Você está na página 1de 3

AÇÕES DE GRAÇAS – Salmo 105:1-6.

1 Rendei graças ao SENHOR, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus
feitos. 2 Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas. 3 Gloriai-vos no seu
santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o SENHOR. 4 Buscai o SENHOR e o seu
poder; buscai perpetuamente a sua presença. 5 Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus
prodígios e dos juízos de seus lábios, 6 vós, descendentes de Abraão, seu servo, vós, filhos de
Jacó, seus escolhidos

INTRODUÇÃO

Queridos, todo ano nós fazemos pelo menos um culto de ações de graças pelo ano que
passou. ESTE SALMO É UM SALMO DE AÇÕES DE GRAÇAS. Não há nenhuma
dúvida de que o salmista, considerando as muitas tribulações durante o tempo do exílio
em Babilônia, está conclamando o povo de Israel a agradecer a Deus, LEMBRANDO-
LHES QUANTAS MARAVILHAS DEUS OPEROU NO MEIO DELES DESDE OS DIAS
DE ABRAÃO.

Observemos o chamamento IMPERATIVO do salmista nos quatro primeiros versos


– “Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus
feitos. Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas. Gloriai-vos no seu
santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o Senhor. Buscai o Senhor e o seu poder;
buscai perpetuamente a sua presença”. TODAS ESSAS ATITUDES DEVERIAM
EVIDENCIAR A SUA GRATIDÃO PELO QUE DEUS FEZ POR ELES.

POR ISSO, A PARTIR DO v. 5 – “Lembrai-vos das maravilhas que fez…”, o salmista,


então, passa a discorrer ao longo do salmo, sobre como Deus foi maravilhoso para com o Seu
povo. É VERDADE QUE ELES ENFRENTARAM TRIBULAÇÕES TERRÍVEIS, MAS
HAVIA MUITO MAIS BÊNÇÃOS PARA LEMBRAR, MOTIVO DE LOUVOR E
ADORAÇÃO A DEUS.

NÓS TAMBÉM, IRMÃOS! NÓS TAMBÉM! Quando fazemos um balanço, lembramos


dificuldades das mais diversas que se foram, dificuldades pelas quais passamos, e
passamos por elas pela GRAÇA DE DEUS. POR ISSO, SEM NENHUMA DÚVIDA,
TEMOS MUITO MAIS BÊNÇÃOS, BÊNÇÃOS MUITO MAIS VALIOSAS A
LEMBRAR DO QUE AS DIFICULDADES.

Estas sim, são maravilhas que Deus fez por nós, capazes de superar as tribulações, e assim
como o salmista conclamava o povo de Israel a lembrar as maravilhas que Deus fez por eles,
através do mesmo salmo, nós também somos chamados a observar algumas atitudes,
pelos ensinamentos nele contidos:

EM PRIMEIRO LUGAR, nós vemos que o salmista chama o povo à adoração, apelando
para a sua memória, v. 5 – “Lembrai-vos das maravilhas que fez…”. Só que, conforme
temos ensinado insistentemente, o verbo LEMBRAR, por conceito, pressupõe
conhecimento prévio; NINGUÉM PODE LEMBRAR AQUILO QUE NÃO SABE, E
NÃO SABE PORQUE NÃO VIU, NÃO OUVIU, NÃO LEU, NÃO VIVENCIOU. DAÍ,
A NOSSA PRIORIDADE NO ENSINO DA PALAVRA DE DEUS, PARA QUE TODOS
OS IRMÃOS TENHAM CONSCIÊNCIA DE COMO DEUS TEM OPERADO EM
SUAS VIDAS, PARA, A PARTIR DAÍ, OPERAR ATRAVÉS DE SUAS VIDAS. ISSO
É FUNDAMENTAL!
PORTANTO, PARA LEMBRAR DAS MARAVILHAS QUE DEUS FEZ EM NOSSAS
VIDAS, ANTES, NÓS TEMOS QUE CONHECER A PALAVRA DE DEUS, PARA
SABER COMO ELE AGE EM NÓS, E ATRAVÉS DE NÓS. Precisamos saber que não
são apenas as coisas que consideramos boas para nós que são obras de DEUS nas nossas
vidas. O povo de Israel sabia que as assolações que lhe sobrevieram em períodos anteriores
foram obras de DEUS, JUÍZO DE DEUS.

DE IGUAL MODO, NÓS SÓ PODEMOS LEMBRAR AS MARAVILHAS QUE DEUS


FEZ, QUANDO CONHECEMOS A SUA VONTADE. Só assim nós sabemos que tudo que
nos acontece, INCLUSIVE ALGUMAS TRIBULAÇÕES DE QUE NÃO GOSTAMOS,
VEM DE DEUS. É assim que ELE trabalha para aperfeiçoar o nosso caráter, segundo a
imagem de JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR.

EM SEGUNDO LUGAR, vemos no chamamento do salmista, que quando lembramos as


maravilhas que Deus fez, como evidência da nossa gratidão, devemos “INVOCAR O SEU
NOME” como lemos no v. 1; quando lembramos as maravilhas que Deus fez, como evidência
da nossa gratidão, devemos “CANTAR-LHE SALMOS” como lemos no v. 2; quando
lembramos as maravilhas que Deus fez, como evidência da nossa gratidão, devemos
“GLORIAR-NOS NO SEU SANTO NOME” como lemos no v. 3.

