Você está na página 1de 128

Os primeiros skmheads.

ao contrário do que todo mundo pensa, nlo


surgiram na Alemanha e estavam longe de ser n c l l t l l polltl/ados
Ainda na década de 60. na terra da rainha Elizabeth, derivada da
cultura Mod. uma subcultura surgiu entre a d a n e operária
necessitada de uma expressão para combater a excluilo O l fllhoi de
trabalhadores ingleses, imigrantes africanos e carlbenhos, passaritm
a se reumr com um visual bem típicoealternativo. Eramoaraoteriiadoi
pelo corte de cabelo muito curto ou raspado, um estilo particular de se
vestir, que incluía botas e suspensórios. Cultuavam a virilidade, a
cerveja, o futebol. Ouviam música Ska e reggae jamaicana e jamais
deixavam passar uma briga. Levar desaforo pra casa era einOnimn do
covardia. A violência era considerada a maisalta m«»ifiiHl»ii HOVlfM."
f
História, sociologia, antro-
pologia, retratos de uma convivência,
lembranças, investigação, todas
essas podem ser incluídas como
sendo referência ao que é esta obra.

Cadarços Brancos foi escrito a fim de


levar o leitor a um mergulho histórico
sobre o que foi o movimento
Skinhead no Brasil, de onde surgiu ou
como surgiu, porque surgiu e quais
eram as suas ideologias, o que movia
as ações e agressões de todos os
jovens ingressos no movimento e,
sobretudo, quais eram as suas
rotinas em grupo e como eram as
suas vidas pessoais quando não
estavam de "role" espancando toda e
qualquer pessoa que viam à frente,
tumultuando estações de trens,
portas de escolas ou outros
istabelecimentos públicos.
CADARÇOS BRANCOS
iue faz a obra singular e profunda é
i Ifato do autor ter convivido com
ENTRE o SONHO E A BARBÁRIE
litos d o s i n t e g r a n t e s do
[ovimento, de ter levado apsério o
jnvívio, e de ter também^weditado,
lesmo que em algun/moiiento de
r sua vida, no que alLéra alimentado
por todos o s y f i t e g r a r i t e s do
movimento Ski&^cionay CSP.cs,

Cadarços Brancos por fim é uma o b r a ^ S


que deve ser lida por todo e qualquer ^
jovem que se interesse pelas
ideologias que estão fadadas a não
darem certo, por jornalistas que
queiram saber mais sobre o assunto
Skin. desta vez de uma maneira
honesta, humana e histórica.
David Vega

CADARÇOS BRANCOS
ENTRE o SONHO E A BARBÁRIE

Primeira Edição

São Paulo
( 2010
c
Título original
C a d a r ç o s Brancos - entre o sonho e a b a r b á r i e

Copyright Giostri Editora Ltda., São Paulo, 2010

SUMÁRIO
Reservam-se os direitos desta edição à:
GIOSTRI EDITORA LTDA
Rua Sud Menucci, 71 - casa 01
Vila Mariana - SP
Cep: 04017-080 / Tel: 11 - 25372764
/ - Apresentação
www.giostrieditora.com.br 14
giostrieditor@terra.com.br
// - Júlio • o revolucionário
São Paulo - SP - República Federativa do Brasil. 34
Printed in Brazil / Impresso no Brasil
m - Das cinzas à Vitória - O ressurgimento dos movimentos PoMco-Espirmalistas

ISBN: 978-85-60157-22-8 51
CDD: B869-4
IV - Metamorfose - A encarnação do Lobo
82
Revisão Final: Alex Giostri
Capa: Luis Felipe Camargo V - Territórios Tribais
Diagramação: Clarissa Monteiro
97

CIP - Brasil. C a t á l o g o na fonte. SP VI - Crónicas • Parte 1


Sindicato Nacional dos Editores de Livros, SP 105

Vega, David VII-Gangland


Cadarços Brancos - David Vega 112

I Ed. São Paulo: GIOSTRI, 2010


a
VIII - A Brigada das Treze Listras
1 - Ensaios brasileiros 128
2 - História
IX - Crónicas - Parte 2
3 - Sociologia
139
1 título: Cadarços Brancos
o
X-Exílio
2 titulo: - entre o sonho e a barbárie -
o

221

XI - Considerações Finais
I Edição
a

235
Giostri Editora LTDA.
XII - Anexos
Este livro segue as regras de acordo com a Nova Ortografia da Língua Portuguesa 243
A juventude de minha época, que, apesar das
àrcunstánáas, jamais ficou na mesmice; às que
estão por vir, que não caiam na bestialidade.

"Se descreveres o mundo ml como é, nõo haverá em tuas


palavras senão muitas mentiras e nenhuma verdade".
I
Leon Tolstoi
gradas. Os Estados forçados a conviver e m uniões a p r o v e i t a r a m p a r a
exigir sua soberania, g e r a n d o então, conflitos étnicos e segregações e m
u m a época e m q u e países unem-se f o r m a n d o blocos económicos, re-
m o v e m fronteiras e p r o p o r c i o n a m sociedades e produtos multiculturais.

N o o u t r o l a d o e x t r e m o d o m a p a , nos Estados Unidos, p a s s a -


d a a crise d o petróleo, a e c o n o m i a se f o r t i f i c o u e o r e s s u r g i m e n -
t o d e u m a classe média f o r t e , não vista d e s d e a g l o r i o s a década
d e 1950, t r a n s f o r m o u o país e m d e s t i n o d e i m i g r a n t e s d o s q u a t r o
c a n t o s d o p l a n e t a . O o c i d e n t e sofria g r a n d e s transformações n a
s o c i e d a d e , aqueles necessitados d e u m a mão-de-obra b a r a t a
transformaram-se e m i n i m i g o s d a classe operária d e b a i x a r e n d a
e, d i r i a a i n d a mais, d a classe d e s e m p r e g a d a q u e f o r m a v a u m a

INTRODUÇÃO oposição a o sistema d e m e r c a d o e os g r a n d e s industriais.

Estão e r r a d o s a q u e l e s q u e a c h a m q u e tais conflitos sociais


o c o r r e r a m a p e n a s nos países d o Hemisfério N o r t e . N o Brasil e o u -
tros p o u c o s países d a A m e r i c a d o Sul, a instalação d a d e m o c r a c i a
d e p o i s d e g o v e r n o s militares d e caráter p o p u l i s t a , o a c e l e r a m e n t o
d a industrialização e a l u t a partidária d e m o v i m e n t o s sindicais, f o i

O Brasil é u m refúgio d e ideias e, t u d o o q u e p o d e se considerar extin- o e s t o p i m d e pólvora p a r a u m a g u e r r a psicológica e n t r e a clas-

to e m diversas culturas, o u " a m a d u r e c i d o " g a n h a n d o meios d e defesa se média ameaçada d e extinção, e as massas migratórias c o n s e -

lícitos a p r e s e n t a n d o resultados concretos, c h e g a a q u i n u m a forma d e - q u e n t e s d o êxodo rural, o r i u n d o s d o n o r d e s t e .

t u r p a d a e r p p i d a m e n t e segue o c a m i n h o d a c r i m i n a l i d a d e , d o abuso
Q u e m viveu o final d a década d e 1980 e os anos q u e se seguiram,
d e a u t o r i d a d e , g a n h a n d o o a s p e c t o típico d e nossa s o c i e d a d e .
p r e s e n c i o u a t e n t a t i v a incessante d e diversos p r o g r a m a s sociais d e
G r a n d e p a r t e d o s ideais v i n d o s d o e s t r a n g e i r o é utilizado n o inclusão e c i d a d a n i a (existentes até hoje), m e s m o v i v e n d o sob gover-
âmbito n a c i o n a l p o r académicos e idealistas q u e d e i x a m u m t e r r e - nos c o m a l t o índice d e corrupção e o a u m e n t o d a violência u r b a n a .
n o fértil p a r a políticos c o r r u p t o s , jornalistas pró o u c o n t r a o g o v e r n o Eu v i v e n c i e i a inconstância d o s ciclos económicos d e u m a e c o -
e j o v e n s ativistas d e m o v i m e n t o s sociais. N o f i m , s e m p r e acabam
n o m i a q u e j a m a i s se p r e o c u p a r a c o m as n e c e s s i d a d e s d a p o p u l a -
i m p e r a n d o os interesses d o p o d e r e d o g a n h o d e d i n h e i r o fácil q u e
ção. D u r a n t e os a n o s q u e f r e q u e n t e i o colégio, n a c i d a d e d e São
se e s c o n d e m p o r trás d e sufixos "ismos". A deturpação é atribuída
Paulo, as consequências d a migração já e r a m existentes há p e l o
aos indivíduos d e inocência q u e p r e f e r e m seguir à risca d o g m a s
m e n o s d u a s décadas. A e s t r u t u r a d a s o c i e d a d e contemporânea,
utópicos, e s q u e c e n d o a r e a l i d a d e q u e os r o d e i a m .
c o m sua superpopulação, p r o d u z i u u m a s o c i e d a d e m e r g u l h a d a
Nas ultimas três décadas d o século passado, o m u n d o assistiu às g r a n - n o d e s e m p r e g o e s u b e m p r e g o n o setor d e serviços. L e m b r o q u e
des migrações a o redor d o g l o b o . C o m a q u e d a d a União Soviética, o n a sala d e a u l a . g r a n d e p a r t e d o s m e u s c o l e g a s e r a m filhos d e
c h a m a d o l a d o oriental d o velho c o n t i n e n t e r a p i d a m e n t e viu-se o b r i g a - v e n d e d o r e s a m b u l a n t e s e t r a b a l h a d o r e s q u e v i v e m d e fazer " b i -
d o a se integrar às e c o n o m i a s ocidentais após anos d e ditaduras retró- c o s " . Em c o n t r a p a r t i d a , h a v i a a q u e l e s q u e p e r t e n c i a m à classe
operária p a u l i s t a n a e m a n t i n h a m u m a p o s t u r a c o n s e r v a d o r a e
bairrista f r e n t e às periferias c o m p o s t a s d e m i g r a n t e s q u e insistiam
e m não os r e c o n h e c e r e m c o m o p a r t e i n t e g r a n t e d a população.
Não se d e v e e s q u e c e r q u e a violência o r g a n i z a d a se m a n i f e s t a
t a n t o o f i c i a l m e n t e q u a n t o n a formação d e g r u p o s e x t r a - o f i c i a i s .

Viver e m g r a n d e s c e n t r o s u r b a n o s é m u i t o c o m p l i c a d o e essa
o b r a q u e a p r e s e n t o t e m a intenção d e ser u m r e t r a t o d a s o c i e d a d e
brasileira q u e v e m d e c a i n d o p o r consequência d a s crises e d a g l o -
balização, não a p e n a s n o a s p e c t o económico. N a q u e l e s a n o s d e
colégio, c o m o q u a s e t o d o j o v e m , p a r t i c i p e i d e m o v i m e n t o s , v i v e n -
c i e i as " t r i b o s " e s e m saber, m e envolvi e m u m a s u b c u l t u r a m u i t o dis-
t a n t e d o m u n d o a f o r a . C o n v i v i c o m Punks, Skinheads, Billys, M e t a l e i -
0 DISCURSO
ros, Skatistas e t a n t a s " b a n c a s " ( c o m o são c h a m a d a s tais g a n g u e s )
q u e e u p o d e r i a passar a v i d a t o d a e s c r e v e n d o sobre o assunto.
CIDADE DE SÃO PAULO -
A c o m p a n h e i estas figuras a shows, c e r v e j a d a s n o b a r e b a t e - PRAÇA JOÃO MENDES - 1993
p a p o s nas rodas dos grupos. C o m b a s e nas histórias q u e escutei d a
b o c a d e muitos, c o n t o a versão dos Skins frente a diversos fatos atuais,
alguns q u e a imprensa pôde registrar e outros q u e p a s s a r a m desper-
c e b i d o s até d a polícia. E c o n t o através dos olhos d e u m p e r s o n a g e m Viaturas p o l i c i a i s e g u a r d a s c e r c a m u m a multidão d e c a r e c a s
fictício, q u e construí p a r a a p r e s e n t a r t o d a trajetória a o leitor d e u m alucinados q u e gritam, b e b e m cerveja e pulam d e u m lado a o u -
m o d o mais lúdico. A intenção é colocá-lo c o m o e s p e c t a d o r d e si- tro abraçados, e n t o a n d o músicas n a c i o n a l i s t a s d e s e n t e r r a d a s d o s
tuações i m p o r t a n t e s p a r a a história d e São Paulo. G r a n d e p a r t e d o s porões d o e s q u e c i m e n t o q u e se f e c h a r a m n a geração d e nossos
fatos é v e r d a d e i r a , e n t r e t a n t o , os n o m e s f o r a m a l t e r a d o s , m a n t e n d o avós. Um m a r d e b a n d e i r a s n a c i o n a i s e b r a n c o - a z u i s , d a Frente In-
assim a p r i v a c i d a d e dos envolvidos; os p o u c o s n o m e s c i t a d o s f o r a m t e g r a l i s t a Brasileira, compõe o cenário. C a r t a z e s cujas s i m b o l o g i a s
os d i v u l g a d o s p e l a imprensa, através d e registros policiais. Também a g r e g a m valores político-étnicos, m a c h a d o s c r u z a d o s e o n o m e
m a n t i v e alguns a p e l i d o s reais, a q u e l e s q u e não c o m p r o m e t e m a C a r e c a s d o Brasil p e n d u r a d o n o a r r e d o r . Buzinas e sons d e helicóp-
i d e n t i d a d e dos indivíduos. Por fim, m e u t r a b a l h o é f u n d a m e n t a d o n o teros p o r t o d a a p a r t e , u m a câmera repórter d e u m c a n a l televisivo
registro. Registrei alguns a c o n t e c i m e n t o s e m e sinto n a obrigação d e a c o m p a n h a o a c o n t e c i m e n t o . Próximo a o l o c a l , u m sujeito c a r e -
a l e r t a r a t o d o s sobre as escolhas feitas n a v i d a . c a , e m pé, t o m a c e r v e j a n o balcão d e u m b a r . A p r o x i m a - s e u m
c o m p a n h e i r o d e passos largos e a f a c e t o d a s u a d a .
"Os fotos, os acontecimentos, os fenómenos, não aparecem
diante de nós como algo íntegro e totalizado. O processo de conhe- - Porra. Caçapa. já era hora. meu velho! Vai começar o discurso - dis-
cimento pressupõe a coleta desses fragmentos da vida e sua cone- se o fanfarrão, marcado por rugas, era conhecido como "Tio Chico".
xão com antecedentes e consequências para que o fato seja apre-
- Oi! Oi! Oi! - c o n t e s t o u o g a r o t o .
endido na sua totalidade". ( M a r c e l o C a n e l l a s - repórter TV G l o b o
- a o a f i r m a r n o livro "Jornalismo investigativo", d e L e a n d r o Fortes) Subitamente foram interrompidos por u m g r u p o q u e gritava e m
c o r a l : " U h , Uh, Uh, B r a n c o - Azul, Uh, Uh, U h " sados. Repito as palavras deste grande herói, que embora esteja
no esquecimento das massas, ainda vive no coração de poucos,
- Porra, seus vacilão! Ele já tá chegando - a l e r t o u u m deles.
no espírito de luta dos Bravos. A crise nacional agrava-se gradual-
Tio C h i c o e Caçapa se i n t e g r a r a m à p a s s e a t a e s e g u i r a m d i a n - mente, surgem focos de agitação e de desagregação, alinham-se

te d e u m p a l a n q u e i m p r o v i s a d o n o m e i o d a praça - próximo a eles, partidos sem sentido nacional e filosófico. O que a Social Democra-

u m c a r r o e s t a c i o n a d o . Dele d e s c e r a m dois homens d e terno preto cia tem a nos oferecer? O desaparecimento da classe média. O

e óculos escuros: e r a m os seguranças d o p a l e s t r a n t e q u e se p r e p a - Império do burguês invade nossa vida de forma destrutiva, somos

r a v a p a r a transmitir o seu discurso. usados, e descartados quando não os servimos mais, nossos filhos
viverão para servi-los. O mundo capitalista apodrece no consu-
- Vê lá, hein, seus merdas, não quero confusão dessa vez, senão mismo e na espoliação, enquanto, do outro lado da trincheira, o
eu peço a anulação da autorização da prefeitura - alertou u m c a b o comunismo se infiltra até na nossa religião. Exigimos o nosso reco-
d a Polícia Militar q u e c o n d u z i a os manifestantes p a r a o p a l a n q u e . nhecimento como Partido Político na dita democracia vigente que
não permite um ponto de vista contrário aos interesses do merca-
Enfim, a h o r a tão e s p e r a d a p a r a a q u e l e s h o m e n s agitados
do. Esmaguemos essas duas trincheiras, marchemos ao lado de
c h e g a r a . O p a l e s t r a n t e subiu a o p a l a n q u e . P o r t a v a u m u n i f o r m e
verdadeiros heróis e vamos construir um futuro digno, a base de
v e r d e - o l i v a c o m o s i g m a integralista n a m a n g a d i r e i t a . O h o m e m
sangue e honra! Lembrem-se do que Plínio Salgado disse: "O Inte-
já a p a r e n t a v a u m a i d a d e avançada, t i n h a c a b e l o s grisalhos, olhos
gralista é o soldado de Deus e da Pátria, homem-novo do Brasil que
u m t a n t o c e r r a d o s e u m a p o s t u r a militar e n d u r e c i d a . vai construir uma grande nação!".

- Camaradas do meu Brasil! Venho hoje com o imenso prazer


ANAUÊ!
dirigir as palavras de um povo reprimido às massas juvenis desta
década, são estas a última esperança em tempos obscuros deca- Parou o discurso e s t e n d e n d o a mão direita n o urro triunfal tupini-
dentes. Eu, um da antiga geração, afirmo com total convicção o q u i m . Tio C h i c o e Caçapa e s t a v a m vidrados. Jamais estiveram tão
esforço e as diversas tentativas que tivemos ao longo desses anos p e r t o d o g r a n d e líder, o insubstituível Sr. Anésio Lara d e C a m p o s . O M o -
de luta. Tentamos, com efeito, estabelecer o conceito de Estado: o v i m e n t o Integralista a g o r a já tinha u m a base p a r a seu ressurgimento.
fascismo, a ditadura militar, o nacional socialismo, pareceram para
mim significativos como exemplos de regimes, isso na medida em
que os apresentamos na realidade concreta a essência que tanto
buscamos para nossa pátria. Mas, digo, esqueçam falsas ideolo-
gias e rotulações. Como bons brasileiros, vos apresento o caminho,
a vertente política-espiritual que irá assegurar o futuro de nossa
geração e a glória de nosso país.

Em memória do grande chefe Nacional, Plínio Salgado, que


nos fortaleceu ensinando a Fé em Deus, o amor à pátria e o ideal
da Unidade Nacional, eu digo... Faremos uma renúncia pessoal. O
esforço permanente no sentido de doar à posteridade um Brasil
maior do que aquele mesmo que herdamos de nossos antepas-
m e n t e , u m raio e m m e u olhar d e m e n i n o e m b r i a g a d o d e esperan-
ça f r e n t e a u m m u n d o p e r v e r s o e traiçoeiro.

Para m i m era indiferente, até e u ser apresentado a cosmovisão, às ses-


sões d e delírio e a o ruído imperativo, c h o c a n t e e hipnotizante d o Nacional
Socialismo, a sua simbologia e princípios estavam l o n g e d e serem c o m -
preendidas p e l a c a b e c i n h a dura d e m o l e q u e m i m a d o e desobediente.

C h a m o - m e Júlio Tenório M o s q u e i r a G a r r o t e . Assim está n o registro


d e n a s c i m e n t o . Creio ser a única i d e n t i d a d e inalterável. Tive vários
n o m e s a o l o n g o desses anos. Uns tive q u e m u d a r p o r questões d e
segurança, outros a p e n a s p a r a reforçar m i n h a p e r s o n a l i d a d e nos
grupos q u e a d e r i . Hoje a t r i b u o c a d a n o m e a u m caráter específico
d e m i n h a p e r s o n a l i d a d e , então q u a n d o estou nervoso, d o t a d o d e
APRESENTAÇÃO inspirações momentâneas e l i g a d o n a a d r e n a l i n a , e n c a i x o - m e n a fi-
g u r a d o Lobo, c o d i n o m e q u e utilizei n a c e n a ativista política d e m e u
p a s s a d o . Para outras questões, sou Júlio o u Julinho. O q u e fui não r e -
presenta o q u e sou, m a s m e a s s o m b r a o ódio n a b o c a d o estômago
t o d a s as noites q u e passo e m c l a r o l e m b r a n d o a multidão fanática e
frenética i n v a d i n d o as ruas d a l o c o m o t i v a São Paulo, c i d a d e berço
d e m i n h a formação e salvação d e u m d e s t i n o f a d a d o à perdição.
M i n h a história não é a única q u e retrata a j o r n a d a d e u m j o v e m d e
dezessete anos q u e deixa o a m b i e n t e familiar p a r a enfrentar a v i d a e m Sou n a t u r a l d e São José d o Rio Preto. Nasci n a Santa C a s a d e
u m a c i d a d e g r a n d e . D e tantas iguais p o r aí, d e v o fazer a l g o p a r a tirar Misericórdia d o c e n t r o d e s t a c i d a d e m o v i m e n t a d a e i l u m i n a d a , r e -
minhas memórias d o "cliché" avassalador d a mídia e m p u b l i c a r recria- sistente à c a l m a r i a d o interior paulista. Filho d e p a i e s p a n h o l e mãe
ções. Esta o b r a é u m a projeção d e outras realidades semelhantes vivi- p a u l i s t a n a , cujas ascendências r e m o n t a m a o sul d e P o r t u g a l , sou o
d a s p o r outros rapazes e retratadas i n c a n s a v e l m e n t e n o c i n e m a e nos
mais v e l h o d e três irmãos. A l i c e e Jonas r e s p e c t i v a m e n t e são os mais
documentários. Nela estão confissões dos meus íntimos sentimentos.
novos m e m b r o s d a f r a t e r n i d a d e G a r r o t e , gémeos q u e s u r p r e e n d e -
O t o d o a p r e s e n t a d o a q u i não t e m a intenção d e ser p o l i t i z a - r a m a t o d o s q u a n d o n a s c e r a m d e v i d o a o f a t o d e não serem idên-
d o o u d e d i v u l g a r ideias q u e fizeram p a r t e d o m e u m u n d o e q u e ticos. A c i d a d e q u e m e r e c e b i a e r a c o m p o s t a p o r famílias d e s c e n -
m e fizeram t o m a r decisões drásticas n a adolescência. L e m b r o q u e d e n t e s d e imigrantes, e m sua m a i o r i a d o sul d a Europa. Q u a s e t o d a s
c o s t u m a v a dizer " h i p o c r i s i a é rotular o u justificar o próximo c o m estas famílias c h e g a r a m a o Brasil n o final d o século XIX e d u r a n t e
b a s e e m c o n c e i t o s , d o g m a s , religião o u a constituição a t u a n t e e m a Primeira G u e r r a M u n d i a l n o início d o século seguinte. A f a m a d o
u m a d e t e r m i n a d a s o c i e d a d e " . Pois b e m , isso é q u e o leitor d e v e ter p o v o i n t e r i o r a n o d a q u e l a região s e m p r e foi m a r c a d a p e l o a s p e c t o
e m m e n t e a o f o l h e a r as páginas sinceras q u e e u escrevi. t r a d i c i o n a l d o s c o s t u m e s italianos, p o r t u g u e s e s e c a b o c l o s . Rara-
m e n t e u m i t a l i a n o se c a s a v a c o m u m português, e este d i f i c i l m e n t e
Não sou h o m e m d e r e l e m b r a r tolices. A l u t a q u e t e n h o é inter-
misturava-se c o m u m c a b o c l o d a terra, m a s a i n d a assim t o d o s vi-
n a . A c a d a d i a a p r e n d o a d o m i n a r m i n h a consciência, a c a l m o o
v i a m e m p e r f e i t a h a r m o n i a c o m p o n d o a s o c i e d a d e paulista t r a d i -
m e u espírito indomável. Há u m a voz q u e a i n d a m a r t e l a e m m i n h a
c i o n a l q u e p o r séculos se m a n t e v e a p a r t e d o restante d o Brasil.
o c o r r i a n a a n t i g a c a p i t a l Rio d e J a n e i r o , p o u c o i n f l u e n - S e m e l h a n t e o c o r r e r a n a i s o l a d a c a p i t a l : o siciliano, arménio, g a -
Cj>* o m o d o d e v i d a d a s gerações p a s s a d a s . Para u m barão l e g o , nipõnico o u libanês, n a d a t e m e m c o m u m c o m a população
j f é . p o r e x e m p l o , as manifestações d o s p o v o s q u e se e n c o n - q u e h a b i t a v a o v a l e d o Piratininga d e s d e os t e m p o s d o d e s c o b r i -
j v a m além d e M i n a s Gerais, não a l t e r a r i a m a administração m u - m e n t o . C o n s i d e r a v a a imigração c o m o s e n d o o p r i n c i p a l m o t i v o d o
n i c i p a l d e sua c i d a d e , pois nessa época o sudeste e r a v o l t a d o à progresso d o sul e m relação a o n o r t e d o país. Novos ares, invenções
exportação i n t e r n a c i o n a l . Estes i m p o r t a n t e s f a z e n d e i r o s , j u n t o d o s e r e a l i d a d e s culturais fizeram o m o d o d e v i d a p a u l i s t a mais a b e r t o e
industriais n a c a p i t a l d o Estado, construíram u m império n o país d o livre d a m e n t a l i d a d e c o r o n e l i s t a q u e r e m o n t a à época d a c o l o n i z a -
q u a l t o d o p a u l i s t a s e m p r e se o r g u l h a r a . Era e u u m d o s últimos p a u - ção, mais a t u a n t e nos estados d e c i m a , além d e outras razões q u e
listas autênticos, o r i u n d o desse berço c u l t u r a l . N o final d a década a o l o n g o d e m i n h a formação a c h e i q u e fossem d e importância.
d e 1980, q u a s e t o d o E s t a d o e s t a v a r e p l e t o d e indivíduos originários
T o d o j o v e m i n t e r i o r a n o , p o r m a i s o r g u l h o s o q u e seja d e sua " c h a -
d e outros c a n t o s d o país, e s p e c i a l m e n t e d o n o r d e s t e brasileiro.
c r i n h a " , lá n o f u n d o , s e m p r e quis viver e m u m a metrópole c o m o
U m a característica i m p o r t a n t e d o p o v o i n t e r i o r a n o r e t r a t a d a n a São Paulo. C o m i g o não p o d i a ter a c o n t e c i d o d i f e r e n t e . À m e d i d a
i m o r t a l c a r i c a t u r a J e c a Tatu e nas histórias d e M o n t e i r o L o b a t o é o q u e cresci o m u n d o a o m e u r e d o r se t o r n o u p e q u e n o . Para os q u e
c a i p i r a s o s s e g a d o e d e s p r e o c u p a d o c o m os p r o b l e m a s . Tal d e n o - p o s s u e m c e r t a ambição, u m v i l a r e j o a o n d e o p o d e r m a i o r é a i n d a
minação c a b i a m e l h o r a o c a b o c l o , pois o município t i n h a e m sua a i g r e j i n h a d o c e n t r o e as viúvas se v e s t e m d e n e g r o até o fim d e
m a i o r i a famílias e u r o p e i a s q u e , m e s m o distantes d e seu m o d o d e seus dias, p e r d e t o d o o e n c a n t o d i a n t e d o s anseios ( c o m o senti
v i d a o r i g i n a l , fizeram p r e v a l e c e r os valores eurocêntricos ensinados f a l t a disso nos t e m p o s s a u d o s o s d e m i n h a terra n a t a l ! ) .
p o r nossos a n t e p a s s a d o s . Cresci e m u m a m b i e n t e t o t a l m e n t e t r a d i -
Fato e r a q u e e m u m a c i d a d e g i g a n t e s c a e u p o d i a ir e vir s e m
cionalista e c o n s e r v a d o r . M e u p a i e r a o t o p o d a h i e r a r q u i a d e as-
p r e c i s a r d e p e n d e r d e m e u s pais, a i n d a mais, s e m ficar s e n d o u m a
p e c t o linear e " n u n c a e s t a v a e r r a d o " , mamãe t i n h a a única função
m a r i o n e t e d o s recursos d a c i d a d e l a . N e n h u m a p r e f e i t u r a c o r r u p -
d e e d u c a r A l i c e p a r a se t o r n a r u m a mãe d e família s e g u i d o r a d e
ta p o d i a i n f l u e n c i a r o progresso d a s g r a n d e s indústrias e e m p r e -
nossos valores. Fica difícil atribuir essa r e a l i d a d e a p e n a s p e l a s a s c e n -
sas p r i v a d a s . M i n h a mãe h a v i a n a s c i d o e m u m a c a s a b e m a n t i g a
dências, p o r q u e as d e m a i s famílias, e m b o r a estivessem n o padrão
d a z o n a n o r t e d a c a p i t a l , n o b a i r r o d e S a n t a n a . Cresci o u v i n d o
t r a d i c i o n a l , não t i n h a m t a m a n h a rigidez c o m o a m i n h a . Estávamos
as histórias d o s distritos industriais a n t i g o s , d a M o o c a , d o Brás, d o s
p e r t o d o n o v o milénio e a inclusão d i g i t a l m u d a v a a m e n t a l i d a d e
m o n u m e n t o s históricos d o c e n t r o a n t i g o , d a importantíssima Fa-
d a s pessoas, m e s m o a q u e l a s q u e v i v i a m e m u m a d i s t a n t e c i d a d e
c u l d a d e d e Direito... Também, e m c o n t r a p a r t i d a m e e n c a n t a v a m
d o c a m p o . Penso também q u e u m m o t i v o i m p o r t a n t e d e ter r e c e -
as memórias d e m e u p a i , d e sua infância p o b r e n a Galícia e d a
b i d o esse t i p o d e educação é a i d a d e d e m e u s pais; q u a n d o n a s c i
v i a g e m a o Brasil q u e fizera j u n t o d e u m g r u p o d e a m i g o s d u r a n t e
m e u p a i já t i n h a seus q u a r e n t a a n o s e m i n h a mãe p a s s a v a d o s 35.
o final d a década d e 1960. Eles h a v i a m c h e g a d o a Santos e d e lá

O camponês paulista h e r d o u a h a b i l i d a d e d o t r a b a l h o nos moldes f o r a m d e s t i n a d o s a subir a serra p e l a e s t r a d a a n t i g a (hoje d e s a t i -

dos napolitanos e andaluzes. São homens d e força atlética, robustos, d e v a d a ) ; c h e g a n d o à c a p i t a l t r a b a l h o u nas indústrias metalúrgicas
d o e m e r g e n t e A B C , g r a n d e São Paulo. C u r i o s o também, foi e l e ter
feições corretas e alimentação p e s a d a , possuidores d e u m a cultura m u i -
sido u m d o s últimos a residirem n o q u e h o j e é c o n h e c i d o c o m o Mu-
to avançada se c o m p a r a d a c o m a d a c a b o c l a d a . Falavam c o m lenti-
seu do Imigrante. N a época e r a a i n d a u m a l b e r g u e p a r a t r a b a l h a -
dão e lisura. Observa-se raramente entre eles arranques d e eloquência
d o r e s q u e v i n h a m prestar serviço às m u l t i n a c i o n a i s e m expansão.
e d e fantasia, tão frequentes entre os demais nativos. São d e t e m p e r a -
m e n t o calculista e tranquilo, mas perigosos q u a n d o os d e s p e r t a m .
Era então u m h o m e m d i v i d i d o p o r d u a s pátrias. A o r i g e m d e m e u
s a n g u e ibérico d e v i a sobreviver n a distante América, pátria a c o l h e - ção d e v a s t a d o r a , e l e tinha c o n t a t o s n a Universidade Cásper Libero,
d o r a d e m i n h a família. Cresci l e n d o a literatura d e L o p e d e V e g a , instituição q u e sempre sonhei ingressar e seguir a carreira jornalística.
Valle Inclán e C e r v a n t e s , o r g u l h a v a - m e d a s histórias d e c o n q u i s t a -
- Quando você terminar o colégio podemos pensar sobre o as-
dores q u e e x p l o r a v a m as selvas densas, f e c h a d a s e f o r m a r a m u m
g i g a n t e s c o território u l t r a m a r i n o , as canções e m a r c h a s c e l t a s q u e sunto - e s c u t a v a d i a r i a m e n t e d e m e u s pais.

m e u p a i ouvia e m Vigo foram p a r a m i m repassadas d e u m a f o r m a


Cansei d e b a t e r a p o r t a d o q u a r t o , sair d a mesa n o m e i o d a refei-
e n c a n t a d o r a . Em c a s a , falávamos u m c a s t e l h a n o a p o r t u g u e s a d o ,
ção e fazer votos d e silêncio. Todo j o v e m n o Brasil d u r a n t e a i d a d e c r u -
pois q u a n d o criança meus avós se m u d a r a m p a r a V a l l a d o l i d , esse
cial p a r a sua formação a d u l t a é t o r t u r a d o d e s u m a n a m e n t e nos anos
t e m p o fez m e u p a i e s q u e c e r m u i t o d o i d i o m a g a l e g o .
d o colégio. B o m b a r d e a d o s c o m matérias obrigatórias n o currículo es-
Tornei-me n a c i o n a l i s t a e distante d e q u a l q u e r militância. Já m e c o l a r - p o r vezes inúteis - o u sem o interesse d e u m a g r a n d e m a i o r i a q u e
sentia superior a o s d e m a i s . N a m e d i d a e m q u e fui c r e s c e n d o , a p r e - sem o intuito d e protestar e n g o l e m seus d e s c o n t e n t a m e n t o s e p e r d e m
s e n t a v a f a c i l i d a d e e t a l e n t o p a r a as ciências h u m a n a s . G a n h e i d i - t e m p o o c u p a n d o carteiras as quais não lhes darão competências, es-
versos c o n c u r s o s d e redação n a e s c o l a primária, e q u a n d o o assunto t u d a n d o t o d a a g r a d e d e ensino q u a n d o muito b e m p o d e r i a m estar
e r a história e g e o g r a f i a , s e m p r e fui o primeiro d a classe. T o t a l m e n t e c u r s a n d o a carreira p a r a q u a l tivessem aptidão. Eu sabia o q u e q u e r i a .
o o p o s t o d e m e u p a i , este, a p e s a r d a s suas o r i g e n s humildes, filho d e Por q u e tinha q u e cursar matemática, física, química e g e o m e t r i a , se
p e s c a d o r e s p o b r e s q u e t r a b a l h a v a m nos portos marítimos d e La C o - a carreira jornalística exigia a p e n a s meus c o n h e c i m e n t o s e m h u m a -
r u n a , d e s d e c e d o a p r e n d e u a g a n h a r d i n h e i r o c o m f a c i l i d a d e . Ter- nas? Em c a s a e n c h i a páginas d o c a d e r n o escolar e s c r e v e n d o sobre
m i n a d a a e s c o l a técnica c o n s e g u i u u m e m p r e g o n a área contábil geopolítica e t u d o a q u i l o q u e c a p t a v a d e u m livro, p o r p u r o prazer.
d a V o l k s w a g e n . Sua c a p a c i d a d e e r a t a l , q u e e l e s e m ser b a c h a r e - M e u h o b b y era a leitura e a pesquisa, justamente p a r a a c r e s c e n t a r c o -
lado trabalhou a o l a d o d e engenheiros d e renomes no m e r c a d o d e mentários nas aulas d e terça e quinta-feira b u s c a n d o a p r i m o r a r m e u
t r a b a l h o . N o período d a Auto-Latina, a j u d o u a desenvolver proje- l i m i t a d o c o n h e c i m e n t o . N a divisória reservada às exatas, os números
tos q u e nos p r o p o r c i o n a r a m u m a v i d a f a r t a , as e c o n o m i a s j u n t a d a s d e s a p a r e c i a m p o r entre as linhas q u e l e v a v a m palavras c o m o Pelo-
p e l o v e l h o g a l e g o serviram p a r a a b r i r m o s u m negócio próprio n a p o n e s o , Latium, Rubicão, C o l o m b o , César... elas se i n i c i a v a m c o m o
c i d a d e d e Rio Preto e o d e s c a n s o tão s o n h a d o p o r m e u s pais. p e q u e n a s notas n o c a n t o d a página e se e s t e n d i a m s o b r e p o n d o os
p r o b l e m a s d e aritmética. Teimoso e d e génio forte c o m o sempre fui,
O r a , q u e r i a e u também construir u m a c a r r e i r a . Aos dezesseis c o n f r o n t a v a a professora d e matemática q u e m e ameaçava d e p u n i -
a n o s inúmeros p l a n o s s u r g i r a m e m m i n h a m e n t e , m a s os recursos ção p e l o descaso c o m sua matéria. Por outro l a d o , era e u o e x e m p l o a
d a c i d a d e e r a m escassos p a r a a realização d e t o d o s eles. Fiquei ser seguido, o g a r o t o prodígio d o professor Luis Ernesto, célebre mestre
c o n v e n c i d o e d e c i d i d o então, d e q u e d e v e r i a m e m u d a r . q u e e m m u i t o c o l a b o r o u p a r a m i n h a sede d o saber. O ancião filósofo
e académico d e c a b e l o s grisalhos, d o t a d o d e u m c o n h e c i m e n t o e n c i -
- Só por cima de meu cadáver! - e s p u m o u o v e l h o e n f u r e c i d o .
c l o p e d i s t a q u e nos transmitia c o m t a n t o a m o r os eventos históricos d o

Discussões se seguiram e m c a s a , a u m e n t a n d o e m c a d a e t a p a d e p a s s a d o q u e se t r a n s f o r m a v a m e m filme n a m i n h a m e n t e , o n d e p o d i a

meus projetos q u e i m a g i n a v a concluir. Danilo, u m p r i m o distante, filho descrever a f a c e dos personagens e imitar a t o n a l i d a d e d e suas vozes,

d e u m a m e i a irmã d e m i n h a mãe, h a v i a saído d e c a s a c e d o e já vivia d e a c o r d o c o m m i n h a fértil imaginação.

sozinho n a g r a n d e c a p i t a l , n a M o o c a . N u m a d a s últimas vezes q u e f o -


A g r a n d e m a i o r i a d o s jovens a o a c a b a r a e s c o l a , não s a b e o q u e
mos a São Paulo e l e m e c o n v i d a r a p a r a morar e m sua c a s a e estudar
fazer. O sistema d e ensino não se p r e o c u p a e m p r e p a r a r rapazes e
por lá. E, p a r a fazer disparar m e u coração, p r o v o c a n d o u m a i n q u i e t a -
moças p a r a exploração d e suas h a b i l i d a d e s , a p e n a s q u e r e m u m Parecia q u e q u a n t o mais e u revirava o assunto, mais distante ele ficava.

e l e v a d o número d e matérias c u r s a d a s e aprovações p a r a " a b a f a r " Então tive q u e a p e l a r e usei a d e s c u l p a mais l o u c a q u e p o d i a parecer.

os péssimos índices m u n d i a l m e n t e c r i t i c a d o s . Tudo é válido p a r a q u e


c o n s i g a m corrigir u m erro histórico e n r a i z a d o e m nosso solo. C o m a
Encarando a vida em Sampa
política v o l t a d a à inclusão a c e l e r a m d e s e s p e r a d a m e n t e o processo
i n e f i c i e n t e d e atribuir formação a q u e m não t e m competência. Em - Quero seguir a carreiro militar!
vários casos a p r o v a m os a l u n o s s e m estes realizarem n e n h u m teste,
b a s t a c u m p r i r e m o r e g u l a m e n t o d e frequências. E x a t a m e n t e essa frase q u e a n u n c i e i n u m p a c a t o almoço e m
família d e d o m i n g o . Todos n a m e s a l a r g a r a m o t a l h e r e v o l t a r a m
M i n h a luta e m c a s a e r a intensa, t e n t e i utilizar-me d e inúmeros
seus rostos e m m i n h a direção, e s p a n t a d o s .
m e i o s p a r a c o n v e n c e r m e u p a i a m e d e i x a r sair d e c a s a . Antes
m e s m o d e m i n h a f u t u r a formação política e u já o d i a v a o m e r c a - - Como assim, militar? - r e t r u c o u m i n h a mãe.
d o d e t r a b a l h o q u e não a b r i a espaço p a r a pessoas f o r m a d a s e m
- Quero ingressar na Academia Militar das Agulhas Negras e
matérias i n t e r p r e t a t i v a s e o d e s c a s o c o m os profissionais p o s s u i d o -
chegar ao posto de general!
res d e u m aguçado senso crítico. O q u e s e m p r e esteve e m a l t a foi
- Mas e o seu sonho de ser jornalista? Já desistiu?
administração, finanças e custos, c o n t a b i l i d a d e e t u d o a q u i l o q u e
servia p a r a e n r i q u e c e r o bolso d o s c o l a r i n h o s b r a n c o s . O m e r c a d o - Posso ser correspondente de guerra, como fazem no Haiti os
e x i g e pessoas t r e i n a d a s a e x e c u t a r e m tarefas repetitivas, se possí- soldados, os repórteres, como foi Mickey Spilane e Ernest Hemin-
vel q u e n e m p e n s e m , o u m e s m o q u e os mais " h u m a n i s t a s " afirmem gway nos Estados Unidos.
q u e a e r a d e Taylor já está e x t i n t a , o p e n s a m e n t o d o profissional
M e u p a i não disse u m a única p a l a v r a . O l h o u d e n t r o dos meus olhos
a t u a l é l i m i t a d o até o " p e r m i t i d o " , d e n t r o d a s " e x p e c t a t i v a s d a e m -
p r e s a " . D e s d e q u e n a s c e m o s nos são i m p o s t a s limitações. O preço através d e seus óculos. Mamãe entrou n a cozinha e nos deixou a sós.

d a l i b e r d a d e , c o m o e l a r e a l m e n t e d e v e r i a ser, é elevadíssimo. A
- Está certo disso? Não é mais um desses sonhos que você vive
f e l i c i d a d e t e m preço: p a r a uns é c o b r a d a c o m o o u r o , p a r a outros
trocando, como uma mulher troca de sapatos?
c o m u m a v i d a inteira d e servidão. Q u e m é o d o n o d a sua v i d a ?
A g e n t e se m a t a d e e s t u d a r p a r a a d m i n i s t r a r os negócios d o s o u - - Pensei muito e estou convencido! Dentro de alguns meses serão re-

tros q u e n u n c a serão nossos. Isso j a m a i s e n t r o u n a m i n h a cabeça. alizados os testes de aprovação no quartel do C.P.O.R., em São Paulo.

A q u e l e s q u e c u r s a v a m historia, f i c a v a m b a t e n d o d e p o r t a e m p o r -
O v e l h o a b a i x o u a cabeça e, p e n s a t i v o , v o l t o u a c o m e r . A p a -
t a , d e e s c o l a e m e s c o l a , e m b u s c a d e u m a v a g a miserável e m
rentemente a ideia estava f u n c i o n a n d o , e u tinha q u e continuar
a l g u m colégio d a p r e f e i t u r a e u m salário baixíssimo d e professor.
insistindo. D e s d e então, e m c a d a b r e c h a d a d a p e l o s m e u s pais,
e u a l f i n e t a v a c o m as v a n t a g e n s d e m i n h a e s c o l h a . T o d a vez q u e o
N a q u e l a época e u tinha anos d e experiência e m mentiras. Sempre
assunto d e salário, c a r r e i r a s e g u r a e f u t u r o v i n h a m à t o n a lá e s t a v a
q u e ia a a l g u m lugar, dizia q u e estava noutro. C h e g u e i a pensar e m tal
e u d e f e n d e n d o a a t i v i d a d e militar, o salário i n t e g r a l até os dias d e
estratégia, mas viajar quase 500 k m p a r a c h e g a r a u m a c i d a d e g i g a n -
a p o s e n t a d o r i a e a posição d e r e s p e i t o n a s o c i e d a d e brasileira.
tesca não era c o m o d a r u m a e s c a p a d a n o fim d e s e m a n a . M e s m o as-
sim, não a b a n d o n e i a ideia. Passei a s e m a n a t e n t a n d o enriquecê-la d e Passei d u a s s e m a n a s inteiras e m c i m a d o s livros, p a r a v a a p e n a s
detalhes p a r a ver se colaria. Visitei a direção d a escola p e r g u n t a n d o p a r a c o m e r o u d o r m i r . Estudei a história Militar d o Brasil escrita nos
se havia a possibilidade d e u m a transferência p a r a São Paulo... N a d a . vários fascículos d a B i b l i o t e c a d o Exército Editora - Bibliex. Li so-
23
bre a experiência e m c a m p o d e militares g r a d u a d o s c o m o Tarcísio era pra mim a q u e l e a c o n t e c i m e n t o , q u e imagino q u e a alegria no
Meirelles P a d i l h a , d o ex-ministro d a educação d u r a n t e o g o v e r n o d i a d o n a s c i m e n t o d e m e u filho será a única q u e poderá u l t r a p a s - ci-
M e d i c i , J a r b a s Gonçalves Passarinho. A p r i m o r e i , mesmo contra sar a q u e senti. Antes m e s m o d e a c a b a r o d i a , t o d a s as m i n h a s c o i - ~
m e u g o s t o , o c o n h e c i m e n t o e m matemática e física - resolvia inú- sas e s t a v a m e m p a c o t a d a s e as m a l a s p r o n t a s n a p o r t a d e c a s a . <:
meros exercícios d e gramática. M e u s pais o b s e r v a v a m a mudança
<s
d e m e u c o m p o r t a m e n t o . Fazia questão d e p e d i r a m e u p a i a j u d a
n a resolução d e p r o b l e m a s d e álgebra, c o m e n t a v a e m p o l g a d o Viagem a S ã o Paulo - março 2003

s o b r e fatos e d a t a s o c o r r i d a s n o p a s s a d o c o m m i n h a mãe e n q u a n -
Na rodoviária m e d e s p e d i d e meus irmãos e d e i u m beijo e m m i -
to e l a c o z i n h a v a . . . R e a l m e n t e m u d e i c o m o d a água p a r a o v i n h o .
n h a mãe. O c a r r a n c u d o g a l e g o n e m c o m p a r e c e r a sequer, estava e m
A c o r d a v a todas as manhãs e, antes d e ir a o colégio, corria p e l a c a s a e m e ver partir seria c o m o u m a derrota. Havia c o n c o r d a d o c o m
a v e n i d a principal c r o n o m e t r a n d o os b a t i m e n t o s cardíacos, fazia fle- essa ideia a p e n a s p a r a provar o q u a n t o e u estava e r r a d o . Em sua c o n -
xões, a b d o m i n a i s e barra, c a d a d i a mais. Todo a q u e l e esforço não p o - cepção, e u ia " c o m e r o pão q u e o d i a b o amassou", e talvez e u voltasse
d i a ser e m vão. Confesso q u e c o m e c e i até m e interessar p e l a ideia, m e c o r r e n d o p a r a seus braços antes m e s m o d e realizar os testes d o exérci-
i m a g i n e i m a r c h a n d o e m u m batalhão o u rastejando p e l a l a m a , d a n - to, m e r e d i m i n d o e c o n c o r d a n d o q u e estava e r r a d o d e s d e o princípio.
d o tiro d e fuzil e a z a r a n d o as meninas vestido c o m a f a r d a d o exército. Daí sim ele p o d e r i a dizer d e b o c a c h e i a , c o m o s e m p r e falou...

N u m a manhã c h u v o s a d e sábado, e n q u a n t o e u assistia TV n a - O q u e foi que eu te falei?


sala d e c a s a , m e u p a i c h e g o u c o m u m a r d i f e r e n t e - n u n c a e m
t o d a v i d a e u o vi d a q u e l e j e i t o . Bem, e m p a r t e s e l e e s t a v a c e r t o , m a s e u a i n d a não s a b i a disso.
Voltar e r a u m a t o q u e j a m a i s faria; m e u o r g u l h o não d e i x a r i a , p r o -
- Júlio, eu te trouxe uma coisa.
m e t i a m i m m e s m o " a n t e s morrer, d o q u e v o l t a r " .

Curioso, a b a i x e i t o d o o v o l u m e d a televisão. Assim segui a v i a g e m c o r t a n d o o Estado d e São Paulo d e n o r t e


a sul. C a d a p a r a d a d o ônibus se m o s t r a v a exótica. C o n h e c i diversas
- Abra e veja - disse m e e n t r e g a n d o u m e n v e l o p e .
figuras q u e e u s i n c e r a m e n t e u m d i a escreverei sobre elas. Retirantes

As mãos inseguras t r e m i a m q u a n d o r a s g u e i a p a r t e c o l a n t e . E, q u e haviam perdido tudo o que tinham e seguiam para a capital e m

n e l e , f i n a l m e n t e e n c o n t r e i o início d a l i b e r d a d e . U m a passagem b u s c a d e u m a n o v a v i d a . C i g a n o s , a n d a r i l h o s , i m i g r a n t e s bolivianos

d e ônibus p a r a São Paulo. q u e c r u z a r a m a fronteira i l e g a l m e n t e e se d i r i g i a m a São Paulo a t r a -


vés d o M a t o Grosso, c o n t r a b a n d i s t a s e uns tipos m a l e n c a r a d o s , q u e
- Eu falei com seu primo Danilo ontem, e ele está ciente de que c h e g u e i a pensar q u e estavam traficando drogas.
irá passar uns tempos em seu apartamento.
C o m o f a z e m os jornalistas, c o m e c e i a escrever u m diário e as
A relação c o m m e u p a i n u n c a foi c a r i n h o s a , o h o m e m frio e p r i m e i r a s páginas d o c a d e r n o e u p r e e n c h i c o m o início d a v i a -
f e c h a d o não d a v a a o p o r t u n i d a d e d e sermos próximos e c o n f i - g e m . Após c i n c o horas e m e i a d e e s t r a d a , e u e n f i m c h e g a v a a
d e n t e s , c o m o o c o r r i a c o m m i n h a mãe, m a s n a q u e l a ocasião e u o tão s o n h a d a c i d a d e q u e não p o d e p a r a r . Estava e u n a c i d a d e d e
a b r a c e i f o r t e , a t o involuntário q u e j a m a i s faria e m sã consciência. A n c h i e t a , e t u d o e r a tão c l a r o q u e doía a vista. Desci n a rodoviá-
ria d o Tietê, a m a i o r e mais m o v i m e n t a d a d o p l a n e t a e lá t o m e i o
L e m b r o d e p o u c a s vezes e m q u e tive t a m a n h a a l e g r i a . Q u a n d o
m e t r o p a r a a estação Bresser. D a n i l o m e e s p e r a v a n a estação. Fui
m e c a s e i revivi p a r t e d o q u e foi a q u e l a sensação. E, tão grandioso
r e c e b i d o c o m u m amigável f o r t e abraço e a p r e s e n t a d o a seu filho, a cidadã, estelionatários, traficantes, homicidas d e todos os tipos, além
R o b e r t o , d e 10 a n o s , q u e e u a i n d a não c o n h e c i a . dos tipos mais bizarros, s e g u n d o ele, os sequestradores. Sua família h a v i a
sido ameaçada diversas vezes. E t o d o caso q u e ele não o b t i n h a sucesso,
perdia o sono e c a d a vez mais a p a r e n t a v a i d a d e e tinha crises d e stress.
Morando com Danilo
Rosana, sua esposa, era estudante d e hotelaria e vivia e m u m m u n d o
distante d a r e a l i d a d e d e seu lar. Quase t o d o a n o e l a passava alguns
Q u a n d o e n t r e i e m seu a p a r t a m e n t o , l o g o d e v o r e i u m f a r t o café
meses n a Flórida t r a b a l h a n d o nos grandes resorts d e Orlando. Por c o n -
d a m a n h ã . C o m a experiência q u e a repetição nos p r o p o r c i o n a ,
sequência, o p o b r e Roberto ficava o t e m p o inteiro sozinho. A o c h e g a r
iniciei u m diálogo c o m m e u p r i m o q u e e n c o b r i a p a r t e d o m o t i v o
d a escola, escoltado, às vezes, por seguranças d o Estado, vivia n a frente
q u e m e l e v a r a a São Paulo.
d a TV o u j o g a n d o c o m p u t a d o r . O j o v e m rapazinho p a r e c i a ter d e t u d o .
- Seu pai me disse que vais tentar a carreira militar. porém não d e m o n s t r a v a f e l i c i d a d e e m sua expressão. Mal tinha amigos
e os p o u c o s q u e tinha l o g o se i a m , pois ele n u n c a tinha permissão p a r a
- Pois é: a Academia das Agulhas Negras fica no Rio, mas farei
dormir n a c a s a d e a l g u m deles o u descer p a r a j o g a r b o l a n a rua.
o teste aqui.

- Ah! Mas faltam ainda uns três meses para a realização das pro- Naqueles dias d e m i n h a h o s p e d a g e m , m e tornara seu parceiro nas
vas, não é? Sem querer ser pessimista, mas no caso de você não ser partidas d e v i d e o g a m e . A j u d e i - o c o m o d e v e r d a escola muitas vezes,

aprovado, o que fará? Não pode deixar os estudos de lado. e confesso ter n o t a d o u m g r a n d e p o t e n c i a l n o j o v e m rapazinho. Ensi-
nei-o e a p r e n d i muito nessa época. Líamos textos d e história e filosofia
Tentei convencê-lo d e q u e e s t a v a c e r t o d a aprovação e, d u - juntos - tivemos acesso à s a b e d o r i a d e g r a n d e s escritores d a literatura
r a n t e a q u e l e s meses, e u não p r e c i s a r i a f r e q u e n t a r a e s c o l a . brasileira, entre eles Guimarães Rosa, Álvares d e A z e v e d o (do q u a l e u
a d m i r o o louvor à m o r t e e o ar gótico), Jorge A m a d o e Vinícius d e M o -
- Amanhã mesmo vamos fazer sua matrícula na escola que seu
rais. Encantei-me c o m os p o e m a s e obras desse último. Tive a o p o r t u -
pai indicara.
n i d a d e d e ler u m a coletânea d e p o e m a s escritos p o r ele, intitulada " O

C o m o p u d e ser tão i n o c e n t e ? D e v e r i a s a b e r q u e m e u p a i t i n h a C a m i n h o p a r a a Distância". Desses versos, e l e incluiu e m sua A n t o l o g i a

d a d o instruções a D a n i l o , e d e n a d a ia a d i a n t a r a m i n h a versão Poética, o p o e m a "A u m a Mulher", q u e m e fez a p a i x o n a r .

d o s fatos. A m i m c a b i a seguir suas o r d e n s p a r a p o d e r c o n t i n u a r


Q u a n d o somos j o v e n s e p a s s a m o s a d e s c o b r i r o m u n d o através
c o m m e u sonho.
d a s letras, a g e n t e inicia u m a b u s c a i n c e s s a n t e d o saber. A c a d a
página v i r a d a , e u c r e s c i a e s o n h a v a . Para m i m , a c u r i o s i d a d e s e m -
- A escola é de renome, de tradição. O Colégio Comercial da cida-
p r e foi b a s e d a q u e l e s q u e p r o c u r a m se sobressair, d e i x a r a m e s m i -
de de São Paulo, lá terá matérias voltadas ao mercado de trabalho.
c e e evoluírem c o m o seres p e n s a n t e s . O m a i s difícil é q u e a q u e l a
"ótimo!" A g o r a m e u s o n h o v o l t o u a se d i s t a n c i a r , e u ia a c a b a r c a b e c i n h a d u r a e l e i g a não c o m p r e e n d i a diversas questões, d a s
m e u c o l e g i a l e ser p r e p a r a d o p a r a ser u m a d m i n i s t r a d o r , não u m q u a i s e u não t i n h a a q u e m recorrer. D e p e n d i a só d e m i m . Solitário,
j o r n a l i s t a militar. e u b u s c a r i a respostas até o infinito, se fosse preciso.

Recém-formado e m Direito, Danilo conseguiu ser a p r o v a d o e m u m O primeiro a p a r a t o surgido e m m e u c a m i n h o , q u e mostrou ser


concurso público n a área criminal, passava quase t o d o o d i a a t e n d e n - u m a t e m p e s t a d e d e c o m p l e x i d a d e s e m e fez a b d i c a r q u a s e t u d o
d o tipos bizarros: era u m q u e havia m a t a d o o irmão p o r questões d e p a r a c o m p r e e n d e r seus princípios, foi a até hoje incógnita lendária
honra, outro q u e furtara u m a senhora n a rua e n a confusão assassinou S e m a n a d e A r t e M o d e r n a , d e 1922. Os diversos m o v i m e n t o s culturais
p a r e c i a m se entrelaçar e m suas concepções, p a r a m i m q u a s e q u e s e m p r e resisti ferozmente. Para m i m , h a v i a a l g o a mais n a v i d a , m i n h a
t o t a l m e n t e d e s c o n h e c i d a s . C o m o p o d i a u m escritor c o m o Vinícius missão não e r a restrita a demonstrações financeiras. E, a inquietação,
d e Morais, a d m i r a d o r d e P a b l o N e r u d a e G a r c i a Lorca ( e m a l g u n s tão a t u a n t e nas p o u c a s pessoas q u e a n a l i s a m o t o d o , se aguça n a
a s p e c t o s até m e s m o d a m e s m a classe ideológica) ter e m a l g u m a s m e d i d a e m q u e saímos à r e a l i d a d e d a s ruas.
ocasiões se e n v o l v i d o c o m o Integralismo d e Plínio S a l g a d o ? Este p o r A a t i v i d a d e e d u c a c i o n a l nos d i a s a t u a i s se alicerça n u m m é -
sinal, m u i t o b e m expressivo e m seu m a n i f e s t o V e r d e A m a r e l o . t o d o q u e prioriza a repetição d e m o d e l o s , u m sistema e m q u e se
I d e n t i f i q u e i - m e c o m os p o e m a s d e Morais. Por o u t r o l a d o t a m - sobressai o a u t o m a t i s m o d a s ações, as informações e n s i n a d a s não
bém c o m o Futurismo, o M o v i m e n t o Dadaísta e os textos n a c i o n a - c r i a m relações e n t r e si. D e s p e j a m u m c o n t i n g e n t e d e informações
listas. Assim c o m o os j o v e n s d a q u e l a geração, sentia u m a i n q u i e t a - sem n e x o , r e p a s s a m fatos e c o n c e i t o s s e m e x p l i c a r o m o t i v o e nas
ção a c a d a d i a e m q u e a l g o e n t r a v a p a r a m i n h a b a s e d e d a d o s , técnicas não m o s t r a m o " p a r a q u e s e r v e " . Os e s t u d a n t e s deco-
p o r vezes r e b e l a d a i n t e r n a m e n t e f r e n t e a u m m u n d o tão g r a n d e , r a m , jamais a p r e n d e m , r e p e t e m c o m o p a p a g a i o s entrelinhas dos

u m d e s t i n o tão i n c e r t o , q u e m e fez a d o t a r u m estilo d e v i d a p e - livros s e m a b s o l v e r o u c o m p r e e n d e r 1% s e q u e r d o conteúdo. Tudo

c u l i a r e possuir u m o r g u l h o s e m f u n d a m e n t o só d e p e n s a r e m ser graças a o m e r c a d o q u e r e g u l a o q u e d e v e ser e n s i n a d o , p a d r o -

d i f e r e n t e d o s d e m a i s " a l i e n a d o s " d o colégio. n i z a n d o até o a b s t r a t o , a ação d o p e n s a m e n t o e m u m processo


mecânico, t r a n s f o r m a n d o - n o s e m robôs.
D e i x a v a s e m p r e o a m i g o e m c a s a e, d i r i g i n d o - m e a o m e t r o , r u m o
à escola, d e v o r a v a t o d o t i p o d e m a t e r i a l q u e caía e m minhas mãos. No q u e diz respeito à motivação d o a m b i e n t e a o nosso redor, tão
M a t r i c u l a d o n a r e n o m a d a instituição, as tardes q u e d e v e r i a m ser d e f e n d i d o p o r académicos q u e insistem e m dizer q u e " o e s t u d a n t e
a p r o v e i t a d a s p a r a preparação d a área c o m e r c i a l d o curso técnico necessita d e berço, as coisas a sua volta d e v e m incentivá-lo a não
d e C o n t a b i l i d a d e Empresarial, e u g a s t a v a visitando as livrarias S e b o e desmoralizar a formação d e novos corações...", via a decadência d a
os m e r c a d o s informais o n d e se c o n s e g u i a c o m p r a r e t r o c a r d e t u d o . população q u e m e c o n t a g i a v a . Toda pobreza d o operário brasileiro
Nesses exóticos locais tive acesso a u m m a t e r i a l m u i t o rico e m c o n c e i - era c o m p l e t a d a p e l o lixo d e p o s i t a d o nas calçadas, nos ratos gordos
tos filosóficos, e estes p o d i a m ser c o m p r e e n d i d o s não a p e n a s através q u e se misturavam entre a multidão. Dificilmente c o n s e g u i a c h e g a r a
d a s páginas d e u m livro, mas p o r t o d o a m b i e n t e a o m e u redor. Selva- a l g u m lugar d a c i d a d e sem ter alguém p e d i n d o esmola, crianças d e
g e m e e n c a n t a d o r c o m o n o futuro caótico d e O r w e l l , o u então. São rua c h e i r a n d o c o l a o u espertalhões v e n d e n d o m e r c a d o r i a s r o u b a d a s .
Paulo p a r e c i a p a r a m i m a c i d a d e d e Blade Runner, a superlotação Tudo a q u i l o fazia p a r t e d e u m m u n d o surreal - n u n c a e u h a v i a visto
c o m o s e n d o indício d a e r a d a escassez, d a regressão h u m a n a a o coisa p a r e c i d a n o interior. A o m e s m o t e m p o o q u e tinha e u haver c o m
primitivo... Foram e x a t a m e n t e c o n t e x t o s c o m o esses q u e p a s s a r a m isso? M i n h a e s t a d a n a c i d a d e seria temporária e assim q u e iniciasse
d e s p e r c e b i d o s pelas mentes não e x p a n d i d a s dos d e m a i s estudantes u m a carreira, talvez e u pudesse triunfar e m terras estrangeiras e deixar
d e exatas. N a sala d e a u l a e u e r a o forasteiro, o peixe-fora-dágua, n o t u d o a q u i l o . E c o m o p o d e m o s a c r e d i t a r nos valores repassados p e l a
m u n d o a f o r a o mais n o v o hóspede q u e p o d i a " v e r " , e não a p e n a s família, d e q u e v a l e a p e n a seguir c o m a v i d a n a h o n e s t i d a d e se q u e m
" o l h a r " c o m o f a z i a m os rapazes, dos quais tais visões e r a m irrelevantes d e v e r i a d a r o e x e m p l o faz o contrário? C o m o p o d i a m m e a c u s a r d e
o u sequer t i n h a m tais h a b i l i d a d e s . R a r a m e n t e i n d a g a v a m o tão c o n s - r e b e l d e o u espertalhão por estar saindo d a linha se d i a r i a m e n t e vemos
trutivo "Por quê?", " Q u a l o m o t i v o ? " , a q u e l e s bitolados e m cálculos e atitudes corruptas d e nossos líderes imunes, intocáveis, c u j a p e n a l i d a -
fórmulas não e s t i m u l a v a m a c r i a t i v i d a d e e o senso crítico, p a r e c i a m d e atribuída somente será a p l i c a d a se for divina, p o r q u e as leis dos
mais máquinas q u e e x e c u t a v a m u m árduo serviço q u e r e q u e r i a ló- homens não se a p l i c a m aos "faraós" d o g o v e r n o .
g i c a numérica c o m b a s e e m acúmulo d e c a p i t a l o u créditos, q u e
Essa época d e transição, o fim d a adolescência e o c h o q u e d a
i d a d e a d u l t a , é q u e d e t e r m i n a o q u e o indivíduo será: a g e n t e p e r c e - a q u e l e s garotos q u e r o u b a r a m as v a g a s pelas quais t a n t o lutamos,

b e q u e n e m t u d o é tão fácil c o m o pensávamos e n e m t u d o se realiza e r a m sustentados pelos nossos pais, pois p a r t e d o impostos p a g o s e

c o m o d e s e j a m o s . L e m b r o - m e d e ter e n v i a d o currículo p a r a mais d e destinados a o Ministério d a Defesa são p a r a a pensão dos "filhinhos

200 empresas, e e m seis meses n a d a c o n s e g u i . Q u a n d o f i n a l m e n t e v a g a b u n d o s dos milicos" d o t a d o s d e u m a asquerosa arrogância, u m

c h e g o u os dias d o s testes n a a c a d e m i a militar, m i n h a concentração c o m o d i s m o t r e m e n d o q u e fez d e t o d a s suas vidas improdutivas, a c o r -

se p e r d e r a nas tantas tarefas impostas p e l o sistema. Além d o mais, o d a n d o a o m e i o - d i a e e s p a n c a n d o os t r a b a l h a d o r e s n o calçadão d o

G o v e r n o Brasileiro, c o r r u p t o p o r natureza, " s e m q u e a mídia tivesse Rio, c o m o f a z e m os Pit Boys. A g o r a t i n h a m mais regalias q u e nós, estu-

a c e s s o " h a v i a r e s e r v a d o mais d e 50% d a s v a g a s das Forças Militares d a n t e s operários honestos d e s d e a infância.

p a r a os c h a m a d o s "peixes"; sobrinhos, netos, filhos o u e n t e a d o s d e R e c l a m a r d e m i n h a situação p a r e c e f r a q u e z a o u ingratidão d e


militares q u e e r a m a p r o v a d o s sem prestarem n e n h u m c o n c u r s o . Até m i n h a p a r t e . Todos v i v e m d i z e n d o " H á m u i t a g e n t e pior q u e d a r i a
hoje t e n h o pesadelos c o m a q u e l e d i a e m q u e b a t e r a m o c a r i m b o d e t u d o p a r a estar n o seu l u g a r " . Para m i m n a d a i m p o r t a v a se m a i s d a
" D i s p e n s a d o p o r Excesso d e Contigência", tão injusto, c a l h o r d a e ridí- m e t a d e d o país se e n c o n t r a v a a b a i x o d a miséria, e u q u e r i a resolver
c u l o , q u a n t o o discurso m o t i v a c i o n a l d o capitão Luis A n d r a d e p a r a os m i n h a v i d a , não a c e i t a r c a l a d o e s u p o s t a m e n t e " a g r a d e c e r p e l a
rapazes q u e não ingessariam n a corporação n a q u e l e a n o . m i n h a s o r t e " q u a n d o esta h a v i a m e a b a n d o n a d o . O c o n f o r m i s m o
e s t a v a l o n g e d e ser a d o t a d o p o r m i m . Pensei diversas vezes e m
- Não é porque vocês não foram aprovados que significa que e n t r a r nos seus m o l d e s . D e s a c r e d i t a d o e q u a s e depressivo p r o c u r e i
jamais serão bons funcionários nas carreiras que escolherem... m e c o n t e n t a r c o m a q u i l o , e a d m i t o também ter caído e m t e n t a -
ção d e e n g a j a r n a v i d a d o c r i m e c o m o tantos f a z e m , mas não e r a
Todos nós lutamos b r a v a m e n t e d u r a n t e meses e m c i m a dos livros
e n u n c a foi d e m e u feitio, através d e outras saídas e u r e l u t a v a .
g a s t a n d o t e m p o , a c r e d i t a n d o n a possibilidade d a aprovação, e,
não p o r falta d e competência, mas o f a m o s o Q.l. ( Q u e m I n d i c a ) , e n - Q u e d i a b o s d e d e m o c r a c i a era a q u e l a ? Sem o p o r t u n i d a d e d e
raizado n a cultura estúpida e a r c a i c a d e característica f e u d a l desse estudar e m universidades particulares milhares d e jovens não e r a m
país, os g o r d o s "filhinhos d e p a p a i " o c u p a r a m nossos lugares n o b a t a - aceitos nas públicas d e v i d o a u m sistema d e cotas raciais p r e c o n c e i -
lhão, s e m n e m m e s m o s a b e r e m 1/3 d a q u i l o e x i g i d o . A "reprovação" tuosas. O g o v e r n o q u e r e n d o a b a i x a r seus vergonhosos números d e
n o C.P.O.R. foi a primeira g r a n d e decepção d e m i n h a v i d a , e v e i o a semi-analfabetos e pessoas sem n e n h u m a formação tirava o p o r t u n i -
c a l h a r justo n a época mais i n a p r o p r i a d a , n a q u e l a e m q u e a revolta d a d e d e c a p a z e s d e ter u m a formação q u a l i f i c a d a . Estudamos a v i d a
d o " a b o r r e c e n t e " já é existente sem motivos e q u a n d o surge u m , e l a t o d a pra servir mesas, o p e r a r caixas d e s u p e r m e r c a d o e fazer faxina
se t o r n a u m e s t o p i m d e pólvora, p r i n c i p a l m e n t e entre os idealistas d e - e m empresas q u e e n r i q u e c e m a custa d o suor das massas. Li u m a vez
tentos d e u m "senso d e justiça" c o m o sempre fui. V e n d o os resultados u m a frase d e Plínio S a l g a d o q u e dizia: "Não se pergunte o que a pátria
d e m e u d e s e m p e n h o , d e s a b e i e m lágrimas s a b e n d o q u e estava e n - pode fazer por você. Mas o que você pode fazer por ela".
tre os 10 primeiros n o teste i n t e l e c t u a l e o diagnóstico d a avaliação
B e m , o q u e p o d i a , t e n t a v a fazer a c r e d i t a n d o n o progresso q u e
médica tinha o c a r i m b o " A p t o a Servir as Forças A r m a d a s " . C o m e -
se e n c o n t r a até n a b a n d e i r a . Sem r e c e b e r n a d a e m t r o c a , v e n d o
c e i a d e s a c r e d i t a r n o Brasil a partir dessa d a t a , t o d a s as instituições
m e u s sonhos i n d o por água a b a i x o , s e n t i n d o m e u m o r a l ser destruí-
públicas têm v a g a s restritas aos " p a u s m a n d a d o s " e o m a i o r m o t i v o
d o . . . M e u ódio n a s c e n d o . Q u a n d o f i n a l m e n t e a r r a n j e i u m e m p r e g o
d e se realizar concursos públicos, n a m a i o r i a d a s vezes, é s o m e n t e
d e r e c e p c i o n i s t a n u m h o t e l , próximo à estação d o m e t r o Tietê, o
lucrar c o m o dinheiro d a s inscrições u m a vez q u e as v a g a s já estão
q u e e r a p a r a ser u m laboratório d e experiência p r e p a r a n d o o início
t o d a s c o m p r a d a s . E o q u e mais m e revoltava também era saber q u e
d e u m a v i d a profissional e a m a d u r e c i m e n t o , tornou-se u m grito d e
J O e desprezo a o sistema v i g e n t e d a n o v a o r d e m m u n d i a l . e m p r e g o , o q u e a c a b o u se t o r n a n d o u m e s t o p i m d e pólvora.

