Você está na página 1de 8

MATTHEW T.

HUSS

Psicologia
Forense
PESQUISA,
PRÁTICA CLíNICA
E APLICAÇÕES

Tradução:
Sandra Maria Mallmann da Rosa

Consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição:


José Geraldo Vernet Taborda, MD, PhD
Psiquiatra Forense. Professor Adjunto, Departamento de Clínica Médica,
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
Presidente, Section of Forensic Psychiatry, World Psychiatric Association.
Membro Fundador e Ex-Coordenador, Departamento de Ética e Psiquiatria Legal,
Associação Brasileira de Psiquiatria.

2011
Sumário

PARTEI Fundamentos da 2 Avaliação, tratamento e


psicologia forense 19 consultoria em psicologia
forense.............................................. 41

o que é psicologia forense? Avaliação forense.................................... 41


Uma introdução '........ 21
Tarefas importantes na avaliação
o que é psicologia forense? 21 forense.................................................. 42

Isto é psicologia forense? 21 Conceitos básicos em avaliação:


confiabilidade e validade............... 43
A origem da psicologia
forense.................................................. 23 Distinguindo avaliação
Nossa definição de psicologia terapêutica de avaliação
forense.................................................. 23 forense.................................................. 44

História da psicologia forense ...... 24 Métodos e procedimentos:


entrevista 45
Principais áreas da psicologia
forense........................................................ 26 Métodos e procedimentos:
testagem psicológica....................... 48
Estrutura do sistema legaL........... 29
Informações de arquivo.................. 52
Carreiras na psicologia
forense.................................................. 31 Utilização de relatórios escritos
em avaliações forenses e
As relações entre direito e
diretrizes............................................... 53
psicologia 32
O conflito entre o direito e Tratamento em contextos
a psicologia 33 forenses...................................................... 55

Educação e treinamento em Quem estamos tratando? 57


psicologia forense ,..................... 34 Tipos de tratamento......................... 58
Como me torno um psicólogo Sucesso de programas para
forense? 34 criminosos 59
12 Sumário

Programas de sucessocom Relações múltiplas 83


criminosos 60 Evidência de síndrome: área
Consultoria forense................................ 61 controversa de testemunho
pericial..................................................... 83
Perfil e evidência de
3 Testemunho pericial e o papel
síndrome 84
de um perito.................................... 65

História do testemunho
pericial . 66
PARTE 11 Violência e psicologia
Admissibilidade do testemunho forense .................... . 89
pericial . 68
Padrão Frye . 68
4 Psicopatia......................................... 91
Daubert vs. Merrell Dow .. 69
A natureza da psicopatia ...................... 91
O restante da trilogia de
Oaubert . 71 Uma operacionalização popular
da psicopatia: o inventário da
Questionamentos ao testemunho
. psicopatia ............................................ 93
pericial . 72
Relação entre comportamento
Exame cruzado .. 72
criminal e violência com psicopatia..... 97
Perito opositor .. 73
Violência em geral e
Instruções judiciais .. 73
comportamento criminal............... 97
Fatores que influenciam a
Violência sexual ................................. 100
credibilidade da testemunha
74 Violênsia em pacientes
especialista .
psiquiátricos civis.............................. 101
Críticas ao testemunho pericial. .. 74
Violência entre perpetradores de
Assumindo o controle da sala
violência doméstica .......................... 102
do tribunal . 75
O que mais sabemos sobre a
Testemunho de opinião
psicopatia? ................................................ 102
final .. 75
Aspectos interpessoais/afetivos
Corrupção da ciência . 76
da psicopatia ...................................... 102
Ética do perito . 79
Déficits cognitivos e de
Competência . 80 aprendizagem associados
Consentimento esclarecido e à psicopatia ......................................... 104
confidencial idade . 81 Base biológica para a
Combinações financeiras . 82 psicopatia ............................................ 105
Sumário 13

Tratamento da psicopatia .............. 106 Dificuldades na avaliação de


Grupos especiais e psicopatia ............ 108 risco ........................................................ 136
Mulheres .............................................. 108 Quando somos bons na avaliação
de risco? ................................................. 137
Questões étnlcas e
transculturais ...................................... 110 Comunicando o risco ............................ 138

