Você está na página 1de 410

RENEGADE

COPYRIGHT BY FCA FIAT CHRYSLER AUTOMÓVEIS BRASIL LTDA. - PRINTED IN BRAZIL


As informações contidas neste manual correspondem às características do veículo na data de sua publicação. A fabricante, porém, poderá alterar
as características do veículo, em razão de modificações de natureza técnica ou comercial, sem prejudicar as características básicas e essenciais
Jeep ®

do produto. Este manual apresenta informações sobre diferentes versões do automóvel. Confira as características específicas do veículo que você
adquiriu. Este manual disponibiliza as informações necessárias para garantir a boa e segura utilização do seu veículo. Eventuais dúvidas poderão
ser esclarecidas junto à Rede de Concessionárias (Chrysler, Dodge, Jeep ou RAM) e ou pela Central de Relacionamento (Chrysler, Dodge, Jeep

R e n egade
ou RAM), através dos telefones nº 0800-703-7130 (Chrysler) ou 0800-703-7140 (Dodge) ou 0800-703-7150 (Jeep) ou 0800-703-7160 (RAM).
PN 60355987 - I/2018

M AN U AL D O PR OPR IET ÁR IO
Esta publicação foi produzida
com papel certificado FSC
CARO CLIENTE: em particular, com os relativos aos freios, à di- Boa leitura, então, e boa viagem!
reção e ao câmbio; ao mesmo tempo, poderá
Parabéns e obrigado por ter escolhido um começar a compreender o comportamento do
Jeep. veículo nas várias superfícies da estrada.
Preparamos este Manual para lhe permitir No interior deste documento encontrará ca-
apreciar as qualidades deste veículo, que racterísticas, particularidades e informações
foi pensado para a utilização quotidiana e essenciais para o cuidado, a manutenção ao
para utilizações específicas, permitindo, as- longo do tempo, a segurança de condução e
sim, percursos e utilizações em geral não de funcionamento do seu Jeep.
adaptados aos tradicionais veículos. O ali-
nhamento e a dirigibilidade são diferentes da Após tê-lo consultado, aconselhamos a con-
maior parte dos outros veículos, em estrada servar o presente Manual no interior do veí-
normal ou em percursos fora de estrada; por- culo, para facilitar a sua consulta e para que
tanto, é aconselhável investir todo o tempo esteja a bordo do mesmo em caso de venda.
necessário para conhecer a dinâmica do veí-
No Livro de Garantia, fornecido no kit de
culo.
bordo do veículo, encontrará ainda a descri-
Prosseguindo na leitura deste Manual, encon- ção dos Serviços de Assistência que a Jeep
trará informações, conselhos e avisos impor- oferece aos seus Clientes, o Certificado de
tantes para o uso do veículo, que o ajudarão Garantia e o detalhe dos termos e das condi-
a aproveitar as qualidades técnicas do seu ções para a manutenção da mesma.
Jeep.
Estamos certos que estas publicações irão
É recomendável lê-lo com atenção antes de fazê-lo entrar em sintonia com o seu novo veí-
se preparar para a primeira vez na condução, culo e apreciar os serviços técnicos da Jeep
de modo a familiarizar-se com os comandos que estão disponíveis para sua assistência.
LEITURA OBRIGATÓRIA O uso de outros produtos ou misturas pode Nas versões equipadas com chave eletrônica,
danificar irreversivelmente o motor e, em o motor liga quando é pressionado o botão
ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍ- consequência, anular a garantia pelos da- do dispositivo de partida.
VEL nos causados.
Versões equipadas com câmbio automá-
Motores Flex : abastecer o veículo apenas
Para maiores detalhes sobre utilização do tico: Para dar a partida no motor deverão ser
com Gasolina tipo C sem chumbo ou eta-
combustível correto, ver especificações em seguidos os procedimentos descritos a se-
nol etílico hidratado combustível em qualquer
"Longa inatividade do veículo" e "Abasteci- guir:
proporção. A adição de outro tipo de gasolina
no tanque, não homologada para uso auto- mentos".
● Verificar se o freio de estacionamento está
motivo, pode provocar danos irreversíveis ao
PARTIDA DO MOTOR acionado.
veículo.
Versões equipadas com câmbio manual:
Motores Diesel: Reabastecer o tanque do ● Verificar se a alavanca de câmbio está na
Para dar a partida no motor deverão ser se-
veículo utilizando somente diesel S10 ou com posição P (Estacionamento) ou N (Neu-
guidos os procedimentos descritos a seguir:
o percentual de enxofre menor que 10 ppm tro).
e com o percentual de biodiesel conforme
● Verificar se o freio de estacionamento está
previsto na Legislação Federal vigente à ● Pisar no pedal de freio, sem pisar no
acionado.
época da fabricação do veículo. acelerador.
● Posicionar a alavanca de câmbio em
Nota ponto morto. ● Colocar a chave de ignição em MAR e
Nunca utilizar biodiesel puro (100%) ou ● Pisar no pedal de embreagem, sem pisar aguardar que as luzes-espia se apaguem.
adicionar mais biodiesel ao tanque, exce- no acelerador.
dendo os valores previstos na Legislação ● Colocar a chave de ignição em MAR e ● Girar a chave de ignição para a posição
Federal vigente à época da fabricação do aguardar que as luzes-espia se apaguem. AVV e soltá-la.
veículo.
● Girar a chave de ignição para a posição
AVVe soltá-la.
Nas versões equipadas com chave eletrônica, EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS relativamente a muitos outros veículos para
o motor liga quando é pressionado o botão ACESSÓRIOS o transporte de passageiros, características
do dispositivo de partida. Se, após a compra do veículo, desejar insta- que permitem desempenhos melhores numa
lar acessórios que necessitem de alimentação ampla gama de aplicações de fora de estrada.
Nota
Para maiores informações consulte o tó- elétrica (com o risco de descarregar gradual- No entanto, adotando um estilo de condução
pico Partida do Motor – Procedimentos Ini- mente a bateria), dirija-se à Rede de Assis- perigoso, é possível perder o controle do
ciais. tência Jeep que avaliará a absorção elétrica veículo.
total e verificará se o sistema do veículo está
em condições de sustentar a carga necessá- Devido ao centro de gravidade mais alto, o
ESTACIONAMENTO SOBRE MA- veículo está mais sujeito do que outros a
ria.
TERIAL INFLAMÁVEL capotar caso saia do controle do motorista.
Durante o funcionamento, o conversor cata-
MANUTENÇÃO PROGRAMADA Portanto, entrar com cautela em curvas fecha-
lítico atinge temperaturas elevadas. Por isso,
Uma correta manutenção permite conservar das e evitar manobras bruscas ou outras con-
não estacionar o veículo em cima de folhas
inalterados no tempo os rendimentos do veí- dições de condução não seguras que pode-
secas ou outro material inflamável: perigo de
culo e as características de segurança, res- riam provocar a perda de controle do veículo.
incêndio.
peitando o meio ambiente e mantendo baixos A inobservância das prescrições poderia pro-
os custos de funcionamento. vocar incidentes, capotamento do veículo e
RESPEITO PELO AMBIENTE lesões graves ou mortais. Atuar com cautela.
O veículo está equipado com um sistema ADVERTÊNCIAS SOBRE CAPOTA-
que permite um diagnóstico contínuo dos A não utilização dos cintos de segurança é a
MENTO causa principal de lesões graves ou mortais.
componentes relacionados com as emissões
O risco de capotamento para os veículos fora Em caso de capotamento, um passageiro sem
para garantir um melhor respeito pelo meio
de estrada é significativamente mais elevado cinto de segurança apertado tem muito mais
ambiente.
que a qualquer outro tipo de veículo. Este probabilidades de sofrer lesões mortais rela-
veículo é caracterizado por uma maior altura
do solo e por um centro de gravidade mais alto
tivamente a um passageiro que o use correta-
mente. Use sempre os cintos de segurança.
UTILIZAÇÃO DO MANUAL tinadas a evitar procedimentos que poderiam culo de sua propriedade. Eventuais con-
danificar o seu veículo. teúdos introduzidos durante a vida produ-
INDICAÇÕES OPERATIVAS tiva do modelo, mas independentes do pe-
Sempre que forem fornecidas indicações de Além disso, estão presentes NOTAS a seguir
dido expresso de conteúdos opcionais no
direção relativas ao veículo (esquerda/direita atentamente para evitar uma utilização inade-
momento da aquisição, serão identificados
ou frente/trás), estas devem ser entendidas quada dos componentes do veículo, que po-
com a indicação (se equipado).
como relativas à percepção de um ocupante deriam causar acidentes.
sentado no lugar do motorista. Casos parti- Por este motivo, respeitar rigorosamente to- Nota
culares, que sejam uma exceção a esta indi- das as recomendações de ADVERTÊNCIA e Os dados contidos nesta publicação de-
cação, serão oportunamente assinalados no NOTAS mencionadas ao longo do texto. vem ser entendidos como destinados a
texto. conduzi-lo corretamente na utilização do
● Para segurança das pessoas. veículo. A FCA FIAT CHRYSLER AUTO-
As figuras indicadas ao longo do Manual têm MÓVEIS BRASIL LTDA está empenhada
uma função indicativa: isto pode significar que num processo de aperfeiçoamento contí-
alguns detalhes representados na imagem ● Para integridade do veículo
nuo dos veículos produzidos, reservando-
não correspondam ao que poderá encontrar se, assim, o direito de efetuar modificações
no seu veículo. ● Para proteção do meio ambiente
no modelo descrito por motivos de natu-
Para identificar o capítulo em que estão con- Nota reza técnica e/ou comercial. Para mais in-
tidas as informações pretendidas, pode con- Neste Manual de Uso e Manutenção estão formações, dirigir-se à Rede de Assistên-
sultar o índice alfabético situado no final do descritas todas as versões do Jeep Rene- cia Jeep.
presente Manual de Uso e Manutenção. gade. Conteúdos opcionais, equipamen-
tos dedicados a Mercados específicos ou SÍMBOLOS
ADVERTÊNCIAS E NOTAS versões específicas não são identificadas Em alguns componentes do veículo estão pre-
Lendo este Manual de Uso e Manutenção en- como tais no texto: é necessário consi- sentes etiquetas coloridas, cuja simbologia
contrará uma série de ADVERTÊNCIAS des- derar apenas as informações relativas ao indica precauções importantes a observar na
equipamento, motorização e versão do veí- utilização do próprio componente.
Por baixo do capô do motor existe ainda uma
etiqueta recapitulativa dos símbolos.
MODIFICAÇÕES/ALTERAÇÕES “consumo em standy-by”. Como a bate- tilação dos freios e portanto a sua eficiên-
ria possui um limite máximo de consumo cia em condições de frenagens violentas e
DO VEÍCULO para garantir a partida do motor, deve-se repetidas, ou então, em longas descidas.
Qualquer modificação ou alteração do veículo dimensionar o consumo dos equipamen- Certificar-se também de que nada (por ex.
pode comprometer gravemente a segurança e tos ao limite de consumo da bateria. tapetes, etc.) possa interferir no curso dos
provocar acidentes, com riscos mesmo mor- pedais.
tais para os ocupantes.
ADVERTÊNCIA INSTALAÇÃO DE DISPOSITIVOS
ACESSÓRIOS COMPRADOS PELO Para assegurar a qualidade e o perfeito ELÉTRICOS/ELETRÔNICOS
CLIENTE funcionamento do veículo, recomen- Os dispositivos elétricos/eletrônicos instala-
Se, após a aquisição do veículo, desejar ins- damos instalar somente acessórios dos após a aquisição do veículo e no âmbito
talar a bordo acessórios elétricos que ne- genuínos Jeep, à disposição na Rede de do serviço pós-venda devem possuir a marca
cessitem de alimentação elétrica permanente Assistência Jeep. .
(por ex. autorrádio, antifurto por satélite, etc.)
ou que afetem o balanço elétrico, dirigir-se à A instalação de rádios, alarmes, rastrea- A FCA FIAT CHRYSLER AUTOMÓVEIS BRA-
Rede de Assistência Jeep que verificará se dores ou qualquer outro acessório eletrô- SIL LTDA autoriza a montagem de dispo-
o sistema elétrico do veículo tem capacidade nico não genuíno poderá ocasionar con- sitivos receptores-transmissores desde que
para suportar a carga solicitada, ou se, pelo sumo excessivo de carga da bateria, po- as instalações sejam devidamente efetuadas
contrário, é necessário integrá-lo com uma dendo provocar o não funcionamento do num centro especializado, respeitando as in-
bateria com capacidade aumentada. veículo e a perda da garantia. dicações do fabricante.

Nota Nota
Nota
Prefira sempre Acessórios Genuínos Jeep. A montagem de dispositivos que compor-
Prestar atenção na montagem de spoilers
Tanto o veículo como os equipamentos tem modificações das características do
adicionais, rodas de liga leve e calotas de
nele instalados consomem energia da ba- veículo pode determinar infrações de trân-
roda não genuínas: podem reduzir a ven-
teria quando desligados, é o denominado sito e a eventual anulação da garantia re-
lativamente aos danos causados pela refe- devem ser rigorosamente respeitadas as ins-
rida modificação, direta ou indiretamente. truções fornecidas pelo fabricante do celular.
A FCA FIAT CHRYSLER AUTOMÓVEIS Nota
BRASIL LTDA declina qualquer respon- O uso destes dispositivos no interior do
sabilidade por danos resultantes da habitáculo (sem antena externa) pode cau-
instalação de acessórios não forneci- sar, além de potenciais danos para a saúde
dos ou recomendados pela FCA FIAT dos passageiros, funcionamentos irregula-
CHRYSLER AUTOMÓVEIS BRASIL LTDA e res nos sistemas eletrônicos que equipam
instalados na ausência de conformidade o veículo, comprometendo a segurança do
com as indicações fornecidas. mesmo.

TRANSMISSORES DE RÁDIO E Se, no interior do veículo e/ou próximo da


chave eletrônica, estiverem presentes dis-
CELULARES
positivos como celulares/computadores
Os aparelhos radiotransmissores (CB, radio-
portáteis/smartphones/tablets, pode
amadores e similares) não podem ser utiliza-
verificar-se uma redução de desempenho
dos no interior do veículo, a não ser que se
do sistema Passive Entry/Keyless Entry-
utilize uma antena separada montada exter-
N-Go.
namente ao veículo.
A eficiência de transmissão e de recepção
destes aparelhos pode ficar prejudicada pelo
efeito de blindagem da carroceria do veículo.
No que concerne ao uso dos celulares (GSM,
GPRS, UMTS, LTE) com homologação oficial,
Índice
1 CONHECENDO O SEU VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

2 CONHECENDO O SEU PAINEL DE INSTRUMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99

3 SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 139

4 PARTIDA E OPERAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 179

5 EM CASO DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 261

6 MANUTENÇÃO E CUIDADOS COM O SEU VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 317

7 DADOS TÉCNICOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 359

8 ÍNDICE ALFABÉTICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 387

1
2
1
CONHECENDO O SEU VEÍCULO
CHAVES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
CHAVE COM CONTROLE REMOTO . . . . . . . . . . . . . 14
CHAVE ELETRÔNICA - Versões com sistema Keyless
Enter N-Go . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
Destravamento das portas e da tampa do
porta-malas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
Travamento das portas e da tampa do
porta-malas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
Abertura da tampa do porta-malas . . . . . . . . . . . 16
Acendimento das luzes (apenas para chave com
controle remoto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
Chave de ignição - Funções principais . . . . . . . . . . . . 17
SOLICITAÇÃO DE CHAVES ADICIONAIS . . . . . . . . . . . 18
Chave com controle remoto . . . . . . . . . . . . . . . 18
Chave eletrônica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
DUPLICAÇÃO DAS CHAVES . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
SUBSTITUIÇÃO DA BATERIA DA CHAVE COM
CONTROLE REMOTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
SUBSTITUIÇÃO DA BATERIA DA CHAVE
ELETRÔNICA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
Etiqueta - (Controle remoto) . . . . . . . . . . . . . . . 20
Etiqueta - (Immobilizer) . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

3
COMUTADOR DE IGNIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
VERSÕES COM CHAVE MECÂNICA . . . . . . . . . . . . . 21
VERSÕES COM CHAVE ELETRÔNICA - Sistema Keyless
Enter-N-Go . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
SISTEMA ELETRÔNICO DE PROTEÇÃO DO VEÍCULO . . . . 23
SENTRY KEY® . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
IRREGULARIDADE DE FUNCIONAMENTO . . . . . . . . . . 23
SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTIFURTO . . . . . . . . . . . . . 24
ALARME (Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
INTERVENÇÃO DO ALARME . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
ATIVAÇÃO DO ALARME . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
DESATIVAÇÃO DO ALARME . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
PROTEÇÃO VOLUMÉTRICA/ANTIELEVAÇÃO . . . . . . . . 25
EXCLUSÃO DO ALARME . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
PORTAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
TRAVAMENTO/DESTRAVAMENTO CENTRALIZADO DAS
PORTAS PELO INTERIOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Travamento/destravamento manual . . . . . . . . . . . 28
TRAVAMENTO/DESTRAVAMENTO DAS PORTAS PELO
EXTERIOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
PASSIVE ENTRY . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
Etiqueta (Chave eletrônica) . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Etiqueta (central) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Etiqueta (Comutador de ignição eletrônico) . . . . . . . 30
Travamento das portas . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
Abertura de emergência da porta do lado do
motorista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
4
Acesso ao porta-malas . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Travamento da tampa do porta-malas . . . . . . . . . . 33
Ativação/desativação do sistema . . . . . . . . . . . . 33
DISPOSITIVO DEAD LOCK (Se equipado) . . . . . . . . . . 33
DISPOSITIVO DE SEGURANÇA PARA CRIANÇAS . . . . . . 34
LEVANTADOR ELÉTRICO DOS VIDROS . . . . . . . . . . . 34
Comandos da porta dianteira do lado do
motorista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Dispositivo de segurança antiesmagamento dos
vidros dianteiros/traseiros . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Inicialização do sistema dos vidros elétricos . . . . . . 36
BANCOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
REGULAGENS DOS BANCOS . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Regulagem no sentido longitudinal . . . . . . . . . . . 37
Regulagem em altura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Regulagem da inclinação do encosto . . . . . . . . . . 38
Regulagem lombar elétrica . . . . . . . . . . . . . . . . 38
BANCOS DIANTEIROS COM REGULAGEM ELÉTRICA (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Regulagem em altura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Regulagem no sentido longitudinal . . . . . . . . . . . 39
Regulagem da inclinação do encosto . . . . . . . . . . 39
Regulagem lombar elétrica . . . . . . . . . . . . . . . . 39

5
APOIA-CABEÇAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
BANCOS DIANTEIROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
APOIA-CABEÇAS TRASEIROS . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Regulagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
APOIA-CABEÇAS TRASEIROS . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Remoção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
DIREÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
REGULAGEM DO VOLANTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
ESPELHOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
ESPELHO RETROVISOR INTERNO . . . . . . . . . . . . . . 41
ESPELHO INTERNO ELETROCRÔMICO . . . . . . . . . . . 41
ESPELHOS RETROVISORES EXTERNOS . . . . . . . . . . 41
Com regulagem manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Com regulagem elétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Recolhimento manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Recolhimento elétrico (se equipado) . . . . . . . . . . . 43
AQUECIMENTO ELÉTRICO DOS ESPELHOS EXTERNOS
(Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
SISTEMA BSM (Blind-spot Monitoring) (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Sensores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Visualização traseira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Veículos em ultrapassagem . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Sistema RCP (Rear Cross Path detection) . . . . . . . . 45
Modalidades de funcionamento . . . . . . . . . . . . . 45
"Aviso ângulo cego" modalidade "Visual" . . . . . . . . 45

6
"Aviso ângulo cego" modalidade "Visual &
acústico" . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Desativação da função "Aviso de ângulo cego" . . . . 46
Etiqueta Anatel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
LUZES EXTERNAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
COMUTADOR DE LUZES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
FUNÇÃO AUTO - SENSOR CREPUSCULAR (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Ativação da função . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Desativação da função . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
FARÓIS BAIXOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
LUZES DE POSIÇÃO/LUZES DIURNAS (D.R.L. - "Daytime
Running Lights") . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
LUZES DE NEBLINA (Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . 48
LUZ DE NEBLINA TRASEIRA . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
LUZES DE ESTACIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . 48
TEMPORIZAÇÃO DO DESLIGAMENTO DOS
FARÓIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Ativação da função . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Desativação da função . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
FARÓIS ALTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
INDICADORES DE DIREÇÃO - SETAS . . . . . . . . . . . . 49
Função "Lane Change" (mudança de faixa) . . . . . . . 50
ALINHAMENTO DOS FARÓIS . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Orientação do feixe luminoso . . . . . . . . . . . . . . . 50
Corretor de posição dos faróis . . . . . . . . . . . . . . 50
ORIENTAÇÃO DOS FARÓIS DE NEBLINA . . . . . . . . . . 50
7
LUZES DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Comando . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Frenagem de emergência . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
LUZES INTERNAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
CONJUNTO DA LUZ INTERNA DIANTEIRA . . . . . . . . . 51
Temporização da luz interna . . . . . . . . . . . . . . . 52
Temporização para a entrada no veículo . . . . . . . . 52
Temporização para a saída do veículo . . . . . . . . . . 52
Luz de cortesia (Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . 53
CONJUNTO DE LUZ INTERNA TRASEIRA . . . . . . . . . . 53
Versões sem teto solar (ou teto de vidro) . . . . . . . . 53
Versões com teto solar . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
LUZES DO PORTA-MALAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
REGULAGEM DA INTENSIDADE LUMINOSA DO
QUADRO DE INSTRUMENTOS E DOS GRAFISMOS DOS
BOTÕES DE COMANDO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
LIMPADORES E LAVADORES DOS VIDROS . . . . . . . . . . 55
PARA-BRISA E VIDRO TRASEIRO . . . . . . . . . . . . . . 55
LIMPADORES E LAVADOR DO PARA-BRISA . . . . . . . . 56
Funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
Nível de sensibilidade do sensor de chuva (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Função “Lavagem inteligente” . . . . . . . . . . . . . . 57
SENSOR DE CHUVA (Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . 57
Ativação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Desativação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

