Você está na página 1de 5

c

c
AUTOR
Nesta carta a autoria paulina é bem explícita (1.1; 3.1). Muitos temas e
expressões que são comuns em suas cartas anteriores são encontradas com
frequência em Efésios. As semelhanças verbais com Colossences são
surpreendentes.

A linguagem e o estilo de Efésios são certamente diferentes em alguns


aspectos quando comparadas com outras cartas de Paulo. Ainda assim
parecem-se tanto com Paulo que mesmo se a carta não tivesse seu nome,
seria difícil imaginar que a igreja a creditasse a qualquer outra pessoa. As
cartas aos Efésios e aos Colossences são muito parecidas.

A CIDADE DE ÉFESO
Éfeso era uma cidade portuária, tão importante quanto às cidades de
Alexandria e Antioquia da Síria. Situava-se no extremo ocidente da Ásia
Menor (atual Turquia) e era o porto mais importante no mar Egeu, na
principal rota entre Roma e o Oriente. A igreja de Éfeso foi fundada pelo
apóstolo Paulo no ano de 53 d.C., na viagem de retorno para Jerusalém. Em
sua terceira viagem missionária, um ano mais tarde, Paulo lá permaneceu
por três anos pregando e ensinando com muita eficiência (At 19.1 -20).
Pouco tempo depois, Paulo foi enviado como prisioneiro para Roma, onde
recebeu a visita de vários irmãos, entre eles estava Tíquico, que será o
responsável por levar essa carta às igrejas daquela região.

É provável que a carta não fosse apenas para os cristãos da cidade de Éfeso.
Muitas estudiosos acreditam que Efésios tenha sido escrita como uma carta
geral às igrejas da região. Isso é coerente com o conteúdo abrangente da
carta como um todo. c
cc

DATA
Essa é uma das quatro cartas que o apóstolo escreveu enquanto estava na
prisão em Roma (59-62 d.C.). Com exceção de Filipenses, as demais foram
escritas na mesma ocasião e enviadas pelo mesmo mensageiro, Tíquico
(Efésios 6.21; Colossenses 4.7-9; Filemom 10-12).

TEMA
O Evangelho das Regiões Celestiais. Devido a sua profundidade e
sublimidade da doutrina, podemos dizer que ³ao entrarmos nos portais da
Carta aos Efésios, estaremos penetrando nas regiões celestiais, onde
teremos uma visão dos propósitos divinos para o Igreja de Cristo na face da
terra de uma maneira deslumbrante´.

A carta aos Efésios não foi escrita em resposta a nenhuma circunstância


específica, nem a nenhuma controvérsia ou invasão de heresias, conforme
podemos verificar em algumas outras cartas do apóstolo. A carta aos
Efésios ressalta a Igreja como corpo de Cristo, ressalta a unidade que traz
aos crentes as bênçãos vindas da parte de Deus. Paulo faz questão de louvar
essa unidade na Igreja. Ele desafia os Cristãos a agirem como o verdadeiro
corpo de Cristo na terra.

ESTRUTURAc
Tal como a carta aos Colossenses, Efésios se divide em duas partes. Os
capítulos da 1 a 3 são de natureza doutrinária e tratam dos privilégios
espirituais da Igreja. Os capítulo s de 4 a 6 são exortações e tratam das
responsabilidades espirituais dos cristãos.

MENSAGEM
A carta começa com uma sequencia de declarações a respeito das bênçãos
de Deus, incluindo um sem-número de expressões notáveis que ressaltam a
sabedoria e presciência e os propósitos de Deus. Paulo deixa bem claro que
fomos salvos não para gozarmos sozinhos desse maravilhoso beneficio,
mas que isso nos faça responsáveis pela expansão do Reino de Deus,
fazendo boas obras que sejam motivos de louvor e glória ao nosso Pai
Celestial.

O ponto culminante do propósito de Deus, ³na dispensação da plenitude


dos tempos´, é fazer todas as coisa no universo convergirem em Cristo
(1.10). É de crucial importância que os cristãos reconheçam esse fato, de
modo que em 1.15-23 Paulo ora a favor do entendimento deles.

