Você está na página 1de 1

Ninguém desiste

Me nego a acreditar que alguém desista desse sentir, dessa droga que cega, dessa paixão que
adoece.

Cartas de Amor, filmes sobre o Amor, experiências de Amar e contos sobre Amar... estamos
perdidos, estamos cercados. Estamos fadados a sonhar sobre Amar, se entregar, confiar, viver
para o outro e vivendo para o outro nos encontramos a nós.
Paixão (do latim tardio passio -onis, derivado de passus, particípio passado
de patī «sofrer»[1]) é um termo aplicado a um sentimento muito forte em relação a uma
pessoa, objeto ou tema. A paixão é uma emoção intensa convincente, um entusiasmo ou
um desejo sobre qualquer coisa. [2]
O termo também é aplicado com frequência para determinar um vívido interesse ou
admiração por um ideal, causa ou atividade. Em suma, é um sentimento de excitação
incomum ou de forte emoção. A palavra paixão é utilizada principalmente no contexto
de romance ou de desejo sexual, embora, em geral, implique em uma emoção mais
profunda ou mais abrangente do que sugere o termo "luxúria".

Biologia
Segundo recentes estudos de Donatella Marazzidti (2007, Livro Natureza do Amor), a
paixão se caracteriza, do ponto de vista biológico, por uma liberação contínua de
alguns neurotransmissores como dopamina e noradrenalina. A amígdala cerebelosa tem
um papel central neste processo, pois é desta região que emana alguns
dos sentimentos mais instintivos. Esta tempestade bioquímica está relacionada com um
índice mais baixo de serotonina do que em uma população normal, sendo semelhante ao
nível deste neurotransmissor nos portadores de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o
que explicaria os pensamentos obsessivos da pessoa a qual se está apaixonado. Estes
níveis bioquímicos explicam por que a pessoa tende a perder a razão, enquanto em
estado de apaixonamento. Este mecanismo é semelhante ao de algumas drogas, como
a cocaína, sendo necessário para a perpetuação da espécie, pela atração. Além destes
neurotransmissores citados, há a participação de outras substâncias, tais
como oxitocina e vasopressina, que estão relacionadas com o amor e as sensações de
segurança e calma derivadas deste sentimento.[3]