Você está na página 1de 6

História da Economia Brasileira

Prof. Danilo José Dalio


(8º Período / 2ª Turma)

Aula 1 (8/03) – Apresentação da disciplina e das formas de avaliação

Leitura Obrigatória:

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. Desenvolvimento e crise no Brasil, 1930-1983. 15ª ed. São
Paulo: Ed. Brasiliense, 1987. (Cap. 1 – O conceito de desenvolvimento, p.19-28)

 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez” i

Episódio 1: 1492 – 1808 – Brasil de Portugal

O episódio aborda por que Portugal e Espanha investiram nas navegações a outros continentes;
como se desenvolveu a economia nas regiões colonizadas; como os negros importados da África
para cultivar cana-de-açúcar se tornaram o principal produto comercializado no país; e qual o
impacto decisivo teve a Revolução Francesa e o expansionismo de Napoleão na história do Brasil.

Aula 2 (15/03)

Leitura Obrigatória:

SINGER, Paul. Interpretação do Brasil: uma experiência histórica de desenvolvimento. In: In:
HOLANDA, Sérgio B. de (org.). História Geral da Civilização Brasileira – O Brasil Republicano,
v. 11: Economia e cultura (1930-1964). 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007. (p. 262-306)

 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”

Episódio 2: 1808 – 1888 – Nasce uma pátria

A corte portuguesa foge das guerras na Europa para o Brasil, transformando os poderes, a economia
e a cultura. Isso estimula a Independência e o desenvolvimento, impulsionado pelo café. Com a
Abolição da escravidão, o país entrou em crise política e econômica.

Aula 3 (22/03) e Aula 4 (29/03) - Economia e política econômica na República Velha (1889-1930)

Leitura Obrigatória:

SUZIGAN, Wilson. Indústria Brasileira: origem e desenvolvimento. São Paulo: Hucitec, Ed.
Unicamp, 2000. (Cap. 1: Origens do desenvolvimento industrial brasileiro: principais
interpretações e questões em aberto, p. 23-77)

Leitura Complementar:

OLIVEIRA, Francisco A economia da dependência imperfeita. 5ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.
(Cap. I: A emergência do modo de produção de mercadorias: uma interpretação teórica da
economia da República Velha no Brasil (1889-1930), p. 9-38)
SILVA, Sérgio. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria no Brasil. São Paulo: Editora Alfa
Omega, 1976. (Cap. III: Economia cafeeira, p. 49-76 e Cap. IV: Origens da Indústria, p. 77-115)

 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”

Episódio 3: 1888 – 1929 – Brasil dos brasileiros

A crise política e econômica gerada com a abolição da escravatura em 1888 culminou na


proclamação da República em 1889. Transformações econômicas intempestivas aprofundaram a
crise e o poder retornou aos grandes donos de terras. Na primeira guerra, o Brasil passou a
confeccionar muitos produtos, mas o café continuou “o rei da economia” até a crise econômica
mundial deflagrada em 1929.

Aula 5 (5/04) e Aula 6 (12/04) - A depressão dos anos 1930 e a industrialização brasileira (1929-
1961)

Leitura Obrigatória:

DRAIBE, Sônia. Rumos e Metamorfoses: um estudo sobre a constituição do Estado e as alternativas


da industrialização no Brasil, 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. (Introdução, p. 11-55)

MALAN, Pedro S. Relações econômicas internacionais do Brasil (1945-1964). In: HOLANDA,


Sérgio B. de (org.). História Geral da Civilização Brasileira – O Brasil Republicano, v. 11:
Economia e cultura (1930-1964). 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

Leitura Complementar:
ABREU, Marcelo P. (Org.). A ordem do progresso. Cem anos de política econômica republicana
(1889-1989).Rio de Janeiro: Campus, 1992. (Cap. 3: Crise, crescimento e modernização
autoritária, p. 73-104)
TAVARES, Maria Conceição. Da substituição de Importações ao Capitalismo Financeiro: ensaios
sobre a economia brasileira. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1973. (Cap. 1: Auge e declínio do
processo de substituição de importações no Brasil, item I, p. 27-58)

 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”


Episódio 4: 1929 – 1973 – Desenvolvimentismo
Em 1929, começou a maior crise econômica da história. O consumo de café caiu, transformando a
estrutura econômica e política brasileira e a industrialização começou. Com outros entrevistados, o
então ministro da Fazenda Delfim Neto e o presidente do Banco Central Ernane Galvêas contam,
em primeira pessoa, como o desenvolvimentismo acarretou o “milagre econômico”.

