Você está na página 1de 3

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARANÁ

COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - FORO


CENTRAL DE CURITIBA
1ª VARA CÍVEL DE CURITIBA - PROJUDI
Rua Cândido de Abreu, 535 - Centro Cívico - Curitiba/PR

Autos nº. 0015110-59.2016.8.16.0001

Processo:0015110-59.2016.8.16.0001
Classe Processual:Usucapião
Assunto Principal:Usucapião Extraordinária
Valor da Causa: R$55.000,00
Autor(s): ALICE YOCHIE YABUMOTO KATAYAMA
MARIO HIDEO KATAYAMA
Réu(s): ELIANE FERNANDES BUENO DE GODOY
Gilmar Bueno de Godoy

Trata-se de ação de Ação de Usucapião ajuizada por MARIO HIDEO KATAYAMA e


ALICE YOCHIE YABUMOTO KATAYAMA em face de ELIANE FERNANDES BUENOS DE GODOY e GILMAR
BUENO DE GODOY no bojo da qual a parte autora pretende a declaração, por parte deste Juízo, da
propriedade dos autores sobre o imóvel usucapiendo.

Os representantes da Fazenda Pública da União, do Estado e do Município


informaram não possuir interesse na causa (seq. 84.1, 83.1 e 98.1).

À seq. 72.1 houve a citação por edital dos eventuais interessados.

Não há necessidade de citação dos confrontantes no presente caso vez se


tratar de unidade autônoma de prédio em condomínio (art. 246, § 3º, do CPC/2015).

Foi interposta contestação à seq. 136.1, no bojo da qual os requeridos alegam


que são os legítimos proprietários do bem em comento e que enfrentam há mais de 10 (dez) anos
uma verdadeira jornada para a imissão de posse do referido imóvel. Altercam que a posse dos
autores está eivada de vício desde o começo, por não ser esta mansa, pacífica e nem justa.

À seq. 148.1 os requerentes impugnaram a contestação, reiterando os termos


lançados na peça inicial.

Intimadas para indicarem as provas que pretendem produzir, as partes


pugnaram pela produção de prova oral e testemunhal em audiência de instrução e julgamento.

É o breve relatório. Destarte, passo ao saneamento do feito.

2. As circunstâncias da causa evidenciam ser improvável composição


amigável entre as partes. Sem prejuízo, as partes poderão ofertar propostas de acordo por escrito
nos autos e até mesmo chegar a um acordo durante a instrução processual.

3. Inexistem preliminares a serem apreciadas, bem como não há questões


processuais pendentes. Presentes estão os pressupostos processuais de desenvolvimento válido e
regular do processo. Não há nulidades a serem reconhecidas.

Destarte, reputo saneado o feito.

4. Fixo como ponto controvertido o lapso temporal, a posse mansa, pacífica,


ininterrupta e o animus domini da autora sobre o imóvel usucapiendo.

5. À luz do ponto controvertido, defiro a produção das seguintes provas:

Pela parte autora(seq. 160.1): Defiro o pedido de prova oral consistente no


depoimento pessoal dos requeridos e na oitiva de testemunhas.

Pelo parte ré(seq. 162.1): Defiro o pedido de prova oral, concernente à oitiva de
testemunhas.

6. Sem prejuízo, à escrivania para que proceda a inclusão do presente feito na


pauta de audiências, certificando a data e horário que será realizada a instrução e julgamento.

7. Ao cartório para que proceda a intimação pessoal da parte autora e ré, nos
termos do art. 385, § 1° do CPC/2015, preferencialmente por correio, com aviso de recebimento (art.
274, CPC/2015), devendo constar da carta ou mandado que se presumirão confessados os fatos
contra si alegados caso não haja comparecimento ou haja recusa a depor (art. 385, § 1°, CPC/2015).

8. Cumpridas as diligências supra, intimem-se as partes para que apresentem


o rol de testemunhas, no prazo de 15 (quinze) dias (art. 357, § 4º do CPC/2015), sob pena de
preclusão, para posterior intimação com as advertências legais às expensas do advogado nos termos
do art. 455 do CPC/2015, chamando-se a atenção para o fato de que deverá ser apresentada a
pertinência da ouvida das testemunhas arroladas, bem como que deve ser observado o teor do art.
357, §§ 6º e 7º do CPC/2015.

8.1. Saliento que a carta de intimação (com aviso de recebimento), nos termos
do art. 455, caput e § 1º do CPC/2015, deverá constar o dia, hora e local de comparecimento, os
nomes das partes e a natureza da causa, assim como que se deixar de comparecer, sem motivo
justificado, será conduzida, respondendo pelas despesas do adiamento (art. 455, § 5º, do CPC/2015).

8.2. Deve, ainda, constar que a testemunha pode requerer ao juiz o pagamento
da despesa que efetuou para comparecimento à audiência, bem como que o comparecimento à
audiência não lhe poderá acarretar, no sistema da legislação trabalhista, perda de salário nem
desconto no tempo de serviço (art. 462 do CPC/2015).
Diligências necessárias.

Curitiba, data da assinatura digital.

Débora Demarchi Mendes de Melo

Juíza de Direito Substituta

III

Você também pode gostar