Você está na página 1de 94

Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ

Teoria e Questões comentadas


Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Aula 00
Curso: Auditoria p/ Auditor TCM RJ
Prof. Lucas Salvetti Professor: Lucas Salvetti 1 de 94
www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

APRESENTAÇÃO

Bem-vindos (as) ao curso de


Auditoria p/ Auditor de Controle
Externo do Tribunal de Contas do
Município do Rio de Janeiro (TCM RJ).
Antes de mais nada, quero dizer que
este curso é composto por material escrito
(formato PDF) e fórum tira-dúvidas =) =)

As aulas deste curso estão 100% atualizadas com todas as normas


que foram alteradas, republicadas e editadas, de acordo com o Edital. Se tiver
qualquer alteração de conteúdo, eu vou atualizar as aulas e questões
correspondentes e disponibilizar GRATUITAMENTE para os alunos, durante a
vigência do curso. O curso inclui os tópicos de auditoria governamental!
O curso será de Teoria e Questões comentadas e o meu objetivo é
MASTIGAR e DIGERIR toda a matéria para vocês e, para isso, vou tratar de
abordar a parte teórica de forma totalmente objetiva e esquematizada. Vou usar
e abusar de tabelas, esquemas, gráficos e outras técnicas de estudo, de forma
que vocês possam absorver de forma mais fácil esta matéria.

Apresentação
Para os que ainda não me conhecem, meu nome é Lucas Salvetti e
ocupo o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual do Rio de Janeiro,
concurso no qual fui aprovado em 19º lugar em 2010 (aos 22 anos).

Além disto, sou professor de Auditoria, tendo ministrado


aula ao longo dos últimos 6 anos nos mais diversos cursos
preparatórios deste país, autor do livro “1001 questões
comentadas de auditoria ESAF – Editora Método”:
Sou coordenador pedagógico, coach e professor no
Exponencial Concursos, tendo participado ATIVAMENTE
na confecção e modulação da metodologia que aplicamos
em nossos cursos =)

Prof. Lucas Salvetti 2 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Concursos aprovados:
 19º lugar - Auditor Fiscal da Receita Estadual do Rio de Janeiro -
ICMS RJ 2010 - Aprovado com 22 anos, cargo que ocupo
atualmente.
 11º lugar - Auditor Fiscal de Tributos Estaduais de Rondônia - ICMS
RO 2010 - Aprovado com 22 anos
 41º lugar - Banco do Brasil (2006) - Aprovado com 18 anos

Histórico e análise das provas


Auditoria – Auditor TCM RJ

A última prova foi em 2010, e na época o cargo era denominado como


“Técnico” de Controle Externo. Em tal ocasião, tivemos o seguinte conteúdo:
Prof. Luiz Airosa:
“I. Governança no setor público. Estrutura conceitual de análise de
risco (COSO). Elementos de risco e controle. Aplicação da estrutura
conceitual de análise de risco. O papel das normas de auditoria. Normas
da INTOSAI: Declaração de Lima. Código de ética e padrões de auditoria.
Auditoria no setor público: Conceito de controle. Tipos e formas de
controle. Controle interno, externo e integrado. Fiscalização dos atos da
Administração pelo Poder Legislativo: Legalidade, eficiência, eficácia,
economicidade e efetividade. Atribuições dos Tribunais de Contas.”

Prof. Lucas Salvetti:


“II. Normas de Auditoria interna e independente emanadas pelo
Conselho Federal de Contabilidade: Normas relativas à pessoa do
auditor. Normas relativas à execução do trabalho. Normas relativas ao
relatório e parecer. Ética Profissional e Responsabilidade Legal. Normas
legais de auditoria aplicáveis ao Tribunal de Contas do Município do Rio
de Janeiro.
III. Auditoria: conceito e objetivo. Formas de auditoria. Procedimentos
de Auditoria: Planejamento do trabalho. Avaliação do controle interno.
Riscos de auditoria. Programas de Auditoria. Técnicas e Procedimentos de
auditoria. Testes de auditoria. Papéis de trabalho. Relatórios de auditoria:
objetivo, tipos e conteúdo. Parecer de auditoria: conceito e finalidade.
Conteúdo e forma de elaboração. Tipos de pareceres. Auditoria
operacional: conceito de auditoria operacional e de gestão. Exames físicos
de conhecimento: contagens físicas, comparações e análise de registro,
observação de procedimentos, Amostragem em auditoria e realização de
levantamentos.”

Prof. Lucas Salvetti 3 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

PONTUAÇÃO
MÍNIMO EM
PONTOS TOTAL EM MÍNIMA EXIGIDA,
Nº DE PONTOS PARA
CARGO ETAPA CONTEÚDO POR PONTOS POR PARA
QUESTÕES APROVAÇÃO, NO
QUESTÃO CONTEÚDO APROVAÇÃO, POR
TOTAL DA PROVA
CONTEÚDO

Língua
20 2,0 40,0 8,0
Portuguesa

Auditoria 10 2,0 20,0 4,0

Contabilidade
10 2,0 20,0 4,0
Geral
1ª 84,0
Contabilidade
10 2,0 20,0 4,0
Pública

Matemática
10 2,0 20,0 4,0
Financeira

Raciocínio Lógico 10 2,0 20,0 4,0

TOTAL 70 140,0
Técnico
de Direito
20 2,0 40,0 8,0
Controle Administrativo
Externo
Direito
15 2,0 30,0 6,0
Constitucional

Direito
15 2,0 30,0 6,0
Financeiro


Noções de
05 2,0 10,0 2,0 84,0
Informática

Instrumentos de
10 2,0 20,0 4,0
Controle Externo

Ética do Servidor
na Administração 05 2,0 10,0 2,0
Pública

TOTAL 70 140,0

Como podem reparar, foram 20 pontos de um total de 280, ou seja, 7,1%


da prova! =)

Prof. Lucas Salvetti 4 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Vamos dar uma olhadinha agora nos ASSUNTOS cobrados na prova:

Assunto 2010

Introdução, Tipos de Auditoria, Estrutura das NBC, Conceitos Gerais, Termos dos Trabalhos e
1
Trabalhos iniciais

Normas Profissionais do Auditor Independente


Auditoria Interna 1
Materialidade e Relevância
Risco de Auditoria
Evidência
Fraude e Erro
Planejamento
Identificação e Avaliação dos Riscos de Distorção Relevante (Controle Interno da Entidade
Auditada)
Procedimentos de Auditoria, Avaliação das Distorções Identificadas
Documentação de Auditoria (papéis de trabalho) 1
Amostragem
Controle de Qualidade
Continuidade Operacional
Representações Formais
Estimativas Contábeis
Transações e Eventos subsequentes
Provisão, Passivo Contingentes e Ativos Contingentes
Partes Relacionadas
Utilização do Trabalho de Terceiros (Auditor Interno e Especialistas)
Relatório (Opinião) do Auditor Independente, Parágrafos. 1

Auditoria em áreas específicas: Contas de Resultado e Patrimoniais

Perícia Contábil, Princípios contábeis, PED


Auditoria Governamental
Outros assuntos (normas do CFC, CVM, etc)
COSO 2
Controle Externo 3

Auditoria Operacional 1

Agora vamos dar uma olhadinha na estrutura e cronograma do curso?


Segue:

Prof. Lucas Salvetti 5 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Aula Assunto
00 Introdução, Tipos de Auditoria, Estrutura das NBC, Conceitos Gerais,
01 Auditor Independente, Auditoria Interna (interna x externa)
02 Risco de Auditoria e Evidência
03 Planejamento
04 Identificação e Avaliação dos Riscos de Distorção Relevante (Controle
Interno da Entidade Auditada)
05 Procedimentos de Auditoria, Avaliação das Distorções Identificadas
06 Documentação, Amostragem
07 Relatório (Opinião) do Auditor Independente, Parágrafos.
08 Auditoria em áreas específicas: Contas de Resultado e Patrimoniais
09 Prof. Luiz Airosa: “Auditoria no setor público: Conceito de controle.
Tipos e formas de controle. Controle interno, externo e integrado.
Fiscalização dos atos da Administração pelo Poder Legislativo:
Legalidade, eficiência, eficácia, economicidade e efetividade.
Atribuições dos Tribunais de Contas.”
10 Prof. Luiz Airosa: “Governança no setor público. Estrutura conceitual
de análise de risco (COSO). Elementos de risco e controle. Aplicação
da estrutura conceitual de análise de risco. O papel das normas de
auditoria. Normas da INTOSAI: Declaração de Lima. Código de ética e
padrões de auditoria.”

*Consulte a data de liberação das aulas no site do Exponencial, na


página do curso.

Prof. Lucas Salvetti 6 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Aula 00 – Introdução, Tipos de Auditoria, Estrutura das NBC,


Conceitos Gerais

Sumário
1- Introdução; Tipos de Auditoria; Estrutura das Normas Brasileiras de
Contabilidade. 8
1.1- Tipos de auditoria 9

1.2- Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade 12

2- Noções gerais de auditoria: conceituação e objetivos,


responsabilidade da administração, requisitos éticos 13
2.1- Auditoria Independente (de Demonstrações Contábeis). 13

2.2- Responsabilidade da administração da entidade 15

2.3- Objetivos Gerais do Auditor 18

2.4- Requisitos Éticos Relacionados à Auditoria de Demonstrações Contábeis 20

2.5- Ceticismo Profissional 23

2.6- Julgamento Profissional 24

2.7- Condução da Auditoria em conformidade com NBC Tas 25

2.8- Principais pegadinhas 27

3- Questões comentadas 29
4- Lista de Exercícios (todos da aula) 69
5- Gabarito 93
6- Referencial Bibliográfico 94

Prof. Lucas Salvetti 7 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

1- Introdução; Tipos de Auditoria; Estrutura das Normas


Brasileiras de Contabilidade.

A base da construção deste material, além das buscas doutrinárias, são


principalmente as Normas Brasileiras de Contabilidade.
Cada norma aborda um tema/escopo e, dentro deste escopo, apresenta
as definições dos seus termos e os objetivos específicos do auditor
independente. Mas professor, por que você está falando isto? Bom, caro aluno,
estou introduzindo desta forma para que vocês fiquem bem atentos aos
objetivos no início de cada tema, que será apresentado no início de cada aula,
pois com isto, o APRENDIZADO ficará muito mais fácil, afinal, é bem mais fácil
assimilar/entender o conteúdo quando logo no início abordamos qual objetivo
do auditor com o assunto, não acham? Para começar o curso, faço a vocês três
perguntas:

1ª O que é auditoria?
A auditoria contábil/financeira, que é o foco de estudo, consiste na
obtenção e avaliação de evidências para emissão de uma opinião com
relação à adequação das demonstrações contábeis de uma entidade.
Outras definições de auditorias serão apresentadas no “Tipos de auditoria”.

2ª Qual objetivo da auditoria?


O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários.

3ª Por que é preciso “aumentar o grau de confiança” das


demonstrações contábeis?
Bem, este tipo de auditoria é necessário para que o usuário (terceiros)
consiga obter informações sobre a idoneidade e veracidade (ou seja,
adequação) das informações divulgadas pela empresa. Ou seja, necessidade
de uma avaliação independente da real situação da empresa.
Como a empresa é parte interessada nesta divulgação, a opinião sobre
essas informações deve ser de uma pessoa externa a ela, que não sofra
influência e não tenha interesse na mesma. É neste ponto que entra o auditor
independente (externo).
Após esta breve introdução, vamos ver agora os diferentes tipos de
auditoria e a estrutura das normas brasileiras de contabilidade (base de nosso
estudo).

Prof. Lucas Salvetti 8 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

1.1- Tipos de auditoria

Não se preocupem muito com esta parte, é apenas para realmente


introduzi-los ao mundo da Auditoria.

 Contábil (financeira)
Consiste na obtenção e avaliação de evidências para emissão de
uma opinião com relação à adequação das demonstrações contábeis de
uma entidade.
Essa auditoria influencia na manutenção do correto funcionamento dos
mercados de capitais, tendo em vista que os investidores e credores baseiam
suas decisões com base na avaliação das demonstrações contábeis das
empresas, as quais precisam ser auditadas para aumentar a segurança de que
elas não são enganosas. É regulada pelo Conselho Federal de Contabilidade, por
meio de suas resoluções e normas (NBC TA).

 Auditoria de Conformidade (compliance) ou de asseguração


Avalia se as atividades das empresas estão de acordo com as exigências
de regras ou regulamentos previamente estabelecidos, ou seja, o auditor
objetiva medir a aderência dos fatos encontrados com as normas aplicáveis.
A principal característica da auditoria de compliance é o seu objetivo de
comparação com determinada norma, regra ou regulamento. Exemplo: verificar
se os quesitos necessários para abertura de uma conta corrente estão sendo
cumpridos.
Definição pela NBC TA 01: “Trabalho de asseguração” significa um
trabalho no qual o auditor independente expressa uma conclusão com a
finalidade de aumentar o grau de confiança dos outros usuários previstos, que
não seja a parte responsável, acerca do resultado da avaliação ou mensuração
de determinado objeto de acordo com os critérios aplicáveis”. Portanto, a
auditoria contábil é um tipo de auditoria de conformidade (ou trabalho
de asseguração).

 Auditoria Operacional (gestão)


Avalia a economia, a eficiência, a eficácia e a efetividade das atividades
operacionais de uma entidade (desempenho da empresa). Essa auditoria é uma
atividade de assessoramento ao gestor, com vistas a aprimorar as práticas
adotadas pela administração, sendo desenvolvidas tempestivamente.

Prof. Lucas Salvetti 9 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

 Auditoria Governamental (Secretaria Federal de Controle Interno –


Ministério da Fazenda, IN 01/2001)

Auditoria Governamental

Avaliação Acompanhamento Auditoria Auditoria Auditoria


da Gestão da Gestão Contábil Operacional Especial

A auditoria é o conjunto de técnicas que visa avaliar a gestão


pública, pelos processos e resultados gerenciais, e a aplicação de recursos
públicos por entidades de direito público e privado, mediante a confrontação
entre uma situação encontrada com um determinado critério técnico,
operacional ou legal.

certificar a regularidade das contas

objetiva emitir verificar a execução de contratos,


Avaliação da acordos, convênios ou ajustes
opinião com
Gestão
vistas a

a probidade na aplicação dos dinheiros


públicos e na guarda ou administração
de valores e outros bens

realizada ao longo dos processos de gestão

Acompanhamento
da Gestão
objetivo de se atuar em tempo real sobre os atos
efetivos e os efeitos potenciais positivos e negativos de
uma unidade ou entidade federal

exame dos registros e documentos


Mediante
procedimentos
específicos
Auditoria coleta de informações e confirmações
Contábil

pertinentes ao controle do patrimônio de uma


unidade, entidade ou projeto.

Prof. Lucas Salvetti 10 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

avaliar as ações gerenciais e os procedimentos


relacionados ao processo operacional, ou parte dele

das unidades ou entidades da administração pública


Auditoria federal, programas de governo, projetos, atividades, ou
Operacional segmentos destes

com a finalidade de emitir uma opinião sobre a


gestão quanto aos aspectos da eficiência, eficácia
e economicidade.

objetiva o exame de fatos ou situações consideradas


relevantes, de natureza incomum ou
extraordinária, sendo realizadas para atender
determinação expressa de autoridade competente
Auditoria
Especial

Classifica-se nesse tipo os demais trabalhos


auditorias não inseridos em outras classes de
atividades

1- (ESAF / AFRFB / 2012) Os auditores públicos foram


designados para examinar as demonstrações contábeis da Empresa Transportes
Fluviais S.A. O objetivo é avaliar se os recursos destinados à construção dos
dois novos portos foram aplicados nos montantes contratados, dentro dos
orçamentos estabelecidos e licitações aprovadas. Foi determinado como
procedimento a constatação da existência física dos portos. Esse tipo de
auditoria pública é classificado como auditoria
a) de gestão.
b) de programas.
c) operacional.
d) contábil.
e) de sistemas.
Resolução:
A definição trazida pela IN 01/2001 do MF/SFCI, em seu item 5 da Seção
II do Capítulo IV, são:
“I- Auditoria de Avaliação de gestão; II- Auditoria de Acompanhamento de
gestão; III- Auditoria Contábil; IV- Auditoria Operacional; V- Auditoria
Especial”.

Prof. Lucas Salvetti 11 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Aparentemente a banca considerou a auditoria de avaliação de gestão


como “auditoria de gestão”, e deu como gabarito da questão a Alternativa
A, no entanto, na parte doutrinária isso não é claro já que em muitos casos, a
auditoria operacional é confundida com a auditoria de gestão.
Portanto, com base nisso (não previsão da definição pela norma citada, e
coincidência na definição doutrinária entre auditoria de gestão e operacional),
e, por isso, a questão deveria ter sido anulada. Portanto, atenção
REDOBRADA!!

1.2- Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade

As Normas Brasileiras de Contabilidade compreendem as Normas técnicas


e profissionais, interpretações técnicas e comunicados técnicos. Destaque para
as Normas Técnicas e Profissionais, que são base das questões cobradas
pelas bancas nas provas de autoria independente (externa).

Editadas pelo CFC, devem seguir os


Normas
mesmos padrões de elaboração e
técnicas e
estilo utilizados nas normas
profissionais
internacionais

Tem por objetivo esclarecer a


aplicação das Normas, definindo
Normas
Interpretações regras e procedimentos a serem
Brasileiras de
Técnicas aplicados em situações específicas,
Contabilidade
sem alterar a substância dessas
normas

Tem por objetivo esclarecer


Comunicados assuntos de natureza contábil, com
Técnicos a definição de procedimentos a serem
observados

Normas Técnicas de Auditoria Independente de Informação Contábil


Histórica – NBC TA – são as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas à
Auditoria convergentes com as Normas Internacionais de Auditoria
Independente emitidas pela IFAC (International Federation of Accountants).
Os assuntos abordados pelos editais, inclusive o deste concurso, são
basicamente extraídos das normas técnicas (NBC TA) e profissionais (NBC PA).
Busco sempre referenciar as respostas e transcrições com a citação do item
específico da norma ora em comento para permitir que quem quiser dar uma
olhadinha no texto seco, consiga. Não é necessário decorar os itens não, mas
ter uma noção do que cada norma diz respeito, é válido.

2- (FCC - APE (TCE-RS)/Ciências Contábeis/2014) O


objetivo de uma auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações
contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de

Prof. Lucas Salvetti 12 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram


elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro. Esta declaração identifica a auditoria
a) governamental, em conformidade com as NAT TCE.
b) governamental, em conformidade com as NAG TCU.
c) independente, em conformidade com as NBC TA.
d) de regularidade, em conformidade com as NAG TCU.
e) operacional, em conformidade com as NAT TCE.
Resolução:
O enunciado está falando da Auditoria Independente (ou externa), em
conformidade com as NBC TA.
Gabarito: C.

2- Noções gerais de auditoria: conceituação e objetivos,


responsabilidade da administração, requisitos éticos

2.1- Auditoria Independente (de Demonstrações Contábeis).

