Você está na página 1de 57

As origens forjadas do Novo

Testamento
Tony Bushby
No século IV, o imperador romano
Constantino uniu todas as facções religiosas
em uma divindade composta, e ordenou a
compilação de escritos antigos e novos em
uma coleção que se tornou o uniforme do
Novo Testamento.

O que a Igreja não quer que você saiba


Tem sido frequentemente salientado que o cristianismo é
diferente de qualquer outra religião, pois ela está em pé ou
cai por certos eventos que são acusados de ter ocorrido
durante um curto período de tempo de cerca de 20 séculos
atrás. Essas histórias são apresentadas no Novo
Testamento, e como prova de novo é revelado, ficará claro
que eles não representam realidades históricas. A Igreja
reconhece, dizendo:

"Nossas fontes documentais do


conhecimento sobre as origens do
cristianismo e seu desenvolvimento
mais adiantados são principalmente
as Escrituras do Novo Testamento,
cuja autenticidade é preciso, em
grande medida, tomada para
concedido."
(Enciclopédia Católica, Farley ed. Vol.
III, p. 712)

A Igreja faz sobre a sua admissão extraordinária do Novo


Testamento. Por exemplo, quando se discute a origem
desses escritos, "o corpo dos mais ilustres acadêmicos da
opinião formada" (Católica Enciclopédias, Prefácio) admite
que os Evangelhos "não foram escritos no primeiro século
da era cristã" (Enciclopédia Católica, Farley ed. Vol. VI, p.
137, pp. 655-6). Esta afirmação contraria as afirmações do
sacerdócio que os primeiros Evangelhos foram escritos
durante progressivamente nas décadas seguintes à morte
do Evangelho de Jesus Cristo. Em uma notável exceção, a
Igreja ainda admite que "o mais antigo dos manuscritos do
Novo Testamento não remontam além dos meados do
século IV dC" (Enciclopédia Católica, Op. cit. pags. 656-7).
Isso é cerca de 350 anos após o tempo das reivindicações
da Igreja que o Cristo Jesus caminhou pelas areias da
Palestina, e aqui a verdadeira história das origens cristãs
desliza em um dos maiores buracos negros na história. Há,
no entanto, a razão pela qual não havia Novo Testamento
até o século IV dC: eles não foram escritos até então, e
aqui encontramos a maior prova de falsificação de todos
os tempos.

Foi o Britânico Flávio Constantino (Constantino,


originalmente Custennyn ou Custennin) (272 a 337dC),
que autorizou a elaboração dos textos agora chamado
Novo Testamento. Após a morte de seu pai em 306 dC,
Constantino tornou-se rei da Grã-Bretanha, Gália e
Espanha e, em seguida, após uma série de batalhas
vitoriosas, Imperador do Sacro Império Romano. Os
historiadores cristãos dão pouca ou nenhuma dica da
turbulência nos tempos de Constantino e deixam no ar,
livres de todos os acontecimentos humanos acontecendo
ao seu redor. Na verdade, um dos principais problemas de
Constantino foi o transtorno incontrolável entre os
presbíteros e sua crença em numerosos deuses.

A maioria dos modernos escritores cristãos suprimiram a


verdade sobre o desenvolvimento de sua religião e
ocultaram os esforços de Constantino para reduzir o
caráter vergonhoso dos presbíteros, que são agora
chamados Pais da Igreja "(Enciclopédia Católica, Farley ed.
Vol. XIV, pags. 370-1). Eles estavam "enlouquecidos", disse
(Vida de Constantino, Atribuído a Eusébio de Cesaréia
Pamphilius, c. 335, vol. III, p. 171; O Nicene e Post-Nicene
Fathers, Citados como N & PNF, atribuído a Santo
Ambrósio, Rev. Prof Roberts, DD, e principal James
Donaldson, LLD, vol editores, 1891. IV, p. 467). O tipo
"peculiar de oratória" exposta por eles foi um desafio a
uma ordem religiosa estabelecida (O Dicionário da
Mitologia Clássica, Religião, Literatura e Arte, Seyffert
Oskar, Gramercy, New York, 1995, pp. 544-5). registros
antigos revelam a verdadeira natureza dos presbíteros, e a
pouca consideração em que foram realizadas foi
sutilmente reprimida pelos historiadores modernos da
Igreja. Na realidade, eles foram:

"... Os companheiros mais rústicos, ensinando


estranhos paradoxos. Eles declaravam
abertamente que ninguém além dos ignorantes
estavam aptos a ouvirem os seus discursos ...
que nunca apareciam nos círculos dos tipos
mais sábios e melhores, mas sempre tiveram o
cuidado de se intrometer entre os ignorantes e
incultos, para pregar suas mentiras em feiras e
mercados ... balançando os seus livros,
recheados com as mais absurdas fábulas
antigas ... e ainda que eles não entendessem ...
eles escreviam disparates sobre os pergaminhos
.. . e ainda estão fazendo. "(Contra Celsum
["Contra Celso"], Orígenes de Alexandria, c. 251,
Vol. I, p. LXVII, Bk III, p. xliv, passim)

Irmandades de presbíteros haviam desenvolvido "muitos


deuses e muitos senhores" (1 Cor. 8:5) e numerosas seitas
religiosas existentes, cada uma com doutrinas diferentes
(Gal. 1:6). Grupos presbiteriais discordaram sobre os
atributos dos seus vários deuses e assim surgiu o "altar
contra altar" em concorrer para uma audiência (Optato de
Milevis1:15, 19, quarto século cedo). Do ponto de vista de
Constantino, havia várias facções que era necessário
satisfazer, e ele começou a desenvolver uma abrangente
religião durante um período em que reinava a confusão.
Em uma época de ignorância crassa, com nove décimos
dos povos da Europa analfabetos, estabilizar grupos de
dissidentes religiosos era apenas um dos problemas de
Constantino. A generalização que tantos historiadores se
contentam em repetir, que Constantino "abraçou a religião
cristã", e posteriormente concedeu "tolerância oficial", é
"contrária aos fatos históricos" e devem ser apagadas da
nossa literatura para sempre (Enciclopédia Católica, Pecci
ed. Vol. III, p. 299, passim). Simplificando, não havia
nenhuma religião cristã no tempo de Constantino, e a
Igreja reconhece que o conto de sua "conversão" e
"batismo" é "totalmente lendária" (Enciclopédia Católica,
Farley ed. Vol. XIV, pp. 370-1).

Constantino "nunca adquiriu um sólido conhecimento


teológico" e "dependia fortemente seus assessores em
questões religiosas" (Enciclopédia Católica, Nova edição,
vol. xii, p. 576, passim). De acordo com Eusebeius (260 a
339 dC), Constantino constatou que entre as facções
Presbiterianas a "briga ficou tão séria, que uma ação
vigorosa foi necessária para estabelecer um estado mais
religioso", mas ele não poderia criar um acordo entre
facções rivais de Deuses (Vida de Constantino, Op. cit. pp.
26-8). Seus conselheiros o avisaram que as religiões dos
presbíteros eram "destituídas de fundamento" e
precisavam de uma estabilização oficial (ibid.).

Constantino viu neste confuso sistema de dogmas


fragmentados a oportunidade de criar uma nova religião
de Estado, sendo neutra em termos de conceito para
protegê-lo por lei. Quando conquistou o Oriente em 324 dC
enviou o seu conselheiro religioso espanhol, Osius de
Córdoba, a Alexandria com letras de vários bispos,
exortando-os a fazer a paz entre si. A missão falhou e
Constantino, provavelmente por sugestão do Osius, em
seguida, emitiu um decreto ordenando que todos os
presbíteros e os seus subordinados " montassem em
jumentos, mulas e cavalo e viajassem para a cidade de
Nicéia", na província romana da Bitínia, na Ásia Menor.
Eles foram instruídos a trazer com eles os testemunhos na
qual orientavam a ralé ", encadernados em couro" para a
proteção durante a longa viagem, e entregá-los à chegada
a Constantino, em Nicéia (O Dicionário Católico, Addis e
Arnold, 1917, "Conselho de Nicéia entrada "). Seus escritos
totalizaram "ao todas, 2.231 rolos de papel e contos
lendários dos deuses e salvadores, juntamente com um
registro das doutrinas orientadas por eles" (Vida de
Constantino, Op. cit. vol. II, p. 73, N & PNF, op. cit. vol. I, p.
518).

O Primeiro Concílio de Nicéia e os


registros de "desaparecidos".
Assim, o primeiro encontro da história eclesiástica foi
convocado e hoje é conhecido como o Concílio de Nicéia.
Foi um evento bizarro que forneceu muitos detalhes do
pensamento clerical precoce e apresenta uma imagem
clara do clima intelectual vigente na época. Foi nessa
reunião que o Cristianismo nasceu, e os desdobramentos
das decisões tomadas no momento são difíceis de calcular.
Cerca de quatro anos antes de presidir o Conselho,
Constantino havia sido iniciado na ordem religiosa do Sol
Invictus, um dos dois cultos de prosperidade que
consideravam o Sol como o único Deus Supremo (o outro
foi o mitraísmo). Por causa da sua adoração ao sol, ele
instruiu Eusébio de convocar a primeira das três sessões
no solstício de verão, 21 de Junho 325 (Enciclopédia
Católica, Nova edição, vol. I, p. 792), e foi "realizada em
um salão no palácio Osius's" (História Eclesiástica Dupin
Bispo Louis, Paris, 1686, vol. I, p. 598). Em um relato sobre
os integrantes da reunião dos presbíteros reunidos em
Nicéia, Sabinius, Bispo de Hereclea, que estava presente,
disse: "Exceto o próprio Constantino e Eusébio Pamphilius,
eles eram um conjunto de analfabetos, criaturas simples
que não entendiam nada" (Segredos dos Padres da Igreja
Bispo J. W. Sergerus, 1685, 1897 reimpressão).

Esta é uma outra confissão luminosa da ignorância e


credulidade acrítica dos primeiros eclesiásticos. O Dr.
Richard Watson (1737-1816), historiador cristão desiludido
e Bispo de um tempo de Llandaff no País de Gales (1782),
refere a eles como "um conjunto de idólotras idiotas" (Na
apologia ao cristianismo, 1776, 1796 reimpressão,
também, Teológico Tracts, O Dr. Richard Watson, "nos
conselhos de entrada", vol. 2, London, 1786, reedição
revista em 1791). De sua extensa pesquisa sobre os
concílios da Igreja, o Dr. Watson concluiu que "o clero no
Conselho de Nicéia estavam sob o poder do demônio, e a
convenção foi presidida por um canalha que patrocinou as
mais vis abominações" (Na apologia ao cristianismo, Op.
cit.). Foi esse corpo infantil, de homens que foram
responsáveis pelo início de uma nova religião e a criação
teológica de Jesus Cristo.

A Igreja admite que os elementos essenciais do processo


em Niceia estão "estranhamente ausente dos cânones"
(Enciclopédia Católica, Farley ed., Vol. III, p. 160). Veremos
em breve o que aconteceu com eles. No entanto, de
acordo com os registros que presidia, Eusébio "ocupou o
primeiro assento à direita do imperador e entregou o
discurso de posse em nome do imperador" (Enciclopédia
Católica, Farley ed. Vol. v, pp. 619-620). Não houve
presbíteros britânicos no Conselho, mas muitos delegados
gregos. "Setenta bispos orientais", representando facções
dos asiáticos, e um pequeno número veio de outras áreas
(História Eclesiástica, Ibid.). Ceciliano de Cartago viajou da
África, Paphnutius de Tebas do Egito, Nicásio de Die (Dijon)
da Gália, e Donnus de Stridon fez a viagem de Pannonia.

Foi nessa assembléia pueril, e com tantos cultos


representados, que um total de 318 " bispos, sacerdotes,
diáconos, padres, acólitos, exorcistas" se reuniram para
debater e decidir sobre um sistema de crença unificada,
que englobava um único deus (Na apologia ao
cristianismo, Op. cit.). Por esta altura, uma enorme
variedade de "textos selvagens" (Enciclopédia Católica,
New Edition, "Evangelho e evangelhos") também
circularam entre os presbíteros e que apoiaram uma
grande variedade de deuses e deusas orientais e
ocidentais: Júpiter, Baal, Thor, Dionísio,Apolo, Juno, Áries,
Minerva, Hélios, Horus, Hesus, Mithra, Durga, Indra,
Netuno, Khristna, Agni, Hermes, Tammus, Buda, Saturno e
Julius Caesar (Livro de Deus Eskra, anon., cap. XLVIII, n º
36).