Crianças e adolescentes.................. 111


Questões éticas e legais envolvendo 6 Agressores sexuais ......................... 141
a psicopatia ............................................... 112
O que é um agressor sexual? .............. 141
Sentença capital e o uso da
Avaliação dos agressores sexuais...... 144
psicopatia ...........................................; 113
Avaliação falométrica:
pletismógrafo peniano (PPG) ....... 144
5 Avaliação do risco de violência ••.• 117 Avaliação psicológica ...................... 146
Natureza da violência e avaliação Avaliação de risco e reincidência 148
do risco de violência .............................. 117 Instrumentos para avaliação de
Definição de violência ..................... 117 risco em agressores sexuais .......... 150
Violência como uma escolha ........ 118 Tratamento e manejo dos agressores
sexuais............................................................. 153
Realidades legais das avaliações
do risco de violência .............................. 120 Os programas de tratamento
para o agressor sexual têm
A evolução da avaliação de risco ...... 122
sucesso? ............................................... 154
Começo da história da avaliação
Componentes dos programas
de risco .................................................. 123
com potencial de sucesso .............. 156
Avaliações de risco clínicas, atuariais
Grupos especiais de agressores
e estruturadas ............................................ 125
sexuais ........................................................ 157
Avaliações clínicas da violência ... 125
Agressores sexuais juvenis ............ 157
Medidas atuariais da violência ..... 126
Mulheres agressoras sexuais ......... 159
Julgamentos profissionais
Agressores sexuais pertencentes
estruturados........................................ 129 ao clero ................................................. 160
Fatores de risco e de proteção ........... 132 Legislação para o agressor sexual. .... 161
Fatores de risco estáticos ............... 132 Leis de registro e notificação ........ 162
Fatores de risco dinâmicos ............ 133 Leis de residência .............................. 163
Fatores de proteção ......................... 134 Leis para predadores sexualmente
Exatidão da avaliação de risco ........... 135 violentos ................................................. 164
14 Sumário

PARTE 111 Leis de saúde 8 Capacidade civil e


mental e psicologia forense. ..169 criminal ............................................ 197

Levantando a questão da
7 Inimputabilidade e capacidade em procedimentos
responsabilidade criminal ............ 171 criminais ..................................................... 198

Justificativa para defesa por Capacidade para submeter-se a


inimputabilidade .................................... 171 julgamento (CST) .................................... 199
Padrões de inimputabilidade ............. 173 Prevalência da CST............................ 200
Padrão da besta selvagem ............. 173 Procedimentos em CST................... 201
M'Naghten ........................................... 174 Avaliações de capacidade .............. 202
A regra do produto e Durham ...... 176 Medidas de capacidade .................. 203
A regra do Instituto Americano Outras variáveis relacionadas à
de Direito (ALI) e Brawner ............... 177 capacidade ................................................ 208
Lei de reforma da defesa por Âmbito da prática nas
inimputabilidade (1984) ................. 178 . avaliações de capacidade .............. 209
Culpado porém mentalmente Recuperação da capacidade ............... 209
doente................................................... 179
Programas de recuperação da
Desafios à defesa por
capacidade .......................................... 211
inimputabilidade .............................. 180
Outras capacidades criminais ............ 214
Estudos que avaliam os padrões
de inimputabilidade em júris Capacidade para ser
simulados .................................................. 182 executado ............................................ 214

Mitos sobre inimputabilidade............ 183 Capacidade para renunciar aos


direitos de Miranda .......................... 215
Avaliaçõesde inimputabilidade ..... 187
Procedimentos comuns para Capacidade para recusar defesa
avaliações de inimputabilidade .... 188 por in imputabilidade....................... 215

Confiabilidade e validade das Capacidades civis .................................... 216


avaliações de inimputabilidade .... 188 Capacidade para tratamento ........ 217
Instrumentos de avaliação forense ...... 190 Capacidade para executar um
Simulação e inimputabilidade ...... 191 testamento .......................................... 217
Outros aspectos da responsabilidade Capacidade relacionada à
criminal ............................................................ 192 curatela ................................................. 218
Sumário 15

