Você está na página 1de 79

Língua Portuguesa Professor André Moraes

1) SEMÂNTICA – é o estudo da significação das


palavras. 3) “Se (*) o ambiente de nossos melhores
laboratórios cria um cenário de Primeiro Mundo, (*) uma
SINONÍMIA – semelhança entre vocábulos. análise das estatísticas mostra um profundo fosso
existente”; Se colocássemos termos adequados em
Ex.: bela / bonita lugar dos (*), teríamos:
(A) por um lado / por outro lado;
ANTONÍMIA – “é a seleção de expressões linguísticas (B) antes / depois;
com traços semânticos opostos.” (C) a priori / a posteriori;
(D) deste modo / de outro modo;
Ex.: “Gelada no inverno, a praia de Garopaba oferece (E) pois / assim.
no verão uma das mais belas paisagens catarinenses.”
4) Sobrevida significa:
PARÔNIMOS – são palavras parecidas na grafia ou na (A) prolongamento da vida além do limite dado;
pronúncia, mas com significados diferentes. (B) qualidade de vida durante período de enfermidade;
(C) sofrimento derivado de estado doentio;
Ex.: retificar (corrigir) / ratificar (confirmar) (D) extensão da vida em estado vegetativo;
(E) prazo de sobrevivência reduzido após o diagnóstico
HOMÔNIMOS – palavras que podem ter a mesma de uma doença.
pronúncia ou grafia, mas significados diferentes.
5) O segmento inicial de nosso Hino Nacional diz o
Ex.: acento (sinal gráfico) / assento (local onde se senta) seguinte:

POLISSEMIA – capacidade que a palavra tem de Ouviram do Ipiranga as margens plácidas


assumir vários significados em contextos diferentes. De um povo heróico o brado retumbante

Ex.: cabeça (do prego / do alfinete / da turma – Se colocados na ordem direta, os termos desses dois
mudança de gênero) versos estariam assim dispostos:
(A) As margens plácidas do Ipiranga ouviram
DENOTAÇÃO – sentido real, dicionarizado. O brado retumbante de um povo heroico;
(B) As margens plácidas ouviram do Ipiranga
Ex.: A rosa é uma bela flor. O heroico brado retumbante de um povo;
(C) As margens plácidas do Ipiranga ouviram
CONOTAÇÃO – sentido figurado. O heroico brado retumbante de um povo;
(D) Do Ipiranga as margens plácidas ouviram
Ex.: A Rosa é uma flor. O brado retumbante de um povo heroico;
(E) Ouviram as margens plácidas do Ipiranga
QUESTÕES OBJETIVAS De um povo o heroico brado retumbante.

1) “Aparelhos que identificam mutações genéticas 6) “Discriminação” e “descriminação” são


nas células”; a alternativa abaixo que mostra uma forma parônimos; a alternativa em que se trocou a forma
de reescrever-se esta frase, com alteração de seu destacada pelo seu parônimo ou homônimo é:
sentido original, é: a) o afastamento do jogador racista é iminente;
(A) Aparelhos identificadores de mutações genéticas b) a injustiça do ato foi flagrante;
nas células; c) os negros sofrem discriminação, na Europa, por
(B) Mutações genéticas nas células são identificadas serem emigrantes;
por aparelhos; d) o jogador racista teve sua matrícula cassada;
(C) Aparelhos que identificam, nas células, mutações e) o jogador assistiu a uma sessão espírita.
genéticas;
(D) Aparelhos, nas células, que identificam mutações 7) “Havia controvérsias quanto à veracidade dos
genéticas; fatos”; a forma abaixo que ALTERA o sentido original
(E) São identificadas por aparelhos mutações genéticas desse segmento do texto é:
nas células. a) quanto à veracidade dos fatos, havia controvérsias;
b) em relação à veracidade dos fatos, existiam
2) A alternativa abaixo que apresenta um vocábulo controvérsias;
que NÃO pertence à mesma família de palavras dos c) no que diz respeito à veracidade dos fatos, havia
demais é: controvérsias;
(A) vidro – vidrado – envidraçar; d) afora a veracidade dos fatos, havia controvérsias;
(B) reação – reacionário – reagir; e) quanto à veracidade dos fatos, controvérsias havia.
(C) aparelho – aparelhado – emparelhar;
(D) equipamento – equipado – equipar;
(E) prestígio – prestigiado – prestigiar.

1
Língua Portuguesa Professor André Moraes

8) A relação adequada entre, respectivamente, Classificação dos vocábulos quanto ao número de


substantivo-adjetivo-verbo de uma mesma família de sílabas
palavras e de um mesmo campo semântico é:
a) média-mediático-remediar; 1)Monossílabos: vocábulos de uma sílaba. (pé, vi, já).
b) policial-policiamento-policiar; 2)Dissílabos: vocábulos de duas sílabas (cedo, aqui).
c) crime-criminoso-incriminar; 3)Trissílabos: vocábulos de três sílabas (beleza,
d) idade-idoso-identificar; saudade).
e) gravação-grave-agravar. 4)Polissílabos: vocábulos com mais de três sílabas
(colocação, pacificador).
9) O item em que a troca de posição entre
substantivo e adjetivo traz nítida modificação de sentido Tonicidade
é:
a) grau crescente; 1)Sílaba tônica: aquela pronunciada com mais
b) policiamento ostensivo; intensidade. Ex.: comida.
c) poder público; 2)Sílaba átona: a que se pronuncia de maneira menos
d) fartos investimentos; intensa. Ex.: beleza.
e) aplicação eficiente. 3)Sílaba subtônica: em palavra derivada, em cuja
primitiva era tônica. Ex.: cafezinho (fe).
10) Se trocarmos os substantivos e adjetivos abaixo
de posição, a alternativa em que há uma modificação de Posição da sílaba tônica
forma e sentido é: 1)Oxítonas: Sílaba tônica é a última (maré).
a) jogadores negros; 2)Paroxítonas: Sílaba tônica é a penúltima (doce).
b) momentos distintos; 3)Proparoxítonas: Sílaba tônica é a antepenúltima
c) sentimento negativo; (árvore).
d) opiniões inexatas;
e) disposição psicológica. Classificação dos fonemas

11) Em "D. Ínigo e seu pai ... passam as portas de As palavras da língua portuguesa podem apresentar
Toledo com a rapidez da frecha" (Alexandre Herculano, três tipos de fonemas: vogais, semivogais e
Lendas e Narrativas, II, p. 47) o vocábulo “frecha” pode consoantes.
também ser grafado corretamente “flecha”. Assinale o a) Vogal: São fonemas que saem livremente pelo canal
par em que há erro na proposta de segunda palavra. bucal. Ex.: CASEIRO
a) covarde - cobarde b) Consoantes: São fonemas produzidos com
b) quatorze - catorze obstáculos à passagem da corrente expiratória. Ex.:
c) cinquenta - cincoenta CASEIRO
d) transpassar - traspassar
e) camião - caminhão c) Semivogais: São as vogais i ou u , quando
acompanhadas de outra vogal na mesma sílaba,
12) A alternativa em que o vocábulo sublinhado tem formando, assim, um ditongo ou um tritongo. Ex.: A –
seu valor ERRADAMENTE indicado é: MEI – XA / OU – TRO.
a) “Entretanto, até o século XVIII” = oposição;
b) “assim, o pioneiro ciclo hidráulico” = modo; Encontros vocálicos
c) “surgiu em Londres” = lugar;
d) “em 1881” = tempo; Quando, em uma palavra, sons vocálicos (vogais e
e) “Mais tarde” = tempo. semivogais) aparecem um imediatamente após o outro,
dizemos que aí está ocorrendo um encontro vocálico.
2) NOÇÕES DE FONÉTICA Esses encontros classificam-se em: Ditongo, Tritongo
e Hiato.
Fonética é a parte da gramática que estuda os sons da
fala, em suas várias realizações. a) Ditongo: é a junção de vogal + semivogal (ou
semivogal + vogal) na mesma sílaba.
Fonemas
São as unidades sonoras mais simples da língua, ou Crescente: Quando a semivogal vem antes da vogal.
seja, os sons distintivos que entram na formação do Ex.: colégio;
vocábulo. Decrescente: Quando a vogal vem antes da semivogal.
Ex.: bola - cola Ex.: pai;
Letra
Representação gráfica do fonema. Oral: Quando a vogal e a semivogal são pronunciadas
somente pela boca. Ex.: pai;
Sílaba
Fonema ou grupo de fonemas emitidos de uma só vez. Nasal: Pronunciada parte pelo nariz e parte pela boca.
Ex.: a-ca-so / gru-po. Ex.: mãe.

2
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Quadro didático para identificação das vogais e 3) Paroxítonos: acentuam-se os terminados em L, N,


semivogais R, X, I, U, UM, UNS, PS, Ã, OM, ONS. Ex.: caráter, útil,
ônix, Hífen, ímã, táxi, álbum, bíceps, órfão.
A 4
O 3 NOTA: Acentuam-se também os paroxítonos
E 2 terminados em ditongo (quer crescentes ou
I/U 1 decrescentes). Ex.: série, tênue, úteis etc.

Ex.: 4) Proparoxítonas: todas são acentuadas. Ex.: sólido,


glória: i = 1, a = 4; de 1 para 4 houve um aumento, por fenômeno, seriíssimo etc.
isso, diz-se ditongo crescente.
Regras Especiais
pai: a = 4, i = 1; de 4 para 1 houve diminuição, ditongo
decrescente. 1. Os ditongos abertos ÉI, ÒI só serão acentuados
em monossílabos tônicos ou quando forem a
b) Tritongo: é o encontro de semivogal + vogal + sílaba tônica de palavras oxítonas.
semivogal , na mesma sílaba. Ex.: heróis, papéis, dói, etc.
Oral: quais, Uruguai, averiguei.
Nasal: enxáguam, saguão, saguões. Obs.: O ditongo aberto ÉU receberá acento gráfico
sempre que for tônico.
c) Hiato: encontros de vogais em sílabas separadas. Ex.: troféu, véu, etc.
Ex.: vi – ú – va, ra – iz , su – or .
2. Levará acento agudo a 2ª vogal do hiato, sendo
Encontros consonantais I ou U, tônica, seguida ou não de s.
Ex.: saída, saíste, juíza, aí, baú, balaústre, Grajaú.
Encontros de consoantes (duas ou mais), na mesma
sílaba (perfeitos – a última letra será l ou r), ou não Obs.:
(imperfeitos) 1) Quando seguidas do dígrafo nh ou acompanhadas de
outra letra, não são acentuadas: ra-i-nha, la-da-i-nha, ju-
Ex.: aplauso, ritmo, pneu, substância. iz

Obs.: Se o l ou r forem pronunciados separadamente, 2) Se as letras i e u aparecerem dobradas, não serão


não se tratará de encontro consonantal perfeito. É o acentuadas: va-di-i-ce
que se observa, por exemplo, em: sub-lin-gual, sub-le-
gen-da etc. 3) Quando antecedidas de ditongo, as letras i e u não
Dígrafos: é o conjunto de duas letras que representam serão acentuadas.
um único fonema. São dígrafos: rr, ss, sc, sç, xc, ch, Ex.: boiuna, etc.
nh, lh, gu e qu (quando o u não é pronunciado), am,
em, im, om, um. an, en, in, on, un. Estes últimos,  Se forem a tônica de palavras oxítonas, serão
formados por uma vogal e as letras m e n, são os acentudadas.
dígrafos vocálicos nasais. Ex.: Piauí, etc.

Divisão silábica
1)Separam-se os dígrafos (RR, SS, SC, SÇ, e XC). Ex.: 3. Não recebe acento circunflexo a 3ª pessoa do
car-ro, pas-so, cres-cer, des-ça, ex-ce-to. plural dos verbos VER, LER, CRER e DAR e de
seus derivados.
2)Não se separam os dígrafos (LH, NH e CH). Ex.: ra-i- Ex.: leem, veem, creem, deem, releem, reveem,
nha. descreem, etc.

3)Separam-se os hiatos. Ex.: gra-ú-do, ca-a-tin-ga. 4. Não recebe acento circunflexo o penúltimo O
fechado do hiato OO, seguido, ou não, de S,
nas palavras paroxítonas.
Ex.: perdoo, abençoo, voo, enjoos, etc.
3) ACENTUAÇÃO GRÁFICA
5. Acentua-se, com circunflexo, a 3ª pessoa do
Regras de acentuação: plural dos verbos TER e VIR e derivados.
1) Monossílabos tônicos:acentuam-se os terminados Ex.: ele tem/ eles têm; ele vem/ eles vêm; ele retém/
em A(s), E(s), O(s). Ex.: pá, pé, mês, dá-lo, pó. eles retêm.

2) Oxítonos: acentuam-se os terminados em A(s), E(s), Acentos diferenciais


O(s), EM(ens). Ex.: cajá, café, avô, alguém, armazéns,
contá-las. 1)Timbre: pôde ( pret. perf.) / pode ( pres.ind.)

3
Língua Portuguesa Professor André Moraes

 Facultativo - fôrma (susbst.) / forma (subst.; 3ª c) eficiência - próprio


pessoa do sing. do pres. do ind. ou 2ª pessoa d) escrúpulos - síntese
do sing. do imperativo afirmativo) e) heróis – bóia

2)Intensidade: 18) (TRE-MT) Segue a mesma regra de acentuação


de país a palavra:
pôr – verbo; a) saúde
por – preposição. b) aliás
c) táxi
O Trema d) grêmios
e) heróis
Só se conserva em palavras derivadas de nomes
próprios estrangeiros. 19) (TRE-ES) "Aí" é acentuada pelo mesmo motivo
de:
Ex: mülleriano, de Müller, etc. a) aquí
b) dá
Obs.: c) é
1. O U tônico dos grupos GUE, GUI, QUE, QUI não d) baú
receberá acento agudo. e) porém
Ex.: averigue, oblique, etc.
4) ORTOGRAFIA
QUESTÕES OBJETIVAS
PRINCIPAIS CASOS DE ORTOGRAFIA
13) (IBGE) O item em que o par de palavras NÃO
está acentuado em função da mesma regra USO DO S
ortográfica é: 1) Nos adjetivos terminados pelos sufixos -oso / -osa,
a) própria / advertências; indicadores de estado pleno, abundância.
Ex.: gostoso, cheirosa
b) farmácia / bactérias;
c) indústria / cálcio; 2) Nos sufixos -ês / -esa /-isa, indicadores de origem,
d) importância / raízes; título de nobreza ou profissão.
e) remédio / circunstância. Ex.: princesa, pitonisa

14) (CESCEM) Sob um ..... de nuvens, atracou no 3) Depois de ditongos.


..... o navio que trazia..... . Ex.: coisa, ousada
a) veu, porto, heroi
b) veu, pôrto, herói
c) véu, pôrto, herói 4) Nas derivadas de primitivas com s no radical
d) véu, porto, heroi
e) véu, porto, herói Ex.: mesada, gaseificar

15) (TRE-RJ) A alternativa que apresenta erro USO DO Z


quanto à acentuação em um dos vocábulos é: 1) Nos sufixos –ez / -eza, formadores de substantivos
a) lápis - júri abstratos a partir de adjetivos.
b) bônus - hífen Ex.: belo > beleza / pálido > palidez
c) ânsia - série
d) raízes – amável 2) No sufixo –izar, formador de verbos, quando a
e) Anhangabaú - bambú palavra primitiva não apresentar s no radical.
Ex.: urbano > urbanizar
16) (IBGE) Assinale a opção cuja palavra não deve Mas: análise > analisar
ser acentuada:
a) Todo ensino deveria ser gratuito. USO DO G
b) Não ves que eu não tenho tempo? 1) Nas palavras terminadas em –ágio / -égio / -ígio / -
c) É difícil lidar com pessoas sem carater. ógio / -úgio.
d) Saberias dizer o conteudo da carta? Ex.: estágio, relógio
e) Veranópolis é uma cidade que não para de crescer.
2) Nos substantivos terminados em –agem, -igem, -
17) (TRE-MT) A alternativa em que as duas ugem.
palavras acentuadas não seguem a mesma regra de Ex.: viagem (subst.), vertigem, ferrugem
acentuação é:
a) ninguém - também
b) dólar - pólo

4
Língua Portuguesa Professor André Moraes

USO DO J Obs.: Certos compostos, em relação aos quais se


1) Nas palavras de origem indígena perdeu, em certa medida, a noção de composição,
Ex.: jiló, jiboia, jenipapo grafam-se aglutinadamente: girassol, madressilva,
mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista, etc.
2) Nas palavras derivadas de primitivos com j no
radical. 2º)Emprega-se o hífen nos topônimos compostos,
Ex.: laranja > laranjeira / loja > lojista iniciados pelos adjetivos grã, grão ou por forma verbal
ou cujos elementos estejam ligados por artigo: Grã-
Bretanha, Grão-Pará; Abre-Campo; Passa-Quatro,
USO DO X Quebra-Costas, Quebra-Dentes, Traga-Mouros, Trinca-
1) Normalmente depois de ditongo. Fortes; Albergaria-a-Velha, Baía de Todos-os-Santos,
Ex.: caixa Entre-os-Rios, Montemor-o-Novo, Trás-os- Montes.

2) Depois de sílaba inicial en-. Obs.: Os outros topônimos compostos escrevem-se com
Ex.: enxada, enxurrada, enxoval os elementos separados, sem hífen: América do Sul,
Mas.: encher, enchente Belo Horizonte, Cabo Verde, Castelo Branco, Freixo de
Espada à Cinta, etc. O topônimo Guiné-Bissau é,
3) Depois da sílaba me-. contudo, uma exceção consagrada pelo uso.
Ex.: mexer, mexerica
Mas.: mecha, mechar 3º)Emprega-se o hífen nas palavras compostas que
designam espécies botânicas e zoológicas, estejam ou
não ligadas por preposição ou qualquer outro elemento:
USO DO E E DO I abóbora-menina, couve-flor, erva-doce, feijão-verde;
1) Os verbos terminados em –uar são escritos com a benção-de-deus, erva-do-chá, ervilha-de-cheiro, fava-
letra e nas formas do presente do subjuntivo. de-santo-inácio; bem-me-quer (nome de planta que
2) Os verbos terminados em –uir são escritos com a também se dá à margarida e ao malmequer); andorinha-
letra i na segunda e na terceira pessoa do singular do grande, cobra-capelo, formiga-branca; andorinha-do-
presente do indicativo. mar, cobra-d’água, lesma-de-conchinha; bem-te-vi
(nome de um pássaro).
USO DO SS
1) Nas derivadas de verbo cujo radical termine por CED, 4º)Emprega-se o hífen nos compostos com os advérbios
GRED, MET, PRIM. bem e mal, quando estes formam com o elemento que
Ex.: ceder > cessão / remeter > remessa / regredir > se lhes segue uma unidade sintagmática e semântica e
regressão / imprimir > impressão. tal elemento começa por vogal ou h. No entanto, o
2) Se o verbo terminar em TIR, a palavra derivada será advérbio bem, ao contrário do mal, pode não se
grafada com SS. aglutinar com palavras começadas por consoante. Eis
Ex.: permitir > permissão alguns exemplos das várias situações: bem-aventurado,
bem-estar, bem-humorado; mal-afortunado, mal-estar,
USO DO Ç mal-humorado; bem-criado (cf. malcriado), bem-ditoso
Nas derivadas do verbo TER. (cf. malditoso), bem-falante (cf. malfalante), bem-
Ex.: reter > retenção mandado (cf. malmandado), bem-nascido (cf.
USO DO S malnascido), bemsoante (cf. malsoante), bem-visto (cf.
Nas derivadas de verbo cujo radical termine por RG ou malvisto).
ND.
Ex.: defender > defesa / emergir > emersão Obs.: Em muitos compostos, o advérbio bem aparece
aglutinado com o segundo elemento, quer este tenha ou
5) EMPREGO DO HÍFEN não vida à parte: benfazejo, benfeito, benfeitor,
benquerença, etc.
1º)Emprega-se o hífen nas palavras compostas por
justaposição que não contêm formas de ligação e cujos 5º)Emprega-se o hífen nos compostos com os
elementos, de natureza nominal, adjetival, numeral ou elementos além, aquém, recém e sem: além-Atlântico,
verbal, constituem uma unidade sintagmática e além-mar, além-fronteiras; aquém-mar, aquém-
semântica e mantêm acento próprio, podendo dar-se o Pirenéus; recém-casado, recém-nascido; sem-
caso de o primeiro elemento estar reduzido: ano-luz, cerimônia, sem-número, sem-vergonha.
arcebispo-bispo, arco-íris, decreto-lei, és-sueste,
médico-cirurgião, rainha-cláudia, tenente-coronel, tio- 6º)Nas locuções de qualquer tipo, sejam elas
avô, turma-piloto; alcaide-mor, amor-perfeito, guarda- substantivas, adjetivas, pronominais, adverbiais,
noturno, mato-grossense, norte-americano, porto- prepositivas ou conjuncionais, não se emprega em geral
alegrense, sul-africano; afro-asiático, afro-luso- o hífen, salvo algumas exceções já consagradas pelo
brasileiro, azul-escuro, luso-brasileiro, primeiro-ministro, uso (como é o caso de água-de-colônia, arco-da-velha,
primeiro-sargento, primo-infeção, segunda-feira; conta- cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-
gotas, finca-pé, guarda-chuva.

5
Língua Portuguesa Professor André Moraes

dará, à queima-roupa). Sirvam, pois, de exemplo de b)Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo
emprego sem hífen as seguintes locuções: termina na mesma vogal com que se inicia o segundo
elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar,
a)Substantivas: cão de guarda, fim de semana, sala de supra-auricular; arqui-irmandade, auto-observação,
jantar; eletro-ótica, micro-onda, semi-interno.

b)Adjetivas: cor de açafrão, cor de café com leite, cor de Obs.: Nas formações com o prefixo co-, este aglutina-se
vinho; em geral com o segundo elemento mesmo quando
iniciado por o: coobrigação, coocupante, coordenar,
c)Pronominais: cada um, ele próprio, nós mesmos, cooperação, cooperar, etc.
quem quer que seja;
c)Nas formações com os prefixos circum- e pan-,
d)Adverbiais: à parte (note-se o substantivo aparte), à quando o segundo elemento começa por vogal, m ou n
vontade, de mais (locução que se contrapõe a de (além de h, caso já considerado atrás na alínea a):
menos; note-se demais, advérbio, conjunção, etc.), circum-escolar, circum-murado, circum-navegação; pan-
depois de amanhã, em cima, por isso; africano, pan-mágico, pan-negritude.

e)Prepositivas: abaixo de, acerca de, acima de, a fim de, d)Nas formações com os prefixos hiper-, inter- e super-,
a par de, à parte de, apesar de, aquando de, debaixo quando combinados com elementos iniciados por r:
de, enquanto a, por baixo de, por cima de, quanto a; hiper-requintado, inter-resistente, super-revista.

f)Conjuncionais: a fim de que, ao passo que, contanto e)Nas formações com os prefixos ex- (com o sentido de
que, logo que, por estado anterior ou cessamento), sota-, soto-, vice- e
conseguinte, visto que. vizo-: ex-almirante, ex-diretor, ex-hospedeira, ex-
presidente, ex-primeiro-ministro, ex-rei; sota-piloto, soto-
7º)Emprega-se o hífen para ligar duas ou mais palavras mestre, vice-presidente, vice-reitor, vizo-rei.
que ocasionalmente se combinam, formando, não
propriamente vocábulos, mas encadeamentos f)Nas formações com os prefixos tônicos acentuados
vocabulares (tipo: a divisa Liberdade-Igualdade- graficamente pós-, pré- e pró- quando o segundo
Fraternidade, a ponte Rio-Niterói, o percurso Lisboa- elemento tem vida à parte (ao contrário do que acontece
Coimbra-Porto, a ligação Angola-Moçambique), e bem com as correspondentes formas átonas que se
assim nas combinações históricas ou ocasionais de aglutinam com o elemento seguinte): pós-graduação,
topônimos (tipo: Áustria-Hungria, Alsácia-Lorena, pós-tônicos (mas pospor); pré-escolar, pré-natal (mas
Angola-Brasil, Tóquio- Rio de Janeiro, etc.). prever); pró-africano, pró-europeu (mas promover).

Do hífen nas formações por prefixação, 2º)Não se emprega, pois, o hífen:


recomposição e sufixação
a)Nas formações em que o prefixo ou falso prefixo
1º)Nas formações com prefixos (como, por exemplo: termina em vogal e o segundo elemento começa por r
ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, ou s, devendo estas consoantes duplicar-se, prática
infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supr-, aliás já generalizada em palavras deste tipo
ultra-, etc.) e em formações por recomposição,isto é, pertencentes aos domínios científico e técnico. Assim:
com elementos não autônomos ou falsos prefixos, de antirreligioso, antissemita, contrarregra, comtrassenha,
origem grega e latina (tais como: aero-, agro-, arqui-, cosseno, extrarregular, infrassom, minissaia, tal como
auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, biorritmo, biossatélite, eletrossiderurgia, microssistema,
micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, microrradiografia.
retro-, semi-, tele-, etc.), só se emprega o hífen nos
seguintes casos: b)Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo
termina em vogal e o segundo elemento começa por
a)Nas formações em que o segundo elemento começa vogal diferente, prática esta em geral já adotada
por h: anti-higiênico, circum-hospitalar, co-herdeiro, também para os termos técnicos e científicos. Assim:
contra-harmônico, extra-humano, pré-história, sub- antiaéreo, coeducação, extraescolar; aeroespacial,
hepático, super-homem, ultra-hiperbólico; arqui- autoestrada, autoaprendizagem, agroindustrial,
hipérbole, eletro-higrómetro, geo-história, neo-helênico, hidroelétrico, plurianual.
pan-helenismo, semi-hospitalar.
3º)Nas formações por sufixação apenas se emprega o
Obs.: Não se usa, no entanto, o hífen em formações que hífen nos vocábulos terminados por sufixos de origem
contêm em geral os prefixos des- e in- e nas quais o tupi-guarani que representam formas adjetivas, como
segundo elemento perdeu o h inicial: desumano, açu, guaçu e mirim, quando o primeiro elemento acaba
desumidificar, inábil, inumano, etc. em vogal acentuada graficamente ou quando a
pronúncia exige a distinção gráfica dos dois elementos:
amoré-guaçu, anajá-mirim, andá-açu, capim-açu, Ceará-

6
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Mirim. 26) (TRE-RJ) Pronunciam-se corretamente, com o e


e abertos (ó / é), como “povos” e “servo”, as seguintes
(Nota – O emprego do hífen é cópia integral do Novo palavras:
Acordo Ortográfico) a) inodoros / indefeso
b) fornos / obsoleto
QUESTÕES OBJETIVAS c) caroços / adrede
d) gostos / destro
20) (TRE) Pesquisa é vocábulo grafado com S, e) globos / coeso
como se pode ver no texto; o item em que há um
vocábulo erradamente grafado com essa letra é: 27) (TRE-RJ) “os puritanos passaram a enxergar a
a) paralisia / análise / atraso; opulência como manifestação exterior da bênção divina
b) gasoso / baronesa / arrasar; e não como um desvario cúpido.” Há palavras que se
c) besouro / adeusinho / bis; opõem pela posição da sílaba tônica: cúpido
d) brasão / freguês / guloseima; (proparoxítona) e cupido (paroxítona). A alternativa em
e) marquês / pesadelo / anõesinhos. que a diferença de posição do acento tônico caracteriza
oposição entre duas palavras, não se tratando de
21) (TRE) Como se pode ver no texto, variações de uma mesma palavra, é:
obscenamente é um vocábulo grafado com SC; o item a) hieróglifo / hieroglifo
abaixo em que um dos vocábulos está erroneamente b) projétil / projetil
grafado é: c) homília / homilia
a) ressuscitar / ascensão / piscina; d) Oceânia / Oceania
b) adolescente / discente / indescente; e) ímpio / impio
c) convalescer / crescer / rescindir;
d) abscesso / florescente / transcender; 28) (TRE-MT) A grafia da palavra sublinhada está
e) renascença / piscicultura / miscelânea. incorreta em:
a) Pelé é uma exceção entre os ministros.
22) (IBGE) Entre as opções abaixo, somente uma b) A pretensão maior do novo ministro é levar a prática
completa corretamente as lacunas apresentadas a esportiva ao país inteiro.
seguir. Assinale-a: Na cidade carente, os .......... c) É preciso analisar com cuidado os planos do
resolveram .......... seus direitos, fazendo um .......... Governo.
assustador. d) Nosso time jogou muito mal.
a) mendingos; reivindicar; rebuliço e) Ele não quis traser a pasta.
b) mindigos; reinvidicar, rebuliço
c) mindigos; reivindicar, reboliço 29) (TRT) A .................... ficará ................... se não
d) mendigos; reivindicar, rebuliço se proceder a ................... destes fatos.
e) mendigos; reivindicar, reboliço a) pesquiza - paralizada - análise
b) pesquisa - paralizada - análise
23) (TRE-SP) Foram insuficientes as ....... c) pesquisa - paralisada - análize
apresentadas, ....... de se esclarecerem os ...... . d) pesquiza - paralisada - análise
a) escusas - a fim - mal-entendidos e) pesquisa - paralisada - análise
b) excusas - afim - mal-entendidos
c) excusas - a fim - malentendidos 6) CLASSES DE PALAVRAS
d) excusas - afim - malentendidos
e) escusas - afim - mal-entendidos I-Artigo: São as palavras O e UM, com suas flexões,
que sempre antecedem os substantivos, designando
24) (TRE-SP) Este meu amigo .......... vai ..........-se seres determinados ou indeterminados.
para ter direito ao título de eleitor. Ex: o amante, a menina
a) extrangeiro - naturalizar
b) estrangeiro - naturalisar Na sintaxe, é sempre adjunto adnominal.
c) extranjeiro - naturalizar
d) estrangeiro - naturalizar II-Numeral: É a palavra que indica números.
e) estranjeiro - naturalisar
1) cardinal: O número certo de seres.
25) (TTN) Assinale a alternativa em que todas as Ex.: um, dois, dez, mil.
palavras estão corretamente grafadas: 2) ordinal: palavra que estabelece uma ordem.
a) quiseram, essência, impecílio Ex.: segundo, terceiro, milésimo.
b) pretencioso, aspectos, sossego
c) assessores, exceção, incansável 3) multiplicativo: palavra que indica uma multiplicação.
d) excessivo, expontâneo, obseção Ex.: sêxtuplo, undécuplo, cêntuplo.
e) obsecado, reinvidicação, repercussão
4) fracionário: palavra que indica uma fração.
Ex.: um terço, dois terços.

7
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Numeral adjetivo – acompanha um substantivo. Obs.: Existem substantivos que são masculinos ou
femininos, conforme o sentido com que se acham
Ex.: Vendi dois livros hoje. empregados.
Ex.: o banana (palerma, imbecil), a banana (fruto), o
Numeral substantivo – substitui um substantivo grama (medida de massa), a grama (capim), o moral
(estado de espírito), a moral (ética; conclusão), etc.
Ex.:
- Vai comprar um relógio? Número: singular ou plural. Casos mais importantes:
- Já tenho dois.
a) Acrescenta-se S, na maioria dos casos.
III- Substantivo: É o nome com que designamos os Ex.: filho – filhos, casa – casas
seres em geral.
Ex.: carro, casa, mulher, pássaro. b) Substantivos terminados em –r, -z e alguns em –n:
acrescenta-se es.
O substantivo pode ser: Ex.: mar – mares, giz – gizes, pólen – pólenes

1) Concreto: ser de existência independente. Pode ser c) Substantivos em –il:


real ou fictício.
Ex.: mesa, cadeira, cuca, fada. Os oxítonos trocam o –l por –s: canil - canis, anil -
anis.
2) Abstrato:depende de outros seres para existir.
Designam sentimentos, ações, estados e qualidades. Os paroxítonos trocam o –il por –eis: fóssil/fósseis,
Ex.: morte, dor, canto, tristeza, beleza, etc. réptil/répteis

3) Comum: refere-se a toda uma espécie, sem substantivos em –el:


individualizar.
Ex.: homem, mulher, país. terminação –el tônica = -éis: anel – anéis, tonel –
tonéis
4) Próprio: refere-se a um único ser em especial. Ex.:
Jonas, Helena, Brasil. terminação –el átona = eis : incrível – incríveis
Vocábulos com deslocamento do acento tônico:
5) Coletivo: refere-se a uma pluralidade de indivíduos
da mesma espécie. caráter – caracteres , espécimen – especímenes, júnior
Ex.: réstia, de cebolas, de alhos – vara, de porcos – – juniores, Júpiter- Jupíteres, Lúcifer – Lucíferes, sênior
cáfila, de camelos – seniores.

Flexão do substantivo: Nomes que não variam: o/os lápis, o/os tórax etc.

1) Gênero: Substantivos só usados no plural: os anais, as


masculino: réu, maestro, marajá, etc. exéquias, as fezes, os óculos, os pêsames etc.

feminino : ré, maestrina, marani, etc. Plural com metafonia: palavras que no singular têm
“o” fechado, passam a ter, no plural, o “o” aberto.
comum-de-dois: possui uma só forma para os dois Ex.: destroço (ô)/ destroços ( ó), forno (ô)/ fornos (ó),
gêneros. troco(ô)/trocos(ó) etc.
Ex.: (o/a) fã, (o/a) infante, (o/a) atleta, etc.
Plural dos nomes terminados em –zinho: os dois
sobrecomum:único gênero para designar os dois elementos vão ao plural e suprime-se o –s do nome.
sexos. Ex.: azulzinho = azuizinhos ( azuis + zinhos)
Ex.: o dedo-duro, o pivô, a sentinela, etc. Mas: rapazinhos; onibusinhos.
epiceno: a especificação é feita mediante o uso das
palavras macho ou fêmea.
Ex.: o jacaré macho, o jacaré fêmea, a barata macho, a Nomes em – ão:
barata fêmea, etc. ões: é o grupo mais numeroso: canções, tensões,
inscrições, etc.
Gêneros que podem oferecer dúvida:
São masculinos: o açúcar, o estigma, o gambá, o dó, o ãos: todos os paroxítonos e alguns monossílabos e
axioma, o eclipse, etc. oxítonos: bênçãos, órfãos, sótãos, chãos, cidadãos.

São femininos: a bacanal, a mascote, a omoplata, a ães: compõem um número reduzido: alemães,
patinete, a grafite, etc. escrivães, sacristães, tabeliães.

8
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Obs.: Não há ainda uma forma de plural Flexão dos adjetivos


definitivamente fixada para alguns substantivos
terminados –ão. Gênero: concorda em gênero com o substantivo a que
se refere.
Refrão- refrãos/ refrães Ex.: homem feliz / mulher feliz, (UNIFORME)
Verão- verões/ verãos homem alto / mulher alta. (BIFORME)
Charlatão – charlatões/ charlatães
Corrimão – corrimãos / corrimões Flexão de número dos adjetivos compostos
Guardião- guardiões/ guardiães
Anão- anões/ anãos a) Somente o último vai ao plural quando formado de
Vulcão- vulcões/ vulcãos adj.+adj.
Aldeão – aldeões/ aldeãos/ aldeães Ex.: Amizades luso-brasileiras, olhos castanho-claros /
Ancião – anciões/ anciãos/ anciães Problemas sócio-econômicos
Ermitão- ermitões/ ermitãos/ ermitães
Vilão- vilões/ vilãos/ vilães b) Não variam os compostos formados de adj.+subst.
Sultão – sultões/ sultãos/sultães ou subst.+adj. .
Ex.:Blusas verde-garrafa, vestidos amarelo-ouro,
Plural dos compostos tecidos verde-limão.

1) Os dois elementos variam: substantivo mais palavra Grau dos Adjetivos


variável (adjetivo, substantivo, numeral ou pronome)
Ex.: guarda-civil – guardas-civis; cirurgião-dentista - 1) Comparativo
cirurgiões-dentistas; segunda-feira- segundas-feiras etc. a) igualdade
Ex.: És tão inteligente quanto ela.
2) Só o primeiro varia: se houver preposição, clara ou
oculta, ou se o segundo elemento exprimir fim, b) inferioridade
semelhança, ou tipo. Ex.: És menos inteligente do que ela.
Ex.: pés-de-moleque, cavalos-vapor, navios-escola,
bananas-maçã etc. c) superioridade
Ex.: És mais inteligente do que ela.
3) Somente o último varia:
a) com as formas reduzidas grão, grã e bel e nas 2) Superlativo
palavras repetidas. a) absoluto sintético
Ex.: grão-duques, grã-cruzes, bel-prazeres, reco-recos, Ex.: És belíssima.
tique-taques, corre-corres (ou corres-corres) etc.
b) absoluto analítico
b) nos compostos formados de verbo ou palavra Ex.: És muito bela.
invariável.
Ex.: beija-flores, vice-diretores, ave-marias etc. c) relativo de superioridade
Ex.: És a mais bela da rua.
4) Frases substantivadas: ficam invariáveis.
Ex.: os disse-me-disse, os sem-terra. d) relativo de inferioridade
Ex.: És a menos bela da rua.
Observações:
COMPARATIVOS E SUPERLATIVOS IRREGULARES
Padre-nosso – padres-nossos ou padre-nossos
ADJETIVO / SUPERLATIVO COMPARATIVO SUPERLATIVO
forma ABSOLUTO DE RELATIVO
Pai-nosso - pais-nossos ou pai-nossos normal SUPERIORIDAE

BOM ÓTIMO MELHOR O MELHOR


Fruta-pão - frutas pães ou frutas-pão MAU PÉSSIMO PIOR O PIOR
Guarda-marinha – guardas-marinhas ou guardas- GRANDE
PEQUENO
MÁXIMO
MÍNIMO
MAIOR
MENOR
O MAIOR
O MENOR
marinha
IV - Adjetivo

“É a expressão modificadora do substantivo que denota V - PRONOME é a palavra que determina o substantivo
qualidade, condição ou estado de um ser.” ( Evanildo (como se fosse um adjetivo) ou ocupa lugar do próprio
Bechara) substantivo. Daí, pronome adjetivo e pronome
Ex.: aluno inteligente; céu azul. substantivo.

