Você está na página 1de 5

Ficha de Trabalho 5 Dito e Feito, 5.

o ano

GRUPO I
TEXTO A

Lê o texto.

O PÁSSARO DA CABEÇA

Sou o pássaro que canta


dentro da tua cabeça,
que canta na tua garganta,
que canta onde lhe apeteça.

5 Sou o pássaro que voa


dentro do teu coração
e do de qualquer pessoa
(mesmo as que julgas que não).

Sou o pássaro da imaginação


10 que voa até na prisão
e canta por tudo e por nada
mesmo com a boca fechada.

E esta é a canção sem razão


que não serve para mais nada
15 senão para ser cantada
quando os amigos se vão

e ficas de novo sozinho


na solidão que começa
apenas com o passarinho
20 dentro da tua cabeça.

Manuel António PINA, 2012. O Pássaro da Cabeça. Porto: Assírio & Alvim

DF5LP © Porto Editora 1


Ficha de Trabalho 5 Dito e Feito, 5.o ano

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Seleciona, de 1.1. a 1.3., a única opção que completa corretamente cada afirmação.
1.1. O pássaro da cabeça
a. não tem vontade própria.
b. tem vontade própria.
c. faz apenas parte daquilo que lhe mandam fazer.
d. respeita todas as ordens que lhe dão.
1.2. Esse pássaro existe dentro da cabeça
a. das pessoas adultas.
b. das pessoas pequenas.
c. de algumas pessoas.
d. de todas as pessoas.
1.3. Para o pássaro da cabeça, os limites
a. não existem.
b. são poucos.
c. representam um desafio.
d. são inúmeros.

2. Relê os versos 11 e 12.


«e canta por tudo e por nada
mesmo com a boca fechada.»
Explica, por palavras tuas, o seu significado.

3. Explicita em que momentos deve dizer-se este poema («a canção sem razão», linha
13), segundo o sujeito poético.

4. Transcreve o(s) verso(s) que refere(m) o afastamento entre as pessoas.

5. Expressa o(s) sentimento(s) que a leitura do verso «na solidão que começa» (verso
18) provoca(m) em ti.

6. Na última estrofe, o sujeito poético realça a importância do pássaro da cabeça na


vida de cada um de nós.
Explica a mensagem que transmite.

DF5LP © Porto Editora 2


Ficha de Trabalho 5 Dito e Feito, 5.o ano

PARTE B

Lê a notícia. Caso tenhas dúvidas acerca do significado de alguma palavra, consulta o


vocabulário apresentado.

DAR ASAS À IMAGINAÇÃO NA MELHOR VISTA DE LISBOA

Jorge Maciel ocupou a residência artística num antigo depósito de água e encheu-a de
objetos que encontrou no lixo. A sua exposição é inaugurada amanhã.

O slogan da bebida energética «Red Bull dá-te asas» adapta-se bem à sua
nova residência artística. É preciso fôlego e energia nas pernas para lá chegar,
5 através de centenas de degraus periclitantes1 encaixados numa espécie de
andaimes2. Lá em cima a vista é incrível, como só os pombos devem ter. Não há
prédios em frente e consegue-se ver Lisboa para onde quer que se olhe. Jorge Maciel,
de 28 anos, foi o sortudo que durante dois meses pôde cozinhar, tomar banho e
trabalhar, enquanto controlava o trânsito na ponte 25 de Abril ou contava os barcos no
10 Tejo.
O artista de Vila de Punhe, em Viana do Castelo, foi o primeiro inquilino3 da
Red Bull House of Art, uma residência artística instalada no antigo depósito de água
da Lx Factory, em Lisboa. A 15 de fevereiro, Jorge aterrou no espaço recém-
-recuperado com liberdade para desenvolver o projeto artístico que quisesse. «Fui
4
15 convidado pela curadora Filipa Oliveira e apresentei uma maquete», conta Jorge,
depois de uma noite sem dormir a ultimar os pormenores de um carrossel feito de lixo.
«Algumas peças já estavam pensadas, mas outras foram surgindo com coisas que fui
encontrando.»
Jorge costuma andar na rua a olhar para os caixotes do lixo. Com o que
20 encontra tem ideias para esculturas e instalações artísticas. E nem o seu velho Ford
escapou. «Um dia por acaso vi-o na rua e tinha um número de telefone já comido pelo
sol no banco de trás. O senhor vendeu-me o carro por 250 euros. Depois o motor deu
o berro e pensei que podia fazer com ele um trabalho de artes plásticas.»
O carro, decorado com objetos encontrados no lixo por dentro e por fora, é o
25 cartão de visita da sua exposição «A Treinar Para a Sibéria» que é amanhã
inaugurada, às 19 h. Ao lado da peça, a única recomendável para pessoas com
vertigens5, uma equipa de três homens ajuda Jorge a acabá-la a tempo.