Até o Concílio de Nicéia, a aristocracia romana adorava


principalmente dois deuses gregos, Apolo e Zeus, mas a
grande maioria das pessoas comuns, idolatravam ou Julius
Caesar ou Mithras (a versão Romanisada da divindade
persa Mitra). César foi divinizado pelo Senado Romano
após a sua morte (15 de Março 44 aC) e, posteriormente,
venerado como o "Divino Júlio". A palavra "Salvador" foi
posta em seu nome, seu significado literal é "aquele que
semeia a semente", ou seja, ele era um deus fálico. Júlio
César foi aclamado como um "Deus manifestado universal
e Salvador da vida humana", e seu sucessor, Augusto foi
chamado o "Deus e Salvador ancestral de toda a raça
humana" (O homem e seus Deuses, Smith Homer, Little,
Brown & Co., Boston, 1952). O Imperador Nero (54-68 dC),
cujo nome original era Lúcio Domício Aenobarbo (37-68
dC), foi imortalizado em suas moedas como o Salvador da
humanidade "(ibid.). O Divino, como Júlio Romano e
Salvador "Pai do Império", foi considerado "Deus", entre a
plebe romana para mais de 300 anos. Ele era a divindade
nos textos de alguns presbíteros ocidentais", mas não foi
reconhecido no Leste ou em escritos orientais. A intenção
de Constantino em Nicéia foi a criação de um deus
totalmente novo para o seu império que iria unir todas as
facções religiosas em uma divindade. Os Presbíteros foram
convidados a debater e decidir quem o seu novo deus
deveria ser. Os delegados discutiram entre si, expressando
motivos pessoais para a inclusão de escritos particulares
que promovessem os traços mais finos de sua própria
divindade especial. Ao longo da reunião, as facções
discutiam entre sí, imersos em debates acalorados, e os
nomes dos 53 deuses foram apresentadas para discussão.
"No entanto, o nome não tinha sido selecionado pelo
conselho, eles não chegaram a um acordo depois de um
ano e cinco meses em que durou a votação a fim de
determinar quem seria o novo Deus" (Livro de Deus Eskra,
Tradução do Prof SL MacGuire, Salisbury, 1922, capítulo
XLVIII, n. 36, 41).

No final da época, Constantino voltou de seu recolhimento


e descobrir que os presbíteros não tinham acordado uma
nova divindade, mas tinham escolhido uma lista de até
cinco deuses: César, Krishna, Mitra, Horus e Zeus (Historia
Ecclesiastica, Eusébio, c. 325). Constantino foi o espírito
dominante em Niceia, e ele acabou por decidir quem seria
o novo deus para eles. Para envolver as facções britânicas,
ele declarou que o nome do grande deus Druida Hesus, ser
juntasse com o Oriental deus Salvador, Krishna (Krishna é
sânscrito para Cristo), e, portanto, Hesus Krishna seria o
nome oficial do novo deus romano . A votação foi realizada
e foi eleito pela maioria (161 votos a 157) e a nova
divindade se tornou um Deus. Seguindo o costume pagão
de longa data, Constantino usou o encontro oficial e o
decreto apoteótico Romano para legalmente deificar as
duas divindades como uma, e o fez por consenso
democrático. Um novo deus foi proclamado e
"oficialmente" ratificado por Constantine (Acta concilii
Nicaeni, 1618). Esse foi um ato puramente político de
forma eficaz que legalmente deificou Hesus e Krishna
entre os deuses romanos como um composto individual.
Essa abstração emprestou existência terrena, a doutrinas
reunidas para uma nova religião do Império, e porque não
havia a letra "J" em alfabetos até por volta do século IX, o
nome posteriormente evoluiu para o "Jesus Cristo".

Como os Evangelhos foram


criados
Constantino então instruiu Eusébio para organizar a
elaboração de uma coleção de escritos novos e
uniformemente desenvolvidos a partir de aspectos
primários do textos religiosos submetidos ao Conselho.
Suas instruções foram:

"Procure nestes livros, tudo o que é


bom e mantenha em si mesmo, mas
tudo o que for mal lance-o fora. O que
está bom em um livro, junte-os com o
que é bom em outro livro. E tudo
deverá, portanto, ser reunido para ser
chamado de O Livro dos Livros. E será
esta a doutrina do meu povo, que eu
recomendo a todas as nações, e não
haverá mais guerra por causa de
religiões".
(Livro de Deus Eskra, Op. cit., capítulo
XLVIII, n º 31)

"Torne-os surpreendentes", disse Constantino, e "os livros


foram escritos em conformidade" (Vida de Constantino,
Vol. IV, pp. 36-39). Eusébio juntou os contos "lendários de
todas as doutrinas religiosas do mundo como um só",
usando o padrão de Deus, os mitos a partir dos
manuscritos dos presbíteros ", como seus exemplares.
Mesclando os "deuses" sobrenaturais das histórias de
Krishna e Mithra com crenças dos Druidas Britânicos
efetivamente juntou as orações dos presbíteros orientais e
ocidentais "para formar uma nova crença universal" (ibid.).
Constantino acreditava que essa coleção de mitos reunidos
em um único livro uniria uma variante de religiões de
facções opostas em uma história representativa. Eusébio,
em seguida, providenciou escribas para produzir "
cinquenta exemplares suntuosos... que foram escritos em
pergaminho, de forma legível, e de forma conveniente,
portátil, por escribas profissionais e competentes em sua
arte" Esses foram os "Novos Testemunhos", e esta é a
primeira menção (331 dC) do Novo Testamento no registro
histórico.

Satisfeito com as suas instruções, Constantino decretou


que os novos testemunhos posteriormente chamados de a
"palavra de Deus, o Salvador romano" (Vida de
Constantino, Vol. III, p. 29) fossem oficiais para todos os
presbíteros no Império Romano. Ele então ordenou que os
manuscritos presbiteriais anteriores e os registros do
Conselho fossem "queimados" e declarou que "qualquer
homem que fosse encontrado escrevendo dissimulações
deveria ser degolado". Como mostra o registro, escritos
presbiteriais anteriores ao Concílio de Niceia não existem
mais, com exceção de alguns fragmentos que
sobreviveram.

Alguns registros do Conselho também sobreviveram, e eles


forneceram ramificações alarmantes para os documentos
da Igreja. Alguns velhos documentos dizem que o Primeiro
Concílio de Nicéia, terminou em meados de Novembro de
326 dC, enquanto outros dizem que a luta para estabelecer
um deus era tão feroz que se estendeu "por quatro anos e
sete meses ", desde o seu início em Junho de 325 (citação
de Segredos dos Padres da Igreja, ..). Independentemente
de quando ele terminou, a selvageria e violência abrangida
estava escondida sob o título brilhante de o "Grande e
Santo Sínodo", atribuído ao conjunto da Igreja no século
18. Anteriormente ,no entanto, os padres manifestaram
uma opinião diferente.

O Segundo Concílio de Niceia, em 786-787 denunciou o


Primeiro Concílio de Nicéia, como "um sínodo de tolos e
loucos" e procurou anular "as decisões passadas por
homens com cérebros perturbados" (História da Igreja
Cristã, HH Milman, DD, 1871 ). Se alguém opta por ler os
registros do Segundo Concílio de Niceia, nota as
referências a "bispos atemorizados" por soldados e a
"necessidade para acabar com os trabalhos ", os tolos e
declaração de loucos é certamente um exemplo do
mendigo falando do esfarrapado .

Constantino morreu em 337 dC e sua conseqüência de


muitas crenças pagãs agora posta em um novo sistema
trouxe muitas conversões religiosas. Mais tarde, os
escritores da Igreja fez dele "o grande campeão do
Cristianismo", que deu "status legal como a religião do
Império Romano" (Enciclopédia do Império Romano,
Bunson Mateus, Fatos em File, New York, 1994, p. 86). Os
registros históricos revelam que isto é incorreto, pois foi o
"auto-interesse" que o levou a criar o Cristianismo (Um
menor Classical Dictionary, J. M. Dent, Londres, 1910, p.
161). No entanto, não foi chamado de "cristianismo" até o
século 15 (Como o Pan grande morreu, Professor Edmond
Bordeaux S. [] arquivista do Vaticano, Mille Meditações,
E.U.A., MCMLXVIII, pp. 45-7).

Ao longo dos séculos seguintes, os novos depoimentos


sobre Constantino foram aproveitados ", interpolações"
foram adicionados e outros escritos incluídos (Enciclopédia
Católica, Farley ed. Vol. VI, pp. 135-137, também, Pecci ed.
vol. ii, pp. 121-122). Por exemplo, em 397 John "boca
dourada" Crisóstomo reestruturou os escritos de Apolônio
de Tiana, um sábio do século I, e fez deles parte dos novos
testemunhos (Segredos dos Padres da Igreja, Op. cit.). O
nome latinizado de Apolônio é Paulus (Um latino-Dicionário
de Inglês, JT e JE White Riddle, Ginn & Heath, Boston,
1880), e hoje a Igreja chama aqueles escritos nas Epístolas
de Paulo. O assistente pessoal de Apolônio, Demis, um
escriba assírio, é Demas no Novo Testamento (2 Tm. 4:10).

A hierarquia da Igreja conhece a verdade sobre a origem


de suas Epístolas, para o Cardeal Bembo (d. 1547),
secretário do Papa Leão X (d. 1521), aconselhou os seus
associados, o cardeal Sadoleto, a ignorá-las, dizendo que
"repudiar estas ninharias , para tais absurdos não se tornar
um homem de dignidade, pois eles foram introduzidos à
cena depois por uma voz falou do céu "(Cardeal Bembo:
Suas cartas e Comentários sobre Papa Leão X, A. L. Collins,
London, 1842 reimpressão).

A Igreja admite que as epístolas de Paulo são falsificações,


dizendo: "Mesmo as verdadeiras Epístolas foram muito
interpolados para dar peso às opiniões pessoais de seus
autores" (Enciclopédia Católica, Farley ed. Vol. vii, p. 645).
Da mesma forma, São Jerônimo (m. 420) declarou que os
Atos dos Apóstolos, o quinto livro do Novo Testamento,
também foi "falsamente escrito" ("As Cartas de Jerônimo",
Biblioteca dos Padres, Movimento de Oxford, 1833-1845 ,
vol. V, p. 445).

A descoberta de choque de uma Bíblia


antiga
O Novo Testamento posteriormente evoluiu para uma peça
de propaganda completa para o sacerdócio, e a Igreja
alegou que registou a intervenção de um ser divino como
Jesus Cristo em assuntos terrenos. No entanto, uma
descoberta espetacular de um remoto mosteiro egípcio
revelou ao mundo o grau de falsificações dos textos
cristãos, que eram apenas recortes "de contos lendários"
(Encyclopédie, Diderot, 1759). Em 04 de fevereiro de 1859,
346 folhas de um códice antigo foram descobertos no
quarto forno, no mosteiro de Santa Catarina no Monte
Sinai, e seu conteúdo chocou o mundo cristão. Juntamente
com outros antigos códices, foi programado para ser
queimado nos fornos para fornecer o calor de inverno para
os moradores do mosteiro. Escrito em grego, em peles de
burro, é realizado tanto no Antigo e Novo Testamento, e
mais tarde na data de arqueólogos tempo para a sua
composição em torno do ano 380 dC. Foi descoberto pelo
Dr. Constantin von Tischendorf (1815-1874), um brilhante
e piedoso alemão estudioso da bíblica, e ele o chamou de
Sinaiticus, a Bíblia do Sinai. Tischendorf foi um professor
de teologia, que dedicou sua vida inteira ao estudo das
origens do Novo Testamento, e seu desejo de ler todos os
textos antigos Christãos que levou na longa viagem,
montado num camelo até o Mosteiro de Santa Catarina.