Locução adjetiva: grupo de duas ou mais palavras Ex.: Todas saíram cedo. (As meninas saíram cedo.) /
com valor de adjetivo. Ex: Ar do campo, águas da Meu caderno custou caro.
chuva, blusão de couro, azul do céu.

9
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Classificações dos pronomes Abreviaturas Tratamento Usado para:


V. S. Vossa Santidade Papa
V. M. Vossa Majestade Reis ou rainhas
Pessoais, possessivos, demonstrativos, indefinidos, V. A. Vossa Alteza Príncipes ou
interrogativos e relativos. princesas
V. Ema. Vossa Eminência Cardeais
(1) Pessoais: V. Mag.ª Vossa Magnificência Reitores das
Universidades
V. Revma. Vossa Sacerdotes em
Designam as três pessoas do discurso. Classificam-se Reverendíssima geral
em Retos e Oblíquos. V. Exa. Vossa Excelência Altas autoridades
V. S.ª Vossa Senhoria Oficiais até coronel,
Retos: funcionam como sujeito ou predicativo: funcionários
graduados, e
principalmente na
Pessoas do discurso (singular) linguagem
eu – 1ª pessoa comercial.
tu – 2ª pessoa
ele, ela – 3ª pessoa Obs.: Quando se fala de alguém, a forma pronominal
usada será Sua em lugar de Vossa.
Pessoas do discurso (plural)
nós – 1ª pessoa (2) Possessivos:
vós – 2ª pessoa
eles, elas – 3ª pessoa Indicam a posse em referência às três pessoas do
discurso:
Ex.:Tu não és eu. / Ele foi à feira.
1ªpessoa: meu(s), minha(s), nosso(s), nossa(s)
Oblíquos: funcionam, geralmente, como complemento 2ªpessoa: teu(s), tua(s), vosso(s), vossa(s)
(obj.dir., obj.ind., compl.nom.) ou adjunto. 3ªpessoa: seu(s), sua(s)

Ex.: Vi-o na rua. / Respondi-lhe educadamente. / A Obs.: Os pronomes átonos podem ser usados com
decisão lhe foi favorável. valor possessivo:
Ex.: Beijou-me a mão
Roubaram-lhe a carteira.
Retos Oblíquos Oblíquos tônicos
átonos (3) Demonstrativos:
1ª pess. sing.: eu me mim, comigo
2ª pess. sing.: tu te ti, contigo
3ª pess. sing.: ele, ela se, lhe, o, a si, consigo Indicam a posição, no espaço ou no tempo, dos seres,
em relação às três pessoas do discurso: este, esse,
1ª pess. pl.: nós nos conosco aquele (e flexões); isto, isso, aquilo.
2ª pess. pl.: vós vos convosco
3ª pess. pl.: eles, elas se, lhes, os, as si, consigo Obs.: O pronome o (a, os, as) é demonstrativo quando
aparece junto ao relativo que ou da preposição de,
Observações: equivalendo a aquele (aquela, aquilo).
Os pronomes oblíquos podem ser, ainda, reflexivos e Ex.: Fiz os que você me mandou. / Prefiro o da direita.
recíprocos.
Obs.: Aparecem ainda como demonstrativos os
Reflexivos: vocábulos tal, mesmo, próprio e semelhante.
Referem-se à mesma pessoa, correspondendo a a mim
mesmo, a si mesmo etc. Ex.: Estamos no mesmo lugar. (Idêntico lugar) / Tal
Ex.: Eu me cortei. / Ele se feriu. / Ele fala de si mesmo.. atitude não se esperava dele. (Essa atitude)
/ Trazia consigo as lembranças do passado.
(4) Indefinidos:
Recíprocos:
Indicam idéia mútua, recíproca, correspondendo a um Têm sentido vago ou indeterminado. Aplicam-se à 3ª
ao outro. pessoa do discurso: algum, nenhum, muito, pouco,
Ex.: Eles se abraçaram. bastante, todo, certo, tudo, nada, alguém, ninguém,
cada, outrem, quanto, qualquer, algo, vários, etc.
Pronomes de Tratamento Ex.: Ele tem muito dinheiro. / Ele tem muitas mulheres.
Certos vocábulos ou locuções valem por pronomes Locuções pronominais indefinidas: cada qual, cada
pessoais. São os pronomes pessoais de tratamento. um, o que quer que seja, seja quem for, qualquer um,
Referem-se à segunda pessoa, mas o verbo e os etc.
pronomes correspondentes vão para a 3ª pessoa.

10
Língua Portuguesa Professor André Moraes

(5) Interrogativos: 6. COMPLEMENTO NOMINAL:

São os pronomes indefinidos que, quem, qual e Lembrava-me de que deixara toda a minha vida ao
quanto, usados nas interrogações (diretas ou indiretas). acaso e que não pusera ao estudo e ao trabalho com a
Ex.: Quem vai à praia? / Desejo saber quem vai à praia. força de que era capaz.
(L. Barreto, REIC, 287.)

Obs.: O interrogativo que pode vir precedido de o.


Ex.: Que quer? O que quer? [de que = complemento nominal de capaz].

(6) Relativos: 7. ADJUNTO ADVERBIAL:


Referem-se a um termo anterior chamado antecedente Entrava-se de barco pelo corredor da velha casa de cô-
(um substantivo ou pronome substantivo). Exs.: que, modos onde eu morava.
quem, o qual, os quais, a qual, as quais, cujo, cuja, (M. Quintana, P, 92.)
cujos, cujas, onde, quanto
Ex.: Não conhecemos os autores que morreram. [onde = adjunto adverbial de morava].

O antecedente do pronome relativo pode ser:


substantivo, pronome, adjetivo, advérbio, oração 8. AGENTE DA PASSIVA:
(resumida pelo demonstrativo o).
- Sim, sua adorável pupila, a quem amo, a quem idolatro
e por quem sou correspondido com igual ardor!
Função sintática dos pronomes relativos
(A. Azevedo)
1. SUJEITO:
[por quem = agente da passiva do verbo corresponder]
Quero ver do alto o horizonte,
Que foge sempre de mim.
VI - VERBO
(O. Mariano, TVP, 11, 434.)
[que = sujeito de foge]. Palavra que exprime estado, ação, fenômeno,
apresentando as categorias de modo, tempo, número,
pessoa e voz. Sintaticamente, o verbo é
2. OBJETO DIRETO: obrigatoriamente predicado. Apresenta-se nas três
- Já não se lembra da picardia que me fez? conjugações:
(A. Ribeiro, M. 67.) 1ªconjugação (AR)
2ªconjugação (ER)
[que = objeto direto de fez].
3ªconjugação (IR)
1) Pessoas: são três
a) A primeira (eu / nós) é aquela que fala.
3. OBJETO INDIRETO:
Eu aguardava com uma ansiedade medonha esta cheia b) A segunda (tu / vós) é aquela com quem se fala.
de que tanto se falava.
(J. Lins do Rego, ME, 58.) c) A terceira (ele / eles) é aquela de quem se fala.

[de que = objeto indireto de se falava). Formas rizotônicas são aquelas cujo acento tônico
4. PREDICATIVO: recai no radical.
Ex.: cant o, cant as, cant a, cant am
Não conheço quem fui no que hoje sou.
(F. Pessoa, OP, 91.) Formas arrizotônicas são aquelas cujo acento tônico
recai fora do radical.
[quem e que = predicativos do sujeito eu, oculto]. Ex.: cant amos, cant ais

5. ADJUNTO ADNOMINAL: 2) Modo: São três os modos em português:

Há pessoas cuja aversão e desprezo honram mais que Indicativo: apresenta o fato de maneira real. Ex.: ando,
os seus louvores e amizade. falei, irás
(Marquês de Maricá, M,
223.) Subjuntivo: apresenta o fato de maneira duvidosa,
possível. Ex.: que eu estude, se eu corresse, quando
[cujo = adjunto adnominal. de aversão e desprezo, mas nós sairmos
em concordância apenas com o primeiro substantivo, o
mais próximo].

11
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Imperativo: apresenta o fato como objeto de uma Impessoal: Exprime a ação de maneira vaga. É o nome
ordem, um pedido, um convite. Ex.: faça o exercício, do verbo.
saia, espere
Pessoal: É o infinitivo ligado às pessoas do discurso.
3)Tempos: indica o momento em que se dá o fato
expresso pelo verbo. 2. Locução verbal: conjunto formado por verbo auxiliar
(INDICATIVO, IMPERATIVO, SUBJUNTIVO,
a) No INDICATIVO temos: INFINITIVO ou GERÚNDIO) mais verbo principal
(INFINITIVO, GERÚNDIO, PARTICÍPIO).
Presente: fato que ocorre no momento em que se fala.
Ex.: Estudo muito ultimamente. Ex.: Ele terá de sair agora. / Maria está estudando
para o concurso. / Nós tínhamos estudado as lições.
Pretérito perfeito: fato realizado, concluso. Ex.: Escrevi
a carta. 5) Vozes do verbo: São três as vozes do verbo: Ativa,
passiva e reflexiva.
Imperfeito: fato realizado, inconcluso. Ex.: Quando
você chegou, eu escrevia uma carta. a) Ativa: O sujeito pratica a ação. Ex: Carolina pintou o
quarto.
Mais-que-perfeito: fato realizado antes de outro fato b) Passiva: O sujeito sofre a ação. Ex: O campeonato
passado. Ex.: Quando você chegou, eu escrevera a foi ganho pelo Flamengo.
carta. c) Reflexiva: O sujeito pratica e sofre a ação. Ex: O
menino cortou-se com a faca.
Futuro
Obs.: A voz passiva pode ser: analítica ou sintética.
Presente: fato que deverá ser realizado posteriormente
ao momento da fala. Ex.: Estaremos lá na próxima 1) Analítica: formada pelos auxiliares (ser, estar, ficar)
semana. mais verbo principal no particípio.
Ex.: Aquelas pessoas foram enganadas pelo
Pretérito: Fato posterior a um momento passado, ou impostor.
que seria realizado, mas não se efetuou. Pode indicar
também incerteza, polidez, cortesia, fato futuro 2) Sintética: formada com acréscimo do pronome “se” a
dependente de certa condição. Ex.: Eles disseram que um verbo transitivo (direto ou direto e indireto). Ex.:
me perdoariam. / Compraria ele aquela casa? / Vendem-se livros. / Deu-se à poesia o nome de
Poderia emprestar-me o livro? Primeiros Cantos.
b) No SUBJUNTIVO temos:
Classificação do verbo quanto à conjugação
Presente: Um fato atual exprimindo possibilidade. Ex.:
Talvez chova. a) Regular: conserva o mesmo radical. As desinências
Imperfeito: Um fato passado dependente de outro fato seguem o paradigma da conjugação. Ex: amar, beber,
passado. Ex.: Se ele vendesse o imóvel, ficaria mais partir.
tranquilo.
Futuro: Um fato futuro relacionado a outro fato futuro. b) Irregular: é o verbo que sofre alterações no radical
Ex.: Entrarei em contato quando você voltar. ou nas desinências. Ex: fazer,faço, fez, fiz.
c) Anômalo: apresenta, na sua conjugação, profundas
Formação do Modo imperativo variações no seu radical : SER e IR.
a) Imperativo afirmativo: as segundas pessoas (Tu e d) Defectivos: não se conjuga em todas as formas
Vós) são retiradas do Pres. Ind. sem o “S” final. O (tempos, pessoas, modos). Ex: reaver, precaver-se,
restante vem do Pres. Subj., sem alterações. colorir etc.

b) Imperativo negativo: retirado do Pres. Subj., sem PRINCIPAIS VERBOS DEFECTIVOS


alterações.
1) abolir, colorir, banir, ruir, extorquir, feder – não
4) Formas nominais do verbo possuem a 1ª pessoa do singular (eu) do presente do
indicativo e não se conjugam no presente do subjuntivo.
a) Infinitivo: amar
b) Gerúndio: amando 2) acontecer, doer, ocorrer – só se conjugam nas
c) Particípio: amado terceiras pessoas (ele / eles). Alguns gramáticos os
incluem entre os UNIPESSOAIS (verbos usados apenas
Obs.: nas terceiras pessoas).
1. O infinitivo pode ser pessoal ou impessoal.
3) adequar, falir, remir, precaver-se, reaver – só se
conjugam na 1ª e na 2º pessoas do plural (nós / vós) no

12
Língua Portuguesa Professor André Moraes

presente do indicativo e não possuem o presente do a) do presente do indicativo: imperfeito do indicativo (do
subjuntivo. radical do presente), presente do subjuntivo (do radical
da primeira pessoa do presente), imperativo afirmativo
e) Abundante: é o verbo que possui duas ou mais (TU e VÓS saem do presente do indicativo; as outras
formas equivalentes, geralmente no particípio. Ex.: pessoas saem do presente do subjuntivo, assim como o
aceitar (aceitado/ aceito); eleger (elegido/ eleito); imperativo negativo).
acender (acendido/ aceso); entregar (entregado/
entregue); pegar (pegado/ pego); tingir (tingido/ tinto). b) do perfeito: mais-que-perfeito do indicativo, imperfeito
do subjuntivo e futuro do subjuntivo.
Obs.: 1. Os verbos abrir, cobrir, dizer, escrever, fazer,
pôr, ver, vir e seus derivados possuem apenas o Ex.: puseste: pusera, pusesse, puser.
particípio irregular.
c) do infinitivo impessoal: futuro do presente, futuro do
ABERTO, COBERTO, DITO, ESCRITO, FEITO, pretérito, gerúndio, particípio e infinitivo pessoal.
POSTO, VISTO, VINDO. Ex.: saber: sabia, saberei, saberia, sabendo, sabido,
saber (saberes, sabermos etc.)
2. Com os auxiliares TER / HAVER: emprega-se o
particípio regular, na voz ativa. Ex.: Minha mãe já havia VERBOS QUE PODEM CAUSAR DÚVIDAS
limpado a sujeira.
ABOLIR (defectivo)
3. Com os auxiliares SER/ ESTAR: emprega-se o Presente do indicativo: aboles, abole, abolimos,
particípio irregular, na voz passiva. Ex.: A sujeira foi abolis, abolem.
limpa pela minha mãe. Pretérito perfeito do indicativo: aboli, aboliste, aboliu,
abolimos, abolistes, aboliram (não possui a 1ªpessoa do
6) Tempos compostos: formam-se com os auxiliares presente do indicativo, o presente do subjuntivo e o
TER ou HAVER acompanhados do verbo principal no imperativo negativo)
particípio passado.
Da mesma forma: banir, carpir, colorir, delinquir,
a) Presente + particípio = pret. perf. composto demolir, descomedir-se, emergir, exaurir, fremir,
b) Pret.imperf. + particípio = pret. mais que perf. fulgir, haurir, retorquir, urgir.
composto
c) Quando o auxiliar apresentar-se em outro tempo, o ACUDIR (alternativa vocálica)
tempo composto receberá a mesma classificação desse Presente do indicativo: acudo, acodes, acode,
auxiliar. acudimos, acudis, acodem.
Pretérito perfeito do indicativo: acudi, acudiste,
a) Indicativo acudiu, acudimos, acudistes, acodem.

Perfeito: Auxiliar no presente. ( tenho falado) Da mesma forma: bulir, consumir, cuspir, engolir,
fugir.
Mais-que-perfeito : Auxiliar no imperfeito. ( tinha
falado) ADEQUAR (defectivo)
Presente do indicativo: adequamos, adequais.
Futuro: Auxiliar no futuro. ( terei falado/ teria falado) Pretérito perfeito do indicativo: adequei, adequaste,
adequou, adequamos, adequastes, adequaram.
Infinitivo: Auxiliar no infinitivo. (ter falado)
Gerúndio: Auxiliar no gerúndio. ( tendo falado)
Subjuntivo ADERIR (alternância vocálica)
Presente do indicativo: adiro, aderes, adere, aderimos,
Perfeito: Auxiliar no presente. (tenha falado) aderis, aderem.
Pretérito perfeito do indicativo: aderi, aderiste, aderiu,
Mais-que-perfeito: Auxiliar no imperfeito. (tivesse aderimos, aderistes, aderiram.
falado)
Da mesma forma: advertir, cerzir, despir, diferir,
Futuro: Auxiliar no futuro. (tiver falado) digerir, divergir, ferir, sugerir.

Formação dos tempos AGIR (acomodação gráfica)


Presente do indicativo: ajo, ages, age, agimos, agis,
1) Tempos primitivos: presente do indicativo, pretérito agem.
perfeito do indicativo e infinitivo impessoal. Pretérito perfeito do indicativo: agi, agiste, agiu,
agimos, agistes, agiram.
2) Tempos derivados:
AGREDIR (alternância vocálica)

13
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Presente do indicativo: agrido, agrides, agride, Pretérito perfeito: poli, poliste, poliu, polimos, polistes,
agredimos, agredis, agridem. poliram.
Pretérito perfeito do indicativo: agredi, agrediste,
agrediu, agredimos, agredistes, agrediram. PRECAVER-SE (defectivo e pronominal)
Da mesma forma: prevenir, progredir, regredir, Presente do indicativo: precavemo-nos, precaveis-vos.
transgredir. Pretérito perfeito do indicativo: precavi-me,
precaveste-te, precaveu-se, precavemo-nos,
APRAZER (irregular) precavestes-vos, precaveram-se.
Presente do indicativo: aprazo, aprazes, apraz,
aprazemos, aprazeis, aprazem. PROVER (irregular)
Pretérito perfeito do indicativo: aprouve, aprouveste, Presente do indicativo: provejo, provês, provê,
aprouve, aprouvemos, aprouvestes, aprouveram. provemos, provedes, provêem.
Pretérito perfeito do indicativo: provi, proveste,
CABER (irregular) proveu, provemos, provestes, proveram.
Presente do indicativo: caibo, cabes, cabe, cabemos,
cabeis, cabem. REAVER (defectivo)
Pretérito perfeito do indicativo: coube, coubeste, Presente do indicativo: reavemos, reaveis.
coube, coubemos, coubestes, couberam. Pretérito perfeito: reouve, reouveste, reouve,
reouvemos, reouvestes, reouveram.
CEAR (regular)
Presente do indicativo: ceio, ceias, ceia, ceamos, Obs.: É derivado de haver, mas só se conjuga nas
ceais, ceiam. formas em que haver apresenta a letra v.
Pretérito perfeito do indicativo: ceei, ceaste, ceou,
ceamos, ceastes, cearam. REQUERER (irregular)
Presente do indicativo: requeiro, requeres, requer,
Da mesma forma: passear, pentear, falsear, recear requeremos, requereis, requerem.
etc.
Pretérito perfeito do indicativo: requeri, requereste,
Há dois verbos em –ear que têm pronúncia aberta nas requereu, requeremos, requerestes, requereram.
formas rizotônicas: estrear e idear.
Obs.: Verbo derivado de querer, mas não segue a
estréio, estréias, estréia, estreamos, estreais, estréiam. mesma conjugação na primeira pessoa do singular do
presente do indicativo e no pretérito perfeito do
CONSTRUIR (irregular e abundante) indicativo (e derivados).
Presente do indicativo: construo, constróis (ou
construis), constrói (construi), construímos, construís, SUAR (regular)
constroem (construem). Presente do indicativo: suo, suas, sua, suamos, suais,
Pretérito perfeito do indicativo: construí, construíste, suam.
construiu, construímos, construístes, construíram. Pretérito perfeito do indicativo: suei, suaste, suou,
suamos, suastes, suaram.
CRER (irregular)
Presente do indicativo: creio, crês, crê, cremos, Da mesma forma: atuar, continuar, habituar,
credes, crêem. individuar, recuar, situar.
Pretérito perfeito: cri, creste, creu, cremos, crestes,
creram. VALER (irregular)
Presente do indicativo: valho, vales, vale, valemos,
FRIGIR (acomodação gráfica e alternância vocálica) valeis, valem.
Presente do indicativo: frijo, freges, frege, frigimos, Pretérito perfeito do indicativo: vali, valeste, valeu,
frigis, fregem. valemos, valestes, valeram.
Pretérito perfeito do indicativo: frigi, frigiste, frigiu,
frigimos, frigistes, frigiram. VER (irregular)
Presente do indicativo: vejo, vês, vê, vemos, vedes,
MOBILIAR (irregular) vêem.
Presente do indicativo: mobílio, mobílias, mobília, Pretérito perfeito do indicativo: vi, viste, viu, vimos,
mobiliamos, mobiliais, mobíliam. vistes, viram.
Pretérito perfeito: mobiliei, mobiliaste, mobiliou, Da mesma forma: antever, prever, rever etc.
mobiliamos, mobiliastes, mobiliaram.
VIR (irregular)
POLIR (alternância vocálica) Presente do indicativo: venho, vens, vem, vimos,
Presente do indicativo: pulo, pules, pule, polimos, vindes, vêm.
polis, pulem. Pretérito perfeito do indicativo: vim, vieste, veio,
viemos, viestes, vieram.

14
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Da mesma forma: advir, convir, intervir, provir,


sobrevir etc. SUBORDINATIVAS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES

ATENÇÃO

M mediar: medeio, medeias, medeia, mediamos, QUE, SE (= ISTO) / introduzem


mediais, medeiam SUBORDINATIVAS orações subordinadas substantivas
A ansiar: anseio, anseias, ansiamos, ansiais, INTEGRANTES
anseiam
R remediar: remedeio, remedeias, remedeia,
remediamos, remediais, remedeiam
I incendiar: incendeio, incendeias, incendeia,
incendiamos, incendiais, incendeiam SUBORDINATIVAS
ADVERBIAIS
I intermediar: intermedeio, intermedeias,
intermedeia, intermediamos, intermediais,
intermedeiam PORQUE, COMO (=PORQUE), POIS,
JÁ QUE, UMA VEZ QUE,
O odiar: odeio, odeias, odeia, odiamos, odiais, CAUSAIS PORQUANTO, POIS QUE, POR ISSO
odeiam QUE, VISTO QUE, VISTO COMO,
QUE
VII - CONJUNÇÕES são os vocábulos gramaticais que
servem para relacionar duas orações ou dois termos SE,CASO, SEM QUE (=SE NÃO),
semelhantes da mesma oração. CONTANTO, SALVO SE, DADO QUE,
DESDE QUE, A MENOS QUE, A NÃO
CONDICIONAIS
SER QUE
IMPORTANTE: Não têm função sintática.

1) Coordenativas: Palavra que liga orações ou, dentro


da mesma oração, vocábulos que tenham o mesmo EMBORA, MESMO QUE, AINDA QUE,
valor ou função, sem que um elemento seja termo CONQUANTO, POSTO QUE, BEM
QUE, SE BEM QUE, POR MAIS QUE,
sintático de outro. CONCESSIVAS POR MENOS QUE, APESAR DE QUE,
NEM QUE, QUE
2) Subordinativas: ligam uma oração subordinada à
sua principal.
COMO, QUE (OU DO QUE), DO QUE
Ex.: Chegou e fechou a porta. (conjunção coordenativa) (DEPOIS DE MAIS, MENOS, MAIOR,
Ele sabe que ela o ama. (conjunção subordinativa) MENOR, MELHOR E PIOR),QUANTO
(DEPOIS DE TANTO), QUAL (DEPOIS
COMPARATIVAS
DE TAL), ASSIM COMO, BEM COMO,
PRINCIPAIS CONJUNÇÕES COMO SE, QUE NEM

COORDENATIVAS PRINCIPAIS
QUE (PRECEDIDA DE TÃO, TAL,
CONJUNÇÕES
TAMANHO), DE FORMA QUE, DE
MANEIRA QUE, DE MODO QUE, DE
E, NEM, NÃO SÓ...MAS CONSECUTIVAS
SORTE QUE
ADITIVAS TAMBÉM

MAS, ENTRETANTO, PORÉM,


CONTUDO, TODAVIA, E CONFORME, COMO (= CONFORME),
(=MAS), NO ENTANTO SEGUNDO, CONSOANTE
ADVERSATIVAS CONFORMATIVAS

OU, ORA...ORA, OU...OU,


NEM...NEM, QUER...QUER, PARA QUE, A FIM DE QUE, PORQUE
ALTERNATIVAS SEJA...SEJA FINAIS (= PARA QUE)

QUANDO, ANTES QUE, DEPOIS


QUE, ATÉ QUE, LOGO QUE,
POIS (ENTRE VÍRGULAS), SEMPRE QUE, ASSIM QUE, DESDE
LOGO, PORTANTO, POR QUE, TODAS AS VEZES QUE, CADA
CONCLUSIVAS TEMPORAIS
CONSEGUINTE, POR ISSO, VEZ QUE, APENAS, MAL, QUE (=
ASSIM DESDE QUE)

QUE, PORQUE, POIS,


PORQUANTO (GERALMENTE À MEDIDA QUE, AO PASSO QUE, À
EXPLICATIVAS PROPORÇÃO QUE, ENQUANTO
O VERBO DA PRIMEIRA ESTÁ PROPORCIONAIS
NO IMPERATIVO)

15
Língua Portuguesa Professor André Moraes

III - PREPOSIÇÃO Ex.: Eles se perdem entre o passado e o futuro. / Éder


comprou uma casa entre duas favelas. / Ficamos
Palavra invariável que, colocada entre duas outras, faz perdidos entre o sonho e o desejo.
com que uma se torne membro da outra, criando-se um
elo de subordinação. É um conectivo (= estabelece para - lugar, finalidade, restrição etc.
relação entre as palavras ou orações). Ex.: Ir para a rua./ Estudar para vencer./ Proibido para
menores.
Ex.: copo de vinho/ saiu para jantar.
perante - lugar diante de, oposição etc.
 As preposições podem ser Essenciais e Ex.: Ficar perante o juiz.
Acidentais.
por- tempo, lugar por onde, meio, preço, agente etc.
Essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, Ex.: Viver por toda eternidade./ Andar por caminhos
em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás. perigosos./ Foi elogiado por seu mestre.

Acidentais: como, durante, mediante, conforme, sem - ausência, negação etc.


segundo, consoante, visto etc. Ex.: Ficar sem dinheiro.

Ex.: Fugiu durante a noite. / Vim de casa. sob - posição inferior, sujeição etc.
Ex.: Ficar sob o viaduto.
Locução prepositiva: Conjunto de palavras que
funcionam como preposição. A locução prepositiva sobre - posição superior, assunto, ação contra etc.
sempre termina em preposição. Ex: abaixo de, à custa Ex.: Falar sobre música./ Sentou-se sobre os
de, de acordo com, diante de, junto a etc. escombros.

Relações expressas com o auxílio das preposições trás- posição posterior (=atrás, depois de, por trás de).
É desusada.
a – lugar, tempo, modo, instrumento etc.
Ex.: Ir ao circo. / Ir à tarde./ Escrever a lápis. IX – INTERJEIÇÃO - é a palavra que traduz emoções.

ante – posição anterior ou diante de, situação de a) de alegria: ah! oh! olá!
oposição etc. b) de desejo: oxalá! tomara!
Ex.: Ajoelhar-se ante o altar. c) de dor: ai! ui!
d) de chamamento: ó! alto! psiu!
após – termo posterior, posição ou lugar posterior etc. e) de silêncio: psiu! caluda!
Ex.: Retornou após dez dias de ausência. f) de advertência: cuidado! alerta!
g) de incredulidade: ora!
até – limite (lugar ou tempo)
Ex.: Os gritos chegaram até aqui. X - ADVÉRBIO - é a palavra invariável que modifica o
verbo, o adjetivo ou o próprio advérbio.
com – companhia, modo, instrumento etc.
Ex.: Sair com o namorado./ Trabalhar com dedicação./ Atenção: São os advérbios de intensidade que
Abrir a porta com a chave. modificam adjetivos ou outros advérbios.

contra – oposição, direção contrária etc. Ex.: Ana é a mais bela mulher. / Ele chegou bem
Ex.: Lutar contra as injustiças. / Lutar contra a maré. tarde.

de – posse, parte, finalidade, lugar, matéria, - advérbios de lugar: aqui, cá, lá, acolá, ali, aí, além,
modo, assunto etc. aquém, algures (em algum lugar), alhures (em outro
Ex.: Casa de Maria./ Ponta da faca./ Pulseira de prata. / lugar), nenhures (em nenhum lugar), atrás, fora, dentro,
Falar de futebol. perto, longe, adiante, diante, onde, avante, através,
defronte, aonde, etc.
desde – afastamento de um lugar ou de um momento
etc. - advérbios de tempo: hoje, amanhã, depois, antes,
Ex.: Andou desde sua rua até à minha. agora, anteontem, sempre, nunca, ainda, já, logo, cedo,
tarde, ora, afinal, outrora, então, amiúde, breve,
em - lugar, modo, tempo, finalidade etc.
entrementes, brevemente, imediatamente, etc.
Ex.: Estar em casa./ Acordar em paz./ Pedir em
casamento.
- advérbios de modo: bem, mal, assim, depressa,
entre – interioridade, posição no interior de dois limites devagar, como, debalde, pior, melhor, suavemente,
indicados. tenazmente, comumente, etc.

16
Língua Portuguesa Professor André Moraes

- advérbios de intensidade: muito, pouco, assaz, mais, cada passo, às avessas, de enviés, ao invés, às claras,
menos, tão, bastante, demasiado, meio, completamente, às pressas, a medo, a pique, à uma, às bandeiras
profundamente, quanto, quão, tanto, bem, mal, quase, despregadas, de repente, a olhos vistos, num átimo, de
apenas, etc. propósito, de súbito, de soslaio, por um triz, etc.

- advérbios de afirmação: sim, deveras, certamente, - locuções adverbiais de intensidade: de muito, de


realmente, efetivamente, etc. pouco, de todo, etc.

- advérbio de negação: não. - locuções adverbiais de meio ou de instrumento: a pau,


- advérbios de dúvida: talvez, acaso, porventura, a pé, a cavalo, a martelo, a pauladas, etc.
possivelmente, quiçá, decerto, provavelmente, etc.
- locuções adverbiais de afirmação: na verdade, de fato,
ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS etc.
- locuções adverbiais de negação: de modo algum, de
Chamam-se interrogativos os advérbios: onde? (lugar), modo nenhum, em hipótese alguma, etc.
quando? (tempo), por que? (causa), como? (modo), por
se empregarem na oração interrogativa direta ou - locuções adverbiais de dúvida: por certo, quem sabe,
indireta. com certeza, etc.
Exs.:
Quando virás? (interrogativa direta) PALAVRAS DENOTATIVAS
Por que ele não disse a verdade? (interrogativa direta)
Não sei por que ele não disse a verdade. (interrogativa "Certas palavras, por não se poderem enquadrar
indireta) entre os advérbios, terão classificação à parte. São
palavras que denotam exclusão, inclusão, situação,
M modo designação, retificação, realce, afetividade, etc.”
A afirmação (N.G.B.).
N negação
T tempo - exclusão: só, salvo, apenas, menos, senão, etc.
I intensidade - inclusão: também, até, mesmo, inclusive, etc.
I interrogativo - situação: mas, então, agora, afinal, etc.
L lugar - designação: eis.
D dúvida - retificação: aliás, isto é, ou melhor, ou antes, etc.
- realce: cá, lá, só, é que, ainda, mas, etc.
LOCUÇÃO ADVERBIAL
GRAUS DOS ADVÉRBIOS
Locução adverbial é o conjunto de duas ou mais
Há advérbios que são passíveis de grau, como os
palavras com valor de um advérbio.
adjetivos.
De acordo com as circunstâncias que transmitem, as GRAU COMPARATIVO
locuções adverbiais podem ser classificadas em:
- de igualdade: tão longe, tão rapidamente como
- locuções adverbiais de lugar: à esquerda, à direita, à - de superioridade: mais cedo (do) que
tona, à distância, à frente, à entrada, à saída, ao lado, - de inferioridade: menos cedo (do) que
ao fundo, ao longo, de fora, de lado, por fora, em frente,
por dentro, por perto, de longe, de perto, em cima, de GRAU SUPERLATIVO
cima, por onde, para onde, por trás, por aqui, por ali,
etc. - analítico: muito longe
- sintético: longíssimo
- locuções adverbiais de tempo: em breve, nunca mais,
hoje em dia, de tarde, à tarde, à noite, à noitinha, às
avemarias, ao pôr-do-sol, de manhã, de noite, por ora,
por fim, de repente, de vez em quando, a tempo, às
vezes, de quando em quando, de vez em vez, de longe
em longe, etc.

- locuções adverbiais de modo: à vontade, à toa, ao léu,


ao acaso, a contento, a esmo, de bom grado, de cor, de
mansinho, de chofre, a rigor, de preferência, em geral, a

17
Língua Portuguesa Professor André Moraes

QUESTÕES OBJETIVAS (B) endocrinologia – glândulas;


(C) dermatologia – pele;
30) (ANTT) “onde havia estado anteriormente e (D) oftalmologia – olhos;
morara algum tempo”; se quiséssemos substituir a (E) neurologia – rins.
primeira forma verbal sublinhada a fim de que tivesse a
mesma forma simples da segunda, deveríamos 36) (BNDES) - O manifesto do Partido Comunista
escrever: dizia: “Proletários de todo o mundo, uni-vos!”; se essa
a) estava; mesma frase fosse reescrita com tratamento de “vocês”
b) estaria; em lugar de “vós”, a forma verbal do imperativo
c) esteve; adequada seria:
d) estivera; (A) unem-se;
e) tinha estado. (B) unam-se;
(C) unem-nos;
31) (ANTT) “Voltara Desfontaines a São Paulo, (D) unem-vos;
onde havia estado anteriormente e morara algum (E) une-se.
tempo. Tendo contratado um carro para levá-lo não sei
onde, reconheceu, ao passar, o sítio da sua antiga 37) (BNDES) - Uma antiga revista de humor, Pif-
casa.”; quanto às duas ocorrências da palavra onde Paf, trazia o seguinte slogan:
nesse segmento do texto, pode-se dizer que: “Cada número é exemplar, cada exemplar é um
a) pertencem à mesma classe gramatical; número!”; nesta frase, as palavras “número” e
b) referem-se ao mesmo antecedente; “exemplar” trocaram:
c) a segunda ocorrência deveria ser substituída por (A) função, classe e significado;
aonde; (B) somente função e significado;
d) a primeira ocorrência tem como antecedente “sua (C) somente função e classe;
antiga casa”; (D) somente classe e significado;
e) a primeira é advérbio e a segunda, pronome relativo. (E) somente classe.

32) (SECRETARIA DE SAÚDE – AG. ADM.) “raios 38) (CVM) - Um cidadão comum precisou verificar
ultravioleta”; o adjetivo ultravioleta é invariável, assim num dicionário o significado da palavra caixa e, ao
como o adjetivo da seguinte alternativa: deparar-se com o verbete, leu o seguinte:
(A) vidro verde-claro;
(B) substância cinza; caixa. s.f. 1. recipiente para guardar ou transportar
(C) laboratório luso-brasileiro; objetos 1.1 o produto nela contido 2. local onde é feito
(D) célula embrionária; pagamento e recebimento de valores 3. dinheiro para
(E) cenário laboratorial. pequenas despesas 4. instituição que recebe e
administra fundos # s.m. 5. livro de registro de receita e
33) (SECRETARIA DE SAÚDE – AG. ADM.) “capaz despesa # 6. funcionário que opera a caixa registradora.
de distinguir os genes das células sadias dos das
cancerosas”; o comentário INCORRETO a respeito dos A alternativa que mostra uma observação ERRADA
elementos componentes deste segmento do texto é: sobre o verbete é:
(A) estão em oposição semântica os vocábulos “sadias” (A) os números mostram diferentes significados da
e “cancerosas”; mesma palavra;
(B) após “dos” há a elipse de “genes”; (B) a letra s. indica a classe (substantivo) da palavra;
(C) após “das” há a elipse de “reações químicas”; (C) as letras f e m. indicam os gêneros (feminino e
(D) o adjetivo “capaz” equivale a “com a capacidade de”; masculino) da palavra;
(E) o adjetivo “sadias” qualifica o substantivo “células”. (D) o número 1.1 indica um desdobramento do número
anterior;
34) (SECRETARIA DE SAÚDE – AG. ADM.) - “Se o (E) o sinal # indica significados inadequados ou
ambiente de nossos melhores laboratórios cria um populares.
cenário...”; a forma verbal equivocada do verbo CRIAR
é: 39) (CVM) - A relação ERRADA entre verbo e
(A) Eu cri na capacidade dos médicos; substantivo é:
(B) A população, naquela época, creu no governo; (A) ceder / cessão;
(C) O Brasil não tinha creado modernos laboratórios; (B) estender / extensão;
(D) Se ele cresse em mim, nada disso ocorreria; (C) exceder / exceção;
(E) Se ela tivesse crido na ciência, melhoraria. (D) ascender / ascensão;
(E) pretender / pretensão.
35) (SECRETARIA DE SAÚDE – AG. ADM.) -
Oncologia é o estudo do câncer; o vocábulo abaixo,
pertencente à área médica, que NÃO tem seu campo de
estudo identificado corretamente é:
(A) pneumologia – pulmões;

18
Língua Portuguesa Professor André Moraes

40) (CVM) - “Se ele trabalhar, eu também (C) “passado” e “presente” são substantivos
trabalharei!”; a alternativa que tem uma frase com essa funcionando como adjetivos;
mesma estrutura, mas com forma verbal EQUIVOCADA (D) o adjetivo “saudável” está explicado no texto;
é: (E) as duas ocorrências do advérbio “mais” têm valor
(A) Se ele for, eu também irei; semântico distinto.
(B) Se ele ver, eu também verei;
(C) Se ele quiser, eu também quererei; 46) (ELETROBRÁS) - Na junção das palavras
(D) Se ele requerer, eu também requererei; abaixo, a alternativa que mostra uma forma NÃO
(E) Se ele couber, eu também caberei. paralela estruturalmente às demais é:
(A) grandes conquistas;
41) (CVM) - “Se ele lesse, eu também leria”; a (B) direitos humanos;
alternativa que apresenta uma frase com essa mesma (C) liberdades públicas;
estrutura, mas com forma verbal EQUIVOCADA é: (D) dominação política;
(A) Se ele trouxesse, eu também traria; (E) intimidação coletiva.
(B) Se ele aprovasse, eu também aprovaria;
(C) Se ele pusesse, eu também poria; 47) (TBG) - Se o brasil com b minúsculo é um
(D) Se ele viesse, eu também viria; objeto sem vida, sem autoconsciência e sem pulsação
(E) Se ele mantesse, eu também manteria. interior, os adjetivos que melhor qualificam esse brasil
são, respectivamente:
(A) moribundo, desconhecido e inerte;
42) (CVM) - NÃO há a devida correlação temporal (B) murcho, decadente e senil;
das formas verbais em: (C) inerme, ignorante e desaparecido;
(A) Seria conveniente que o time ficasse sem saber (D) paralisado, atrasado e superficial;
quem era o adversário; (E) morto, inconsciente e desfibrado.
(B) É conveniente que o time ficaria sem saber quem é
o adversário; 48) (ELETRONUCLEAR) As alternativas abaixo
(C) Era conveniente que o time ficasse sem saber quem apresentam adjetivos do texto; a alternativa em que os
foi o adversário; substantivos correspondentes a esses adjetivos podem
(D) Será conveniente que o time fique sem saber quem ser formados com a mesma terminação é:
é o adversário; a) produtiva – contínua – novas;
(E) Foi conveniente que o time ficasse sem saber quem b) lentos – descontínuos – iniciais;
era o adversário. c) pioneiro – produtivos – elétricos;
d) industrializados – crescente – energética;
43) (CVM) - A alternativa que completa e) significado – desenvolvidos – tradicionais.
corretamente as lacunas da seguinte frase é:
“Quando ____ mais barato, o carro ____ um bem muito 49) (ELETRONUCLEAR) Norte-americano e
mais popular”. matéria-prima, dois vocábulos presentes no texto, fazem
(A) estivesse / era; corretamente como plural:
(B) estiver / será; a) norte-americanos / matéria-primas;
(C) esteja / era; b) norte-americanos / matérias-primas;
(D) estivesse / será; c) nortes-americanos / matérias primas;
(E) estiver / seria. d) nortes-americanos / matérias-prima;
e) nortes-americanos / matéria-primas.
44) (MPE / RO) Dentre os plurais dos nomes
compostos, o único flexionado de modo adequado é: 7) FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO
(A) guarda-chuvas.
(B) olhos azuis-turquezas (sic). 1. “Frase é um enunciado de sentido completo, a
(C) escolas-modelos. unidade mínima de comunicação.”
(D) surdo-mudos. Ex.: Fogo! Atenção! Silêncio!
(E) pores-dos-sóis.
“Alguns anos vivi em Itabira.” (C. Drummond de
45) (SEFAZ) - Numa seção de jornal cujo assunto é Andrade)
a saúde, um leitor escreve: “Não sofro mais. Considero-
me uma pessoa normal. Esqueci do passado, quero 2. “Oração é um enunciado constituído de sujeito e
viver o presente. Agora, minha alimentação é totalmente predicado, ou pelo menos de predicado...”
saudável. Não tomo mais bebidas alcoólicas e evito Ex.: Faz calor no Rio.
comer doces”. O comentário correto sobre os
componentes desse texto é: 3. “Período é a frase constituída por uma ou mais
(A) o advérbio “mais” reforça a idéia do advérbio “não”; orações.”
(B) os adjetivos “normal”, “saudável” e “alcoólicas” têm a) simples: possui uma única oração (ORAÇÃO
valor subjetivo; ABSOLUTA)
Ex.: A criança comeu tudo.

