Você está na página 1de 3

DNA e RNA

DNA e RNA são siglas de substâncias químicas envolvidas na transmissão de


caracteres hereditários e na produção de proteínas compostas, que são o
principal constituinte dos seres vivos; são ácidos nucleicos encontrados em
todas as células humanas.

DNA

DNA é uma molécula formada por duas cadeias na forma de uma dupla
hélice, que são constituídas por um açúcar, um grupo fosfato e uma base
nitrogenada. A dupla hélice é um fator essencial na replicação do DNA
durante a divisão celular, onde cada hélice serve de molde para outra nova.

RNA

RNA é a sigla para ácido ribonucleico (RNA), que é uma molécula também
formada por um açúcar, um grupo fosfato e uma base nitrogenada. O RNA é
o responsável pela síntese de proteínas da célula, são geralmente formados
em cadeia simples, que podem, por vezes, ser dobrados.

Teste de DNA

O teste de DNA, chamado de DNA figerprint ou impressão digital genética,


fornece um grau de confiabilidade bastante alto, ultrapassando 99,9% de
certeza em seu resultado. Devido a isso, esse teste é muito empregado na
determinação de paternidade e na resolução de crimes.

Para que haja a identificação de uma pessoa através de seu DNA são
utilizadas sondas capazes de detectar sequências do DNA humano. Essas
sequências de DNA são chamadas de VNTR (Variable Number of Tandem
Repeats - número variável de repetições em sequência) e são compostas
por sequências curtas de nucleotídeos que se repetem ao longo de trechos
da molécula de DNA. Cada pessoa tem um padrão específico de repetição
dessas unidades e esse padrão é herdado de seus pais.

Quando amostras de DNA são obtidas através de pelos, sangue, pedaços


de pele, esperma etc., é possível o isolamento do DNA utilizando enzimas
de restrição. Após o uso das enzimas, o DNA fica fragmentado, ou seja,
separado em pequenos pedacinhos. Em seguida, esses pequenos pedaços
são separados em um processo chamado de eletroforese, que utiliza
corrente elétrica. Após o término da eletroforese, um equipamento que
utiliza luz ultravioleta e corante específico traduz a imagem do DNA, que
então poderá ser estudada pelos pesquisadores. As faixas observadas são
únicas para cada pessoa e por isso ela é chamada de impressão digital de
DNA ou impressão digital genética.

Transgênico

Os transgênicos são uma evolução da engenharia genética, caracterizada


pela modificação de alimentos e plantas em laboratório.

Os alimentos transgênicos ainda dividem opiniões, mas já estão


presentes em diversos países do mundo, favorecendo a economia no setor
da agricultura.

O método dos transgênicos está sendo adotado por várias economias


como uma maneira de aumentar a produção e reduzir custos no campo.
Com a modificação genética, os cientistas conseguem incluir e manipular
DNA e RNA e produzir combinações geneticamente diferenciadas, que não
são naturalmente encontradas no meio ambiente.

Na agricultura, a técnica é empregada para aumentar a resistência das


plantações a determinadas doenças e pragas. De acordo com o Ministério
da Agricultura, um organismo geneticamente modificado pode ser
classificado a partir da alteração do seu material genético (DNA), na qual
um ou mais genes são transferidos artificialmente.
A função desse método é selecionar plantas e animais mais resistentes e
capazes de se desenvolver em condições favoráveis a doenças, pragas e
mudanças climáticas. Atualmente, o milho e a soja são os alimentos mais
modificados geneticamente no mundo.

Células

As células são estruturas microscópicas que fazem parte da organização do


corpo dos seres vivos. Essa estrutura foi inicialmente descrita por Robert
Hooke ao analisar um corte de cortiça. O termo célula vem do latim cella,
que significa pequeno compartimento, e faz referência ao que Hooke
visualizou ao analisar o corte do vegetal. Por ter observado células mortas,
o pesquisador viu apenas a parede celular das células vegetais e, por isso,
achou que se tratava de um compartimento, e não uma estrutura viva e
complexa.