Durante sua vida, Tischendorf teve acesso a outras Bíblias


antigas disponíveis para o público, como a Bíblia
Alexandrina, que se acredita ser a segunda Bíblia mais
antiga do mundo. Foi assim chamada porque em 1627 ela
foi levada de Alexandria para a Grã-Bretanha e
presenteada ao rei Charles I (1600-1649). Hoje ela é
exibida ao lado das bíblias mais antigas do mundo
conhecido, o Sinaiticus, na British Library, em Londres.
Durante sua pesquisa, Tischendorf teve acesso no
Vaticano, a Bíblia do Vaticano, que se acredita ser a
terceira mais antiga do mundo, datada de meados do
século sexto (As várias versões da Bíblia, Dr. Constantin
von Tischendorf, 1874, disponível na Biblioteca Britânica).
Ela foi trancada na biblioteca interna do Vaticano.
Tischendorf perguntou se podia extrair anotações
manuscritas, mas seu pedido foi recusado. No entanto,
quando o guarda se distraiu, Tischendorf escreveu
narrativas comparativas sobre a palma da mão e às vezes
nas unhas ("são nossos verdadeiros Evangelhos ou não?",
O Dr. Constantin von Tischendorf, palestra de 1869,
disponíveis na British Library) .

Hoje, existem várias outras Bíblias escritas em várias


línguas, durante o quinto e sexto séculos, sendo exemplos
a Syriacus, o Cantabrigiensis (Bezae), o Sarravianus e
Marchalianus.

Um tremor de apreensão ecoou a cristandade no último


quartel do século 19, quando as versões da linguagem
Inglêsa da Bíblia Sinai foram publicados. Gravado dentro
destas páginas está a informação que contesta a
afirmação da historicidade do cristianismo. Aos cristãos
foram fornecidos elementos de prova irrefutável da
falsificação deliberada em todo o moderno Novo
Testamento. Tão diferente era o Novo Testamento a partir
de versões da Bíblia do Sinai, sendo que a Igreja publicou
raivosamente tentando anular a nova prova e
dramaticamente desafiou a sua própria existência. Em
uma série de artigos publicados na London Quarterly
Review em 1883, John W. Burgon, Deão de Chichester,
havia usado cada recurso retórico à sua disposição para
atacar o Sinaiticus "mais cedo e se opondo a história de
Jesus Cristo, dizendo que" ... sem uma partícula de
hesitação, o Sinaiticus é escandalosamente corrupto. ..
exibindo os textos mais vergonhosamente mutilados que
estão a ser cumpridas em qualquer lugar com, eles
tornaram-se, por qualquer processo, o depósito de maior
quantidade de leituras fabricadas, erros antigos e
perversões intencionais da verdade, que podem ser
encontrados em todas as cópias conhecidas da palavra de
Deus ". preocupações Dean Burgon espelho aspectos
opostos de histórias do Evangelho em curso, tendo até
agora evoluiu para uma nova etapa através de séculos de
interferir com o tecido de um documento já unhistorical.

As revelações dos testes de luz


ultravioleta
Em 1933, o Museu Britânico em Londres, comprou a Bíblia
do Sinai, do governo soviético por R$ 100.000, dos quais £
65,000 foi agraciado por subscrição pública. Antes da
aquisição, esta Bíblia foi exibida na Biblioteca Imperial de
São Petersburgo, na Rússia, e "poucos estudiosos haviam
postos os olhos sobre ela" (O Daily Telegraph e Correio da
Manhã, Em 11 de janeiro de 1938, p. 3). Quando ele
passou a exibir em 1933 como "a mais antiga Bíblia do
mundo" (ibid.), se tornou o centro de uma peregrinação
incomparável na história do Museu Britânico.

Antes de me resumir os seus conflitos, deve-se notar que


este códice antigo é de nenhuma maneira um guia
confiável para o estudo do Novo Testamento, porque
contém erros graves superabundantes e re-edições. Estas
anomalias foram expostas como resultado de meses de
testes com luz ultravioleta realizado no Museu Britânico,
em meados da década de 1930. Os resultados revelaram a
substituição de inúmeras passagens de pelo menos nove
diferentes editores. Fotografias tiradas durante os testes
revelaram que os pigmentos de tinta tivesse sido mantido
no fundo dos poros da pele. As palavras originais foram
legível sob a luz ultravioleta. Qualquer um que deseje ler
os resultados dos testes devem consultar o livro escrito
pelos investigadores que fizeram a análise: os Guardiões
do departamento de manuscritos do Museu Britânico
(Escribas e corretores do Códice Sinaiticus, Milne HJM e TC
Skeat, Museu Britânico, Londres, 1938).

Falsificação dos Evangelhos


Quando o Novo Testamento na Bíblia do Sinai é comparado
com um moderno Novo Testamento de hoje, a alterações
são surpreendentes cerca de 14.800 mudanças podem ser
identificadas. Estas alterações podem ser reconhecidos por
um simples exercício comparativo que qualquer um pode e
deve fazer. Estudos sérios das origens cristãs devem
emanar da versão da Bíblia do Sinai do Novo Testamento,
não das edições modernas.

De importância é o fato de que o Sinaiticus contem três


Evangelhos rejeitados: o Pastor de Hermas (escrito por
dois fantasmas ressuscitados, e Charinus Lenthius), a
missiva de Barnabé e as Odes de Salomão. Espaço exclui a
elaboração destes textos bizarros e também a discussão
sobre os dilemas associados a variações de tradução.

As Bíblias Modernas removem a tradução das primeiras


versões e as controvérsias sobre a raiva entre os
tradutores e as interpretações variantes de mais de 5.000
palavras antigas. No entanto, é que não escrito em que a
Bíblia antiga que envergonha a Igreja, e este artigo aborda
apenas algumas das omissões. Um exemplo gritante é
sutilmente revelado no Enciclopédia Biblica (Adam &
Charles Black, London, 1899, vol. III, p. 3344), onde a
Igreja divulga o seu conhecimento sobre as exclusões nas
Bíblias antigas, dizendo: "A observação tem há muito
tempo e muitas vezes fez com que, como Paulo, até o
primeiros Evangelhos nada sabia sobre o nascimento
milagroso de nosso Salvador ". Isso é porque nunca houve
um nascimento virgem.

É evidente que quando Eusébio contratou escribas para


escrever os novos testemunhos, ele primeiro apresentou
um documento único, que proporcionou um exemplar ou
uma versão mestre. Hoje ele é chamado de o Evangelho
de Marcos, e a Igreja admite que foi "o primeiro Evangelho
escrito" (Enciclopédia Católica, Farley ed. Vol. VI, p. 657),
embora apareça em segundo lugar no Novo Testamento
hoje. Os escribas dos Evangelhos de Mateus e Lucas foram
dependentes da escrita de Marcos como a origem e
estrutura para a compilação das suas obras. O Evangelho
de João é independente desses escritos, e a teoria do final
do século 15 que ele foi escrito depois de apoiar a escritos
anteriores é a verdade (A crucificação da verdade, Bushby
Tony, livros de Josué, 2004, pp. 33-40).

Assim, o Evangelho de Marcos na Bíblia do Sinai carrega a


história "antes de Jesus Cristo na história, completamente
diferente do que está na Bíblia moderna. Ela começa com
Jesus "em cerca de trinta anos de idade" (Marcos 1:09), e
não sabe de Maria, uma virgem ou assassinatos em massa
de meninos por Herodes. Palavras que descrevem Jesus
Cristo como "o filho de Deus" não aparecem na narrativa
de abertura como fazem nas edições de hoje (Marcos 1:1),
e a árvore da família moderna traçando uma
linhagem"messiânica" de volta para o rei Davi não é
existente em todas as Bíblias antigas, como são agora
chamados "profecias messiânicas" (51 no total). A Bíblia do
Sinai carrega uma versão conflitante de eventos que
envolvem a "ressurreição de Lázaro", e revela uma
omissão extraordinária, que mais tarde se tornou a
doutrina central da fé cristã: as aparições da ressurreição
de Jesus Cristo e sua ascensão ao céu. Nenhum aspecto
sobrenatural de um Jesus Cristo ressuscitado é registrado
em qualquer Evangelhos antigos de Marcos, mas uma
descrição de mais de 500 palavras agora aparece nas
Bíblias modernas (Marcos 16:9-20).

Apesar de uma infinidade de longa-out elaborado auto-


justificações pelos apologistas da Igreja, não há
unanimidade de opinião cristã sobre a não-existência de
"ressurreição" aparições nas contas antigas Evangelho da
história. Não são apenas as narrativas faltando na Bíblia do
Sinai, mas estão ausentes na Bíblia de Alexandria, a Bíblia
do Vaticano, a Bíblia Bezae e um antigo manuscrito latino
de Mark, de codinome "K" por analistas. Eles também
estão faltando na versão mais antiga Armênia do Novo
Testamento, nos manuscritos do século VI da versão
Etíope e Bíblias do nono século anglo-saxãs. No entanto,
alguns evangelhos do século 12 que a ressurreição já
conhecidos versos escritos dentro de marcas de asteriscos
utilizado pelos escribas para indicar passagens falsas em
um documento literário.

A Igreja afirma que "a ressurreição é o argumento


fundamental para a nossa fé cristã" (Enciclopédia Católica,
Farley ed. Vol. xii, p. 792), mas não a aparência
sobrenatural de Jesus Cristo ressuscitado é registrado em
qualquer dos primeiros Evangelhos de Marcos disponíveis.
A ressurreição e ascensão de Jesus Cristo é a condição sine
qua non ("sem que nada") do Cristianismo (Enciclopédia
Católica, Farley ed. Vol. xii, p. 792), confirmada por
palavras atribuídas a Paulo: "Se Cristo não ressuscitou, a
vossa fé é vã" (1 Cor. 5:17). Os versos da ressurreição nos
Evangelhos de Marcos são hoje universalmente
reconhecidos como falsos, e a Igreja concorda, dizendo
que "a conclusão de Marcos não é reconhecidamente uma
verdadeira ... quase toda a seção é uma compilação
posterior" (Enciclopédia Biblica, Vol. II, p. 1880, vol. III, pp.
1767, 1781; também, Enciclopédia Católica, vol. iii, sob o
título "A evidência da sua falsidade"; Enciclopédia Católica,
Farley ed. Vol. III, pp. 274-9 rubrica "cânones"). Destemida,
no entanto, a Igreja aceitou a falsificação em seus dogmas
e fez dela a base do cristianismo.

A tendência de narrativas da ressurreição fictícia continua.


O último capítulo do Evangelho de João (21) é uma
falsificação do século VI, um capítulo inteiramente
dedicado a descrever a ressurreição de Jesus aos seus
discípulos. A Igreja admite: "A única conclusão que se pode
deduzir é que o capítulo 21 foi acrescentado
posteriormente e que, portanto, foi considerado como um
apêndice do Evangelho" (Enciclopédia Católica, Farley ed.
Vol. VIII, pp. 441-442; Nova Enciclopédia Católica (NCE),
"Evangelho de S. João, p. 1080, também NCE, Vol. xii, p.
407).

"A maior inserção" e "A Grande


Omissão"
As versões modernas do Evangelho de Lucas tem um
adicionau de mais de 10.000 palavras do que o Evangelho
da Bíblia do Sinai. Seis vezes essas palavras diceram que
Jesus " foi elevado até o céu", mas a narrativa não aparece
em qualquer uma dos mais antigos Evangelhos de Lucas
disponíveis hoje ("Three Early Modificações doutrinária do
texto do Evangelho", o FC Conybeare, O Jornal Hibbert,
London, vol. Um, não. 1 de outubro 1902, pp. 96-113). As
versões antigas não relatam os mesmos contos de hoje em
dia de uma ascensão de Jesus Cristo, e esta falsificação
indica claramente a intenção de enganar.

Hoje, o Evangelho de Lucas é o mais longo dos evangelhos


canônicos, pois agora inclui "A maior inserção", um
acréscimo extraordinário do século 15, totalizando cerca
de 8.500 palavras (Lc 9,51-18,14). A inserção destas
falsificações confunde os analistas dos modernos
Evangelho cristãos, e eles a Igreja, disseram: "O caráter
dessas passagens torna perigoso tirar qualquer
conclusões" (Enciclopédia Católica, Pecci ed. Vol. II, p.
407).