êm c i m a d o muro sem u m separatismo t o t a l m e n t e formalizado, c o -


necei a questionar a u n i d a d e n a c i o n a l , creio q u e os fatos principais d a Bem vindos e tenham uma boa estada!
época q u e m e levaram a a d o t a r tal c o m p o r t a m e n t o fora a questão
e d u c a c i o n a l - foram também económicos e culturais d e nossa s o c i e d a - O salário era baixíssimo, m a l d a v a p a r a o essencial. T r a b a l h a v a
d e . C o m a c a d e r n e t a d e poupança, o estado ficava mais rico e o p o v o p r a t i c a m e n t e d a s 12h às OOh, d e p o i s d o horário d a e s c o l a . A c l i e n -
mais p o b r e . Discordei d e políticos q u e só f a l a v a m e m aspectos financei- t e l a a r r o g a n t e se a p r o v e i t a v a d a questão financeira p a r a descar-
ros e d e i x a v a m o fator educação c o m o última preocupação - somente r e g a r suas frustrações e m c i m a d o p o b r e r e c e p c i o n i s t a . Só p o r q u e
através d a formação d e nossos jovens poderíamos ter u m p o v o "mais e s t a v a m p a g a n d o p e n s a v a m q u e p o d i a m fazer o q u e quisessem.
rico", moral e materialmente. O estado não precisava ser rico, mas sim a Vi g e n t e ser t r a t a d a d e u m a m a n e i r a d e s u m a n a . Não t i n h a h o r a d e
população, c o m o ocorre e m países v e r d a d e i r a m e n t e socialistas, Dina- almoço, turnos o u d e s c a n s o . Q u a n d o f i n a l m e n t e sentávamos p a r a
m a r c a e N o r u e g a . C o n d e n e i até o último m o m e n t o d e minha militância c o m e r , l o g o devíamos nos a p r e s e n t a r a o balcão p a r a a t e n d e r mais
a b u r o c r a c i a estúpida e a r c a i c a d e nossa administração, d e f e n d i a es- u m hóspede. M i n h a s c o l e g a s d e t r a b a l h o , c a m a r e i r a s o u babás,
truturas lineares o n d e o c h e f e d i r e t a m e n t e p o d i a t o m a r suas decisões mães solteiras, não t i n h a m n a d a a a p r e s e n t a r c o m o b a s e o u e s p e -
(um caráter c o m u m tanto entre comunistas c o m o fascistas). Nas o r g a - rança n a m e l h o r i a d e v i d a , d e v i d o o sofrimento d a correria d o d i a -
nizações q u e f r e q u e n t a v a , pensava q u e muitas vezes o assessor queria a - d i a , não t i n h a m t e m p o d e fazer a l g u m curso profissionalizante o u
ser idealista, se sobrepor a o " c h e f e " , i m p e d i n d o muitas vezes as ações, estudar. C h e g a v a m e m suas casas e p r e c i s a v a m estar c o m os filhos,
não por cumprir a lei imposta, o u por seguir a v o n t a d e d e seu superior, q u e e r a m c r i a d o s n a m a i o r i a d a s vezes p e l a avó. Eu m o r r i a d e raiva
mas p a r a reinar a censura e a c u l p a cair sobre o responsável no t o p o d a q u a n d o e s c u t a v a elas se l a m e n t a r e m d a v i d a q u e l e v a v a m , pois
pirâmide. De fato, existem muitos degraus p a r a q u e se c h e g u e a o t o p o . a t o d o a n o e n g r a v i d a v a m n o v a m e n t e - a l g u m a s c o m três filhos e
E, nesse árduo c a m i n h o , as coisas sofrem muitas mutações. Ilustrando tal n e m h a v i a m c h e g a d o aos trinta anos, isso g a n h a n d o d e dois a três
r e a l i d a d e , u m b o m e x e m p l o é a tão c r i t i c a d a mídia, o n d e o jornalista salários mínimos. E n c o n t r a v a - a s d o r m i n d o e m pé à e s p e r a d e mais
muitas vezes t e m mais p o d e r q u e o d o n o d o jornal. Ali ele irá transpare- clientes q u e , q u a n d o não as a g r e d i a m m o r a l m e n t e , as a s s e d i a v a m .
cer, m e s m o q u e indiretamente, seu p o n t o d e vista, n o q u e diz respeito Em resposta, o único q u e p o d i a m dizer sorrindo p o r fora e g r i t a n d o
à investigação, eleição e exposição dos fatos. Muitos c o m p a n h e i r o s d e n o íntimo e r a : " B e m vindos e tenham uma boa estada!".
ideias h a v i a m sido c o n d e n a d o s e lhes atribuíram infinidades d e delitos
Nas ridículas reuniões m o t i v a c i o n a i s d o RH, o p a l e s t r a n t e sem-
por c u l p a d a maneira q u e a notícia d e suas detenções foi d i v u l g a d a ,
p r e a f i r m a v a : "Dividam seus problemas comigo, a empresa se pre-
daí surgiu outra p a l a v r a q u e incluí e m m e u vocabulário e a d o r a v a r e p e -
ocupa com vocês. Queremos te ver saudável e com atitudes posi-
ti-la q u a n d o criticava os meios d e comunicação: sensacionalismo.
tivas". Q u a n d o f r e q u e n t e i a entrevista p a r a a v a g a , l e m b r o - m e d o

Vivia d e f e n d e n d o a i d e i a d e q u e antes d e t u d o , p a r a r e v o l u c i o n a r g e r e n t e dizer c o m u m p r o f u n d o o r g u l h o . . .

u m a nação, deveríamos m u d a r sua estrutura começando p e l a revi-


- Nossa organização conta com profissionais altamente capaci-
são dos profissionais incluídos nos órgãos q u e e x e r c e m p o d e r sobre
tados, alguns possuem experiência de mais de 25 anos na consul-
nós, e muitas vezes sermos compreensíveis e não a t a c a r d i r e t a m e n t e
toria de hotelaria-empresarial. profissionais do turismo e estagiários
o responsável pelas instituições. Todo esse c o m p l e x o c o n c e i t o i d e a -
graduados e especializados nas diversas áreas da hospedagem,
lista, propício à q u e n t u r a e o espírito j o v e m d e m i n h a i d a d e , veio se
pelas melhores universidades do Brasil e do exterior (...)
c o n c r e t i z a r d e p o i s q u e tive q u e e n c a r a r a r e a l i d a d e d o m e u primeiro
Realmente é t e n t a d o r p e n s a r q u e e m seu p r i m e i r o e m p r e g o esse m a l , p e r d e r a m o e m p r e g o e sua única f o n t e d e r e n d a p a r a os
você p o d e começar c o m t a m a n h a posição. M a s é aí q u e a r e a l i d a - i m i g r a n t e s b o l i v i a n o s q u e se s u b m e t i a m a fazer tipos d e t r a b a l h o s
d e b a t e à nossa p o r t a - não e r a assim q u e as coisas f u n c i o n a v a m . d e s u m a n o s q u e e r a m r e c u s a d o s p e l o s paulistas, além d e s e r e m
mais d i s c i p l i n a d o s e g e r a r e m m e n o r c u s t o p a r a os e m p r e g a d o r e s ,
- Nosso rede de hotéis T.A. tem atuoçõo em todo Brasil, além
r e n d i a m e m d o b r o p e l o esforço q u e f a z i a m c o m intuito d e " m o s t r a r
de contar com correspondentes em mais de 40 países, atuando
t r a b a l h o " . Por esse m o t i v o , também muitos e s t a b e l e c i m e n t o s insis-
de forma única como uma economia globalizada - continuou o
t i a m n a imposição d o t r a b a l h o forçado, s a b e n d o q u e a " o n d a d o
v e l h o político q u e , se n o t a v a d e l o n g e u m a expressão d e f a l s i d a d e
m o m e n t o " é a culminação desse sistema pelos órgãos hipócritas
e t a m a n h a h a b i l i d a d e n a lábia.
q u e o c o n d e n a m a o m e s m o t e m p o e m q u e se b e n e f i c i a m d e l e .
C o m o se fosse simples m a n t e r b o a c o n d u t a frente à gerência cor-
Não há n a d a mais d e p r i m e n t e nessa v i d a d o q u e ser forçado a es-
rupta e i n c o m p e t e n t e . A p a l a v r a d o i d i o m a inglês "bossly" e m n e n h u m
c o l h e r u m a a t i v i d a d e d a q u a l você r e p u d i a , o u seguir n a carreira q u e
outro lugar d o p l a n e t a faz t a n t o sentido c o m o a q u i . Q u a l q u e r e m p r e -
d e t e s t a p a r a p o d e r " s o b r e v i v e r " se l a m e n t a n d o d e q u e a q u i l o q u e
g a d o q u a n d o p r o m o v i d o a u m c a r g o maior, seja supervisor o u d i g n o
a m a não interessa p a r a o m u n d o . M e u sofrimento e r a a i n d a maior,
d a denominação " a u t o r i d a d e " p a r e c e o d o n o d a instituição, a arro-
p o r q u e além d o desgaste físico e e m o c i o n a l q u e todos os funcioná-
gância e a polição d e e g o c h e g a a d a r ânsia d e vómito. C o m as pés-
rios c a r r e g a v a m , e u t i n h a esse diferencial. Todos d e s c a n s a v a m q u a n -
simas condições d e t r a b a l h o , m e s m o se t r a t a n d o d e u m a c o m p a n h i a
d o d e i t a v a m suas cabeças n o travesseiro, indiferentes se tivessem q u e
d a q u e l a importância, as demissões e r a m e m escala, s e n d o a v i d a útil
c o n t i n u a r nessa v i d a o u adquirir outro e m p r e g o . A f e l i c i d a d e p a r a
d o recepcionista muito c u r t a - n u n c a ninguém a g u e n t o u mais d e u m
esses " i r r a c i o n a i s " e r a m as p e q u e n a s conquistas materiais, u m a p a r -
a n o . Não tive c h a n c e s , suportava o serviço p a r a seguir c o m meus estu-
t a m e n t o z i n h o n o subúrbio e u m c a r r o d o a n o , c o n f o r m a d o s d e q u e
dos e c o n t i n u a r s e n d o motivo d e orgulho dos meus pais.
p a r a isso t e r i a m d e se c o n t e n t a r àquela rotina. Eu revirava n a c a m a
c o m u m m e d o t r e m e n d o d e n u n c a ser feliz n a e s c o l h a d a carreira, d e
- Estamos felizes vendo que está trabalhando, sendo responsável e fi-
finalizar o curso s a b e n d o q u e p e r d i u m t e m p o valioso d a m i n h a v i d a ,
nalmente adquirindo sua independência. - liberdade q u e a c a d a d i a d e
q u e p o d e r i a ser d e d i c a d o à realização d o m e u sonho, e m escrever
trabalho e u percebia não ter, sendo mais d e p e n d e n t e d o q u e n u n c a .
m e u n o m e n o universo jornalístico, as maiores r e c o m p e n s a s q u e p o -
Se levasse e m consideração o c o n c e i t o d o Mais-Valia, d e f e n d i - d e r i a ter e r a m intangíveis, a satisfação d e ver seu t r a b a l h o realizado
d o p o r Marx, nosso g r u p o d e e m p r e g a d o s s e r i a m milionários. T o d o já seria o m a i o r " p a g a m e n t o " n e m q u e tivesse q u e gastar a o invés
a q u e l e esforço e r a m e r e c e d o r d e rios d e dinheiro, e l e não c a u s a v a d e r e c e b e r p a r a isso. Pessoas assim são raras, a m a i o r i a não possui
d a n o s físicos visíveis, m a s a b a l a v a o e m o c i o n a l c o m o o d e u m c i - u m sentimento c o m o esse, d e realizar u m ofício a c r e d i t a n d o e m suas
vil n u m a c i d a d e m a r c a d a p e l o c o n f l i t o a r m a d o . Vivia p i s a n d o e m metas e utilidades, n o diferencial q u e p o d e fazer. E q u e m não n a s c e u
ovos, t e n d o q u e t o m a r c u i d a d o c o m q u a l q u e r coisa q u e dissesse, e m berço d e ouro e t e m esse d o m , são as pessoas mais infelizes q u e
t e n d o q u e c o n c o r d a r d i s c o r d a n d o p a r a evitar desgastes d e s n e c e s - existem, sofrem mais d o q u e os famintos, p o r q u e sua n e c e s s i d a d e d e
sários c o m a c h e f i a e engolir sapos d e clientes q u e não e s t a v a m se a l i m e n t a r vai muito além d o p r a t o d e c o m i d a . São p o u c o s a q u e l e s
c o m a razão, e s a b i a m disso, m a s assim f a z i a m p o r p u r a ostentação q u e p o d e m sequer c o m p r e e n d e r a tristeza d e seres assim, d e r e c o -
d e p o d e r e m a l d a d e , q u a n d o n a r e a l i d a d e e u q u e r i a esganá-los. n h e c e r q u e a d o r não fica restrita a o físico e a a l m a é m u t i l a d a e m
p e d a c i n h o s feito u m a explosão d e g r a n a d a n a b a t a l h a , n a v i d a q u e
A globalização c o n t r i b u i n o a u m e n t o d o tráfico p a r a o t r a b a l h o
é sinónimo d e g u e r r a , c o m o e r a p a r a m i m .
forçado. Muitos d a q u e l e s q u e se u n i r a m e m manifestações c o n t r a
m e m b r o s n a c h a m a d a AIB (Aliança Integralista Brasileira) e a p e s a r
d e ser u m m o v i m e n t o típico brasileiro, t i n h a lá suas inspirações fas-
cistas. Muitos n a c i o n a l i s t a s d e São P a u l o v i a m o I n t e g r a l i s m o c o m o
s e n d o a manifestação m a i s a d e q u a d a p a r a a salvação n a c i o n a l .

V a l e l e m b r a r q u e nessa época, a q u i n o Brasil, tínhamos u m p a r -


t i d o nazista q u e a t e n d i a d i r e t a m e n t e as o r d e n s d e Berlim através
d a c o m u n i d a d e alemã d o sul e d e a l g u m a s p o u c a s c i d a d e s d o i n -
terior d e São Paulo. Em Presidente Bernardes, os filhos d o s a g r i c u l t o -
res f o r m a r a m a J u v e n t u d e Hitlerista Brasileira e c h e g a r a m a f e c h a r
o estádio d o P a c a e m b u p a r a p r o m o v e r manifestações. V o n Cossel
e r a o a d i d o c u l t u r a l alemão, q u e e s c r e v i a p a r a Hitler s o b r e nossa
JULIO terra c o m e n t u s i a s m o , d e s p e r t a n d o o interesse d e u m a "possível i n -
vasão". M u i t o s brasileiros d e s c e n d e n t e s d e germânicos f o r a m p a r a
a A l e m a n h a lutar n a g u e r r a , inclusive a n t e s d o Brasil e n t r a r d o l a d o
O REVOLUCIONÁRIO A l i a d o , a G e s t a p o t r e i n a v a a g e n t e s d a Polícia S e c r e t a F e d e r a l .

Não m e a g r a d a v a m u i t o a ideia d e se auto-intitular d e "Extrema-


Direita" e o conservadorismo e x t r e m o d e seus militantes. A i n d a muito
leigo n o assunto, c h e g u e i a dizer "Sou d e Direita", anti-PT e t o d o a q u e -
le p e n s a m e n t o burguês d o sudeste-sul, e n r a i z a d o até os dias d e hoje,
F r e q u e n t a n d o a e s c o l a , iniciei m i n h a r e d e d e c o n t a t o s , s e m sa-
m e s m o q u e i n d i r e t a m e n t e . Não posso mentir q u e n u n c a a p o i e i o g e t u -
b e r q u e o a m b i e n t e c u l t u r a l e m questão se t o r n a r i a n o a n t r o d e
lismo, e m b o r a t a l i d e a l t e n h a se a p r e s e n t a d o n u m período d e t e m p o
políticos e filósofos d o s q u a i s mais t a r d e " d e c i d i r i a m o f u t u r o d a pá-
q u a s e q u e irrelevante e m m i n h a v i d a . Foi nessa época q u e os camisas-
t r i a " . S a i n d o d o c o l e g u i s m o d o curso, e n c o n t r e i nas salas d e e c o -
verdes f o r a m perseguidos e d e p o r t a d o s p e l o d i t a d o r Vargas. Não a d -
n o m i a e geopolítica indivíduos q u e c o n d i z i a m c o m m i n h a p e r s o -
mirava Getúlio p o r ter p e r s e g u i d o as colónias alemãs, italianas e j a p o -
n a l i d a d e , e q u e n o f u n d o e u i n v e j a v a p o r p o d e r e m seguir a d i a n t e
nesas q u a n d o d e c l a r o u g u e r r a a o Eixo, além d o f a t o d e ter a c a b a d o
nos cursos q u e e s c o l h e r a m , f a z i a m o q u e g o s t a v a m .
c o m as a u t o n o m i a s municipais, c o n c e n t r a n d o t u d o a p e n a s n o p o d e r
" O d i a 24 d e fevereiro d e 1932 a m a n h e c e u m a n i f e s t a n d o g r a n - federal, c o m o n a histórica " Q u e i m a d a s Bandeiras Estaduais". O a s p e c -
d e agitação p o p u l a r . C o m e m o r a n d o a Constituição d e 1891 r e a l i - to mais i m p o r t a n t e dos nacionalistas paulistas, d o q u a l sempre a p o i e i
z a v a - s e u m comício m o n s t r o , b e m i n d i c a t i v o c o n s t i t u c i o n a l i s t a q u e c o m t o d a s as letras, era o e x t r e m o orgulho progressista e a tentativa
se d e f l a g r a r i a e m 9 d e j u l h o . " d e fazer p r e v a l e c e r u m a memória dos heróis d e 1932 q u e d e f e n d e r a m

Foi esse parágrafo d o livro " O I n t e g r a l i s m o : síntese d o p e n s a - u m a constituição democrática v o l t a d a aos interesses distritais, frente

m e n t o político doutrinário d e Plínio S a l g a d o " escrito p e l a filha d o à opressão d o federalismo. A b a n d o n e i p o r c o m p l e t o as correntes d o

g r a n d e c h e f e n a c i o n a l , M a r i a Amélia S a l g a d o Loureiro, o tiro ini- Estado Novo e, a i n d a q u e fosse u m verde-amarelista, m e a f l o r a v a u m

c i a l d e m i n h a transformação. sentimento i n c o n f i d e n t e e m relação a o c o n t e x t o n a c i o n a l .

O I n t e g r a l i s m o f o i u m m o v i m e n t o n a c i o n a l i s t a brasileiro q u e sur- Dentre os q u e se c o n s i d e r a v a m nacionalistas, se e n c o n t r a v a d e t u d o


g i u d u r a n t e a década d e 30. C h e g a r a m a s o m a r m a i s d e 500.000 u m p o u c o . Burgueses liberal-reacionários, anticomunistas ferrenhos (mui-
tos deles a p e n a s possuíam o discurso antiesquerda, mas n a d a além d e coleção c h a m a d a "A História Ilustrada da Segunda Guerra Mundial"
u m a ideia ofensiva, n a r e a l i d a d e não t i n h a m ideal nenhum), integralis- e " O Século da Violência", a o invés d e álgebra e d e r i v a d a s .
tas monarquistas o u republicanos, getulistas, militaristas ( c o m o a q u e l e
Certo d i a , e u c h e g u e i à biblioteca vestindo a camiseta a r t e -
q u e esteve presente nos 30 anos d e Ditadura)... Para jovens c o m o e u ,
sanal e u m a j a q u e t a c o m u m p a t c h d a b a n d e i r a e s p a n h o l a . Dois
aquelas figuras q u e tive a o p o r t u n i d a d e d e c o n h e c e r trouxeram t o d a
alunos q u e ali estavam subitamente fitaram-me. Dirigia-me à re-
u m a c o m p l e x i d a d e . Defendia a direita, mas a o m e s m o t e m p o a t a c a v a
c e p c i o n i s t a p a r a registrar a o b r a e m p r e s t a d a : "Fascismo e Ditadu-
a burguesia. Tive c o m o ídolos pensadores liberais marionetes d a d e m o -
ra" d e Nicos Poulantzas, q u a n d o u m d o s r a p a z e s se a p r o x i m o u .
c r a c i a vigente, sistema q u e justamente c o n d e n a v a m .

N a q u e l e t e m p o e u e r a u m p o u c o d e t u d o , m a s isso serviu m u i - -Fascismo e Ditadura? Você se interessa sobre a literatura políti-

to p a r a a compreensão d a s diversas c o r r e n t e s políticas q u e fui ter c a ! Devia ler "O Príncipe".

c o n t a t o mais a d i a n t e . O Integralismo até então e r a sinónimo d e -Já ouvi falar, é do Maquiavel, não é?
n a z i s m o e fascismo, e essas três se i n t e r c a l a v a m - isso é u m a afir-
-Sim. clássico da política.
mação e n t r e os d e m a i s , i n c l u i n d o g r a n d e s académicos e historia-
d o r e s : a m a i o r b u r r i c e q u e alguém p o d e c o m e t e r ( e m b o r a a mídia Um d e l e s t i n h a a cabeça r a s p a d a , s u a c a r a g o r d a e r a v e r m e -
a i n d a insista e m misturá-las c o m o u m a concepção única). lha c o m o u m t o m a t e . Esse m e e s t e n d e u a mão.

Os integralistas f r e q u e n t a v a m a a n t i g a c a s a d e Plínio S a l g a d o , res- -Aqui na escola me chamo Rafael, mas na rua sou conhecido
t a u r a d a e t r a n s f o r m a d a n u m a espécie d e museu, n o bairro São Bento como Pulga. - disse c u m p r i m e n t a n d o - m e - Esse aqui é o Antonio,
- lá tive c o n t a t o c o m u m a vertente c o n h e c i d a c o m o Linearismo, n a c i o -
mas pode chamá-lo de Macau.
nalista e católica defensora d e u m a metafísica aristotélica e diversas
-Porque Macau?
pessoas, incluindo u m g r a n d e número d e jovens q u e c o m p a r e c i a m às
reuniões a c r e d i t a n d o estarem se filiando a u m a corrente política q u e Esse t a l M a c a u a p a r e n t a v a ter uns 18 a n o s , e r a u m loirinho mir-
" r e a l m e n t e " lutava p e l o Brasil. As palavras d e o r d e m e r a m : Deus, Pátria
r a d i n h o d e óculos f u n d o d e g a r r a f a e c a b e l o s a r r e p i a d o s .
e Família, e os infames discursos q u e a t i n g i a m a q u e l e s rapazes d e u m a
m a n e i r a certeira, fazendo-os crer q u e " r e a l m e n t e faziam a diferença", -Ah! É porque quando ele entrou aqui a gente dizia que ele pa-
d e q u e e r a m muito mais d o q u e simples estudantes, mas soldados d a recia o Macaulay Culkin. daí o apelido ficou.
nação. M a n d e i e s t a m p a r e m u m a c a m i s e t a o sigma integral n o c e n t r o
Pulga e M a c a u e r a m dois tipos m u i t o e s t r a n h o s . S e m p r e juntos,
d e u m a b a n d e i r a brasileira l e v a n d o a frase: "Brasil, ame ou d e / x e - o " .
se m e t i a m e m confusões p e l a e s c o l a q u a s e d i a r i a m e n t e . F o r a m
la p a r a a e s c o l a p o r t a n d o a a m a d a vestimenta e passei a ser u m ameaçados d e expusão p e l o diretor diversas vezes. Pulga e r a u m
c o n t e s t a d o r d e certos c o n c e i t o s transmitidos nas aulas d e história e d o s p o u c o s a l u n o s d o ensino médio q u e t i n h a o braço d i r e i t o c o -
s o c i o l o g i a . Percebi q u e sem m u i t o c o n h e c i m e n t o não p o d i a d a r u m a b e r t o d e t a t u a g e n s , q u a n d o ria n o t a v a - s e q u e seus d e n t e s d a f r e n -
c o n t i n u i d a d e extensa nos d e b a t e s c o m a professora, a g u e n t a v a n o te e r a m próteses e possuía u m a c i c a t r i z n a testa.
máximo c i n c o minutos e os a r g u m e n t o s d e l a se m o s t r a v a m c a d a vez
M e u a t i v i s m o n a c i o n a l i s t a começou a t o m a r m e d i d a s c a d a vez
mais difíceis d e reverter. Passei g r a n d e p a r t e d a q u e l e a n o f r e q u e n -
m a i s r a d i c a i s . T o d o p a t r i o t i s m o brasileiro m e a b a n d o n a v a e e u não
t a n d o b i b l i o t e c a , q u a s e sempre d u r a n t e as aulas d e matemática e fi-
via m a i s o Brasil c o m o u m a nação, mas u m e s t a d o i m p o s t o s o b r e
nanças q u e , p r a t i c a m e n t e a b a n d o n e i . Preferia ter c o m o c o m p a n h i a
diversas pátrias. O q u e t i n h a a ver São Paulo c o m S e r g i p e ? Santa
os fascículos d a extinta Editora Renes, q u e p u b l i c a r a nos anos 70 u m a
C a t a r i n a c o m Rondônia? Será m e s m o q u e a população n o r d e s t i n a q u a n d o não, p a r t i d o s esquerdistas e s t a v a m n o p o d e r e c u m p r i a m
é i g u a l a nossa? O u s o m o s d i f e r e n t e s n a c i o n a l i d a d e s ? A s s o m b r a d o as ordens diretas dos chefões d o n o r t e . Em t o d a a história nós não ti-
p o r questões desse t i p o , e u m e a f a s t e i d o f a s c i s m o t u p i n i q u i m . v e m o s u m número considerável d e presidentes paulistas e a g r a n d e
m a i o r i a d o s p r o b l e m a s d o Estado, a m e u ver, e r a c u l p a d a injusta
O c o n s e r v a c i o n i s m o distrital a f l o r a v a n o r e b e l d e r a p a z i n h o s e d e n -
federação. Pesquisando números e fatores reais, o a b s u r d o d a má
to d e v o n t a d e e c a d a vez mais e m b r i a g a d o d e idealismo, p o r vezes
distribuição d a s v e r b a s e exploração d e sanguessugas a São Paulo,
u m t a n t o fanático. É v e r g o n h o s o u m país d a dimensão q u e é o nosso
e u c h e g u e i a informações q u e m e d e r a m a r g u m e n t o s d o t i p o : "São
não possuir c o m u n i d a d e s i n d e p e n d e n t e s . O federalismo era traiçoei-
Paulo é a cidade mais rica da América Latina, tem a 3 maiora bol-
ro, c o m o u m a a p u n h a l a d a traseira d e q u e m lhe beija a f a c e o u o atri-
sa de valores do mundo, sendo o centro financeiro e mercantil da
b u i adjetivos carinhosos, v i s a n d o sugar seu sustento. O Brasil nos dá d e
América do Sul. além de ser a capital da moda, da gastronomia,
presente u m a n a c i o n a l i d a d e , m e s m o esta s e n d o a p e n a s registrada
dos mais variados tipos de eventos (...) Um exemplo mundial de ur-
n o d o c u m e n t o d e nascença d e c a d a cidadão - sentimento d e união
banização, estando em segundo lugar no ranking das cidades que
está l o n g e d e existir. O q u e tínhamos e m c o m u m era a b a n d e i r a e o
mais têm arranha-céus (perdendo apenas para Hong Kong), capaz
i d i o m a , c o m suas variantes regionais características, n a d a mais.
de rivalizar qualquer cidade europeia, tem a maior frota de helicóp-
A E s p a n h a , p o r e x e m p l o , possui diversas c o m u n i d a d e s autóno- teros do planeta, a maior frota de táxis (...) Isoladamente responsável
mas q u e são a p e n a s i n d i r e t a m e n t e r e l a c i o n a d a s c o m o g o v e r n o por 33,9% do P/B brasileiro, possui o terceiro maior índice de desen-
n a c i o n a l . Então, q u a n d o se f a l a v a e m Galícia, País Basco, A n d a - volvimento humano (IDH), a segunda menor taxa de mortalidade
luzia o u C a s t i l h o , e r a m pátrias q u e u n i d a s c o m p u n h a m a d e n o - infantil, considerada a 14 cidade
a mais globalizada do planeta. São
minação " E s p a n h a " , t o d a d i v e r s i d a d e e r a r e s p e i t a d a e eles p o - Paulo é a sede de 63% das multinacionais estabelecidas no Brasil e
d i a m e l e g e r seus r e p r e s e n t a n t e s q u e não n e c e s s a r i a m e n t e d e v i a m se o Estado fosse um país, seria a 19 economia a mundial.".
seguir à risca u m a constituição única, pois c a d a população se
m a n t e v e p o r milénios p r e s e r v a n d o seus c o s t u m e s . Se u m a n d a l u z R e p e t i a i n c a n s a v e l m e n t e esses d a d o s p a r a "as massas" q u e m e
c o m a n d a r a C a t a l u n h a , e m termos d e g o v e r n o m u n i c i p a l ou pre- r o d e a v a m , sonhando e m despertar u m sentimento independentista
f e i t u r a , as c h a n c e s d e l e f a v o r e c e r o p o v o são m u i t o m e n o r e s , pois e trazer mais "voluntários" p a r a nossa b a r r i c a d a . D e f e n d i m e u s ar-
e l e não p e r t e n c e àquela u n i d a d e , seu s e n t i m e n t o não se a f l o r a n o g u m e n t o s e m t o d a b r e c h a q u e m e surgia, d e s d e u m a simples c o n -
p a t r i o t i s m o r e g i o n a l . T o r n e i - m e a f a v o r d o v o t o distrital, e p a r a m i m versa n o ônibus até nas teses d o colégio, d a s quais d e v e r i a m ser t o -
os c a n d i d a t o s a s e r e m eleitos d e v i a m p o r obrigação p e r t e n c e r à t a l m e n t e neutras, p o r desrespeitar a i m p a r c i a l i d a d e - não m e e r a m
c o m u n i d a d e q u e os e l e g i a m , m e s m o e m c a s o s b e m p e q u e n o s , c o n c e b i d a s as notas q u e j u l g a v a m e r e c e r . Fiquei v i d r a d o n o l e m a
d e n t r o d a própria c i d a d e , o q u e chamávamos d e " b a i r r i s m o " . e m l a t i m d o brasão p a u l i s t a n o " N o n d u c o r d u c o " (não sou c o n d u z i -
d o , c o n d u z o ) e n a clássica frase p o p u l a r : "São Paulo é a locomotiva
O f e d e r a l i s m o n o r t e - a m e r i c a n o e r a u m sistema q u e a p r e s e n - do Brasil", d a q u a l j u l g u e i estar c a n s a d a d e puxar vagões vazios.
t a v a r e s u l t a d o também: c a d a E s t a d o t e m sua lei e constituição e
assim m a n t i n h a sua independência e a característica c u l t u r a l d e F r e q u e n t e i a l g u m a s p o u c a s reuniões d e m o v i m e n t o s c l a n d e s t i -

seu p o v o e r a p r e s e r v a d a . nos c o m o o M o v i m e n t o São Paulo I n d e p e n d e n t e - MSPI, São P a u -


lo Pátria e o O r g u l h o Paulista, este último p r e t e n d i a reviver c e r t a s
Todo paulista, i n d e p e n d e n t e d a sua i d e o l o g i a , possui esse sen-
a t i v i d a d e s d o P a r t i d o R e p u b l i c a n o Paulista e a e n t i d a d e s e c r e t a
t i m e n t o d e injustiçado frente o g o v e r n o f e d e r a l . Nossos a d m i n i s t r a -
d a Revolução d e 32, M . M . D . C . O número d e pessoas q u e c o m p a -
dores f o r a m , p o r m u i t o t e m p o , nordestinos: d e p u t a d o s , senadores, e
r e c i a m n u n c a c h e g o u a mais d e 10, m a s m e s m o assim e u j a m a i s
m u d a r i a , pois devíamos nos a r m a r c o n t r a o c o r o n e l i s m o tirano: b e s t a demoníaca q u e sentia prazer e m ver o s o f r i m e n t o a l h e i o .
"Somos poucos, mas ainda nos restam valores!". N a d a justifica esses s e n t i m e n t o s terríveis q u e já t i v e . V i m m e liber-
N u n c a r e a l m e n t e tive u m s e n t i m e n t o racista discriminatório. Eu tar d e l e s após sessões d e t e r a p i a , q u e t a n t o c o n d e n e i . Porém não
a p o i a v a a conservação d a raça e c o n d e n a v a a miscigenação, f o r a m úteis p a r a " a b r i r m e u s o l h o s " , g e r a r a m a i n d a mais ódio q u e
porém s e m p r e tive a m i g o s negros e p a r d o s . Não m e i n c o m o d a v a só r e c o n h e c i c o m o o l h a r d a experiência e c o m isso d e s e n v o l v i u m
m u i t o viver e m u m a s o c i e d a d e m u l t i r a c i a l , c o n t a n t o q u e seus c i d a - o l h a r crítico s o b r e m e u s p e n s a m e n t o s . H o j e m a i s d o q u e n u n c a e u
dãos não unissem suas famílias. Eu t i n h a vizinhos n e g r o s e c o n h e c i - r e a l m e n t e sei q u e m sou e a p r e n d i a f a l a r c o m i g o m e s m o , j u l g a n d o
d o s nordestinos: e r a m honestos, t r a b a l h a d o r e s e contribuíam p a r a o q u e é " c e r t o " o u " e r r a d o " , sem a g i r p o r impulso, c o m o f a z i a . N u m
o c r e s c i m e n t o d e São Paulo, m a s não s u p o r t a v a os i m i g r a n t e s n i g e - m u n d o g l o b a l i z a d o c o m o o a t u a l , é impossível estar c o n t r a t o d o s -
rianos e os n e g r o s c a s a d o s c o m b r a n c a s . Q u a n d o t i n h a m filhos, e u s e m p r e v a m o s d e p e n d e r d e d i f e r e n t e s tipos d e pessoas.
sentia u m a r a i v a incontrolável, mais d a m u l h e r d o q u e d o h o m e m :
Eu não era u m agressor d e minorias p e l o f a t o d e "elas serem assim",
" O cara eu até entendo, para ele casar com uma branca vai dar
fui u m dos p o u c o s q u e via o l a d o romântico d o N a c i o n a l Socialismo,
status social. Mas ela não tem motivos! É uma traidora!".
o o r g u l h o e u r o p e u e as civilizações a n t i g a s . Diferente dos neonazistas
Em relação aos homossexuais, não m e i m p o r t a v a m u i t o se o su- radicais q u e não q u e r i a m n e m saber, n e m m e s m o s e n t a v a m a o l a d o
j e i t o fosse g a y , c o n t a n t o q u e não d e m o n s t r a s s e , não saísse c o m d e u m "não b r a n c o " e m locais públicos, se i a m p a r a a l g u m e s t a b e l e -
seu p a r c e i r o d e mãos d a d a s p e l a s ruas e não a d o t a s s e m crianças. c i m e n t o , r e c u s a v a m serem a t e n d i d o s por funcionários negros e n e m
Inclusive tive c o l e g a s d e t r a b a l h o q u e e r a m h o m o s s e x u a i s , e x c e - q u e tivessem d e esperar n u m a fila e n o r m e , assim f a z i a m p a r a serem
lentes profissionais. M a s c o n s i d e r a v a u m a escória os D r a g Q u e e n s , a t e n d i d o s por u m b r a n c o . S e m p r e a c h e i q u e esses seres e r a m feito
tansformistas e travestis. Para m i m , n a q u e l a época, não e r a m n e m máquinas, não era possível u m indivíduo assim ter sentimentos.
h u m a n o s s e q u e r - f e i t o p r a g a s eles e s p a l h a v a m a AIDS se prosti-
Jamais e u n a m o r a r i a u m a moça q u e não tivesse ascendências
t u i n d o p e l o s b e c o s sujos d a c i d a d e . Pior a i n d a e r a m os t r a i d o r e s ,
europeias. Um dos requisitos q u e mais a v a l i a v a , além d a c o r d a p e l e ,
h o m e n s b r a n c o s , c a s a d o s e pais d e família q u e traíam suas e s p o -
era se tinha " o c a b e l o b o m " , o s o b r e n o m e e os traços d o nariz e dos
sas e m b u s c a d e p u t a r i a c o m esse t i p o d e g e n t e .
lábios, p r o c u r a n d o saber se " e r a b r a n c a p u r a " . Pensava s e m p r e se u m
N a e s c o l a h a v i a u m g a r o t o g a y assumido. S e m p r e f i c a v a n o g r u - d i a e u teria a l g u m " c a s o " c o m a l g u m a mulher " i m p u r a " , se e u tivesse,
p o d a s m e n i n a s e n u n c a p a r t i c i p a v a d a s aulas d e educação física. n u n c a a a p r e s e n t a r i a p a r a meus pais, porém d e v o confessar q u e , por
L e m b r o q u e foi m u i t o d i s c r i m i n a d o p o r t o d o s os g a r o t o s , até m e s m o vezes, e m a l g u m a s n o i t a d a s , levei p a r a c a m a a l g u m a s m u l a t a s d e
o professor c h e g a v a a segurar a risada d a s nossas p i a d i n h a s . Tan- curvas esculturais. Isso é u m a prática existente não s o m e n t e entre os
t o os militantes políticos q u a n t o os d e m a i s a l u n o s j u d i a v a m d e l e , os politizados - é histórico n o Brasil. Os " b r a n q u i n h o s paulistas" se a p r o -
" e s t u d a n t e s n o r m a i s " p o r vezes e r a m a i n d a piores q u e os skinheads, veitam das garotas q u e c h a m a m d e " e m p r e g a d i n h a s baianinhas" e
v i v i a m d a n d o t a p a s e m sua cabeça, d i s t r i b u i n d o pontapés e atri- as j o g a m fora feito u m o b j e t o descartável. Aqueles q u e a g i a m assim
b u i n d o ofensas p e s a d a s , d o t i p o : " A n o m a l i a " , "Aberração"... n u n c a c o l o c a r i a m n o d e d o u m a aliança d e c o m p r o m i s s o d e a l g u m a
delas, c o m o até c h e g a r a m a dizer e m t o m d e h u m o r :
C h e g u e i sentir p e n a desse r a p a z , m a s a i n d a assim c o n t i n u a v a
c o m a q u e l a s a t i t u d e s d e s u m a n a s . Era c o m o se e u tivesse d u a s per-
- Minha amada tem que ser loirinha, branquinha, que vai me
s o n a l i d a d e s , dois l a d o s e m u m c o n f l i t o d e c l a r a d o : u m mais h u m a -
dar filhos bonitos. As outras eu deixo pra diversão, igual faziam os
n o c a p a z d e se pôr n o l u g a r d o próximo e o o u t r o feroz feito u m a
senhores de escravos.
Não r e c o n h e c i a mais c o m o i n t e g r a n t e d a família u m a p r i m a gusto c o n t r a os Cantábrios. Após as b a t a l h a s , muitos dos legionários
d o l a d o m a t e r n o q u e h a v i a se c a s a d o c o m u m m u l a t o d e o r i g e n s se m e s c l a r a m c o m os celtiberos nativos e d e p o i s c o m os g o d o s d o
n o r d e s t i n a s . Q u a n d o éramos criança, brincávamos juntos e, até e u n o r t e d a Europa, q u e i n v a d i r a m a Hispânia n o século seguinte. Essa
m e t o r n a r a q u e l e m o n s t r o , nos dávamos m u i t o b e m . Afirmei c e r t a união f o r m o u o peninsular ibérico p r o v i n c i a l d a s m o n t a n h a s nortis-
vez, c o m convicção, e m espécie d e j u r a m e n t o , p a r a m i m m e s m o : tas, e m sua m a i o r i a louros d e olhos claros, c o m o a aparência d e

"Se um dia minha irmã aparecer em casa com um negro, eu a de- m e u p a i . Por p a r t e d e mãe, m i n h a s ascendências lusitanas d e A l -

serdo e mato o desgraçado!" (mas isso já p a s s o u ) . jezur, n a região d o A l g a r v e , não e s c o n d i a m u m a influência m o u r a ,


os c a b e l o s b e m escuros e s o m b r a n c e l h a s largas d e m e u s p a r e n t e s
Q u a n t o a o s j u d e u s , éramos os únicos q u e os v i a m c o m o u m a
m a t e r n o s d a v a m u m a s p e c t o árabe-andaluz a u m a p a r t e d a famí-
" r a ç a " e não s o m e n t e religião. O a n t i - s e m i t i s m o e r a p r e s e n t e d e -
lia, m a s e u r e l e v a v a , g l o r i f i c a n d o mais o l a d o p a t e r n o e os feitos d o s
v i d o às questões económicas, n e m t a n t o racistas. Opúnhamos-nos
b e r b e r e s n a c u l t u r a ibérica, q u e e u a c r e d i t a v a serem a r i a n o s t a m -
aos h e b r e u s p o r a c r e d i t a r q u e t i n h a m u m p l a n o d e dominação
bém, além d o f a t o d e m i n h a mãe ser p a u l i s t a n a n a t a .
m u n d i a l e p o r d i f a m a r nosso m o v i m e n t o , u m a r g u m e n t o b e m p o -
p u l a r e r a : - Eles f o r a m p e r s e g u i d o s d u r a n t e 5000 a n o s . Por egípcios, M e s m o assim m e i n c o m o d a v a a imigração m a r r o q u i n a n a Eu-
romanos, p e l a inquisição e s p a n h o l a , ingleses, russos e alemães. r o p a e o f a t o d e os cristãos c a d a vez m e n o s t e r e m filhos; e n f u r e c i a -
A l g u m a c o i s a está e r r a d a c o m eles. C r i a m u m e s t a d o d e n t r o d e m e s e m p r e q u e v i a n o noticiário a l g u m i n c i d e n t e d e mulçumanos

o u t r o e s t a d o , são racistas c o m a própria população n a t i v a e e x p l o - n a França, o u t r a f i c a n t e s d e prostitutas e m P o r t u g a l q u e l e v a v a m

r a m t o d o s p e l a ganância a b u n d a n t e q u e têm. p a r a o solo d e m e u s a n t e p a s s a d o s m u l h e r e s " n ã o b r a n c a s " - doía


d e u m a m a n e i r a intensa s a b e r q u e e m u m f u t u r o b r e v e a c u l t u r a
Q u e m p e n s a q u e o r a c i s m o é c o i s a d o p a s s a d o está e n g a n a -
d e m e u s pais seria e x t i n t a nas suas terras d e o r i g e m , b e m c o m o j á
d o . Ele é u m m a l a i n d a existente, s o m e n t e f o i m a s c a r a d o e g a n h o u
era e x t i n t a a nossa e m São Paulo.
n o v a s conotações: o r g u l h o - h o n r a - conservação... A d m i t o ter sido
r a c i s t a , m a s também sofri p r e c o n c e i t o s . Antes m e s m o d e m i n h a m i - Eu s a b i a q u e m e u avô p a t e r n o h a v i a p a r t i c i p a d o d a G u e r r a
litância,tinham e s t u d a n t e s n e g r o s q u e m e d i s c r i m i n a v a m p o r ser Civil E s p a n h o l a , m a s n u n c a m e interessei s o b r e o assunto. N a q u e l e s

b r a n c o . Esse câncer s e m n e x o existe e m t o d a s as c a m a d a s e p o r d i a s d e árdua p e s q u i s a , delirei d e empolgação e m s a b e r q u e e l e

p a r t e d e t o d o s os p o v o s , a c o n t e c e q u e a p e n a s é c o n s i d e r a d o d e esteve n o exército n a c i o n a l i s t a d o c a u d i l h o Francisco F r a n c o , q u e

u m l a d o , e m específico, d e b r a n c o s p a r a c o m os n e g r o s . Essa r e g r a p o r sinal também e r a g a l e g o . T e r m i n a d a a g u e r r a , m e u " a b u e l o "

é tão estúpida q u a n t o o próprio t e r m o , q u a n t o os i m b e c i s q u e se serviu n u m a c o m p a n h i a c o n h e c i d a c o m o Divisão Azul, f o r m a d a

a c h a m superiores o u vítimas p e r s e g u i d a s p e l a o r i g e m r a c i a l . p o r voluntários espanhóis q u e l u t a r a m a o l a d o d a A l e m a n h a n a -


zista. E m b o r a não tivesse d e c l a r a d o o f i c i a l m e n t e a g u e r r a . F r a n c o
Pesquisando mais p r o f u n d a m e n t e sobre m i n h a s origens, o b t i i n -
retribuiu a a j u d a alemã n o c o n f l i t o c o n t r a as B r i g a d a s I n t e r n a c i o -
formações q u e m e e n c a n t a v a m , feito u m balão q u e se e n x i a d e n t r o
nais e n v i a n d o c e r c a d e 45.000 s o l d a d o s à f r e n t e russa, nos a n o s d e
d o p e i t o , a c a d a n o m e , l o c a l e período d a história q u e m e u s a n t e -
1941-44 - m e u avô lutou e m L e n i n g r a d o e f o i f e r i d o e m c o m b a t e ,
p a s s a d o s v i v e r a m . Fiz u m l e v a n t a m e n t o d a s legiões r o m a n a s q u e r e t o r n a n d o a E s p a n h a e m 1943.
p a s s a r a m p e l a E s p a n h a ; a Victrix, Legião d e número VII d o O c i d e n -
te, e a G e m i n a , q u e também esteve n a construção d a m u r a l h a d e Pedi a m e u p a i q u e entrasse e m c o n t a t o c o m meus tios n a Europa

A d r i a n o , n a Inglaterra, c o n q u i s t o u as atuais províncias d e C a s t e l a e perguntasse se eles p o d i a m enviar a l g u m a f o t o d o " a b u e l o " . U m

e Leão, Aragão e a Galícia, " b e m c o m o a VI Ferrata" n a primeira p r i m o digitalizou o único retrato d e m e u avô c o m u n i f o r m e militar,

m e t a d e d a década d e 30 a . C . p a r t i c i p a n d o d a c a m p a n h a d e A u - d e s b o t a d o e a m a r e l a d o , e n c o n t r a d o n o f u n d o d o armário, d a t a d o
44
d e 1936, e e n v i o u - m e p o r e - m a i l . Não c o n s i g o d e s c r e v e r a a l e g r i a rados, pois m e u s valores e r a m distintos dos d e outro j o v e m q u a l q u e r .
g q u e tive a o abrir a q u e l e a r q u i v o e ver m e u familiar tão próximo, t r a - O antropólogo Everardo R o c h a escreveu sobre a questão dos inváli-
c j a v a o "mais h o n r a d o dos uniformes". Imprimi a foto e c o l o q u e i - a e m dos e m u m b o l e t i m académico d e 1984, q u e e n c o n t r e i p o r entre os
2
p e r t e n c e s d o diretor d o colégio q u e estudei, e m e p a r e c e q u e e l e
.£ u m p o r t a - r e t r a t o s d e m e u q u a r t o , a i n d a q u e e u não o tivesse c o n h e -
O e i d o a o o l h a r d i r e t a m e n t e nos seus olhos, t o d a s às vezes q u e senta- não soube a g r e g a r p a r a si a i d e i a d a q u a l transmitia: - A figura d o
5*
l o u c o , p o r e x e m p l o , n a nossa s o c i e d a d e , é m a n i p u l a d a p o r u m a série
v a n a q u e l a e s c r i v a n i n h a , e r a c o m o se fôssemos íntimos e c o m o se
d e representações q u e oscilam entre vários pólos, s e n d o d e n e g r i d a
^ e l e falasse d i r e t a m e n t e c o m i g o , c o n t a n d o suas historias d a g u e r r a ,
o u e x a l t a d a - c o m o o m a r c i a n o - a o saber d a s intenções.
q u e e u f a n t a s i a v a e q u e se e n g r a n d e c i a m n a m i n h a imaginação.
Tudo a q u i l o p a r a m i m e r a impagável, não valorizava o dinheiro, a Era e u o " l o u c o " q u e eles t a n t o j u l g a v a m , a p e n a s p o r pensar dife-
pessoa p o d i a ser p o d r e d e rica, m a s se fosse d e s c o n h e c i d a d e suas rente e d e f e n d e r u m i d e a l c o n d e n a d o p e l a m a i o r i a . Ninguém n u n c a
origens e não dotasse d e c e r t a c u l t u r a , e l a não e r a n a d a . Dizia b a - p r o c u r o u e n t e n d e r m e u l a d o , s e m p r e foi mais fácil c o n d e n a r d o q u e
t e n d o n o peito: - Sou cidadão e u r o p e u , n o d o c u m e n t o e n o s a n g u e ! c o m p r e e n d e r . J a m a i s l e v a r a m e m consideração q u e r e c e b i u m a
educação eurocêntrica d e s d e o berço, h e r d a d a p e l o f a t o d e ser fi-
Q u a n d o nasci, m e u p a i m e registrou n o c o n s u l a d o e s p a n h o l e
e u c h e g u e i até a e m i t i r u m p a s s a p o r t e d a c i d a d a n i a e s p a n h o l a . lho d e imigrantes d o v e l h o m u n d o . Ela foi c r i t i c a d a p o r q u e vivi e m u m

O f a t o d e p e r t e n c e r a m i n h a estirpe e d e f e n d e r o l e g a d o d e m e u s c o n t i n e n t e q u e t e n d e a rivalizar-se c o m a a n t i g a "metrópole", d e v i d o

a n c e s t r a i s fazia d e m i m o m a i o r dos h o m e n s , e n e n h u m b e m m a t e - aos anos d e opressão e exploração s e n d o colónia. Sei q u e não c a b i a

rial p o d e r i a ultrapassar essa sorte. S o n h a v a e m ir à E u r o p a e m e j u n - b e m ficar d e f e n d e n d o ancestrais b r a n c o s e m u m país e r g u i d o à b a s e

tar a o s s k i n h e a d s d e a l g u m p a r t i d o n a c i o n a l i s t a l e g a l i z a d o , c o m o d a escravidão d a s d e m a i s raças, mas se t r a t a n d o d e u m a d e m o c r a -

os s e g u i d o r e s f r a n c e s e s d e Le Pen o u os f a l a n g i s t a s n a Península c i a e u a c r e d i t a v a q u e também t i n h a o direito d e m e expressar.


Ibérica, até m e s m o c o g i t e i e m l a r g a r t u d o e m e j u n t a r à Legião Nossos avós e bisavós imigrantes c h e g a r a m n u m a situação seme-
Estrangeira. C a d a vez mais p o s s u i d o r d e u m o r g u l h o e x t r e m o q u e lhante. T r a b a l h a v a m p a r a p a g a r a v i a g e m a o Brasil e, feito escravos
u l t r a p a s s a v a t u d o e p e r d i a a razão m e p e g u e i p e n s a n d o : " D e que dos latifundiários, m a l a d q u i r i r a m sua independência. "Fazer a Améri-
mesmo estou me orgulhando?". Eram t a n t o s motivos q u e e x i s t i a m c a " n o f u n d o era u m a enganação, mas as famílias d e r a m a volta p o r
d e n t r o d e m i m q u e , c o m p a l a v r a s , não p o d i a e x p l i c a r . Eu já h a v i a c i m a , a b r i r a m indústrias, comércios, v e n c e r a m a opressão - e n x e r g a v a
m u d a d o , t o d o s p o d i a m n o t a r e e r a o único q u e não p e r c e b i a . A d - nos europeus u m a v o n t a d e não e n c o n t r a d a nos outros "nativos".
m i t o ter sido etnocêntrico. C o m p a r a v a a o l o n g o d a história os m o -
A imigração d o t e r c e i r o m u n d o a t u a l m e n t e é f o r t e n a E u r o p a .
dos d e v i d a , valores e feitos d a s civilizações, c o l o c a v a os e u r o p e u s
Lá o r a c i s m o foi b a n i d o e e x i s t e m órgãos q u e p e r m i t e m a m a n i f e s -
c o m o superiores, p e l a s invenções, d e s e n v o l v i m e n t o d a s ciências,
tação c u l t u r a l d a s c o m u n i d a d e s e s t r a n g e i r a s . Por q u e então, se n a
d i r e i t o , filosofia... Era b e m típico o s e g u i n t e p e n s a m e n t o : "Nós, os
brancos, fizemos tudo ao longo dos tempos, o que fizeram os afri- m i n h a terra d e o r i g e m , m e u p o v o e r a r e c e p t i v o a o s i m i g r a n t e s e n a

canos? Ainda hoje vivem como selvagens no meio do mato!". terra d e l e s m i n h a família não e r a ? A p e s a r d e d i z e r e m q u e o Brasil é
u m país a c o l h e d o r , e r e a l m e n t e c o n c o r d o , pois m e u p a i fez d a q u i
Não levei e m consideração q u e c a d a s o c i e d a d e t e m seus valores. a sua pátria, cresci e s c u t a n d o : - Pare de reclamar! Você nem é
Em termos culturais é e r r a d o se utilizar d e a r g u m e n t o s c o m p a r a t i v o s , realmente brasileiro! Volte para sua terra!
entre m u n d o s diferentes. Porém, d e v o ressaltar q u e as a u t o r i d a d e s f a -
Nós falávamos c a s t e l h a n o e m c a s a , procurávamos p r e s e r v a r
z i a m o m e s m o c o m i g o . A comparação s e m p r e esteve nos discursos
nossa c u l t u r a m e s m o e m terras distantes. Era u m a t r e m e n d a p a l h a -
d e e d u c a d o r e s , sociólogos e juízes, s e n d o q u e também e s t a v a m er-
c a d a ! Esses comentários xenófobos são b e m típicos d e indivíduos círculo i m p o n d o barreiras, l u t a n d o c o n t r a q u a l q u e r u m q u e apareça

d e s i n f o r m a d o s . C o m o se n o Brasil existisse u m v e r d a d e i r o " n a t i v o " . e m sua v i d a , seja u m c o l e g a n o serviço o u u m n o v o vizinho, e e m c a -


N e m m e s m o os índios são, pois v i e r a m d a Ásia p e l o estreito d e Be- sos a i n d a mais devastadores, c o m o o nosso, o restante d o m u n d o q u e
r i n g e se m e s c l a r a m c o m os aborígenes q u e a q u i e s t a v a m . Aliás, p e n s a v a diferente d e nós, e m muito p e r d e a c a p a c i d a d e d e crescer.
s e m p r e fui d e f e n s o r d a s e g u i n t e i d e i a : q u e m se naturaliza, é a i n d a Ficava p u t o c o m a q u e l e s liberais hipócritas e oportunistas q u e nos
m a i s p a t r i o t a , pois fez a e s c o l h a d e p e r t e n c e r àquela nação, d i - c h a m a v a m d e racistas e d i z i a m não se i m p o r t a r c o m a mestiçagem,
f e r e n t e d a m a i o r i a dos brasileiros q u e d e t e s t a m os " g r i n g o s " , m a s c o n t a n t o q u e tivessem u m a e m p r e g a d a e também servos q u e lhes
c o s p e m n o chão, d e s m e r e c e n d o o próprio p o v o . Se m e e r a n e g a - garantissem o sustento. E, eles próprios se e n f u r e c i a m q u a n d o as filhas
d o o d i r e i t o d e d e f e n d e r - m e e à m i n h a família, p o r q u e p e g a r i a e m e n g r a v i d a v a m d e a l g u m dos seus e m p r e g a d o s , c h e g a n d o forçá-las
a r m a s p a r a d e f e n d e r o país q u e m e n e g a v a isso? a c o m e t e r e m a b o r t o . Não e r a m m u i t o diferentes d e nós. A c o n t e c e

Eu s e m p r e fui d i v i d i d o e n t r e d u a s pátrias. Q u a n d o j o g a v a Brasil x q u e nós levantávamos u m a b a n d e i r a e não precisávamos nos e s c o n -

E s p a n h a , m e a l e g r a v a c o m os gois m a r c a d o s d e a m b o s os lados. No d e r por trás d e máscaras q u e l e v a v a m títulos c o m o : Promotores, Direi-

f e r i a d o d e 12 d e o u t u b r o , o n d e a q u i se c o m e m o r a o d i a d e Nossa tos H u m a n o s , Juizado, Ministros... M e s m o a q u e l e s rapazes negros q u e

S e n h o r a A p a r e c i d a e as crianças g a n h a m presentes, e m c a s a c o - a p o n t a v a m o d e d o e s t u f a n d o o p e i t o : - Seus racistas!

memorávamos o Dia d e La H i s p a n i d a d , r e a l i z a d o e m t o d o s os países Mas v e s t i a m c a m i s e t a s c o m a c a r a d e M a l c o m X o u o p u n h o


d e língua e s p a n h o l a q u e c e l e b r a m a d e s c o b e r t a d a América p o r n e g r o c e r r a d o , c o m o s l o g a n " P o d e r N e g r o " . Tanta sujeira. C o m t a n -
C o l o m b o . Também p o r isso m e i d e n t i f i c a v a mais c o m os a r g e n t i n o s tos iguais o u piores p o r aí, a rotulação e r a atribuída a p e n a s p a r a a
d o q u e c o m os próprios brasileiros. Nas tantas festas típicas d a e s c o -
g e n t e , q u e t i n h a t o d o u m i d e a l i s m o , não u m m e r o s e n t i m e n t o discri-
la, e u f i c a v a " b o i a n d o " e não via o porquê se e m o c i o n a r c o m e v e n -
minatório s e m f u n d a m e n t o s . Q u a n d o , n a r e a l i d a d e , éramos t o d o s
tos indígenas e a f r i c a n o s . J a m a i s t r o q u e i os b a t u q u e s d o c a r n a v a l
idiotizados p e l a s u p e r f i c i a l i d a d e , a g r e g a n d o " m o t i v o s " o u não.
p e l a s g a i t a s d e Fole g a l e g a s t o c a d a s p o r p e r e g r i n o s n o C a m i n h o
d e S a n t i a g o . E não q u e r i a ter d e m e e n v e r g o n h a r disso. Em t o d o c o n t i n e n t e a m e r i c a n o as diferenças se dão mais n a
questão económica, e m b o r a não esteja e r r a d o a f i r m a r q u e e l a é
Q u a n d o m e atribuíam o título d e "fascista", e u não a c e i t a v a c a l a - a c o m p a n h a d a c o m c e r t o s e n t i m e n t o r a c i a l . As elites h i s t o r i c a m e n -
d o . Relutava t e n t a n d o explicar minhas razões, a i n d a q u e e u r e a l m e n - te c o m p o s t a d e e u r o p e u s e seus d e s c e n d e n t e s vêm m u d a n d o seu
t e fosse u m . J a m a i s gostei desse t e r m o , pois e l e se t o r n o u pejorativo. a s p e c t o c o m a introdução d e indivíduos d e outras denominações
Os neonazistas e m g e r a l se a u t o d e n o m i n a m " N a c i o n a i s Socialistas", étnicas, e m sua m a i o r i a artistas e esportistas d e origens h u m i l d e s .
o u simplesmente se c h a m a m pelas abreviaturas "NS". Então, a partir A i n d a existem c o m u n i d a d e s d e classe média e a l t a q u e se i n c o -
desse período e u m e d e n o m i n a v a NS o u n a c i o n a l i s t a paulista, u m a m o d a m c o m a presença d e u m a família n e g r a e m seu círculo, e
vez q u e não r e c o n h e c i a mais a nação brasileira c o m o m i n h a pátria. também áreas periféricas q u e d i s c r i m i n a m indivíduos b r a n c o s , p r i n -
Todo esse universo exótico d e teorias era também u m exercício diá- c i p a l m e n t e se seu fenótipo for d e característica nórdica: olhos e c a -
rio d e análise entre os velhos e novos p a r a d i g m a s - c o m o não ter os d e - belos claros. Generalização existe e m q u a l q u e r g r u p o d o m i n a n t e
mais c o m o inimigos e não envolver-se t a n t o c o m os mais próximos. Não d e q u a l q u e r c a m a d a , c o m o a concepção " b a i a n o " e m São Paulo,
só n a política o radicalismo é maléfico, n o c o m p o r t a m e n t o sentimental e m relação às pessoas q u e v i e r a m d o nordeste.
e l e destrói t a n t o q u a n t o os mecanismos d e repressão d o Estado. Q u a n - D e v i d o à c u l t u r a brasileira ser e l e i t a p e l a massiva i d e i a d o " s e n -
d o se têm c o m o a m i g o s s o m e n t e a q u e l a m e i a dúzia d e c a m a r a d a s t i m e n t o n a c i o n a l único", q u e t e m o s a m b a , axé, r a p e h i p - h o p nas
d e q u e m é mais próximo e p r o c u r a não a g r e g a r mais ninguém a esse
g r a n d e s c a p i t a i s e t o d o ritmo q u e v e m d a s senzalas e l e v a m os porões ração inteira de garagistas e garçons, escravos da burguesia. A
d a escravidão c o m o característica, ideológicos o u não, os próprios propaganda põe a gente pra correr atrás de carros e roupas, tra-
jovens d a classe média se v e s t e m e a d o t a m u m p a l a v r e a d o típico balhar em empregos que odiamos para comprar merdas inúteis.
d a periferia, t e n t a n d o levar o ritmo e estilo d e v i d a d e seus m e m b r o s , Somos uma geração sem peso na história, sem propósito ou lugar.
p r o c u r a n d o s e r e m " b a c a n a s " , " d e s c o l a d o s " . Até m e s m o e m países Não temos uma guerra mundial, não temos uma grande depres-
e u r o p e u s , a o n d e a p a r c e l a d e imigrantes v e m c r e s c e n d o , a c u l t u r a são, nossa guerra é a espiritual, nossa depressão, são nossas vidas.
e s t r a n g e i r a t e m sido a c e i t a e n t r e as c o m u n i d a d e s n a c i o n a i s e or- Fomos criados através da TV para acreditar que um dia nós sería-
ganizações d e s t i n a d a s à promoção d o intercâmbio c u l t u r a l têm se mos milionários e estrelas de cinema, mas não seremos... Aos pou-
f o r t i f i c a d o - coisa a i n d a m u i t o distante n o Hemisfério Sul, o q u e t o r n a cos tomamos consciência do fato. e estamos muito, muito putos!"
os países d e terceiro m u n d o a i n d a mais racistas. N a t u r a l m e n t e tais
I n t e r n a m e n t e m e via e m conflito c o t i d i a n a m e n t e entre meus prin-
fatos i n c o m o d a v a m a q u e l e s q u e p e n s a v a m c o m o e u , muitas d a s
cípios morais familiares, q u e p o r vezes se m a n i f e s t a v a m - a q u e l e s d o s
vezes ver o u t r o r a p a z t e n t a n d o p e r t e n c e r a u m a c u l t u r a a l h e i a fazia
quais a m i n h a mãe foi a p r i n c i p a l m e n t o r a , d e s d e q u e m e ensinou a
d e l e pior d o q u e a q u e l e s q u e considerávamos " i n i m i g o s " .
rezar o Pai Nosso antes d e dormir, e o n o v o " e u " , h e r d a d o d a s ruas.
A padronização d a informação e o p r a g m a t i s m o d a era digital Ocorria sempre e m q u e u m c o m p o r t a m e n t o / a t i t u d e influenciava
também f o r a m ferozmente a t a c a d o s . Eu via o ser h u m a n o regredir e m p e n s a m e n t o s e sentimentos, q u e m e i m p e d i a m d e agir. Tais episódios
u m c o m o d i s m o avassalador, débeis d e m e n t e e impotentes d e físico. e u considero até c o m o s e n d o e x e m p l o s metafóricos entre o c e r t o e o
Era e u u m a das últimas "resistências" d a v o n t a d e e m u m m u n d o c o n t a - e r r a d o . Custei a p r e n d e r q u e não p o d e m o s deixar q u e nosso o r g u l h o
m i n a d o p e l o c o m o d i s m o . Deveríamos destruir a " D i t a d u r a d o Confor- v e n h a sobrepor a nossa sobrevivência, e até o d i a d e m i n h a a t u a l
t o " , a p e n a s seríamos livres após o d e s a p e g o a o materialismo e d e p o i s mutação c o m p o r t a m e n t a l , só criei p r o b l e m a s q u e p o d e r i a m ser ine-
d e transformar nossas vidas e m u m culto há a l g o muito maior, abstrato, xistentes, descritos c o m total s i n c e r i d a d e nas páginas a seguir.
q u a s e q u e divino, cujas massas e r a m incapazes d e c o m p r e e n d e r .

O a u t o r a m e r i c a n o C h u c k P a l a h n i u k , polémico e m u i t o c o n h e -
O génio da Rua Indiana
c i d o e n t r e o público " C u l t " d e m i n h a época, h a v i a escrito sua o b r a
m a i s i m p a c t u a n t e : O C l u b e d a Luta, q u e e m 1999 t e v e sua versão M a c a u e r a filho d e u m g r a n d e a d v o g a d o d o c o n s e l h o d e São
cinematográfica e s t r e l a d a p o r Brad Pitt e E d w a r d N o r t o n . N a histó- Paulo. M o r a v a e m u m prédio d e luxo n u m bairro n o b r e d a c i d a d e ,
ria, Tyler D u r d e n (Brad Pitt), q u e é u m r e v o l t a d o e estiloso m a r g i n a l , n a Rua I n d i a n a , q u e é u m a travessa d a A v e n i d a Portugal. Aos dezoito
c u j a s teorias são m u i t o c o n v i n c e n t e s , v a n d a l i z a o sistema b a s e a d o anos e l e já f a l a v a q u a t r o i d i o m a s e tinha e s t a d o e m diversos países
e m u m i d e a l d e negação a o c o n s u m i s m o e o c u l t o à violência, d a Europa, i n c l u i n d o A l e m a n h a , país o n d e n a s c e r a m seus avós. Parte
c r i a n d o então o C l u b e d a Luta, organização c l a n d e s t i n a o n d e c i - d e sua família mais distante residia n a c i d a d e d e Colónia. Era extre-
dadãos c o m u n s se reúnem p a r a brigar. Q u a n d o assisti p e l a p r i m e i - m a m e n t e c u l t o e a d m i r a d o r d e música clássica. Lia e m média dois
ra vez m e e n c a n t e i , r e p e t i as sessões t a n t a s vezes até d e c o r a r t o d a s livros p o r s e m a n a e n a e s c o l a foi u m a l u n o e x e m p l a r . Tínhamos m u i -
as falas e b a i x e i o livro p e l a internet, pois s e m p r e a o b r a é m a i s to e m c o m u m . Seu avô p e r t e n c e u à J u v e n t u d e Hitlerista e d e p o i s foi
c o m p l e t a q u e o filme. Posso r e c o r d a r d e u m a f a l a q u e a g r a d a v a s o l d a d o d a W e h r m a c h t , c o m b a t e n d o e m Berlim. Depois d a g u e r r a
e m m u i t o os j o v e n s a n a r q u i s t a s e n e o n a z i s t a s : "(...) Eu vejo aqui os e m i g r o u p a r a o Brasil d u r a n t e a década d e 1950. Trocávamos histórias
homens mais fortes e inteligentes (referindo-se aos integrantes do d e nossos avós, analisamos táticas militares d a s G r a n d e s Guerras e
Clube da Luta), vejo todo esse potencial desperdiçado. Uma ge- colecionávamos miniaturas plastificadas d e t a n q u e s e aviões. M u i t o
disso e l e h a v i a h e r d a d o d e seu p a i , c u j o h o b b y era c o l e c i o n a r relí-
quias militares. L e m b r o - m e q u e e l e tinha e m seu q u a r t o u m c a p a c e t e
autêntico d o exército alemão, c o m as insígnias d a Luftwaffe, também
u m a b a n d e i r a i m p e r i a l prussiana d a Primeira G u e r r a M u n d i a l .

Sr. H e n r i q u e , o p a i d e M a c a u , e r a l i c e n c i a d o a o p o r t e d e a r m a s e
t i n h a u m rifle Mauser K98, q u e fora u s a d o n a última g u e r r a m u n d i a l ,
seu prémio mais a m a d o . A p r i m e i r a vez q u e c a r r e g u e i o fuzil, m e u s
olhos b r i l h a r a m , e n g a t i l h e i - o d u a s vezes e a sensação q u e tive é i n -
descritível. E m b o r a m e u n o b r e a m i g o d o t a v a - s e d e tais q u a l i d a d e s ,
e l e j a m a i s foi u m s k i n h e a d . Desprezava o p a l a v r e a d o b a i x o , as gírias
e as a t i v i d a d e s físicas. C o n c o r d a v a c o m a violência e o s e n t i m e n t o DAS CINZAS
d e luta, m a s não t i n h a a c a p a c i d a d e d e t o m a r tal a t i t u d e , e r a q u a -
se q u e raquítico e possuía u m a m i o p i a avançada. Tornou-se u m a à VITÓRIA
espécie d e c o n s e l h e i r o d o s skins, u m a liderança i n t e l e c t u a l d o m o -
0 RESSURGIMENTO
v i m e n t o . Escrevia artigos p a r a os fanzines e p u b l i c a v a materiais d e
DOS MOVIMENTOS
p r o p a g a n d a n a internet. C h e g o u a f r e q u e n t a r muitas reuniões n e o -
POLÍTICOESPIRITUALISTAS
nazistas e a d q u i r i u o respeito d e t o d o s os g a n g u i s t a s d e São Paulo.

