Você está na página 1de 18

Quebrando os mitos do darwinismo

Por Milton Richard


ÍNDICE

Parte I: Caos

Capítulo 1. A Lenda do Tesouro Perdido

O darwinismo é a única teoria das origens ensinado nas escolas e universidades


em todo o mundo . No entanto, embora a ciência pode demonstrar
conclusivamente a circulação do sangue, ou a expansão do Universo , ou o valor
de constantes físicas , a ciência tem sido até agora incapaz de produzir qualquer
evidência direta para a evolução por mutações genéticas e seleção natural. A
teoria é reverenciado , mas permanece conjectural.

Capítulo 2. Through the Looking Glass

As duas últimas décadas, tenho visto muitos novos resultados da investigação em


cada uma das bloqueio complexo conjunto de disciplinas que irão compor a teoria
darwiniana : resultados que minam e desafios muitos princípios fundamentais
sobre os quais a teoria é construída. Estes incluem princípios tão elementar como
a idade da Terra, a formação das rochas sedimentares e a formação das
principais características da crosta da Terra, os limites de variação específica , as
causas de extinção , e até mesmo as possíveis origens da vida - considerado por
muito tempo estabeleceu-se em linhas gerais . No entanto, essas novas
descobertas têm sido dada pouca atenção pela ideologia dominante das ciências
da vida .

Capítulo 3. Uma questão de conjectura

A maioria das pessoas - incluindo a maioria dos professores - foram levados a crer
que as rochas da coluna geológica e os fósseis que elas contêm foram datados
absolutamente por métodos radiométricos. Na realidade , nenhuma dessas rochas
e fósseis podem ser datadas por métodos radiométricos e suas datas designadas
são estimados - com base em conjecturas darwiniana.

Capítulo 4. A chave para o passado ?

Os testes de radiocarbono foram encontrados para serem defeituosos e não


confiáveis. , as pinturas "bushman" do Sul-Africano , datado de 1.200 anos pelo
acelerador de carbono da Universidade de Oxford foram na verdade pintadas em
aulas à noite por uma dona de casa de Joanesburgo.
Capítulo 5. Rock of Ages

Todos os métodos radiométricos de datação , foram provados serem


profundamente falhos. O urânio-chumbo, potássio-argônio e rubídio-estrôncio
mostraram datas extremamente imprecisas. Os cientistas defensores contornaram
essa insegurança ao selecionar rochas ' adequadas ' até à data e rejeitaram as
rochas ' inadequados ', a sua adequação a ser julgado por critérios darwinianos.

Parte II : Argila

Capítulo 6. Contos de Antes do Dilúvio

Rochas sedimentares podem se formar rapidamente, ou são necessários milhões


de anos ? A formação de grandes sedimentos escavados na Suméria foram
causados por uma inundação em épocas históricas.

Capítulo 7. Formado a partir de argila

De acordo com a ideologia dominante da geologia de uniformidade , "O Presente


é a chave para o passado ". No entanto, uma análise cuidadosa das rochas da
coluna geológica mostra que em nenhum lugar no mundo de hoje existem rochas
formando que são algo parecido com rochas antigas da crosta terrestre . Na
realidade , o presente totalmente não é como uma chave para o passado. Além
disso, as experiências recentes na França e os EUA têm demonstrado que as
rochas estratificadas podem se formar rapidamente e ao mesmo tempo - e não ao
longo de milhões de anos.

Capítulo 8. Um elemento de irrealidade

Existem provas conclusivas de que as camdas de carvão com quarenta ou mais


metros de espessura podem se formar rapidamente, e não por milhões de anos .
Se o carvão pode formar-se rapidamente, porque não as outras rochas
sedimentares?

Capítulo 9. Quando foi o catastrofismo

A idéia de catastrofismo – e a rápida formação de rochas - é um anátema para a


geologia convencional. No entanto, há crescentes evidências de processos
catastróficos . Exemplos incluem a idade jovem e de construção rápida de cadeias
de montanha do mundo em tempos históricos , na medida em gigantescas de
formações rochosas determinadas , exigindo singular, faz aguda e a ocorrência de
extinções em grande escala dos ecossistemas terrestres - as criaturas - não
marinhos.

Capítulo 10. O registro das rochas

Se o processo darwiniano de mudança evolutiva gradual teve lugar nas rochas da


crusta terrestre conteria evidências fósseis de tais processos. As rochas devem
conter sequências de fósseis de estratos adjacentes mostrando sinais indiscutíveis
de mudança progressiva gradual.

Mas este não é o que é mostrado na seqüência das rochas. Em nenhum lugar do
mundo, alguém encontrou este critério simples de prova com uma seqüência
direta de fósseis de camadas sucessivas . No entanto, há assim muitos bilhões de
fósseis disponíveis de tantos milhares de estratos, que o fracasso em atender a
essa demanda modesta é inexplicável , se a evolução ocorreu na forma de Darwin
e seus seguidores têm previsto. Deve ser relativamente fácil de montar não
apenas um punhado , mas centenas de espécies dispostas em linha reta .
Escolares devem ser capazes de fazer isso em uma tarde de viagem de estudo a
natureza para a pedreira local , mas mesmo os paleontólogos mais famosos do
mundo não conseguiram fazê-lo com toda a Terra para escolher e os recursos das
maiores universidades do mundo à sua disposição.