Aula 7 (19/04) e Aula 8 (26/04) - A crise dos anos 1960 e o chamado “milagre econômico”
Leitura Obrigatória:
SINGER, P. A crise do “milagre”: interpretação crítica da economia brasileira. Rio de Janeiro: Paz
e Terra, 1976. (Cap. III – Evolução da economia brasileira: 1955-1975, p. 99-119)
Leitura Complementar:
OLIVEIRA, Francisco A economia da dependência imperfeita. 5ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.
(Cap. 3: Padrões de Acumulação, oligopólios e Estado no Brasil (1950-1976), p.76-113)

Aula 9 (03/05) - O II PND e o esgotamento do dinamismo econômico


Leitura Obrigatória:
CARNEIRO, Ricardo. Desenvolvimento em crise: a economia brasileira no último quarto do século
XX. São Paulo: Ed. Unesp, 2002. (Introdução, p. 27-44 e Cap. 1: Crise internacional e ajuste
nacional: o II PND)
Leitura Complementar:
GOLDENSTEIN, Lídia. Repensando a dependência. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1994. (Cap. 2: A
ilusão da autonomia: ascensão e queda de um padrão de financiamento, p. 57-96)

Aula 10 (10/05) – A crise da dívida externa e a crise fiscal do Estado


Leitura Obrigatória:
CRUZ, Paulo D. Dívida externa e política econômica. São Paulo: Brasiliense, 1984.
(Endividamento externo e déficits em transações correntes: a natureza do endividamento nos
anos setenta, p. 11-27)
 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”
Episódio 5: 1973 – 1986 – Tropeços e crises
Esse episódio desvenda como as escolhas do “milagre” acarretaram graves problemas. As crises do
petróleo de 1973 e 1979 chacoalharam o mundo. O Brasil, com imensos projetos, continuou se
endividando até quebrar e viver a “crise da dívida externa” e a alta inflação. Narram em primeira
pessoa os então ministros Delfim Neto e Ernane Galvêas, além de Sérgio Amaral e Pedro Malan,
negociadores da dívida.

Aula 11 (17/05) e Aula 12 (24/05) - A crise financeira e as políticas de estabilização nos anos 1980
Leitura Obrigatória:
CASTRO, Lavinia Barros de. Esperança, frustração e aprendizado: história da Nova República
(1985-1989). In: GIAMBIAGI, Fabio et. al. Economia brasileira contemporânea: 1945-2010. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2011.
Leitura Complementar:
BAER, Werner e PAIVA, Cláudio. A vacilante economia brasileira: estagnação e inflação
durante 1987-1993. In: BAER, Werner. A Economia Brasileira. São Paulo: Nobel, 1996.
 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”
Episódio 6: 1986 – 1987 – Plano Cruzado e Reformas.
O Cruzado, o primeiro plano de estabilização da economia, levou a inflação a zero, legitimando o
primeiro presidente pós redemocratização. Assim, permitiu reformas que acarretaram melhor
organização das contas públicas, que eram caóticas. Contam em primeira pessoa o presidente José
Sarney, os ministros Bresser Pereira e Maílson da Nóbrega, Ronaldo Costa Couto, além de Pedro
Parente.

Episódio 7: 1987-1994 – Derrotas para a inflação.


O Cruzado fracassou no combate à inflação, assim como os planos seguintes: Cruzado II, Bresser,
Verão, Collor e Collor II. Em 1993 a inflação foi de 2.851%. Narram em primeira pessoa o
presidente José Sarney, os ministros da época Maílson da Nóbrega, João Batista de Abreu, Ronaldo
Costa Couto, Dorothéa Werneck e Fernando Henrique Cardoso, além dos presidentes do Banco
Central Gustavo Loyola e Pedro Malan.

Aula 13 (7/06) e Aula 14 (14/06) - O “Plano Real”: queda da inflação, estagnação e crise
econômico-financeira
Leitura Obrigatória:
SINGER, Paul. A raiz do desastre social: a política econômica de FHC. In: LESBAUPIN, Ivo
(Org.). O desmonte da nação: balanço do Governo FHC. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes,
1999.
Leitura Complementar:
CORSI, Francisco L. A economia brasileira na década de 1990: estagnação e vulnerabilidade
externa. In: BATISTA, Roberto L. e ARAÚJO, Renan (Orgs.). Desafios do Trabalho – Capital e
Luta de Classes. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2003.
 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”
Episódio 8: 1994 – 2002 – Plano Real
O Real, de 1994, acabou com a inflação. Para sustentá-lo, durante anos foram feitas reformas
institucionais fundamentais. A saga é contada em primeira pessoa pelo presidente FHC, os então
ministros Pedro Malan, José Serra, Pedro Parente, Bresser Pereira, L.C. Mendonça de Barros e
Sérgio Amaral, além dos presidentes do Banco Central Gustavo Loyola, Pedro Malan, Gustavo
Franco, Pérsio Arida e Armínio Fraga.