Então, n a e s c o l a , e u m e juntei a o respeitável " f u h r e r " e seu g r u p o


d e cabeças r a s p a d a s . S e m p r e andávamos e m b a n d o e ninguém
O primeiro i m p a c t o não foi n a d a agradável. Os skinheads são extrema-
nos c o r r e d o r e s se m e t i a c o n o s c o , sentia o prazer d e c a u s a r t e m o r ,
mente desconfiados - não fosse o Pulga, e u jamais pudera entrar no galpão.
restrito a p e n a s a o s p r i v i l e g i a d o s . A i n d a estávamos n o p r o j e t o d o
Reuniam-se e m u m armazém a b a n d o n a d o próximo a o bairro d o Tatuapé,
q u e viríamos a ser mais t a r d e , não d e i x a m o s d e nos c o m p o r t a r feito
na zona leste. Lá os c a m a r a d a s p o d i a m expressar suas ideias e promover
m o l e q u e s m a l c r i a d o s m e t i d o s a s o l d a d o s , e m b o r a tivesse n o b a n -
discursos d e Adolf Hitler e Goebbels traduzidos para o português.
d o a l g u n s c a m a r a d a s c o m o Pulga, q u e j á p e r t e n c i a às g a n g u e s d e
r u a . A g r a n d e m a i o r i a desses rapazes, n a m e d i d a e m q u e c r e s c i a m Nos EUA, d u r a n t e a década d e 1960, surgiu u m a e n t i d a d e i n -
t e r n a c i o n a l c h a m a d a W o r l d Union o f N a t i o n a l - S o c i a l i s t - WUNS
se s e n t i a m c a p a z e s d e se juntar e m u m a b r i g a d e r u a e a realizar
(União M u n d i a l d o s N a c i o n a l - S o c i a l i s t a s ) , d o q u a l líderes d e outras
"missões" p e l a c i d a d e e m n o m e d a Revolução n a c i o n a l - s o c i a l i s t a .
organizações n a c i o n a l i s t a s se u n i r a m a o G e o r g e Lincoln R o c k w e l l ,
Por isso a l g u n s d e nós, p r i n c i p a l m e n t e os mais velhos, já c o l e c i o n a -
p e n s a d o r n e o n a z i s t a e s t a d u n i d e n s e , também escritor d o This Time
v a m t a t u a g e n s p e l o c o r p o e possuíam cicatrizes n a c a r a .
t h e W o r l d (Desta vez o M u n d o ) , d o c u m e n t o q u e a p r e s e n t a v a ideias
Q u a n d o f r e q u e n t e i a p r i m e i r a reunião NS e u e s t a v a c o m P u l g a . b a s e p a r a o r e s s u r g i m e n t o d o nazismo.
Levei m e u p r i m o R o b e r t o s e m q u e seus pais s o u b e s s e m . D e v i d o a o
N a q u e l a reunião, a d o t a m o s os p r i n c i p a i s o b j e t i v o s d a WUNS,
convívio c o m o j o v e m a m i g o , e l e p a s s o u a ser u m a cópia d o q u e
c o m o s e n d o os d o g m a s d a organização e m São Paulo:
e u e r a e a nossa relação e r a mais próxima d o q u e a q u e e u t i n h a
c o m m e u s irmãos d e s a n g u e e a q u e e l e t i n h a c o m seus pais. 1- Formar u m a p a r a t o político internacional, eficiente p a r a c o m -
bates e monopolítico p a r a c o m b a t e r e, finalmente, destruir o a p a r a t o
judáico-comunista e sionista internacional p a r a a traição e subversão.
53
2- Proteger a raça a r i a n a e sua civilização o c i d e n t a l o n d e q u e r q u e ele fora introduzido. Não d e v e m o s e s q u e c e r também q u e foi n a
q u e seus m e m b r o s p o s s a m estar n o m u n d o , i n d e p e n d e n t e d e sua década d e 60 q u e a d i t a d u r a militar d e direita t e v e sua implantação g-
nacionalidade. n a América Latina e n a Europa, o franquismo e o salazarismo a i n d a ~
resistiam n a Península Ibérica. A c r e d i t o q u e o fato das d e m o c r a c i a s <
3- P r o t e g e r a p r o p r i e d a d e p r i v a d a e o livre e m p r e e n d i m e n t o
ocidentais não ter c o m b a t i d o ferozmente tais movimentos, hoje c o n -
d a s táticas d e g u e r r a d a classe c o m u n i s t a .
siderados inconstitucionais, deve-se à extinta União Soviética, q u e infil-
N a r e a l i d a d e , e r a u m a espécie d e união d e t o d o s os p o v o s a r i a - trava seus a g e n t e s d a KGB nos q u a t r o c a n t o s d o m u n d o .
nos e m u m a o r d e m m u n d i a l nazista e u m Apartheid racial p a r a p a -
L o g o n a década s e g u i n t e , surgiu nos Estados Unidos o P a r t i d o
íses d e t e r c e i r o m u n d o , d o q u a l o Brasil seria u m d o s m a i o r e s r e p r e -
N a c i o n a l Socialista d o Povo B r a n c o (NSWPP), u m a v e r t e n t e d o m o -
sentantes. Por m a i s q u e possa soar e s t r a n h a a i d e i a d e se i m p l a n t a r
v i m e n t o d e R o c k w e l l , l i d e r a d o p o r M a t t Koehl, d e s c e n d e n t e d e
t a l r e g i m e e m u m a nação s u l - a m e r i c a n a d e população mestiça,
i m i g r a n t e s germano-húngaros d e Wiscosin. Koehl e s t u d o u jornalis-
q u e m tiver a c e s s o à questão d o n a c i o n a l i s m o r a c i a l o p o r t u n o d e
m o e foi ex-fuzileiro n a v a l . Antes m e s m o d e surgir o P a r t i d o Nazista
nosso país, s a b e e não d e v e n e g a r q u e e l e é propício à geração
A m e r i c a n o , e l e já h a v i a p a r t i c i p a d o d e organizações n a c i o n a l i s -
d e v e r t e n t e s dessa i d e o l o g i a : t o d o s os p r o b l e m a s sociais q u e p o r
tas q u e a t u a v a m e m m e n o r influência n o país. Sua formação foi
séculos existem e m nosso solo, as superpopulações e urbanizações
i n s p i r a d a p o r dois p e n s a d o r e s d e m u i t a importância p a r a o n e o n a -
sem p l a n e j a m e n t o , a má distribuição d e r e n d a , o d e s e m p r e g o , as
zismo: M i g u e l S e r r a n o e Savitri Devi, q u e t i v e r a m seus n o m e s l i g a d o s
diversas n a c i o n a l i d a d e s q u e e m i g r a r a m e f o r m a r a m nosso p o v o ,
à denominação d e " P e n s a d o r e s d o Hitlerismo Esotérico".
u m d o s mais c o s m o p o l i t a s d o universo... Em questão d e números
não é p r e c i s o ser n e n h u m génio p a r a e n c o n t r a r a resposta à as-
censão desse r e g i m e , as estatísticas a p o n t a m : o Brasil têm a p r o x i -
Miguel Serrano - Profeta da Honra
m a d a m e n t e 200 milhões d e h a b i t a n t e s , d o s q u a i s 94 milhões são
b r a n c o s , o u seja, q u a s e a m e t a d e e a o u t r a g r a n d e p a r c e l a , 79 Miguel J o a q u i n D i e g o d e i C a r m e n Serrano Fernandez n a s c e u e m
milhões* são c o n s i d e r a d o s p a r d o s , t e n d o eles também ascendên- Santiago, Chile, e d u c a d o e m u m colégio interno d e 1929 a 1934. Sua
c i a s e u r o p e i a s , e m m e n o r q u a n t i d a d e , u m a vez q u e se m e s c l a r a m v i d a política se iniciou nas bases d o marxismo, e s c r e v e n d o d e s d e c e d o
c o m indígenas e e s c r a v o s a f r i c a n o s . Poucos países c o n s i d e r a d o s p a r a jornais esquerdistas. Durante os anos 30, c o m a vitória d e Hitler
subdesenvolvidos p o s s u e m o p o t e n c i a l q u e t e m o nosso, t a n t o n a A l e m a n h a , Serrano viu n o g r a n d e líder a salvação d o m u n d o m a -
e m a s p e c t o s demográficos c o m o económicos. Isso d e s p e r t o u u m terialista d e c a d e n t e , j u l g a n d o o c o m u n i s m o d e Stalin pró-sionismo e
g r a n d e interesse d o s ativistas d o p r i m e i r o m u n d o . Retiramos os tó- controverso às ideias d o " v e r d a d e i r o " socialismo. Seguia as ideias d o
p i c o s d a q u e l a reunião d a c o b e r t u r a d o s jornais sobre c a m p o , q u e filósofo Friedrich Nietzsche, e a ideia d o H o m e m Superior. Desde então,
incluía: " H o m e O f f i c e Ban Entry of Nazi D e l e g a t e s " , The Times, 2 d e afiliou-se a o Partido N a c i o n a l Socialista Chileno d e Jorge Gonzalez Von
a g o s t o d e 1962, " S e c r e t Nazi C a m p " , "The Daily T e l e g r a p h " e t c . Marees. Escreveu sua primeira o b r a d u r a n t e a invasão d a União Sovié-
tica pelas tropas d o Eixo, c h a m a d a "La N u e v a E d a d " , a princípio indi-
Rockwell foi u m dos precursores d o N a c i o n a l Socialismo pós-guerra. ferente a o anti-semitismo, d o q u a l fora r e e d i t a d o a favor d o fascismo
Criou o Partido Nazista A m e r i c a n o q u e c h e g o u a ter mais d e 60.000 após Serrano ter t i d o influência pelos Protocolos dos Sábios d e Sião.
m e m b r o s e m a n t e v e b o a s relações c o m a Ku Klux Klan n o sul dos Esta-
dos Unidos. A partir desse episódio específico às condições d a Améri- A d o l f Hitler e r a p a r a e l e c o n s i d e r a d o o p r o f e t a d a h o n r a , u m
c a d o Norte, d a época e m questão, o neonazismo começou a se alas- h o m e m q u e reviveu o n a c i o n a l i s m o i n d o - e u r o p e u , servente d a
trar p e l o m u n d o , porém c o m características peculiares dos países e m raça a r i a n a . S e g u i d o r e s d e l e , e m diversas p a r t e s d a América d o
54
Sul, u n i r a m - s e a u m a esotérica o r d e m s e c r e t a f u n d a d a p o r F.K. ( u m filosofia p e l a universidade d e Lyon e a b a n d o n o u a O r d e m dos Jesuítas,
g i m i g r a n t e alemão q u e residia n o Chile), q u e t i n h a c o m o o b j e t i v o d a q u a l p e r t e n c e u sua família p o r gerações. Junto d e M i g u e l Serrano
c p r e s e r v a r os indivíduos d e " s a n g u e p u r o " . M i g u e l Serrano afiliou-se f u n d o u o c h a m a d o Hitlerismo Esotérico. Foi pioneira n o ocultismo, d e -
2
a essa o r d e m e i n i c i o u o c h a m a d o Shudibudishvabhaba. ideologia f e n d e n d o a i d e i a d e q u e o h o m e m d e v e r i a estar à frente d e seu t e m -
o b a s e a d a n a força d e v o n t a d e e n a encarnação n a terra d o Kali p o , se d e d i c a n d o à e c o l o g i a e à memória dos antepassados.
a*
& Y u g a (espécie d e messias h i n d u ) , d o q u a l a s s o c i o u a Hitler esse t i t u - Nos anos e m q u e o nazismo esteve n o p o d e r , arqueólogos e c i e n -
la lo, d i z e n d o q u e o fuhrer h a v i a t i d o c o n t a t o astral c o m o m e s m o . tistas alemães possuíam u m a organização c o n h e c i d a c o m o A n e n e r -
Serrano n o âmbito político foi m u i t o b e m s u c e d i d o . A c o m p a - b e , q u e realizou diversas expedições pelas m o n t a n h a s d o H i m a l a i a
n h o u c o m o jornalista o exército c h i l e n o n a expedição à Antártica, e m b u s c a d a s origens dos Brahmanes b r a n c o s , indianos d e u m a cas-
e m 1947. C h e g o u a o c a r g o d e d i p l o m a t a e m 1953. Dessa d a t a até ta superior q u e t e r i a m o m e s m o código genético dos e u r o p e u s . Tam-
a década d e 70, r e p r e s e n t o u o C h i l e e m países c o m o : índia, l u - bém n a floresta Amazõnica, e m b u s c a d e u m a mitológica c i d a d e
goslávia, Roménia, Bulgária e Áustria. Possuiu u m a a m i z a d e íntima p e r d i d a construída pelos Vikings n o coração d a selva. Baseando-se
c o m figuras históricas c o m o : N e h r u , Indira G a n d h i e D a l a i L a m a . e m tal organização, e l a c r i o u os d o g m a s d e u m a n o v a religião. Seus
Q u a n d o o presidente esquerdista Salvador A l l e n d e foi eleito. Serrano trabalhos t i v e r a m m a i o r influência e m p a r t i d o s nazistas destinados
foi d e p o r t a d o p a r a Suíça. N o velho c o n t i n e n t e , visitou antigos a m i g o s , à conservação d a natureza, l i g a n d o os princípios d o espiritualismo
entre eles o g e n e r a l b e l g a d a s W a f f e n SS: Leon DeGrelle, O t t o Skorzeny, h i n d u à política n a c i o n a l i s t a n o m u n d o o c i d e n t a l . D e a c o r d o c o m
Julius Evola, Francisco Franco, Wilhelm Landig e Erza Pound. Retornou Devi, a p e n a s nos indivíduos livres d o materialismo económico e d o
a o Chile após o g o l p e d e Augusto Pinochet, e m 1973, a p o i a n d o o g o - c o m u n i s m o se e n c o n t r a v a o p o d e r VRIL, c o m a n d a d o p e l a luz d o Sol
v e r n o militar d o generalíssimo (mesmo i n d o c o n t r a o seu regime). N e g r o . Tal p o d e r corria nas veias d e q u e m possuía s a n g u e a r i a n o e
desenvolvia a visão d o Terceiro O l h o , t o r n a n d o - s e u m Ser Superior.
Em m a i o d e 1984, S e r r a n o fez a saudação nazista n o f u n e r a l e m
S a n t i a g o d o c o r o n e l d a SS q u e h a v i a se r e f u g i a d o n o país, Walter Miguel Serrano a partir d e conclusões c o m o estas, escreveu: "(...) se-
Rauff. P r o m o v e u u m a p a s s e a t a e m m a i o d e 1984 e m h o n r a d e Ru- guindo as leis de Demiurge. um semi-deus inferior que atuou na psique
d o l f Hess e a t o d o s n a c i o n a i s socialistas c o m b a t i d o s O n o m e d e do Planeta Terra, criou-se a besta imitação da humanidade na forma do
M i g u e l S e r r a n o se t o r n o u c o n h e c i d o e m t o d o universo n e o n a z i s t a , proto-humano Neanderíhal, do qual atrasaria a evolução do homem...".
M a t t Koehl o c h a m o u d e " c e l e b r i d a d e " d a N o v a O r d e m . S o m e n t e os i n d o - e u r o p e u s e s t a r i a m a salvo d e tal danação e d e -
F a l e c e u e m 28 d e f e v e r e i r o d e 2009, a o s 91 a n o s , e m c o n s e q u - v e r i a m preservar seu s a n g u e a q u a l q u e r custo. N a evolução h u m a n a ,
ência d e u m d e r r a m e c e r e b r a l . c o n d e n a v a os n e a n d e r t h a i s e C R O - m a g n o n s e m certos a s p e c t o s .

C o n s t a n t e m e n t e as citações d e Devi o u Serrano f a z i a m referên-


c i a às crenças i n d i a n a s , a o s deuses Sheeva o u Kali e a o s Vikings d a
A princesa do Arianismo Hindu
terra Thule (Islândia). A c r e d i t a v a m n a reencarnação d a a l m a e nas
No âmbito d a liderança feminista d a i d e o l o g i a nazista pós-guer- vidas passadas, n a b r a v u r a d o g u e r r e i r o q u e r e n a s c e r i a e m d i f e r e n -
ra n e n h u m a mulher c h e g o u a ter t a n t a influência c o m o Savitri Devi tes épocas, porém s e m p r e d e s t i n a d o a c u m p r i r a m e s m a missão: a
Mukherji. Francesa d e ascendências g r e g a s e italianas d a região d a proteção d e sua raça e o louvor a o s deuses. A r a i n h a d o misticismo -
L o m b a r d i a , d u r a n t e a Primeira Guerra M u n d i a l , d e f e n d e u a Grécia n a c o m o e r a c h a m a d a - saiu n a mídia vestida d e dançarina i n d i a n a d i -
invasão d o país p e l a Tríplice Entente. Após o conflito g r a d u o u - s e e m versas vezes, u s a n d o a d o r n o s d e o u r o e d i a m a n t e s . Suásticas e o Ing
l a n g e r a m c o n s t a n t e m e n t e utilizadas c o m o a m u l e t o s nos t e m p l o s A i n d a n a década d e 60, n a terra d a rainha Elizabeth, d e r i v a d a d a c u l -
d e reunião Nazi-Esotérica. F a l e c e u e m 1982. A religião f u n d a d a p o r tura M o d , u m a subcultura surgiu entre a classe operária necessitada d e
e l a a i n d a possui a l g u n s seguidores, d o s q u a i s não se r e v e l a m p e r a n - u m a expressão p a r a c o m b a t e r a exclusão. Os filhos d e t r a b a l h a d o r e s
te a s o c i e d a d e . Realizam seus rituais n a c l a n d e s t i n i d a d e e q u a n d o ingleses, imigrantes africanos e c a r i b e n h o s , passaram a se reunir c o m
surge a l g u m a o p o r t u n i d a d e , p r o c u r a m r e c r u t a r mais indivíduos d o s u m visual b e m típico e alternativo. Eram caracterizados p e l o c o r t e d e
quais j u l g a m ser " m e r e c e d o r e s d e t a m a n h a h o n r a " . c a b e l o m u i t o c u r t o o u r a s p a d o , u m estilo particular d e se vestir, q u e in-
cluía botas e suspensórios. C u l t u a v a m a virilidade, a c e r v e j a , o f u t e b o l .
O u v i a m música r e g g a e j a m a i c a n a e jamais d e i x a v a m passar u m a bri-
Os Cabeças Raspadas g a . Levar desaforo pra c a s a era sinónimo d e c o v a r d i a . A violência era
c o n s i d e r a d a a mais alta manifestação viril. Apesar d e p a r c i a l m e n t e p o -
Durante a década d e 60, n a Inglaterra, h a v i a u m a cultura q u e
litizados e c o m grandes a r g u m e n t o s e p o d e r d e contestar, estes primei-
foi c o n h e c i d a c o m o " M o d " ( a b r e v e a t u r a d e Modernist). Nela, jovens
ros skins n u n c a possuíram a l g u m t i p o d e i d e o l o g i a . Consideravam-se
se r e u n i a m p o r t a n d o ternos italianos, sapatos lustrados, chapéus o u
apolíticos e m a n t i v e r a m b o a s relações c o m u m g r u p o c h a m a d o Rude
c a r t o l a s , e d i s p u t a v a m corridas d e l a m b r e t a s pelas ruas d e Londres.
Boys, d e o r i g e m j a m a i c a n a , muito similar a o m o v i m e n t o britânico.
Essa cultura era u m a manifestação d a classe média burguesa frente
à r e b e l d i a h i p p i e e esquerdista q u e iria o c o r r e r c o m mais i n t e n s i d a d e O j a m a i c a n o Laurel Aitken, q u e c o m p u n h a músicas d o estilo ska
n a América, d u r a n t e a G u e r r a d o Vietnã, o u m e s m o , u m a oposição e r e g g a e - r o c k , p o p u l a r i z o u o t e r m o s k i n h e a d . Graças a o sucesso d e
q u e fazia concorrência c o m os " R e b e l d e s sem c a u s a " e m suas Har- suas canções, i m p o r t a v a p a r a a Europa as m o d a s e estilos nascidos
ley D a v i d s o n , já existentes d e s d e o final d a década d e 40, c o n h e c i - n a J a m a i c a . C o m isso, q u a s e t o d a j u v e n t u d e d o Reino U n i d o a d e r i u
dos c o m o "Rockers". Fez-se a s c e n d e r a tal r e b e l d i a d a j u v e n t u d e , d o às fileiras desse n o v o g r u p o , i n c l u i n d o a classe média q u e p e r d i a
rock'n'roll, d a v i o l e n t a t o r c i d a d o T o t t e h a m e d o s o t a q u e C o c k n e y . seus integrantes M o d s p a r a os Cabeças Raspadas. Anos mais t a r d e ,
esses primeiros skins f o r a m c h a m a d o s d e t r a d i c i o n a i s o u s i m p l e s m e n -
C o m o t e m p o , o M o d se dividiu entre d u a s vertentes: os mais in-
te "Trads", j u n t o d e t o d o s a q u e l e s q u e se i n f l u e n c i a r a m p e l a c u l t u r a
telectualizados e refinados, e os proletários. O primeiro g r u p o ficou
d o s Rude Boys d a s índias O c i d e n t a i s , pois n o v e l h o c o n t i n e n t e d e z e -
c o n h e c i d o c o m o " M o d s d e Escola d e A r t e " . Foi importantíssimo p a r a
nas d e novos g r u p o s começaram a surgir. A crise d o pós-guerra a i n -
a música universal, i n f l u e n c i a n d o a o r i g e m d e b a n d a s c o m o The W h o
d a não h a v i a se resolvido p o r c o m p l e t o n a Inglaterra e o i m p a c t o
e Pink Floyd. A classe operária passou a enfatizar sua condição t r a b a -
q u e isso c a u s o u sobre a j u v e n t u d e operária resultou n o ressurgimen-
l h a d o r a e recutrar os p o b r e s e brigões, d a n d o o r i g e m aos skinheads.
to d e i d e o l o g i a s r a d i c a i s não vistas c o m t a m a n h a influência d e s d e
A p r i m e i r a vez q u e e u o u v i a p a l a v r a " s k i n h e a d " , l o g o a r e l a c i o - a década d e 1920. A b a n d a Sex Pistols, p o r e x e m p l o , a g r e g o u u m
n e i c o m fascismo, d e v i d o à rotulação d a i m p r e n s a . Os indivíduos m a r d e a d e p t o s a u m m o v i m e n t o mais agressivo, d a n d o o r i g e m a o
q u e se a u t o d e n o m i n a m desse g r u p o l o g o são t a x a d o s d e racistas m o v i m e n t o Punk, q u e f i c o u c o n h e c i d o m u n d i a l m e n t e p e l a c o n t e s -
e nazistas. O q u e não é v e r d a d e . Se as pessoas q u e o u s a m escrever tação d o sistema, p e l a música simples e d i r e t a e o visual p e c u l i a r d a
s o b r e o assunto r e a l m e n t e p e s q u i s a s s e m a f u n d o as o r i g e n s desse m o l e c a d a . J o e R a m o n e , o c o n h e c i d o líder dos R a m o n e s utilizava
m o v i m e n t o , iriam c o m p r e e n d e r o o c e a n o d e g r u p o s e i d e o l o g i a s c o n s t a n t e m e n t e suásticas e a f o i c e e o m a r t e l o c o m o u m a f o r m a d e
q u e l e v a m tal denominação c o m o p a r t e d e sua " i n f a n t a r i a " . contestação a o sistema, mas s e m n e n h u m m o t i v o ideológico.

Os primeiros skinheads, a o contrário d o q u e t o d o m u n d o pensa,


Várias q u e b r a s e difamações sobre o p u n k rock, q u e surgiu p o r
não surgiram na A l e m a n h a e e s t a v a m l o n g e d e ser racistas politizados.
volta d e 1971, d e v i d o brigas p o r questões políticas d e seus m e m b r o s .
58
e s p a l h a d o s e n t r e as clássicas b a n d a s Ramones. N e w York Dolls. The punks. C o m a a g r e s s i v i d a d e d o estilo p u n k - r o c k e a ética "faça você
g Clash e Sex Pistols. o c o r r e r a m até o a n o revolucionário d o m o v i m e n - m e s m o " , muitos cabeças r a s p a d a s se a g r e g a r a m a u m a versão a n -
c to, 1977, q u a n d o Sid Vicious se t o r n o u u m ícone após o lançamento l i c o m e r c i a l d o p u n k , c h a m a d a street-punk ( o r i g i n a l m e n t e apolítica)
2 d a n d o o r i g e m a o estilo OI! Unindo então os a s p e c t o s musicais e c u l -
_o d a música " A n a r c h y in t h e UK" ( A n a r q u i a n o Reino Unido), d a n d o a o turais d o skunk (skinheads e punks). A saudação Oi! tornou-se p o p u l a r
o m o v i m e n t o u m a característica a n a r q u i s t a p o l i t i z a d a . através d e u m a música d a b a n d a C o c k n e y Rejects e virou o estilo
_g Até hoje se e n c o n t r a m punks d e todos os cantos d o globo, sob a d e - característico d o s dois grupos. G a r r y Johnson, u m p o e t a e ativista O i !
0 nominação Punk77, e m referencia a essa época. Entre os skinheads politi- d a q u e l e s t e m p o s escreveu c e r t a vez p a r a u m j o r n a l l o c a l d a I n g l a -
zados, o a n o crucial foi 1978. Então às vezes a o invés d e se dizer - " f u l a n o " l< rra: - Oi! É RocknRoll. cerveja, sexo, frequantar gigs. tirar um sarro,
é anarco-punk, simplesmente se diz - "Ele é 77", e aqueles inseridos dentro puxar briga. É a nossa vida. nosso show. nosso mundo, nossa filosofia!

desse universo já c o m p r e e n d e m a q u e ideologia o indivíduo se e n q u a d r a .


Passadas quase duas décadas d o surgimento dos skinheads, as pri-
N a década d e 1970, p o r consequência d e n o v a s manifestações,
meiras manifestações neonazistas surgiram. Os skins g a n h a r a m notorie-
h o u v e u m a s e g u n d a geração d e s k i n h e a d s d e c o r r e n t e d a c u l t u r a d a d e nos jornais depois d e ocorrerem alguns casos d e agressões contra
p u n k . A q u e l e s j o v e n s d a p r i m e i r a geração f o r a m c o n s i d e r a d o s se- imigrantes asiáticos. Alguns grupos se fundiram c r i a n d o a APL (Anti-Paki Le-
g u i d o r e s d o c h a m a d o "Espírito d e 69" ( n o m e q u e ficou c o n h e c i d o a g u e - Liga Anti-Paquistaneses) q u e c o m b a t e u fortemente os imigrantes
d e p o i s d e ser lançado p e l a g a n g u e e s c o c e s a Spy Kids), a n o c r u - hindus e mulçumanos ilegais, se utilizando d e atentados terroristas e o f e n -
c i a l d a m e t a m o r f o s e d o s cabeças r a s p a d a s . Também é i m p o r t a n - sas d e t o d o tipo. A i n d a q u e as primeiras manifestações xenófobas estives-
t e ressaltar q u e muitos se t o r n a r a m a d e p t o s a o Ska Two T o n e (dois sem surgindo, os skinheads a i n d a m a n t i n h a m u m a c o n d u t a antinazista e
tons, e m referência às c o r e s p r e t a e b r a n c a , s i m b o l i z a n d o a união r e p u d i a v a m o racismo contra as raças não brancas ocidentais.
d a s raças) m a i s a d i a n t e já próximo à década d e 1980.
Tilbury é u m a c i d a d e p e q u e n a d a Grã-Bretanha. Seus maiores
O u t r o g r u p o q u e se d e s t a c o u d u r a n t e essa época foi os c h a m a d o s
"atrativos" são u m p o r t o e alguns pubs. De a c o r d o c o m o registro fei-
Hooligans, t o r c e d o r e s fanáticos d e c l u b e s d e f u t e b o l , q u e p r o m o v i a m
to p o r G e o r g e Marshall, p a r a os marinheiros q u e d e s e m b a r c a v a m n a
brigas entre torcidas n a saída d a s p a r t i d a s . Tal ação se intensificou e
c i d a d e l a e r a o f e r e c i d a a o p o r t u n i d a d e d e ir aos pubs. g a s t a r e m seu
muitas d a s brigas começaram a o c o r r e r d e n t r o d o s estádios. O h o o -
dinheiro c o m u m p o u c o d e vinho, mulheres e música. O Sun, u m p u b
liganismo evoluiu p a r a u m estilo m u i t o p o p u l a r nos dias d e hoje, c o -
v o t a d o o pior d e t o d a ilha. p o r sua f a m a c o m prostituição e violência,
n h e c i d o c o m o " C a s u a l " . D e s t a c a - s e pelos integrantes c a r e c a s q u e
era muito f r e q u e n t a d o pelos marinheiros, até q u e os Trojan Tilbury Skin
diversificaram o vestuário t r o c a n d o os suspensórios pelas roupas d e
(uma g a n g u e t r a d i c i o n a l d e s d e 1969) o t o r n a r a m seu s e g u n d o lar entre
esporte e o uso d e ténis. Tal adaptação o c o r r e u d e v i d o à proibição
1977 e 1984. Fizeram d o p u b o seu território, e muitos marinheiros q u e lá
d a e n t r a d a d e pessoas c o m b o t a s d e n t r o dos estádios d e f u t e b o l . No
i a m , a c h a v a m mais d o q u e p r o c u r a v a m , e r e t o r n a v a m aos seus navios
Brasil, o q u e c a r a c t e r i z a u m a espécie d e h o o l i g a n s é a Torcida O r g a -
e s p a n c a d o s e r o u b a d o s . M i c k White, e r a u m dos skinheads mais a n t i -
n i z a d a e a e s c o l a d e s a m b a , d e i x a n d o d e l a d o o visual skin.
gos d e Tilbury, e foi a c o m p a n h a d o pelos seus dois irmãos mais novos.

"Volte em 1977. Tilbury era uma área bruta e foi lá que os ski-
L o n g a vida à União
nheads arrancaram em grande estilo. Eu diria que nós éramos 60
fortes. Pergunte a qualquer skinhead em qualquer lugar ao sul do
Não h o u v e e m t o d a história d a s tribos u r b a n a s , a o l o n g o dos t e m -
Watford Gap onde havia a gangue mais temida, e Tilbury seria
pos, u m a união tão m a r c a n t e c o m o a o c o r r i d a e n t r e skinheads e
mencionado em mais de uma ou duas bocas."
61
C o n h e c i d o s p o r t a m a n h o violência p r a t i c a d a p e l a g a n g u e , confuso, ora estavam c o m a esquerda, ora c o m a direita. O Sistema c o n -

b a t i a m e m m a r i n h e i r o s , estrangeiros, punks, c h e i r a d o r e s d e c o l a , tinuou sendo o maior inimigo e a t a c a d o nas letras musicais. O g r u p o The g-

e s t u d a n t e s , g a y s , multidões d e o u t r a s c i d a d e s - a lista é tão l o n - 4 Skins. f o r m a d o por três skinheads e u m Rockabilly (estilo anos 50. j a q u e t a 3•

g a q u a n t o a acusação c o l e t i v a q u e a c u m u l o u a o l o n g o d o s a n o s . d e c o u r o e topete a brilhantina) g a n h o u n o t o r i e d a d e c o m as faixas " u m a <:


lei p a r a eles e outra p a r a nós" e m defesa dos skins, p a r a eles considerados ^2
Era u m a g a n g u e q u e não g o s t a v a d e p a q u i s t a n e s e s , porém se d i -
diferentes d o cidadão c o m u m , e a clássica "AH Cops are Bastarás" ("todos
z i a m a n t i r a c i s t a s . N u m a entrevista d o livro Skinhead Nation. Mick,
policiais são desgraçados"), canção q u e d e u o r i g e m às siglas A.C.A.B,
m e m b r o d e u m a g a n g u e d a época, disse: "Não há como sermos
txDje a d o t a d a s pelas mais diversas g a n g u e s d o p l a n e t a .
nazistas. Meu pai enfrentou nazistas na guerra. Todos nossos pais
ajudaram. A Anti-Paki League é especifica. Só porque eu odeio aos
paquistaneses não faz de mim um nazista!".
As Diferentes Vertentes do Movimento Skinhead
E m b o r a se leve e m consideração q u e a i n d a não existia u m m o -
v i m e n t o neonazista d e c l a r a d o , a tradição skinhead começava a se O t e r m o começou a ser u s a d o p a r a todos integrantes d e grupos q u e

p e r d e r p a r a a n o v a geração q u e d e m o n s t r a v a sinais d e u m u l t r a n a c i o - seguiam a l g u m t i p o d e ideologia. A p r o x i m a n d o - s e à década d e 1980,

nalismo sem f u n d a m e n t o s e sem organização. Expressões c o m o "Don't havia u m p a r t i d o ultranacionalista q u e tinha c o m o principal objetivo

cry forme Argentina" (não chores p o r m i m Argentina) e m t o m d e ironia, a t a c a r a imigração n o Reino Unido, q u e a c a d a a n o se fortificava. A pres-

fez c o m q u e a nação q u e o país estava c o m b a t e n d o n a G u e r r a das são d a mídia a c e r c a d a infiltração d o p r e c o n c e i t o racial n o m o v i m e n t o

Malvinas, tornasse e s t a m p a s d e camisetas e pichações pelos muros d e skinhead fez c o m q u e essa geração ficasse c o n h e c i d a p e l a x e n o f o b i a

Londres. U m a d a s b a n d a s mais famosas d o universo skinhead, c h a m a - e a aliança c o m o National Front e o British M o v e m e n t (Frente N a c i o -

d a The Last Resort. lançou u m a música patriótica intitulada "Red. White nal e M o v i m e n t o Britânico), e n t i d a d e s q u e c o l a b o r a r a m p a r a o ressur-

and Blue" (Vermelho, Branco e Azul, e m referência às cores d a b a n - g i m e n t o d o nazismo n a s o c i e d a d e e u r o p e i a c o m o u m t o d o . A classe

deira d o Reino Unido). Tal canção fez c o m q u e os cabeças raspadas operária começou a se sentir injustiçada d i a n t e d o sistema económico

substituíssem as camisas pólo o u xadrex pelas e s t a m p a s d a b a n d e i r a e dos grandes empresários q u e f a v o r e c i a m a imigração d e v i d o a o fato

n a c i o n a l . Todos os grupos pacifistas tornaram-se inimigos dessa g e r a - d e terem mão d e o b r a b a r a t a . Isso foi o motivo q u e levou esses primeiros

ção skinhead q u e a p r e s e n t a v a os primeiros sinais partidários políticos. neonazistas a c r e d i t a r e m nas extintas ideias d o fascismo, das quais julga-

Daí surge o sectarismo. Se antes a violência era p r a t i c a d a sem motivos, v a m serem as únicas incorruptíveis, libertadoras d o d e s e m p r e g o e d a

a g o r a ela alastrava-se feito u m a p r a g a c h e g a n d o h a v e r s a n g u e p o r pobreza d o m u n d o o c i d e n t a l n a j o v e m globalização e m e r g e n t e .

divergências d e pensar. Há u m a música muito c o n h e c i d a , d a m e s m a


A i d e o l o g i a política infiltrada nos grupos d e r u a resultou n a f r a g m e n -
b a n d a c i t a d a , c h a m a d a "V/o/ence in ourMinds" (violência e m nossas
tação e m vários submovimentos rivais. Desde então, c o n s t a n t e m e n t e
mentes), d o q u a l d e f e n d e a agressão física aos " h i p p i e s sujos" e t o d a
estes grupos não r e c o n h e c e m uns aos outros c o m o verdadeiros repre-
a decadência d a s o c i e d a d e q u e estes indivíduos p r e t e n d i a m formar.
sentantes d a cultura skinhead, e é c o m u m o c o n f r o n t o físico entre eles.
Curioso é q u e d u r a n t e essa época o clássico d e Stanley Kubrick, Laran-
Os principais motivos são as divergências entre a e s q u e r d a e a direita,
ja Mecânica, era e x i b i d o nas salas d e c i n e m a d e t o d o o m u n d o .
racistas e não-racistas, politizados e apolíticos. O g r u p o mais a t a c a d o
pelas g a n g u e s d e rua foi o c h a m a d o White Power - WP (Poder Branco),
Os skinheads Oi! voltaram seus discursos e versos musicais p a r a o c h a -
d e v i d o a sua d e f e s a d e u m a s u p r e m a c i a racial b r a n c a e d o antisemi-
m a d o Orgulho Operário. U n i d a d e Britânica e Deus Salve a Rainha, for-
lismo o u antisionismo (este último é mais utilizado entre os neonazistas).
t a l e c e n d o os grupos c o n h e c i d o s c o m o Boof Boys (formado por punks e
skinheads Oi!). O nacionalismo forte desses cabeças raspadas e r a muito Os novos seguidores d e Hitler l o g o se t o r n a r a m inimigos d o M o v i -
m e n t o Punk p r i n c i p a l m e n t e , s e n d o c h a m a d o s o f e n s i v a m e n t e d e "Bo- o maioria dos jovens e do povo. Fazemos manifestações, panfleta-
neheads" (Cabeças Ocas). Pode-se considerar q u e c o m o c o n s e q u - </«'MS. boicotes, passeata; mostramos sua cultura e seu repúdio a to-
ência d o m o v i m e n t o neonazista, e m Paris, u m g r u p o d e antifascistas das as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, machis-
fora r e c r u t a d o p a r a fazer a segurança dos comícios e shows musicais mo - vendo como solução a autogestão (anarquia) para a libertação
d o Partido Socialista. O visual e r a b e m p a r e c i d o c o m os d e m a i s c a - povos, raças, homens e mulheres (...) O punk também mostra sua
beças raspadas, t e n d o eles então n u n c a p e r d i d o o t e r m o "skin". Esses cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo). pela
rapazes se t o r n a r a m a infantaria d e u m a v e r t e n t e d o m o v i m e n t o q u e música HARDCORE. som simples e direto. não comercializável. trazen-
se seguia d e n t r o d o i d e a l c o m u n i s t a : os redskins (skinheads v e r m e - do propostas políticas, seu comportamento livre é objetivo.".
lhos) q u e mais t a r d e uniram-se c o m anarquistas d a n d o fusão a o i d e a l
O s o m p u n k caracterizou-se pelos três a c o r d e s e a b a t e r i a d e b u m -
esquerdista e m u m a frente c h a m a d a Red a n d Anarchist Skinheads
b o surdo. Depois d e alguns anos, c o m a c e n a Oi! nos EUA, os skinheads
- RASH (skinheads vermelhos e anarquistas). Os g r u p o s mais violentos
a m e r i c a n o s c r i a r a m u m a ligação entre a cultura deles c o m a h a r d c o -
e r a m : Lênin Killers, Red A c t i o n e os Red Warriors, d o s quais a d o t a v a m
ro. Pode-se notar tal estilo nas b a n d a s estadunidenses mais famosas,
c o m o símbolo u m a f o i c e e u m t a c o d e b a s e b a l l cruzados. Essa c o l i -
c o m o Warzone, Agnostic Front e C r o - M a g s . Esse estilo se e s p a l h o u p e -
gação c o m u n i s t a passou a ser c o n h e c i d a d e ANTIFA t e m p o s d e p o i s ,
los q u a t r o c a n t o s d o p l a n e t a f a z e n d o c o m q u e c a d a g r u p o skin tivesse
o n o m e v e m d a Anti Fascist A c t i o n (Ação Anti-Fascista) e d a G o o d Ni-
u m a espécie d e som característico à sua região o u cultura n a c i o n a l .
g h t White Pride (Boa Noite Poder Branco), c o m o resposta os n a c i o n a -
listas c r i a r a m a G o o d Night Left Side (Boa Noite L a d o Esquerdo) q u e A p e s a r d e muitos White Power e s c u t a r e m o som O i ! e m seus pri-
a d o t a u m símbolo similar a o d a organização original. meiros a n o s d e existência, eles f o r a m os c r i a d o r e s d e u m género
a p a r t e , c o n h e c i d o c o m o Rock A g a i n s t C o m m u n i s m - RAC (Rock
Tais grupos f o r a m exportados p a r a o restante d a Europa o c i d e n t a l
C o n t r a o C o m u n i s m o ) , e m resposta a u m show q u e o c o r r e u e n t r e as
e começaram a fortalecer sua representação nos EUA. Na América d o
b a n d a s antinazistas, c o n h e c i d o c o m o Rock A g a i n s t Racism (RAR). O
Sul, o Chile e a Colômbia são os países d e maior influência. No Brasil, ofi-
RAC e n g l o b a diversos estilos, a t e m e s m o o Black M e t a l , D e a t h M e t a l
c i a l m e n t e o b a n d o RASH United a t u a e m maior número nas capitais São
o H e a v y M e t a l . O q u e t o r n a u m a canção p e r t e n c e n t e a esse m o v i -
Paulo é Fortaleza, respectivamente. Seus m e m b r o s d e v e m ser a p r o v a -
m e n t o são suas letras, q u e g e r a l m e n t e v a r i a m e n t r e a n t i c o m u n i s m o ,
dos e m u m teste ideólogo o n d e o c a n d i d a t o d e v e o b t e r resultados c o n -
a n t i c a p i t a l i s m o , o r g u l h o b r a n c o , n o r d i c i s m o e segregação r a c i a l . O
sideráveis a v a l i a n d o os princípios marxistas, a ausência d e materialismo,
próprio n o m e R A C g a n h o u f o r t e p e s o através d e u m a música d a
c o m b a t e a o fascismo e h o m o f o b i a . C o m a q u e d a d a URSS, esses movi-
b a n d a Bruttal A t t a c k , d e m e s m o n o m e . Já a b a n d a precursora d o
mentos g a n h a r a m u m g r a n d e número d e a d e p t o s n o leste e u r o p e u .
m o v i m e n t o e l e n d a e n t r e os integrantes WP, é sem s o m b r a d e dúvida
a f a m o s a Skrewdriver, c u j o c a n t a n t e t o r n o u - s e u m m i t o , u m herói dos
neonazistas m u n d i a i s , o artista e político Ian Stuart D o n a l d s o n .
O Ruído Musical

A b a n d o n a n d o o ska, o t w o t o n e e o soul, o estilo p u n k rock e O i !


fez c o m q u e a manifestação musical d o s skinheads fosse o típico m o - Ian Stuart

v i m e n t o d e r u a . As letras d a s canções e m sua m a i o r i a r e t r a t a v a m a Delivered by the Gods. and taken by the hand of Fafe
v i d a d o operário e u m a forte crítica a o g o v e r n o e à corrupção. Em (Entregue pelos deuses e levado pela mão do Destino)
entrevista c o m C.G., u m d o s precursores d o m o v i m e n t o punk n o Brasil,
ele a f i r m a : "(...) Esse movimento não fica calado, acomodado, como Q u a n d o Ian Stuart começou c o m o g r u p o Skrewdriver, eles a i n d a
e r a m u m a b a n d a punk não politizada. Tornou-se neaonazista após a Lntretanto, e m 1987, o M o v i m e n t o Britânico (BF) s o b a liderança d e

primeira q u e b r a d o g r u p o e a saída d e integrantes e u m a n o v a f o r m a - Nick C r a n e , r o m p e u relações c o m o NF, d e p o i s d e d e s e n t e n d i m e n -

ção. Seu s o m é s e m e l h a n t e a o d o O i ! e p e r m i t e a criação d e estilos tos sobre política. Após esse episódio, Stuart e C r a n e f u n d a r a m a

q u e sofrem mutações p e r m a n e n t e s . Embora não fossem o r i g i n a l m e n t e r e d e B l o o d a n d Honour (Sangue e Honra) organização d e s t i n a d a

ligados a q u a l q u e r g r u p o neonazista, o National Front (NF) começou a a reunião d e skinheads fascistas seguidores d o w h i t e p o w e r . Até as

recrutar skinheads c o m o tropas d e lutadores d e rua. Ian Stuart era u m fronteiras d o Reino Unido, essa organização a g i a c o m o c o m p a n h i a
musical d a Skrewdriver p a r a a distribuição d o s novos álbuns d a b a n -
deles e g a n h o u o respeito d a extrema-direita p e l o seu carisma e a t i t u -
d a , e u m a revista d e m e s m o n o m e e r a e d i t a d a e distribuída p e l a Eu-
d e ativista muito a t u a n t e n o cenário político d a Grã-Bretanha. Nascido
r o p a e m inglês, alemão, holandês, francês, e s p a n h o l e português.
e m 1958, d e u m a família d e baixa r e n d a d e Blackpool, foi integrante
d e u m a b a n d a c h a m a d a The Tumbling Dice. e m 1975, e r e b a t i z a d a Ian Stuart c h e g o u a ser p r o c e s s a d o e q u a s e c o n d e n a d o , a c u s a d o
c o m o Skrewdriver e m 1977. Stuart afiliou-se a o NF e m 1979 e a j u d o u n a d e a g r e d i r u m a imigrante a f r i c a n a n o início d a década d e 90. N a A l e -
c a m p a n h a política q u e teve sua d e r r o t a nas eleições d o m e s m o a n o . m a n h a , realizava shows nas d a t a s c o m e m o r a t i v a s d o Terceiro Reich. A
A Skrewdriver atraiu g r a n d e s públicos e transformou o RAC e m u m a Europa c o m o u m t o d o a d q u i r i u u m a r e a l i d a d e violenta n o período d e
organização juvenil m u n d i a l . Os c h a m a d o s "Soldados Políticos" d a NF 1991 e 1994 c o m g r u p o s d e skinheads v a g a n d o pelas c i d a d e s p r o c u -
c r i a r a m a White Noise Records (Ruído Branco), u m a g r a v a d o r a q u e r a n d o imigrantes p a r a espancá-los, i n c e n d i a n d o albergues e p i c h a n -
passou a comercializar as músicas d a s b a n d a s neonazistas. A partir dis- d o suásticas e m túmulos d e cemitérios judaicos. Stuart f a l e c e u e m 14
so, o NF teve u m a subdivisão c h a m a d a White Noise C l u b q u e realizava d e s e t e m b r o d e 1993 após sofrer u m a c i d e n t e d e c a r r o não esclareci-
shows e p r o m o v i a sua i d e o l o g i a política nos arredores d e Londres e nos d o até os dias atuais. Há q u e m d i g a q u e foi vítima d e s a b o t a g e m , pois
pubs d a c i d a d e . A música c o m o instrumento d e p r o p a g a n d a sempre a perícia a f i r m o u q u e h a v i a a l g o d e e r r a d o nos freios d e seu veículo.
teve êxito e u m g r a n d e p o d e r d e articulação míticos e sentimentais. O
A b a n d a d e rock neonazista britânica. No Remorse. d e Paul Bur-
próprio Ian Stuart disse, e m u m a d e suas citações mais c o n h e c i d a s . . .
ley, inspirada n a Skrewdriver. lançou u m a música e m h o m e n a g e m a o
"Um panfleto só é lido uma vez. mas uma música é decorada e repeti-
g r a n d e ídolo dos WP d a q u a l se tornara u m dos principais t e m a s dos se-
da milhares de vezes".
guidores d a filosofia d o g r u p o Farewelllan Stuart (Adeus Ian Stuart): "Ian
As letras d e suas músicas se t o r n a r a m h i n o d e milhares d e mili- Stuart. sinto sua falta camarada, entregue pelos deuses e levado pela
t a n t e s , i n c l u i n d o a canção " W h i t e P o w e r " q u e inspirou o n o m e d o mão do destino, um guerreiro, um camarada, inspiração para todos,
m o v i m e n t o e o seu símbolo: u m p u n h o b r a n c o c e r r a d o . tenho a certeza de que milhões de homens ouviram o seu chamado".

A b a n d a Skrewdriver reviveu t o d a a mítica d a s l e n d a s e u r o p e i a s


m e d i e v a i s - d a s j o r n a d a s Vikings e d o s deuses d a g u e r r a . P r e g a v a a
Organização Paramilitar
reunificação d a " M ã e A l e m a n h a " e o fim d a URSS. C a r a c t e r i z o u - s e
também p e l o n a c i o n a l i s m o britânico a o r e d o r d o m u n d o , f a z e n d o Após o f a l e c i m e n t o d e Stuart, a organização Blood a n d Honour fora
referência a o s irmãos d e além-mar, nos Estados Unidos e Austrália, e a d q u i r i d a pelos irmãos Sargent, dois m a g n a t a s q u e possuíam u m g r u -
o a p o i o a Ku Klux Klan. U m a manifestação c o n h e c i d a c o m o C o m - p o paramilitar nazista c o n h e c i d o c o m o C o m b a t 18 (C18). O número
b a t 84 o c o r r e u neste a n o a g r e g a n d o distintos g r u p o s N a c i o n a l - S o - 18 é e m referência à posição das letras n o a l f a b e t o , a I letra A e 8 a a

cialistas. Após esse e v e n t o , turnês começaram a o c o r r e r p e l a Euro- H. sendo as iniciais p a r a Adolf Hitler. Essa tática é m u i t o utilizada pelas
p a e EUA. Stuart e seus seguidores skinheads p r o m o v i a m shows e m < jangues, o n u m e r o 88, p o r e x e m p l o , é o mais popular, "Heil Hitler".
Valência, Londres, nas p r i n c i p a i s c i d a d e s d a A l e m a n h a e H o l a n d a .
A organização se f o r t a l e c e u e g a n h o u m u i t o d i n h e i r o c o m a v e n - p r i n c i p a l o b j e t i v o c o m b a t e r o militarismo e , a o l a d o d e p u n k s ( q u e
d a d e materiais, p r i n c i p a l m e n t e CDs. além d e possuir u m e s q u e m a surgiram p o r v o l t a d e 82, e m São Paulo) se c o n s i d e r a v a m apolíticos
d e l a v a g e m monetária b e m s u c e d i d a , c o m integrantes infiltrados e s e g u i d o r e s d o estilo O i !
n o g o v e r n o e a g e n t e s n o g o v e r n o f e d e r a l . Os Sargent a b r i r a m f r a n -
Q u a n d o e u e s t u d a v a os m o v i m e n t o s juvenis brasileiros, a c h e i
q u i a s d a BH n a N o r u e g a , E s p a n h a , P o r t u g a l , Suécia, Itália, França e interessante u m a declaração p u b l i c a d a e m 1995 e m u m Fanzine
nos países d o leste e u r o p e u , a o n d e o n e o n a z i s m o v i n h a c r e s c e n d o a n a r q u i s t a c h a m a d o " L o b o t o m i a " , e d i t a d o também e m S ã o P a u l o
após a q u e d a d a URSS, p r i n c i p a l m e n t e n a República T c h e c a e n a d e u m indivíduo q u e se dizia p u n k :
Sérvia. Nos EUA, os i n t e g r a n t e s d a C18 são f o r t e m e n t e a r m a d o s e
f o r m a m u m a milícia q u e possui c a m p o s d e t r e i n a m e n t o p a r a m i l i t a r " N o v o s ares tomaram conta do pais no início da década de 80.
pelos pastos d e f e n o d o Texas e West Virgínia. A t u a l m e n t e , p r o m o - Só se falava da abertura politica, a liberdade parecia ter chegado
v e m u m a p r o p a g a n d a p e l a internet d e s t i n a d a aos jovens, d e s e n v o l - para ficar. Ainda se comemorava o fim do ato institucional número

v e n d o vídeo-games violentos o n d e o o b j e t i v o p r i n c i p a l d o j o g a d o r cinco e a sanção da anistia no final da década passada. Um acon-

é caçar negros, j u d e u s e m e x i c a n o s c o m u m a Shootgun. tecimento trágico, porém, veio abalar o processo de democratiza-
ção do país. No dia trinta de abril de 1981 duas bombas explodiram
A A l e m a n h a após a unificação foi a m a i o r r e p r e s e n t a n t e d o s
dentro de um carro em um estacionamento no centro do Rio de J a -
g r u p o s mais influentes, a C o m b a t 18, a English Rose e m a i s d e 50
neiro, durante um show promovido pelo Centro Brasil Democrático,
b a n d a s germânicas, sob a g r a v a d o r a Endstufe (com um grupo mu-
com apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Foi o mais grave
sical d e m e s m o n o m e ) , i n c l u i n d o Asgard. Kraftsclag e a Landser.
em uma sequência de ataques, até então, dirigidos às bancas de
u m a d a s mais famosas. A m a i o r i a dos novos hitleristas v e i o d a a n t i g a
jornal que vendiam publicações de esquerda. Ainda assim havia
A l e m a n h a O r i e n t a l e t o d o s v i r a m n a unificação a o p o r t u n i d a d e d e
mais espaço para quem quisesse mostrar suas ideias. A censura per-
reviver o N a c i o n a l - S o c i a l i s m o , b a n i d o d u r a n t e a época c o m u n i s t a .
manecia (e ainda permanece), mas não era tão pesada. Era o que
N a América d o Sul a B l o o d & H o n o u r / C o m b a t 18 c h e g o u a m e a - os roqueiros que fundavam suas bandas no underground. sonhando
d o s d a p r i m e i r a década d o século XXI, c o m representação e m São em expor ao público suas ideias contestadoras, podiam desfrutar
Paulo, Rio G r a n d e d o Sul e A r g e n t i n a , sob a liderança d e u m sujeito após quase 30 anos de ditadura militar. Aos poucos o rock nacional
c o n h e c i d o c o m o Sikito. o m e n t o r d o g r u p o d e e x t r e m a - d i r e i t a Legi- deixava de engatinhar e se apoiava nas próprias pernas (...)"
ón N e g r a , d e Buenos Aires. Alemão e C h a r l e s . A d m i n i s t r a d o r e s d o
g r u p o brasileiro WPSP (White Power São Paulo) n e g o c i a r a m c o m os C o n s i d e r o d i t a d u r a militar e t o d a a c e n s u r a q u e e l a p r o p o r c i o -
p o r t e n h o s a p o s s i b i l i d a d e d e a b r i r u m a seção a q u i n o Brasil. Essa n o u o f a t o r p r i n c i p a l d o s u r g i m e n t o d o s m o v i m e n t o s skin e p u n k n o

organização recém-formada foi c o m p o s t a p o r i n t e g r a n t e s n e o n a - Brasil, b e m c o m o p r o b l e m a s q u e s e m p r e existiram: a d e s i g u a l d a d e

zistas q u e p e r t e n c e r a m a a n t i g o s g r u p o s j á extintos n a c i d a d e . s o c i a l e a p o b r e z a e m abundância.

Em u m d e p o i m e n t o escrito n o livro, "Os Carecas do Subúrbio-Ca-


minhos de um Nomadismo Moderno", d e Márcia Regina d a Costa,
Os Carecóides
antropóloga q u e realizou u m t r a b a l h o sobre a o r i g e m d o g r u p o , e m
N o Brasil, p o r v o l t a d e 1983, o f i c i a l m e n t e s u r g e m os " C a r e c a s 1992, e os Fanzines (revistas produzidas m a n u a l m e n t e q u e c i r c u l a m
d o Subúrbio" n a z o n a leste p a u l i s t a n a . Eles e r a m u m a versão a b r a - ontre os g r u p o s , c o m textos d a i d e o l o g i a d e f e n d i d a ) "Protesto Subur-
s i l e i r a d a d o s s k i n h e a d s . F u g i n d o a o s padrões e características d o bano" & "Filhos da Nação", u m i n t e g r a n t e c o n t a c o m o surgiram os
m o v i m e n t o e m o u t r o s países, os c a r e c a s brasileiros t i n h a m c o m o primeiros c a r e c a s d e São Paulo: O m o v i m e n t o começou em 1980 (...)
68
começamos em 4. s a b e (...) Era uma mina e três caras (...). A gente nos EUA). Vírus 27 (cujo vocalista era Joe 90. lenda entre os carecas
g queria fundar um movimento mais sério, um movimento também bra- brasileiros, falecido durante a década seguinte, mas a banda conti-
c sileiro. sem negócio de fora. um estilo de vida porque esse movimen- nua na ativa). Histeria. Mata - Ratos (de origem portuguesa)... E com
2 isso muitos punks aderiram às fileiras da carecada. devido ao fato de
_o to é também um estilo de vida. Com treze, quatorze anos eu entrei ficarem órfãos com o fim de suas gangues. Décadas depois, surgiram
O n o movimento punk. Quando apareceram os carecas existia uma outras facções, onde defendem nazismo, anarquismo, comunismo,
Jõ g a n g u e chamada "Punkids". que acabou se unindo aos Carecas do homossexualismo... Usam o visual bastante parecido e se intitulam ski-
-a
nheads. Onde termina confundindo a mídia e a sociedade.
<5 Subúrbio. Foi uma época marcada pela união das gangues do su-
búrbio. A união foi promovida porque quando um entrava no distrito Os Carecas do Brasil representam hoje cerca de 65% dos skinheads
do outro, era briga (...). Idenfifiquei-me com os carecas pela postura no Brasil. O movimento que surgiu no sudeste do pais. hoje se encontra
radical - todo o treinamento de artes marciais e ao culto ao corpo. em 70% dos estados brasileiros. Os nomes permaneceram (Carecas do
Havia a necessidade de se prevenir, defesa pessoal, pois as brigas nos Subúrbio. Carecas do ABC e Carecas do Brasil). A ideologia também
perseguiam. Nossa atitude era antidrogas. contra o homossexualis- resiste, mas há algumas alterações, pois a grande maioria dos skins se
mo, fazíamos passeatas, todo um protesto... Nunca fomos racistas ou tornou nacionalista ou integralista, dificilmente se encontra um apolitico
fascistas. Em 1982. foi realizado em São Paulo o festival "Começo do (o maior número de skinheads tradicionais/apolíticos é em Curitiba).
Fim do Mundo", reunindo várias bandas punk e a banda "Neuróticos"
Estamos próximo dos trinta anos. construídos com devoção pelo movi-
com o som careca. Éramos todos filhos de trabalhadores operários,
mento, com doação daqueles que põem a ideologia em primeiro lugar,
metalúrgicos em sua maioria, dos quais sempre valorizaram a mo-
daqueles que já abriram a mão de muita coisa em nome do orgulho que
ral e a dignidade. Os Carecas do Subúrbio tomaram-se inimigos dos
levam no peito. São anos de batalhas. Shows, eventos históricos, amiza-
"pilantras", traficantes de drogas e os playboys que entravam para
des, camaradagens, passeatas, brigas, vitórias de derrotas também,
o movimento punk de embalo. Como você pode ser anarquista se
conquistas e decepções. Repressão da Polícia. Entrevistas e reportagens
é filho de um empresário da classe alta do país? Como você pode
feitas, onde a mídia sempre suja nossa imagem. Prejuízos incontáveis, al-
ser comunista e possui 2 ou 3 propriedades? Julgava-me nacionalista
guns irreversíveis que foram sentidos na pele. além de histórias, cicatrizes e
pró-classe operária e suburbana. Nosso lema era: Força e União. Em
lembranças que ficarão guardadas na memória de cada um.
1983 ganhamos fama nos demais Estados do pais. No Rio de Janei-
ro nasceu uma vertente do movimento conhecida como "Carecas O sociólogo e e s t u d i o s o d a educação M a u r i c i o Tragtemberg
do Brasil". Seus integrantes se reuniam na Central do Brasil e graças d e f i n i u os c a r e c a s d o s a n o s n o v e n t a nos seguintes fatos: "No Brasil,
ao nome. englobou membros nas outras regiões brasileiras. Também uma política recessiva condena ao desemprego milhares de tra-
nesse ano surgiram os "Carecas do ABC", principalmente em Santo balhadores, emergindo uma juventude pobre de periferia "que
André, dos quais eram ultranacionalistas. seguidores do Integralismo não tem amanhã" e encontra no movimento "Carecas do Subúr-
e possuidores de uma postura xenófoba (...). bio" uma forma de protesto pelo abandono social que sofre pela
Esse é o resultado da história dos primeiros skinheads brasileiros. O falta de perspectivas profissionais (...). Vale lembrar, entretanto,
movimento chegou ao Brasil na sua composição original (durante a que a violência é não só o confronto físico direto. mas também a
época Oi!) e como somos nacionalistas, adaptamos o movimento à falta de escolas, atenção médica e um futuro social (...). É nítida a

realidade brasileira. Dentre as primeiras bandas nacionais encontram- intenção de o careca manter uma dignidade, de se autoafirmar

se Neuróticos. Garotos Podres (com o participação só no começo, como trabalhador, como alguém que não é drogado, nem ocioso.

pois o vocalista se dizia comunista e admirador dos Panteras Negras Ele diferencia do que chama de "marginal" por meio do trabalho
sério, s e m vender tóxico para sobreviver ou roubar a população gações diretas à Ação Integralista Brasileira. No a n o d e 1992 eles c h e -
pobre. Ainda que cultive a violência, não se considera um bandi- g a r a m a e d i t a r u m a revista e m C a m p o G r a n d e , i n t i t u l a d a " C o t u r n o s " ,
do, um violento que sobrevive sem trabalhar seriamente". q u e c o n t i n h a a seguinte p a s s a g e m :

A m o l e c a d a d e rua viu no m o v i m e n t o u m a o p o r t u n i d a d e d e se re-


" O Mato-Grosso do Sul foi palco de gloriosas vitórias sobre os
belar, e n q u a n t o alguns seguiam p a r a o tráfico, eles preferiram m a n t e r a
imundos paraguaios. Hoje esse povo entope a minha cidade e rou-
d i g n i d a d e d a família e d o orgulho operário, mas a maioria a c a b o u i n d o
ba nossos empregos, essa é a real ameaça ao povo brasileiro (...)."
p a r a a c r i m i n a l i d a d e d e v i d o u m fanatismo q u e ultrapassa a razão.

Um e x - c a r e c a c e r t a vez m e c o n t o u : "Nosso futuro não era pro- A b a n d a c a m p o - g r a n d e n s e Carbonário se e n c a r r e g a v a d e


d i v u l g a r o m o v i m e n t o e m suas canções, b e m c o m o a l g u n s outros
missor e. em vez de aguentar tudo calados, resolvemos gritar. A
i onjuntos musicais q u e e r a m incluídos n a a l a " C a r e c a s d o Brasil". A
gente era tudo de família pobre sabe. trabalhávamos como offi-
g r a v a d o r a Roften Records p u b l i c o u muitos álbuns d o som O i ! e p u n k
ce-boys, recepcionistas, ajudantes de pedreiro, encanadores...
brasileiro. U m a d a s m e l h o r e s coletãneas, i n t i t u l a d a "Oi! Um grito de
Mas sempre orgulhosos patriotas e antiburgueses!"
União" foi lançada n o a n o 2 0 0 0 c o m a participação d e faixas d o
Os c a r e c a s g a n h a r a m r e c o n h e c i m e n t o e t e m o r d a s outras g a n -
Vírus 27, Garotos Podres. Contra Ataque. The Skulls e a l g u m a s outras
g u e s d e r u a , n a m e d i d a e m q u e a mídia p r o m o v i a c a d a vez mais sua
b a n d a s i b e r o - a m e r i c a n a s . O m e s m o o c o r r e u n o lançamento d o ál-
i m a g e m . Q u a n d o a b a n d a Ramones se a p r e s e n t o u e m São Paulo,
b u m " A Volta a o M u n d o e m O i i t e n t a M i n u t o s " c o m as b a n d a s brasi-
nos a n o s d e 1987 e 1992, u m g r u p o i n v a d i u o s h o w e p r o v o c o u u m
loiras t o c a n d o a o l a d o d a s francesas, e s p a n h o l a s e inglesas.
c o n f r o n t o c o m os a n a r c o - p u n k s q u e assistiam a o espetáculo. O a t a -
q u e foi tão v i o l e n t o , q u e o próprio J o e y R a m o n e p a r o u o s h o w e dis- Os c a r e c a s nacionalistas l o g o se t o r n a r a m u m a d i s t a n t e s o m b r a
se q u e não voltaria mais p a r a o Brasil, d i z e n d o n u n c a i m a g i n a r q u e (los skinheads ingleses. U s a v a m j a q u e t a s d e a v i a d o r c o n h e c i d a c o m o
u m g r u p o r a d i c a l c o m o os skinheads p u d e s s e ser tão m a l c o n t r o l a d o " B o m b e r " , o c a b e l o r a s p a d o c o m t a t u a g e n s n a cabeça, costeletas,
p e l a polícia e ter o p o d e r d e arruinar u m e v e n t o i n t e r n a c i o n a l . Esse '.ir.pensórios e calças jeans d a m a r c a Lee o u Levi's 501, nos pés. As b o -
episódio p r o m o v e u a i n d a m a i s a i m a g e m d o s c a r e c a s , n o e s t r a n g e i - las d a m a r c a i n t e r n a c i o n a l Dr. Martens, m u i t o u s a d a pelos skins e u r o -
ro. Também o f a t o se r e p e t i u q u a n d o a carecada i n v a d i u o show d a s peus, foi substituída pelos " C o t u r n o s " n a c i o n a i s , d e v i d o à d i f i c u l d a d e
b a n d a s Toy Dolls e Exploited ( e m São Paulo, 1988), d e s t a vez p o r m o t i - d e importação d a época. S e m e l h a n t e o c o r r e u c o m as c a m i s a s d a
vos ideológicos, e n v o l v e n d o as questões " L i b e r d a d e d e Expressão" e m a r c a Lonsdale q u e não c h e g a r a m a fazer sucesso n o Brasil.
"Fascismo". E n q u a n t o os punks retardatários se a v a l i a v a m a i m p r e n s a
Em d e z e m b r o d e 1985, e m S ã o Paulo, se r e a l i z o u o p r i m e i r o
b u r g u e s a e a política d a d e m o c r a c i a c o r r u p t a e injusta c r i t i c a v a os
r<-citai e n t r e as diferentes b a n c a s , e v e n t o n o q u a l se e n c e r r o u d e -
c a r e c a s p o r f a z e r e m t u d o a q u i l o q u e t o d o s s o n h a v a m e não t i n h a m
b a i x o d e b r i g a s , diversas prisões e a l g u m a s m o r t e s . Esse s h o w f i c o u
c o r a g e m d e realizar. R a p i d a m e n t e , a r i v a l i d a d e entre punks e skinhe-
conhecido c o m o "Dezembro N e g r o " . A n o s d e p o i s p a s s o u a ser
a d s se intensificou, t r a n s f o r m a n d o os subúrbios d a s c a p i t a i s brasilei-
< h a m a d o d e " D e z e m b r o O i ! " , e v e n t o q u e a c o n t e c e t o d o último
ras e m p a l c o d e g u e r r a e n t r e g a n g u e s . Foi c r i a d a u m a organização
mês d o a n o r e u n i n d o s k i n h e a d s apolíticos e n a c i o n a l i s t a s .
c o n h e c i d a c o m o XENOFOBIA, m o v i m e n t o ultranacionalista q u e tinha
diversas células n o país e radicais c o m o p a r t e i n t e g r a n t e d e suas filei-
ras, i n c l u i n d o muitas subdivisões dos C a r e c a s d o Brasil. O M o v i m e n t o Poder Branco à Brasileira
Xenófobo - MXN p r o m o v i a c o n c e r t o s musicais n o M a t o Grosso d o Sul,
reforçando o a s p e c t o fascista dos C a r e c a s d o A.B.C., muitos c o m li- O neonazismo c h e g o u a o Brasil através d e grupos seguidores d e sua
ideologia, n a transição d a década d e 80 p a r a 90. O precursor d o N a - mas l o g o teve q u e m u d a r seu n o m e p a r a "Locomotiva" (em referência
cionalismo Ariano foi u m a e n t i d a d e c o n h e c i d a c o m o G r u p o Separatista a o imaginário separatista d o Estado d e SP sendo o c o n d u t o r d o p r o -
Branco - G.S.B. F u n d a d o e m São Paulo, era c o m p o s t o por jovens d a clas- gresso d o Brasil) p o r ser t a x a d a d e racista. Muito controverso tal fato ter
se média paulistana, e m sua maioria descendentes d e italianos d a zona ocorrido e m u m país q u e c o n d e n a o racismo e a discriminação e m g e -
leste. Essa organização começou c o m 9 membros e cresceu d e u m a m a - ral, pois há vários grupos d e negros q u e p r e g a m o orgulho negro, c o n -
neira assustadora, t e n d o representantes e m outras regiões, sobretudo nos juntos musicais d e p a g o d e c o m o Raça Negra. Cidade Negra... Por essas
três Estados sulistas e e m menor q u a n t i d a d e n o Rio d e Janeiro. D e f e n d i a m I outras, os descendentes d e europeus passaram a se rebelar a l e g a n d o
a separação d o sudeste - sul, região o n d e se e n c o n t r a as maiores coló- sorem injustiçados p e l a d e m o c r a c i a brasileira. É c o m o se o racismo só
nias europeias e o progresso económico é mais a c e l e r a d o se c o m p a r a d o existisse n a relação dos brancos c o m os negros. O mais c o m u m entre os
c o m o restante d o Brasil. Rapidamente esses indivíduos se opuseram f e - m juidores d o Poder Branco é se utilizarem d o seguinte c o n c e i t o : "Se um
rozmente à migração nordestina e à colónia j u d a i c a d e São Paulo (uma n u iividuo sai na rua com uma camiseta escrita 100% Negro, nada acon-
das maiores d a A m e r i c a Latina). A ideologia mesclava entre u m Orgulho tece, agora tente você sair com uma 100% Branco...".
Paulista e u m anticomunismo radical, c o n d e n a n d o a miscigenação d e
indivíduos brancos c o m indígenas e afrodescendentes. O g r u p o Locomotiva g r a v o u a sua mais f a m o s a música. "São Pau-
lo Pátria", e m u m a coletãnea d o selo francês Rebelles Europeens. tor-
Os White Powers brasileiros t o r n a r a m - s e inimigos mortais d o s c a - n a n d o o m o v i m e n t o neonazista brasileiro c o n h e c i d o m u n d i a l m e n t e .
recas nacionalistas e d o s punks. d i f e r e n t e d o q u e a c o n t e c e r a n a Eu-
Muitas pessoas d a colónia alemã d e Santa C a t a r i n a a d e r i r a m a o
r o p a , o n d e os skins autênticos isolaram os WPs c h a m a n d o - o s d e Bo-
m o v i m e n t o , a u m e n t a n d o a representação d o Brasil n o âmbito inter-
n e h e a d s e reservaram o t e r m o "Cabeça R a s p a d a " p a r a si próprios.
n a c i o n a l , até então u m dos únicos países d a A m e r i c a Latina q u e pos-
Os c a r e c a s brasileiros a b r i r a m mão d o t e r m o d e i x a n d o q u e os n e o -
suía g r u p o s neonazistas consideráveis. A partir d o r e c o n h e c i m e n t o
nazistas d e l e se a p r o p r i a s s e m . É o q u e a f i r m a G l a u c o M a t t o s o , ex-
«ta c a u s a n o hemisfério sul, vários g r u p o s d e i d e o l o g i a s e m e l h a n t e ,
i n t e g r a n t e d e u m a d a s g a n g u e s , indivíduo q u e trouxe a o Brasil o livro
defensoras d o racialismo e u r o p e u nas Américas, começaram a surgir
"Espirito de 69 - A Bíblia do Skinhead" escrito p o r G e o r g e Marshall.
IN i A r g e n t i n a . Uruguai. Colômbia e Chile, país d e l a r g a tradição nazi-

"(...) O resultado foi, de um lado, milhares de carecas agrupados em i< í-.cisto, também n a distante África d o Sul. Austrália e N o v a Zelândia.

numerosas facções pelo país afora e do outro poucas centenas de WPs Isses g r u p o s s e g u i a m o m o d e l o d e organizações n o r t e - a m e r i c a n a s ,

em São Paulo e nos Estados do sul. numa rivalidade onde o conceito i White Powers brasileiros se c o m u n i c a v a m c o m g r u p o s d e skinhea-

skinhead saía perdendo. Tudo culminaria em J992, quando os WPs se ds d a H o l a n d a , Portugal e a N a t i o n a l A l l i a n c e dos EUA. q u e a j u d a r a m

superexpuseram até na TV e foram pivôs de atentados contra nordesti- muito n a divulgação d o M o v i m e n t o Nazi Brasileiro.

nos, negros e judeus, desencadeando repressão a nível federal (...)"