Parte III: Chance

Capítulo 11. Sobrevivência do Mais Forte

Embora universalmente ensinado e amplamente aceito, o conceito de " seleção


natural" ou "a sobrevivência do mais apto" não é mais do que uma tautologia vazia
, incapaz de explicar a origem das espécies. Evidências experimentais
anteriormente aceitas, em apoio do conceito, como melanismo industrial em
mariposas , agora é considerado irrelevante para a biologia evolutiva .

Uma crítica muito mais danosa do conceito de seleção natural é que - limitado
embora o seu conteúdo pode ser - é tão nebuloso que pode ser feito para caber
toda uma gama de resultados mutuamente contraditórias do processo evolutivo.

Como teoria , a seleção natural não faz previsões originais , mas sim é usado a
posteriori para explicar todos os resultados , e uma teoria que explica tudo , desta
forma, não explica nada. A seleção natural não é um mecanismo : é uma
racionalização após o fato.

Capítulo 12. Ratos Verdes e Genes Azuis


Na primeira edição de A Origem das Espécies de Darwin disse: "Eu não vejo
dificuldades em uma raça de ursos evoluindo, através da seleção natural , cada
vez mais aquáticos em seus hábitos, com as bocas cada vez maiores , até que
uma criatura se tornou tão monstruosa como uma baleia. "

Esta é a idéia central da evolução de Darwin , em poucas palavras : os ursos


podem tornar-se baleias, ou como baleias , dado tempo suficiente e seleção
natural suficiente. Entretanto Darwin retirou esta afirmação da segunda edição e,
posteriormente, do livro.

É quase certo que isso foi porque, como um criador de animais , ele sabia por
experiência própria que nenhuma planta ou animal criado jamais conseguiu
produzir uma nova espécie de reprodução seletiva. Primeiramente isto é por causa
do que Ernst de Harvard, Mayr chamado de " homeostase genética "- a barreira
além de que reprodução seletiva não vai passar por causa do início da esterilidade
ou exaustão da variabilidade genética.

Capítulo 13 . O bico do passarinho

O escritor Jonathan Wiener alegou que os tentilhões de Darwin nas ilhas


Galápagos representam um exemplo de " evolução em tempo real "e seu livro, o
"Bico do Passarinho " tem sido fundamental para a confirmação crença de muitas
pessoas em processos darwinianos de mutação genética e seleção natural .

No entanto, esta interpretação dos dados sobre tentilhões de Darwin é


categoricamente desmentida pelas evidências claras de que todos as "13
espécies de passarinho" na ilha são na verdade membros da mesma espécie que
produzem descendentes férteis , e que diferem apenas na dieta e na forma do
bico .

Darwinista fazem muitas afirmações de especiação observados. Estas alegações


desaparecem quando examinados de perto e é visto como nada mais que pseudo
especiação, é meramente variação subespecífico sendo passada como
especiação. Em outros , é casos das monstruosas mutações degenerativas que
não desempenham um papel evolutivo.

Capítulo 14. De repolhos e reis

O único mecanismo em neodarwinismo para a introdução de novidade da forma é


a mutação genética. No entanto, vantajosa ou benéfica mutação espontânea
genética permanece mais do que uma necessidade hipotética com a teoria neo-
darwinista.
Ninguém jamais observou uma mutação hereditária espontânea genética , que
resultou em uma característica alterada física , além , isto é, a partir de um
pequeno grupo de conhecidos e geralmente fatais defeitos genéticos. Porque
ninguém jamais observou um evento como esse , ninguém sabe realmente se eles
ocorrem em todos e , em caso afirmativo , quantas vezes . Porque mutações
deletérias são conhecidos por ocorrer , os recursos dos darwinistas à estatística
dos grandes números. Se as mutações deletérias podem ocorrer, em seguida,
dado o tempo suficiente de mutações benéficas devem ocorrer.

Esta parte fundamental da teoria neodarwinista ainda não comprovadas ou


experiência.

Capítulo 15. O fantasma na máquina

Os computadores têm sido utilizados , aparentemente, para simular a evolução do


"inseto", como imagens gráficas ("biomorfos") através de processos darwinianos
de mutação e seleção natural.

No entanto, esses programas não são uma representação verdadeira da mutação


aleatória juntamente com a seleção natural . Ao contrário, elas são dependentes
de seleção artificial no qual o operador controla a taxa de ocorrência de mutações.

É o operador que escolhe quais são os indivíduos a sorte de receber a mutação


próxima - não é decidida pelo destino - e, claro, é o mais promissor que são
escolhidos. É por isso que eles acabam parecendo com imagens reconhecíveis da
memória do operador.

Acima de tudo , as experiências de computador, falsificam a reivindicação mais


importante central do pensamento darwiniano mecanicista , para que, através de
processos naturais , os seres vivos poderiam vir a ser sem qualquer precursor .

Parte IV : Criação

Capítulo 16. Caixa de Pandora

De longe evidência a mais forte primária de evolução, para a descendência


comum e para os processos darwinianos de mutação e seleção natural, é que de
homologia - o nome dado as correspondências anatômicas entre diferentes
espécies que os biólogos e paleontólogos têm observado e estudado ao longo dos
séculos .