Assim como notável, o mais antigo dos Evangelhos de


Lucas omitem todos os versículos 6:45-8:26, conhecido nos
círculos do sacerdócio como "A grande omissão", num total
de 1.547 palavras. Nas versões de hoje, esse buraco foi
"conectado" com passagens plagiadas de outros
Evangelhos. Dr. Tischendorf descobriu que três pontos em
versões mais novas do Evangelho de versão de Lucas da
Última Ceia, surgiu no século 15, mas a Igreja ainda
mostra o Evangelho para as massas como a palavra
"autêntico de Deus" ("são nossos verdadeiros Evangelhos
ou não? ", op. cit.)

O "Índice do Expurgatorio"
Como foi o caso com o Novo Testamento, assim também
foram os escritos nocivos dos primeiros Padres da Igreja
"em vez de copiar séculos, e muitos de seus registros
foram intencionalmente reescritos ou suprimidos.

Adotando os decretos do Concílio de Trento (1545-1563), a


Igreja posteriormente alargou o processo de apagamento e
ordenou a preparação de uma lista especial de
informações específicas para ser expurgada dos primeiros
escritos cristãos (Delimitação do Catolicismo Romano, Rev.
Charles Elliott, DD, G. & Lane Sandford PP, New York, 1842,
p. 89, que também O Vaticano Censores, Elmsley Professor
Peter, Oxford, p. 327, pub. data n / a).

Em 1562, o Vaticano criou um escritório de censura


especial chamado Índice Expurgatorius. Seu objetivo era
proibir a publicação de "passagens erradas dos primeiros
Padres da Igreja" que levassem a declarações contrárias a
doutrina moderna.

Quando os arquivistas do Vaticano vieram através de


"cópias genuínas dos Padres, que corrigiu-los de acordo
com o Índice Expurgatory" (Vaticanus Índice Expurgatorius,
R. Gibbings, ed., Dublin, 1837; A Política de Literatura da
Igreja de Roma, Mendham Joseph, J. Duncan, London,
1830, 2a ed., 1840; O Vaticano Censores, Op. cit., p. 328).
Este registro da Igreja proporciona aos pesquisadores
"sérias dúvidas sobre o valor de todos os escritos
patrísticos lançado para o público" (A imprensa
Propaganda de RomaSir James Claxton WL, Whitehaven
Books, London, 1942, p. 182).

Importante para a nossa história é o fato de que a


Enciclopédia Bíblica revela que cerca de 1.200 anos de
história cristã são desconhecidos: "Infelizmente, são
poucos os registros [da Igreja] antes do ano 1198 foram
liberados". Não foi por acaso que, nesse mesmo ano
(1198), o Papa Inocêncio III (1198-1216) suprimiu todos os
registros da história da Igreja anterior estabelecendo o
Arquivo Secreto (Enciclopédia Católica, Farley ed. Vol. xv,
p. 287). Cerca de sete e meia séculos mais tarde, e depois
de passar alguns anos nos Archives, Professor Edmond
Bordeaux S. escreveu Como o grande Pan morreu. Em um
capítulo intitulado "toda a história da Igreja não é senão
uma fabricação retroactiva", ele disse isso (em parte):
"A Igreja falcificou a data de todos os seus
últimos trabalhos, alguns recém-feitos, algumas
revistos e alguns contrafeitos, que continham a
expressão final de sua história ... a sua técnica
era fazer com que os testemunhos criados por
escritores da Igreja parecessem que foram
escritos séculos antes, de modo que eles
pudessem se tornar elementos do primeiro,
segundo ou terceiro séculos. " (Como o grande
Pan morreu, Op. cit., p. 46)

O Apoio aos resultados do Professor Bordeaux é o fato de


que, em 1587, o Papa Sisto V (1585-1590) estabeleceu
uma divisão de publicação oficial do Vaticano e disse em
suas próprias palavras, "a história da Igreja será agora
criada ... vamos tentar imprimir a nossa história por conta
própria " (Encyclopédie, Diderot, 1759) Os registros do
Vaticano também revelam que Sisto V passou 18 meses de
sua vida como o papa a escrever pessoalmente uma nova
Bíblia que depois foi introduzida no catolicismo para um
"novo aprendizado" (Enciclopédia Católica, Farley ed., vol.,
p. 442, vol. xv, p. 376). A prova de que a Igreja escreveu
sua própria história é encontrada na Enciclopédia Diderot,
E revela a razão pela qual o Papa Clemente XIII (1758-
1769) ordenou que todos os volumes fossem destruídos
imediatamente após a publicação em 1759.

Os autores do Evangelho
expostos como
impostores
Há algo mais envolvido nesse cenário e é registrado na
Enciclopédia Católica. Uma apreciação da mentalidade
clerical surge quando a própria Igreja admite que não sabe
quem escreveu seu Evangelho e nas Epístolas,
confessando que todos os 27 escritos do Novo Testamento
começaram a vida de forma anônima:

"Assim, parece que os títulos dos presentes


Evangelhos não são rastreáveis para os
evangelistas... as coleções do Novo Testamento
são fornecidos com os títulos que, no entanto
antigos, não voltam para os respectivos autores
desses escritos. "(Enciclopédia Católica, Farley
ed. Vol. VI, pp. 655-6)

A Igreja sustenta que "os títulos dos nossos Evangelhos


não se destinavam a indicar a autoria, acrescentando que"
as posições ... foram afixados a eles "(Enciclopédia
Católica, Farley ed. Vol. I, p. 117, vol. VI, pp. 655, 656).
Portanto, eles não são Evangelhos escritos "de acordo com
Mateus, Marcos, Lucas e João", como declarou
publicamente. Toda a força dessa confissão revela que não
existem verdadeiros Evangelhos apostólicos, e que os
falsos escritos sombrios da Igreja de hoje incorporam o
próprio chão e pilares das fundações e da fé cristã. As
consequências são fatais para a pretensão de origem
divina dos textos e todo o Novo Testamento cristão é
exposto como não tendo qualquer autoridade especial.
Durante séculos,os fabricados Evangelhos criados pela
Igreja que os certificava como sendo autênticos, já
confessou que na verdade são falsos, e isso prova que os
escritos cristãos são totalmente falaciosos.

Após anos de pesquisa dedicado ao Novo Testamento, o


Dr. Tischendorf expressou consternação com as diferenças
entre os mais velhos e os mais novos Evangelhos, e teve
dificuldade para entender ...
"... Como os escribas podiam permitir-se alterar aqui e ali
as mudanças que não foram simplesmente só verbais mas
o significado foi materialmente muito afetado e o que é
ainda pior, não recuaram diante de cortar uma passagem
ou inserir outra. "
(Alterações à Bíblia Sinai, Dr. Constantin von Tischendorf,
1863, disponíveis na British Library, Londres)

Depois de anos de validar a natureza fictícia do Novo


Testamento, um desiludido Dr. Tischendorf confessou que
as edições dos dias modernos "foram alterados em muitos
lugares" e "não são para ser aceito como verdadeiro"
(Quando eram os nossos Evangelhos escritos?, Dr.
Constantin von Tischendorf, 1865, British Library, London).

Apenas o que é o cristianismo?


A pergunta importante, então a perguntar é o seguinte: se
o Novo Testamento não é histórica, o que é?
Dr. Tischendorf forneceu parte da resposta quando disse
em sua 15 mil páginas de anotações críticas sobre a Bíblia
do Sinai que "parece que o personagem de Jesus Cristo foi
criado como narrador para muitas religiões". Isso explica
como as narrativas do antigo épico indiano, o
Mahabharata, Aparecem textualmente no Evangelho de
hoje (por exemplo, Matt. 1:25, 2:11, 8:1-4, 9:1-8, 9:18-26),
e porque as passagens dos fenômenos do estadista grego
Aratus de Sicyon (271-213 aC) estão no Novo Testamento.

Excertos da Hino a Zeus, Escrito por Cleantes, filósofo


grego (c. 331-232 aC), também são encontradas nos
Evangelhos, como são 207 palavras do Thais de Menandro
(c. 343-291), um dos "sete sábios" da Grécia. Cotações do
semi-lendário poeta grego Epimênides (século 7 ou 6 aC)
são aplicadas nos lábios de Jesus Cristo, e de sete trechos
de curiosos Ode de Júpiter (C. 150 aC, autor desconhecido)
foram reimpressos no Novo Testamento.

A conclusão do Professor Tischendorf também apoia as


conclusões que revelam que a alegoria de Jesus Cristo foi
derivado da fábula de Mitra, o divino Filho de Deus (Ahura
Mazda) e Messias dos primeiros reis do Império Persa por
volta de 400 aC. Seu nascimento numa gruta foi atendido
por magos que seguiram uma estrela do Oriente. Eles
trouxeram "presentes de ouro, incenso e mirra" (como em
Matt. 2,11) e para o bebê recém-nascido foi adorado pelos
pastores. Ele veio ao mundo, vestindo o boné Mithraic, que
os Papas imitaram em vários projetos até meados do
século 15.

Mitra,o um de uma Trindade, estava sobre uma rocha, o


emblema da fundação da sua religião, e foi ungido com
mel. Após uma última ceia com Helios e 11 outros
companheiros, Mitra foi crucificado em uma cruz, enrolado
em linho, colocado em um túmulo de rocha e ressuscitou
no terceiro dia ou em torno de 25 março (a lua cheia no
equinócio da primavera, que agora é chamado de Páscoa
em homenagem à deusa da babilônica Ishtar). A
destruição impetuosa do universo foi a doutrina principal
do Mitraísmo e o tempo em que Mithra prometeu voltar em
pessoa para a Terra e salvar as almas que merecessem. Os
devotos de Mitra participaram de um banquete sagrado da
comunhão do pão e do vinho, numa cerimónia ritualizada
por mais de quatro séculos. E copiada pela Eucaristia
cristã.

O cristianismo é uma adaptação do Mitraísmo colado com


os princípios druídicos dosCuldees , alguns
elementos do Egito (o livro pré-cristão do Apocalipse foi
originalmente chamado Os Mistérios de Osíris e Ísis), A
filosofia grega e vários aspectos do hinduísmo.

Por que não há registros de Jesus


Cristo?
Não é possível encontrar em qualquer escritos religiosos
legítimos ou históricos compilados entre o início do
primeiro século e no quarto século qualquer referência a
Jesus Cristo e os eventos espetaculares que a Igreja diz
que acompanhou a sua vida. Esta confirmação vem de
Frederic Farrar (1831-1903) do Trinity College, Cambridge:

"É espantoso que a história foi embalsamada para nós, um


certo ou definitivo dizendo a circunstância da vida do
Salvador da humanidade ... não há nenhuma indicação em
toda a história que diz que alguém viu Jesus ou falou com
ele. Nada na história é mais surpreendente do que o
silêncio dos escritores contemporâneos sobre os eventos
transmitidos nos quatro Evangelhos ".
(A Vida de Cristo, Frederic W. Farrar, Cassell, Londres,
1874)

Esta situação resulta de um conflito entre a história e as


narrativas do Novo Testamento. Dr. Tischendorf fez o
seguinte comentário:

"Temos de admitir francamente que não temos


fonte de informação no que diz respeito à vida
de Jesus Cristo fora os escritos eclesiásticos
reunidos durante o quarto século."
(Codex Sinaiticus, Dr. Constantin von
Tischendorf, British Library, Londres)

Há uma explicação para as centenas de anos de silêncio: A


construção do Cristianismo não começa até após o
primeiro trimestre do quarto século, e é por isso que o
Papa Leão X (d. 1521) chama o Cristo uma fábula
"(Cardeal Bembo: suas letras ..., Op. cit.).

Sobre o autor:

Tony Bushby, um australiano, tornou-se um empresário e


empreendedor no início de sua vida adulta. Ele
estabeleceu um negócio de publicação de revista e passou
20 anos pesquisando, escrevendo e publicando suas
próprias revistas, principalmente para os mercados da
Austrália e Nova Zelândia.
Com fortes crenças espirituais e um interesse em assuntos
metafísicos, Tony desenvolveu relacionamentos longos
com muitas associações e sociedades de todo o mundo
que têm ajudado a sua pesquisa, tornando os arquivos
disponíveis. Ele é o autor de A Fraude da Bíblia (2001,
revisto em NEXUS 06/08 com extratos em NEXUS 9/01-03),
O Segredo da Bíblia (2003, revisto em 02/11, com o
extrato, "Antigas Cidades sob as areias de Gizé", em
03/11) e A crucificação da verdade (2005, revisto em
12/02) e A dupla decepção (2007; 14/03 revisado). Cópias
desses livros estão disponíveis no site da NEXUS e os livros
de Josué website http://www.joshuabooks.com.

