Você está na página 1de 11

1

RESOLUÇÃO 624/2016 CONTRAN
RESOLUÇÃO 624/2016 CONTRAN

APLICAÇÕES POLICIAIS (MULTA SOM AUTOMOTIVO, SEM O USO DE DECIBELÍMETRO)

2

Sumário RESOLUÇÃO 624/2016 CONTRAN

3

OBSERVAÇÕES E DESDOBRAMENTOS

5

POSSIBILIDADES DE ENQUADRAMENTO

5

EXCEÇÕES A REGRA

6

APLICAÇÃO DA NORMA

6

PREENCHIMENTO DO AUTO

7

OBSERVAÇÕES GERAIS

8

CTB

9

3

RESOLUÇÃO 624/2016 CONTRAN

Regulamenta a fiscalização de sons produzidos por equipamentos utilizados em veículos, a que se refere o art. 228, do Código de Trânsito Brasileiro - CTB.

O Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, no uso da competência

que lhe confere o artigo 12, inciso I, da lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997,

que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro, e nos termos do disposto no Decreto

nº 4.711, de 29 de maio de 2003, que trata da Coordenação do Sistema Nacional

de Trânsito;

Considerando as dificuldades de aplicabilidade operacional da

fiscalização da infração do art. 228 do CTB, no rito definido pela legislação

vigente e, em decorrência disso, a crescente impunidade dos infratores;

Considerando o que consta do Processo Administrativo

80000.008618/2013-80,

Resolve:

Art. 1º Fica proibida a utilização, em veículos de qualquer espécie, de

equipamento que produza som audível pelo lado externo, independentemente

do volume ou frequência, que perturbe o sossego público, nas vias terrestres

abertas à circulação.

Parágrafo único. O agente de trânsito deverá registrar, no campo de

observações do auto de infração, a forma de constatação do fato gerador da

infração.

Art. 2º Excetuam-se do disposto no artigo 1º desta Resolução os ruídos

produzidos por:

I - buzinas, alarmes, sinalizadores de marcha-à-ré, sirenes, pelo motor e

demais componentes obrigatórios do próprio veículo;

lI - veículos prestadores de serviço com emissão sonora de publicidade,

divulgação, entretenimento e comunicação, desde que estejam portando

autorização emitida pelo órgão ou entidade local competente, e

III - veículos de competição e os de entretenimento público, somente nos

locais de competição ou de apresentação devidamente estabelecidos e

permitidos pelas autoridades competentes.

4

Art. 3º A inobservância do disposto nesta Resolução constitui infração de

trânsito prevista no artigo 228 do CTB.

Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5º Fica revogada a Resolução do CONTRAN nº 204, de 20 de outubro

de 2006.

ELMER COELHO VICENZI Presidente do Conselho PEDRO DE SOUZA DA SILVA p/Ministério da Justiça e Cidadania ALEXANDRE EUZÉBIO DE MORAIS p/Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil DJAILSON DANTAS DE MEDEIROS p/Ministério da Educação OLAVO DE ANDRADE LIMA NETO p/Ministério das Cidades NOBORU OFUGI p/Agência Nacional de Transportes Terrestre

5

OBSERVAÇÕES E DESDOBRAMENTOS

Art. 1º Fica proibida a utilização, em veículos de qualquer espécie, de

equipamento que produza som audível pelo lado externo, independentemente

do volume ou frequência, que perturbe o sossego público, nas vias terrestres

abertas à circulação.

Parágrafo único. O agente de trânsito deverá registrar, no campo de

observações do auto de infração, a forma de constatação do fato gerador

da infração.

Comentário Prof. Fabio Silva: Com a revogação do Resolução CONTRAN 204/2006 e as novas normas da Res. 624/2016, agora não a necessidade de uso de decibelímetro para a constatação da infração. Basta que o agente lance no campo OBS que o som produzido esta perturbando o sossego público. A perturbação poderá, também, ser subsidiada no auto de infração por relato de moradores e estabelecimentos comerciais.

Ex.: veículo com som audível do lado externo perturbando o sossego público. Recebido vários relatos de moradores através de ligação telefônica, fato constatado pela equipe de fiscalização. Veículo retido no local, até a irregularidade ser sanada.