Darwin observou , " O que pode ser mais curioso do que a mão de um homem ,
formado por agarrar, que de uma toupeira para cavar , a perna do cavalo, a pá do
boto , e a asa do morcego deveriam ser todos construídos no mesmo padrão e
deve incluir ossos semelhantes na mesma posição relativa ?

Este caso clássico de homologia - os membros anteriores dos vertebrados -


Acontece , de fato, irregular, uma vez forelimbs desenvolver a partir de diferentes
segmentos corporais em diferentes espécies. Na salamandra , os membros
anteriores se desenvolvem a partir dos segmentos de trânsito 2,3,4 e 5; no lagarto
de segmentos 6,7,8 e 9 , e nos seres humanos a partir de segmentos
13,14,15,16,17 e 18.

Da mesma forma, existem muitos outros casos, tanto da embriologia e da biologia


molecular que mostram que a homologia é em grande parte uma ilusão que não é
mantido ao nível embriológico ou do nível molecular. Genes diferentes são
responsáveis, em diferentes espécies para especificar as mesmas características
anatômicas.

Capítulo 17. Paradigma Perdido

Darwinismo tornou-se sustentada numa fase inicial por um poderoso conjunto de


provas , realizadas para confirmar os seus princípios básicos , mas que na
verdade representava nada mais do que os pressupostos da ideologia dominante
da época de Darwin. Estes pressupostos causa uma ampla gama de
minuciosamente descrito fenômenos naturais, tais como a persistência de órgãos
vestigiais no corpo humano , deixado para trás pela evolução, e a recapitulação do
ex-estágios evolutivos de embriões.

Encyclopaedia Britannica atualmente cita mais de "100 órgãos" do corpo humano


que se supõe ter perdido a sua função, e de ser meros apêndices que o tempo e a
evolução posterior , sem dúvida, afastaram completamente do corpo humano. A
lista inclui órgãos como a glândula pineal, a glândula tireóide, o timo, o cóccix , o
apêndice , os músculos do ouvido e amígdalas . Moderna análise científica dessas
afirmações mostra que elas são baseadas simplesmente no desconhecimento da
função dos órgãos envolvidos.

Capítulo 18. Desceram das árvores

Dezenas de "elos perdidos" entre humanos e macacos têm sido reivindicados


pelos darwinistas desde Eugene Dubois descobriu " o Homem de Java " em 1891.

" Homem de Java " é agora aceito como tendo sido um macaco extinto, e cada
alegado "elo perdido" fóssil foi re-atribuído sob a forma de um macaco extinto, ou
como o mesmo ser humano essencialmente que os humanos modernos.
"Lucy " e outros australopitecos são conhecidos como macacos extintos sem
relação com os seres humanos , enquanto "homem de Neandertal" e " Homo
habilis" são conhecidos por terem sido seres humanos e não são
significativamente diferentes de seres humanos vivos. O elo perdido ainda está
faltando.

Capítulo 19. Monstros Esperançosos

Há muitas alternativas científicas para neodarwinismo a maioria dos quais são


ignorados. Eles incluem lamarckismo ( a herança de características adquiridas ), a
origem da vida a partir do espaço , as diversas formas de vitalismo, e algumas
idéias totalmente originais, como " ressonância mórfica "e" causação formativa " .

Apesar de o lamarckismo ser sempre referido como " há muito tempo


desacreditado , o fato é que muitos experimentos recentes com plantas e animais
têm confirmado algum tipo de herança de caracteres adquiridos .

Capítulo 20. Os fatos da vida

O principal defeito de neodarwinismo é que é não fornece um mecanismo global


de supervisão que garantam a continuidade dos níveis extremamente elevados de
integridade genética evidenciada na natureza e que explicaria a holística dos
fenômenos biológicos , como o re-crescimento do pé da salamandra , a
metamorfose da borboleta, ou a recuperação de gene da 'mosca sem olhos ".

Epílogo : Controvérsias

Capítulo 21. A Evolução da Evolução

A ideia neo- darwiniana da evolução por mutações aleatórias juntamente com a


seleção natural a partir de sua criação foi saudada como uma ferramenta
extremamente poderosa de explicação. Ela foi adotada por algumas das mentes
mais ilustres científica e filosófica do século XX para explicar fenômenos tão
diversos como comportamento animal e humano , os movimentos e tendências
sociais, e o desenvolvimento progressivo de objetos inanimados que vão desde os
elementos para as estrelas, galáxias e até mesmo o próprio universo.

Este é material poderoso, inebriante. a idéia de evolução neo-darwinista não é


apoiada por evidência ou experimento, quando aplicado à herança de plantas e
animais, o que base fatual existe para a aplicação do conceito a outros fenômenos
naturais ?
A adoção particularmente infeliz e totalmente fraudulenta do darwinismo , nos
últimos anos tem sido o darwinismo econômico que tem influenciado as políticas
económicas e sociais da maioria das nações ocidentais.

Capítulo 22. Em Ser pele espessa

Neodarwinismo não consegue explicar satisfatoriamente um conjunto de


extraordinárias observações naturais - começando com a pele grossa nas solas
dos nossos pés , que é uma herança genética. Peixes secretam "pigmento" para
se camuflar contra os predadores , mas a sua pele tem de ser exatamente sete
milionésimos de centímetro de espessura , ou não vai funcionar. Pode tanta
precisão ser o resultado de mutações não direcionadas e espontâneas?