Aula 15 (21/06) e Aula 16 (28/06) – O novo desenvolvimentismo e economia brasileira no início


do século XXI
Leitura Obrigatória:
BASTOS, Pedro Paulo Z. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social
desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, Número Especial, p. 779-810, dez.
2012.
Leitura Complementar:
FONSECA, P., CUNHA, A.; BICHARA, J. O Brasil na era Lula: retorno ao
Desenvolvimentismo? Rede Desenvolvimentista, Campinas, 2012. (Texto para Discussão, 4).
 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”
Episódio 9: 2002 – 2015 – Um país de classe média.
As reformas e o crescimento mundial impulsionaram a economia brasileira, permitindo enorme
aumento da classe média até a crise mundial de 2008. O Brasil se recuperou, mas ações mal
sucedidas do governo e expansão do gasto público acarretaram aumento da inflação e recessão.
Contam em primeira pessoa os presidentes do Banco Central Armínio Fraga e Henrique Meirelles,
além do ministro Marcelo Neri.

Aula 17 (05/07) e Aula (12/07) – Estagnação e crise econômico-financeira: a economia brasileira


nos anos atuais.
Leitura Obrigatória:
COSTA PINTO, Eduardo et. al. A economia política dos governos Dilma: acumulação, bloco no
poder e crise. Texto para Discussão 004, IE-UFRJ, 2016.
Leitura Complementar:
DWECK, Esther e TEIXEIRA, Rodrigo A. A política fiscal do governo Dilma e a crise econômica.
Texto para Discussão. Unicamp. IE, Campinas, n. 303, jun. 2017.
MESQUITA, M. A política econômica do governo Dilma: a volta ao experimentalismo. In:
CENTRO de Debates de Políticas Públicas. Sob a luz do Sol, Uma agenda para o Brasil. CDPP,
2014. p.3-15.
TEIXEIRA, Rodrigo A. e COSTA PINTO, Eduardo. A economia política dos governos FHC, Lula e
Dilma: dominância financeira, bloco no poder e desenvolvimento econômico. Economia e
Sociedade, Campinas, v. 21, Número Especial, p. 909-941, dez. 2012.

 Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”


Episódio 10: Em busca do eixo
Em 2015 o Brasil entrou em recessão. Os 41 entrevistados da série, entre ex-presidentes do Brasil,
ex-ministros, ex-dirigentes do Banco Central e de grandes empresas, além de economistas,
historiadores e jornalistas renomados discutem a duração da crise e as principais medidas e
reformas para que o Brasil saia da recessão e se torne um país mais desenvolvido e com maior bem-
estar da sua população.

Avaliações:

1 – Escolher um episódio do documentário “Economia Brasileira: a história contada por


quem a fez” e relacioná-lo, pelo menos, com o conteúdo de dois textos indicados neste plano de
ensino. O trabalho valerá 5,0 pontos na média final e corresponderá à atividade de Práticas como
Componente Curricular. Data de entrega dia 05/07/2018.

2 – Avaliação escrita no dia 12/07, realizada em sala de aula, sobre o conteúdo dos textos
indicados como leitura obrigatória, valendo 5,0 pontos na média final.

Referência de apoio:

SANDRONI, Paulo. Novíssimo dicionário de economia. São Paulo: Editora Best Seller, 1999.
i Documentário: “Economia Brasileira: a história contada por quem a fez”
Ex-presidentes da República, ex-ministros e ex-dirigentes do Banco Central revelam os
problemas que enfrentaram, as difíceis decisões e suas consequências. Com economistas,
historiadores, jornalistas e empresários, o elenco relata, em dez episódios, as aventuras e
desventuras do país desde 1492, a partir da economia em vez da política. Criada pelo ex-ministro
Maílson da Nóbrega e a jornalista Louise Sottomaior, a série exibe muitas imagens e vídeos
históricos, além de animações gráficas que elucidam transformações e curiosidades, esclarecem
conceitos complexos e contextualizam o Brasil na história do mundo. No episódio final, 41
entrevistados discutem soluções para a economia brasileira.