nova , a Era Digital ou eletrônica . O
Thoths da parte de informática com os inventores da máquina a vapor no pressuposto
imperialista que a tecnologia vai governar e melhorar o mundo inteiro. Hoje, a crença de
que os computadores podem superar tudo o que os seres humanos podem fazer ( e talvez
até seja) é amplamente promovida em uma vasta gama de roteiros, agendas , anúncios e
previsões. Por mais de dois séculos imperialismo tecnológico tem trabalhado a mão
-de-luva com interesses comerciais. A era eletrônica não é em tudo diferente da era
"pós- industrial ", porque é dirigida pela mesma motivação que impulsionou a
industrialização , desde o início : o dinheiro sob a forma de lucros.

A paisagem mental em que nossa cultura tem vindo a moldar -se ao longo dos últimos três
séculos - e com urgência cada vez mais decisivo desde o advento da industrialização - é a
criação da ciência moderna. Ciência, por sua vez , elevou -se em certas continuidades que
herda a tradição judaico-cristã do Ocidente. O que é importante na análise da paisagem
mental de um povo não é o que eles sabem ou articuladamente dizem acreditar . A este
respeito , a nossa sociedade , a nível popular , mas todos os cientificamente analfabetos. O
que importa é algo mais profundo: a sensação do mundo que nos rodeia , o gosto que
espontaneamente discrimina entre o conhecimento e a fantasia. É em todos estes aspectos
que a ciência se tornou a força dominante na concepção da base psicológica e metafísica da
nossa política.
- Theodore Roszak , Quando a Wasteland Ends

Enquanto o lucro for o motivo não é difícil identificar no imperativo tecnológico moderno,
é mais difícil compreender o que está por trás da crença de que a inteligência cibernética
pode e irá ultrapassar a inteligência humana. Em face disso , a alegação de que um
dispositivo tão simples de uma calculadora portátil pode calcular melhor que qualquer
pessoa de inteligência meramente humana (exceto , significativamente, para gênios
autistas ) é difícil de refutar. Muitos dispositivos podem fazer o que não podemos fazer ,
obviamente, mas o que podemos fazere e que nenhum dispositivo pode , não é tão
frequentemente considerado. Em uma atmosfera saturada de um discurso público com a
crença na superioridade da inteligência artificial ( AI) sobre a inteligência humana, que
pode ser impossível de remontar ao senso comum do rei Thamus aviso 'para Thoth.

A afirmação surpreendente que a IA pode exceder inteligência humana é por vezes feito
menos ameaçadora por uma mudança de termos: AI pode realçar as capacidades humanas.
Isso parece bom, mas foi provado ser falso , em alguns casos básicos , começando com o
caso das calculadoras de mão. Uma vez que estes foram disponibilizados para as
crianças nas escolas , a capacidade de dominar a matemática básica diminuiu para
níveis lamentáveis. Isso é exatamente como o rei Thamus previu. O que está a ser feito ,
então? Jogue fora as calculadoras ? Mais provavelmente, alguma pessoa genial vai
introduzir um programa de software projetado para melhorar as habilidades de matemática
que declinou da dependência de computadores de bolso . A dependência seria então
completa: detrimento das faculdades humanas , devido à dependência do AI será sanada
pelo AI. Para muitas pessoas hoje proposição isso parece não só o direito e razoável, mas
inevitável.
A crença de que a tecnologia diminui a aprendizagem e embota nossa consciência do
mundo que nos rodeia é realizada por alguns povos nativos, como os aborígines da
Austrália , conhecida por seus poderes de memória prodigiosa . Alguns povos indígenas
que reconhecem os perigos da tecnologia estão plenamente capazes de rejeitá-la bem antes
que ela assuma. Eles permanecem em um estado de simbiose, que vivem perto da natureza,
não porque eles não podem fazer o contrário, mas porque eles acham sanidade em um
mínimo de manipulação tecnológica da natureza (ver Lawlor, Sob a leitura de Natureza
Sagrada ). Os historiadores sabem que os astecas tiveram a roda, mas não a usaram para o
trabalho ou transporte , embora eles a usaram para os brinquedos . Os maias de Yucatán
tinha uma vasta rede de vilas agrárias ligadas por estradas bem conservadas, mas não
introduziram a roda , em qualquer uma delas. Os incas extraíram e trabalharam enormes
quantidades de ouro, mas não usá-lo para transações comerciais. O ouro exibidos todos à
sua volta com uma decoração elaborada e estatuária tinha um valor sagrado , mas nunca
esteve sob ameaça de ser roubado porque tinha por acordo nenhum valor de troca social.
Tais escolhas não eram nem estúpido , nem para trás. Eles podem ser responsáveis pelo alto
nível de civilização de vastas populações que viviam na América pré-colombiana. Na sua
capacidade inerente de auto-limitação, A mente indígena pode reconhecer que qualquer
tecnologia inovadora os obrigará a dirigir as suas atividades humanas para fora da
escala - e, portanto, deveriam ser rigorosamente limitadas , se não rejeitadas.