Muitos neonazistas começaram a trazer p a r a o território n a c i o n a l as
i< I» -ias d a c a u s a a o redor d o p l a n e t a . Foi e d i t a d a e m São Paulo a revista
Foi justamente a hostilidade à migração q u e p r o v o c o u a reação dos
" N o v a Ordem Nacional Socialista", espécie d e fanzine q u e era distribu-
carecas, já q u e sempre foi nos subúrbios q u e se e n c o n t r o u u m a forte raiz
ído p a r a os WPs nas lojas u n d e r g r o u n d d a Galeria d o Rock o u d o ABC.
nordestina e n e g r a . O q u e esses indivíduos t i n h a m d e i n c o m u m c o m os
Nesse tipo d e material se e n c o n t r a v a textos traduzidos d e pensadores
outros skinheads era o visual, o estilo sonoro e a infiltração nas torcidas
( o r n o David Myiatt e Tom Metzer. Até m e s m o a b a n d e i r a c o n f e d e r a d a
organizadas dos principais times d e futebol. Havia m e m b r o s d o m o v i -
« h c g o u a ser h a s t e a d a a o l a d o d o pendão d a s listras negras-brancas
m e n t o n a Gaviões d a Fiel, n a I n d e p e n d e n t e e n a M a n c h a Verde.
l )< lulistas. Toda simbologia q u e o g r u p o utilizava era igual a o d a Blood
A primeira b a n d a neonazista d o Brasil c h a m a v a - s e "Poder Branco", ( i n d Honour e demais organizações mundiais, das quais c o m p r a v a m
seus produtos por catálogos, antes d a f a c i l i d a d e d a internet. O GSB fi- (número q u e p o d e ser maior nos dias atuais d e v i d o à filiação d e muitos
c o u c o n h e c i d o c o m o White Power São Paulo (que anos mais tarde, l< >vens depois d a f a c i l i d a d e a o acesso d e informação, p r i n c i p a l m e n t e
e m 2005, ressurgiu c o m o n o m e d e WPSP c r i a d o por outros membros). à internet). Havia c e r t a distinção, pois os suburbanos d e Mauá e t o d o
A b a n d e i r a d o m o v i m e n t o era a d o Estado d e São Paulo e, n o c a n t o < inturão d o A.B.C, n u n c a simpatizaram c o m os racistas d a região m e -
extremo esquerdo, o m a p a d o Brasil era substituído p e l a suástica (um tropolitana. A única b a n c a d e Carecas, q u e teve e m certas ocasiões
outro g r u p o , c o n h e c i d o c o m o Poder Paulista, se utilizou d a m e s m a b a n - u m a relação "pacífica" c o m os WP, foi a C o m a n d o Bandeirante, q u e
deira, o n d e n o círculo vermelho levava o m a p a d o Estado o u u m a Cruz possuía e m suas fileiras integralistas defensores d e u m nacionalismo p a u -
Celta). Relacionava-se a c a u s a separatista d o Sul dos Estados Unidos e m lista, porém não separatista. Todos esses grupos t i n h a m e m c o m u m a
termos raciais e culturais, semelhante a d o sul das Américas. As famílias admiração d a e p o p e i a d e 1932, o n d e t o m b a r a m mortos os estudantes
d e ascendência e u r o p e i a viveriam e m u m território q u e e n g l o b a v a o sul d e direito Martins, M i r a g a i a , Drausio e C a m a r g o , d a n d o o r i g e m as siglas

d e Minas Gerais e o M a t o Grosso d o Sul, se e s t e n d e n d o pelos p a m p a s M.M.D.C. (que se e n c o n t r a v a na b a n d e i r a d o C o m a n d o Bandeirante).

argentinos, próximo à Patagônia. Nele os negros e mestiços fariam p a r t e


O a t a q u e violento aos nordestinos p e l a c i d a d e começou a ser re
d e u m a subclasse o n d e não seriam r e c o n h e c i d o s c o m o p a r t e integran- gistrado p e l a mídia, q u a s e sempre h a v i a u m a c o l u n a nos jornais sobre
te d a população, privando-os d e se c a s a r e m c o m os cidadãos " e u r o - a l g u m a t o d e v a n d a l i s m o o u agressão. Em 1992, o p r o g r a m a televisivo
peus d e s a n g u e " e d e possuírem cargos governamentais. No c a s o dos "Documento Especial", exibido n o SBT, fez u m a r e p o r t a g e m sobre os
indígenas, estes d e v e r i a m viver e m u m território imaginário reservado skinheads d e São Paulo, intitulado "A Cultura d o Ódio", p o u c o t e m p o
p a r a eles nos Andes, p o d e n d o manter sua total soberania e ter relações depois alguns integrantes d o m o v i m e n t o f o r a m presos. Os WP c h e g a -
amigáveis c o m as nações " b r a n c a s " . Os Estados d e v e r i a m preservar a r a m a f a b r i c a r u m a b o m b a caseira e instalar n a A v e n i d a Paulista, c o m
p r o p r i e d a d e p r i v a d a , d a r incentivos à educação e a o serviço militar, mensagens d e ameaça c o n t r a os homossexuais e o G o v e r n a d o r d o
proibindo q u a l q u e r t i p o d e manifestação comunista o u anarquista. Estado. Em 1993, a rádio e o c e n t r o cultural d e tradições nordestinas f o -

C o m o q u e e m u m c u r t o t e m p o o n a z i s m o se a l a s t r o u d e s s a r a m p i c h a d o s c o m m e n s a g e n s d o t i p o "Fora ratos do nordeste!". "São


Paulo para Paulistas". Os muros d o c e n t r o d a c i d a d e viviam cheios
m a n e i r a n o Brasil?
d e suásticas e símbolos d o m o v i m e n t o , o q u e c a u s a v a d o r d e c a b e -
Fato é q u e os c a r e c a s n u n c a tiveram u m a i d e o l o g i a muito resolvi-
ça p a r a a Polícia Militar, q u e r e c e b i a diversas denúncias d e racismo e
d a . Ser "Nacional-Socialista" e r a mais específico e não tão c o m p l e x o ,
agressões d i a r i a m e n t e . Nas periferias o c o r r i a tiroteio entre os grupos,
e o espírito racista e r a e é muito mais forte e m São Paulo d o q u e se pos-
i n i c i a n d o u m a luta incessante e m q u e o objetivo d e u m a g a n g u e e r a
sa imaginar. Veja, p o r e x e m p l o , a letra d a b a n d a IRA, b a n d a típica d a
conquistar o distrito d a o u t r a . Em termos literários, os c h a m a d o s Fanzi-
classe média, f o r m a d a p o r rapazes d a Vila M a r i a n a q u e não possuem
nes g a n h a r a m u m a denominação "Skinzines". entre eles, os mais c o -
vínculo n e n h u m c o m ideologias políticas: "Não q u e r o ver essa g e n f e n h e c i d o s e r a m : Determinação e Coragem e Orgulho Paulista.
feio. não quero veros ignorantes, eu quero ver gente da minha terra, eu
quero ver gente do meu sangue. Pobre São Paulo, pobre paulista.". Para c o n t e r as crescentes ameaças racistas, criou-se u m órgão d e
c o m b a t e aos crimes m o t i v a d o s p e l a discriminação, c h a m a d o GRADE
O número d e a d e p t o s d o Poder Branco d e a c o r d o c o m a imprensa
( G r u p o d e Repressão aos Delitos d e Intolerância), q u e d e t e v e vários
variava d e 300 até c i n c o o u seis pessoas, relativamente m e n o r a o dos
cabeças raspadas. De 1989 a 1993, a prefeita d a c i d a d e d e São Paulo
c a r e c a s q u e e r a m mais distribuídos p e l o estado, isso d e v i d o a o f a t o
ora a nordestina Luiza Erundina, natural d a Paraíba. Durante seu perío-
d e serem nacionalistas não-separatistas. Seu número c h e g a v a a q u a -
d o n a prefeitura ela foi c o n s i d e r a d a u m a d a s principais lideranças d a
se 1000. S o m a n d o todas as vertentes, e m t o d o o Brasil, p r i n c i p a l m e n t e
o s q u e r d a brasileira, o d i a d a p o r esses jovens radicais q u e a a t a c a v a m
n a região sul, o número d e cabeças raspadas c h e g a v a p e r t o dos 3.000
m o r a l m e n t e , f a z e n d o - a sancionar u m a lei proposta p e l o v e r e a d o r Wal- Crimes mais conhecidos
ter Feldman, d o PSDB, q u e proibia a produção e v e n d a d e e m b l e m a s
nazistas. Isso g e r o u u m a t r e m e n d a revolta entre os skinheads, pois c o n - Nos a n o s 80/90, várias ações fizeram o n o m e desses g r u p o s se

sideraram o a t o t o t a l m e n t e inconstitucional. D e f e n d i a m a tese d e q u e t o r n a r e m t e m i d o s e r e s p e i t a d o s , q u a s e u m sinónimo d e violência

a c a r t a d e 1988 é democrática e assegura a livre expressão d a a t i v i d a - g r a t u i t a . Entre os episódios mais m a r c a n t e s , listei os q u e se t o r n a -

d e intelectual, artística, científica e d e comunicação, i n d e p e n d e n t e r a m mais c o n h e c i d o s p e l a divulgação d a i m p r e n s a :

d e censura o u licença. Realmente esse direito d e v e r i a valer p a r a todos,


- Cerco da saída de um show dos Ramones. em Pinheiros, só
mas d e v i d o às ações dos White Powers, criou-se essa exceção n o d o -
levantado após batalha campal com a tropa de choque da Poli-
c u m e n t o p a r a os defensores d o Nacional-Socialismo e suas vertentes.
cia Militar, causando a morte do metalúrgico Rogério Ramalho de
C o m t a n t a b a r r e i r a i m p o s t a p e l o Estado, o GSB e n t r o u e m e x t i n - Souza com uma facada no peito.
ção p o r v o l t a d e 1995, e v e i o a ressurgir a n o s d e p o i s n a r e p r e s e n t a -
- Invasão do palco e agressão ao vocalista Olga. da banda Toy Dolls.
ção d e outros g r u p o s dissidentes, inspirados nessa v e l h a o r g a n i z a -
- Assassinato do proprietário da casa noturna Espaço Retro.
ção. G r u p o s d o s q u a i s e u v i v e n c i e i t o d a s as suas ações e c h e g u e i
a ser m e m b r o d e suas fileiras. - Ataque a metaleiros ao fim da apresentação das bandas
Venom e Exciter.
O q u e a c o n t e c e é q u e as pessoas a d e r e m aos movimentos d e extre-
ma-direita c o m base nas informações incompletas, sem saber n a d a so- - Destruição do segundo show dos Ramones no Brasil, realizado
bre os skinheads originais. Por isso, a rotulação deles fica n o nazismo. N a no Rio de Janeiro, no Canecão.
r e a l i d a d e , os garotos politizados são a p e n a s "neofascistas" e não skins, - Espancamento de dois jovens judeus em 1992.
c o m o m a n d a o termo verdadeiro. Curioso é q u e os primeiros m o v i m e n -
- Pixação do Centro Cultural Nordestino e danificação de sua
tos e r a m antinazistas e p o r mais irónico q u e pareça, há q u e m d i g a q u e
estrutura, causado por dois tiros disparados de um revólver em po-
a p a l a v r a " s k i n h e a d " surgiu p e l a primeira vez nos anos 30, p a r a d e n o m i -
der da gangue White Power.
nar os militantes d o p a r t i d o nacionalista britânico Labor a n d Honour.
- Pixação de túmulos do cemitério do Centro Israelita de Porto Alegre.
Um sujeito c o n h e c i d o c o m o Thrasherbilly, o u também Caiçara p a r a os
demais incluídos fora d o universo alternativo, postou u m comentário e m - Espancamento de um mendigo negro em 1992.
12/09/2007 n o Canal CMI - Brasil, espécie d e mídia i n d e p e n d e n t e q u e dis- - Ataques e saques a ônibus praticados por carecas ligados à
ponibiliza u m fórum p a r a o d e b a t e democrático sobre os mais variados torcida do Palmeiras, em 1993.
temas: "Balela é o q u e passa na TV. Nem é a cultura da qual faço parte.
- Assassinato de um garoto de rua negro, em 1994.
Pertenço a uma outra contracultura, denominada Psychobilly, porém sem-
pre estou pelas ruas e sei o que é a cena underground. o tipo de pessoas - Um arrastão promovido por cerca de 20 skinheads, no Burger and Beer,
que são (referindo-se aos skins) e que passam preconceito vindo da pró- n a Consolação, resultou na morte do artista plástico Nilton Verdini Sitva.
pria família, quando, na verdade, ser skinhead se trata de um apreciador - Uma bomba de fabricação caseira explodiu em um trem da
da boa música negra jamaicana e repudiar toda espécie de preconceito CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) por skinheads
do fundo do coração (...). Apontam o skinhead como nazista pela mídia que protestavam contra a prisão dos agressores de Edson Neris da
porca sensacionalista. Vai ver os documentários da BBC. que explicam a Silva. A polícia disse ter recebido uma ligação anónima alertando
história desde os Soul Boys até Bob Marley. passando pelos skins. Esses não sobre a bomba e o sujeito não identificado alegou que matariam
contam essa ladainha que vemos por oi. Sigam o exemplo!". mais pessoas se não soltassem os carecas detidos.
78
- Assassinato por espancamento do homossexual Edson Neris da Sil-
g va, em São Paulo, em 2002. por integrantes do grupo Carecas do A.B.C.
Q
c
Desta última, e m u m a entrevista à i m p r e n s a . Jurandir d a Silva
VÍ Santos, irmão d a vítima c o n t o u : "Para mim. e/es não tem alvo. Po-
o
P* deriam ter assassinado qualquer um que passasse por ali naquele
"O momento. Eles bateram muito no meu irmão. O corpo dele estava
triturado e a parte de trás da cabeça estava esmagada.".
D e n t r e os t a n t o s c r i m e s c o m e t i d o s , seria q u a s e impossível regis-
trar t o d o s . Os q u e m a i s se d e s t a c a r a m e a i n d a são f a l a d o s nos dias
d e h o j e . f o r a m o d o Trem d e M o g i . e m 2003. q u a n d o c a r e c a s d o
subúrbio o b r i g a r a m dois r a p a z e s a p u l a r d o t r a n s p o r t e e m m o v i -
m e n t o , c a u s a n d o a m o r t e d e u m e o a m p u t a m e n t o d o braço d o
o u t r o , a desfiguração d a f a c e d e u m PM q u e t e n t a v a d e f e n d e r
u m m o r a d o r d e r u a n e g r o q u e e r a i n s u l t a d o p e l o g r u p o Front 88,
o assassinato p o r punks, a f a c a d a s , d e u m b a l c o n i s t a q u e r e c u s o u
u m d e s c o n t o e m u m pedaço d e pizza e o assassinato d o turista
francês, G r e g o r E r w a n L a n d o u a r , c a u s a d o p o r e s f a q u e a m e n t o ,
p o r p u n k s e c a r e c a s , n a p a r a d a d o O r g u l h o G a y d e 2007.

L e g e n d a d a s fotos:

A- Típica b a n c a d e Skin
B - l°s punks e c a r e c a s d o subúrbio d e SP - a n o s 80
C- Hammerskins e a Juventude Nacionalista d e Portugal, ligados
a o Partido N a c i o n a l Renovador (PNR)
D- Eventos u n d e r g r o u n d s d o s Cabeças R a s p a d a s
E - O Front 88 n a época d e união c o m os c a r e c a s integralistas,
a t u a l "Front S k i n h e a d "
F- J u v e n t u d e d a Frente Integralista Brasileira (FIB)
G - Punks d e t i d o s n o c e n t r o d e São P a u l o
H- I a n Stuart e o Skrewdriver - Londres, década d e 70
I- Sharps e Rashs - s k i n h e a d s antifascistas
J- N e o n a z i s t a s n a a n t i g a Berlim O r i e n t a l após a q u e d a d o m u r o
L- North'N'South, b r i g a d a d e skins Trads d e SP, seguindo o "Espírito d e 69"
M - E n c o n t r o n e o n a z i s t a n o Paraná e m comemoração a o s 120
a n o s d e A d o l f Hitler
ço d e p a p e l n a mão, p r o c u r e i o a n t i g o n u m e r o 237 d a A v e n i d a Zaki
Narchi, próximo à Rua Antônio dos Santos Neto, não m u i t o l o n g e d o Q-
berço d o Império Brasileiro: a A v e n i d a A l f r e d o Pujol, e s c o n d i d o p e l a ^
região n o b r e d o Alto d e S a n t a n a . Um t r e m e n d o g u e t o q u e r o d e a v a o <:
c e n t r o d o bairro, d e g r a d a d o d e v i d o à presença d o comércio a m b u -
lante, a administração i n c o m p e t e n t e d a subprefeitura, os meretrícios
o pichações. Avistava b a r r a c o s d e brasilite q u e p a r e c i a m d e s p e n c a r
morro a b a i x o , u n i n d o - s e c o m o lixo e s p a l h a d o p e l a calçada. Tirei a
j a q u e t a q u e vestia e a g u a r d e i n a m o c h i l a . Não f i c a v a b e m u m b r a n -
q u e i o d e cabeça r a s p a d a u s a n d o b o t a s militares a n d a r p e l a p e r i f e -
ria c o m r e m e n d o s d o O r g u l h o Paulista e runas d a s SS. Todo a q u e l e c e -
nário p a r e c i a u m funeral p a r a m i n h a i d e i a d e preservação cultural.
METAMORFOSE A água d a c h u v a l e v a v a os dejetos h u m a n o s p e l a g u i a e os ratos a o s
montes se o c u l t a v a m nos bueiros, o s o m desprezível q u e e r a t o c a d o
A ENCARNAÇÃO DO LOBO o m v o l u m e máximo nos carros dos funkeiros e suas letras criminosas e
Indecentes, b e m c o m o as pessoas e m seus b u r a c o s q u e e s p r e i t a v a m
• ilontos a presença d o "forasteiro" b r a n c o e m seu distrito. O r a , c o m o
o u p o d i a ser forasteiro n a terra d e m e u s familiares? M i n h a mãe cres-
c e u n a z o n a n o r t e p a u l i s t a n a , l o c a l q u e há décadas e r a c o m p o s t o
por p e q u e n a s chácaras d e imigrantes portugueses. Q u a s e m e i a h o r a
O líder d a Frente Sócio-Nacional o r d e n a - m e p o r t e l e f o n e m a
d o c a m i n h a d a já tinha se p a s s a d o e e u não avistei n e n h u m a p a d a -
q u e m e dirija à sua c a s a o n d e a situação p a r e c e ser t e n s a . Reto
rla lusitana o u a l g o q u e pudesse ser característico d a nossa c u l t u r a .
m e i m e u c a m i n h o p a r a a z o n a n o r t e após ter t o m a d o o m e t r o e m
direção à c a s a d e D a n i l o . A o c h e g a r à estação S a n t a n a , d u r a n t e 0 m e s m o a c o n t e c e u c o m os bairros d a G r a n d e São Paulo, q u e u m
q u a s e u m a h o r a e s p e r e i s o b c h u v a i n c l e m e n t e a condução q u e dia já f o r a m d e l a r g a tradição lituânia, letônia e p o l o n e s a . Parte d a
m e l e v a r i a até a c a s a d o Sr. G i a n n i M a g o s s i . D e c i d i q u e m e u diário < i d a d e h a v i a sido colónia d e imigrantes d a Pomerãnia, a n t i g a Prússia
d e jornalista d e v i a ser r e v i s a d o . M u i t a s d a s citações n a c i o n a l i s t a s ()riental. Hoje são distritos d e migrantes d e Juazeiro d o Norte. Q u a n d o
não c o n d i z i a m c o m m e u p e n s a m e n t o N a c i o n a l - S o c i a l i s t a . onde so começa a e n x e r g a r as coisas à sua v o l t a c o m u m senso crítico q u e
e n c o n t r e i f o r t e inspiração p a r a a resistência p a u l i s t a . Fiquei e m 1 )< >sso g a r a n t i r q u e não se a p r e n d e e m u m a sala d e a u l a , d u a s d e
m e u a s s e n t o a o f u n d o d o v e i c u l o , e l a b o r a n d o os p r i m e i r o s textos i»>ssas partes são a l i m e n t a d a s , a tristeza, a depressão p r o f u n d a d a
q u e s e r v i r i a m d e b a s e p a r a a criação d e u m a n o v a b a n c a , d a q u a l < ilma, e o ódio d e v a s t a d o r , o sentimento d e revolta.
e u e m a i s d o i s c o l e g a s f o m o s os p r e c u r s o r e s . C o n f e s s o q u e não m e
Eu i m a g i n a v a t a n q u e s b l i n d a d o s p a s s a n d o p o r c i m a d e t o d a
a g r a d a v a m u i t o a i d e i a d e ter q u e visitar o cérebro d a FSN. Pensei a q u e l a sujeira e u m a multidão d e c a p a c e t e s d e aço m a r c h a n d o
q u e seria m a i s u m c a m i s a - v e r d e progressista q u e só s a b i a f a l a r m a l i M N suas ruínas. A nossa b a n d e i r a d e v i a t r e m u l a r n o v a m e n t e .
d o c o m u n i s m o e n a d a mais, c o m o a m a i o r i a d a q u e l e s q u e t i n h a m
Pelo fim d a r u a estreita e u avistei m e u d e s t i n o , u m a c a s a b e m
Plínio S a l g a d o c o m o " c h e f e n a c i o n a l " . M a s e s t a v a e n g a n a d o .
••imples. c o m u m f u s c a e s t a c i o n a d o n a f r e n t e . N e m precisei c o n -
Saltei d a lotação q u e seguiu a v e n i d a e m frente e, c o m u m p e d a -
N-nr o número, e r a impossível não ser lá. H a v i a u m a b a n d e i r a d a
Itália e o u t r a d o Brasil h a s t e a d a n a l a j e , último r e d u t o q u e resistia rios c a m i s a s - n e g r a s . C o m o t e m p o , as c o m u n i d a d e s italianas c o m e -
n a decadência d o s t e m p o s a t u a i s . çaram a d e c a i r , seus m e m b r o s e n v e l h e c i a m e muitos v i e r a m a f a l e -
c e r f a z e n d o c o m q u e esse t i p o d e ritual perdesse sua o r i g i n a l i d a d e .
Fui r e c e b i d o p e l o Sr. M a g o s s i e m p e s s o a , q u e m e c u m p r i m e n -
A i n d a assim alguns d e seus d e s c e n d e n t e s t e n t a r a m c o n t i n u a r c o m
t o u c o m u m sorriso m u i t o sincero. O l h a v a d i r e t a m e n t e nos olhos e
o l e g a d o dos pais, m a s e m u m número m u i t o r e d u z i d o . A última r e u -
t i n h a u m t o m m u i t o sereno. A p a r e n t a v a e n t r e 70 e 80 a n o s e sua
nião d o s c a m i s a s - n e g r a s d e São Paulo a c o n t e c e u e m a b r i l d e 1987,
c a s a t i n h a p o r t a - r e t r a t o s p a r a t o d o s os l a d o s . E x p l i c o u - m e a ori-
e n o p a n f l e t o q u e p r o m o v i a o e v e n t o c o n s t a v a a seguinte frase: "Al
g e m d e sua família c o m u m e n t u s i a s m o d e m e n i n o . O r i g i n a l m e n t e ,
Duce. Al Caduti per Itália. Brasile. S.Paolo - 20 Aprile 1987".
seus a n t e p a s s a d o s e r a m d e V e n e t o . Até 1907, a g r a n d e m a i o r i a d o s
italianos v i n h a d o n o r t e . N a década s e g u i n t e , começaram vir os d o F o l h a n d o m a i s a l g u m a s páginas d o álbum, e u vi u m a f o t o d e
sul, a p e l i d a d o s d e " c a r c a m a n o s " ( p r i n c i p a l m e n t e d a s regiões d a u m sujeito militar c o m o u n i f o r m e d o exército brasileiro. Seu n o m e
Campânia, Calábria e Sicília, também e m m e n o r q u a n t i d a d e d e era G e r a l d o M a g o s s i , filho d o q u i x o t e s c o c a m a r a d a q u e c o n t i n u o u
Nápoles). O a p e l i d o foi atribuído p e l o f a t o d e t e r e m c a b e l o s e s c u - a c o n t a r - m e sua história, m a s a g o r a e m u m t o m d e p r o f u n d a d o r .
ros e p e l e a m o r e n a d a , u m a s p e c t o m e i o t u r c o o u e s p a n h o l a n d a -
- Geraldinho foi um ótimo filho, chegou a ser sargento do exérci-
luz. A tradução q u e mais se a p r o x i m a d o t e r m o seria c o m o u m a es-
to nos gloriosos anos de governo militar. Faleceu ainda no governo
pécie d e " p r i m a t a " , s e m p r e existira u m a r i v a l i d a d e d o n o r t e p a r a
Medici, no auge de sua carreira. Ele entrou em confronto com ma-
c o m o sul. A q u i n o Brasil essa r i v a l i d a d e se m a n t e v e a p e n a s e n t r e
nifestantes comunistas da USP e da PUC. Na confusão, atiraram-lhe
os e u r o p e u s o r i g i n a i s u m a vez q u e seus d e s c e n d e n t e s possuíam
uma bomba de fabricação caseira. Foi socorrido às pressas, mas
(e possuem) u m s e n t i m e n t o d e U n i d a d e Itálica, não i m p o r t a n d o o
não resistiu. Ganhamos uma medalha e uma carta em sua honra.
d i a l e t o q u e f a l e m o u o s o b r e n o m e d a família. A b r i u u m álbum d e
Mas nada pode substituir a dor de perder o único filho.
fotos e m e m o s t r o u u m a f o t o d e seu p a i a i n d a criança - p o r t a v a u m
u n i f o r m e n e g r o e fazia a saudação d e braço d i r e i t o e s t e n d i d o . D e v i d o a o triste f a t o o c o r r i d o n a v i d a d e Magossi, e l e d e i x o u o
Brasil e m o r o u p o r q u a s e u m a década n a Itália, j u n t o d e sua esposa,
- Papai foi um grande homem. Apoiou Mussolini e pertenceu aos
n a c a s a d e u m p r i m o , a esposa f a l e c e u nos a n o s 80. Disse-me q u e foi
camisas-negras até a traição do Rei Vitório em 1943. Depois teve que
u m a espécie d e m a s c a t e nos a n o s ativos d e t r a b a l h o , v e n d i a q u a s e
fugir da Itália e veio clandestino em um navio que atracou em San-
d e t u d o . Q u a n d o esteve n a Itália m o r o u e m u m vilarejo n o interior
tos. Lá ele conheceu alguns patrícios que lhe arranjaram a cidadania
d a província d e Treviso e x e r c e n d o a função d e camponês. Hoje, n a
brasileira. - disse com um carregado sotaque paulistano da Mooca.
terceira i d a d e , c o m o n u n c a c o n s e g u i r a se a p o s e n t a r , pois n u n c a
G i a n n i M a g o s s i já foi u m p o u c o d e t u d o . Começou t r a b a l h a n d o t r a b a l h o u registrado, vive d e u m a a j u d a d o exército q u e lhe p a g a

d e estivador n o p o r t o d e Santos e d e p o i s v e n d e u bilhetes d e loteria u m salário mínimo. M a s , o q u e r e a l m e n t e o sustentava e p e r m i t i a

n o c e n t r o d e São Paulo. D u r a n t e a década d e 50 e 60 e l e p a r t i c i p o u c o m q u e c o m p r a s s e seus remédios p a r a d i a b e t e s e r a u m a a j u d a d o

d e u m m o v i m e n t o Fascista pró Mussolini q u e existiu d e n t r o d e a l g u - g o v e r n o i t a l i a n o , q u e r e c e b i a e m euros, através d o c o n s u l a d o .

m a s c o m u n i d a d e s italianas d a c i d a d e . R e a l i z a v a m reuniões e m m e -
Passados t o d o s estes a n o s d e luta e d i f i c u l d a d e s , M a g o s s i tor-
mória d o D u c e e r e z a v a m u m a missa e m t o d o aniversário d e m o r t e n a r a - s e u m n o v o h o m e m . C r i o u a Frente Sócio-Nacional e m 2001,
d o g r a n d e líder n a igreja d a Consolação. C h e g o u a m e mostrar u m c o m a intenção d e r e c r u t a r j o v e n s p a r a a direita n a c i o n a l i s t a e
c o n v i t e d e u m a reunião r e a l i z a d a n o I d e M a i o d e 1960, o n d e t i n h a
o
lutar p o r u m Brasil " U n i d o , G r a n d e e Livre". Vivia p a r a c i m a e p a r a
m e n s a g e n s d e devoção a o d i t a d o r i t a l i a n o e os hinos d o s legioná- b a i x o c o m seu f u s c a . Distribuía p a n f l e t o s Integralistas o u textos q u e
86
f a z i a m referência a seus lideres favoritos: José Antônio Primo d e Ri- é q u e d e v e r i a f u n d a r m i n h a própria u n i d a d e NS, s e m n a c i o n a l i s m o
g v e r a . político f u n d a d o r d a F a l a n g e E s p a n h o l a e Cornélius C o d r e a - t u p i n i q u i m o u coligação c o m os p a r t i d o s d a d e m o c r a c i a .
c n u , f u n d a d o r d a G u a r d a d e Ferro R o m e n a . C o m e c e i a e n c a r n a r o típico visual skin NS, a n d a n d o s e m p r e c o m
«3
c a m i s e t a p r e t a e suspensórios b r a n c o s o u v e r m e l h o s . C a r r e g a v a e m
-° A F.S.N. jamais foi racista. L u t a v a m p e l a a u t o n o m i a , porém todos
m e u pescoço u m a cruz d e ferro e r a s p a v a a cabeça s e m p r e c o m
5, os indivíduos q u e nele residiam f a r i a m p a r t e d a n o v a nação, m e s m o
máquina zero. Todos c a m a r a d a s q u e m e s e g u i a m d e v e r i a m usar
^ filhos d e imigrantes ilegais nascidos a q u i e nordestinos residentes n a
c o t u r n o s e cadarços b r a n c o s , r e l e m b r a n d o os desfiles c e r i m o n i a i s
8 c a p i t a l . O uso d a suástica p o r alguns skinheads seguidores d e M a -
militares o u a s u p r e m a c i a d o " b r a n c o " sobre o " n e g r o " . Há q u e m
gossi, d e c e r t a f o r m a o i n c o m o d a v a , e a cruz g a m a d a c a d a vez mais
a f i r m e q u e nos roles, q u e m usa o b r a n c o está d e " p a z " e o v e r m e l h o
se a f a s t a v a d a s fileiras d e militantes d a FSN, q u e a g o r a se i n t i t u l a v a m
i n d i c a caça, fúria, a f i r m a n d o q u e estão a b e r t o s às brigas. Seguía-
" u m p a r t i d o nacional-revolucionário" e possuíam mais c a r e c a s inte-
mos t o d a u m a " h i e r a r q u i a d e cadarços", e m a l g u n s casos s o m e n t e
gralistas mestiços d o q u e os NS. Esse p a r t i d o c l a n d e s t i n o c h e g o u per-
o líder d o g r u p o p o d i a usar o b r a n c o e o restante dos " s o l d a d o s "
to d o s 160 m e m b r o s , n u n c a u l t r a p a s s a n d o esse número, mas a i n d a
d e v e r i a m usar os negros, mas n e m s e m p r e essa r e g r a se a p l i c a v a .
t i n h a m e n o r influência d o q u e a AIB. S o m e n t e veio a g a n h a r mais
Entre os punks. o cadarço b r a n c o é u m t i p o d e " a n t i m i l i t a r i s m o " , o u
força q u a n d o p r o m o v e u u m a união c o m os " s o l d a d o s " d e J a n i b e r t o
s i m p l e s m e n t e u m a v e s t i m e n t a p a r a m i l i t a r p a r a e n f r e n t a r o sistema.
Pizzoti, d a AIR - Ação Integralista Revolucionária, v e r t e n t e d a a l a d e
C o s t u m a m usar j a q u e t a e c i n t o d e c o u r o c h e i o d e t a c h i n h a s , c a l -
e x t r e m a - d i r e i t a brasileira q u e fazia concorrência c o m a AIB.
ça j e a n s r a s g a d a e p a r a os mais r a d i c a i s , c o l e i r a d e c a c h o r r o n o
Magossi f a l e c e u e m abril d e 2006. Meses antes d e sua m o r t e , a
pescoço, alfinetes n a c a r a e m o i c a n o s c o l o r i d o s . Alguns a d o t a m
FSN d e i x o u d e existir e alguns d e seus seguidores e n t r a r a m p a r a a
os cadarços v e r m e l h o s , p r i n c i p a l m e n t e os Nazi-Punks e Street Punks
AIR. No seu e n t e r r o c o m p a r e c e r a m p o u c a s pessoas, a l g u n s vizinhos
antianarquistas. Os Red Skins o u Rash utilizam o cadarço v e r m e l h o
e c o n h e c i d o s d o b a i r r o e u m o u o u t r o c a r e c a q u e t i n h a mais a m i z a -
d e v i d o a o i d e a l c o m u n i s t a . Existem infinidades d e c o r e s d o s c a d a r -
d e . Fiquei s a b e n d o d e seu f a l e c i m e n t o através d e u m b l o g n a inter-
ços q u e i n d i c a a q u a l g r u p o você p e r t e n c e . O a m a r e l o é p o u c o
net e q u a n d o li a m e n s a g e m o e n t e r r o já h a v i a t e r m i n a d o . A p e s a r
u s a d o , m a s alguns skinheads anarquistas e Shaps o a d o t a m . O azul
d a s diferenças, g o s t a r i a d e ter m e d e s p e d i d o d o g r a n d e c a m a r a d a ,
é u s a d o p a r a os Straight E d g e (punks h a r d c o r e q u e se opõem a o
este q u e n u n c a desistira d a luta m e s m o e m t e m p o s tão difíceis - e l e
l a b a c o , a o álcool e às d r o g a s ilícitas - muitos são v e g e t a r i a n o s a t i -
q u e m e inspirou a c r i a r m e u próprio " m o v i m e n t o político".
vistas radicais). A c o r rosa p a r a os gays o u Q u e e r Skins, o roxo u s a d o
pelas feministas e mais u m a c e n t e n a d e cadarços q u e i n d i c a m q u a l
denominação será atribuída e s o b q u a l i d e a l se e n q u a d r a .
Revolução Pessoal

"Poucos veem o que somos, mas v e e m sempre o q u e aparenta- A vestimenta é m u i t o i m p o r t a n t e já q u e u m erro d e cor, s i m b o -
mos" logia, m a r c a o u e s t a m p a d e b a n d a n a c a m i s e t a , p o d e resultar e m
u m a b r i g a . Muitos g a r o t o s d e m i n h a geração t i v e r a m inspiração n a
Nicolau Maquiavel
b a n d a Chãos 88 - i n c l u i n d o o estilo d e v i d a dos Nazi Punks, u m a ver-
Estava d e c i d i d o q u e d e v i a a p r i m o r a r m e u s c o n h e c i m e n t o s e f a - tente nazista/anarquista d o m o v i m e n t o p u n k , o q u e é m u i t o confuso.
zer u m a r e d e d e c o n t a t o s p a r a r e c r u t a r a l g u n s a l i a d o s e assim for-
As t a t u a g e n s v a r i a m d e b a n c a p a r a b a n c a . Entre os neonazis-
m a r u m a organização q u e p u d e s s e expressar o q u e e u d e f e n d i a .
tas é mais c o m u m as runas d o a l f a b e t o nórdico e a cruz c e l t a ( e m
Os p a r t i d o s " u n d e r g r o u n d s " d o Brasil e r a m u m t r e m e n d o f i a s c o . Eu
tribal o u e n t r e c h a m a s d e f o g o ) , o número 88 (Heil Hitler), a fénix
89
d a A l e m a n h a I m p e r i a l , os diferentes tipos d e suásticas o u os b r a - importante, c a r r e g a d o d e u m sentimentalismo sem igual, i n c o m -

sões d a s divisões d a W a f f e n SS, c a r r a s c o s e c a v a l e i r o s m e d i e v a i s , preensível p a r a os d e a m a i s cidadãos q u e não r e p a r a m nos seus a.

o crânio Totenkopf d o s a n t i g o s r e g i m e n t o s prussianos: símbolo d a valores o u d e s c o n h e c e m seus s i g n i f i c a d o s . Esse r e c o n h e c i m e n t o £•

legião b l i n d a d a Panzer, o f a s c c i o r o m a n o , a cruz d e ferro, os rostos d e " p e r t e n c e r a o g r u p o " está q u a s e q u e e m sua t o t a l i d a d e l i g a d o <
n
s o m b r e a d o s d o s líderes nazistas ( p r i n c i p a l m e n t e d e Hitler e Rudolf
aos a d o r n o s , às músicas q u e eles o u v e m e a v e s t i m e n t a . N a r e a l i - SS
Hess), o m a r t e l o d e Thor (Mijolnir), o Triskel: Cruz G a m a d a d e três
d a d e , t o d o s s e g u i a m o s e g u i n t e l e m a : "Eu sou o que visto".
braços, símbolo d a Organização B l o o d a n d H o n o u r o u os m a r t e l o s
Em c o m u m t o d o s d e t e s t a v a m a i m p r e n s a e os jornaistas, p e l o
c r u z a d o s d a organização Hammerskins.
f a t o d e não d i s t i n g u i r e m as d i v e r s i d a d e s ideológicas, r o t u l a n d o
Os n a c i o n a l i s t a s t a t u a m símbolos patrióticos: a b a n d e i r a n a c i o n a l s e m p r e a t o d o s c o m o racistas e xenófobos. Também não s u p o r t a -
e as e s t a d u a i s , b u l l d o g s e m c o l e i r a d e espinho, tigres o u cães r a i v o - v a m a atribuição d o título d e " g a n g u e s " . Para muitos, essa d e n o -
sos, teias d e a r a n h a , o Sigma Integralista, a p a l a v r a O I ! e n t r e ramos minação c a b i a a o s d e l i n q u e n t e s , c o i s a q u e não c o n s i d e r a v a m ser,
d e louro, socos ingleses, âncoras, p i n - u p s ( e m raros casos), brasões pois s e g u n d o eles " e r a m guerreiros e s o l d a d o s " .
d e c l u b e s d e f u t e b o l , b o t a s o u os m a c h a d o s c r u z a d o s d o C a r e c a s Investi p e s a d o e m leitura p a r a formação d o " s o l d a d o político" per-
d o Brasil (muitos d e seus m e m b r o s são ex-militares. então p o s s u e m feito. Li textos d e D a v i d Myiatt, Tom Metzer, Julius Evola, Ramiro Ledes-
t a t u a g e n s d o s batalhões e m q u e serviram, o e s c u d o c o m os fuzis e m a , Ezra P o u n d e C o d r e a n u . Pela internet fiz u m a r e d e d e conexão
a g r a n a d a d a i n f a n t a r i a brasileira é b e m p o p u l a r ) . Já os punks. rash. entre NS d e vários países, costumávamos nos falar p o r MSN. Muitos
sharps e antifas. e m g e r a l , s e m p r e t a t u a m c a v e i r a s c o m m o i c a n o s (o portais clandestinos disponibilizavam vastas f e r r a m e n t a s p a r a p e s q u i -
d a b a n d a Exploited). o A maiúsculo estilizado d a a n a r q u i a , a f o i c e sa, o site Valhalla 88 e r a u m e x e m p l o . Lá se p o d i a b a i x a r E-Books (livros
e o m a r t e l o , a estrela v e r m e l h a soviética, o rosto s o m b r e a d o d e C h e digitalizados) e m f o r m a t o PDF. H a v i a u m a coleção d o G u s t a v o Bar-
G u e v a r a , o e l m o e s p a r t a n o símbolo Sharp: Trojan, crânios e ossos roso História Secreta do Brasil, e m 6 volumes, o n d e o célebre escritor
c r u z a d o s e suásticas c o r t a d a s e m sinal d e a n t i n a z i s m o . d e i x a v a explícito o p o d e r d a maçonaria e d o judaísmo a o l o n g o d a
história d o Brasil. A f a m o s a Editora Revisão, d o Rio G r a n d e d o Sul, a n -
C a d a g r u p o necessariamente d e v e usar a simbologia q u e retrata o
t i g a m e n t e d i r i g i d a porS.E. C a s t a n , alemão f u n d a d o r d o revisionismo
ideal d e f e n d i d o . Porém, há tatuagens incomuns entre todas as g a n g u e s .
brasileiro, p r o c e s s a d o diversas vezes p e l a publicação d e seus livros,
Um e x e m p l o são as siglas A.C.A.B. (AH Cops are Bastará), faixa clássica
tinha vários títulos n a página, c o m comentários a d i c i o n a i s d e muitos
dos The 4 Skins q u e se transformou e m u m hino a o g a n g u i s m o m u n d i a l .
c a m a r a d a s também. Além d e textos avulsos sobre a c o n t e c i m e n t o s
M a r g a r e t Thatcher, d e p o i s d e ver diversos atos d e v a n d a l i s m o d a a t u a l i d a d e mostrados p o r u m o u t r o p o n t o d e vista, alternativo, e m
p r a t i c a d o p o r s k i n h e a d s n a I n g l a t e r r a , e n t r e os a n o s 1970 e 1980, relação à " i m p r e n s a m a n i p u l a d a " c o n v e n c i o n a l .
d e c l a r o u q u e ia c r u c i f i c a r a t o d o s . A i m a g e m d e u m c a r e c a a u m a
cruz se t o r n o u u m a f a m o s a t a t u a g e m e m Londres e r a p i d a m e n t e O V a l h a l l a 8 8 . c o m e r a o mais a t i v o site NS d a América d o Sul,

se c o n v e r t e u e m u m símbolo universal típico d e n t r e os mais v a r i a - t i n h a m a t e r i a i s d e t o d o o t i p o , músicas e m MP3 d a s b a n d a s n a c i o -

d o s g r u p o s skins. O u t r o p o n t o d e vista m u i t o a r g u m e n t a d o p e l o s nais e i n t e r n a c i o n a i s e t c . H a v i a u m fórum o n d e a l g u n s c a m a r a d a s

skins também, é q u e d e s d e q u e u m indivíduo se t o r n a u m s k i n h e a d , d e vários l u g a r e s d o Brasil, até m e s m o d o e s t r a n g e i r o , c o m e n t a -

e l e é c r u c i f i c a d o p e l a s o c i e d a d e e excluído d a " m o r a l pública". v a m e t r o c a v a m i d e i a s sobre o assunto. Por vezes, o p o r t a l e r a d e -


s a t i v a d o e ficávamos u m a o u d u a s s e m a n a s s e m p o d e r acessá-lo.
Tem a q u e l e s q u e t a t u a m o c r u c i f i x o c o m o código d e r e c o n h e c i -
Q u a n d o se a b r i a a página, l o g o a p a r e c i a u m a m e n s a g e m d o t i p o :
m e n t o e n t r e o g r u p o , se o m e s m o já foi preso o u se s a c r i f i c o u p e l a
"Pedimos a sua paciência, o Valhalla 88 logo voltará ao ar. Estamos
c a u s a . Q u a l q u e r a p r e t e c h o , peça d e r o u p a e aparência é m u i t o
90
c o m dificuldades devido à opressão do sistema sionista que nos im- Protocolos dos Sábios d e Sião e o Breviário NS, escrito p o r u m a n t i g o

g pede de atuar no que deveria ser a DEMOCRACIA brasileira.". c a m i s a - p a r d a , m e m b r o d o P a r t i d o Nazi n a A l e m a n h a dos a n o s 20, Q-

c Walter Darré. Tive a c e s s o a u m a literatura m u i t o a l t e r n a t i v a . R e c e - ~

2 O p o r t a l era d i r i g i d o por c a m a r a d a s d e Santa C a t a r i n a , mais p r e - bi p e l o c o r r e i o d a Frente N a c i o n a l Revolucionária d o Chile, u m d o - <


c u m e n t o i n t i t u l a d o "Projeto Andínia". o n d e e x p u n h a m u m suposto *B
"fí c i s a m e n t e Rio G r a n d e d o Sul. Jamais r e v e l a r a m sua i d e n t i d a d e , mes-
p l a n o secreto feito pelos j u d e u s p a r a c o n q u i s t a r as nações a n d i n a s .
m o entre nós d o m o v i m e n t o . Provavelmente n e m e r a m skinheads,
"TD seriam pais d e família, profissionais liberais o u até a g e n t e s infiltrados A o m e s m o t e m p o e m q u e m e e n c a n t a v a saber coisas q u e j u l g u e i
ca
u n o g o v e r n o e instituições militares. Crescia o a t a q u e a o sistema p e l a serem v e r d a d e i r a s e p e r t e n c e n t e s a p e n a s a u m a classe restrita d e
r e d e g l o b a l . A internet era a f e r r a m e n t a mais i m p o r t a n t e d e p r o p a - intelectuais, t o d a s a q u e l a s informações m e c a u s a v a m e s p a n t o .
gação d a i d e o l o g i a . Podia-se transmitir nossa m e n s a g e m rápida e
N o colégio c o n h e c i Pietrini. R a p i d a m e n t e ficamos a m i g o s . D e l e
instantânea p a r a os d e m a i s jovens d o país. A eficiência era t a l , q u e o
e u c o m p r a v a CDs d a s b a n d a s RAC. Ele os g r a v a v a e v e n d i a n o i n -
Valhalla c h e g o u a ser c i t a d o n o s e n a d o , e m Brasília, e p a r l a m e n t a r e s
t e r v a l o , m u i t a s vezes a t r o c o d o l a n c h e n a c a n t i n a . Eu q u e s e m p r e
e s t a v a m t e n t a n d o t o m a r u m a providência e m relação à l i b e r d a d e e
fui fã d o Black Sabbath. Iron Maiden e Metállica. agora aumentava
livre acesso d a internet. A d i f i c u l d a d e e n c o n t r a d a p o r p a r t e d a s a u t o -
m i n h a p r a t e l e i r a c o m os álbuns d o Division 250. lurzir. Ultima Thule,
ridades era q u e o site possuía u m a p o s t a g e m estrangeira, n o r t e - a m e -
Skrewdriver. Odins Law. Disorderly Conduct e Landser. disposto a
r i c a n a , e s t a n d o s u b m e t i d o às leis d o s EUA, d i f i c u l t a n d o a ação d o s
a r r e b e n t a r q u a l q u e r gótico, p u n k , d a r k , e m m o o u n e w w a v e q u e
a g e n t e s federais - estes q u e muitas vezes t e n t a r a m u m a aliança c o m
cruzasse m e u c a m i n h o . O notável a m i g o e r a u m r a p a z m u i t o c u l t o ,
o FBI p a r a o c o m b a t e d o neonazismo. Q u a n d o a c o m p a n h i a G o o g l e
d e família b a s c a p o r p a r t e d e mãe e i t a l i a n a d e p a i . A n o s antes e l e
i n t e g r o u as diversas ferramentas d e b u s c a n a c i o n a i s , a repressão a
p e r t e n c e u a u m movimento anarquista c o m o punk admirador d o
d e t e r m i n a d o s conteúdos se a c e n t u o u .
estilo Psychobilly. D e lá e n t r o u p a r a o NS, o n d e a l e g o u " f i n a l m e n t e
L e m b r o - m e c o m precisão d e q u a n d o c o m e c e i a ler o M e i n ter e n c o n t r a d o a razão d e sua v i d a " . "Os melhores NS sempre foram
K a m p f . J a m a i s p u d e p a r a r d e seguir c o m m e u s olhos as frases c a r - anarquistas ou comunistas antes de entrarem para o movimento,
r e g a d a s d e s e n t i m e n t a l i s m o e t a m a n h a h o n e s t i d a d e d o Fúhrer e m pois possuem o sentimento revolucionário que jamais poderemos
expressar sua visão d e m u n d o e experiência d e v i d a , d o c r e s c i - encontrar na juventude burguesa consumista. Quem é a favor do
m e n t o n a c a s a p a t e r n a à iniciação política. As noites e m c l a r o q u e capitalismo nunca será um guerreiro". - dizia.
passei f o l h a n d o u m a edição d o Minha Luta. d e 1961, relançada n o
Diversas vezes e l e r e c e b e u e m sua c a s a a l g u n s c a m a r a d a s q u e
Brasil d e p o i s d a o r i g i n a l d o s a n o s 20, q u e c o n s e g u i e m u m a livraria
v i n h a m d o sul. O próprio Alex, v o c a l i s t a d o lurzir. d o r m i u e m seu a p a r -
d e r a r i d a d e s , m e p r o d u z i a u m êxtase indescritível. Era c o m o se o
t a m e n t o p o r u m t e m p o . S e m p r e saía c o m u m c a r a c h a m a d o A n g r y
próprio A d o l f estivesse m e c o n t a n d o sua história. A l i n g u a g e m sim-
Boy, a m b o s t i n h a m u m a página n o p o r t a l Libreopinion (servidor ar-
ples n a q u a l o livro foi escrito e as p a l a v r a s e m o t i v a s utilizadas p r o -
g e n t i n o o n d e é c o m u m a publicação d e sites nazistas), i n t i t u l a d a
positadamente p a r e c i a m q u e estavam sendo gritadas para t o d o
Pró-Pátria. Q u a n d o t e r m i n e i o colégio, n u n c a mais o vi. M a n t i v e m o s
o m u n d o e h i p n o t i z a v a a m e n t e d a q u e l e r a p a z c h e i o d e paixão e
c o n t a t o p e l a internet e a última vez q u e tive notícias suas, e s t a v a
f a n a t i s m o . Aguçava m i n h a imaginação d e u m a f o r m a fantástica.
v i a j a n d o p e l a Europa há uns três anos. Juntou-se a C o m b a t 18 d e
Eu m e sentia atrás d a s g r a d e s d e L a n d s b e r g j u n t o c o m Hitler e Hess,
Londres e c o n h e c e u os integrantes d a b a n d a Les Vilians d a Bélgica,
i n i c i a n d o u m l e g a d o revolucionário inédito.
além d e p a r t i c i p a r n a luta c o n t r a os Antifas n o leste e u r o p e u .
Bem c o m o a o b r a d e i x a d a p e l o fuhrer, era o b r i g a d a a leitura dos
Através d e l e p u d e c o n h e c e r g e n t e m u i t o a t u a n t e n o m o v i m e n -
t o , i n c l u i n d o V. Kalaf q u e fazia o f a n z i n e SP-NS, q u e a n o s d e p o i s b a n d a s d o estilo já e n r i q u e c e r a m e m m u i t o c o m a divulgação d o s
t e v e u m d e s e n t e n d i m e n t o c o m Pietrini e p u b l i c o u u m t e x t o criti- álbuns). A b a n d a Olho Seco. d e caráter p u n k r o c k , c e r t a vez c h e -
c a n d o - o n o p o r t a l Stormfront. Kalaf c o l a b o r o u p a r a u m d o s m a i s g o u a d a r lucros d e a p r o x i m a d a m e n t e R$ 4 0 0 . 0 0 0 p a r a o v o c a l i s t a ,
i m p o r t a n t e s fanzines, o Acción D i r e c t a ( d a A r g e n t i n a e U r u g u a i ) , q u e f i c o u f a m o s o e e m u m c u r t o período não s o u b e lidar c o m a
s e n d o q u e a l g u n s brasileiros e s c r e v e m e p o s t a m n o servidor d e in- !< i m a , v i r a n d o u m v i c i a d o e d e p o i s u m p a s t o r evangélico r a d i c a l .
t e r n e t NSDAP-AO n o r t e a m e r i c a n o ( c u j o líder é G e r a r d Lauck) c o m
"A dança é o Pogo a qual expelem sua angústia, sentimento,
traduções p a r a diversos i d i o m a s , i n c l u i n d o a página d o Brasil c o m
omoção e repúdio."
textos sobre nossa r e a l i d a d e política.

C o m p r e i instrumentos d e a c a d e m i a e iniciei as sessões d e exer- O guerreiro u r b a n o a m a seu ódio e o amor. A c o r a g e m e o ódio j u n -

cícios físicos e m m e u q u a r t o . A " T o c a d o L o b o " , c o m o c h a m a v a tos são mais fortes d o q u e a hipocrisia e a ganância. Seu coração é forte

m e u leito, a g o r a e s t a v a r e p l e t a d e b a n d e i r a s e c a r t a z e s d o m o - o por isso resiste à tentação materialista, f a z e n d o realizar seus ideais.

v i m e n t o . Deixei e m exibição u m chapéu d a i n f a n t a r i a alemã e m N a q u e l a a l t u r a , e u t i n h a mil m o t i v o s p a r a m e revoltar, p o r isso


c i m a d e u m m a n e q u i m c o m cabeça d e c a v e i r a e, a c i m a d e m i - r e v i d a v a s e m limites. Mas h o j e a f i r m o q u e o único m o t i v o real é
n h a c a m a , o pendão d a cruz g a m a d a m e p r o t e g i a nas noites d e j u s t a m e n t e a f a l t a d e motivos. Eu e r a m a i s u m j o v e m n e c e s s i t a d o
s o n o e m q u e m a q u i n a v a a c o n q u i s t a d o p l a n e t a . A o r i t m o d a clás- a e x a l a r a t e s t o s t e r o n a e m excesso e a autoafirmação d i a n t e d a
sica b a n d a L o c o m o t i v a , iniciei m i n h a m e t a m o r f o s e pessoal q u e se s o c i e d a d e hostil q u e m e r o d e a v a . Há u m a frase m u i t o c o n h e c i d a
n o t a v a p e l o físico, q u e começava a se a p r i m o r a r : "Nosso honro d e Tom Metzer, p e n s a d o r n e o n a z i s t a q u e c h e g o u a a f i r m a r q u e os
é a lealdade, a violência e a agressão. Jovens agora saudando jovens s k i n h e a d s e r a m o t i p o d e j u v e n t u d e q u e os Estados Unidos
a Nova Ordem. Sobre Mein Kampf juramos lealdade. Adolf Hitler... n e c e s s i t a v a m , pois e r a m os únicos q u e t i n h a m c o r a g e m d e fazer
somos seu estandarte. Skinheads! White Power.'". o q u e t o d o s a m e r i c a n o s g o s t a r i a m , inclusive, a polícia: expulsar os
"invasores" n e g r o s e m e x i c a n o s d o s bairros d e família. - O q u e real-
A c a d a flexão, a b d o m i n a l , o suor e s c o r r i a e e u g r i t a v a j u n t o d o
mente atrai esses jovens, é a simples camaradagem, a amizade e
refrão,da canção e m t o m agressivo: "Filhos da Europa e também
0 identificação que tantos buscam com desespero.
da nossa América agem pelas ruas. por amor à sua pátria com a
cabeça bem erguida, empunhando a bandeira; força unida e ati-
O p u s - m e e c o m e c e i a o d i a r t u d o o q u e o sistema o p r i m i a . Q u e -
vista relembrando as S.A. Skinheads! White Power!".
ria m e expressar a q u a l q u e r c u s t o , n e m q u e p a r a isso e u tivesse q u e
E r g u e n d o os pesos, deixei-os p o r c i m a d a c a m a , s u a d o e o f e - tirar u m a v i d a . Os ânimos f i c a m lá n o a l t o , o s a n g u e f e r v e , a a d r e -
g a n t e , d i a n t e d a i m a g e m d o fuhrer e u fiz a saudação: "Juventude n a l i n a nos faz ter alucinações. J u l g a v a - m e libertário p o r c o n v i c -
inconformada com os problemas de sua pátria, esmagando as ção e não p o r conveniência. Q u e r i a t o r n a r o N a c i o n a l - S o c i a l i s m o
oposições sem piedade, com a cabeça raspada e a pele branca o c o t i d i a n o e c o t i d i a n i z a r o m e s m o . Passei a c u m p r i r à risca o v e l h o
tatuada. Skinheads. Skinheads. Way of Life!". s l o g a n punk-skin " D o it yourself" (faça você m e s m o ) . Não p r e c i s a -
va d a s a u t o r i d a d e s , n e m d a aprovação d a s o c i e d a d e e m c e r t a s
O R.A.C, e O i ! e r a m sons simples e diretos, a b o r d a v a m letras
a t i t u d e s , c o n s u l t a v a a p e n a s m i n h a consciência, s e g u i a a p e n a s as
c o e r e n t e s c o m t e m a s políticos, e n v o l v e n d o u m a " r e a l i d a d e in-
leis i m p o s t a s p o r m e u coração e c o n f e s s o n u n c a ter m e s e n t i d o tão
cógnita". J a m a i s se c o m e r c i a l i z a v a o s o m skin. A p a l a v r a " f a m a " é
livre e m t o d a v i d a , c o m o m e sentia n a q u e l e s t e m p o s .
e s t r a n h a à sua essência, pois não se t e m a a f i n i d a d e e m produzir
l u c r o ( s e n d o m u i t o c o n v i n c e n t e a p e n a s n a t e o r i a , pois as m a i o r e s E n g r a n d e c i d a , a pátria dentro d e m i m , insistia n o orgulho c o m o : Em
São Paulo nós nos definimos sempre n o superlativo - "Somos os maiores, luhrer. A q u e l a s l e n d a s p o p u l a r e s d e q u e e l e e r a h o m o s s e x u a l , t i n h a
mais fortes, mais ricos, condutores d o progresso...". Todo paulista, seja d e a p e n a s u m testículo, q u e a s s e d i a v a a própria s o b r i n h a , era j u d e u . . .
q u a l q u e r classe, d a c a m a d a mais baixa a mais f a v o r e c i d a , todos pos- C a d a coisa m i r a b o l a n t e q u e a f i r m a v a m c o m convicção, d i f a m a n -
suem esse orgulho e x a c e r b a d o . E tal sentimento se dá a pessoas politi- d o a sua i m a g e m . C h e g u e i ouvir até q u e e l e e r a u m extraterrestre.
zadas o u não: t a n t o os d a esquerda, c o m o os d a direita, o u indiferentes. C o m o a d m i r a d o r d e sua pessoa, e u não a d m i t i a q u e falassem m a l
É quase impossível descrever o sentimento e m p o l g a n t e q u e o idealismo d o m e u ídolo. Hitler foi u m g r a n d e líder. C o m o p o d i a m c o n f i r m a r es-
nos p r o p o r c i o n a , u m a espécie d e "força q u e e m a n a o ruído imperial d o sas coisas c o m t a n t a c e r t e z a ? Os escritores d a s tantas biografias q u e
ódio nos faz levantar a e s p a d a d a justiça e c l a m a r por nossos deuses". o u c o n s i d e r a v a " a b s u r d a s " j a m a i s o c o n h e c e r a m . Muitas d a s infor-
Creio q u e as citações d e M a n o l o d o D250 são as q u e mais se aproxi- mações q u e r e c e b e r a m f o r a m d a b o c a dos inimigos d o N a c i o n a l -
m a m d o q u e senti. A o invés d e mostrar p a r a o sistema minha revolta, Socialismo - oficiais soviéticos e a m e r i c a n o s o u vítimas dos c a m p o s
v a n d a l i z a n d o banheiros e a c a b a n d o c o m latas d e lixo pelas ruas, era d e concentração. Eu a c r e d i t a v a q u e o nazismo não e r a " a q u e l e
melhor d a r p o r r a d a n a g a n g u e adversária e promover nossa ideia a t r a - m o n s t r o " p o r essas razões, também p e l o m o t i v o : C o m o p o d e m os
vés d e passeatas. A o c a m i n h a r pelas ruas, se avistava u m rapaz c o m a v e n c e d o r e s d a S e g u n d a G u e r r a M u n d i a l d e c i d i r s o b r e seu d e s t i n o ?
camiseta d o Cólera o u c o m a c a r a d o C h e G u e v a r a e s t a m p a d a , l o g o Há d e se o u v i r e m os v e n c i d o s também! A c h a v a t o t a l m e n t e l i m i t a d o
e n q u a d r a v a e o ameaçava c o m estilete. C h e g u e i ser a b o r d a d o por os a r g u m e n t o s vazios s o b r e o d i t a d o r , c o m o u m b e m c o m u m entre
grupos punks, m e levaram u m boné, u m a corrente d e pescoço, bottons os antifascistas: - Hitler nem era alemão, era austríaco...
d a j a q u e t a , os suspensórios o u a m o c h i l a inteira. O m e s m o nós fazíamos
Pois b e m , eis aí o p o n t o c r u c i a l d a crença q u e nós tínhamos: o
c o m eles. Sabíamos q u e a m o r t e p o d i a c h e g a r . Era " m a t a r " o u "morrer".
n a c i o n a l i s m o d o fuhrer não f i c a v a restrito a p e n a s às fronteiras d a s
Tudo era válido, armas caseiras, c a n o s c o r t a d o s , c a b o s d e vassoura e
nações. T o d o indivíduo d e ascendência a r i a n a seria incluído n o Rei-
pontas d e vidro... Não i m p o r t a o q u e as regras dizem, q u a n d o a realida-
c h . Além d o m a i s a Áustria-Hungria p e r t e n c i a a o a n t i g o s a c r o impé-
d e c h a m a , d e v e m o s saber se é melhor fazer a q u i l o o u não.
iin r o m a n o - g e r m a n o q u e esteve a o l a d o d e Bismark n a unificação
Tudo virava p a l c o dos c o m b a t e s : u m b a r n a esquina, u m esta- d a G r o s s d e u t s c h l a n d ( G r a n d e A l e m a n h a ) , u m estado-nação c o m o
c i o n a r t i e n t o e até as e s c o l a s d o s bairros f o r a m t r a n s f o r m a d a s em ospaço vital p a r a t o d o s os p o v o s germânicos. Sem c o n t a r também
c a m p o d e b a t a l h a . Espancamos garotos q u e passavam drogas q u e e l e serviu n o exército alemão d u r a n t e a Primeira G u e r r a M u n -
nos b a n h e i r o s . C h e g u e i a ser j u r a d o d e m o r t e p o r t r a f i c a n t e s . A dial, isso após ser f e r i d o e m c o m b a t e . E g a n h o u a cruz d e ferro. N o
m o l e c a d a q u e p e r t e n c i a às g a n g u e s resolvia m u i t a s d a s "tretas" livro Minha Luta. Hitler f a l a v a a i n d a n o primeiro capítulo d o p e q u e n o
n o pátio d a c a n t i n a o u n a saída d a a u l a . Era c o m u m l e v a r m o s vilarejo boémio o n d e n a s c e u , B r a u n a u a m Inn, s i t u a d o à b e i r a d o rio
soco-inglês e p u n h a i s n a m o c h i l a , t u d o p a r a c o m b a t e r a g u e r r a d e m e s m o n o m e , o n d e d o o u t r o l a d o d a s suas m a r g e n s é a região
e n t r e os colégios dos distritos, dos q u a i s c a d a u m s e g u i a " u m a alemã d a Baviera. N o p a s s a d o , ali e r a u m p o v o a d o p e r t e n c e n t e à
b a n c a d o m i n a n t e d o b a i r r o " . A violência se a g r a v o u a o p o n t o q u e nação alemã. Essas visões são incompreensíveis p a r a a q u e l e s q u e
a R o n d a Escolar t e v e q u e f i c a r d e prontidão n a p o r t a d a s a l a d e não se i n c l u e m n o i d e a l tão d e f e n d i d o p o r nós. " Q u e m é d e f o r a "
a u l a , a r m a d o s . Não a d i a n t o u m u i t o , a r a p a z i a d a d a v a a v o l t a n o n a o fazia a análise d a m e s m a f o r m a q u e fazíamos.
quarteirão e d e c i d i a a b r i g a l o n g e dos o l h o s dos PMs. H o u v e u m a
Não m e c o n f o r m a v a c o m a ausência d e l i b e r d a d e q u e v e m i m -
época e m q u e os c o n f r o n t o s e r a m m a r c a d o s , t i n h a d i a , l o c a l e x a t o
I K j r a n d o há tantas gerações; d e s d e q u e n a s c e m o s somos sujeitos
e h o r a . Até c o n v i t e s e r a m e n t r e g u e s c o n v o c a n d o a p l a t e i a .
Q leis q u e não f a v o r e c e m o p o v o e p r o t e g e m bilionários d o p o d e r
U m a c o i s a q u e m e e n f u r e c i a : as especulações existentes sobre o oconômico m u n d i a l , a u t o r i z a m a cobrança d e impostos extorsivos
e m muitas nações, o b r i g a m pessoas q u e n a s c e r a m "livres" a lutar
d e s d e crianças p a r a c o m p r a r alimentos, r o u p a s e m o r a d i a . E m b o r a
m i n h a visão a t a c a s s e os reacionários, e u e r a a o m e s m o t e m p o anti
e s q u e r d a . N u n c a gostei dos revolucionários marxistas; o d i a v a - o s mais
d o q u e as ideias d o próprio Karl M a r x ( q u e confesso q u e g o s t a v a e m
certos aspectos). Sempre a c h e i q u e o tão s o n h a d o socialismo mar-
xista jamais f u n c i o n a r i a , e através d e l e surgiria a miséria e corrupção,
n i v e l a n d o os cidadãos p o r b a i x o a o invés d e libertá-los, c o m o o c o r -
reu n a a n t i g a URSS. A d m i r e i o a n a r q u i s m o . M e u s o n h o e r a a união dos
anarquistas e dos nacionalistas c o n t r a o liberalismo e o c o m u n i s m o ,
espécie d e u n i d a d e s q u e c o m b a t e r i a m o sistema c o m o n a República
d e Weimar, os mercenários d o Freikorps l u t a v a m " p o r u m a A l e m a n h a
m e l h o r " , t u d o u t o p i a ! Talvez pudesse f u n c i o n a r u m a s o c i e d a d e livre TERRITÓRIOS
sem r e g u l a m e n t o s , m a s a m e u ver e l a não p o d e r i a ser m i s c i g e n a d a ,
o q u e m e d i f e r e n c i a v a dos punks anti-nazistas. Não fosse a questão TRIBAIS
racial, seria m u i t o provável a união dessas d u a s vertentes.