19
Língua Portuguesa Professor André Moraes

b) composto: possui mais de uma oração. Ex.: Vai para cinco anos que ele morreu.
Ex.: “Raspou, achou, ganhou.”
Observações:
“Ele saiu da sala e não voltou mais.”
1) O verbo existir não é impessoal.
“Espero que todos compareçam à reunião.” Ex.: Existem mil garotas na quadra.

2) Quando um verbo auxiliar se junta a um verbo


8) TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO impessoal, ele também permanece na terceira pessoa
do singular.
O SUJEITO é ser sobre o qual se faz uma declaração. Ex.: Podia haver muitos feridos no acidente.

O PREDICADO é o que se informa do sujeito. 9) Predicação Verbal


TIPOS DE SUJEITO
Verbo Transitivo Direto (V.T.D.) – pede complemento
1) SUJEITO SIMPLES: possui um único núcleo. não preposicionado.
Ex.: Muitos fatos estranhos aconteceram naquele
lugar. Ex.: Faremos as compras.
Encontrei-o lá fora. (o = objeto direto)

2) SUJEITO COMPOSTO: possui mais de um núcleo. Verbo Transitivo Indireto (V.T.I.)


Ex.: O pai, a mãe e os filhos comem demasiadamente.
Ex.: Gosto de frutas.
Quando o sujeito não vier expresso materialmente na Obedeço-lhe. (lhe = ou a ele)
oração, ele poderá ser:

1) OCULTO (DETERMINADO), DESINENCIAL OU Verbo Transitivo Direto e Indireto (V.T.D.I.)


ELÍPTICO – está subentendido na desinência do verbo,
por isso ser chamado de implícito ou desinencial. Ex.: Enviei o relatório ao diretor.
Ex.: Chegamos ao baile. O.D. O.I.

2) INDETERMINADO - quando não se pode (ou não se Verbo Intransitivo (V.I.)


quer) explicitar que elemento executa a ação. Ex.: A criança sorriu.
a) verbo na 3ª pessoa do plural sem referência a sujeito As folhas nasceram.
expresso na oração. Fui à praia.
Ex.: Roubaram o meu livro. adj.adv.lugar

b) verbo na 3ª pessoa do singular, acompanhado de


índice de indeterminação do sujeito. Verbo de Ligação (V.L.) – liga ao sujeito uma
Ex.: Precisa-se de ajudantes. qualidade ou estado = predicativo
(ser, estar, permanecer, parecer, ficar, continuar,
“O se é índice de indeterminação do sujeito quando vier tornar-se, achar-se, transformar-se, etc.)
acompanhando verbo que não é transitivo direto (ou
bitransitivo). Nesse caso, teremos sujeito Ex.: Maria é bonita.
indeterminado.” (Ernani Terra) Celso ficou zangado.
Carla está doente.
3) INEXISTENTE / ORAÇÃO SEM SUJEITO – Haverá
sujeito inexistente quando o verbo da oração for Mas: Mônica ficou triste.
impessoal. V.L. adjetivo

HAVER = EXISTIR ou indicando tempo decorrido: Mônica ficou em casa.


Ex.: Há muitas pessoas na sala. V.I. adj.adv.lugar

FAZER indicando tempo decorrido ou meteorológico:


Ex.: Faz dez anos que ela morreu. Ele come verduras.
V.T.D. O.D.
VERBOS QUE INDICAM FENÔMENO DA NATUREZA:
Ex.: Hoje choveu muito. Ele come muito.
V.I. advérbio
Mas: Choveram críticas sobre ele. (sentido figurado)

SER, ESTAR, IR indicando tempo.

20
Língua Portuguesa Professor André Moraes

10) TIPOS DE PREDICADO


2) Objeto direto preposicionado: algumas vezes o
Há três tipos de predicado: objeto direto pode vir regido da preposição a, raramente
outras:
1. predicado verbal: seu núcleo é um verbo a) com verbos que exprimem sentimentos:
significativo (transitivo ou intransitivo). Ex.: Amemos a Deus.
Ex.: Ana correu muito.
b) para evitar ambiguidade:
2. predicado nominal: seu núcleo é um nome Ex.: Ao marginal vai prender.
(substantivo, adjetivo, pronome), que terá a função
sintática de predicativo do sujeito. Nesse caso, o verbo c) quando vem antecedido:
será de ligação. Ex.: A homem diligente ninguém engane.
Ex.: Helena estava triste.
Outros exemplos: Ao Vasco, o Flamengo venceu. /
3. predicado verbo-nominal: há dois núcleos de Bebemos do vinho. / Sacou da arma./ Amo a Deus. / O
informação: um verbo significativo (transitivo ou menino, eu não o reconheci.
intransitivo) e um nome (predicativo do sujeito ou do
objeto).

verbo verbo de predicativo O objeto direto é obrigatoriamente preposicionado:


significativo ligação
(transitivo ou
intransitivo) a) quando expresso por pronome pessoal oblíquo
predicado SIM NÃO NÃO tônico:
verbal Ex.: Meu desejo é sempre conquistar a ti.
predicado NÃO SIM SIM b) quando o pronome quem tem antecedente expresso:
nominal
Ex.: Perdi Ana a quem tanto amo.
predicado SIM NÃO SIM
verbo- c) quando se coordenam pronome átono e substantivo:
nominal
Ex.: Cristina o amava e aos pais dele.
11) TERMOS INTEGRANTES 3) Objeto direto pleonástico
Objeto direto
Quando o objeto direto precede o verbo,
Objeto indireto
costuma-se repeti-lo através de um pronome oblíquo:
Complemento nominal Ex.: Esses problemas (obj. dir.), já os (obj. dir.
pleonástico) conheço.
Agente da passiva
A mim, ninguém me ama.
1) Objeto direto
4) Objeto direto interno ou cognato
Completa um verbo transitivo, sem preposição Verbos intransitivos podem ter objeto direto
obrigatória. representado por um substantivo do mesmo radical ou
do mesmo campo semântico.
Ex.: Comprei um carro. / Vais encontrar o mundo. Ex.: “...morrerás morte vil da mão de um forte.”
(Gonçalves Dias)
Pode ser representado por: substantivo, pronome
substantivo, numeral, palavra ou expressão 5) Objeto indireto
substantivada, oração substantiva objetiva direta.
O objeto direto pode exprimir: Complementa um verbo transitivo, com
preposição obrigatória.
a) a pessoa ou coisa que sofre ou recebe a ação Ex.: Ele só pensa na prova. / Falou aos filhos.
verbal: Pode ser representado por: substantivo, pronome
Ex.: A mãe castigou o mau filho. substantivo, numeral, palavra ou expressão
substantivada, oração substantiva objetiva indireta.
b) o produto ou resultado da ação:
Ex.: A menina fez a redação.
O objeto indireto pode exprimir:
c) a pessoa ou coisa para onde se dirige um a) a pessoa ou coisa a que se dirige a ação verbal:
sentimento, sem que o objeto seja obrigatoriamente Ex.: Escrever aos amantes.
afetado por tal sentimento:
Ex.: Ana ama a André.

21
Língua Portuguesa Professor André Moraes

b) a pessoa ou coisa em cujo proveito ou prejuízo se Obs.: É representado por um artigo, um numeral
pratica a ação verbal (dativo de interesse): adjetivo, um pronome adjetivo, um adjetivo ou
Ex.: Fez para o bem geral da nação. expressão adjetiva, ou por uma oração adjetiva.

6) Objeto indireto pleonástico Ex.: Aluna inteligente. / A minha casa é linda. / “O


mundo é filho da desobediência. Se Adão tivesse
Para realçar o objeto indireto que antecede o cumprido as ordens do Senhor, a humanidade ficaria
verbo, é comum repeti-lo. limitada às personagens do Paraíso.”
Ex.: A mim ensinou-me tudo. (Fernando
Pessoa) Adjunto Adnominal x Complemento Nominal

7) Complemento nominal a) Se a palavra precedida de preposição estiver ligada a


um adjetivo ou a um advérbio, será complemento
Integra ou limita o sentido do substantivo, do nominal.
adjetivo e de certos advérbios. Vem regido de Ex.: A decisão foi favorável aos professores.
preposição. Independentemente de sua vontade.
Ex.: Colocação de cartazes. / A decisão foi
favorável aos alunos. / O deputado discursou b) Se complementar um substantivo concreto, será
favoravelmente ao projeto. adjunto adnominal.
Ex.: Porta de ferro./ Copo de vidro.
Pode ser representado por: substantivo
(acompanhado ou não de seus modificadores), c) Quando, porém, o termo regido de preposição estiver
pronome, numeral, palavra ou expressão preso a um substantivo abstrato, poderemos ter
substantivada, oração completiva nominal. complemento nominal ou adjunto adnominal. Por isso,
nesse caso, é necessário verificar se o termo
Observação: preposicionado é agente ou paciente.
O complemento nominal pode integrar o
sujeito, o predicativo, o objeto direto, o objeto I) Se for paciente, será complemento nominal:
indireto, o agente da passiva, o adjunto adverbial, o Ex.: A invasão da cidade foi rápida. (C.N)
aposto e o vocativo. A conquista da Amazônia. (C.N)

8) Agente da Passiva II) Se for agente, será adjunto adnominal:


Ex.: A invasão dos soldados foi rápida. (A.A)
Na voz passiva analítica ou verbal, é o ser que A conquista dos brasileiros. (A.A)
pratica a ação.
Ex.: Ela está sendo conquistada por mim. 2) Adjunto Adverbial: Liga-se quase sempre ao verbo
O ator era conhecido de todos. indicando circunstância (tempo, lugar, modo, causa, fim,
A mulher ficou rodeada de pretendentes. dúvida, intensidade, etc.).

Pode ser representado por: substantivo ou palavra Ex.: Os convidados estavam na festa.
substantivada, pronome, numeral e “oração
substantiva”. Principais adjuntos adverbiais:
Observações:
1) Afirmação: Certamente Cristina passará na prova.
1ª) O objeto direto passa a ser sujeito da voz 2) Assunto: Só falavam sobre futebol.
passiva. 3) Causa: Ana morreu de frio.
2ª) Na transformação para a voz passiva analítica, o 4) Companhia: Andava com as amigas.
verbo deve manter o mesmo tempo e modo. 5) Concessão: Embora estivesse frio, foi à praia.
3ª) O sujeito converte-se em agente da passiva. 6) Condição: Sem dinheiro, não trabalho.
4ª) Na língua culta moderna, omite-se o agente da 7) Conformidade: Dançar conforme a música.
voz passiva pronominal. 8) Dúvida: Possivelmente, ele nos encontrará amanhã.
9) Fim: Trabalhava para o seu sustento.
12) TERMOS ACESSÓRIOS 10) Instrumento: Matou-se com a faca.
11) Intensidade: Éder come muito.
Adjunto Adnominal 12) Lugar: Nós nos encontramos em casa.
Adjunto Adverbial 13) Meio: Só andamos a pé. (meio de transporte)
Aposto 14) Modo: Ela desceu rapidamente.
15) Negação: De modo algum farei isso.
1) Adjunto Adnominal: indica posse, limita, individua, 16) Tempo: Nós nos encontramos outro dia.
especifica a significação do substantivo.

22
Língua Portuguesa Professor André Moraes

3) Aposto: Um substantivo (ou pron. subst.) que se liga PERÍODO COMPOSTO


a outro substantivo (ou pron. subst.) com função de
explicar, esclarecer, identificar, resumir. O período composto é a frase organizada em mais de
uma oração. Dependendo da relação entre as orações,
Ex.: Maria, a estudante, chegou. (explicativo) / Rio podemos ter:
Tietê (apelativo ou especificativo) / A cidade de
Friburgo. (apelativo ou especificativo) / Fortunas, * período composto por coordenação – formado por
prazeres, sossego, nada o satisfazia. (resumitivo ou orações coordenadas:
recapitulativo) / Ana e Cristina são grandes contabilistas,
uma na área fiscal e outra em custos. (distributivo) / Chegou cedo, / mas não conseguiu um bom lugar.
Cantou o dia todo, o que o deixou cansado. (relativo a
toda a oração) oração oração

* Vocativo: Termo de natureza exclamativa, empregado Ana Cristina canta, / dança, / interpreta / e mente.
para chamarmos por alguém ou coisa personificada.
Ex: Paulo, venha cá. oração oração oração oração

QUESTÕES OBJETIVAS * período composto por subordinação – formado de


oração principal e oração(ões) subordinada(s):
50) (CESGRANRIO) Assinale a frase cujo predicado
é verbo-nominal: Os políticos / que são corruptos / sofrerão.
a) "Que segredos, amiga minha, também são gente ..."
b) "... eles não se vexam dos cabelos brancos ..." or. principal or. subordinada or. principal
c) "... boa vontade, curiosidade, chama-lhe o que
quiseres ..."
d) "Fiquemos com este outro verbo." Embora seja pobre, não era ignorante.
e) "... o assunto não teria nobreza nem interesse ..."
or. subordinada or. principal
51) (FGV) Leia atentamente: "É oportuno, um
conselho." Na oração ao lado, há um erro de pontuação, * período formado por coordenação e subordinação
pois a vírgula está separando: (ou período misto) – formado de oração principal,
a) o adjunto adnominal e o objeto direto oração(ões) subordinada(s) e oração(ões)
b) o predicativo do sujeito e o adjunto adverbial de modo coordenada(s).
c) o sujeito e o adjunto adnominal
d) o predicado verbal e o objeto direto Quando se fala algo (or. sub.), / é preciso (or.
e) predicado nominal e o sujeito
principal) / provar a veracidade (or. subord.); / depois
52) (FGV) Leia atentamente: "Vi o acidente da espere (or. coord.), / espere (or. coord.) / e relaxe (or.
estação." Na frase ao lado, a expressão sublinhada é
coord.).
ambígua, pois pode ser interpretada como:
a) objeto indireto ou adjunto adnominal
b) adjunto adverbial de modo ou predicativo do sujeito PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO
c) predicativo do sujeito ou predicativo do objeto direto
d) adjunto adnominal ou adjunto adverbial Orações coordenadas são gramaticalmente
e) adjunto adverbial de tempo ou objeto indireto independentes, ou seja, não exercem função sintática
umas em relação às outras.
53) (BB) "Ande ligeiro, Pedro".
a) sujeito Levantei tarde (or. coord.), / lavei o carro (or. coord.), /
b) objeto direto troquei a camisa (or. coord.) / e fui embora (or.
c) vocativo coord.).
d) aposto
e) adjunto Orações coordenadas assindéticas – não vêm
introduzidas por conjunção.
13) CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES
Orações coordenadas sindéticas – vêm introduzidas
Absoluta por conjunção coordenativa.

É a oração de um período simples.

23
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Classificação das orações coordenadas sindéticas Objetiva direta “Desejamos que você

ORAÇÕES PRINCIPAIS EXEMPLO


volte.”
CONJUNÇÕES
Objetiva “Necessitamos de que
indireta você volte.”
E, NEM, NÃO SÓ...MAS “Ela passou duas
ADITIVAS TAMBÉM horas embaixo dos Completiva “Temos necessidade de
escombros e foi nominal que você volte.”
salva.”
Predicativa “Nosso desejo é que
MAS, ENTRETANTO, “Ismênia foi
você volte.”
ADVERSATIVAS PORÉM, CONTUDO, tragada pelo Apositiva “Desejamos apenas isto:
TODAVIA, E (=MAS), movimento, mas
NO ENTANTO por sorte ficou
que você volte.”
exatamente entre
uma pilastra de sua
própria casa e IMPORTANTE:
outra da casa da
sua vizinha.” As orações substantivas podem vir introduzidas por
ALTERNATIVAS OU, ORA...ORA, “Ou rezava em voz outras palavras:
OU...OU, NEM...NEM, alta, ou morria de
QUER...QUER, medo.”
SEJA...SEJA Não vi como ele chegou.
CONCLUSIVAS POIS(ENTRE “Era tudo escuridão
VÍRGULAS), LOGO, e silêncio: Não sei por que era tão escandalosa.
PORTANTO, POR portanto, perdi a Perguntamos quando era o casamento.
CONSEGUINTE, POR noção do tempo.”
ISSO, ASSIM Soubemos quanto custava o carro.
Não sabemos quem vendeu as provas.
EXPLICATIVAS QUE, PORQUE, POIS, “Fique calma, pois
PORQUANTO já vamos retirá-la.” ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS
(GERALMENTE O
VERBO DA PRIMEIRA
ESTÁ NO
IMPERATIVO)
As orações subordinadas adjetivas vêm
introduzidas por pronomes relativos – que, quem,
quanto, onde, cujo (e flexões), o qual (e flexões) – que
PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇAO exercem funções sintáticas distintas na oração por eles
principiada.
No período composto por subordinação, há uma
oração principal, que traz presa a si oração(ões) Classificação das orações subordinadas adjetivas
subordinada(s).
As orações subordinadas podem ser ORAÇÕES Exemplo
substantivas, adjetivas e adverbiais, conforme a Restritiva – delimita e “Trata-se de um
função sintática que exercem. restringe o sentido do treinamento capaz de
antecedente. reciclar motoristas que
deixaram de dirigir.”
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
Explicativa – é um termo “O louco trânsito das
Exercem as funções próprias do substantivo: adicional e acrescenta grandes cidades, que é
sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento uma característica peculiar capaz de matar quase
nominal, aposto e predicativo. ao nome. 25 mil pessoas a cada
ano, está espalhando
As orações subordinadas substantivas são
uma nova espécie de
introduzidas pelas conjunções integrantes que e se, que
doença.”
não desempenham função sintática.

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS


Classificação das orações subordinadas
substantivas As orações subordinadas adverbiais exercem a
função de adjunto adverbial da oração a que se
subordinam.
ORAÇÕES EXEMPLO
Subjetiva “É necessário que você
volte.”

24
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Classificação das orações subordinadas adverbiais ORAÇÕES INTERCALADAS (ou INTERFERENTES)

ORAÇÕES PRINCIPAIS EXEMPLO


CONJUNÇÕES
São orações independentes que não pertencem
CAUSAIS PORQUE, COMO “Como não havia à sequência do período.
(=PORQUE), POIS, cemitério no local, As orações intercaladas são utilizadas para
JÁ QUE, UMA VEZ precisavam enterrar os
QUE, PORQUANTO, mortos em outra esclarecimentos ou citações.
POIS QUE, POR cidade.”
ISSO QUE, VISTO
QUE, VISTO COMO, Eu – redarguiu o médico – não concordo.
QUE
or. intercalada
CONDICIONAIS SE,CASO, SEM “Se alguém se descuidar,
QUE (=SE NÃO), Odorico Paraguassu
CONTANTO, acaba prefeito de ORAÇÕES SUBORDINADAS REDUZIDAS
SALVO SE, DADO Dumont.”
QUE, DESDE QUE,
A MENOS QUE, A
NÃO SER QUE * têm o verbo em uma das formas nominais: gerúndio,
CONCESSIVAS EMBORA, MESMO “Embora os vereadores particípio, infinitivo;
QUE, AINDA QUE, insistam, o prefeito não
CONQUANTO, quer falar em cemitério.”
* não vêm introduzidas por conectivos (conjunções e
POSTO QUE, BEM locuções conjuntivas subordinativas ou pronomes
QUE, SE BEM QUE, relativos).
POR MAIS QUE,
POR MENOS QUE,
APESAR DE QUE,
Classificam-se de acordo com a forma verbal que
NEM QUE, QUE
COMPARATIVAS COMO, QUE (OU “Agem como ignorantes.” apresentam
DO QUE), DO QUE
(DEPOIS DE MAIS,
MENOS, MAIOR,  subordinada reduzida de gerúndio;
MENOR, MELHOR
E PIOR),QUANTO  subordinada reduzida de particípio;
(DEPOIS DE  subordinada reduzida de infinitivo.
TANTO), QUAL
(DEPOIS DE TAL),
ASSIM COMO, BEM
COMO, COMO SE, Penso (or. principal) / estar certo (or. sub. subst.
QUE NEM objetiva direta, reduzida de infinitivo).
QUE (PRECEDIDA “Já morreu tanta gente
Desenvolvendo: Penso / que estou certo.
CONSECUTIVAS DE TÃO, TAL, na cidadezinha, que
TAMANHO, poderiam ter construído o
TANTO), DE cemitério.”
FORMA QUE, DE Terminada a festa, (or. sub. adverbial temporal,
MANEIRA QUE, DE reduzida de particípio) / todos brigaram (or. princ.).
MODO QUE, DE
SORTE QUE Desenvolvendo: Quando terminou a festa, todos
CONFORME, “Conforme a revista saíram.
CONFORMATIVAS COMO (= noticiou, não há cemitério
CONFORME), em Dumont.”
SEGUNDO,
QUESTÕES OBJETIVAS
CONSOANTE
54) (CESGRANRIO) Assinale o período em que
FINAIS PARA QUE, A FIM “As pessoas idosas
DE QUE, PORQUE mudam de cidade para
ocorre a mesma relação significativa indicada pelos
(= PARA QUE) que possam ser termos destacados em: "A atividade científica é tão
sepultadas em paz.” natural quanto qualquer outra atividade econômica."
TEMPORAIS QUANDO, ANTES “Quando morre alguém a) Ele era tão aplicado, que em pouco tempo foi
QUE, DEPOIS QUE, muito conhecido, é promovido.
ATÉ QUE, LOGO feriado em Dumont.”
QUE, SEMPRE b) Quanto mais estuda, menos aprende.
QUE, ASSIM QUE, c) Tenho tudo quanto quero.
DESDE QUE, d) Sabia a lição tão bem como eu.
TODAS AS VEZES
e) Todos estavam exaustos, tanto que se recolheram
QUE, CADA VEZ
QUE, APENAS, logo.
MAL, QUE (=
DESDE QUE) 55) (BB) No provérbio Antes tarde do que nunca:
À MEDIDA QUE, “À medida que cresce o a) Existe oração coordenada
PROPORCIONAIS AO PASSO QUE, À número de mortos, a
PROPORÇÃO QUE, necessidade do b) Há um único substantivo
ENQUANTO cemitério se faz sentir c) Não há oração, apenas frase nominal
com mais intensidade.” d) O sujeito está oculto
e) Há dois adjetivos

25
Língua Portuguesa Professor André Moraes

56) (AFTN) Há oração subordinada substantiva OUTROS CASOS:


subjetiva no período:
a) Decidiu-se que a microinformática será implantada 1) Um e outro, nem um nem outro – Com um e outro,
naquele Município. põe-se no singular o substantivo, e no singular ou plural
b) Um sistema tributário obsoleto não permite que haja o verbo, quando estas expressões aparecem no sujeito.
conscientização dos contribuintes. Ex.: “Parou um momento e, olhando para um e outro
c) A prefeitura necessitava de que os computadores lado, endireitou a carreira...”
fossem instalados com urgência.
d) Ninguém tem dúvida de que a microinformática 2) Um ou outro – Substantivo e verbo no singular.
racionaliza o sistema tributário. Ex.: Um ou outro soldado, indisciplinadamente,
e) Alguns prefeitos temiam que a utilização do revidava, disparando à toa...”
computador gerasse desemprego.
3) Mesmo, próprio, só (sozinho) – Concordam em
gênero e número com o substantivo
14) CONCORDÂNCIA NOMINAL Ex.: “Ela mesma disse a verdade.”
“Nós estamos sós.”
Regra Geral – o artigo, o numeral, o adjetivo e o
pronome adjetivo concordam em gênero e número com 4) Leso, anexo, incluso – Concorda com o
o substantivo a que se referem. determinado em gênero e número.
Ex.: “Cometeu um crime de lesa-pátria.”
Ex.: Aqueles dois jornais (subst.) publicaram as
notícias (subst.) trágicas. 5) Dado e visto - Como adjetivos, concordam em
gênero e número com o substantivo.
CASOS Ex.: “Dadas (Vistas) as circunstâncias, foram-se
1 Um substantivo (masc. ADJ. MASC. embora.”
sing.) SING.
6) Meio = metade, bastante(pronome adjetivo
2 Um substantivo (masc. pl.) ADJ. MASC.
indefinido, adjetivo) – Concordam em gênero e
PL.
número com o termo determinado.
3 Um substantivo (fem. sing.) ADJ. FEM.
Ex.: Era meio-dia e meia (i.é: meia hora).
SING.
Comemos bastantes frutas. (pron. adj. ind.)
4 Um substantivo (fem. pl.) ADJ. FEM.
Há provas bastantes de seu crime. (adj.)
PL.
5 Dois ou mais substantivos ADJ. MASC. 7) Pseudo e todo – Usados em termos compostos
(masc.) PL. ou ficam invariáveis.
CONC. Ex.: “A fé todo-poderosa que nos guia é nossa
ATRATIVA salvação.”
6 Dois ou mais substantivos ADJ. FEM.
(fem.) PL. ou 8) Tal e qual – Tal, como determinante, concorda em
CONC. gênero e número com o determinado:
ATRATIVA Ex.: “Tais razões não me movem.”
7 Dois ou mais substantivos ADJ. MASC.
(gêneros diferentes) PL ou “Em correlação, tal qual também procedem à mesma
CONC. concordância.” (Evanildo Bechara)
ATRATIVA
8 Adjetivo anteposto a dois CONC. Ex.: “Os boatos são tais quais as notícias.”
substantivos (mesmo gên. ATRATIVA
ou gên. dif.) / UNINDO-SE
DIRETAMENTE A ELES 9) Possível – Fica invariável em construções do tipo: o
9 Adjetivo anteposto a dois ADJ. MASC. menos possível, o melhor possível, o pior possível,
substantivos (masc.) / NÃO PL. ou quanto possível.
SE UNINDO
DIRETAMENTE A ELES CONC. Ex.: “Paisagens o mais belas possível.”
ATRATIVA
10 Adjetivo anteposto a dois ADJ. FEM. Com o plural os mais, os menos, os piores, os
substantivos (fem.) / NÃO PL. ou melhores, o adjetivo possível vai ao plural:
SE UNINDO
DIRETAMENTE A ELES CONC. “Paisagens as mais belas possíveis.”
ATRATIVA
11 Adjetivo anteposto a dois ADJ. MASC. 10) A olhos vistos (claramente, visivelmente) – Pode
substantivos (gên. dif.) / PL. ou ser invariável.
NÃO SE UNINDO
DIRETAMENTE A ELES CONC. Ex.: “...padecia calada e definhava a olhos vistos”
ATRATIVA
“Mais rara, porém correta, é a concordância de visto
com a pessoa ou coisa que se vê.” (Evanildo Bechara)

26
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Ex.: “O barão definhava a olhos visto.” 3) Passou quarta, quinta e sexta


trabalhosas no Rio.
11) É bom, é necessário, é proibido – O adjetivo
concordará com o substantivo se o sujeito vier _____________________________________
precedido de artigo (ou outro determinante).
Ex.: “Bebida alcoólica é proibido para menores.” _____________________________________
“As bebidas alcoólicas são proibidas para
menores.” 4) Viu as bandeiras brasileira e francesa.
12) Milhar – Todos os seus adjuntos devem estar no _____________________________________
masculino:
Ex.: “Os milhares de pessoas.” _____________________________________
13) Adjetivos designativos de nomes de cores – 5) Era novos o livro e a caneta.
Com dois adjetivos, o “mais comum é deixar o primeiro
invariável na forma do masculino e fazer a concordância
_____________________________________
do segundo com o substantivo determinado, embora
não deixem de aparecer exemplos em bons autores em _____________________________________
que estejam flexionados os dois adjetivos.”
Ex.: Ela tem belíssimos olhos verde-claros. 6) Estavam atrasados a irmã e o irmão.
14) Haja vista – Há quatro construções possíveis: _____________________________________
Ex.: Haja vista os problemas ocorridos.
Haja vista aos problemas ocorridos. _____________________________________
Haja vista dos problemas ocorridos.
Hajam vista os problemas ocorridos. 7) As listas de preço seguiam anexo a esta
15) Um substantivo e dois ou mais adjetivos – O carta.
substantivo vai ao plural. _____________________________________
Ex.: as polícias civil e federal
as bandeiras inglesa e francesa _____________________________________
Se houver repetição do artigo antes do segundo
adjetivo e dos seguintes, o substantivo ficará no 8) Anexos aos requerimentos foram as
singular. listas dos convocados.
Ex.: a polícia civil e a federal _____________________________________
a bandeira inglesa e a francesa
_____________________________________
16) ADJETIVO + DE – O adjetivo varia normalmente.
Ex.: Tristes dos pobres! Continuam sua sobrevida!
9) Remeto-lhe em anexo as certidões.
17) Adjetivos adverbializados - Não há variação. _____________________________________
Ex.: Falemos claro.
A sopa desceu redondo. _____________________________________
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
10) No Shopping ela comprou vestidos e
57) Corrija o que for necessário. roupas caras.
_____________________________________
1) A loja vendera carros e moto usadas.
_____________________________________ _____________________________________

_____________________________________ 11) Na reunião foi discutida a política latino-


americana.
2) Ele comprou peixes e mangas maduras. _____________________________________
_____________________________________
_____________________________________
_____________________________________

27
Língua Portuguesa Professor André Moraes

12) É meio-dia e meio. _____________________________________


_____________________________________
_____________________________________
_____________________________________

13) A aluna estava meio desgastada com os 15) CONCORDÂNCIA VERBAL: o verbo altera sua
terminação para se adequar ao sujeito da frase.
colegas da escola.
_____________________________________ O verbo “sempre” concorda com o sujeito em
número e pessoa.
_____________________________________ Eu saí da sala.

Tu saíste da sala.
14) Bastante famílias perderam o apoio dos
filhos no seminário. Os alunos saíram da sala.
_____________________________________
Regras:
_____________________________________
1) Quando o sujeito é composto, o verbo vai para o
plural.
15) Havia provas bastantes de sua
competência. Ex.: “As condições de trabalho e as máquinas causam
_____________________________________ acidentes.”

Mas: se o sujeito composto vier depois do verbo,


_____________________________________ admite-se a concordância com o núcleo mais próximo.

16) As milhares de mulheres que partiram Ex.: Correu Pedro e Paulo.


para o mercado de trabalho são muito
competentes. 2) Se o sujeito composto vier resumido por um pronome
indefinido (tudo, nada, ninguém etc.), o verbo
_____________________________________ concordará obrigatoriamente com o pronome indefinido.

_____________________________________ Ex.: “O ambiente, os colegas, o chefe, a máquina, tudo


lhe era desagradável.”
17) É necessário justiça, para a paz
3) Sujeito composto formado por pessoas
acontecer ainda neste século. diferentes: o verbo concordará, no plural, com a
_____________________________________ pessoa de número gramatical mais baixo na sequência.

_____________________________________ Ex.: “Tu e ele viajareis.”


Mas: com tu, seguido de uma terceira pessoa, prefere-
se a concordância na terceira pessoa do plural, em
18) Um e outro aluno inteligente conseguiu virtude do desuso do tratamento vós.
a aprovação.
_____________________________________ 4) Sujeito composto, com núcleos do sujeito ligados
por ou:
_____________________________________
a) Com valor exclusivo, verbo no singular;
Ex.: “João ou José será o representante dos
19) Sua Excelência sempre se mostrou metalúrgicos.”
interessado em encaminhar projetos ao
Congresso. b) Sem valor exclusivo, verbo no plural.
_____________________________________ Ex.: “A insegurança ou a raiva podem atrapalhá-lo na
decisão.”

_____________________________________ 5) Sujeito composto, com núcleos do sujeito ligados


por com: verbo no plural.
20) Quero filhas o mais inteligentes
possível. Ex.: “A mulher com os filhos saíram.”

28
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Mas: caso se queira dar maior importância ao primeiro quando a expressão mais de um / mais que um vier
elemento do sujeito composto, o verbo poderá ir para o repetida, ou indicar reciprocidade, o verbo deve ir para o
singular. plural.

6) O sujeito é um pronome de tratamento: verbo Ex.: “Mais de um funcionário, mais de um chefe


sempre na terceira pessoa. saíram.”
Ex.: “Vossa Excelência agiu bem.”
“Vossas Reverendíssimas já nos apoiaram.” “Mais de uma pessoa se deram as mãos.”

7) O sujeito é um coletivo: verbo no singular. 12) Sujeito formado pelas expressões alguns de nós /
poucos de vós / quais de nós etc., a concordância
se o coletivo vier especificado, verbo no singular tanto poderá ser feita com o indefinido plural, quanto
(concordando com a regra), ou plural; com o pronome pessoal.

Ex.: “A multidão gritava.” Ex.: “Alguns de nós desistimos.”


“Alguns de nós desistiram.”
O mesmo ocorre quando o sujeito é uma expressão “Quais de vós falastes?”
partitiva (parte de, metade de etc.) “Quais de vós falaram?”

Ex.: “A multidão de torcedores gritava (gritavam).” Mas: caso o pronome indefinido esteja no singular, a
concordância somente será feita com ele.
8) O sujeito é o pronome relativo que: o verbo concorda
com antecedente do pronome relativo. Ex.: “Qual de nós saiu?”

Ex.: “Fui eu que fiz.” 13) Concordância do verbo acompanhado da


“Fomos nós que fizemos.” partícula se:

Mas: com as expressões um dos que, uma das que, o V.T.D + SE / V.T.D.I + SE (pronome apassivador) - A
verbo deverá ir para o plural, embora sejam frequentes concordância verbal será com o sujeito paciente.
as construções com o verbo no singular.
V.T.I + SE / V.I + SE / V. de Lig. + SE (índice de
9) O sujeito é o pronome relativo quem: verbo na indeterminação do sujeito) – O sujeito será
terceira pessoa do singular. indeterminado, sendo usado o verbo na 3a pessoa do
singular, apenas.
Ex.: “Fui eu quem fez.”
Exs.:
Mas: é muito comum o verbo concordar com o
antecedente. a) Têm-se anunciado conclusões inéditas.
b) Aspira-se a títulos acadêmicos.
Ex.: “Fui eu quem fiz.” c) Reconheceu-se/ Reconheceram-se, de fato, o erro
e a ignorância do réu.
10) Concordância de nomes que só aparecem no d) É-se calmo.
plural: e) Dorme-se pouco, naquela casa.
f) Os erros, aos quais há de se chamar de incipientes
a) Precedidos de artigo, o verbo acompanha o artigo; atitudes, foram compreendidos por todos da sala.

Ex.: “Os Estados Unidos falharam.” 14) Concordância dos verbos dar / bater / soar:
indicando horas, concordam normalmente com o sujeito
b) Sem artigo, o verbo fica no singular. expresso na oração.

Ex.: “Estados Unidos falhou.” “Empregados com referência às horas do dia, os


verbos DAR, BATER, SOAR e sinônimos
11) Concordância das expressões mais de um / mais concordam com o número que indica as horas.”
que um / mais de dois: (Cunha e Cintra)

o verbo concordará com o numeral que acompanha as Ex.: “Soaram doze horas por igrejas daqueles vales.”
expressões; (C. Castelo Branco)

Ex.: “Mais de um funcionário saiu.” Quando há sujeito expresso (relógio, sino, sineta, etc.),
o verbo concorda com ele:

Ex.: “O sino da Matriz bateu seis horas.” (A. Meyer)

29
Língua Portuguesa Professor André Moraes

quando não se indica quem deu as horas, o sujeito da d) Com sujeito e predicativo constituídos de pronome
oração passa a ser o número de horas. pessoal:

15) Concordância dos verbos impessoais: Ex.: “Eu não sou eles.”