Embora os problemas imediatos da tecnologia (principalmente focado em TI e AI , mas


incluindo a genética ) é complexa e difícil, a solução pode ser bastante simples. Em outro
diálogo, o Simpósio Platão afirma que Sócrates através desde tempos imemoriais "o amor
das coisas belas trouxe uma infinidade de benefícios para ambos os deuses e a humanidade.
"A passagem refere-se especificamente aos esforços humanos na " invenção artificial
"(demiourgion technon) , portanto, toda a gama de instrumentos feitos pelo homem e
inovações. Insistindo que "o amor da beleza e da bondade é a causa de produzir essas
excelências ", Sócrates implica que as invenções inspirados pelo amor a beleza serão
benéficos. Esta tese oferece uma abordagem possível para uma crítica da moderna unidade
de avanço tecnológico. Ele liga forma à função e vê sua unidade enraizada em uma
perspectiva moral e estética, o amor das coisas belas e boas ações. A ânfora grega é bela e
servirá também hoje , como fez Sócrates . O Dell Inspiron 2500 no qual eu escrevo estas
palavras também é um belo instrumento , na sua própria maneira. Mas é predefinido para
ser lixo inútil em três anos, se não mais cedo . As conseqüências do projeto do " built-in
obsolescência " levam inexoravelmente à destruição do meio ambiente porque a natureza
fornece os recursos "naturais" de que as ferramentas e brinquedos dos modernos techne são
fabricados. Por que o imperativo tecnológico de hoje, não leva à produção de coisas belas
como no passado?

A noção alarmante que a tecnologia pode levar ao desaparecimento da espécie


humana da natureza tem sido explorado pelo historiador cultural Theodore Roszak
um eminente companheiro de viagem na caravana meta-história. Em Quando a
Wasteland Ends Rozak argumenta que a humanidade está próxima ao ponto de se
encapsular em um ambiente que é totalmente feito pelo homem, portanto, não- natural,
artificial. Devido a que ele chama de "imperativo urbano- industrial " - ou, mais
precisamente , em termos meta-histórico, devido às crenças que temos sobre o "progresso"
que se tornou possível desde a revolução urbano- industrial de 250 anos atrás - estamos
com a intenção de refazer o mundo em um ambiente totalmente artificial. Ao invés de
procurar o nosso nicho na Sagrada Natureza, simbiótica com Gaia e outras espécies, que
são dissidentes da ordem natural em uma zona de natureza livre ao invéz da artificial onde
todos os aspectos da vida dependem de aparelhos rodando em circuitos eletrônicos. O livro
de Roszak foi publicado em 1971, uns bons vinte anos antes do termo "espaço cibernético"
tornar-se linguagem comum, no entanto, ele prevê o desenvolvimento de cocooning
eletrônicos e põe a nu o que ele considera ser a sua patologia emergente.

A intenção de tornar obsoleta a vida humana , para migrar da natureza ao espaço


cibernético, raramente é visto com reserva crítica hoje. O crença em tecnologia para
oferecer um mundo melhor do que a natureza é tão forte que é susceptível de conduzir
-nos a eliminar a nós mesmos. A extinção humana pela cibernética, onde seremos
escravos inconscientes de uma matrix de inteligência artificial implantado em algum super-
computador criando a mentalidade de colméia, eliminando completamente qualquer sinal
de individualidade nas pessoas, padronizando todos como se fossem robôs programáveis.
Mas a pergunta é que estará controlando esta colméia humana se não os mesmos poderes
que investiram na revolução industrial e depois a era da informática? Os grandes grupos
empresariais e bancários sionistas maçônicos subordinados ao poder dos jesuitas do
Vaticano.