C o m t o d a a transformação d e m e u perfil, não p o d i a m e e x p o r


p a r a a s o c i e d a d e s e m u m c o d i n o m e . Q u a n d o se p e r t e n c e a u m a
facção, l o g o f i c a m o s c o n h e c i d o s e n t r e o m u n d o d a s g a n g u e s .
T o d a a q u e l a i d e i a romântica d a " c i d a d e m a r a v i l h o s a " desa-
p o n d o e m risco as pessoas próximas d e si. S u b i t a m e n t e , r e c o r d e i
p a r e c i a d i a n t e d a decepção d a r e a l i d a d e . F r e q u e n t a n d o o últi-
d o m e m o r i a l n e o n a z i s t a "As Leis d o L o b o Solitário", o n d e reivindi-
m o a n o d o colégio, e u m e a p r o x i m a v a d o s d e z o i t o a n o s . Estava
c a v a m direitos a o p o v o b r a n c o e f a l a v a m d e u m a l u t a i n d i v i d u a l ,
prestes a c h e g a r à m a i o r i d a d e s e m u m o b j e t i v o a seguir, o u a i n d a
u m a . revolução p e s s o a l c a p a z d e c o n t a g i a r a o s d e m a i s , a p e n a s
q u e existisse a l g u m , n o imaginário m u n d o idealista d e r a p a z eletri-
após a si próprio. N o i d e a l NS e o n a c i o n a l i s m o r a c i a l e u r o p e u , a
z a d o p e l a r o t i n a d e v a s t a d o r a d a metrópole, o q u e e u fizesse p a r a
f i g u r a d o l o b o b r a n c o s e m p r e foi a m a i s mística. O c a n i n o possui a
tentar realizar m e c o m p l i c a v a a i n d a mais. S a i n d o c o m P u l g a , n a
representação m a i s n o b r e d o g u e r r e i r o n o m u n d o a n i m a l . Ele seria
intenção d e a p r i m o r a r o p r o j e t o d a criação d o m e u próprio m o v i -
a f e r a q u e r e n o v a r i a o r e i n a d o d o V a l h a l l a através d a figura m i t o -
m e n t o , os c o m p a n h e i r o s d o P a r t i d o Paulista, n a q u e l e a n o d e 2005.
lógica Fenrir. O próprio O d i n possuía l o b o s q u e g u a r d a v a m seu t r o -
se esforçavam p a r a selar u m a aliança c o m outros g r u p o s d a c i d a -
n o . Eu s e m p r e fui a d m i r a d o r desse b e l o a n i m a l , c o i n c i d e n t e m e n t e
d e . Ele d e s c o b r i u q u e as fileiras n a c i o n a l i s t a s d o país o f e r e c i a m u m
h a v i a n o m e a d o m e u dormitório d e T o c a d o L o b o . Mais evidências
c a m p o fértil p a r a o r e c r u t a m e n t o d e a l i a d o s . N o nosso E s t a d o e r a
não e r a m necessárias. D i r i g i - m e a u m estúdio d e t a t u a g e n s e fiz a
q u a s e impossível e n c o n t r a r p u r o s d e s c e n d e n t e s d e e u r o p e u s , u m a
i m a g e m d e u m l o b o u i v a n d o p a r a a l u a c h e i a n o braço d i r e i t o . O
vez q u e a migração p r o m o v e r a a mestiçagem. Não g o s t e i n e m u m
d e s e n h o e s t a v a p o r e n t r e tribais c e l t a s e p o u c o a c i m a d o p u l s o
p o u c o . Estávamos p e r d e n d o c a m a r a d a s p a r a os carecóides fas-
t a t u e i a W o l f s a n g e l (Runa d o L o b o ) , q u e também foi u t i l i z a d a p e l a
cistas, e os NS d i f i c i l m e n t e m o s t r a v a m a c a r a c o m o a c o n t e c i a n o
divisão m o t o r i z a d a d a SS h o l a n d e s a . M i n h a p e r s o n a l i d a d e já e s t a -
p a s s a d o . Era c o m u m ver diversos c o m p a n h e i r o s d i z e n d o q u e e r a m
v a reforçada. A p a r t i r d e então passei a m e c h a m a r LOBO.
" n a c i o n a l i s t a s " p a r a a b a f a r a rotulação d e " n a z i s t a " p e l a mídia e
98
a condenação d a s o c i e d a d e . E m b o r a a l g u n s d e i x a s s e m o m o v i a m m e r s k i n p r a s e m p r e , p r a s e m p r e H a m m e r s k i n ) fora e l e g i d o o

g m e n t o , a relação pacífica p e r m a n e c e u . Pulga d i s s e - m e , a respeito ial d a organização e as iniciais H.F.F.H. v i r a r a m t a t u a g e m . Rio

c d o s integralistas: - Cara, esses Integral são toda, como você pode d o Janeiro, Brasília e até M a n a u s t i n h a m s k i n h e a d s WP. D e f e n d i a m
«a
0 o r g u l h o operário e as c o m u n i d a d e s a r i a n a s e s p a l h a d a s p e l o p l a -
J5 ser nacionalista e odiar as colónias europeias atuantes no Brasil.
n e t a . Seu símbolo e r a m dois m a r t e l o s c r u z a d o s n o c e n t r o d e u m a
o se possui um avô italiano ou um pai português? Esses carecas são
e n g r e n a g e m ( i n s p i r a d o n o filme Pink Floyd - The Wall d e 1982) e as
£5 u m a piada! Tão controversos quanto o próprio Brasil. Mas são anti-
famosas 14 p a l a v r a s d o líder e s t a d u n i d e n s e D a v i d Lane, f u n d a d o r
« comunistas e isso os torna nossos aliados...
d a Wotans W o r d : " D e v e m o s assegurar a existência de nossa raça e
Fato era q u e a i d e i a separatista d o sul d o país começava a d e -
Pffl futuro para as crianças brancas.".
saparecer. A i n d a éramos regionalistas, mas c o m o investimento d a
e c o n o m i a n o nordeste e, p r i n c i p a l m e n t e o d e s e n v o l v i m e n t o d o turis- C h e g u e i a ouvir d e u m d o s W h i t e Powers: "Num mundo globa-
m o . Muitos paulistas h a v i a m se m u d a d o p a r a a região, b e m c o m o os ii:< ido como o de hoje, existem irmãos arianos em qualquer lugar.
gaúchos q u e subiram p a r a Goiás, p a r a explorar a a g r i c u l t u r a . C o m e Mesmo no nordeste, que tanto detestamos ainda se salvam alguns
çaram a surgir organizações e m t o d a s as regiões d o Brasil, i n c l u i n d o descendentes de holandeses e franceses.".
alguns países vizinhos d e minoria b r a n c a (havia nazistas até n a Bolívia, Esse estilo " n a z i s t a s e m fronteiras" m e c h a m o u atenção. T i n h a m
Peru e Equador). Filiamo-nos a u m a i d e o l o g i a n o v a q u e começava a g r a n d e representação e m P o r t u g a l , c u j o líder e r a Mário M a c h a d o ,
aflorar n a A m e r i c a d o Sul, o c h a m a d o i d e a l " H a m m e r " . preso p o r p o r t e d e a r m a s ilegais. E s t a v a m n a França, Suíça, C a -
nadá, H u n g r i a , A l e m a n h a . N o v a Zelândia e p r o m o v i a m shows n o
sul d a Bélgica. A t u a l m e n t e é a organização racista m a i s f o r t e d o s
Encarnando Hammerskin Nation
LUA. C u r t i a m u i t o o s o m q u e eles p r o d u z i a m . Baixei d a internet as

Em 1988, n a c i d a d e d e Dallas, Texas, surgiu o g r u p o s u p r e m a c i s - músicas d e b a n d a s c o m o : H8 Machine. Stahlgewitter e Bully Boys.

ta b r a n c o H a m m e r s k i n s . A d o t a v a m o estilo d e v i d a White Power e Inclusive, t i n h a u m a canção n a c i o n a l , d a b a n d a Zunir: "Ouviram

n a c i o n a l i s t a d e d i r e i t a , q u e a g r e g a r a m e m u m l e m a único: White os rumores do norte da América, onde a terra começa a tremer,

Pride World W i d e . B a s i c a m e n t e esse i d e a l se r e s u m i a d a s e g u i n t e ó a marcha dos homens de aço, predestinados a lutar e vencer,

m a n e i r a : não i m p o r t a v a se você h a v i a n a s c i d o n a África, n a C h i n a 1 •!< iço forte ao martelo, o grande Deus do trovão, é a lei e a justiça
o u n a Polinésia, se fosse b r a n c o seria c o n s i d e r a d o u m irmão. Fazia serviçal, nascido à raiva e a razão (...). Sangue jovem de lobo bran-
m u i t o s e n t i d o p a r a os NS brasileiros, q u e s e m p r e f o r a m m a l vistos c o , sempre corajoso e feroz, és super-homem de elite, o bárba-
p e l o s e u r o p e u s e m a l g u n s a s p e c t o s . O r a , não q u e r dizer q u e só ro do século XX, cabeça erguida, punhos cerrados, supremacista
p o r q u e n a s c e m o s n a América d o Sul não somos b r a n c o s , isso v a i orgulhoso, imponente e inteligente. Forte dominador! Hammerskin
d e p e n d e r d e suas ascendências. N a África m e s m o há as a n t i g a s Nation: Hammerskin Nation: 88 For Ever!".
colónias p o r t u g u e s a s d e A n g o l a e Moçambique, o n d e residiam
Inspirado n o Hammerskin N a t i o n , junto a mais 3 c a m a r a d a s :
m u i t o s e u r o d e s c e n d e n t e s q u e considerávamos c a m a r a d a s lusita-
Sander, D e m o e F a b i n h o , f u n d a m o s a organização B r i g a d a P a u -
nos. O H a m m e r s k i n N a t i o n a b o l i u as fronteiras n o m o v i m e n t o n e -
lista. Foi e m u m d i a d e a u l a q u e m a t a m o s , s e n t a d o s n o b a r d e u m
onazista, i n i c i a n d o l o g o e m s e g u i d a u m a r i v a l i d a d e c o m a B l o o d
sujeito c o n h e c i d o c o m o " T c h e " . M a s , n a r e a l i d a d e , s e m p r e nos r e u -
a n d Honour, q u e e r a e x t r e m a m e n t e xenófoba e d e f e n d i a o c o n f l i t o
níamos e m u m b o t e c o c h a m a d o P a t h e r n o n , a o l a d o d o colégio,
d o s " n a t i v o s " até c o m i m i g r a n t e s b r a n c o s , p e l o simples f a t o d e se-
n a A v e n i d a L i b e r d a d e . T e m p o s d e p o i s esse b a r f i c o u c o n h e c i d o
r e m estrangeiros. O l e m a " H a m m e r s k i n for ever, for e v e r H a m e r s k i n "
« o r n o "Bar d a B r i g a d a " p o r várias pessoas d a região p o r ter u m a
frequência d e s k i n h e a d s e p e l a s b r i g a s q u e o c o r r i a m q u a n d o " i n - m u i t o t e m p o se d i s p u t a essa possibilidade, não mais o assento.
v a d i a m " alguns anarco-punks.
"Se nesse metro houvesse só os paulistas de verdade, até sen-
Nos fim d e s e m a n a nos enconfrávamos p e l a n o i t e , e p o r ali fi-
tado estaria."
cávamos até o e s t a b e l e c i m e n t o ser f e c h a d o , p o r v o l t a d a s 2 d a
m a d r u g a d a . E m b r i a g a d o s e s e d e n t o s d e ódio, nós procurávamos C o n t a v a q u a n t o s b r a n c o s avistava e m c a d a c a n t o q u e p e r c o r -
confusão p e l a s ruas d o c e n t r o , p r i n c i p a l m e n t e próximo à Rua 24 ria e m e d e c e p c i o n a v a p r o f u n d a m e n t e saber q u e e u p o d i a realizar
d e m a i o , c o m os Devastação Punk, q u e h a b i t a v a m a região. m i n h a c o n t a g e m nos d e d o s d a s mãos. O rosto mestiço é a c a r a d o
paulista a t u a l e p a r e c i a q u e a p e n a s u m a p e q u e n a minoria c o m o e u ,
A c r e d i t a - s e q u e b a s t a q u e b r a r u m tijolo e t o d a e s t r u t u r a será
I n c o m o d a v a - s e c o m isso. As questões c o m o Cotas Raciais nas Univer-
a b a l a d a . N o f u n d o , e u s e m p r e s o u b e q u e éramos indiferentes e
sidades f o r a m a t a c a d a s ferozmente p e l a B r i g a d a . Espalhei cartazes
nosso p o d e r não significava e m n a d a , t o r n a n d o o s o n h o d a " r e -
por t o d a a A v e n i d a Paulista. Faixas c o m o website Valhalla 88 t r e m u -
volução" m u i t o a b s t r a i o . A c r e d i t a v a q u e , se nós atingíssemos as
l a v a m p o r entre os viadutos e prédios d a c i d a d e . O r a a polícia r e m o -
p e q u e n a s coisas, poderíamos p r o m o v e r nossas ideias, n e m q u e
via, o r a voltávamos a c o l o c a r . L e m b r o - m e q u e p o r volta dessa época
fosse p a r a u m a m e i a dúzia d e d e s o c u p a d o s à nossa v o l t a . Fazer
o c o r r e u u m a t e n t a d o c o n t r a o presidente d a P a r a d a G a y . Explosivos
d o r e s u l t a d o desse s o n h o as p e q u e n a s c o n q u i s t a s c o t i d i a n a s . J a -
l o r a m e n c o n t r a d o s c o m a suástica p i n t a d a j u n t o d e ameaças anóni-
mais voltaríamos a m o v e r multidões c o m o a c o n t e c e r a nos a n o s 30,
mas. Se p e r g u n t a s s e m m i n h a opinião sobre o o c o r r i d o , r e s p o n d e r i a :
porém podíamos mostrar q u e a i n d a estávamos vivos, queríamos
Estão tornando fantástico o que parecia no mínimo improvável.
i n c o m o d a r e, p a r a " p r o v a r " q u e as a u t o r i d a d e s se e q u i v o c a r a m ,
e u seria a p e d r a e m seus s a p a t o s . Por vezes c o n d e n o a q u e l e j o v e m q u e fui, m a s n o f u n d o o c o m p r e -

T o m a v a o m e t r o e s e m p r e m a n t i n h a a t e n t o o "olhõmetro", o b - e n d o . A m e u ver se esse t e m p o fosse a p r o v e i t a d o c o m o p r e e n c h i -

s e r v a n d o a m i n h a v o l t a à sujeira d a c i d a d e q u e t e n t a v a resistir a o m e n t o d e g r a n d e s feitos, v e r d a d e i r a m e n t e e m prol d a h u m a n i d a d e ,

t e r c e i r o m u n d o , u m paraíso d e o p o r t u n i d a d e s às m o s c a s p e l a v a - sem revoltas estúpidas e infantis, fiéis a u m a c a u s a d e segregação,

d i a g e m e m a l a n d r a g e m , o b a n d i t i s m o e os subúrbios se e n v o l v i a m ele teria feito d e missão u m a c o n t e c i m e n t o útil. D e v e m o s sim p r o -

c o m os d u p l e x d e a l t o luxo e os condomínios d o s c o l a r i n h o s b r a n c o s . m o v e r a união e usar senso crítico c o n t r a os p r o b l e m a s q u e nos

Era difícil m a n t e r u m a " b o a c o n d u t a " v i v e n d o n u m c e n t r o u r b a n o a t i n g e m , p r o c u r a n d o fazer o c e r t o p a r a o país, porém a l i a d o s e m

c o m o este - uns e n t r a v a m p a r a as d r o g a s , outros p a r a o e s t e l i o n a t o vertentes honestas e grandiosas n o q u e diz respeito à m e l h o r a d o

e, n o nosso c a s o , o g a n g u i s m o . O q u e faz d o j o v e m u m s k i n h e a d , indivíduo, não sua degradação, e m b o r a isso m e p e r m i t a d e s c r e v e r

não i m p o r t a n d o q u a l v e r t e n t e e l e siga, e m q u a l q u e r c a n t o d o p l a - c o m os olhos d a m a t u r i d a d e a revolta juvenil, s e m e n v o l v e r u m jul-

n e t a , é j u s t a m e n t e o f a t o d e l e p e r t e n c e r à classe média. Você é g a m e n t o prévio e a i d e o l o g i a . A c a p a c i d a d e d e análise é c o n f u n d i -

p o b r e d e m a i s p a r a ser c o n s i d e r a d o " r i c o " , e rico d e m a i s p a r a ser d a c o m " e n c o n t r a r d e f e i t o s " , e a i n d a p o r c i m a muitos u s a m termos

c o n s i d e r a d o " p o b r e " , as d u a s classes d o m i n a n t e s d a s o c i e d a d e desnecessários c o m o crítica " c o n s t r u t i v a " e " n e g a t i v a " . U m a análise

nos r e j e i t a v a m e mais d o q u e n u n c a a nossa união d e v e r i a ocorrer, íieve b u s c a r ser s e m p r e i m p a r c i a l , p o r mais q u e se utilizem d e l a p a r a

única e e x c l u s i v a m e n t e p a r a o f o r t a l e c i m e n t o d a nossa c a m a d a . desmoralizar a l g o . Criticar n a d a mais é d o q u e avaliar. Muitas pesso-

M a l e u p o d i a m o v e r - m e nos vagões d o t r e m subterrâneo l o t a d o d e as c o n f u n d e m c o m a negação sumária, q u e é o f a t o d e n e g a r p o r

p r o p a g a n d a s e l o g o m a r c a s , as massas q u e e n t r a v a m feito f o r m i g a s n e g a r (se utilizando d a hipocrisia c o m o m a n d a a regra). Naqueles

m e e m p u r r a n d o p a r a o o u t r o l a d o d o vagão, a q u e l e s a f o r t u n a d o s t e m p o s b u s c a v a s e m p r e o m e l h o r a p r o v e i t a m e n t o d o o l h a r crítico,

q u e c o n s e g u i a m e n t r a r n o t r a n s p o r t e d e v e r i a m a g r a d e c e r , pois há mas e s t a v a preso a u m a i d e o l o g i a e isso m e i m p e d i a a sua d e s e n -


voltura p o r c o m p l e t o . M a s c o m o e u p o d i a s a b e r ? V i v e n d o e m u m a q u e i x a s t o d o s os d i a s d o s professores. Não enxergávamos os c r i -
s o c i e d a d e q u e se utilizava d a exclusão p a r a o f o r t a l e c i m e n t o d e mes q u e a l g u n s c a m a r a d a s c o m e t i a m p e l o m e s m o p o n t o d e vis-
u m a m i n o r i a . Queríamos u m a pátria f o r m a d a p o r h o m e n s c a p a z e s ta d a s a u t o r i d a d e s e os d e m a i s cidadãos. A população a g e n t e
d e sorrir d i a n t e d a m e t r a l h a d o r a , u m a j u v e n t u d e d e aço c o m o a • IH >< la p e r d o a v a , pois se t r a t a v a d e u m " b a n d o m a n i p u l a d o p e l a
imortal Langemark, e x e m p l o d e bravura p a r a t o d o nacional-socia- I m p r e n s a " , m a s as a u t o r i d a d e s j a m a i s . Se a l g u m c o m p a n h e i r o e r a
lista honorável, q u e inspirou a tão magnífica J u v e n t u d e Hitlerista. Eu preso p o r formação d e q u a d r i l h a , divulgação d e m a t e r i a l racista
necessitava viver n u m a m b i e n t e assim. Desejava m u i t o ter v i v i d o n a - o u a p o l o g i a a o n a z i s m o , nós encarávamos essa detenção c o m o
q u e l e s t e m p o s e m q u e os jovens saíam d e p o i s d a s a u l a s e n t o a n d o s e n d o ideológica. Para nós, e l e e r a u m preso político, c o i s a i n a d -
canções nacionalistas, r e a l i z a v a m excursões p e l a floresta e l o u v a - missível u m a vez q u e v i v e m o s e m u m a d e m o c r a c i a q u e a s s e g u r a
v a m u m i d e a l u n i f i c a d o c o m a pátria, c o m o m o s t r a v a s e m p r e nas a l i b e r d a d e d e expressão. Q u a n d o i n t r o d u z i r a m u m a cláusula n a
t a n t a s vezes q u e assisti o documentário Triunfo d a V o n t a d e , d e Leni ( onstituição p r o i b i n d o a utilização d e símbolos nazi-fascistas, M a -
Riefenstahl. Q u e r i a q u e tivéssemos u m a m o c i d a d e q u e se reunia < baker, u m d o s m a i s a n t i g o s n o m o v i m e n t o d e c l a r o u n a TV: - Se
nos bares p a r a discutir política, filosofia e história, p o s t a n d o a d o r n o s proibiram isso aqui - disse apontando uma suástica pregada na
místicos e simbólicos d e u m a estirpe, v a n g l o r i a n d o seus a n t e p a s s a - laqueta. - deveriam proibir também a foice e o martelo ea estrela
dos, e não viver entre u m b a n d o d e m a c o n h e i r o s individualistas e de Davi. Quando os manifestantes do MST promovem vandalismo
a l i e n a d o s q u e só s a b i a m falar d e r o u p a s d e m a r c a , b a l a d a s e d e no campo, causando mortes muitas vezes, o Ministério Público os
p r o g r a m a s televisivos d e c a d e n t e s t a l q u a l o Big Brother. encaram como Movimento Político, reduzindo então o impacto da
condenação, no caso dos NS, são taxados de terroristas!
S e m p r e levávamos a l g u m a r m a m e n t o : f a c a s , estiletes, a d a g a b u -
terfly, soco inglês... Tudo p o d i a virar u m a f e r r a m e n t a d e c o m b a t e nas
Esse sujeito b r u t a m o n t e , M a c b a k e r , foi u m dos precursores n o m o -
b a t a l h a s u r b a n a s , c o r r e n t e , c a c e t e t e c o m p r e g o s n a p o n t a , spray d e
v i m e n t o . Eu n u n c a o c o n h e c i , m a s o u v i a falar d e l e . Além d e ser e n -
p i m e n t a , estilingue... Havia s e m p r e u m a p e d r a o u pedaço d e tijolo n o
trevistado p e l o SBT, também d e u t e s t e m u n h o n u m a r e p o r t a g e m d a
bolso. R a r a m e n t e possuíam a r m a s d e f o g o , e, q u a n d o t i n h a m , e r a u m
revista Isto é, d e 1992, i n t i t u l a d a "Cabeças Ocas", q u e c o n d e n a v a os
c a l i b r e 38 f u r t a d o d e a l g u m vigia d e r u a o u c o m p r a d o n a f a v e l a .
skinheads d e p o i s d e t e r e m c o m e t i d o atos d e v a n d a l i s m o a o C e n t r o
A a d a g a p e c u l i a r d a J u v e n t u d e Hitlerista, m u i t o cobiçada e n t r e (:ultural Nordestino. M a c b a k e r nutria ódio a o presidente d a C o n g r a -
os s k i n h e a d s , p o d i a ser e n c o n t r a d a e m f o r m a d e réplicas n a inter- qação Israelita Paulista, t a n t o q u e o r a b i n o Henry Sobel, c h e g o u a
net, v e n d i d a s e m u m a loja d a s forças a r m a d a s a r g e n t i n a (o exérci- ameaçá-lo p u b l i c a m e n t e . Ele e M o g i v i v e r a m a ascenção d o n e o -
t o a r g e n t i n o usa u m p u n h a l d e m e s m o d e s i g n , n o c a b o , a suástica i ii í/ismo n o Brasil. Após os a t e n t a d o s , f o r a m ameaçados e resolveram
e o l o s a n g o é substituído p o r u m a flor d e Lis). Q u a n d o tínhamos a l - d a r u m t e m p o fora d a c i d a d e , r e f u g i a n d o - s e e m a l g u m lugar d o inte-
g u m a r a r i d a d e militar, não usávamos e m b r i g a s d e r u a , pois s e r i a m rior. Hoje M a c b a k e r não é mais s k i n h e a d . Deixou o m o v i m e n t o d e p o i s
relíquias q u e d e v e r i a m ser p r e s e r v a d a s . O " m i l i c i a n o u r b a n o " d e - d e se c a s a r c o m u m a b a c h a r e l a d a d e família rica, f o r m a d a n a FIESP.
v i a estar s e m p r e a l e r t a . G e r a l m e n t e utilizar g o r r o s e óculos escuros I o v a u m a v i d a m u i t o b o a e segura. A única m a r c a q u e a i n d a c a r r e -
p a r a d i s f a r c e , b o t a s , r o u p a s c a m u f l a d a s o u n e g r a s , assim c h a m a n - (ja d o s o m b r i o p a s s a d o são as t a t u a g e n s agressivas e s p a l h a d a s p o r
d o a atenção d e u m c a m a r a d a o u i n t i m i d a n d o o i n i m i g o . t o d o o c o r p o , q u e t e n t a e s c o n d e r sob o paletó e a g r a v a t a . Já está
e m i d a d e avançada e p r o c u r a ser o típico "cidadão d e b e m " .
Eu ia p a r a e s c o l a c o m o se estivesse i n d o p r a g u e r r a . Q u a n d o
nos juntávamos, parecíamos u m pelotão p a r a m i l i t a r , c a u s a n d o o Outras condenações c o n s i d e r a d a s injustas e r a m as referentes às
t e m o r d o s d e m a i s a l u n o s e a indignação d o diretor, q u e r e c e b i a músicas. N a A l e m a n h a , M i c h a e l Reneger, v o c a l i s t a d e u m a b a n d a
n e o n a z i s t a c h a m a d a Londser, estava preso p o r suas músicas i n c i t a -
r e m a e x t r e m a - d i r e i t a . A q u i n o Brasil, A l e x a n d r o Fraga C a r n e i r o , o
v u l g o " A l e x " d o g r u p o Zunir foi c o n d e n a d o a p e n a a r b i t r a d a e m 2
a n o s e 11 meses d e reclusão, a ser c u m p r i d a e m r e g i m e a b e r t o . Sua
música mais c o n h e c i d a e r a a "88-Heil Hitler". Por q u e os g r u p o s d e
Rap p o d i a m fazer músicas d o o r g u l h o n e g r o , c r i t i c a n d o o g o v e r n o
d a m e s m a m a n e i r a q u e criticávamos, porém e m a s p e c t o s distintos,
c h e g a n d o a falar m a l d a classe média " b u r g u e s a " b r a n c a , o u o
M a r c e l o D2 expressar sua opinião d a legalização d a s d r o g a s ilícitas,
s e n d o atribuído à "Manifestação Artística C u l t u r a l " p a r a eles, e n o
c a s o dos nazistas, c r i m e ? "Alex não tinha o dolo específico de divul-
gar o nazismo com a melodia e sim o interesse de saudar o nacio-
nalismo de Hitler em relação à Alemanha". - d i v u l g o u o Tribunal d e
CRÓNICAS
Justiça d o Rio G r a n d e d o Sul, e m 15 d e j u l h o d e 2006.
PARTE 1
M a s v a l e ressaltar também q u e , s e g u n d o a a u t o r i d a d e p o l i c i a l ,
os d e n u n c i a d o s d a b a n d a t e r i a m a g r e d i d o várias pessoas, utilizan-
d o t a c o s d e b a s e b a l l . C o n c o r d o c o m a punição d e atos d e v i o
lência e agressões, m a s c o n d e n o a perseguição d a manifestação
c u l t u r a l . Se uns p o d e m , o u t r o s também d e v e r i a m p o d e r .
Sander - o Cossaco

"Nosso país atravessa uma crise profunda. A federação injus-


M e u a m i g o Sander, o c a m a r a d a mais próximo d a q u e l e s t e m p o s
ta suga todo o produto interno de SP. Carregamos esse país nas
ora d e ascendência u c r a n i a n a . Esteve n a a t i v a d e s d e os a n o s d o c o -
costas. Somos filhos de uma nação miserável, levando em consi-
légio primário, s e n d o c l u b b e r , punk, a n a r q u i s t a , n a c i o n a l i s t a e e n f i m
deração de que para fazer imposto de renda deve-se ter uma pro-
NS Q u a n d o nos c o n h e c e m o s l o g o u m laço d e a m i z a d e m u i t o forte
priedade avaliada em R$ 50.000 reais ou ganhar R$ 12.000 reais
a p r i m o r o u , a p r e n d i e ensinei muito. S e m p r e estávamos a pesquisar
por ano. Apenas 25 milhões de pessoas declaram o I.R. Ou seja.
•• >bre os nossos a n t e p a s s a d o s , v a n g l o r i a n d o nossos avós d u r a n t e a
aproximadamente 175 milhões de cidadãos não contam. A maio-
guerra e c o l e t a n d o t o d o t i p o d e m a t e r i a l n a c i o n a l i s t a . Lembro-me
ria das famílias vive com dois salários mínimos, sem possuir seguro
11») u m r a s c u n h o q u e e l e h a v i a feito e m u m a folha d e c a d e r n o , r e p l e -
desemprego e atendimento medico adequado (...)."
l< i < lo rasuras e r e b a r b a , o n d e d e s c r e v i a a situação d a sua c o m u n i -

C o m e c e i a e s p a l h a r p a n f l e t o s q u e l e v a v a m m e n s a g e n s desse t U K le d e o r i g e m n o leste e u r o p e u , e p o r q u e e l e então d e v i a ser r e c o -

t i p o p e l a w e b , até d e c i d i r o r g a n i z a r todas n u m Blog c r i a d o por n h e c i d o c o m o u m guerreiro a r i a n o d e c o n d u t a s honrosas. O primeiro

S a n d e r p a r a p r o m o v e r a B r i g a d a Paulista. Ele foi n o m e a d o d e Tor I •< i i a g r a f o c o n t i n h a o seguinte texto: "Em 1253. o príncipe de Mindau-

m e n t a Apocalíptica. C o n t i n u a m o s assim, e m q u a t r o m e m b r o s , até i- H se tornou rei da Lituânia (antiga comunidade germânica). Anos
a adesão d e mais a l g u n s c a m a r a d a s após u m a c a m p a n h a reali »hpois essa nação abocanhou boa parte de Smolensk e Kiev (Rússia.

z a d a c o m m e m b r o s d e o u t r a g a n g u e q u e e u c o n h e c i : o Front 88. »»»•/<> Rússia e Ucrânia). Quando o grão duque Jagelão se tornou rei
d a Polónia, as duas coroas foram unificadas e formou-se a comuni-
dade Germano-Eslavo. Seus exércitos combateram mongóis, piratas destina d e D i a d e m a . Passado a l g u m t e m p o , n u n c a mais vimos o
escandinavos e, ao lado de cavaleiros teutões, defenderam a cultura velho. Tem q u e m d i g a q u e e l e m o r r e u , o u q u e s i m p l e s m e n t e m u d o u
ocidental das hordas estrangeiras (...)". d e c i d a d e n a sua andança p e l o m u n d o . A m e u ver e l e d e v e ter sido
A l g u n s c a m a r a d a s d e ascendência e s l a v a l u t a r a m p a r a r e a - d e t i d o p e l a s a u t o r i d a d e s , pois li n a internet u m a notícia d e q u e o

vivar o t e r m o q u e h a v i a sido d i f a m a d o , até m e s m o p e l o s próprios DEIC h a v i a d e t i d o u m a fábrica d e "símbolos racistas".

alemães. U m c a m a r a d a d o p r i m e i r o g r u p o q u e tive a c e s s o t i n h a Esperava i m p a c i e n t e o término d a a u l a . Sander, D e m o e e u ía-


o r i g e n s q u e r e m o n t a m à República d a Moldávia. N a E u r o p a o c i - mos p a r a a G a l e r i a c a n t a r o l a n d o as músicas d o m o v i m e n t o e inti-
d e n t a l existe u m p r e c o n c e i t o c o m os i m i g r a n t e s d o leste, c o i s a q u e m a n d o a l g u m " i n i m i g o " . Q u a n d o não cruzávamos o v i a d u t o , subía-
não tínhamos, pois eles e r a m " t ã o a r i a n o s " q u a n t o nós. S a n d e r mos p e l a Praça João M e n d e s , após atravessar a Rua Libero Badaró
l e v o u p a r a a e s c o l a o álbum d e fotos d e sua família e m o s t r o u - r u m o a 24 d e m a i o . N u m sábado, d e p o i s d e realizar u m a p r o v a n a
m e u m a f o t o b e m a n t i g a , já d e s b o t a d a e a m a r e l a d a p e l o t e m p o . escola, d e c i d i ir à loja D e a d Line, e s p e c i a l i z a d a e m a r t i g o s d e r o c k
Era seu bisavô e m trajes c o s s a c o s . Disse-me q u e e l e h a v i a resistido m e t a l . Fiz o m e s m o c a m i n h o c o m m e u a m i g o Vitão, q u e não fazia
b r a v a m e n t e c o n t r a os c o m u n i s t a s q u e l h e t o m a r a m suas terras e o parte d e n e n h u m movimento, mas sempre estava c o n o s c o e m a l g u -
forçaram a e m i g r a r p a r a o Brasil c o m seus familiares. mas ocasiões. Avistei d e l o n g e u m c a r e c a q u e m e e n c a r o u a m e ver
surgir n a e s q u i n a . N o t e i o t e m o r d o a m i g o q u e m e a c o m p a n h a v a .
Sander passou a a p r i m o r a r seus c o n h e c i m e n t o s . Q u a n d o o c o n h e -
"Vamos embora aí Lobo!" M a n d e i o a c o v a r d a d o se c a l a r e, c o m
ci e r a u m péssimo a l u n o e m t o d a s as matérias, e d e p o i s d e sua filiação
as s o b r a n c e l h a s franzidas, c a m i n h e i e m sua direção d e m o n s t r a n d o
n o m o v i m e n t o , p e l o m e n o s e m história e l e passou a ser u m dos m e l h o -
u m t o m d e arrogância e desprezo. "He/7 Hitler!" - saudou-me.
res. Tudo d e v i d o à v o n t a d e q u e tinha d e confrontar os c o n c e i t o s ensi-
nados, sempre t e n t a n d o " p r o v a r " q u e nós estávamos c o m a razão. M u d a n d o m i n h a expressão, p e r g u n t e i a o c o m p a n h e i r o q u e m
ele e r a , e então f i n a l m e n t e c o n h e c i u m a figura histórica d o m o v i -
m e n t o . Não é p e l o f a t o d e q u e o sujeito fosse u m a espécie d e l e n d a
Derek "Capeta"
entre os skins q u e e s t a coincidência fosse a l g o positivo. O fanfarrão

Eu c a m i n h a v a e m direção à G a l e r i a d o Rock, v i n d o d a estação c a r e c a era c o n h e c i d o c o m o Derek, estava u s a n d o u m a c a m i s e t a

São Bento p e l o v i a d u t o . C o s t u m a v a c o m p r a r b r o c h e s e b o t t o n s NS d o ACDC e o q u e se v i a d e seu c o r p o e r a m a r c a d o p o r c i c a t r i z e s e

d e u m v e l h o t e d e b a r b a b r a n c a q u e v e n d i a pulseiras e correntes t a t u a g e n s d e prisão feitas c o m p o n t a d e estilete e tinta d e c a n e t a

n a calçada. A p a r e n t e m e n t e , e l e não e r a suspeito d e possuir m a t e - Bic. N o p a s s a d o , e l e e r a C a p e t a , m a s após o lançamento d o filme

rial i l e g a l . Um d i a e l e m e c h a m o u e m o s t r o u u m s a c o p r e t o q u e es- "A Outra História Americana" p a s s o u a se c h a m a r D e r e k , e m r e f e -

c o n d i a e m u m a m o c h i l a . Encontrei réplicas d a cruz d e ferro, c o m a rência a o p r o t a g o n i s t a i n t e r p r e t a d o p o r E d w a r d N o r t o n .

suástica n o c e n t r o e o a n o d e 1939 g r a v a d o e m relento, b r o c h e s d o


Muitos d e nossos c a m a r a d a s mais antigos q u e o c o n h e c i a m o c o n -
NSDAP idênticos aos originais e diversos a d o r n o s nazistas q u e fizeram
sideravam sujo. Era t a t u a d o r d e rua. Estava c o n s t a n t e m e n t e c o m a l -
m e u s olhos brilhar. C o m p r e i u m a m e i a dúzia q u e m e interessaram.
g u m a ferida n o rosto e a c h o q u e n e m terminou o primário. D e f e n d i a a
D e s d e então o v e l h o " h i p p i e " a d m i r a d o r d e Raul Seixas, l u c r o u m u i t o
suástica sem n e m m e s m o possuir c o n h e c i m e n t o sobre o m o v i m e n t o (o
depois d e q u e o r e c o m e n d e i aos demais c a m a r a d a s . C h e g a m o s
q u e e n f u r e c i a os d e m a i s NS). Era racista ferrenho, d e t e s t a v a nordesti-
a o p o n t o d e e n c o m e n d a r e m g r a n d e q u a n t i d a d e e m a n d a r fazer
nos. - Sou natural da zona leste. Tenho sangue austríaco e francês. Meus
símbolos p a r t i c u l a r e s d e nosso m o v i m e n t o : a b a n d e i r a paulista c o m
antepassados chegaram à SP durante a Segunda Guerra, moraram
a cruz g a m a d a foi u m deles. Eram p r o d u z i d o s e m u m a fábrica c l a n -
cm uma chácara pra lá de São Roque. Meus pais herdaram umas ter-
ras, mas as perderam todas pelo vício da jogatina. Ainda pequeno fui tor d o presídio p a r a salvar a sua v i d a , q u e já e s t a v a j u r a d a . O n o m e
morar na periferia da capital, até então a grande maioria dos sem-teto d o p e r s o n a g e m d o mais c o n h e c i d o filme antinazista fazia jus a seu
que recebiam ajuda da prefeitura eram famílias brancas que vinham herdeiro, a m b o s e s t i v e r a m n a prisão e a m b o s c o n h e c e r a m u m in-
do norte do Paraná. Sofridos, mas decentes e orgulhosos, construíram ferno m u i t o l o n g e d a q u e l e s q u e estão a lutar e m l i b e r d a d e . É m u i t o
um ambiente familiar nos subúrbios e dificilmente ouvíamos falar de um i< i' il ser NS e d e f e n d e r u m a i d e i a q u a n d o se t e m as costas q u e n t e s
assalto ou problemas com drogas. No final dos anos 70, quando os "ra- I u m lar q u e te a b r i g a , a c o r a g e m v e m até c e r t o p o n t o , a v a l e n t i a
tos do nordeste" começaram a invadir a cidade em grande número, nxiste l o n g e das viaturas policiais e a s a b o t a g e m m a s c a r a d a são o
as ocorrências de estupros, mortes por dívidas, consumo de cachaça q u e faz d a revolução u m a c o n t e c i m e n t o c a l a d o e às escuras. Esta-
e a pedofilia, cresceram. Os bueiros do distrito se entupiram de lixo, que I I \ u r p r e e n d i d o c o m a persistência d o c o m p a n h e i r o , m e s m o após
se misturava com o vómito desses seres inferiores. As ruas estreitas e os o q u e lhe a c o n t e c e u . Em l i b e r d a d e , após b o a c o n d u t a , Derek, sem
cortiços sicilianos foram abandonados e se tornaram bocas de fumo. «••.( N trança a l g u m a , a b a n d o n o u t o d a e x p e c t a t i v a d e construir a l g o .
O morro verde do planalto da cidade que rodeava o bairro onde brin Vivia s e m p r e e m b r i a g a d o , começou a c h e i r a r cocaína e assaltar
que/ quando criança foi coberto de barracos de madeira. Nunca mais pessoas p e l a r u a : - Roubo apenas quem não é branco! - disse.
foram ouvidos pelas ruas os dialetos italianos. Ao invés do napolitano, o
Furtava p e q u e n o s comércios p a r a adquirir alimentos, q u a n d o as
sotaque nojento de macaco dos cabeças chatas influenciava a juven
tatuagens não r e n d i a m o suficiente p a r a a sobrevivência. Exibia sua
tude. Em suas lajes, produziam seus batuques primitivos que atormenta
vam as famílias paulistas de bem. - disse. Perguntei se ele h a v i a deixa revolta assassinando m e n d i g o s e e s p a n c a n d o travestis nas m a d r u g a -

d o o a m b i e n t e . - Q u e nada camarada . 1 Eu lutei pelo distrito disposto a das. A última vez q u e ouvi falar d e l e foi q u a n d o s o u b e d e sua m o r t e ,

morrer se fosse necessário. Comecei a delatar os traficantes de droga lovou seis tiros, dois n a cabeça e o restante n o p e i t o , u m n e g r o p e r t e n -

e os crimes na escola. Depois disso aconteceu de tudo, fui assaltado, < ente a o PCC d e s c a r r e g o u o t a m b o r d o revólver 38 n o p o b r e infeliz.

jurado de morte... Mas como pude ser tão inocente? A própria polí-
cia tinha esquema com o chefe do tráfico no local. Para salvar minha
A Ameaça Vermelha
vida, consegui uma arma com um conhecido do antigo GSB, isso por
volta de 199/ (...). Estourei os miolos daquele preto bandido de merda Para livrar-nos d a taxação "nazi-fascista" c o n s t a n t e m e n t e a t r i b u -
e mandei o filho da puta de volta pro inferno. Isso foi uma brecha que ída a u m a f o r m a pejorativa, e m certas ocasiões o c o m u m era se a u -
a polícia precisava para me incriminar. Graças a minha luta acabei tmntitular a p e n a s nacionalista o u a n t i c o m u n i s t a . Para muitos o m e u
com um esquema que lhes rendia uma grana violenta. Fui em cana Idealismo era ultrapassado e u m t a n t o infantil, u m a vez q u e "não via
por homicídio e porte ilegal de armas. Não me arrependo do que fiz. B sociedade q u e m e r o d e a v a " . A baboseira d e q u e o comunismo é
Se necessário faria ainda pior. extinto a i n d a hoje p e r m a n e c e n a visão d a q u e l e s q u e i g n o r a m suas
ações, a d a p t a d a s a o c o n t e x t o a t u a l . A q u e l e c o m u n i s m o revolucio-
Derek e s q u e c e u d e m e n c i o n a r q u e n a c a d e i a e l e foi e s t u p r a nário, r e t r a t a d o e m filmes c o m o O Encouraçado Potenkin e os tantos
d o por u m n e g r o . Tive a l g u m a s informações sobre o o c o r r i d o a t r a textos marxistas mostrados nas aulas tendenciosas d a escola, r e a l -
vés d e outros c a m a r a d a s . Há q u e m d i g a q u e tal f a t o não ocorrera m e n t e já d e i x o u d e existir. Hoje ele foi m o l d a d o à e c o n o m i a p r o t e c i o -
a p e n a s u m a vez, e p o r mais q u e e l e tentasse resistir, fizeram d e l e a nista dos países d e primeiro m u n d o , b e m c o m o nos muitos corruptos
"prostituta d o c o r r e d o r " . N a prisão, racistas são t r a t a d o s piores q u e órgãos públicos estatais brasileiros. I n c o m o d a v a m u i t o ver o presiden-
pedófilos. Isso a c o n t e c e u p o r a l g u n s meses até e l e ser i s o l a d o junto ta Lula e t o d a a " c o r j a " d o PT p a g a n d o tributos aos ex-presidiários dos
c o m d e t e n t o s d e v e d o r e s e e s t u p r a d o r e s , m e d i d a t o m a d a p e l o dire anos militares, m a n t e n d o b o a s relações c o m C u b a , Morales, H u g o
110
C h a v e z e a omissão p o r p a r t e d a s a u t o r i d a d e s , q u a n d o o exército DO Nacional-Socialismo chamávamos d e sionista. Acreditávamos v i e -

g b o l i v i a n o i n v a d i u e n a c i o n a l i z o u a Petrobrás, e m 2005, h u m i l h a n d o m o n t e q u e essa suposta ameaça j u d a i c a , m a q u i n a d a n a "maléfica

c nossa b a n d e i r a d i a n t e d o m u n d o . Eu o d i a v a ferozmente José Dirceu. globalização", n a ONU e todos os blocos económicos, b e n e f i c i a v a p o r


«a d o b a i x o d o p a n o os planos marxistas destinados a destruir as c o m u n i -
_Q s e g u n d o m i n h a concepção, e l e e r a u m ex-guerrilheiro t r e i n a d o e m d a d e s cristãs d e ascendência a r i a n a . Um e x e m p l o disso e r a o f a t o d e
H a v a n a , hoje u m mafioso, parasita sanguessuga q u e está a c a b a n d o IK i a n t i g a URSS, 99% dos Comissários Políticos dos Sovietes serem judeus.
D*
£5 c o m a classe média, Nós, os "injustiçados" paulistas é q u e p a g a v a Nos dias d e nossa militância, essa suposta " e n t i d a d e s e c r e t a " teria u m a
"O
1 ii K, a c o m o ex-líder guerrilheiro José M u j i c a , d a coalizão governista
«3 mos tributos caros p a r a os coronéis d o nordeste. Muitos são políticos
uruguaia Frente A m p l a . Seria essa organização terrorista q u e se infiltra-
q u e vêm se c a n d i d a t a r a q u i e m SP, t o d a a palhaçada d o mensalão e
v a n o g o v e r n o , destinados a levar o Brasil c o m o a l i a d o d a União Boli-
a máfia dos correios q u e v e i o à t o n a n a mídia, guerrilheiros n a c i o n a i s
v. ii i< ina, l i d e r a d a p e l a Venezuela, q u e se estendia até Honduras, c o m
q u e p r o m o v e m intercâmbio c o m o b a n d o FARC... O r a , é s a b i d o q u e
«> rocém-presidente M a n u e l Zelaya, c o n v e r t i d o a o c h a v i s m o e eleito
ex-militantes d o MST c o o r d e n a m núcleos d o INCRA. U m a vez li q u e
• a q u e l e a n o (foi d e p o s t o e m 2009 p o r u m g o l p e militar). Zelaya era
as a t i v i d a d e s exercidas p o r eles e n v o l v e m conflitos d e interesses e n
tre os Sem-Terra e proprietários rurais. N o P a r a n a p a n e m a , região q u e < > ( orrupto presidente q u e a j u d a v a os criminosos bolchevistas finan-

c o n c e n t r a o m a i o r número d e assentamentos rurais d o Estado d e São < oiramente, s e n d o o administrador d e u m a associação d e indústrias
Paulo, estes indivíduos já f o r a m filiados d a C O C A M P - u m a c o o p e r a t i madeireiras e d o conselho d e empresas privadas, e m T e g u c i g a l p a , d e
v a d o MST c u j o n o m e é c i t a d o e m inquéritos policiais e processos so o n d e saía o c a p i t a l p a r a c o l a b o r a r n o a r m a m e n t o desses exércitos.
b r e m a l uso d e dinheiro público. O u t r o órgão q u e detestávamos era o Por outro l a d o , acreditávamos q u e a ameaça não vinha a p e n a s d a
Direitos Humanos, pois p a r a nós era c o m p o s t o p o r juízes e a d v o g a d o s união L a t i n o a m e r i c a n a , o g o v e r n o n o r t e - a m e r i c a n o , " c o n t r o l a d o por
simpatizantes dessas vertentes, f a z e n d o reinar o b a r b a r i s m o , o n d e os judeus" seria o maior vilão d a s nações. G e o r g e W. Bush c o m o m e m b r o
b a n d i d o s t e r i a m mais direitos q u e os cidadãos d e b e m , f a v o r e c e n d o ( l o c l a r a d o d a e n t i d a d e secreta Skulls a n d Bonnes era u m a espécie d e
interesses internacionais e d e m a g n a t a s milionários. "messias" político q u e c o n t i n u a r i a c o m o t r a b a l h o d o p a i , destruindo e
I n c o m o d a v a m u i t o ver títulos d e ruas e estações n a c i d a d e aos ii n j b a n d o as riquezas dos países q u e se o p u n h a m a o seu l e g a d o , c o m
supostos "vilões" d a pátria, c o m o a estação G e n e r a l M i g u e l Costa e u m único fim: a r m a r o e s t a d o "terrorista" d e Israel.
u m a r u a q u e l e v a v a o n o m e Luis Carlos Prestes, m o n u m e n t o s e m e -
C o n t r a t u d o e t o d o s , estávamos sós. E n o q u e diz r e s p e i t o a u m a
moriais d a resistência d u r a n t e a época d a d i t a d u r a , sendo q u e n u n c a
aliança partidária p a r a c o n c o r r e r a eleições, seria impossível, m a s
h a v i a a l g o d e s t i n a d o aos integralistas o u nacionalistas d o século XIX.
n a o nos s u r p r e e n d i a . Aliás, nossa intenção e r a infiltrar " a g e n t e s "
Encarávamos a ideia c o m u n i s t a c o m o s e n d o u m a extensão d o libe
nas forças a r m a d a s e n a polícia, d a r u m g o l p e d e Estado p a r a r e -
ralismo, c u j a vertente capitalista/socialista e r a d e s t i n a d a a u m único
t o m a r a pátria d a mão desses " t r a i d o r e s " .
interesse: o b e n e f i c i a m e n t o d a s e n t i d a d e s judáico-maçõnicas. Não
aceitávamos o f a t o d e os EUA ter e n t r a d o a o l a d o d a URSS n a S e g u n d a
Guerra M u n d i a l c o n t r a a A l e m a n h a , s e n d o q u e o inimigo m a i o r era o
c o m u n i s m o . Julgávamos esses dois sistemas " f a r i n h a d o m e s m o saco".
E tal prática não e r a exclusivamente d e nossa b a r r i c a d a , pois os c o -
munistas radicais e fanáticos a l e g a v a m q u e o fascismo e r a u m estágio
avançado d o capitalismo, então, u m b a n d o c o m p e t i a c o m o outro
p a r a acusar " q u e m era mais libertário". Tudo o q u e não se e n q u a d r a v a
t a n d o a liderança d a b a n c a p a r a Wesley, mais c o n h e c i d o c o m o
Botelho. C o n v e r s a n d o c o m o j o v e m líder, p u d e p e r c e b e r p a r t e d e O-
u i u p e r s o n a l i d a d e q u e , confesso, aguçou m e u interesse. Seu a r j u -
venil e entonação d a s p a l a v r a s q u e m e dirigia e r a m c a p a z e s d e ^
Influenciar q u a l q u e r u m . Vivia p u l a n d o e f e c h a n d o os p u n h o s , r e - SS
c i t a n d o os refrães d a s músicas RAC n a c i o n a i s . Era q u a s e impossível
não d e i x a r se c o n t a g i a r p e l a motivação d o c a m a r a d a . Tínhamos
11 ii ntas semelhanças. Botelho e r a fã d e M e t a l e t r o c a m o s m u i t a i d e i a
l o b r e as b a n d a s Slayer. Pantera, Mothorhead e t o d a s clássicas dos
anos 80 q u e e n c a n t a r a m as gerações anteriores. Ele g o s t a v a m u i t o
d e u m a g r a v u r a c o m a águia alemã q u e c a r r e g a v a os números 666
ressaltados e m u m f u n d o n e g r o . Disse-me q u e e l a o c u p a v a q u a s e
I o d a a p a r e d e d e seu q u a r t o . O q u i x o t e s c o c o m p a n h e i r o e r a c h e i o
GANGLAND d e teorias d a conspiração. Escovava os d e n t e s c o m u m a p a s t a d e
labricação c a s e i r a , feita a b a s e d e carvão n a t u r a l p a r a a proteção

m d a g e n g i v a . D e a c o r d o c o m e l e , os c r e m e s d e n t a i s c o n v e n c i o n a i s
< o n t i n h a m flúor, q u e a g i a n o cérebro d e i x a n d o o p r o c e s s o d e r a c i o -
cínio lento, s e n d o então esta u m a tática utilizada pelos a g e n t e s d o
p o d e r o c u l t o sionista p a r a t o r n a r os cidadãos escravos d o Estado.

As excursões p e l a c i d a d e se t o r n a v a m c a d a vez mais c o m u n s . Eu


U m a vez m e disse q u e t i n h a a intenção d e se a r m a r d e b o m b a s
c o s t u m a v a , n a sexta-feira, e n c o n t r a r c o m Nicole, m i n h a n a m o r a d a
i - >r d e b a i x o d a j a q u e t a , c o m o os palestinos, c a s o a l g u m a blitz p o -
d a época, n a estação M a r e c h a l D e o d o r o . V i n d o p o r vezes d a c a s a
licial o detesse, v o a r i a p e l o s ares l e v a n d o t o d o s c o m e l e . - O d e i o
d e M a c a u n a z o n a sul. e u t o m a v a a condução até a estação São Ju-
esses traidores da raça que servem o Sistema. Semanas atrás des-
d a s d o m e t r o . Em u m a noite d e sábado, q u a n d o c r u z a v a a c a t r a c a .
cobrimos um esquema que arranjava Vistos para imigrantes ilegais,
e n c o n t r e i c o m Botelho, q u e m e p a r o u . Q u a n d o o c o n h e c i e l e a i n d a
um cônsul paraguaio forjava os documentos em troca de muita
e r a u m a d o l e s c e n t e g o r d i n h o e i n v o c a d o , sempre estava c o m u m a
grana! Trazendo a escória para sujar nossa pátria. - d i s s e - m e .
b e r m u d a c a m u f l a d a e u m a c o r r e n t e n o bolso. D e i x a v a à mostra a
b a t a t a d a p e r n a o n d e tinha u m a cruz c e l t a t a t u a d a n a direita e a c i - Vi u m a r e p o r t a g e m d o Jornal da Tarde sobre u m cônsul p a r a -
m a d o c a l c a n h a r , n a e s q u e r d a , u m tribal. C o m e l e e s t a v a m mais dois g u a i o e m São Paulo q u e c o m a n d a v a u m a operação q u e r e n d i a R$
sujeitos, u m dentuço q u e tinha a p a l a v r a "SKINS" n a c a r e c a , c o n h e c i - 4 mil p o r d o c u m e n t o i l e g a l e m i t i d o . Forjava documentação p a r a
d o c o m o " D e n t i n h o " e u m q u e a p a r e n t a v a já uns 23 anos, b o m b a d o , indivíduos vindos d a Nigéria. Também e r a l i g a d o p r i n c i p a l m e n t e
c o b e r t o d e tattoos, esse estava u s a n d o u m a b o i n a e o c h a m a v a m a o Líbano e à C h i n a . Tais tipos d e a g e n t e s c o r r u p t o s a g i a m d e n t r o
d e "SS" d e v i d o a o t o t e n k o p f e as runas Sieg q u e tinha nos braços. d e diversos setores, i n c l u i n d o a cúpula d o MERCOSUL.

Esses rapazes u s a v a m u m a c a m i s a c o m as siglas F88 (Front HH) O Front 88 realizou muitas missões p e l a c a u s a . A t a c a r a m u m a uni-
g r u p o n a c i o n a l - s o c i a l i s t a paulista c r i a d o p o r v o l t a d e 2003, seu a n - d a d e d o PCO (Partido d a C a u s a Operária) c o m molotovs e pedaços

t i g o líder e r a Fera, q u e se c a s o u e a b a n d o n o u o m o v i m e n t o d e i - d e tijolos c a u s a n d o a degradação d a e n t r a d a d o edifício. Também


( h e g a r a m a f e c h a r u m a c a s a GLS c a u s a n d o ferimentos graves aos fre-
q u e n t a d o r e s . Pararam u m c a r r o e m frente c o m c e r c a d e 20 caixas d e per Stomper, e s t r e l a d o p o r Russel C r o w e , fora os n o m e s d o s deuses
c e r v e j a vazias. Lançaram as garrafas n o e s t a b e l e c i m e n t o até esvaziar mitológicos celtas/nórdicos, i m p e r a d o r e s r o m a n o s o u políticos nazis-
os e n g r a d a d o s . Fugiram. Q u a n d o a polícia a p a r e c e u , e n c o n t r o u u m tas (havia u m H i m m l e r e u m R o m m e l entre os skins). U m a vez Botelho
m a r d e c a c o s d e vidro e pessoas c o m o s a n g u e a escorrer p e l o rosto. • li • • m e q u e o Front começou c o m neonazistas racistas ferrenhos.
C o s t u m a v a m passar n o Hangar, lugar o n d e f r e q u e n t a m muitos e m - I ssos n e m c u m p r i m e n t a v a m pessoas q u e não fossem b r a n c a s e e v i -
mos e punks. Às vezes d i s p a r a v a m tiros p o r entre a multidão, c o b e r t o s t a v a m se sentar a o l a d o n o t r a n s p o r t e . Q u a n d o v i a m u m c a s a l inter-
c o m máscaras d e esqui. Botelho e m c e r t a ocasião distribuiu o " M a n u a l 11' k li, eles x i n g a v a m e g r i t a v a m " S i e g Heil" h u m i l h a n d o - o s a o p o n t o
d o Guerrilheiro Urbano", escrito p o r Carlos Mariguella, revolucionário d o saírem d e seu c a m i n h o . N u m a dessas vezes e l e e s t a v a i m i t a n d o
c o m u n i s t a m o r t o n a época dos militares. Nele, t o d a orientação p a r a um m a c a c o para u m h o m e m negro q u e caminhava a o lado d e
a fabricação d e b o m b a s caseiras e atos d e s a b o t a g e m . A p r e n d i a urna loira, d e mãos d a d a s , m a s o n e g r o não a g u e n t o u t a m a n h a
brigar d e f a c a . O r i e n t a v a - m e q u e o objetivo e r a rasgar o adversário, olonsa e p a r t i u p a r a c i m a d e Botelho c e g o d e raiva. - Rolamos no
e v i t a n d o apunhalá-lo. Sempre c a m i n h a v a c o m u m a f a c a d e cozinha < hão por uns minutos. O cusão me provocou essa cicatriz (mostrou-
na b o t a e u m a laranja n a m o c h i l a , t e n t a n d o "despistar" c a s o a polícia me um risco que tinha no braço direito), mas quando o peguei de
parasse. A l e g a r i a se fosse o caso, q u e o talher e r a p a r a descascá-la. leito, ele recebeu o merecido. Pisoteei sua cara com o coturno
Talvez a a r m a mais utilizada t e n h a sido a q u e a p e l i d a m o s d e B o m b a de bico de ferro. A mulher parecia que ia morrer de tanto chorar.
Bilhar. Atirávamos nas viaturas policiais u m a b o l a d e sinuca c o n t e n d o Alacava-me com a bolsa pedindo "Pelo amor de Deus", que eu ia
pólvora e pregos. O c h o q u e p r o v o c a v a u m a mini-explosão. A intenção matá-lo. Quando ela começou a chamar a polícia pelo celular, saí
era p r o v o c a r u m a c i d e n t e c o m "os traidores q u e serviam o Estado". vazando, nem sei o que foi feito do cara. - disse.

Nessa época d e c o n t a t o c o m o Front, a Brigada Paulista começava O próprio r e v o l t a d o r a p a z se a r r e p e n d i a d a q u i l o q u e já foi u m


a t e n d e r p a r a o g a n g u i s m o , g a n h a n d o novas áreas d e atuação. Além (tia. Q u a n d o o c o n h e c i não e r a a q u e l e b r u t a l d i s c r i m i n a d o r . Seu i d e -
d e c o n t i n u a r sendo u m a u n i d a d e política, tornava-se também p a r a - alismo a p a i x o n a n t e p e l o N a c i o n a l - S o c i a l i s m o t r a n s f o r m o u - o e m u m
militar. Reuníamos-nos t o d a sexta e m u m b o t e c o a o l a d o d a estação " s o l d a d o político", u m " c a v a l e i r o " c o m o se a u t o d e n o m i n a v a . Teria
d o metro Saúde. Nosso role era q u a s e sempre p e l a A v e n i d a Santa Cruz ole q u e lutar m o s t r a n d o possuir nobres valores, c o m o os Templários
r u m o à Vila M a r i a n a e os arredores d o Paraíso até as portas d o metro o u Senhores Feudais e m suas a r m a d u r a s e m proteção d o r e i n a d o .

Brigadeiro. Aterrorizávamos os estudantes a n a r c o - c o m u n i s t a s nas saí- A f i r m o c o m convicção q u e B o t e l h o f o i u m líder q u e n u n c a mais


d a s d a s Universidades e nos bares. A l g u m t e m p o depois, nossas saídas oncontrarei a o decorrer d e m i n h a v i d a . I n d e p e n d e n t e d o monstro
se d e r a m mais p e l a A v e n i d a Paulista, isso depois q u e a Rua Augusta q u e vivia n o seu íntimo, e l e possuía q u a l i d a d e s q u e se sobressaíam
estava d o m i n a d a pelos grupos Devastação Punk e Vício Punk, nossos dos d e m a i s . Era a q u e l e t i p o d e p e s s o a q u e b r i l h a v a n a multidão.
inimigos mortais, q u e r e c e n t e m e n t e h a v i a m f o r m a d o u m a coligação Seu o l h a r fixo e sincero, seu caráter e p e r s o n a l i d a d e fortíssima i n c o -
d e n o m i n a d a ANTI FA (Ação Antifascista) d e São Paulo. m o d a v a m q u a l q u e r u m q u e t e n t a s s e se utilizar d a lábia, posição,

Nas estações d e t r e m , definíamos o c r o n o g r a m a d a s e m a n a , or- c a r g o o u e g o p a r a p r o m o v e r a i m a g e m . Passível d e a t i t u d e s ines-

ganizávamos arrecadação d e c o m i d a perecível, q u e e r a d o a d a p e r a d a s , a m e s m a f a c i l i d a d e q u e t i n h a e m fazer a m i g o s , possuía

a c o m u n i d a d e s c a r e n t e s , iniciativa esta t o m a d a p o r Botelho e uns p u r a fazer inimigos. Já t i n h a p a s s a d o à n o i t e n a d e l e g a c i a a l g u -


mas vezes: p o r b r i g a , v a n d a l i s m o o u e s t e l i o n a t o (o Front c h e g o u a
A.B.C, q u e m a n t i v e r a m relações amigáveis c o m o Front 88. Nessas
emitir n o t a s d e R$ 50, R$ 20 e R$ 100 falsas e repassá-las nos ônibus
saídas, fui a p r e s e n t a d o a o restante d o s m e m b r o s d o g r u p o , q u a s e
o p a d a r i a s ) , porém n u n c a c o n s e g u i r a m as provas necessárias p a r a
t o d o s seus a p e l i d o s f a z i a m referência a o filme cult a u s t r a l i a n o Rom-
117
incriminá-lo. B o t e l h o e r a tão " g e n t e b o a " q u e fez a m i z a d e até m e s Muitos desses g a r o t o s f a z i a m d e t u d o p a r a e n t r a r e m nas g a n g u e s . o
m o e n t r e os policiais q u e o p e r s e g u i a m , sem c o n t a r q u e n o Front 88 I M >nt88 era a mais c o m u m até então. Parte disso seria positivo p a r a ci-
h a v i a c a m a r a d a s infiltrados d a G u a r d a Civil M e t r o p o l i t a n a . os q u e d e f e n d e m a " e s p a d a d o n a c i o n a l i s m o r a c i a l " , q u e d e f i n e
( o r n o o b j e t i v o p r i n c i p a l o r e c r u t a m e n t o d e novos m e m b r o s , b e m <
C o m o Front c o n h e c i pessoas i m p o r t a n t e s d o m o v i m e n t o . Um
< o r n o p o d i a ser o princípio d o fim. Botelho e a l g u n s cabeças d o g r u - SS
c a r a c h a m a d o Christian, d a lendária Divisão 18, organização q u e
p o começaram a d a r mais importância p a r a a q u a n t i d a d e , a c e i t a -
foi presente d e São Paulo às fronteiras d a A r g e n t i n a , u m d o s mais
v a m q u a l q u e r u m . Bastava ser u m b r u t a m o n t e d e cabeça r a s p a d a
a n t i g o s WP d o país. P a r e c i a ser m e i o l e s a d o d e v i d o às constantes
disposto a sair f a z e n d o arruaça e e s p a n c a n d o a l g u n s h o m o s s e x u -
doses d e a n a b o l i z a n t e q u e t o m o u . A i n d a assim l e m b r a v a d o nas
ais. Muitos n u n c a n e m l e r a m o M e i n K a m p f e não t i n h a m a míni-
c i m e n t o d o m o v i m e n t o c o m d e t a l h e s riquíssimos. A D18 d e i x a r a d e
m a i d e i a d o q u e d e f e n d i a m . Começamos a nos afastar d o g r u p o .
existir a n o s atrás. Fora p a l c o d e apresentações d o B r i g a d a NS e g a -
n h o u c o n h e c i m e n t o até n o estrangeiro. G i o v a n n i , u m d o s líderes Os nacional-socialistas mais " d e c e n t e s " q u e a i n d a p e r m a n e c e r a m

d a organização r e s p o n d i a a processos n a justiça. A herança q u e o r a m a q u e l e s q u e t i n h a m a m i z a d e c o m Botelho, e , d e s c o n t e n t e s ,

d e i x o u não d e s a p a r e c e u p o r c o m p l e t o . O n o m e "Divisão 18" a i n < i< o m p a n h a v a m o g r u p o a p e n a s p o r consideração.

d a p e r m a n e c e até os dias d e hoje. m a s sem a m e s m a estrutura d e Fiquei u m t e m p o s e m m e e n c o n t r a r c o m eles. C o n c e n t r e i - m e


antes. H a v i a Skiter, a n t i g o c a r e c a d o subúrbio q u e a n d a v a c o m o n o m e u g r u p o p a r t i c u l a r e e m questões familiares q u e m e p e r t u r -
g r u p o . Sujeito d e m a s i a d o c o n f u s o , o r a se dizia n a c i o n a l i s t a , ora NS, b a v a m . H a v i a a p o s s i b i l i d a d e d e m e u s pais se m u d a r e m p a r a c a -
o q u e e r a difícil d e a c r e d i t a r , pois se n o t a v a q u e d e v e r i a ter u m avô i 'it< il e isso seria u m g r a n d e p r o b l e m a p a r a m i n h a participação n o
o u p a i m u l a t o . A p e s a r d a sua p e l e não ser tão e s c u r a , seus traços m o v i m e n t o , u m a vez q u e eles n e m i m a g i n a v a m o filho q u e iriam
i n d i c a v a m influência caboclo-indígena. Pólvora e G a n g r e n a e r a m e n c o n t r a r . S ã o Paulo nessa a l t u r a e r a u m a c i d a d e c o n h e c i d a
inseparáveis: dois jovens grotescos hilários. S e m p r e e s t a v a m a fazer < o r n o " G a n g l a n d " (Terra d a s g a n g u e s ) . Os subúrbios e a z o n a les-
a l g u m a graça. Os suspensórios e as b o t a s p a r e c i a m uniformes d e to c o n t r o l a d o s p o r c a r e c a s , o c e n t r o d a c i d a d e e s t a v a nas mãos
palhaço. A calça l a r g a c a i a o u d e i x a v a e s c a p a r a b a r r i g a d e c h o dos Devastação Punk, Vício Punk e Explosão Punk, e a z o n a sul e r a
p e . Pólvora e r a p r a t i c a m e n t e u m alcoólatra, e m t o d a s as vezes q u e l»-fritório nosso. Se n o início h a v i a m a i s consciência política e as
o e n c o n t r e i n u n c a o vi sóbrio. Seu rosto e r a rosa e r e d o n d o feito u m t j a n g u e s e r a m i n i m i g a s p o r definição, a g o r a e r a p u r o bairrismo,
t o m a t e . Tinha sardas e u m c a b e l o ruivo q u a s e p i x a i m . Era d e s c e n as b r i g a s se d a v a m p o r c a u s a d e u m a n a m o r a d a , pichação, t i m e
d e n t e d e irlandeses q u e v i e r a m d o n o r t e d e Minas Gerais. A última d o f u t e b o l o u s i m p l e s m e n t e p e l o prazer d o c o m b a t e . Agressões e
vez q u e tive notícias suas foi sobre sua m o r t e , tão bizarra q u a n t o sua e s p a n c a m e n t o s e r a m f r e q u e n t e s nas ruas Bela C i n t r a , A u g u s t a , Frei
v i d a . Foi v o m i t a r e se a f o g o u n o vaso sanitário. Pólvora d e i x o u u m a ( a n e c a e Consolação, região f r e q u e n t a d a p o r g a y s , v i c i a d o s e
esposa grávida d e seis meses e u m filho d e dois anos. Fiquei s a b e n i' »vens militantes d e m o v i m e n t o s sociais.
d o q u e seu q u a s e irmão G a n g r e n a e s t a v a a s s u m i n d o a criação das
crianças e m seu l u g a r e a b a n d o n o u o g r u p o t e m p o s d e p o i s . O município d e Pirituba foi p a l c o d e g u e r r a e n t r e a l g u m a s g a n -
gues, p r i n c i p a l m e n t e e n t r e a l g u n s c a r e c a s e a c o m u n i d a d e b o l i -
L e v a n d o e m consideração q u e muitos c a m a r a d a s , antes d o m o v i a n a . A z o n a n o r t e e a g r a n d e São Paulo a b r i g a a m a i o r c o m u n i -
v i m e n t o f o r a m punks o u c a r e c a s nos a n o s 80, o i d e a l hitlerista n u n c a < !< i d e d e b o l i v i a n o s d o país, são i m i g r a n t e s h u m i l d e s q u e m a l f a l a m
foi a l t e r a d o c o m o n a c i o n a l i s m o t u p i n i q u i m entre o g r u p o . Esse f a t o o português, c r u z a m a fronteira e m p a u - d e - a r a r a e m b u s c a d e
e s t a v a prestes a tornar-se o o p o s t o . O n u m e r o d e NS c r e s c i a n o país, melhores o p o r t u n i d a d e s e a c a b a m t r a b a l h a n d o c o m o e s c r a v o s
p e l o m e n o s t o d a e s c o l a t i n h a u m a m e i a dúzia d e skins neonazistas. p a r a fábricas c l a n d e s t i n a s d e empresários c o r e a n o s ilegais, q u e os
118
e x p l o r a m e d e p o i s são p e r s e g u i d o s nas ruas pelos s k i n h e a d s . Diver- n o interior, p o r u m a agressão f a t a l . C o n h e c i também Caçapa, esse

X sos b o l i v i a n o s f o r a m e s p a n c a d o s . Vira e m e x e a p a r e c i a u m d e l e s p e r t e n c e u às fileiras d o lendário Anésio d e Lara, m e i o irmão d o ex-

c m o r i b u n d o e m a l g u m t e r r e n o b a l d i o o u n o lixão a céu a b e r t o . s e n a d o r E d u a r d o Suplicy, q u e , p o r vezes i n v a d i u o c o n g r e s s o vesti-


2 d o d e c a m i s a - v e r d e . contraditório a a l a e s q u e r d i s t a d o irmão m a i s
-° A b a n c a dos a n a r c o - p u n k s estava c a d a vez mais forte. Muitos D e - n< >vo. Anésio d e Lara vive n o b a i r r o d o I p i r a n g a e r e c e b e m e m b r o s
9, vastação t i n h a m relações amigáveis c o m criminosos d o PCC, q u e os d e q u a l q u e r t i p o d e m o v i m e n t o n e o f a s c i s t a e m s u a sala p a r a u m
-g a p o i a v a m n a luta c o n t r a os "fascistas racistas". Começaram a a p a r e - b o m p a p o . É s a u d o s o d a s milícias d o s a n o s trinta, d o q u a l c h e g o u
3 c e r mortes, as vítimas d e a t e n t a d o s e b o m b a s caseiras. As e n f e r m a - a fazer p a r t e e m sua j u v e n t u d e . Hoje, c o m seus c a b e l o s b r a n c o s e
rias e casas d e misericórdia c o n s t a n t e m e n t e t i n h a m jovens c o m b r a - d i f i c u l d a d e p a r a c a m i n h a r , a i n d a d i v u l g a cópia d o s livros d a Edi-
ços q u e b r a d o s o u necessitados d e p o n t o s e m ferimentos c a u s a d o s a tora Revisão p a r a s k i n h e a d s . Ele foi u m d o s m a i o r e s d e f e n s o r e s d o
f a c a . Para lutar c o n t r a os crescentes " a n a r c o s " , o Front 88 p r o m o v e u revisionismo brasileiro. C h e g o u a a p a r e c e r e m u m d e b a t e n o a n -
u m a união c o m u m g r u p o c o n h e c i d o c o m o F a l a n g e Skinhead, b a n - t i g o p r o g r a m a d a B a n d a p r e s e n t a d o p e l a Silvia P o p o v i c , isso n o
c a p e r t e n c e n t e a u m c a r a c o n h e c i d o c o m o Rato. Essa união t e v e u l t i m o a n o d a década d e 80, e m comemoração a o a n i v e r s a r i o d e
q u e a c o n t e c e r , pois se os c a r e c a s d o subúrbio se unissem c o m os stre- 100 a n o s d e A d o l f Hitler. F i c o u f r e n t e a f r e n t e c o m B e n A b r a h a m , o
etpunks e v i c i o p u n k , o g r u p o não sobreviveria mais u m mês sequer. A m a i o r ativista c o n t r a o n a z i s m o e m e m b r o d a colónia j u d a i c a b r a -
F a l a n g e era c o m p o s t a por integralistas e xenófobos antiracistas, q u e , sileira mais i n f l u e n t e , q u e diz t e r sido prisioneiro d e A u s c h w i t z e t i d o
n o princípio, a c a b a r a m d a n d o confusão c o m os WP. Depois esta- o d e s p r a z e r d e c o n h e c e r M e n g e l e e m p e s s o a . - Participei de vários
v a m t o d o s " m i s t u r a d o s " e e m b o r a o n o m e Front 88 p e r m a n e c e s s e , a encontros com a carecada antiga. Lembro-me de um dia históri-
q u a n t i d a d e d e skinheads b r a n c o s neonazistas era q u a s e nula. Tínha- co na Praça João Mendes, quando tentamos reviver o movimento
mos q u e e s t a b e l e c e r relações cordiais c o m a c a r e c a d a integralista. integralista, Anésio de Lara fez um discurso para uma multidão que
A n o v a organização m o s t r a v a ser u m a pálida s o m b r a d o s m o v i m e n - acho que nunca mais verei em minha vida... Bons tempos aqueles,
tos antigos. Tornara-se c o m o u m a v e l h a associação d e c a m a r a d a s que a repressão federal não era tanta e conseguíamos autoriza-
fascistas, e a p e s a r d a s nossas diferenças, m a n t i v e m o s a união a c i m a ção da prefeitura para realizar eventos e passeatas. - disse.
d e t u d o , n a convicção d e q u e servíamos a u m i d e a l c o m u m .
Caçapa c o n h e c e u e m p e s s o a também Amália S a l g a d o , filha
A p r o p o s t a e m questão d u r o u p o u c o . I n i c i a n d o o declínio d o
d o a n t i g o líder f u n d a d o r d a AIB, e f r e q u e n t a v a a c a s a d o mes-
Front, p e r d e m o s c o m p a n h e i r o s q u e p a s s a r a m a f o r m a r u m a o r g a -
m o , n o b a i r r o d e São Bento, q u e foi p r e s e r v a d a e a t r a i neofascistas
nização p a r a l e l a e i n d e p e n d e n t e d e s t i n a d a a c o m b a t e r o i n i m i g o
d e t o d a América L a t i n a . O s e p a r a t i s m o d e i x o u d e existir n a c a u s a
e a própria união. Foi isso q u e f o r t a l e c e u as b a n c a s d e punks, u n i -
paulista, e o n o m e " L o c o m o t i v a " e n t r e o g r u p o e r a a p e n a s simbó-
d a s e m u m a f r e n t e única d e c o m b a t e .
lico, a p e s a r d e d e m o n s t r a r m o s sinais separatistas a p e n a s e n t r e nós
Nos t e m p o s d e união c o n h e c i figuras a n t i g a s d a c e n a c a r e c a . WP, q u a n d o não h a v i a presença d e c a r e c a s .
C e b o l a , u m deles, t i n h a sido e s f a q u e a d o não sei q u a n t a s vezes.
Panzer era u m antigo c a r e c a q u e migrara para o White Power a al-
S e m p r e v o l t a v a às ruas l o g o d e p o i s q u e r e c e b i a a l t a d o h o s p i t a l .
guns anos, das antigas. Perdeu u m dos seus melhores amigos d a c e n a Oi!,
Era a n t i g o integralista e a p a i x o n a d o p e l o g a n g u i s m o . D e d i c a v a
u m skin c o n h e c i d o c o m o Tubarão, professor d e inglês q u e se destacou
seu t e m p o livre à coleção d e a r m a s b r a n c a s e r e c o r t e s d e revis-
após d a r entrevista sobre o m o v i m e n t o para a página d o portal UOL.
tas e jornais q u e e n v o l v i a m o s u b m u n d o p a u l i s t a . Tinha r e p o r t a -
g e n s raríssimas, c o m o a p r i m e i r a q u e l e v o u o n o m e " C a r e c a s d o
- Eu sou de Osasco, fá ligado. Quando criança, por volta dos anos
A B C " . Hoje c u m p r e p e n a e m u m presídio d e segurança máxima
70. nunca me incomodei com a migração nordestina. Trabalhamos de controle, não dá pra tê-los como compatriotas. Os brancos re-
lado a lado com gente de todos Estados nas indústrias de carvão e presentam 10% da população apenas. A grande São Paulo tem
tijolo de barro, lá pro lado de Itapevi. - disse-me e m u m a c o n v e r s a mta gente, que hoje é cerca de uns 8% da população do país.
n u m a l a n c h o n e t e d a estação Barra Funda, q u a n d o fui a o seu e n - Não dá mais pra aguentar! Vivemos todos aglomerados em guetos
c o n t r o , e c o n t i n u o u - Meu distrito foi fundado por italianos da região que mais parecem labirintos. Tem mais é que deportar essa gente!
de Piemonte. O precursor foi um fazendeiro que se chamava Antônio
Agu. que homenageou sua vila Natal do norte da Itália. Osasco. dan- C o n t o u - m e q u e serviu n o Batalhão d e Caçapava, n o Vale d o Pa-
do o mesmo nome pro município. Nunca fui racista. As ascendências " iil >a. O exército e r a sua v i d a , a m a v a a profissão militar mais d o q u e
lombardas, normandas e etrusco-romanas dos antigos paulistas de i« N lo, até ser d i s p e n s a d o p o r indisciplina. Panzer então e n t r o u p a r a a
lá. mesclaram-se com os caboclos locais, dando origem ao povo de g a n g u e d o s c a r e c a s , n a divisão " c a r e c a s d o v a l e " e p e r d e u t o d a s
minha cidade. Pele e cabelos claros e os olhos levemente puxados osperanças d e u m futuro b e m - s u c e d i d o . Notei q u e seus olhos f i c a r a m
devido à mestiçagem indígena. Nesse caso. nos considerávamos trémulos e s e g u r o u as lágrimas q u a n d o m e c o n t o u d e sua expulsão.
brancos, pois éramos acima de 85% arianos. O sangue de índio se
Conversei c o m c o m p a n h e i r o s q u e h e r d a r a m nomes d e c o r r e n -
tornava quase insignificante. Hoje Osasco é considerada a "terra dos
tes d e lendários skins: Loki, A z e i t o n a , L u d a e tantos j o v e n s q u e se
bandidos", e está cheia de favelas e toda degradada por culpa des-
r e u n i a m p e l o s b a r e s d o c e n t r o . C o s t u m a v a f r e q u e n t a r outras g a n -
ses pretos nordestinos. A questão é mais distrital e nem tanto racial.
gues, c o m o a WPSP, encabeçada p o r u m c a r a lendário. Alemão,
q u e d i z i a m q u e t i n h a u m a fénix s e g u r a n d o u m a suástica t a t u a d a ,
Panzer se c o n s i d e r a v a n a c i o n a l i s t a a o Brasil, m a s j a m a i s e n g o l i u
e n c o b r i n d o as c o s t a s (Alemão foi u m d o s f u n d a d o r e s d a B l o o d a n d
o f a t o d a migração. Os municípios d a s regiões L a p a , O s a s c o e Ba-
11( >nour São Paulo) e a B r i g a d a H o o l i g a n , c u j o líder e r a M a r q u i n h o s .
rueri f o r a m e r g u i d o s à b a s e d e mão-de-obra i m i g r a n t e , p r i n c i p a l -
C o n h e c i p e l o m e n o s uns 3 o u 4 " C a v e i r a s " , u m deles, r a p a z m u i t o
m e n t e p o r e u r o p e u s q u e v i e r a m t r a b a l h a r n a construção d a linha
|ovem a d m i r a d o r d a b a n d a B r i g a d a Totenkopf. se a u t o n o m e o u ins-
férrea q u e l i g a São P a u l o a o interior, se e s t e n d e n d o até S o r o c a b a .
i n a d o n o e s c u d o símbolo d o g r u p o e também e m h o m e n a g e m a
Em sua m a i o r i a e r a m alemães, u c r a n i a n o s , suíços e italianos q u e
seu irmão m a i s v e l h o . C a v e i r a , q u e f o i c a r e c a a i n d a nos a n o s 90.
v i e r a m a o s milhares p o r v o l t a d o início d o século p a s s a d o . A n t i g a -
H e r d o u d o primogénito a r e d e d e c o n t a t o s n o universo n e o n a z i s t a
m e n t e a população d e o n d e v i n h a o c a m a r a d a e r a t i p i c a m e n t e
d a América d o Sul e, p r i n c i p a l m e n t e , o m e s m o respeito q u e o v e -
b r a n c a e m a n t e v e suas tradições, porém, a t u a l m e n t e , d e v i d o à
lho c o m p a n h e i r o " a p o s e n t a d o " t i n h a .
migração, d i f i c i l m e n t e se vê u m cidadão p e r t e n c e n t e àquela c u l -
t u r a o r i g i n a l . Muitos se m e s c l a r a m c o m n e g r o s e n o r d e s t i n o s , o q u e Caroço d a v a role c o m o Front 88. Tatuou n o p e i t o o p u n h o - c e r -
e n f u r e c e os s k i n h e a d s d e s c e n d e n t e s d e e u r o p e u s , q u e a g o r a são r a d o d o Poder B r a n c o e o rosto d e u m guerreiro v i k i n g próximo a o
m i n o r i a . Lá também t e m a questão d a condição s o c i a l . Tanto nor- o m b r o . Usava u m a b o i n a característica d e sua figura, se dizia " t o t a l -
d e s t i n o s c o m o paulistas estão n a m e s m a c a m a d a , são operários m e n t e n a c i o n a l - s o c i a l i s t a " e a f a v o r d a separação d e São Paulo, o
d e b a i x a r e n d a e c a r e n t e s d e assistência g o v e r n a m e n t a l . q u e e r a m u i t o contraditório, pois e l e próprio a s s u m i a ter a n t e p a s s a -
dos nordestinos. Sua família v e i o à c i d a d e n a m e s m a condição d a -
- Hoje a população é considerada parda. Cheguei a passar por queles q u e e l e p e r s e g u i a . O f a t o d e e l e ter n a s c i d o a q u i não o fazia
cima do racialismo e lutar com a carecada por um Brasil melhor - u m " v e r d a d e i r o p a u l i s t a " . Pensávamos assim, porém n u n c a f a l a m o s .
disse me mostrando uma bandeira brasileira no meio de uma teia I ssa g a n g u e se p r e o c u p a v a mais c o m a " q u a n t i d a d e " e não " q u a -
de aranha que tinha tatuado no peito. - Mas a situação está fora l i d a d e " d e seus integrantes. A c e i t a v a m q u a l q u e r u m e isso passou a
122 d o M o r u m b i , q u e n e m e s t a r i a m ligados às torcidas o r g a n i z a d a s .
m e i n c o m o d a r , mas p r o c u r e i relevar e tratá-los c o m respeito.