8
LIMPADOR E LAVADOR TRASEIRO . . . . . . . . . . . . . 59
Ativação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Desativação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
CLIMATIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
DIFUSORES DO AR DO HABITÁCULO . . . . . . . . . . . . 59
Difusores de ar laterais . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Difusores de ar centrais . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
CLIMATIZADOR MANUAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
COMANDOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
Climatização (resfriamento) . . . . . . . . . . . . . . . . 62
Arrefecimento máximo (Modalidade "MAX
A/C") . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Aquecimento do habitáculo . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Desembaçamento ou descongelamento rápido . . . . 63
Antiembaçamento dos vidros . . . . . . . . . . . . . . . 63
Desembaçamento ou descongelamento do vidro
traseiro térmico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64
Recirculação do ar interno . . . . . . . . . . . . . . . . 64
Manutenção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64
CLIMATIZADOR AUTOMÁTICO DUALZONE . . . . . . . . . 65
COMANDOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
Modalidades de funcionamento do
climatizador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Regulagem da temperatura do ar . . . . . . . . . . . . 67
Seleção da distribuição do ar . . . . . . . . . . . . . . . 68
Regulagem da velocidade do ventilador . . . . . . . . . 68
9
Botão AUTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Botão SYNC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Recirculação do ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Compressor do climatizador . . . . . . . . . . . . . . . 70
Desembaçamento ou descongelamento rápido dos
vidros (função MAX-DEF) . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Desembaçamento ou descongelamento do vidro
traseiro térmico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Desativação do climatizador . . . . . . . . . . . . . . . 71
Reativação do climatizador . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Utilização do climatizador . . . . . . . . . . . . . . . . 72
TETO SOLAR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
TETO SOLAR ELÉTRICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
ABERTURA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
FECHAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
MOVIMENTAÇÃO DA CORTINA . . . . . . . . . . . . . . . . 73
FUNÇÃO "VENT" - ABERTURA DO SPOILER . . . . . . . . 73
DISPOSITIVO ANTIESMAGAMENTO . . . . . . . . . . . . . 74
MANOBRA DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
PROCEDIMENTO DE INICIALIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . 74
TETO SOLAR MYSKY - DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . 75
MOVIMENTAÇÃO DO PAINEL DIANTEIRO . . . . . . . . . . 76
Abertura/fechamento do painel dianteiro. . . . . . . . . 76
Função "VENT" (abertura "de compasso" do
teto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Dispositivo antiesmagamento . . . . . . . . . . . . . . 76

10
REMOÇÃO DOS PAINÉIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77
Remontagem dos painéis . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
BOLSA PARA ALOJAMENTO DOS PAINÉIS . . . . . . . . . 78
MANOBRA DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . 80
CAPÔ DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
ABERTURA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
FECHAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82
PORTA-MALAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
BLOQUEIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
ABERTURA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Abertura a partir do exterior . . . . . . . . . . . . . . . 83
Abertura de emergência pelo interior . . . . . . . . . . 83
FECHAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
PORTA-MALAS - INICIALIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . 84
PORTA-MALAS - AMPLIAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Remoção da cobertura do porta-malas (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Ampliação parcial do porta-malas (1/3 ou 2/3) . . . . . 86
Ampliação total do porta-malas . . . . . . . . . . . . . 86
Reposicionamento dos encostos . . . . . . . . . . . . 86
LÂMPADA RETRÁTIL RECARREGÁVEL . . . . . . . . . . . 87

11
SISTEMA DE NIVELAMENTO DE CARGAS . . . . . . . . . . . 88
PLANO DE CARGA RECONFIGURÁVEL . . . . . . . . . . . 88
Inclinação do plano de carga . . . . . . . . . . . . . . . 88
Acesso ao plano de carga reconfigurável . . . . . . . . 88
Deslocamento do plano de carga
reconfigurável . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
Retirada da roda sobressalente . . . . . . . . . . . . . 90
Fixação da carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
EQUIPAMENTOS INTERNOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
LOCALIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
PORTA-LUVAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
PARA-SOL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
TOMADA DE CORRENTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92
ACENDEDOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92
APOIO DE BRAÇO DIANTEIRO (Se equipado) . . . . . . . . 93
PORTA-COPOS/PORTA-LATAS . . . . . . . . . . . . . . . . 93
ALÇAS DE APOIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
VÃO PORTA-OBJETOS DO BANCO DO LADO DO
PASSAGEIRO (Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
PORTA-ÓCULOS (se equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . 94
BAGAGEIRO DE TETO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Instalação de barras transversais . . . . . . . . . . . . 95
PROTEÇÃO DO AMBIENTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
SISTEMAS UTILIZADOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Versões Flex . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Versões Diesel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96

12
FILTRO DE PARTÍCULAS DPF (Diesel Particulate
Filter) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96
CONTROLE DAS EMISSÕES POLUENTES . . . . . . . . . . 97
Índice de opacidade em aceleração livre . . . . . . . . . . 98

13
CHAVES Esta função é útil, por exemplo, para iden-
CHAVE COM CONTROLE REMOTO tificar facilmente o veículo no interior de
um estacionamento com muitos veículos.
ADVERTÊNCIA Voltando a pressionar o botão ou,
Impactos violentos podem danificar os ao esgotarem os 180 segundos, apagam-
componentes eletrônicos contidos na se as luzes internas e os indicadores de
chave. direção. Se, ao esgotarem os 180 segun-
dos, for pressionado o botão as luzes
Observe sempre as recomendações deste internas e os indicadores de direção per-
manual. manecerão acesos durante 30 segundos.

O encaixe metálico A da chave aciona o co-


A chave possui: mutador de ignição e a fechadura das portas.
● Encaixe metálico A que pode ser embu-
tido na empunhadura da chave. Para introduzir o encaixe metálico na empu-
● Botão B para a abertura do encaixe me- nhadura da chave, manter apertado o botão B
tálico. e girar o encaixe no sentido indicado pela seta
● Botão para o destravamento das por- até perceber o ruído de travamento. Após o
tas. travamento, soltar o botão B
● Botão para o travamento das portas.
● Botão para acendimento das luzes
internas e dos indicadores de direção,
durante um tempo máximo de 180 se-
gundos.

14
Caso alguma porta esteja aberta, acionando CHAVE ELETRÔNICA - Versões com
ADVERTÊNCIA o controle remoto para fechamento, as por- sistema Keyless Enter N-Go
Ao pressionar o botão B, prestar a máxima tas não serão travadas e serão emitidos três
atenção para evitar que a liberação do sinais luminosos. O travamento das portas
encaixe metálico possa causar lesões ou será efetuado mesmo na condição de tampa
danos. do porta-malas aberta.
O botão B deve ser pressionado somente
Nota
quando a chave se encontrar longe do
O funcionamento do controle remoto de-
corpo, particularmente dos olhos e de ob-
pende de vários fatores, como a eventual
jetos que podem ser danificados (roupas,
interferência de ondas eletromagnéticas
por exemplo). Não deixar a chave em qual-
emitidas por fontes externas; o estado de
quer lugar para evitar que alguém, prin-
carga da bateria e a presença de objetos
cipalmente crianças, possa manejá-la e
metálicos próximos da chave do veículo.
pressionar involuntariamente os botões.
No entanto, é possível efetuar a abertura
Nas versões equipadas com sistema "Keyless
manual do veículo utilizando o encaixe me-
Enter-N-Go", o veículo está equipado com
Para acionar o destravamento centralizado tálico da chave, introduzindo o corpo me-
duas chaves eletrônicas.
das portas à distância, apertar o botão . As tálico na fechadura da porta do lado do
portas se destravam, a luz interna se acende condutor. Destravamento das portas e da tampa do
e as setas efetuam uma dupla sinalização porta-malas
luminosa. Pressão breve no botão : destravamento
Para acionar o travamento centralizado das das portas, da tampa do porta-malas, acen-
portas, apertar o botão . As portas se dimento temporizado da luz interna e dupla
travam e a luz interna se apaga. As setas sinalização luminosa dos indicadores de dire-
efetuam uma sinalização luminosa simples. ção.

15
É possível pressionar e soltar o botão de Para veículos equipados com chaves eletrô- Esta função é útil, por exemplo, para identifi-
destravamento no controle remoto uma única nicas, se uma ou mais portas estiverem aber- car facilmente o veículo no interior de um es-
vez para destravar a porta dianteira do lado tas, o travamento é efetuado, de qualquer tacionamento cheio de veículos.
do motorista ou duas vezes no espaço de 1 forma, e é assinalado por uma rápida intermi-
segundo para desbloquear todas as portas e tência dos indicadores de direção. Voltando a pressionar o botão ou, ao es-
a tampa do porta-malas. gotarem os 180 segundos, apagam-se as lu-
O travamento das portas é também possível zes internas e os indicadores de direção. Se,
É, no entanto, possível mudar a definição atual introduzindo o corpo metálico na fechadura ao esgotarem os 180 segundos, for pressio-
atuando no Menu do display ou no sistema da porta do lado do condutor. nado botão , as luzes internas e os indica-
Uconnect™ de modo que o sistema destrave dores de direção permanecerão acesos du-
apenas a porta do condutor ou todas as por- Abertura da tampa do porta-malas
rante 30 segundos.
tas à primeira pressão do botão no controle Pressionar duas vezes rapidamente o botão
remoto. Para mais informações, consultar para efetuar a abertura à distância da
o parágrafo “Display” no capítulo “Conheci- tampa do porta-malas.
mento do painel de instrumentos”. A abertura da tampa do porta-malas é assina-
O destravamento das portas é também pos- lada pela intermitência dupla dos indicadores
sível introduzindo o corpo metálico na fecha- de direção.
dura da porta do lado do condutor.
Acendimento das luzes (apenas para
Travamento das portas e da tampa do chave com controle remoto)
porta-malas Pressionar o botão para comandar, à
Pressão breve no botão : travamento das distância, o acendimento das luzes internas
portas, da tampa do porta-malas com desli- e dos indicadores de direção, durante um
gamento da luz interna e sinalização luminosa tempo máximo de 90 segundos.
simples dos indicadores de direção.

16
Chave de ignição - Funções principais
A seguir, estão resumidas as principais funções que podem ser ativadas utilizando a chave de ignição.

Abertura da tampa do
Chave Destravamento das portas Travamento das portas Acendimento da luz interna
porta-malas

Pressionar o botão para


acendimento das luzes internas e
Rotação da chave em sentido Rotação da chave em sentido
dos indicadores de direção
Chave com controle remoto anti-horário (lado do motorista) horário (lado do motorista)
durante um tempo máximo de 180
segundos

Pressão no botão Pressão no botão Pressão dupla no botão

Chave eletrônica Pressão no botão Pressão no botão Pressão dupla no botão

Lampejos dos indicadores de


direção (para chave com controle 2 lampejos 1 lampejo 2 lampejos
remoto)

17
SOLICITAÇÃO DE CHAVES ADICIO- damente codificadas para o sistema eletrô- SUBSTITUIÇÃO DA BATERIA DA
NAIS nico do veículo. CHAVE COM CONTROLE REMOTO
Chave com controle remoto Se uma chave eletrônica tiver sido codificada Quando, apertando um dos botões da chave
Nota para um veículo, não pode ser utilizado em com controle remoto, não se verificar a ação
A frequência do controle remoto pode so- nenhum outro. esperada de destravamento ou travamento de
frer interferências de transmissão estra- portas, isso pode ser uma indicação de que a
nhas ao veículo, tais como telefones celu- bateria do controle está fraca.
lares, radioamadores, etc. ADVERTÊNCIA Substituir a bateria por outra nova de tipo
Nesse caso, o funcionamento do controle Cada chave fornecida possui um código equivalente, encontrada em revendedores
remoto pode ser temporariamente inter- próprio, diferente de todos os outros, que normais.
rompido. deve ser previamente memorizado pela
central eletrônica do sistema.
O receptor pode reconhecer até 8 controles ADVERTÊNCIA
remotos. Se, por qualquer motivo, no decor- Observe sempre as recomendações deste
manual. As baterias gastas são prejudiciais ao meio
rer da vida útil do veículo se tornar necessá-
ambiente.
rio obter um novo controle remoto, dirija-se à
Rede de Assistência Jeep levando consigo DUPLICAÇÃO DAS CHAVES Devem ser descartadas em recipientes
um documento de identidade e os documen- apropriados ou entregues à Rede de As-
Caso seja necessário pedir uma nova chave
tos de propriedade do veículo. sistência Jeep
com controle remoto ou uma nova chave ele-
Chave eletrônica trônica, dirigir-se à Rede Assistencial Jeep
Para garantir a ignição do motor e o correto levando consigo um documento de identifica- Para substituir a bateria:
funcionamento do veículo, é necessário uti- ção pessoal e o documento do veículo.
● Atuar nos pontos indicados pelas setas
lizar exclusivamente chaves eletrônicas devi-
utilizando uma chave de fenda apropriada
e remover a cobertura A.
18
● Substituir a bateria B por uma com as
mesmas características, respeitando a
polaridade.
● Em seguida, remontar a cobertura A,
certificando-se de está corretamente blo-
queada.

SUBSTITUIÇÃO DA BATERIA DA
CHAVE ELETRÔNICA
Para substituir a bateria, proceder do seguinte
modo:

● Extrair o corpo metálico presente no inte-


rior da chave eletrônica.
● Atuando com atenção, introduzir a ponta
do corpo metálico na sede A da chave,
de modo a separar as duas partes que a
compõem (em alternativa ao corpo metá-
lico, é possível introduzir a parte plana da
chave de fenda).
● Remover a bateria B
● Inserir uma nova bateria, prestando aten-
ção para respeitar as polaridades.

19
● Remontar as duas partes da chave ele- Nota O código de barras e os algarismos localiza-
trônica, certificando-se de que ficam cor- Para dar a partida no veículo com a bate- dos abaixo da imagem das barras contêm da-
retamente bloqueadas. ria da chave descarregada, apoiar a extre- dos do fornecedor do equipamento.
● Recolocar o corpo metálico no interior da midade arredondada da chave eletrônica
(lado oposto ao do corpo metálico) no bo- Etiqueta - (Controle remoto)
chave.
tão do dispositivo de partida e pressionar o RKE L9
próprio botão através da chave eletrônica.

Nota
Este equipamento não tem direito à prote-
ção contra interferência prejudicial e não
pode causar interferência em sistemas de-
vidamente autorizados.

Este produto está homologado pela ANATEL


(Agência Nacional de Telecomunicações) de
acordo com os procedimentos regulamenta-
dos pela Resolução 242/2000, e atende aos
requisitos técnicos aplicados.
Nota
A operação de substituição da bateria deve A sequência numérica impressa acima do có-
ser efetuada com cuidado, de modo a não digo de barras identifica o número de homo-
danificar a chave eletrônica. logação do controle remoto e do immobilizer
junto à ANATEL.

20
Etiqueta - (Immobilizer) 4. Desligar o veículo e remover a chave.

ADVERTÊNCIA
Em caso de violação do comutador de ig-
nição (por ex.: uma tentativa de furto), ve-
rificar o funcionamento na Rede de Assis-
tência Jeep.
Somente depois deve-se retomar a mar-
cha.

O comutador de ignição está equipado com


COMUTADOR DE IGNIÇÃO um mecanismo de segurança que obriga, em ADVERTÊNCIA
VERSÕES COM CHAVE MECÂNICA caso de falha na partida do motor, a repor Ao sair do veículo, levar sempre consigo
A chave pode girar para 3 posições diferentes: a chave na posição STOP antes de repetir a a chave, para evitar que alguém acione
manobra de partida. involuntariamente os comandos.
● STOP: motor desligado, a chave pode ser
Nas versões com câmbio automático, Lembrar-se de engatar o freio de estacio-
removida. Alguns dispositivos elétricos
realizar o seguinte procedimento para namento. Nunca deixar crianças sozinhas
(por ex.: autorrádio, travamento elétrico
remoção da chave: no veículo.
das portas, etc.) podem funcionar.
● MAR: posição de marcha. Todos os 1. Parar o veículo.
dispositivos elétricos podem funcionar. 2. Acionar o freio de estacionamento.
● AVV: partida do motor. 3. Colocar o cambio em P (Estaciona-
mento) e liberar o pedal de freio.

21
VERSÕES COM CHAVE ELETRÔNICA ex., fechamento centralizado das portas, dor de ignição passará automaticamente
- Sistema Keyless Enter-N-Go alarme, etc.) estão, contudo, disponíveis. para a posição STOP.
● MAR: posição de marcha. Todos os dis-
Nota
positivos elétricos estão disponíveis. É
Com o motor ligado, é possível abandonar
possível passar para este estado pressi-
o veículo levando consigo a chave eletrô-
onando uma vez o botão do comutador
nica, assim o motor continuará ligado. O
de ignição, sem pressionar o pedal do
veículo assinalará a ausência da chave no
freio (versões com caixa automática) ou
habitáculo depois de fechada a porta.
da embreagem (versões com caixa ma-
nual). Para maiores informações sobre a partida do
● AVV: partida do motor. motor ver capítulo "Partida e operação"

Nota
O comutador de ignição NÃO é ativado se ADVERTÊNCIA
Para ativar o comutador de ignição é neces- a chave eletrônica se encontrar no interior
sário que a chave eletrônica esteja presente Antes de sair do veículo, acionar SEMPRE
do porta-malas e este estiver aberto.
no interior do habitáculo. o freio de estacionamento. Nas versões
Nota equipadas com câmbio automático, deslo-
O comutador de ignição ativa-se também se car a alavanca de câmbio para a posição P
Com a chave de ignição na posição MAR,
a chave eletrônica se encontrar no interior do (Estacionamento) e pressionar o comuta-
decorridos 30 minutos com o veículo pa-
porta-malas ou na cobertura do porta-malas. dor de ignição para deslocá-lo para STOP.
rado (versões com caixa manual) ou com
O comutador de ignição pode assumir os a alavanca das mudanças na posição P Quando sair do veículo, bloquear sempre
seguintes estados: (Estacionamento) (versões com caixa au- todas as portas pressionando o respectivo
tomática) e o motor desligado, o comuta-
● STOP: motor desligado, bloqueio da di- (continuação)
reção. Alguns dispositivos elétricos (por
22
O sistema não necessita de habilita- e mensagens” no capítulo "Conhecimento do
ADVERTÊNCIA (continuação) ção/ativação: o funcionamento é automático, painel de instrumentos"). Esta condição im-
botão (consultar a opção "Passive Entry" independentemente do fato das portas do veí- plica na parada do motor após 2 segundos.
no parágrafo "Portas"). culo estarem bloqueadas ou desbloqueadas. Neste caso, colocar o comutador de ignição
na posição STOP e novamente em MAR; se o
Colocando o comutador de ignição na posi-
bloqueio persistir, voltar a tentar com as outra
ADVERTÊNCIA ção MAR, o sistema Sentry Key® identifica o chaves fornecidas. Se ainda não for possível
Para as versões equipadas com sistema código transmitido pela chave. Se o código ligar o motor, dirigir-se à Rede de Assistên-
Keyless Enter-N-Go, não deixar a chave for reconhecido como válido, o sistema Sen- cia Jeep.
eletrônica no interior ou próximo do veí- try Key® autoriza a partida do motor.
culo ou num local acessível às crianças. Se o ícone for visualizado durante a mar-
Voltando a colocar o comutador de ignição na
Não deixar o veículo com o dispositivo de cha, significa que o sistema está efetuando
posição STOP, o sistema Sentry Key ® de- um autodiagnóstico (devido, por exemplo, a
ignição na posição MAR. sativa a central que controla o motor, impe- uma queda de tensão). Se a visualização per-
Uma criança poderia acionar os levanta- dindo, assim, a partida do mesmo. sistir, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
dores dos vidros elétricos, outros coman- Para os procedimentos de partida do motor
dos ou colocar o veículo em movimento. Nota
corretos, consultar o parágrafo “Partida do
motor” no capítulo "Partida e Operação". Não violar o sistema Sentry Key® . Eventu-
ais modificações/alterações podem provo-
SISTEMA ELETRÔNICO DE car a desativação da função de proteção.
IRREGULARIDADE DE FUNCIONA-
PROTEÇÃO DO VEÍCULO MENTO O sistema Sentry Key® não é compatível
SENTRY KEY® Se, durante a partida, o código da chave não com alguns sistemas de ignição à distân-
O sistema Sentry Key® impede a utilização tiver sido reconhecido corretamente, no qua- cia disponíveis no mercado. A utilização
não autorizada do veículo, desativando a par- dro de instrumentos é visualizado o ícone destes dispositivos pode provocar proble-
tida do motor. (consultar o parágrafo “Luzes de advertências

23
mas de partida e a desativação da função ● Acionamento do dispositivo de ignição Nota
de proteção. (rotação de uma chave não reconhecida O sistema de alarme automotivo é um sis-
para a posição MAR). tema complementar de segurança desen-
Todas as chaves fornecidas com o veículo
● Corte dos cabos da bateria. volvido para dificultar a ocorrência de furto
foram programadas em função do sistema
● Presença de corpos em movimento no do veículo, bem como a ação ou ato de
eletrônico presente no próprio veículo.
interior do veículo (proteção volumétrica). vandalismo de terceiros.
Cada chave possui um código próprio que
deve ser memorizado pela central do sis- ● Elevação/inclinação anormal do veículo. ATIVAÇÃO DO ALARME
tema. Para a memorização de novas cha- A intervenção do alarme provoca o aciona- O alarme somente será ativado com portas
ves, até 8 no máximo, dirigir-se à Rede de mento da sirene e dos indicadores de direção. e capô fechados e a chave de ignição na
Assistência Jeep. posição STOP ou extraída.
Nota
Para ativar, posicione a chave em direção ao
SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTI- A função de bloqueio do motor é garantida
pelo sistema Sentry Key®, que se ativa au- veículo, depois pressione e solte o botão .
FURTO Para versões com chave eletrônica, a ativação
tomaticamente, extraindo a chave do dis-
ALARME (Se equipado) do alarme pode também ser efetuada através
positivo de ignição ou, nas versões equi-
O alarme é previsto em adição a todas as fun- da pressão do botão "bloqueio de portas"
padas com sistema Keyless Enter-N-Go,
ções do telecomando já anteriormente des- situado no puxador externo da porta. Para
saindo do veículo levando consigo a chave
critas. mais informações, consultar a opção “Passive
eletrônica e efetuando o bloqueio das por-
tas. Entry” no parágrafo “Portas”.
INTERVENÇÃO DO ALARME
Com exceção de alguns mercados, as setas
O alarme intervém nos seguintes casos: Nota
efetuam uma sinalização luminosa simples,
O alarme é adequado de origem às normas
● Abertura não autorizada de uma ou mais uma sinalização acústica e ativa o travamento
dos diferentes países.
portas, do capô do motor ou da tampa do das portas.
porta-malas (proteção perimetral).
24
Com o alarme ligado, no quadro de instru- em seguida, reativar o sistema pressionando ções, consultar a opção “Passive Entry” no
mentos começa a piscar a luz-espia A o botão . parágrafo “Portas”.