9 Restrição civil 221 PARTE IV Crianças e a família


na psicologia forense 245
o que é restrição civil? 222
Critérios para restrição civil................. 225
10 Violência doméstica e
Doença mentaL................................. 225
perseguição (stalking) 247
Periculosidade.................................... 227
Necessidade de tratamento.......... 228 Definindo e identificando a
prevalência da violência doméstica ..... 247
Processo de restrição civil.................... 229
Fatores que influenciam os
Restrição civil ambulatorial........... 230
números da prevalência 248
Exame empírico da restrição
Avaliação da violência doméstica
civil ambulatorial e outras
entre parceiros íntimos......................... 250
mudanças nas leis de
restrição................................................ 232 Avaliação das consequências da
violência doméstica 250
Coerção das restrições civis................. 233
Corisequências psicológicas da
O impacto da coerção na
violência doméstica 251
restrição civil. ........;................................. 234
Fatores de risco e avaliação de risco
Fontes e frequência da
em violência.doméstica........................ 253
coerção 235
Fatores de risco para violência
Direito de tomar a decisão de
doméstica 253
tratamento e de recusar
tratamento 236 Avaliando o risco e
reincidência......................................... 258
Capacidade para tomar decisões
de tratamento 237 Tratamento da ~iolência
Diretivas prévias para saúde doméstica 261

mental 238 Tratamento educacional e

Prática da restrição civil........................ 239 psicológico 261

Avaliação e tratamento de Intervenções baseadas na

pacientes psiquiátricos 239 comunidade........................................ 264

Avaliação do perigo para si Intervenções da justiça criminal..... 264


mesmo 240 Diferenças de gênero na perpetração

Avaliação do perigo para os de violência doméstica 266


outros 240 Perseguição (stalking) 267
16 Sumário

11 Delinquência juvenil e justiça Diretrizes profissionais para


juvenil............................................... 273 avaliações de guarda dos filhos..... 302
Prática forense nas avaliações de
História da corte juvenil....................... 275
guarda dos filhos 304
Processo nas cortes juvenis................. 277
Formato e métodos utilizados
Delinquência juvenil e delitos
em avaliações de guarda dos
juvenis......................................................... 279
filhos...................................................... 304
Fatores de risco para delinquência
Levantamentos da prática clínica
juvenil........................................................ 281
e testagem psicológica 306
Violência juvenil...................................... 283
Dificuldades nas avaliações de
Fatores de risco para violência guarda dos filhos............................... 309
não sexual............................................ 283
Efeitos da guarda e do divórcio
Fatores de risco para violência nos filhos 311
sexual .......:............................................ 284
Efeitos do divórcio nos filhos 312
Papel do psicólogo forense nas
Impacto dos acordos de
cortes juvenis 286
guarda 313
Avaliação da receptividade ao
Resultados positivos
tratamento 286
pós-divórcio 314
Oferta de tratamento....................... 287
Abuso infantil........................................... 315
Avaliações para transferência....... 288
Avaliações de capacidade.............. 289
Avaliações de inimputabilidade.... 290
PARTEV Aspectos civis da
Avaliação de risco 291 psicologia forense 319
Questões especiais em relação aos
jovens: violência na escola 292
13 Danos pessoais e discriminação
Violência e tiroteios em no direito civil 321
escolas 292
Baselegal para casos de danos
pessoais:atos ilícitos e o direito civil.... 322
12 Guarda dos filhos 297
Prática forense geral em casos de
História legal e pressupostos sobre danos pessoais......................................... 324
guarda dos filhos 298 Simulação em casos de danos
Padrões legais e preferências na pessoais 325
guarda dos filhos............................... 299 Danos típicos envolvidos em
Outras preferências legais.............. 300 queixas de danos pessoais 327
Leis de guarda de filhos e diretrizes Transtorno de estresse
profissionais.............................................. 301 pós-traumático (TEPT) 328
Sumário 17

Danos por traumatismo Glossário.................................................. 343


cranioencefálico (TCE)..................... 331
Referências 351
Dor crônica 333
Avaliação clínica psicológica índice Onomástico 407
independente 336
índice Remissivo 411
Indenização ao trabalhador................ 337
Assédio sexual e discriminação no
emprego 339