Capítulo 23 . O Peixe , que andava

Darwinistas nas primeiras décadas do século XX acreditavam ter identificado o


peixe a partir da qual todas as criaturas da terra descende : o celacanto . Esta
identificação foi quebrado quando um espécime vivo de celacanto foi capturado
por pescadores. Um conto científica cautelar.

Capítulo 24 . Anjos Versus Macacos

A batalha intensa entre os darwinistas e os seus adversários se desencadeou


ininterruptamente por mais de um século. Nas últimas décadas, alguns darwinistas
têm recorrido a censura acadêmica, com o resultado de artigos criticando
neodarwinismo não são publicados e o tema não é abertamente discutido pelos
meios de imprensa e radiodifusão. Jornalistas que tentam escrever sobre estes
assuntos são rotineiramente suprimidos, alegando que eles devem ser
criacionistas secretos ou "aliados dos criacionistas " . Mesmo a Internet tem seus
censores darwinistas.

Capítulo 25. Velhas teorias nunca morrem.

O darwinismo é a única filosofia restante mecanicista do século XIX que continua


a ser ensinada nas escolas e universidades - o marxismo e o freudismo tem sido
completamente desacreditadas .

O darwinismo é a ciência da Terra plana. No entanto, continua a ser a ideologia


dominante das ciências da vida , e é provável que continue a dominar até que uma
nova geração de biólogos cresce dispostos a sacrificar a vaca sagrada da ciência
em questão.

Referências
Bibliografia
Índice por Assunto
Pessoas Índice
Espécie Índice

Quebrando o mito do darwinismo


Algumas de imprensa citações

" O mundo da ciência enfrenta o maior desafio ainda a uma das suas crenças mais
básicas: . . A teoria de Charles Darwin da evolução, uma compilação oficial dos
resultados científicos "

Neville Hodgkinson
O Sunday Times

"Richard Milton, " acabando com os mitos do darwinismo " ... poderia abalar a
"religião "da evolução , tanto quanto " Juro por Deus " sacudiu o cristianismo
popular há 30 anos. "

Líder Coluna
The Times

"Milton ... profere alguns avisos importantes. ignorá-las em nossa conta e risco. "

Julia Neuberger
O Sunday Times

"Em seu famoso livro " Quebrando os mitos do darwinismo " , o jornalista Richard
Milton mostra o darwinismo como um edifício em ruínas, apoiado apenas por uma
instituição conservadora científica ".

Mateus Cockerill
O Daily Telegraph

"Um dos principais propósitos Richard Milton é argumentar que , na ausência de


provas científicas suficientes, o darwinismo não deve continuar a ser ensinada nas
escolas e universidades como se fossem as sagradas escrituras . Nisto, ele
consegue de forma admirável. "

Rogers
Literary Review
"Eu estou contente que um novo livro (por um agnóstico ) acaba de ser publicado ,
que reúne grande parte das provas contra o neo- darwinismo. bang vai a base
empírica em que o neo-darwinismo descansa. "

Bispo Montefiore Hugh


Os tempos da Igreja

" Quebrando os mitos do darwinismo "- além de ser agradavelmente legível - .


punções o mito mais eficaz do que ninguém fez antes "

Brian Inglis
O irlandês Independent

" dissipa imensamente leitura Milton do livro de muitas das teorias de Darwin, não
menos importante de todos a sua ideia de " sobrevivência do mais apto ".

Trisha Fermor
The Courier

"Se uma atenção religiosa criacionista tivesse escrito , ninguém teria pago. Mas
Milton é um escritor da ciência profissional e bem informado sobre o que está
acontecendo nos departamentos de geologia e velhos ossos. "

John Michell
O Oldie

"Para aqueles alimentados com o reducionismo ateus dos darwinistas certeza de


que o livro pode vir como uma resposta à oração , especialmente no que Milton
não reivindica nenhuma crença religiosa. "

Michael B. Roberts
Jornal da Igreja da Inglaterra

. " A capa tem uma foto de um Darwin quebrado, e com uma referência ao
marxismo , o livro tenta entregar Charles para o lixo, mesmo que Karl Aqui há um
ponto válido : " Ideologia darwinismo tem substituído o darwinismo científico em
nosso sistema educacional '".

E. Nisbet G.
Natureza

"Quando um correspondente da ciência respeitável de experiência de mais de 20


anos, que não tem a pretensão de ser religioso, suscita sérias dúvidas , então é
hora de sentar e ouvir. "
Desafio

"Em tema após tema: métodos de datação , o registro fóssil , microbiologia ,


geologia, etc , Milton mostra a inadequação da evidência para a evolução
darwiniana. "

"A crítica de Milton da evolução não brotam religiosas ou filosóficas pré-


suposições , ele é simplesmente convencido de que a evolução é cientificamente
insustentável. "

Simon Ladd
Alpha Magazine

"Charles Darwin? ultrapassada. Evolução? um mito. Não as afirmações usuais de


um fundamentalista do Cinturão da Bíblia , mas os de um discípulo do método
científico. E com base em argumentos científicos . "

[Tradução]
Enrico Verdecchia
Panorama

"Richard Milton ... apresenta uma refutação vigorosa do neo- darwinismo


inteiramente baseado na evidência da ciência. "

" Apoiado por sua experiência como engenheiro e jornalista científico , e


inspiradas por um interesse em geologia e paleontologia, ele explica as suas
dúvidas e dificuldades com a teoria geral da evolução de um estilo lúcido , não
técnica e muito legível. "