Se o alarme emitir um sinal sonoro mesmo Nota


com as portas, capô e tampa do porta-malas Acionando a abertura centralizada através
corretamente fechados, significa que foi de- do corpo metálico da chave, o alarme não
tectada uma anomalia no funcionamento do se desliga.
sistema: neste caso, dirigir-se à Rede de As-
sistência Jeep. PROTEÇÃO VOLUMÉ-
TRICA/ANTIELEVAÇÃO
DESATIVAÇÃO DO ALARME Se o alarme estiver acionado, a presença de
Pressionar o botão na chave. corpos em movimento no interior do veículo
será detectada (proteção volumétrica) e a
São efetuadas as seguintes ações (com ex- sirene do alarme será ativada.
A ativação do alarme é precedida por uma ceção de alguns mercados):
fase de autodiagnóstico. ● Dois breves acendimentos dos indicado-
No caso em que seja detectada uma anoma- res de direção.
lia, é emitido uma sinalização acústica. ● Dois breves sinais acústicos (onde pre-
sentes)
Se for emitida uma segunda sinalização acús-
tica cerca de 4 segundos após a ativação do ● Destravamento das portas.
alarme, desativá-lo pressionando o botão , Para versões com chave eletrônica, a desati-
verificar o fechamento correto das portas, do vação do alarme pode também ser efetuada
capô do motor e da tampa do porta-malas; pelo proprietário da chave segurando num
dos puxadores dianteiros. Para mais informa-
25
Para interromper a função, pressionar o botão portas, o capô e a tampa do porta-malas
A antes da ativação do alarme. estejam fechados corretamente.
A desativação desta função é evidenciada
durante alguns segundos pela intermitência
do LED situado no próprio botão. ADVERTÊNCIA
Nunca deixe crianças sozinhas no veículo.
Com o alarme ativado, o sensor antielevação
verifica as variações de inclinação do veículo Observe sempre as recomendações deste
quando estacionado para sinalizar qualquer manual.
possível levantamento, ainda que parcial (ex.:
retirada de uma roda). A eventual exclusão da proteção volumé-
O sensor está apto a verificar variações no trica/antielevação deve ser repetida de cada
ângulo de alinhamento do veículo, seja ao vez que o quadro de instrumentos é desli-
longo do eixo longitudinal como ao longo gado.
do eixo transversal. Não são levadas em
consideração as variações de alinhamento EXCLUSÃO DO ALARME
com velocidade inferior a 0,5°/min como, por Para excluir totalmente o alarme (por exem-
exemplo, o esvaziamento lento de um pneu. plo: em caso de inatividade prolongada do
veículo) efetuar o fechamento de forma ma-
Para evitar a ativação involuntária da sirene nual, utilizando a chave com telecomando na
do alarme (devido à varredura realizada pelos fechadura.
sensores volumétricos), não deixar pessoas
ou animais no interior do veículo e fechar Nota
completamente os vidros e o teto solar (se Quando se descarregam as pilhas da chave
disponível). Certificar-se também de que as com telecomando, ou em caso de avaria no

26
sistema, para desativar o alarme, introduzir
a chave na ignição e girá-la até a posição
MAR.

PORTAS
TRAVAMENTO/DESTRAVAMENTO
CENTRALIZADO DAS PORTAS PELO
INTERIOR
Se todas as portas estiverem corretamente
fechadas, ficarão travadas automaticamente
ao ultrapassar a velocidade de aproximada-
mente 20 km/h (função "Autoclose").

Pressionar o botão no painel da porta do


lado do condutor ou do lado do passageiro
para efetuar o travamento das portas.
Com as portas travadas, pressionar o botão
para efetuar o destravamento das portas.

27
Travamento/destravamento manual (presente no interior da chave) na fechadura Destravamento das portas pelo exterior:
O travamento das portas pode também ser da porta do lado do motorista. pressionar o botão na chave ou inserir
efetuado atuando na alavanca A situada sobre e girar o corpo metálico (presente no interior
O travamento das portas pode, no entanto,
o puxador das portas dianteiras. da chave) na fechadura da porta do lado do
ser ativado com todas as portas fechadas e
a tampa do porta-malas aberta. Uma vez motorista.
O acionamento da alavanca nas portas tra-
seiras provoca o travamento apenas da porta pressionado o botão na chave, estará
PASSIVE ENTRY
em questão. predisposto o travamento de todas as por-
tas, incluindo a tampa do porta-malas aberta.
Posição 1 : porta destravada Quando a tampa do porta-malas for fechada, ADVERTÊNCIA
será bloqueada e já não se poderá abrir pelo O funcionamento do sistema de reconhe-
Posição 2 : porta travada cimento depende de vários fatores como,
exterior.
O acionamento do puxador das portas dian- por exemplo, a eventual interferência de
teiras provoca o destravamento de todas as ondas eletromagnéticas emitidas por fon-
portas e da tampa do porta-malas. ADVERTÊNCIA tes externas (por ex. celulares), o estado
Certificar-se de que tem consigo a chave de carga da bateria da chave eletrônica e
Por sua vez, o acionamento do puxador das a presença de objetos metálicos na proxi-
no momento do fechamento da porta ou
portas traseiras provoca o destravamento midade da própria chave ou do veículo.
da tampa do porta-malas, de modo a
apenas da porta em questão.
evitar fechar a própria chave no interior do Nestes casos, é, contudo, possível efe-
veículo. tuar o desbloqueio das portas utilizando
TRAVAMENTO/DESTRAVAMENTO
Uma vez fechada no interior, a chave só o corpo metálico presente no interior da
DAS PORTAS PELO EXTERIOR chave eletrônica.
Travamento das portas pelo exterior: com pode ser recuperada com a utilização da
portas fechadas, pressionar o botão na segunda chave fornecida.
chave ou inserir e girar o corpo metálico O sistema Passive Entry é capaz de identifi-
car a presença de uma chave eletrônica na
28
proximidade das portas e da tampa do porta- quentemente, o tempo de reação da fun- Etiqueta (Chave eletrônica)
-malas. ção seja mais longo.
O sistema permite travar/destravar as portas Colocando a mão no puxador da porta do
(ou a tampa do porta-malas) sem ter que lado do passageiro, todas as portas e a tampa
pressionar nenhum botão na chave eletrônica. do porta-malas se travam.
Se o sistema identificar como válida a chave Nota
eletrônica detectada no exterior do veículo, Este equipamento não tem direito à prote-
basta colocar a mão em um dos puxadores ção contra interferência prejudicial e não
das portas dianteiras para desativar o alarme pode causar interferência em sistemas de-
e destravar o mecanismo de abertura das vidamente autorizados.
portas e da tampa do porta-malas.
Este produto está homologado pela ANATEL
Onde a funcionalidade estiver presente, co- Etiqueta (central)
(Agência Nacional de Telecomunicações) de
locando a mão no puxador da porta do con-
acordo com os procedimentos regulamenta-
dutor, é possível destravar apenas a porta do
dos pela Resolução 242/2000, e atende aos
lado do motorista ou todas as portas em fun-
requisitos técnicos aplicados.
ção da modalidade definida atuando no Menu
ou no sistema Uconnect™. A sequência numérica impressa acima do có-
digo de barras identifica o número de homo-
Nota logação do junto à ANATEL.
Se estiver usando luvas ou se tiver cho-
vido e o puxador da porta estiver molhado, O código de barras e os algarismos localiza-
é possível que a sensibilidade de ativação dos abaixo da imagem das barras contêm da-
do Passive Entry fique reduzida e, conse- dos do fornecedor do equipamento.

29
Etiqueta (Comutador de ignição eletrô- do porta-malas. O travamento das portas pressionando o botão na chave eletrônica
nico) ativará também o alarme (se equipado). ou no painel interno da porta do veículo.

Abertura de emergência da porta do lado


do motorista
Se a chave eletrônica não funcionar, por
exemplo, em caso de bateria descarregada
da chave eletrônica ou do próprio veículo, é,
no entanto, possível utilizar o corpo metálico
de emergência presente no interior da chave
para acionar o destravamento da porta do
lado do motorista.
Para extrair o corpo metálico, proceder como
Travamento das portas Nota indicado a seguir:
Para efetuar o travamento das portas, proce- Depois de ter pressionado o botão de "tra-
der como indicado a seguir: vamento das portas", é necessário aguar-
dar 2 segundos antes de poder novamente
● Certificar-se de que tem consigo a chave destravar as portas através do puxador.
eletrônica e que se encontra próximo do Atuando no puxador da porta no espaço de
puxador da porta do lado do motorista ou 2 segundos é, assim, possível verificar se
do passageiro. o veículo está corretamente fechado, sem
● Pressionar o botão "Travamento das por- que as portas sejam novamente destrava-
tas" A situado no puxador, deste modo, das.
serão travadas todas as portas e a tampa
As portas e a tampa do porta-malas do veí-
culo podem ser, de qualquer forma, travadas
30
Nota
A fim de evitar deixar involuntariamente a
chave eletrônica no interior do veículo, a
função Passive Entry está equipada com
uma função automática de destravamento
das portas que funciona se o comutador
de ignição estiver na posição OFF.

Nota
Se uma das portas do veículo estiver aberta
e for pressionado o botão A "bloqueio das
● Atuar no dispositivo A. portas" situado nos puxadores das portas
dianteiras, ou o botão na moldura in-
● Extrair o corpo metálico B, retirando-o
terna do painel da porta, uma vez fechadas
para o exterior.
todas as portas abertas, o veículo efetua
● Inserir o corpo metálico na fechadura da um controle interno e externo para verifi-
porta do lado do motorista e girá-lo para car a eventual presença de chaves eletrô-
destravar a porta. nicas habilitadas.
Nota
O corpo metálico da chave não tem um
sentido de inserção obrigatório; pode, as-
sim, ser introduzido indiferentemente no
interior da fechadura.
Se, no interior do veículo, for detectada uma
das chaves eletrônicas e nenhuma outra
chave eletrônica habilitada for detectada no
31
exterior do veículo, a função Passive Entry Por sua vez, o veículo não desbloqueará as
destrava automaticamente todas as portas portas ao verificar-se uma das seguintes con-
do veículo, emite três sinalizações acústicas dições:
e aciona os indicadores de direção.
● As portas tiverem sido fechadas manual-
Se, pelo contrário, no interior do habitáculo, mente utilizando os puxadores de trava-
se encontrarem uma ou mais chaves eletrô- mento das portas (ou o corpo metálico da
nicas, pressionando o botão no teleco- chave, apenas para a porta do motorista).
mando, o funcionamento das chaves no inte- ● Tiver sido detectada no exterior uma
rior do habitáculo será temporariamente de- chave eletrônica nas proximidades do
sativado. veículo.
Para reativar o seu correto funcionamento,
Se a função Passive Entry for desativada atu-
pressionar o botão no telecomando. Nota
ando no Menu do display ou no sistema Ucon-
nect™, as proteções para evitar deixar invo- Se inadvertidamente esquecer a chave ele-
Nota
luntariamente a chave eletrônica no interior do trônica no interior do porta-malas e se ten-
As portas só serão destravadas quando ti- tar fechá-lo pelo exterior, o travamento da
veículo desativam-se.
verem sido fechadas pressionando o botão tampa não será efetuado, a não ser que es-
"Travamento das portas" localizado nos Acesso ao porta-malas teja presente no exterior uma outra chave
puxadores das portas dianteiras, ou o bo- Ao aproximar-se da tampa do porta-malas eletrônica reconhecida na proximidade do
tão na moldura interna do painel da com uma chave eletrônica válida, pressionar veículo. Com o veículo bloqueado, ao efe-
porta, quando uma chave eletrônica válida o botão de abertura A situado na própria tuar um destravamento apenas da tampa
for reconhecida no interior do veículo e, no tampa para travar/destravar o porta-malas. do porta-malas, e no posterior fechamento,
exterior do veículo, não for detectada ne- for detectada uma chave no seu interior,
nhuma outra chave eletrônica. a tampa do porta-malas será novamente
aberta e as luzes piscarão duas vezes.

32
Nota Ativação/desativação do sistema O dispositivo é automaticamente ativado em
Antes de colocar o veículo em movimento, O sistema Passive Entry pode ser ati- todas as portas, ao efetuar uma dupla pressão
certificar-se de que o porta-malas esteja vado/desativado através do Menu do display rápida do botão na chave.
corretamente fechado. ou do sistema Uconnect™.
A ativação do dispositivo é assinalada por 3
Travamento da tampa do porta-malas DISPOSITIVO DEAD LOCK (Se equi- intermitências dos indicadores de direção.
Para efetuar o travamento do porta-malas
pado) O dispositivo não se ativa se uma ou mais
com a tampa fechada, pressionar o botão A
portas não estiverem corretamente fechadas.
A tampa do porta-malas do veículo pode ser ADVERTÊNCIA Desativação do dispositivo
bloqueada pressionando o botão na chave Ao ativar o dispositivo Dead Lock, deixa
eletrônica ou no painel da porta interna do de ser possível abrir, de forma alguma, as O dispositivo desativa-se automaticamente:
veículo. portas pelo interior do veículo.
● Efetuando a operação de destravamento
Certificar-se antes de sair de que não há das portas (pressionando o botão na
pessoas a bordo. chave com telecomando).
● Deslocando o comutador de ignição para
É um dispositivo de segurança que inibe o fun- a posição MAR.
cionamento dos puxadores internos do veí-
culo e do botão de travamento/destravamento
das portas. Impede, deste modo, a abertura
das portas pelo interior do habitáculo.
É aconselhável acionar o dispositivo sempre
que se estacionar o veículo.
Ativação do dispositivo
33
DISPOSITIVO DE SEGURANÇA PARA ● Posição : dispositivo ativo (porta blo-
CRIANÇAS queada);
● posição : dispositivo desligado (a
ADVERTÊNCIA porta pode ser aberta pelo interior).
Utilizar sempre este dispositivo quando O sistema permanece ativo mesmo ao
transportar crianças. efetuar o destravamento elétrico das por-
Depois de ter acionado o dispositivo em tas.
ambas as portas traseiras, verificar a sua Nota
efetiva ativação atuando no puxador in- As portas traseiras não podem ser abertas
terno de abertura das portas. a partir do interior quando o sistema de
segurança para crianças estiver acionado.
Impede a abertura das portas traseiras pelo
interior. LEVANTADOR ELÉTRICO DOS VI-
DROS
O dispositivo A só pode ser ativado com as
portas abertas:
ADVERTÊNCIA
O uso impróprio dos levantadores elétricos
dos vidros pode ser perigoso.
Antes e durante o acionamento, verifi-
car sempre se os passageiros não estão
expostos ao risco de lesões provocadas

(continuação)

34
Comandos da porta dianteira do lado do ● B: abertura/fechamento do vidro dianteiro
ADVERTÊNCIA (continuação) motorista direito. Funcionamento "contínuo auto-
tanto direta ou indiretamente pelos vidros Os botões estão posicionados na moldura do mático" em fase de abertura/fechamento
em movimento, como por objetos pesso- painel da porta. A partir do painel da porta do do vidro e sistema de antiesmagamento
ais arrastados ou jogados pelos mesmos. lado do motorista é possível comandar todos ativo.
os vidros. ● C: ativação/desativação dos comandos
dos levantadores de vidros das portas
ADVERTÊNCIA ● A: abertura/fechamento do vidro
traseiras.
Ao sair do veículo, retire sempre a chave dianteiro esquerdo. Funcionamento
"contínuo automático" em fase de ● D: abertura/fechamento do vidro traseiro
da ignição para evitar que os levantadores
abertura/fechamento do vidro e sistema esquerdo (se equipado). Funcionamento
elétricos dos vidros, acionados inadver-
de antiesmagamento ativo. "contínuo automático" em fase de aber-
tidamente, constituam perigo para quem
tura do vidro e sistema antiesmagamento
permanece a bordo.
ativo.
Nunca deixe crianças sozinhas no veículo. ● E: abertura/fechamento do vidro traseiro
direito (se equipado). Funcionamento
Funcionam com a chave de ignição na posi- "contínuo automático" em fase de aber-
ção MAR e durante cerca de 1 minuto após a tura do vidro e sistema antiesmagamento
passagem para a posição STOP (ou também ativo.
após a retirada da chave mecânica, para veí- - Abertura de vidros
culos equipados com chave mecânica com
telecomando). Abrindo uma das portas dian- Pressionar os botões para abrir o vidro dese-
teiras, este funcionamento é desativado. jado.
Pressionando brevemente qualquer botão de
abertura, quer nas portas dianteiras ou nas

35
portas traseiras, obtém-se o curso "com inter- Dispositivo de segurança antiesmaga- meira parada. Durante este tempo não é pos-
rupções" do vidro, enquanto que exercendo mento dos vidros dianteiros/traseiros sível acionar o vidro.
uma pressão prolongada ativa-se o aciona- No veículo está ativa a função de antiesma-
mento "contínuo automático". gamento na fase de subida dos vidros dian- Nota
teiros/traseiros. Se a proteção antiesmagamento for acio-
O vidro para na posição pretendida pressio- nada durante 3 vezes consecutivas no es-
nando novamente o respectivo botão. Este sistema de segurança é capaz de reco- paço de 1 minuto ou estiver em avaria, é
nhecer a eventual presença de um obstáculo inibido o funcionamento automático do vi-
- Fechamento dos vidros
durante o movimento de fechamento do vi- dro em subida, permitindo-o somente por
Levantar os botões para fechar o vidro dese- dro. Assim, o sistema interrompe o curso de ressaltos, com liberações sucessivas do
jado. fechamento e, conforme a posição do vidro, botão para a manobra seguinte. Para po-
inverte o seu movimento. der restabelecer o correto funcionamento
A fase de fechamento do vidro ocorre se-
gundo as mesmas lógicas descritas para a Este dispositivo é, portanto, útil também em do sistema é necessário efetuar uma mo-
fase de abertura. caso de eventual acionamento involuntário vimentação para baixo do vidro envolvido.
dos levantadores de vidros por parte de cri- Inicialização do sistema dos vidros elétri-
Para os vidros das portas traseiras está pre-
anças presentes no veículo. cos
visto apenas o fechamento "com interrup-
ções". A função antiesmagamento está ativa durante A seguir à desativação da alimentação elé-
o funcionamento manual ou automático do trica, é necessário inicializar novamente o fun-
- Comandos da porta dianteira do lado do cionamento automático dos levantadores de
vidro.
passageiro/portas traseiras. vidros.
Após a intervenção do sistema antiesmaga-
Na moldura do painel da porta dianteira do O procedimento de inicialização deve ser efe-
mento é interrompido de imediato o curso do
lado do passageiro estão presentes os botões tuado com as portas fechadas e em cada
vidro. Em seguida, o curso do vidro é automa-
para o comando do respectivo vidro. porta:
ticamente invertido e o mesmo volta a descer
cerca de 5 cm relativamente à posição de pri-

36
● Colocar o vidro a inicializar na posição de Regulagem no sentido longitudinal
fim de curso superior, em funcionamento ADVERTÊNCIA
Levantar a alavanca A e empurrar o banco
manual. Qualquer regulagem deve ser efetuada so- para a frente ou para trás.
mente com o veículo parado.
● Após atingir o fim de curso superior, con-
tinuar a manter acionado o comando de Dirija sempre com segurança.
subida durante pelo menos 3 segundos.

BANCOS ADVERTÊNCIA
REGULAGENS DOS BANCOS Os revestimentos têxteis dos bancos estão
Os bancos dianteiros podem ser regulados dimensionados para resistir durante muito
de modo a garantir o máximo conforto dos tempo ao desgaste resultante da utilização
ocupantes. normal do veículo.