Após explicar os grandes alvos que Deus estabeleceu para a Igreja, ele
começa a demonstrar os passos para que esses alvos fossem alcançados.
1- Deus reconciliou consigo os indivíduos mediante sua graça (2.1 -10).
2- Deus rompeu as barreiras que havia entre os homens de diversos
povos mediante a morte de Cristo (2.11 -22). Mas Deus não fez
apenas essa aproximação, fez algo mais belo, uniu esse indivíduos
reconciliados num só corpo, a Igreja de Cristo. Esse é um ³mistério´
que não era plenamente conhecido antes de ser revelado ao apóstolo
Paulo (3.1-6). A Igreja de Cristo é o lugar onde a separação entre
povos, raças, culturas e etnias deixa de existir. Todos passam a ser
membros do corpo de Cristo.
A Igreja é a nova humanidade de Deus, uma colônia onde o Senhor da
história estabeleceu uma amostra da unidade e dignidade renovada da raça
humana (1.10-14; 2.11-22; 3.6,9-11; 4.1). A Igreja é uma comunidade onde
o poder de Deus de reconciliar as pessoas a si próprio é experimentado e
compartilhado através de relacionamentos transformados.

EXORTAÇÕES
a) UNIDADE ± as exortações começam com um apelo a unidade
externa alicerçada sobre a unidade espiritual já existente na Igreja.
Essa unidade inclui certa diversidade de funções ministeriais que
visam ao crescimento do corpo, a Igreja (4.1 -16).
b) CONDUTA ± instruções sobre a santificação:
- Falem sempre a verdade.
- Mostrem-se justamente indignados, com as injustiças do mundo.
- Não furtem.
- Evitem a linguagem obscena e o humor malicioso.

ARMADURA DE DEUS
No final da carta Paulo exorta aos irmãos a se revestirem da armadura
espiritual provida por Deus e combaterem contra as forças do mal que
dominam o mundo.

Ao falar da armadura espiritual, o apóstolo está orientando os crentes a


enfrentar e vencer a batalha espiritual contra as hostes de Satanás. Aliás,
nessa batalha nós já fomos declarados vencedores, pois Cristo é bem claro
ao dizer que as portas do inferno não prevaleceram contra sua Igreja (Mt
16.18).

RESUMO DE EFÉSIOS
Parte I
A Igreja e o plano de salvação.
Capítulo 1
1- Saudação, 1-2.
2- A origem da Igreja, 3-6.
3- O Plano de Salvação.
(a) Por meio da obra redentora de Cristo, 7-8.
(b) Seu alcance é universal, 9-10.
(c) Garante uma rica herança espiritual, 11 -14.
(d) Oração para que os crentes possam ser iluminados quanto às
riquezas de suas provisões, 15-23.

Capítulo 2
As obras do plano de salvação
1- O plano provê uma ressurreição espiritual longe do pecado e a
exaltação do crente aos lugares celestiais, 1 -6.
2- Esta exaltação depende inteiramente da graça, e não das obras, 7 -10.
3- Inclui os gentios, que estavam apartados de Deus, mas o sangue de
Jesus os aproximou, 11-13.
4- Remove todas as barreiras entre judeus e gentios, e os une em um
corpo para ser habitação do Espírito Santo, 14-22.

Capítulo 3
1- Os mistérios do propósito divino são revelados a Paulo, e sua
designação como apostolo dos gentios, 1 -12.
2- Segunda oração de Paulo pela plenitude espiritual da igreja e sua
compreensão do amor incompa rável de Cristo, 14-21.

PARTE II
Aplicação pratica dos ensinamentos.

Capitulo 4
1- A unidade dos crentes, 1-21.
2- Como deve andar o crente, 22-32.

Capítulo 5
1- O crente deve viver em amor e pureza, 1 -7.
2- Viver na Luz, 8-14.
3- Cheio do Espírito Santo
4- Deveres dos esposos e das esposas, 22-23.

Capítulo 6
1- Deveres dos filhos, dos pais, dos servos e dos senhores, 1-9.

A Luta espiritual:
a- A fonte de Fortaleza, 10.
b- A armadura de Deus e os inimigos, 11-18.

2- Palavras finais e benção, 19-24.

FONTES:
Bíblia de Estudo de Genebra ± Sociedade Bíblica do Brasil
Bíblia de Estudos NVI ± Vida
Panorama do Novo Testamento ± Vida Nova
Bíblia Thompson, Vida
Módulo de Teologia ± FTB ± Betesda

www.santovivo.net
c