O Pela internet e r a c o m u m e n c o n t r a r comentários q u e f a z i a m críti- A q u i u m a n o t a n o j o r n a l Estado de São Paulo o n - l i n e , c o m u m a

S c a s a o s " W h i t e Pardos", c o m o e r a m c h a m a d o s os i n t e g r a n t e s mes- Informação d a d e l e g a d a d o D e c r a d i , M a r g a r e t t e Barreto:

"° ticos. Também o m e s m o c o m os b r a n c o s q u e t o m a m a t i t u d e s q u e


M . . i i i -
- Cerca de 25 gangues existem na cidade. O Front 88 têm 30 in-

R os g r u p o s r e p u d i a v a m . Extraí d e u m fórum a seguinte p a s s a g e m : tu tegrantes. Eles têm o hábito de se encontramos estações de metro

sou u m grande fã de H8Core. suas letras agressivas falam sobre hon- Santa Cruz. São Judas. Parque Villa-Lobos. Mantêm ligações com

S ra, lealdade, respeito para com a raça branca, porém fico triste ao o grupo fascista Brigadas Integralistas, que também deve ser inves-

saber que em Santa Catarina (onde esse estilo de música é mais tigado. Entre as regras da gangue está a obediência ao líder, não

representado) as pessoas que os apoiam são esse tipo de gente:". a velar assuntos internos do grupo, não "demonstrar prepotência"

O a u t o r d o comentário h a v i a p o s t a d o u m a f o t o d e u m sujeito com demais grupos skinheads. Eles podem ser indiciados sob as

v e s t i n d o u m a c a l c i n h a . "Essa foto se tornou clássica, o Bitter. um acusações de formar quadrilha e apologia ao nazismo.

nazi lá do sul que tirou fotos trajando roupas intimas femininas. Reza
As informações e s t a r i a m c o m p l e t a m e n t e c o r r e i a s , se levassem
a lenda que ele tatuou "NS" no braço, depois virou SHARP e c o -
o p e q u e n o d e t a l h e d a união NS-Integralista. Essas d u a s i d e o l o g i a s
locou a palavra 'Anti' ao lado. depois, voltou a ser NS e escreveu
são distintas. C h e g a m ser o p o s t a s e m vários a s p e c t o s . A p e n a s e n -
novamente a palavra, ficando 'Anti-AntiNS'".
tre a q u e l e s inseridos nesse m e i o , essa divulgação d a mídia c a u s a a
H e n r i q u e e r a o típico nazista. L e m b r a v a m u i t o os s o l d a d o s d a in- indignação. Para nós, eles e r a m s e n s a c i o n a l i s t a s d e s i n f o r m a d o s .
f a n t a r i a alemã n a q u e l a s fotos sem c o r e m q u e estão f u m a n d o c i -
J u n t o d e D e m o f o m o s p a r a a estação Sé. Lá m e e n c o n t r e i c o m
garros sem filtro e u s a n d o o c a p a c e t e d e aço ( a p e l i d a d o d e b a l d e s
Skiter e, f u m a n d o u m c i g a r r o , e s p e r e i B o t e l h o c h e g a r . Perguntei
d e carvão), c o m as a b a s c o b r i n d o o pescoço e a c a r a c h e i a d e
p o r G r e g u i n h o , u m d o s c a m a r a d a s q u e c o n h e c i a d e vista d e s d e
l a m a , r e p o u s a n d o sobre t a n q u e s p a n z e r o u e m caminhões, se diri-
a m i n h a introdução à g a n g u e , m a s m e disse q u e e l e não viria. N a
g i n d o a o front. Era fissurado p o r Militaria. Um dos p o u c o s q u e " s a l v a -
m e d i d a e m q u e os c o m p a n h e i r o s c h e g a v a m , os g u a r d a s d o m e t r o
v a " a i m a g e m d o Front. G a s t a v a t o d o seu salário d e a t e n d e n t e d e
s e g u r a v a m o c a c e t e t e e a t e n t o s não d e s v i a v a m o o l h a r d a nos-
loja n o s h o p p i n g c o m m e d a l h a s militares. Entre os skins e r a o mais
sa direção. As outras pessoas n e m o u s a v a m o l h a r - n o s . L e m b r o - m e
b e m a r r u m a d o d o grupo, sempre d e sobretudo negro, repleto d e
q u e u m casal homossexual p a s s o u d e cabeça b a i x a , os dois h o -
insígnias originais d o exército alemão. P a r e c i a q u e ia a u m desfile
m e n s p a r e c i a m ser e m m o s e v i n h a m c a m i n h a n d o d e mãos d a d a s .
dos Liebstandart. C o s t u m a v a c o m p r a r as relíquias militares n a feira
A o p e r c e b e r e m q u e estávamos ali l o g o se s o l t a r a m .
d e a n t i g u i d a d e s d o Bixiga, o u e m u m a loja d a Rua A s p i c u e l t a , n a
Vila M a d a l e n a , c u j o d o n o e r a u m v e l h i n h o húngaro, v e t e r a n o d a
- Bichas do caralho! Vão ficar aí espalhando a AIDS. seus vea-
S e g u n d a G u e r r a , q u e b a t i a u m b o m p a p o sobre a q u e l e s t e m p o s .
dos? Vou colocar uma rolha no teu cu em nome da saúde pública.
U m a terceira b a n c a m a n t i n h a b o a s relações c o m a união. C o n h e - disse u m g i g a n t e s c o c a r e c a q u e e s t a v a c o m o g r u p o .
ci alguns d e seus skins. A B r i g a d a Futebolista, l i g a d a à t o r c i d a d o São
Todos caíram n a g a r g a l h a d a . O c a s a l fingiu não ter e s c u t a d o
Paulo, t i n h a m alguns neonazistas, i n c l u i n d o u m g r a n d e número d e
e d e s a p a r e c e u d o l o c a l e m u m a v e l o c i d a d e incrível. Rogério e r a
skingirls, encabeçada p o r u m sujeito c o n h e c i d o c o m o Jerry. Houve
o n o m e d o p i a d i s t a , u m g r o t e s c o e c a r r a n c u d o fascista q u e mais
u m c a s o b e m c o n h e c i d o anos d e p o i s , e m 2008, q u a n d o os hooligans
p a r e c i a u m " a r m á r i o " . Usava c a v a n h a q u e e c o s t e l e t a s . N a c a -
politizados d a B r i g a d a e s p a n c a r a m nordestinos n a saída d o estádio
misa a p e r t a d a , l e v a v a o s l o g a n " S k i n h e a d s 8 8 " e calçava b o t a s - i' i d e d a s trincheiras. Mas isso não m e i n c o m o d a v a , a q u e l e m o -

Dr.Martens q u e h a v i a c o m p r a d o e m Santiago, q u a n d o p a r t i c i p o u m e n t o único v a l e r i a q u a l q u e r consequência q u e p o d e r i a vir.

d e u m s h o w d o Frente O p u e s t o , f a m o s a b a n d a c h i l e n a . E n c a n t a - 14 words! Sieg Heil! - o g r i t o e c o a v a p e l a r u a d e s e r t a q u e nos


v a - m e a l i b e r d a d e d e dizer a q u i l o q u e v i n h a n a cabeça, d e ser l e v a v a até o v i a d u t o São Bento, s o m d e t a m b o r e s v i n h a m d a m u l -
t e m i d o d i a n t e d o restante d a massa, p o d e r d e s c a r r e g a r a r a i v a i' 1 0 q u e c a r r e g a v a b a n d e i r a s n e g r a s c o m r u n a s e cruzes g a m a -
d e t u d o e s m u r r a n d o a c a r a d e alguém e t e n d o " a s costas q u e n - das. A c i m a d e t o d a s , t r e m u l a v a a b a n d e i r a brasileira c o b r i n d o - n o s
tes", pois q u a n d o se p e r t e n c e a u m g r u p o "Mexeu com um. mexeu d o sol r a d i a n t e d e n o v e m b r o .
com todos". Alguém p o d e i m a g i n a r c o m o essas coisas i n f l u e n c i a m
Entre o mar d e cabeças raspadas trajados d e negro, se sobressaia
e são l e v a d a s e m consideração n a época d e a m a d u r e c i m e n t o d o
u m c a m a r a d a c o m camisa b r a n c a e g r a v a t a v e r m e l h a . Era u m a d v o -
j o v e m ? O n d e p e r t e n c e r a g a n g u e s e r a o máximo, g a n h a v a status
g a d o q u e tinha a c a b a d o d e sair d o escritório sem t e m p o d e trocar-se.
d e m o n s t r a n d o ser valentão, d a m e s m a f o r m a q u e possuir gritos d e
h m iir i a d o seu e x p e d i e n t e , foi cumprir c o m seu outro dever, o d e solda-
t o r c i d a e a n d a r c o m os "problemáticos m a r g i n a i s " n o i n t e r v a l o d a
d o político. O i m p o r t a n t e " c o l a r i n h o b r a n c o " nos a c o m p a n h o u até pró-
e s c o l a faz d o m o l e q u e u m c a r a d e s c o l a d o . E x a t a m e n t e nesse pú-
ximo à Galeria d o Rock, o n d e se dispersou f u g i n d o d o c o m b a t e u r b a n o
b l i c o as ideias políticas e n c o n t r a v a m u m t e r r e n o m u i t o fértil. E afir
q u e a passeata iria provocar. Seu n o m e era Rodolpho Lohman Niede-
m o , n a e s c o l a , e m b o r a a m a i o r i a a i n d a só quisesse s a b e r d e festas
rauer, catarinense. Pertenceu a u m g r u p o neonazista d e C a m b o r i u e m
e p r o g r a m a s d e TV, a q u a n t i d a d e d e e s t u d a n t e s q u e p e r t e n c i a m
m a adolescência, sujeito c o m pinta d e louco. Não tinha u m a orelha e
a m o v i m e n t o s políticos c r e s c i a . T o d o a l u n o q u e se m a t r i c u l a v a e
linha cicatrizes por t o d o o c o r p o . Ele era u m a espécie d e herói p a r a t o -
i n i c i a v a o semestre e m nossa instituição, e r a d i s p u t a d o p e l o s " g r u -
das as b a n c a s NS. Lutou n a guerra d o Kosovo c o n t r a a OTAN e as tropas
p i n h o s " c o m intenção d e r e c r u t a r m a i s a d e p t o s .
norte-americanas nos anos 90. Financiava o g r u p o WPSP e a Blood a n d
Ali m e s m o começamos a b e b e r c e r v e j a . O g r u p o se e n c o n t r a v a l lonour - Divisão S.P Era b o m ter homens d e seu nível d o nosso l a d o . Seus
e m q u a s e uns trinta. A polícia p a r o u a l g u m a s viaturas próximas à ( ontatos n o g o v e r n o a j u d a r a m e m muito reduzir penas d e c a m a r a d a s
estação e i m p l i c o u c o m as ofensas. P r o m e t e m o s não o f e n d e r a n e - q u e e r a m c o n d e n a d o s o u até m e s m o os livrarem d a punição.
n h u m cidadão e ali p u d e m o s ficar até t r a n s b o r d a r e m os t a m b o r e s
N a q u e l a t a r d e fizemos u m a promessa d e s a n g u e , ninguém a b a n -
d e lixo c o m as latas d e c e r v e j a . Já a l t e r a d o c o m o e f e i t o d o álcool,
d o n a r i a a luta, se possível morreríamos p e l a c a u s a . A imprensa não
p a r a m i m , não i m p o r t a v a mais n a d a , se tivesse q u e e n f r e n t a r u m a
havia sido a c i o n a d a e tal b r e c h a nos f a v o r e c e u . Podíamos realizar
b a t a l h a faria c o m i m e n s a empolgação. Estávamos e m uns trinta, e
nossos atos c o m a consciência t r a n q u i l a . Q u a n d o cruzamos a esqui-
o c a m i n h a r e m g r u p o se iniciou. Dispostos a morrer uns pelos outros
I * i apressamos o passo. Parecíamos mais u m b a n d o d e a l u c i n a d o s
entoávamos nossos hinos d e glória, c h e i o d e paixão, u m c o r o q u e
à solta. Ninguém e s c a p a v a . Q u e m estivesse n o c a m i n h o iria sofrer
se o u v i a a quilómetros. A i m a g e m d a q u e l e s h o m e n s e r a c o m o se
consequências. C o m o mastro d a s b a n d e i r a s q u e b r a m o s as vitrines
fosse u m a reencarnação dos deuses mitológicos q u e h a b i t a v a mi
das lojas n o primeiro a n d a r . Se alguém estava c o m camisetas punks,
n h a m e n t e . Éramos os senhores d o c o m b a t e . C a d a u m p o d i a ser o
m e s m o não s e n d o d o m o v i m e n t o , l e v a v a pontapés e socos n a c a b e -
q u e quisesse, s e m restrições. V i e r a m - m e as histórias d e g u e r r a q u e
ça. Botelho vestiu u m a máscara, a p e n a s seus olhos e s t a v a m d e fora.
lia q u a n d o criança, e m e s p e c i a l o clássico "Nada de Novo no Front"
Sacou u m revólver e disparou tiros p a r a o a l t o . Mesas e c a d e i r a s d a s
d e R e m a r q u e , o n d e a m i g o s e irmãos se d i r i g i a m e m p o l g a d o s a se
l a n c h o n e t e s e r a m atiradas. Alguns Devastação se j u n t a r a m e m e s m o
alistar p e l a pátria, q u a s e s e m p r e esses c o n t o s t e r m i n a v a m c o m u m a
e m m e n o r número nos e n f r e n t a r a m . Um sujeito d e m o i c a n o v e r d e m e
m e n s a g e m n e g a t i v a d a g u e r r a após os p e r s o n a g e n s v i v e r e m a re-
a g r e d i u c o m u m c i n t o d e c o u r o q u e h a v i a r e m o v i d o d e sua calça.
Tentando m e esquivar, escorreguei e caí n o chão. As c h i c o t a d a s não A m a i o r i a d a s " t r e t a s " e m SP, h e r d a d a s d o s a n o s 80, i n f l u e n c i o u
p a r a v a m , sentia m i n h a p e l e q u e i m a r . M i n h a c a m i s a estava c h e i a d e as g a n g u e s p a u l i s t a n a s d e p o i s d o lançamento d o filme Warriors. Q-
s a n g u e . D e s e s p e r a d o não e n c o n t r a v a auxílio. Todos e s t a v a m o c u p a - ()s Selvagens da Noite ( d e 1979), d i r i g i d o p o r Walter Hill. N e l e é re- ~
d o s c o m o q u e b r a - q u e b r a . Tirei u m a f a c a d a b o t a e c r a v e i - a n a c o x a In ili i d o u m c o n f l i t o e n t r e facções n o v a - i o r q u i n a s após o assassina- <j
d e m e u adversário e n f u r e c i d o , este soltou u m grito d e d o r e a p r o l« > d e u m líder d a s ruas. ^2
v e i t a n d o - m e d a o p o r t u n i d a d e tirei a c i n t a d e suas mãos. Posso dizer
Após a união d o Front 88 c o m a c a r e c a d a , o g a n g u i s m o se intensi-
q u e a vigança veio e m d o b r o , se e s c u t a v a o estalo d a s p a n c a d a s d e
ficou d r a s t i c a m e n t e , t e n d o muitos voluntários q u e a d e r i a m a o g r u p o
l o n g e . O r e b e l d e d e m o i c a n o e n c o n t r a v a - s e a g o r a d e s a c o r d a d o e,
p a r a q u e b r a r u m rival d a e s c o l a , c o l o c a r e m prática o q u e a p r e n -
à sua volta, p e g a d a s d a s botas nas poças d e s a n g u e .
d i a m nas aulas d e artes marciais, crentes d e q u e a r e c o m p e n s a e r a o

- Aí Lobo! Vamo sai fora, mano! - foi o q u e e s c u t e i após v o l t a r à l o m o r n a s o c i e d a d e , sem n e m sequer saber o q u e d e f e n d i a m .

realidade d a correria. A WPSP e o B l o o d a n d H o n o u r excluíram t o t a l m e n t e os r a p a z e s


d e Botelho d a s a t i v i d a d e s e muitos d e s e r t a r a m i n d o p a r a o o u t r o
Os c a m a r a d a s c o r r i a m p o r d e b a i x o d e u m a c h u v a d e p e d r a s e
l a d o d a b a r r i c a d a , o u a p e n a s s e g u i a m c o m o nazistas i n d e p e n -
v a i a s d a multidão r e v o l t a d a nas ruas. Corri c o m o b a n d o . O deses-
d e n t e s . N a internet, os fóruns n e o n a z i s t a s a p o s t a r a m e m u m a c a m -
p e r o e r a t a l q u e m e s m o q u e quisesse, não p o d i a p a r a r d e m o v e r
p a n h a intensa, e x e m p l o é o StormFront, p o r t a l i n t e r n a c i o n a l NS
as p e r n a s . D e i x a m o s p a r a trás c a r t a z e s e b a n d e i r a s , e n v o l v i d a s e m
o m seu espaço r e s e r v a d o a o s países d e língua p o r t u g u e s a . Tinha
u m m a r d e c a c o s d e vidros e torrões d e p e d r a . Senti u m j a t o d e
p o s t a g e n s d e m e m b r o s q u e p u b l i c a r a m fotos d e Skingirls e m sexo
água q u e d o e u m a i s d o q u e as próprias p a n c a d a s d a b r i g a . A Tro-
explícito c o m i n t e g r a n t e s , t o d o t i p o d e o r g i a d a s festas q u e muitas
p a d e C h o q u e avançava c o m u m a n u v e m d e fumaça q u e a r d i a
vezes t i n h a m a presença d e r a p p e r s e c o m u n a s , o uso d e d r o g a s
os olhos. G a l o p a n d o e m nossa direção nos a t a c a r a m c o m c a c e -
p e s a d a s e o tráfico d e cocaína h a v i a t o m a d o c o n t a d o s e n c o n t r o s
tetes. Tínhamos q u e c o r r e r e n c o b r i n d o a cabeça. O c a m a r a d a SS
i inheads, sujando a i m a g e m d o movimento, a g o r a c o m b a t i d o f e -
l e v o u u m tiro d e b o r r a c h a n o o m b r o d i r e i t o . A m a r c a roxa e s t r a g o u
r o z m e n t e p e l a s n o v a s organizações e m e r g e n t e s .
p a r t e d o dragão q u e t i n h a t a t u a d o n o l o c a l .
O Alianza N a c i o n a l d a Espanha, q u e c o s t u m a v a dar a p o i o e
Por sorte a intenção d a b r i g a d a p o l i c i a l fora a p e n a s a d e disper-
m a n t i n h a u m a r e d e d e c o n t a t o s c o m os p a r t i d o s ilegais d o Brasil,
sar a confusão. Três c o m p a n h e i r o s q u e resolveram a t a c a r os g u a r -
d e i x o u d e e n v i a r os créditos e doações d o s shows r e a l i z a d o s n a Eu-
d a s f o r a m l e v a d o s p a r a a d e l e g a c i a , o restante se s e p a r o u . Eu entrei
r o p a , g r u p o s d e P o r t u g a l q u e s e m p r e p r o m o v e r a m o intercâmbio
j u n t o c o m D e m o n o p r i m e i r o ônibus q u e vi passar. Assustados, p u l a
c o m nazistas d a q u i , b l o q u e a r a m o a c e s s o às senhas d o s websites e
mos a c a t r a c a e d e i x e i c a i r o p u n h a l u s a d o n o c o m b a t e . Os d e m a i s
a c a u s a n o Brasil não p a s s a v a d e u m a simples p i a d a .
passageiros se assustaram. G u a r d e i a a r m a , q u e a i n d a c o n t i n h a
s a n g u e , d e v o l t a n a b o t a e segui v i a g e m até o P a r q u e I b i r a p u e r a . A b a n d o n e i t u d o q u e p o d i a considerar "ganguismo", desabro-
c h a v a e m m i m u m a m a t u r i d a d e q u e m e salvou d e u m a prisão p o r
O episódio d a G a l e r i a não e n t r o u p a r a a história d a s g a n g u e s
homicídio o u v a n d a l i s m o , atribuída a muitos outros c o m p a n h e i r o s .
c o m o o mais violento. A mídia n e m sequer m a r t e l o u t a n t o n o fato, pois
Estava d e c i d i d o levar a l u t a p a r a o âmbito político, q u e os c a b e -
n a q u e l e t e m p o era c o m u m noticiário televisivo apresentar notícias d e
ças r a s p a d a s q u e m e seguissem, indomáveis e m seus estilos d e
e s f a q u e a m e n t o , mortes e e s p a n c a m e n t o d e jovens nas saídas dos es-
v i d a revolucionários, fossem a i n f a n t a r i a d o m a i s n o v o p a r t i d o p o r
tádios e nos fim d e semanas. Para m i m a q u i l o h a v i a sido a g o t a d ' a g u a ,
m i m f u n d a d o : O B r i g a d a Paulista.
passei a ver todos esses grupos c o m o m e r a f a c h a d a p r o c r i m e .
d o m e t r o S a n t a Cruz à A v e n i d a Paulista c o m slogans a n t i - g o v e r n o
e endereços virtuais d o V a l h a l l a , d a J u v e n t u d e N a c i o n a l i s t a e d a
D o u t r i n a Linear.

"Contra mensalão e as pragas vermelhas, juntem-se a nós! Fora


Luiz Inácio MULA da Silva. CorruPTos!"

Os c a r e c a s xenófobos a p o i a v a m p a r t i d o s d e e x t r e m a - d i r e i t a
c o m o o Tradição, Família e P r o p r i e d a d e (TFP), o P a r t i d o N a c i o n a -
lista (Minas Gerais), o c o n h e c i d o PRONA d e Enéas C o r d e i r o , o M o -
v i m e n t o M o n a r q u i s t a e a Frente Integralista. N o universo n e o n a z i s t a ,
os skinheads racialistas, s e g u i n d o o i d e a l d o V o t e Nulo, p r e f e r i a m
A BRIGADA a p o s t a r nos p a r t i d o s q u e a d e m o c r a c i a brasileira não r e c o n h e c i a ,
dos quais muitos f o r a m c o n s i d e r a d o s ilegais, e x e m p l o e r a o extinto
DAS TREZE Partido N a c i o n a l Socialista Brasileiro (PNSB), Partido Operário B r a n c o
LISTRAS (Organização paulista d a classe média t r a b a l h a d o r a d e s c e n d e n t e
d e imigrantes e u r o p e u s d a g r a n d e São Paulo), o União Germânica
( c o m p o s t o p o r imigrantes alemães n o sul), u m a m e i a dúzia d e se-
paratistas q u e existem a p e n a s n o imaginário d e seus m e m b r o s e n a
internet e a l g u n s m o v i m e n t o s partidários c o m o o SP Oi!.
"Eu detestava a mistura de raças que se exibia na capital, odiava
aquela vasta coleção de tchecos, polacos, húngaros, romenos, Isso se d e u e m u m a minoria q u a s e insignificante, pois c o m o afirma
sérvios, croatas etc... Acima de todos estavam os judeus, esse pro- Nicholas G o o d r i c k Clarck, especialista n o t e m a neonazista: "Os políticos
duto presente em todas as partes: judeus e sempre judeus". da comunidade eram vistos como pessoas que recebiam pagamentos
de extorsão de uma sociedade liberal corrupta, materialista e egoísta.".
A d o l f Hifler
Entre os brasileiros isso não foi d i f e r e n t e . Os imigrantes ilegais e re-
tirantes nordestinos e r a m o p r o d u t o dessa s o c i e d a d e c o n t r o l a d a p o r
Posso dizer q u e n o âmbito político a l g u n s skins v o t a m e m p a r t i - b a n q u e i r o s usurpadores. D e a c o r d o c o m o i d e a l , nosso país não m e -
d o s l e g a l i z a d o s . N o início d o s a n o s 90. u m g r u p o d e racistas p r o m o - lhorou n a d a c o m a social d e m o c r a c i a , a p e n a s fez-se destruir a classe
v e u a c a m p a n h a política d o v e r e a d o r Bruno Feder, d o PSDB. isso média, iniciara a produção d e lixo, p o b r e z a e conflitos étnicos.
p o r este se o p o r à migração e lançar u m p r o j e t o d e lei q u e c o n -
Transformei o h u m i l d e comité c r i a d o n o colégio, n a s reuniões
t r o l a v a a e n t r a d a d e nordestinos n a c a p i t a l p a u l i s t a . M e s m o s e n d o
d o b o t e c o n a s noites d e sexta, e m u m p r o j e t o d e u m p a r t i d o , r e -
u m p a r t i d o l i b e r a l - c a p i t a l i s t a . d o s t u c a n o s , r e p r e s e n t a n t e clássico
f o r m e i o b l o g t i r a n d o os comentários p o s t a d o s p e l o s m e m b r o s i n -
d a d i r e i t a m o d e r a d a brasileira, e r a v o t a d o p o r a q u e l e s q u e a c r e -
d e p e n d e n t e s e assim t e n t e i levar a d i a n t e m i n h a s ideias, c r e n t e d e
d i t a v a m q u e os inimigos m a i o r e s e r a m o c o m u n i s m o e os petistas
q u e o g r u p o u m d i a p o d i a ter as 100.000 assinaturas d a população
d e Lula. N a época d o mensalão. e q u a n d o v e i o à t o n a a máfia
e u m possível r e c o n h e c i m e n t o d o c o n g r e s s o .
d o s correios, n o a n o d e 2005, fizemos u m a manifestação q u e não
c h e g o u a reunir mais d e 10 pessoas. Frustrados, p r e g a m o s c a r t a z e s
M o v i m e n t o Pátria Livre o m extensão q u e a u m e n t a m a poluição m u n d i a l e d e s t r o e m a p a i s a -

"Queremos ver tremular a bandeira das treze listras; ressaltar o g e m natural. Somos contrários à política e a o m u n d o liberal. Exigimos
a v e r d a d e i r a d e m o c r a c i a , a negação d o d i n h e i r o c o m o f o r m a d e
orgulho de sermos paulistas!"
m e r c a d o r i a e a l i b e r d a d e d e expressão. Somos c o n t r a a maçonaria
PL - América do Sul o a todas as organizações secretas d e s t i n a d a s a ruína m u n d i a l e a
louvação d o dinheiro. Somos anti-sionistas a c i m a d e t u d o .
O m o v i m e n t o PL surgiu a p a r t i r d a dissidência d e diversos g r u -
p o s pró-nacionalismo o u pró-nacional s o c i a l i s m o , q u e existiram Somos contrários a o c o n s u m i s m o , à imigração, à privatização
n o Estado d e São P a u l o ( p r i n c i p a l m e n t e n a c a p i t a l d o e s t a d o ) e d o s recursos e e m p r e s a s d e u m país. Contrários a o r a c i s m o c o m o
nas regiões Sul d o Brasil. C r i a d o e m 2004, s e m u m a d a t a especí i« " m a d e discriminação (já q u e n a concepção d o PL, t o d a s as r a -
f i c a , o m o v i m e n t o PL f o i o c a m i n h o e n c o n t r a d o p o r muitos jovens ças têm o d i r e i t o d e se m a n i f e s t a r e p r e s e r v a r suas tradições e m
i n c o n f o r m a d o s c o m a decadência a t u a l d e suas pátrias, d o s v a - suas r e s p e c t i v a s pátrias. Para o PL, s o c i e d a d e s m u l t i c u l t u r a i s são a
lores m o r a i s e religiosos, se l i v r a r e m d a s c o r r e n t e s m a n i p u l a d o r a s mais p u r a f o r m a d e r a c i s m o , pois d e s t r o e m o v e r d a d e i r o ser, p r o -
q u e os s u f o c a v a m . Entre a c h a m a d a " d i r e i t a " e " e s q u e r d a " , o PL d u z i n d o seres m i s c i g e n a d o s e m u l t i c u l t u r a i s q u e não p r e s e r v a m as
p r o m o v e i d e i a s a n a r q u i s t a s sociais ( n o q u e se diz à " n e g a ç ã o " d o s tradições " n e m d e u m l a d o " e " n e m d o o u t r o " , f a z e n d o c o m q u e
políticos e d a política sócio-liberalista). N a c i o n a l i s t a s e Socialistas suas c u l t u r a s m o r r a m ) . Somos contrários à d i t a d u r a , a o m i l i t a r i s m o
(preservação d a c u l t u r a , d o p o v o e d a s tradições). Isso m a n t e n d o [seja este d e e s q u e r d a o u d i r e i t a ) , somos contrários a politicálias
u m N a c i o n a l - A n a r q u i s m o Racialista. Por se t r a t a r d e u m a i d e o l o g i a farsantes b e m p a g a s , m o v i d o s a interesses económicos.
s u r g i d a n o O c i d e n t e , o PL p r e s e r v a o estilo d e v i d a e u r o p e u o c i -
R e c o n h e c e m o s a independência d o Tibete d a s o r d a s o p r e s s o -
d e n t a l , s o b r e t u d o o ibérico, o r o m a n o , o germânico e o britânico,
ras c h i n e s a s , os n a c i o n a l i s m o s b a s c o , g a l e g o e catalão, a a u t o -
s e m se e s q u e c e r d e suas extensões s o b r e o C o n t i n e n t e A m e r i c a n o .
n o m i a d a I r l a n d a , a libertação d a Palestina e a região d o Kosovo
Estamos a f a v o r d o s países s i t u a d o s n o sul d a América L a t i n a (sobre-
• r vio, m a s s a c r a d o p e l a Albânia a l i a d a à OTAN e os EUA.
t u d o sudeste-sul d o Brasil, A r g e n t i n a , U r u g u a i e Chile), n a América
C e n t r a l e C a r i b e : P o r t o Rico, República D o m i n i c a n a ( c o n t r a o l a d o Somos contrários à globalização, a o c o m u n i s m o , a o c a p i t a l i s -

o c i d e n t a l d a Ilha, c o m b a t e r e m o s a invasão H a i t i a n a d a ex-colõ- m o , contrários a o m e n o s p r e z o d o t r a b a l h o operário e camponês.

n i a e s p a n h o l a ) . C o s t a Rica, Panamá e A n t i l h a s H o l a n d e s a s , e t o d a À glorificação a p e n a s d o t r a b a l h o i n t e l e c t u a l , a o e n r i q u e c i m e n t o

América d o N o r t e . Isso não significa q u e e s t e seja contrário a o s n a - fácil s e m esforço d o t r a b a l h o ( c o m o os s a n g u e s s u g a s q u e e n r i q u e -

c i o n a l i s m o s asiáticos, d a O c e a n i a , eslavos ( e u r o p e u s - o r i e n t a i s ) o u c e m através d e juros e " p r o d u z e m d i n h e i r o c o m d i n h e i r o " ) , contrá-

a f r i c a n o s . Em nossa concepção, o PL p o d e surgir e m c a d a c a n t o rios à p e d o f i l i a , a o a b o r t o , a o h o m o s s e x u a l i s m o , à decadência d a

d o p l a n e t a , n o espírito e v o n t a d e d e c a d a indivíduo d i s p o s t o a se c u l t u r a , a o s p r o g r a m a s televisivos q u e não a c r e s c e n t a m n a d a . . .

livrar d a decadência a t u a l , d e c a d a u m d i s p o s t o a triunfar b a i x o à


Glória Espiritual e m a r c h a r s o b r e a podridão m a t e r i a l i s t a .
Quem são os líderes do Movimento PL?

Para o m o v i m e n t o PL t o d o indivíduo é u m líder, d e s d e q u e c u m -

Em que o Movimento PL é Contrário? p r a c o m seu p a p e l d e G u e r r e i r o Ativista e a m a n t e d e sua estirpe.


A o l o n g o d a história a l g u n s p e n s a d o r e s a j u d a r a m a o r g a n i z a r nos-
Somos contrários a t u d o q u e e n f r a q u e c e a m e n t e , destrói o c o r p o
sas ideias. Aí vão a l g u n s indivíduos q u e a d m i r a m o s :
e o m e i o a m b i e n t e . Contrários às d r o g a s , a prostituição, às c i d a d e s
N o Passado: Aristóteles, Julius Cesar, Trajano, M a r c o Aurélio m o e s p a n h o l ) . Estas c o r e s são a representação d a classe operária.
(e diversos outros I m p e r a d o r e s R o m a n o s i n c l u i n d o N e r o ) , William C o i n c i d e n t e m e n t e o u não, essas são as c o r e s d a b a n d e i r a paulis-
W a l l a c e , R o d r i g o Diaz d e Vivar (EL CID), V i r i a t o (o g u e r r e i r o lusita- t a , pátria o n d e o m o v i m e n t o PL n a s c e u .
n o ) , Isabel d e C a s t e l a e F e r n a n d o d e Aragão, O t t o v o n Bismark,
N o faixa vermelha segue o n o m e d e nosso i d e a l "Pátria Livre" n a
Frederico O G r a n d e , Von Clausewitz, C o l o m b o , Hernan Cortez.
cor b r a n c a , simbolizando a p a z e a esperança d e u m futuro próspero.
M i g u e l d e C e r v a n t e s , Luis Vaz d e Camões, P e d r o Álvares C a b r a l ,
A o centro, n a p a r t e superior, fixa-se u m a r u n a d o l o b o {Wolfsan-
M a r t i n A f o n s o , V a s c o d a G a m a , D o m i n g o s J o r g e V e l h o e os Ban-
gel). a 13 r u n a d o a l f a b e t o nórdico a n t i g o . Ela representa o balanço
d e i r a n t e s Portugueses/Paulistas, Tiradentes... Entre t a n t o s outros.
a

entre a luz e a escuridão, o equilíbrio d o b e m e d o m a l . Os antigos


Os Séculos XIX e XX: Dietrich Eckar, A n t o n Drexter, A d o l f Hitler, Be-
guerreiros Vikings Berserks p e n d u r a v a m u m g a n c h o c o m u m pedaço
nito Mussolini, Mikhail Bakunin (no q u e se diz à negação d o Estado),
d e c a r n e nas árvores c o m o a r m a d i l h a p a r a atrair os lobos. Daí surgiu
Nietzszche, Piotr Koprotkin ( e m b o r a a n a r c o - c o m u n i s t a , seu a t i v i s m o
o símbolo i m o r t a l q u e usamos e m memória d e nossos a n t e p a s s a d o s
revolucionário d e a p o i o mútuo c o n t r a o sistema é d e se a d m i r a r ) .
celtas e bárbaros, também u m a referência à i d e o l o g i a d o s a n g u e e
G e o r g e O r w e l l , Pedro Albizu, J u a n Peron, A u g u s t o Pinochet, José
solo. A r u n a d o l o b o também foi utilizada p e l a divisão d e Polícia M o t o -
A n t o n i o Primo d e Rivera, Ramiro L e d e s m a Ramos, Carlos Keller. Cor-
rizada d a s W a f f e n SS e foi o e m b l e m a d o Partido Nacional-Socialista
nélius C o d r e a n u , Plinio S a l g a d o , G u s t a v o Barroso, Freitas Enrique.
Holandês d u r a n t e a S e g u n d a G u e r r a M u n d i a l . A d o t a m o s e s p e c i a l -
D o u t o r a Nilza Perez, V i c e n t e Spineli, Francisco C a m p o s , M i g u e l Re-
m e n t e esse signo p a r a representar nossas b r i g a d a s e milícias u r b a n a s
ale, Gustavo C a p a n e m a , A m a r o Armari, Santiago Dantas, G e o r g e
n o majestoso pendão d o PL, p e r t e n c e n t e à B r i g a d a Paulista.
Licoln R o c k w e l l , Charles Buckowski, Francisco Elias d e T e j a d a y Spíno-
N a parte inferior s e g u e u m a Cruz d e M a l t a : símbolo cristão-medie-
la, Walter Darre, Horst Wessel, Leon DeGrelle, Rudolf Hess (o m e n s a -
val utilizado nas c r u z a d a s e nas g r a n d e s navegações a o N o v o M u n d o ,
g e i r o d a Paz), A l m e i d a G a r r e t , Ezra P o u n d , Antônio Sardinha...
e m h o m e n a g e m às nossas ascendências p o r t u g u e s a s e e s p a n h o l a s .
Inspirações Atuais: Siegfried E l l w a n g e r C a s t a n e Editora Revisão.
C h u c k P a l a h n i u k , Ian Stuart (IN MEMORIAN), José Pinto C o e l h o (Pre-
s i d e n t e d o PNR d e P o r t u g a l ) , Mário M a c h a d o (líder d o s H a m m e r - Manifesto: Princípios ementares do
skins d e P o r t u g a l ) , M a n u e l C a n d u e l a , João P e n h a , Ruy d o A m a r a l ,
Movimento Pátria Livre
G e r a l d o M e l o Mourão. Antônio Carlos Vilaça. D a v i d Irving, Sérgio
O l i v e i r a , Pio M o a , D a v i d M y i a t , Tom Metzer, G o t f r i e d Feder (e t a n t o s O M a n i f e s t o d o M o v i m e n t o PL t e m inspiração n o m a n i f e s t o
outros guerreiros, i n t e l e c t u a i s , músicos e h o m e n s d e valores). criado pelo Movimento Nacional Chileno.

O m o v i m e n t o PL não t e m e s p e c i f i c a m e n t e u m a b a n d e i r a . Sua
b a n d e i r a são t o d a s as ideias q u e e n g l o b e m t u d o d e n a t u r a l e triunfal Manifesto
n a v i d a d e u m indivíduo d e valor. Desprezamos a utilização d e unifor-
mes e f o r m a l i d a d e s . As b a n d e i r a s d e nosso m o v i m e n t o são t o d a s as E s t a b e l e c e - s e c o m o u m a instância, a melhor, p a r a u m a real e

b a n d e i r a s n a c i o n a i s mundiais. Porém, e m termos cerimoniais p o d e - definitiva restauração d o s valores, u m ressurgimento d a n a c i o n a l i d a -

mos identificar o PL p e l o seguinte c o n j u n t o d e e m b l e m a s e cores: d e , c h e g a n d o p o r u m c a m i n h o n a t u r a l e lógico a o b e m c o m u m .

Três Listras: N e g r a - V e r m e l h a - N e g r a (cores d o s a n t i g o s sindicatos A natureza é a c o l u n a vertebral d o socialismo-nacionalista.


operários n a c i o n a l i s t a s , também c o r e s d o a n a r q u i s m o e f a l a n g i s Ela não c r i a n e m c r i o u j a m a i s dois seres o u indivíduos iguais, sinal
e e m c a d a u m a p l i c a distintas proporções d o s m e s m o s c o m p o -
n e n t e s e características, e s t a b e l e c e n d o d e s t e m o d o hierarquias e p e l a nação d e v e estar só e m mãos d e conterrâneos o u patrícios, os
m a r c a n d o c a d a indivíduo e m seu próprio nível. q u e terão a obrigação d e cultivá-la e m f o r m a ótima e c o m vistas a

O direito d e p r o p r i e d a d e f o r m a p a r t e d a natureza e c o m o tal lorvir a o interesse n a c i o n a l . A p r o p r i e d a d e agrícola será passível d e

o MPL o r e s p e i t a . Tão só l h e põe limites q u a n d o a p r o p r i e d a d e in herança, e v i t a n d o a subdivisão, e o Estado promoverá a colonização

d i v i d u a l v a i a d e t r i m e n t o d o s d e m a i s indivíduos, o u seja, q u a n d o das zonas não e x p l o r a d a s . Eliminar-se-ão as h i p o t e c a s sobre terras.

atenta contra o b e m c o m u m . N a política interior dar-se-á preferência a b s o l u t a a o p a u l i s t a ,

Por fim, n a e c o n o m i a sócio-nacionalista se a c e i t a a e m p r e s a a o sulista, a o m i n e i r o , a o m a t o - g r o s s e n s e o u goiânio, f r e n t e à elite

p r i v a d a c o m a ressalva d e q u e os postos d i r i g e n t e s d e v e m ser g a ( o r r u p t a d o s milicos c a r i o c a s e coronéis d e Brasília; e m outras p a -

nhos p o r c a p a c i d a d e p e s s o a l e não p o r r i q u e z a , s o b r e n o m e o u in lavras, a o cidadão brasileiro q u e t r a b a l h a e c o n d u z a América d o

fluência, máxime se, d e preferência, os d o n o s d a s e m p r e s a s s e j a m Sul, s o b r e q u a l q u e r e s t r a n g e i r o (salvo os e u r o p e u s e irmãos a r g e n -

seus próprios t r a b a l h a d o r e s . O p o v o é d o n o d o s serviços públicos, tinos, c h i l e n o s e u r u g u a i o s ) e este último será t o l e r a d o c o m o hós-

e m p r e s a s estratégicas e a q u e l a s q u e , p o r seu t a m a n h o , não c o n - e e n q u a n t o sua presença seja u m a contribuição positiva p a r a

vém à s o c i e d a d e q u e e s t e j a m e m mãos p a r t i c u l a r e s . ossa c o m u n i d a d e , s e n d o e x p u l s o tão p r o n t o t r a n s g r i d a a l g u m a


lei o u a t e n t e d e q u a l q u e r m a n e i r a c o n t r a o b e m c o m u m .
Em l u g a r d o " p a d r ã o - o u r o " a c e i t o i n t e r n a c i o n a l m e n t e , a i n d a
q u e i m p o s t o p e l o s a g e n t e s maçónicos, usa-se o "padrão-trabalho" N a política exterior defender-se-ão os interesses n a c i o n a i s e m

e não existe o interesse s o b r e o c a p i t a l , p o s t o q u e o d i n h e i r o seja só l o r m a enérgica e inapelável, f r e n t e a t o d o i n i m i g o a b e r t o o u e n -

u m m e i o d e t r o c a e não u m a m e r c a d o r i a . Única e e x c l u s i v a m e n t e c o b e r t o , e s p e c i a l m e n t e c o n t r a as maquinações d a globalização,

o t r a b a l h o , seja m a n u a l o u i n t e l e c t u a l , p o d e g e r a r riquezas. i' into através d o c a p i t a l i s m o i a n q u e c o m o d o m a r x i s m o apátrida,


os dois braços c o m q u e e s t r a n g u l a m a h u m a n i d a d e .
Não c r e m o s , n e m a c e i t a m o s o sistema partidocrático m a l c h a -
m a d o " d e m o c r a c i a " . N a educação ter-se-á q u e f o r m a r mentes O l i b e r a l i s m o democrático e o m a r x i s m o - c o m u n i s m o h o j e não
sãs e m c o r p o s sãos e b e m nutridos, e v i t a n d o e n t u p i r ditas m e n t e s 111 >dem seguir e s c o n d e n d o seu r o t u n d o fracasso, e n q u a n t o os p r i n -
c o m c o n h e c i m e n t o s enciclopédicos inúteis e d e s e n v o l v e n d o e m cípios d o n a c i o n a l - s o c i a l i s m o já p r o v a r a m sua eficácia.
seu l u g a r o caráter e a v o n t a d e , aptidões físicas e morais p a r a u m (Extraído dos pertences de um dos skins que entrevistei.)
m e l h o r a m e n t o d o p o v o e t o d o este p r o c e s s o e m estreito c o n t a t o
c o m a n a t u r e z a . N a educação superior não haverá travas p a r a O m a n i f e s t o d o h u m i l d e p a r t i d o e m e r g e n t e foi l i d o d i a n t e d e
os r e a l m e n t e c a p a z e s e d o t a d o s , c e r r a n d o - s e as p o r t a s a o s q u e , u m a m e i a dúzia d e c o m p a n h e i r o s n o balcão d e u m b a r . S a n d e r
t e n d o d i n h e i r o , influências o u s o b r e n o m e s , não e s t e j a m r e a l m e n t e a c e n d e u u m c i g a r r o e lançou o fósforo a c e s o n o cinzeiro.
c a p a c i t a d o s . U m a j u v e n t u d e sã, respeitosa, b e m e d u c a d a e des - É r e a l m e n t e u m m u n d o m u i t o diferente este e m q u e vivemos - dis-
p o r t i s t a não c a i n o d e l i t o , n e m n a d r o g a . so Sabe Lobo, a q u i a p r e n d e m o s a ser h o m e m ! O q u e u m ser h u m a
n o n o r m a l a m a d u r e c e e m 30 anos nós fazemos e m u m a s e m a n a .
N a Justiça criar-se-ão códigos d e aplicação rápida e simples
q u e c a s t i g u e m e f e t i v a m e n t e a t o d o c u l p a d o , s e m l u g a r p a r a res As p a l a v r a s d o c a m a r a d a f i c a r a m e m m i n h a m e n t e p o r t o d o o
quícios legais, argúcias d e a d v o g a d o s , pressões políticas o u falhas resto d a q u e l e d i a , p e n s a t i v o , não p u d e c o m e r . R e a l m e n t e nós éra-
d o sistema, q u e a t u a l m e n t e o t o r n a m i n o p e r a n t e e injusto. Os d e mos u m a fração a p a r t e d a s o c i e d a d e , o e n t r o s a m e n t o n a e s c o l a
l i n q u e n t e s deixarão d e ludibriar a c o m u n i d a d e q u e os mantêm. c o m os d e m a i s c o l e g a s e r a impossível. Q u e r e a l i d a d e tínhamos

Na Agricultura, sustentamos q u e a terra a d q u i r i d a e d e f e n d i d a p a r a c o m p a r t i l h a r c o m eles? B a l a d a s ? Almoço e m família? Nossas


136
v i d a s g i r a v a m e m t o r n o d e u m c o m p l e x o universo d e i d e o l o g i a s .
g n o m e s d e figuras históricas q u e n e n h u m o u t r o j o v e m d e nossa i d a
c d e j a m a i s o u v i r a . V i m o s coisas q u e esses g a r o t o s só v i r a m n o c i
2
_o n e m a . Cadáveres e n s a n g u e n t a d o s q u e não f a z i a m p a r t e d e u m a
história e m q u a d r i n h o s , a t e n t a d o s terroristas q u e não e r a m peças
D*
£ p r e g a d a s c o m o diretor d a e s c o l a . Muitos h a v i a m s e n t i d o n a p e l e
g a r e a l i d a d e d a c a d e i a . E os sonhos a b a n d o n a d o s tão rápido c o m o
o d e d o q u e a p e r t a v a o g a t i l h o e m noites d e brigas p e l a c i d a d e .

L e g e n d a d a s fotos:

A, B e C - O i d e a l r e t r a t a d o n a p e l e . T a t u a g e n s e cicatrizes
D- G a r o t a s d o m o v i m e n t o , as "Skingirls"
E - Endstufe se a p r e s e n t a n o Rio d e J a n e i r o , e m 2009, n o festival
internacional Skincorefest
F- Manifestação n a c i o n a l i s t a e m Buenos Aires, a f a v o r d a l i b e r t a -
ção d a Palestina
G - Territórios m a r c a d o s . Pichações d e p u n k s p e l o c e n t r o d e SP
CRÓNICAS
PARTE 2

Prova de Fogo

C o m o s e m p r e a c o n t e c i a c o m novos i n t e g r a n t e s , o b r i g a t o r i a -
mente passavam por u m a prova d e fogo, o n d e demonstravam
valor e c o r a g e m , c a m a r a d a g e m e f i d e l i d a d e d i a n t e d o g r u p o .
Muitas d a s vezes o i n t e g r a n t e p a s s a v a p o r u m c o r r e d o r polonês,
l e v a n d o pontapés e murros n a c a r a , s e m p o d e r revidar, o u realizar
u m a "missão" p e l a c i d a d e .

J o n a s n u n c a h a v i a sido u m skin, m a l c o n h e c i a o m o v i m e n t o ,
m a s diria q u e o r a c i a l i s m o e s t e v e c o m e l e d e s d e s e m p r e . D e v i a ter
uns q u i n z e a n o s , i n e x p e r i e n t e , e x t r e m a m e n t e tímido e infantil; c o n -
t o u - m e q u e e r a filho d e i m i g r a n t e s p o b r e s d o U r u g u a i , q u e n a s c e u
p e r t o d a f r o n t e i r a c o m o Brasil e c r e s c e u e m São Paulo. Sua família
tinha o r i g e n s italianas e balcânicas e, p o r e n g a n o , a p o r t a r a m n a
América d o Sul; p r e t e n d i a m e m i g r a r p a r a os Estados Unidos, m a s
loram e n g a n a d o s a i n d a na Europa.

L e m b r o - m e c o m exatidão o d i a e m q u e se a p r e s e n t o u p a r a o
Front 88 - u s a v a u m a c a m i s a p a r d a c o m insígnias d a s S.A. (Sturma- n o " p e c a d o " e r a bizarro ver o r a p a z i n h o q u e t a n t o o d i a v a seu bair-
b t e i l u n g ) , as t r o p a s d e assalto d o P a r t i d o Nazista, a n t e s d e c h e g a - ro, s e n d o o " c i d a d ã o e x e m p l a r " d a p e r i f e r i a .
r e m a o p o d e r e m 1933. D e s d e então p a s s o u a se c h a m a r S.A. Estu-
d a v a e m u m colégio e s t a d u a l q u e o d i a v a f e r o z m e n t e , b e m c o m o
Si vis pacem - para bellum
o b a i r r o q u e vivia, n a periferia d e Heliópolis. - Ali só tem pardos e
negros, nordestinos e traficantes, não vemos brancos e os poucos A sistemática s e n h o r a A n a M a r t a t i n h a suas lentes f u n d o d e g a r -
que há, são iguais a eles. cansei de ser discriminado por ser estran- rafa e u s a v a u m vestido florido. Foi u m a e s t u d a n t e d e filosofia n o
geiro e não pertencer à "comunidade". final d a década d e 60 e ativista d a UNE c o n t r a o g o v e r n o militar.
Eu n u n c a e n t r e i p a r a o Front d e Botelho, nossa relação e r a a m i s - Era u m a c r e n t e c o n v i c t a d a d e m o c r a c i a v i g e n t e . J u l g a v a t u d o q u e
tosa e d e respeito, n a d a mais, p o r t a n t o a l g u n s c o n s i d e r a m q u e a fosse d a " s o c i a l - d e m o c r a c i a " libertário, p a r t i c i p a v a d e p r o g r a m a s
m i n h a p r o v a d e f o g o f o r a a b a t a l h a d a g a l e r i a , o u outros " a t e n t a - humanitários e a l g u m a s O N G s d a s quais g a n h a r a prémios e m e v e n -
d o s " p e l a c a u s a , seja o q u e for, a f i r m o q u e esteve l o n g e d o teste tos n a c i o n a i s . Seria essa s e n h o r i n h a d e 1.50m d e a l t u r a q u e entraria
a p l i c a d o a o m a i s n o v o i n t e g r a n t e . Fiquei s a b e n d o q u e o l e v a r a m na a r e n a e m q u e se t r a n s f o r m o u a sala d e a u l a , t e n d o os e s t u d a n t e s
p a r a u m a v o l t a d e c a r r o p e l a n o i t e , t o d o s m a s c a r a d o s n o veículo, " i n d i f e r e n t e s " c o m o público. Eu e r a o único a l u n o c o m b o t a s mili-
n e m m e s m o Botelho e s t a v a n a q u e l e d i a . A r m a d o s c o m pistolas e tares e cabeça r a s p a d a d a classe, o único q u e l e v a n t a v a o braço,
rifles d e paintball, p a s s a r a m p e l a A v e n i d a Indianópolis, próximo a o não p a r a fazer u m a p e r g u n t a , m a s u m a crítica, o único q u e d e s c r e -
m e t r o São J u d a s , n a z o n a sul, l o c a l c o n h e c i d o p e l a prostituição. via a o s Bandeirantes e c o n q u i s t a d o r e s c o m o heróis nos t r a b a l h o s d e
P a r a v a m o veículo d i a n t e d e a l g u m travesti e p e r g u n t a v a m q u a n t o c a s a , se r e c u s a n d o a falar b e m d e Zumbi e d e M a r t i n Luther King.
c u s t a v a o p r o g r a m a , até p e d i a m p a r a q u e mostrasse o " m a t e r i a l " , M e u g r u p o d e cabeças-raspadas e r a o m o t i v o d a s c a m p a n h a s d e
q u a n d o o m e s m o e s t a v a n u , r a p i d a m e n t e s a c a v a m as a r m a s e s o l i d a r i e d a d e e s p a l h a d a s p e l a s escolas d o b a i r r o n a época. O r a -
d i s p a r a v a m à q u e i m a - r o u p a . - Porra cara, você tinha que ver. uns d i c a l i s m o crescia a b s u r d a m e n t e nos colégios, c a n s a m o s d e v e r a
veados chegaram cortando os próprios braços com giletes, dizen- exibição d e filmes c o m o Crash, A Outra História Americana edo-
do que eram aidéticos e iam nos contaminar. - C o n t a v a às g a r g a cumentários c o m d e p o i m e n t o s d e sobreviventes d o H o l o c a u s t o nas
l h a d a s - Até q u e finalmente encontramos uma prostituta, até que salas d e vídeo, c o m intuito d e " c o m b a t e r os r a d i c a i s " .
era gostosa tá ligado, sequestramos a rapariga e a levamos para
C o n s t a n t e m e n t e e u gritava " M e n t i r a ! " após u m a conclusão d a
um parque que já estava fechado, os quatro malucos que estavam
professora, "Isso não foi p r o v a d o ! " depois d a m e s m a a r g u m e n t a r pas-
no carro a comeram, depois um dos caras até mijou na cara dela,
sagens d a história q u e i a m c o n t r a m i n h a i d e o l o g i a . Q u a n d o e m u m a
enquanto urinava dizia "Aí está o pagamento, sua vagabunda".
a u l a d o último semestre d o curso, e s t a n d o e u prestes a m e formar, e l a
Caímos fora e assim foi que entrei para a banca.
iniciou o t e m a d a diversidade racial-cultural, m e s m o s a b e n d o d o c o n -
U m a vez e n c o n t r e i S.A. d e t e r n o e g r a v a t a n o c e n t r o d a c i d a d e , flito q u e isso p r o v o c a r i a , d i z e n d o q u e as nações n u m futuro d e s a p a r e -
c o m c a b e l o p e n t e a d o p a r a o l a d o e u m a bíblia n a mão. Após c e r i a m e isso seria o p o n t o vital p a r a o f o r t a l e c i m e n t o d e nossa socie-
cumprimentá-lo, f i c o u f a l a n d o d a vez q u e e l e e n c o n t r o u a salva d a d e . . . Não p u d e deixar passar, m i n h a inquietação se sobrepôs.
ção e m Cristo e m e c o n v i d o u p a r a ir a u m c u l t o d e sua i g r e j a . C o m o
- O comércio está controlado por turcos, chineses e coreanos. No
religião não é e n u n c a foi d e m e u a g r a d o , m u d e i d e assunto e l o g o
centro da cidade as comunidades de nigerianos lideram o tráfico de
m e d e s p e d i . J o n a s e s t a v a c a s a d o c o m u m a m u l a t a d e Heliópolis.
drogas e seus membros são racistas conosco. há bairros que não nos
a filha d o p a s t o r d e s u a c o m u n i d a d e . Para os q u e o c o n h e c e r a m
142
deixam entrar. No setor educacional, os comunistas que eram perse- - Perseguindo minorias não vai resolver nada. - dizia já em um
H guidos na ditadura, que dizem tanto preservar a democracia, hoje fa- tom angustiante, parecia que as coisas iam para o lado pessoal. a.
c z e m exatamente o que os inquisidores do governo faziam, não temos
- Minorias? Nós somos ela agora! O número de invasores ultra- SI
JS o d/re/fo d e nos expressar. A diversidade de ideias é aceita dentro
passa o de paulistas. Se atualmente São Paulo tem uns 20 milhões ^
O d o s partidos considerados "legais". Como a senhora pode dizer que
d e habitantes, pelo menos uns 13 milhões são nordestinos. Con- ^
íg* vivemos e m uma democracia? Que existe a liberdade? Seu discurso
tando os descendentes, duvido muito se não chega próximo ao
é perigoso para mentes alienadas, para os pobres de cultura que são
número total. Essa gente se procria feito ratos. Para cada paulista
capazes de "concordar discordando" pra tirarem um 10 no exame.
que nasce, há pelo menos uns 10 deles. Estamos em extinção e não
- Você diz isso porque não viveu na época dos militares. Havia existiremos mais em um breve futuro.
escuta na sala de aula e espiões disfarçados de alunos que de-
nunciavam os movimentos estudantis para a policia. Aprendíamos A l g u n s c o l e g a s começaram a se i n c o m o d a r . Saíram a o s m o n -

uma visão unilateral dos fatos, a xenofobia tomava conta de todos tes d a sala p a r a ir a o b a n h e i r o p r o c u r a n d o passar o t e m p o d a a u l a

os setores. Hoje nós promovemos o intercâmbio cultural, queremos e os p o u c o s q u e f i c a r a m balançavam a cabeça e m sinal d e n e g a -

aprender com os estrangeiros. ção, d e s a p o n t a d o s c o m m i n h a a t i t u d e i n t o l e r a n t e .