Além disso, a regulagem do banco do con- No entanto, é necessário evitar fricções


dutor deve ser efetuada recordando que, ao excessivas e/ou prolongadas com acessó-
manter as costas bem apoiadas contra o en- rios de vestuário, tais como fivelas metáli-
costo, os pulsos devem poder atingir a parte cas, aplicações, fixadores em velcro e se-
superior do aro do volante. melhantes, uma vez que os mesmos, atu-
ando de modo localizado e com uma ele- ADVERTÊNCIA
Além disso, deve ser possível pisar no pedal vada pressão nos fios, podem provocar a Uma vez acionada a alavanca de regu-
da embreagem até o fim de curso, para ver- ruptura dos mesmos, com consequentes lagem, verificar sempre se o banco está
sões com caixa manual, ou pisar no pedal do danos no revestimento. bloqueado nas guias, tentando deslocá-lo
freio (versões com caixa automática). para a frente e para trás.

(continuação)

37
Os botões de comando para a regulagem elé-
ADVERTÊNCIA (continuação) trica do banco encontram-se no lado externo
A ausência deste bloqueio poderá provo- do banco, próximo ao assoalho.
car o deslocamento inesperado do banco
e causar a perda de controle do veículo. Através destes botões é possível regular a
altura, a posição no sentido longitudinal e a
inclinação do encosto.
Regulagem em altura
Nota
Efetuar a regulagem, estando sentado no
banco em questão (lado do motorista ou
lado do passageiro).

Deslocar a alavanca B para cima ou para


baixo até a obter a altura desejada. BANCOS DIANTEIROS COM REGU-
LAGEM ELÉTRICA (Se equipado)
Regulagem da inclinação do encosto
Atuar na alavanca C, acompanhando o en- ADVERTÊNCIA
costo com o movimento do tronco (manter a Não colocar objetos por baixo do banco
alavanca acionada até atingir a posição dese- com regulagem elétrica para não dificultar
jada e depois soltá-la). o seu movimento, porque os comandos Regulagem em altura
Regulagem lombar elétrica poderiam ficar danificados.
Atuar na parte dianteira ou traseira do inter-
Com o Comutador de ignição na posição Além disso, poderiam limitar o curso do ruptor A para modificar a altura e/ou a incli-
MAR, pressionar o botão A para regular o banco. nação do assento do banco.
suporte da zona lombar até obter a configura-
ção de máximo conforto durante a condução.

38
Regulagem no sentido longitudinal APOIA-CABEÇAS
Empurrar o interruptor A para a frente ou BANCOS DIANTEIROS
para trás para deslocar o banco na direção
Para aumentar a segurança dos passageiros,
correspondente.
os apoia-cabeças são reguláveis em altura.
Regulagem da inclinação do encosto
Empurrar o interruptor B para a frente ou
para trás para inclinar o encosto na direção ADVERTÊNCIA
correspondente. Lembre-se que os apoia-cabeças devem
ser regulados exclusivamente com o veí-
Regulagem lombar elétrica culo parado e de maneira que a nuca, e
Atuar no botão C a acionar o dispositivo de não o pescoço, se apoie neles.
suporte da zona lombar até obter a configura-
ção de máximo conforto durante a condução. Somente nesta posição podem protegê-lo
APOIA-CABEÇAS TRASEIROS
em caso de colisões.
Nota Regulagens
A regulagem elétrica só é permitida com Para os lugares traseiros estão previstos três
Para regular a altura, levantar o apoia-cabeça apoios de cabeça reguláveis em altura.
o comutador de ignição na posição MAR
até ouvir o respectivo ruído de bloqueio.
ou por cerca de 30 minutos após o seu Regulagem para cima: elevar o apoio de ca-
posicionamento em STOP. É também pos- Para abaixá-los, pressionar o botão A. beça até ouvir o respectivo ruído de bloqueio.
sível movimentar o banco após a aber-
tura/fechamento da porta por cerca de Regulagem para baixo: pressionar o botão A
30 minutos, travamento/destravamento do e abaixar o apoio de cabeça.
veículo ou acendimento da luz interna cen-
tral.

39
Nota
ADVERTÊNCIA
Os apoia-cabeças traseiros, uma vez re-
movidos, devem sempre ser reposiciona- É terminantemente proibida qualquer inter-
dos corretamente antes de proceder à nor- venção em pós-venda, com consequentes
mal utilização do veículo. Reintroduzir as danos na direção ou na coluna de direção
hastes do apoia-cabeças nas respectivas (por ex. montagem de sistema antifurto).
sedes, mantendo pressionadas os botões As intervenções podem causar, além da
A e B. Em seguida, reposicionar os apoia- diminuição do desempenho do sistema e
cabeças conforme as necessidades. perda da garantia, graves problemas de
segurança.
DIREÇÃO
REGULAGEM DO VOLANTE O volante pode ser regulado em altura e em
APOIA-CABEÇAS TRASEIROS profundidade:
Remoção ADVERTÊNCIA
Deslocar a alavanca A para a posição 1.
Para remover os apoia-cabeças, proceder As regulagens apenas devem ser realiza-
como indicado a seguir: das com o veículo estacionado e o motor
desligado.
● Levantar os apoia-cabeças até à altura
máxima Somente assim poderá ser garantida a
segurança.
● Pressionar os botões A e B ao lado dos
dois suportes, depois remover os apoia-
cabeças puxando-os para cima.

40
O espelho eletrocrômico possui uma tecla
ON/OFF para a ativação/desativação da fun-
ção eletrocrômica antiofuscamento.

Efetuar a regulagem do volante. O espelho retrovisor interno é equipado com


um dispositivo contra acidentes que o des-
Retornar a alavanca à posição 2 para travar o
prende em caso de choque.
volante novamente.
ESPELHO INTERNO ELETROCRÔ- ESPELHOS RETROVISORES EXTER-
ESPELHOS MICO NOS
ESPELHO RETROVISOR INTERNO Em algumas versões, existe um espelho ele- Com regulagem manual
Deslocando a alavanca A obtém-se: trocrômico, capaz de modificar automatica- Faz-se a orientação do espelho retrovisor
● Posição normal mente a capacidade refletora para evitar o através da própria lente, pressionando os
ofuscamento do condutor pontos indicados pelas setas até a posição
● Posição antiofuscamento
desejada.

41
Nota
Terminada a regulagem, girar o dispositivo
A para a posição 0 para evitar deslocamen-
tos acidentais.

ADVERTÊNCIA
As lentes dos espelhos retrovisores são
parabólicas e aumentam o campo de vi-
são.
No entanto, diminuem o tamanho da ima-
gem, dando a impressão de que o objeto
O botão A seleciona o espelho em que será
refletido está mais distante do que a reali-
feita a regulagem.
ADVERTÊNCIA dade.
Qualquer regulagem deve ser efetuada so- ● Dispositivo na posição 1: seleção do es-
mente com o veículo parado. pelho esquerdo. Recolhimento manual
Dirija sempre com segurança. ● Dispositivo na posição 2: seleção do es- Para recolher os espelhos, deslocá-los da
pelho direito. posição 1 (aberto) para a posição 2 (fechado).
Com regulagem elétrica Para regular o espelho, basta pressionar o
A regulagem é possível somente com a chave botão B, situado na porta do motorista, nos
de ignição na posição MAR. quatro sentidos indicados pelas setas.

42
Recolhimento elétrico (se equipado) móveis, caminhões, motocicletas, etc.) nos
Para recolher os espelhos, pressionar o botão pontos cegos da área lateral do veículo.
C. Pressionar novamente o botão C para
colocar os espelhos na posição de marcha.

Nota
Durante a marcha, os espelhos devem ser
mantidos sempre abertos, nunca devem
estar dobrados.

AQUECIMENTO ELÉTRICO DOS ES-


PELHOS EXTERNOS (Se equipado)
Nas versões equipadas com climatizador ma-
nual ou, em função dos equipamentos, clima-
ADVERTÊNCIA tizador automático Dualzone, pressionando
Se a saliência do espelho criar dificulda- o botão no climatizador ativa-se o de- O sistema avisa o condutor da presença de
des numa passagem estreita, dobre-o da sembaçamento/descongelamento dos espe- veículos nas áreas de detecção através do
posição 1 para a posição 2. lhos retrovisores externos. sinal sonoro e do acendimento, do lado cor-
respondente, da luz-espia situada no espelho
Observe sempre as recomendações deste
SISTEMA BSM (Blind-spot Monito- retrovisor externo.
manual.
ring) (Se equipado)
O sistema BSM (monitoramento dos pontos
cegos) utiliza dois sensores de radar, situados
no para-choque traseiro (um de cada lado,
para detectar a presença de veículos (auto-

43
Na partida do motor, a luz-espia acende-se os lados do veículo e avisa o motorista da
para assinalar ao condutor que o sistema está eventual presença de veículos nessas áreas.
ativo.
Durante a condução, o sistema monitora a
Sensores área de detecção a partir de três pontos de
Os sensores ativam-se quando é engatada entrada (lateral, traseira, dianteira) para verifi-
uma marcha qualquer para a frente com velo- car a necessidade de enviar uma sinalização
cidade superior a cerca de 10 km/h ou quando ao condutor. O sistema pode detectar a pre-
é engatada a marcha a ré. sença de um veículo numa destas três áreas.

Os sensores são temporariamente desativa- Nota


dos com o veículo parado e a alavanca das O sistema não assinala a presença de ob-
mudanças na posição P (Estacionamento) jetos fixos (por ex. parapeitos, postes, pa-
(versões com câmbio automático) ou com o redes, etc.). No entanto, em algumas oca-
veículo parado com o freio de estacionamento siões, o sistema pode ativar-se na pre-
elétrico acionado (versões com câmbio ma- sença desses objetos. Esse comporta-
nual). mento é normal e não indica uma avaria do
sistema.
A área de detecção do sistema cobre aproxi-
madamente uma faixa de rodagem em ambos Nota
os lados do veículo (aprox. 3 metros). O sistema não avisa o motorista da pre-
Esta área começa pelo espelho retrovisor ex- sença de veículos que viajam no sentido
terno e estende-se por cerca de 6 metros em contrário ao do próprio veículo, nas faixas
direção à parte traseira do veículo. de rodagem adjacentes.

Quando os sensores são ativados, o sistema


monitora as áreas de detecção em ambos
44
tipo de objeto (por ex. adesivos, porta- O sistema RCP controla as áreas de detecção
ADVERTÊNCIA bicicletas, etc.). traseiras em ambos os lados do veículo, para
O sistema constitui uma ajuda na condu- detectar os objetos que se deslocam para os
ção do veículo, NÃO avisa o motorista da Visualização traseira lados do veículo a uma velocidade mínima
aproximação dos veículos que se encon- O sistema detecta veículos que se aproximam compreendida entre aprox. 1 km/h e 3 km/h e
tram no exterior das áreas de detecção. da parte traseira do veículo de ambos os lados os objetos que se deslocam a uma velocidade
e entram na área de detecção traseira com máxima de cerca de 35 km/h, como ocorre
O condutor deve sempre manter um ní-
uma diferença de velocidade relativamente ao geralmente nos estacionamentos.
vel de atenção adequado às condições do
próprio veículo inferior a 50 km/h.
trânsito, da estrada e no controle da traje- A ativação do sistema é assinalada ao condu-
tória do veículo. Veículos em ultrapassagem tor através de uma indicação acústica e visual.
Ao ultrapassar lentamente outro veículo (com
diferença de velocidade inferior a cerca de 25 Nota
Nota
km/h) e este permanecer no ponto cego du- Se os sensores estiverem cobertos por
Ao se ligar um reboque ao veículo, o sis-
rante cerca de 1,5 segundos, a luz-espia no obstáculos ou por veículos, o sistema não
tema desativa-se automaticamente.
espelho retrovisor externo do lado correspon- avisará o condutor.
Nota dente acende-se.
Modalidades de funcionamento
A área do para-choque traseiro onde estão
Se a diferença entre a velocidade dos dois O sistema pode ser ativado/desativado atu-
localizados os sensores deve permanecer
veículos for superior a cerca de 25 km/h, a ando no Menu do display ou no sistema Ucon-
livre de neve, gelo e da sujeira acumulada
luz-espia não se acende. nect™ (para mais informações, consultar as
pelo piso da estrada, de modo que o sis-
indicações fornecidas no respectivo suple-
tema possa funcionar corretamente. Sistema RCP (Rear Cross Path detection) mento).
Este sistema ajuda o motorista nas manobras
Nota
em marcha a ré em caso de visibilidade redu- "Aviso ângulo cego" modalidade "Visual"
Não cobrir a área do para-choque traseiro
zida. Quando esta modalidade está ativa, o sistema
onde se encontram os sensores com algum
BSM envia uma sinalização visual para o es-
45
pelho retrovisor lateral afetado pela presença Desativação da função "Aviso de ângulo A sequência numérica impressa acima do có-
do objeto detectado. cego" digo de barras identifica o número de homo-
Quando o sistema é desativado (modalidade logação do sistema junto à ANATEL.
No entanto, durante o funcionamento na mo-
"Aviso de ângulo cego" em "OFF"), os siste-
dalidade RCP, o sistema produz alarmes vi- O código de barras e os algarismos localiza-
mas BSM ou RCP não emitirão nem sinaliza-
suais e acústicos quando é detectada a pre- dos abaixo da imagem das barras contêm da-
ções acústicas nem visuais.
sença de um objeto nas proximidades. dos do fornecedor do equipamento.
O sistema BSM memorizará a modalidade de
Quando é emitida a sinalização acústica, o
funcionamento em utilização no momento da
volume do Uconnect™ é reduzido.
desativação do motor. A cada partida do mo-
"Aviso ângulo cego" modalidade "Visual & tor, a modalidade anteriormente memorizada
acústico" será selecionada e utilizada.
Quando esta modalidade está ativa, o sistema
Etiqueta Anatel
BSM envia uma sinalização visual para o es-
Nota
pelho retrovisor lateral afetado pela presença
do objeto detectado. Este equipamento não tem direito à prote-
ção contra interferência prejudicial e não
Quando ocorre a ativação do indicador de di- pode causar interferência em sistemas de- LUZES EXTERNAS
reção no lado correspondente àquele onde foi vidamente autorizados. COMUTADOR DE LUZES
detectado um obstáculo, é também emitida O comutador de luzes A, localizado no
uma sinalização acústica. Este produto está homologado pela ANATEL lado esquerdo do painel de instrumentos,
(Agência Nacional de Telecomunicações) de comanda o funcionamento dos faróis, das
Durante a emissão da sinalização acústica, acordo com os procedimentos regulamenta- luzes de posição, das luzes diurnas, dos
o volume do Uconnect™ é posteriormente dos pela Resolução 242/2000, e atende aos faróis baixos, das luzes de neblina e das
reduzido. requisitos técnicos aplicados. luzes de neblina traseiras.

46
Quanto maior for a sensibilidade, menor é FARÓIS BAIXOS
a quantidade de luz externa necessária para Girar o comutador de luzes para a posição
comandar o acionamento das luzes externas. para acender as luzes de posição, as luzes do
Ativação da função quadro de instrumentos e também os faróis
baixos. No quadro de instrumentos acende-
Girar o comutador de luzes para a posição
AUTO. se a luz-espia .

Quando a função está ativa, ativa-se também LUZES DE POSIÇÃO/LUZES


a função do temporizador de desligamento
DIURNAS (D.R.L. - "Daytime Running
dos faróis: os faróis permanecerão acesos du-
rante cerca de 90 segundos após ter posicio- Lights")
A iluminação externa realiza-se somente com
a chave de ignição na posição MAR. nado o a chave de ignição na posição STOP.
ADVERTÊNCIA
Ao acender as luzes externas, acendem-se o A temporização dos faróis é regulável atuando
As luzes diurnas não substituem os faróis
quadro de instrumentos e os vários comandos no Menu do display ou no sistema Ucon-
baixos durante a circulação noturna ou em
situados no painel. nect™, é possível escolher entre 0, 30, 60 e
túneis.
90 segundos.
FUNÇÃO AUTO - SENSOR CREPUS- O uso das luzes diurnas é regulamentado
Nota pelo código de trânsito. Observar as pres-
CULAR (Se equipado) A função só pode ser ativada com a chave crições.
É um sensor com LEDs infravermelhos, ligado de ignição na posição MAR.
ao sensor de chuva e situado no para-brisa,
capaz de detectar as variações da intensidade Desativação da função Com a chave de ignição na posição MAR
luminosa exterior ao veículo, com base na Para desativar a função, girar o comutador de e o comutador de luzes na posição ,
sensibilidade da luz definida através do Menu luzes para uma posição diferente de AUTO. acendem-se automaticamente as luzes de po-
do display ou do sistema Uconnect™.

47
sição/diurnas: as outras lâmpadas e a ilumi- LUZ DE NEBLINA TRASEIRA TEMPORIZAÇÃO DO
nação interna permanecem apagadas. O interruptor da luz de neblina traseira está DESLIGAMENTO DOS FARÓIS
Em caso de acionamento dos indicadores integrado no comutador de luzes. Esta função de segurança atrasa em cerca de
de direção, as luzes de posição / diurnas 90 segundos o desligamento dos faróis.
Pressionar o botão para ligar/desligar a
apagam-se automaticamente. luz. A temporização dos faróis é regulável atuando
no Menu do display ou no sistema Ucon-
LUZES DE NEBLINA (Se equipado) A luz de neblina traseira acende-se apenas
nect™, sendo possível escolher entre 0, 30,
O interruptor das luzes de neblina está inte- com faróis baixos ou luzes de neblina ligadas.
60 e 90 segundos.
grado no comutador de luzes. A luz apaga-se pressionando novamente no
botão ou apagando os faróis baixos ou os Ativação da função
Com as luzes de posição e faróis baixos ace- faróis de neblina. Com os faróis ligados, colocar a chave de
sas, pressionar o comutador para acen- ignição na posição STOP.
der as luzes de neblina. LUZES DE ESTACIONAMENTO
Em seguida, desligar os faróis no espaço de
Para apagar as luzes de neblina, pressionar Acendem-se apenas com a chave de ignição
45 segundos: a temporização inicia com a
novamente o comutador ou girá-lo para a na posição STOP, ou com a chave retirada,
colocando o comutador de luzes primeiro na rotação do comutador de luzes na posição
posição .
posição e, em seguida, na posição . Nota
As luzes de neblina acendem-se com os faróis Assim, no quadro de instrumentos acende-se Para a ativação da função, os faróis devem
baixos ou as luzes de posição acesas. a luz-espia . ser desligados no espaço de 45 segundos
a partir do posicionamento da chave de
Depois de ter ativado a função, repetir a ope-
ignição em STOP.
ração para desligar as luzes de estaciona-
mento.

48
Desativação da função
A função é desativada voltando a acender os
faróis, as luzes de posição ou colocando a
chave de ignição na posição MAR.

FARÓIS ALTOS
Para ligar os faróis altos, empurrar a alavanca
A (sentido de marcha do veículo). O comuta-
dor de luzes deve ser girado para a posição
AUTO ou .
O farol alto desliga-se voltando a colocar a ● Para cima: ativação do indicador de dire-
A posição instável ativa-se puxando a ala-
alavanca na posição central estável. ção direito.
vanca em direção ao volante.
● Para baixo: ativação do indicador de di-
Como farol alto ligado, no quadro de instru- A luz-espia apaga-se no quadro de instru-
reção esquerdo.
mentos.
mentos acende-se a luz-espia .
No painel de instrumentos ilumina-se com
INDICADORES DE DIREÇÃO - SETAS intermitência a luz-espia ou .
Colocar a alavanca esquerda A na posição
(estável): Os indicadores de direção desativam-se au-
tomaticamente ao repor o veículo na posição
de marcha retilínea ou em caso de aciona-
mento das luzes de estacionamento.

49
Função "Lane Change" (mudança de Dirigir-se imediatamente à Rede de Assis- ● Posição 1: 4 pessoas.
faixa) tência Jeep para o controle e a eventual re- ● Posição 2: 4 pessoas + carga distribuída
Sempre que se pretenda assinalar uma mu- gulagem. no porta-malas.
dança de faixa, colocar a alavanca esquerda ● Posição 3: condutor + carga máxima
Controlar a orientação dos feixes luminosos
na posição instável por menos de meio se- admitida localizada exclusivamente no
cada vez que se mudar o peso ou a disposição
gundo. porta-malas.
da carga transportada.
O indicador de direção do lado selecionado
Corretor de posição dos faróis Nota
irá se ativar durante 5 lampejos para depois
se desligar automaticamente. Funciona apenas com a chave de ignição na Controlar a posição de alinhamento dos
posição MAR. faróis sempre que mudar o peso da carga
transportada.
ALINHAMENTO DOS FARÓIS
Orientação do feixe luminoso
ORIENTAÇÃO DOS FARÓIS DE NE-
Uma correta orientação dos faróis é um fator
determinante para o conforto e a segurança,
BLINA
não só do condutor, mas também dos outros Para o controle e a eventual regulagem, dirigir-
motoristas da estrada. Por outro lado, consti- se à Rede de Assistência Jeep.
tui igualmente uma norma do Código de Trân-
sito. LUZES DE EMERGÊNCIA
Comando
Para garantir a si mesmo e aos outros as Pressionar o botão (fig. seguinte) para ligar/
melhores condições de visibilidade ao viajar desligar as luzes de emergência.
com os faróis acesos, o veículo deve ter uma Para efetuar a regulagem, girar o seletor A
orientação correta dos faróis.
● Posição 0: uma ou duas pessoas nos
bancos dianteiros.

50
As luzes desligam-se automaticamente no
momento em que a frenagem não tem mais
caráter de emergência.

LUZES INTERNAS
CONJUNTO DA LUZ INTERNA DIAN-
TEIRA
O conjunto da luz interna dianteira possui 3
situações distintas, de acordo com a posição
do interruptor:
Posições do interruptor A
Com as luzes de emergência ligadas, obtém-
se a intermitência das luzes-espia .

