Você está na página 1de 1

Pré-socráticos

Os filósofos pré-socráticos são, como sugere o nome, filósofos anteriores a Sócrates. Essa
divisão propriamente, se dá mais devido ao objeto de sua filosofia, em relação à novidade
introduzida por Platão, do que à cronologia - visto que, temporalmente, alguns dos ditos
pré-socráticos são contemporâneos a Sócrates, ou mesmo posteriores a ele (como no caso
de alguns sofistas).
Primeiramente, os pré-socráticos, também chamados naturalistas ou filósofos da physis
(natureza - entendendo-se este termo não em seu sentido corriqueiro, mas como
realidade primeira, originária e fundamental, ou o que é primário,fundamental e
persistente, em oposição ao que é secundário, derivado e transitório²), tinham como
escopo especulativo o problema cosmológico, ou cosmo-ontológico, e buscavam o
princípio (ou arché) das coisas.
Posteriormente, com a questão do princípio fundamental único entrando em crise, surge a
sofística, e o foco muda do cosmo para o homem e o problema moral.
Biografia e idéias de Sócrates
Sócrates nasceu em Atenas, provavelmente no ano de 470 aC, e tornou-se um dos
principais pensadores da Grécia Antiga. Podemos afirmar que Sócrates fundou o que
conhecemos hoje por filosofia ocidental. Foi influenciado pelo conhecimento de um outro
importante filósofo grego: Anaxágoras. Seus primeiros estudos e pensamentos discorrem
sobre a essência da natureza da alma humana.
Sócrates era considerado pelos seus contemporâneos um dos homens mais sábios e
inteligentes. Em seus pensamentos, demonstra uma necessidade grande de levar o
conhecimento para os cidadãos gregos. Seu método de transmissão de conhecimentos e
sabedoria era o diálogo. Através da palavra, o filósofo tentava levar o conhecimento
sobre as coisas do mundo e do ser humano.
Conhecemos seus pensamentos e ideias através das obras de dois de seus discípulos:
Platão e Xenofontes. Infelizmente, Sócrates não deixou por escrito seus pensamentos.
Sócrates não foi muito bem aceito por parte da aristocracia grega, pois defendia algumas
ideias contrárias ao funcionamento da sociedade grega. Criticou muitos aspectos da
cultura grega, afirmando que muitas tradições, crenças religiosas e costumes não
ajudavam no desenvolvimento intelectual dos cidadãos gregos.
Em função de suas ideias inovadoras para a sociedade, começa a atrair a atenção de
muitos jovens atenienses. Suas qualidades de orador e sua inteligência, também
colaboraram para o aumento de sua popularidade. Temendo algum tipo de mudança na
sociedade, a elite mais conservadora de Atenas começa a encarar Sócrates como um
inimigo público e um agitador em potencial. Foi preso, acusado de pretender subverter a
ordem social, corromper a juventude e provocar mudanças na religião grega. Em sua cela,
foi condenado a suicidar-se tomando um veneno chamado cicuta, em 399 AC.