O que quer que poça realmente ser possível através da tecnologia, as crenças sobre ela
estar a conduzir a sociedade à beira de algo inédito. Com cada novo avanço , o coro
duplo de tecnocratas ( que dirigem o sistema ) e tecnófilos ( que adotam o sistema)
cepas hipérbole em louvar as maravilhas que virão. Muitos cenários do futuro (como
Visions pelo aclamado físico Michio Kaku ) fingem ser projeções idealistas do
potencial humano , mas eles dependem das crenças irracionais e não foram testados ,
muitas vezes se expressam em afirmações fantásticas e fantasmagóricas. A crença de
que a tecnologia é uma panacéia , a solução de tudo, desde problemas de saúde e
genética para os dilemas econômicos e sociológicos , é comum. A crença de que a
tecnologia facilita a vida e garante mais tempo de lazer continua a ser amplamente
promovida , embora tenha sido provado ser terrivelmente errado, e outra vez ,
segundo estudos de economistas e sociólogos. O esforço necessário para ganhar a vida
se intensificou e tornou-se mais estressante , mais demorado. Por quê?

O motivo do Levante da escravidão (ver Origens ) pode se aplicar aqui, mas de uma
forma distorcida: a crença de que Deus (ou extraterrestres semelhantes a Deus ),
criaram o homo sapiens para servir como uma raça escrava está sendo substituída
pela crença de que a humanidade alcançará um estado semelhante a Deus através de
suas criações cibernéticas e genéticas. No entanto, o perigo é tão real que a
humanidade pode se tornar escrava de suas próprias criações tecnológicas. E é
exatamente isso que a grande corporação científica-militar está almejando fazer.

Ironicamente , os povos indígenas que não possuem a tecnologia podem ter uma visão
mais madura do seu valor. Como mencionado acima , a sabedoria da mente nativa
indica que a inovação tecnológica , quando não é concebida e executada com cuidado
reverencial à ordem natural, irá violar essa ordem. Em vez de trabalhar sobre o
mundo físico , a tecnologia assume um salto para além dela. A Natureza Sagrada,
simbolizada na deusa Sophia ( Sabedoria) , também foi Logos humanidade (Science ),
inteligência viva , e aprendeu as ciências da natureza por milênios até que se tornou
obcecado com a suplantar a Natureza. (Na Simpósio Sócrates diz que os inventores das
artes , tais como tiro com arco, tecelagem , da medicina e adivinhação foram inspirados por
Eros - E não o "amor" no sentido humano , mas um poder espiritual que opera como o
amor pela união do espírito humano com o cosmos em geral. ) Pessoas que respeitam o
habitat natural sabem que as formigas e as abelhas são tecnológicas de forma espantosa.
Portanto, são canções de baleias , assim como a camada de ozônio.

As proezas surpreendentes da engenharia antiga , como Stonehenge , na Inglaterra e


as Pirâmides de Gizé, no Egito , não podem ser repetidas por especialistas hoje. Sua
presença quase nos obriga a acreditar que nossos antepassados tinham uma tecnologia
baseada na natureza superior a qualquer coisa que possamos imaginar agora . O
perigo de se tornar totalmente escravizados por nossas próprias criações foi tratado em
inúmeros cenários de sci -fi ( como o cinema 2001: Uma Odisséia no Espaço). Seja qual
for o poder real da tecnologia para melhorar ou destruir nossas vidas , seja qual for a sua
magia final pode produzir, somos confrontados com outro desafio: o feitiço da crença sobre
o que a tecnologia pode fazer em nosso mundo pode ser mais poderosa e mais perigosa, do
que aquilo que pode ela na realidade pode fazer.

Leitura sugerida : Tecnologia

Para o argumento de todas as maravilhas que em breve será alcançado pela tecnologia em
todos os campos da atividade humana ver Visions por Michio Kaku . Para uma visão mais
crítica e preocupante da tecnologia da leitura sugerida é :

Chegando aos nossos sentidos por Maurice Berman é uma ampla discussão da atrofia das
faculdades humanas , devido ao aumento da tecnologia , incluindo algumas reflexões sobre
como recuperar a experiência direta da Natureza Sagrada.

Technopoly por Neil Postman é uma crítica da tendência atual da humanidade a se render à
tecnologia , intimamente paralelo argumento Berman , mas com ênfase na restauração de
valores educativos na sociedade e na escola.

Na ausência do Sagrado por Jerry Mander é um inquérito sobre a forma empresarial e


tecnológico de controle da vida humana e nega deliberadamente enfraquece o vínculo
humano ao sagrado na natureza.