Anthony Nevard
Luz do dia

"Existem três razões principais que " acabando com os mitos do darwinismo
"parece pronta para fazer incursões sem precedentes para o campo darwinista.
Primeiro, Milton faz um caso absolutamente devastador , não deixando pedra
sobre pedra do credo evolucionista recebido. Em segundo lugar , ele coloca o seu
caso contra a evolução com a calma e a confiança de um homem que é
justamente a certeza dos factos e com a clareza modesta de um debatedor que
sabe que seus argumentos de retenção de água e não precisam de floreios
retóricos , mas apenas a exposição lúcida a prevalecer. E em terceiro lugar, Ele
desarma a reação instintiva suas opiniões são susceptíveis de entusiasmar dos
discípulos do establishment científico pela garantindo-lhes que ele não tem
vontade de reatar o Livro do Gênesis . "
Comportas
Livro Suplemento Review

A farsa da evolução

... Quinze a vinte anos atrás , os paleontólogos eram praticamente certos de que o Homo
erectus - o antecessor , supostamente humano imediato do Homo sapiens - surgiu na
África cerca de 1,5 milhões de anos atrás . Assim foi dito , a própria Europa permaneceu
desocupado até cerca de 500 mil anos atrás, quando o Homo sapiens sapiens , tenha sido
considerado apareceu pela primeira vez há apenas cerca de 35.000 anos atrás. Um ano
apenas quinze anos mais tarde, o pensamento é quase irreconhecível diferentes, para o
Homo sapiens sapiens é acreditado agora para ter aparecido pelo menos 120 mil anos
atrás, enquanto no sul da Inglaterra e Espanha são conhecidos por terem sido ocupados
por seres humanos 1,5-1.800.000 anos atrás ... Além para isso, agora é admitido que o
cérebro humano permaneceu aproximadamente o mesmo tamanho , pelo menos, 1,7
milhões anos Gordon John (-: Criança de Atlântida)
O Processo de Evolução Resumo

A vida na Terra evoluiu gradualmente começando com uma espécie primitiva , talvez uma
molécula auto-replicante que viveu há mais de 3,5 bilhões de anos , mas depois se
espalharam ao longo do tempo , jogando fora muitas espécies novas e diversificadas ; eo
mecanismo para a maioria (mas não todos) da mudança evolutiva é a seleção natural - J.
A. Coyne (Por que a evolução é verdadeira)

Homem de Nebraska
Quantos esqueletos que você acha que foi encontrado do Homem de Nebraska? 100? 50?
25? 10? Cerca de um esqueleto completo ? Talvez cerca de metade de um esqueleto?
Talvez 1 / 10 de um esqueleto ? Segure-se, homem de Nebraska foi reconstruído a partir de
um único dente ! O que é ainda mais surpreendente - o dente acabou por ser um dente de
porco! Como alguém poderia ser tão ingênuo a ponto de acreditar que um homem pode ser
reconstruído a partir de um dente? Contudo, muitas pessoas colocaram sua fé no homem de
Nebraska até a fraude foi exposta .

Homem de Java
Quantos esqueletos que você acha que foram encontrados do Homem de Java ? 100? 50?
25? 10? Cerca de um esqueleto completo ? Talvez metade do esqueleto ? Homem de Java
foi reconstruído a partir de uma calota craniana, fêmur , e dois dentes molares. Dr. Eugene
Dubois encontrou o pernil de 50 pés de distância da calota craniana , mas assumiu que era o
mesmo indivíduo . Após ter descoberto crânios humanos no mesmo nível próximo de sua
descoberta Homem de Java, ele escondeu os crânios sob o assoalho de seu quarto por 26
anos. Antes de DuBois sua morte confessou que não havia encontrado o elo perdido e
admitiu que o Homem de Java foi, provavelmente, um gibão gigante.

Homem de Piltdown
Em 1912 Charles Dawson reconstruíu o Homem de Piltdown , de um maxilar, dois dentes
molares, e um pedaço de crânio. Em 1953, a fraude foi exposta . A queixada veio a ser a de
um orangotango moderno, os dentes foram lixados e os ossos coloridos artificialmente para
enganar o público . Há mais de 40 anos evolucionistas, promoveram suas descobertas como
fato. O Museu Britânico tem documentado outras descobertas por Dawson como sendo
falsos. Imagine se você vivesse naquela época , colocando sua fé em evolução com base
nos achados de Dawson. Você não ficaria um pouco chateado quando descobriu a verdade?