- Nunca disse que era contra o intercâmbio cultural. Para jus- Q u a n d o não se t e m o sentimento d e nação o regionalismo c e g a -
tamente haver essa diversidade, os povos têm que se preservar; nos b r u t a l m e n t e . A m i n h a pátria e r a São Paulo e m i n h a b r o n c a n e m
sociedades multiculturais promovem a miscigenação e o aniquila- era t a n t o c o m os estrangeiros, m a s os crescentes migrantes. C o m e -
mento de todas as diferenças produzem seres que não pertencem c e i a d e m o n s t r a r números d e estatísticas q u e e l a j a m a i s t i n h a a c e s -
a nenhuma etnia. Alienígenas. Uma coisa é o intercâmbio entre so, pesquisas realizadas e m d a d o s racistas q u e não saíam n a mídia
portugueses e italianos, alemães e holandeses, povos de uma as- c o n v e n c i o n a l . Toda a informação a d q u i r i d a n o s u b m u n d o neonazis-
cendência comum, as diferenças deles convivendo juntos, como ta d a internet, p o r mais assustadora q u e fosse, e r a tão rica e m d e t a -
no passado; eram mínimas e os conflitos quase inexistentes. Mas a lhes q u e a t o r n a v a i m p e r a t i v a a o p o n t o d e ser q u a s e impossível u m a
senhora não espere que seja igual na sociedade atual. entre um ideia contrária d e s m e n t i - l a . O p a p e l d a professora e r a e d u c a r , d e u m
angolano refugiado e um russo camponês. Hoje sujeitos do mun- m o d o i m p a r c i a l , p o r mais q u e não exista i m p a r c i a l i d a d e 100% e q u e
do inteiro convivem lado a lado feitos uma salada mista, um ten- essa regra permaneça a p e n a s n o r e g u l a m e n t o d a e s c o l a , não n a
tando passar a perna no outro. Acabou o sentimento de unidade, prática d a classe. O m e u p a p e l d e s o l d a d o político e r a p r o p a g a r as
tudo isso em prol do capital e dos interesses burgueses. E não me ideias, c o n v i c t o d e q u e a m e l h o r d e f e s a era o a t a q u e .
diga que algo mudou daqueles tempos para cá. pois cansei de ser
Essa questão t e m t o d a u m a ática d e discussão, c o m o as cotas ra-
chamado na diretoria por discordar da senhora. As autoridades
ciais nas universidades públicas. Assuntos sobre os quais todas as pes-
educacionais me consideram um "doente", alguém que precisa
soas possuem u m a opinião, dos letrados aos moradores d e rua. os a c a -
de ajuda psiquiátrica, assim como Stálin julgava seus opositores.
démicos a l e g a v a m privilegiar q u e m foi injustiçado historicamente. O

A professora começava a se exaltar e a classe e m silêncio absoluto c a m i n h a r d a discussão seguia seu curso e m círculos, p a r e c e n d o não

n e m piscava os olhos v e n d o q u e m seria o v e n c e d o r d a q u e l e d e b a t e fe c h e g a r a lugar n e n h u m . M i n h a intenção d e explicar os motivos e o d e -

roz. d o d u e l o entre a voz b a c h a r e l a d a reacionária d a teoria, frente u m a senvolvimento d e sua detalhação se t o r n a v a c a d a vez mais árduo.

voz revolucionária d o operário, inserido n a d u r a r e a l i d a d e d o c o t i d i a n o D e s a c r e d i t a v a c o m a b s o l u t a veemência d a s u p o s t a " D e m o -


c r a c i a P a r t i c i p a t i v a " , tão d e f e n d i d a p o r m e u s e d u c a d o r e s , pois e l a
j n c a f u n c i o n o u c o m o d i z i a m , p e l o m e n o s c o m i g o se r e s u m i a as- a c a l m a v a m os nervos d a q u e l e s q u e começavam a p r e s e n t a r sinais
x sim: - O padrão permitido foi eleito - então que a minoria se cale! d e r e v o l t a , a d a p t a n d o - o s a o sistema ridículo d o "Sorria, t e n h a u m a
D a t i t u d e positiva, seja c a r i d o s o . . . " . Ele t o c a v a n a f e r i d a q u a n d o nos
§ "Si vis pacem. para bellum" - O f a m o s o d i t o p o p u l a r latino - "Se dizia q u e devíamos r e n u n c i a r o o r g u l h o e o f e r e c e r a o u t r a f a c e ,
queres paz. p r e p a r a - t e p a r a g u e r r a " , era o c u m e , o mais a l t o o b j e t i v o c o m o Jesus. P o r t a v a s e m p r e u m a n e l c o m o c o m p a s s o e e s q u a d r o
8» q u e u m defensor d a s " v e r d a d e s o c u l t a s " p o d i a seguir, e i n c o r p o r e i d a maçonaria, q u e m e i n c o m o d a v a m u i t o .
^ essa frase d e i m p a c t o f a z e n d o d e l a u m estilo d e v i d a . a p l i c a d o e m
3 q u a l q u e r situação, se a f l o r a n d o mais nas aulas d e sociologia-história. Os textos m o t i v a c i o n a i s e r a m p o r m i m refeitos d e a c o r d o c o m o

P o d e até p a r e c e r hipócrita, mas confesso q u e n u n c a a o d i e i . Para nosso p o n t o d e vista e p r o n u n c i a d o s nos intervalos d a s aulas c o m

m i m . a q u e l a v e l h a académica era u m a f r a c a s s a d a , u m a vítima m a - intuito d e i n t i m i d a r a " a m e a ç a " desse suposto i n i m i g o q u e fora exi-

n i p u l a d a d o sistema, c o m o os d e m a i s alunos a l i e n a d o s . O q u e a dife l a d o d u r a n t e o g o v e r n o d e Pinochet. O q u e d e v e r i a ser o parâme-

r e n c i a v a era seu histórico curricular, q u e , a m e u ver, não valia n a d a . tro c o n s i d e r a d o , e n q u a n t o concepção, d e u m a instituição crítica e

pois f r e q u e n t a r a instituições m a n i p u l a d o r a s , q u e , a o l o n g o dos anos p r o d u t o r a d e c o n h e c i m e n t o e, s o b r e t u d o , t r a n s f o r m a d o r a d a reali-

só serviram a o ZOG e às suas ideias m i r a b o l a n t e s . Seria p e r d a d e t e m - d a d e social, se t o r n o u u m a g l o m e r a d o d e c o n c e i t o s ideológicos d e -

p o tentar m u d a r o p e n s a m e n t o d a q u e l e s q u e já possuíam u m a ideia b a t i d o s , muitas vezes sem f u n d a m e n t o s . Pois b e m , c o m o p o d e r i a e u

e n r a i z a d a , mas não a d m i t i a q u e o " v e n e n o sionista" se alastrasse nas m e e s q u e c e r d a s nobres p a l a v r a s d o s célebres académicos? Tendo

m e n t e s vazias d o s sem culturas, c o m o se alguém estivesse interessado. sentido t o d a a opressão d o sistema d e ensino p o r " p e n s a r d i f e r e n -

Hoje sei q u e a q u e l e s garotos v o l t a v a m sua atenção p a r a o c o n f r o n t o te"? O diretor hipócrita dizia q u e , c o m o a d m i n i s t r a d o r d e u m a e s c o -

q u e r e n d o ver o c i r c o p e g a r f o g o , não p e l o conteúdo d o d e b a t e . la democrática, a d m i r a v a o d e b a t e c o n s t r u t i v o e e s p e r a v a tal a t i t u -


d e d o s mestres, foi o q u e s e m p r e p r o n u n c i o u c o m seu sorriso falso d e
Há q u e m d i g a : A r m e - s e d e paciência, pois só assim será c a p a z
político p a r a m e u s pais. isso q u a n d o eles i a m a a l g u m a reunião.
d e v e n c e r a sedução d a força, p a r a n a prática p r e s e n t e a r a sua
i d e i a c o m o v a l o r d a razão. S i n c e r a m e n t e , s e g u i n d o t a l tópico, o
- O Júlio é um aluno inteligentíssimo, um dos melhores e mais
q u e s e . a p l i c a é o c o n c e i t o : Non omnia quae vera sunt recte dixeris
cultos que temos aqui. - dizia p a r a m e u p a i , r e f e r e n t e a l g u m a t r a -
- " N e m t o d a s as v e r d a d e s se d i z e m " .
q u i n a g e m c o m e t i d a p e l a nossa t u r m a - É uma pena que ele siga
N a t e o r i a , as e n t i d a d e s e d u c a c i o n a i s d e v e r i a m m o d e l a r o indi- com essas ideias e se encontre nesse meio.
víduo p a r a a s o c i e d a d e . Um professor q u e tive n a q u e l e semestre
Na r e a l i d a d e , e l e o r d e n a v a aos professores não a b r i r e m às o p i -
d o c o l e g i a l técnico, e s p e c i a l i z a d o e m comunicação s o c i a l , d a v a
niões. Eu e r a o único a l u n o d a q u e l a e s c o l a q u e se d a v a a o t r a b a l h o
palestras e m t o d o país, a fim d e a j u d a r n a e s c o l h a d a c a r r e i r a . Ele
d e pesquisar e a p r i m o r a r os c o n h e c i m e n t o s , m e s m o q u e a i n t e n -
e r a u m c o n c e i t u a d o c o n f e r e n c i s t a d e o r i g e m c h i l e n a , e seu n o m e
ção fosse p e j o r a t i v a . Um s e n t i m e n t o d e injustiça p a i r a v a sobre m i m .
m u i t o d i f u n d i d o nos países a n d i n o s . N o Brasil, e s t e v e u m t e m p o n a
Havia e s t u d a n t e s q u e p a s s a v a m d r o g a nos b a n h e i r o s , d o r m i a m nas
USP. N o colégio q u e f r e q u e n t e i e r a e l e o e n c a r r e g a d o d e u m a m a
aulas e e s t a v a m presentes d e c o r p o a p e n a s , c o m a m e n t e n a lua.
teria n a g r a d e c u r r i c u l a r q u e j u l g a v a inútil. O u m e s m o q u e não fos
E e u era o vilão. Um monstro q u e p r e c i s a v a se p r e j u d i c a r , c o m m e u s
se " e l e a t r a n s f o r m o u assim", c o m seus c o n c e i t o s religiosos e t o d a
e d u c a d o r e s f a z e n d o o possível p a r a q u e isso a c o n t e c e s s e .
b a b o s e i r a " h i p p i e " propícia d e sua geração.
A e s c o l a dizia valorizar indivíduos críticos. S e g u n d o eles, os a l i e -
As "Relações interpessoais" d o m e s t r e c a r r e g a d o d e s o t a q u e
n a d o s não t i n h a m vez. Porém s a b e - s e q u e p r e f e r i a m os garotos d e
c a s t e l h a n o e r a m vistas p o r m i m c o m o u m a l a v a g e m c e r e b r a l
mentes c a r r e g a d a s d e m a c o n h a o u desinteressados d e t u d o . b a -
derneiros e preguiçosos, d o q u e os indomáveis. É s e m p r e mais fá- Sem mais a r g u m e n t o s , a professora p e r d e u a linha e d e s a b o u , ex-

cil m o d e l a r seres s e m informações, d o q u e " s u p o r f a r " os opositores p u l s o u - m e d a a u l a sem n e m m e s m o e u terminar d e ler o texto q u e h a -

a o sistema. Nas palestras sobre carreira, c o m o p o d i a m e s p e r a r d e via feito. Meus pais f o r a m intimados a c o m p a r e c e r p a r a u m a reunião

m i m u m a empolgação, fazer d e m i m u m c r e n t e c o n v i c t o d e q u e d e v i d o a o m e u c o m p o r t a m e n t o a n o r m a l " p r e o c u p a n t e " , e o diretor

r e c e b e r i a d a s universidades ensino evoluído e instrutivo, se d e s d e a c a n a l h a propôs u m " a c o r d o " : se e u quisesse c o n t i n u a r f r e q u e n t a n d o

b a s e e l e se d e m o n s t r a v a o p o r t u n i s t a e t e n d e n c i o s o ? Os c a u s a d o r e s a e s c o l a , d e v i a ser o b r i g a d o a fazer u m t r a t a m e n t o psicólogo.

e financiadores d o sistema insistem m a n t e r u m falso m o r a l i s m o , pois A g o r a e u e n t e n d i a p o r q u e m u i t o s c a m a r a d a s d e i x a v a m os es-


a p r e s e n t a m u m g r a u d e e s p a n t o , intolerância e m e d o m u i t o g r a n d e t u d o s , a b a n d o n a n d o a p o s s i b i l i d a d e d e seguir u m a c a r r e i r a e i a m
a o q u e é contrário o u a p e n a s d i f e r e n t e , ser d e m o c r a t a virou sinóni- m o r a r nas ruas. A s o c i e d a d e brasileira é medíocre, p r e z a p o r u m a
m o d e " f a z e r o p e r m i t i d o e dizer o q u e os outros q u e r e m e s c u t a r " . educação q u e j u l g a m ser democrática e libertária, m a s n a reali-

Eu q u e r i a gritar p a r a o m u n d o , fazer t o d a h u m a n i d a d e , p r i n c i p a l - d a d e e s t i m u l a u m ensino v o l t a d o p a r a a m o d e l a g e m d o c h a m a d o

m e n t e meus c o l e g a s , sentirem a opressão q u e sentia, "educação "opressor", b e m típico d o s países e m e r g e n t e s d o t e r c e i r o m u n d o ,


se s u b m e t e n d o a o r d e m e s t a b e l e c i d a p e l a s g r a n d e s potências i n -
c o m o i n s t r u m e n t o d e integração e n t r e os h o m e n s " e r a o c a r a m b a .
t e r n a c i o n a i s , q u e f a z e m a nossa r e a l i d a d e ser m e d i a d a p e l o inte-
" A g e n t e s sociais c a p a z e s d e m o d i f i c a r a r e a l i d a d e , t r a n s f o r m a n d o - a
resse d o c a p i t a l , c o m o a f i r m a S i m o n S c h w a r t z m a n : "Através de me-
d e a c o r d o c o m as n e c e s s i d a d e s coletivas..." Faça m e rir! Pro inferno
canismos de dominação ideológica que vão sendo incorporados,
c o m essas tolices b u r g u e s a s e individuais, c o m esse p o l i m e n t o d e
para garantir a manutenção da ordem estabelecida (...)". Acon-
e g o e x a c e r b a d o , c o m suas máscaras d e l o b o e m p e l e d e c o r d e i r o ,
t e c e q u e a g i n d o assim, se p e r d e muitos i n t e l e c t u a i s e profissionais
t r a t a n d o - n o s feito p o r c o s prontos p a r a o a b a t e . C o n t i n u e i c o m a
c o m p e t e n t e s , d e s m o t i v a d o s e falidos, feito a l g u n s idealistas q u e e u
fúria v e r b a l e d e s p e j e i u m a t e m p e s t a d e d e " v e r d a d e s " q u e q u e i -
c o n h e c i , inteligentíssimos, d o t a d o s d e u m p o t e n c i a l incrível.
m a v a m a senhorinha A n a c o m o o f o g o d o apocalipse.
O q u e e u sentia n a pele, e m outras palavras, era t o d a u m a hipocri-
- A falta de conhecimento toma as pessoas preconceituosas e su-
sia p o r p a r t e d e meus e d u c a d o r e s ; e m a t a c a r e m a censura q u e existia
persticiosas, transformando-as em instrumento de charlatões. Como
n a época d a d i t a d u r a , d i z e n d o ser a b s u r d a e a t r a s a d a , c o m o real-
disse o sábio Pablo Santa Cruz de la Vega: "Só devemos dar um re-
m e n t e foi e s e m p r e c o n c o r d e i . M a s n a m i n h a época e r a c o m o se a i n -
lance geral em nossa história para cair em conta de um feito: nosso
d a existisse o AI-5, a i n d a pior d o q u e a q u e l e d o passado, pois nos dias
fracasso como humanidade em conseguir a felicidade e a definiti-
atuais estava o c u l t o p o r trás d o disfarce d e : "eleições", " l i b e r d a d e d e
va erradicação da fome e da pobreza. Fracasso total das estruturas
imprensa" e " d e b a t e s humanistas". Todos f a z e m a massa a c r e d i t a r ser
que, através dos feitos culturais, os m a r c o s históricos, os grandes saltos
livre, q u a n d o não é. Meus trabalhos d e c a s a j u l g a d o s e c o n d e n a d o s
evolutivos, nos conduziram a este sem sentido mundo globalizado de na mesa d o diretor e r a m c o m o as músicas d e C a e t a n o Veloso e J u c a
Businessmans e Barbies. controlado por mundistas em meio à deso- Chaves s e n d o a v a l i a d a s p e l o D e p a r t a m e n t o d e Censura. Os novos
lação planetária propiciada por um sistema baseado na usura e na tempos, p a r a os defensores d e ideologias "abomináveis" e m n a d a m u -
especulação de estoque, os créditos em longo prazo, as normas de d a r a m , e o mais triste era ver q u e ninguém e n x e r g a v a isso, n e m m e s m o
vida burguesa. Tudo para cobrir a pobreza de espírito e os danos de aqueles q u e se e n c a r r e g a v a m d e nossa formação, os professores.
uma desordem física e moral, cuja fonte é uma educação medíocre
tendenciosa, produto de uma deficiente função tutelar, tanto no ini- Tirar a n o t a suficiente p a r a a aprovação e r a o d e m e n o s p a r a

cio, como a que se ensina nos colégios e universidades (...)". m i m . S e m p r e a c r e d i t e i q u e a educação d e v i a instruir o indivíduo
r e s p e i t a n d o as suas diferenças, m a s n a redundância existente q u e
c h e g a a ser fanática p e l o c o n c e i t o " d e m o c r a c i a " . Ela cumpre De a l g u n s a n o s p r a cá, d e p o i s d a falência d a Sousa Ltda, e m -
c o m os o b j e t i v o s inseridos n a s o c i e d a d e , se n o r t e a n d o p e l o s seus presa d o p r e s t i g i a d o académico, e l e saiu e m diversas revistas d o
anseios, e x c l u i n d o a p e q u e n a p o r c e n t a g e m q u e não c o n c o r d a v a m u n d o d e negócios, l e m b r o - m e d e u m a m a n c h e t e q u e f a l a v a "Em-
c o m a " i d e i a c o m u m " , feito os leprosos n a a n t i g u i d a d e . A m a i o r i a presário busca combater a crise que o assola". Suas p o l i t i c a m e n t e
d a q u e l e s a l u n o s e r a i g u a l a o restante d a população, v o t a v a m e m corretas entrevistas e n v o l v i a m c o m p l i c a d o s t e m a s e t e r m o s , q u e so-
u m c o l e g a d a congregação o u d o grémio e s t u d a n t i l pensando m e n t e os especialistas p o d i a m e n t e n d e r , m a s d i g o , p o r experiência
nos seus próprios interesses, e x a t a m e n t e o m e s m o q u e o c o r r e nas própria, n a visão d e u m e x - a l u n o , q u e e l e não p a s s a v a d e u m tirano
eleições d e políticos. P o d i a m p e n s a r o q u e for d e nossas ideias, repleto d e c o m p l e x o s e j u l g u e i - o c o m o " u m h o m o s s e x u a l r e p r i m i d o
m a s u m a c o i s a e u asseguro: s e m p r e p e n s a m o s n o c o l e t i v o , mes- q u e não a c e i t a v a a si próprio" inclusive, p e l a m a n e i r a v i o l e n t a q u e

m o q u e a nossa concepção d e c o l e t i v o excluísse u m a p a r c e l a d a o vi tratar a m u l h e r e os filhos n u m e v e n t o d o colégio.

s o c i e d a d e - e r a e l e q u e d e v i a ser f o r t a l e c i d o , não e r a à t o a q u e
Aquela seria a última aula d e c o n t a b i l i d a d e d e t o d a a minha vida.
levávamos a p a l a v r a " s o c i a l i s m o " n o i d e a l q u e seguíamos.
pois já havia d e c i d i d o a b a n d o n a r os estudos e não tinha n a d a a perder.
Ninguém e s t a v a interessado e m ensinar c o m o intuito d e fazer os
- Para ser um bom empreendedor vocês devem somente ava-
a l u n o s " s e r e m alguém". A educação q u e recebíamos e r a c o l o c a d a
liar os lucros e prejuízos. Pode parecer muito convincente o discurso
c o m o u m a f o r m a d e ascensão social a p e n a s , f a z e n d o valer a crítica
humanista existente nos dias atuais, mas ele não funciona na prá-
d e N o v a e s & Rodrigues (1983) "A ideologia burguesa apresenta uma
tica, o que torna o profissional das exatas o melhor do mercado -
visão invertida da realidade, procurando fazer com que as ideias da
dizia o v e r m e m a l d i t o p a r a a classe, c o n t r a d i z e n d o t o d o o discurso
classe dominante apareçam como a única verdade".
m e n t i r o s o q u e fazia d i a n t e dos e n t r e v i s t a d o r e s .
Estava c a n s a d o d e t o d a a q u e l a d i t a d u r a disfarçada q u e m e
e s p r e m i a feito u m a l a r a n j a , d e v i a fazer a l g o p o r m i m e pelos outros Não a g u e n t a v a mais tanta sujeira e o interrompi e m t o m agressivo...
c a m a r a d a s q u e , n o futuro s e n t i r i a m o m e s m o p r e c o n c e i t o . V i n g a n
- Hipócrita!
d o - m e d a q u e l a ação repressora, l a n c e i u m a c a m p a n h a política
n a instituição a fim d e r e c r u t a r mais a d e p t o s a o N a c i o n a l - S o c i a l i s - Perdão senhor Garrote?

m o e mostrar q u e não estávamos sozinhos. Pelos c o r r e d o r e s distri - O senhor é um tremendo político!


buía p a n f l e t o s , fazia a saudação fascista d i a n t e d o s p a l e s t r a n t e s
- Explique-se
e, c o m o d e c o s t u m e , e m n e n h u m o u t r o m o m e n t o p o d i a e u investir
e m p r o p a g a n d a q u e c o n t i n u a s s e d a n d o " r e s u l t a d o " - as a u l a s d e - O lucro e a receita são o fim, o objetivo final que uma empresa tem
a atingir. Mas há uma infinidade de valores que devem ser levados em
filosofia-história, dessa vez c o m o intuito d e p r o v o c a r a professora,
consideração antes, que fazem serem consequências de outras ações.
d e i x a n d o m i n h a missão e m s e g u n d o p l a n o .
Ações estas que nunca foram ensinadas nas aulas. Desde Max Webber
As coisas t e n d e r a m p a r a u m l a d o pessoal d e p o i s q u e despejei as
e Fayol as empresas se tornaram mais preocupadas com os empre-
palavras q u e e s t a v a m presas e m m i n h a g a r g a n t a , q u e m e s u f o c a v a m gados e os clientes. Todos sabem que o cliente afeta os indicadores
d e s d e q u e tive d e frequentar as aulas d e terças e quintas d e contabili financeiros, e ser um bom administrador requer pensamento humano,
d a d e . O professor d a q u e l a matéria q u e t a n t o b a j u l a v a m era u m reno reconhecimento. Nem sempre o que está descrito no planejamento
m a d o auditor d e empresas q u e h a v i a p u b l i c a d o livros sobre a v i d a e m pode funcionar, a genfe precisa ter a capacidade de improvisar. Se o
presarial e t u d o mais, mas q u e , p a r a m i m , não tinha m o r a l n e n h u m a , o senhor fosse integrado com sua equipe (enquanto dizia me lembrava
via c o m o u m fracassado, u m b a b a c a q u e faliu a própria empresa.
do trabalho que tive no hotel) iria ter uma concientização maior sobre gues à polícia pelos punks. Passada a o n d a d e prisões e após o refúgio
o que tem que ser feito. Essas respostam não se dão através de grã d o alguns NS p a r a o Paraguai e A r g e n t i n a , os restantes d o g r u p o se sen-
ficos e planilhas. Outro dia o senhor afirmou para um jornalista que é tindo humilhados, p r o m e t e r a m vingança. N a primeira o p o r t u n i d a d e
um defensor do Balanced Scored Card, os indicadores não financeiros, • m r.sinaram dois punks a o l a d o d e u m a favela d e Porto Alegre.
disse que esse era o futuro, a valorização do indivíduo e outros fatores
Em c e r t a ocasião e n c o n t r e i - m e c o m Alex, v o c a l i s t a d o lurzir. Es-
incógnitos. Como pode afirmar diante de nós, seus próprios alunos o
távamos n a G a l e r i a d o Rock e e l e m e disse q u e c a r r e g a v a u m p r o -
contrário? Como quer que acredite no senhor?
esso, pois e n t r e o m a t e r i a l a p r e e n d i d o se e n c o n t r a v a u m recém
- E quem é você, um simples jovem metido a justiceiro que br/n nçado álbum d a b a n d a , o "Battle Voice". considerado divulga-
ca de ser nazista? âo a o n e o n a z i s m o , e m b o r a fatores c o m o esse, p o r se t r a t a r d e
u m a manifestação c u l t u r a l l h e atribuíram u m a detenção d o m i c i -
A q u i l o m e a t i n g i u feito u m a f a c a d a . T o d a ira saiu d e m i m feito
liar e o c u m p r i m e n t o d e serviços comunitários. N u n c a m a i s o lurzir
u m vulcão. C h u t e i a c a r t e i r a e d e r r u b e i a c a d e i r a q u e s e n t a v a .
realizou shows d u r a n t e o fim d o s a n o s 90, c o m o d e c o s t u m e .
M e u s c o l e g a s t e m p o s d e p o i s d i s s e r a m q u e e u e s t a v a c o m as veias
d o pescoço s a l t a d a s e a c a r e c a t o d a v e r m e l h a . Um a n o d e p o i s , Pilatti viajara p a r a Santa C a t a r i n a f a z e n d o então
I f a m o s o percurso d a s Serras Gaúchas até próximo à fronteira. S o u b e
- Sua bicha do caralho! Se você tratava os funcionários da ma
q u e brigas o c o r r e r a m , pois d i z e m q u e e l e t e v e u m c a s o c o m a n o i v a
neira que trata os seus filhos e os seus alunos, eu já sei por que faliu
d e u m s k i n h e a d m u i t o c o n c e i t u a d o lá d o sul. Após ser isolado d a c e n a
sua empresa. Aposto que você deve ter sangue judeu!
WP, q u a n d o t e r m i n o u o colégio, e m i g r a r a p a r a a Europa. A última vez

E x a g e r a n d o nas ofensas, m e expulsaram não só d a a u l a c o m o d a q u e soube d e l e , estava c o m u m g r u p o neonazista d a Eslovénia.

escola. Notei a expressão d e e s p a n t o d o professor, q u e a c r e d i t o ser N a q u e l e d o m i n g o d e exibição d a r e p o r t a g e m , aterrorizados,


c o m o a d e u m a pessoa q u e escuta u m a v e r d a d e d a q u a l não a d m i t e meus pais não p u d e r a m mais relevar n e m e s c o n d e r a angústia d a
Fiquei p r o i b i d o d e entrar p a r a usar o b a n h e i r o . M a s creio q u e fiz u m escolha q u e seu filho t o m a r a . M i n h a mãe h a v i a a c h a d o n a m i n h a
favor p a r a os c o l e g a s , l o n g e d e minhas ideias políticas, c o m a q u e l a g a v e t a d e meias u m s o c o inglês e também viu as coleções d e histó-
a t i t u d e , afastei u m péssimo e d u c a d o r , pois soube q u e e l e sem moral rias e m q u a d r i n h o s d a prateleira q u e t i n h a m sido substituídas p o r vas-
d i a n t e dos estudantes, se d e m i t i u s e m a n a s depois. O i m p a c t o q u e sofri tos materiais d a literatura nazista. Às lágrimas, a p e l o u p a r a m e u p a i
e m c a s a não foi tão g r a v e , até então meus pais não f a z i a m n e m ideia tomar u m a a t i t u d e , c o n f i a n d o n a a u t o r i d a d e q u e e l e sempre teve,
d o c o n t e x t o e m q u e e u estava inserido. Só g a n h o u proporções c o n mas n a q u e l a altura e l a estava m u i t o e n g a n a d a , o p a i não e n f r e n t a -
cretas após u m a r e p o r t a g e m exibida p e l o Fantástico, e m 29 d e m a i o I K J Júlio, o r e b e l d e jornalista sonhador. A g o r a e u e r a Lobo, líder d e u m
d e 2005, q u a n d o passaram u m vídeo e m p o d e r d a Polícia Federal no t e m i d o p a r t i d o d e cabeças r a s p a d a s , q u e os v i a c o m o m e m b r o s d a
q u a l a extinta Divisão 18 fazia u m b a t e cabeça n o show d o Brigada NS. m i n h a n o v a família, q u e os a m a v a mais d o q u e meus irmãos c o n s a n -
muitos skins f o r a m identificados e presos pelas i m a g e n s . C o n v e r s a n d o guíneos. A c a u s a se e n c o n t r a v a a c i m a d e m i n h a própria v i d a e, mes-
c o m Pilatti, u m c a m a r a d a q u e e s t u d a v a c o m i g o , o m e s m o disse q u e m o c i e n t e d a d o r d e meus pais, e u d e v i a m a n t e r o p u n h o d e aço.
n o RS p a r t e d o g r u p o entrou e m c o n f r o n t o c o m u m a b a n c a d e a n a i
copunks. A p i l h a g e m p r o m o v i d a pelos anarquistas r e n d e u muito mais - A o contrário de vocês, eu estou lutando por algo muito maior.
d o q u e h e m a t o m a s nos fascistas. O conteúdo q u e c a r r e g a v a m nas Não apenas para pagar contas e pensar no enriquecimento pró-
mochilas: CDs e fitas d e vídeo c o m as i m a g e n s dos shows f o r a m entre prio. Aqui em SP aprendi a pensar diferente, acordei pra vida. não
tenho mais esse pensamento burguês-liberal de vocês. Por culpa
d e g e n f e assim, como vocês, é que o invasor está a conquistar nos- Criamos u m a rádio, c o m perguntas frequentes n o estilo: Are quanto

so solo - dizia e u c o m o o i m p e r a d o r d a v e r d a d e , e m u m t o m tão você é branco? Essa questão tão vital e d e b a t i d a n o nosso m e i o d e v i a

c o n f i a n t e , tão c o n v i c t o d e q u e e r a e u o s a l v a d o r d o m u n d o q u e ser e s c l a r e c i d a d e u m a f o r m a b e m c o n v i n c e n t e p a r a os "incultos".

não só os d e m a i s à m i n h a v o l t a , m a s m e u s próprios pais se deses- A m a i o r d a s vertentes d o arianismo p a r a a s u p r e m a c i a b r a n c a é o


peraram. Encontrava-me e m um estado d e fanatismo. c h a m a d o celtismo. Os celtas e r a m povos indígenas d a Europa, antes
d a romanização. E n c o n t r a v a m - s e d e Portugal à Turquia, d a s estepes
D e c e p c i o n a d o s , v o l t a r a m p a r a o interior e a b a n d o n a r a m - m e
russas a o n o r t e d a África, u n i f i c a n d o então u m o r g u l h o c o m u m entre
p o r u m t e m p o . H o j e já c o m u m a m a t u r i d a d e a d q u i r i d a , i m a g i n o o
todas as nações b r a n c a s . Não foi à t o a q u e o símbolo eleito p a r a o n e -
quão triste é p a r a u m p a i , q u e a b d i c o u p r a t i c a m e n t e a v i d a p a r a
onazismo foi u m a cruz solar c e l t a . Dentre os diferentes grupos célticos,
d a r o m e l h o r a o seu filho, r e c e b e r c o m o r e c o m p e n s a a "gratidão"
gauleses, caledônios, celtiberos e tantos q u e resistiram b r a v a m e n t e
d o ingresso à m a r g i n a l i d a d e e à ingratidão v o m i t a d a c o m repúdio
à invasão r o m a n a , h e r d a m o s mitos e desenhos tribais q u e são utiliza-
d i a n t e d e sua presença, vê-lo a l i m e n t a d o d e u m a crença q u e as
dos pelas diversas vertentes d e skinheads. Redigia textos a m a d o r e s
s o m b r a e destrói m a i s d o q u e o a f a s t a m e n t o d a s pessoas a m a d a s ,
escritos nas aulas d e matemática, q u e t a n t o d e t e s t a v a , c o l o c a n d o
q u e p r o p o r c i o n a u m a l a v a g e m c e r e b r a l q u e os s e g u i d o r e s religio-
os guerreiros celtas n o c u m e mais a l t o d a b r a v u r a . Eram c o m b a t e n -
sos p o d e m c o m p a r a r c o m possessão demoníaca. tes q u e a t a c a v a m os invasores p a r t i n d o p a r a os c a m p o s d e b a t a l h a
Diferente d o q u e a c o n t e c e c o m a m a i o r i a dos jovens q u e v i v e m c o m os c o r p o s nus, t a t u a d o s e se a p o d e r a v a m d a s a r m a d u r a s e dos
nesse m e i o , meus pais não desistiram d e m i m . O m e l h o r q u e fizeram cavalos dos r o m a n o s . Falei m u i t o d a cultura Hallstatt, q u a n d o , por vol-
foi não passar a mão n a m i n h a cabeça, f a z e n d o u m b l o q u e i o e c o - ta d o a n o 600 a . C . o grafólogo g r e g o Heródotus d e s c r e v e u a c u l t u -
nómico n a a j u d a q u e r e c e b i a deles e o b r i g a n d o m e u p r i m o Danilo ra c e l t a n a i d a d e d o Bronze. Também devíamos ressaltar q u e o m i t o
m e expulsar d e sua c a s a . Estava e u excluído d e suas vidas, mas era "loiro dos olhos azuis" era u m a f e r r a m e n t a utilizada p e l a mídia p a r a a
v i g i a d o o t e m p o t o d o . Sabia q u e v i n h a m e v o l t a v a m d o interior p a r a segregação dos g r u p o s White Power, p r i n c i p a l m e n t e entre os países
as reuniões d a e s c o l a . A intenção deles era q u e e u sofresse a o p o n t o latinos q u e t e m a m a i o r i a d a população m o r e n a . No p a s s a d o , h a v i a
d e passar a e n x e r g a r a r e a l i d a d e c o m o e l a é, d e q u e o m u n d o q u e celtas altos e ruivos p r e d o m i n a n t e s n a Irlanda e outros baixos d e c a -
vivia não a c r e s c e n t a v a e m n a d a p a r a m i n h a formação c o m o profis- belos e olhos escuros, p r e d o m i n a n t e s n o sul d a Itália, Península Ibérica
sional e as atitudes q u e t o m a v a e m n a d a f a r i a m d e m i m u m a pessoa e a l g u m a s regiões francesas. S e n d o assim, os Portugueses e Espanhóis
melhor. O q u e jamais s o u b e r a m é q u e não m e dirigi a u m a l b e r g u e também d e v e m ser c o n s i d e r a d o s arianos se i n t e g r a n d o n a c o n c e p -
d e estudantes c o m o disse q u e ia. De m o c h i l a e m a l a nas mãos, c a m i - ção i n d o - e u r o p e i a . O Nacional-Socialismo d e Hitler se e n g l o b a entre
nhei pelas ruas e m b u s c a d e a b r i g o , fui a u m orelhão e fiz u m telefo todas as c o m u n i d a d e s d e ascendência b r a n c a , não i m p o r t a n d o o
n e m a e c o m o término d o s e g u n d o cartão e u h a v i a e n c o n t r a d o u m fenótipo d o s indivíduos, mas a herança genética.
lugar p r a morar, seria o mais n o v o hóspede d a c a s a d e Sander.
Dentro d a raça b r a n c a caucasóide, considerávamos três grupos
principais, dos quais deles o r i g i n a r a m etnias e subdivisões menores.
A Voz d e Od/n Mediterrâneos, Alpinos e Nórdicos. N o c a s o dos países l a t i n o - a m e r i -
c a n o s se p r e d o m i n a r a povos vindos d o Mediterrâneo, q u e compõem
"A suástica é o nosso sangue que é a criação, a herança, a espe a m a i o r i a d a s populações ibéricas, seguidos dos nórdicos d e v i d o às
rança de um novo futuro". colónias alemãs d o sul. Talvez fosse isso u m fator q u e i m p e d i a o re-
Tom Metzer c o n h e c i m e n t o d e a l g u m a s organizações nazistas dos EUA e m rela-
cão à América d o Sul, pois a concepção a r i a n a p a r a muitos deles li< ipando na resistência ao assassinato da raça branca, sabem
se a p l i c a a p e n a s aos nórdicos. A mídia e a falta d e informação dos que os opositores têm atacado a pureza racial de lideres declara-
estadunidenses d i f a m a v a m a c a u s a n o Brasil, t o r n a n d o - a ridícula e dos para impugnar seus motivos. Em minha opinião, parte do mo-
contraditória. U m a injustiça s e m t a m a n h o , pois os mais e s t u d a d o s sa- tivo pelo qual isso vem funcionando é uma mentalidade voltada
b e m m u i t o b e m q u e , n o c a s o d o s ingleses, p o r e x e m p l o , vários povos para uma religião estrangeira. Um princípio básico do judeu-cris-
f o r m a r a m sua nação: saxões, d i n a m a r q u e s e s , n o r m a n d o s vindos d o tianismo e parte de sua fatal atração é que permite aos homens
n o r t e d a França, legionários r o m a n o s d e Júlio César e há q u e m d i g a inferiores se alegarem superiores sem um esforço correspondente.
q u e os iberos c h e g a r a m até a Irlanda, o q u e e x p l i c a a semelhança Um judeu cristão sem um Ql de 90 e uma história de vida medíocre
d a cultura deles c o m a d a Galícia. Existem britânicos morenos, loiros e pode ser balizado. Repetem-se algumas poucas palavras do ritual.
ruivos, altos e baixos. Os afores escoceses S e a n C o n n e r y e Pierce Bros Subitamente este homem recebe status divino superior aos de um
n a n são e x e m p l o s d e influências d a Europa d o Sul, e suas aparências homem um milhão de vez superior em caráter e intelecto. A síndro-
não os d i f e r e n c i a v a m d e q u a l q u e r português o u e s p a n h o l . me do "loiro de olhos azuis" é típica desta mentalidade. E eu vos
digo isto com convicção, visto que eu tenho aparência nórdica:
Nossa Voz d e O d i n , s e m p r e a p r e s e n t a d a nas sextas d e p o i s d a s
alto. magro, olhos-azuis e loiro. Porém, eu só posso supor a pureza
20h, a o v i v o p e l a internet, c h e g o u a ter a l g u n s o u v i n t e s d o e s t r a n
de minha descendência. Meu pai de registro vendeu minha mãe
g e i r o . M e u inglês se a p r i m o r o u , b e m c o m o o c a s t e l h a n o f a l a d o a seus camaradas e a desconhecidos para ter dinheiro para bebi-
c o m a l g u n s c a m a r a d a s d o s países vizinhos. Procurei p r o m o v e r das. Portanto, somente os deuses sabem de tudo.
m a i s as b a n d a s n a c i o n a i s , f a l a n d o s e m p r e d o s álbuns d e g r u p o s
paulistas d e r u a q u e t o c a v a m n a c l a n d e s t i n i d a d e . Em c e r t a o c a O que eu tenho certeza é: eu aparento ser branco. Eu luto pela
sião, c h e g u e i a p e g a r o endereço d e u m c o m p a n h e i r o d a Suécia raça branca. Eu reconheço as conquistas da raça branca. Eu quero
e e n v i e i v i a Sedex a cópia d e três coletãneas R.A.C, n a c i o n a i s . preservar nossa raça. Eu fico horrorizado em saber que a beleza da
mulher ariana pode em breve desaparecer. Eu sofro por cada crian-
Defensores o u não d a i d e o l o g i a n e o n a z i s t a , c o n s i d e r o m e s m o
ça branca atormentada pelo pesadelo inter-racial da América.
nos d i a s a t u a i s q u e nossa a t i t u d e d e c r i a r u m a "estação d e rádio"
p r o m o v e n d o o d e b a t e e a t r o c a d e c o n h e c i m e n t o , f o i u m a ação Eu vejo beleza em uma princesa Celta com cabelos castanhos ou
m e r a m e n t e e d u c a t i v a e cultural, m e s m o hoje estando d e a c o r d o vermelhos e olhos verdes. Eu vejo beleza em uma magnífica estátua
c o m a proibição d a violência, seja esta física o u i n t e l e c t u a l , a i n d a de Deusa Nórdica com olhos azuis e cabelos de ouro. Eu vejo beleza

q u e os textos q u e líamos fossem c a r r e g a d o s d e i d e o l o g i a s destrui- nas sardas da mulher irlandesa. Eu vejo heroísmo em Robert Jay Ma-

d o r a s , indivíduos q u e a g e m dessa f o r m a c o m o fazíamos, sim, p o - Ihews e Richard Scutari. com seus cabelos escuros e olhos verdes ou

d e m ser c o n s i d e r a d o s d e f e n s o r e s d e a l g u m a v e r t e n t e política. Era castanhos, assim como em Frank DeSilva. um Bruder de pele muito

m e l h o r estar s e g u r o e m c a s a a p r i m o r a n d o os c o n h e c i m e n t o s d o clara com um nome franco-português. Eles representam uma nobre-

q u e n a r u a q u e b r a n d o a vitrine d e u m a l o j a . za 99% maior que a dos "ideais nórdicos", se assim posso dizer.

A b a i x o u m t e x t o r e s u m i d o , porém m u i t o e x p l i c a t i v o s o b r e a vi- Para aqueles que atacam sua "pureza", vocês têm dois pais.

são d e m u n d o , feito p o r D a v i d Lane. quatro avós. oito bisavós e assim por diante. Volte 500 anos e terá
um milhão de ancestrais. Algumas gerações a mais e todo mundo
que pisou nas terras da Europa, incluindo Hunos. Mongóis e Mouros.
Esclarecendo origens brancas: Não existem 100% arianos puros há pelo menos 10.000 anos.
Vocês, que durante anos ou décadas, vêm observando ou par
Mas nós ainda existimos como uma entidade biológica única. As nôo é apenas uma péssima propaganda, mas também não leva
culturas e civilizações que nós criamos são incomparáveis. A beleza em conta qualquer teoria racial ou evolucionária, genética, ou até
de nossas mulheres, loiras, morenas, ruivas, olhos-verdes. olhos-azuis, criadouros de animais. Ao mesmo tempo, não esfou dizendo que o

castanhos, são o desejo de todos os homens e inveja de todas as mu- cenário fictício do autor não possa ocorrer.

lheres. Então, nós não queremos ser um alvo da bisbilhotice e espe- The National Alliance. liderada pelo Dr. William Pierce que escre-
culação sem sentido sobre quem pode ser 1/16 índio ou ter sangue veu The Turner Diaries, aceita como membro "qualquer pessoa bran-
espanhol, português ou italiano. Nós não vamos debater também se ca (uma pessoa não-judia de ascendência completamente euro-
uma pessoa apresenta em seus genes 95% ou 97% de pureza ariana. peia) de bom caráter moral...". Isto é bem claro - se você for alto.
Será que o termo "pessoas brancas" precisa ser definido? É louro e de olhos azuis, mas for 1/32 avos nativo americano ou orien-
usado muitas vezes, mas aparentemente não existe uma definição tal, a parte composta pelos 31/32 avos simplesmente não conta.
aceita por todos além de um "eu conheço um quando o vejo". E sobre os muitos húngaros e russos "poluídos" pelas invasões
Para algumas pessoas (como eu), isto parece um pouco subjeti mongóis mil anos atrás? Ou espanhóis "poluídos" pela Conquista
vo. O que é uma pessoa branca? Este pode ser um bom tópico Muçulmana? Ou gregos e italianos "poluídos" pelos escravos im-
para uma série de artigos baseados em entrevistas com pessoas portados e imigração não-europeia durante seus grandes dias?
como Roger Pearson. Jared Taylor. William Pierce. Ed Fields. Mike Serão eles "completamente" europeus? Na verdade, estudos de
Levin etc. Uma análise do que antropólogos famosos, como Carie DNA recentes mostram que sim.
ton Coon. Sir Arthur Keith. e John Baker, têm a dizer também seria
Quão longe você deve ir para ser um branco europeu? Antropó-
interessante. De fato. Jared Taylor, em sua revista mensal American
logos físicos categorizam judeus europeus, semitas, e provavelmente
Renaissance, suas conferências sobre raça bianuais, e no seu w e b
a maioria dos hindus e paquistaneses com caucasianos. Eles classi-
site discute este tópico com mais detalhes.
ficam virtualmente todos os europeus como caucasianos, mas cer-
Criadores de animais têm uma definição de trabalho. Criadores ca da metade dos caucasianos do mundo não são de ascendência
americanos consideram gado 13/16 avos da linha Kobi como "puros". europeia, pelo menos não nos últimos 3.000 anos. Nas leituras que fiz
Eles querem vender esta linhagem misturado no Japão como Kobi. sobre raça e evolução recente, não me lembro de nenhum antropó-
Entretanto, os japoneses não aceitam sua definição, talvez por razões logo físico discutir sobre uma "raça branca". Minha compreensão é
científicas e genéticas, talvez por razões culinárias, talvez por razões de que eles teriam dificuldade em diferenciar entre os crânios e es-
económicas, isto é, para manter uma barreira protecionista. Criado queletos de um inglês de pele bem clara, de um italiano de pele cor-
res de animais têm uma noção similar. De fato, todos os cães com de-oliva e de um paquistanês de pele escura. É a "raça branca" uma
pedigree foram procriados por gerações de um cão comum. Uma sub-raça da raça caucásica, distinguida por sua coloração de pele
teoria da evolução afirma que a seleção natural faz basicamente o mais clara? Provavelmente! Muitas pessoas aparentemente pensam
mesma coisa com as pessoas, criando raças de um ancestral comum nestes termos. Se assim, a raça branca estaria em "estado de apari-
ou uma série de ancestrais similares com o ponto de separação sen ção" - mas sua piscina genética poderia ser 5-15% não-branca com
do de centenas de milhares para mais de um milhão de anos atrás. alguns dos genes não-brancos tendo milhares de anos.

Em The Turner Diaries. o autor escreve sobre o "dia da forca", Agora, algumas pessoas fanáticas, filiadas à National Alliance es-
quando brancos traidores, meio-brancos e parte-brancos são ca tão lendo isso e ficando enfurecidas. Então permita que eu faça meu
çados e enforcados em postes de luz. Apesar de acontecer no ponto. Raça é uma realidade (e a cor da pele apenas uma peque-
calor de uma guerra racial total, eu acho que o "dia da forca"
158
na e não-importante característica distintiva). Sentimentos raciais são r a p a z e s até d u p l a n a c i o n a l i d a d e p o s s u e m ; c o m o então não

g saudáveis e instintivos, as raças estão mudando mesmo sem misturas. ' e r i a m ser r e c o n h e c i d o s c o m o autênticos " e u r o p e u s " ? O t e r m o

c e um movimento racialista branco com sucesso não vai fazer uma " b r a s i l e i r o " p o d e inclusive ser u m a o f e n s a a o s nazistas q u e n e g a m

JJ linha tão forte como a que Pierce faz. Eu duvido que Pierce realmente e m se r e c o n h e c e r e m m e m b r o s d a c u l t u r a n a c i o n a l .

O a faça obedecer em sua organização. Muitas pessoas com um pou-


£ c o disto ou daquilo podem concordar que precisamos parar com a
C o n v e r s a e n t r e Italoillyrian. Zoroastra1488 e Albus:
« m/sc/genação e o processo disgênico acontecendo hoye e começar
mos a seguir o outro caminho. {Veja Hitler sobre Raça e Eugênia e Os Italoillyrian: - O sujeito em vez de postar algum vídeo/fotos de folclore
Soldados Judeus de Hitler para ter um choque com a realidade do e festas tradicionalistas lusitanas (para dar um bom "ar") posta um
verdadeiro pensamento racial do III Reich.) vídeo de um bando de hooligans de estádio que não fazem nada
cm pró ao NS. só sabem ir ao estádio arrumar brigas e encher a cara
Quando a linha for feita, uma política eugênica que encoraje
de álcool, além que o meu monitor não contém microscópio e lente
p e s s o a s produtivas e desencoraje pessoas não-produtivas de ter fi-
de aumento. No vídeo não dá para ver quase nada. só há fotos de
lhos é todo o necessário. Pague as pessoas não-produtivas para se
torcidas de futebol com um foco bem distante. O outro vídeo "Ski-
esterilizarem e não terem filhos. Em outras palavras, o contrário da
nheads Hammerskins" (rs) vi no mínimo 8 pessoas e fotos de péssima
sociedade de "bem-estar social" do Ocidente, onde as pessoas
qualidade, desfocalizadas. ô amigo... posta alguma foto aqui de
produtivas são taxadas (e ficam com menos recursos para seus pró
algum grupo de portugueses que sejam "normais" Pode ser algum
prios filhos) para manterás pessoas não-produtivas. Teoricamente,
grupo folclórico tradicionalista português ou então festas familiares.
isso poderia funcionar numa sociedade multirracial. Na prática,
Creio que o amigo aí em cima também tem certos problemas de
isso não funcionará até que nós - pessoas maioritariamente bran
interpretação de texto, o Zoroastro deixou bem explicado: " A sua
cas - nos separemos em uma sociedade branca.
m e n s a g e m e d o o u t r o português a q u i só r e v e l a m n a prática o f o r t e
ressentimento q u e p o s s u e m c o n o s c o , m e s m o c o m os b r a n c o s d a -

Essa questão d e i d e n t i d a d e s e m p r e foi m u i t o polémica, p r i n c i q u i , e não "brasileiros" c a b e d e i x a r b e m c l a r o , visto q u e os b r a n c o s

p a l m e n t e se t r a t a n d o d o m o v i m e n t o N a c i o n a l - S o c i a l i s t a Brasileiro nascidos n o Brasil g e r a l m e n t e b u s c a m se identificar c o m a(s) sua(s)

E n c o n t r e i n o p o r t a l Stormfront c e r t a vez, u m d e b a t e crítico e n t r e três origem(ns) nativa(s) e não c o m a c u l t u r a o u p o v o brasileiro, assim

indivíduos q u e i n c a n s a v e l m e n t e p u b l i c a v a m seus p o n t o s d e vista c o m o os afrikaners, os n e o - z e l a n d e s e s e f e . " É difícil e n t e n d e r ? Então

d e u m a maneira u m tanto imperativa, t e n t a n d o provar " q u e m era não utilize o t e r m o " b r a s i l e i r o " c o n o s c o , p o r q u e não nos i g u a l a m o s

m a i s a r i a n o " . A discussão começou após a p o s t a g e m d e u m vídeo à sociedade/cultura/tradição típica brasileira, somos e u r o p e u s nas-

q u e c o n t i n h a m a t e r i a l d e a p o l o g i a à c a u s a p o r t u g u e s a . Dois deles cidos fora d o c o n t i n e n t e , assim c o m o Darré, Hess e t c .

e r a m brasileiros d e o r i g e m i t a l i a n a s o b o c o d i n o m e d e Italoillyrian
e Zoroastro 1488, e se e n f u r e c e r a m d e p o i s q u e Albus, u m c a m a r a d a Não existem arianos 100% puros há 10 mil anos? Ó! Descobriu a
d e P o r t u g a l , d e s m e r e c e u a c a u s a n o Brasil, a l e g a n d o q u e os b r a terra oca amigo?! Nós aqui do canal Stormfront Brasil nunca falta-
sileiros não e r a m " b r a n c o s puros". A c o n t e c e q u e o d e s i n f o r m a d o mos o respeito com nenhum português. E. ao comentar sobre os
c o m p a n h e i r o não e s t a v a p o r d e n t r o t o t a l m e n t e d o q u e se passa portugueses, deixamos claro que era CASO e que não temos nada
p o r a q u i . A g r a n d e m a i o r i a d o s n e o n a z i s t a s s u l - a m e r i c a n o s se c o n contra portugueses. Ao invés de você vir pacificamente dialogar,
s i d e r a italianos, alemães, p o r t u g u e s e s o u espanhóis n a s c i d o s fora tirar dúvidas, trocar informações, vem do modo mais estúpido glo-
d a E u r o p a , isso v a i d e p e n d e r d e suas ascendências. Muitos des balizando e generalizando tudo. Essa % que você citou não signifi-
ca n a d a , são e x a m e s d e Y-ADN feitos no máximo com 100. 150 p e s o p r o b l e m a n e m s e m p r e está atribuído a u m a o r i g e m r a c i a l , c o m o
soas q u e é u m a quantidade bem insignificante para a quantidade p u d e ver n o comentário d e u m skin q u e a c e s s a v a o m e s m o p o r t a l :
de população atual de Portugal.
(•••] V a s e c t o m i a e l a q u e a d u r a são soluções p a r a a m e l h o r i a d a
Last e d i t e d b y Italoillyrian; 03-14-2009 a t 10:56 A M .
raça e p l a n e j a m e n t o familiar n o Brasil. Essas questões d e v e r i a m ser

Italoillyrian - N o vídeo nofa-se a forte influência Celta. Faz tempo que rrx lis discutidas p a r a u m a possível aprovação n a população mesti-

li: um estudioso provou que muitos italianos do Sul são mais puros que ça d e b a i x a r e n d a . Essa é a m i n h a opinião (...). Só p a r a ressaltar c o m

portugueses, procurem por vídeos no youtube, tem um com todos t o d o o respeito... se formos analisar os p r o b l e m a s estaduais, nós v a -

os dados da pesquisa. Se os italianos são "menos puros", então por mos m u i t o além d e "mestiços". E m b o r a n o sul t o d o s e s t e j a m r e l a t i v a -

que não vemos vídeos com o nome "poder branco à italiana"? Por M i< n t o b e m n o quesito: pureza r a c i a l , e m outros estão falhos.

que quase nunca os italianos são motivo de chacota? Até mesmo em


- Em Porto A l e g r e há u m m o n t e d e c a r a promíscuo, q u e v a i e m
aparência, eu acho os italianos (inclusive do Sul) bem mais parecidos
b o r d e l , e até m a c o n h e i r o l i g a d o a o tráfico.
com brancos, acho que quase todos aqui. se vissem o Mário Macha
do nas ruas do Brasil, tenho certeza que muitos aqui iriam achar que - Em C u r i t i b a está c h e i o d e bêbado q u e se diz H o o l i g a n .

ele é mestiço... Ou estou mentindo? Sejam sinceros... - N o interior d e S a n t a C a t a r i n a e e m Florianópolis t e m até u m a


m o l e c a d a q u e se interessa c o m a c a u s a p o r c o n t a d a influência
F a l a n d o e m Mário M a c h a d o : u m a vez e l e d e u u m a entrevista n a
alemã, m a s u m a n o d e p o i s l a r g a o m o v i m e n t o e v i r a m p l a y b o y z i -
TV e lá f o i c o m e n t a d o s o b r e a c r i m i n a l i d a d e e m P o r t u g a l . Ele mos nhos d e b a l a d a . . . e assim v a i .
trou u m a a r m a d e guerra d e p o r t e ilegal, d i z e n d o q u e a tinha para
- Em t o d o s os l u g a r e s há "Marias-suspensórios", os f a s h i o n - n a z i
se d e f e n d e r . N o o u t r o d i a o p r e n d e r a m . C o m q u e m será q u e e l e
o u rock-star e t c . Estão t o d o s n u m m e s m o nível q u e os p a r d o s . A p e -
c o n s e g u i u essa a r m a ? N a A l e m a n h a e l e t e v e q u e p a g a r u m a m u l -
nas c o m u m a diferença d e q u e tais b r a n c o s p o d e m ( e m tese) ser
ta p a r a o g o v e r n o alemão p o r q u e e s t a v a e x p o n d o a suástica t a
r e g e n e r a d o s e, e v e n t u a l m e n t e , a g i r e m c o m o tais.
t u a d a n o antebraço. Até u m a criança s a b e q u e é p r o i b i d o expor
u m a suástica n a A l e m a n h a .

Last edited by Italoillyrian; 03-14-2009 at 01:28 PM. Deusas, Rainhas e Guerreiras

Zoroastral488 - Posso te pedir para ignorar essa discussão? Fomos N u m a r e p o r t a g e m d o Deutsche Welle On-Line, d e 09/10/2002 c i e n -
muito longe do proposto no thread. e. além disso, é lamentável esses ii tas políticos e sociólogos a n a l i s a v a m a condição d a extrema-direita
atritos entre brancos aqui.... Garanto que ninguém tem nada contra na A l e m a n h a . C o n s t a t a r a m q u e o a u m e n t o d e a d e p t o s às ideias d o
os verdadeiros portugueses e castelhanos (que motivos teríamos?), fascismo g a n h a v a novas caras, as garotas das famílias d e políticos a t i -
assim como espero que respeitem os brancos que vivem no Brasil. vistas o u a l g u m a s skingirls. A c h a m a d a d a r e p o r t a g e m era o seguinte:

Agora, podemos ser amiguitos de novo. Ou nos ignorar em po/ "GroBansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: Até há pouco tem-
(digo dos portugas furiosos). po, militância na extrema-direita era coisa de homem". "A extrema-
Last edited by loroastral488: 03-15-2009 at 11:41 AM > iireita tinha até agora um problema: a falta de mulheres, o que levava
muitos homens a abandonar os grupos de militantes. O aumento de
participação feminina ora observado pode estabilizar o movimento.".
Em c o n t r a p a r t i d a , há os radicais q u e a o m e n o s r e c o n h e c e m q u e
O N a t i o n a l Deutsch Partheid - N.P.D. (Partido N a c i o n a l Alemão) e m d o Serviço d e Proteção d a Constituição d a Baviera, d e f e n d e n d o a
sua a l a juvenil, lançou slogans c o m o : " N a c i o n a l i s m o também t e m a ver tese d e q u e a presença f e m i n i n a v a i d a r u m a b a s e mais sólida a o
c o m vocês, g a r o t a s " - a fim d e conquistar mulheres p a r a suas fileiras. E m o v i m e n t o skinhead, pois muitos integrantes a c a b a m a b a n d o n a n d o
está o b t e n d o sucesso. Diferente d o Brasil, o q u e o c o r r e n a Europa d e v i os grupos q u e m i l i t a m a o ligar-se a u m a mulher " d e f o r a " .
d o a legalização d e partidos, é a militância d e garotas q u e d e f e n d e m
D e fato. algumas partidárias do movimento defendem os papéis
as ideias nacional-socialistas d e n t r o d e atitudes d e formas legais. Lá
tradicionalmente atribuídos à mulher. Mas essa não é mais a visão
elas são politizadas e têm voz a t i v a n o m o v i m e n t o . As p o u c a s skingirls
preponderante. Pelo contrário, aumenta o número das que têm
q u e c o n h e c i a q u i n a c a p i t a l paulista e r a m e m sua maioria n a m o r a d a s
como ideal a "mulher alemã moderna e nacional, revolucionária
d e c a m a r a d a s q u e as c o n v e r t e r a m e m NS, porém você não vê a e n -
e autosegura". que não se submete a um fúhrer nem a uma hierar-
t r a d a delas c o m fins ideológicos. N o b a n d o dos c a r e c a s nacionalistas,
quia. Muitas vezes - e como convém a um cenário como este. as
as meninas têm mais p o d e r d o q u e as neonazistas, muitas c u l t u a m o
reivindicações de emancipação e igualdade de direitos se repor-
c o r p o e p r a t i c a m artes marciais, coisas q u e n u n c a m e atraíram, pois
iam a mitos dos antigos germânicos. A mesma diversificação que
a p e s a r d e c a m a r a d a s , e u a i n d a a d m i r a v a o i d e a l feminino c o m o sen
existe na compreensão do papel da mulher pode ser observada
d o d e l i c a d o , s e m o c o r p o c o b e r t o d e t a t u a g e n s , piercings e cicatrizes.
na aparência das "skingirls" e "mamães nacionais", como elas se
L e m b r o - m e d a s palavras d e u m a loirinha c o n h e c i d a c o m o Lucinda,
autointitulam. A maioria procura igualar-se aos homens com botas,
q u e a n d a v a c o m o Fron88: - Essas minas punks são um lixo. transam
camisas e blusões em estilo militar, mas não faltam as modeminhas.
com todos os caras da banca... Tá ligado, lá ninguém é de ninguém...
que preferem blue jeans esfarrapadas e camisetas curtas exigindo
Curioso q u e t e m p o s d e p o i s e n c o n t r e i fotos d e l a c o m vários in o umbigo. (...) Modernas, aliás, são quase todas, independente-
t e g r a n t e s d o Front e m c e n a s d e sexo explícito e outras e m q u e e l a mente da idade: a internet é sua plataforma predileta. São inúme-
c h e i r a v a cocaína. D e p o i s d e e v e n t o s c o m o estes, foi p e r s e g u i d a p o r ros os fóruns online para se estabelecer contatos. troca de ideias e
outras m e n i n a s q u e c o n d e n a v a m sua c o n d u t a . N o Rio G r a n d e d o de dicas, inclusive sobre a educação de filhos." - c o n t i n u o u .
Sul, a e x - n o i v a d o c a n t o r d o lurzir também e r a skingirl. G r a v o u a e n
t r a d a d e u m a música n u m d e seus álbuns, o Batlle Voice. Duas g a r o Pela internet e u e n c o n t r e i várias páginas d e s t i n a d a s às skinhea-

tas d e d e s t a q u e n a c i o n a l também, e r a m as vocalistas d a s b a n d a s ds. Q u a s e t o d a s t i n h a m i m a g e n s d e mulheres a r i a n a s a m a m e n t a n d o

Anti-Narcose e Defesa Armada, q u e c o m p u n h a m letras R.A.C, m u i t o crianças, q u a d r o s d e mulheres louras o u ruivas c o m tranças t r a b a -

b o a s . N a Baviera, o número d e mulheres n a a l a d a e x t r e m a - d i r e i t a l h a n d o nos c a m p o s d e trigo d a Europa e valquírias j u n t o a o s guerrei-

c r e s c e u d e 16% p a r a 30%. Não p a s s a v a m d e indivíduos, e m casos ros vikings. "Deusas, Mães e Guerreiras", "Flores d e Lis", " C a m a r a d a s

isolados, q u e e n t r a v a m p a r a o g a n g u i s m o , s e m n e n h u m a m o t i v a d e salto"... Eram títulos q u e f a c i l m e n t e se a c h a v a . Dentre os países

ção ideológica. Diferente d e a l g u m a s skins m u n d o a f o r a q u e a c r e possuidores d e m o v i m e n t o s skin, diria q u e os Estados Unidos n a a l a

d i t a v a m n a missão d e se c a s a r e m e " s e r e m d e u m c a r e c a a p e n a s " , fominina é o campeão, n e n h u m a o u t r a nação têm tantas nazistas

e d e l e ter filhos q u e c o n t i n u a r i a m c o m sua estirpe. q u e se c o n e c t a m nos c h a t s . Elas a p a r e c e m vestidas c o m o noivas e m


c a s a m e n t o s p r o m o v i d o s pelos Hammerskins e p o s t a m fotos d e Eva
À primeira vista, surpreende a presença de tantas "camaradas" Braum c o m Hitler e n a l e g e n d a e s c r e v e m : " U m A m o r V e r d a d e i r o " , " A l -
nesse cenário, já que. como registra também o diário D/e We/f, a ima mas Gémeas q u e p a r t i r a m juntas p a r a o d e s c a n s o n o paraíso"...
gem da mulher propagada pelas organizações de extrema-direita e.
A b a i x o u m a p o s t a g e m d o b l o g O Diário D i g i t a l r e f e r e n t e às
mais ainda, pelas neonazistas, parece mais apropriada a "assustar as
neonazistas...
potências interessadas do século 21". - é o q u e a f i r m a Robert Bihler
165
"(...) As skingirls portuguesas são geralmente intelectuais, estu- p o l i c i a l à p a i s a n a p a r a p e g a r os "ladrões c u l t o s " . I n d i c a m o s u m d e
dantes universitárias e muito ativas em causas «sociais», que po nossos c a m a r a d a s q u e e r a d a G u a r d a Civil M u n i c i p a l e o infeliz d o o-
dem ir desde a ajuda a lares da melhor idade (de idosos brancos) a l o n d e n t e nos f o i m u i t o g r a t o . Após ser c o n t r a t a d o p e l a l o j a , nosso j£
até à defesa do lince-ibérico. «Três grandes núcleos de preocupa espião nos d a v a c o b e r t u r a . R o u b a m o s u m a coleção c o m p l e t a e m <
ção movem as skingirls portuguesas: a chegada ao país de muitos alemão s o b r e o nazismo, raríssima, d a t a d a d e 1942. Era u m a espé- ^
imigrantes das ex-colônias portuguesas na África e do Brasil, os ho- c i e d e e s c l a r e c i m e n t o s o b r e o p a r t i d o e os ideais expansionistas
mossexuais e o aborto. Tudo fatores que, na sua perspectiva, im- d e Hitler s o b r e o leste e u r o p e u . Intitulava-se N.S.D.A.P. e t i n h a es-
pedem o nascimento de crianças brancas», afirma Antônio Salas. I ritos d e G o e b b e l s , Himmler, J o a c h i n V o n R i b e n t r o p p e jornalistas
O autor refere ainda que as skins portuguesas editam uma revista (to Reich. N a c a p a t i n h a u m a suástica d o u r a d a e n t r e u m a r o d a d e
para moças e pertencem a organizações mundiais de mulheres folhas d e louro, e n c a p a d o c o m u m m a c i o t e c i d o q u e p a r e c i a u m a
neonazistas, e, embora sendo mais teóricas do que os rapazes, a l m o f a d a . Era l i n d o . N e m piscávamos. O preço c h e g a v a a a p r o x i -
quando é preciso agredir, também o fazem. «Agridem principal- m a d a m e n t e R$ 3.000, e, c o n f e s s o q u e sabíamos q u a l seria a r e a -
mente outras mulheres, comunistas ou negras. Porque os skins, que (,ao d a administração d a l o j a , m a s v a l e u a p e n a . Após a " m i s s ã o "
têm este estranho complexo de cavaleiro andante, raramente ba- nosso espião foi d e m i t i d o e nós n u n c a m a i s v o l t a m o s àquele lugar,
tem em mulheres», diz o jornalista." f o r f a l t a d e provas, e l e se safou d a s acusações c o m o cúmplice.
I içamos u m período s e m e n t r a r e m n e n h u m a loja S e b o d o c e n t r o .

N o Brasil, a participação f e m i n i n a a i n d a é m u i t o l i m i t a d a . Nossa b i b l i o t e c a NS já e s t a v a e n r i q u e c i d a e essa r a r i d a d e se so-


l «ressaía n a p r a t e l e i r a , feito u m tesouro g u a r d a d o a sete c h a v e s .

Ladrões Cultos

" O Homem Ariano se tornou escravo do capital. O materialismo Higienópolis

faliu no homem, na sociedade e na raça. O pensamento de c a -


Eu já h a v i a p a s s a d o p o r Higienópolis a l g u m a s vezes, o t r a d i c i o n a l
da-um-por-si está ficando maior e vai aumentar até cada pessoa
bairro q u e a b r i g a a m a i o r c o m u n i d a d e j u d a i c a d o Brasil, t i n h a sido
colocar o povo antes de si mesmo.".
a t a c a d o a l g u m a s vezes p o r skinheads. S e m p r e a p a r e c i a u m c a r r o
T r e c h o d e u m a r t i g o NS d e a u t o r d e s c o n h e c i d o . c o m adesivos d a estrela d e D a v i d e p r e d a d o , pichações d e suásti-
< as pelos muros e m e n s a g e m d e " M o r t e aos Judeus!". O u v i q u e u m
a n t i g o c a m a r a d a t e n t o u i m p l a n t a r u m a b o m b a c a s e i r a n u m a sina-
Uma prática d e furto b e m c o m u m q u e realizávamos era entrar nas
g o g a a n o s atrás. Foi p e g o p e l a polícia p i c h a n d o símbolos nazistas
livrarias Sebo d o c e n t r o d a c i d a d e e lotar as mochilas d e livros. Escon-
no m u r o d e u m a s i n a g o g a d e São C a e t a n o , n a g r a n d e SP.
díamos os p e q u e n o s manuais d e m a n u s e a m e n t o d e a r m a s e constru-
ção d e motores por d e b a i x o d a j a q u e t a e colocávamos CDs dentro Saltamos d o ônibus e nos dirigimos p a r a a saída d o colégio M a -
d a c u e c a . N a hora d e sair comprávamos a p e n a s u m único livro. ckenzie. Alex tinha u m soco metálico n a mão direita, q u e e s c o n d i a n o
i N l c > d a j a q u e t a . Fiquei e s c o r a d o e m u m p o s t e d e luz q u e b e i r a v a a
C h e g a m o s a fazer a m i z a d e c o m os d o n o s d a s livrarias, d e v i -
< alçada d o portão d e e n t r a d a . Alguns c a m a r a d a s e s p e r a v a m e s p a -
d o à frequência e m q u e íamos às lojas. Um d e l e s r e c l a m o u u m a
lhados pelos b o t e c o s nos arredores. N a q u e l a t a r d e não h a v i a v i a t u -
vez s o b r e os furtos. Em u m t o m d e indignação, d e s a b o u c o n f i a n d o
ras n e m bases comunitárias móveis, a p e n a s os veículos d a s mães q u e
suas intenções m a i s íntimas c o n o s c o . Disse q u e iria c o n t r a t a r u m
e s p e r a v a m os alunos mais novos. Passado a l g u m t e m p o , u m g r u p o
d e q u a t r o garotos q u e u s a v a m quipás saíram d e s p r e o c u p a d o s e m / / Chaps! Já chega mano! Vambora! - disse.
direção à A v e n i d a Angélica. C a m i n h a m o s e m passos lentos, c o m as
O c o m p a n h e i r o n e m d a v a o u v i d o s . T e n t a m o s puxá-lo, m a s e l e
cabeças a b a i x a d a s e t o c a s d e inverno. D e m o s a c o u u m p u n h a l d o
p a r e c i a possuído e se e s q u i v a v a . A b a n d o n a m o s o l o c a l n a c o r -
bolso traseiro d a calça, olhei p a r a a r e t a g u a r d a e avistei u m a mulli
H-na c a r r e g a n d o as m o c h i l a s nas costas, f u g i o l h a n d o p a r a trás
dão d e cabeças r a s p a d a s c o r r e n d o e m nossa direção a r m a d o s d< •
n a á s p e r a q u e C h a p s nos a c o m p a n h a s s e . Só m e l e m b r o d e ver a
c a n o s e correntes. - Vamos camaradas! Ao ataque! Sieg He/7, Sieg
He/7/ N a q u e l a altura não h a v i a mais o q u e fazer, nós devíamos correr lm< i g e m d e l e se d i s t a n c i a r e o b a r u l h o d a s sirenes. C h a p s foi d e t i d o

Saltei e m frente dos rapazes d e t e r n o p r e t o e vi a expressão d e deses t n u n c a m a i s o vi e n t r e os s k i n h e a d s .

p e r o e m u m deles. O mais v e l h o era u m ruivo c o m sardas q u e tinhas ( ; o r r e m o s até a estação M a r e c h a l D e o d o r o . O f e g a n t e , e u não p o -


as tranças d a s costeletas já m e i o g r a n d e s , seriam seguidores d o j u d a dia < imitir n e n h u m som. M e u peito e minhas pernas doíam e p a r e c i a m
ísmo o r t o d o x o . - Q u e merda é essa. seu porco? - gritou Sander p a r a n a u p a r a r d e se mover. Espalhamo-nos e entramos n o vagão. Tiramos
u m deles a t i r a n d o n o chão o livro Torah q u e c a r r e g a v a . a s |aquetas e os gorros. A q u e l a v i a g e m d e c i n c o estações p a r e c e u ser
a mais l o n g a d e t o d a m i n h a v i d a , c o m o risco d a polícia nos p e g a r .
- Sai do meu país sionista! 1'nnsei q u e era b o m m e s m o t u d o a q u i l o ter v a l i d o a p e n a , p e l a c a u -
- Seu porco sujo! sa o p a r a nos r e c u p e r a r o prejuízo. C h e g u e i e m c a s a . Q u a n d o a b r i a
mo* hila q u e h a v i a p i l h a d o , não e n c o n t r e i o troféu d e guerra q u e i m a -
- Parasitas!
g i n a v a , m a s u m a maçã, u m a g a r r a f a d água e u m c a d e r n o d e c a p a
E d e m a i s insultos f o r a m referidos aos j o v e n s j u d e u s q u e e s t a v a m i lura c o m citações d o a n t i g o t e s t a m e n t o e m h e b r a i c o .
p a r a l i s a d o s . Um r a p a z i n h o q u e d e v i a ter uns q u a t o r z e a n o s c o m e
çou a c h o r a r , c h e g a n d o a urinar nas calças.
O Kitnet da Marechal
- A g e n t e só vai pra casa. - disse o m a i s v e l h o .
O a n t i g o c e n t r o d e São Paulo fora e r g u i d o c o m ferros e tijolos d a s
D e m o c o r t o u u m a d e suas tranças c o m o p u n h a l . O r e s t a n t e d o i < >mpanhias investidoras britânicas. A l g u m a s casas coloniais resistem
g r u p o c a i u n a risada. « K >s prédios metálicos e os edifícios a b a n d o n a d o s p i c h a d o s , hoje lar
i il >ençoado p a r a famílias q u e v i v e m d e p e d i r esmolas n o farol e pisto-
- Passa a mochila agora!
leiros d o narcotráfico f i n a n c i a d o s p e l a máfia n i g e r i a n a . O progresso

Os r a p a z e s não p u d e r a m reagir, e s t a v a m feito estátuas, e m c h o < l« i M a u á d e s a p a r e c e u d e s d e a centralização d o p o d e r f e d e r a l , o c o -

q u e , i n c a p a z e s d e fazer q u a l q u e r m o v i m e n t o . Nervosos, d e r r u b a • M U -lismo c o m b a t i d o por Ruy Barbosa m u d o u a máscara, os senhores


1

mos os q u a t r o e a r r a n c a m o s as m o c h i l a s à força. C h a p s começou • lo e n g e n h o atuais se e s c o n d e m p o r trás d e b a n q u e i r o s e ministros

a distribuir pontapés n o ruivo, q u e s e g u r a v a os g e m i d o s d e d o r . i |uo v e n d e m o solo n a c i o n a l e m t r o c a d e benefícios particulares.

Por e n t r e esse universo d e contrastes, tão visíveis c o m o os bar-


- Estamos pegando de volta o que é de nosso direito, porco!
i a . os d e m a d e i r a q u e r o d e i a m o c e n t r o e m p r e s a r i a l mais rico d a
Obrigado por devolver o que me roubaram! - dizia o bruto c a r e c a
A m é r i c a Latina, e u c a m i n h e i d u r a n t e u m l o n g o período d e m i n h a
e n q u a n t o e s p a n c a v a o j o v e m indefeso.
i' l< i. D e v i d o às d i f i c u l d a d e s familiares n a aprovação d o r e l a c i o n a -
- Você vai matá-lo! - g r i t o u u m b a l c o n i s t a d o b a r q u e assistia à m e n t o c o m N i c o l e (ela era 15 a n o s mais v e l h a e h a v i a sido m i n h a
c e n a , aterrorizado. i 'i< -lessora), a l u g a m o s u m kitnet n a Rua Barão d e P i r a c i c a b a , próxi-
m o a u m a fábrica a b a n d o n a d a d a CPTM, enfre a esfação d a Luz e 11 > .lis até a apresentação p o r p a r t e d o c a m a r a d a . Eu já t i n h a o u v i d o
M a r e c h a l D e o d o r o . Ali nos a m a m o s l o u c a m e n t e , nas tantas noites l< il< • d o Delão, c o m o era c o n h e c i d o . Começou n o m o v i m e n t o q u a n -
d e sussurros e prazeres misturadas c o m o ruído d e tiros n a r u a . Q u a n d o , n o Brasil, ninguém t i n h a o u v i d o falar d o t e r m o skinhead. Primeiro
d o não h a v i a as gigs d e sexta à noite, e u ia a o e n c o n t r o d e l a c r u z a n ele foi punk, junto d a m o l e c a d a d a z o n a norte, o n d e c r e s c e u . Depois
d o a Cracolândia. Sozinho e d e visual skin, e u p a r a v a g r u p o s d e 5 a 8 entrou p a r a g a n g u e d o s c a r e c a s , q u a n d o t i n h a dezessete anos. Dis-
bolivianos ilegais, e n q u a d r a v a prostitutas o c u l t a s nos b e c o s e s f u m a se q u e f r e q u e n t o u shows d o Vírus 27 q u a n d o Joe 90 a i n d a e r a vivo
çados e p i c h a v a cruzes g a m a d a s nos muros b a l e a d o s e a b a n d o n a e a c o m p a n h o u o Bota-Gasta e Histeria e m várias gigs p e l o e s t a d o .
dos d a s d e l e g a c i a s policiais. C e r t a vez, q u a n d o c r u z a v a p o r ali, u m C o n h e c e u o a t u a l a p r e s e n t a d o r João G o r d o n a época d e glória dos
senhor b a i a n o d o n o d e u m b o t e c o não m u i t o l o n g e d a P i n a c o t e c a , Raros d e Porão. Depois d a s brigas, descontentes c o m o r u m o q u e as
d e s c o n t e n t e pelos c o n f r o n t o s c o m c a r e c a s q u e p o r vezes a t a c a v a m coisas t o m a r a m João e C l e m e n t e , q u e e r a m d o g r u p o , f o r a m se dis-
seu e s t a b e l e c i m e n t o , c o n f u n d i u - m e c o m u m i n t e g r a n t e d a g a n g u e i' i n c i a n d o e a c u s a d o s d e "traidores".
d o Subúrbio e e n v i o u seus c a p a n g a s a r m a d o s d e barras d e ferro
e c o r r e n t e s d e b i c i c l e t a p a r a m e p e g a r . P u d e vê-los atravessando - A o n d a punk e careca ainda viveu por mais um tempo, fazendo
a a v e n i d a , furiosos p a r a c i m a d e m i m . Corri c o m o n u n c a n a v i d a , sucesso em casas noturnas como a Napalm e Madame Satã - disse.
p r o c u r a n d o a l g u m l u g a r p a r a m e p r o t e g e r , m a s s e m n e n h u m a ilu-
Q u a n d o o m o v i m e n t o p a s s o u a ter u m caráter político, a l g u n s
minação, r e s t a v a - m e o a b a n d o n o d a movimentação. E s q u i v a n d o
d e seus c o m p a n h e i r o s se e n c o n t r a v a m n o n a c i o n a l - s o c i a l i s m o e
das p e d r a s q u e m e a t i r a v a m , p u l a v a sacos d e lixo enfileirados q u e
ele s e g u i u c o m o a m a i o r i a d o s c a r a s d a t u r m a . Nessa época, e l e
m e s a l v a r a m . C a d a obstáculo q u e d e r r u b a v a n a calçada, cestos e
t a t u o u u m a suástica n o pulso, q u e e s c o n d i a p o r b a i x o d e u m b r a -
caixas d e correio, reduzia a v e l o c i d a d e d o s justiceiros. Entrei o f e g a n
c e l e t e . Essa t a t u a g e m já não c o n d i z c o m sua i d e o l o g i a a t u a l , pois
te n o edifício e corri p a r a os braços d e Nicole: - Estava na janela a te
ele a i n d a se e n c o n t r a c o m os c a r e c a s d o subúrbio, s e g u i n d o o es-
esperar e vi tudo o que aconteceu desde a avenida.
tilo apolítico o u O i ! n a c i o n a l i s t a : - Sabe. eu não ligo se o cara for
NS. Acho pilantragem esses carecas que se matam entre si. Se ao
invés disso os WP deixassem de ser racistas e os Oi! lutassem ao lado
De/ão
deles contra o comunismo, a gente ia ter algum resultado.