Como Tony Bushby vigorosamente protege sua


privacidade, toda a correspondência deve ser enviada para
o cuidado da NEXUS Magazine, PO Box 30, Mapleton Qld
4560, na Austrália, fax +61 (0) 7 5442 9381.

por © Bushby Tony março 2007


Endereço para correspondência:
c NEXUS Magazine / -
PO Box 30 Mapleton, Qld 4560, na Austrália
Fax: +61 (0) 7 5493 1900

http://www.exminister.org/Bushby-forged-
origins-NewTestament.html

Os primeiros cristãos encobriram a


verdade - a Bíblia é uma farsa

Meu livro favorito sobre a História do


Cristianismo (e outras religiões) foi
escrito por William Hopper e foi
chamado O Guia do Heathen de
Religiões Mundiais. William Hopper
tinha dois talentos (talvez mais -, mas
dois são relevantes): ele era um
humorista e tinha uma extensa educação
em Religiões Comparadas. Gostaria de
seu livro para ser lido por todos, mas é
um livro e, como tal, demasiado grande
para colocar em linha - além disso, ele não deu permissão. Em vez disso, este
artigo resume o que eu acho que é um ponto-chave - e antes de descartá-lo
como fantasia, há outros que têm dito a mesma coisa de modo não tenha sido
inventada. Eu desafio qualquer um a contestar os fatos aqui apresentados.

Então eu vou resumir em forma de bala para mantê-lo o mais breve possível.
•Constantino se tornou o imperador de Roma com sucesso em 306-337 dC.
•Constantino era um adorador de Apollo - e não um cristão -, mas sua mãe,
Helena, era uma cristã. Portanto, ele não queria matar os cristãos já que ela
iria ser morta ou odiá-lo por isso
•Constantino usou o símbolo cristão (a cruz) no campo de batalha e venceu.
Ele, portanto, prestou homenagem ao deus particular que tinha ajudado a ele -
como qualquer seguidor de Apolo.
•Constantino criou a imagem de Jesus como sendo semelhante à imagem de
Apolo na época - uma bela figura masculina envolto em vestes brancas e
parecendo muito amorosa e sábia. Infelizmente para os cristãos, houve um
verdadeiro historiador credível na época de Jesus (Josefo), que descreveu
Jesus como segue:
Neste momento, também, apareceu um homem de poder mágico, se é lícito
chamá-lo de homem, a quem alguns gregos chamam de filho de Deus, mas os
seus discípulos o verdadeiro profeta disse para levantar os mortos e curar
todas as doenças. Sua natureza e forma eram humanos, um homem de
aparência simples, a pele escura, maduro, estatura pequena, corcunda, com um
rosto comprido, nariz comprido e sobrancelhas reunidas, de modo que quem o
vêr pode se atemorizar , cabelo escasso, com uma divisão no meio da cabeça,
à maneira do Nairites, e uma barba subdesenvolvida.

E para citar Hopper:

Esta descrição foi editada pelos cristãos no século IV com a seguinte redação:

"... A pele Rosada, estatura média, bem crescida com um rosto venerável, o
nariz bonito, agradável sobrancelhas negras com bons olhos a fim de que os
espectadores pudessem amá-lo, com o cabelo crespo da cor de avelãs verdes,
com um ar suave e sereno, sem marca e sem rugas da testa, olhos azuis, boca
bonita, com uma barba abundante da mesma cor dos cabelos, partido ao meio,
os braços e as mãos cheias de graça ... "

Se você ler qualquer coisa de Josefo, você vai entender que o cara nunca iria
escrever nada sendo lisonjeiro a ninguém. (Ambas as passagens são citadas
diretamente A história criminal da humanidade por Colin Wilson, páginas 215
e 216).

Não aceite a minha palavra. Procurá-lo. Você vai encontrar uma tradução
muito boa esta descrição em um livro intitulado O Messias Jesus e João
Batista, por Robert Eisler. Além disso, ler o original de Josefo. Qualquer cópia
vai fazer, mas como Eisler explica em seu livro, os primeiros cristãos
falsificaram alguns (mas não todas) das cópias de obras de Josefo. O texto
original ainda está prontamente disponível. Você sabe que você tem a versão
genuina se a descrição de Jesus como alguém que lê mais você veria no
Halloween do que no Natal.

Isso mostra que os primeiros cristãos não eram de todo avessa à mudança dos
textos para se adequarem.

•Na época de Constantino, não havia nenhuma coisa como a Igreja. Nenhum
papa, nenhuma autoridade central e nem a Bíblia. Mas havia um monte de
seitas cristãs que discordavam uns dos outros. As seitas romanas e gregas
disseram que Jesus era divino, mas não os outros que disseram que ele era um
professor e profeta (como Mohammed, disse mais tarde). Então, Constantino
conclamou o Concílio de Nicéia. Foi chamado o Conselho Ecumênico, que
significava simplesmente Conselho do mundo habitado . O objetivo era ter
uma religião única, que não contradizesse o direita de Constantino de ser o
imperador. O processo foi registrado em detalhes e estes documentos estão
disponíveis hoje.

•O primeiro item a ser decidido é se Jesus era divino, como Constantino


acreditou. Todos concordaram que ele era (já que eles sabiam que o Imperador
queria que fosse), mas dois bispos (Arius e Marcius) discordaram
completamente, eloquentemente e logicamente. Depois de algum debate,
foram declarados hereges e decapitado no chão do conselho.

•Os textos trazidos para o município, foram selecionadas de modo que apenas
aqueles que concordaram com as noções pré-concebidas foram "aprovados"-
Assim nasceu a Bíblia. Muitos textos foram destruídos e proibidos. Que
discordasse arriscava-se a ser decapitado.

•No entanto, na década de 1800, alguns textos enterrados (os textos gnósticos)
foram descobertos, que incluiu muitas destas versões proibidas. Os textos
descobertos foram:

O Evangelho de Maria
O Evangelho de Tomé
O Evangelho de Filipe
A Lei de Peter
E muitos mais. É onde as histórias de Maria Madalena como esposa de Jesus
"veio.
Assim, a Bíblia é uma compilação de textos selecionados para concordar com
regime procurado pelo "poder temporal" e convenientemente apoiado no que
Cosntantino queria ouvir. Não há suporte para a coerência da história, ou
qualquer razão por que deve ser acreditado. É simplesmente ridículo falar
sobre isso como algo mais do que um bom livro de mitos, da mesma forma
que as histórias sobre os Deuses dos mitos gregos são divertidos.

Jesus não existiu

Agora, antes de citar Flávio Josefo para mim, eu vou citá-lo aqui:

Neste momento, também, apareceu um homem [que tinha poderes de mágico


como os de Las Vegas!], Se é lícito chamá-lo de homem, a quem alguns
gregos chamam de filho de Deus, mas para os seus discípulos o verdadeiro
profeta disse para levantaria dos mortos e curaria todas as doenças. Sua
natureza e forma eram humanos, um homem de aparência simples, a pele
escura, maduro, estatura pequena, corcunda, com um rosto comprido, nariz
comprido e sobrancelhas reunidas, de modo que quem ver pode ser
atemorizar, cabelo escasso, com uma divisão no meio da cabeça, à maneira do
Nairites, e uma barba subdesenvolvida.

Então, sim, havia um homem chamado Jesus que viveu por volta 30 dC mas
ele não é o que é descrito na Bíblia. Primeiro, não sei onde ou quando ele
nasceu a partir desta descrição escassa. A Bíblia, que varia dependendo do
evangelho que você lê. John diz que ele não nasceu em Belém e Galiléia,
Mateus diz que ele nasceu em Belém, mas se mudou para Nazaré mais tarde,
Lucas diz que Maria e José foram a Belém, caminhou para um recenseamento
e imaginário Mark ignora-la completamente.

Se você olhar para o resto dos Evangelhos, existem contradições entre eles,
principalmente os detalhes de sua morte por crucificação e sua ressurreição
dos mortos. Além disso, se você ler todos os estudos por estudiosos da Bíblia,
cristãos e ateus, que É claro que embora tenha havido um homem que viveu
em Israel por volta da época de Jesus, que foi a inspiração para a Religião
Cristã, ele não estava fisicamente como ele foi descrito na Bíblia, ele não
nasceu onde a Bíblia diz, ele fez pouco do que foi dito sobre ele e tinha
ensinado apenas vagamente, diferente do que o Cristianismo ensina hoje. Uma
grande parte do cristianismo, de facto, veio de Paulo, que nunca conheceu
Jesus. [Fazer alguma Google pesquisar mais sobre isso - há muito sobre isso
em linha .]

Portanto, a conclusão simples é que o Jesus que nós pensamos que sabemos,
simplesmente não existe. A maioria dos cristãos reconhece esse pensamento,
mas dizem que é irrelevante - a Bíblia é apenas um guia para a verdade! É por
isso que você vai encontrar pouca informação sobre este web site que tenta
desacreditar Jesus, as especificidades dos ensinos bíblicos ou específico. A
Bíblia é um livro criado por homens empurrando uma religião para as pessoas
e que fosse adequado ao seu tempo. E, como assinalou recentemente por um
autor em busca de publicidade para seu novo livro, ele tem algumas boas
histórias - apenas como um bom romance. Os pregadores se aproveitar deles

Jesus não nasceu em Nazaré

Se você realmente ler a Bíblia, você encontrará um grande número de


contradições (a lista aqui), Mas para além disso, a Bíblia está realmente
errada. Para ser claro, não me refiro factual, inventado, incorreta, não verdade,
uma ficção - mas você quer dizer. Agora, pode haver partes que têm razão.
Por exemplo , existem alguns exemplos de pensamento ético tão boa como a
exortação de "dar a César o que é de César e a Deus as coisas que são de
Deus." Existem ainda alguns fatos exatos histórico - os romanos ocupam
Israel no tempo de Jesus e Jerusalém existia naquela época. Mas existem
alguns erros graves - incluindo o fato de que Nazaré não existia. É isso aí, o
lugar do nascimento de Jesus não poderia ter sido Nazaré. "Jesus de Nazaré" é
uma ficção.

As evidências sobre a história pode ser verificada ou refutada pela


arqueologia. Um vídeo por James Randi explica isso:

dê a César o que é de César e a Deus as coisas que


são de Deus.
Por que o cristianismo dominar durante séculos?
Até cerca de 300 dC, a religião cristã era apenas mais uma religião - que
competia com o zoroastrismo e outras -, mas depois veio o imperador romano
Constantino quem decidiu que isso se encaixa muito bem com suas ambições.
Então, ele fez com que os livros sobre o assunto se ajustassem ao que ele
queria, mandou queimar todos os outros livros e matou todos os que
discordasse.

Que começo! A liberdade de expressão e a democracia ainda não tinha sido


inventados. E nem mesmo a imprensa com a impressão para fazer espalhar a
verdade possível. Assim, durante séculos, a Igreja Cristã matou qualquer um
que falasse ou até mesmo questionasse. Não só matar, mas eles torturaram,
destruiram as bibliotecas e as igrejas "pagãs", continuaram com a sua
propaganda, exterminou os adversários e, geralmente, agindo como se Jesus
nada os tivesse ensinado a se comportar.