Nota
O uso das luzes de emergência é regula-
mentado pelo código da trânsito do país
onde se circula: observar as prescrições.

Frenagem de emergência
Em caso de frenagem de emergência,
acendem-se automaticamente as luzes de
emergência e no quadro de instrumentos
acendem-se as luzes-espia .

51
● Posição central: as lâmpadas C e E Temporização da luz interna e ativa-se outra de 10 segundos. Esta
acendem e apagam com a abertura e Em algumas versões, com a iluminação in- temporização desativa-se se a chave de
fechamento das portas terna na posição neutra, em especial em luga- ignição for colocada na posição MAR.
● Posição OFF: as lâmpadas C e E perma- res pouco iluminados, acende-se a lâmpada ● ao trancar as portas (com o telecomando
necem sempre desligadas. da luz interna quando é destravada uma das ou com a chave na porta do lado do con-
● portas para proporcionar mais agilidade na dutor), o conjunto de luz interna apaga-se.
Posição : as lâmpadas C e E perma-
entrada no veículo. ● As luzes internas apagam-se, de qualquer
necem sempre acesas.
Temporização para a entrada no veículo forma, ao fim de 15 minutos para preser-
As luzes acendem/apagam-se de maneira var a duração da bateria
As luzes do conjunto da luz interna acendem
progressiva.
segundo as seguintes modalidades: Temporização para a saída do veículo
O interruptor B acende/apaga a lâmpada C. Depois de ter colocado a chave de ignição em
● Durante cerca de 10 segundos após o
O interruptor D acende/apaga a lâmpada E. destravamento das portas. STOP ou a seguir à extração da chave me-
cânica do comutador de ignição, as luzes do
Nota ● Durante cerca de 3 minutos após a aber-
conjunto de luz interna acendem-se segundo
Antes de sair do veículo, certificar-se de tura de uma das portas
estas modalidades:
que as lâmpadas do conjunto interno es- ● Durante cerca de 10 segundos após o
tejam apagadas; deste modo, evita-se a fechamento das portas. ● Se extrair a chave mecânica do comu-
descarga da bateria, depois de fechadas tador de ignição no espaço de 3 minu-
A temporização é interrompida deslocando a tos a partir da desativação do motor, o
as portas. De qualquer forma, se se es-
chave de ignição para posição MAR. conjunto de luz interna acende-se du-
quecer de uma lâmpada acesa, aproxima-
damente 15 minutos após o motor ter sido Para a desligamento estão previstas três mo- rante 10 segundos. Para versões com
desligado, ela apaga-se automaticamente. dalidades: chave eletrônica, os conjunto de luz in-
terna acende-se durante 10 segundos
● Quando se fecham todas as portas,
desativa-se a temporização de 3 minutos
52
colocando o comutador de ignição em
STOP.
● Durante aproximadamente 3 minutos na
abertura de uma das portas
● Durante aproximadamente 10 segundos
no fechamento de uma porta.

A temporização termina automaticamente


com o travamento das portas.

Luz de cortesia (Se equipado)


Em algumas versões, por trás do para-sol,
estão presentes luzes de cortesia A que ilu-
A luz de cortesia acende-se automaticamente Posição do interruptor A
minam os espelhos.
levantando a cobertura B.
● Posição central: a lâmpada acende-se e
CONJUNTO DE LUZ INTERNA TRA- apaga-se quando se abrem ou se fecham
as portas.
SEIRA
Versões sem teto solar (ou teto de vidro) ● Posição OFF: a lâmpada permanece sem-
O interruptor A acende/apaga a lâmpada do pre apagada
conjunto da luz interna traseira ● Posição : a lâmpada permanece sem-
pre acesa.

Versões com teto solar


Para versões com teto solar, estão presen-
tes dois conjuntos de luzes A situados lateral-

53
mente (sobre os manípulos de apoio das por- As luzes acendem-se ao abrir as portas tra-
tas traseiras). seiras.
O acendimento do(s) conjunto (s) de luz (es) in-
terna(s) traseira(s) ocorre também juntamente
com os eventos que determinam o acendi-
mento do conjunto de luz interna dianteira.

LUZES DO PORTA-MALAS
No interior do porta-malas estão presentes
dois conjuntos de luzes A .

54
Acendem-se automaticamente com a aber-
tura do porta-malas e apagam-se com o seu
fechamento.
Os conjuntos acendem-se/apagam-se inde-
pendentemente da posição da chave no co-
mutador de ignição.

REGULAGEM DA INTENSIDADE LU-


MINOSA DO QUADRO DE INSTRU-
MENTOS E DOS GRAFISMOS DOS
BOTÕES DE COMANDO LIMPADORES E LAVADORES
Com as luzes de posição ou os faróis acesos, DOS VIDROS
girar o seletor A para cima para aumentar
PARA-BRISA E VIDRO TRASEIRO
a intensidade da iluminação do quadro de
instrumentos e dos grafismos dos botões de A alavanca direita sob o volante reúne todos
comando ou para baixo para diminuí-la. os comandos para a limpeza do para-brisa e
do vidro traseiro.

55
LIMPADORES E LAVADOR DO PARA- 3. : funcionamento intermitente (alta
ADVERTÊNCIA
BRISA velocidade).
É aconselhável não acionar o limpador do
Funcionamento para-brisa com as palhetas levantadas. 4. LO: funcionamento contínuo lento.
5. HI: funcionamento contínuo rápido.
ADVERTÊNCIA Esta atitude preserva os limpadores.
Não utilizar o limpador para o retirar neve Deslocando a alavanca para cima (posição
ou gelo acumulados no para-brisa. Nestas Funciona somente com a chave de ignição na instável), ativa-se a função : o funcio-
condições, se o limpador do para-brisa for posição MAR. namento está limitado ao tempo em que se
submetido a um esforço excessivo, ativa- mantém manualmente a alavanca nesta posi-
se a proteção do motor, que inibe o seu ção. A soltar a alavanca, esta volta à sua posi-
funcionamento durante alguns segundos. ção parando automaticamente o limpador do
para-brisa. Esta função é útil para remover,
Se a funcionalidade não for posteriormente por exemplo, pequenas acumulações de su-
restabelecida, mesmo após uma nova par- jeira do para-brisa, ou o orvalho matinal.
tida do veículo, contatar a Rede de Assis-
tência Jeep. Nota
Atenção: esta função não ativa o lavador
do para-brisa. Para esguichar o líquido do
lavador no para-brisa, é necessário usar a
função de lavagem.
O aro A pode assumir as seguintes posições:
Com o aro A na posição 1 ou 2 , o lim-
1. O: Limpador do para-brisa desligado pador do para-brisa adapta automaticamente
2. : funcionamento intermitente (baixa a velocidade de funcionamento à velocidade
velocidade). do veículo.

56
Nível de sensibilidade do sensor de chuva SENSOR DE CHUVA (Se equipado) contínua (funcionamento contínuo lento) com
(Se equipado) Está localizado atrás do espelho retrovisor in- chuva intensa.
As posições 1 e 2 correspondem também terno, em contato com o para-brisa e está em
Ativação
ao 1° e 2° nível de sensibilidade do sensor condições de detectar a presença da chuva
de chuva (quando este é ativado através do e, consequentemente, acionar a limpeza do
Menu do display ou no sistema Uconnect™). para-brisa em função da água presente no vi- ADVERTÊNCIA
dro. Não ativar o sensor de chuva durante a
Função “Lavagem inteligente” lavagem do veículo em um sistema de
Puxar a alavanca para o volante (posição lavagem automática.
instável) para acionar o lavador do para-brisa.
Poderia causar avarias no sensor.
Ao manter a alavanca puxada, ativa-se au-
tomaticamente, com um único movimento, o
jato do lavador do para-brisa e o próprio lim- ADVERTÊNCIA
pador. Se for verificada a presença de gelo ou
O funcionamento do limpador do para-brisa barro no para-brisa, certificar-se do desli-
continua após desligamento da alavanca e gamento do dispositivo.
executa três passadas finais. Esta prática preserva os limpadores.
O ciclo é terminado por uma passada do
limpador do para-brisa cerca de 6 segundos Atuando no Menu do display ou no sistema
depois. O sensor tem um campo de regulagem que
varia progressivamente de limpador parado Uconnect™, é possível ativar/desativar o sen-
(nenhuma passada) quando o vidro está seco, sor de chuva.
para limpador de para-brisa na 2ª velocidade A ativação do sensor é assinalada por uma
"passada" do limpador.

57
A variação da sensibilidade, durante o funcio- ex. durante a lavagem do para-brisa, bloqueio de avaria permanece ativa durante o tempo
namento do sensor de chuva, é assinalada por das palhetas no vidro devido ao gelo). de ativação do sensor.
uma "passada" do limpador. Esta passada é
O restabelecimento do funcionamento auto- O sensor de chuva é capaz de reconhecer e
também executada com o para-brisa seco.
mático do sensor de chuva obtém-se girando de adaptar-se automaticamente à presença
Ao acionar o lavador do para-brisa com o o aro A da posição 1 para a posição e, das seguintes condições:
sensor de chuva ativado, é efetuado o ciclo em seguida, voltando a colocar o aro na po-
normal de lavagem no fim do qual o sensor ● Presença de impurezas na superfície de
sição 1 . controle (por ex. depósitos salinos, sujei-
retoma o seu funcionamento automático nor-
mal. Restabelecendo o funcionamento do sensor ras, etc.).
de chuva com uma das manobras acima des- ● Presença de filetes de água provocadas
Nota critas, verifica-se uma passada do limpador pelas palhetas gastas do limpador do
Manter limpo o vidro na região do sensor. de para-brisa, independentemente das con- para-brisa.
Desativação dições do vidro, para assinalar a efetiva reati- ● Diferença entre dia e noite.
vação.
Atuar no Menu do display (ou no sistema
Uconnect™) ou deslocar a chave de ignição No caso de sensor de chuva ativado mas
para a posição STOP. avariado, o limpador do para-brisa funciona ADVERTÊNCIA
por intermitência com uma regulagem igual Se for necessário limpar o para-brisa, ve-
Se deslocar a chave de ignição para a posição rificar sempre se o dispositivo está desli-
à sensibilidade selecionada para o sensor de
STOP, deixando o aro A na posição 1 ou 2 chuva, independentemente da presença ou gado.
, na partida seguinte (chave de ignição na não de chuva no vidro (em algumas versões, Evite riscos.
posição MAR) não é efetuado nenhum ciclo no display é assinalada a avaria do sensor).
de limpeza mesmo na presença de chuva.
De qualquer forma, o sensor continua a funci-
Isto evita ativações involuntárias do sensor de onar e é possível ativar o limpador na modali-
chuva em fase de acionamento do motor (por dade contínua (1ª ou 2ª marcha). A indicação
58
LIMPADOR E LAVADOR TRASEIRO Mantendo a alavanca empurrada por mais de Difusores de ar laterais
Ativação meio segundo, ativa-se também o limpador
Girando o aro B da posição O para a posição traseiro. Ao soltar a alavanca, ativa-se a lava-
aciona-se o limpador traseiro da seguinte gem inteligente, semelhante ao para-brisa.
forma: Desativação
● No modo intermitente quando o limpador A função é finalizada ao soltar a alavanca.
do para-brisa não está em funcionamento
● No modo síncronizado (com a metade CLIMATIZAÇÃO
da frequência do limpador do para-brisa) DIFUSORES DO AR DO HABITÁCULO
quando o limpador do para-brisa está em Os difusores podem ser orientados agindo
funcionamento nos relativos dispositivos de modo a orientá-
● Na modalidade contínua com marcha a ré los para a posição desejada.
engatada e comando ativo.

Posição 1 : funcionamento intermitente


(baixa velocidade).

Posição 2 : funcionamento contínuo lento.

Com o limpador do para-brisa em funciona-


mento e marcha a ré inserida ativa-se o lim-
pador traseiro na modalidade contínua.
Empurrando a alavanca para o painel (posição
instável) aciona-se o jato do lavador traseiro.

59
A Difusores de ar laterais fixos (lado do con- A - Difusores de ar centrais reguláveis e ori-
dutor e lado do passageiro) para desembaçar entáveis:
vidros laterais.
● Atuar no dispositivo B para orientar o
B - Difusores de ar laterais reguláveis e orien- difusor na direcão desejada
táveis: ● Girar o seletor C para regular o fluxo do
● Atuar no dispositivo C para orientar o ar.
difusor na direção desejada. D - Difusor de ar superior fixo para desemba-
● Girar o seletor D para regular o fluxo de çar o para-brisa.
ar.

Difusores de ar centrais

60
CLIMATIZADOR MANUAL

61
COMANDOS ● Saída de ar dos difusores da região Climatização (resfriamento)
A - seletor de ativação/regulagem do ventila- dos pés dianteiros. Para obter o resfriamento do habitáculo, pro-
dor: ● ceder do seguinte modo:
Saída de ar dos difusores da região
● 0 = ventilador desligado dos pés dianteiros, para-brisas e vidros ● Girar o seletor C para a zona azul.
laterais.
● = velocidade de ventilação (é possível ● Ligar a recirculação do ar interno pressi-
● Saída de ar para o para-brisas e vidros onando o botão B (LED no botão aceso).
selecionar 7 velocidades)
laterais. ● Girar o seletor E para .
B - botão de ativação/desativação da recircu-
lação de ar. Estão também previstas mais 4 posições in- ● Pressionar o botão D para ligar o climati-
termediárias entre as 5 distribuições princi- zador e girar o seletor A pelo menos para
C - seletor de regulagem da temperatura do pais acima descritas. a 1ª velocidade. Para obter um arrefeci-
ar e engate da função MAX A/C. mento rápido, girar o selector A para a
F - botão de ativação/desativação do vidro
● Zona azul-escuro = ar frio traseiro térmico. velocidade máxima do ventilador e o se-
letor C para a posição MAX A/C.
● Zona vermelha = ar quente Quando é selecionado a distribuição do ar
para o para-brisa, ativa-se o compressor do Nota
D - botão de ativação/desativação do com-
climatizador (LED no botão A/C aceso) e a re- Com base em condições climáticas exter-
pressor do climatizador.
circulação posiciona-se em "ar externo" (LED nas particulares, a função de recirculação
E - seletor de distribuição do ar. no botão B apagado). Esta lógica garante é ativada automaticamente pelo climatiza-
uma melhor visibilidade dos vidros. O usuário dor.
● Saída de ar dos difusores centrais e tem sempre a possibilidade de ativar a recir-
laterais. culação de ar e desligar o compressor do cli-
● Saída de ar dos difusores frontais cen- matizador.
trais e laterais e dos difusores da região
dos pés dianteiros.
62
Arrefecimento máximo (Modalidade "MAX climatizador e a recirculação de ar: pressi- Para obter o desembaçamento ou desconge-
A/C") onando os botões B ou D, o respectivo LED lamento rápido, proceder do seguinte modo:
Para obter o resfriamento do habitáculo, é piscará três vezes e permanecerá aceso.
também possível posicionar o seletor C na ● Girar o seletor C no sentido horário até ao
posição assinalada pela indicação MAX A/C. Aquecimento do habitáculo máximo da zona vermelha
Para obter o aquecimento do habitáculo, pro- ● Girar o selector A para a velocidade má-
Nesta modalidade, o sistema ativa o climati- ceder do seguinte modo: xima do ventilador
zador e ativa a recirculação do ar interno (LED
● Girar o seletor A para a zona vermelha. ● Girar o seletor E para .
nos botões B e D ambos acesos). Esta moda-
lidade só é possível se o seletor A se encon- ● Girar o seletor E para . Nota
trar pelo menos na 1ª velocidade e se a distri-
● Girar o seletor A pelo menos para 1ª Nesta condição, o climatizador desativa a
buição de ar não for dirigida para o para-brisa.
velocidade. Para obter um aquecimento função de recirculação (LED no botão B
Para obter um arrefecimento rápido, girar rápido, girar o seletor A para a velocidade apagado) e ativa o compressor (LED no
o seletor A para a velocidade máxima do máxima do ventilador. botão F aceso). Este automatismo serve
ventilador e deslocar o fluxo de ar para os para prevenir o embaçamento do vidro.
difusores centrais e laterais do painel. Nota
Com o motor frio são necessários alguns Antiembaçamento dos vidros
Nota minutos antes de obter um aquecimento O climatizador é muito útil para prevenir o
Quando o seletor C estiver em MAX A/C, ideal do vão do habitáculo. embaçamento dos vidros em caso de forte
o sistema Start&Stop é desabilitado (se umidade.
equipado), exceto se o seletor E estiver na Desembaçamento ou descongelamento
rápido Na presença de forte umidade externa e/ou de
posição .
Esta operação permite o desembaçamento chuva e/ou de grande diferença de tempera-
Nota ou descongelamento rápido do para-brisa e tura entre o interior e o exterior do habitáculo,
Enquanto o seletor C se encontrar na po- dos vidros laterais dianteiros. é aconselhável efetuar a seguinte manobra
sição MAX A/C não é possível desativar o preventiva de antiembaçamento dos vidros:

63
● Girar o seletor C para a zona vermelha. mico, para evitar danificá-lo, prejudicando dias chuvosos/frios para evitar a possibili-
● Girar o seletor E para , com possibi- o seu funcionamento. dade de embaçamento dos vidros.

lidade de passagem à posição caso Para a ativação da função de desembaça- Manutenção do sistema
não se notem sinais de embaçamento. mento ou descongelamento do vidro tra- No Inverno, o sistema de climatização deve
● Girar o seletor A pelo menos para 1ª seiro térmico, o motor deve estar ligado. funcionar pelo menos uma vez por mês du-
velocidade do ventilador. Recirculação do ar interno rante cerca de 10 minutos.

Desembaçamento ou descongelamento Pressionar o botão B de modo que o LED Antes do Verão, verificar a eficiência do sis-
do vidro traseiro térmico. no botão fique aceso. É recomendável ativar a tema junto da Rede de Assistência Jeep.
Pressionar o botão F para ativar/desativar recirculação de ar interno durante as paradas
a função. em filas ou em túneis para evitar a entrada de
ar externo poluído. ADVERTÊNCIA
A ativação efetiva da função é evidenciada O sistema utiliza fluido refrigerante R134a
pelo acendimento do LED localizado no pró- Evitar a utilização prolongada desta função,
que, no caso de perdas acidentais, não
prio botão. A função é, contudo, desativada especialmente quando se encontrarem mais
prejudica o ambiente.
automaticamente após 20 minutos. pessoas no veículo, de modo a evitar a pos-
sibilidade de embaçamento dos vidros. Não utilizar fluido refrigerante R12 ou ou-
Para algumas versões, pressionando o botão tro que não seja o R134a, que são incom-
ativa-se também o desembaçamento ou Nota patíveis com o sistema de climatização do
descongelamento dos espelhos retrovisores A recirculação do ar interno permite, com veículo.
externos e a zona das palhetas do limpador base no modo de funcionamento selecio-
do para-brisa aquecido. nado ("aquecimento" ou "arrefecimento"),
alcançar mais rapidamente as condições
Nota desejadas. A ativação da recirculação do
Não aplicar adesivos nos filamentos elétri- ar interno é desaconselhada em caso de
cos na parte interna do vidro traseiro tér-
64
CLIMATIZADOR AUTOMÁTICO DUALZONE

19.5 °C 22.0 °C

65
COMANDOS L - Manopla de regulagem da temperatura do ● Temperatura do ar nos difusores lado
A - Manopla de regulagem da temperatura lado do passageiro. motorista/passageiro.
do lado do condutor. M - Botão de ativação da função SYNC (ali- ● Distribuição do ar nos difusores lado mo-
nhamento das temperaturas definidas) do mo- torista/passageiro.
B - Botão de ativação/desativação da recir-
culação de ar interno. torista/passageiro. ● Velocidade do ventilador (variação contí-
nua do fluxo de ar).
C - Botão de ativação/desativação do com- N - Botão de ativação da função AUTO (fun-
cionamento automático). ● Ativação do compressor (para o resfria-
pressor do climatizador.
mento/desumidificação do ar).
D - Botão de ativação da função MAX-DEF Descrição ● Recirculação do ar.
(descongelamento/desembaçamento rápido O climatizador automático Dualzone regula as
dos vidros dianteiros). temperaturas do ar no habitáculo em duas zo- Todas estas funções são modificáveis manu-
nas: lado do motorista e lado do passageiro. almente, intervindo no sistema e selecionando
E - Botão de ativação/desativação do clima- uma ou várias funções para modificar os seus
tizador. O sistema mantém constante o conforto do parâmetros.
habitáculo e compensa as eventuais varia-
F - Manopla de regulagem da velocidade do As seleções manuais têm sempre prioridade
ções das condições climáticas externas.
ventilador. sobre o automatismo e são memorizadas até
G - LED de sinalização da velocidade do Nota que o usuário pressione o botão AUTO, ex-
ventilador. Para uma gestão ideal do conforto, a tem- ceto nos casos em que o sistema intervenha
peratura de referência é 20°C a 22°C (68°F por motivos de segurança específicos.
H - Botões de seleção e distribuição do ar. a 72°F).
As seguintes operações não desativam a fun-
I - Botão de ativação/desativação do vidro Os parâmetros e as funções controladas au- ção AUTO:
traseiro térmico. tomaticamente são:
● Ativação/desativação da recirculação.
● Ativação/desativação do compressor.