De acordo com a NBC TA 200, o objetivo da auditoria é aumentar o


grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários.
Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor
sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório
financeiro aplicável.
Esquematizando:

aumentar o
Objetivo demonstrações
grau de p/ usuários
da auditoria contábeis
confiança

auditor conformidade com


Como? emite estrutura de relatório
opinião se financeiro aplicável

Vamos ver como isto foi cobrado em prova:

3- (FCC - TJ TRT3 / Apoio Especializado /


Contabilidade / 2015) A Companhia Municipal de Transporte Coletivo da Zona

Prof. Lucas Salvetti 13 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Sul contratou a firma de auditoria Luan & Luan auditores para auditar as
demonstrações contábeis do exercício de 2014. De acordo com a NBC TA 200,
o objetivo da auditoria das demonstrações contábeis é
a) avaliar o grau de segurança na prevenção e detecção de fraudes e erros na
entidade.
b) aumentar o grau de credibilidade da entidade no mercado financeiro.
c) avaliar os controles internos para obter segurança de que não há
irregularidades nas demonstrações contábeis.
d) aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos
usuários.
e) verificar a adequação dos lançamentos contábeis e outros ajustes efetuados
na elaboração das demonstrações contábeis.
Resolução:
Conforme previsto no item 3 da NBC TA 200:
“3. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários (...)”.
Gabarito: D

Agora, os senhores sabem o que é este tal de “relatório financeiro


aplicável”?
Pois bem, no Brasil, nada mais é do que o conjunto completo de
demonstrações contábeis, ou seja: balanço patrimonial, demonstração do
resultado, demonstração das mutações do patrimônio líquido, demonstração
dos fluxos de caixa e respectivas notas explicativas. Devo ressaltar que para as
companhias abertas, inclui-se a demonstração do valor adicionado.
Além disto, é preciso ter clareza de que:

viabilidade futura da
entidade

Opinião do NÃO
auditor assegura a eficiência ou eficácia com
a qual a administração
conduziu os negócios da
entidade

4- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU /


2012 - ADAPTADA) Na execução de uma auditoria, espera-se do auditor
independente que

Prof. Lucas Salvetti 14 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da


entidade.
Resolução: Errada. De acordo com o item A1 da NBC TA 200, podemos concluir
que o auditor não assegura a eficácia com a qual a administração conduziu os
negócios da entidade.

2.2- Responsabilidade da administração da entidade

Neste item iremos dar uma pincelada nas premissas que são consideradas
com relação à responsabilidade da administração da entidade que será auditada.
As NBC TAs não impõem responsabilidades à administração ou aos responsáveis
pela governança e não se sobrepõem às leis e regulamentos que governam as
suas responsabilidades. Contudo, a auditoria em conformidade com as normas
de auditoria é conduzida com base na premissa de que a administração e,
quando apropriado, os responsáveis pela governança têm conhecimento
de certas responsabilidades que são fundamentais para a condução da
auditoria. Vamos ao caso a caso:

Responsabilidades da
Administração

Elaboração das
Fornecer ao
demonstrações Controle Interno
auditor acesso
contábeis

em conformidade com a todas as


permitir elaboração informações
estrutura de relatório
de demonstrações irrestrito as
financeiro aplicável (inclusive
contábeis livres de pessoas
(inclusive apresentação adicionais
distorção relevante
adequada) solicitadas)

Óbvio que o fornecimento ao auditor, pela administração, diz respeito a


informações que sejam relevantes pela elaboração e apresentação das
demonstrações contábeis (registros e documentos, por exemplo), assim
como o acesso às pessoas também está relacionada a necessidade que o auditor
julgue ter de obter evidências para realização de seu trabalho
Destaco aqui que a norma antiga não usava o termo “estrutura de
relatório financeira aplicável”, portanto, atenção para isto!
Além de outras condições prévias para uma auditoria, estabelecida
pela NBC TA 210 (iremos abordar este assunto mais a frente no curso), exige-
se que o auditor obtenha a concordância da administração e, quando
apropriado, dos responsáveis pela governança, de que eles têm

Prof. Lucas Salvetti 15 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

responsabilidades (descritas acima). Esta concordância é feita através da


representação formal (carta de responsabilidade à administração), e será
tratada mais a frente.

5- (FCC / AFTE-PE / 2014) – O objetivo da auditoria é


aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos
usuários. No relatório do auditor independente deve constar que a elaboração e
adequada apresentação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas
contábeis adotadas no Brasil é de responsabilidade:
(A) do controle interno.
(B) da auditoria interna.
(C) dos acionistas majoritários.
(D) do departamento de contabilidade.
(E) da administração.
Comentários: A pergunta é sobre quem é o responsável pela ELABORAÇÃO
adequada e apresentação das demonstrações contábeis.
O item A2 da NBC TA 200 afirma que uma auditoria em conformidade
com NBC TAs é conduzida com base na premissa de que a administração e,
quando apropriado, os responsáveis pela governança reconhecem e entendem
que eles têm essa responsabilidade pela elaboração das demonstrações
contábeis em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável,
incluindo quando relevante sua apresentação adequada.
Gabarito: E

6- (CFC / CNAI – Qualificação Técnica Geral CFC /


2013) De acordo com a responsabilidade da administração da entidade em
relação às demonstrações contábeis que estão sendo auditadas, analise os itens
abaixo:
I. A administração reconhece que a elaboração das demonstrações contábeis de
forma adequada é de sua responsabilidade, todavia entende que se exime dessa
responsabilidade quando essas demonstrações são auditadas de acordo com as
normas de auditoria aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).
II. A administração da entidade deve dar amplo e irrestrito acesso aos auditores
que estão auditando as demonstrações contábeis.
III. A administração é responsável pelo sistema de controle interno que
possibilite a elaboração de demonstrações contábeis adequadas.
IV. As demonstrações contábeis de uso geral servem a um amplo leque de
usuários.
Assinale a opção CORRETA.

Prof. Lucas Salvetti 16 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) I, II, II e IV.
b) II, III e IV.
c) I e II.
d) III e IV.
Resolução: Item I – Errado. A responsabilidade da administração não acaba
quando as demonstrações são auditadas.
Item II, III e IV – CORRETO. Deve dar acesso amplo e irrestrito tanto aos
documentos quanto as pessoas da entidade auditada. Além disto, é de
responsabilidade da administração o seu controle interno para garantir a
fidedignidade das demonstrações contábeis, sendo que o auditor independente
apenas testa os sistemas de controle da entidade – teste de controle – para
verificar se estão ok e se as evidências geradas por eles são confiáveis.
Gabarito: B.

Voltando ao termo “relatório financeiro aplicável, ele muitas vezes


abrange normas de contabilidade estabelecidas por organização normatizadora
autorizada ou reconhecida ou por exigências legislativas ou regulamentares.

No caso do Brasil, “práticas contábeis adotadas no Brasil” compreendem:


a) a legislação societária brasileira;
b) as Normas Brasileiras de Contabilidade, emitidas pelo CFC;
c) os pronunciamentos, as interpretações e as orientações emitidos pelo CPC e
homologados pelos órgãos reguladores; e
d) as práticas adotadas pelas entidades em assuntos não regulados, desde que
atendam à Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das
Demonstrações Contábeis emitida pelo CFC e, por conseguinte, em consonância
com as normas contábeis internacionais.

Quando existem conflitos entre a estrutura de relatório financeiro


aplicável e as fontes em que orientação sobre sua aplicação pode ser obtida, ou
entre as fontes que abrangem a estrutura de relatório financeiro, a fonte com
a mais alta autoridade prevalece.

Prevalece a fonte com a


Conflito entre normas?
mais alta autoridade

É importante destacar que o auditor deve obter segurança razoável de


que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de distorção
relevante, independentemente se causadas por fraude ou erro.

Prof. Lucas Salvetti 17 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

ATENÇÃO!!! Asseguração razoável não é um nível absoluto de segurança


porque há limitações inerentes em uma auditoria.

Auditor

Asseguração
Obter segurança razoável não é um
RAZOÁVEL nível absoluto de
segurança

demonstrações
livres de independentemente há limitações
contábeis
distorção se causadas por inerentes em
como um
relevante fraude ou erro uma auditoria
todo

Toda vez que você, aluno, se deparar com alguma questão afirmando
algum nível absoluto em auditoria, ABRA O OLHO! Nunca o auditor tem absoluta
certeza na realização no seu trabalho.
Além disso, a opinião do auditor considera as demonstrações contábeis
como um todo e, portanto, o auditor não é responsável pela detecção de
distorções que não sejam relevantes para as demonstrações contábeis
como um todo.
O auditor deve exercer o julgamento profissional e manter o ceticismo
profissional ao longo de todo o planejamento e na execução da auditoria, entre
outras coisas, no momento de identificação dos riscos de distorção relevante,
na obtenção de evidência e aplicação dos procedimentos de auditoria até a sua
formação da opinião.

2.3- Objetivos Gerais do Auditor

Pessoal, é preciso ler, reler e assimilar bem o conteúdo da


esquematização abaixo. Trata-se dos objetivos gerais do auditor, conforme
definido pela NBC TA 200. Este é o primeiro grande passo para o entendimento
da matéria.

Prof. Lucas Salvetti 18 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

demonstrações contábeis como um


obter segurança todo estão livres de distorção
razoável de que as relevante, independentemente se
causadas por fraude ou erro.

demonstrações contábeis foram


OBJETIVOS elaboradas, em todos os aspectos
gerais do expressar sua
relevantes, em conformidade com a
auditor são opinião sobre se as estrutura de relatório financeiro
aplicável

apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e


comunicar-se como exigido pelas NBC TAs, em conformidade
com as constatações do auditor

Viram como é bem diferente o que a administração tem de


responsabilidade para o que o auditor tem de objetivo? Conseguiram entender
melhor o papel de cada um? Espero que sim! Isto é VITAL para entender a
matéria de auditoria. Vamos praticar!

7- (FCC / Analista Judiciário – Contabilidade - TRT


24ª / 2011) Ao conduzir uma auditoria de demonstrações contábeis, são
objetivos gerais do auditor obter segurança
a) razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de
distorção relevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor
expresse opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em
todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório
financeiro aplicável.
b) razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de
distorção irrelevante, devido a erros, possibilitando que o auditor expresse
opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de parecer financeiro.
c) total de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de distorção
relevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor expresse opinião
sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
d) total de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de distorção
irrelevante, devido à fraude, possibilitando que o auditor expresse opinião sobre
se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
e) razoável de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de
distorção irrelevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor
expresse opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em
todos os aspectos considerados, em conformidade com a estrutura de parecer
financeiro consolidado do auditor independente.

Prof. Lucas Salvetti 19 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Resolução: Pessoal, questões grandes devem ser feitas verificando os padrões,


e não apenas lendo tudo. Vamos fazer a questão com o “modo turbo” ligado:
1- Primeira palavra de cada alternativa define o grau de segurança buscado pelo
auditor. Vamos descartar as que tem “total”, já que o correto é razoável.
2- Primeira linha diz sobre demonstração contábil como um todo (alternativa A
e B) e a E diz “em parte”. Elimine a alternativa E.
3- Continuando a leitura, temos na alternativa A “distorções relevantes”, e na
alternativa B “distorções irrelevantes”.
Gabarito: A.

2.4- Requisitos Éticos Relacionados à Auditoria de


Demonstrações Contábeis
O auditor deve cumprir as exigências éticas relevantes, inclusive as
pertinentes à independência, no que se refere aos trabalhos de auditoria de
demonstrações contábeis.

integridade Direito, franco, honesto

não comprometer seu julgamento


objetividade
profissional

Principios
fundamentais da competência atingir e manter o conhecimento e
ética profissional e devido habilidade e agir de forma cuidadosa,
profissional do zelo exaustiva e tempestiva
auditor

confidencialidade Respeitar o sigilo, não divulgar


informação a terceiros nem usar para
(sigilo) obtenção de vantagem ilícita

comportamento cumprir as leis e os regulamentos,


profissional evitar ação desacreditar profissão

Aqui destaco que a NBC PG 100 (2014), chama confidencialidade de


sigilo, portanto, são termos sinônimos que você precisa ficar atento, caso caia
na prova. Não decore, ENTENDA!
Para ajudar, vamos abordar individualmente cada princípio:
 Integridade: Implica em ser direito, franco e honesto em todos os
relacionamentos profissionais e comerciais, o que inclui, também,
negociação justa e veracidade.

Prof. Lucas Salvetti 20 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

 Objetividade: O princípio da objetividade impõe a obrigação de não


comprometer seu julgamento profissional ou do negócio em
decorrência de comportamento tendencioso, conflito de interesse ou
influência indevida de outros.
 Competência e zelo profissional: A competência profissional
consiste em atingir/manter o conhecimento e a habilidade
profissionais no nível necessário para que clientes ou empregadores
recebam serviço profissional adequado. Já o zelo profissional é agir
diligentemente (de forma cuidadosa, exaustiva e tempestiva) de
acordo com as normas técnicas e profissionais aplicáveis.
 Confidencialidade/sigilo: Respeitar o sigilo das informações obtidas
em decorrência de relacionamentos profissionais e comerciais e,
portanto, não divulgar nenhuma dessas informações a terceiros, a
menos que haja algum direito ou dever legal ou profissional de
divulgação, nem usar as informações para obtenção de vantagem
pessoal ilícita pelo auditor ou por terceiros. As exceções foram tratadas
na aula 00.
 Comportamento profissional: obrigação de cumprir as leis e os
regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que o profissional da
contabilidade sabe ou deveria saber possa desacreditar a profissão.

Ainda sobre o comportamento profissional, os auditores devem ser honestos


e verdadeiros e:
(a) não fazer declarações exageradas sobre os serviços que podem
oferecer, as qualificações que têm ou a experiência que obtiveram; ou
(b) não fazer referências depreciativas ou comparações infundadas com
o trabalho de outros profissionais da contabilidade.

8- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade


/ 2014) De acordo com as Normas Brasileiras de Auditoria, entre os princípios
fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor quando da
condução de auditoria de demonstrações contábeis, figura a
a) publicidade.
b) fidedignidade.
c) legalidade.
d) oportunidade.
e) integridade.

Prof. Lucas Salvetti 21 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Resolução: De acordo com a NBC PG 100, em seu item 100.5, temos 5


princípios éticos que são: Integridade, objetividade, competência profissional e
devido zelo, sigilo profissional e comportamento profissional.
Gabarito: E.

Adiante, é importante saber a definição dada pela NBC PA 290, com


relação ao termo “independência”, que é tratada da seguinte forma:
• Independência de Pensamento: postura mental que permite a
apresentação de conclusão que não sofra efeitos de influências que
comprometam o julgamento profissional, permitindo que a pessoa atue
com integridade e exerça objetividade e ceticismo profissional
• Aparência de independência: evitar fatos e circunstâncias que
sejam tão significativos a ponto de que um terceiro com experiência,
conhecimento e bom senso provavelmente concluiria, pesando todos os
fatos e circunstâncias específicas, que a integridade, a objetividade ou o
ceticismo profissional da firma, ou de membro da equipe de auditoria ou
asseguração seriam comprometidos.

Independência

Independência de Aparência de
pensamento independência

Não sofrer influência para Evitar fatos e circunstâncias que sejam tão
concluir significativos a ponto de que um terceiro com
experiência, conhecimento e bom senso
(atuar com integridade, provavelmente concluiria, que a integridade,
objetividade e ceticismo a objetividade ou o ceticismo profissional do
profissional) auditor independente ficaram comprometidos

Para facilitar, basta lembrar do provérbio "À mulher de César não


basta ser honesta, deve parecer honesta”.
Ou seja, não basta SER independente, deve também PARECER
independente. =)

Prof. Lucas Salvetti 22 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

2.5- Ceticismo Profissional

O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo


profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis.

evidências de auditoria que contradigam outras


evidências obtidas

informações que coloquem em dúvida a


confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
O ceticismo a serem usadas como evidências de auditoria
profissional inclui
estar alerta, por
exemplo, a: condições que possam indicar possível fraude

circunstâncias que sugiram a necessidade de


procedimentos de auditoria além dos exigidos pelas
NBC TAs

A manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a


auditoria é necessária, por exemplo, para que o auditor reduza os riscos de
ignorar circunstâncias não usuais; generalização excessiva ao tirar conclusões
das observações de auditoria; uso inadequado de premissas ao determinar a
natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria e ao avaliar os
resultados destes.
Além disto, o ceticismo profissional é necessário para a avaliação crítica
das evidências de auditoria.

ATENÇÃO: A crença de que a administração e os responsáveis pela governança


são honestos e têm integridade não livra o auditor da necessidade de manter
o ceticismo profissional.

9- (FGV / AFRE-RJ / 2011 - ADAPTADA) Em


consonância com o Conselho Federal de Contabilidade, assinale a alternativa
correta.
b) O ceticismo profissional não inclui estar alerta, por exemplo, a evidências de
auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que
coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
a serem usadas como evidências de auditoria.
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 23 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Alternativa B - Errada. O ceticismo inclui estar alerta (ao contrário do que


afirma a alternativa), com evidências que contradigam outras evidências, como
preve o item A18 da NBC TA 200:
"A18. O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo, a:
- evidências de auditoria que contradigam outras evidências
obtidas;
- informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos
documentos e respostas a indagações a serem usadas como
evidências de auditoria.“

2.6- Julgamento Profissional

O auditor deve exercer julgamento profissional ao planejar e executar


a auditoria de demonstrações contábeis.

materialidade e risco de auditoria

natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria

Julgamento
profissional é avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e
necessário nas apropriada
decisões sobre:
avaliação das opiniões da administração na aplicação da
estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade

extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria


obtidas

IMPORTANTE!! O julgamento profissional precisa ser exercido ao longo de


toda a auditoria.

Além disto, ele também precisa ser adequadamente documentado. Neste


aspecto, exige-se que o auditor elabore documentação de auditoria suficiente
para possibilitar que outro auditor experiente, sem nenhuma ligação prévia
com a auditoria, entenda os julgamentos profissionais significativos exercidos
para se atingir as conclusões sobre assuntos significativos surgidos durante a
auditoria.
Cabe destacar que o julgamento profissional não deve ser usado como
justificativa para decisões que, de outra forma, não são sustentados pelos

Prof. Lucas Salvetti 24 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

fatos e circunstâncias do trabalho nem por evidência de auditoria apropriada e


suficiente.
Julgamento profissional, portanto, não substitui a necessidade de
evidência apropriada e suficiente

pelos fatos e
como circunstâncias
Julgamento justificativa
profissional não deve
para decisões
ser usado evidência
não são
sustentadas apropriada e
suficiente

não substitui a necessidade de evidência apropriada e


suficiente!

10- (FGV / AFRE-RJ / 2011) Em consonância com o


Conselho Federal de Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da
auditoria. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais
relevantes, das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao
longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento
e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. O julgamento
profissional não é necessário, em particular, nas decisões sobre materialidade e
risco de auditoria.
Resolução:
Alternativa A - Errada. O julgamento é necessário no que se refere a
materialidade e risco de auditoria, como afirma o item A23 da NBC TA 200:
"A23. O julgamento profissional é necessário, em particular, nas decisões
sobre: - materialidade e risco de auditoria;"

2.7- Condução da Auditoria em conformidade com NBC Tas

O auditor deve observar todas as NBC TAs relevantes para a auditoria.


Uma NBC TA é relevante para a auditoria quando ela está em vigor e as
circunstâncias tratadas nela existem na situação específica. As NBC TAs,
consideradas em conjunto, fornecem as normas para o trabalho do auditor no
cumprimento dos seus objetivos gerais.
Para atingir os objetivos gerais do auditor, ele deve utilizar os
procedimentos estabelecidos nas NBC TAs relevantes ao planejar e
executar a auditoria, considerando as inter-relações entre as NBC TAs, para:

Prof. Lucas Salvetti 25 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) determinar se são necessários quaisquer procedimentos de


auditoria, além dos exigidos pelas NBC TAs, na busca dos objetivos
formulados nas NBC TAs; e
b) avaliar se foi obtida evidência de auditoria apropriada e suficiente.