HAVER = EXISTIR, ACONTECER, OCORRER ou e) quando o sujeito é um dos pronomes tudo, isso, isto,
indicando tempo decorrido: aquilo, o = aquilo, a concordância deverá ser feita de
Ex.: Há muitas pessoas na sala. preferência com o predicativo do sujeito.

FAZER indicando tempo decorrido ou meteorológico: Ex.: “Nem tudo são prazeres na vida.”
Ex.: Faz dez anos que ela morreu.
Também é possível: “Nem tudo é prazer.”
VERBOS QUE INDICAM FENÔMENO DA NATUREZA:
Ex.: Hoje choveu demais. f) com dois substantivos comuns de números
diferentes, concorda de preferência com aquele que
Mas: Choveram críticas sobre ele. (sentido figurado) estiver no plural.

SER, ESTAR, IR indicando tempo. Ex.: “O assunto eram as guerras do século XX.”
Ex.: Vai para cinco anos que ele morreu.
g) Quando um dos elementos (sujeito ou predicativo)
16) Sujeito oracional: o verbo deve permanecer na for pessoa, o verbo concorda com ele.
terceira pessoa do singular.
Ex.: “Gumercindo é as preocupações da mamãe.”
Ex.: É necessário que estudemos muito. “As tristezas da família é Emengarda.”

17) Verbo parecer mais infinitivo: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO


flexiona-se o verbo parecer;
58) Corrija o que for necessário.
Ex.: As estrelas pareciam brilhar.
(loc. verbal) 1) Isabelle e Cristina chegou tarde.
________________________________________________________

flexiona-se o infinitivo, mas nunca ambos. ________________________________________________________


Ex.: As estrelas parecia brilharem.
2) Chegou tarde Isabelle e Cristina.
OR. PRINC. – parecia ________________________________________________________

________________________________________________________
OR. SUB. SUBJ. RED. DE INFINITIVO – As estrelas
brilharem 3) Juventude, saúde, sucesso, tudo passam.
________________________________________________________
18) Concordância do verbo ser:
________________________________________________________

a) concorda com o predicativo quando seu sujeito for 4) Por muitos séculos, os homens tem usado.
um dos pronomes interrogativos que ou quem; ________________________________________________________

Ex.: - Que são seis meses? (Machado de Assis) ________________________________________________________

5) Houveram muitas discussões naquela reunião.


Quem teriam sido os primeiros deuses? (A. ________________________________________________________
Sérgio)
________________________________________________________
b) concorda com o predicativo quando estiver indicando
tempo, data ou distância; 6) Já fazem anos, havia neste local árvores e flores. Hoje, só
existe ervas daninhas.
________________________________________________________
Ex.: “São duas horas da tarde.”
________________________________________________________
Hoje são vinte cinco.
7) É evidente que deve haver, nesses “arrastões”, um pouco de
modismo.
c) com pronome pessoal reto, concorda ________________________________________________________
obrigatoriamente com ele, seja o pronome reto sujeito
ou predicativo; ________________________________________________________

8) Muito se esforçaram, mas não houveram o que desejavam.


Ex.: “Eles são o Brasil.”
“O Brasil seríamos nós.”

30
Língua Portuguesa Professor André Moraes

________________________________________________________ (A) 50% da torcida brasileira gostaram da seleção;


(B) mais de três jornalistas participaram da entrevista;
________________________________________________________
(C) menos de dois turistas deixaram de participar do
9) Choveram vaias na abertura do PAN. passeio;
________________________________________________________ (D) são 16 de outubro;
(E) participaram do congresso um e outro professor.
________________________________________________________

60) (MPE /RO) Aponte a opção em que a


10) Afogam-se o corpo e a alma em álcool e gorduras.
________________________________________________________ concordância verbal está realizada corretamente.
(A) Houveram muitas festas de Carnaval na Bahia.
________________________________________________________ (B) Os Estados Unidos, ontem, bombardeou o Iraque.
(C) Cada um dos funcionários apresentaram boas
11) Abandone-se a um canto as árvores mortas cobertas de propostas.
lantejoulas. (D) Um dia, um mês, um ano passam depressa.
________________________________________________________
(E) Aconteceu vários fatos marcantes na minha vida.
________________________________________________________
61) (SEFAZ) - No mesmo texto da questão 5,
12) A maioria dos turistas visitou o Rio. aparece o segmento “os povos egípcio e israelita”, em
________________________________________________________ que o substantivo aparece no plural e os dois adjetivos
_______________________________________________________ no singular. O item abaixo em que os adjetivos
poderiam ocorrer no plural é:
13) Essas pessoas devem entender que o tempo delas já (A) as atuais bandeiras brasileira e portuguesa;
passaram. (B) as séries primeira e segunda do ensino médio;
________________________________________________________
(C) os idiomas francês e inglês;
_______________________________________________________ (D) os jornais paulista e carioca da atualidade;
(E) os territórios brasileiro e argentino.
14) 100% da turma passou.
________________________________________________________ 62) (TRE).... pelos governos federal, estadual e
________________________________________________________
municipal..; o item abaixo que exemplifica o mesmo tipo
de concordância nominal do segmento retirado do texto
15) O que fizeram Capitu e eu? é:
________________________________________________________ a) Vivia em tranquilos bosques e montanhas;
b) A professora estava com um vestido e um chapéu
________________________________________________________
escuro;
16) No relógio deu duas horas. c) Passou quarta, quinta e sexta trabalhosas no Rio;
________________________________________________________ d) Viu as bandeiras brasileira e francesa;
e) Era novo o livro e a caneta.
________________________________________________________
63) (EMGEPRON) “Por muitos séculos, o homem
17) Os Estados Unidos são o país mais poderoso do mundo.
________________________________________________________ tem usado...”; se, em lugar de o homem tivéssemos os
homens, a forma verbal adequada seria:
________________________________________________________ a) têm usado;
b) têem usado;
18) Quem é os padrinhos?
c) têm usados;
________________________________________________________
d) têem usados;
________________________________________________________ e) tem usado.

19) Amanhã é 23. 64) (IBGE) “É evidente que deve haver, nessa onda
________________________________________________________
de “arrastões”, um pouco de modismo”; se tivéssemos
________________________________________________________ ondas em lugar de onda, a forma verbal da frase deveria
ser:
20) Helena ou Clotilde casará com ele. a) deve haver;
________________________________________________________ b) devem haver;
________________________________________________________
c) deve haverem;
d) devem haverem;
e) dever haver.
QUESTÕES OBJETIVAS
65) (ELETROBRÁS) “Esses genes alienígenas
59) (BNDES) - A língua portuguesa e os mandam o receptor produzir substâncias...”; se
conhecimentos matemáticos nem sempre estão de trocarmos o número dos sujeitos desse segmento do
acordo. A frase abaixo em que a concordância verbal texto, a nova forma correta seria:
contraria a lógica matemática é:

31
Língua Portuguesa Professor André Moraes

a) Esse gene alienígena manda o receptor produzir a) Bastantes famílias perderam o apoio dos filhos no
substâncias; seminário.
b) Esse gene alienígena manda o receptor produzir b) A aluna estava meio desgastada com os colegas da
substância; escola.
c) Esses genes alienígenas mandam os c) É necessário justiça, para a paz acontecer ainda
receptores produzirem substâncias; neste século.
d) Esse gene alienígena manda os receptores d) Os professores consideraram inoportunos as atitudes
produzirem substâncias; e os palpites do rapaz.
e) Esses genes alienígenas mandam o receptor produzir e) Anexos aos requerimentos foram as listas dos
substância. convocados.

66) (TRT) A nova redação de algumas passagens 72) (TRE-RJ) "Calvino fez da cobrança de juros um
do texto apresenta erro de concordância verbal em: esporte legítimo" Das alterações feitas na sentença
a) então, poderão haver coisas misteriosamente acima, aquela em que há erro de concordância é:
novas em nossas vidas; a) Calvino tornou legítimo cobrarem-se juros.
b) afogam-se o corpo e a alma em álcool e b) Calvino tornou legítimos os juros cobrados.
gorduras; c) Calvino tornou legítima a cobrança de juros.
c) abandonem-se a um canto as árvores mortas d) Calvino tornou a aquisição de títulos e propriedades
cobertas de lantejoulas; legítimas.
d) hoje, o Natal são presentes e comilanças; e) Calvino tornou a aquisição de títulos e propriedades
algo legítimo.
e) pode-se envolver os sinos de papel em fitas
vermelhas.
73) (TRE-RJ) Com relação ao adjetivo sublinhado,
há erro de concordância nominal em:
67) (POLÍCIA CIVIL-DF) A frase do texto que
a) Estavam atrasados a irmã e o irmão.
apresenta uma dupla possibilidade de concordância
b) A loja vendera carros e moto usadas.
verbal é:
c) Ele comprou mamões e mangas maduras.
a) “...o número de turistas no Rio de Janeiro dobrou...”;
d) As listas de preço seguiam anexas a esta carta.
b) “...não há um esquema eficaz de inteligência nem
e) Os trabalhadores não quiseram fazer horas extras.
estrutura técnica adequada para seguir pistas”;
c) “...quase 40% dos que chegam...”;
74) (TRE-MG) Leia com atenção os itens a seguir:
d) “...nem o que percebem os assaltantes”;
I- A multidão, mesmo com a nova ordem econômica,
e) “...que apresentam o Rio e outras grandes cidades
exigiam uma realidade social mais justa.
brasileiras”.
II- Sua excelência sempre se mostrou interessado em
encaminhar projetos ao Congresso.
68) (TRT) Já .......... anos, .......... neste local árvores
III- Os mineiros com frequência nos preocupamos com a
e flores. Hoje, só .......... ervas daninhas.
organização política do País.
a) fazem, haviam, existe
b) fazem, havia, existe
Ocorre concordância ideológica ou silepse em:
c) fazem, haviam, existem
a) I e II apenas
d) faz, havia, existem
b) II e III apenas
e) faz, havia, existe
c) I e III apenas
d) I, II e III
69) (TRE-MT) De acordo com a norma culta, só está
e) III apenas
incorreta a concordância do termo sublinhado em:
a) Remeto-lhe anexo as certidões.
16) SINTAXE DE REGÊNCIA
b) No Shopping ela comprou vestidos e roupas caras.
c) Na reunião foi discutida a política latino-americana.
Regência é a parte da Gramática Normativa que estuda
d) É meio-dia e meia.
as relações de dependência entre as palavras de uma
e) Bons argumentos foram apresentados na exposição
oração.
do conferencista.
O termo que exige o complemento é chamado de
70) (TRE-MT) A única concordância verbal correta
REGENTE, enquanto o complemento é chamado de
está na afirmativa:
REGIDO.
a) O que fizeram Capitu e eu?
b) No relógio deu duas horas.
REGÊNCIA VERBAL
c) Fazem, hoje, dois meses de sua morte.
d) Houveram muitas discussões naquela reunião.
AGRADAR
e) Os Estados Unidos são o país mais poderoso do
mundo.
1) TRANSITIVO DIRETO (fazer carinho, agrado)
Ex.: A esposa agradou o marido.
71) (TRE-MG) Assinale a opção em que a palavra
está com a concordância incorreta:

32
Língua Portuguesa Professor André Moraes

2) TRANSITIVO INDIRETO (ser agradável) Ex.: “O Senhor não atendeu a oração do pecador.”
Ex.: O atraso não agradou ao pai. (Camilo Castelo Branco)

3) TRANSITIVO INDIRETO (atentar, concentrar a


AJUDAR / SATISFAZER / PRESIDIR atenção em)
Transitivos diretos ou indiretos. Ex.: “Batava, entretanto, atender para essas afecções
Ex.: Ajudou o amigo ambicioso. orgânicas.” (Francisco de Castro)
Ajudou ao amigo ambicioso. “Se o complemento for um pronome pessoal referente a
PESSOA, só se empregam as formas objetivas diretas.
ASPIRAR Diz-se:

1) TRANSITIVO DIRETO (cheirar, respirar, sorver) O diretor atendeu os interessados, ou aos


interessados, mas apenas:
Ex.: “Egas aspirava o perfume de seus cabelos.” O diretor atendeu-os.
(Herculano)
2) TRANSITIVO INDIRETO (pretender, desejar muito) CHAMAR
Ex.: “Todos os seres, todas as cousas aspiram à luz,
que é a manifestação da beleza radiante.” (Coelho 1) TRANSITIVO DIRETO (fazer alguém vir)
Neto) Ex.: “Marcela chamou um moleque...e mandou-o a uma
loja na vizinhança.” (Machado de Assis)
Não se diz: aspiro-lhe; e sim aspiro a ele(s), a ela(s).
Ex.: “Vanda não seria sua. Vanda não seria de nenhum 2) TRANSITIVO DIRETO OU INDIRETO (apelidar, dar
dos dois. Não podendo ser dele, Flavio Paiva, Armando nome a – o predicativo pode vir antecedido de
não podia aspirar a ela.” (Octavio de Faria) preposição, ou do conectivo como)
Ex.: “A gente só ouvia o Pancário chamar-lhe ladrão e
ASSISTIR mentiroso.”

1) TRANSITIVO INDIRETO (ver, presenciar, caber, 3) TRANSITIVO INDIRETO (clamar)


competir) Ex.: “Gurgel tornou à sala e disse a Capitu que a filha
Ex.: “Ataxerxes assistia a tudo.” (Aníbal M. Machado) chamava por ela.” (Machado de Assis)
“Se for pronome pessoal o complemento, não se CUSTAR
admitirá a forma lhe(s), senão a ele(s), a ela(s).”
(Rocha Lima) 1) TRANSITIVO INDIRETO (ser custoso, ser difícil)
Ex.: “Bem me lembrava o quanto me custava persegui-
Ex.: Lá vão uns frades celebrar um auto! Não serei eu lo.” (Fernando Sabino)
que assista a ele.” (Alexandre Herculano)
Nesse sentido, o sujeito nunca será a pessoa, mas o
2) TRANSITIVO INDIRETO (caber, competir) infinitivo.
Ex.: “(...) O direito que assiste ao autor de ligar o nome
a todos os seus produtos intelectuais.” (Rui Barbosa) Entretanto, “(...) começa a construção a transitar, ainda
que um tanto ambiguamente, para a significação de
Cabe, neste caso, a forma pronominal lhe(s): DEMORAR, que lhe é próxima, dada a convizinhança
Ex.: (...) nem lhe assistiam razões de querer mal ao semântica entre os dois verbos.” (Rocha Lima)
Império...” (Rui Barbosa)
Ex.: “[Emilinha e Francisquinha] custaram a habituar-se
3) TRANSITIVO DIRETO OU INDIRETO (servir de a mim e ao meu modo de vida.”
ajudante a alguém, acompanhar, assessorar, ajudar)
Ex.: Assistiu o menino. 2) BITRANSITIVO (causar, acarretar consequências)
Assistiu ao menino. Ex.: “Esta obrigação custou-lhe lágrimas, mas não
hesitou um instante.” (Camilo C. Branco)
4) INTRANSITIVO (morar)
Ex.: “Onde o poeta assiste, não há ‘cocks’ / autógrafos, 3) INTRANSITIVO (adquirido pelo preço de)
badalos, gravações.” (Carlos Drummond de Andrade) Ex.: “(...) uma sentinela, que custa milhares de
ATENDER milhões.” (Latino Coelho)

1) TANSITIVO INDIRETO (tomar em consideração, ESQUECER


prestar atenção a)
Ex.: “As mucamas faziam prodígios, atendendo a um e 1) TRANSITIVO DIRETO (não-pronominal)
a outro.” Ex.: As pessoas esquecem tudo.

2) TRANSITIVO DIRETO (deferir, receber em casa, ou 2) TRANSITIVO INDIRETO (pronominal)


no gabinete, etc.) Ex.: Esqueci-me dos documentos.

33
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Neste exemplo, “(...) o objeto, quer direto, quer LEMBRAR / RECORDAR


precedido de preposição, vai figurar como sujeito.
Esqueceram-me os documentos.” (Rocha Lima) 1) TRANSITIVO DIRETO (trazer à lembrança, evocar,
recordar-se)
Ex.: O seu rosto lembrava uma carranca.
INFORMAR 2) BITRANSITIVO (sugerir a lembrança, advertir, fazer
Emprega-se com objeto direto de coisa e indireto de recordar)
pessoa, ou vice-versa. Ex.: Não era preciso lembrar o compromisso ao amigo.

Ex.: Informou ao amigo o incidente. 3) TRANSITIVO INDIRETO (quando for pronominal)


Informou o amigo do incidente. Ex.: “Lembro-me do acontecimento.”

A mesma regência se aplica também aos verbos: NAMORAR


avisar, certificar, cientificar, notificar, prevenir
É transitivo direto, por isso não exige preposição.
IMPLICAR Ex.: Tayná namora aquele rapaz.

1) TRANSITIVO INDIRETO (ter implicância com, OBEDECER (E DESOBEDECER)


mostrar má disposição para com alguém, comprometer-
se, enredar-se, envolver-se em situações embaraçosas) 1) TRANSITIVO INDIRETO
Ex.: Implicar com os namorados da filha. Ex.: O bom filho obedece ao pai.
“Implicar-se em negociações árduas, em empresas
difíceis.” (Constâncio) 2) INTRANSITIVO
Ex.: Ninguém desobedeceria.
2) TRANSITIVO DIRETO (trazer como consequência,
acarretar) PAGAR / PERDOAR
Ex.: “(...) sem que a investida do novo chefe implicasse
a menor quebra no movimento político e social.” (Latino Pedem objeto direto de coisa e indireto de pessoa,
Coelho) entidade.
Ex.: Perdoamos as agressões aos inimigos.
INTERESSAR

1) TRANSITIVO DIRETO (ofender, ferir) PEDIR


Ex.: O tiro interessou o coração.
1) BITRANSITIVO
2) TRANSITIVO DIRETO (dizer respeito a, despertar a Ex.: O professor pede aos presentes que não
atenção, a curiosidade, dar interesse a) conversem.
Ex.: “Essas lições atrairão e interessarão ainda as
criancinhas mais verdes.” (Rui Barbosa) PREFERIR

3) TRANSITIVO INDIRETO (ser proveitoso, ser do 1) BITRANSITIVO


interesse de) Ex.: Prefiro um bom livro a telenovelas.
Ex.: “o resto é dispensável e apenas pode interessar
aos arquitetos (...)” (Graciliano Ramos) PROCEDER

4) TRANSITIVO INDIRETO (empenhar-se, tomar 1) INTRANSITIVO (ter fundamento)


interesse por, acompanhado das preposições EM e Ex.: As críticas das pessoas procediam.
POR)
Ex.: “Antônia interessava-se nestes estudos...” 2) INTRANSITVO (originar-se, vir de algum lugar)
(Camilo C. Branco) Ex.: Angélica procede de Minas Gerais.
“- É a primeira vez que você se interessa por ela,
desde que chegou...” (Aníbal M. Machado) 3) TRANSITIVO INDIRETO (dar início, executar)
5) BITRANSITIVO (dar parte a alguém em algum Ex.: “Procederemos a uma investigação rigorosa.”
negócio, despertar o interesse de alguém para alguma
coisa, com OBJETO DIRETO DE PESSOA E QUERER
COMPLEMENTO INICIADO POR EM)
Ex.: “interessei-o nesta empresa.” (Sousa Lima, Gram. 1) TRANSITIVO DIRETO (desejar)
Port.) Ex.: Eu quero um mundo menos hipócrita.

2) TRANSITIVO INDIRETO (estimar, ter afeto)


Ex.: Eu lhe quero muito.
“Quero a meus pais.”

34
Língua Portuguesa Professor André Moraes

RESPONDER REGÊNCIA NOMINAL

1) TRANSITIVO INDIRETO (em relação à pergunta) acessível a idêntico a


Ex.: “O Faustino teve de responder às próprias afável com, para com impossível de
perguntas.” (M. Torga) agradável a impróprio para
2) TRANSITIVO DIRETO (em relação à resposta) alheio a incompatível com
Ex.: “Nenhum escritor comum, igualmente, responderia amante de inconsequente com
isso.” análogo a indeciso em
ansioso de, para, por independente de, em
3) BITRANSITIVO apto a, para indiferente a
Ex.: “Respondi-lhe que já tinha lido a receita em aversão a, para, por indigno de
qualquer parte.” (J. Cardoso Pires) ávido de inerente a
benéfico a inexorável a
4) TRANSITIVO INDIRETO (replicar, retorquir) capaz de, para leal a
Ex.: “À linguagem do deputado o jovem médico certo de lento em
respondeu com igual franqueza.” (M. de Assis) compatível com liberal com
5) INTRANSITIVO compreensível a medo a, de
Ex.: A menina não respondeu imediatamente. comum a, de natural de
constante em necessário a
6) INTRANSITIVO (repetir a voz, o som, cantar ou contemporâneo a, de negligente em
tocar em resposta) contíguo a nocivo a
Ex.: “Longe, bem longe, outro canto respondeu. E contrário a ojeriza a, por
outro. E outro.” (M. Palmério) cuidadoso com paralelo a
7) TRANSITVO INDIRETO (corresponder, equivaler, curioso de, por parco em, de
condizer) desatento a
Ex.: “Quis puxar as mãos de Capitu, para obrigá-la a vir passível de
descontente com perito em
atrás delas, mas ainda agora a ação não respondeu à desejoso de
intenção.” (M. Assis) permissivo a
desfavorável a perpendicular a
diferente de pertinaz em
8) TRANSITIVO INDIRETO (ser ou ficar responsável,
difícil de possível de
responsabilizar-se)
digno de possuído de
Ex.: O tio responderia por ele.
entendido em posterior a
equivalente a preferível a
SIMPATIZAR
erudito em prejudicial a
É transitivo indireto e exige a preposição COM. escasso de prestes a, para
Ex.: Ele nunca simpatizou comigo. essencial para propício a
estranho a próximo a, de
Obs.: O verbo simpatizar não é pronominal. fácil de relacionado com
favorável a responsável por
Ex.: Ele nunca se simpatizou comigo. (ERRO) fiel a rico de, em
firme em seguro de, em
SOCORRER generoso com semelhante a
grato a sensível a
“Na linguagem hodierna é transitivo direto.” (Rocha hábil em sito em
Lima) habituado a suspeito de
Ex.: O bombeiro socorreu o afogado. horror a útil a, para
VISAR hostil a versado em

1) TRANSITVO DIRETO (apontar, mirar, dar o visto em


alguma coisa) 75) CORRIJA, SE FOR NECESSÁRIO.
Ex.: “Queria [o americano] visar seu passaporte...”
(Fernando Sabino) 1) Eu lhe amo, Cristina.
2) TRANSITIVO INDIRETO (pretender, ter em vista)
Ex.: Visamos a um país melhor. 2) Sempre assistimos esse programa.
SÃO TRANSITIVOS DIRETOS 3) Informei-lhe da reunião.
amar, estimar, abençoar, louvar, parabenizar, visitar, 4) Aspirava o novo emprego.
elogiar, magoar, namorar, adorar, apreciar, detestar,
odiar, admirar, ofender. 5) Esqueceu o dia da prova.

35
Língua Portuguesa Professor André Moraes

6) Vaninha namora com Felipe. e) todos participavam e pensavam sobre o movimento.

7) Paguei ao empréstimo. 79) (CESGRANRIO) A linguagem especial,


................. emprego se opõe o uso da comunidade,
8) O amor implica compromisso. constitui um meio ................. os indivíduos de
determinado grupo dispõem para satisfazer o desejo de
9) Perdoava aos inimigos sem pensar. auto-afirmação.
a) a cujo, de que
10) Moro à Rua Oscar Guanabarino. b) do qual, ao qual
c) cujo, que
11) Obedecemos a lei. d) o qual, a que
e) de cujo, do qual
12) A loja procedeu ao sorteio.
80) (CESGRANRIO) Assinale a opção que completa
13) Prefiro mais vida do que a morte. corretamente as lacunas da seguinte frase: "O controle
biológico de pragas, ............ o texto faz referência, é
14) Prefiro vida a morte. certamente o mais eficiente e adequado recurso ............
os lavradores dispõem para proteger a lavoura sem
15) Não pise na relva molhada. prejudicar o solo."
a) do qual, com que
16) Alaíde puxou os pais. (sair semelhante) b) de que, que
c) que, o qual
17) Reparei o corpo das modelos. d) ao qual, cujos
e) a que, de que
18) Simpatizo-me com todos os alunos.
81) (TRT) Assinale a alternativa que completa
19) Não devemos só visar o poder. convenientemente as lacunas abaixo:
I - Certifiquei ............ de que o prazo esgotara-se.
20) Chegamos na lagoa. II - Recebi ............ em meu escritório.
III - Informo ............ que as notas fiscais estão
21) Custei a sair da cama. rasuradas.
IV - Avisei ............ de que tudo fora resolvido.
22) Devemos ser afáveis com as crianças. a) o - o - lhe - o
b) o - o - o - o
c) lhe - lhe - lhe - o
QUESTÕES OBJETIVAS d) o - lhe - lhe - o
e) lhe - lhe - o - o
76) (TRT) O emprego da preposição NÃO se deve à
regência nominal em: 82) (TRE-SP) O auxiliar judiciário, .......... méritos
a) “um castigo divino à nossa reverência pagã”; não se discutem, merece confiança.
b) “água Viva do poço de Jacó”; a) de cujos
c) “nossa reverência pagã à figura de Papai Noel”; b) em cujos
d) “estamos inclinados à simplicidade da manjedoura”; c) cujos
e) “o consumo compulsório de produtos”. d) cujos os
e) por cujos
77) (ANP)
a) Prefiro isso que fazer aquilo. 83) (TRE-MG) Observe a regência dos verbos das
b) Prefiro isso a fazer aquilo. frases reescritas nos itens a seguir:
c) Prefiro isso do que fazer aquilo. I - Chamaremos os inimigos de hipócritas.
d) Prefiro isso do que a fazer aquilo. Chamaremos aos inimigos de hipócritas;
e) Prefiro isso a que fazer aquilo. II - Informei-lhe o meu desprezo por tudo. Informei-lhe
do meu desprezo por tudo;
78) “...exclusão e destruição das pessoas,...”; nesse III - O funcionário esqueceu o importante acontecimento.
segmento do texto, os dois substantivos – exclusão e O funcionário esqueceu-se o importante
destruição – exigem a mesma preposição e, por isso, a acontecimento. A frase reescrita está com a regência
construção é considerada correta na norma culta. A correta em:
frase abaixo que repete essa mesma estrutura é: a) I apenas
a) Betinho admirava e gostava da humanidade; b) II apenas
b) o movimento precisava e queria a ajuda de todos; c) III apenas
c) Betinho pretendia e ansiava por um movimento d) I e III apenas
nacional; e) I, II e III
d) o movimento ajudava e acompanhava os pobres;

36
Língua Portuguesa Professor André Moraes

84) (TRE-RJ) A desigualdade jurídica do feudalismo Exemplos:


..... alude o autor se faz presente ainda hoje nos países
..... terras existe visível descompasso entre a riqueza e Vou a a cidade.
a pobreza. Tendo em vista o emprego dos pronomes
relativos, completam-se corretamente as lacunas da Vou à cidade.
sentença acima com:
a) a qual / cujas
b) a que / em cujas Refiro-me a as alunas.
c) à qual / em cuja as
d) o qual / por cujas Refiro-me às alunas.
e) ao qual / cuja as

85) (TRE-RJ) "porque implica em cobrar o tempo" / Fiz referência a aquilo.


porque implica cobrar o tempo. A construção do verbo
implicar com a preposição em resulta, provavelmente, Fiz referência àquilo.
de um cruzamento sintático com verbo sinônimo
(importar), sendo considerada errônea por alguns Sua caneta era igual a a que me deste.
gramáticos. A alternativa em que há erro de regência na
segunda das sentenças é: Sua caneta era igual à que me deste.
a) Preferimos pagar juros a ficar sem o produto. / Importante: Haverá a crase sempre que o termo
Preferimos pagar juros do que ficar sem o produto. antecedente exigir, pela sua regência, a preposição
b) Esquecemos facilmente o belo arrazoado aquiniano. / a e o termo consequente admitir o artigo a (s).
Esquecemo-nos facilmente do belo arrazoado
aquiniano.
CASOS OBRIGATÓRIOS
c) Queremos informar-lhes que nossos juros são baixos.
/ Queremos informá-los de que nossos juros são baixos. 1) DIANTE DE NOMES MASCULINOS, QUANDO
d) Ainda nos lembramos da belíssima aula de filosofia
HÁ ELIPSE DAS EXPRESSÕES À MODA DE,
tomista. / Ainda nos lembra a belíssima aula de filosofia
tomista. À MANEIRA DE
e) Se cobrar juros é pecado, chamamos de pecadores
2) ANTES DE VIRGEM MARIA, SENHORA,
todos os banqueiros... / Se cobrar juros é pecado,
chamamos pecadores a todos os banqueiros. SENHORITA e DONA
3) DIANTE DE NOMES DE PAÍSES, RUAS E
86) (BNDES) - Num pequeno texto distribuído por
moradores de um condomínio da Zona Sul do Rio de AVENIDAS
Janeiro apareciam as seguintes frases: - “os
4) DIANTE DA PALAVRA CASA (LAR,
condôminos cujas reclamações o síndico não deu
atenção...” - “os itens que não foram discutidos os DOMICÍLIO) ACOMPANHADA DE ADJETIVO
pontos principais...”
OU LOCUÇÃO ADJETIVA, OU NO SENTIDO
Sobre essas frases pode-se afirmar, em termos de
correção gramatical, o seguinte: DE ESTABELECIMENTO COMERCIAL, etc.
(A) as duas frases apresentam perfeita estruturação
5) DIANTE DA PALAVRA TERRA (SEM
gramatical;
(B) as duas frases apresentam o mesmo tipo de erro OPOSIÇÃO A BORDO)
gramatical;
6) ANTES DE NOMES DE MULHERES
(C) só a primeira frase apresenta estrutura gramatical
inadequada; CÉLEBRES, SE O NOME VIER
(D) só a segunda frase apresenta estrutura gramatical
ACOMPANHADO DE UM ADJUNTO
inadequada;
(E) as duas frases apresentam erros gramaticais de 7) NAS LOCUÇÕES ADVERBIAIS,
tipos diferentes.
PREPOSITIVAS E CONJUNTIVAS FEMININAS
17) CRASE
CASOS PROIBITIVOS
A palavra crase provém do grego (krásis) e significa
mistura. Encontrando-se a preposição a com o artigo a, 1) ANTES DE NOMES MASCULINOS
as, ou com o pronome demonstrativo feminino a, as,
2) ANTES DE NOMES FEMININOS COM
bem como com o a de aquele, aqueles, aquelas, aquilo,
a qual e as quais, fundem-se os dois sons em um só, SENTIDO GENÉRICO
que na linguagem escrita, se assinala atualmente com o
3) ANTES DE NOMES DE VULTOS HISTÓRICOS
acento grave.
4) ANTES DE VERBO

37
Língua Portuguesa Professor André Moraes

5) ANTES DE PRONOMES QUE NÃO ADMITEM _____________________________________________


ARTIGO: CUJA, QUEM, ELA, ESTA, MIM,
_____________________________________________
V.sª, V. Exª, etc.
6) Fiz tudo aquilo a máquina, a mão e a lápis.
6) ANTES DA PALAVRA CASA (LAR), SEM
_____________________________________________
MODIFICADOR
_____________________________________________
7) ANTES DA PALAVRA TERRA, OPOSTO DE
BORDO, USADA SEM MODIFICADOR 7) Minha moto funciona a álcool e a gasolina.
_____________________________________________
8) ANTES DE ARTIGO INDEFINIDO
9) ANTES DE NUMERAIS CARDINAIS _____________________________________________
REFERENTES A SUBSTANTIVOS NÃO
8) Essa empresa parece que funciona a pancadas.
DETERMINADOS PELO ARTIGO _____________________________________________

_____________________________________________
CASOS FACULTATIVOS
9) A sombra daquele pinheiro, descansava
1) ANTES DE PRONOME POSSESSIVO
tranquilamente.
FEMININO _____________________________________________
2) ANTES DE NOMES DE MULHER
_____________________________________________
3) ANTES DE ALGUNS TOPÔNIMOS: FRANÇA,
10) Meu amigo não sabia a quem entregar o
ESCÓCIA, ESPANHA, EUROPA,
envelope.
INGLATERRA, ÁFRICA e ÁSIA _____________________________________________
4) COM A PREPOSIÇÃO ATÉ
_____________________________________________

EXERCÍCIOS DE REPETIÇÃO 11) Não gosto de pessoas que vivem a minha custa.
_____________________________________________
87) Se necessário, use o acento indicativo de
crase. _____________________________________________

1) Jamais entregaremos a equipe noturna as 12) Em campo, faço jogadas a Ronaldinho.


chaves do novo cofre. _____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
13) Agradou-me a peça teatral a que assisti ontem a
2) Olhavam de cima a baixo o novo documento da noite.
firma. _____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
14) Cheguei cedo a casa, mas retornei a faculdade.
3) Quem vai a lugares ermos, hoje, fica sujeito a _____________________________________________
tudo.
_____________________________________________ _____________________________________________

_____________________________________________ 15) Dirigi-me a casa de meus empresários e em


seguida voltei a casa.
4) A casa a que você se refere fica a duas léguas _____________________________________________
daqui.
_____________________________________________ _____________________________________________

_____________________________________________ 16) Depois de dois meses a bordo daquele navio,


retornamos a terra.
5) A temperatura subiu a 40 graus a sombra.

38
Língua Portuguesa Professor André Moraes

_____________________________________________ _____________________________________________

_____________________________________________ _____________________________________________

17) Nunca fui a terra de meus pais. 28) Assisti a mesma aula mais uma vez.
_____________________________________________ _____________________________________________

_____________________________________________ _____________________________________________

18) Não conheço a terra de meus antepassados. 29) A certa altura, falava bobagens a qualquer
_____________________________________________ mulher.
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
19) Cristina é a mulher a qual dedico todo o meu
amor. 30) Fazia alusão a de roupa escura.
_____________________________________________ _____________________________________________

_____________________________________________ _____________________________________________

20) Cristina é a mulher a quem dedico todo o meu QUESTÕES OBJETIVAS


amor.
_____________________________________________ 88) (TRT) O uso do sinal indicador da crase é
facultativo em:
_____________________________________________ a) “castigo duro à nossa reverência”;
b) “reverência pagã à figura de Papai Noel”;
21) A equipe está a procura de informações sobre o c) “ato de se empanturrar à mesa”;
sumiço dela. d) “damos à mercadoria um valor”;
_____________________________________________ e) “estamos inclinados à simplicidade da
manjedoura”.
_____________________________________________

22) Foi até a estação, mas não encontrou o que


procurava. 89) (POLÍCIA CIVIL-DF) “É fácil atribuir todos os
_____________________________________________ problemas à falta de verbas”; nessa frase, o acento
grave indicativo da crase resulta da união de uma
_____________________________________________ preposição com um artigo, o mesmo que ocorre em:
a) servir à francesa;
23) Dediquei vários poemas a Ana Luíza. b) ir àquela praia;
_____________________________________________ c) entregar o prêmio à de vestido verde;
d) dar àquele homem a condecoração;
_____________________________________________ e) atribuir a culpa à que está armada.
24) Tenho feito o equivalente a duas horas de 90) (IBGE) “...submeto à apreciação de Vossa
trabalho. Senhoria...”; o acento grave indicativo da crase neste
_____________________________________________ segmento se deve a que:
a) ocorre a união da preposição a com o artigo definido
_____________________________________________ feminino singular;
b) a regência do verbo submeter exige o uso da
25) Ele sempre sai as duas. preposição a;
_____________________________________________ c) há a obrigatoriedade do emprego do artigo definido
feminino singular;
_____________________________________________ d) faça parte de uma locução adverbial;
e) faça parte de uma locução prepositiva.
26) Nunca me uni aqueles elementos.
_____________________________________________ 91) (TRE-SP) Ele aprendeu ...... tempo que a
obediência ...... leis dignifica o cidadão devotado ......
_____________________________________________ pátria.
a) há - as - a
27) Não estou disposto a falar com eles. b) a - às - a
c) há - as - à
d) à - às – à

39
Língua Portuguesa Professor André Moraes

e) há - às – à 98) (SECRETARIA DE SAÚDE – AG. ADM.) -


“submetidas à ação de raios ultravioleta”; neste caso, há
92) (TRE-SP) Daqui ..... pouco, ele chegará ..... este a utilização do acento grave indicativo da crase porque
Tribunal para encaminhar suas reclamações ..... quem ocorre a junção da preposição A (submetida A) com o
de direito. artigo definido A (a ação). A alternativa em que a
a) a - a - à utilização desse acento está correta é:
b) à - à - à (A) devido à presença de bactérias;
c) a - à - a (B) aliado à mau emprego de equipamentos;
d) a - a - a (C) submetido à altas temperaturas;
e) à - a - a (D) levado à sair do Brasil;
(E) anexo à grande número de documentos.
93) (TRE-MT) O uso do acento grave (indicativo de
crase ou não) está incorreto em: 18) PONTUAÇÃO
a) Primeiro vou à feira, depois é que vou trabalhar.
b) Às vezes não podemos fazer o que nos foi ordenado. A VÍRGULA
c) Não devemos fazer referências àqueles casos.
d) Sairemos às cinco da manhã. 1) Para separar um aposto.
e) Isto não seria útil à ela. 2) Para separar o vocativo.
3) Para separar as orações coordenadas, exceto as
94) (TRE-MG) O acento grave, indicador de crase, começadas por E.
está empregado incorretamente em: 4) Para separar as orações subordinadas adverbiais
a) Tal lei se aplica, necessariamente, à mulheres de deslocadas.
índole violenta. 5) Para separar termos deslocados no período e que se
b) As novelas, às quais assisti, problematizam a questão pronunciam com pausa.
da droga. 6) Para separar termos de mesmo valor usados numa
c) Entregou as chaves da loja àquele senhor que nos coordenação.
desacatou na praça. 7) Para separar orações começadas por E, quando têm
d) O delegado disse ao prefeito e aos vereadores que sujeito diferente da primeira.
estava à procura dos foragidos. 8) Para intercalar qualquer termo, normalmente de valor
e) O bom atendimento às pessoas pobres deve ser explicativo ou adverbial.
prioridade da nova administração. 9) Para indicar supressão de verbo.
10) Para separar conjunções adversativas e conclusivas
95) (TRE-RJ) "a tensão social poderia levar-nos a deslocadas.
duas extremas posições." Das expressões que 11) Para separar orações subordinadas adjetivas
substituem a sublinhada na passagem acima, aquela explicativas.
cujo a pode ter o acento grave indicativo de crase é:
a) a mesma posição Observação:
b) a certa posição
c) a alguma posição Não se usa vírgula para separar:
d) a qualquer posição
e) a posições distintas 1) O verbo de seu sujeito ou objeto.
2) O nome de seu complemento ou adjunto.
96) (TRE-MT) A única frase em que o a sublinhado 3) O verbo de seu predicativo.
deveria ser grafado com o acento grave indicativo de 4) As orações substantivas de sua principal.
crase é:
a) Estou pronto a discutir o novo projeto. 99) JUSTIFIQUE O USO DA PONTUAÇÃO.
b) Pelé fará uma viagem a Roma.
c) O presidente não fez alusão a qualquer ministro. 1) Canto, danço, interpreto, escrevo.
d) Vamos a sala vizinha, disse o ministro. _____________________________________________
e) Preferiu morrer a entregar-se. _____________________________________________

97) (TRE-RJ) O "a" (sublinhado) que deverá levar o 2) Canto, e danço, e interpreto, e escrevo.
acento grave indicativo de crase está na seguinte _____________________________________________
alternativa: _____________________________________________
a) Eles entregam "pizza" a domicílio.
b) O menino não quis ir a casa dos tios. 3) No Brasil, a diferença social preocupa poucas
c) A encomenda foi entregue a uma pessoa estranha. pessoas.
d) As moças começaram a gritar logo no início do filme. _____________________________________________
e) O fiscal não se referia a candidatas, mas a _____________________________________________
candidatos.
4) Os candidatos, que chegaram tarde, não farão a
prova.

