Você está na página 1de 20

Preparação e caracterização de materiais compósitos

SiC/caulim/Al via “squeeze-casting”


Guilherme Dias Zarur
Engenharia de Materiais | Disciplina de Materiais Compósitos
Proposta
• Busca por materiais com propriedades melhoradas;

• Formação de um CMC (Compósito de Matriz


Cerâmica) de alta qualidade;

• Busca de aplicações de alta exigência;


Materiais Utilizados
• Carbeto de Silício ( Saint Gobain cristal verde LG F-
90);

• Caulim Campo Alegre;

• Liga Silício (ALCOA, Al-Si).


A) B)

C)

Fig. 1 - Materiais utilizados, sendo A) Caulim, B)SiC cristal verde, C)Tarugo da Liga Al-Si.
*Imagens meramente ilustrativas. Fonte: Google imagens.
Metodologia
• Moagem dos cristais de SiC para o aumento da
resistência mecânica dos corpos de prova à verde;

• Peneiramento do SiC em #200, #325 e #400, onde o


que passou em #400 foi denominado “finos”;

• Moagem do Caulim para a redução de tamanho inicial


(para não ficar retido na peneira de 400micra);
Fig. 2 - Composições das pré-formas.
Metodologia
• Os tarugos de Al-Si foram cortados em pedaços
menores para posterior fusão em cadinho;

• Formação das composições, pesadas e


homogeneizadas com adição de 10% de água
(plasticidade para conformar);

• Os corpos de prova foram confeccionados em molde


de aço inox em prensa hidráulica (pressão ~ 6MPa);
Metodologia
• Após conformação por prensagem, os corpos de prova
foram secados em estufa (110ºC/4 h) e sinterizados
em forno elétrico a 1100 ºC por 3 h;

• Com a sinterização, obtém-se uma pré-forma cerâmica


altamente porosa, adequada para a infiltração de Al;

• Por fim foi feito um processo de infiltração da pré-


forma cerâmica (SiC #200+ finos de SiC + Caulim).
Processo para a infiltração
• As pré-formas cerâmicas sinterizadas são pré-
aquecidas em uma mufla elétrica;

• Paralelamente, o Alumínio é fundido e mantido a


850ºC;

• A câmara da prensa teve uma limpeza e lubrificação


(pó de grafite e Molykote G) prévia, e posteriormente
aquecida (250 – 300ºC)
Fig. 3 - Procedimentos do processo de infiltração das pré-formas cerâmicas
Resultado Inicial da Infiltração
• Inicialmente o Alumínio, devido a pressão exercida pelo
pistão hidráulico, infiltra nos poros da pré-forma;
• Em seguida obtém-se então um compósito com excesso
de alumínio superficial;
• Para fins de acabamento superficial, a peça é levada
novamente ao forno para extração do excedente de Al;
• Após resfriada, a mesma é lixada em rebolos de
retificação SiC Carborundum (modelo anel tipo 2);
Fig. 4 - Rebolo de SiC verde.
RESULTADOS

Fig. 5 - Propriedades de resistência mecânica e de microdureza dos compósitos.


RESULTADOS

Fig. 6 - Propriedades físicas das pré-formas de SiC e SiC/caulim.

• Observa-se que para composições com mais de 30% de caulim, além da


diminuição da densidade aparente, as partículas maiores de SiC deixam de
atuar como reforço da matriz, tornando as pré-formas mais frágeis.
RESULTADOS
A) B) C)

D) E) F)

Fig. 6 - Micrografias das pré-formas: (a) SiC 200, (b) C10, (c) C20, (d) C30, (e) C40 e (f) C50.

• Conforme se aumenta o teor de Caulim, mais os poros ficam recobertos. Até


dado ponto onde há uma placa de alta porosidade, porém de poros menores.
RESULTADOS
• A medida que a quantidade de caulim vai crescendo
na composição, maiores quantidades de alumina
(𝐴𝐴𝐴𝐴2 𝑂𝑂3 ) e Silício são precipitadas, contribuindo para o
aumento da resistência mecânica do compósito;

• Com o aumento da quantidade de alumina na


microestrutura, esta passa a governar a resistência
mecânica e as partículas de SiC passam a atuar como
reforço (ate uma concentração de 30% de Caulim).
Conclusões
• Dependendo da composição SiC-Caulim-Al, o
compósito pode ser utilizado em aplicações de
elevada resistência mecânica à flexão (240 –
300MPa), baixa densidade e dureza superficial entre
180 – 380Kgf/𝑚𝑚𝑚𝑚2 ;

• A reação preferencial com os silicatos da pré forma


previnem reações do Al com o SiC, evitando a
formação do carbeto de alumínio (Al4C3);
Obrigado pela atenção!
Dúvidas?
Contato
E-mail: Guilherme.zarur@grad.ufsc.br