O auditor deve cumprir com cada exigência de uma NBC TA, a menos
que, nas circunstâncias da auditoria:
i) a NBC TA inteira não seja relevante; ou
ii) a exigência não seja relevante por ser condicional e a condição não
existir.

Em circunstâncias excepcionais, o auditor pode julgar necessário não


considerar uma exigência relevante em uma NBC TA. Espera-se que a
necessidade do auditor não considerar uma exigência relevante surja apenas
quando a exigência for a execução de um procedimento específico e, nas
circunstâncias específicas da auditoria, esse procedimento seria ineficaz no
cumprimento do objetivo da exigência.
Por fim, é sempre importante salientar que a auditoria conduzida em
conformidade com as normas de auditoria e exigências éticas relevantes
capacita o auditor a formar essa opinião.

em conformidade com as
capacita o auditor
Auditoria normas de auditoria e
a formar essa
conduzida exigências éticas
opinião
relevantes

11- (ESAF / APOF / 2009) Sobre a auditoria


independente, é correto afirmar que tem por objetivo:
a) auxiliar a administração da entidade no cumprimento de seus objetivos.
b) apresentar subsídios para o aperfeiçoamento da gestão e dos controles
internos.
c) levar à instância decisória elementos de prova necessários a subsidiar a justa
solução do litígio.
d) emitir parecer sobre a adequação das demonstrações contábeis.
e) recomendar soluções para as não-conformidades apontadas nos relatórios.
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 26 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Alternativa A e B – Errado. Este é o objetivo da auditoria interna, sendo papel


da auditoria independente (externa) aumentar o grau de confiança das
demonstrações contábeis.
Alternativa C – Errado. Este papel é do advogado, consultor jurídico ou outro
profissional da área.
Alternativa D – Correto. Está de acordo com o item 11 da NBC TA 200.
Alternativa E – Errado. O objetivo do Auditor Independente é definido pela NBC
TA em seu item 11. Fazer recomendações de soluções para as não-
conformidades pode ser feita pelo auditor independente, através da emissão do
relatório-comentário, mas não é seu objetivo principal.
Gabarito: D.

2.8- Principais pegadinhas

ATENÇÃO!! PEGADINHAS CLÁSSICAS!!!


O auditor não tem como objetivo:
1) Elaborar demonstrações contábeis;
2) Assegurar a viabilidade futura da entidade;
3) Atestar a eficiência/eficácia dos negócios;
4) Identificar erros e fraudes;
5) Assistir à administração da entidade no cumprimento de seus objetivos.

Vamos beber direto da fonte? Leia os trechos transcritos abaixo das


normas que dão a base para a conclusão acima:
1) NBC TA 200, item A2-a:

“A2 (...) uma auditoria em conformidade com NBC TAs é conduzida com base na
premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança reconhecem e entendem que eles têm essa responsabilidade:
(a) pela elaboração das demonstrações contábeis em conformidade com a
estrutura de relatório financeiro aplicável, incluindo quando relevante sua
apresentação adequada”.

2 e 3) NBC TA 200, item A1:


“(...) A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a viabilidade
futura da entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a administração
conduziu os negócios da entidade”.

4) NBC TA 240, item 4:

Prof. Lucas Salvetti 27 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

“4. A principal responsabilidade pela prevenção e detecção da fraude é dos


responsáveis pela governança da entidade e da sua administração”.
5) NBC TA 200, item 11:

“11. Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, os objetivos gerais


do auditor são:

a) obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um


todo estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas
por fraude ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião
sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório
financeiro aplicável; e

(b) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se


como exigido pelas NBC TAs, em conformidade com as constatações do
auditor”.

Prof. Lucas Salvetti 28 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

3- Questões comentadas

12- (CS-UFG - Prefeitura de Goiânia - GO / Auditor de Tributos / 2016)


A auditoria que tem a finalidade de identificar desvios de procedimentos não
condizentes com as determinações da legislação tributária, no intuito de evitar
a apuração, excedente ou insuficiente, dos tributos legalmente exigidos é
denominada auditoria
a) interna.
b) governamental.
c) contábil.
d) fiscal.
Resolução:
Fácil né? É a Auditoria FISCAL que visa a verificação do correto
pagamento dos tributos legalmente devidos.
Gabarito: D.

13- (CESGRANRIO - Transpetro / Auditor Junior / 2016) No âmbito da


administração pública, considera-se que a finalidade básica da auditoria é
comprovar a legalidade e a legitimidade dos atos e fatos administrativos e
avaliar os resultados alcançados. Porém, em decorrência de peculiaridades,
alguns procedimentos específicos de auditoria podem ser requeridos. Considere-
se um contexto em que o objetivo da auditoria é avaliar ações gerenciais e
procedimentos relacionados aos programas de governo, com a finalidade de
emitir uma opinião sobre a gestão quanto aos aspectos da eficiência, eficácia e
economicidade, procurando auxiliar a administração na gerência e nos
resultados.
Nesse caso, recomenda-se uma auditoria
a) de acompanhamento da gestão
b) de avaliação da gestão
c) descentralizada
d) especial
e) operacional
Resolução:
Falou em economicidade, eficiência e eficácia, estamos falando da auditoria
OPERACIONAL.

Prof. Lucas Salvetti 29 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

avaliar as ações gerenciais e os procedimentos


relacionados ao processo operacional, ou parte dele

das unidades ou entidades da administração pública


Auditoria federal, programas de governo, projetos, atividades, ou
Operacional segmentos destes

com a finalidade de emitir uma opinião sobre a


gestão quanto aos aspectos da eficiência, eficácia
e economicidade.

Gabarito: E.

14- (FCC - APOFP SP/2010) As normas brasileiras que estabelecem os


preceitos de conduta para o exercício profissional, especificamente para aqueles
que atuam como auditores independentes, são estruturadas como
a) NBC TI.
b) NBC PI.
c) NBC TA.
d) NBC PA.
e) NBC TP.
Resolução:
Sobre a primeira letra: T = técnica, P = profissional
Sobre a segunda letra: A = independente; I = interno, P = períto.
Sobre conduta, estamos falando das normas PROFISSIONAIS, e se é auditor
independente, então seria NBC PA
Gabarito: D.

15- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) Durante os trabalhos de auditoria, o auditor deve reduzir os riscos
de ignorar circunstâncias não usuais e extrair conclusões baseadas nas
evidências de auditoria. Esses objetivos podem ser alcançados,
respectivamente, por meio
a) do quadro de investigação atualizado e ferramenta de feedback.
b) do planejamento de auditoria e agrupamento de achados de auditoria.
c) da análise de relevância e análise lógica das evidências de auditoria.

Prof. Lucas Salvetti 30 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

d) dos riscos de auditoria e riscos de detecção.


e) do ceticismo profissional e julgamento profissional.
Resolução:
O enunciado fala sobre 2 fatos:
1- reduzir risco de ignorar situações não usuais.
2- extrair conclusões baseadas nas evidências de auditoria.
Conforme item 13 da NBC TA 200, o ceticismo profissional significa mente
questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção,
além de uma avaliação crítica da evidência.
Já o julgamento profissional é utilizado em toda a auditoria, inclusive na
extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas, conforme
previsto no item A23 da NBC TA 200,
Gabarito: E

16- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) O Auditor Interno deve identificar os riscos de distorção relevantes
decorrentes de fraude no nível das demonstrações contábeis e tratá-los como
riscos significativos. Nos termos da NBC TA 240, a determinação de quais
tendências e variações específicas podem indicar esse tipo de risco é obtida por
meio
a) do planejamento.
b) dos papéis de trabalho.
c) dos achados de auditoria.
d) do julgamento profissional.
e) das evidências de auditoria.
Resolução:
Item A50 da NBC TA 240:
“A50. A determinação de quais tendências e variações específicas podem
indicar risco de distorção relevante decorrente de fraude requer
julgamento profissional.”
Vale lembrar que o auditor exerce o julgamento profissional ao longo de toda
auditoria em inúmeras atividades, conforme previsto no item A23 da NBC TA
200.
Gabarito: D.

17- (FCC / Analista Judiciário Contabilidade – TRE CE / 2012) Um


auditor externo ao proceder a auditoria da empresa Grãos e Cia, constata no
ano de 2010, na fase pré-operacional da unidade construída em Palmas, o custo

Prof. Lucas Salvetti 31 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

de R$ 18.000.000,00 relativos à terraplanagem do terreno da fábrica. Foram


feitos os testes, que evidenciaram que o contrato de serviços de terraplanagem
foi realizado com empresa devidamente constituída juridicamente e em
atividade normal. O pagamento do serviço contratado foi efetuado à empresa
de terraplanagem e comprovado por pagamento eletrônico constante do extrato
bancário. O auditor em procedimento complementar e diante da expressividade
dos valores foi até a unidade verificar os serviços. Ao indagar alguns
funcionários foi informado que o serviço de terraplanagem havia sido feito pela
prefeitura da cidade, a qual também doou o terreno a empresa Grãos e Cia. Os
funcionários também informaram que nunca esteve na empresa Grãos e Cia
qualquer funcionário da empresa de terraplanagem contratada.
O procedimento do auditor mostra uma postura de
a) falta de ética profissional por desconfiar da administração.
b) investigação, atitude não pertinente às atividades do auditor.
c) julgamento profissional avaliando a licitude dos atos da equipe de auditores.
d) representante da Governança no processo de identificação de todas as
fraudes.
e) ceticismo profissional adequada às normas de auditoria.
Resolução:
O auditor externo MESMO diante de uma situação aparentemente normal
(serviço de terraplanagem) efetuou procedimento complementar, diante da
expressividade dos valores, indo até a unidade verificar os serviços. Chegando
lá ele questionou os funcionários e então foi informado que o serviço de
terraplanagem foi prestado pela prefeitura da cidade, que também doou o
terreno à empresa, portanto, o custo relacionado de 18milhões é fictício, sendo
na verdade um desvio.
Conforme item 13 da NBC TA 200, o ceticismo profissional significa mente
questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção,
além de uma avaliação crítica da evidência.
Gabarito: E.

18- (FCC / Analista Judiciário Contabilidade – TRT 6ª / 2012) De


acordo com as normas de auditoria externa, quando o auditor desenvolve seus
trabalhos com uma postura que inclui questionamento e avaliação crítica e
detalhada, e desempenhe os trabalhos com alerta para condições que possam
indicar possível distorção, devido a erro ou fraude nas demonstrações
financeiras, o auditor está aplicando
a) julgamento profissional.
b) ceticismo profissional.
c) equidade profissional.

Prof. Lucas Salvetti 32 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

d) diligência profissional.
e) neutralidade profissional.
Resolução:
“Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta
para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e
uma avaliação crítica das evidências de auditoria.”
Gabarito: B.

19- (FGV - ACI (Recife)/Finanças Públicas/2014 (e mais 2 concursos)


De acordo com a NBC TA 200, o julgamento profissional é necessário para a
tomada de decisões nos assuntos a seguir, à exceção de um. Assinale-o.
a) A subjetividade e as evidências de auditoria para cumprimento das metas de
resultados operacionais e financeiros da empresa.
b) A natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados
para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de
evidências de auditoria.
c) As evidências de auditoria obtidas são suficientes e apropriadas ou se algo
mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs.
d) A avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de
relatório financeiro aplicável da entidade.
e) A extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas, por
exemplo, pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela
administração na elaboração das demonstrações contábeis.
Resolução:
Vejamos o item A23 da NBC TA 200. “A23. (...) O julgamento profissional é
necessário, em particular, nas decisões sobre”
• materialidade e risco de auditoria;
• a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria
aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria
e a coleta de evidências de auditoria;
• avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se
algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das
NBC TAs e, com isso, os objetivos gerais do auditor;
• avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de
relatório financeiro aplicável da entidade;
• extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas,
por exemplo, pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas
pela administração na elaboração das demonstrações contábeis.
Portanto, com relação às evidências, o que o auditor precisa fazer de
julgamento profissional é se é suficiente aproriada e suficiente, para alcançar os

Prof. Lucas Salvetti 33 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

objetivos gerais do auditor. A questão fala de metas de resultados operacionais


e financeiras, atividades alheias ao auditor independente.
Gabarito: A

20- (FGV - Aud (AL BA)/Auditoria/2014) O requisito ético relacionado à


auditoria das demonstrações contábeis que exigem do auditor o reconhecimento
de que podem existir circunstâncias que causarão distorções relevantes nas
demonstrações contábeis é
a) julgamento profissional.
b) ceticismo profissional.
c) evidência de auditoria apropriada.
d) condução da auditoria em conformidade com as normas relevantes.
e) confiabilidade na conduta dos trabalhos.
Resolução:
Item 15, NBC TA 200:
“15. O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo
profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis”.
E vocês sabem o que é ceticismo? Bom, a norma tb define, veja:
“Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e
alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro
ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria.
Gabarito: B

21- (FGV - ATM (Recife)/2014) O reconhecimento pelo auditor de que


existem circunstâncias que podem causar distorção relevante nas
demonstrações contábeis revela o requisito ético relacionado à auditoria de
demonstrações contábeis, denominado
a) julgamento profissional.
b) evidência funcional.
c) ceticismo profissional.
d) condução apropriada.
e) conformidade legal.
Resolução:
Item 15, NBC TA 200:

Prof. Lucas Salvetti 34 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

“15. O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo


profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis”.
E vocês sabem o que é ceticismo? Bom, a norma tb define, veja:
“Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e
alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro
ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria.
Gabarito: C.

22- (FGV / AFRE-RJ / 2011 - ADAPTADA) Em consonância com o


Conselho Federal de Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da
auditoria. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais
relevantes, das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao
longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento
e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. O julgamento
profissional não é necessário, em particular, nas decisões sobre materialidade e
risco de auditoria.
b) O ceticismo profissional não inclui estar alerta, por exemplo, a evidências de
auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que
coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
a serem usadas como evidências de auditoria.
Resolução:
Alternativa A - Errada. O julgamento é necessário no que se refere a
materialidade e risco de auditoria, como afirma o item A23 da NBC TA 200:
"A23. O julgamento profissional é necessário, em particular, nas decisões
sobre:
- materialidade e risco de auditoria;"
Alternativa B - Errada. O ceticismo inclui estar alerta (ao contrário do que
afirma a alternativa), com evidências que contradigam outras evidências, como
preve o item A18 da NBC TA 200:
"A18. O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo, a:
- evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas;
- informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos
e respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria".
Gabarito: Erradas.
23- (FGV / Auditor Fiscal de Angra dos Reis / 2009) O ceticismo
profissional é necessário para a avaliação crítica das evidências de auditoria.
Isso inclui questionar evidências de auditoria contraditórias e a confiabilidade
dos documentos e respostas a indagações e outras informações obtidas junto à
administração e aos responsáveis pela governança. Também inclui a

Prof. Lucas Salvetti 35 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

consideração da suficiência e adequação das evidências de auditoria obtidas


considerando as circunstâncias, por exemplo, no caso de existência de fatores
de risco de fraude e um documento individual, de natureza suscetível de fraude,
for a única evidência que corrobore um valor relevante da demonstração
contábil. O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo, considerando
o disposto na TA 200 e correlatas o indicado nas alternativas a seguir, À
EXCEÇÃO DE UMA. Assinale-a.
a) evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas
b) informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e
respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria
c) condições que possam indicar possível fraude
d) circunstâncias que sugiram a necessidade de procedimentos de auditoria
além dos exigidos pelas NBC TAs
e) transações rotineiras desenvolvidas por controladas avaliadas pelo método
da equivalência patrimonial.
Resolução:
De acordo com o item A18 da NBC TA 200, temos que:

evidências de auditoria que contradigam outras


evidências obtidas

informações que coloquem em dúvida a


confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
O ceticismo a serem usadas como evidências de auditoria
profissional inclui
estar alerta, por
exemplo, a: condições que possam indicar possível fraude

circunstâncias que sugiram a necessidade de


procedimentos de auditoria além dos exigidos pelas
NBC TAs

Cabe destacar que o ceticismo profissional é a postura que inclui uma


mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível
distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de
auditoria, motivo pelo qual a alternativa E não é uma situação descrita pela
norma, e é o gabarito da questão.
Gabarito: E.

24- (FGV / Auditor Fiscal de Angra dos Reis / 2009) O julgamento


profissional é essencial para a condução apropriada da auditoria. A característica
que distingue o julgamento profissional esperado do auditor é que esse
julgamento seja exercido por auditor, cujo treinamento, conhecimento e
experiência tenham ajudado no desenvolvimento das competências necessárias
para estabelecer julgamentos razoáveis. Isso porque a interpretação das

Prof. Lucas Salvetti 36 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

exigências éticas e profissionais relevantes, das normas de auditoria e as


decisões informadas requeridas ao longo de toda a auditoria não podem ser
feitas sem a aplicação do conhecimento e experiência relevantes para os fatos
e circunstâncias. Cumpre destacar que ele não deve ser usado como justificativa
para decisões que, de outra forma, não são sustentados pelos fatos e
circunstâncias do trabalho nem por evidência de auditoria apropriada e
suficiente. O julgamento profissional NÃO é necessário, em particular, nas
decisões sobre
a) materialidade e risco de auditoria.
b) a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados
para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de
evidências de auditoria.
c) avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se algo
mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs e,
com isso, os objetivos gerais do auditor.
d) avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório
financeiro aplicável da entidade.
e) extração de conclusões não baseadas nas evidências de auditoria obtidas.
Resolução:
De acordo com o item A23 da NBC TA 200, temos que:

materialidade e risco de auditoria

natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria

Julgamento
profissional é avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e
necessário nas apropriada
decisões sobre:
avaliação das opiniões da administração na aplicação da
estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade

extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria


obtidas

Como observado na transcrição feita acima, a alternativa E é o gabarito


da questão pois peca ao colocar “extração de conclusões não baseadas”, sendo
que na verdade é baseado nas evidências obtidas.
Gabarito: E.

25- (ESAF / AFRFB / 2014) São características do auditor experiente


possuir experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
a) processos de auditoria, normas de auditoria e exigências legais aplicáveis.

Prof. Lucas Salvetti 37 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) normas de auditoria e exigências legais aplicáveis e processos judiciais cíveis


dos diretores.
c) ambiente de negócios em que opera a entidade e negócios estratégicos
realizados pelos seus concorrentes.
d) assuntos de auditoria e de relatório financeiro relevantes à atividade da
entidade e das atividades dos conselheiros em outras empresas.
e) processos sigilosos e fórmulas dos produtos registradas pela empresa e pelos
seus concorrentes
Resolução: A definição de Auditor Experiente é dada pela NBC TA 230, item 6,
conforme transcrevo:
“6. Auditor experiente é um indivíduo (interno ou externo à firma de
auditoria) que possui experiência prática de auditoria e conhecimento
razoável de:
(i) processos de auditoria;
(ii) normas de auditoria e exigências legais e regulamentares
aplicáveis;
(iii) ambiente de negócios em que opera a entidade; e
(iv) assuntos de auditoria e de relatório financeiro relevantes ao
setor de atividade da entidade.”
Gabarito: A.

26- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU / 2012) Na execução


de uma auditoria, espera-se do auditor independente que
a) exerça o seu direito de busca de documentos, no caso de suspeita de fraude.
b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da
entidade.
c) otimize o planejamento dos trabalhos de modo a reduzir o risco de auditoria
a zero.
d) aplique os mesmos procedimentos a entidades de pequeno, médio ou grande
porte.
e) mantenha-se cético ao questionar evidências de auditoria contraditórias.
Resolução:
Alternativa A - Errada. De acordo com o item A47 da NBC TA 200, temos que:
“A47. Há limites práticos e legais à capacidade do auditor de obter evidências
de auditoria. Por exemplo:
- A auditoria não é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto,
o auditor não recebe poderes legais específicos, tais como o poder
de busca, que podem ser necessários para tal investigação”.

Prof. Lucas Salvetti 38 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Conforme destacado, a alternativa encontra-se errada.


Alternativa B - Errada. De acordo com o item A1 da NBC TA 200, podemos
concluir que o auditor não assegura a eficácia com a qual a administração
conduziu os negócios da entidade. Vejamos:
“A1. A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a viabilidade
futura da entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a administração
conduziu os negócios da entidade”.
Alternativa C - Errada. A alternativa erra ao afirmar que o risco de auditoria
pode ser reduzido a zero. Veja o item A45 da NBC TA 200, ora transcrito:
“A45. O auditor não é obrigado e não pode reduzir o risco de auditoria
a zero, e, portanto, não pode obter segurança absoluta de que as
demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante devido a
fraude ou erro. Isso porque uma auditoria tem limitações inerentes, e,
como resultado, a maior parte das evidências de auditoria que propiciam
ao auditor obter suas conclusões e nas quais baseia a sua opinião são
persuasivas ao invés de conclusivas”.
Alternativa D - Errado. Não faz sentido aplicar os mesmos procedimentos a
diferentes tipos de entidades (pequeno, médio e grande porte). Entidades de
pequeno porte tem um menor grau de complexidade, sendo em muitos casos
exigido que sejam efetuados menos procedimentos de auditoria do que em
entidades maiores. As normas trazem sempre as considerações específicas para
entidades de pequeno porte, quando foge do escopo de aplicação.
Alternativa E - Certa. Está de acordo com o item 15 da NBC TA 200:
“15. O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo
profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis”.
Gabarito: E.

27- (CS-UFG / Analista Legislativo – Contador / 2014) O auditor deve


exercer julgamento profissional ao planejar e executar a auditoria de
demonstrações contábeis, e este exercício baseia-se nos fatos e nas
circunstâncias conhecidos. Portanto, o julgamento profissional é necessário às
decisões sobre
a) comportamento e conduta do auditor.
b) responsabilidade e integridade pela governança.
c) confidencialidade e zelo profissional.
d) materialidade e risco de auditoria.
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 39 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

materialidade e risco de auditoria

natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria

Julgamento
profissional é avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e
necessário nas apropriada
decisões sobre:
avaliação das opiniões da administração na aplicação da
estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade

extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria


obtidas

Gabarito: D.

28- (CESPE / Especialista em Gestão de Telecomunicações – Auditoria


TELEBRAS / 2013) A respeito de conceitos, princípios, origens e classificações
de auditoria, julgue os itens que se seguem.
Caso um auditor pretenda emitir à entidade auditada cartas de confirmação
externa para avaliar as informações obtidas internamente, ele estará
justificando seu ceticismo profissional.
Resposta:

evidências de auditoria que contradigam outras


evidências obtidas

informações que coloquem em dúvida a


confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
O ceticismo a serem usadas como evidências de auditoria
profissional inclui
estar alerta, por
exemplo, a: condições que possam indicar possível fraude

circunstâncias que sugiram a necessidade de


procedimentos de auditoria além dos exigidos pelas
NBC TAs

Gabarito: Certo.

29- (FCC - TRT - 23ª REGIÃO (MT) / Analista Judiciário –


Contabilidade / 2016) Nos termos da NBC TA 200, um dos objetivos gerais
do auditor ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis é obter
segurança razoável de que essas demonstrações
a) estão corrigidas monetariamente.

Prof. Lucas Salvetti 40 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) atendem a estrutura orgânica da entidade.


c) passaram por processo de revisão.
d) foram examinadas por órgãos de controle externo.
e) estão livres de distorções relevantes, como um todo.
Resolução:

demonstrações contábeis como um


obter segurança todo estão livres de distorção
razoável de que as relevante, independentemente se
causadas por fraude ou erro.

demonstrações contábeis foram


OBJETIVOS elaboradas, em todos os aspectos
gerais do expressar sua
relevantes, em conformidade com a
auditor são opinião sobre se as estrutura de relatório financeiro
aplicável

apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e


comunicar-se como exigido pelas NBC TAs, em conformidade
com as constatações do auditor

Gabarito: E.

30- (FCC - Ana (CNMP)/Apoio Técnico


Especializado/Contabilidade/2015) A empresa Plantio de Árvores do Norte
S/A, contratou a firma de auditoria Aspectos & Consultoria, para examinar as
demonstrações contábeis do exercício de 2014. O objetivo da auditoria é
aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos
usuários. Isso é alcançado mediante a
a) obtenção, pelo auditor, de segurança razoável de que as demonstrações
contábeis como um todo estão livres de distorção relevante,
independentemente se causada por fraudes ou erros de conhecimento ou não
dos responsáveis pela governança.
b) realização, pelo auditor, de exames nas áreas, atividades, produtos e
processos, de forma a alcançar evidências adequadas e suficientes para
elaboração do relatório de auditoria.
c) elaboração dos programas de trabalho de forma a servir como guia e meio
de controle de execução do trabalho, devendo ser revisados e atualizados
sempre que as circunstâncias o exigirem.
d) expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis
foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.

Prof. Lucas Salvetti 41 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

e) natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria


realizados pelo auditor, alinhados com o objetivo da auditoria.
Resolução:
Item 3 da NBC TA 200:
“3. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado
mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro
aplicável.”
Gabarito: D

31- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, o Auditor
Interno deve obter segurança de que essas demonstrações, como um todo,
estão livres de distorção relevante, possibilitando que expresse sua opinião,
principalmente se as demonstrações foram elaboradas em conformidade com a
estrutura de relatório financeiro aplicável. Para esse tipo de problema, a NBC
TA 200 orienta que o auditor busque, inicialmente, uma segurança
a) total.
b) razoável.
c) mínima.
d) máxima.
e) média.
Resolução:
Trabalho de asseguração = segurança razoável. O auditor não consegue
segurança absoluta devido as limitações inerentes.
Gabarito: B.

32- (FCC - Aud CS (TMC-GO)/2015) Segundo as NBC TA, na condução de


auditorias, a atividade de assegurar que as operações de uma entidade sejam
conduzidas em conformidade com as disposições legais, inclusive referentes aos
valores e as suas divulgações reportadas nas demonstrações contábeis de uma
entidade, relacionadas a objetivos, estratégias e risco do negócio,
principalmente quando a entidade não possuir a equipe ou o conhecimento
especializado para lidar com as mudanças no setor de atividade ou aumento de
passivos relacionados aos produtos e serviços, relativos e externalidades
negativas, é de responsabilidade da

Prof. Lucas Salvetti 42 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) auditoria interna da Controladoria Geral do Estado.


b) auditoria governamental de programas.
c) auditoria independente das demonstrações contábeis.
d) administração, sob a supervisão dos responsáveis pela governança.
e) auditoria interna da Controladoria Geral da União.
Resolução:
Item 4 da NBC TA 200:
“As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as da entidade,
elaboradas pela sua administração, com supervisão geral dos
responsáveis pela governança.”
Gabarito: D.

33- (FCC - ACE (TCE-CE)/Administração/Ciências Contábeis/2015) A


firma de auditoria Lopes & Auditores foi contratada, por determinada empresa
de economia mista estadual, para realizar a auditoria das demonstrações
contábeis do exercício de 2014. Para tanto, o auditor deve conduzir a auditoria
com base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os
responsáveis pela governança reconhecem e entendem que têm, entre outras,
a responsabilidade
I. de permitir acesso irrestrito às pessoas da entidade, que o auditor determine
ser necessário obter evidências de auditoria.
II. pela confiabilidade das informações a serem usadas como evidências de
auditoria, e pela indicação de pessoas da entidade para participar na elaboração
do relatório de auditoria.
III. de fornecer, ao auditor, quando solicitado, o nome das pessoas da entidade
suspeitas de envolvimento com fraude.
IV. de fornecer informações adicionais que o auditor possa solicitar da
administração e, quando apropriado, dos responsáveis pela governança para a
finalidade da auditoria.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) I, II e III.
b) I e IV.
c) II e III.
d) III e IV.
e) I, II e IV.
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 43 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Item I e IV – Certo. A empresa deve fornecer acesso irrestrito à informação e


pessoas, quando necessário para obter evidências de auditoria
Item II – Errado. A empresa auditada não participa da elaboração do relatório
do auditor, que é de sua única e exclusiva responsabilidade.
Item III – Errado. O auditor não é policial nem tem poderes para tal. O seu
objetivo é emitir opinião sobre a adequação das demonstrações contábeis com
os relatórios financeiros aplicáveis, buscando identificar se existem distorções
relevantes.
Gabarito: B.

34- (FCC / ICMS PI / 2015) O auditor deve solicitar à administração e/ou


membros da governança as representações formais em conformidade com as
Normas Brasileiras de Contabilidade sobre determinados assuntos, dentre os
quais NÃO se inclui:
(A) Forneceu-se aos auditores acesso restrito a pessoas dentro da entidade das
quais o auditor determinou necessário para obter evidência de auditoria.
(B) Todos os eventos subsequentes à data das demonstrações contábeis e para
os quais as práticas contábeis adotadas no Brasil exigem ajuste ou divulgação
foram ajustados ou divulgados.
(C) Os pressupostos significativos utilizados por nós ao fazermos as estimativas
contábeis, inclusive aquelas avaliadas pelo valor justo, são razoáveis.
(D) Os efeitos das distorções não corrigidas são irrelevantes, individual e
agregadamente para as demonstrações contábeis como um todo.
(E) Forneceu-se aos auditores acesso a todas as informações das quais estamos
cientes que são relevantes para a elaboração das demonstrações contábeis, tais
como registros, documentação e outros.
Resolução:
Aonde está a casca da banana? Isso aí, guerreiro... acesso RESTRITO,
quando na verdade é IRRESTRITO (que significa sem limitação).
Gabarito: A.

35- (FCC / ICMS PI / 2015) Considere:


I. A elaboração de relatórios e emissão de relatórios e certificados.
II. Elaboração dos papéis de trabalho e aplicação de testes.
III. Avaliação dos riscos de auditoria do Sistema de Controle Interno;
Planejamento e elaboração dos programas de trabalho.
IV. Monitoramento ou follow-up.

Prof. Lucas Salvetti 44 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Os itens acima constituem etapas do trabalho, recomendadas pelas normas de


execução dos trabalhos de auditoria para se obter evidências robustas, e devem
obedecer a sequência lógica seguinte:
(A) I, III, IV e II.
(B) III, II, I e IV.
(C) IV, III, II e I.
(D) III, IV, I e II.
(E) II, IV, III e I.
Resolução:
Questão fácil de responder se lembrarmos do antes (avaliação do
risco/planejamento) durante (aplicação dos testes/confecção papéis de
trabalho) e depois (emissão da opinião).
Gabarito: B.

36- (FCC - APE (TCE-RS)/Ciências Contábeis/2014) O objetivo de uma


auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por
parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo
auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório
financeiro. Esta declaração identifica a auditoria
a) governamental, em conformidade com as NAT TCE.
b) governamental, em conformidade com as NAG TCU.
c) independente, em conformidade com as NBC TA.
d) de regularidade, em conformidade com as NAG TCU.
e) operacional, em conformidade com as NAT TCE.
Resolução:
O enunciado está falando da Auditoria Independente (ou externa), em
conformidade com as NBC TA.
Gabarito: C.

37- (FCC / Agente Fiscal de Rendas SP / 2013) O auditor externo, ao


avaliar as demonstrações contábeis da empresa Saracura farmacêuticos S.A.,
solicitou que as provisões para créditos de liquidação duvidosa fossem
constituídas de forma conservadora, incluindo todos os créditos vencidos há
mais de 60 dias. O procedimento foi adotado em decorrência de a empresa estar
com bons resultados e apresentar posição mais conservadora, resguardando a
administração e a auditoria. Nesse caso, a estrutura conceitual vigente

Prof. Lucas Salvetti 45 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

(A) não está sendo atendida, pois ela não permite a apresentação de uma
demonstração fidedigna e que seja consistente com a neutralidade.
(B) está sendo atendida, desde que sejam justificados os motivos que levaram
à adoção do procedimento, em nota explicativa, e quantificados seus efeitos.
(C) está sendo atendida, pois contempla a característica da prudência, requisito
básico para elaboração de uma demonstração contábil fidedigna.
(D) não está sendo atendida, uma vez que para reconhecer os créditos vencidos
há mais de 60 dias, a empresa tem a obrigatoriedade de efetuar a cobrança
judicialmente para só posteriormente realizar a provisão.
(E) está sendo atendida, pois ela faculta a apresentação das demonstrações
contábeis considerando a característica da prudência.
Resolução: De acordo com o item QC12 da Resolução CFC nº 1.374/11
“QC12. Os relatórios contábil-financeiros representam um fenômeno
econômico em palavras e números. Para ser útil, a informação contábil-
financeira não tem só que representar um fenômeno relevante, mas tem
também que representar com fidedignidade o fenômeno que se propõe
representar. Para ser representação perfeitamente fidedigna, a realidade
retratada precisa ter três atributos. Ela tem que ser completa, neutra e
livre de erro. É claro, a perfeição é rara, se de fato alcançável. O objetivo
é maximizar referidos atributos na extensão que seja possível.”
Portanto, gabarito da questão alternativa A.

38- (FCC / Auditor Fiscal Tributário Municipal SP / 2012) No processo


de Auditoria, o auditor
a) pode, após ter executado todos os testes, ter a certeza da integridade da
informação atestando todas as demonstrações contábeis exigidas em seu
parecer de auditoria.
b) não pode ter certeza da integridade da informação, embora tenha executado
os procedimentos de auditoria para obter certeza de que todas as informações
relevantes foram obtidas.
c) pode, tendo aplicado os procedimentos de auditoria, atestar a integridade da
informação, mas não pode se eximir de certificar, por meio de seu relatório, a
exatidão das demonstrações contábeis.
d) não deve atestar a integridade das informações contábeis, das notas
explicativas e dos demais relatórios publicados pela empresa, enquanto não
obtiver uma carta da administração atestando as demonstrações em conjunto.
e) deve, em conjunto com a administração, atestar que todos os processos,
riscos e possibilidades de fraudes foram avaliadas e ter a certeza da integridade
da informação.

Prof. Lucas Salvetti 46 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Resolução:
O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a
expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis
foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.
Portanto, o auditor independente busca no seu trabalho de auditoria obter
evidência apropriada e suficiente para concluir sobre a adequação das
demonstrações contábeis. No entanto, não há como ter certeza da integridade
da informação já que há limites práticos e legais à capacidade do auditor de
obter evidências de auditoria, por exemplo:
1) Existe a possibilidade de que a administração ou outros possam não fornecer,
intencionalmente ou não, as informações completas que são relevantes para a
elaboração das demonstrações contábeis ou que tenham sido solicitadas pelo
auditor;
2) A fraude pode envolver esquemas sofisticados e cuidadosamente organizados
para sua ocultação;
3) A auditoria não é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o
auditor não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de busca, que
podem ser necessários para tal investigação.
Sendo assim, de acordo com o item A47 da NBC TA 200, "o auditor não pode
ter certeza da integridade da informação, embora tenha executado os
procedimentos de auditoria para obter certeza de que todas as informações
relevantes foram obtidas".
Portanto, a alternativa A, C, D e E estão erradas.
Gabarito: B.

39- (FCC / Analista Judiciário – Contabilidade TRF 2ª / 2012) O auditor


independente ou externo
a) tem como objetivo principal a prevenção e a detecção de falhas no sistema
de controle interno da entidade.
b) deve produzir relatórios que visam atender, em linhas gerais, a alta
administração da entidade ou diretorias e gerências.
c) tem que fazer análise com alto nível de detalhes, independentemente da
relação custo-benefício, para minimizar o risco de detecção.
d) deve produzir um relatório ou parecer sobre as demonstrações contábeis da
entidade auditada.
e) tem menor grau de independência em relação à entidade auditada do que o
auditor interno.

Prof. Lucas Salvetti 47 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Resolução:
Alternativa A – Errada. Esta responsabilidade é da administração da entidade.
Alternativa B – Errada. O relatório do auditor contém a sua opinião sobre se
as demonstrações contábeis estão livres de distorções relevantes e em
conformidade com os relatórios financeiros aplicáveis.
Alternativa C – Errada. O nível de detalhe dos procedimentos deverá
corresponder ao risco de detecção avaliado pelo auditor.
Alternativa D – Certo. Correto, tal relatório conterá sua opinião sobre as
demonstrações contábeis
Alternativa E – Errada. O correto seria dizer que auditor interno tem menor
independência em relação ao externo.
Gabarito: D.

40- (FCC / Analista Ministerial MP-PE / 2012) NÃO representa um


requisito necessário para que o auditor possa conduzir adequadamente os
trabalhos de asseguração das demonstrações contábeis:
a) ceticismo profissional.
b) acesso irrestrito a todas as informações necessárias para fundamentar seu
parecer.
c) julgamento profissional.
d) corresponsabilidade pela elaboração das demonstrações contábeis da
entidade auditada.
e) obtenção de evidência de auditoria apropriada e suficiente.
Resolução:
O auditor independente não tem NENHUMA responsabilidade sobre a
elaboração das demonstrações contábeis, sendo tal responsabilidade única e
exclusiva da entidade auditada (e sua administração).
Gabarito: D.

41- (FCC / Analista Judiciário TRF 1ª Região / 2011) Considere as


assertivas a seguir:
I. A auditoria é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o auditor
não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de busca, que podem
ser necessários para tal investigação.
II. Desde que o auditor assine declaração de independência, não é mais
necessário que decline de trabalhos nos quais existam, na administração da
empresa auditada, parentes em nível de segundo grau.

Prof. Lucas Salvetti 48 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

III. Em decorrência das limitações inerentes de uma auditoria, há um risco


inevitável de que algumas distorções relevantes das demonstrações contábeis
não sejam detectadas, embora a auditoria seja adequadamente planejada e
executada em conformidade com as normas legais de auditoria.
Está correto o que se afirma SOMENTE em:
a) II e III.
b) I e II.
c) I.
d) II.
e) III.
Resolução:
Item I. Errado. De acordo com o item A47 da NBC TA 200, temos que:
"A auditoria não é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o
auditor não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de
busca, que podem ser necessários para tal investigação".
Item II. Errado. O auditor independente deve respeitar os quesitos de
independência, e a declaração sobre este fato não influencia em nada no que se
refere a relação que existem ao ser verificado que o mesmo é parente em nível
de segundo grau da administração da empresa auditada. Essa relação gera uma
ameaça a independência de tal forma que nenhuma salvaguarda pode ser
aplicada para reduzir a um nível aceitável.
Item III. Correto. Está de acordo com o item A52 da NBC TA 200, ora
transcrito:
"A52. Em decorrência das limitações inerentes de uma auditoria, há um
risco inevitável de que algumas distorções relevantes das demonstrações
contábeis não sejam detectadas, embora a auditoria seja adequadamente
planejada e executada em conformidade com as normas de auditoria".
Gabarito: E.