Homem de Orce
Situado na cidade espanhola de Orce , em 1982, e saudado como o mais antigo humano
fóssil permanece já encontrado na Europa. Um ano funcionários mais tarde, admitiram o
fragmento de crânio não era humano , mas provavelmente veio de um burro de 4 meses de
idade. Os cientistas disse que o crânio pertencia a um homem de 17 anos que viveu 900 mil
para 1,6 milhões de anos atrás , e ainda tinha muito desenhos de detalhes feito para
representar o que ele teria se parecido . ( fragmento de crânio de não ser humano " ,
Knoxville News- Sentinel, 1983)

Homem de Neanderthal Boule


Reconstruído em 1915. Marcellin Boule indevidamente dispostos os ossos do pé de modo
que o dedão do pé divergiram os outros dedos para olhar como um polegar oponente . O
joelho foi deslocado para dar uma olhada joelho dobrado . A coluna foi deformada de modo
que não conseguia ficar em pé ea cabeça foi colocada em uma posição desequilibrada muito
à frente. modelo de Boule do homem de Neandertal foi colocado em exposição no História
Museu Field de Natural de Chicago por 44 anos antes de os erros foram descobertos ! Após
os erros foram divulgados , mantiveram -lo em exposição por mais 20 anos até que eles
criaram um novo modelo de Neanderthal. O que eles fizeram com o antigo modelo
impreciso? Em vez de jogá-lo na lata de lixo , onde pertencia , eles se mudaram para o
segundo andar do museu , e exibiu um novo sinal ", uma visão alternativa de Neanderthal ".
Mas não era uma visão alternativa. Era uma visão errada.

◊◊◊

Outra "história" da origem do homem vai para baixo do vaso sanitário

Dois fósseis de hominídeos descobertos no Quênia estão desafiando o objectivo de longa


data da evolução humana.

O superior quebrada osso da mandíbula e do crânio intacto de criaturas humanóides , ou


hominídeo , estão descritas na revista Nature. o hominídeo Homo habilis foi pensado para
ter evoluído para o mais avançado Homo erectus , Que evoluiu para nós. Agora, habilis e
erectus são pensados para ser espécies irmãs , que se sobrepôs a tempo.

A nova evidência fóssil revela uma sobreposição de cerca de 500 mil anos durante o qual
Homo habilis e Homo erectus deve ter co- existido na área de Vale de Turkana , a região da
África Oriental , onde os fósseis foram desenterrados.

"A co -existência torna pouco provável que o Homo erectus evoluiu do Homo habilis "
disse o co -autor o professor Meave Leakey, paleontólogo e co -diretor do Koobi Fora
Projeto de Pesquisa . O osso da mandíbula foi atribuída a Homo habilis por causa de suas
distintas primitivas características dental, e foi datado de cerca de 1,44 milhões de anos
atrás . É o mais novo exemplar da espécie já encontrado. O crânio foi atribuído às espécies
Homo erectus apesar de ser um tamanho similar ao de um habilis crânio. A maioria dos
outros erectus crânios encontrados foram consideravelmente maiores. Mas exibido
características típicas de erectus como uma crista suave chamado de " quilha "correndo por
cima da junta . A análise mostrou que o crânio de cerca de 1550 mil anos de idade. As
novas datas indicam que as duas espécies deve ter lado vivido a lado.

Espécie irmã
Se Homo erectus evoluíram a partir de habilis e permaneceu no mesmo local , em seguida,
ambos devem ter estado em competição direta pelos mesmos recursos . Eventualmente,
alguém teria para fora-competiram os outros .

" O fato de que eles ficaram separados como espécies individuais por um longo período
sugere que eles tinham seus próprios nichos ecológicos distintos , evitando a concorrência
direta ",

Leakey. O professor Chris Stringer, chefe de origens humanas no Natural de Londres


History Museum , disse:

"Ambos eram aparentemente pedra fabricantes de ferramentas, mas uma possibilidade é


que o maior e talvez mais móvel erectus espécies foi um caçador ativo, enquanto habilis
eliminado ou capturados pequenas presas. "

É provável que ambas as espécies evoluíram de um ancestral comum.

Outras possibilidades
Mas a relação linear ancestral -descendente entre as duas espécies não pode ser descartada
totalmente. Spoor , professor de biologia desenvolvida do University College de Londres, e
co-autor do papel , disse à BBC:

"É sempre possível que Homo habilis viveu , digamos , 2,5 milhões de anos atrás e , em
seguida, em outra parte da África , longe do Vale de Turkana, população uma isolada
evolui para Homo erectus ".

Depois de um período de tempo suficiente para permitir que as duas espécies


desenvolverem diferentes adaptações e estilos de vida , Homo erectus poderia ter , em
seguida, encontrou o seu caminho para a bacia do Turkana. Com separado " nichos
ecológicos " , ambas as espécies poderiam coexistir sem uma competição direta por
recursos. "Mas isso é uma proposição muito mais complexo ", o professor Spoor explicou ,

" A maneira mais fácil de interpretar estes fósseis é que houve uma espécie ancestral que
deu origem a ambos em algum lugar entre dois e três milhões de anos atrás . "
Não é tão semelhante
O registro fóssil indica que os humanos modernos ( Homo sapiens ) evoluíram a partir de
Homo erectus . No entanto, para alguns pesquisadores, o pequeno tamanho da erectus
crânio sugere que as espécies podem não ter sido tão semelhantes a nós como nós
pensamos uma vez . os humanos modernos apresentam um nível baixo de " dimorfismo
sexual " , o que significa que os machos e fêmeas não diferem fisicamente tanto como em
outros animais. Os cientistas compararam o crânio pequeno para um maior erectus crânio
encontrado anteriormente na Tanzânia. Se a diferença de tamanho entre os dois é um
indicativo da maior sendo uma de um macho e os menores que são de uma fêmea , ele
sugere que erectus apresentado um elevado nível de dimorfismo sexual - semelhante à dos
gorilas modernos. O dimorfismo sexual pode relacionar-se estratégias reprodutivas e
seleção sexual. Se erectus Foi muito dimorfismo sexual pode ter tido parceiros vários ao
mesmo tempo. Isso difere da natureza mais monogâmicos dos humanos modernos ,
indicando que Homo erectus não foi tão parecidos com os humanos como se pensava. Os
cientistas rejeitam a idéia de que o pequeno tamanho do crânio pode ser um resultado de
que pertencem a um jovem. "Ao estudar como os ossos do crânio são fundidos juntos,
descobriram que pertencia a um adulto completamente crescidas jovens ao invés de um
erectus juvenil em desenvolvimento ", disse o professor Spoor .