Ao longo do caminho, a Igreja tornou-se uma força política com um grande


exército e um controle significativo sobre o território. Pessoas foram
convertidas, pelo caminho foram conquistando países, forçando os reis dos
lugares a se "converter", sob pena de tortura ou de morte ou de ambos, ou
instalavam um novo rei, que já acreditava convenientemente. Claro que todos
"acreditaram" –a não ser que você desejasse morrer!
Não somente você estava obrigado a seguir a "linha do partido", a Igreja
também reprimiu duramente e ninguém se atrevia a pensar racionalmente.
Para mostrar o quão feroz a crueldade e irracionalidade era, um exemplo foi o
assassinato de Hypatia de Alexandria , a primeira mulher matemática
conhecida na história. Hellenized A (aprovado maneiras grego) era um egípcio
neoplatônico (Ver Wikipédia) Astrônomo, matemático, professor e um dos
intelectuais mais importante de seu tempo. Durante uma rebelião anti-pagãos
em 415, uma turba cristã puxado Hypatia de seu carro e arrastou-a pelas ruas
de uma igreja. Ela estava despida, e a carne foi raspada de seus ossos com
conchas de ostras afiadas e telhas quebradas. Depois de rasgar o seu corpo em
pedaços, a multidão queimou seus restos mutilados. Um exemplo extremo da
fé cristã no amor ao próximo! E, claro, ninguém foi punido ou repreendido.
Faz o comportamento muçulmano atual parecer angelical.

Esse tipo de comportamento continuou quando o "santo" Império Romano foi


formado e não começar a desenrolar até a Reforma, que usou a imprensa para
divulgar idéias. Infelizmente, ainda havia um longo caminho a percorrer, pois
o primeiro passo foi Lutero (~ 1500), que disse que a Bíblia deve ser tomada
literalmente. Alguns fundamentalistas ainda estão fazendo isso, mas pelo
menos permitiu um certo grau de discussão. Mas você ainda tem que ser
cuidadoso sobre vaguear demasiado longe ou pode ser queimado na fogueira
como uma bruxa ou presa por heresia, como Galileu.

Alguns rebeldes ao longo do caminho - Henry como a oitava - não concordo


com o dogma, apenas o poder do Papa, que tinham perdido longe de questões
religiosas e civis em coisas como impostos e controle da terra que era a base
de poder nos tempos feudais.

Então, quando nós queremos saber como a Igreja tenha durado tanto tempo,
não é porque "Deus estava com eles", mas por causa da violência, controle
vicioso das pessoas em nome de suprimir a heresia - que hoje nós
chamaríamos liberdade de expressão.

Cristianismo é uma farsa


O estranho caso de MSSR. Abelardo Reuchelin e sua dedução de que ...

Cristianismo é uma farsa


"O Novo Testamento, a Igreja e o cristianismo, foram a criação do Piso
Calpurnius família, que eram aristocratas romanos. O Novo Testamento
e todos os personagens na mesma ... são todos de ficção." E assim
começa um dos panfletos mais surpreendente pouco que eu vim através
de um aeon muitos. Suas conclusões, se for verdade, são
surpreendentes, pois abalar as fundações da história e fazer uma paródia
do juízo e inteligência de um grande exército de época flexão sábios,
filósofos e teólogos. Assim, o evangelho de acordo com um Abelardo
Reuchelin, um pesquisador sério de genealogias históricas que se
especializou nas famílias antigas. ele começou a zero em uma família em
particular, a família Piso de patrícios romanos, que dominavam a
aristocracia romana longo de várias gerações, produzindo césares,
cônsules, generais, estadistas, filósofos, historiadores, acadêmicos e
bispos da Igreja primitiva e das relações de casamento de sangue dentro
da família Piso incluído Tácito, Plínio, o Jovem, Suetónio, Trajano, Vitélio,
Vespasiano, tio de Júlio César Lúcio Pisão, Galba César, e assim por
diante. Roma era essencialmente governada pela mesma tribo
diretamente por mais de duzentos anos, e indirectamente, através da
Igreja até o presente.

o que MSSR. Abelardo descobrir, então? apenas que a autoria do Novo


Testamento e, portanto, o cristianismo, era um projeto da família Piso em
curso há mais de duas gerações, utilizando algumas das melhores
mentes literárias da época como um aríete contra uma série de
revoluções judaicas assustadoramente eficaz principalmente na Judéia,
mas também se estende para o Egito. o partido fariseu estava em uma
posição geopolítica poderosa para bloquear as rotas de comércio e uma
posição ideológica poderosa para desafiar uma variedade do que visto
como idolatria, com um monoteísmo que estava em seu núcleo anti
escravidão. Roman abusos e as violações de seus regimes fantoches
criaram um barril de pólvora que poderia facilmente ser ventilado em uma
insurreição escala completa das províncias orientais. Era óbvio para os
estrategistas patrício que a ideologia judaica tinha de ser combatida em
seus próprios termos. semelhantes para a promoção do pacifismo
americanos na década de 1930 pela Alemanha, a religião messiânica
lasca da Judéia foi plantada no qual pregou uma mensagem pacifista. os
escritos de Mateus, Marcos, Lucas e João, epístolas posteriores, os
personagens, incluindo a figura de Cristo, os apóstolos, os convertidos
mais tarde importante, Pedro Simon, Saulo / Paulo, etc, foram fabricados
de várias mitologias oriental e, em alguns casos, as biografias dos
conspiradores, ele mesmo.
O caso de este argumento é mais forte por um gritante e evidente corpo
de apoio fato histórico, embora a verdade por omissão. um dos grande
enigmas pesquisa bíblica tem sido a falta de documentação
contemporânea nagging independente fazendo qualquer referência a
uma religião nascente de Galileu. Toda a literatura existente datando de
antes de 100 dC, que faz referência ao cristianismo primitivo é da pena
dos conspiradores, muitas vezes, escrevendo sob pseudônimos. créditos
Reuchelin que o general e historiador judeu contemporâneo Flávio
Josefo é, de fato, Arius Calpurnius Piso. No entanto dogbone o real a
este armário nua de referências ao cristianismo primitivo encontra-
se no estranho silêncio que envolve pesquisas sobre os famosos
manuscritos do Mar Morto, couro, pergaminho e rolos de metal
escritas em hebraico, que foram descobertos nas centenas, muitas
vezes completo e em excelente estado. Nesses pergaminhos estão
os registros de eventos religiosos, comentários importantes e
crônicas de uma seita dos escribas essênios que eram estudiosos e
escreveram na Judéia durante cem anos antes até 70 dC E em
nenhum lugar há menção feita de uma nova religião, um Messias,
um trabalhador de milagres, um pregador das multidões, julgamento
e crucificação. Nada. este silêncio é um grande embaraço para os
estudiosos da Bíblia e é tratado com extrema cautela por parte da
comunidade acadêmica bíblica.

Talvez Abelardo Reuchelin é sobre a algo. você pode decidir por si


mesmo, recebendo o panfleto e um pacote de resumos fotocópia do
Reuchelin Abelardo Foundation, Box 5652, Kent WA 98064 ou Vector
Associates, Box 6215, Bellevue, WA 98008.

fonte:
http://www.totse.com/files/FA038/chrstfke.htm

Contradições da Bíblia
A lista de contradições na Bíblia

• Deus é bom para todos ou apenas alguns?


• Guerra ou Paz?
• Quem é o pai de José?
• Quem estava no sepulcro vazio?
• Jesus é igual ou menor que?
• Que em primeiro lugar, os animais ou o homem?
• O número de animais na arca
• Quantos Cavalos e cavaleiros?
• É loucura ser sábio ou não?
• Homem vs impregnação fantasmagórico
• Os pecados do pai
• Ordem da criação
• personalidade de Moisés
• Righteous viver?
• planície de Jesus primeiro sermão ou montar?
• As últimas palavras de Jesus '
• Anos de fome
• David movido a raiva?
• A genealogia de Jesus?
• Deus pode ser vista?
• Cruel, cruel, destrutiva e feroz ou em espécie, misericordioso e
bom
• Tentou?
• Judas morreu como?
• Subir ao céu
• Qual foi a predição de Jesus sobre a negação de Pedro?
• Quantas vezes fez o galo?
• Como muitas bem-aventuranças do Sermão da Montanha
• Será que todos os pecados do homem?
• Quem comprou o campo do Oleiro?
• Quem profetizou o campo do oleiro?
• Quem tem culpa?
• Você responder a um idiota?
• Como muitas crianças que Michal, filha de Saul, não?
• Que idade tinha quando Joaquim começou a reinar?
• Será que aqueles com Saulo / Paulo de sua conversão, ouvi uma
voz?
• Onde estava Jesus três dias após o seu batismo?
• Como muitos apóstolos estavam no poder entre a ressurreição e
ascensão?
• Julgando
• Boas ações
• A favor ou contra?
• Quem viram no túmulo?
• Destruição de cidades (o que disse foi Jeremias foi Zacarias)
• Quando a segunda vinda?
• os superintendentes de Salomão
• A mãe de Abias
• Quando é que Baasa morreu?
• Que idade tinha quando começou Acazias a reinar?
• Quem foi o sucessor de Josias?
• As diferenças nos números do censo de Esdras e Neemias
• Qual era a cor do manto colocado sobre Jesus durante o seu
julgamento?
• O que eles dão-lhe de beber?
• Quanto tempo foi Jesus no túmulo?

E se você quiser ignorar o Antigo Testamento, aqui é um lista do


Novo Testamento só.

Deus é bom para todos ou apenas alguns?

PSA 145:9 O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são


sobre todas as suas obras.

JER 13:14 E vou quebrá-los uns contra os outros, mesmo os pais e os


filhos juntos, diz o Senhor: Eu não perdoarei, nem pouparei, nem terei
misericórdia, mas vou destruí-los.

[Nota do editor: Alguns leitores têm levantado objecções a esta alegada


contradição. Eles apontam que a PSA 145:20 O Senhor afirma que
mantém todos os que o amam, mas que Ele irá destruir os ímpios. Em
outras palavras, alguns não vêem contradição entre a "O Senhor é bom
para todos" e JER 13:14. Outros afirmam, no entanto, que mesmo que o
Senhor destrói os ímpios ele poderia fazê-lo com compaixão, piedade e
misericórdia. Além disso, há exemplos bíblicos que indicam que o
Senhor não é necessariamente "bom" ou misericordioso - mesmo para
aqueles que não são maus. Um exemplo é o trabalho. Como um leitor
aponta, "Salmo 145:9 Se não era uma contradição do Salmo 145:20 ou
Jeremias 13:14, seria algo como isto:" O Senhor é bom para todos,
exceto o ímpio, e as suas misericórdias são todas as suas obras, exceto
quando ele está punindo os maus. "Em qualquer caso, a idéia de que o
Senhor é bom e misericordioso é contrariada por inúmeros exemplos na
Bíblia onde Deus ordena a destruição de bebês, pessoalmente mata filho
de Davi, bebê, etc]

Guerra ou Paz?

EXO 15:03 O SENHOR é homem de guerra: e Senhor é o seu nome.

ROM 15:33 E o Deus da paz esteja com todos vós. Amen.

Quem é o pai de José?

MAT 1:16 E Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus,
que é chamado Cristo.

Luk 3:23 E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos de


idade, sendo (como se supõe), filho de José, que era filho de Heli.

Quem estava no sepulcro vazio? Trata-se de:


MAT 28:1 No fim do sábado, quando começou a despontar para o
primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o
sepulcro.

MAR 16:1 E quando o sábado foi passado, Maria Madalena, Maria, mãe
de Tiago, e Salomé, compraram especiarias aromáticas, para que eles
possam vir e ungi-lo.

JOH 20:01 O primeiro dia da semana, Maria Madalena cedo, quando


ainda estava escuro, ao sepulcro, e viu a pedra tirada do sepulcro.

Jesus é igual ou menor que Deus?

JOH 10:30 Eu e o Pai somos um.

JOH 14:28 Ouvistes que eu vos disse: Vou, e voltarei a vós. Se vós me
amou, quisestes alegrar, porque eu disse, eu vou para o Pai, para meu
Pai é maior do que eu

Quem veio em primeiro lugar - os animais ou o homem?

GEN 01:25 E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o


gado conforme a sua espécie, e cada coisa que se arrasta sobre a terra
conforme a sua espécie: e Deus viu que isso era bom.
GEN 01:26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme
a nossa semelhança: e domine sobre os peixes do mar, sobre as aves
dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra , e sobre todo réptil que
se arrasta sobre a terra.