42- (FGV - Prefeitura de Cuiabá - MT / Auditor Fiscal Tributário da


Receita Municipal / 2016) De acordo com a NBC 200, Objetivos Gerais do
Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com as
Normas de Auditoria, assinale a opção que indica os objetivos gerais do auditor
ao conduzir a auditoria das demonstrações contábeis.
a) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres
de distorção relevante e apresentar relatório sobre elas.
b) Identificar fraudes nas demonstrações contábeis e aprimorar o controle
interno para que novas fraudes não aconteçam.

Prof. Lucas Salvetti 49 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

c) Detectar erros nas demonstrações contábeis e instruir a administração e os


responsáveis pela governança, de modo que novos erros sejam evitados.
d) Apresentar um relatório com parecer que reflita sua opinião sobre as
demonstrações contábeis apresentadas e assegurar que elas estão livres de
fraudes.
e) Dar uma opinião imparcial sobre as demonstrações contábeis e assegurar
que estas estão livres de fraudes e de erros.
Resolução:

demonstrações contábeis como um


obter segurança todo estão livres de distorção
razoável de que as relevante, independentemente se
causadas por fraude ou erro.

demonstrações contábeis foram


OBJETIVOS elaboradas, em todos os aspectos
gerais do expressar sua
relevantes, em conformidade com a
auditor são opinião sobre se as estrutura de relatório financeiro
aplicável

apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e


comunicar-se como exigido pelas NBC TAs, em conformidade
com as constatações do auditor

Alternativa B- Errada. A responsabilidade por identificar fraudes e


aprimoramento do controle interno é da entidade auditada, não do auditor.
Alternativa C- Errada. Isto é atividade do controle interno, não do auditor
externo.
Alternativa D e E- Erradas. O Auditor não “assegura” que estão livres de fraudes,
mas sim, emite opinião (com segurança razoável, não absoluta) sobre as
demonstrações contábeis (como um todo) estarem livres de distorções
relevantes (independentemente de fraude ou erro)
Gabarito: A.

43- (FGV - Aud Est (CGE MA)/2014) A respeito da Auditoria Independente,


analise as afirmativas a seguir.
I. A opinião do auditor expressa se as demonstrações contábeis estão
apresentadas adequadamente, em todos os aspectos relevantes, em
conformidade com a estrutura de relatório financeiro.
II. A auditoria conduzida em conformidade com as normas de auditoria e as
exigências éticas relevantes capacita o auditor a formar opinião sobre as
demonstrações contábeis.

Prof. Lucas Salvetti 50 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

III. A auditoria em conformidade com as normas de auditoria é conduzida com


base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis
pela governança têm conhecimento de certas responsabilidades que são
fundamentais para a condução da auditoria.
Assinale:
a) se somente a afirmativa I estiver correta.
b) se somente a afirmativa II estiver correta.
c) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.
Resolução:
Item I e II- Correto. Item 3 da NBC TA 200.
Item III- Correto. Item 4 da NBC TA 200.
Gabarito: Alternativa E.

44- (FGV - ATM (Recife)/2014) O auditor, ao expressar opinião de que as


demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes,
em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável, produz o
seguinte efeito:
a) revela as distorções do planejamento da auditoria das demonstrações
contábeis.
b) reduz os riscos de auditoria das demonstrações contábeis o que gera
segurança para os usuários.
c) proporciona o aumento de evidências de auditoria das demonstrações
contábeis.
d) aumenta o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos
usuários.
e) assegura que os objetivos operacionais desejados pela administração foram
alcançados.
Resolução:
Qual é o objetivo da auditoria? Item 3 da NBC TA 200:
“O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários.”
Gabarito: Alternativa D.

Prof. Lucas Salvetti 51 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

45- (FGV / AFRE-RJ / 2011) De acordo com o Conselho Federal de


Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) A auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto de
procedimentos técnicos que têm por objetivo a emissão de parecer sobre a sua
adequação, consoante os Princípios Fundamentais de Contabilidade e as Normas
Brasileiras de Contabilidade e, no que for pertinente, a legislação específica. Na
ausência de disposições específicas, prevalecem as normas emitidas pelo
Corecon.
b) O parecer do auditor independente emitido na modalidade sem ressalvas
representa garantia de viabilidade futura da entidade, atestando a eficácia da
administração na gestão dos negócios.
c) As "práticas contábeis adotadas no Brasil" compreendem a legislação
societária brasileira, as Normas Brasileiras de Contabilidade, emitidas pelo
Conselho Federal de Contabilidade, os pronunciamentos, as interpretações e as
orientações emitidos pelo CPC e homologados pelos órgãos reguladores, e
práticas adotadas pelas entidades em assuntos não regulados, desde que
atendam à Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das
Demonstrações Contábeis emitida pelo CFC e, por conseguinte, em consonância
com as normas contábeis internacionais.
d) A fim de que a opinião da entidade de auditoria seja isenta, imparcial, deve
ela ser independente (quando externa) ou autônoma (quando interna), emitindo
sua opinião de forma isenta. Isso significa que não deve ser vinculada à entidade
auditada. Se, por algum motivo, pairarem dúvidas acerca desse atributo, o ideal
é que se publique, em jornal de grande circulação, a relação dos sócios da
empresa de auditoria.
e) Os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor
quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis estão implícitos
no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01, que trata do
controle de qualidade. O cumprimento desses princípios não é exigido dos
auditores.
Resolução:
De acordo com o item A5 da NBC TA 200, temos que:
"No caso do Brasil, como definido no item 7 da NBC TG 26 - Apresentação
das Demonstrações Contábeis “práticas contábeis adotadas no Brasil”
compreendem a legislação societária brasileira, as Normas Brasileiras de
Contabilidade, emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, os
pronunciamentos, as interpretações e as orientações emitidos pelo CPC e
homologados pelos órgãos reguladores, e práticas adotadas pelas
entidades em assuntos não regulados, desde que atendam à Estrutura
Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações
Contábeis emitida pelo CFC e, por conseguinte, em consonância com as
normas contábeis internacionais".

Prof. Lucas Salvetti 52 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Portanto, gabarito da questão, alternativa C.


Alternativa A - Errada. Na ausência de disposições específicas prevalece as
Práticas Contábeis (e não as normas do Corecon).
Alternativa B - Errada. O relatório do auditor não representa viabilidade futura
de negócio da empresa, conforme item A1 da NBC TA 200:
"A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a viabilidade futura
da entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a administração conduziu
os negócios da entidade."
Alternativa D - Errada. A emissão do relatório com a opinião do auditor é
vinculado as demonstrações contábeis da entidade auditada, sendo errado o
procedimento de divulgar o nome dos sócios em jornal de grande circulação.
Alternativa E - Errada. O cumprimento dos princípios fundamentais de ética
profissional é exigido dos auditores, conforme NBC PA 01 e NBC TA 220.
Gabarito: C.

46- (FGV / AFRE-RJ / 2011) Consoante o Conselho Federal de


Contabilidade (CFC), assinale a alternativa correta.
a) O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações
contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de
uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.
b) A auditoria de demonstrações contábeis pode ser exercida por técnicos de
contabilidade (sem graduação na área), desde que tenham mais de 5 anos de
experiência, devidamente comprovada.
c) Se, porventura, o auditor julgar-se incompetente para realizar um serviço de
auditoria de demonstrações contábeis, pode ele recomendar um auditor
capacitado. Nesse caso, ao cobrar alguma remuneração pela indicação, não
estará infringindo nenhuma norma, desde que o profissional indicado seja capaz
e esteja regular perante o Conselho Regional de Contabilidade.
d) Ao descobrir um erro ou fraude, o parecer do auditor deverá,
necessariamente, conter, pelo menos, uma ressalva (parecer com ressalva).
e) Ao descobrir um erro ou fraude, o parecer do auditor deverá,
necessariamente, ser emitido na modalidade "adverso".
Resolução:
De acordo com o item 3 da NBC TA 200, temos que:
"3. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado
mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as

Prof. Lucas Salvetti 53 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos


relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro
aplicável".
Portanto, gabarito da questão é a alternativa A.
Alternativa B - O auditor deve ser contador (graduado) com registro no CRC.
Alternativa C - Está violando um impedimento do CEPC (Código de Ética do
Contador) que é o recebimento de dinheiro por agenciamento de serviço.
Alternativas "D" e "E" - A fraude ou erro deve ocasionar distorção relevante
de forma que a emissão de uma opinião sem ressalva não seja adequada.
Gabarito: A.

47- (FGV / AFRE-RJ / 2011) A firma de auditoria Auditores Associados foi


contratada para emitir parecer específico sobre o balanço patrimonial de
determinada entidade. Ela disponibilizou acesso ilimitado a todas as áreas da
empresa, a todos os relatórios, registros, dados, informações e demais
demonstrações contábeis, de forma a serem possíveis todos os procedimentos
de auditoria. Dessa forma, é correto classificar essa auditoria como
a) uma limitação no escopo do trabalho.
b) um trabalho de objetivo ilimitado, que deverá gerar parecer na modalidade
com ressalvas, pelo menos.
c) uma indeterminação na profundidade do trabalho.
d) um trabalho de objetivo limitado.
e) uma restrição na profundidade do trabalho.
Resolução:
A firma de auditoria foi contratada para um serviço específico: Analisar o
balanço patrimonial. Portanto, trata-se de um trabalho de objetivo limitado.
Não há que se falar em limitação de espoco ou algo do gênero, tendo em vista
que a entidade auditada disponibilizou acesso ilimitado a todas as áreas da
empresa, a todos os relatórios, registros etc, de forma a serem possíveis todos
os procedimentos de auditoria.
Gabarito: D.

48- (ESAF / Contador MF / 2013) Com base nas afirmativas a seguir,


assinale V para as verdadeiras e F para as falsas e, a seguir, indique a opção
correta.
( ) A auditoria é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o auditor
não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de busca, que podem
ser necessários para tal investigação.

Prof. Lucas Salvetti 54 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

( ) O risco de detecção se relaciona com a natureza, a época e a extensão dos


procedimentos que são determinados pelo auditor para reduzir o risco de
auditoria a um nível baixo aceitável. Portanto, é uma função da eficácia do
procedimento de auditoria e de sua aplicação pelo auditor.
( ) Os riscos de distorção relevante no nível da afirmação consistem em dois
componentes: risco inerente e risco de controle. O risco inerente e o risco de
controle são riscos da entidade; eles existem independentemente da auditoria
das demonstrações contábeis.
a) F, V, V
a) F, F, F
a) F, V, F
a) V, V, V
a) V, F, F
Resolução:
Item I – ERRADO. Auditoria não é uma investigação de suposto delito. O
objetivo da mesma é previsto na NBC TA 200, que é de emitir uma opinião sobre
a adequação das demonstrações contábeis da entidade auditada.
Item II – Correto. Transcrição literal do item A43 da NBC TA 200. Vale lembrar
que falou em risco de detecção, estamos falando do risco do auditor não
detectar eventuais distorções relevantes que existam.
Item III – Correto. Transcrição literal do item A37 da NBC TA 200. Revisando,
precisamos lembrar que risco de distorção relevante é o risco de que as
demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria.
Gabarito: A.

49- (ESAF / Contador MF / 2013) Em conformidade com as normas de


auditoria, para que um auditor seja considerado experiente, deve demonstrar
que tem experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
a) processos de auditoria, demandas judiciais e de relatórios econômicos e
financeiros que servem de base para a estratégia de negócios semelhantes e
dos concorrentes.
b) normas tributárias, processos de produção das principais atividades
econômicas e formação em administração de empresas, economia ou
contabilidade.
c) ambiente de negócios que opera a entidade, experiência prática de
planejamento de auditorias em empresas semelhantes e concorrentes, atuação
em auditoria em tempo superior a 5 anos.

Prof. Lucas Salvetti 55 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

d) normas de auditoria e exigências legais, assuntos de auditoria e de relatório


financeiro relevantes ao setor de atividade da entidade e processos de auditoria
e) normas contábeis, identificação de fraudes e atuação em auditoria em tempo
superior a 3 anos.
Resolução:
Conforme item 6 da NBC TA 230:
“Auditor experiente é um indivíduo (interno ou externo à firma de auditoria) que
possui experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
(i) processos de auditoria;
(ii) normas de auditoria e exigências legais e regulamentares
aplicáveis;
(iii) ambiente de negócios em que opera a entidade; e
(iv) assuntos de auditoria e de relatório financeiro relevantes ao setor de
atividade da entidade.
Gabarito: D.

50- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU / 2012) Na execução


de uma auditoria, espera-se do auditor independente que
a) exerça o seu direito de busca de documentos, no caso de suspeita de fraude.
b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da
entidade.
c) otimize o planejamento dos trabalhos de modo a reduzir o risco de auditoria
a zero.
d) aplique os mesmos procedimentos a entidades de pequeno, médio ou grande
porte.
e) mantenha-se cético ao questionar evidências de auditoria contraditórias.
Resolução:
Alternativa A - Errada. De acordo com o item A47 da NBC TA 200, temos que:
“A47. Há limites práticos e legais à capacidade do auditor de obter
evidências de auditoria. Por exemplo:
- A auditoria não é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto,
o auditor não recebe poderes legais específicos, tais como o poder
de busca, que podem ser necessários para tal investigação”.
Conforme destacado, a alternativa encontra-se errada.

Prof. Lucas Salvetti 56 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Alternativa B - Errada. De acordo com o item A1 da NBC TA 200, podemos


concluir que o auditor não assegura a eficácia com a qual a administração
conduziu os negócios da entidade. Vejamos:
“A1. A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a
viabilidade futura da entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a
administração conduziu os negócios da entidade”.
Alternativa C - Errada. A alternativa erra ao afirmar que o risco de auditoria
pode ser reduzido a zero. Veja o item A45 da NBC TA 200, ora transcrito:
“A45. O auditor não é obrigado e não pode reduzir o risco de auditoria
a zero, e, portanto, não pode obter segurança absoluta de que as
demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante devido a
fraude ou erro. Isso porque uma auditoria tem limitações inerentes, e,
como resultado, a maior parte das evidências de auditoria que propiciam
ao auditor obter suas conclusões e nas quais baseia a sua opinião são
persuasivas ao invés de conclusivas”.
Alternativa D - Errado. Não faz sentido aplicar os mesmos procedimentos a
diferentes tipos de entidades (pequeno, médio e grande porte). Entidades de
pequeno porte tem um menor grau de complexidade, sendo em muitos casos
exigido que sejam efetuados menos procedimentos de auditoria do que em
entidades maiores. As normas trazem sempre as considerações específicas para
entidades de pequeno porte, quando foge do escopo de aplicação.
Alternativa E - Certa. Está de acordo com o item 15 da NBC TA 200: “15. O
auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo profissional,
reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam distorção relevante
nas demonstrações contábeis”.
Gabarito: E.

51- (ESAF / AFRFB / 2009) O auditor da empresa Negócios S.A.


estabeleceu três procedimentos obrigatórios para emissão do parecer. O
primeiro, que a empresa renovasse o contrato de auditoria para o próximo ano,
o segundo, que a empresa emitisse a carta de responsabilidade da
administração e o terceiro, que o parecer seria assinado por sócio do escritório
de contabilidade, cuja única formação é administração de empresas. Pode-se
afirmar, com relação aos procedimentos, respectivamente, que:
a) é ético, não é procedimento de auditoria e atende as normas de auditoria e
da pessoa do auditor.
b) não é ético, não é procedimento de auditoria e não atende as normas de
auditoria e da pessoa do auditor.
c) é ético, não deve ser considerado para emissão do parecer e atende as
normas de auditoria e da pessoa do auditor.

Prof. Lucas Salvetti 57 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

d) é ético, considera-se apenas em alguns casos para emissão do parecer e não


atende as normas de auditoria e pessoa do auditor.
e) não é ético, é procedimento de auditoria e não atende as normas de auditoria
e da pessoa do auditor.
Resolução:
Empresa renovasse o contrato de auditoria para o próximo ano: O auditor
ao estabelecer a necessidade da empresa renovar o contrato para que o mesmo
emita sua opinião, não está tendo um comportamento ético, tendo em vista o
constrangimento gerado diante da empresa, além do "condicionamento" do tipo
de opinião que ele emitirá, em decorrência da renovação ou não do contrato.
Empresa emitisse a carta de responsabilidade da administração: Trata-se
de um procedimento de auditoria, exigido pela NBC TA 200 e NBC TA 580.
Atualmente o termo utilizado é "representação formal".
Parecer seria assinado por sócio do escritório de contabilidade, cuja única
formação é administração de empresas: Este procedimento não atende as
normas de auditoria, tendo em vista que auditor é um contador com registro no
CRC.
Portanto, gabarito letra "E".

52- (CESPE - POLÍCIA CIENTÍFICA - PE / Perito Criminal - Ciências


Contábeis / 2016) Acerca de auditoria de demonstrações contábeis, assinale
a opção correta.
a) O trabalho do auditor deve restringir-se a segmentos específicos e
determinados das demonstrações contábeis.
b) São as normas de contabilidade que estabelecem as responsabilidades de
governança da administração das entidades auditadas.
c) O conceito de materialidade é objetivo, de utilização obrigatória e está
expressamente determinado nas Normas Brasileiras de Contabilidade.
d) Um grau elevado de segurança, ou asseguração razoável, ocorre quando o
auditor obtém evidência de que o risco de auditoria por reduzido a níveis
aceitavelmente baixos.
e) A identificação das fraudes cometidas na fase de elaboração dessas
demonstrações é o principal objetivo da auditoria.
Resolução:
Conforme item 5 da NBC TA 200:
“(...) Asseguração razoável é um nível elevado de segurança. Esse nível
é conseguido quando o auditor obtém evidência de auditoria apropriada
e suficiente para reduzir a um nível aceitavelmente baixo o risco de
auditoria”.

Prof. Lucas Salvetti 58 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Alternativa A – Errada. “...restringir-se a segmentos específicos e


determinados...”
Alternativa B – Errada. Normas de contabilidade não estabelecem
responsabilidade à administração da entidade auditada, apenas ao auditor.
Alternativa C – Errada. “O conceito de materialidade é objetivo...” é um conceito
subjetivo.
Alternativa E – Errada. Isto é responsabilidade da administração da entidade,
não do auditor.
Gabarito: D.

53- (CESPE - POLÍCIA CIENTÍFICA - PE / Perito Criminal - Ciências


Contábeis / 2016) Acerca dos requisitos de controle relativos à execução do
trabalho do auditor independente, assinale a opção correta.
a) Cada membro da equipe de auditoria deve emitir uma declaração afirmando
não ter qualquer impedimento legal e ético em relação aos clientes.
b) A identificação do risco de perda de independência é de responsabilidade da
entidade auditada.
c) É vedada a comunicação entre o auditor e os integrantes da entidade
auditada.
d) Todos os membros da equipe de auditoria são responsáveis pelo
estabelecimento das regras de independência.
e) O rol de clientes de uma entidade de auditoria deve ser mantido em sigilo
interno e externo a essa entidade.
Resolução:
Embora a norma já esteja revogada, a banca utilizou uma transcrição literal do
item 4 da NBC P1 – IT 02:
“4. A avaliação do grau de independência existente em relação aos
clientes deve ser permanente e sempre de forma evidenciada, devendo
abranger toda a equipe técnica de auditores. Para tanto, todo
profissional do quadro técnico deverá emitir, anualmente, uma
declaração afirmando não haver, por parte dele, qualquer
impedimento legal e ético em relação aos clientes que possa
comprometer a sua independência e, se houver, reportá-los para a
sua avaliação e devidas providências.”
Alternativa B – Errada. “...responsabilidade da entidade auditada” é do auditor.
Alternativa C – Errada. A administração deve dar acesso IRRESTRITO ao auditor,
aos documentos e pessoas da empresa, portanto, não é vedada a comunicação.