Carla SILVA, http://www1.ionline.pt/conteudo/117171-dar-asas--imaginacao-na-melhor-vista-lisboa


(consultado em 5 de janeiro de 2013)

DF5LP © Porto Editora 3


Ficha de Trabalho 5 Dito e Feito, 5.o ano

Vocabulário
1
periclitantes: que correm perigo.
2
andaimes: espécie de estrado, colocado sobre uma estrutura, usado em trabalhos de
construção civil.
3
inquilino: aquele que reside numa casa que é de outra pessoa.
4
curadora: que administra bens alheios.
5
vertigens: sensação ilusória de movimento do corpo ou à volta do corpo.

7. Assinala as seguintes afirmações com V (verdadeiras) ou F (falsas), de acordo com


o sentido do texto.
a. O artista Jorge Maciel foi viver durante dois meses para a residência
artística.
b. A casa foi construída num local onde no passado se colocava lixo.
c. É difícil chegar à residência artística por causa da estrutura que é usada para
subir até lá.
d. Da residência artística é possível ver-se os prédios em frente.
e. Durante o tempo em que esteve na casa, Jorge Maciel só controlava o
trânsito numa das pontes sobre o rio Tejo e contava os barcos que nele navegavam.

7.1. Corrige as afirmações falsas.

8. Seleciona a única opção errada.


a. Jorge Maciel foi o primeiro artista a ocupar a residência.
b. Na residência artística, Jorge Maciel poderia fazer o trabalho que lhe
apetecesse.
c. O trabalho de Jorge Maciel na residência é feito de lixo.
d. Jorge Maciel tem o hábito de olhar para os caixotes de lixo.
e. Paga-se bilhete para visitar a exposição de Jorge Maciel.

GRUPO II

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Lê os versos seguintes.
a. «Sou o pássaro da imaginação» (verso 9)
b. «e ficas de novo sozinho» (verso 17)
Classifica o sujeito em cada um dos versos.

DF5LP © Porto Editora 4


Ficha de Trabalho 5 Dito e Feito, 5.o ano

2. Apresenta, para cada palavra com sentido geral, três palavras com sentido mais
restrito, seguindo o exemplo.
Sentimento – tristeza, amor, solidão.
a. pássaro
b. pessoa

3. Indica três palavras da família de cabeça.

4. Lê as frases seguintes.
a. O pássaro da cabeça sabe bem o que é.
b. A solidão fica para depois.
c. O pássaro da cabeça vive aqui dentro.
d. Percebi facilmente quem é o pássaro da cabeça.

4.1. Indica a classe a que pertencem as palavras sublinhadas.


4.2. Regista a subclasse de cada uma das palavras sublinhadas.

5. Lê as frases seguintes.
a. O pássaro da cabeça canta onde lhe apeteça.
b. Vou apanhá-lo.
c. O pássaro da cabeça voa.
d. Esta canção não tem razão.
Identifica as funções sintáticas desempenhadas pelos elementos sublinhados.

GRUPO III

Escreve um texto, no qual dês a tua opinião sobre a importância da imaginação


para a nossa vida.
O teu texto deve:
─ apresentar duas razões que justifiquem a tua opinião;
─ apresentar uma conclusão;
─ ser correto e bem estruturado;
─ ter um mínimo de 140 e um máximo de 200 palavras.

DF5LP © Porto Editora 5

Você também pode gostar