66
● Ativação da função SYNC. ● Distribuição do ar para 7 posições (para função SYNC, ativar e desativar o compres-
● Ativação/desativação do vidro traseiro função AUTO). sor e a recirculação, atuando a qualquer mo-
térmico. ● Ativação do compressor. mento nos respectivos botões e manoplas: o
sistema modificará automaticamente as defi-
● Função descongelamento e desembaça-
A seleção manual de uma função não pre- nições para se adaptar aos novos pedidos.
mento rápido.
judica o controle das outras em automático.
A quantidade de ar introduzida no habitá- ● Recirculação do ar. Deste modo, o climatizador continuará a co-
culo é independente da velocidade do veí- ● Vidro traseiro térmico. mandar automaticamente todas as funções
culo, sendo regulada pelo ventilador contro- exceto as que podem ser mudadas manual-
● Desativação do sistema. mente. A velocidade do ventilador é única
lado eletronicamente.
Modalidades de funcionamento do clima- para toda a zona do habitáculo.
A temperatura do ar introduzido é sempre tizador
controlada automaticamente, em função das Regulagem da temperatura do ar
O sistema pode ser ativado de formas várias, Girar as manoplas A ou L para a direita ou
temperaturas selecionadas no display (exceto
contudo, é aconselhável pressionar o botão para a esquerda para regular a temperatura
quando o sistema está desligado ou em al-
AUTO e girar as manoplas para definir as do ar na zona dianteira esquerda (manopla A)
gumas condições quando o compressor está
temperaturas desejadas. e na direita (manopla L) do habitáculo. As
desativado).
Deste modo, o sistema começará a funcio- temperaturas selecionadas são visualizadas
O sistema permite selecionar ou modificar no display.
nar de modo completamente automático re-
manualmente:
gulando temperatura, quantidade e distribui- Pressionar o botão SYNC para alinhar a tem-
● Temperaturas do ar para o lado do moto- ção do ar introduzido no habitáculo e gerindo peratura do ar entre as duas zonas.
rista e passageiro a função de recirculação e a ativação do com-
pressor do condicionador. Para voltar à gestão separada das temperatu-
● Velocidade do ventilador (variação contí-
ras do ar nas duas zonas, girar a manopla L.
nua) Durante o funcionamento automático, é pos-
sível variar as temperaturas selecionadas, ati- Ao girar as manoplas completamente para a
var/desativar o vidro traseiro térmico, ativar a direita ou a esquerda, ativam-se respectiva-
67
mente as funções de HI (aquecimento má- seiros. Esta distribuição do ar é indicada ● Divisão do fluxo do ar em
ximo) ou LO ou MAX A/C (resfriamento má- para aquecimento rápido do habitáculo. todos os difusores do veículo.
ximo). Para desativar estas funções, girar a ● Divisão do fluxo de ar entre os
manopla da temperatura, definindo a tempe- Na modalidade AUTO, o climatizador
difusores da zona dos pés e os difusores
ratura desejada. comanda automaticamente a distribuição
centrais e laterais do painel. Esta distribui-
do ar e a velocidade do eletroventilador
Nota ção do ar é útil nas estações moderadas
(os LEDs nos botões H ficarão apagados).
Com a função MAX A/C ativada, o sistema (primavera e outono), na presença de ra-
A distribuição do ar, quando selecionada
Start&Stop é desabilitado (se equipado). diação solar.
manualmente, é visualizada através da
● Divisão do fluxo de ar entre os ligação dos LEDs nos botões selecionados.
Seleção da distribuição do ar difusores da zona dos pés e os difusores
Pressionando os botões , , é possível para descongelamento ou desembaça- Na função combinada, pressionando um bo-
definir manualmente uma das 7 distribuições mento do para-brisa e dos vidros laterais tão ativa-se a função respectiva simultane-
possíveis do ar: dianteiros. Esta distribuição do ar per- amente às já definidas. Se, pelo contrário,
mite um bom aquecimento do habitáculo, for pressionado um botão cuja função está já
● Fluxo de ar direcionados para os di- ativa, esta é anulada e o LED correspondente
tendo em conta o possível embaçamento
fusores do para-brisa e dos vidros late- dos vidros. apaga-se. Para restabelecer o controle auto-
rais dianteiros para o desembaçamento mático da distribuição do ar após uma sele-
● Divisão do fluxo de ar entre difuso- ção manual, pressionar o botão AUTO.
ou descongelamento dos vidros.
res da zona de descongelamento ou de-
● Fluxo de ar direcionados para os di- Regulagem da velocidade do ventilador
sembaçamento do para-brisa e difusores
fusores centrais e laterais do painel para centrais e laterais do painel. Esta distri- Pressionar o botão F para aumentar/diminuir
resfriamento rápido do habitáculo. buição permite enviar ar para o para-brisa a velocidade do ventilador. A ativação é assi-
● Fluxo de ar direcionados para os di- em condições de irradiação, auxiliando nalada pela iluminação dos LEDs G situados
fusores da zona dos pés dianteiros e tra- no isolamento térmico do habitáculo. na região da manopla F.

68
● Velocidade máxima do ventilador = todos Esta condição é assinalada pelo acendimento Botão SYNC
os LEDs acesos. do LED no botão AUTO. Pressionar o botão SYNC (LED no botão
● Velocidade mínima do ventilador = um aceso) para alinhar a temperatura do ar lado
Intervindo manualmente na distribuição de ar
LED aceso. do passageiro à do lado do motorista.
ou na velocidade do ventilador, apaga-se o
O ventilador só pode ser desligado se o com- LED para assinalar que o climatizador já não Esta função facilita a regulagem da tempera-
pressor do climatizador tiver sido desativado controla automaticamente todas as funções. tura na presença apenas do motorista.
pressionando o botão A/C. Nota Para voltar à gestão separada das tempera-
Com o modo AUTO ativado, o sistema turas e da distribuição do ar, girar a manopla
Nota
Start&Stop pode ser desativado de acordo L para selecionar a temperatura do lado do
Para restabelecer o controle automático da
com a temperatura interna requerida e con- passageiro.
velocidade do ventilador após uma regula-
gem manual, pressionar o botão AUTO. dições ambientais, visando manter a tem-
Recirculação do ar
peratura do habitáculo refrigerada.
A recirculação do ar é comandada segundo
Botão AUTO
Nota as seguintes lógicas de funcionamento:
Pressionando o botão AUTO (LED no botão
aceso), o climatizador anula todas as regula- Se o sistema não conseguir garantir o al-
● Ativação automática: LED no botão
gens manuais anteriores e regula automatica- cance/manutenção da temperatura pedida
nas várias zonas do habitáculo, a tempe- apagado, LED no botão AUTO aceso.
mente:
ratura definida lampeja durante alguns se- ● Ativação forçada (recirculação do ar sem-
● A quantidade e a distribuição do ar intro- gundos. pre ativada): LED do botão aceso.
duzido no habitáculo.
Para restabelecer o controle automático do ● Desativação forçada (recirculação de ar
● O compressor do climatizador. sistema depois de uma ou mais seleções sempre desligado, tomada de ar a partir
● A recirculação do ar. manuais, pressionar o botão AUTO. do exterior): LED no botão apagado.

69
A ativação/desativação forçada é selecionável embaçamento dos vidros. No funcionamento Quando o compressor é ativado e o motor
pressionando o botão . automático, a recirculação é comandada au- está ligado, a ventilação manual não pode
tomaticamente pelo sistema em função das baixar da velocidade mínima (apenas um LED
Pressionando o botão , o climatizador ativa condições climáticas externas. aceso).
automaticamente a recirculação de ar interna
Compressor do climatizador Nota
(LED no botão aceso).
Pressionar o botão A/C para ligar/desligar Com o compressor desligado, não é possí-
Em todo o caso, pressionando o botão é o compressor (a ativação é assinalada pelo vel introduzir no habitáculo ar com tempe-
possível ativar a captação de ar exterior (LED acendimento do LED no próprio botão). A de- ratura inferior à temperatura exterior. Além
no botão apagado) e vice-versa. sativação do compressor permanece memo- disso, em condições ambientais específi-
rizada mesmo depois de desligar o motor. cas, os vidros podem ficar embaçados ra-
Nota pidamente porque o ar não pode ser desu-
Desativando o compressor, o sistema desa-
A ativação da recirculação permite um al- midificado.
tiva a recirculação para evitar o possível em-
cance mais rápido das condições deseja-
baçamento dos vidros. Se o climatizador es- Desembaçamento ou descongelamento
das para aquecer/resfriar o habitáculo. É
tiver em condições de manter a temperatura rápido dos vidros (função MAX-DEF)
sempre desaconselhável o uso da recircu-
solicitada, o LED no botão AUTO permanece Pressionar o botão para ativar (LED no
lação em dias chuvosos/frios ou, em todo
aceso. Se, pelo contrário, não estiver em con- botão aceso) o desembaçamento ou descon-
o caso, na presença de baixa temperatura
dições de manter a temperatura solicitada, o gelamento do para-brisa e dos vidros laterais.
exterior, já que aumenta substancialmente
LED no botão AUTO apaga-se.
a possibilidade de rápido embaçamento in-
O climatizador efetua as seguintes operações:
terno dos vidros (principalmente se o cli- Para restabelecer o controle automático da
matizador não for ativado). ativação do compressor, pressionar nova- ● Ativa o compressor do condicionador
mente o botão A/C ou o botão AUTO. Com quando as condições climáticas o
Para temperaturas externas baixas, a recir- o compressor desligado, é possível reiniciar permitem.
culação é forçosamente desativada (com to- manualmente a velocidade do ventilador.
mada de ar do exterior) para evitar o possível ● Desativa a recirculação do ar.

70
● Define a temperatura máxima do ar (HI) regulagem da velocidade do ventilador e a Para a ativação da função de desembaça-
em ambas as zonas. desativação do vidro traseiro térmico. mento ou descongelamento do vidro tra-
● Ativa uma velocidade do ventilador com seiro térmico, o motor deve estar ligado.
Pressionando os botões , A/C ou AUTO,
base na temperatura do líquido de arrefe-
o climatizador desativa a função MAX-DEF. Desativação do climatizador
cimento do motor.
Pressionar o botão .
● Direciona o fluxo de ar para os difusores Desembaçamento ou descongelamento
do para-brisa e dos vidros laterais dian- do vidro traseiro térmico Com o climatizador desativado:
teiros. Pressionar o botão REAR para ativar
● A recirculação do ar é ativada, isolando
● Ativa o vidro traseiro térmico. (LED no botão aceso) o desembaçamento ou
descongelamento do vidro traseiro térmico. assim o habitáculo do exterior.
● Indica a velocidade do ventilador (ilumi-
● O compressor é desativado.
nação LED G) e a distribuição aplicada. A função desativa-se automaticamente após
cerca de 20 minutos ou quando desligar o ● O ventilador é desligado.
Nota ● É possível ativar/desativar o vidro traseiro
motor e não se reativa na partida seguinte.
Com a função MAX-DEF ativada, o sistema térmico.
Start&Stop é desabilitado (se equipado). Pressionando o botão quando disponível,
ativa-se também o desembaçamento ou des- Nota
Nota A central do climatizador memoriza as tem-
congelamento dos espelhos retrovisores ex-
A função MAX-DEF permanece ativa du- peraturas definidas antes da desativação
ternos.
rante cerca de 3 minutos, a partir do mo- e restabelece-as quando se pressiona um
mento em que o líquido de arrefecimento Nota botão qualquer do sistema.
do motor atinge a temperatura adequada. Não aplicar adesivos nos filamentos elétri-
cos na parte interna do vidro traseiro tér- Reativação do climatizador
Quando a função é ativada, apaga-se o LED Para voltar a ligar o climatizador em condições
mico, para evitar danificá-lo, prejudicando
no botão AUTO. Com a função ativa, as automáticas, pressionar o botão AUTO.
o seu funcionamento.
únicas intervenções manuais possíveis são a

71
Utilização do climatizador TETO SOLAR ADVERTÊNCIA
A utilização constante do ar-condicionado TETO SOLAR ELÉTRICO
pode resultar, com o tempo, na formação de O teto solar deve ser fechado manual-
mau cheiro devido ao acúmulo de poeira e mente sempre que o veículo for trancado.
ADVERTÊNCIA
umidade no sistema de ar-condicionado, fa- O teto solar não possui sistema de fecha-
cilitando a proliferação de fungos e bactérias. Ao sair do veículo, retire sempre a chave
mento centralizado, como ocorre com os
da ignição para evitar que os levantadores
Para minimizar o problema de mau cheiro, é vidros das portas, e não será fechado no
elétricos dos vidros, acionados inadver-
recomendado, semanalmente, desligar o ar- travamento das portas pelas chaves.
tidamente, constituam perigo para quem
condicionado e ligar o aquecedor, no máximo, permanece a bordo.
cerca de 5 a 10 minutos antes de estacionar o O teto solar elétrico é composto por dois
veículo, para que a umidade do sistema seja Nunca deixe crianças sozinhas no veículo.
painéis de vidro, dos quais o dianteiro é móvel
eliminada. e o traseiro é fixo, e está equipado com cortina
O filtro antipólen, existente no sistema, deve de proteção contra o sol de movimentação
ADVERTÊNCIA elétrica.
ser substituído com maior frequência se o O uso impróprio do teto solar pode ser
veículo transitar constantemente em estradas perigoso. O funcionamento do teto e da cortina só se
de muita poeira ou ficar estacionado debaixo verifica com a chave de ignição na posição
de árvores. Antes e durante a sua movimentação, MAR.
certificar-se que os passageiros não
Consultar o "Plano de manutenção progra- estejam expostos ao risco de lesões
mada" para conhecer os intervalos de manu- ABERTURA
provocadas pelo movimento de aber-
tenção corretos. Pressionando o botão A o painel de vidro
tura/fechamento do teto solar ou pelo
dianteiro será aberto completamente.
arrastamento de objetos que possam
colidir com os mesmos.

72
Com a cortina completamente aberta, pres-
ADVERTÊNCIA sionar o botão B e a cortina se movimentará
Na presença de bagageiro transversal, não para a parte dianteira do veículo, até à posi-
abrir o teto solar. ção de fechamento total.
Não abrir o teto na presença de neve ou Durante as fases de abertura e fechamento
gelo, pois poderá ser danificado. automático, para interromper o movimento da
cortina, atuar novamente o botão B.
A movimentação automática pode ser inter-
rompida em qualquer posição, pressionando FUNÇÃO "VENT" - ABERTURA DO
novamente o botão A. SPOILER
Para colocar o teto na posição "spoiler", pres-
FECHAMENTO sionar e soltar o botão C.
A partir da posição de abertura total, pressi- Este tipo de abertura pode ser ativada inde-
onar o botão A e o painel dianteiro será fe- pendentemente da posição do teto solar, para
chado completamente. versões/mercados, onde previsto.
A movimentação automática pode ser inter- Durante a movimentação para atingir a aber-
rompida em qualquer posição, pressionando tura de abertura do spoiler, uma posterior
novamente o botão A. pressão no botão C interrompe o movimento
do teto solar.
MOVIMENTAÇÃO DA CORTINA
Pressionar o botão B e a cortina se movimen-
tará para a parte traseira do veículo, até à po-
sição de abertura total.

73
DISPOSITIVO ANTIESMAGAMENTO sentido contrário para fechar o teto (ou a
O teto solar está equipado com um sistema cortina).
de segurança antiesmagamento capaz de re-
conhecer a eventual presença de um obstá- PROCEDIMENTO DE INICIALIZAÇÃO
culo durante o movimento de fechamento do Depois de um não funcionamento dos
vidro; quando se verifica este evento, o sis- movimentos automáticos em fase de
tema interrompe e inverte imediatamente o abertura/fechamento ou de uma manobra de
curso do vidro. emergência (consultar parágrafo anterior),
é necessário reinicializar o funcionamento
MANOBRA DE EMERGÊNCIA automático do teto solar.
Em caso de não funcionamento dos botões Proceder do seguinte modo:
de comando, a cortina protetora contra o
sol e o teto solar podem ser manobrados ● Movimentação da cortina: ● Colocar o teto em posição completa-
manualmente procedendo como descrito a Remover o tampão de proteção A situado mente fechada
seguir: no revestimento interno. ● Colocar a chave de ignição na posição
● Movimentação do teto solar: STOP e manter este estado durante 10
segundos.
Remover o tampão de proteção B situado
no revestimento interno. ● Deslocar a chave de ignição para a posi-
ção MAR.
● Retirar a chave philips C fornecida.
● Pressionar o botão A na posição de "fe-
● Introduzir a chave C na sede A (para mo-
chamento.
vimentar a cortina) ou B (para movimentar
o teto solar) e girá-la no sentido horá- ● Manter o botão pressionado durante pelo
rio para abrir o teto (ou a cortina) ou no menos 10 segundos. Ao fim deste tempo,

74
será possível perceber a parada do motor
elétrico do teto.
● No espaço de 5 segundos, pressionar
novamente o botão A na posição de "fe-
chamento".
● Manter o botão A acionado nesta posição:
o teto efetua automaticamente um ciclo
completo de abertura e fechamento. Se
isto não se verificar, repetir as operações
desde o início.
● Mantendo o botão A acionado, aguardar
o fechamento completo do teto: o proce-
dimento de inicialização está terminado. Os painéis são construídos em material espe- Painéis dianteiros e traseiros distinguem-se
cial, leve e perfeitamente resistente aos agen- através de um ideograma especial posicio-
TETO SOLAR MYSKY - DESCRIÇÃO tes atmosféricos (como por ex. chuva, gra- nado na parte inferior do próprio painel.
nizo, vento, etc.), capazes, também, de garan-
O teto solar MySky™ representa uma nova e Em algumas versões, o painel dianteiro pode
tir uma perfeita insonorização do habitáculo.
exclusiva concepção de teto solar, especifi- ser acionado eletricamente.
camente estudado para este veículo.
Independentemente do tipo de movimenta-
O teto é constituído por dois painéis, um di- ção dos painéis (manual ou elétrica), ambos
anteiro e um traseiro, removíveis individual- os painéis podem ser removidos individual-
mente ou em simultâneo, em função da ne- mente.
cessidade do motorista.

75
Nota ● Botão A: abertura/fechamento até ao fim
Os painéis estão em condições de supor- de curso do painel dianteiro.
tar a neve ou gelo que poderia depositar-se ● Botão B: botão de abertura na posição
sobre eles. De qualquer forma, é aconse- "de compasso" do painel dianteiro.
lhável remover camadas excessivas even-
tualmente acumuladas. Abertura/fechamento do painel dianteiro.
Pressionando o botão A: o painel de vidro
MOVIMENTAÇÃO DO PAINEL DIAN- dianteiro será aberto completamente.
TEIRO A partir da posição de abertura total, pressio-
Em algumas versões, o painel dianteiro pode nar o botão A: o painel dianteiro será fechado
ser acionado eletricamente. completamente.
O painel pode ser movimentado para a Função "VENT" (abertura "de compasso"
frente/trás e aberto na posição "de com- do teto)
passo". Para colocar o teto na posição de "com-
Os botões para o acionamento do painel di- passo", pressionar brevemente o botão B.
anteiro encontram-se na moldura localizada Este tipo de abertura pode ser ativada inde-
próximo à luz interna dianteira. pendentemente da posição do teto solar.
Durante a abertura "de compasso", qualquer
pressão no botão B interrompe o fechamento
do teto.

Dispositivo antiesmagamento
O painel dianteiro do teto solar está equipado
com um sistema de segurança antiesmaga-
76
mento capaz de reconhecer a eventual pre- ● Atuando no interior do habitáculo, intro-
sença de um obstáculo durante o movimento duzir a chave A, fornecida, no interior da
de abertura e fechamento do painel. respectiva sede B.
Ao verificar-se este evento, o sistema inter-
rompe e inverte imediatamente o curso do
painel.

REMOÇÃO DOS PAINÉIS


Nota
Com ambos os painéis removidos, o teto
solar não pode ser movimentado eletrica-
mente.
● Girar e manter na posição a chave em cor-
Nota respondência do símbolo , de modo a
Efetuar a remoção dos painéis apenas com desbloquear a fechadura de bloqueio e,
o veículo parado. ao mesmo tempo, puxar o manípulo C
(localizado por baixo do próprio painel),
Nota até ao fim do curso.
O painel traseiro só pode ser removido
● Remover o painel dianteiro e/ou traseiro.
quando o painel dianteiro for completa-
mente fechado ou removido. ● Posicionar o painel (ou ambos os painéis)
no interior da respectiva bolsa (consultar
Para remover os painéis, proceder como indi- páginas seguintes) fornecida e posicionar
cado a seguir: esta última no interior do porta-malas.

77
Remontagem dos painéis ● Atuando pelo exterior, posicionar corre-
tamente o painel nas respectivas guias, ADVERTÊNCIA
- Painel dianteiro
colocando-o numa posição um pouco Na presença de bagageiro transversal, não
Proceder do seguinte modo: avançada. abrir o teto solar.
● Atuando pelo exterior, posicionar corre- ● Fazer deslizar delicadamente o painel Não abrir o teto na presença de neve ou
tamente o painel nas respectivas guias, para trás, até ao fim do curso. gelo, pois poderá ser danificado.
colocando-o numa posição um pouco re- ● Certificar-se de que o painel foi montado
cuada. corretamente (certificando-se de que não BOLSA PARA ALOJAMENTO DOS
● Fazer deslizar delicadamente o painel passa luz entre o painel e as guias). Atu-
PAINÉIS
para a frente, até ao fim do curso. ando pelo interior do habitáculo, exercer
também no painel um impulso de baixo Depois removidos, os painéis do teto devem
● Atuando pelo interior do habitáculo, atuar ser posicionados no interior da bolsa locali-
no manípulo situado por baixo do próprio para cima, para se certificar de que este
está corretamente engatado nas respec- zada no interior do porta-malas.
painel de modo a bloqueá-lo.
tivas fechaduras de bloqueio.
● Certificar-se de que o painel foi montado
corretamente (certificando-se de que não
passa luz entre o painel e as guias). Atu-
ando pelo interior do habitáculo, exercer ADVERTÊNCIA
também no painel um impulso de baixo Na operação de remontagem dos painéis,
para cima, para se certificar de que este prestar particular atenção ao fechamento.
está corretamente engatado nas respec- Evite que dedos, cachecóis, gravatas e
tivas fechaduras de bloqueio. peças de vestuário não aderentes possam
- Painel traseiro ser presas por baixo dos próprios painéis.