A regularização desta infração se dar somente com a diminuição do volume do equipamento ou desligamento, e não com sua retirada. No entanto, caso não haja regularização no tempo estipulado pelo agente, o veículo poderá ser recolhido ao deposito (Res. 371/2010 MBFT Vol. I).

Obs.: Caso o cidadão não diminua ou desligue o som mediante pedido do agente de segurança, sua conduta se enquadra, mas especificações abaixo.

POSSIBILIDADES DE ENQUADRAMENTO

Código Penal

Desobediência

Art.330 Desobedecer a ordem legal de funcionário publico

Perturbação do sossego público DL 3688/41

Art. 42 Perturbar alguém o trabalho ou sossego alheio:

III abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos.

6

Lei de Crimes Ambientais

Art. 54 Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora.

Pena Reclusão, de um a quatro anos, e multa.

EXCEÇÕES A REGRA

Art. 2º Excetuam-se do disposto no artigo 1º desta Resolução os ruídos

produzidos por:

I - Buzinas, alarmes, sinalizadores de marcha-à-ré, sirenes, pelo motor e

demais componentes obrigatórios do próprio veículo;

lI - veículos prestadores de serviço com emissão sonora de publicidade,

divulgação, entretenimento e comunicação, desde que estejam portando

autorização emitida pelo órgão ou entidade local competente, e

III - veículos de competição e os de entretenimento público, somente nos

locais de competição ou de apresentação devidamente estabelecidos e

permitidos pelas autoridades competentes.

APLICAÇÃO DA NORMA

Art. 3º A inobservância do disposto nesta Resolução constitui infração de trânsito

prevista no artigo 228 do CTB.

Capítulo XV Das Infrações

Usar no veículo equipamento com som em volume ou frequência que não

sejam autorizados pelo CONTRAN:

Infração - grave;

Penalidade multa no valor de R$ 195,23

Medida administrativa - retenção do veículo para regularização.

Código da infração: 65300

7

PREENCHIMENTO DO AUTO

7 PREENCHIMENTO DO AUTO O preenchimento do auto de infração deve ser feito de forma normal,

O preenchimento do auto de infração deve ser feito de forma normal, baseada no Art. 228 do CTB, o diferencial será apenas no campo observações, onde o agente de segurança ao realizar o preenchimento do mesmo, deverá anotar a seguinte frase: “ SOM ALTO, AUDIVEL DO LADO EXTERNO DO VEICULO, EM AMBIENTE RESIDENCIAL ”. Esse ambiente mencionado na frase a ser colocado no campo observações, pode variar como escolar por exemplo.

O código da infração: 65300. (Base de consulta: INFRANOTE)

campo observações, pode variar como escolar por exemplo. O código da infração: 65300. (Base de consulta:

8

OBSERVAÇÕES GERAIS

Quando várias pessoas forem atingidas pela perturbação de sossego (e for possível determiná-las), há a necessidade de adoção de providências de polícia judiciária, com a elaboração do Termo Circunstanciado pela contravenção penal do artigo 42, inciso III, da Lei das Contravenções Penais (Decreto-lei n. 3.688/41);

Para a infração de trânsito, porém, não há a necessidade de ter um grupo de pessoas atingido pela perturbação, bastando até mesmo uma denúncia anônima; para que a conduta fique bem caracterizada, é IMPRESCINDÍVEL que o agente de trânsito anote, no campo de observações do auto de infração, o que constatou no local, como, por exemplo: “veículo com som alto, audível pelo lado externo, em local residencial”; “veículo com som alto, audível pelo lado externo, com aglomeração de várias pessoas ao redor, prejudicando a livre circulação e provocando tumulto na rua”; “veículo com som alto, audível pelo lado externo, com reclamações de moradores da vizinhança”; “veículo com equipamento de som na caçamba, audível pelo lado externo, em local não autorizado para exibições”, “veículo com porta-malas aberto e som alto, audível do lado externo, perturbando pedestres e demais condutores”, etc; além disso, se tiver dados de reclamantes, vale a pena lançar também no auto de infração;

A infração prevê a medida administrativa de retenção do veículo, sendo possível ao condutor SANAR a irregularidade no local da infração, o que ocorrerá com a simples decisão de abaixar o som; diante disso, o agente deve somente autuar o veículo, NÃO CABENDO remoção do veículo ao pátio, nem tampouco recolhimento do Certificado de Licenciamento Anual (muito menos recolhimento da aparelhagem);