Prof. Lucas Salvetti 59 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Alternativa D – Errada. Regras de independência estão estabelecidas na NBC PA


290.
Alternativa E – Errada. Não existe sigilo de quem são os clientes da firma de
auditoria.
Gabarito: A.

54- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle


Interno/Auditoria/2016) Julgue o próximo item, relativo à auditoria
de compliance.
A finalidade da auditoria de compliance é averiguar se as atividades da
instituição auditada estão de acordo com as regras e os regulamentos que as
disciplinam.
( ) Certo ( ) Errado
Resolução:
O termo compliance tem origem no verbo em inglês “to comply”, que
significa agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou
um pedido.
Compliance é o conjunto de disciplinas para fazer cumprir as normas
legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio
e para as atividades da instituição ou empresa, bem como evitar, detectar e
tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer.
Gabarito: Certo.

55- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle


Interno/Auditoria/2016) Acerca dos objetivos da auditoria de
demonstrações contábeis, julgue os itens a seguir, com base nas normas
brasileiras de contabilidade.
A credibilidade das demonstrações contábeis é reforçada pelo auditor
independente quando este manifesta opinião de que tais demonstrações foram
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.
( ) Certo ( ) Errado
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 60 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

aumentar o
Objetivo demonstrações
grau de p/ usuários
da auditoria contábeis
confiança

auditor conformidade com


Como? emite estrutura de relatório
opinião se financeiro aplicável

Gabarito: Certo.

56- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle Interno / Auditoria


/ 2016) Acerca dos objetivos da auditoria de demonstrações contábeis, julgue
o item a seguir, com base nas normas brasileiras de contabilidade.
Comentar sobre as demonstrações contábeis nos relatórios de auditoria e
fornecer opinião sobre a eficácia do controle interno são atribuições que
integram os objetivos gerais do auditor.
( ) Certo ( ) Errado
Resolução:

demonstrações contábeis como um


obter segurança todo estão livres de distorção
razoável de que as relevante, independentemente se
causadas por fraude ou erro.

demonstrações contábeis foram


OBJETIVOS elaboradas, em todos os aspectos
gerais do expressar sua
relevantes, em conformidade com a
auditor são opinião sobre se as estrutura de relatório financeiro
aplicável

apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e


comunicar-se como exigido pelas NBC TAs, em conformidade
com as constatações do auditor

Quem avalia eficácia de controle interno é o auditor interno.


Gabarito: Errado.

57- (CESPE / Auditor FUB-DF / 2013) Com relação aos conceitos gerais
sobre auditoria, julgue o item subsequente.
A função precípua da auditoria é a detecção de fraudes com base nos registros
contábeis e na documentação existente na entidade. A obtenção de informações
de terceiros e o caráter preventivo das ações realizadas pela auditoria são o
efeito residual e aleatório de sua atuação.

Prof. Lucas Salvetti 61 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Resolução:

demonstrações contábeis como um


obter segurança todo estão livres de distorção
razoável de que as relevante, independentemente se
causadas por fraude ou erro.

demonstrações contábeis foram


OBJETIVOS elaboradas, em todos os aspectos
gerais do expressar sua
relevantes, em conformidade com a
auditor são opinião sobre se as estrutura de relatório financeiro
aplicável

apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e


comunicar-se como exigido pelas NBC TAs, em conformidade
com as constatações do auditor

Função de detecção de fraude é da entidade auditada.


Gabarito: Falso.

58- (CS-UFG - Prefeitura de Goiânia - GO / Auditor de Tributos / 2016)


De acordo com a Resolução CFC n° 1.231/2009, o auditor deve avaliar se as
demonstrações contábeis são elaboradas, em todos os aspectos relevantes, de
acordo com os requisitos da estrutura de relatório financeiro aplicável. Essa
avaliação deve incluir a consideração dos aspectos
a) qualitativos das práticas contábeis da entidade.
b) quantitativos das transações auditadas.
c) patrimoniais adotados pelos gestores.
d) operacionais para obtenção de evidência de auditoria.
Resolução:
Conforme NBC TA 700 (Res. 1231/2009 CFC), temos que:
“12. O auditor deve avaliar se as demonstrações contábeis são
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, de acordo com os requisitos
da estrutura de relatório financeiro aplicável. Essa avaliação deve incluir
a consideração dos aspectos qualitativos das práticas contábeis da
entidade, incluindo indicadores de possível tendenciosidade nos
julgamentos da administração”.
Gabarito: A.

59- (IESES / TRE-MA AJAC / 2015) Conforme a Resolução CFC nº.


1.203/09, que aprovou a NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de

Prof. Lucas Salvetti 62 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Auditoria, ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, os objetivos


gerais do auditor são:
a) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas por fraude
ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes,
em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
b) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão totalmente livres de qualquer distorção, causadas exclusivamente por
fraude, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas em total conformidade com a
estrutura de relatório financeiro aplicável.
c) Obter segurança total de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção irrelevante, independentemente se causadas por
fraude ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre
se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
d) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção irrelevante, se causadas exclusivamente por erro,
possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos, em
conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
Resolução:
Para resolver a questão precisamos saber de dois pontos:
“Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como
um todo estão livres de distorção relevante”
A segurança é razoável, pois existe limitações inerentes à atividade de
auditoria que impedem uma segurança total, assim como a verificação é com
relação às distorções RELEVANTES.
Com isto, vocês já poderiam assinalar o gabarito da questão.
Gabarito: A.

60- (FGV - Prefeitura de Cuiabá - MT / Auditor Fiscal Tributário da


Receita Municipal / 2016) Os princípios fundamentais de ética profissional,
quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis, estão implícitos
no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01, que trata do
controle de qualidade.
Assinale a opção que indica alguns dos princípios fundamentais da ética
profissional relevantes para o auditor de acordo com a norma vigente no Brasil.

Prof. Lucas Salvetti 63 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) Competência, comportamento profissional e tempestividade.


b) Conduta profissional, zelo e representatividade.
c) Integridade, objetividade e confidencialidade.
d) Representatividade, objetividade e tempestividade.
e) Comportamento profissional, confidencialidade e transparência.
Resolução:
Alternativa A- Competência, comportamento profissional e tempestividade.
Alternativa B- Conduta profissional, zelo e representatividade.
Alternativa C- Integridade, objetividade e confidencialidade.
Alternativa D- Representatividade, objetividade e tempestividade.
Alternativa E- Comportamento profissional, confidencialidade e transparência.

integridade Direito, franco, honesto

não comprometer seu julgamento


objetividade
profissional

Principios
fundamentais da competência atingir e manter o conhecimento e
ética profissional e devido habilidade e agir de forma cuidadosa,
profissional do zelo exaustiva e tempestiva
auditor

confidencialidade Respeitar o sigilo, não divulgar


informação a terceiros nem usar para
(sigilo) obtenção de vantagem ilícita

comportamento cumprir as leis e os regulamentos,


profissional evitar ação desacreditar profissão

Gabarito: C.

61- (CESPE - TCE-PA /Auditor de Controle Externo - Área Fiscalização


- Contabilidade/2016) De acordo com as Normas Técnicas de Auditoria (NBC
TA) estabelecidas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), julgue o item
a seguir.
São princípios inerentes ao trabalho de asseguração do auditor a integridade, a
objetividade, o sigilo e o comportamento profissional.
( ) Certo ( ) Errado
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 64 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

Principios fundamentais da ética


profissional do auditor

competência confidenciali comportame


integridade objetividade profissional e dade nto
devido zelo (sigilo) profissional

Gabarito: Certo.

62- (FCC / ICMS MA / 2016) As demonstrações contábeis do exercício de


2015 da Companhia de Fornecimento de Energia Solar do Estado serão
auditadas pela firma Absolutos Auditores. Os princípios fundamentais da ética
profissional a serem observados pelos auditores na realização da auditoria de
demonstrações contábeis incluem:
I. Moralidade e Independência Técnica.
II. Probidade e Afinidade Profissional.
III. Integridade e Comportamento Profissional.
IV. Objetividade e Confidencialidade.
V. Competência Profissional e Devido Zelo.
Está correto o que se afirma APENAS em
(A) I, III e IV.
(B) III, IV e V.
(C) I, II, III.
(D) I, IV e V.
(E) II, III e V.
Comentários:

Principios fundamentais da
ética profissional do auditor

competência confidenciali comportame


integridade objetividade profissional e dade nto
devido zelo (sigilo) profissional

I. Moralidade e Independência Técnica.


II. Probidade e Afinidade Profissional.
III. Integridade e Comportamento Profissional.
IV. Objetividade e Confidencialidade.

Prof. Lucas Salvetti 65 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

V. Competência Profissional e Devido Zelo.


Gabarito: B.

63- (CESPE / Auditor TCU / 2015) Julgue o item subsecutivo , referente


ao principal grupo de usuários das demonstrações contábeis bem como às
responsabilidades a elas relacionadas.
No exercício de suas atividades de auditoria, o auditor independente, usuário
interno da informação contábil, deve pautar-se pelos seguintes princípios éticos:
integridade, objetividade, impessoalidade, competência e zelo profissional,
confidencialidade e comportamento profissional.
Certo / Errado
Resolução:
O erro está na “impessoalidade”. De acordo com a NBC PG 100, em seu item
100.5, temos 5 princípios éticos que são: Integridade, objetividade,
competência profissional e devido zelo, sigilo profissional e
comportamento profissional.
Gabarito: Errado.

64- (FGV / ISS Cuiabá / 2014) De acordo com o Código de Ética


Profissional do Contabilista e da NBC PA 01, assinale a opção que indica
princípios fundamentais de ética profissional quando da condução de auditoria
de demonstrações contábeis.
(A) Integridade, objetividade e comportamento profissional.
(B) Competência, confidencialidade e ceticismo profissional.
(C) Integridade, conduta profissional e julgamento profissional.
(D) Conhecimento, zelo profissional e objetividade.
(E) Ceticismo profissional, julgamento profissional e confidencialidade.
Resolução: Os princípios fundamentais, conforme A7 da NBC PA 01:
“Integridade, Objetividade, competência profissional e devido zelo,
confidencialidade e comportamento profissional”.
Gabarito: A.

65- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade / 2014) De


acordo com as Normas Brasileiras de Auditoria, entre os princípios fundamentais
de ética profissional relevantes para o auditor quando da condução de auditoria
de demonstrações contábeis, figura a
a) publicidade.

Prof. Lucas Salvetti 66 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) fidedignidade.
c) legalidade.
d) oportunidade.
e) integridade.
Resolução:
De acordo com a NBC PG 100, em seu item 100.5, temos 5 princípios
éticos que são: Integridade, objetividade, competência profissional e
devido zelo, sigilo profissional e comportamento profissional.
Gabarito: E.

66- (FCC / Analista Superior II – Auditor INFRAERO / 2011) De acordo


com as Normas Técnicas de Auditoria Independente, é princípio fundamental de
ética profissional a:
a) interação com o auditado.
b) objetividade.
c) parcialidade.
d) integralidade.
e) subjetividade.
Resolução:
Mole né? Veja que os aspectos tratados nas alternativas A, C, D e E são
todos prejudiciais ao auditor independente, pejorativos, ficando mais fácil ainda
encontrar o gabarito da questão.
Lembre-se que integralidade não é integridade! Pegadinha casca de banana!!
Gabarito: B.

67- (ESAF / Analista CVM / 2010) Assinale a opção que indica uma
exceção aos princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o
auditor na condução de trabalhos de auditoria das demonstrações contábeis.
a) Independência técnica.
b) Confidencialidade.
c) Competência e zelo profissional.
d) Comportamento e conduta profissional.
e) Objetividade.
Resolução:

Prof. Lucas Salvetti 67 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

De acordo com a NBC PG 100, em seu item 100.5, temos 5 princípios


éticos que são: Integridade, objetividade, competência profissional e
devido zelo, sigilo profissional e comportamento profissional.
Gabarito: A.

Prof. Lucas Salvetti 68 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

4- Lista de Exercícios (todos da aula)

1- (ESAF / AFRFB / 2012) Os auditores públicos foram designados para


examinar as demonstrações contábeis da Empresa Transportes Fluviais S.A. O
objetivo é avaliar se os recursos destinados à construção dos dois novos portos
foram aplicados nos montantes contratados, dentro dos orçamentos
estabelecidos e licitações aprovadas. Foi determinado como procedimento a
constatação da existência física dos portos. Esse tipo de auditoria pública é
classificado como auditoria
a) de gestão.
b) de programas.
c) operacional.
d) contábil.
e) de sistemas.

2- (FCC - APE (TCE-RS)/Ciências Contábeis/2014) O objetivo de uma


auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por
parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo
auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório
financeiro. Esta declaração identifica a auditoria
a) governamental, em conformidade com as NAT TCE.
b) governamental, em conformidade com as NAG TCU.
c) independente, em conformidade com as NBC TA.
d) de regularidade, em conformidade com as NAG TCU.
e) operacional, em conformidade com as NAT TCE.

3- (FCC - TJ TRT3 / Apoio Especializado / Contabilidade / 2015) A


Companhia Municipal de Transporte Coletivo da Zona Sul contratou a firma de
auditoria Luan & Luan auditores para auditar as demonstrações contábeis do
exercício de 2014. De acordo com a NBC TA 200, o objetivo da auditoria das
demonstrações contábeis é
a) avaliar o grau de segurança na prevenção e detecção de fraudes e erros na
entidade.
b) aumentar o grau de credibilidade da entidade no mercado financeiro.
c) avaliar os controles internos para obter segurança de que não há
irregularidades nas demonstrações contábeis.

Prof. Lucas Salvetti 69 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

d) aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos


usuários.
e) verificar a adequação dos lançamentos contábeis e outros ajustes efetuados
na elaboração das demonstrações contábeis.

4- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU / 2012 -


ADAPTADA) Na execução de uma auditoria, espera-se do auditor independente
que
b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da
entidade.

5- (FCC / AFTE-PE / 2014) – O objetivo da auditoria é aumentar o grau


de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. No relatório
do auditor independente deve constar que a elaboração e adequada
apresentação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis
adotadas no Brasil é de responsabilidade:
(A) do controle interno.
(B) da auditoria interna.
(C) dos acionistas majoritários.
(D) do departamento de contabilidade.
(E) da administração.

6- (CFC / CNAI – Qualificação Técnica Geral CFC / 2013) De acordo


com a responsabilidade da administração da entidade em relação às
demonstrações contábeis que estão sendo auditadas, analise os itens abaixo:
I. A administração reconhece que a elaboração das demonstrações contábeis de
forma adequada é de sua responsabilidade, todavia entende que se exime dessa
responsabilidade quando essas demonstrações são auditadas de acordo com as
normas de auditoria aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).
II. A administração da entidade deve dar amplo e irrestrito acesso aos auditores
que estão auditando as demonstrações contábeis.
III. A administração é responsável pelo sistema de controle interno que
possibilite a elaboração de demonstrações contábeis adequadas.
IV. As demonstrações contábeis de uso geral servem a um amplo leque de
usuários.
Assinale a opção CORRETA.
a) I, II, II e IV.

Prof. Lucas Salvetti 70 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) II, III e IV.


c) I e II.
d) III e IV.

7- (FCC / Analista Judiciário – Contabilidade - TRT 24ª / 2011) Ao


conduzir uma auditoria de demonstrações contábeis, são objetivos gerais do
auditor obter segurança
a) razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de
distorção relevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor
expresse opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em
todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório
financeiro aplicável.
b) razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de
distorção irrelevante, devido a erros, possibilitando que o auditor expresse
opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de parecer financeiro.
c) total de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de distorção
relevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor expresse opinião
sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
d) total de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de distorção
irrelevante, devido à fraude, possibilitando que o auditor expresse opinião sobre
se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
e) razoável de que as demonstrações contábeis em parte estão livres de
distorção irrelevante, devido à fraude ou erro, possibilitando que o auditor
expresse opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em
todos os aspectos considerados, em conformidade com a estrutura de parecer
financeiro consolidado do auditor independente.

8- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade / 2014) De


acordo com as Normas Brasileiras de Auditoria, entre os princípios fundamentais
de ética profissional relevantes para o auditor quando da condução de auditoria
de demonstrações contábeis, figura a
a) publicidade.
b) fidedignidade.
c) legalidade.
d) oportunidade.
e) integridade.

Prof. Lucas Salvetti 71 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

9- (FGV / AFRE-RJ / 2011 - ADAPTADA) Em consonância com o


Conselho Federal de Contabilidade, assinale a alternativa correta.
b) O ceticismo profissional não inclui estar alerta, por exemplo, a evidências de
auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que
coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
a serem usadas como evidências de auditoria.

10- (FGV / AFRE-RJ / 2011) Em consonância com o Conselho Federal de


Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da
auditoria. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais
relevantes, das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao
longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento
e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. O julgamento
profissional não é necessário, em particular, nas decisões sobre materialidade e
risco de auditoria.

11- (ESAF / APOF / 2009) Sobre a auditoria independente, é correto


afirmar que tem por objetivo:
a) auxiliar a administração da entidade no cumprimento de seus objetivos.
b) apresentar subsídios para o aperfeiçoamento da gestão e dos controles
internos.
c) levar à instância decisória elementos de prova necessários a subsidiar a justa
solução do litígio.
d) emitir parecer sobre a adequação das demonstrações contábeis.
e) recomendar soluções para as não-conformidades apontadas nos relatórios.

12- (CS-UFG - Prefeitura de Goiânia - GO / Auditor de Tributos / 2016)


A auditoria que tem a finalidade de identificar desvios de procedimentos não
condizentes com as determinações da legislação tributária, no intuito de evitar
a apuração, excedente ou insuficiente, dos tributos legalmente exigidos é
denominada auditoria
a) interna.
b) governamental.
c) contábil.
d) fiscal.

Prof. Lucas Salvetti 72 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

13- (CESGRANRIO - Transpetro / Auditor Junior / 2016) No âmbito da


administração pública, considera-se que a finalidade básica da auditoria é
comprovar a legalidade e a legitimidade dos atos e fatos administrativos e
avaliar os resultados alcançados. Porém, em decorrência de peculiaridades,
alguns procedimentos específicos de auditoria podem ser requeridos. Considere-
se um contexto em que o objetivo da auditoria é avaliar ações gerenciais e
procedimentos relacionados aos programas de governo, com a finalidade de
emitir uma opinião sobre a gestão quanto aos aspectos da eficiência, eficácia e
economicidade, procurando auxiliar a administração na gerência e nos
resultados.
Nesse caso, recomenda-se uma auditoria
a) de acompanhamento da gestão
b) de avaliação da gestão
c) descentralizada
d) especial
e) operacional

14- (FCC - APOFP SP/2010) As normas brasileiras que estabelecem os


preceitos de conduta para o exercício profissional, especificamente para aqueles
que atuam como auditores independentes, são estruturadas como
a) NBC TI.
b) NBC PI.
c) NBC TA.
d) NBC PA.
e) NBC TP.

15- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) Durante os trabalhos de auditoria, o auditor deve reduzir os riscos
de ignorar circunstâncias não usuais e extrair conclusões baseadas nas
evidências de auditoria. Esses objetivos podem ser alcançados,
respectivamente, por meio
a) do quadro de investigação atualizado e ferramenta de feedback.
b) do planejamento de auditoria e agrupamento de achados de auditoria.
c) da análise de relevância e análise lógica das evidências de auditoria.
d) dos riscos de auditoria e riscos de detecção.
e) do ceticismo profissional e julgamento profissional.

Prof. Lucas Salvetti 73 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

16- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) O Auditor Interno deve identificar os riscos de distorção relevantes
decorrentes de fraude no nível das demonstrações contábeis e tratá-los como
riscos significativos. Nos termos da NBC TA 240, a determinação de quais
tendências e variações específicas podem indicar esse tipo de risco é obtida por
meio
a) do planejamento.
b) dos papéis de trabalho.
c) dos achados de auditoria.
d) do julgamento profissional.
e) das evidências de auditoria.

17- (FCC / Analista Judiciário Contabilidade – TRE CE / 2012) Um


auditor externo ao proceder a auditoria da empresa Grãos e Cia, constata no
ano de 2010, na fase pré-operacional da unidade construída em Palmas, o custo
de R$ 18.000.000,00 relativos à terraplanagem do terreno da fábrica. Foram
feitos os testes, que evidenciaram que o contrato de serviços de terraplanagem
foi realizado com empresa devidamente constituída juridicamente e em
atividade normal. O pagamento do serviço contratado foi efetuado à empresa
de terraplanagem e comprovado por pagamento eletrônico constante do extrato
bancário. O auditor em procedimento complementar e diante da expressividade
dos valores foi até a unidade verificar os serviços. Ao indagar alguns
funcionários foi informado que o serviço de terraplanagem havia sido feito pela
prefeitura da cidade, a qual também doou o terreno a empresa Grãos e Cia. Os
funcionários também informaram que nunca esteve na empresa Grãos e Cia
qualquer funcionário da empresa de terraplanagem contratada.
O procedimento do auditor mostra uma postura de
a) falta de ética profissional por desconfiar da administração.
b) investigação, atitude não pertinente às atividades do auditor.
c) julgamento profissional avaliando a licitude dos atos da equipe de auditores.
d) representante da Governança no processo de identificação de todas as
fraudes.
e) ceticismo profissional adequada às normas de auditoria.

18- (FCC / Analista Judiciário Contabilidade – TRT 6ª / 2012) De


acordo com as normas de auditoria externa, quando o auditor desenvolve seus
trabalhos com uma postura que inclui questionamento e avaliação crítica e
detalhada, e desempenhe os trabalhos com alerta para condições que possam
indicar possível distorção, devido a erro ou fraude nas demonstrações
financeiras, o auditor está aplicando

Prof. Lucas Salvetti 74 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) julgamento profissional.
b) ceticismo profissional.
c) equidade profissional.
d) diligência profissional.
e) neutralidade profissional.

19- (FGV - ACI (Recife)/Finanças Públicas/2014 (e mais 2 concursos)


De acordo com a NBC TA 200, o julgamento profissional é necessário para a
tomada de decisões nos assuntos a seguir, à exceção de um. Assinale-o.
a) A subjetividade e as evidências de auditoria para cumprimento das metas de
resultados operacionais e financeiros da empresa.
b) A natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados
para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de
evidências de auditoria.
c) As evidências de auditoria obtidas são suficientes e apropriadas ou se algo
mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs.
d) A avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de
relatório financeiro aplicável da entidade.
e) A extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas, por
exemplo, pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela
administração na elaboração das demonstrações contábeis.

20- (FGV - Aud (AL BA)/Auditoria/2014) O requisito ético relacionado à


auditoria das demonstrações contábeis que exigem do auditor o reconhecimento
de que podem existir circunstâncias que causarão distorções relevantes nas
demonstrações contábeis é
a) julgamento profissional.
b) ceticismo profissional.
c) evidência de auditoria apropriada.
d) condução da auditoria em conformidade com as normas relevantes.
e) confiabilidade na conduta dos trabalhos.

21- (FGV - ATM (Recife)/2014) O reconhecimento pelo auditor de que


existem circunstâncias que podem causar distorção relevante nas
demonstrações contábeis revela o requisito ético relacionado à auditoria de
demonstrações contábeis, denominado
a) julgamento profissional.
b) evidência funcional.

Prof. Lucas Salvetti 75 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

c) ceticismo profissional.
d) condução apropriada.
e) conformidade legal.

22- (FGV / AFRE-RJ / 2011 - ADAPTADA) Em consonância com o


Conselho Federal de Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da
auditoria. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais
relevantes, das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao
longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento
e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. O julgamento
profissional não é necessário, em particular, nas decisões sobre materialidade e
risco de auditoria.
b) O ceticismo profissional não inclui estar alerta, por exemplo, a evidências de
auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que
coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações
a serem usadas como evidências de auditoria.

23- (FGV / Auditor Fiscal de Angra dos Reis / 2009) O ceticismo


profissional é necessário para a avaliação crítica das evidências de auditoria.
Isso inclui questionar evidências de auditoria contraditórias e a confiabilidade
dos documentos e respostas a indagações e outras informações obtidas junto à
administração e aos responsáveis pela governança. Também inclui a
consideração da suficiência e adequação das evidências de auditoria obtidas
considerando as circunstâncias, por exemplo, no caso de existência de fatores
de risco de fraude e um documento individual, de natureza suscetível de fraude,
for a única evidência que corrobore um valor relevante da demonstração
contábil. O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo, considerando
o disposto na TA 200 e correlatas o indicado nas alternativas a seguir, À
EXCEÇÃO DE UMA. Assinale-a.
a) evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas
b) informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e
respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria
c) condições que possam indicar possível fraude
d) circunstâncias que sugiram a necessidade de procedimentos de auditoria
além dos exigidos pelas NBC TAs
e) transações rotineiras desenvolvidas por controladas avaliadas pelo método
da equivalência patrimonial.

24- (FGV / Auditor Fiscal de Angra dos Reis / 2009) O julgamento


profissional é essencial para a condução apropriada da auditoria. A característica

Prof. Lucas Salvetti 76 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

que distingue o julgamento profissional esperado do auditor é que esse


julgamento seja exercido por auditor, cujo treinamento, conhecimento e
experiência tenham ajudado no desenvolvimento das competências necessárias
para estabelecer julgamentos razoáveis. Isso porque a interpretação das
exigências éticas e profissionais relevantes, das normas de auditoria e as
decisões informadas requeridas ao longo de toda a auditoria não podem ser
feitas sem a aplicação do conhecimento e experiência relevantes para os fatos
e circunstâncias. Cumpre destacar que ele não deve ser usado como justificativa
para decisões que, de outra forma, não são sustentados pelos fatos e
circunstâncias do trabalho nem por evidência de auditoria apropriada e
suficiente. O julgamento profissional NÃO é necessário, em particular, nas
decisões sobre
a) materialidade e risco de auditoria.
b) a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados
para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de
evidências de auditoria.
c) avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se algo
mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs e,
com isso, os objetivos gerais do auditor.
d) avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório
financeiro aplicável da entidade.
e) extração de conclusões não baseadas nas evidências de auditoria obtidas.

25- (ESAF / AFRFB / 2014) São características do auditor experiente


possuir experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
a) processos de auditoria, normas de auditoria e exigências legais aplicáveis.
b) normas de auditoria e exigências legais aplicáveis e processos judiciais cíveis
dos diretores.
c) ambiente de negócios em que opera a entidade e negócios estratégicos
realizados pelos seus concorrentes.
d) assuntos de auditoria e de relatório financeiro relevantes à atividade da
entidade e das atividades dos conselheiros em outras empresas.
e) processos sigilosos e fórmulas dos produtos registradas pela empresa e pelos
seus concorrentes

26- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU / 2012) Na execução


de uma auditoria, espera-se do auditor independente que
a) exerça o seu direito de busca de documentos, no caso de suspeita de fraude.
b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da
entidade.

Prof. Lucas Salvetti 77 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

c) otimize o planejamento dos trabalhos de modo a reduzir o risco de auditoria


a zero.
d) aplique os mesmos procedimentos a entidades de pequeno, médio ou grande
porte.
e) mantenha-se cético ao questionar evidências de auditoria contraditórias.

27- (CS-UFG / Analista Legislativo – Contador / 2014) O auditor deve


exercer julgamento profissional ao planejar e executar a auditoria de
demonstrações contábeis, e este exercício baseia-se nos fatos e nas
circunstâncias conhecidos. Portanto, o julgamento profissional é necessário às
decisões sobre
a) comportamento e conduta do auditor.
b) responsabilidade e integridade pela governança.
c) confidencialidade e zelo profissional.
d) materialidade e risco de auditoria.

28- (CESPE / Especialista em Gestão de Telecomunicações – Auditoria


TELEBRAS / 2013) A respeito de conceitos, princípios, origens e classificações
de auditoria, julgue os itens que se seguem.
Caso um auditor pretenda emitir à entidade auditada cartas de confirmação
externa para avaliar as informações obtidas internamente, ele estará
justificando seu ceticismo profissional.

29- (FCC - TRT - 23ª REGIÃO (MT) / Analista Judiciário –


Contabilidade / 2016) Nos termos da NBC TA 200, um dos objetivos gerais
do auditor ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis é obter
segurança razoável de que essas demonstrações
a) estão corrigidas monetariamente.
b) atendem a estrutura orgânica da entidade.
c) passaram por processo de revisão.
d) foram examinadas por órgãos de controle externo.
e) estão livres de distorções relevantes, como um todo.
30- (FCC - Ana (CNMP) / Apoio Técnico Especializado / Contabilidade
/ 2015) A empresa Plantio de Árvores do Norte S/A, contratou a firma de
auditoria Aspectos & Consultoria, para examinar as demonstrações contábeis do
exercício de 2014. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a

Prof. Lucas Salvetti 78 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) obtenção, pelo auditor, de segurança razoável de que as demonstrações


contábeis como um todo estão livres de distorção relevante,
independentemente se causada por fraudes ou erros de conhecimento ou não
dos responsáveis pela governança.
b) realização, pelo auditor, de exames nas áreas, atividades, produtos e
processos, de forma a alcançar evidências adequadas e suficientes para
elaboração do relatório de auditoria.
c) elaboração dos programas de trabalho de forma a servir como guia e meio
de controle de execução do trabalho, devendo ser revisados e atualizados
sempre que as circunstâncias o exigirem.
d) expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis
foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.
e) natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria
realizados pelo auditor, alinhados com o objetivo da auditoria.

31- (FCC - ACI (CGM São Luís)/Abrangência Geral/2015 (e mais 3


concursos) Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, o Auditor
Interno deve obter segurança de que essas demonstrações, como um todo,
estão livres de distorção relevante, possibilitando que expresse sua opinião,
principalmente se as demonstrações foram elaboradas em conformidade com a
estrutura de relatório financeiro aplicável. Para esse tipo de problema, a NBC
TA 200 orienta que o auditor busque, inicialmente, uma segurança
a) total.
b) razoável.
c) mínima.
d) máxima.
e) média.

32- (FCC - Aud CS (TMC-GO)/2015) Segundo as NBC TA, na condução de


auditorias, a atividade de assegurar que as operações de uma entidade sejam
conduzidas em conformidade com as disposições legais, inclusive referentes aos
valores e as suas divulgações reportadas nas demonstrações contábeis de uma
entidade, relacionadas a objetivos, estratégias e risco do negócio,
principalmente quando a entidade não possuir a equipe ou o conhecimento
especializado para lidar com as mudanças no setor de atividade ou aumento de
passivos relacionados aos produtos e serviços, relativos e externalidades
negativas, é de responsabilidade da
a) auditoria interna da Controladoria Geral do Estado.

Prof. Lucas Salvetti 79 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) auditoria governamental de programas.


c) auditoria independente das demonstrações contábeis.
d) administração, sob a supervisão dos responsáveis pela governança.
e) auditoria interna da Controladoria Geral da União.

33- (FCC - ACE (TCE-CE)/Administração/Ciências Contábeis/2015) A


firma de auditoria Lopes & Auditores foi contratada, por determinada empresa
de economia mista estadual, para realizar a auditoria das demonstrações
contábeis do exercício de 2014. Para tanto, o auditor deve conduzir a auditoria
com base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os
responsáveis pela governança reconhecem e entendem que têm, entre outras,
a responsabilidade
I. de permitir acesso irrestrito às pessoas da entidade, que o auditor determine
ser necessário obter evidências de auditoria.
II. pela confiabilidade das informações a serem usadas como evidências de
auditoria, e pela indicação de pessoas da entidade para participar na elaboração
do relatório de auditoria.
III. de fornecer, ao auditor, quando solicitado, o nome das pessoas da entidade
suspeitas de envolvimento com fraude.
IV. de fornecer informações adicionais que o auditor possa solicitar da
administração e, quando apropriado, dos responsáveis pela governança para a
finalidade da auditoria.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) I, II e III.
b) I e IV.
c) II e III.
d) III e IV.
e) I, II e IV.

34- (FCC / ICMS PI / 2015) O auditor deve solicitar à administração e/ou


membros da governança as representações formais em conformidade com as
Normas Brasileiras de Contabilidade sobre determinados assuntos, dentre os
quais NÃO se inclui:
(A) Forneceu-se aos auditores acesso restrito a pessoas dentro da entidade das
quais o auditor determinou necessário para obter evidência de auditoria.
(B) Todos os eventos subsequentes à data das demonstrações contábeis e para
os quais as práticas contábeis adotadas no Brasil exigem ajuste ou divulgação
foram ajustados ou divulgados.

Prof. Lucas Salvetti 80 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

(C) Os pressupostos significativos utilizados por nós ao fazermos as estimativas


contábeis, inclusive aquelas avaliadas pelo valor justo, são razoáveis.
(D) Os efeitos das distorções não corrigidas são irrelevantes, individual e
agregadamente para as demonstrações contábeis como um todo.
(E) Forneceu-se aos auditores acesso a todas as informações das quais estamos
cientes que são relevantes para a elaboração das demonstrações contábeis, tais
como registros, documentação e outros.

35- (FCC / ICMS PI / 2015) Considere:


I. A elaboração de relatórios e emissão de relatórios e certificados.
II. Elaboração dos papéis de trabalho e aplicação de testes.
III. Avaliação dos riscos de auditoria do Sistema de Controle Interno;
Planejamento e elaboração dos programas de trabalho.
IV. Monitoramento ou follow-up.
Os itens acima constituem etapas do trabalho, recomendadas pelas normas de
execução dos trabalhos de auditoria para se obter evidências robustas, e devem
obedecer a sequência lógica seguinte:
(A) I, III, IV e II.
(B) III, II, I e IV.
(C) IV, III, II e I.
(D) III, IV, I e II.
(E) II, IV, III e I.

36- (FCC - APE (TCE-RS)/Ciências Contábeis/2014) O objetivo de uma


auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por
parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo
auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório
financeiro. Esta declaração identifica a auditoria
a) governamental, em conformidade com as NAT TCE.
b) governamental, em conformidade com as NAG TCU.
c) independente, em conformidade com as NBC TA.
d) de regularidade, em conformidade com as NAG TCU.
e) operacional, em conformidade com as NAT TCE.

Prof. Lucas Salvetti 81 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

37- (FCC / Agente Fiscal de Rendas SP / 2013) O auditor externo, ao


avaliar as demonstrações contábeis da empresa Saracura farmacêuticos S.A.,
solicitou que as provisões para créditos de liquidação duvidosa fossem
constituídas de forma conservadora, incluindo todos os créditos vencidos há
mais de 60 dias. O procedimento foi adotado em decorrência de a empresa estar
com bons resultados e apresentar posição mais conservadora, resguardando a
administração e a auditoria. Nesse caso, a estrutura conceitual vigente
(A) não está sendo atendida, pois ela não permite a apresentação de uma
demonstração fidedigna e que seja consistente com a neutralidade.
(B) está sendo atendida, desde que sejam justificados os motivos que levaram
à adoção do procedimento, em nota explicativa, e quantificados seus efeitos.
(C) está sendo atendida, pois contempla a característica da prudência, requisito
básico para elaboração de uma demonstração contábil fidedigna.
(D) não está sendo atendida, uma vez que para reconhecer os créditos vencidos
há mais de 60 dias, a empresa tem a obrigatoriedade de efetuar a cobrança
judicialmente para só posteriormente realizar a provisão.
(E) está sendo atendida, pois ela faculta a apresentação das demonstrações
contábeis considerando a característica da prudência.

38- (FCC / Auditor Fiscal Tributário Municipal SP / 2012) No processo


de Auditoria, o auditor
a) pode, após ter executado todos os testes, ter a certeza da integridade da
informação atestando todas as demonstrações contábeis exigidas em seu
parecer de auditoria.
b) não pode ter certeza da integridade da informação, embora tenha executado
os procedimentos de auditoria para obter certeza de que todas as informações
relevantes foram obtidas.
c) pode, tendo aplicado os procedimentos de auditoria, atestar a integridade da
informação, mas não pode se eximir de certificar, por meio de seu relatório, a
exatidão das demonstrações contábeis.
d) não deve atestar a integridade das informações contábeis, das notas
explicativas e dos demais relatórios publicados pela empresa, enquanto não
obtiver uma carta da administração atestando as demonstrações em conjunto.
e) deve, em conjunto com a administração, atestar que todos os processos,
riscos e possibilidades de fraudes foram avaliadas e ter a certeza da integridade
da informação.

39- (FCC / Analista Judiciário – Contabilidade TRF 2ª / 2012) O auditor


independente ou externo

Prof. Lucas Salvetti 82 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

a) tem como objetivo principal a prevenção e a detecção de falhas no sistema


de controle interno da entidade.
b) deve produzir relatórios que visam atender, em linhas gerais, a alta
administração da entidade ou diretorias e gerências.
c) tem que fazer análise com alto nível de detalhes, independentemente da
relação custo-benefício, para minimizar o risco de detecção.
d) deve produzir um relatório ou parecer sobre as demonstrações contábeis da
entidade auditada.
e) tem menor grau de independência em relação à entidade auditada do que o
auditor interno.

40- (FCC / Analista Ministerial MP-PE / 2012) NÃO representa um


requisito necessário para que o auditor possa conduzir adequadamente os
trabalhos de asseguração das demonstrações contábeis:
a) ceticismo profissional.
b) acesso irrestrito a todas as informações necessárias para fundamentar seu
parecer.
c) julgamento profissional.
d) corresponsabilidade pela elaboração das demonstrações contábeis da
entidade auditada.
e) obtenção de evidência de auditoria apropriada e suficiente.

41- (FCC / Analista Judiciário TRF 1ª Região / 2011) Considere as


assertivas a seguir:
I. A auditoria é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o auditor
não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de busca, que podem
ser necessários para tal investigação.
II. Desde que o auditor assine declaração de independência, não é mais
necessário que decline de trabalhos nos quais existam, na administração da
empresa auditada, parentes em nível de segundo grau.
III. Em decorrência das limitações inerentes de uma auditoria, há um risco
inevitável de que algumas distorções relevantes das demonstrações contábeis
não sejam detectadas, embora a auditoria seja adequadamente planejada e
executada em conformidade com as normas legais de auditoria.
Está correto o que se afirma SOMENTE em:
a) II e III.
b) I e II.