Proceder do seguinte modo:

78
É aconselhável efetuar este procedimento ● Em seguida, voltar a fechar a bolsa e
atuando pelo exterior do veículo. posicioná-la corretamente no interior do
porta-malas.
Para o correto alojamento, proceder da se-
guinte forma: ● Abrir os dois dispositivos D com que está
equipada a bolsa e fixá-la firmemente
● Abrir a bolsa e levantar para fora os dis- aos ganchos de retenção localizados na
positivos A. travessa do porta-malas, como indicado
na figura a seguir.

● Posicionar o primeiro painel B como indi-


cado e, em seguida, posicionar o segundo
painel C.

79
Nota
Nunca dispor sobre a bolsa, cargas dema-
siadamente pesadas: para mais informa-
ções, consultar a documentação fornecida
juntamente com a própria bolsa.

Nota
A bolsa é lavável: para mais informações,
consultar a documentação fornecida jun-
tamente com a própria bolsa.

MANOBRA DE EMERGÊNCIA
Em caso de não funcionamento dos botões
● Introduzir a chave B (fornecida) na sede A
de comando, o teto solar pode ser mano-
e girá-la para a direita para abrir o teto ou
brado manualmente operando como descrito
para a esquerda para fechá-lo.
a seguir:

● Remover o tampão de proteção A


localizado no revestimento interno.

80
CAPÔ DO MOTOR
ABERTURA

ADVERTÊNCIA
Uma colocação incorreta da vareta pode
provocar a queda violenta do capô. A
Certifique-se do correto travamento da va-
reta no dispositivo.

● Acionar a alavanca B atuando no sentido


ADVERTÊNCIA
indicado pela seta e levantar o capô.
Levantar o capô utilizando ambas as mãos.
● Retirar a vareta de suporte C do res-
Antes de proceder ao levantamento, pectivo dispositivo de bloqueio D, depois
certificar-se de que os braços dos limpa- inserir a sua extremidade na sede E do
dores do para-brisa não estejam levanta- capô do motor.
dos e em funcionamento e de que o veículo
esteja parado e o freio de mão acionado.

Proceder do seguinte modo:

● puxar a alavanca A no sentido indicado


pela seta

81
FECHAMENTO e reintroduzi-la no respectivo dispositivo
de bloqueio D.
ADVERTÊNCIA ● Baixar o capô a cerca de 40 centímetros
Por motivos de segurança, o capô deve do vão do motor; em seguida, deixá-lo
manter-se bem fechado durante a marcha. cair e certificar-se de que esteja comple-
Portanto, verificar sempre o fechamento tamente fechado e não apenas engatado
correto do capô, certificando-se de que na posição de segurança. Caso esteja
esteja bem travado. apenas engatado, não exercer pressão
no capô, mas voltar a levantá-lo e repetir
Se, durante a marcha, perceber que não a manobra.
está perfeitamente travado, parar imedia-
tamente e fechar o capô de modo correto. Nota
Verificar sempre o fechamento correto do
capô, para evitar que se abra em movi-
ADVERTÊNCIA mento. Como o capô está equipado com
Executar as operações apenas com o veí- um duplo sistema de bloqueio, um de cada
culo parado. lado, é necessário verificar o efetivo fecha-
mento para ambas as extremidades late-
Esteja sempre atento às recomendações rais do capô.
deste manual.

Proceder do seguinte modo:

● Manter o capô levantado com uma mão e


com a outra retirar a vareta C da sede E

82
PORTA-MALAS ● Remover a cobertura do porta-malas (se
BLOQUEIO equipado).
O bloqueio do porta-malas é elétrico e é ● Retirar os apoios de cabeça traseiros e
desativado com o veículo em movimento. rebater completamente os bancos.

ABERTURA

ADVERTÊNCIA
Cuidado ao abrir a tampa do porta-malas.
Objetos colocados no porta-malas podem
ser danificados ao abrir a tampa.
Abrindo o porta-malas obtém-se uma dupla
sinalização luminosa dos indicadores de dire-
Abertura a partir do exterior ção e o acendimento das luzes internas. As
Quando desbloqueado, é possível abrir o luzes apagam-se automaticamente fechando
porta-malas pelo exterior do veículo, atuando o porta-malas.
no puxador elétrico de abertura A posicio- ● com a chave de fenda, remover a lingueta
nado na parte inferior da tampa até ouvir o Se esquecer o porta-malas aberto, as luzes de cor amarela A.
estalido de efetivo bloqueio ou pressionando apagam-se automaticamente após alguns mi-
nutos. ● Em seguida, inserir a chave de fenda na
rapidamente duas vezes o botão no tele- sede B de modo a fazer saltar a lingueta
comando. Abertura de emergência pelo interior de desbloqueio do porta-malas.
Proceder do seguinte modo:

83
● Fechar todas as portas e o porta-malas.
● Pressionar o botão no telecomando.
● Pressionar o botão no telecomando.

PORTA-MALAS - AMPLIAÇÃO
O banco traseiro rebatido permite a ampliação
parcial (1/3 ou 2/3) ou total do porta-malas.

Remoção da cobertura do porta-malas


(Se equipado)
Proceder do seguinte modo:

FECHAMENTO Nota ● Liberar as extremidades dos dois tirantes


Segurar no puxador A e baixar a porta, pres- Antes de voltar a fechar o porta-malas, A de suporte da cobertura do porta-malas
sionando junto da fechadura até sentir o fe- certificar-se de que tem a chave em sua retirando os olhais B dos suportes.
chamento da mesma. posse, porque o porta-malas será bloque-
ado automaticamente.

PORTA-MALAS - INICIALIZAÇÃO
Nota
Após uma eventual desativação da bateria
ou uma interrupção do fusível de proteção,
é necessário "inicializar" o mecanismo de
abertura/fechamento do porta-malas pro-
cedendo como a seguir:
84
● Levantar a parte traseira da cobertura do ● Liberar os apoios C colocados no exterior ● Uma vez removida, a cobertura pode ser
porta-malas. da prateleira, depois remover a cobertura colocada no porta-malas ou entre os en-
do porta-malas puxando-a para cima. costos dos bancos dianteiros e os bancos
traseiros (com o porta-malas totalmente
ampliado).

85
Ampliação parcial do porta-malas (1/3 ou ● Atuar na alavanca A para rebater a parte ● Baixar totalmente os apoios de cabeça
2/3) desejada (esquerda ou direita) do en- do banco traseiro.
costo: o encosto será rebatido automa- ● Deslocar lateralmente os cintos de segu-
ADVERTÊNCIA ticamente para a frente. Se necessário, rança verificando se estes estão comple-
Antes de rebater o encosto, remover qual- acompanhar o encosto na primeira parte tamente desenrolados e sem torções
quer objeto presente no assento do banco. do rebatimento. A elevação da alavanca
● Atuar nas alavancas A para rebater a parte
é evidenciada por uma marca vermelha.
Observe sempre as recomendações deste esquerda e direita dos encostos: os en-
manual. costos serão rebatidos automaticamente
para a frente. Se necessário, acompa-
nhar os encostos na primeira parte do
A ampliação do lado direito do porta-malas rebatimento. A elevação da alavanca é
permite transportar dois passageiros na parte evidenciada por uma marca vermelha.
esquerda do banco traseiro enquanto a am-
pliação do lado esquerdo permite transportar Reposicionamento dos encostos
um passageiro. Deslocar lateralmente os cintos de segurança,
certificando-se de que estejam corretamente
Proceder do seguinte modo: desenroladas e não torcidos.
● Remover a cobertura do porta-malas (se Levantar os encostos, empurrando-os para
equipado). trás até ouvir o ruído de bloqueio em ambos
Ampliação total do porta-malas
● Baixar totalmente os apoios de cabeça os mecanismos de engate B, verificando visu-
O rebatimento completo do banco traseiro
do banco traseiro. almente o desaparecimento das "marcas ver-
permite dispor do máximo volume de carga.
● Deslocar lateralmente o cinto de segu- melhas" presentes nas alavancas A. A "marca
rança certificando que o cinto esteja to- Proceder do seguinte modo: vermelha" indica a falta de engate do encosto.
talmente desenrolado e sem torções.

86
LÂMPADA RETRÁTIL RECARREGÁ-
VEL
Em algumas versões, está presente uma lâm-
pada recarregável A , no lado esquerdo, no
interior do porta-malas.
A lâmpada é extraível da respectiva sede.
Uma vez utilizada, voltar a colocá-la correta-
mente na respectiva sede B.

ADVERTÊNCIA
Certificar-se de que os encostos estão
corretamente travados em ambos os lados
(“marcas vermelhas“ não visíveis).
Esta prática evita que, em caso de frena-
gem brusca, os encostos possam ser pro-
jetados para a frente, causando ferimen-
tos aos passageiros.

87
SISTEMA DE NIVELAMENTO DE colocar objetos mais frágeis ou de peque- Posicionar o plano de modo que este fique
nas dimensões. apoiado em correspondência dos pontos A e
CARGAS B presentes nas laterais do porta-malas.
● Posição 1 (plano totalmente em cima):
PLANO DE CARGA RECONFIGURÁ-
combinada com o rebatimento dos en- Nesta posição, o plano garante o correto
VEL costos dos bancos traseiro e banco di- bloqueio de eventuais objetos presentes no
anteiro do lado do passageiro, permite interior do porta-malas, evitando que estes
ADVERTÊNCIA carregar objetos de grandes dimensões. deslizem em caso de frenagens bruscas.
O plano de carga está dimensionado para Aconselha-se a utilização desta posição
uma capacidade máxima de peso distri- apenas durante o transporte efetivo dos Além disso, o plano de carga é rebatível, e
buído igual a 70 kg (na posição 0) ou 40 kg objetos; em seguida, voltar a colocar o está equipado com uma superfície de plástico
(na posição 1). plano na posição 0. lavável, por exemplo, para o transporte de
objetos úmidos ou sujos de lama.
Não carregar objetos com peso superior Nota
ao dimensionado. Antes de posicionar cargas no plano de Acesso ao plano de carga reconfigurável
carga na posição 0, certificar-se de que Para acessar ao duplo vão de carga, proceda
os ganchos de retenção da bagagem não do seguinte modo:
O veículo está equipado com um plano re-
configurável, que torna modulável o volume interferem com o próprio plano.
● Segurar no dispositivo A e levantar o
do porta-malas: Inclinação do plano de carga plano B para cima segurando-o com uma
Para além das duas posições acima descritas, mão.
● Posição 0 (plano nivelado limite): per-
mite tornar o limite de carga plano para o plano de carga pode também ser colocado
facilitar a carga/descarga dos objetos do na posição oblíqua (inclinado para os encos-
porta-malas. Permite também aproveitar tos dos bancos traseiros), de modo a facilitar
o espaço inferior como vão adicional para o acesso à região por baixo do porta-malas
(por ex. para pegar roda sobressalente).

88
● Em seguida, reposicionar corretamente o
plano B.

Nota
As movimentações do plano de carga de-
vem ser efetuadas colocando-se em posi-
ção central relativamente ao porta-malas.

● introduzir os objetos no interior do vão C.


89
Deslocamento do plano de carga reconfi- Retirada da roda sobressalente para garantir um sólido vínculo à carga trans-
gurável Para retirar a roda sobressalente e a respec- portada.
Para deslocar o plano de carga da posição tiva caixa de ferramentas, proceder do se-
inferior para a posição superior, proceder do guinte modo:
seguinte modo:
● Segurar no puxador A e remover o plano
● Segurar no puxador A levantar o plano B B.
para cima segurando-o com uma mão. ● Puxar a lingueta C e levantar o tapete de
● Posicionar corretamente o plano B nas revestimento para cima.
guias D presentes nas laterais e na tra-
vessa posterior E.

Nas laterais estão também disponíveis três


ganchos (um no lado esquerdo e dois no
lado direito) para a fixação de cargas não
excessivamente pesadas (por ex., malas).

Fixação da carga
No interior do porta-malas estão localizados
quatro ganchos para a ancoragem de cabos

90
PORTA-LUVAS Abrindo o porta-luvas acende-se uma lâm-
pada para a iluminação do vão.
ADVERTÊNCIA Nota
Não viajar com a tampa do porta-luvas Não inserir no porta-luvas objetos de di-
aberta. mensões tais que não permitam o fecha-
Em caso de acidente, pode ferir os ocu- mento completo. Além disso, durante a
pantes dos lugares dianteiros. marcha, certificar-se de que o porta-luvas
está perfeitamente fechado.

Para abrir o porta-luvas, proceder do seguinte PARA-SOL


modo: Os para-sóis encontram-se ao lado do espe-
● Atuar no puxador A. lho retrovisor interno. Podem ser orientadas
Nota
para a frente e para os lados.
Não aplicar, num só gancho, uma carga
superior a 10 kg. Para orientar no sentido lateral, retirá-la do
gancho do lado do espelho retrovisor interno
EQUIPAMENTOS INTERNOS e girá-lo para a janela lateral.
LOCALIZAÇÃO Na parte de trás do para-sol existem espe-
Os equipamentos estão distribuídos no habi- lhos de cortesia iluminados, que permitem a
táculo do veículo conforme a seguir. sua utilização mesmo em condições de fraca
luminosidade.
Para acessar ao espelho, levantar a cobertura
A.

91
ACENDEDOR

ADVERTÊNCIA
O acendedor de cigarros alcança tempe-
raturas elevadas.
Manejá-lo com cautela e evitar que crian-
ças o utilizem, pois há perigo de incêndio
ou queimaduras.

Está situado no console central. Para ligar o


acendedor, pressionar o botão A.
TOMADA DE CORRENTE Nas versões equipadas com "kit acendedor"
em vez da tomada de corrente está presente
Está situada no móvel central. Funciona ape-
o acendedor de cigarros.
nas com a chave de ignição na posição MAR.
Nota
Não introduzir na tomada aparelhos com
potência superior a 180 W. Além disso,
não danificar a tomada usando aparelhos
inadequados.

92
Após alguns segundos o acendedor regressa No interior do apoio de braço está presente
automaticamente à posição inicial e está um vão porta-objetos. Para ter acesso, atuar
pronto para ser utilizado. no dispositivo A e levantar o apoio de braço.

Nota PORTA-COPOS/PORTA-LATAS
Verificar sempre a efetiva desativação do No console central existem duas sedes
acendedor. que podem ser utilizadas como porta-
Nota copos/porta-latas.
Não introduzir na tomada aparelhos com
potência superior a 180 W. Além disso,
não danificar a tomada usando aparelhos
inadequados.

APOIO DE BRAÇO DIANTEIRO (Se


equipado)
Está localizado entre os bancos dianteiros.
O apoio de braços é regulável no sentido
longitudinal atuando no sentido indicado pela
seta

93
ALÇAS DE APOIO PORTA-ÓCULOS (se equipado)
Está localizado à frente do banco dianteiro do Para algumas versões está previsto um porta-
lado do passageiro óculos localizado acima da porta do moto-
rista.
A alça pode ser utilizada durante as fases de
entrada/saída do habitáculo ou como apoio
em terrenos particularmente acidentados.

VÃO PORTA-OBJETOS DO BANCO


DO LADO DO PASSAGEIRO (Se equi-
pado)
Em algumas versões, por baixo do assento
do banco do passageiro encontra-se um vão
porta-objetos.
Pegar na lingueta A e rebater a almofada BAGAGEIRO DE TETO
B, acompanhando-a com a mão: é, assim,
possível, acessar ao vão porta-objetos C.
DESCRIÇÃO
Em algumas versões, o veículo possui duas
barras longitudinais que podem ser utilizadas,
com o acréscimo de acessórios específicos,
para o transporte de vários objetos (por ex.,
esquis, pranchas de windsurf, etc).

94
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
Antes de prosseguir, certificar-se da cor- A carga máxima permitida nas barras lon- Respeitar rigorosamente as disposições
reta montagem das barras transversais. gitudinais, desde que montadas as barras legislativas vigentes relativas às medidas
transversais, é de 100 kg, respeitando o li- máximas.
Observe todo o sistema de fixação para
mite de carga do veículo.
prosseguir a marcha com segurança. Consulte sempre as publicações de bordo.
Nunca ultrapassar as cargas máximas per-
mitidas no veículo.
Instalação de barras transversais
ADVERTÊNCIA
As barras transversais podem ser instaladas
A utilização das barras transversais sobre na presença das barras longitudinais.
as longitudinais inibe a utilização do teto ADVERTÊNCIA
solar, uma vez que este último, na fase de Nunca ultrapassar as cargas máximas per- Consultar as indicações de instalação nas
abertura, interfere com as barras. mitidas. barras transversais adquiridas. Para mais in-
formações, dirigir-se à Rede de Assistência
Não movimentar o teto solar na presença Para saber as cargas máximas permitidas, Jeep.
de barras transversais. consultar o parágrafo "Pesos" no capítulo
"Dados técnicos".
PROTEÇÃO DO AMBIENTE
SISTEMAS UTILIZADOS
Versões Flex
Os sistemas utilizados para reduzir as emis-
sões dos motores Flex são: conversor catalí-
tico, sonda lambda e sistema antievaporação.

95
Versões Diesel A adoção do filtro de partículas torna-se ne- espia específica se apague e a mensagem
Os sistemas utilizados para reduzir as emis- cessária para eliminar quase totalmente as específica apareça no painel de instrumentos.
sões dos motores Diesel são: conversor ca- emissões de partículas de carbono em sinto-
talítico oxidante, sistema de recirculação dos nia com as atuais/futuras normas legislativas. Nota
gases de escape (E.G.R.) e filtro de partículas ATENÇÃO: ao realizar o procedimento com
Durante o uso normal do veículo, a unidade o veículo em marcha lenta, nunca estacio-
(DPF).
central de controle do motor grava uma série nar em locais fechados ou sobre material
de dados inerentes ao uso (período de uso, inflamável, em razão do aquecimento ele-
tipo de percurso, temperaturas atingidas, etc.) vado do catalisador, decorrente do funci-
ADVERTÊNCIA e determina a quantidade de partículas acu- onamento normal do motor. A alta tempe-
No seu funcionamento, o conversor cata- muladas no filtro. ratura atingida pelo catalisador poderá ge-
lítico e filtro de partículas (DPF) desenvol-
Como o filtro consiste num sistema de acumu- rar risco de incêndio, quando em contato
vem elevadas temperaturas.
lação, deve ser regenerado (limpo) periodica- com material inflamável (por ex. relva, fo-
Portanto, não estacionar o veículo sobre mente queimando as partículas de carbono. lhas secas, agulhas de pinheiro, etc.). Vide
material inflamável (por ex. relva, folhas “Proteção do ambiente” no capítulo “Co-
secas, agulhas de pinheiro, etc.): perigo É necessário manter o veículo em movimento nhecendo seu veículo” e “Sistema de esca-
de incêndio. até o término da regeneração. Quando a pamento” no capítulo “Manutenção e cui-
luz-espia se apaga, é exibida no painel uma dados com o seu veículo”.
mensagem específica indicando o término do
FILTRO DE PARTÍCULAS DPF (Diesel processo de regeneração. O procedimento de regeneração é controlado
Particulate Filter) automaticamente pela central de controle do
Excepcionalmente, caso não seja possível motor em função do estado de acumulação
O Diesel Particulate Filter é um filtro mecâ-
manter o veículo em movimento, a limpeza do do filtro e das condições de utilização do
nico, introduzido no sistema de descarga, que
filtro de partículas DPF poderá ser realizada veículo.
captura fisicamente as partículas de carbono
com o veículo em marcha lenta até que a luz-
presentes nos gases de descarga do motor Durante a regeneração, é possível que se ve-
Diesel. rifiquem os fenômenos seguintes: aumento li-
96
mitado do regime de marcha lenta, ativação CONTROLE DAS EMISSÕES POLU-
do eletroventilador, aumento limitado dos ga- ENTES
ses, elevadas temperaturas na descarga. Este veículo está em conformidade com as
Estas situações não devem ser interpretadas Resoluções CONAMA (Conselho Nacional do
como anomalias e não afetam o funciona- Meio Ambiente) vigentes na data de sua pro-
mento normal do veículo nem o ambiente. Em dução.
caso de visualização da mensagem dedicada Os índices de fumaça em aceleração livre es-
no display, consultar o parágrafo "Luzes de tão expressos em m-1 (coeficiente de absor-
advertências e mensagens" no capítulo "Co- ção de luz) conforme ensaios realizados com
nhecendo seu painel de instrumentos". combustível de referência, especificado nas
A ausência da realização do ciclo de limpeza Resoluções vigentes do CONAMA.
do filtro de partículas DPF de forma adequada, Este índice é uma referência para verificação
juntamente com a não observância dos avi- quanto ao estado de manutenção do veículo.
sos indicativos no painel de instrumentos do
veículo, poderá acelerar o processo de degra-
dação do óleo do motor. A luz-espia do óleo
do motor acenderá caso o sistema constate
que o óleo foi degradado indicando a necessi-
dade da troca. Neste caso, procure imediata-
mente uma das concessionárias da Rede de
Assistência Jeep para a verificação e substi-
tuição do óleo do motor.