GEN 02:18 E o SENHOR Deus disse: Não é bom que o homem esteja só,
vou fazer-lhe uma ajuda para ele cumprir.
GEN 02:19 E fora da terra formou o Senhor Deus todos os animais do
campo e todas as aves do céu e trouxe-os a Adão para ver o que ia
chamá-los: e tudo o que Adão chamou a toda a criatura viva, que era o
seu nome.

O número de animais na arca

GEN 07:02 De cada animal limpo tu levarás contigo sete e sete,o macho
e sua fêmea, e dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua
fêmea.

GEN 07:08 Dos animais limpos e dos animais que não são limpos, e das
aves, e de cada coisa que se arrasta sobre a terra, GEN 07:09 Lá se foi
de dois em dois para Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara
a Noé..

Quantos Cavalos e cavaleiros?

1Rs 04:26 E Salomão tinha também quarenta mil manjedouras para os


cavalos de seus carros, e doze mil cavaleiros.

2CH 09:25 E Salomão tinha quatro mil manjedouras para os cavalos e


carros, e doze mil cavaleiros, que colocou nas cidades dos carros, e com
o rei em Jerusalém.

É loucura ser sábio ou não?

PRO 04:07 A sabedoria é a coisa principal, portanto, obter sabedoria e


com todas as tuas adquire o entendimento.

01:18 ECC Porque na muita sabedoria há muito enfado, e o que


aumenta o conhecimento aumenta a tristeza.

1CO 1:19: "Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e vai
trazer nada a compreensão do prudente."
Homem vs impregnação fantasmagórico

02:30 ACT Assim sendo um profeta, e sabendo que Deus havia


prometido com juramento a ele, de que o fruto de seus lombos,
segundo a carne, ele levantou a Cristo para se sentar no seu trono;

01:18 MAT Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria,
sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter
concebido do Espírito Santo.

Os pecados do pai

ISA 14:21 Preparai a matança para os seus filhos por causa da maldade
de seus pais, para que não se levantem, e nem possuam a terra, e
encham a face do mundo de cidades.

DEU 24:16 Os pais não devem ser condenados à morte para as


crianças, nem os filhos serem mortos pelos pais: cada homem deve ser
condenado à morte pelo seu próprio pecado.

Ordem da criação

Aqui é o fim do primeiro (Gênesis 1), a tradição Sacerdotal:

Dia 1: Céu, a Terra, a luz


Dia 2: água, tanto em bacias oceânicas e acima do céu (!)
Dia 3: Plantas
Dia 4: Sol, Lua, estrelas (como calendários e navegacional)
Dia 5: monstros marinhos (baleias), peixes, pássaros, animais
terrestres, insetos rastejadors (répteis, insetos, etc)
Dia 6: Humanos (ambos os sexos, aparentemente, ao mesmo tempo)
Dia 7: Nada (os Deuses tomaram o primeiro dia fora ninguém jamais o
fez)

Observe que há "dias", "noite" e "manhãs", antes de o Sol foi criado.


Aqui, a divindade é conhecida como "Elohim", que é um espaço plural e,
portanto, a tradução literal, "os Deuses". Neste conto, os deuses
parecem satisfeitos com o que eles fizeram, dizendo que depois de cada
passo que "era bom".

O segundo (Gênesis 2), a tradição javista, vai:

Terra e céu nebuloso ()


Adam, o primeiro homem (em uma terra desolada)
Plantas
Animais
Eva, a primeira mulher (a partir da costela de Adão)

Como foram as coisas em ordem criada?


# 1: Passo-a-passo. A única discrepância é que não há sol ou lua ou as
estrelas sobre os três primeiros "dias".
# 2: Deus corrige as coisas como elas vão acontecendo. O primeiro
homem é solitário, e não está satisfeito com os animais. Deus
finalmente cria uma mulher para ele. (Engraçado que um Deus
onisciente poderia esquecer as coisas)

Quão satisfeito com a criação estava ele?


# 1: Deus diz: "foi bom" depois de cada um de seus trabalhos, e
descansa no sétimo dia, evidentemente, muito satisfeito.
# 2: Deus tem que arrumar a sua criação como ele vai, e ele
certamente não estaria muito satisfeito com a desobediência do casal
primordial. (Engraçado que um Deus onisciente poderia esquecer as
coisas)

personalidade de Moisés

Números 12:03: "Agora o homem Moisés era muito manso, acima de


todos os homens que estavam em cima do fato de a terra."

Números 31:14, 17, 18: "E Moisés se indignou ... E Moisés disse-lhes:"
Deixastes viver todas as mulheres? ... Agora, pois, matai todos os
meninos entre as crianças, e matai todas as mulheres que conheceram
homens ... Mas todas as meninas, que não conheceram homem,
deitando-se com ele, deixai-as viver para vós."

os justos devem viver?

PSA 92:12: "O justo florescerá como a palmeira."

ISA 57:1: "O justo perece, e ninguém leva isso a sério."

ACT 01:18: "Agora este homem (Judas) comprou um campo com o


galardão da iniqüidade e, precipitando-se arrebentou pelo meio, e todas
as suas entranhas se derramaram."

MAT 27:5-7: "E ele (Judas) derrubou as moedas de prata no templo, e


partiu, e foi e se enforcou. E os príncipes dos sacerdotes ... compraram
com elas o campo do oleiro."

planície de Jesus primeiro sermão ou montar?


MAT 5:1,2: "E, vendo as multidões, subiu ao monte e, quando ele foi
criado, seus discípulos se aproximaram dele, e ele abriu a boca e lhes
ensinava, dizendo ...."

LUK 6:17,20: "E desceu com eles, e pôs-se a planície, e na companhia


de seus discípulos e uma grande multidão de pessoas ... veio para ouvi-
lo .. E ele levantou os olhos sobre seus discípulos e disse ... "

As últimas palavras de Jesus '

MAT 27:46,50: "E sobre a hora nona, Jesus exclamou com grande voz,
dizendo:" Eli, Eli, lama sabactani? "Que quer dizer:" Meu Deus, meu
Deus, por que me desamparaste? " ... Jesus, quando ele gritou mais
uma vez com grande voz, entregou o espírito. "

LUK 23:46: "E Jesus, clamando com grande voz, disse:" Pai, até as tuas
mãos entrego o meu espírito: "E, havendo dito isso, ele entregou o
espírito."

JOH 19:30: "Quando Jesus tomou o vinagre, disse:" Está consumado:


"E, inclinando a cabeça, entregou o espírito."

Anos de fome

II Samuel 24:13: Então, Deus veio a Davi, e disse-lhe, e disse-lhe, são


sete anos de fome vêm a ti, na tua terra? ou tu vai fugir três meses
diante de teus inimigos, enquanto eles prosseguem. ti?

I Crônicas 21:11: Então, Deus veio a Davi, e disse-lhe: Assim diz o


SENHOR: Escolhe para ti. Ou TRÊS ANOS de fome ou três meses para
ser destruída diante dos teus adversários, enquanto que a espada de
teus inimigos te alcance;
David movido a raiva?

II Samuel 24: E a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e incitou a


Davi contra eles, dizendo: Vai, numera a Israel e Judá.

I Crônicas 21: E Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a


numerar Israel.

A genealogia de Jesus?

Em dois lugares no Novo Testamento a genealogia de Jesus filho de


Maria é mencionado. MAT 1:6-16 e 3:23-31 LUK. Cada um dá os
antepassados de José, o marido reivindicado de Maria e padrasto de
Jesus. O primeiro começa a partir de Abraão (versículo 2) todo o
caminho para Jesus. A um segundo de Jesus todo o caminho de volta
para Adam. O único nome comum a estas duas listas entre Davi e Jesus
é Joseph, Como isso pode ser verdade? e também como pode Jesus ter
uma genealogia, quando todos os muçulmanos ea maioria dos cristãos
acreditam que Jesus tinha / não tem pai.

Deus pode ser vista?

14:09 EXO 24:9,10; 09:01 AMO; GEN 26:2 e JOH


Deus pode ser visto:
"E eu vou tirar minha mão, e verás a minha backparts". (EXO 33:23)
"E o Senhor falou a Moisés face a face, como um homem fala ao seu
amigo." (EXO 33:11)
"Porque eu tenho visto Deus face a face, e minha vida seja preservada."
(GEN 32:30)

Deus não pode ser visto:


"Ninguém jamais viu a Deus a qualquer momento." (JOH 1:18)
"E ele disse: Tu não podes ver o meu rosto, porque nenhum homem me
ver e viver". (EXO 33:20)
"Quem tem nenhum homem viu nem pode ver". (1Tm 6:16)

Cruel, desumano e destrutivo, e feroz ou em espécie,


misericordioso e bom:

"Eu não perdoarei, nem pouparei, nem ter misericórdia, mas destruir."
(JER 13:14) "Agora vá e fere a Amaleque, e destrói totalmente a tudo o
que eles têm, e não lhe perdoes, mas mata o homem ea mulher, criança
e aleitamento".

"O Senhor é muito lamentável e de misericórdia." (JAS 5:11)


"Para a sua misericórdia dura para sempre." (1CH 16:34)
"O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as
suas obras." (PSA 145:9)
"Deus é amor." (1Jo 4:16)

Tentou?

"E aconteceu depois destas coisas, que Deus provou a Abraão." (GEN
22:01)

"Ninguém diz que quando ele é tentado, sou tentado por Deus, porque
Deus não pode ser tentado pelo mal, nem tempteth que qualquer
homem." (JAS 1:13)

Judas morreu como?

"E ele, atirando para as moedas de prata para o templo e partiu, e saiu
e enforcou-se." (MAT 27:5)
"E, precipitando-se arrebentou no meio, e todas as suas entranhas se
derramaram". ACT (01:18)

Subir ao céu

"E Elias subiu ao céu num redemoinho." (2Rs 2:11)

"Ninguém jamais subiu ao céu senão aquele que desceu do céu ... o
Filho do Homem". (Joh 3:13)

Qual foi a predição de Jesus sobre a negação de Pedro?

Antes que o galo cante - 26:34 MAT

Antes que o galo cante duas vezes - 14:30 MAR

Quantas vezes o galo?

MAR 14:72 E a segunda vez que o galo cantou. E Pedro lembrou-se da


palavra que Jesus lhe disse: Antes que o galo cante duas vezes, tu me
negarás três vezes. E quando pensava nela, ele chorou.

MAT 26:74 Então começou ele a praguejar ea jurar, dizendo: Não


conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou.
MAT 26:75 E Pedro se lembrou da palavra de Jesus, que disse-lhe:
Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes. E ele saiu e chorou
amargamente.

Luk 22:60 E Pedro disse: Homem, não sei o que dizes. E


imediatamente, enquanto ele ainda falava, cantou o galo.
Luk 22:61 E o Senhor se virou e olhou para Pedro. E Pedro se lembrou
da palavra do Senhor, como ele disse-lhe: Antes que o galo cante, tu
me negarás três vezes.
JOH 13:38 Respondeu-lhe Jesus: Darás a tua vida por mim? Em
verdade, em verdade, te digo, o galo não cantará, ainda que tu me
negou três vezes.

JOH 18:27 Pedro negou outra vez, e imediatamente o galo cantou.

Como muitas bem-aventuranças do Sermão da


Montanha

Mateus 5:3 Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o


reino dos céus.
MAT 05:04 Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
MAT 05:05 Bem-aventurados os mansos porque eles herdarão a terra.
MAT 05:06 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque
eles serão fartos.
MAT 05:07 Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão
misericórdia.
MAT 05:08 Bem-aventurados os puros de coração porque eles verão a
Deus.
MAT 05:09 Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados
filhos de Deus.
Mateus 5:10 Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da
justiça, porque deles é o reino dos céus.
MAT 05:11 Bem-aventurados sois, quando os homens vos injuriarem e
vos perseguirem, e disserem todo o mal contra vós, por minha causa.

Luk 6:20 E ele, levantando os olhos para os seus discípulos, e disse:


Bendito seja pobre vós: porque vosso é o reino de Deus.
LUK 06:21 Bem-aventurados vós que agora tendes fome, porque haveis
de ser preenchido. Bem-aventurados vós que agora chorais, porque
haveis de rir.
LUK 06:22 Bem-aventurados sois, quando os homens vos odiarem, e
quando eles devem separar-se da sua companhia, e vos injuriarem, e
rejeitarem o vosso nome como infame, por causa do Filho do homem.
LUK 6:23 Regozijai-vos naquele dia, e pulo de alegria: pois, eis que é
grande a vossa recompensa nos céus, pois da maneira como faziam
seus pais aos profetas.