Prof. Lucas Salvetti 83 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

c) I.
d) II.
e) III.

42- (FGV - Prefeitura de Cuiabá - MT / Auditor Fiscal Tributário da


Receita Municipal / 2016) De acordo com a NBC 200, Objetivos Gerais do
Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com as
Normas de Auditoria, assinale a opção que indica os objetivos gerais do auditor
ao conduzir a auditoria das demonstrações contábeis.
a) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres
de distorção relevante e apresentar relatório sobre elas.
b) Identificar fraudes nas demonstrações contábeis e aprimorar o controle
interno para que novas fraudes não aconteçam.
c) Detectar erros nas demonstrações contábeis e instruir a administração e os
responsáveis pela governança, de modo que novos erros sejam evitados.
d) Apresentar um relatório com parecer que reflita sua opinião sobre as
demonstrações contábeis apresentadas e assegurar que elas estão livres de
fraudes.
e) Dar uma opinião imparcial sobre as demonstrações contábeis e assegurar
que estas estão livres de fraudes e de erros.

43- (FGV - Aud Est (CGE MA)/2014) A respeito da Auditoria Independente,


analise as afirmativas a seguir.
I. A opinião do auditor expressa se as demonstrações contábeis estão
apresentadas adequadamente, em todos os aspectos relevantes, em
conformidade com a estrutura de relatório financeiro.
II. A auditoria conduzida em conformidade com as normas de auditoria e as
exigências éticas relevantes capacita o auditor a formar opinião sobre as
demonstrações contábeis.
III. A auditoria em conformidade com as normas de auditoria é conduzida com
base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis
pela governança têm conhecimento de certas responsabilidades que são
fundamentais para a condução da auditoria.
Assinale:
a) se somente a afirmativa I estiver correta.
b) se somente a afirmativa II estiver correta.
c) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.

Prof. Lucas Salvetti 84 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

44- (FGV - ATM (Recife)/2014) O auditor, ao expressar opinião de que as


demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes,
em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável, produz o
seguinte efeito:
a) revela as distorções do planejamento da auditoria das demonstrações
contábeis.
b) reduz os riscos de auditoria das demonstrações contábeis o que gera
segurança para os usuários.
c) proporciona o aumento de evidências de auditoria das demonstrações
contábeis.
d) aumenta o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos
usuários.
e) assegura que os objetivos operacionais desejados pela administração foram
alcançados.

45- (FGV / AFRE-RJ / 2011) De acordo com o Conselho Federal de


Contabilidade, assinale a alternativa correta.
a) A auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto de
procedimentos técnicos que têm por objetivo a emissão de parecer sobre a sua
adequação, consoante os Princípios Fundamentais de Contabilidade e as Normas
Brasileiras de Contabilidade e, no que for pertinente, a legislação específica. Na
ausência de disposições específicas, prevalecem as normas emitidas pelo
Corecon.
b) O parecer do auditor independente emitido na modalidade sem ressalvas
representa garantia de viabilidade futura da entidade, atestando a eficácia da
administração na gestão dos negócios.
c) As "práticas contábeis adotadas no Brasil" compreendem a legislação
societária brasileira, as Normas Brasileiras de Contabilidade, emitidas pelo
Conselho Federal de Contabilidade, os pronunciamentos, as interpretações e as
orientações emitidos pelo CPC e homologados pelos órgãos reguladores, e
práticas adotadas pelas entidades em assuntos não regulados, desde que
atendam à Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das
Demonstrações Contábeis emitida pelo CFC e, por conseguinte, em consonância
com as normas contábeis internacionais.
d) A fim de que a opinião da entidade de auditoria seja isenta, imparcial, deve
ela ser independente (quando externa) ou autônoma (quando interna), emitindo
sua opinião de forma isenta. Isso significa que não deve ser vinculada à entidade
auditada. Se, por algum motivo, pairarem dúvidas acerca desse atributo, o ideal

Prof. Lucas Salvetti 85 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

é que se publique, em jornal de grande circulação, a relação dos sócios da


empresa de auditoria.
e) Os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor
quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis estão implícitos
no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01, que trata do
controle de qualidade. O cumprimento desses princípios não é exigido dos
auditores.

46- (FGV / AFRE-RJ / 2011) Consoante o Conselho Federal de


Contabilidade (CFC), assinale a alternativa correta.
a) O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações
contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de
uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.
b) A auditoria de demonstrações contábeis pode ser exercida por técnicos de
contabilidade (sem graduação na área), desde que tenham mais de 5 anos de
experiência, devidamente comprovada.
c) Se, porventura, o auditor julgar-se incompetente para realizar um serviço de
auditoria de demonstrações contábeis, pode ele recomendar um auditor
capacitado. Nesse caso, ao cobrar alguma remuneração pela indicação, não
estará infringindo nenhuma norma, desde que o profissional indicado seja capaz
e esteja regular perante o Conselho Regional de Contabilidade.
d) Ao descobrir um erro ou fraude, o parecer do auditor deverá,
necessariamente, conter, pelo menos, uma ressalva (parecer com ressalva).
e) Ao descobrir um erro ou fraude, o parecer do auditor deverá,
necessariamente, ser emitido na modalidade "adverso".

47- (FGV / AFRE-RJ / 2011) A firma de auditoria Auditores Associados foi


contratada para emitir parecer específico sobre o balanço patrimonial de
determinada entidade. Ela disponibilizou acesso ilimitado a todas as áreas da
empresa, a todos os relatórios, registros, dados, informações e demais
demonstrações contábeis, de forma a serem possíveis todos os procedimentos
de auditoria. Dessa forma, é correto classificar essa auditoria como
a) uma limitação no escopo do trabalho.
b) um trabalho de objetivo ilimitado, que deverá gerar parecer na modalidade
com ressalvas, pelo menos.
c) uma indeterminação na profundidade do trabalho.
d) um trabalho de objetivo limitado.

Prof. Lucas Salvetti 86 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

e) uma restrição na profundidade do trabalho.

48- (ESAF / Contador MF / 2013) Com base nas afirmativas a seguir,


assinale V para as verdadeiras e F para as falsas e, a seguir, indique a opção
correta.
( ) A auditoria é uma investigação oficial de suposto delito. Portanto, o auditor
não recebe poderes legais específicos, tais como o poder de busca, que podem
ser necessários para tal investigação.
( ) O risco de detecção se relaciona com a natureza, a época e a extensão dos
procedimentos que são determinados pelo auditor para reduzir o risco de
auditoria a um nível baixo aceitável. Portanto, é uma função da eficácia do
procedimento de auditoria e de sua aplicação pelo auditor.
( ) Os riscos de distorção relevante no nível da afirmação consistem em dois
componentes: risco inerente e risco de controle. O risco inerente e o risco de
controle são riscos da entidade; eles existem independentemente da auditoria
das demonstrações contábeis.
a) F, V, V
a) F, F, F
a) F, V, F
a) V, V, V
a) V, F, F

49- (ESAF / Contador MF / 2013) Em conformidade com as normas de


auditoria, para que um auditor seja considerado experiente, deve demonstrar
que tem experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
a) processos de auditoria, demandas judiciais e de relatórios econômicos e
financeiros que servem de base para a estratégia de negócios semelhantes e
dos concorrentes.
b) normas tributárias, processos de produção das principais atividades
econômicas e formação em administração de empresas, economia ou
contabilidade.
c) ambiente de negócios que opera a entidade, experiência prática de
planejamento de auditorias em empresas semelhantes e concorrentes, atuação
em auditoria em tempo superior a 5 anos.
d) normas de auditoria e exigências legais, assuntos de auditoria e de relatório
financeiro relevantes ao setor de atividade da entidade e processos de auditoria
e) normas contábeis, identificação de fraudes e atuação em auditoria em tempo
superior a 3 anos.

Prof. Lucas Salvetti 87 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

50- (ESAF / Analista de Finanças e Controle - CGU / 2012) Na execução


de uma auditoria, espera-se do auditor independente que
a) exerça o seu direito de busca de documentos, no caso de suspeita de fraude.

b) assegure a eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da


entidade.
c) otimize o planejamento dos trabalhos de modo a reduzir o risco de auditoria
a zero.
d) aplique os mesmos procedimentos a entidades de pequeno, médio ou grande
porte.
e) mantenha-se cético ao questionar evidências de auditoria contraditórias.

51- (ESAF / AFRFB / 2009) O auditor da empresa Negócios S.A.


estabeleceu três procedimentos obrigatórios para emissão do parecer. O
primeiro, que a empresa renovasse o contrato de auditoria para o próximo ano,
o segundo, que a empresa emitisse a carta de responsabilidade da
administração e o terceiro, que o parecer seria assinado por sócio do escritório
de contabilidade, cuja única formação é administração de empresas. Pode-se
afirmar, com relação aos procedimentos, respectivamente, que:
a) é ético, não é procedimento de auditoria e atende as normas de auditoria e
da pessoa do auditor.
b) não é ético, não é procedimento de auditoria e não atende as normas de
auditoria e da pessoa do auditor.
c) é ético, não deve ser considerado para emissão do parecer e atende as
normas de auditoria e da pessoa do auditor.
d) é ético, considera-se apenas em alguns casos para emissão do parecer e não
atende as normas de auditoria e pessoa do auditor.
e) não é ético, é procedimento de auditoria e não atende as normas de auditoria
e da pessoa do auditor.

52- (CESPE - POLÍCIA CIENTÍFICA - PE / Perito Criminal - Ciências


Contábeis / 2016) Acerca de auditoria de demonstrações contábeis, assinale
a opção correta.
a) O trabalho do auditor deve restringir-se a segmentos específicos e
determinados das demonstrações contábeis.
b) São as normas de contabilidade que estabelecem as responsabilidades de
governança da administração das entidades auditadas.

Prof. Lucas Salvetti 88 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

c) O conceito de materialidade é objetivo, de utilização obrigatória e está


expressamente determinado nas Normas Brasileiras de Contabilidade.
d) Um grau elevado de segurança, ou asseguração razoável, ocorre quando o
auditor obtém evidência de que o risco de auditoria por reduzido a níveis
aceitavelmente baixos.
e) A identificação das fraudes cometidas na fase de elaboração dessas
demonstrações é o principal objetivo da auditoria.

53- (CESPE - POLÍCIA CIENTÍFICA - PE / Perito Criminal - Ciências


Contábeis / 2016) Acerca dos requisitos de controle relativos à execução do
trabalho do auditor independente, assinale a opção correta.
a) Cada membro da equipe de auditoria deve emitir uma declaração afirmando
não ter qualquer impedimento legal e ético em relação aos clientes.
b) A identificação do risco de perda de independência é de responsabilidade da
entidade auditada.
c) É vedada a comunicação entre o auditor e os integrantes da entidade
auditada.
d) Todos os membros da equipe de auditoria são responsáveis pelo
estabelecimento das regras de independência.
e) O rol de clientes de uma entidade de auditoria deve ser mantido em sigilo
interno e externo a essa entidade.

54- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle


Interno/Auditoria/2016) Julgue o próximo item, relativo à auditoria
de compliance.
A finalidade da auditoria de compliance é averiguar se as atividades da
instituição auditada estão de acordo com as regras e os regulamentos que as
disciplinam.
( ) Certo ( ) Errado

55- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle


Interno/Auditoria/2016) Acerca dos objetivos da auditoria de
demonstrações contábeis, julgue os itens a seguir, com base nas normas
brasileiras de contabilidade.
A credibilidade das demonstrações contábeis é reforçada pelo auditor
independente quando este manifesta opinião de que tais demonstrações foram
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma
estrutura de relatório financeiro aplicável.

Prof. Lucas Salvetti 89 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

( ) Certo ( ) Errado

56- (CESPE - FUNPRESP-JUD /Analista - Controle Interno / Auditoria


/ 2016) Acerca dos objetivos da auditoria de demonstrações contábeis, julgue
o item a seguir, com base nas normas brasileiras de contabilidade.
Comentar sobre as demonstrações contábeis nos relatórios de auditoria e
fornecer opinião sobre a eficácia do controle interno são atribuições que
integram os objetivos gerais do auditor.
( ) Certo ( ) Errado

57- (CESPE / Auditor FUB-DF / 2013) Com relação aos conceitos gerais
sobre auditoria, julgue o item subsequente.
A função precípua da auditoria é a detecção de fraudes com base nos registros
contábeis e na documentação existente na entidade. A obtenção de informações
de terceiros e o caráter preventivo das ações realizadas pela auditoria são o
efeito residual e aleatório de sua atuação.

58- (CS-UFG - Prefeitura de Goiânia - GO / Auditor de Tributos / 2016)


De acordo com a Resolução CFC n° 1.231/2009, o auditor deve avaliar se as
demonstrações contábeis são elaboradas, em todos os aspectos relevantes, de
acordo com os requisitos da estrutura de relatório financeiro aplicável. Essa
avaliação deve incluir a consideração dos aspectos
a) qualitativos das práticas contábeis da entidade.
b) quantitativos das transações auditadas.
c) patrimoniais adotados pelos gestores.
d) operacionais para obtenção de evidência de auditoria.

59- (IESES / TRE-MA AJAC / 2015) Conforme a Resolução CFC nº.


1.203/09, que aprovou a NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de
Auditoria, ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, os objetivos
gerais do auditor são:
a) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas por fraude
ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes,
em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.

Prof. Lucas Salvetti 90 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

b) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo


estão totalmente livres de qualquer distorção, causadas exclusivamente por
fraude, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas em total conformidade com a
estrutura de relatório financeiro aplicável.
c) Obter segurança total de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção irrelevante, independentemente se causadas por
fraude ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre
se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos
relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
d) Obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção irrelevante, se causadas exclusivamente por erro,
possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos, em
conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável.

60- (FGV - Prefeitura de Cuiabá - MT / Auditor Fiscal Tributário da


Receita Municipal / 2016) Os princípios fundamentais de ética profissional,
quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis, estão implícitos
no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01, que trata do
controle de qualidade.
Assinale a opção que indica alguns dos princípios fundamentais da ética
profissional relevantes para o auditor de acordo com a norma vigente no Brasil.
a) Competência, comportamento profissional e tempestividade.
b) Conduta profissional, zelo e representatividade.
c) Integridade, objetividade e confidencialidade.
d) Representatividade, objetividade e tempestividade.
e) Comportamento profissional, confidencialidade e transparência.

61- (CESPE - TCE-PA /Auditor de Controle Externo - Área Fiscalização


- Contabilidade/2016) De acordo com as Normas Técnicas de Auditoria (NBC
TA) estabelecidas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), julgue o item
a seguir.
São princípios inerentes ao trabalho de asseguração do auditor a integridade, a
objetividade, o sigilo e o comportamento profissional.
( ) Certo ( ) Errado

62- (FCC / ICMS MA / 2016) As demonstrações contábeis do exercício de


2015 da Companhia de Fornecimento de Energia Solar do Estado serão

Prof. Lucas Salvetti 91 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

auditadas pela firma Absolutos Auditores. Os princípios fundamentais da ética


profissional a serem observados pelos auditores na realização da auditoria de
demonstrações contábeis incluem:
I. Moralidade e Independência Técnica.
II. Probidade e Afinidade Profissional.
III. Integridade e Comportamento Profissional.
IV. Objetividade e Confidencialidade.
V. Competência Profissional e Devido Zelo.
Está correto o que se afirma APENAS em
(A) I, III e IV.
(B) III, IV e V.
(C) I, II, III.
(D) I, IV e V.
(E) II, III e V.

63- (CESPE / Auditor TCU / 2015) Julgue o item subsecutivo, referente ao


principal grupo de usuários das demonstrações contábeis bem como às
responsabilidades a elas relacionadas.
No exercício de suas atividades de auditoria, o auditor independente, usuário
interno da informação contábil, deve pautar-se pelos seguintes princípios éticos:
integridade, objetividade, impessoalidade, competência e zelo profissional,
confidencialidade e comportamento profissional.

64- (FGV / ISS Cuiabá / 2014) De acordo com o Código de Ética


Profissional do Contabilista e da NBC PA 01, assinale a opção que indica
princípios fundamentais de ética profissional quando da condução de auditoria
de demonstrações contábeis.
(A) Integridade, objetividade e comportamento profissional.
(B) Competência, confidencialidade e ceticismo profissional.
(C) Integridade, conduta profissional e julgamento profissional.
(D) Conhecimento, zelo profissional e objetividade.
(E) Ceticismo profissional, julgamento profissional e confidencialidade.

65- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade / 2014) De


acordo com as Normas Brasileiras de Auditoria, entre os princípios fundamentais

Prof. Lucas Salvetti 92 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

de ética profissional relevantes para o auditor quando da condução de auditoria


de demonstrações contábeis, figura a
a) publicidade.
b) fidedignidade.
c) legalidade.
d) oportunidade.
e) integridade.

66- (FCC / Analista Superior II – Auditor INFRAERO / 2011) De acordo


com as Normas Técnicas de Auditoria Independente, é princípio fundamental de
ética profissional a:
a) interação com o auditado.
b) objetividade.
c) parcialidade.
d) integralidade.
e) subjetividade.

67- (ESAF / Analista CVM / 2010) Assinale a opção que indica uma
exceção aos princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o
auditor na condução de trabalhos de auditoria das demonstrações contábeis.
a) Independência técnica.
b) Confidencialidade.
c) Competência e zelo profissional.
d) Comportamento e conduta profissional.
e) Objetividade.

5- Gabarito

1 A 21 C 41 E 61 CERTO
2 C 22 ERRADA 42 A 62 B
3 D 23 E 43 E 63 ERRADO
4 ERRADO 24 E 44 D 64 A
5 E 25 A 45 C 65 E
6 B 26 E 46 A 66 B
7 A 27 D 47 D 67 A
8 E 28 CERTO 48 A

Prof. Lucas Salvetti 93 de 94


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Auditoria p/ Auditor de Controle Externo TCM RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Lucas Salvetti – Aula 00

9 ERRADO 29 E 49 D
10 ERRADO 30 D 50 E
11 D 31 B 51 E
12 D 32 D 52 D
13 E 33 B 53 A
14 D 34 A 54 CERTO
15 E 35 B 55 CERTO
16 D 36 C 56 ERRADO
17 E 37 A 57 ERRADO
18 B 38 B 58 A
19 A 39 D 59 A
20 B 40 D 60 C

6- Referencial Bibliográfico

Almeida, Marcelo Cavalcanti – Auditoria: um curso moderno e completo, 7ª ed.


São Paulo: Atlas, 2010
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.328/11 - Dispõe sobre a Estrutura das Normas
Brasileiras de Contabilidade
NBC PA 01 - Controle de Qualidade para Firmas (Pessoas Jurídicas e Físicas) de
Auditores Independentes
NBC TA 200 - Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da
Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria
NBC TA 210 - Concordância com os Termos do Trabalho de Auditoria
NBC TA 510 - Trabalhos Iniciais – Saldos Iniciais
INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01, DE 06 DE ABRIL DE 2001 - MINISTÉRIO DA
FAZENDA SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO – MANUAL DO
SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO FEDERAL

Prof. Lucas Salvetti 94 de 94


www.exponencialconcursos.com.br