40
Língua Portuguesa Professor André Moraes

_____________________________________________ Ex.: Já dizia o velho sábio: “Ler ou não ler Paulo


_____________________________________________ Coelho?”
2) Antes de uma enumeração.
5) Ainda não houve tempo, mas, em breve, as Ex.: Aqui nós temos: amor, compreensão, trabalho etc.
providências serão tomadas. Obs.: Poderia ser escrito sem os dois-pontos.
_____________________________________________
_____________________________________________ 3) Para introduzir um aposto ou oração apositiva.
Ex.: Eu quero uma coisa: alegria.
6) Você pretende cursar Letras; Ana, Ciências Eu quero uma coisa: que eu tenha alegria.
Contábeis.
_____________________________________________
_____________________________________________ 4) Antes de um exemplo, nota, observação,
7) Confessou-lhe tudo: ira, medo, traição. esclarecimento.
_____________________________________________ Ex.: Obs.:
_____________________________________________ Nota:

8) Cale-se, Jurema! RETICÊNCIAS


_____________________________________________
_____________________________________________ Usam-se reticências para indicar a interrupção de um
pensamento.
9) Embora tenha muita preguiça, faço bem minhas Ex.: Esse homem é um grande...
tarefas.
_____________________________________________ ASPAS
_____________________________________________
1) No começo e no fim de uma citação ou transcrição.
10) Hoje, eu daria o mesmo conselho: mais Ex.: Já dizia o velho sábio: “Ler ou não ler Paulo
sabedoria. Coelho?”
_____________________________________________
_____________________________________________ 2) Para indicar gíria, estrangeirismo, neologismo.
Ex.: Ele era “imexível”.
11) As pessoas sempre prometem, e não cumprem. 3) Para reproduzir um erro gramatical.
_____________________________________________ Ex.: Ele não tem “experiença”.
_____________________________________________
PONTO
12) Tadeu, pastor e professor, celebrou o
casamento de meu irmão. Marca o fim de um período.
_____________________________________________ Ex.: Ana é a mais bela mulher que conheci.
_____________________________________________
Obs.: também é usado nas abreviaturas; nunca, porém,
13) Correu muito; não alcançou, no entanto, o naquelas que são símbolos técnicos de tempo,
ônibus. distância, peso etc.
_____________________________________________
_____________________________________________ TRAVESSÃO

PONTO-E-VÍRGULA 1) Para destacar uma palavra ou frase.


Ex.: Uma coisa – amor – pode libertar o homem.
1) Para separar os itens de uma enumeração.
Ex.: O candidato precisa fazer duas coisas: 2) Para indicar nos diálogos mudança de interlocutor.
a) chegar com antecedência de uma hora; Ex.: - Bom dia.
b) trazer identidade. - Não. Péssimo dia.

2) Para separar as orações adversativas ou conclusivas, PARÊNTESES


quando se quer alongar a pausa.
Ex.: Havia muitas pessoas à minha espera; contudo Acrescentam frases, orações, expressões de valor
preferi ficar no escritório. acessório; por isso ficam intercalados no período.
3) Para separar orações coordenadas quando a Ex.: Esse homem (não aquele outro) é um crápula.
conjunção está deslocada.
Ex.: Estudou a tarde toda; estava, portanto, preparado.
PONTO DE EXCLAMAÇÃO
DOIS-PONTOS Indica as frases exclamativas em que há admiração.
Ex.: Meu Deus! Jesus está voltando!
1) Antes de uma citação.

41
Língua Portuguesa Professor André Moraes

PONTO DE INTERROGAÇÃO
103) (EMGEPRON)
Indica as frases interrogativas (interrogativas diretas).
Ex.: Quem me tocou? (interrogação direta) TEXTO
Não sei quem me tocou. (interrogação indireta)
A COMPRA DE ARMAS DEVE SER PROIBIDA?
QUESTÕES OBJETIVAS
Dalmo Dallari – Folha de São Paulo
100) (TRT) Em cada alternativa abaixo apresenta-se,
entre parênteses, um comentário sobre a pontuação de “Estou convencido de que, em benefício da
algum segmento do texto. A alternativa em que o segurança de todo o povo, o comércio de armas deveria
comentário é inadequado ao respectivo exemplo é: ser bastante restringido e rigorosamente controlado.”
As vírgulas empregadas no primeiro período do texto
a) “o estômago devora castanhas, nozes, avelãs e
mostram que:
amêndoas...” (Normalmente não se usa vírgula antes
a) há uma posição vacilante do autor sobre o tema
do “e” que encerra uma sequência de elementos com
discutido;
mesma função”);
b) ocorreu uma inversão da ordem direta dos termos da
b) “já que o espírito arde de sede daquela Água frase;
Viva do poço de Jacó, afoga-se o corpo em álcool e c) houve necessidade de uma explicação no
gorduras” (A vírgula separa a oração adverbial da desenvolvimento do texto;
principal, que a sucede); d) um aposto sempre vem entre vírgulas;
c) “plantemos no fundo da alma uma oração que sacie e) as opiniões do autor merecem destaque.
nossa fome de transcendência”. (É opcional o
emprego de vírgula entre o pronome relativo e seu 104) (AUX. DE ENFERMAGEM) “E, folheando,
antecedente); aquelas velhas páginas...”; nesse segmento do texto há
d) “talvez seja no Natal que nossas carências um erro:
fiquem mais expostas. Damos presentes sem nos a) não se devia usar vírgula após folheando;
dar, recebemos sem acolher...” . (O ponto depois de b) não se pode começar frase com E;
“expostas” poderia ser trocado por dois pontos); c) o adjetivo velhas deveria vir após o substantivo
e) “abandonemos a um canto a árvore morta”. (A páginas;
expressão “a um canto” poderia estar entre vírgulas). d) a forma gráfica correta é foleando;
e) o demonstrativo aquelas deveria ser substituído por
101) estas.

TEXTO 19) COLOCAÇÃO PRONOMINAL

“A polêmica na leitura sobre as ONGs já começa na 1. PRÓCLISE ou PRONOME PROCLÍTICO –


leitura da sigla. Uns lêem “ongue”, outros, “oenegê”. pronome oblíquo antes do verbo.
Mas o que são as tais ONGs? A sigla se refere a
Organizações Não-Governamentais e se popularizou 2. MESÓCLISE ou PRONOME MESOCLÍTICO –
após a Rio-92, quando os governos dos países do pronome oblíquo no meio do verbo.
mundo inteiro reuniram-se no Rio de Janeiro para tratar
das questões ambientais do planeta.” 3. ÊNCLISE ou PRONOME ENCLÍTICO –
(Vilmar Berna, O Globo, 24/6/1996) pronome oblíquo depois do verbo.
Se retirarmos as vírgulas do segundo período do texto,
mantendo-se o sentido original, a forma correta de sua
escritura seria: USO DA ÊNCLISE
a) Uns lêem “ongue” enquanto outros lêem “oenegê”;
b) Uns lêem “ongue” mas outros lêem “oenegê”; A ênclise é obrigatória:
c) Uns lêem “ongue” e outros lêem “oenegê”;
d) Ora uns lêem “ongue” ora “oenegê”; 1. em início de período
e) Embora uns leiam “ongue” outros lêem “oenegê”.
Disseram-me a verdade.
102) (TRE) “Vamos, por um momento que seja, cair
na real...”; a regra abaixo que justifica o emprego das 2. com o verbo no gerúndio
vírgulas nesse segmento do texto é:
a) separar elementos que exercem a mesma função Saiu, queixando-se de todos.
sintática;
b) isolar o aposto; 3. com o verbo no imperativo afirmativo
c) isolar o adjunto adnominal antecipado;
d) indicar a supressão de uma palavra; Mostre-me os culpados.
e) marcar a intercalação de elementos.

42
Língua Portuguesa Professor André Moraes

USO DA PRÓCLISE Com palavra atrativa.

A próclise é obrigatória quando alguma palavra Não lhe tenho obedecido.


atrai o pronome. As palavras atrativas são:
Exercícios de fixação
1. palavras de sentido negativo
105) Ponha nos parênteses C quando estiver
Nada me surpreende. certo, E quando estiver errado.

2. pronomes indefinidos, interrogativos e 1. Me falaram as causas de sua demissão. ( )


relativos
2. Jamais entregaram-me as provas. ( )
Quem o viu?
3. Aqui se vive. ( )
3. conjunções subordinativas
4. Aqui, se vive. ( )
Quando me disseram, já era tarde.
5. A mulher que nos contratou, viajou. ( )
4. a maioria dos advérbios que não peçam
pausa
6. Alguém nos viu no clube. ( )
Ali se vive.
Ali, vive-se. 7. Me convidarão para ser o orador. ( )

5. gerúndio antecedido da preposição EM 8. Não convidar-me-ão. ( )

Em se tratando de amigos, prefiro os menos falsos. 9. Entregar-te-iam a encomenda. ( )


Também há próclise:
10. Nunca entregariam-te a encomenda. ( )
6. nas frases exclamativas e nas orações
optativas (exprimem desejo) 11. Sei que chamam-me, mas não ligo. ( )

Deus nos deu a vida! 12. Quanto iludi-me! ( )

USO DA MESÓCLISE 13. Em se plantando, tudo dá. ( )

Só há mesóclise com verbo no futuro do presente 14. Tudo se modificou com o tempo. ( )
ou no futuro do pretérito, se não houver palavra atrativa
antes do verbo.
15. Te cuida, cara! ( )
Convidar-me-ão para a festa.
Jamais me convidarão para a festa. 16. Quem me tocou? ( )

COLOCAÇÃO PRONOMINAL NAS LOCUÇÕES 17. Luíza beijou-o. ( )


VERBAIS
18. Deus o abençoe. ( )
1. Verbo principal no infinitivo ou gerúndio.
19. Deus me livre! ( )
Desejo-lhe mostrar as fotos.
Desejo mostrar-lhe as fotos.
20. Quero-lhe falar uma coisa. ( )
Com palavra atrativa.
21. Não quero falar-lhe nada. ( )
Nunca lhe desejo mostrar as fotos.
Nunca desejo mostrar-lhe as fotos. 22. Tenho-lhe feito muitos favores. ( )

O uso do gerúndio é igual. 23. Não tenho feito-lhe muitos favores. ( )


2. Verbo principal no particípio. 24. O encontrei mais tarde. ( )
Tenho-lhe obedecido.
25. Farei-lhe recomendações. ( )

43
Língua Portuguesa Professor André Moraes

106) (MPE /RO) Indique a opção em que o pronome 112) (TRT) Marcar o único caso de mesóclise
oblíquo NÃO está colocado corretamente, de acordo obrigatória:
com a norma culta. a) Sempre diria a verdade. (te)
(A) O professor levou a moto para ser consertada – b) Alguns arrependerão. (se)
levou-a. c) Contarás tudo. (me)
(B) O professor levará a moto para ser consertada – d) O menino não ajudará. (nos)
levá-la-á. e)Quem resolverá a ir conosco? (se)
(C)O professor levaria a moto para ser consertada – a
levaria. 113) (TRE-SP) Ninguém .......... àquela árdua tarefa,
(D) O professor tinha levado a moto para ser consertada antes, .......... a outros.
– tinha levado-a. a) dedicar-se-á - passam-na
(E) O professor estava levando a moto para ser b) se dedicará - passam-a
consertada – a estava levando. c) dedicar-se-á - passam-la
d) se dedicará - passam-na
107) (UEBA) "Entre eles e... existe um e) dedicar-se-á - passam-a
compromisso que só... se ... ao sacrifício."
a) eu - se cumprirá - dispusermo-nos 114) (TRE-SP) O auxiliar judiciário discutiu ..........
b) mim - cumprir-se-á - nos dispuser-mos mesmos a respeito de possíveis desentendimentos
c) mim - se cumprirá - nos dispusermos entre .......... e .......... .
d) eu - cumprir-se-á - dispusermo-nos a) conosco - eu - ti
e) eu - se cumprirá b) com nós - mim -tu
dispusermos-nos c) com nós - mim - ti
d) conosco - eu - tu
e) conosco - mim - ti
108) (CESGRANRIO) Indique a estrutura verbal que
contraria a norma culta: 115) (TRE-SP) V. Excelência ......... fazer o que .........
a) Ter-me-ão elogiado. for possível, para que .......... prestígio se mantenha.
b) Tinha-se lembrado. a) deveis - vos - vosso
c) Teria-me lembrado. b) deveis - lhe - seu
d) Temo-nos esquecido. c) deveis - lhe - vosso
e) Tenho-me alegrado. d) deve - vos - seu
e) deve - lhe - seu
109) (TRE-MT) Segundo a norma culta, a colocação
do pronome pessoal sublinhado está incorreta em: 20) ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS
a) Companheiros, escutai-me!
b) Não nos iludamos, o jogo está feito. Observe as palavras abaixo:
c) Dir-se-ia que os amigos tinham prazer em falar difícil.
d) Queria convidá-lo a participar da festa. alun-o
e) Não entreguei-lhe a carta. alun-a
alun-a-s
110) (CESGRANRIO) Assinale a opção que completa alun-inh-o
as lacunas da seguinte frase: Ao comparar os diversos alun-inh-as
rios do mundo, defendia com azedume e paixão a
proeminência .................. sobre cada um ................. . As unidades significativas mínimas que constituem as
a) desse, daquele palavras recebem o nome de elementos mórficos ou
b) daquele, destes morfemas.
c) deste, daqueles
d) deste, desse Elementos mórficos
e) deste, desses
1- radical (ou semantema): é o elemento mórfico que
111) (TRT) Indique a opção incorreta: funciona como base do significado, sendo elemento
a) Receba Vossa Excelência os cumprimentos de seus comum a palavras de uma mesma família.
subordinados.
b) Sua Excelência, o Ministro da Justiça, chegou Palavras que se originam de um mesmo radical
acompanhado de outras autoridades. são chamadas palavras cognatas (ou famílias
c) Reiteramos nosso apreço a Vossa Senhoria e vossos etimológicas).
subordinados. Ex.: ferro, ferreiro, ferragem; agrário, agricultor, agrícola
d) Solicitamos a Sua Senhoria que encaminhasse suas
sugestões por escrito. 2- desinências: são os elementos mórficos que se
e) Concordamos com Vossa Excelência e com seus apõem ao radical para assinalar flexões gramaticais.
subordinados.

44
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Desinências nominais: indicam o gênero e o 4) Prefixal e sufixal: por meio de prefixo e sufixo.
número dos nomes. Ex.: infelizmente, deslealdade

alun- radical 5) Regressiva: a palavra nova (derivada) é obtida pela


o- desinência nominal (gênero) redução da palavra primitiva.
a- desinência nominal (gênero) Ex.: barraco (derivação regressiva de barracão)
s- desinência nominal (número)
6) Imprópria: a palavra nova (derivada) não sofre
Desinências verbais: indicam, nos verbos, o tempo e o mudanças de forma, já que de sua composição não
modo (desinências modo-temporais), a pessoa e o fazem parte afixos. Ela é obtida pela alteração da
número (desinências número-pessoais). classe gramatical da palavra primitiva:
Ex.: cantávamos Ex.: o porquê (substantivo derivado da conjunção
porque)
cant- radical
a- vogal temática COMPOSIÇÃO
va- desinência verbal (tempo e modo) 1) Justaposição: quando não há perda ou acréscimo
mos- desinência verbal (número e pessoa) de fonemas nos elementos que compõem a palavra. A
acentuação de cada um é mantida.
3- afixos: são elementos mórficos colocados antes ou Ex.: couve-flor, girassol
depois dos radicais para formar palavras novas. Podem
ser de dois tipos: 2) Aglutinação: quando há alteração fonética em um
dos elementos. Jamais haverá hífen. É comum o
a) prefixos: quando vêm antes do radical. aparecimento da vogal de ligação i.
Ex.: a – céfalo; in – feliz Ex.: planalto, alvinegro, aguardente
b) sufixos: quando vêm depois do radical.
Obs.: A acentuação recai no segundo radical.
Ex.: feliz – mente; aren - oso
OUTROS PROCESSOS
4- vogais e consoantes de ligação: são elementos
sem caráter significativo (não são, pois, morfemas) que 1) Abreviação: é a redução da palavra até o limite em
permitem a ligação entre dois morfemas, facilitando a que a compreensão não fique prejudicada.
pronúncia. Ex.: foto, Fla, metrô
Ex.: gasômetro; paulada 2) Hibridismo: união de elementos provenientes de
línguas diferentes.
gas-, pau- radical Ex.: sociologia (latim e grego), burocracia (francês e
ô- vogal de ligação grego), sambódromo (africano e grego)
l- consoante de ligação
-metro, ada - radical 3) Reduplicação ou redobro: consiste na reduplicação
do elemento, geralmente com fins onomatopaicos.
21) FORMAÇÃO DE PALAVRAS Ex.: reco-reco, tique-taque
1) Simples: é a palavra que possui só um radical. QUESTÕES OBJETIVAS
2) Composta: é a que possui mais de um radical.
3) Primitiva: é aquela que não se deriva de outra 116) (EMGEPRON_ANALISTA DE SISTEMAS) No
palavra. vocábulo “autodefesa”, o prefixo “auto” possui o mesmo
4) Deriva: formou-se de uma outra, geralmente por meio sentido em:
de afixo. a) autorama;
b) autódromo;
c) autopunição;
DERIVAÇÃO d) autoria;
e) auto-estrada.
1) Prefixal: por meio de um prefixo.
Ex: infeliz 117) (ASEP/RJ – TÉCNICO) - Palavra cuja formação
difere das demais é:
2) Sufixal: por meio de um sufixo. a) inscrição;
Ex.: felizmente b) pensamento;
c) pichação;
3) Parassintética: quando há ao mesmo tempo d) propriedade;
acréscimo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. e) diferença.
Ex.: entardecer

45
Língua Portuguesa Professor André Moraes

118) (Bibliotecário) “...e de impedir que se consume 7) Conjunção coordenativa – inicia orações
o desastre...”; a forma verbal consume é cognata de: independentes sintaticamente.
a) consumismo;
b) consumidor; a) Aditiva
c) consumação;
d) consumo; Ex.: Fala que fala.
e) consumista.
b) Explicativa
119) (Bibliotecário) Se observamos os vocábulos
solidariedade, humanidade e novidade, vemos que: Ex.: Cale a boca, que (pois, porque) eu quero falar.
a) são adjetivos e substantivos formados a partir de
outros substantivos; Obs.: Aparece em frases imperativas
b) são substantivos abstratos;
c) possuem valor coletivo; c) Adversativa
d) são substantivos formados a partir de adjetivos;
e) são substantivos abstratos formados a partir de Ex.: Diga isso a ele, que (mas) não a mim.
verbos.
8) Conjunção subordinativa - liga orações
120) (Bibliotecário) Hospital das Clínicas é uma sintaticamente dependentes.
expressão que aparece abreviada entre parênteses: HC.
A abreviatura abaixo que segue idêntico critério de a) Causal
formação é:
a) Rio Grande do Norte – RN; Ex.: Não vou à praia que (porque) vai chover.
b) Amazonas – AM;
c) Minas Gerais – MG;
d) Rio Grande do Sul – RS;
e) Paraíba – PB. b) Concessiva

22) A PALAVRA QUE Ex.: Quero o dinheiro, pouco que (embora) seja.

1) Substantivo - vem determinada por artigo ou outro c) Integrante


determinante e será acentuada.
Ex.: Espero que ela venha. (Espero ISTO)
Ex.: Vi um quê (alguma coisa) de sarcástico.
d) Consecutiva
2) Interjeição – exprime sentimento, admiração,
surpresa, espanto; também será acentuada. Ex.: Comeu tanto, que morreu.

Ex.: Quê!! Namorar aquilo?! Obs.: Aparece após os termos reforçativos tal, tão,
tamanho e tanto
3) Advérbio de intensidade - intensifica adjetivo ou
advérbio. Nesse caso, equivale a quão. e) Comparativa

Ex.: Que bela mulher! Ex.: Ela é mais rebelde que (do que) sua irmã.
Que longe é a sua casa!
Obs.: Aparece depois de MENOS, MAIS, etc.
4) Preposição acidental – pode ser substituída por
DE. f) Final

Ex.: Temos que conhecer a verdade. Ex.: Faço votos que tenham paz.

5) Pronome substantivo interrogativo - aparece no g) Temporal


lugar do substantivo.
Ex.: Agora que chegamos, vamos sair.
Ex.: Que ocorreu?
9) Pronome substantivo relativo - inicia orações
6) Pronome adjetivo indefinido – acompanha o subordinadas adjetivas. Equivale a O QUAL e
substantivo, com idéia indefinida, vaga. variações.

Ex.: Que mulher! Ex.: O rapaz que entrou naquela casa é meu irmão.
Obs.: Será sempre adjunto adnominal.

46
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Obs.: O pronome relativo desempenha funções 2) Índice ou símbolo de indeterminação do sujeito -


sintáticas distintas. Para analisá-lo, coloca-se o aparece junto a verbos que não sejam transitivos
antecedente em seu lugar, verificando a função que diretos, indeterminando o sujeito.
esse antecedente exerce na oração iniciada pelo
relativo QUE. Ex.: Vive-se bem aqui.

Veja: 3) Pronome reflexivo - usado para demonstrar que a


ação verbal é praticada e sofrida pelo sujeito (voz
O rapaz entrou naquela casa. Nesse exemplo, O rapaz reflexiva). Pode ser substituído por: a si mesmo, a si
é o sujeito da forma verbal entrou; logo, a palavra QUE
próprio etc.
é o sujeito da oração adjetiva.

QUETÕES OBJETIVAS Ex.: Helena se maquiou.

121) (UF-SC) No período "Avistou o pai, que FUNÇÕES SINTÁTICAS DA PALAVRA SE PRONOME
caminhava para a lavoura", a palavra que classifica-se REFLEXIVO
morfologicamente como:
a) conjunção subordinativa integrante a) Sujeito de infinitivo
b) pronome relativo
c) conjunção subordinativa final Ex.: Cristina deixou-se ficar no tálamo.
d) partícula expletiva
e) conjunção subordinativa causal
Obs.: Com verbo causativo (mandar, deixar, fazer) ou
sensitivo (ver, sentir, ouvir)
122) (FGV) Observe a palavra sublinhada: "Quem diz
o que quer ouve o que não quer." A função sintática
dela é:
a) sujeito
b) complemento nominal b) Objeto direto
c) partícula expletiva
d) predicativo Ex.: Angélica atirou-se na frente do carro.
e) objeto direto
c) Objeto indireto
123) (FGV) Observe a palavra sublinhada: "Quem diz
o que quer ouve o que não quer." Sua função sintática
é: Ex.: O homem se atribui muito valor.
a) sujeito
b) objeto indireto 3) Parte integrante do verbo – com verbos
c) pronome relativo pronominais, isto é, os que são conjugados com o
d) aposto pronome, sem que este represente o seu complemento.
e) objeto direto
Ex.: Ele arrependeu-se da idéia ridícula.
124) (UM-SP) "Ó tu / Que és presidente / Do
Conselho Municipal / Se é que tens mulher e filhos, / Obs.: Geralmente exprimem sentimentos, mudança de
Manda tapar os buracos da / Rua dos Junquilhos.” (Artur estado: indignar-se, ufanar-se, atrever-se, admirar-se,
Azevedo) A palavra que aparece duas vezes no texto lembrar-se, esquecer-se, orgulhar-se arrepender-se,
com a seguinte classificação morfológica, queixar-se, derreter-se, etc.
respectivamente:
a) pronome relativo e partícula expletiva
b) partícula expletiva e pronome relativo
Ex.: Geraldo se queixou do trabalho.
c) pronome relativo e conjunção integrante
d) conjunção integrante e pronome relativo
e) partícula expletiva e conjunção integrante Raquel se debateu durante o sono.

23) A PALAVRA SE 4) Partícula expletiva ou de realce – trata-se de um


recurso estilístico, um reforço de expressão, podendo
1) Pronome apassivador ou partícula apassivadora ser retirada da oração sem alteração de sentido ( ir-se,
- aparece com verbos transitivos diretos ou transitivos partir-se, chegar-se, rir-se, sorrir-se, etc. ).
diretos e indiretos, constituindo a voz passiva sintética
ou pronominal. Ex.: Acabou-se a alegria de viver.

Ex.: Aluga-se esta casa.

47
Língua Portuguesa Professor André Moraes

5) Conjunção subordinativa - liga orações com buscando o reforço da mensagem. Eles serão aqui
dependência sintática. estudados sob a designação de Figuras de Linguagem.

a) Integrante Figuras de Sintaxe ou de Construção

Aliteração
Ex.: Não sei se o vi. (Não sei ISTO)
Repetição de sons consonantais.
b) Condicional Ex.: "(...) Vozes veladas, veludosas vozes, / Volúpias
dos violões, vozes veladas / Vagam nos velhos vórtices
Ex.: Se você vier, ligue-me. velozes / Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas."
(fragmento de Violões que choram. Cruz e Souza)
6) Substantivo - quando vem precedida de um
determinante (artigo, pronome etc.) Assonância

Ex.: O se é uma palavra problemática. Repetição de sons vocálicos.

Ex.: (A, O) - "Sou um mulato nato no sentido lato mulato


QUESTÕES OBJETIVAS
democrático do litoral." (Caetano Veloso, em “Araçá
Azul”)
125) Classifique o "se" na frase: "Ele queixou-se dos
maus tratos recebidos".
Hipérbato
a) partícula integrante do verbo
b) conjunção condicional
Alteração ou inversão da ordem direta, ou seja, a ordem
c) pronome apassivador
inversa dos termos na oração, ou das orações no
d) conjunção integrante
período.
e) símbolo de indeterminação do sujeito
Ex.: Morreu o presidente, por: O presidente morreu.
126) (EPCAR) O se é índice de indeterminação do
Obs.: Se a inversão for muito grande, comprometendo a
sujeito na frase:
clareza drasticamente, Celso Cunha chama-a de
a) Não se ouvia o sino.
sínquise.
b) Assiste-se a espetáculos degradantes.
c) Alguém se arrogava o direito de gritar.
“Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
d) Perdeu-se um cão de estimação.
De um povo heróico o brado retumbante.”
e) Não mais se falsificará tua assinatura.
(Hino Nacional Brasileiro)
127) (EPCAR) O se é pronome apassivador em:
ORDEM DIRETA: As margens plácidas do Ipiranga
a) Precisa-se de uma secretária.
ouviram o brado retumbante de um povo heróico.
b) Proibiram-se as aulas.
c) Assim se vai ao fim do mundo.
Anástrofe
d) Nada conseguiria, se não fosse esforçado.
e) Eles se propuseram um acordo.
Tipo de inversão entre o termo regido de preposição e o
termo regente.
128) (SANTA CASA) A palavra "se" é conjunção
integrante (por introduzir oração subordinada
Ex.: “Da morte o manto lutuoso vos cobre a todos.”
substantiva objetiva direta) em qual das orações
O manto lutuoso da morte vos cobre a todos.
seguintes? Pleonasmo
a) Ele se mordia de ciúmes pelo patrão.
b) A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo.
Repetição de um termo ou idéia, com objetivo de
c) O aluno fez-se passar por doutor.
enfatizar a mensagem.
d) Precisa-se de operários.
e) Não sei se o vinho está bom.
Ex.: “Vi claramente visto o lume vivo.” (Camões)
Obs.: pleonasmo vicioso - hemorragia de sangue,
24) ESTILÍSTICA
descer para baixo, subir para cima, monopólio exclusivo
A Gramática Normativa nem sempre é
Assíndeto
observada nas construções em que se busca maior
expressividade. Logo, muitos desvios ocorrem para
Ausência do conectivo de ligação, em geral o e.
intensificação da mensagem, tornando-a mais original e
criativa. Tais desvios não devem ser considerados
Ex.: O homem vive, corre, chora, morre.
erros, pois há intenção deliberada em cometê-los,

48
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Polissíndeto Figuras de Palavras ou Tropos


Metáfora
Repetição de conjunções coordenativas na ligação entre
elementos da frase ou do período. É um tipo de comparação implícita, sem o conectivo.

Ex.: O homem vive, e corre, e chora, e morre. Ex.: Minha vida é um abismo.

Anacoluto Obs.: Se a construção fosse: Minha vida é como um


abismo, teríamos uma comparação.
Termo solto na frase, rompendo a estruturação sintática.
Geralmente, inicia-se uma determinada construção Metonímia
sintática e depois se opta por outra.
Substituição de um termo por outro, havendo entre eles
Ex.: Eu, pouco me interessa a tua vida. proximidade de sentido.

Anáfora Ex.: Ler Machado de Assis (autor pela obra - livro)


Comi dois pratos hoje. (continente pelo conteúdo -
Repetição de uma mesma palavra ou termo no início de leite)
versos ou frases.
Catacrese
Ex.: “É preciso casar João,
é preciso suportar Antonio, Emprego de uma palavra ou expressão, por falta de
é preciso odiar Melquíades, conhecimento ou na ausência de termo específico.
é preciso substituir nós todos.”
(Drummond) Ex.: Espalhar os documentos (espalhar = separar
Silepse palha)
Comi um dente de alho.
É a concordância ideológica. Existem três tipos: Embarcarei naquele ônibus. (embarcar = entrar
num barco)
a) de gênero (masc. x fem.)
Ex.: São Paulo é grandiosa. (= a cidade de São Paulo) Antonomásia, perífrase

b) de número (sing. x pl.) Substituição de um nome por uma expressão que


Ex.: O povo dessa região é meio estranho; não gostam facilmente o identifique.
das coisas boas da vida. (o povo – não gostam)
Ex: O mestre = Jesus Cristo, A cidade luz = Paris, O rei
c) de pessoa: Os professores somos loucos. (3ª pess. - das selvas = o leão
os professores; mas, com a inclusão de quem fala, o Sinestesia
verbo vai à 1ª pessoa do plural.)
Consiste na mistura dos sentidos.
Onomatopéia
Ex.: Ela tinha um cheiro doce. (olfato e paladar)
Palavra cuja pronúncia serve para imitar um som. O pai possuía uma voz áspera. (audição e tato)

Ex.: O tique-taque do relógio não pára. Figuras de Pensamento

Elipse Antítese

Omissão de um termo facilmente subentendido no É o uso de termos ou expressões que se opõem pelo
contexto. sentido.

Ex.: Na cabeça, aquela ridícula idéia da morte. Ex.: A vida e a morte se entrelaçam.
(omissão do verbo haver)
Apóstrofe
Zeugma
É a invocação de enfática de pessoas ou coisas.
Omissão (elipse) de um termo que já apareceu antes.
Ex.: Mulher, ó mulher, dá-me o teu amor.
Ex.: "O meu pai era paulista / Meu avô, pernambucano /
O meu bisavô, mineiro / Meu tataravô, baiano." (Chico Ironia
Buarque) – omissão de era

49
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Utilização de termo com sentido oposto do que se quer Como são lindos, como são lindos os
dizer, obtendo-se, assim, tom depreciativo. burgueses
E os japoneses
Ex.: Ela é leve como um paquiderme. Mas tudo é muito mais."
Eufemismo (Caetano Veloso, "Podres poderes")
14) "Oh! Musa do meu fado
Consiste na suavização de alguma idéia desagradável. Oh! Minha mãe gentil,
Te deixo consternado
Ex.: Ele foi falar com Deus. (morreu) No primeiro abril"
Ela não é muito bela. (é feia) (Chico Buarque e Ruy Guerra, "Fado tropical")
Hipérbole 15) “Dizem que os cariocas somos pouco dados aos
jardins públicos.”(Machado de Assis)
Exagero de uma idéia visando à expressividade.
16) “Aquela mina de ouro, ele não ia deixar que
Ex.: Já repeti mil vezes. outras espertas botassem as mãos.” (José Lins do
Rego)
Gradação
17) “Este prefácio, apesar de interessante, inútil.”
Quando as idéias são apresentadas em ordem (Mário Andrade)
ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax).
18) “Mas, me escute, a gente vamos chegar
Ex.: Cristo foi homem, líder, Deus. (clímax) lá.”(Guimarães Rosa)
Eu sou um homem, uma massa disforme, uma
ameba. (anticlímax) 19) “Sonhei que estava sonhando um sonho
sonhado.”(Martinho da Vila)
Prosopopéia ou Personificação
20) “Muita gente anda no mundo sem saber pra
É a atribuição de qualidades e sentimentos do ser quê: vivem porque vêem os outros viverem.” (J. Simões
humano a seres irracionais, inanimados. Lopes Neto)
Ex.: Os montes a olhavam com atenção. 21) “Lá fora a noite é um pulmão ofegante.”
(Fernando Namora)
129) IDENTIFIQUE AS FIGURAS DE LINGUAGEM
22) "Querida, ao pé do leito derradeiro
1) "O pavão é um arco-íris de plumas." Em que descansas dessa longa vida,
Aqui venho e virei, pobre querida,
2) Nero foi cruel como um monstro. Trazer-te o coração do companheiro."
3) Nero foi um monstro. (Machado de Assis, "A Carolina")

4) Um Picasso vale uma fortuna. 23) “Eu era pobre. Era subalterno. Era nada.”
(Monteiro Lobato)
5) "O grito friorento das marrecas povoava de
terror o ronco medonho da cheia." (Bernardo Élis) 24) “Quando a indesejada das gentes chegar.”
(Manuel Bandeira)
6) Nas horas de folga lia Camões.
25) “O dinheiro é uma força tremenda, onipotente,
7) O Poeta dos Escravos morreu moço. assombrosa.” ( Olavo Bilac)

8) Ele não tinha teto onde se abrigasse. 26) “Moça linda, bem tratada, três séculos de
família, burra como uma porta: um amor.” (Mário de
9) Vossa Alteza parece aborrecido. Andrade)

10) "O homem, chamar-lhe mito não passa de 27) “Ama, e treme, e delira, e voa, e foge, e
anacoluto." (Carlos Drummond de Andrade) engana.” (Alberto de Oliveira)

11) Das entranhas da terra jorra o ouro negro. 28) “Colombo, fecha a porta dos teus mares.”
(Castro Alves)
12) "Os jardins têm vida e morte." (Cecília Meireles)
29) “E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir.
13) "Queria gritar setecentas mil vezes Deus lhe pague.” (Chico Buarque)

50
Língua Portuguesa Professor André Moraes

30) “Não quero amar, entender o texto – leitura e redação. 16ª ed / São Paulo
Não quero ser amado, / ÁTICA, 2003.)
Não quero combater
Não quero ser soldado.”(Manuel Bandeira)
Leia o fragmento de um dos sermões de Padre Antônio
25) ANÁLISE DE TEXTO Vieira:

Segundo o Dicionário Aurélio, o raciocínio é o (...) O sermão há de ser duma só cor, há de ter
“encadeamento, aparentemente lógico, de juízos ou um só objeto, um só assunto, uma só matéria.
pensamentos. Capacidade de raciocinar, juízo, razão, Há de tomar o pregador uma só matéria, há de
racionalidade.” defini-la para que se conheça, há de dividi-la para que
No dias atuais, em que o excesso de informações é se distinga, há de prová-la com a Escritura, há de
patente, há necessidade de se filtrar o que realmente declará-la com a razão, há de confirmá-la com o
tem valor. Por isso, cada vez mais, pessoas com exemplo, há de amplificá-la com as causas, com os
capacidade de compreensão, de análise, de avaliação e efeitos, com as circunstâncias, com as conveniências
de síntese terão mais que se hão de responder às dúvidas há de se satisfazer
às dificuldades, há de impugnar e refutar com toda a
OS TIPOS DE TEXTO força da eloquência os argumentos contrários, e depois
disto há de colher, há de apertar, há de concluir, há de
persuadir, há de acabar. Isto é sermão, isto é pregar, e
Conhecer o tipo de texto e os seus elementos o que não é isto, é falar de mais alto. Não nego nem
constitutivos é muito importante. As perguntas devem quero dizer que o sermão não haja de ter variedade de
discursos, mas esses hão de nascer todos da mesma
ser feitas conforme a tipologia textual.
matéria, e continuar e acabar nela.
NARRAÇÃO – centrada no fato, no acontecimento; há
personagens atuando e um narrador que relata a ação. (In: Platão & Fiorin. Para entender o texto –
leitura e redação. 16ª ed / São Paulo / ÁTICA, 2003. p.
Uma narração, em geral, apresenta os seguintes 137)
elementos:

O TEXTO ARGUMENTATIVO DEVE CONTER:


Fato: é o acontecimento (ou acontecimentos) que será
relatado. O encadeamento das ações forma o enredo. 1) UNIDADE;
2) “UM SÓ OBJETO”, “UMA SÓ MATÉRIA”;
3) COMPROVAÇÃO DAS TESES DEFENDIDAS
Personagens: são as pessoas que participam do (ARGUMENTO DE AUTORIDADE);
4) RELAÇÕES LÓGICAS (CAUSA E EFEITO);
acontecimento.
5) COESÃO E COERÊNCIA;
Ambiente (ou cenário): são os lugares em que os 6) EXEMPLIFICAÇÕES CONCRETAS;
acontecimentos ocorrem. 7) REFUTAÇÃO DOS ARGUMENTOS
CONTRÁRIOS.
Tempo: localização cronológica do acontecimento.
DEFEITOS DE ARGUMENTAÇÃO
Narrador: é quem conta a história. Pode ser de terceira
1) EMPREGO DE NOÇÕES CONFUSAS;
pessoa (onisciente) ou de primeira (não sabe tudo). 2) EMPREGO DE NOÇÕES DE TOTALIDADE
INDETERMINADA;
3) USO DE CONCEITOS QUE SE
DESCRIÇÃO – é uma sequência de aspectos, CONTRADIZEM ENTRE SI;
características de qualquer ser existente no universo 4) UTILIZAÇÃO DE CONCEITOS E
real ou imaginário. AFIRMAÇÕES GENÉRICOS;
5) INSTAURAÇÃO DE FALSOS
PRESSUPOSTOS;
DISSERTAÇÃO – a idéia, as opiniões a respeito de um
determinado assunto são o seu foco. PLANO-PADRÃO DE ARGUMENTAÇÃO
ARGUMENTAÇÃO
1. Proposição / Primeiro estágio
“Chamamos procedimentos argumentativos a (afirmativa, suficientemente definida e limitada; não
todos os recursos acionados pelo produtor do texto com deve conter em si mesma nenhum argumento, isto é,
vistas a levar o leitor a crer naquilo que o texto diz e a prova ou razão)
fazer aquilo que ele propõe.” (Platão & Fiorin. Para

51
Língua Portuguesa Professor André Moraes

“Dizem que (Fulano declarou que, muitos 6) Normalmente 1/3 das opções traz idéias
acreditam que, é opinião generalizada que) só o castigo absurdas, portanto, leia duas vezes cada uma
físico, a pancada, educa, só ele é realmente eficaz e elimine as alternativas estapafúrdias.
quando se deseja corrigir a criança, formar-lhe o
caráter...” 7) A idéia central (tema) normalmente será
2. Análise da proposição / Segundo estágio encontrada na introdução ou na conclusão.
Logo, não perca tempo.
“É verdade (é certo, é evidente, é indiscutível)
que, em certos casos...” 8) As idéias argumentativas estão no
“É possível que, em certos casos, haja razão...” desenvolvimento, por isso, se a questão pedir
“Em parte, talvez tenham razão...” os argumentos do autor, vá direto ao corpo do
texto.
3. Formulação de argumentos (evidência) / Terceiro
estágio: 9) Se a questão é de INFERÊNCIA (sentido
a) fatos; implícito), a resposta deverá ser
b) exemplos; subentendida, está nas entrelinhas do texto.
c) ilustrações;
d) dados estatísticos; 10) Se a questão é de RECORRÊNCIA (sentido
e) testemunho. explícito), a resposta terá as palavras do
texto. Procure, portanto, nas opções, aquilo
“Mas, por outro lado...” que coincidir com as palavras do autor.
“Entretanto, na maioria dos casos... a pancada
não educa, é um método de educação condenável, 11) Quando a opção fala aquém do texto, teremos
porque...” um erro de REDUÇÃO.