A autuação pode ser feita tanto com o veículo em movimento, quanto estacionado e, sempre que possível, deve ser feita a abordagem (inclusive para constatar a perturbação do sossego público, bem como evitar a sua continuidade); entretanto, de acordo com o Volume I do Manual Brasileiro de Fiscalização de Trânsito, é possível autuar SEM A ABORDAGEM, principalmente quando da circulação do veículo, devendo o agente de trânsito

9

esclarecer, no campo de observações, o motivo pelo qual não foi realizada (por

exemplo: “não foi possível abordar, tendo em vista que o agente estava

empenhado na fiscalização de outro condutor, quando percebeu o veículo do

infrator, com som alto, audível pelo lado externo, perturbando pedestres e

condutores”);

Em locais de aglomeração pública, com concentração de pessoas, do

tipo “pancadão”, a autuação do artigo 228 pode ser feita cumulativamente com

outras duas autuações, conforme

I se o veículo estiver sendo usado para interromper, restringir ou perturbar a

circulação na via pública, ocorre a infração do artigo 253-A [códigos de

enquadramento 76171 (interromper), 76172 (restringir) e 76173 (perturbar)];

caso se constate quem é o organizador do evento, deve ser utilizado o código

de

II se o veículo estiver devidamente estacionado, o promotor ou participante do

evento organizado, sem permissão da autoridade competente, comete a infração

do artigo 174 [códigos de enquadramento 52582 (promover) ou 52662

(participar)].

Obs.: Se o veículo estiver bloqueando a via e participando do evento COM O

SOM ALTO, é possível elaborar as 3 autuações: artigo 253-A, artigo 174 e artigo

228, pois são infrações CONCOMITANTES.

IMPORTANTE: embora tais artigos prevejam a remoção do veículo e o

recolhimento do documento de habilitação, isto somente deve ocorrer SE NÃO

76090;

o

caso:

enquadramento

FOR SANADA A IRREGULARIDADE no local da infração; se o condutor (mesmo

que por determinação do agente) sanar a irregularidade, deve ser apenas

lavrada a autuação;

CTB

Art. 253-A.

Usar veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via:

Infração - gravíssima;

10

Penalidade - multa (trinta vezes), suspensão do direito de dirigir por doze meses e apreensão do veículo; Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação, remoção do veículo e proibição de receber incentivo creditício por dez anos para aquisição de veículos. (Incluído pela Medida Provisória nº 699/15)

§ 1º Aplica-se a multa agravada em cem vezes aos organizadores da conduta prevista no caput. (Incluído pela Medida Provisória nº 699/15)

§ 2º Aplica-se em dobro a multa em caso de reincidência no período de doze meses. (Incluído pela Medida Provisória nº 699/15)

Art. 253-A. Usar qualquer veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via sem autorização do órgão ou entidade de trânsito com circunscrição sobre ela:

Infração gravíssima. Penalidade multa (vinte vezes) e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses. Medida administrativa remoção do veículo.

§ 1º Aplica-se a multa agravada em 60 (sessenta) vezes aos organizadores da conduta prevista no caput.

§ 2º Aplica-se em dobro a multa em caso de reincidência no período de 12 (doze) meses.

§ 3º As penalidades são aplicáveis a pessoas físicas ou jurídicas que incorram

na infração, devendo a autoridade com circunscrição sobre a via restabelecer

de imediato, se possível, as condições de normalidade para a circulação na via. (Artigo 253-A incluído pela Lei n. 13.281/16)

Art. 174

Promover, na via, competição, eventos organizados, exibição e demonstração de perícia em manobra de veículo, ou deles participar, como condutor, sem permissão da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via:

Infração - gravíssima; Penalidade - multa (dez vezes), suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo; Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

§ 1º. As penalidades são aplicáveis aos promotores e aos condutores participantes.

11

§ 2º. - Aplica-se em dobro a multa prevista no caput em caso de reincidência no período de 12 (doze) meses da infração anterior. (Redação dada pela Lei nº 12.971, de 2014)

Art. 228

Usar no veículo equipamento com som em volume ou frequência que não sejam autorizados pelo CONTRAN:

Infração - grave; Penalidade - multa; Medida administrativa - retenção do veículo para regularização.

Fontes:

2º Ten QOC PM GARCIA - PMAL