"Minha ideologia é a navalha da minha foco"


Tendo o c o m p a n h e i r o d e n t r o d o respeito, a p e s a r d a s diferenças,
Delão, Subúrbio d e SP. a n o s 80 c o n s i d e r a v a Delão u m e x e m p l o n a luta n a c i o n a l . Sua característica
mais típica e r a m d u a s botas entre u m r a m o d e louro, d e 9,5 c m t a t u a -
das n a c a r e c a , b e m c o m o o inesquecível sorriso d e s d e n t a d o . - Mano.
N u m a t a r d e d e f e r i a d o e u ia p a r a a Rua Barão d e P i r a c i c a b a se-
no dia do meu batismo os caras exageraram nas pancadas, quebra-
g u i n d o o c a m i n h o p o r trás d a estação d a Luz. A l g u m a s lojas t i n h a m
r a m dentes e uma costela minha... Mas tô aí. tá ligado, valeu a pena.
suas vitrines a b e r t a s , outras d e s c i a m suas portas d e aço d i s p e n s a n d o
o pessoal. As coisas p a r e c i a m sob c o n t r o l e , h a v i a viaturas policiais e Ele já se a p r o x i m a v a d o s 45 anos. O p o r t e físico d e f i n i d o não es-

p o r t o d o o c a m i n h o e u não vi u m a só pessoa se d r o g a n d o . Encostado c o n d i a u m a b a r r i g a d e c h o p e q u e salientava p o r b a i x o dos suspen-


n a e n t r a d a d e u m a loja d e artigos d e m o d a f e m i n i n a estava u m su- sórios. Delão m e c o n t o u q u e já esteve e m várias brigas, c h e g o u a
jeito d e q u a s e dois metros, c o m c a m i s a xadrez e suspensórios. A fivela e s p a n c a r t a n t o u m punk c e r t a vez, q u e até hoje c a r r e g a n a c o n s c i -
d o c i n t o e r a u m a cruz d e ferro q u e brilhava n o sol. Trocamos olhares ência a dúvida se m a t a r a o u não. Serviu o exército c o m o voluntário
por u m a n o , n o q u a r t e l d o C.P.O.R. Q u a n d o tinha 18 anos e p o r volta
170
d o final d a década d e 80, c h e g o u a ser preso n a a n t i g a C a s a d e japoneses c h e g a r a m a nos a p o i a r , isso d e v i d o à r i v a l i d a d e c o m a
g Detenção, o C a r a n d i r u . Saiu d e lá p o u c o antes d o massacre d e 1992 c o m u n i d a d e c o r e a n a e c h i n e s a . Não h a v i a p r o b l e m a f o r m a r u m a
c A t u a l m e n t e , fazia bicos, t r a b a l h a v a c o m o segurança d o p e q u e n o "aliança" c o m nipo-brasileiros, aliás, eles fizeram p a r t e d o Eixo d u -
ca
r a n t e a S e g u n d a G u e r r a e muitos dos imigrantes q u e v i e r a m p a r a
J3 e s t a b e l e c i m e n t o f e m i n i n o o n d e o c o n h e c i . Disse q u e tinha q u e p a
o Brasil t i n h a m s e r v i d o n o front c o n t r a os a m e r i c a n o s capitalistas.
O g a r a pensão d e u m a filha d o seu s e g u n d o r e l a c i o n a m e n t o mais d u
Havia u m c a m a r a d a q u e se dizia a n t i g o n o Divisão 18, e q u e n a
& r a d o u r o , 1 a n o e 7 meses, q u e lhe d e u a m e n i n a m o r e n a d e 10 anos
época q u e o c o n h e c i e r a u m c a s u a l , c h a m a d o Paulo Kurauchi Strai-
«3 d a f o t o e m sua c a r t e i r a . Delão tinha s o b r e n o m e italiano. Disse q u e
t e n b e r g e r . Ele e r a % o r i e n t a l , filho d e mãe mestiça entre português
p o r p a r t e d e mãe possuía ascendência alemã, f a t o q u e i n c o m o d o u
c o m japonês e seu p a i t i n h a 100% ascendência alemã. Paulo saíra
m u i t o os c o m p a n h e i r o s nazistas q u a n d o e l e d e i x o u as ideias White
c o m os olhos l e v e m e n t e p u x a d o s , porém p e r m a n e c e u c o m o p o r t e
Power. Ele se a p a i x o n o u por u m a moça mestiça indígena d o q u a l diz
germânico p a t e r n o . Seus c a b e l o s e r a m claros e t i n h a u m a a l t u r a
n u n c a ter e s q u e c i d o . - Tive que a deixar, ela não aguentava mais o
j onsiderável. Ele foi u m a d a s raras exceções q u e o g r u p o a b r i u p a r a
estilo de vida que eu levava. Mas abandonar o role jamais!
m e m b r o s q u e não e r a m d e " p u r a ascendência e u r o p e i a " .
A princípio j u l g u e i - o c o m o s e n d o u m c a m a r a d a possuidor d e
u m a b r a v u r a indómita e n o b r e l e a l d a d e , porém n a d a mais. Não Toda a disciplina d e seu p o v o , as artes m a r c i a i s e as l e n d a s d o
v i a e m Delão u m f u t u r o político d o q u a l b u s c a v a . Ele e r a m a i s u m Japão m e d i e v a l , a família i m p e r i a l e a tradição d o s guerreiros sa-
b r u t a m o n t e q u e f a r i a a g u a r d a p e l a s ruas, e seria r e s p e i t a d o c o n - murais e r a m d i g n a s d e admiração pelos nacional-socialistas. Os
t a n t o q u e ficasse só d i s t r i b u i n d o p a n c a d a s e não a b r i n d o a b o c a . e n s i n a m e n t o s budistas t i n h a m f o r t e relação c o m o arianismo, além
Mas e s t a v a e r r a d o . Q u a n d o c h e g u e i e m c a s a , p a s s a d o o fim d e d e muitos c a m a r a d a s serem a d m i r a d o r e s d o taoísmo. O p o v o nipô-
s e m a n a e u e n c o n t r e i sua página d o Orkut. Tinha e m seu álbum d e n i c o possui influência mongólica e russa nos h a b i t a n t e s d a s g e l a d a s
fotos t r a b a l h o s r e a l i z a d o s c o m os núcleos integralistas d o Rio d e m o n t a n h a s d o n o r t e d a ilha e a nosso ver, os j a p o n e s e s e r a m " m a i s
J a n e i r o e Vila V e l h a . P a r t i c i p o u d e e n c o n t r o s s k i n h e a d s universais b r a n c o s " , c o m p a r a d o s aos filipinos, chineses d o sul e à população
e m Londres d u r a n t e os a n o s 80, q u a n d o e l e a i n d a t i n h a u m p o u c o d a I n d o c h i n a . Podíamos a c e i t a r a i d e i a d e p e r t e n c e r e m à estirpe
d e c a b e l o r a s p a d o s e m as t a t u a g e n s n a cabeça. O q u e mais m e d e G e n g i s - K h a n e a u m a c u l t u r a superior também. O i m p a c t o q u e
i n t r i g o u foi q u e e m u m a d a s fotos e l e p o r t a v a t e r n o e g r a v a t a j u n t o a c o m u n i d a d e nipo-brasileira c a u s o u n o m o v i m e n t o fez c o m q u e e u
d e e x e c u t i v o s d e u m a m u l t i n a c i o n a l , i n t i t u l a d a " Q u a n d o e u e r a es- postasse u m t e m a n o fórum d o Blog d a B r i g a d a Paulista: " O Brasil é
c r a v o d o s c o l a r i n h o s b r a n c o s " . Dias d e p o i s c o n h e c i u m s t r e e t p u n k o país que mais tem japonês fora do Japão. Desde o início do século
d a s a n t i g a s n a G a l e r i a d o Rock q u e o c o n h e c i a d e s d e a q u e l e s XX recebemos imigrantes oriundos dessa terra que se fixaram mais
t e m p o s . C o n t o u - m e q u e Delão e r a d e família r i c a e e s t u d a r a nos no interior do Estado de São Paulo contribuindo em muito para o de-
m e l h o r e s colégios d e s d e a infância, b a c h a r e l a d o e m e c o n o m i a e senvolvimento da agricultura. São extremamente esforçados e aju-
f a l a v a f l u e n t e o inglês. Paralelo à v i d a d e empresário, s e g u i a o esti- daram muito na construção dessa nação. Não se vê nenhum deles
lo a n t i s i s t e m a s k i n h e a d , d o q u a l m a i s t a r d e fez c o m q u e a b d i c a s s e morando na rua ou na favela. São bem sucedidos e uma pequena
t o d a u m a v i d a b e m s u c e d i d a , p a r a seguir c o m seu i d e a l . minoria se envolve em política (um caso famoso foi o de Gushiken,
do PT, envolvido no escândalo do mensalão). Eles são diferentes dos
"ratos" chineses sujos que vendem produtos contrabandeados e
dos coreanos que trazem imigrantes ilegais para trabalharem sob
O Sol Nascente da Liberdade
condições desumanas, como escravos enriquecendo seus bolsos e
N a q u e l e s t e m p o s l e m b r o - m e m u i t o b e m q u e até m e s m o alguns
contribuindo para o multiculturalismo em nossa sociedade". A questão d o H o l o c a u s t o , além d e polémica, traz u m a p e r g u n -
ta q u e não q u e r c a l a r : c o m o você p o d e d e f e n d e r u m r e g i m e t o -
Postado em 08/10/2005 - 14:52
talitário q u e e x e c u t o u seis milhões d e v i d a s h u m a n a s ? B e m , o q u e
O único f a t o q u e não conseguíamos relevar e r a o d e q u e a g r a n posso dizer sobre o t e m a , d e a c o r d o c o m o q u e acreditávamos nos
d e m a i o r i a d o s " j a p a s " brasileiros e r a originária d a ilha d e O k i n a w a , anos d e a t i v i s m o NS, é q u e m e s m o s e m levar e m consideração o
se a p r o x i m a n d o d o Pacífico Sul. l o c a l o n d e as populações mongóli- q u e achávamos d o m a s s a c r e a o s j u d e u s d e t u r p a d o s - a l e g a n d o
c a s e r a m m i s c i g e n a d a s c o m seres aborígenes e "indígenas d e c o r " . q u e j a m a i s existira - o u p e l o m e n o s não d a m a n e i r a m o s t r a d a e m
filmes e nas escolas, as vítimas d o c o m u n i s m o se s o m a m e m m a i s
Para nós, defensores d o n a c i o n a l i s m o racialista, j a m a i s a c e i t a -
d e 100 milhões. C o m o p o d e r i a h a v e r p a r t i d o s b o l c h e v i s t a s l e g a l i -
ríamos a miscigenação e n t r e o c i d e n t a i s e orientais. Confesso q u e
zados e n a c i o n a l - s o c i a l i s t a s p e r s e g u i d o s ? Se o a r g u m e n t o d a so-
q u a n d o e u v i a u m c a s a l e m q u e u m d e seus integrantes e r a " a m a -
cial d e m o c r a c i a liberal e r a s e m p r e o genocídio, n e n h u m p a r t i d o
relo", a q u i l o m e i n c o m o d a v a b e m m e n o s d o q u e se n o l u g a r d o
q u e se e n c o n t r a n a a l a r a d i c a l , t a n t o d e direita c o m o e s q u e r d a ,
o r i e n t a l fosse u m a pessoa n e g r a . N o c a s o d a Austrália, p o r e x e m p l o ,
d e v e r i a fazer p a r t e d a s eleições d o país, e diria a i n d a mais, os pró-
s e m p r e r e c o n h e c e m o s a c a u s a NS deles c o n t r a a invasão v i e t n a m i
prios m o v i m e n t o s m o n a r q u i s t a s também d e v e r i a m ser p r o i b i d o s ,
ta e c a m b o d j a n a . Fazer d e nossa população mestiça c o m q u a l q u e r
pois s o b a ótica d a c o r o a p o r t u g u e s a , os c o l o n i z a d o r e s d i z i m a r a m
o u t r a raça " n ã o b r a n c a " e r a incabível. Porém, v i v e m o s e m p a z c o m
milhões d e indígenas e u t i l i z a r a m mão d e o b r a e s c r a v a a f r i c a n a
a colónia j a p o n e s a . C h e g a m o s a c o m b a t e r a introdução d o s d e s e -
o m prol d e seu e n r i q u e c i m e n t o . Para os nazistas, t o d a f o r m a d e g o -
nhos M a n g a s e n t r e os jovens d e s c e n d e n t e s d e e u r o p e u s , m a s n u n c a
verno e t o d o s os setores d a s o c i e d a d e são c o n t r o l a d o s p o r j u d e u s .
c o m agressões o u ofensas verbais. Posso m e r e c o r d a r q u e a p e n a s
A mídia, c o m o o q u a r t o p o d e r , traria informações d e jornais c o m o
u m a vez c h e g o u a d a r b r i g a e n t r e a nossa B r i g a d a e u m g r u p o d e
o The New York Times, c o n t r o l a d o s p o r sionistas, os c a n a i s CNN, BBC
j a p a s C l u b b e r s q u e t i n h a m os c a b e l o s p i n t a d o s d e v e r d e e rosa, q u e
o c o m p a n h i a s d e filmes c o m o a Warner. MGM e , é c l a r o , a D r e -
c u r t i a m música Tecno e Trance. Isso o c o r r e u e m u m sábado n a p r a
a m Works d e S p i e l b e r g . A Globo d e R o b e r t o M a r i n h o é vista c o m o
ça e m frente a o m e t r o L i b e r d a d e , h a v i a feira d e a r t e s a n a t o e o a m -
u m a e n t i d a d e d e s t i n a d a a o s interesses maçónicos, o p o r t u n i s t a s ,
b i e n t e p a r e c i a b e m família. Avistamos o g r u p o d e l o n g e . Usavam
a p o i a r a a d i t a d u r a e a g o r a as c a m p a n h a s d o PT, i n d o d e u m l a d o
ecstasy, a t i t u d e q u e combatíamos f e r o z m e n t e . D u r a n t e a b r i g a , e n -
a o u t r o d a b a r r i c a d a d e a c o r d o c o m a q u e l e q u e detém o p o d e r
q u a n t o distribuíamos socos e pontapés nos a d o l e s c e n t e s r e b e l d e s ,
o m sua época. Os g r a n d e s b a n q u e i r o s e s t a r i a m a serviço d e inter-
dizíamos q u e eles não h o n r a v a m seus a n t e p a s s a d o s Kamikases n a
n a c i o n a l i s t a s , q u e c o m p r a r a m as c o m p a n h i a s n a c i o n a i s e m o n o -
luta c o n t r a o p o d e r judaico-maçônico. Minutos d e p o i s alguém c h a -
p o l i z a r a m o m e r c a d o f i n a n c e i r o , q u e b r a n d o os p e q u e n o s e m p r e -
m o u a polícia e c a d a u m c o r r e u p a r a u m l a d o .
sários e forçando outros a se a l i a r e m e m suas coligações maléficas
< í serviço d o l u c r o pelos juros. Para nós, os j u d e u s e r a m a i n d a piores
d o q u e os c a p i t a l i s t a s , não p r o d u z i a m n a d a , e n d i v i d a v a m a p o p u -
Os Defensores da "Verdade"
lação p a r a p o d e r dominá-la c o m o b e m e n t e n d i a m . N a r e a l i d a d e ,
"Quanto mais eles nos difamarem, mais nos aproximaremos uns u m a i d e i a infantil, pois não são a p e n a s j u d e u s q u e detém o m o n o -

dos outros. Os que nos votam ódio mais mortal são justamente os i » ' l i o o u oligopólio d a s g r a n d e s c o m p a n h i a s m u n d i a i s , muitos d o s

nossos melhores amigos". " g e n t i o s " d o s q u a i s chamávamos d e traidores d a raça são os q u e


mais a b u s a m d o sistema d e i n v e s t i m e n t o m u n d i a l , até mais q u e
A d o l f Hitler. ( M e i n K a m p f . Parte I. C a p XII, i t e m 13)
175
muitos empresários j u d e u s q u e , a o invés d e s e r e m " s a n g u e s s u g a s no assunto história-sociologia política, éramos revisionistas. Até p o r q u e
parasitas", dão o p o r t u n i d a d e d e c r e s c i m e n t o e m setores d e várias já a p r e n d e m o s q u e e m história não existe v e r d a d e absoluta. Só por o-
nações e i n v e s t e m m u i t o e m países e m e r g e n t e s , c o m o o nosso. m e i o d e fontes c o n c r e t a s é q u e se p o d e r i a c h e g a r a a l g u m a c o n c l u -

O antisemitismo é p r e s e n t e e m t o d o s os g r u p o s d e skinheads, são. C o n s c i e n t e d e q u e fazer a coisa c e r t a está m u i t o a c i m a d o b e m <:

m e s m o e n t r e punks anarquistas q u e r e j e i t a m o c a p i t a l i s m o . O j u d e u estar, escrevo hoje sobre a " v e r d a d e " q u e t o m e i c o m o absoluta. M i n h a ^2

é visto c o m o u m monstro, e x a t a m e n t e i g u a l às a q u e l a s c a r i c a t u r a s missão é contribuir c o m u m a lição d e abrangência e i m p a r c i a l i d a d e .

d o século XIX, o n d e e r a m c o m p a r a d o s aos v e r m e s e ratos. Alguns Escrevo c r e n t e q u e utilizo os atributos d e u m a legítima investigação jor-

m e m b r o s integralistas e r a m d e ascendência j u d a i c a , o q u e não i m - nalística. Desde a terrível e cansativa introdução a o n o v o "EU", passan-

p l i c a v a e m sua participação n o m o v i m e n t o , e x e m p l o era o a n t i g o d o por relatos assustadores d e skinheads, até entrevistas c o m p e n s a d o -

fascista d e c l a r a d o , R o b e r t o Simonsen. Eram a c e i t o s d e s d e q u e fos- res d o m o v i m e n t o . Tudo p r o n t a m e n t e d i v i d i d o e m tópicos e subtemas

s e m c o n t r a a ocupação d a Palestina e os g o v e r n o s liberal-comunis- dos quais seria impossível deixar d e l a d o u m a explícita e realista visão

tas. Entre os s e g u i d o r e s d o White Power ninguém d e v e r i a sequer ter d e m u n d o , não c o m o intenção d e p r o p a g a r , mas registrar os c o m p o -

mais d o q u e 5% d e s a n g u e " i m p u r o " . Tolerava-se até u m a q u a n t i a nentes desse s u b m u n d o distante.

q u a s e insignificante d e s a n g u e m o u r o , semita o u indígena, d e s d e


C o n v e r s e i c o m u m NS q u e r e c u s o u se i n d e n t i f i c a r , m a s g r a v e i
q u e não i m p l i c a s s e m n o fenótipo. D e s c e n d e n t e s afros não eram
p a r t e d e seu diálogo.
a c e i t o s n e m se tivessem 1%, o q u e é u m a b s u r d o , pois não h a v i a
n e n h u m método d e c o n t r o l e s o b r e isso. A c r e d i t a v a m n a q u i l o q u e - Todo mundo fico dizendo que os judeus se diferem apenas pela
a c h a v a m ser. Muitos c h e g a r a m a i m p l i c a r c o m n o m e s h e b r a i c o s , religião, o que é pura baboseira. O judeu é uma raça. Acontece
c o m o Isaac, D a v i d , J a c o b , d e m e m b r o s , m e s m o eles não t e n d o n e - que viveram muitos anos na Europa e na América do Norte, propo-
n h u m a ascendência israelita. É a p r o v a d a ignorância e n t r e muitos sitalmente, e isso clareou suas peles notavelmente. Eles apenas se
dos s e g u i d o r e s fanáticos. L e m b r o d a decepção d e u m c a m a r a d a parecem com brancos, mas seu verdadeiro aspecto é tipo turco,
loirinho d e olhos claros, q u e se dizia d e s c e n d e n t e p u r o d e germã e nunca se misturam com as demais raças, sempre nos acusam de
nicos e italianos d o n o r t e . Tinha até u m a árvore genealógica q u e sermos racistas por fazer exatamente o que eles fazem... Hipócritas!
c h e g a v a a seis gerações p a s s a d a s . Q u a n d o e l e realizou u m teste
d e DNA r e m o v e n d o células d a g e n g i v a p a r a análise, d e s c o b r i u q u e Alegávamos q u e os oficiais alemães j u l g a d o s e m Nuremberg

t i n h a lá uns 8% d e s a n g u e indígena, sua família era d o Rio G r a n d e pelos c r i m e s d e g u e r r a e r a m i n o c e n t e s , q u e as câmaras d e gás

d o Sul e a l g u m tataravô teria trazido p a r a família u m a b u g r e G u a r a - e o Zyklon B t i n h a m intenção d e m a t a r p e r c e v e j o s d a r o u p a d o s


ni, m e p a r e c e q u e e s q u e c e r a m d e inclui-la n a g e n e a l o g i a . . . prisioneiros a p e n a s , e q u e j a m a i s f o r a m utilizadas c o m o máquinas
d a m o r t e . Há t o d o u m e s t u d o r e a l i z a d o p o r u m e s p e c i a l i s t a nor-
As leis raciais se a l t e r a v a m d e a c o r d o c o m o c o n h e c i m e n t o d e seus l e - a m e r i c a n o e m p e n a d e morte, q u e viajou para a A l e m a n h a e
m e m b r o s . Muitos q u e se d e d i c a r a m à a n t r o p o l o g i a . Mas, n a m e d i d a p a r a Polónia e s t u d a n d o os c a m p o s d e concentração e p u b l i c o u
e m q u e a p r e n d i a m sobre as origens d o h o m e m e sobre o seu m o d o sua p e s q u i s a e m u m livro c h a m a d o "Acabou o Gás", lançado n o
d e viver, d e i x a v a m o racismo e se a l i a v a m às doutrinas nacionalistas, Brasil p e l a Editora Revisão, d o Rio G r a n d e d o Sul, polémica e d i t o r a
q u e não e r a m racistas. Já outros q u e se e n c o n t r a v a m n o Integralismo, d e S.E. C a s t a n , alemão r e s i d e n t e n o Brasil c o n d e n a d o p e l a d i v u l -
q u a n d o c o n s e g u i a m u m a c i d a d a n i a e u r o p e i a o u d e s c o b r i a m a ori gação d e m a t e r i a l nazista e d e b a t i d o e m t o d a s as salas d e a u l a
g e m d a família e m Portugal o u Itália, p a s s a v a m p a r a o b a n d o nazista. d o Direito d o país. Fica a questão: é c r i m e o u não p u b l i c a r livros
I n d e p e n d e n t e d e racistas o u não. Uma coisa nós tínhamos e m c o m u m , lovisionistas? A nosso ver, e r a u m a b s u r d o , nos sentíamos n a época
176
d a inquisição, t e n d o o Ministério Público c o m o a Igreja Católica. q u e e l a e r a u m a c o l a b o r a d o r a d o sanguinário Stalin e, além d o
g C a s t a n p u b l i c o u seu m a i s c o n h e c i d o livro q u e se t o r n a r a leitura mais, t e v e u m filho d e Luis C a r l o s Prestes, s e m comentários.
c obrigatória e n t r e os s k i n h e a d s "Holocausto, Judeu ou Alemão?",
<a - Dreden sim foi um verdadeiro genocídio! Perderam cerca de
J5 o n d e m o s t r a v a u m a visão a l t e r n a t i v a d o s e v e n t o s o c o r r i d o s nos
40 mil vidas inocentes por culpa dos Aliados covardes!
g períodos pré e pós-guerra, i n c l u i n d o as Olimpíadas d e Berlim, d e
£3 1936 e fotos d e vítimas j u d a i c a s q u e a l e g o u s e r e m m o n t a g e n s . Seu Sabe-se q u e o b o m b a r d e i o d a c a p i t a l d a Saxônia foi u m a resposta
« livro foi t r a d u z i d o p a r a o alemão, e s p a n h o l e inglês, s e n d o r e f e r e n - dos a t a q u e s à Londres, mas não q u e r i a procurar e n t e n d e r . N e n h u m
c i a m u n d i a l à c a u s a . A Revisão Editora t r o u x e títulos d o e s t r a n g e i a r g u m e n t o justificaria o a t o c o m e t i d o . N a época das polémicas d e c l a -
ro. E n c o n t r a v a m - s e o b r a s d e revisionistas c o m o D a v i d Irving, Louis rações d o presidente d o Irã, M a h m o u d A m a d i n e j a h , nós o a p o i a m o s
M a s h a r k o , o relançamento d o s livros d e G u s t a v o Barroso e estudos e m relação à negação d o Holocausto, mas nos d e s a p o n t a m o s muito
d o militar d a reserva Sérgio Oliveira, ativista n a c i o n a l i s t a e c o l a - depois d e saber q u e e l e m a n t i n h a b o a s relações c o m Hugo Chavez.
b o r a d o r d a revisão d a história. D e n t r o d o s livros v i n h a u m p a n f l e t o
r e s u m i n d o a importância d e revisar os a c o n t e c i m e n t o s d o p a s s a d o "É essencial que o sofrimento de judeus... Piore... Isso ajudará na

e m e n s a g e n s d e a u t o d e f e s a e m d e s t a q u e , nas letras maiúsculas e realização de nossos planos... Tenho uma ideia excelente. Induzirei

e m n e g r i t o , d o t i p o : " Q u e m não conhece história não pode discuti- antisemitas a liquidarem a riqueza judaica... O antisemitismo nos

la! Quem apenas conhece a versão conveniente dos vencedores servirá de ajuda, então, fortalecendo a perseguição e a opressão

está mal informado! Não deixe seus filhos serem enganados! Cola- aos judeus. Os antisemitas serão nossos melhores amigos". - escre-

bore na divulgação de nossos títulos!". v e u T h e o d o r Herzl, teórico f u n d a d o r d o Sionismo.

Eu o d i a v a q u a n d o v i a as pessoas se e m o c i o n a r e m c o m filmes Seria hipocrisia c o n d e n a r essa afirmação. Se nós mesmos seguí-


d o t i p o A Lista de Schindler, A Vida é Bela e O Pianista. Às l a g r i m a s amos u m a ideia proposta p o r Hitler q u e se b a s e a v a n a q u e l e senso:
d i z i a m : - Pensar que tudo isso foi verdade! "Quanto mais nos difamarem nos fortalecerão...". M e p a r e c e q u e a re-

Para m i m t u d o a q u i l o e r a u m a m e n t i r a . Ficção sensacionalista pressão a i n d a c o l a b o r a mais c o m o surgimento d o " b a n i d o " , e a i n d a

d e H o l l y w o o d , c o n t r o l a d a p o r j u d e u s q u e e n r i q u e c i a m c o m as b i - hoje, d e a m b o s os lados, ninguém a p r e n d e u a lição. Ódios c o m b a s e

lheterias, m o s t r a n d o u m suposto s o f r i m e n t o d o próprio p o v o . Pen e m f u n d a m e n t o s surgem e m o r r e m a c a d a m i n u t o a o redor d o g l o b o

s a v a nessa questão d e u m a m a n e i r a q u e até m e s m o nos dias a t u - fazendo se iniciar u m a g u e r r a silenciosa q u e p a r e c e não ter fim.

ais, l o n g e d e q u a l q u e r militância e u não e n c o n t r o u m a resposta. - É D u r a n t e a g u e r r a Israel x Líbano, e m 2006, muitos c a m a r a d a s


proibido discordar do Holocausto em diversos países. Que verdade < o m p r a r a m camisetas c o m o l o g o t i p o d o Hezbollah e m a r c h a v a m
é essa que precisa da lei para se impor? orgulhosos a p o i a n d o a c a u s a d o s n a c i o n a l i s t a s libaneses. Q u a n d o

Q u a n d o o filme d e produção n a c i o n a l , O l g a , foi lançado, fui à es a c o m u n i d a d e mulçumana d e São Paulo p r o m o v e u u m a m a n i f e s -

treia j u n t o d e alguns c a m a r a d a s . N a m e t a d e d o filme nos l e v a n t a m o s tação n a A v e n i d a Paulista, e m 2007, S a n d e r e a l g u n s c a m a r a d a s

e começamos a gritar: - Mentira! Isso é tudo parafernália sionista! • 111 ' y a r a m a desfilar c o m o visual s k i n h e a d p o r e n t r e u m a multidão
d e t u r b a n t e s p o r t a n d o b a n d e i r a s d a Palestina.
Um d o s s k i n h e a d s q u e e s t a v a a o m e u l a d o a t i r o u u m c o p o d e
r e f r i g e r a n t e c h e i o n a t e l a d o c i n e m a . Fomos expulsos. Saí i n d i g n a O químico G e r m a r Rudolf é u m d o s ídolos d o s revisionistas. En-
d o d a m a n e i r a q u e fizeram o filme, c o l o c a n d o O l g a Benário, inter- • • intra-se preso ( d e s d e 2006) n a penitenciária d e segurança máxi-

p r e t a d a p o r C a m i l a M o r g a d o , c o m o vítima, s e n d o q u e a c r e d i t a v a m a e m Sttugart, c o n d e n a d o há 15 a n o s p o r realizar estudos sobre


c a m p o s d e extermínio q u e n e g a v a m o H o l o c a u s t o . C o n s i d e r o c o r Santa Cruz das Tretas
reta a intenção d e b a n i r o p r e c o n c e i t o , m a s e m p r o l d a l i b e r d a d e
D e i x a n d o a z o n a c e n t r a l , seguíamos s e n t i d o Av. Paulista, c r u -
d e expressão. Até h o j e , l o n g e d e q u a l q u e r i d e o l o g i a , e u d e v o m e
z a n d o os bairros Paraíso, Vila M a r i a n a e S a n t a Cruz. Perdi a c o n t a
o p o r a o f a t o . É imprescindível q u e u m E s t a d o a s s e g u r e o d i r e i t o d e
d a s vezes e m q u e t r a n s f o r m a m o s a f a m o s a Rua L o e f g r e e n e m z o n a
opinião e crença, p r i n c i p a l m e n t e se t r a t a n d o d o âmbito acadêmi
d e g u e r r a . Esses l u g a r e s d a c i d a d e são d e classe média a l t a c o m
c o e d e p e s q u i s a . P r e n d e n d o e p e r s e g u i n d o q u e m d e f e n d e ideias
u m perfil, o r a c o m e r c i a l , o r a r e s i d e n c i a l . O q u e c o n t r i b u i e m u i t o à
contrárias as a u t o r i d a d e s se i g u a l a m a o s inquisidores m e d i e v a i s .
concentração d a a l a juvenil d o s m o v i m e n t o s políticos. A f a m o s a
U m vídeo p o p u l a r n o Y o u t u b e foi o d e u m d e b a t e n a R e d e UNIFESP, o colégio A r q u i d i o c e s a n o e t a n t a s outras instituições c o n -
Bandeirantes, n u m p r o g r a m a d e Silvia P o p o v i c , d e 1989, n a o c a c e n t r a v a m g r a n d e número d e militantes q u e , após as a u l a s , f i c a -
sião d o aniversário d e Hitler, o n d e c o m p a r e c e r a m Anésio d e Lara. v a m d e prontidão m o n t a n d o g u a r d a p e l a s e s q u i n a s . Semelhante
A r m a n d o Zanine, R o d o l f o K o n d e r ( d a Anistia I n t e r n a c i o n a l ) , Ben o c o r r i a n o S h o p p i n g M o r u m b i , p o n t o u s a d o p a r a m a r c a r as b r i g a s ,
n o Milnitzki (Presidente d o C o n s e l h o J u d a i c o d a América Latina), seja d e r a p a z e s p o l i t i z a d o s o u não.
professores d a USP e Ben A b r a h a m , s o b r e v i v e n t e d e A u s c h w i t z , u m
Muitos c o m p a n h e i r o s d o Front 8 8 v i v i a m n a p o r t a d o s h o p p i n g
d o s m a i o r e s ativistas c o n t r a o n a z i s m o , q u e se c o n t r a d i s s e p e r a n t e
Santa Cruz. Por a l i " f a z i a m a r o n d a " e m b u s c a d e q u a l q u e r u m q u e
d u a s exibições e d i t a d a s d e sua participação n a TV - e m u m a e l e
pensasse d i f e r e n t e deles, i m p l i c a v a m c o m t o d o s s e m n e n h u m p u -
m e n c i o n a q u e e s t e v e q u a s e t o d o o período d a g u e r r a n a prisão
dor, u m a demonstração d e p o d e r q u e c h e g a v a a ser a b u s i v a e
polonesa, n a outra afirma q u e esteve a p e n a s u m a s e m a n a . . .
injusta. E n c o n t r e i c e r t a vez n o O r k u t u m tópico d a c o m u n i d a d e d o
Toda essa i d e i a d e dominação m u n d i a l não é a p e n a s c a r a c t e shopping o n d e a galerinha mais liberal e esquerdista e n c h e u u m a
rística d e a l g u n s p o u c o s intelectuais d o p a s s a d o . Inclusive foi escrito página r e c l a m a n d o d o s s k i n h e a d s . A polícia se utilizou d a q u e l a s
o livro " O Judeu Internacional", p o r H e n r y Ford, o f a m o s o empresário informações e d e t e v e a l g u n s cabeças r a s p a d a s .
e c r i a d o r d a t r a d i c i o n a l l o g o m a r c a d e veículos, d e f e n s o r e sustenta
N o p a s s a d o , t e v e o n o m e d e Cruz d a s A l m a s - e m v i r t u d e d a s
d o r d a i d e i a , a i n d a n a década d e 1920, d u r a n t e a revolução d a p r o
cruzes c o l o c a d a s n o l o c a l p o r c a u s a d a m o r t e d e tropeiros p o r l a -
dução e m série. Essa o b r a foi (e a i n d a é) p r o i b i d a e m diversos países
drões, n a m e t a d e d o século XIX, n a continuação d a " E s t r a d a d o Ver-
e os p o u c o s e x e m p l a r e s e m português s o m e n t e p o d e m ser d i g i t a
g u e i r o " . A denominação " c o l ó n i a " fora atribuída n o século XX c o m
lizados o u e n c o n t r a d o s e m livrarias c l a n d e s t i n a s . A Editora Revisão
g r a n d e influência d e imigrantes russos, m o t i v o q u e fez a região ter a
c h e g o u a p u b l i c a r a l g u m a s tiragens, q u a n d o a i n d a e r a l e g a l i z a d a .
igreja cristão-ortodoxa matriz d a c i d a d e . D e s d e q u e iniciei m i n h a
N a Espanha, u m polémico escritor estava e m ascensão. Pio M o a , militância, d e d i q u e i - m e a pesquisar as origens d o s bairros p a u l i s t a -
q u e escrevia sobre os feitos comunistas d a Guerra Civil c o m o sendo nos, d e i x a n d o d e l a d o t o d a questão d o o r g u l h o q u e o paulista t e m
piores d o q u e os franquistas. C o i n c i d e n t e m e n t e , tive acesso a m a t e dos b a n d e i r a n t e s . I n d o mais além, tive acesso a d a d o s q u e e m m u i -
riais d e sua autoria n a época q u e o e x - d i t a d o r c o m p l e t a v a 30 anos d e lo p o d e r i a m ser c o l a b o r a d o s p a r a os cartórios d a s subprefeituras.
m o r t e . Antes d a total perseguição d o g o v e r n o às obras d e C a s t a n , p o Na A l e m a n h a , há u m a f o r t e influência brasileira d e d e s c e n d e n t e s
díamos comprá-las p o r u m preço b e m baixo, p o r catálogo o u p e l a in germânicos q u e c o l o n i z a r a m a d i s t a n t e Santo A m a r o n o início d a
ternet, até m e s m o cópias e n c a d e r n a d a s eles c h e g a r a m a vender. N a história d o país. Hoje a b r i g a u m a d a s maiores favelas e c o m u n i d a d e
m i n h a época d e militância, c o n s e g u i alguns títulos s o m e n t e nos sebos, nordestina. A c a d a c a n t o d a c i d a d e e u i m a g i n a v a nossos a n t e p a s -
por preços elevadíssimos, o u digitalizados e m websites neonazistas. sados aventureiros, i n d o e v i n d o , t r a z e n d o maquinários e g e n t e d o
180
v e l h o c o n t i n e n t e q u e e r g u e u nossa L o c o m o t i v a d e C o n c r e t o , a m e SHARP t i n h a o d i r e i t o d e a b r i r a b o c a , o v e n e n o sionista d o s ANTIFA
• açada p e l a invasão d e "seres inferiores". Esse s e n t i m e n t o se aflora fora v a r r i d o p a r a os b e c o s o b s c u r o s d o centrão.
c n o coração d o s jovens s u p r e m a c i s t a s q u e se dão a o t r a b a l h o d e
J5 pesquisar a o r i g e m d e u m distrito, a v e n i d a o u r u a , e utilizando-se d a
Crime Organizado
O comparação à situação destes lugares nos dias atuais, muitos deles
c a r e n t e s d e administrações c o m p e t e n t e s , m e s m o q u e e m a s p e c t o s Diferente d o q u e a c o n t e c e c o m mais intensidade nos EUA e n o les-
g distintos, r e v o l t a m a q u a l q u e r cidadão q u e a m e a c i d a d e . te e u r o p e u , s o m e n t e u m a p e q u e n a p a r c e l a dos skinheads brasileiros

N o Wikipédia. e n c o n t r e i os seguintes d a d o s : a d e r e m a o c r i m e o r g a n i z a d o . M e s m o q u e assim o façam, a intenção


d e e n r i q u e c i m e n t o próprio p a r a os mais idealistas é t o t a l m e n t e a b o m i -
"(...) Por volta de 1891 José Antônio Coelho comprou a chama n a d a . N o tráfico d e drogas, jogos d e azar, estelionato, aliança à cor-
da "Chácara da Boa Vista", na Vila Mariana, e a loteou, abrindo rupção pública e p r i v a d a e n a negociação d e "proteção", os lucros
ruas que tiveram nomes como "Central". "Garibaldi", "dos Italia- Ião destinados à c o m p r a d e a r m a m e n t o p a r a c o l o c a r a revolução n a
nos" (hoje denominadas, respectivamente. Humberto I. Rio Grande ativa. N o m o m e n t o q u e a l g u m desses indivíduos passa a usar o c r i m e
e Álvaro Alvim) e deu o nome oficial de Vila Clementino, em home p a r a o b e n e f i c i o próprio, e l e a u t o m a t i c a m e n t e e n g a j a n u m processo
nagem ao Dr. Clementino de Souza e Castro". < fe a f a s t a m e n t o d o g r u p o e torna se u m seguidor d o c r i m e e m si, a b a n -

"Em 1928. iniciou-se a construção do Instituto Biológico, concluída d o n a n d o sua militância política. N a Califórinia, u m g r u p o White Power

em 1945. Um de seus principais objetivos à época em que foi construi I < >nhecido sob o slogan d e N u m b e r 1, a l i a d o à g a n g u e d e motociclis-
i' B Warlocks, lideram o tráfico d e a n f e t a m i n a d a América d o Norte. N o
da foi o controle de uma praga que infestava os cafezais (...)."
caso d a a n t i g a URSS, após a desintegração, o g r u p o criminoso Bratva
"A Vila Mariana pode ser considerada uma das regiões mais
(irmandade), g a n h o u e m suas fileiras u m número considerável d e ski-
desenvolvidas da capital paulista, e isso se comprova nos números.
nheads, t a n t o nacionalistas c o m o comunistas.
A renda média da região gira em torno de R$ 3,6 mil mensais, qua-
se o tripio da média municipal, que é cerca de R$ 1.3 mil." N o q u e diz respeito à C y b e r Máfia, m u n d i a l m e n t e l i d e r a d a p e l o
Brasil, a l g u n s h a c k e r s neonazistas m u i t o b e m t r e i n a d o s desviavam
"(...) Na educação, os dados tornam-se ainda mais explícitos. O
dinheiros d e aplicações bancárias v i a internet p a r a c o n t a s n o es-
ensino fundamental foi completado por quase 807o dos moradores,
trangeiro, c o m a intenção d e a c i o n a r a l g u n s c o n t a t o s d o s Bálcãs
e 71.34% dos moradores da região completaram o ensino médio,
e d a República T c h e c a p a r a o f o r n e c i m e n t o d e a r m a s q u e s e r i a m
contra as médias municipais de 49.9%, e 33.68%,. respectivamente.
d e s t i n a d a s a o P a r a g u a i e trazidas p e l a fronteira, c o m o o b j e t i v o
Os a n o s d e estudo por pessoa chegam a 12.30 (a média da cidade
d e a r m a r a l g u m a s milícias d a A r g e n t i n a , Rio G r a n d e d o Sul e Para-
é de 7.67 anos). Por fim. o analfabetismo é reduzido a apenas 1.10%,
ná. Os piratas cibernéticos c h e g a r a m a a g i r e m p e q u e n o s delitos
dos mais de 120 mil moradores, enquanto na cidade. 4.88% da po
virtuais, m a s j a m a i s alcançaram o s o n h o d e a r m a r a Divisão 18. n o
pulação é considerada analfabeta."
máximo c o m p r a m a r m a m e n t o d e t r a f i c a n t e s l o c a i s e militares n a -

A WPSP c h e g o u a m a n d a r fazer u m a b a n d e i r a nazista c o m o u t a s infiltrados nas forças a r m a d a s , q u e a c a b a r a m s e n d o u s a d o s

n o m e d o s três bairros b o r d a d o s e n t r e r a m o s d o u r a d o s . Cansados p a r a a proteção p e s s o a l d o s c o m p r a d o r e s . Eu t i n h a o u v i d o falar

d e e s p a l h a r c a r t a z e s , t r o c a m o s a c o l a e a c a r t o l i n a p e l o s o c o in d e u m g r u p o p a r a m i l i t a r d e Foz d o Iguaçu q u e possuía fuzis HK 47

glês e o c o t u r n o d e b i c o d e aço. Por u m período d e q u a s e u m a n o ( o n t r a b a n d e a d o s e t r e i n a v a g u e r r i l h a n o interior p a r a n a e n s e .

c o n t r o l a m o s a área e nessa " é p o c a g l o r i o s a " n e n h u m RASH o u


Havia u m c a m a r a d a d a B r i g a d a Paulista, Thalles V i a n a d e Barros,
e x t r e m a m e n t e inteligente, t r a b a l h a v a e m u m a c o m p a n h i a d e e m I internet. Desconfie de quem você nunca ouviu falar e de repente
préstimos e j u n t o d e u m empresário c o r r u p t o , c o n h e c i d o p e l o pseu mostra interesse pelo movimento, perguntando sobre a organização
dônimo Ponse Bonfigli, pessoa misteriosa q u e n u n c a c h e g a m o s a c o ou sobre coisas desnecessárias.".
nhecer, a r m o u u m a Pirâmide Financeira. O e s q u e m a dizia q u e iria
Os C a r e c a s d o Brasil q u e s e r v i a m o e s t a d o c o m o policiais m i l i t a -
r e m u n e r a r clientes mais antigos d a c o m p a n h i a c o m dinheiro d e n o
res, n o Rio d e J a n e i r o , a b a n d o n a r a m a corporação p a r a u n i r e m - s e
vos investidores, porém j a m a i s fizeram. Esses dois c o l a b o r a d o r e s res
às milícias, a t u a n d o nos morros: Babilónia e Providência. C o n h e c i
p o n d i a m por estelionato, m a s a i n d a assim a j u d a r a m e m termos finan
u m e x - m i l i c i a n o q u e a n d a v a c o m skins integralistas d a z o n a n o r t e
ceiros n a divulgação dos álbuns d e a l g u m a s b a n d a s e n o sustento
d e São Paulo. Após ter e s c a p a d o d e três a t e n t a d o s d e t r a f i c a n t e s
d e alguns skinheads q u e h a v i a m c u m p r i d o p e n a e não c o n s e g u i a m
d o C o m a n d o V e r m e l h o , t e v e q u e se m u d a r p a r a a c a s a d o p r i m o
e m p r e g o . Q u a n d o C e b o l a , skin d o A.B.C., u m dos mais antigos d o
n o Tucuruvi. M o s t r o u - m e c i c a t r i z e s n a região l o m b a r p r o v o c a d a s
m o v i m e n t o , esteve n a c a d e i a , eles o f o r n e c i a m dinheiro e c i g a r r o .
por tiros e u m a q u e i m a d u r a q u e e n c o b r i a as costas, c a u s a d a p e l a
O c o m b a t e u r b a n o p a r e c e não ser a p e n a s fenómeno i s o l a d o explosão d e u m a g r a n a d a p e r t o d a f a v e l a d a R o c i n h a .
Seja p o r questões políticas o u criminais, elas o c o r r e m d i a r i a m e n t e e
L e v a n t a n d o d a d o s sobre as milícias, c o m p r e e n d i o a n s e i o d e a l -
v i e r a m se intensificar d u r a n t e os a t a q u e s d a facção P C C , e m 2006.
guns nacionalistas e m a d e r i r e m às suas fileiras. Elas são c o m o u m a
Em q u a s e três dias d e g u e r r a , f o r a m c o n t a b i l i z a d o s 280 a t a q u e s , 46
f o r m a d e segurança a l t e r n a t i v a . O f e r e c e m às c o m u n i d a d e s a o p o r -
assassinatos, 78 feridos, 82 ônibus i n c e n d i a d o s , além d e bases d a PM
t u n i d a d e d e se livrar d a dominação d a s facções d o tráfico. Esse f e -
e agências bancárias destruídas. A l g u n s b o a t o s d i z e m q u e a l g u n s
nómeno não é exclusivo d o Brasil. Nos EUA é c o m u m a existência d e
punks l i g a d o s a o tráfico t o m a r a m p a r t e n o c o n f l i t o . A o l a d o d o s "sol
grupos extremistas q u e f o r m a m milícias estatais. A q u i os jovens filhos
d a d o s " d o "Paz, Justiça e L i b e r d a d e " , c h e g u e i a ouvir relatos, m a s
d e operários q u e r e s i d e m nas c o m u n i d a d e s c a r e n t e s e n c o n t r a m
não há n a d a q u e c o m p r o v e o e n v o l v i m e n t o d e g a n g u e s políticas.
nessas organizações a salvação d e u m a "intervenção m a n i p u l a -
No m e s m o a n o investimos p e s a d o e m u m a c a m p a n h a c o n t r a o
d a " d o sistema n a questão d a segurança. Todo p o l i c i a l d e s c o n t e n t e
d e s a r m a m e n t o d u r a n t e o plebiscito, e n t r e g a n d o p a n f l e t o s " V o t e 1.
c o m o salário e a situação d a corporação, m e s m o não s e g u i n d o o
V o t e Não!". E, q u a s e q u e s e m p r e só, c o n f r o n t e i os professores q u e se
n a c i o n a l i s m o d a m a n e i r a d o s cabeças r a s p a d a s , n o f u n d o a p o i a
o p u n h a m à i d e i a d o s civis se a r m a r e m . Era importantíssimo termos o
a ação d a s g u a r d a s p o p u l a r e s , e s t a n d o cientes d e q u e o r g a n i z a -
direito d e nos d e f e n d e r , já q u e não confiávamos nas e n t i d a d e s d o
ções paramilitares são p r o i b i d a s p o r lei. Esses g r u p o s c o b r a m p e l a
Estado. Havíamos e d i t a d o u m m a n u a l c o m instruções sobre c o m o
segurança, m a r c a m símbolos d e trevos d e q u a t r o folhas, pinheiros,
se d e f e n d e r c a s o fossemos d e t i d o s . C o n t i n h a a s e g u i n t e informa-
e q u a n d o há c a r e c a s n o batalhão c h e g a ter a b a n d e i r a n a c i o n a l
ção: "Qualquer informação é uma arma em potencial na mão do
c o m o símbolo d a organização. D e 92 favelas, c e r c a d e 18% d e l a s
inimigo. Lembre-se dos cinco palavras: Não tenho nada a declarar!
se e n c o n t r a m d o m i n a d a s p o r milícias u r b a n a s ilegais, c o o r d e n a d a s
Comunicação é algo essencial, mas mantenha suas atividades em
por a g e n t e s d e segurança pública, políticos e líderes comunitários.
segredo, sabendo identificar aqueles dignos de sua confiança. Até
São d a d o s q u e a n i m a m q u a l q u e r j o v e m inserido nesse m e i o q u e so-
as menores coisas farão diferença. Nunca deixe nenhum registro de
n h a e m t o m a r o p o d e r d a s mãos d o s "políticos traidores c o r r u p t o s " .
suas atividades. Tenha em mente que repetir as atividades na mes-
ma área irá deslocar a atenção possivelmente a você. (...) Vamos
parar com os encontros públicos (isso inclui marchas e passeatas),
Entidades Políticas
utilizemos os meios de comunicação a nosso favor, principalmente

"Não queremos mentir ou enganar. É por isso que nunca quis


apresentar-me ante nossa gente para fazer promessas baratas". os NS de estarem afastados socialmente. Assim mesmo era uma

A d o l f Hitler, e m u m discurso d e 1934 vantagem a segurança de emprego. Na época franquista era fácil
ter emprego e difícil perdê-lo. o que era uma vantagem atrever-se
Acreditávamos ser os novos legionários romanos q u e iriam difundir a dar a cara a bater para os jovens do que agora (...) Apesar disso,
cultura o c i d e n t a l n u m m u n d o e m total desespero. Não m e considerava hovia alguns problemas muito mais graves: no franquismo tudo es-
u m civil, mas u m s o l d a d o a i n d a mais i m p o r t a n t e d o q u e os militares far- lava proibido. Hoje. nós podemos ao menos rir das leis antinazistas
d a d o s , p a u m a n d a d o s d o sistema. C o m m i n h a b a n c a d e amigos pensei atuais, mas naquela época discordar te levaria à prisão. A censura
estar m a r c h a n d o junto dos infantes d a Wehrmacht. assim c o m o fizeram era total e qualquer ato público era um convite a comparecer na
na frente russa. Faríamos e m nossa c i d a d e , p e l a pátria e saúde d e nosso delegacia. Vivíamos cercados, ou seja. podiam nos proibir quan-
p o v o c o n t r a as hordas opressoras d o liberalismo burguês. do quisessem, sem dar explicações (...). Outra dificuldade eram os
meios de comunicação. Não havia internet. Editar algo era caro
Não existia r e g r a p a r a c i m a d e nós, não devíamos explicação
e difícil. Não havia a informática caseira para editar textos... nem
a ninguém e queríamos gritar p a r a t o d o o m u n d o : sim, nós somos
veículos de comunicação que se atreviam a editá-los. Toda infor-
nazistas! E daí? Estamos orgulhosos d e pensar assim... O q u e a s o c i e -
mação era na base da palavra. Quase não tinham livros nossos.
d a d e c o n d e n a s s e , faríamos d e estilo d e v i d a . As b e b e d e i r a s diárias
Tínhamos que fazer de tudo: editar, traduzir... Não posso dizer se era
pelos b o t e c o s d a c i d a d e , s e m p r e a t e r r o r i z a n d o t o d o s q u e pensas-
mais fácil ou mais difícil, eram tempos distintos.
sem d i f e r e n t e . Os olhos roxos e a c a r a i n c h a d a d a s brigas t r a z i a m o
t e m o r d o s d e m a i s c o l e g a s n a e s c o l a , e isso e r a m a r a v i l h o s o . Cobrir -Como o senhor definiria o perfil de um Nacional-Socialista?
o c o r p o c o m t a t t o o s agressivas e ter n a p o n t a d a língua u m a i d e o l o -
- O NS tem a fama que merece, me perdoe... As revistas (fanzi-
g i a , q u a l q u e r q u e fosse e l a , fazia c o m q u e percebêssemos a i m p o r -
nes) de jovens nazistas estão muito cheias de violência, de desenhos
tância d e p e r t e n c e r a u m g r u p o . Isso é u m a questão d e i d e n t i d a d e .
agressivos, caveiras, armas, forcas, frases de ódio. brigas... No anti-
Desde o m o m e n t o e m q u e é e n q u a d r a d o na rua por u m inimigo o u
go grupo nacionalista que eu dirigia, falávamos do positivo. íamos
s o c o r r i d o e m u m a b r i g a p o r u m irmão d e ideias.
à montanha, ouvíamos concertos, líamos poesia e escutávamos
N u m a p a s s a g e m d o livro "Diário de um Skinhead". escrito p e l o re- Beethoven... O Nacional-Socialismo era algo pacífico e romântico,
pórter d e pseudónimo Antônio Sallas, q u e se infiltrou nas g a n g u e s q u e lamais nos ocorrera apresentar algo com ódio e violência gratuita.
a p o i a v a m as torcidas organizadas racistas d a Espanha, ele d e s t a c a Era impensável isso de agredir algum mouro (imigrantes árabes vin-
duas perguntas p a r a R a m o n B., político d e Barcelona representante d a dos do Marrocos) ou homossexual. O futebol jamais nos interessou
extrema-direita mais a t i v a d o país: - Sr. Ramon, em que mudou o nacio- ( o r n o forma de odiar as outras equipes ou exibir torcidas organiza-
nal-socialismo desde que o senhor teve o primeiro contato até hoje? das. O verdadeiro NS é um homem do povo. alguém que vive com
seu povo. sem seilas nem bandas urbanas. Sua ética é a mesma de
- O NS nos anos sessenta e oitenta tinha algumas facilidades
nossa raça. como sempre fora. ser honrado e ser responsável, ser
frente aos dias de hoje. Mas também muito mais complicações,
d e c e n t e . Nada mais. Não tem nada especial. O que faz de espe-
facilidades. A opinião das pessoas era muito melhor. Não odiavam
< ial nosso estilo é que as pessoas já não mais o tem. que foi perdido
como hoje os nazistas e as pessoas possuíam princípios éticos de
pe/a influência sionista. Mas não é nada mais do que ser uma boa
uma forma muito mais generalizada (o que não significa que sem-
pessoa. Pareceu-me supérfluo isso dos manuais de ética NS...
pre tenham sido miseráveis, pobres, e sim pessoas de bem. Respei-
tavam mais os valores familiares, eram mais próximos ao nosso es-
R a m o n B se t o r n o u u m a espécie d e e x e m p l o p a r a os skins d e
tilo). Estas duas questões foram as mais importantes, pois evitavam
187
t o d a a América Hispânica, c o n s i d e r o u os cabeças r a s p a d a s "(...) o f a m o s o c a s o d o t r e m d e M o g i d a s Cruzes, q u a n d o os jovens C l e i t o n
Os únicos capazes d e e s t a r e m n a luta na rua hoje e m dia". Ele está d a Silva Leite, d e 20 a n o s e Flávio A u g u s t o N a s c i m e n t o C o r d e i r o , d e a.
CO
n a c e n a n e o f a s c i s t a d a E u r o p a d e s d e a década d e 60, c r i o u o g r u - 16 a n o s n a época, f o r a m a t i r a d o s d o t r e m e m m o v i m e n t o c a u s a n d o I •
p o f u n d a d o n o leste alemão CEDADE (Círculo E s p a n h o l d e A m i g o s a morte por traumatismo c r a n i a n o d e Cleiton e o a m p u t a m e n t o d o <
d a Europa) após a redemocratização e s p a n h o l a p a r a j o v e n s n a - braço d e Flávio. Esta sequência d e c r i m e s bárbaros c o m e t i d o s pelos ^2
zistas q u e não se e n q u a d r a v a m n o g a n g u i s m o e n a c r i m i n a l i d a d e skinheads c h e g o u a ter repercussão i n t e r n a c i o n a l , e n t r e 2000-2003.
d a s ruas. O g r u p o c h e g o u a ter 3.500 m e m b r o s e m fins d a década Pela filiação d a q u e l e s indivíduos c o m a l g u n s p a r t i d o s q u e l u t a v a m
d e 80. C o m os p r o b l e m a s d a URSS, sua s e d e f o i t r a n s f e r i d a para p o r u m r e c o n h e c i m e n t o , as ações d e seus i d e a l i z a d o r e s ficaram
B a r c e l o n a . Em S a l a m a n c a e l e p u b l i c a r a : "Estamos abertos para q u e i m a d a s d i a n t e d a s o c i e d a d e e d a divulgação sensacionalista
skinheads que não pensam e nem atuam como os outros". Na rea- d a i m p r e n s a e m generalizar o m o v i m e n t o d e v i d o a t i t u d e s isoladas
l i d a d e , s a b e - s e q u e são j u s t a m e n t e os r e b e l d e s s e m c a u s a d o Front d e sujeitos q u e a g e m d e u m a f o r m a i n d e p e n d e n t e , não q u e r e n d o
88, p o r e x e m p l o , q u e t r a z e m a i m a g e m n e g a t i v a p a r a o m o v i m e n - dizer q u e estão e m c o m u m a c o r d o c o m t o d a organização.
to NS, nos d e m a i s países não p o d e r i a ser d i f e r e n t e . R a m o n s a b i a ser
N o Brasil, h o j e , e x i s t e m a l g u n s p a r t i d o s q u e s i m p a t i z a m c o m o
q u a s e impossível os cabeças r a s p a d a s d e t e r e m d o p o d e r a l g u m
integralismo, porém a n o v a lei e l e i t o r a l , q u e foi c r i a d a d u r a n t e as
d i a . Ele e r a m a d u r o , c u l t o e p o l i t i z a d o o b a s t a n t e p a r a ver a reali-
eleições d e 2006, e x i g i a u m a aprovação d e 5% d e votos p a r a l e -
d a d e . Diria q u e n e m m e s m o q u e r i a q u e isso ocorresse. Para e l e e r a
var o p a r t i d o à Câmara d o s D e p u t a d o s , o q u e fica s e n d o quase
i m p o r t a n t e a q u a l i d a d e , não a q u a n t i d a d e d e h o m e n s e m suas
inviável p o r q u e dois p a r t i d o s já existentes, o t r a d i c i o n a l PRONA e
fileiras. Era o típico nazista já d e c a b e l o s grisalhos q u e r e n e g a v a
o P a r t i d o N a c i o n a l i s t a Democrático (PND), f u n d a d o p o r e x - m i l i t a -
q u a l q u e r a t i v i d a d e física, visitava exposições d e a r t e e u s a v a t e r n o .
res, não a c e i t a r i a m f u n d i r e m - s e c o m a Frente Integralista Brasileira
Para os s o l d a d o s d a i n f a n t a r i a skin, esses h o m e n s q u e se u t i l i z a v a m
(FIB), d e i x a n d o os c a m i s a s - v e r d e s s o m e n t e n o p r o j e t o .
d a política não d a v a m resultados, o m e s m o p e n s a v a d e l e s os p o l i
ticos, u t i l i z a n d o o a r g u m e n t o , " D e q u e vale espancar um negro ou C a d a vez m a i s d i f a m a d o s , os a d e p t o s d a e x t r e m a - d i r e i t a t i v e -
depredar uma sinagoga? Além de implicar na imagem do partido, r a m q u e se c o n t e n t a r c o m os p a r t i d o s l e g a l i z a d o s , m e s m o discor-
perdemos bons camaradas que vão para a prisão por infantis atos d a n d o e m g r a n d e p a r t e d a s suas i d e o l o g i a s .
de vandalismo." O a n t i g o CEDADE h o j e é u m p a r t i d o l e g a l i z a d o n a
E s p a n h a , c h a m a d o D e m o c r a c i a N a c i o n a l e t e m n o m e s c o m o os
Stop Red Action
d e P e d r o V a r e l a n a a l a m a i s a n t i g a , d o s militares saudosistas d a Fa
l a n g e e M a n u e l C a n d u e l a c o m o líder juvenil. C a n d u e l a p e r t e n c i a
Ansiosos, aguardávamos a o r d e m d a saída. Já c o m o c a n e c o cheio,
à b a n d a División 250. D e i x o u t o d o o visual s k i n h e a d e e n g a j o u - s e
improvisamos n u m a sala e m construção d o último a n d a r d a escola u m
n a política, p r i n c i p a l m e n t e c o n t r a a imigração. O D N e s t a b e l e c e
galpão p a r a o bate-cabeça. Estava e u e Sander c o m u m t o c a C D por-
relações c o m g r u p o s d a Ibero-América, i n c l u i n d o organizações in
tátil e a o som d o Stop Red Action. d o Arresting Officers. ficamos nos d e -
d e p e n d e n t e s d o Brasil, q u e prefiro não citar, m a s q u e ficou visível
I x i t e n d o e e s t e n d e n d o a mão direita: "Sieg He/7", "Sieg He/7".
n a mídia c o m a apreensão d o p r o j e t o N e u l a n d , e m 2009.
- Nossa, mano! A gente é retardado, né? - i n d a g o u o c a m a r a -
Afirmo q u e o m e s m o o c o r r e u c o m Anésio d e Lara e seus s e g u i d o d a a o s risos.
res c a r e c a s . T o d o o s o n h o d e reviver o integralismo c o m o p a r t i d o le
Toda a a l e g r i a d a s e x t a - f e i r a se m i s t u r a v a c o m a c e r t e z a d e
g a l i z a d o foi p a r a o b u e i r o d e p o i s d o s a t e n t a d o s a o s homossexuais e
188
q u e e m a l g u n s m i n u t o s estaríamos c o m a g a l e r a e m a l g u m b o t e c o u m c a r a q u e e u n e m c o n h e c i . M a s e l e e r a u m irmão d e ideias e isso
SS d o c e n t r o e n c h e n d o a c a r a e p r o c u r a n d o b r i g a s até o a n o i t e c e r , e já b a s t a v a p a r a e n t r e g a r m i n h a v i d a l u t a n d o , se necessário. T a m -
o
c s e m a c e r t e z a d e q u e retornaríamos a i n d a n a q u e l e d i a . A n o i t a d a bém f i c a v a c o m u m pé atrás d e ter Sander c o m i g o . Ele c h e g a v a a

J5 p o d i a se e s t e n d e r até a m a d r u g a d a d o sábado, ser insano e m suas a t i t u d e s . Víamos n e l e a audácia, u m a c o r a g e m


n indómita q u e h o j e j u l g o ser estupidez. Diversas vezes e l e c o l o c o u a
y - A e Lobo, e u fô ligado que lá na quebrada onde eu moro tem uns c a r a a t a p a e m confusões alheias q u e não c o n d i z i a m c o m sua pes-
"O RASH q u e tão dando role com os anarcopunks. Quando eu era punk soa, e n g a j a v a e m " t r e t a s " c o m as d e m a i s g a n g u e s , s e m p r e sozinho.
u c o n h e c i o Silvano, hoje líder das Brigadas Internacionais ANTIFA de SP. Mas o q u e é c o n s i d e r a d o b r a v u r a p a r a os s k i n h e a d s , p a r a os q u e

- Esse maluco ai dá rolé na sua quebrada? p o s s u e m princípios e coração h u m a n o , não passa d e p u r a c o v a r d i a


e a b u s o d o mais f o r t e e m relação a o indefeso. L e m b r o - m e d o d i a
- Não. eles costumam colar no Hangar ou nos botecos da Au-
e m q u e ele m e contou c o m u m t r e m e n d o orgulho q u a n d o agrediu
gusta, caçando os Carecas. Às vezes colam nuns bares de Blues, tá
u m universitário m a g r e l o d e óculos. Disse-me q u e p r e c i s a v a d e u m a
ligado, o cara é das antigas.
g r a n a e foi d e c a r r o c o m o u t r o cabeça r a s p a d a à saída d a USP,

A g e n t e já h a v i a f a l a d o m u i t o d o s Rash. D e 2003 p r a cá. d e s d e avistou o p r i m e i r o a l u n o c o m a c a m i s a d o C h e G u e v a r a e só p o r isso

q u e se u n i r a m c o m os Devastação e u m a e m e r g e n t e b a n c a c h a - já o j u l g o u c o m u n i s t a . A b o r d o u o i n d e f e s o e s t u d a n t e próximo a o

m a d a Explosão Punk. q u e t i n h a c a r e c a s c o m u n i s t a s e m suas fileiras, p o n t o d e ônibus e m frente à C i d a d e Universitária o r d e n a n d o q u e

a t e r r o r i z a v a m t o d o WP q u e fosse à G a l e r i a , isso m e s m o e m t e m p o s entregasse a c a r t e i r a . V e n d o q u e n e l a não t i n h a d i n h e i r o a l g u m ,

d e p a z . d e s r e s p e i t a n d o o a c o r d o d e não agressão a u m m e m b r o g o l p e o u - o n a c a r a c h e g a n d o a q u e b r a r seus óculos, d e p o i s p u l o u

q u a n d o este se e n c o n t r a v a sozinho. Meses antes u m c a m a r a d a d a d e v o l t a p a r a o automóvel, q u e saiu c a n t a n d o p n e u .

Blood a n d H o n o u r t i n h a sido l e v a d o e m e s t a d o g r a v e p a r a a Santa


Eu sempre c o n d e n e i esse tipo d e a t i t u d e . Eram justamente pessoas
C a s a d e p o i s d e ser e s p a n c a d o c o v a r d e m e n t e p o r c e r c a d e vinte
assim q u e q u e r i a evitar n a m i n h a organização. Eles só sujavam o m o -
Rashs e mais u m a m o n t o a d o d e c a r e c a s q u e os a p o i a r a m n a luta
vimento. Graças a esses imbecis, o Nacional-Socialismo é banido d a
c o n t r a - os n e o n a z i s t a s . Disseram q u e d e r a m c o t u r n a d a s n o sujeito
d e m o c r a c i a vigente. Mas Sander disse estar a r r e p e n d i d o d e suas ati-
até d e s m a i a r e . m e s m o d e s a c o r d a d o , c o n t i n u a r a m c o m as a g r e s
tudes, e m b o r a agisse feito u m p r i m a t a sem n e m sequer saber a o c e r t o
soes. Para finalizar, j o g a r a m u m v a s o sanitário n o p o b r e d i a b o q u e
o q u e d e f e n d i a . D e uns t e m p o s pra cá ele havia m u d a d o d e c o m p o r -
e s c a p o u d a l i c o m v i d a p o r u m m i l a g r e . C h e g a a ser c o n t r o v e r s o ,
t a m e n t o e a p r i m o r a d o sua cultura f r e q u e n t a n d o as palestras e l e n d o
pois u m d o s princípios básicos d a RASH U n i t e d é o não-sectarismo,
t o d o o tipo d e material q u e fornecíamos. Sabia q u e haveria p a n c a -
e e l e d e i x a d e existir c o m a a t i t u d e d e muitos d e seus s e g u i d o r e s .
daria n a q u e l a noite, m a s talvez fosse a última vez q u e frequentaria tais
Passam p o r c i m a d e t o d o o discurso "libertário" q u e t a n t o d e f e n
programas. C o m o ativista político e u d e v i a m e utilizar d a d e m o c r a c i a
d e m d o m o m e n t o q u e i n v a d e m a p r i v a c i d a d e d o próximo.
p a r a conseguir atingir nossos interesses. Havia então u m a divisão n o
N a q u e l e d i a a g e n t e ia se e n c o n t r a r c o m a B&H e mais a l g u n s ski m o v i m e n t o NS. aqueles q u e preferiam se utilizar d a s a r m a s e os q u e
n h e a d s simpatizantes q u e s e g u i a m s e m b a n c a s . A missão dessa v e / s o n h a v a m tornar nossa luta l e g a l , real e p o l i t i c a m e n t e c o r r e t a .
ia ser caçar os RASH, d e v i d o à prévia d o assunto p o r Sander. Confes
D e s l i g a m o s o s o m após o sinal t o c a r e , d e m o c h i l a s n a s c o s -
so ter m e a m e d r o n t a d o d e início c o m a i d e i a d e p e r s e g u i r a q u e l e
tas, nos e n c o n t r a m o s c o m d o i s c o m p a n h e i r o s q u e e s p e r a v a m n a
g r u p o q u e t i n h a relações diretas c o m o P C C e indivíduos perigosís
saída d o colégio. Mais a d i a n t e c h e g a r a m os outros. Esperávamos
simos, i n c l u i n d o líderes ex-presidiários. A i n d a mais e m vingança d e
e m f r e n t e a u m a b a r r a q u i n h a d e c a c h o r r o - q u e n t e q u e foi nosso
almoço. D i v i d i m o s - n o s e m g r u p o s d e três. i n t e r c a l a d o s nas fileiras Avistamos Silvano e seus c a r e c a s b o l c h e v i q u e s e m frente a u m

p a r a l e l a s q u e c r u z a v a m a Rua Libero Badaró. Até m e s m o a l g u m a s bilhar. P a r e c i a até q u e a b r i g a e s t a v a m a r c a d a . Wessel, u m B&H ti-

skingirls e s t a v a m n o m e i o . C a d a a g r u p a m e n t o d i s c u t i a u m assunto: rou d e b a i x o d a blusa u m revólver e d i s p a r o u a c e r t a n d o a c o x a d e

"Qual era o nome daquela música muito louca de uma banda em u m ANTIFA, este c a i u a o chão e começou a exalar a d o r e n q u a n t o

questão", "Onde se encontravam broches para venda", "Aquele o restante d o b a n d o c o r r i a e m nossa direção c o m t a c o s d e bilhar,
lançando g a r r a f a s e as p e s a d a s b o l a s e m nossas cabeças. Os dis-
judeu filho da puta do colégio que me fodeu pro diretor"... Beben-
paros c o n t i n u a r a m q u e b r a n d o os vidros dos carros e s t a c i o n a d o s n a
d o p e l a calçada e a t i r a n d o as latas d e c e r v e j a v i a d u t o a b a i x o ,
calçada e p e r f u r a n d o as p a r e d e s d a estreita r u a . Ninguém m o r r e