◊◊◊

Darwinistas Squirm sob holofotes


( Entrevista com Phillip E. Johnson)

Este artigo é reproduzido a partir de uma entrevista


com Cidadão Magazine, Janeiro de 1992.

Phillip Johnson foi um professor de direito da Universidade da Califórnia em Berkeley,


para mais de 20 anos . Como um advogado acadêmico, uma das especialidades da
Johnson's é " analisar a lógica da argumentação e identificar os pressupostos que estão por
trás desses argumentos . " Alguns anos atrás ele começou a suspeitar de que o darwinismo ,
longe de ser um fato objetivo , era pouco mais que uma posição filosófica disfarçada como
ciência - e má ciência nisso. Querendo ver se a sua impressão inicial foi correta, Johnson
decidiu dar uma olhada nos argumentos , provas e suposições subjacentes darwinismo
contemporâneo. O resultado de sua investigação é Darwin on Trial , um novo livro
controverso que não apenas desafios darwinismo, mas a mentalidade filosófica que o
sustenta.

Quando você começou a tomar consciência de que o darwinismo estava em dificuldades


como uma teoria científica ?
Eu estava vagamente ciente de que havia problemas , mas eu nunca tive a intenção de levar
o assunto a sério ou em pormenor até ao ano 1987-1988 lectivo , quando eu era professor
visitante em Londres. Todos os dias a caminho do meu escritório aconteceu de eu passar
por uma grande livraria dedicada à ciência . Peguei um livro após o outro e se tornou cada
vez mais fascinado com as dificuldades óbvias no caso darwinista - as dificuldades que
estavam sendo iludidos por uma retórica complicada e repetição enfática. Eu comecei então
a mergulhar na literatura profissional, especialmente em revistas científicas como Nature e
Science. A cada passo , o que eu encontrei foi uma falha da prova de estar em consonância
com a teoria.
O que foi que inicialmente fez você suspeitar que o darwinismo é mais filosofia do que
ciência exata ?
Foi o caminho dos meus colegas científica respondeu quando perguntei sobre as questões
difíceis. Em vez de tomar as questões intelectuais a sério e responder a eles, iria responder
com toda sorte de subterfúgios e linguagem vaga , tornando impossível para discutir as
acusações real ao darwinismo. Esta é a maneira como as pessoas falam quando estão
tentando muito duro para não entender alguma coisa.

Outra dica foi o contraste notei entre o tom extremamente dogmática que os darwinistas
utilizar quando abordar o público geral e os reconhecimentos ocasionais franca, nos
círculos científicos, de graves problemas com a teoria. Por exemplo , gostaria de ler
Stephen Jay Gould dizendo ao mundo científico que o darwinismo foi efetivamente morto ,
como uma teoria . E então, na literatura popular , gostaria de ler Gould e outros escritores
científicos dizendo que o darwinismo estava fundamentalmente saudáveis, e que os
cientistas tinham os problemas restantes sob controle. Havia uma contradição aqui, e
parecia que havia um esforço para manter o mundo exterior de tornar-se consciente das
graves dificuldades intelectuais.
Quais são algumas das dificuldades intelectuais? Pode dar um exemplo?

O mais importante é o problema fósseis, porque este é um registro direto da história da vida
na Terra. Se o darwinismo fosse verdadeiro, seria de esperar a evidência fóssil para conter
muitos exemplos da evolução darwiniana. Você esperaria ver fósseis que realmente não
poderia ser compreendida como a transição entre um tipo de organismo e outro. Você
também esperar para ver alguns dos ancestrais comuns que deram origem a diferentes
grupos como peixes e répteis. Você não esperaria encontrá-los em todos os casos , é claro.
dizer que uma grande parte da evidência fóssil foi perdido. Mas você poderia ser
continuamente encontrar exemplos de coisas que se encaixam bem com a teoria.