“Seguem-se então a essa frase inicial da 12) Quando a opção fala além do texto, o erro é
contestação as razões expressas em orações de EXTRAPOLAÇÃO.
encabeçadas geralmente por conjunções explicativas ou
causais.” (Othon M. Garcia. Comunicação em prosa 13) Quando a opção está em contraste com o
moderna. Rio de Janeiro. Ed. FGV. 2002, p. 386) texto, há CONTRADIÇÃO.
“...porque humilha, revolta, cria complexos...”
14) Cuidado com as divagações. Não imagine o
4. Conclusão que não existe no texto.

“Logo (por consequência, portanto, de forma 26) TIPOS DE DISCURSO


que não se devem espancar as crianças...”
VOLTA AO INÍCIO DO TEXTO - “Portanto, não se Discurso - é a reprodução das falas ou o pensamento
deve espancar as crianças...”
das personagens. Há três tipos de discurso:
DICAS PARA AS QUESTÕES DE TEXTO
a) direto: neste caso, o narrador faz com que as
1) Leia o título. Ele está repleto de informações personagens reproduzam a fala e o pensamento por si
sucintas sobre o conteúdo textual. É mesmas, de modo direto, utilizando o diálogo.
frequente encontrarmos, também, texto cujo
título só faz sentido após uma leitura Exemplo:
cuidadosa e atenta. Portanto, ele não deve
ser desprezado em nenhuma circunstância. Cristina disse ao namorado: - Quero casar logo.

2) O texto deverá ser lido na íntegra, para que se Características: uso de dois-pontos, travessão, verbos
identifique o seu tipo e o tema. de elocução (perguntar, dizer, indagar, afirmar etc.).

3) Leia o texto uma segunda vez, sublinhando o b) indireto: neste tipo de discurso, o narrador diz com
tópico-frasal, a idéia núcleo de cada suas palavras as falas das personagens.
parágrafo, e fazendo observações à margem.
Exemplo:
4) Perceba a relação entre os parágrafos (causa
/ efeito, adversidade, explicação, etc.).
Ana disse ao namorado que queria casar logo.
5) Para não haver dúvida, leia duas vezes o
enunciado da questão.

52
Língua Portuguesa Professor André Moraes

TRANSPOSIÇÕES
“Samba em Prelúdio”
DISCURSO DIRETO DISCURSO INDIRETO (Baden Powel e Vinícius de Morais)
Presente do indicativo Imperfeito do indicativo
Pretérito perfeito Pretérito mais-que-perfeito Eu sem você
Futuro do presente Futuro do pretérito
Não tenho porquê
Imperativo, presente e futuro Imperfeito do subjuntivo
do subjuntivo Porque sem você
Eu, me, mim, comigo Ele, ela, o, a, lhe, se, si, Não sei nem chorar
consigo Sou chama sem luz
Nós, nos, conosco Eles, elas, os, as, lhes, se, si, Jardim sem luar
consigo
Meu, minha, nosso, nossa Seu, sua, seus, suas
Luar sem amor
Este, esta, isto Aquele, aquela, aqueles, Amor sem se dar
aquilo
Agora Naquela ocasião (...)
Hoje Naquele dia
2) FUNÇÃO CONATIVA – está centrada no destinatário
c) indireto livre ou semi-indireto: consiste na fusão entre (receptor, decodificador, ouvinte). Dele, espera-se uma
discurso direto e indireto, ou melhor, o narrador resposta ou tomada de atitude. Há forte apelo social,
reproduz o pensamento da personagem. daí ser chamada, também, de Função Apelativa.

Agora (Fabiano) queria entender-se com Sinhá CARACTERÍSTICAS: aparece nas frases interrogativas,
Vitória a respeito da educação dos pequenos. E eles nas imperativas, nos vocativos, na segunda pessoa dos
estavam perguntadores, insuportáveis. verbos e dos pronomes.

Fabiano dava-se bem com a ignorância. Tinha o Abuse e use C&A.


direito de saber? Compre Batom.
Beba Coca-Cola.
Fume Hollywood.
Tinha? Não tinha. Use Rexona.

Note: o pensamento da personagem se confunde com Observação: ela é bastante usada nas propagandas. O
fala do narrador. verbo no Imperativo é sua principal marca linguística.

27) FUNÇÕES DA LINGUAGEM 3) FUNÇÃO REFERENCIAL – está centrada no


contexto. Tem caráter informativo, de constatação.
CARACTERÍSTICA BÁSICA DA COMUNICAÇÃO: Também é chamada de Função Representativa.
“alguém diz alguma coisa a outrem.”
CARACTERÍSTICA: aparece nas frases afirmativas, na
1º - FATORES CONSTITUTIVOS DO ATO DE linguagem técnica e científica, na linguagem dos livros
COMUNICAÇÃO. didáticos, na linguagem jornalística e na de relações
públicas.
CONTEXTO
REMETENTE MENSAGEM DESTINATÁRIO A terra gira em torno do sol.
CONTATO O céu está nublado.
CÓDIGO BANDO INVADE HOSPITAL E RESGATA PRESO
(Jornal do Brasil, 28/05/94)

2º - FUNÇÕES DA LINGUAGEM 4) FUNÇÃO FÁTICA – está centrada no contato,


estabelecido através de um canal entre emissor e
REFERENCIAL receptor. Serve para iniciar, prolongar ou encerrar o ato
EMOTIVA POÉTICA CONATIVA de comunicação. É acompanhada de outra, ou outras
FÁTICA funções.
METALINGUÍSTICA
CARACTERÍSTICA: aparece em expressões ou
1) FUNÇÃO EMOTIVA – está centrada no remetente partículas como “alô”, “olá”, “tudo bem”, “né”,
“entendeu?”, “tchau” etc.
(também chamado emissor / transmissor / codificador /
falante). Há exteriorização de suas emoções e
- Olá, como vai?
sentimentos.
- Eu vou indo e você, tudo bem?
CARACTERÍSTICAS: presente em frases exclamativas, - Tudo bem, eu vou indo...
(Paulinho da Viola)
nas interjeições, na 1ª pessoa dos verbos e dos
pronomes.

53
Língua Portuguesa Professor André Moraes

5) FUNÇÃO METALINGUÍSTICA – está centrada no 5) vocativo – designação do cargo do


código, na própria linguagem, ou seja, ela se explica e destinatário da mensagem, precedido de
comenta. “Senhor” ou “Senhora”;
6) mensagem;
CARACTERÍSTICA: palavras que explicam palavras, 7) despedida (curta: Atenciosas saudações /
cinema que fala de cinema, teatro de teatro, poesia de Atenciosamente / Cordiais saudações /
poesia etc. Cordialmente);
8) assinatura, após a despedida;
Observação: quando há dúvida sobre o código e quando 9) rodapé – nome do cargo do destinatário,
se indagar a respeito dele, também ocorrerá Função com as formas Il.mo Sr. ou Sr.ª.
Metalinguística. A metalinguagem existirá no momento
da explicação. Se o texto possuir mais de uma folha, escreve-se ao pé
da primeira folha, a palavra "continua" e no alto da
- Ana, o que significa “oscular”? – Função Conativa próxima, “continuação”. No cabeçalho da folha de
- Significa “beijar”. – Função Metalinguística continuação, escreve-se o número do memorando.

6) FUNÇÃO POÉTICA – está centrada na mensagem. TIPOS DE MEMORANDOS


CARACTERÍSTICA: seleção do vocabulário, conotação,
figuras de linguagem (metáfora, metonímia, antítese, Memorando Circular: Quando o Memorando for do tipo
prosopopéia etc.), rimas (na poesia), ritmo (na prosa) circular, escreve-se, no rodapé CC - com cópia -
etc. seguido de p/ e da abreviatura dos setores que
receberam a cópia.
“A mesma Dona Ângela”
(Gregório de Matos) Memorando Sigiloso: Deve constar, abaixo do
cabeçalho, a palavra RESERVADO, ser enviado em
Anjo no nome, Angélica na cara, envelope lacrado e rubricado pelo emitente na aba do
Isso é ser flor, e Anjo juntamente, fecho, onde também deve conter a palavra
Ser Angélica flor, e Anjo florente, RESERVADO seguida do número do memorando, da
Em quem, sena em vós se uniformara? indicação do emissor e do nome da autoridade a quem
é dirigido.
(...)

EXEMPLO 1
28) REDAÇÃO OFICIAL
Memorando n.º 04/SR Rio de Janeiro,15 de abril
CARACTERÍSTICAS DA REDAÇÃO OFICIAL: de 2000.

1) clareza absoluta; À Gerente da Editora da Furg


2) concisão (exposição de idéias com um mínimo
de palavras);
Assunto: Solicitação de aquisição de livro
3) correção gramatical (linguagem formal);
4) polidez;
5) impessoalidade (o subjetivismo do emissor não
é mais importante que os interesses do serviço); Solicito a gentileza de adquirir um exemplar do livro Pedagogia da
Autonomia para uso deste Departamento.
6) precisão e sobriedade.
Atenciosamente,
1) MEMORANDO
Milton Rezende
Coordenador de Revisão
Um memorando é um instrumento utilizado
como meio de comunicação entre unidades
administrativas de um mesmo órgão. Este instrumento é
também usado para encaminhar projetos e inovações
de serviço. Ele permite que o despacho seja feito no
próprio formulário, agilizando a sua tramitação.

CARACTERÍSTICAS:

1) meia folha de papel ofício;


2) timbre e cabeçalho do órgão expedidor;
3) número à esquerda;
4) localidade e data à direita;

54
Língua Portuguesa Professor André Moraes

EXEMPLO 2 Comissão de Formatura, formada pelos alunos Fulano


de tal, Beltrano e Sicrano, reuniram-se os formandos
interessados na organização da formatura. Após
constatada a presença de todos os alunos e feita a
identificação do empenho de formatura, a comissão
presidente declarou aberta a reunião. A reunião
iniciou-se com a solicitação que a partir de dezessete
de agosto fossem viabilizados os processos de
arrecadação de valores para a formatura. A comissão
informou que o valor a ser arrecadado será de R$
12.000,00. Para tanto, pediu-se o afinco de todos os
presentes na seção. Por fim, estando os presentes de
acordo com o que foi deliberado, os Srs. presidentes
encerraram a reunião, da qual eu, Maria da Silva,
secretária designada, lavrei a presente ata, após lida e
aprovada será assinada por mim e pelos presentes.

Rio Grande, dezessete de julho de dois mil.

(seguem as assinaturas)

3) OFÍCIO

Correspondência pela qual se mantém intercâmbio


de informações a respeito de assunto técnico ou
administrativo, cujo teor tenha caráter exclusivamente
institucional. São objetos de ofícios as comunicações
realizadas entre dirigentes de entidades públicas,
podendo ser também dirigidos a entidade particular.

Suas partes componentes são:


2) ATA
a) tipo e número do expediente, seguido da sigla do
Uma ata refere-se ao resumo dos fatos de uma
órgão que o expede:
reunião ou de uma assembléia para um determinado fim
já divulgado.
Exemplos:
CARACTERÍSTICAS
Mem. 123/2002-MF Aviso 123/2002-SG Of. 123/2002-MME
Uma ata deverá conter um cabeçalho
constituído do número da ata e do nome dos b) local e data em que foi assinado, por extenso,
participantes do grupo que se encontram reunidos, uma com alinhamento à direita:
abertura indicando, por extenso, dia, mês, ano, hora, Exemplo:
local da reunião e nome de quem a preside, bem como Brasília, 15 de março de 1991.
a finalidade de tal evento, transcrita da ordem do dia
que consta da convocação. Seguindo estes itens, virão c) assunto: resumo do teor do documento
um pronunciamento referindo-se aos participantes e, a
partir disso, a declaração de abertura da seção. Exemplos:
Acompanhando estes elementos, virá uma relação
nominal identificando os presentes, a aprovação da ata
anterior, a declaração objetiva e sintética dos fatos a Assunto: Produtividade do órgão em 2002.
serem tratados no evento e, por último, um fechamento
com as considerações finais. Assunto: Necessidade de aquisição de novos
computadores.
Conforme segue, vejamos um exemplo:
d) destinatário: o nome e o cargo da pessoa a
Ata da 1a reunião dos formandos de Letras 2002 da quem é dirigida a comunicação. No caso do ofício deve
FURG ser incluído também o endereço.

Aos dezessete dias do mês de julho, de dois e) texto: nos casos em que não for de mero
mil e um, às dezenove horas e trinta minutos, na sala encaminhamento de documentos, o expediente deve
B, no Campus carreiros, sob a presidência da conter a seguinte estrutura:

55
Língua Portuguesa Professor André Moraes

– introdução, que se confunde com o parágrafo de EXEMPLO


abertura, na qual é apresentado o assunto que motiva a
comunicação. Evite o uso das formas: "Tenho a honra
de", "Tenho o prazer de", "Cumpre-me informar que",
empregue a forma direta;

– desenvolvimento, no qual o assunto é detalhado;


se o texto contiver mais de uma idéia sobre o assunto,
elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que
confere maior clareza à exposição;

– conclusão, em que é reafirmada ou simplesmente


reapresentada a posição recomendada sobre o assunto.

Os parágrafos do texto devem ser numerados,


exceto nos casos em que estes estejam organizados em
itens ou títulos e subtítulos.

Já quando se tratar de mero encaminhamento de


documentos a estrutura é a seguinte:

– introdução: deve iniciar com referência ao


expediente que solicitou o encaminhamento. Se a
remessa do documento não tiver sido solicitada, deve
iniciar com a informação do motivo da comunicação,
que é encaminhar, indicando a seguir os dados
completos do documento encaminhado (tipo, data,
origem ou signatário, e assunto de que trata), e a razão
pela qual está sendo encaminhado, segundo a seguinte
fórmula:
4) RELATÓRIO
"Em resposta ao Aviso nº 12, de 1º de fevereiro de
1991, encaminho, anexa, cópia do Ofício nº 34, de 3 de É a exposição circunstanciada de atividades
abril de 1990, do Departamento Geral de Administração, levadas a termo por funcionário, no desempenho das
que trata da requisição do servidor Fulano de Tal." funções do cargo que exerce, ou por ordem de
autoridade superior. É geralmente feito para expor:
situações de serviço, resultados de exames, eventos
ou ocorridos em relação a planejamento, prestação de
contas ao término de um exercício etc.
"Encaminho, para exame e pronunciamento, a anexa
cópia do telegrama no 12, de 1o de fevereiro de 1991, do Suas partes componentes são:
Presidente da Confederação Nacional de Agricultura, a 1. Título (a palavra RELATÓRIO), em letras
respeito de projeto de modernização de técnicas maiúsculas.
agrícolas na região Nordeste." 2. Vocativo: a palavra Senhor(a), seguida do cargo do
destinatário, e de vírgula.
– desenvolvimento: se o autor da comunicação 3. Texto paragrafado, composto de introdução,
desejar fazer algum comentário a respeito do desenvolvimento e conclusão. Na introdução se enuncia
documento que encaminha, poderá acrescentar o propósito do relatório; no desenvolvimento - corpo do
parágrafos de desenvolvimento; em caso contrário, não relatório - a exposição minudente dos fatos; e, na
há parágrafos de desenvolvimento em aviso ou ofício de conclusão, o resultado ou síntese do trabalho, bem
mero encaminhamento. como a recomendação de providências cabíveis.
4. Fecho, utilizando as fórmulas usuais de cortesia,
f) fecho; como as do ofício.
g) assinatura do autor da comunicação; e 5. Local e data, por extenso.
h) identificação do signatário. 6. Assinatura, nome e cargo ou função do signatário.
7. Anexos, complementando o Relatório, com material
ilustrativo e/ou documental.

56
Língua Portuguesa Professor André Moraes

EXEMPLO Observação: Entre o vocativo e o preâmbulo é praxe


deixarem-se oito espaços.
RELATÓRIO
EXEMPLO

Senhor Secretário Excelentíssimo Senhor Governador do Estado do Rio


de Janeiro,

Ao término do 1º semestre de 1999, vimos apresentar a


V.Ex.ª o Relatório de Atividades pertinentes à
Superintendência de Desenvolvimento Institucional, ao
qual se anexam quadros demonstrativos onde se
expressam os dados quantitativos das atividades JOSÉ JOAQUIM, agente administrativo, nível I,
operacionais. matrícula n.º 0000-0, lotado nesta Secretaria, com
exercício no Departamento Geral de Administração,
Seguindo as diretrizes determinadas pelo plano requer revisão de seus proventos, por discordar do
Estratégico desta Secretaria para o ano de 1999, pôde disposto em seu contracheque.
esta unidade alcançar as metas previstas nos projetos,
conforme se segue.
_____________________________________________ Nestes Termos,
_____________________________________________ Pede Deferimento.
_____________________________________________
_____________________________________________ Rio de Janeiro, 26 de abril de 1999.
_____________________________________________
________________________________

Apesar das dificuldades em relação às condições de Assinatura


trabalho, com número reduzido de pessoal qualificado e
carência de materiais específicos e equipamentos,
consideramos bastante positivos os resultados obtidos
nestes primeiros meses da atual gestão.
6) ABAIXO-ASSINADO – tem a mesma função de
um requerimento, mas é coletivo.
Rio de Janeiro, 10 de julho de 1999.
CARACTERÍSTICAS: o nome das pessoas solicitantes
vem ao final do documento, mas há uma identificação
5) REQUERIMENTO geral para identificá-los.

Documento pelo qual o interessado solicita ao Poder Ilmo. Sr. Secretário de Cultura de Campo Grande
Público algo a que se julga com direito, ou para se
defender de ato que o prejudique. Nós, abaixo assinados, moradores de Campo
Grande, vimos, por meio deste, solicitar a V. Sª a
Suas partes componentes são: fomentação da cultura em nosso bairro.
Tal pedido se justifica pela ausência de bons
espetáculos em nossa região.
Julgando justo o nosso pedido,
1. Vocativo: a palavra Senhor, precedida da forma de antecipadamente agradecemos seu atendimento, no
tratamento, o título completo da autoridade a quem se prazo mais breve possível.
destina, seguida de vírgula. Atenciosamente, subscrevemo-nos:
2. Preâmbulo: nome do requerente (em maiúsculas),
seguido dos dados de identificação: nacionalidade,
estado civil, filiação, idade, naturalidade, domicílio,
residência etc. Sendo funcionário do órgão, apresentar Rio de Janeiro, 03 de dezembro de 2004.
apenas os dados de identificação funcional. (seguem as assinaturas)
3. Texto: exposição do pedido, de forma clara e
objetiva, citando o fundamento legal que permite a _________________________________
solicitação.
4. Fecho: parte que encerra o documento, usando-se, _________________________________
alinhada à esquerda a fórmula:
Nestes Termos,
Pede Deferimento.
5. Local e data, por extenso.
6. Assinatura do requerente.

57
Língua Portuguesa Professor André Moraes

2.1.3. Emprego dos Pronomes de Tratamento

Como visto, o emprego dos pronomes de


tratamento obedece a secular tradição. São de uso
PRONOMES DE TRATAMENTO consagrado:

USADO PARA: Vossa Excelência, para as seguintes autoridades:


ABREVIATURA TRATAMENTO
V. A. Vossa Alteza Príncipes,arquiduques,
V. Em.ª Vossa Eminência duques a) do Poder Executivo;
V. Ex.ª Vossa Excelência Cardeais
Altas autoridades do
Governo e oficiais generais Presidente da República;
das Forças Armadas

V. Mag.ª Vossa Magnificência Reitores de Universidades Vice-Presidente da República;


V. M. Vossa Majestade Reis, imperadores
ma
V. Exª Rev. Vossa Excelência
Reverendíssima Bispos e arcebispos
Ministros de Estado;

V. P. Vossa Paternidade Abades, superiores de Governadores e Vice-Governadores de Estado e do


conventos
V. Rev.ª Vossa Reverência
Distrito Federal;
ou Sacerdotes em geral
ma
V. Rev. Vossa Oficiais-Generais das Forças Armadas;
Reverendíssima
V. S. Vossa Santidade Papa
V. S.ª Vossa Senhoria Funcionários públicos Embaixadores;
graduados, oficiais até
coronel
Secretários-Executivos de Ministérios e demais
ocupantes de cargos de natureza especial;
Concordância com os Pronomes de Tratamento
Secretários de Estado dos Governos Estaduais;
(MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA
REPÚBLICA)
Prefeitos Municipais.
Os pronomes de tratamento (ou de segunda
pessoa indireta) apresentam certas peculiaridades b) do Poder Legislativo:
quanto à concordância verbal, nominal e pronominal.
Embora se refiram à segunda pessoa gramatical (à Deputados Federais e Senadores;
pessoa com quem se fala, ou a quem se dirige a
comunicação), levam a concordância para a terceira Ministro do Tribunal de Contas da União;
pessoa. É que o verbo concorda com o substantivo que
integra a locução como seu núcleo sintático: "Vossa Deputados Estaduais e Distritais;
Senhoria nomeará o substituto"; "Vossa Excelência
conhece o assunto".
Conselheiros dos Tribunais de Contas Estaduais;
Da mesma forma, os pronomes possessivos
Presidentes das Câmaras Legislativas Municipais.
referidos a pronomes de tratamento são sempre os da
terceira pessoa: "Vossa Senhoria nomeará seu
substituto" (e não "Vossa ... vosso..."). c) do Poder Judiciário:

Já quanto aos adjetivos referidos a esses Ministros dos Tribunais Superiores;


pronomes, o gênero gramatical deve coincidir com o
sexo da pessoa a que se refere, e não com o Membros de Tribunais;
substantivo que compõe a locução. Assim, se nosso
interlocutor for homem, o correto é "Vossa Excelência Juízes;
está atarefado", "Vossa Senhoria deve estar satisfeito";
se for mulher, "Vossa Excelência está atarefada",
Auditores da Justiça Militar.
"Vossa Senhoria deve estar satisfeita".
O vocativo a ser empregado em comunicações
dirigidas aos Chefes de Poder é Excelentíssimo Senhor,
seguido do cargo respectivo:

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

58
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Excelentíssimo Senhor Presidente do Congresso de doutorado. É costume designar por doutor os


Nacional, bacharéis, especialmente os bacharéis em Direito e em
Medicina. Nos demais casos, o tratamento Senhor
Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal confere a desejada formalidade às comunicações.
Federal.
Mencionemos, ainda, a forma Vossa Magnificência,
As demais autoridades serão tratadas com o empregada por força da tradição, em comunicações
vocativo Senhor, seguido do cargo respectivo: dirigidas a reitores de universidade. Corresponde-lhe o
vocativo:
Senhor Senador,
Magnífico Reitor,
(...)
Senhor Juiz,

Os pronomes de tratamento para religiosos, de


Senhor Ministro,
acordo com a hierarquia eclesiástica, são:
Senhor Governador,
Vossa Santidade, em comunicações dirigidas ao
Papa. O vocativo correspondente é:
No envelope, o endereçamento das comunicações
dirigidas às autoridades tratadas por Vossa Excelência,
Santíssimo Padre,
terá a seguinte forma:
(...)
A Sua Excelência o
A Sua Excelência o A Sua Excelência o Vossa Eminência ou Vossa Eminência
Senhor
Senhor Senhor
Fulano de Tal Senador Fulano de
Fulano de Tal
a
Reverendíssima, em comunicações aos Cardeais.
Juiz de Direito da 10 Corresponde-lhe o vocativo:
Ministro de Estado da Tal
Vara Cível
Justiça Senado Federal o
Rua ABC, n 123
70.064-900 – Brasília. 70.165-900 – Brasília.
01.010-000 – São Eminentíssimo Senhor Cardeal, ou
DF DF
Paulo. SP

Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor Cardeal,


Em comunicações oficiais, está abolido o uso do (...)
tratamento digníssimo (DD), às autoridades arroladas na
lista anterior. A dignidade é pressuposto para que se
ocupe qualquer cargo público, sendo desnecessária sua Vossa Excelência Reverendíssima é usado em
repetida evocação. comunicações dirigidas a Arcebispos e Bispos; Vossa
Reverendíssima ou Vossa Senhoria Reverendíssima
para Monsenhores, Cônegos e superiores religiosos.
Vossa Senhoria é empregado para as demais Vossa Reverência é empregado para sacerdotes,
autoridades e para particulares. O vocativo adequado é: clérigos e demais religiosos.

Senhor Fulano de Tal, 2.2. Fechos para Comunicações


(...)
O fecho das comunicações oficiais possui, além da
No envelope, deve constar do endereçamento: finalidade óbvia de arrematar o texto, a de saudar o
destinatário. Os modelos para fecho que vinham sendo
Ao Senhor utilizados foram regulados pela Portaria no 1 do
Fulano de Tal Ministério da Justiça, de 1937, que estabelecia quinze
o
Rua ABC, n 123 padrões. Com o fito de simplificá-los e uniformizá-los,
70.123 – Curitiba. PR este Manual estabelece o emprego de somente dois
fechos diferentes para todas as modalidades de
Como se depreende do exemplo acima, fica comunicação oficial:
dispensado o emprego do superlativo ilustríssimo para
as autoridades que recebem o tratamento de Vossa a) para autoridades superiores, inclusive o
Senhoria e para particulares. É suficiente o uso do Presidente da República:
pronome de tratamento Senhor.
Respeitosamente,
Acrescente-se que doutor não é forma de
tratamento, e sim título acadêmico. Evite usá-lo b) para autoridades de mesma hierarquia ou de
indiscriminadamente. Como regra geral, empregue-o hierarquia inferior:
apenas em comunicações dirigidas a pessoas que
tenham tal grau por terem concluído curso universitário
Atenciosamente,

59
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Ficam excluídas dessa fórmula as comunicações comunicação adequada entre unidades administrativas
dirigidas a autoridades estrangeiras, que atendem a rito do mesmo órgão, caracterizada por ser uma forma de
e tradição próprios, devidamente disciplinados no comunicação interna, é:
Manual de Redação do Ministério das Relações a) fax.
Exteriores. b) bilhete.
c) memorando.
2.3. Identificação do Signatário d) correio eletrônico.
e) exposição de motivos.
Excluídas as comunicações assinadas pelo
Presidente da República, todas as demais 134) (Perito Criminal Federal / UnB / CESPE) Os
comunicações oficiais devem trazer o nome e o cargo itens abaixo identificam possíveis inícios ou fechos de
da autoridade que as expede, abaixo do local de sua textos de caráter oficial. Em cada um deles, julgue se
assinatura. A forma da identificação deve ser a seguinte: há correspondência correta entre a identificação do tipo
de texto e o respectivo trecho dentro do quadro.
(espaço para assinatura)
1- Início de requerimento:
Nome
Brasília, 8 de outubro de 2000.
Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República
Senhor Diretor,
(espaço para assinatura) Venho, por meio desta, requerer minha
Nome inscrição no concurso de redações sobre os 500 anos
Ministro de Estado da Justiça do Descobrimento do Brasil.

Para evitar equívocos, recomenda-se não deixar a 2- Início de memorando:


assinatura em página isolada do expediente. Transfira Brasília, 8 de outubro de 2000.
para essa página ao menos a última frase anterior ao Ao Sr. Chefe do Almoxarifado Geral
fecho. Assunto: Compra de papel para máquinas copiadoras

EXERCÍCIOS 3- Início de ata:


Aos oito dias do mês de outubro do ano de um mil
130) (TÉCNICO ADM. / CESGRANRIO) Abaixo, novecentos e noventa e nove, com início às vinte
acham-se relacionados cargos de autoridades as- horas, em primeira convocação, realizou-se, na sede
sociados à forma de tratamento e ao vocativo que da companhia, situada à rua Gonçalves Dias, 298,
devem ser usados em correspondência que lhes for terceiro andar, São Paulo, capital, a terceira
dirigida. Indique a única opção em que esta relação está Assembléia Geral Ordinária da Companhia XYZ.
feita de modo correto.
a) Senador - Vossa Eminência - Exmo. Senador. 4- Fecho de ofício:
b) Juiz - Vossa Excelência - Sr. Dr. Juiz. Atenciosamente,
c) Prefeito - Vossa Senhoria - Ilmo. Sr. Prefeito.
d) Ministro - Vossa Magnificência - Sr. Ministro. Antônio Fulano da Silva
e) Vereador - Vossa Senhoria - Sr. Vereador. Diretor de Serviços Gerais

131) (TÉCNICO ADM. / CESGRANRIO) Assinale a 135) (Perito Criminal Federal / UnB / CESPE)
opção que apresenta o fecho adequado para
comunicações oficiais, dirigidas a autoridades A sub-chefia de assuntos jurídicos desse ministério
superiores, inclusive o Presidente da República. submeteu ao magnífico procurador-geral da república,
a) Atenciosamente. Dr. Aristóteles Sócrates Platão, consulta sobre sua
b) Respeitosamente. opinião pessoal a respeito de matéria controversa que
c) Sinceramente versa sobre os limites entre os direitos dos cidadões e
d) Sem mais para o momento. a esfera do poder público, no sentido de tornar clara,
e) Colocando-me a seu dispor, despeço-me. explícita e incontroversa a questão levantada pela
prestigiosa comissão que investiga o recebimento de
132) (GEOLOGIA / CESGRANRIO) Os documentos um excelente automóvel zero quilômetro da marca
redigidos em Padrão Ofício devem conter as partes Mercedez Benz pelo senhor chefe dos serviços gerais
apresentadas a seguir, EXCETO: do nosso ministério para que seje investigado a fundo
a) assunto. se o episódio pode ser considerado inflação do código
b) objetivo. de ética recentemente promulgado pelo poder
c) local e data. executivo.
d) identificação do signatário.
e) tipo e número do expediente. De acordo com o Manual de Redação da Presidência
da República, a redação oficial deve caracterizar-se por
133) (GEOLOGIA / CESGRANRIO) A modalidade de impessoalidade, uso de padrão culto da linguagem,

60
Língua Portuguesa Professor André Moraes

clareza, concisão, formalidade e uniformidade. Em face 140) (AGENTE DE POLÍCIA – DF)


dessa caracterização e do fragmento de texto oficial I – “grau crescente DE INSEGURANÇA”
acima, julgue os itens que se seguem. II – “agências DE TURISMO”
III – “trabalho DE INVESTIGAÇÃO POLICIAL”
1- Exceto pelo emprego de períodos sintáticos IV – “por falta DE AÇÃO INTEGRADA”
longos, o fragmento respeita as normas de
concisão e objetividade recomendadas pelo Entre os segmentos acima, em maiúsculas, aquele que
Manual de Redação da Presidência da apresenta função DISTINTA da dos demais é:
República. a) I;
2- No fragmento, para que a característica de b) II;
clareza seja observada, deve não apenas ser c) III;
reformulado o nível sintático como também deve d) IV;
haver mais precisão na organização das idéias. e) nenhum deles.
3- Embora os níveis gráfico e lexical estejam
corretos, o texto desrespeita as regras do 141) (TRE) O segmento do texto que apresenta um
padrão culto da linguagem no nível sintático. sujeito posposto ao verbo é:
4- O texto não obedece às características de a) “Anestesiada e derrotada, a sociedade nem está
formalidade e de impessoalidade que devem percebendo a enorme inversão de valores em curso.”;
nortear toda correspondência oficial para que b) “Parece aceitar como normal que um grupo de
esta adquira uniformidade. criminosos estenda faixas pela cidade e nelas fale de
5- As formas de tratamento empregadas no texto paz.”;
revelam um caráter de respeitosa formalidade e c) “Há um coro, embora surdo, que tenta retratar
estão de acordo com as recomendações para criminosos como coitadinhos,...”;
textos oficiais. d) “Coitadinhos e vítimas de um sistema ineficiente,
aqui, são os parentes dos abatidos pela violência...”;
QUESTÕES DIVERSAS e) “Mas não merecem um micrograma que seja de
privilégios...”.
(ANTT) Instruções gerais para as questões de número
136 a 139: 142) (AGENTE DE POLÍCIA – DF) “...técnica
Cada uma dessas questões apresenta cinco propostas adequada para seguir pistas”; o substantivo cognato
diferentes de redação. Assinale a letra que corresponde adequado ao verbo seguir neste caso é:
à melhor redação, considerando correção, clareza e a) sucessão;
concisão. b) sequência;
c) sequenciação;
136) d) seguimento;
a) As ruas uma a uma o geógrafo às reviu; e) seguida.
b) As casas o geógrafo reviu-as, uma à uma;
c) O geógrafo, às casas, as reviu uma a uma; 143) (AGENTE DE POLÍCIA – DF) “...não há um
d) As casas, o geógrafo reviu-as uma a uma; esquema EFICAZ de inteligência...”; “...deveria produzir
e) As casas, as reviu o geógrafo, uma à uma. a aplicação EFICIENTE...”; no minidicionário de língua
portuguesa de A. Houaiss aparece a definição desses
137) dois adjetivos:
a) Alguns sabem que certas coisas não têm preço; 1. eficiente: que realiza bem suas funções; que traz
b) Sabem alguns, que certas coisas não tem preço; bons resultados;
c) Certas coisas não têem preço, é o que sabem alguns; 2. eficaz: eficiente; seguro, infalível.
d) Sabem alguns que certas coisas não têem preço;
e) Alguns sabem que, certas coisas não têm preço. Isso mostra que:
a) só o primeiro está bem empregado;
138) b) só o segundo está bem empregado;
a) Jamais se poderão pagar algumas saudades; c) os vocábulos podiam trocar de posição, sem
b) Jamais poderão se pagar algumas saudades; alteração de sentido;
c) Algumas saudades, jamais se poderão pagar; d) nenhum dos dois está bem empregado;
d) Jamais poderá pagar-se algumas saudades; e) deveria ser empregado somente um desses adjetivos.
e) Jamais se poderá pagar algumas saudades.
144) (AGENTE DE POLÍCIA – DF) O segmento
139) abaixo que apresenta adjetivo sem variação de grau é:
a) A parada o autorizava à cobrar um novo preço; a) “Por maior que tenha sido a indignação
b) A parada lhe autorizava de cobrar um novo preço; manifestada...”;
c) A parada o autorizava de cobrar um novo preço; b) “...é alarmante esse grau crescente de insegurança”;
d) A parada o autorizava a cobrar um novo preço; c) “...de fazer o turista se sentir mais seguro no Rio...”;
e) A parada lhe autorizava a cobrar um novo preço. d) “...a redução a níveis mínimos dos assaltos a
turistas”;

61
Língua Portuguesa Professor André Moraes

e) “Mas é mais justo falar em dinheiro mal aplicado”. (A) Mais de 1,4 milhões de pessoas dirigiram-se à Meca
neste final de semana.
145) (AGENTE DE POLÍCIA – DF) “Em oito anos, o (B) Mais de 1,4 milhão de pessoas dirigiram-se à Meca
número de turistas no Rio de Janeiro dobrou, enquanto neste final-de-semana.
os assaltos a turistas foram multiplicados por três, (C) Mais de 1,4 milhão de pessoas dirigiu-se a Meca
alcançando hoje a média de dez casos por dia. neste final-de-semana.
Considerando a importância que o turismo tem para a (D) Mais de 1,4 milhão de pessoas dirigiram-se a Meca
cidade – que anualmente recebe 5,7 milhões de neste final de semana.
visitantes de outros estados e do estrangeiro, destes, (E) Mais de 1,4 milhões de pessoas dirigiu-se à Meca
aliás, quase 40% dos que chegam ao Brasil têm como neste final de semana.
destino o Rio – é alarmante esse grau crescente de
insegurança”; quanto às referências numéricas 150)
presentes nesse primeiro parágrafo do texto pode-se (A) Os guardas-civis intervieram na discussão dos
dizer que representam numerais de dois tipos: espectadores.
a) cardinais e ordinais; (B) Os guarda-civis interviram na discursão dos
b) cardinais e multiplicativos; expectadores.
c) multiplicativos e fracionários; (C) Os guardas-civis interviram na discussão dos
d) cardinais e fracionários; expectadores.
e) ordinais e multiplicativos. (D) Os guarda-civis intervieram na discursão dos
espectadores.
146) (ANP) “Os fatos desta vez deram razão a (E) Os guarda-civil interviram na discussão dos
Monteiro Lobato.”; a(s) forma(s) INADEQUADA(s) de expectadores.
reescrever-se esse mesmo período, mantendo-se o
sentido original, é(são): 151)
I - A Monteiro Lobato foi dada razão pelos fatos, desta (A) Os policiais averíguam onde querem trabalhar os
vez; escrivãos.
II - A Monteiro Lobato deram razão, desta vez, os fatos; (B) Os policiais averíguam aonde querem trabalhar os
III - A Monteiro Lobato, foi-lhe dada razão pelos fatos, escrivãos.
desta vez. (C) Os policiais averiguam onde querem trabalhar os
(A) nenhuma; escrivães.
(B) III; (D) Os policiais averiguam aonde querem trabalhar os
(C) I-III; escrivães.
(D) II; (E) Os policiais averiguam onde querem trabalhar os
(E) II-III. escrivões.