Será que todos os pecados do homem?

1Rs 8:46 Quando pecarem contra ti (pois não há homem que não
peque), e tu ficar zangado com eles, e entregá-las ao inimigo, de modo
que os levem em cativeiro para a terra do inimigo, longe ou próximo;

2CH 6:36 Quando pecarem contra ti (pois não há homem que não
peque), e tu ficar zangado com eles, e os entregares diante de seus
inimigos, e os levará cativos para uma terra longínqua ou próxima;

PRO 20:09 Quem pode dizer, eu fiz o meu coração limpo, estou limpo do
meu pecado?

07:20 ECC Pois não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e
não pecar.

Jo1 1:08 Se dissermos que não temos pecado, enganamos a nós


mesmos, ea verdade não está em nós.
Jo1 1:09 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos
perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
Jo1 1:10 Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo
mentiroso, ea sua palavra não está em nós.

03:09 Jo1 Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado, porque
a sua semente permanece nele, e ele não pode pecar, porque é nascido
de Deus.

Quem comprou o campo do Oleiro

01:18 ACT Agora, este homem adquiriu um campo com o galardão da


iniqüidade e, precipitando-se arrebentou pelo meio, e todas as suas
entranhas se derramaram.
01:19 ACT E foi conhecer a todos os habitantes de Jerusalém, de sorte
que esse campo é chamado em sua língua própria, Aceldama, isto é,
Campo de Sangue.

MAT 27:6 E os principais sacerdotes, tomando as moedas de prata, e


disseram: Não é lícito colocá-las em tesouraria, porque é preço de
sangue.
MAT 27:7 E tomaram conselho, compraram com elas o campo do oleiro,
para sepultura dos estrangeiros dentro
MAT 27:8 Portanto aquele campo foi chamado, o campo de sangue, até
este dia.

Quem profetizou o campo do oleiro?

MAT 27:9-10 (Jeremy, mas não menciona tal versículo em Jeremias)


está em Zacarias 11:12-13

Quem tem culpa?

GAL 06:02 Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprir a lei de
Cristo.

06:05 GAL Para cada homem deve ter o seu próprio fardo.

Você responder a um idiota?

PRO 26:4 Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia, para que não
sejas também ser semelhante a ele.

PRO 26:5 Responde ao tolo segundo a sua estultícia, para que ele seja
sábio aos seus próprios.
Como muitas crianças que Michal, filha de Saul, não?

2SA 06:23 Mical, filha de Saul não teve filhos, até ao dia de sua morte.

2SA 21:08 Mas o rei tomou os dois filhos de Rispa, filha de Aiá, a quem
ela deu a Saul, Armoni e Mefibosete, e os cinco filhos de Mical, filha de
Saul, a quem ela educada de Adriel, filho de Barzilai, o meolatita:

Que idade tinha quando Joaquim começou a reinar?

2KI 24:8 Tinha Joaquim dezoito anos quando começou a reinar, e reinou
três meses em Jerusalém. E o nome de sua mãe era Neústa, filha de
Elnatã, de Jerusalém.

2CH 36:9 Tinha Joaquim oito anos quando começou a reinar, e reinou
três meses e dez dias em Jerusalém e fez o que era mau aos olhos do
Senhor.

Será que aqueles com Saulo / Paulo de sua conversão,


ouvi uma voz?

ACT 09:07 E os homens que viajavam com ele quedaram-se


emudecidos, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém.

ACT 22:09 E os que estavam comigo viram a luz, e ficaram com medo,
mas eles não ouviram a voz daquele que falava comigo.

Onde estava Jesus três dias após o seu batismo?

MAR 01:12 E logo o Espírito o impeliu para o deserto.


01:35 JOH novamente no dia seguinte João estava, e dois dos seus
discípulos;

(Traipsings diversos)

Como muitos apóstolos estavam no poder entre a


ressurreição e ascensão?

1 Coríntios 15:05 (12)


MAT 27:3-5 (menos de um 12)
ACT 1:9-26 (Mathias não eleitos, até depois da ressurreição)

28:16 MAT E os onze discípulos partiram para a Galiléia, para o monte


onde Jesus lhes tinha designado.

Julgando

1 Coríntios 02:15: "O homem espiritual discerne todas as coisas, mas


ele próprio não está sujeito ao juízo de qualquer homem:" (NVI)

1 Coríntios 04:05 "Portanto, nada julgueis antes do tempo, aguarde até


que o Senhor vem. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e
manifestará as intenções dos corações dos homens. Naquela época,
cada um receberá de Deus o louvor. "

Boas ações

05:16 Matt "Da mesma forma, resplandeça a vossa luz diante dos
homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai
que está nos céus." (NVI)

Matt 6:3-4 "Mas, quando deres esmola, não deixe que sua mão
esquerda saiba o que sua mão direita está fazendo, de modo que a tua
esmola fique em segredo. E teu Pai, que vê em secreto, te
recompensará. " (NVI)

A favor ou contra?

MAT 0:30 Aquele que não está comigo está contra mim, e aquele que
comigo não ajunta, espalha.
(O padrão é contra)

MAR 09:40 Por que ele não é contra nós é a nossa parte.
(O padrão é para)

Luk 09:50 E Jesus disse-lhe: Não lho proibais, porque ele não é contra
nós é por nós.
(O padrão é para)

Quem viram no túmulo?

MAT 28:2 E eis que houve um grande terremoto: pois o anjo do Senhor
desceu do céu, veio e rolou a pedra da porta, e sentou em cima dela.
MAT 28:3 Seu semblante era como relâmpago e suas vestes eram
brancas como a neve:
MAT 28:4 E de medo dele os guardas fizeram tremer e ficaram como
mortos.
MAT 28:5 E o anjo respondeu, e disse que as mulheres, Não temais,
porque eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado.

16:05 MAR E entrando no sepulcro, viram um jovem sentado do lado


direito, vestido com uma longa túnica branca, e eles ficaram muito
atemorizados.

LUK 24:4 E sucedeu que, estando elas muito perplexas a esse respeito,
eis que dois homens estavam com eles em vestes resplandecentes
20:12 Joh e viu dois anjos vestidos de branco sentados, um à cabeceira
e outro aos pés, onde o corpo de Jesus tinha deitado.

Destruição de cidades (o que disse foi Jeremias foi


Zacarias)

MAT 27:9 Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias,
dizendo: Tomaram as trinta moedas de prata, o preço do que foi
avaliado, a quem os filhos de Israel avaliaram;

ZEC 11:11-13 (Nota: Não há nada em Jeremias remotamente parecido


com isso).

Quando a segunda vinda?

24:34 MAT Em verdade vos digo: esta geração não passará até que
todas estas coisas aconteçam.

MAR 13:30 Em verdade eu vos digo que esta geração não passará até
que todas estas coisas aconteçam.

21:32 LUK Em verdade vos digo: esta geração não passará até que tudo
seja cumprido.

(Veja também 1 Tessalonicenses 4:15-18)

os superintendentes de Salomão

1Rs 09:23 550


2CH 08:10 250
A mãe de Abias;

2CH 11:20 Maaca, filha de Absalão

2CH 13:02 Micaías, filha de Uriel

Quando é que Baasa morreu?

1Rs 16:6-8 26 anos do reinado de Asa

2CH 16:01 36 anos do reinado de Asa

Que idade tinha quando começou Acazias a reinar?

2KI 08:26 22

2CH 22:02 42

Quem foi o sucessor de Josias?

2CH 36:1 Jeoacaz

JER Salum 22:11

As diferenças nos números do censo de Esdras e


Neemias.

Qual era a cor do manto colocado sobre Jesus durante o


seu julgamento?
MAT 27:28 escarlate

JOH 19:02 roxo

O que eles dão-lhe de beber?

MAT vinagre 27:34

MAR 15:23 vinho com mirra

Quanto tempo foi Jesus no túmulo?

Depende de onde você olha, dá MAT 00:40 Jesus profetizando que ele
vai passar "três dias e três noites no coração da terra", e MAR 10:34
tem "depois de três dias (meta treis emeras), ele vai subir novamente. "
Tanto quanto eu posso ver a partir de um olhar rápido, as profecias que
"depois de três dias", mas as narrativas da ressurreição pós-have "no
terceiro dia."

Acima Cortesia da Secular Web

contradições da Bíblia
Novo Testamento só

Cortesia de: Emanuel malaquita - Ex-cristão

João Batista era Elias - 11:14 Matt


João Batista não era Elias - 01:21 John
O pai de José, marido de Maria foi Jacob - Mateus 01:16
O pai do marido de Maria foi Heli - Lucas 3:23

Havia quatorze gerações, desde Abraão até Davi - Mt 01:17


Havia, mas treze gerações desde Abraão até Davi - Mt 1:2-6

Havia quatorze gerações, desde o cativeiro babilônico a Cristo. - 01:17


Matt
Havia treze gerações, mas a partir do cativeiro babilônico de Cristo -
Mateus 1:12-16

O Menino Jesus foi levado para o Egito - Matt 2:14,15,19,21,23


O Menino Jesus não foi levado para o Egito - Lucas 2:22, 39

Cristo foi tentado no deserto - Marcos 1:12,13


Cristo não foi tentado no deserto - João 2:1,2

Cristo pregou seu primeiro sermão no Monte - Mateus 5:1,2


Cristo pregou seu primeiro sermão na planície - Lucas 6:17,20

João estava na prisão quando Jesus para a Galiléia - Marcos 1:14


João não estava na prisão quando Jesus para a Galiléia - João 01:43 /
João 3:22-24

discípulos de Cristo foram ordenados a sair com um pessoal e sandálias


- Marcos 6:8,9
discípulos de Cristo foram ordenados a sair nem bordões, nem com
sandálias - Mateus 10:9,10

Cristo foi crucificado na terceira hora - Marcos 15:25


Cristo não foi crucificado até a hora sexta - João 19:14,15

Os dois ladrões reviled - Cristo Mateus 27:44 / Marcos 15:32


Apenas um dos ladrões reviled Cristo - Lucas 23:39,40

Judas se suicidou por enforcamento - Mateus 27:5


Judas não se enforcou, mas morreu de outra maneira - Atos 1:18
O campo do oleiro foi comprado por Judas - Atos 1:18
O campo do oleiro foi comprado pelos príncipes dos sacerdotes - Mateus
27:6,7

Havia apenas uma mulher que veio ao sepulcro - João 20:1


Havia duas mulheres que foram ao sepulcro - Mt 28:1

Havia três mulheres que foram ao sepulcro - Marcos 16:01


Havia mais de três mulheres que foram ao sepulcro - Lucas 24:10

Foi ao amanhecer, quando chegaram ao sepulcro - Marcos 16:02


Foi algum tempo antes do amanhecer, quando eles vieram. - João 20:01

Havia dois anjos visto pelas mulheres que foram ao sepulcro, e eles
estavam de pé - Lucas 24:4
Havia um anjo, mas viu, e ele estava sentado - Mateus 28:2,5

Havia dois anjos visto dentro do sepulcro - João 20:11,12


Havia um anjo, mas visto dentro do sepulcro - Marcos 16:05

Cristo era para ser de três dias e três noites na sepultura - Mateus
00:40
Cristo foi apenas dois dias e duas noites na sepultura - Mark
15:25,42,44,45,46; 16:09

Os discípulos eram comandados imediatamente após a ressurreição de ir


para a Galiléia - Mateus 28:10
Os discípulos eram comandados imediatamente após a ressurreição de ir
fica em Jerusalém - Lc 24:49

Jesus apareceu aos onze discípulos em uma sala em Jerusalém - Lucas


24:33,36,37 / João 20:19
Jesus apareceu aos onze em uma montanha na Galiléia - Mateus
28:16,17

Cristo subiu de Mount Oliver - Atos 1:9,12


Cristo subiu de Betânia - Lucas 24:50,51
atendentes de Paulo ouviram a voz milagrosa, e ficou sem fala - Atos
9:07
atendentes Paulo não ouviu a voz e estavam prostradas - Atos 26:14