Estas são injunções do salmista para que o povo de Israel louve e adore ao Senhor “por
todas as suas maravilhas”, conforme ele passa a enumerar no restante do Salmo, E ISSO
ERA FEITO NO TEMPLO, COMO FORMA DE EDIFICAÇÃO CORPORATIVA DA
NAÇÃO DE ISRAEL, POVO ESCOLHIDO POR DEUS. SE O SALMO 100 ERA
CANTADO A CAMINHO DO TEMPLO, ESTE SALMO É UM CHAMAMENTO À
ADORAÇÃO NO TEMPLO. Como sabemos, no Velho Testamento, o templo era o local
determinado por Deus para a adoração. No Novo Testamento, como Jesus ensina à
mulher samaritana em João 4, os salvos devem adorar a Deus, independentemente de
lugar, em espírito e em verdade, por todas as maravilhas que Deus fez nas suas vidas, a
começar pela salvação. Como Deus é bom!

EM TERCEIRO LUGAR, vemos no chamamento do salmista, que quando lembramos as


maravilhas que Deus fez, quando conhecemos verdadeiramente o nosso Deus,
devemos buscar o Senhor e o seu poder; devemos buscar perpetuamente a sua presença,
como está escrito no v. 4.

O povo de Israel sabia que todas as maravilhas que o salmista passa a narrar foram
realizadas pelo Senhor, na força do seu poder. Por isso, era fundamental que eles
buscassem SEMPRE A PRESENÇA DO DEUS TODO-PODEROSO. E é exatamente
assim que nós também devemos agir, fortalecidos no Senhor e na força do SEU poder,
rogando a sua graça para que continuemos a seu serviço, enquanto ELE nos permitir.

POR ÚLTIMO, há ainda mais uma atitude que devemos observar, conforme lemos logo no
v. 1 – “Fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos”.

Queridos, quem tem uma verdadeira experiência com Deus não pode mantê-la em sigilo.
O salmista lembra ao povo de Israel como Deus se revelou a eles de maneira real,
conduzindo-os durante toda a sua história, numa demonstração inequívoca do SEU poder e
do grande amor pelo povo que ELE mesmo escolheu. Portanto, era imperativo não apenas
LEMBRAR, mas também TESTEMUNHAR, de sorte que os grandes feitos de Deus no
meio do Seu povo ficassem conhecidos de todas as ações.
De igual modo, como o povo de Israel serviu de testemunho às outras nações, nós também
passamos por momentos difíceis, mas hoje estamos aqui reunidos como Igreja de Cristo,
num culto de ações de graça por mais um ano de FUNDAÇÃO de nossa igreja que Deus
nos concedeu, cheio da Sua graça, capaz de superar as tribulações. CONTA AS
BÊNÇÃOS! Assim diz o hino que cantamos: “Conta as bênçãos, dize quantas são, recebidas
da divina mão! vem dizê-las, todas de uma vez, e verás surpreso quanto Deus já fez”.

IRMÃOS QUERIDOS, NÃO FOI SÓ ISRAEL QUE ATRAVESSOU O MAR E O


DESERTO PELO PODER DE DEUS, E CONTOU AS BÊNÇÃOS RECEBIDAS. NÓS
TAMBÉM, MESMO QUE DE FORMA METAFÓRICA, TEMOS MARES E
DESERTOS A ATRAVESSAR AO LONGO DAS NOSSAS VIDAS, E SÓ
CONSEGUIMOS VENCER AS BATALHAS NO PODER DE DEUS. POR ISSO,
PRECISAMOS TESTEMUNHAR.

PARA FINALIZAR A NOSSA MENSAGEM, ASSIM COMO ISRAEL, NÓS


DEVEMOS LEMBRAR COMO O SENHOR CUIDA DE NÓS, OS SEUS FILHOS,
DANDO-NOS PROTEÇÃO, LIVRAMENTO E ORIENTAÇÃO, PRINCIPALMENTE
NOS MOMENTOS DIFÍCEIS; NÓS DEVEMOS LEMBRAR QUE É O SENHOR
QUEM NOS DÁ E PRESERVA AS NOSSAS VIDAS; É ELE QUEM PROVÊ O
NOSSO SUSTENTO DE ACORDO COM AS NOSSAS NECESSIDADES, E NÃO DE
ACORDO COM AS NOSSAS VONTADES; EM ESPECIAL, NÓS DEVEMOS
LEMBRAR QUE O SENHOR NOS AMOU DE TAL MANEIRA, QUE DESCEU À
TERRA, FEZ-SE COMO UM DE NÓS, MORREU PELOS NOSSOS PECADOS,
PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRÊ NÃO PEREÇA, MAS TENHA A VIDA
ETERNA. ALELUIA!

Por isso, queridos, neste momento em que contamos mais um ano, quando lembramos as
maravilhas que o Senhor fez por nós, não podemos deixar de “RENDER GRAÇAS AO
SENHOR, INVOCAR O SEU NOME E FAZER CONHECIDOS, ENTRE OS POVOS, OS
SEUS FEITOS, CANTAR-LHE SALMOS E NARRAR TODAS AS SUAS
MARAVILHAS”.

Esta é a mensagem de Deus para a sua Igreja aqui reunida, para Lhe oferecer este culto
de ações de graça.

QUE ELE MESMO A APLIQUE AOS NOSSOS CORAÇÕES. AMÉM.