147) (ANP) Assim como petróleo foi formado: 152)


(A) jardineiro; (A) O navio ainda não tinha atracado e já era meio dia e
(B) planalto; meia.
(C) pré-histórico; (B) O navio ainda não havia atracado e já era meio-dia
(D) anti-semita; e meia.
(E) brasiliense. (C) O navio ainda não tinha atracado e já era meio-dia e
meio.
148) (ANP) De onde vêm as palavras – Deonísio (D) O navio ainda não havia atracado e já era meio-dia
da Silva e meio.
(E) O navio ainda não havia atracado e já eram meio
No título do texto 3, o termo vêm aparece com acento dia e meia.
porque:
(A) é necessário mostrar a diferença com a forma da 153)
terceira pessoa do singular; (A) Quando nos vermos de novo, eu te cumprimentarei.
(B) todo monossílabo tônico terminado em em leva (B) Quando nos vermos de novo, eu cumprimentar-te-ei.
acento gráfico; (C) Quando virmo-nos de novo, eu te comprimentarei.
(C) concorda com seu sujeito as palavras; (D) Quando nos virmos de novo, eu te cumprimentarei.
(D) é necessário destacar que sua pronúncia é nasal; (E) Eu te cumprimentarei quando nos vermos de novo.
(E) para distinguir o verbo ver do verbo vir.
154)
(ANP) As questões de 149 a 160 mostram uma mesma (A) Vossa Excelência, o Presidente, vem com os
idéia escrita de cinco formas distintas; você deve ministros a reunião?
assinalar a forma mais adequada, levando em (B) Sua Excelência, o Presidente, vem com os ministros
consideração sua correção, precisão, clareza e à reunião?
elegância. (C) Vossa Excelência, o Presidente, vêm com os
ministros para a reunião?
149)

62
Língua Portuguesa Professor André Moraes

(D) Vossa Excelência, o Presidente, vem com os (C) Acho que não a verei com bastantes amigos.
ministros na reunião? (D) Acho que não verei-a com amigos bastantes.
(E) Sua Excelência, o Presidente, vêm com os ministros (E) Acho que não vê-la-ei com bastante amigos.
para a reunião?
Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de
155) Janeiro / TÉCNICO JUDICIÁRIO
(A) O motorista foi um dos que não quis aderir à greve.
(B) O motorista foi um dos que não quiseram aderir a TEXTO – A VERDADE E A FANTASIA
greve.
(C) O motorista foi um dos que não quiz aderir à greve. Miguel Pachá – Presidente do TJ/RJ
(D) O motorista foi um dos que não quizeram aderir à
greve. Um espectro ronda a Justiça brasileira neste final de
(E) O motorista foi um dos que não quis aderir a greve. ano: a Reforma do Judiciário. Espectro porque a
realidade do Judiciário e a necessidade da sua reforma
156) foram, nos últimos meses, deformados pelo “manto
(A) No passado, não haviam tantos cheques sem fundo diáfano da fantasia”.
apreendidos. Comemoramos o nosso dia (8 de dezembro) sob o fogo
(B) No passado, não havia tantos cheques sem fundo cruzado da má-vontade e da desinformação. O
aprendidos. Judiciário não pode ser culpabilizado pelo que a mídia
(C) No passado não havia tantos cheques sem fundo chama com exagero de impunidade. A polícia não
apreendidos. prende, não investiga e nós, presos à aplicação da lei,
(D) No passado não havia tantos cheques sem fundos pagamos o pato. Além disso, há um cipoal de leis,
apreendidos. medidas provisórias e atos normativos que acabam por
(E) No passado, não havia tantos cheques sem fundos atravancar nossos corredores.
aprendidos. Temos oferecido à sociedade idéias e propostas de
melhoria da prestação de Justiça. Um exemplo: o
157) julgamento virtual, que acelera a tramitação, elimina
(A) Não existe impecilhos em conceder-lhe previlégios. papel e dispensa deslocamentos de advogados. Quanto
(B) Não existe impecilhos em conceder-lhe privilégios. ao apregoado controle do Judiciário, pensamos que
(C) Não existe empecilho em conceder-lhe previlégios. deveria antes vir de dentro que de fora, pelo ajuste de
(D) Não existem empecilhos em conceder-lhe normas e práticas processuais, bem como pela
previlégios. supervisão sistemática. A autonomia financeira deu ao
(E) Não existem empecilhos em conceder-lhe nosso Tribunal a possibilidade de ser um dos melhores
privilégios. do país: um dos mais ágeis e seguros, em condições
objetivas de enfrentar o descrédito geral da Justiça.
158) A autonomia dos poderes – lembremos ainda uma vez –
(A) A Prefeitura premia os cidadãos mais bem é a única garantia que temos da estabilidade da
comportados. República e, em última instância, da continuidade do
(B) A Prefeitura premeia os cidadãos mais bem regime democrático – o pior de todos, com exceção dos
comportados. outros. Falar em cidadania é falar em Judiciário. Em
(C) A Prefeitura premia os cidadões melhor muitas sociedades tradicionais a norma de estabilidade
comportados. é a do “poder trava poder”. Ao invés do controle externo,
(D) A Prefeitura premeia os cidadões melhor sempre perigoso, talvez se pudesse confiar mais nesse
comportados. controle sistêmico. De resto, temos à disposição
(E) A Prefeitura premeia os cidadões mais bem diversos mecanismos endógenos, eficazes, de controle
comportados. (os tribunais de conta, as corregedorias etc.).
A sociedade global, estimulada pelos formadores de
159) opinião, não tem sido capaz de captar a verdade do
(A) Estão sobre suspeita as quatro milhões de caixas Judiciário. Sob um cerco total de má-vontade e
dos remédios anglo-franceses. desinformação, vemos exageradas as nossas
(B) Estão sob suspeita os quatro milhões de caixas dos deficiências e erros. “Sobre a nudez forte da verdade, o
remédios anglos-franceses. manto diáfano da fantasia” – parodiemos o slogan do
(C) Estão sobre suspeita os quatro milhões de caixas velho Eça de Queiroz. E qual é a nossa verdade? Antes
dos remédios anglo-francês. de enunciá-la, reconheçamos nossos erros e
(D) Estão sob suspeita as quatro milhões de caixas dos dificuldades, algumas conjunturais, de mais fácil
remédios anglo-franceses. correção, outras estruturais, mais difíceis. Recente
(E) Estão sob suspeita os quatro milhões de caixas dos pesquisa da OAB, mostrou que 55% da população mal
remédios anglo-franceses. conhece o Judiciário. E é ela a segunda instituição
menos confiável do país.
160) Nosso programa para o ano que se inicia é, pois,
(A) Acho que não vê-la-ei com bastantes amigos. estabelecer a verdade da distribuição de Justiça em
(B) Acho que não a verei com amigos bastante.

63
Língua Portuguesa Professor André Moraes

nosso Estado e vê-la reconhecida, senão por todos, ao a) alibi – ausência do acusado no lugar do crime,
menos pela maioria de nossos concidadãos. provada pela sua presença noutro lugar;
b) habeas corpus – garantia constitucional outorgada
Informativo TJ/RJ e EMERJ, n.12 em favor de quem sofre ou está na iminência de sofrer
coação ou violência;
161) “Um espectro ronda a Justiça brasileira neste c) quorum – número máximo de pessoas presentes
final de ano: a Reforma do Judiciário.”; o “Guia de uso necessário para que um órgão funcione;
de Português”, de Maria Helena de Moura Neves, p. d) ad hoc – designado para executar determinada
269, aponta alguns casos de emprego de dois pontos. O tarefa;
item que indica o caso adequado ao fragmento e) a priori - anteriormente à experiência.
destacado do texto é:
a) enumeração; 166) O texto é elaborado por um membro do
b) explicitação; Judiciário e dirigido a profissionais do mesmo espaço
c) explicação; profissional; o item que NÃO o comprova é:
d) exemplificação; a) “Comemoramos o nosso dia (8 de dezembro) sob o
e) fala de personagem. fogo cruzado da má-vontade e da desinformação.”;
b) “Sob um cerco total de má-vontade e desinformação,
162) “Um espectro ronda a Justiça brasileira neste vemos exageradas as nossas deficiências e erros.”;
final de ano:...”. O dicionário de língua portuguesa de c) “A sociedade global, estimulada pelos formadores de
Aurélio Buarque de Holanda registra uma série de opinião, não tem sido capaz de captar a verdade do
significados para a palavra espectro; em função do Judiciário.”;
texto, o significado dicionarizado mais adequado desse d) “A polícia não prende, não investiga e nós, presos à
vocábulo no contexto é: aplicação da lei, pagamos o pato.”;
a) “fantasma”; e) “Além disso, há um cipoal de leis, medidas
b) “figura imaterial, real ou imaginária, que povoa o provisórias e atos normativos que acabam por
pensamento”; atravancar nossos corredores.”
c) “aparência vã de uma coisa”;
d) “aquilo que constitui ameaça”; 167) A sigla OAB significa:
e) “pessoa esquelética, esquálida”. a) Organização Advocatícia do Brasil;
b) Ordem dos Advogados do Brasil;
163) O texto é claramente argumentativo e se c) Ordem de Assistência a Brasileiros;
estrutura em torno de uma tese, que é explicitada em: d) Organização Assistencial Brasileira;
a) “...a realidade do Judiciário e a necessidade da sua e) Organização de Advogados Brasileiros.
reforma foram, nos últimos meses, deformados pelo ‘
manto diáfano da fantasia’ ”; 168) A deformação da realidade do Judiciário e da
b) “...reconheçamos nossos erros e dificuldades, sua reforma, aludida no primeiro parágrafo do texto, só
algumas conjunturais, de mais fácil correção, outras NÃO aparece referida ou inferida em:
estruturais, mais difíceis.”; a) “Comemoramos o nosso dia (8 de dezembro) sob o
c) “Em muitas sociedades tradicionais a norma de fogo cruzado da má-vontade e da desinformação.”;
estabilidade é a do ‘poder trava poder’ ”; b) “A polícia não prende, não investiga e nós, presos à
d) “Nosso programa para o ano que se inicia é, pois, aplicação da lei, pagamos o pato.”;
estabelecer a verdade da distribuição de Justiça em c) “Além disso, há um cipoal de leis, medidas provisórias
nosso Estado...”; e atos normativos que acabam por atravancar os nossos
e) “A autonomia dos poderes – lembremos ainda uma corredores.”;
vez – é a única garantia que temos da estabilidade da d) “Sob um cerco total de má-vontade e desinformação,
República e, em última instância, da continuidade do vemos exageradas as nossas deficiências e erros.”;
regime democrático...”. e) “A autonomia dos poderes – lembremos ainda uma
vez – é a única garantia que temos da estabilidade da
164) No segmento “Reforma do Judiciário”, o termo República e, em última instância, da continuidade do
“do Judiciário” indica um paciente do termo anterior. O regime democrático – o pior de todos, com exceção dos
item em que o termo sublinhado possui valor diferente é: outros.”
a) “aplicação da lei”;
b) “distribuição de Justiça”; 169) Entre o segundo e o terceiro parágrafos do
c) “formadores de opinião”; texto, em função dos significados por eles veiculados,
d) “verdade do Judiciário”; poderíamos inserir o conectivo:
e) “deslocamentos de advogados”. a) apesar de;
b) porque;
165) Etc. é uma expressão latina. O livro “Não perca c) ainda que;
o seu latim”, de Paulo Rónai, indica vocábulos e d) contanto que;
expressões latinas bastante comuns em textos jurídicos; e) nem.
o item cujo latinismo tem seu significado
INCORRETAMENTE indicado é:

64
Língua Portuguesa Professor André Moraes

170) ETC. é uma forma abreviada de et coetera, que b) é o pior de todos, historicamente falando;
significa “e outras coisas”; a afirmação correta a respeito c) é o pior de todos, comparado aos demais;
do uso dessa expressão, segundo o Formulário d) é o melhor de todos, comparado aos demais;
Ortográfico, é: e) é tão bom quanto os demais.
a) a forma é sempre seguida de ponto;
b) nunca é precedida de vírgula; 177) “De resto, temos à disposição diversos
c) só é empregada em relação a pessoas; mecanismos endógenos, eficazes, de controle...”; a
d) quando termina a frase, a abreviatura pode ser idéia aqui presente se repete aproximadamente em:
seguida de ponto final; a) “Quanto ao apregoado controle do Judiciário,
e) só é empregada em relação a coisas. pensamos que antes deveria vir de dentro que de
fora...”;
171) “Temos oferecido...”; esse tempo verbal b) “A sociedade global, estimulada pelos formadores de
apresenta, no início do terceiro parágrafo, o seguinte opinião, não tem sido capaz de captar a verdade do
valor: Judiciário.”;
a) um fato posterior ao momento em que se fala; c) “Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da
b) um fato futuro em relação a um fato passado; fantasia”;
c) um fato passado, visto como concluído; d) “A autonomia dos poderes [....] é a única garantia que
d) dá atualidade a fatos passados; temos da estabilidade da República...”;
e) fatos passados, repetidos no presente. e) “Falar em cidadania é falar em Judiciário.”

172) Relação EQUIVOCADA entre 178) A expressão “lembremos ainda uma vez”,
adjetivo/substantivo é: inserida no quarto parágrafo do texto, indica que:
a) normativos / norma; a) essa mesma idéia já foi expressa anteriormente no
b) eficazes – eficácia; texto;
c) conjunturais – conjectura; b) o autor se refere a uma outra publicação de sua
d) tradicionais – tradição; autoria;
e) sistêmico – sistema. c) os leitores esquecem facilmente de coisas
importantes;
173) “A polícia não prende, não investiga e nós, d) é uma informação importante e de pouco
presos à aplicação da lei, pagamos o pato.”; esse trecho conhecimento dos cidadãos;
de nosso texto mostra que: e) é um conhecimento que é necessário repetir, dada
a) o Judiciário é o único poder que respeita a lei; sua importância.
b) o Poder Judiciário recebe a culpa de erros alheios;
c) a polícia não está presa à lei; 179) Em relação aos “mecanismos endógenos”,
d) o Poder Judiciário causa inúmeros problemas à referidos no 4º. parágrafo do texto, analise os itens a
polícia; seguir:
e) o respeito às leis prejudica a imagem do Poder I - “...antes vir de dentro que de fora, pelo ajuste de
Judiciário. normas e práticas processuais,...”;
II - “Em muitas sociedades a norma de estabilidade é a
174) Com o emprego do vocábulo cipoal, no do ‘poder trava poder’.”;
segundo parágrafo do texto, o autor mistura duas idéias: III - “Ao invés do controle externo, sempre perigoso,
a) quantidade e dificuldade; talvez se pudesse confiar mais nesse controle
b) complicação e autoridade; sistêmico.”.
c) irresponsabilidade e confusão;
d) clareza e precisão; Os mecanismos referidos no enunciado correspondem
e) legalização e qualidade. a:
a) I – III;
175) O item que apresenta uma afirmação coerente b) I – II – III;
com os vocábulos presentes no título do texto é: c) II – III;
a) a fantasia representa o ideal de Justiça que todos d) I – II;
perseguem; e) III.
b) a verdade se refere aos exageros da imprensa;
c) a fantasia representa os bons serviços prestados 180) O segmento do texto que mostra um equívoco
pela Justiça; do editor do texto no emprego da vírgula é:
d) a verdade se refere aos bons e maus aspectos do a) “...a realidade do Judiciário e a necessidade de sua
Judiciário; reforma foram, nos últimos meses, deformados...”;
e) a fantasia representa as boas obras não difundidas. b) “...distribuição de Justiça em nosso Estado e vê-la
reconhecida, senão por todos, ao menos pela
176) Ao dizer que o regime democrático é “o pior de maioria...”;
todos, com exceção dos outros”, o autor do texto quer c) “Recente pesquisa da OAB, mostrou que 55% da
dizer que esse regime: população mal conhece o Judiciário.”;
a) é o pior de todos, em seus modelos atuais;

65
Língua Portuguesa Professor André Moraes

d) “De resto, temos à disposição diversos mecanismos b) o pronome “ela” substitui o Poder Judiciário, citado
endógenos, eficazes, de controle...”; anteriormente;
e) “...o pior de todos, com exceção dos outros...”. c) “menos confiável” corresponde a uma forma de
superlativo;
d) o segundo período do segmento mostra algo que a
181) “...55% da população brasileira mal conhece o pesquisa não mostrou;
Judiciário.”; uma gramática de língua portuguesa afirma e) decorre a informação de que há muitas outras
que “quando o sujeito for expresso por número instituições não confiáveis.
percentual ou fracionário, o verbo concordará com o
numeral, mas que é comum, entretanto, encontrarem-se Da questão 186 à questão 200, você terá cinco formas
exemplos de frases com o verbo concordando com a da mesma frase; você deve indicar a de forma mais
expressão que acompanha o numeral”. Nesse caso, adequada e correta, segundo a norma culta.
podemos dizer que, segundo a orientação gramatical:
a) o autor do texto errou na concordância verbal; 186)
b) o termo “população brasileira” deveria ser colocado a) Os advogados, inquietos, esperavam o resultado do
no plural; processo;
c) a única forma possível do verbo seria “conhecem”; b) Inquietos, os advogados esperavam, o resultado do
d) havia outra possibilidade de concordância verbal; processo;
e) a concordância empregada na frase pertence à c) Os advogados, esperavam inquietos o resultado do
linguagem popular. processo;
d) Os advogados, esperavam, inquietos, o resultado do
182) O item cujo conector sublinhado tem valor processo;
semântico de causa é: e) Os advogados inquietos o resultado do processo
a) “...deformados pelo manto diáfano da fantasia.”; esperavam.
b) “O Judiciário não pode ser culpabilizado pelo que a
mídia chama com exagero de impunidade.” 187)
c) “...deveria vir antes de dentro que de fora, pelo ajuste a) O Tribunal funciona, aos sábados, das 7 as 12 horas;
de normas e práticas processuais,...” b) O Tribunal funciona aos sábados de 7 à 12 horas;
d) “A sociedade global, estimulada pelos formadores de c) O Tribunal funciona, aos sábados, de 7 às 12 horas;
opinião,...”; d) O Tribunal funciona, aos sábados, das 7 às 12 horas;
e) “...vê-la reconhecida, senão por todos, ao menos pela e) O Tribunal, aos sábados, funciona, de 7 à 12 horas.
maioria dos nossos concidadãos.”
188)
183) Segmento do texto que mostra uma expressão a) Em princípio, nenhuma foto pode estar anexo à
de nível de linguagem bem diferente da formalidade do mensagem;
texto é: b) A princípio, nenhuma foto pode estar em anexo à
a) “...o pior de todos, com exceção dos outros...”; mensagem;
b) “E é ela a segunda instituição menos confiável do c) Em princípio, nenhuma foto pode estar anexa à
país.”; mensagem;
c) “...presos à aplicação da lei, pagamos o pato.”; d) A princípio, nenhuma foto pode estar anexa a
d) “E qual é a nossa verdade?”; mensagem;
e) “Sob um cerco total de má-vontade e e) Em princípio nenhuma foto pode estar em anexo a
desinformação...” mensagem.

184) A respeito do controle do Poder Judiciário, 189)


podemos dizer que a posição do autor do texto é: a) Com exceção da referência às leis, Vossa
a) favorável, desde que esse controle seja interno; Excelência, o deputado, falou bem;
b) favorável, desde que esse controle não seja feito por b) Com excessão da referência às leis, Sua Excelência,
tribunais de conta, etc; o deputado, falou bem;
c) favorável, se não for contaminado por má-vontade e c) Com excessão da referência as leis, Sua Excelência,
desinformação; o deputado, falou bem;
d) desfavorável, pois se perderia a estabilidade da d) Com exceção da referência as leis, Vossa
República; Excelência, o deputado, falou bem;
e) desfavorável, porque todo controle é perigoso. e) Com exceção da referência às leis, Sua Excelência, o
deputado, falou bem.
185) “Recente pesquisa da OAB, mostrou que 55%
da população mal conhece o Judiciário. E é ela a 190)
segunda instituição menos confiável do país.”; sobre a) Se alguém vir o processo, retire-o do pacote em que
esse segmento pode-se dizer que: está;
a) o termo “mal” equivale semanticamente a b) Se alguém ver o processo, retira-o do pacote em que
“imperfeitamente”; está;

66
Língua Portuguesa Professor André Moraes

c) Se alguém ver o processo, retire ele do pacote em e) Os juízes intervieram quando viram os réus frente a
que está; frente.
d) Se alguém vir o processo, retira-o do pacote em que
está; 197)
e) Se alguém ver o processo, retire-o do pacote em que a) Espero que lhes tenha prevenido de que quero
está. apartes durante a sessão;
b) Espero que os tenha prevenido que quero apartes
191) durante a seção;
a) A ascensão ao novo cargo, encheu o juiz de orgulho; c) Espero que os tenha prevenido de que quero apartes
b) A ascenção ao novo cargo encheu de orgulho o juiz; durante a sessão;
c) A ascensão ao novo cargo encheu o juiz de orgulho; d) Espero que lhes tenha prevenido que quero apartes
d) A ascenção ao novo cargo, encheu, de orgulho, o durante a seção;
juiz; e) Espero que os tenha prevenido de que quero apartes
e) A ascenção ao novo cargo encheu de orgulho, o juiz. durante a seção.

192) 198)
a) O promotor esqueceu vários papeizinhos na gaveta; a) A vítima estava obcecada pelo som dos alto-falantes;
b) O promotor se esqueceu de vários papeiszinhos na b) A vítima estava obsecada pelo som dos alto-falantes;
gaveta; c) A vítima estava obcecada pelo som dos altos-
c) O promotor esqueceu-se de vários papeiszinhos na falantes;
gaveta; d) A vítima estava obsecada pelo som dos altos-
d) O promotor esqueceu vários papeiszinhos na gaveta; falantes;
e) O promotor se esqueceu vários papeizinhos na e) A vítima estava obcecada pelo som dos altos-falante.
gaveta.
199)
193) a) Há cerca de dez metros ficava a sede da OAB;
a) Parecem ter havido bastantes erros no processo; b) A cerca de dez metros ficava a sede da OAB;
b) Parece ter havido bastante erros no processo; c) Acerca de dez metros ficava a séde da OAB;
c) Parecem ter havido bastante erros no processo; d) Acerca de dez metros ficava a sede da OAB;
d) Parece ter havido bastantes erros no processo; e) A cerca de dez metros ficava a séde da OAB.
e) Parece terem havido bastante erros no processo.
200)
194) a) Nunca mais existiu problemas entre mim e o
a) A palestra estava meia chata, mas haviam bastantes promotor;
razões para ficar lá; b) Nunca mais existiram problemas entre mim e o
b) A palestra estava meio chata, mas havia bastantes promotor;
razões para ficar lá; c) Nunca mais existiu problemas entre eu e o promotor;
c) A palestra estava meio chata mas havia bastantes d) Entre eu e o promotor, nunca mais existiram
razões para ficar lá; problemas;
d) A palestra estava meia chata mas havia bastantes e) Entre mim e o promotor, nunca mais existiu
razões para ficar lá; problemas.
e) A palestra estava meia chata, mas haviam bastante
razões para ficar lá. Prefeitura Municipal de Queimados – Auxiliar de
Enfermagem
195)
a) As decisões dos juízes nada tem a ver com os réus; TEXTO 1 - DOCUMENTO
b) As decisões dos juízes nada tem haver com os réus; Mário Quintana
c) As decisões dos juízes nada têm a ver com os réus;
d) As decisões dos juízes nada têem a haver com os Encontro um caderno antigo, de adolescente. E,
réis; em vez das simples anotações que seriam preciosas
e) As decisões dos juízes nada têem a ver com os réis. como documento, descubro que eu só fazia literatura.
Afinal, quando é que um adolescente já foi natural? E,
196) folheando, aquelas velhas páginas, vejo, compungido,
a) Os juízes interviram quando viram os réus frente a como as comparações caducam. Até as imagens
frente; morrem, dizia Braz Cubas. Quero crer que caduquem
b) Os juízes intervieram quando viram os réus frente à apenas. Eis aqui uma amostra daquele "diário".
frente; "Era tal qual uma noite de tela cinematográfica.
c) Os juízes intervieram, quando viram os réus frente a Silenciosa, parada, de um suave azul de tinta de
frente; escrever. O perfil escuro das árvores recortava-se
d) Os juízes interviram, quando viram os réus frente à cuidadosamente naquela imprimadura unida, igual, que
frente; estrelinhas azuis picotavam. Os bangalôs dormiam.

67
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Uma? duas? três horas da madrugada? Nem a lua e) o demonstrativo aquelas deveria ser substituído por
sequer o sabia. Alua, relógio parado..." estas.
Pois vocês já viram que mundo de coisas
perdidas?! O cinema não é mais silencioso. Não se usa 207) "...vejo, compungido, como as comparações
mais tinta de escrever. Não se usam mais bangalôs. caducam."; o verbo caducar, nesse segmento do texto,
E ninguém mais se atreve a invocar a lua depois corresponde semanticamente a:
que os astronautas se invocaram contra ela. a) enlouquecer;
b) emocionar;
201) O título do texto se refere: c) envelhecer;
a) ao caderno como documento de uma época pessoal d) aborrecer;
do autor; e) ressurgir.
b) ao caderno como fonte de informações perdidas;
c) aos dados documentais oficiais do autor; 208) A prova de que "as comparações caducam" está
d) ao diário como textos inéditos de uma obra literária; em:
e) aos textos publicados pelo autor quando menino. a) "Era tal qual uma noite de tela cinematográfica.
Silenciosa, parada...";
202) "Encontro um caderno antigo, de adolescente."; b) “O perfil escuro das árvores recortava-se cuidadosa-
nessa frase introdutória o autor: mente...";
a) se refere a um caderno de um adolescente c) "A lua, relógio parado.";
desconhecido; d) "Uma? duas? três horas da madrugada?”;
b) se refere a um tipo característico de caderno; e) "...naquela imprimadura unida, igual, que estrelinhas
c) se lembra de um fato passado há anos; azuis picotavam."
d) já esclarece ao leitor que fala de si mesmo;
e) declara que procurava algo importante em sua vida. 209) O texto fala da lua como "relógio parado" porque
ela:
203) "E, em vez das simples anotações que seriam a) fica imóvel no céu;
preciosas como documento..."; a frase abaixo em que, b) nem sempre está presente no céu noturno;
em lugar de em vez de seria mais adequado dizer-se ao c) encanta os namorados;
invés de é: d) também não sabe as horas da madrugada;
a) Em vez de ler, preferiu dormir; e) é redonda e iluminada como os mostradores dos
b) Em vez de churrasco, quis feijoada; relógios.
c) Em vez de sair, entrou; 210) No último parágrafo do texto, o autor fala da lua
d) Em vez de um caderno, encontrou um livro; como símbolo:
e) Em vez de anotações, encontrou um diário completo. a) de progresso na ciência;
b) de sentimento amoroso;
204) "...que seriam preciosas como documento..."; o c) de ilusão de ótica;
uso do futuro do pretérito, nesse segmento do texto, d) de perda de valores morais;
indica uma ação: e) de retrocesso histórico.
a) impossível;
b) duradoura; (Ministério da Saúde / AUX. DE ENFERMAGEM)
c) hipotética;
d) ilógica; TEXTO – ENTRE DOIS MUNDOS
e) continua.
Veja, outubro/2005
205) "Afinal, quando é que um adolescente já foi
natural?”; com essa pergunta, o autor: Um robô que deposita moléculas de DNA em
a) deseja saber algo que desconhece; placas de vidro que, submetidas à ação de raios
b) questiona o leitor sobre seus conhecimentos; ultravioleta, produzem reação química capaz de
c) deseja conhecer-se melhor; distinguir os genes das células sadias dos das
d) afirma que a naturalidade não é marca dos cancerosas. Aparelhos que identificam mutações
adolescentes; genéticas nas células. Equipamentos que fazem
e) quer saber em que momento da adolescência se é sequenciamento de DNA em larga escala. Esse cenário,
mais natural. típico de laboratórios do Primeiro Mundo, faz parte da
rotina dos pesquisadores do Instituto Ludwig de
206) "E, folheando, aquelas velhas páginas..."; nesse pesquisas sobre o câncer, em São Paulo, um dos
segmento do texto há um erro: centros de excelência do Brasil dotados com o que há
a) não se devia usar vírgula após folheando; de mais avançado em tecnologia na medicina e que
b) não se pode começar frase com E; realizam pesquisas de ponta sobre o câncer. Esses
c) o adjetivo velhas deveria vir após o substantivo centros de estudo, somados ao crescimento do prestígio
páginas; internacional dos pesquisadores brasileiros, situam o
d) a forma gráfica correta é foleando; Brasil num patamar de país desenvolvido na produção
de conhecimento em oncologia. (....)

68
Língua Portuguesa Professor André Moraes

Se o ambiente de nossos melhores laboratórios (D) levado à sair do Brasil;


cria um cenário de Primeiro Mundo, uma análise de (E) anexo à grande número de documentos.
estatísticas mostra um profundo fosso existente entre o
Brasil do conhecimento científico e o dos doentes. 216) “capaz de distinguir os genes das células sadias
Dados da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica dos das cancerosas”; o comentário INCORRETO a
(SBOC) mostram que, enquanto na Europa e nos respeito dos elementos componentes deste segmento
Estados Unidos um paciente de câncer de intestino vive do texto é:
em média vinte meses após o período mais crítico do (A) estão em oposição semântica os vocábulos “sadias”
início da doença, no Brasil a sobrevida é de apenas e “cancerosas”;
doze meses. (B) após “dos” há a elipse de “genes”;
(C) após “das” há a elipse de “reações químicas”;
211) Os “dois mundos” citados no título do texto só (D) o adjetivo “capaz” equivale a “com a capacidade de”;
NÃO se referem a: (E) o adjetivo “sadias” qualifica o substantivo “células”.
(A) mundo da teoria X mundo da prática;
(B) Primeiro Mundo X Terceiro Mundo; 217) “Aparelhos que identificam mutações genéticas
(C) mundo da pesquisa X mundo da aplicação; nas células”; a alternativa abaixo que mostra uma forma
(D) mundo do conhecimento científico X mundo dos de reescrever-se esta frase, com alteração de seu
doentes; sentido original, é:
(E) mundo do estudo X mundo da produção. (A) Aparelhos identificadores de mutações genéticas
nas células;
212) Os vários períodos colocados ao início do texto (B) Mutações genéticas nas células são identificadas
servem para: por aparelhos;
(A) compor uma imagem de laboratórios do Primeiro (C) Aparelhos que identificam, nas células, mutações
Mundo; genéticas;
(B) criar uma falsa idéia da pesquisa no Brasil; (D) Aparelhos, nas células, que identificam mutações
(C) fazer aparecer um orgulho nacionalista nos leitores; genéticas;
(D) demonstrar que são falsas as aparências; (E) São identificadas por aparelhos mutações genéticas
(E) indicar que ainda há muito a fazer na pesquisa nas células.
brasileira.
218) A alternativa abaixo que apresenta um vocábulo
213) A alternativa em que o pronome relativo em que NÃO pertence à mesma família de palavras dos
maiúsculas NÃO tem seu antecedente corretamente demais é:
indicado é: (A) vidro – vidrado – envidraçar;
(A) “Um robô QUE deposita moléculas de DNA em (B) reação – reacionário – reagir;
placas de vidro” – robô; (C) aparelho – aparelhado – emparelhar;
(B) “deposita moléculas em placas de vidro QUE, (D) equipamento – equipado – equipar;
submetidas à ação de raios ultravioleta” – placas; (E) prestígio – prestigiado – prestigiar.
(C) “Aparelhos QUE identificam mutações genéticas” –
aparelhos; 219) “Se o ambiente de nossos melhores laboratórios
(D) “dotados com o QUE há de mais avançado em cria um cenário...”; a forma verbal equivocada do verbo
tecnologia” – o; CRIAR é:
(E) “um dos centros de excelência do Brasil dotados (A) Eu cri na capacidade dos médicos;
com o que há de mais avançado em tecnologia na (B) A população, naquela época, creu no governo;
medicina e QUE realizam pesquisas de ponta” - centros. (C) O Brasil não tinha creado modernos laboratórios;
(D) Se ele cresse em mim, nada disso ocorreria;
214) “raios ultravioleta”; o adjetivo ultravioleta é (E) Se ela tivesse crido na ciência, melhoraria.
invariável, assim como o adjetivo da seguinte
alternativa: 220) “Se (*) o ambiente de nossos melhores
(A) vidro verde-claro; laboratórios cria um cenário de Primeiro Mundo, (*) uma
(B) substância cinza; análise das estatísticas mostra um profundo fosso
(C) laboratório luso-brasileiro; existente”; Se colocássemos termos adequados em
(D) célula embrionária; lugar dos (*), teríamos:
(E) cenário laboratorial. (A) por um lado / por outro lado;
(B) antes / depois;
215) “submetidas à ação de raios ultravioleta”; neste (C) a priori / a posteriori;
caso, há a utilização do acento grave indicativo da crase (D) deste modo / de outro modo;
porque ocorre a junção da preposição A (submetida A) (E) pois / assim.
com o artigo definido A (a ação). A alternativa em que a
utilização desse acento está correta é: 221) “Dados da Sociedade Brasileira de Oncologia
(A) devido à presença de bactérias; Clínica (SBOC) mostram que, enquanto na Europa e
(B) aliado à mau emprego de equipamentos; nos Estados Unidos um paciente de câncer de intestino
(C) submetido à altas temperaturas;

69
Língua Portuguesa Professor André Moraes

vive em média vinte meses após o início do período FJG - AGENTE DE INSPEÇÃO
mais crítico da doença,...”; esse segmento do texto:
(A) contraria o que é dito anteriormente; TEXTO - EMPRESAS ACOMPANHAM O RESTO DA
(B) exemplifica a estatística referida com dados; SOCIEDADE
(C) explica o significado do vocábulo “fosso”;
(D) demonstra a melhor situação dos doentes no Brasil; Toni Marques
(E) demonstram o progresso científico brasileiro.
À medida que a cultura pop divulga bem-
222) O fato de um doente de câncer nos intestinos ter sucedidos personagens que são tatuados - atletas,
menos tempo de sobrevida no Brasil demonstra que: cantores, modelos e atores - maior é a chance de as
(A) a pesquisa científica no país ainda é altamente sociedades ocidentais passarem a aceitar a tatuagem
deficiente; como um adorno tão corriqueiro quanto brincos em
(B) nossa pesquisa científica é realizada somente para orelhas furadas.
exportação; Com elas, as orelhas, aconteceu o mesmo.
(C) os doentes no Brasil ainda não recebem tratamento Houve tempo e lugar em que mulher de orelha furada
adequado; não era digna da atenção das pessoas de bem, dada a
(D) os medicamentos utilizados no Brasil são relação que tais pessoas estabeleciam entre a mulher e
importados e de baixa qualidade; indígenas diversos. Foi assim na Grã-Bretanha, onde
(E) os médicos não dão a atenção devida aos pacientes. tatuagem, desde o século XIX, é símbolo de orgulho
imperial, patriótico e religioso. Até a década de 50, lá
223) “...é de apenas doze meses”; a utilização do ainda se discutia se mulher podia ou não furar a orelha,
vocábulo sublinhado revela: muito embora o povo soubesse que o rei Eduardo VII foi
(A) uma opinião do autor do texto; tatuado, assim como seus dois filhos, um deles também
(B) uma ironia do autor do texto; monarca.
(C) um ponto de vista dos doentes; A aceitação da tatuagem nas classes médias do
(D) uma crítica aos medicamentos brasileiros; Ocidente se deu a partir do movimento hippie. [...] O
(E) um protesto contra a má distribuição de renda. mundo corporativo tende a acompanhar o resto da
sociedade nessa matéria. Afinal, a estrelinha que Giselle
224) Visto globalmente, o texto nos traz a seguinte Bundchen tem no pulso não a impediu de se tomar a
mensagem: maior modelo do mundo. Do mesmo modo, o jogador de
(A) o governo brasileiro deve fiscalizar melhor nossos futebol Beckham tem mais ou menos tantas tatuagens
laboratórios; quanto tem zeros no seu salário no Real Madrid. Giselle
(B) o progresso científico deve frutificar no tratamento e Beckham sabem negociar seus talentos respectivos.
dos doentes;
(C) nosso progresso científico é digno de aplausos 227) Segundo o primeiro parágrafo do texto, a aceita-
internacionais; ção da tatuagem nas sociedades ocidentais:
(D) o Brasil é um país de Primeiro Mundo na pesquisa a) é maior entre as pessoas de sucesso profissional
contra o câncer; b) está em estreita relação com a cultura das pessoas
(E) um melhor tratamento dos doentes não impede o c) se relaciona com a divulgação do sucesso social de
progresso da pesquisa. pessoas tatuadas
d) se faz na mesma proporção em que se usam brincos
225) Oncologia é o estudo do câncer; o vocábulo nas orelhas furadas
abaixo, pertencente à área médica, que NÃO tem seu
campo de estudo identificado corretamente é: 228) A locução à medida que pode ser substituída,
(A) pneumologia – pulmões; sem alteração de sentido, por:
(B) endocrinologia – glândulas; a) ainda que
(C) dermatologia – pele; b) mesmo que
(D) oftalmologia – olhos; c) contanto que
(E) neurologia – rins. d) à proporção que

226) Sobrevida significa: 229) As orelhas furadas são citadas no segundo


(A) prolongamento da vida além do limite dado; parágrafo do texto para mostrar que:
(B) qualidade de vida durante período de enfermidade; a) certos hábitos sempre foram aceitos
(C) sofrimento derivado de estado doentio; b) a cultura indígena influenciou a sociedade branca
(D) extensão da vida em estado vegetativo; c) as reações das pessoas dependem de sua educação
(E) prazo de sobrevivência reduzido após o diagnóstico d) algumas reações se modificam com o passar do
de uma doença. tempo

230) A "década de 50", citada no texto, compreende


o período de:
a) 1951 a 1960
b) 1951 a 1959

70
Língua Portuguesa Professor André Moraes

c) 1950 a 1960 c) advérbios


d) 1950 a 1959 d) substantivos comuns

231) Em "Século XIX" e "Eduardo VII"; os dois 238) Em “O mundo corporativo tende a acompanhar
numerais são lidos, respectivamente, como: o resto da sociedade nessa matéria”, a palavra grifada
a) dezenove, sete obedece ao mesmo critério de acentuação:
b) dezenove, sétimo a) indígenas
c) décimo-nono, sete b) até
d) décimo-nono, sétimo c) patriótico
d) salário
232) No segmento “...como um adorno tão
corriqueiro quanto brincos em orelhas furadas”, a 239) Em “se deu a partir do movimento hippie”, o a
relação entre as palavras em destaque se estabelece que antecede o verbo partir não está assinalado pelo
entre um vocábulo de conteúdo geral (adorno) e um acento indicador da crase tendo em vista o seguinte
vocábulo de conteúdo específico (brincos). O mesmo fato:
acontece na relação entre, respectivamente: a) O a é mero artigo definido.
a) tempo - lugar b) O verbo dar não rege preposição a em português.
b) rei - monarca c) O a que antecede o verbo partir é mera preposição.
c) calçado - sapatos d) Não se usa o sinal da crase em locuções
d) casa - residência prepositivas.