Na realidade , o registro fóssil é algo que os darwinistas tiveram de explicar , porque o que
ele mostra é o súbito aparecimento de organismos que apresentam qualquer vestígio de
passo-a- passo o desenvolvimento de formas anteriores . E isso mostra que uma vez que
esses organismos existem, eles permanecem fundamentalmente inalteradas , apesar da
passagem de milhões de anos e , apesar das mudanças climáticas e ambientais que deveria
ter produzido a evolução darwiniana enorme se a teoria fosse verdadeira . Em suma, se a
evolução é gradual, passo -a-passo a transformação de um tipo de coisa em outra , a
característica marcante do registro fóssil é a ausência de evidência para a evolução .
possível, como darwinistas muitos dizem, que as provas fósseis é demasiado escasso para
mostrar evidências da evolução darwiniana ?
A questão é se ou não o darwinismo é uma teoria científica que pode ser testado com as
evidências científicas . Se você assumir que a teoria é verdadeira , você pode lidar com
evidências conflitantes , dizendo que a prova tenha desaparecido. Mas então surge a
pergunta , como você sabe que é verdade se ele não estiver registrado nos fósseis ? Onde
está a prova ? Não está na genética. E não é na evidência molecular , que mostra
semelhanças entre organismos , mas não explicam como essas semelhanças aconteceu.
Assim, a prova não é em qualquer lugar , e é ilegítimo para a abordagem do registro fóssil
com o pressuposto de concludentes de que a teoria é verdadeira , para que você pode ler no
registro fóssil que você precisa para apoiar a teoria .
o darwinismo tem sido tão completamente refutada , por que tantos cientistas dizem que é
um fato?
Há vários fatores que explicam isso. Uma delas é que o darwinismo é fundamentalmente
uma posição religiosa , não uma posição científica. O projeto do darwinismo é explicar o
mundo e todas as suas formas de vida de uma maneira que exclui qualquer papel de um
criador. E esse projeto é sagrada para o desenvolvimento científico -naturalista para a
pessoa que nega que Deus pode, de qualquer de eventos forma a influência naturais.

Também é um fato lamentável na história da ciência que os cientistas vão ficar a uma teoria
que é falso até que se obtenha uma alternativa aceitável teoria de que a um darwinista , uma
teoria estritamente naturalista. Então, para eles , a questão não é se o darwinismo é
verdadeiro. A questão é saber se existe uma teoria melhor que é filosoficamente aceitável.
Qualquer sugestão de que o darwinismo é falso, e que devemos admitir nossa ignorância
sobre a origem das formas de vida complexas , é simplesmente inaceitável. Nos seus olhos,
o darwinismo é a melhor teoria naturalista e, portanto, efetivamente verdadeiro. O
argumento de que é falso não pode sequer ser ouvido.
Certamente existem alguns céticos no mundo científico . Qual deles?
, existem várias , e podemos ver o que aconteceu com eles. Você tem o paleontólogo Colin
Patterson , que é citado em meu primeiro capítulo. muito corajosa , recebeu muitas críticas
vicioso e, em seguida puxado para trás. Este é um padrão típico. Outro padrão é o de
Stephen Jay Gould , que disse que o darwinismo é efetivamente morto como uma teoria
geral e então percebeu que ele tinha dado uma arma poderosa para os criacionistas , cuja
existência não pode ser tolerada. Então agora Gould diz que ele é realmente um darwinista
bom , e que tudo que ele realmente queria dizer era que o darwinismo pode ser melhorada
através do desenvolvimento de uma teoria mais ampla , que incluiu o darwinismo. O que
temos aqui é política, não ciência. O darwinismo é politicamente correto para a comunidade
científica , porque lhes permite lutar contra todos os rivais da autoridade cultural.
Darwinistas freqüentemente acusam os criacionistas de intolerância. você está sugerindo
que os darwinistas são intolerantes ?
você quiser saber o que a ciência darwinista realmente é, ler o que os darwinistas dizem
sobre os criacionistas , porque essas coisas, independentemente de se elas são verdadeiras
sobre os criacionistas são verdadeiras sobre os darwinistas . Descobri que muitas vezes as
pessoas dizem sobre os seus inimigos que são verdadeiros em si mesmos . E eu acho que a
ciência darwinista tem muitos dos defeitos que os darwinistas estão tão indignados com
quando descrevem os criacionistas.
Em todo o país , tem havido uma tendência crescente para o ensino da evolução como um
fato , especialmente na Califórnia , o estado de seu. O que isso diz sobre a educação
científica nos Estados Unidos?
Esta é uma tentativa de estabelecer uma posição religiosa como ortodoxos de todo o
estabelecimento de ensino e, portanto, toda a sociedade. É ido muito longe . A posição é o
que eu chamo de " naturalismo científico ". As organizações científicas , por exemplo,
dizem-nos que , se queremos manter o status econômico do nosso país e lidar com os
problemas ambientais , temos de dar a todos uma perspectiva científica. Mas a " visão
científica " que têm em mente é aquela que, por definição, exclui Deus de qualquer papel
no mundo , desde o Big Bang até o presente. Portanto, esta é fundamentalmente uma
religião de posição uma posição fundamentalista, se você gosta - e ele está sendo ensinado
nas escolas como um fato, quando não é sequer uma boa teoria.
Por que os cristãos devem estar preocupados com uma teoria científica ? Por que isso
importa ?
Bem , os cristãos não só devem se preocupar com isso. Todos deveriam . É a religião em
nome da ciência , e isso significa que é enganar as pessoas sobre religião e ciência.

◊◊◊

Referências Relevantes

Novos testes Pergunta Human Origins

Quebrando os mitos da Visão darwinismo

Quebrando os mitos do darwinismo (Livro )

Alternativa Ciência : Desafiando os Mitos do establishment científico

Richard Milton na Wikipedia

Darwinismo : O assunto proibido

Darwinismo: tempo para reconsiderar

O que Darwin não sabia ( do livro )

O que Darwin não sabia ( YouTube)

Referências Evolution Pro-

Richard Dawkins sobre Darwin

Por que a evolução é verdadeira (por Coyne Jerry )

Por que a evolução é verdadeira (download PDF)

Jerry Coyne no Youtube

Jerry Website Coyne