233) “indígenas diversos” tem sentido diferente de 240) O e que aparece na palavra atletas tem a
“diversos indígenas”. A alternativa em que a mudança pronúncia aberta. Segundo a norma prosódica , deve-
de posição do adjetivo também traz mudança de sentido se pronunciar desta maneira o e tônico de:
é: a) adrede
a) manhã clara / clara manhã b) ensejo
b) homem pobre / pobre homem c) obsoleto
c) comida gostosa / gostosa comida d) interesse (subst.)
d) máquina moderna / moderna máquina
241) Em “Com elas, as orelhas, aconteceu o
234) "Do mesmo modo, o jogador de futebol mesmo”, verifica-se que:
Beckham tem mais ou menos tantas tatuagens quanto a) por motivo de clareza, o verbo poderia estar no plural
tem zeros no seu salário no Real Madrid"; isso significa b) as vírgulas isolam um termo de valor explicativo
que o jogador Beckham: c) o verbo é impessoal
a) tem muitas tatuagens pelo corpo d) o uso da vírgula é facultativo
b) não mostra suas tatuagens em público
c) usa tatuagens com motivos econômicos FJG - AUXILIAR DE FISCAL DE TRANSPORTES
d) não tem tatuagens porque o Real Madrid não permite URBANOS

235) O antecedente do pronome relativo está TEXTO – CAVALOS SELVAGENS


indicado incorretamente na seguinte alternativa:
a) "...dada a relação QUE tais pessoas estabeleciam..."
Lygia Fagundes Telles
- relação
b) "Foi assim na Grã-Bretanha, ONDE tatuagem..." - O homem de grandes negócios fecha a pasta de
Grã-Bretanha zíper e toma o avião da tarde. O homem de negócios
c) "Afinal, a estrelinha QUE Giselle Bundchen tem no miúdos enche o bolso de miudezas e toma o ônibus da
pulso..." - a estrelinha madrugada. A mulher elegante faz Cooper e sauna na
d) "À medida que a cultura pop divulga bem-sucedidos
quinta-feira. A mulher não elegante faz feira no sábado.
personagens QUE são tatuados..." - a cultura pop
A freira faz orações diariamente em horas certas. A
prostituta faz o trottoir todos os dias em certas horas. O
236) Aceitação é um substantivo derivado do verbo
patriarca joga bridge e faz amor segundo o calendário.
aceitar; o vocábulo abaixo que está no mesmo caso é:
O operário joga bilhar e faz amor nos feriados. Homens,
a) movimento
mulheres e crianças – todos com seus dias previstos e
b) patriótico organizados: amanhã tem missa de sétimo dia, depois
c) religioso de amanhã tem casamento. Batizado na terça e na
d) imperial quarta, macarronada, que a feijoada fica para sábado,
comemoração prévia do futebol de domingo, vitória
237) As palavras grifadas em “Até a década de 50, lá
certa, ora se!... As obedientes engrenagens da máquina
ainda se discutia se mulher podia ou não furar a orelha”
funcionando com suas rodinhas ensinadas, umas de
classificam-se como:
ouro, outras de aço, estas mais simples, mais
a) preposições acidentais
complexas aquelas lá adiante, azeitadas para o
b) conjunções subordinativas
movimento que é uma fatalidade, taque-taque, taque-

71
Língua Portuguesa Professor André Moraes

taque... Apáticos e não apáticos, convulsos e C) Orações são feitas pela freira diariamente, em horas
apaziguados, atentos e delirantes em pleno certas
funcionamento num ritmo implacável. D) Diariamente, em horas certas, orações são feitas
Às vezes, por motivos obscuros ou claros, uma pela freira
rodinha da engrenagem salta fora e fica desvairada
além do tempo, do espaço – onde? A máquina 244) “A mulher elegante faz Cooper e sauna na
prossegue no seu funcionamento que é uma quinta-feira. A mulher não elegante faz feira no
condenação, apenas aquela rodinha já não faz parte sábado”; segundo esses dois períodos do texto, as
dessa ordem. “É um desajustado” – diz o médico, o mulheres citadas se opõem por:
amigo íntimo, o primo, a mulher, a amante, o chefe. Há A) condições sociais e físicas
que readaptá-lo depressa à engrenagem familiar e B) condições físicas e psíquicas
social, apertar esses parafusos docemente frouxos. Se C) condições econômicas e sociais
o desajustado é um adolescente, mais fácil reconduzi-lo D) condições psíquicas e econômicas
com a ajuda de psicólogos, analistas, padres,
orientadores, educadores – mas por que ele ainda não 245) Todos os personagens citados no primeiro
está nos eixos? Por que tem de haver certas peças parágrafo do texto se caracterizam por:
resistindo assim inconformadas? Não interessa curá-lo, A) obrigações rotineiras
mas neutralizá-lo, taque-taque, taque-taque. B) compromissos inúteis
Pronto, passou a crise? Todos concordam, ele C) tarefas assistemáticas
está ótimo ou quase. Mas às vezes o olhar tem aquela D) atividades desagradáveis
expressão que ninguém alcança e volta o fervor antigo,
cólera e gozo nos descompromissamentos e rupturas – 246) O comentário correto sobre os três vocábulos do
aguda a lembrança do cheiro do mato que recusa o segmento “Homens, mulheres e crianças”, no primeiro
asfalto, o elevador, a disciplina, ah! Vontade de fugir parágrafo do texto, é:
sem olhar para trás, desatino e alegria de um cavalo A) representam grupos familiares completos
selvagem, os fogosos cavalos de crina e narinas B) referem-se a personagens citados anteriormente
frementes, escapando do laço do caçador. Na história C) indicam diferentes classes sociais e econômicas
de Arthur Miller, eram os pobres cavalos selvagens D) são resumidos pelo pronome indefinido todos, que
destinados a uma fábrica que os transformaria num os segue
precioso produto enlatado. O instinto, só o instinto os
advertia das armadilhas nas madrugadas. E fugiam 247) O conector que poderia substituir, de forma
galopando por montes, rios, vales – até quando? adequada ao contexto, a vírgula do segmento
Inexperiência ou cansaço? Cavalos e homens “comemoração prévia do futebol de domingo, vitória
acabam por voltar à engrenagem. Muitos esquecem certa” é:
mas alguns ainda se lembram e o olhar toma aquela A) pois
expressão que ninguém entende, ânsia de liberdade. De B) mas
paixão. Em fragmentos de tempo voltam a ser C) logo
inabordáveis mas a máquina vigilante descobre os D) embora
rebeldes e aciona o alarme, mais poderoso o apelo,
taque-taque TAQUE-TAQUE! Inútil. Ei-los de novo 248) Os “cavalos selvagens” representam no texto:
desembestados: “Laçá-los é o mesmo que laçar um A) os adolescentes adaptados
sonho”. B) os seres humanos infelizes
C) as pessoas irresponsáveis
242) “O homem de grandes negócios fecha a pasta D) os desajustados sociais
de zíper e toma o avião da tarde”; a reescritura dessa
frase do texto que modifica o seu sentido original é: 249) A onomatopéia taque-taque representa, no
A) O homem de grandes negócios toma o avião da tarde contexto textual, a:
e fecha a pasta de zíper A) tirania do tempo
B) Fecha a pasta de zíper o homem de grandes B) mecanicidade da vida
negócios e toma o avião da tarde C) revolta pela liberdade
C) A pasta de zíper, o homem de grandes negócios a D) domínio da tecnologia
fecha e toma o avião da tarde
D) O homem de grandes negócios toma o avião da 250) Em “os pobres cavalos selvagens destinados a
tarde após fechar sua pasta de zíper uma fábrica que os transformaria num precioso
produto enlatado”, a oração em destaque equivale a
243) “A freira faz orações diariamente em horas um:
certas”; a forma de reescrever essa frase do texto altera A) substantivo
o seu sentido original em: B) pronome
A) Diariamente a freira faz orações em horas certas C) advérbio
B) Em horas certas, fazem-se orações diariamente pela D) adjetivo
freira

72
Língua Portuguesa Professor André Moraes

251) O segmento do texto que não apresenta d) adjunto adverbial.


substantivos ou adjetivos com indicação de grau e) adjunto adnominal.
(aumentativo/diminutivo, comparativo/superlativo) é:
A) “O homem de grandes negócios fecha a pasta de 258) (CESGRANRIO – TÉCNICO
zíper” PREVIDENCIÁRIO) “Chegando a vez dele, a roda
B) “máquina funcionando com suas rodinhas ensinadas” cantava: “8x7”?.
C) “Muitos esquecem mas alguns ainda se lembram...” A oração em destaque exprime idéia de:
D) “Todos concordam, ele está ótimo, ou quase.” a) causa.
b) concessão.
252) Entre as palavras abaixo, aquela que não é c) tempo.
formada com a ajuda de um sufixo é: d) finalidade.
A) analistas e) consequência.
B) psicólogos
C) orientadores 259) (CESGRANRIO – ANALISTA EM
D) engrenagem ADMINISTRAÇÃO) Assinale a opção em que a forma
apresentada pode substituir “segurando” no período
253) O texto pode ser classificado mais “Um professor chinês em Yale, segurando a xícara de
adequadamente como: café, ficava olhando o ponteiro de segundos do relógio
A) narrativo da sala de aula.”, mantendo o sentido da expressão
B) descritivo destacada.
C) expositivo a) Logo que segurava.
D) argumentativo b) Enquanto segurava.
c) Quando segurava.
CESGRANRIO – QUESTÕES DIVERSAS I d) Porque segurou.
e) Que segurou.
254) (CESGRANRIO – TÉCNICO
PREVIDENCIÁRIO) 260) (CESGRANRIO – PERITO MÉDICO DA
“uma casa em que caibam os meus livros, tantos e tão PREVIDÊNCIA SOCIAL) Em “O caminho de cada um
poucos," se faz ao caminhar.”, a oração reduzida pode ser
Com a expressão em destaque, a cronista quer dizer substituída, sem alterar o sentido, por:
que tem: a) desde que se caminhe.
a) apenas os livros necessários. b) porque se caminha.
b) muitos livros, mas não todos os que deseja. c) quando se caminha.
c) muitos livros, mas de pouco valor. d) pois se caminha.
d) grande quantidade de livros, mas só lê alguns. e) no entanto se caminha.
e) uma quantidade razoável de livros, nem muitos nem
poucos. 261) (CESGRANRIO) Há erro de concordância em:
a) atos e coisas más
255) (CESGRANRIO) A acentuação gráfica está b) dificuldades e obstáculo intransponível
correta na palavra: c) cercas e trilhos abandonados
a) portuguêsa. d) fazendas e engenho prósperas
b) espécie. e) serraria e estábulo conservados
c) fenomêno.
d) cajú. 262) (CESGRANRIO) Assinale o item que não
e) sómente apresenta erro de concordância:
a) Ainda resta cerca de vinte alunos.
256) (CESGRANRIO – PROCURADOR JURÍDICO) b) Haviam inúmeros assistentes na reunião.
“Há outro valor que, desde 1789, é inseparável dos c) Tu e ele saireis juntos.
outros três:” Neste período, o verbo “haver”: d) Foi eu quem paguei as suas dívidas.
a) é pessoal, no sentido de ter. e) Há de existir professores esforçados.
b) é pessoal, no sentido de tempo decorrido.
c) e impessoal, no sentido de existir. 263) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE
d) pode ser flexionado, no sentido de proceder. ADMINISTRAÇÃO) Coloque C ou I nos parênteses,
e) não admite flexão, como verbo auxiliar. conforme esteja correta ou incorreta a concordância
verbal, segundo a norma culta da língua.
257) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE ( ) Pesquisou-se os gastos das famílias.
ADMINISTRAÇÃO) “É assim há mais de trezentos ( ) Não se poupou esforços para a realização do
anos, contam os sábios.” trabalho.
A função sintática do termo em destaque é: ( ) Constatou-se que o Brasil se urbanizou de forma
a) objeto direto. acelerada.
b) sujeito.
c) predicativo do sujeito. Marque a sequência certa.

73
Língua Portuguesa Professor André Moraes

a) I - I - C a) a – às - a
b) I - C - I b) a – as – a
c) I - C - C c) à – às – a
d) C - I - C d) à – às – à
e) C - C – I e) à – as - à

264) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE 269) (CESGRANRIO) Assinale o texto de pontuação


ADMINISTRAÇÃO) Assinale a opção correta quanto à correta:
concordância verbal. a) Não sei se disse, que, isto se passava, em casa de
a) As casas, as ladeiras, tudo ficavam escondido pela uma comadre, minha avó.
neblina. b) Eu tinha, o juízo fraco, e em vão tentava emendar-
b) Existe na cidade monumentos a preservar. me: provocava risos, muxoxos, palavrões.
c) Mistério e beleza convive em Ouro Preto. c) A estes, porém, o mais que pode acontecer é que se
d) Não ocorreu na cidade grandes mudanças. riam deles os outros, sem que este riso os impeça de
e) Em Vila Rica viveram grandes poetas.. conservar as suas roupas e o seu calçado.
d) Na civilização e na fraqueza ia para onde me
265) (CESGRANRIO – TÉCNICO impeliam muito dócil muito leve, como os pedaços da
PREVIDENCIÁRIO) Marque a opção em que o termo carta de ABC, triturados soltos no ar.
entre parênteses NÃO preenche corretamente a lacuna, e) Conduziram-me à rua da Conceição, mas só mais
pois não atende à regência do verbo da frase. tarde notei, que me achava lá, numa sala pequena.
a) O emprego_________ aspirava requeria mais
preparo. (a que) 270) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que está
b) Muitos alunos___________frequentavam a escola se corretamente indicada a ordem dos sinais de pontuação
formaram. (que) que devem preencher as lacunas da frase ao lado:
c) A palmatória era a razão__________os meninos Quando se trata de trabalho científico - duas coisas
temiam as sabatinas. (com que) devem ser consideradas - uma é a contribuição que o
d) Mesmo nas escolas de antigamente havia trabalho oferece - a outra é o valor prático que possa
aulas___________os alunos gostavam. (de que) ter.
e) Os jogos___________a menina assistia lhe pareciam a) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula
emocionantes. (a que) b) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula
c) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula
266) (CESGRANRIO – ADVOGADO) Na oração d) ponto e vírgula, dois pontos, ponto e vírgula
“Diplomas como os de Medicina e Odontologia e) ponto e vírgula, vírgula e vírgula
continuam levando às ocupações correspondentes.", a
presença da preposição, marcada graficamente pela 271) (CESGRANRIO – ADMINISTRADOR E
crase, é obrigatória porque: ANALISTA TÉCNICO ADMINISTRATIVO)
a) caracteriza a existência de locução adjetiva. Considerando-se a regra ortográfica de “auto-estima”,
b) especifica o sentido do verbo pela regência. qual dos vocábulos abaixo está corretamente grafado?
c) todos os usos do verbo “levar” exigem preposição.
a) Auto-ajuda.
d) a expressão “ocupações correspondentes" é
feminina. b) Auto-destruição.
e) a regência do verbo auxiliar “continuar” a exige. c) Auto-biografia.
d) Auto-correção.
267) (CESGRANRIO – TÉCNICO
e) Auto-motriz.
ADMINISTRATIVO) ____ mais de meio século se
iniciou a indústria petrolífera no Brasil. ______ partir de
272) (CESGRANRIO – TÉCNICO EM
então, muitas pessoas tendem ______ pensar que o LABORATÓRIO) A palavra que está corretamente
petróleo aqui encontrado pertence ______ nação acentuada é:
brasileira. a) dóceis.
a) Há – A – a – à b) influênciar.
b) Há – À – à – à c) saúdavel.
c) Há – À – a – à d) possívelmente.
d) À – A – à – a e) sózinho.
e) À – A – a – a
273) (CESGRANRIO – ANALISTA DE NÍVEL
268) (CESGRANRIO – TÉCNICO DE SUPERIOR / FINANÇAS) A palavra que FOGE à regra
CONTABILIDADE) Os incêndios florestais que ocorrem de acentuação que as demais seguem é:
___ partir de agosto caminham em direção ___ grandes a) substância.
cidades e tendem ____ se alastrar pela região. b) núcleo.
c) idéia.
Preenche corretamente as lacunas do período acima a d) família.
opção: e) tendências.

74
Língua Portuguesa Professor André Moraes

a) “Se chovesse, nada feito,”


274) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que os b) “Se fizesse sol, ele ia escalar...”
vocábulos obedecem à mesma regra de acentuação c) “...surpresa se a criatura vier...”
gráfica: d) “...se chegar na hora marcada.”
a) pés, hóspedes e) “...tempo se perde por desorganização...”
b) sulfúrea, distância
c) fosforescência, provém 280) (CESGRANRIO – TÉCNICO
d) últimos, terrível PREVIDENCIÁRIO) “Tenho almejado isso
e) satânico, porém secretamente, mas por uma fatalidade estou sempre
mudando.”
Entre as orações do período acima existe uma relação
CESGRANRIO – QUESTÕES DIVERSAS II de:
a) oposição.
275) (CESGRANRIO – TÉCNICO b) tempo.
PREVIDENCIÁRIO) Assinale a única oração sem c) explicação.
sujeito. d) causa e consequência.
a) “A casa precisa ser natural,” e) consequência e finalidade.
b) “Precisamos nos sentir bem dentro dela,”
c) “Há o sentimento de perda,” 281) (CESGRANRIO – ADMINISTRADOR E
d) “Mas assim é a vida.” ANALISTA TÉCNICO ADMINISTRATIVO) “Todos
e) “Procura-se um casa...” podem conseguir um viver melhor desde que haja uma
firme decisão de se cuidar.”
276) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE A segunda oração do período acima estabelece com a
ADMINISTRAÇÃO) Em “...se urbanizou de forma anterior uma relação de:
acelerada:” o termo destacado expressa circunstância a) causa.
de: b) tempo.
a) tempo. c) conclusão.
b) causa. d) concessão.
c) modo. e) condição.
d) lugar.
e) fim. 282) (CESGRANRIO – TÉCNICO
PREVIDENCIÁRIO) Assinale a frase correta quanto à
277) (FGV) A palavra mesmo pode apresentar vários concordância verbal.
significados. Seu valor significativo em “Aí então é que, a) Existe ambientes escolares bem acolhedores.
se ele é cronista mesmo, ele se pega pela gola e diz:  b) Evoluiu pouco a pouco as escolas e o sistema de
“Vamos, escreve, ó mascarado! Escreve uma crônica avaliação.
sobre esta cadeira que está aí em tua frente! E que ela c) Por muito tempo ainda persistiu certos costumes.
seja bem feita e divirta os leitores!”” repete-se em uma d) Haviam alunos que conseguiram superar
das alternativas abaixo. Assinale-a. dificuldades.
a) Ele está mesmo mais magro. e) Castigavam-se as crianças que não sabiam a
b) Fui assaltado mesmo em frente de casa. tabuada.
c) Mesmo ele fez boa prova.
283) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE
d) Mesmo sonolento, foi à festa.
ADMINISTRAÇÃO) Assinale a única sentença em que a
e) Moram no mesmo prédio.
palavra destacada concorda corretamente com o
substantivo.
278) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que a a) As moças mesmas pediram ao chefe para sair.
vírgula está empregada para separar dois termos que b) O meu horário de saída é meio-dia e meio.
possuem a mesma função na frase: c) Dado a necessidade de sair agora, então vá.
a) "Minhas senhoras, seu Mendonça pintou o diabo d) Vai anexo a declaração pedida por seu setor.
enquanto viveu." e) Eu gosto de mais amor e menas confiança.
b) "Respeitei o engenho do Dr. Magalhães, juiz."
c) "E fui mostrar ao ilustre hóspede a serraria, o 284) (CESGRANRIO - AGENTE DE TRÂNSITO E
descaroçador e o estábulo." TRANSPORTE) Considere as frases:
d) "Depois da morte do Mendonça, derrubei a cerca ..." ( ) Para quem gosta de dirigir, viajar de carro é bom.
e) "Não obstante essa propaganda, as dificuldades ( ) Vilarejos e cidades foram percorridos em poucos
surgiram." dias.
( ) Ela mesmo trocou o pneu do carro.
279) (CESGRANRIO – ANALISTA EM
ADMINISTRAÇÃO) O vocábulo “se” tem o mesmo valor Coloque C ou I nos parênteses, conforme esteja correta
sintático da sua ocorrência em “...não se abre telhado ou incorreta a concordância nominal.
com chuva.” a) I – C - C

75
Língua Portuguesa Professor André Moraes

b) I – I – C a) João, desenha uma ave no caderno.


c) C – I – C b) No dia 5 de outubro, comemora-se o Dia da Ave.
d) C – I – I c) Chamei a menina, que estava sentada, e ela não se
e) C – C – I mexeu.
d) Ela falava sem parar – da festa, do fim de semana e
das férias de verão.
285) (CESGRANRIO – ASSISTENTE EM e) A secretária, organizada, não deixa trabalho para o
ADMINISTRAÇÃO) A pesquisa ____________ muitos dia seguinte.
participaram foi realizada em diferentes períodos do
ano. 290) (CESGRANRIO – PROFISSIONAL JÚNIOR)
Assinale a opção em que o pronome oblíquo está
De acordo com a norma culta da língua, completa corretamente empregado, conforme a norma culta da
corretamente a frase a opção: língua.
a) que. a) Com esforço, arrancou-lhe de casa para passear.
b) sobre que. b) Não foi difícil ajuntarem-nos contra nós.
c) de que. c) O síndico convocou-lhes para votar a ata.
d) a que. d) Cobrei-o a gravata que me prometera.
e) com que. e) Implicaram-lhe em crime de furto.

286) (CESGRANRIO – ADVOGADO) Indique a 291) (CESGRANRIO – PROCURADOR JURÍDICO)


opção que contém uma oração subordinada que está Indique a frase que, de acordo com a norma culta,
corretamente introduzida por um pronome relativo. apresenta o uso correto do pronome pessoal oblíquo.
a) Não é difícil saber de que o melhor para a saúde do a) Vou ver-me livre daquilo em breve.
ser humano é ingerir menos produtos químicos. b) Aqueles que reúnem-se no local.
b) As diversas drogas cujos os componentes são de c) Esse trabalho não é para mim fazer.
origem laboratorial trazem maiores danos à saúde. d) Me deixe falar com ela, por favor.
c) As descobertas que falam estes relatórios sobre a e) Cumprimentou os presentes, se retirando.
felicidade eram já esperadas pela comunidade científica.
d) Os estímulos artificiais das drogas onde se sente 292) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE
felicidade são nocivos à saúde. ADMINISTRAÇÃO)
e) Os boletins científicos a que tiveram acesso os As pesquisas constataram que o aumento das despesas
repórteres relatavam o que o grande público esperava. com habitação.........................redução nos gastos com a
alimentação.
A forma verbal que NÃO pode completar a frase
287) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE
acima, pois lhe altera totalmente o sentido, é:
ADMINISTRAÇÃO) “O nadador chegou ____ etapa final a) ocasionou.
da competição, ______ vésperas do seu aniversário. Ele b) acarretou.
aspirava ____ medalha de ouro _______ muito tempo". c) causou.
d) concorreu para.
Os vocábulos que preenchem corretamente as lacunas e) decorreu de.
do texto acima são:
a) a - as - a - há 293) (CESGRANRIO – ASSISTENTE DE
b) a - às - à - a ADMINISTRAÇÃO)
c) à - as - a - a ..................... o menino se espantava tanto ao entrar
d) à - as - à – há no santuário?
e) à – às – à - há As casas ficavam escondidas ........................ o
nevoeiro era espesso.
288) (CESGRANRIO – PERITO MÉDICO DA
PREVIDÊNCIA SOCIAL) ___ vezes, fico ___ buscar Para preencher corretamente as lacunas, na ordem
soluções para meus problemas, mas ___ cada situação em que aparecem, devemos usar:
vivida, chego ___ conclusão de que ainda não sei viver. a) Por que – porque.
b) Por que – porquê.
Completa correta e respectivamente as lacunas acima a c) Por quê – por que.
opção: d) Porquê – porque.
a) As – a – à – a. e) Porque – porquê.
b) As – à – à – à.
c) Às – a – a – à. 294) (CESGRANRIO – ADVOGADO)
d) Às – à – a – à. A única opção em que os pares estão grafados
e) Às – a – a – a. corretamente é:
a) acima – encima.
289) (CESGRANRIO – ASSISTENTE SOCIAL) b) de cima – debaixo.
Assinale a opção em que a retirada da(s) vírgula(s) c) a trás – de fora.
NÃO modifica o sentido da sentença. d) num repente – derrepente.

76
Língua Portuguesa Professor André Moraes

e) em baixo – em frente. b) É conveniente que o leitor ficaria sem saber quem é


Miss Dollar.
295) (CESGRANRIO – PROFISSIONAL JÚNIOR c) Era conveniente que o leitor ficasse sem saber quem
FORMAÇÃO ADVOGADO) é Miss Dollar.
Indique a opção em que as palavras destacadas estão d) Será conveniente que o leitor fique sem saber quem
corretamente grafadas de acordo com o sentido na era Miss Dollar.
e) Foi conveniente que o leitor ficasse sem saber quem
frase.
era Miss Dollar.
a) O espectador presenciou estarrecido o crime. /
Viciado em jogo é um expectador diário. 300) (CASA DA MOEDA - ASSISTENTE DE
b) A descrição é uma qualidade das pessoas ADMINISTRAÇÃO)
“Ê cara, tô azarando uma mina que é o maior
educadas. / A discrição feita da testemunha era barato”.
perfeita.
c) O esperto em televisão ganha muito dinheiro. / O Assinale a opção que apresenta, para o texto oral
ladrão foi experto em aproveitar a oportunidade. reproduzido acima, uma reprodução de acordo com as
características do registro escrito na língua culta padrão.
d) Velhos sábios fluem todos os momentos da vida. /
a) Ei, estou paquerando uma menina muito legal.
Os acontecimentos não estão fruindo bem. b) Você não acredita em que mulherão estou
e) É eminente a chegada da luz. / O jogador que se interessado.
despediu é figura iminente. c) Estou dando em cima de uma garota bem maneira.
d) Estou interessado numa moça bonita e inteligente.
e) Não há mulher mais sinistra do que a que tô de olho.
CESGRANRIO – QUESTÕES DIVERSAS III
Como Nós
296) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que a
inversão dos termos altera o sentido fundamental do A mulher atravessou o foyer antigo, de paredes
enunciado: redondas, com o envelope nas mãos. Dentro dele havia
a) Era uma poesia simples / Era uma simples poesia uma caixa, e dentro da caixa as jóias de sua avó, que
b) Possuía um sentimento vago / Possuía um vago acabara de resgatar do cofre do banco. A mulher
sentimento desceu os três degraus de granito escuro que iam dar
c) Olhava uma parasita mimosa / Olhava uma mimosa na calçada e olhou para os lados. Precisava tomar um
parasita táxi, talvez fosse perigoso andar com aquela caixa pelo
d) Havia um contraste eterno / Havia um eterno Centro da cidade. Fez sinal para um que se aproximava.
contraste Durante o trajeto para casa, teve ímpetos de
e) Vivia um drama terrível / Vivia um terrível drama
abrir o envelope e examinar a caixa, mas se conteve.
Precisava fazer isso como se fora um ritual, em solidão
297) (CESGRANRIO) Assinale o período em que
e silêncio. Tinha das jóias de sua avó uma lembrança
aparece forma verbal incorretamente empregada em
vívida, múltipla, colorida. Não sabia se correspondia à
relação à norma culta da língua:
realidade, mas era assim que sua memória decretara.
a) Se o compadre trouxesse a rabeca, a gente do ofício
Lembrava-se de quando ela e o irmão pediam à avó
ficaria exultante.
b) Quando verem o Leonardo, ficarão surpresos com os para manusear as pulseiras, os colares, os anéis. A ela,
trajes que usava. menina, aquelas jóias pareciam um verdadeiro tesouro,
c) Leonardo propusera que se dançasse o minuete da principalmente por causa das pedras coloridas. Hoje,
corte. adulta, sabia bem que pedras coloridas em geral são
d) Se o Leonardo quiser, a festa terá ares aristocráticos. semipreciosas e portanto de menor valor, mas quando
e) O Leonardo não interveio na decisão da escolha do era criança essa variação de cor é que mais a
padrinho do filho. fascinava.
Quando chegou em casa, sentou-se no chão da
298) (CESGRANRIO) Assinale a frase em que há sala, junto à mesinha de centro, e, com um suspiro
erro de conjugação verbal: profundo, tirou a caixa do envelope. Era uma caixa de
a) Os esportes entretêm a quem os pratica. laca escura, com um fecho de encaixe, que se abriu
b) Ele antevira o desastre. com um estalo. E dentro, sobre o forro de um vermelho
c) Só ficarei tranquilo, quando vir o resultado. aveludado, surgiram várias outras caixas, em tamanhos
d) Eles se desavinham frequentemente. e cores diferentes, além de pequenos volumes de papel
e) Ainda hoje requero o atestado de bons antecedentes. de seda, tudo muito bem arrumado de forma a que as
jóias não ficassem soltas, batendo-se para lá e para cá.
299) (CESGRANRIO) Não há devida correlação Fazendo espaço na mesa de centro, a mulher começou
temporal das formas verbais em: a abrir as caixinhas e os embrulhos de papel.
a) Seria conveniente que o leitor ficasse sem saber Reconheceu quase todas as jóias. A aliança de
quem era Miss Dollar. brilhantes, o anel de água-marinha com o engaste de
ouro, meio bruto, sustentando a pedra enorme (embora

77
Língua Portuguesa Professor André Moraes

lhe parecesse menor do que a lembrança que


guardava), a pulseira de ouro trançada como pele de Os pronomes “Ela” (trecho 1) e “que” (trecho 2) referem-
cobra, os brincos com gotinhas de rubi, o broche de se, respectivamente, a:
pedras semipreciosas em várias cores, formando um a) ararajuba e ave.
buquê de flores. Ah, e as pérolas. O colar de três voltas, b) sabiá e joão-de-barro.
o anel, o par de brincos. Pegou nestes últimos e, c) ave nacional e hornero.
depositando-os na palma da mão, examinou-os. Mas d) alma do povo e gaúcho.
logo viu que havia algo errado: uma das pérolas estava e) cor da bandeira e Argentina.
menor que a outra, um tanto fosca, já sem o brilho liso e
nacarado que faz o encanto das pérolas. 305) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que a
A mulher ergueu-se com o brinco na mão e foi vírgula está empregada para separar dois termos que
até o canto do sofá, acendendo o abajur. Era pena. A possuem a mesma função na frase:
pérola estava murcha, a superfície se tornara enrugada a) "Minhas senhoras, seu Mendonça pintou o diabo
e sem vida. Lembrou-se então de uma reportagem a enquanto viveu."
que assistira na televisão sobre o cuidado que é preciso b) "Respeitei o engenho do Dr. Magalhães, juiz."
tomar com as pérolas. Ao contrário das outras gemas c) "E fui mostrar ao ilustre hóspede a serraria, o
preciosas, capazes de atravessar séculos intactas, as descaroçador e o estábulo."
pérolas são suscetíveis à ação do tempo, podem ser d) "Depois da morte do Mendonça, derrubei a cerca ..."
arranhadas, perder o brilho, murchar. e) "Não obstante essa propaganda, as dificuldades
Talvez por isso sejam tão especiais, pensou a surgiram."
mulher. Quase humanas. Porque há na beleza das
pérolas uma centelha do efêmero. Elas são como nós. 306) (CESGRANRIO) Assinale a opção em que um
As pérolas morrem. dos termos não admite flexão de gênero e número:
a) qualquer estudioso
SEIXAS, Heloisa. Contos Mínimos. Domingo. RJ, 01 fev. b) cidadão inadvertido
2004. c) menos desenvolvido
d) nenhum pesquisador
301) (ASSISTENTE SOCIAL) De acordo com o texto,
e) cientista alienado
as pérolas são como nós por serem:
a) perenes.
b) perecíveis.
c) perfeitas.
d) resistentes.
e) perduráveis.

302) (ASSISTENTE SOCIAL) Das jóias, o que mais


fascinava a menina era o(a):
a) valor.
b) brilho.
c) desenho.
d) colorido.
e) variedade.

303) (ASSISTENTE SOCIAL) A narrativa é


entremeada de algumas descrições. Qual o parágrafo
em que, principalmente, se descrevem as jóias?
a) 1º
b) 2º
c) 3º
d) 4º
e) 5º

304) (ASSISTENTE SOCIAL – com adaptações)


“- A ave nacional de um país não pode ser escolhida em
razão da cor da bandeira – afirma o ornitólogo Johan
Dalgas frisch, presidente da ONG Associação de
Preservação da Vida Selvagem e um dos maiores cabos
eleitorais do passarinho. – Ela representa o folclore, a
música, a poesia, a alma do povo. E não existe
qualquer música com ararajuba, poesia alguma.”

“Na Argentina, a ave nacional é o hornero (joão-de-


barro), que representa o gaúcho dos pampas.”

78
Língua Portuguesa Professor André Moraes

BIBLIOGRAFIA

ANDRÉ, Hildebrando Afonso de. Gramática ilustrada. 4ª ed.


São Paulo: Moderna, 1991.
AQUINO, Renato. Português para concursos: teoria e 900
questões. 11ª ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2002.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37ª ed.


Rio de Janeiro: Lucerna, 1999.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da


língua portuguesa. 46ª ed. São Paulo: Nacional, 2005.

CUNHA, Celso e CINTRA, Lindley. Nova gramática do


português contemporâneo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1985.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da


língua portuguesa (eletrônico). Nova Fronteira, 2004.

HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico da língua


portuguesa. Objetiva, 2001

PIMENTEL, Ernani Figueiras. Intelecção e interpretação de


textos. 21ª ed. Brasília – DF: Vestcon, 2004.

RIBEIRO, Manoel Pinto. Gramática aplicada da língua


portuguesa. 15ª ed. Rio de Janeiro: Metáfora, 2005.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da


língua portuguesa. 42ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio,
2002.

SACCONI, Luiz Antonio. Nossa gramática – teoria e prática.


27ª ed. São Paulo: Atual, 2003.

TERRA, Ernani e NICOLA, José de. Gramática e literatura


para o 2º grau. 4ª ed. São Paulo: Scipione, 1993.

SITES

www.pciconcursos.com.br

www.nce.ufrj.br/concursos

www.folhadirigida.com.br

www.portrasdasletras.com.br

MEUS ENDEREÇOS ELETRÔNICOS

andremoraes@bol.com.br

prof.amoraes@gmail.com

79