97
Índice de opacidade em aceleração livre
Renegade 2.0 Diesel

Rotação Marcha Lenta 850 rpm

Rotação de Corte 5000 rpm

Índice de opacidade em aceleração livre (m-1) (altitude acima de 350 m) 0,51 m-1

Índice de opacidade em aceleração livre (m-1) (altitude abaixo de 350 m) 0,51 m-1

98
2
CONHECENDO O SEU PAINEL DE INSTRU-
MENTOS
PAINEL DE INSTRUMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
COMPONENTES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
QUADRO DE INSTRUMENTOS - Versões com display
multifuncional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103
QUADRO DE INSTRUMENTOS - Versões com display
multifuncional reconfigurável . . . . . . . . . . . . . . . . 104
INSTRUMENTOS DE BORDO . . . . . . . . . . . . . . . . 105
VELOCÍMETRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
Regulagem da iluminação do painel de instrumentos
(sensor de luminosidade) . . . . . . . . . . . . . . . . 105
INDICADOR DE TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE
ARREFECIMENTO DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . 105
Versões com display multifuncional . . . . . . . . . . 106
Versões com display multifuncional
reconfigurável . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
CONTA-GIROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
INDICADOR DO NÍVEL DE COMBUSTÍVEL . . . . . . . . . 106
Indicador analógico de nível de combustível . . . . . 106
LUZES DE ADVERTÊNCIAS E MENSAGENS . . . . . . . . . 107
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 107

99
COMPUTADOR DE BORDO . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
DISPLAY . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
DISPLAY MULTIFUNCIONAL . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Área superior do display (A) . . . . . . . . . . . . . . . 127
Área central do display (B) . . . . . . . . . . . . . . . 127
Área inferior do display (C) . . . . . . . . . . . . . . . 127
DISPLAY MULTIFUNCIONAL RECONFIGURÁVEL . . . . . 127
Área superior do display (A) . . . . . . . . . . . . . . . 128
Área central do display (B) . . . . . . . . . . . . . . . 128
Área inferior do display (C) . . . . . . . . . . . . . . . 128
GEAR SHIFT INDICATOR (Se equipado) . . . . . . . . . . 128
BOTÕES DE COMANDO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 129
MENU PRINCIPAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
OPÇÕES DO MENU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
Velocímetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
Info veículo (Informações sobre o estado do
veículo) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
Driver Assist (Assistência ao condutor) (se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131
Econom. Comb. (Consumo de combustível) . . . . . 131
Trip (Trip A/Trip B) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131
Áudio (Visualização de informações áudio) . . . . . . 131

100
Avisos (Mensagens memorizadas) . . . . . . . . . . . 132
Def. Display (Modificação das definições do display
do quadro de instrumentos) . . . . . . . . . . . . . . 132
Def. Veículo (Modificação das definições do
veículo) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133
TRIP COMPUTER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
Botão "OK" . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136
SISTEMA DE DIAGNÓSTICO DE BORDO . . . . . . . . . . . 136
SISTEMA OBD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136
LUZ-ESPIA DE AVARIA DO SISTEMA DE DIAGNÓSTICO
DE BORDO/CONTROLE DO MOTOR . . . . . . . . . . . . 137

101
PAINEL DE INSTRUMENTOS
COMPONENTES
A disponibilidade e a posição dos instrumentos e dos sinalizadores podem variar em função dos itens opcionais adquiridos/disponíveis.

1- Comando de luzes externas 2- Difusores de ar laterais 3- Quadro de instrumentos 4- Alavanca esquerda (comando de farol alto e luzes de direção)
5- Alavanca direita (comando de limpeza/lavagem dos vidros) 6- Difusores de ar centrais 7- Alça de apoio 8- Porta-luvas 9- Volante

102
QUADRO DE INSTRUMENTOS - Versões com display multifuncional
A iluminação dos gráficos do quadro de instrumentos pode variar conforme as versões.

A- Conta-giros – B- Indicador digital da temperatura do líquido de arrefecimento do motor com luz-espia de temperatura máxima – C- Display
multifuncional – D- Indicador digital do nível de combustível com luz-espia de reserva (o triângulo presente no lado direito do símbolo indica o
lado do veículo no qual está presente o bocal para o abastecimento de combustível) – E- Velocímetro

Luz-espia que indica o aquecimento de combustível. Nas versões Diesel, estão também presentes os ícones no display e o fim de escala
do conta-giros é de 6000 rpm.

103
QUADRO DE INSTRUMENTOS - Versões com display multifuncional reconfigurável
A iluminação dos gráficos do quadro de instrumentos pode variar conforme as versões.

3 4 60 80
2 5 40 100

1 6 20 120

0 7 C H E F
0 140
RPM km/h
x1000 MPH

A- Conta-giros – B- Indicador digital da temperatura do líquido de arrefecimento do motor – C- Display multifuncional – D- Indicador digital do nível
de combustível (o triângulo presente no lado direito do símbolo indica o lado do veículo no qual está presente o bocal para o abastecimento de
combustível) – E- Velocímetro

Luz-espia que indica o aquecimento de combustível. Nas versões Diesel estão também presentes os ícones nas versões Diesel. no
display e o fim de escala do conta-giros é de 6000 rpm.

104
INSTRUMENTOS DE BORDO Regulagem da iluminação do painel de cadores estão completamente iluminados
A serigrafia dos instrumentos pode variar em instrumentos (sensor de luminosidade) e não são reguláveis.
função da versão do veículo. No interior do velocímetro está presente um ● Na modalidade "noite" o display, o gra-
sensor de luminosidade A capaz de detectar fismo e os indicadores são reguláveis para
Ao colocar a chave de ignição na posição as condições de luz ambiente e, com base nos 8 níveis.
MAR, os ponteiros do conta-giros e do velo- dados detectados, regular a modalidade de
címetro percorrem toda a escala e retornam Consequentemente, também é regulada a
funcionamento do quadro de instrumentos. intensidade luminosa do display do clima-
no início demonstrando funcionamento nor-
mal dos instrumentos. tizador automático Dualzone e do sistema
Uconnect™.
Para o display multifuncional, duas barras la-
terais serão visualizadas fazendo o “check” 60 80 INDICADOR DE TEMPERATURA DO
de funcionamento com seus respectivos ide- 40 100 LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO
ogramas. A da direita mostrando o nível de
combustível e a da esquerda mostrando a 20 120 MOTOR
temperatura do líquido de arrefecimento do A luz-espia ou, em função das versões, o in-
0 140 dicador digital no display, indica a tempera-
motor.
km/h
MPH
tura do líquido de arrefecimento do motor e
começa a fornecer indicações quando a tem-
VELOCÍMETRO
peratura do líquido ultrapassa cerca de 50°C.
Localizado no quadro de instrumentos, tem
a função de indicar a velocidade de desloca- O comportamento do instrumento é o se- Na utilização normal do veículo, a escala digi-
mento do veículo. guinte: tal pode posicionar-se nas diversas posições
dentro do arco de indicação em relação às
● Na modalidade "dia" o display é regulável condições de uso do veículo.
para 8 níveis, enquanto que o grafismo do
quadro de instrumentos e todos os indi-

105
Versões com display multifuncional Nota
ADVERTÊNCIA
A luz-espia acende-se, juntamente com Em caso de acendimento da luz-espia e in-
O sistema de controle da injeção eletrônica dicação nas duas barras inferiores da es-
a visualização de uma mensagem no display
interrompe o fluxo de combustível quando cala do indicador, efetuar o abastecimento
e uma sinalização acústica, para assinalar o
o motor estiver com excesso de rotações. de combustível o mais rapidamente possí-
aumento excessivo da temperatura do líquido
de arrefecimento do motor. Esta interrupção acarreta em consequente vel.
perda de potência do próprio motor.
Versões com display multifuncional re-
configurável ADVERTÊNCIA
O símbolo no display fica vermelho para Observação:
Não viajar com o tanque quase vazio.
assinalar o aumento excessivo da tempera- RPM - rotações por minuto
tura do líquido de arrefecimento do motor. As eventuais faltas de alimentação podem
danificar o catalisador.
Nos casos acima descritos, parar o motor e INDICADOR DO NÍVEL DE COMBUS-
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep. TÍVEL
O indicador digital no display indica a quanti-
CONTA-GIROS dade de combustível presente no tanque.
O ponteiro sobre a marca amarela indica um
Indicador analógico de nível de combustí-
regime de rotações muito elevado, que pode
vel
causar danos ao motor e, portanto, deverá
ser evitado. A luz-espia acende-se, juntamente com a
visualização de uma mensagem no display e
uma sinalização acústica, quando no depósito
restam de 7 a 9 litros de combustível.

106
LUZES DE ADVERTÊNCIAS E MENSAGENS
DESCRIÇÃO
Nota
O acendimento da luz-espia está associado a uma mensagem específica e/ou aviso acústico, onde o quadro de bordo o permitir. Estes
sinais são sintéticos e de aviso e não devem ser considerados completos e/ou alternativos em relação ao indicado no presente Manual
de Uso e Manutenção, o qual deve ser lido sempre com muita atenção. Em caso de sinalização de avaria, consulte sempre o conteúdo
indicado no presente capítulo.

Nota
As sinalizações de avaria que aparecem no display são subdivididas em duas categorias: anomalias graves e anomalias menos graves.
As anomalias graves visualizam um “ciclo” de mensagens repetido por um tempo prolongado. As anomalias menos graves visualizam um
"ciclo" de mensagens por um tempo mais limitado. É possível interromper o ciclo de visualização de ambas as categorias. A luz-espia no
quadro de instrumentos permanece acesa enquanto não for eliminada a causa da avaria.

Luzes-espia de cor vermelha no quadro de instrumentos


Luz-espia O que significa O que fazer

LÍQUIDO DOS FREIOS INSUFICIENTE / FREIO DE ESTACIONAMENTO ELÉ-


TRICO ACIONADO
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
mas deve apagar-se após alguns segundos.
Líquido dos freios insuficiente Restabeleça o nível do liquido dos freios e, em seguida, verifique se a luz-espia
A luz-espia acende-se quando o nível do líquido dos freios no depósito desce se apaga.
abaixo do nível mínimo, devido a uma possível perda de líquido pelo circuito. Se a luz-espia permanecer acesa, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

107
Luz-espia O que significa O que fazer

Desengatar o freio de estacionamento elétrico e verificar se a luz-espia se


Freio de estacionamento elétrico acionado
apaga.
A luz-espia acende-se com o freio elétrico de estacionamento acionado.
Se a luz-espia permanecer acesa, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
AVARIA EBD
O acendimento simultâneo das luzes-espia (vermelha) e (amarelo âmbar)
com o motor funcionando indica uma avaria do sistema EBD ou que o sistema Dirigir com extrema prudência até chegar ao concessionário mais próximo da
não está disponível. Nesse caso, com frenagens bruscas, pode verificar-se um Rede de Assistência Jeep para a verificação do sistema.
travamento precoce das rodas traseiras, com possibilidade de derrapagens.
O display mostra a mensagem específica.

AVARIA NA DIREÇÃO ASSISTIDA


Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
mas deve apagar-se após alguns segundos.
Se a luz-espia permanecer acesa, pode não se verificar o efeito da direção as- Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
sistida e o esforço no volante poderá aumentar sensivelmente, embora se man-
tenha a possibilidade de virar o veículo.
Em algumas versões, o display visualiza a mensagem específica.

108
Luz-espia O que significa O que fazer

Nota
Se a luz-espia não se acender ao deslocar a chave de ignição para a posição
MAR ou permanecer aceso durante a marcha (juntamente com a mensagem
visualizada pelo display), é possível que exista uma anomalia nos sistemas de
AVARIA AIRBAG freios; nesse caso, os airbags ou os pré-tensionadores podem não se ativar em
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se, caso de acidente ou, num número de casos mais limitado, ativar-se de modo
mas deve apagar-se após alguns segundos. O acendimento da luz-espia com errado. Antes de prosseguir, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep para o
luz fixa indica uma avaria no sistema de airbag. imediato controle do sistema.
O display mostra a mensagem específica.
A avaria da luz-espia é assinalada pelo acendimento do ícone no display
do quadro de instrumentos. Nesse caso, a luz-espia pode não assinalar eventu-
ais anomalias dos sistemas de freios. Antes de prosseguir, dirigir-se à Rede de
Assistência Jeep para o imediato controle do sistema.

CINTOS DE SEGURANÇA NÃO APERTADOS


A luz-espia acende-se de modo fixo com o veículo parado e o cinto de segu-
Para a desativação permanente do sinal sonoro do sistema S.B.R. (Seat Belt
rança lado do condutor apertado.
Reminder), dirija-se à Rede de Assistência Jeep.
A luz-espia acende-se de forma intermitente, juntamente com uma sinalização
É possível reativar o sistema através do Menu de Configuração.
acústica quando, com o veículo em movimento, o cinto do condutor não está
corretamente apertado.

109
Luz-espia O que significa O que fazer

Em caso de marcha normal: parar o veículo, desligar o motor e certificar-se de


que o nível do líquido de arrefecimento no interior do depósito não esteja abaixo
do nível de referência MIN. Se for esse o caso, aguardar o arrefecimento do mo-
tor; em seguida, abrir lentamente e com cuidado o tampão, repor o líquido de
arrefecimento, certificando-se de que este esteja compreendido entre as referên-
cias MIN e MAX existentes no próprio depósito. Além disso, verificar visualmente
EXCESSIVA TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO MOTOR
a presença de eventuais perdas de líquido. Se, no arranque seguinte, a luz-espia
Deslocando a chave ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se, mas
(ou o ícone no display) se acender novamente, contatar a Rede de Assistência
deve apagar-se após alguns segundos.
Jeep.
A luz-espia (ou, em algumas versões, o ícone no display) acende-se quando o
Em caso de utilização severa do veículo: abrandar e, caso a luz-espia perma-
motor estiver com temperatura excessiva. O display mostra a mensagem especí-
neça acesa, parar o veículo. Ficar parado durante 2 ou 3 minutos, mantendo o
fica.
motor funcionando e ligeiramente acelerado, para favorecer uma circulação mais
ativa do líquido de arrefecimento; em seguida, desligar o motor. Verificar o nível
correto do líquido, como descrito anteriormente.

Nota
Em caso de percursos muito difíceis, é aconselhável manter o motor ligado e
ligeiramente acelerado por alguns minutos antes de o desligar.

110
Luzes-espia de cor amarelo âmbar no quadro de instrumentos
Luz-espia O que significa O que fazer

AVARIA DO FREIO DE ESTACIONAMENTO ELÉTRICO


Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se, Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
mas deve apagar-se após alguns segundos. Nota
A luz-espia acende-se quando é detectada uma avaria no freio de estaciona- Na presença de avaria e em caso de frenagens violentas, pode ocorrer o
mento elétrico. travamento das rodas traseiras, com consequente possibilidade de derrapagens.
O display mostra a mensagem específica.
AVARIA DO SISTEMA ABS
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
mas deve apagar-se após alguns segundos.
Proceder com prudência e dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência
A luz-espia acende-se quando o sistema ABS se encontra ineficiente. Nesse
Jeep.
caso, o sistema de freios mantém inalterada a própria eficácia, mas sem as po-
tencialidades oferecidas pelo sistema ABS.
O display mostra a mensagem específica.
AVARIA DO SISTEMA TPMS Não prosseguir o andamento com um ou mais pneus vazios, dado que a condu-
A luz-espia acende-se quando é detectada uma avaria no sistema TPMS. Caso ção do veículo pode estar comprometida. Parar o veículo evitando frenagens e
sejam montadas uma ou mais rodas sem sensor, no display será visualizada mudanças de direção bruscas. Dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência
uma mensagem de aviso, até serem restabelecidas as condições iniciais. Jeep.

111
Luz-espia O que significa O que fazer

Pressão dos pneus insuficiente


A luz-espia acende-se, juntamente com a mensagem visualizada no display, para
assinalar que a pressão do pneu é inferior ao valor recomendado e/ou que se Em qualquer condição na qual no display seja visualizada a mensagem "Ver ma-
está verificando uma lenta perda de pressão. Nesses casos, podem não estar nual", consultar OBRIGATORIAMENTE o parágrafo "Rodas" do capítulo "Dados
garantidas a melhor duração do pneu e um consumo de combustível ideal. técnicos", respeitando rigorosamente as indicações nele contidas.
Caso dois ou mais pneus estejam numa das condições supracitadas, o display
mostrará, em sucessão, as indicações relativas a cada pneu.
SISTEMA ESC
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
mas deve apagar-se assim que o motor se ligar.
Intervenção do sistema ESC
A intervenção do sistema é assinalada pela intermitência da luz-espia: a sinaliza-
ção da intervenção indica que o veículo está em condições críticas de estabili-
dade e aderência.
Avaria do sistema ESC
Se a luz-espia não se apagar, ou se permanecer acesa com o motor ligado, sig-
nifica que foi detectada uma avaria no sistema ESC.
Nestes casos, dirigir-se imediatamenteà Rede de Assistência Jeep.
Avaria do sistema Hill Start Assist
O acendimento da luz-espia em simultâneo com a visualização no display de
uma mensagem dedicada, indica a avaria no sistema Hill Start Assist.

112
Luz-espia O que significa O que fazer

DESATIVAÇÃO PARCIAL / TOTAL DOS SISTEMAS DE SEGURANÇA ATIVOS


Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
mas deve apagar-se assim que o motor se ligar.
O acendimento da luz-espia assinala que alguns sistemas de segurança ativos
foram parcial ou totalmente desativados. Para mais informações sobre os siste-
mas de segurança, consultar o parágrafo "Características de segurança ativa" no
capítulo "Segurança".
Reativando os sistemas de segurança ativa, a luz-espia apaga-se.

AVARIA NO SISTEMA OBD/INJEÇÃO


Nota
Em condições normais, deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a
Se, deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia não
luz-espia acende-se, mas deve desligar-se assim que o motor funcionar.
se acender ou se, durante a marcha, se acender com luz fixa ou intermitente
O funcionamento da luz-espia pode ser verificado através de dispositivos ade-
(em algumas versões, juntamente com a mensagem no display), dirigir-se
quados pelos agentes de controle do tráfego. Respeite as normas vigentes no
imediatamente à Rede de Assistência Jeep.
país onde circula.
Avaria do sistema de injeção
Se a luz-espia permanecer acesa ou se se acender durante a marcha, significa
que o sistema de injeção não funciona corretamente. A luz-espia acesa com
Nestas condições, é possível continuar a conduzir, evitando, no entanto, esfor-
luz fixa assinala um mau funcionamento no sistema de alimentação/ignição que
ços severos do motor ou velocidades elevadas. A utilização prolongada do veí-
pode provocar elevadas emissões no escapamento, possível perda de desem-
culo com a luz-espia acesa de forma fixa pode provocar danos.
penhos, má dirigibilidade e consumos elevados. Em algumas versões, o display
Dirigir-se imediatamente a um concessionário da Rede de Assistência Jeep.
visualiza a mensagem específica.
A luz-espia apaga-se se a anomalia desaparecer, mas o sistema memoriza a
sinalização.

113
Luz-espia O que significa O que fazer

Soltar o pedal do acelerador, colocando o motor a baixos regimes de rotações,


AVARIA NO SISTEMA OBD/INJEÇÃO
até a luz-espia parar de piscar.
Danos no catalisador
Prosseguir a marcha com uma velocidade moderada, procurando evitar condi-
Se a luz-espia se acender de forma intermitente, significa que o catalisador pode
ções de condução que possam provocar mais intermitências e dirigir-se imedia-
estar danificado.
tamente à Rede de Assistência Jeep.

RESERVA DE COMBUSTÍVEL/AUTONOMIA LIMITADA


A luz-espia (ou o ícone no display) acende-se quando no tanque restam cerca
Se a luz-espia (ou o ícone no display) começar a piscar durante a marcha,
de 7 a 9 litros de combustível.
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
Ao mesmo tempo que a autonomia inferior a cerca de 50 km, em algumas ver-
sões, no display é visualizada uma mensagem específica.
LUZ DE NEBLINA TRASEIRA
A luz-espia acende-se ao ligar a luz de neblina traseira.

PREAQUECIMENTO DE COMBUSTÍVEL
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, a luz-espia acende-se,
apagando-se quando o combustível tiver atingido a temperatura preestabelecida.
É possível ligar o motor imediatamente assim que a luz-espia se apagar.

Nota
Em condições de temperatura ambiente moderada ou elevada, o acendimento da
luz-espia tem uma duração quase imperceptível.

114
Luz-espia O que significa O que fazer

AVARIA DE PREAQUECIMENTO DO COMBUSTÍVEL


A intermitência da luz-espia (em algumas versões juntamente com a visualização
Neste caso, dirija-se o mais depressa possível à Rede de Assistência Jeep.
de uma mensagem no display), indica uma anomalia no sistema de preaqueci-
mento.

Luzes-espia de cor verde no quadro de instrumentos


Luz-espia O que significa O que fazer

LUZ DE POSIÇÃO E FARÓIS BAIXOS


A luz-espia acende-se ativando as luzes de posição ou os faróis baixos.
Função "Follow me"
Esta função permite manter as luzes acesas durante um período de 30, 60 ou
90 segundos após ter colocado a chave de ignição na posição STOP.

FARÓIS DE NEBLINA
A luz-espia acende-se quando se ligam os faróis de neblina.

INDICADOR DE DIREÇÃO ESQUERDO


A luz-espia acende-se quando a alavanca de comando dos indicadores de
direção (setas) é deslocada para baixo ou, juntamente com o indicador de
direção direito, quando se aciona o botão das luzes de emergência.

115
Luz-espia O que significa O que fazer

INDICADOR DE DIREÇÃO DIREITO


A luz-espia acende-se quando a alavanca de comando dos indicadores de
direção (setas) é deslocada para cima ou, juntamente com o indicador de
direção esquerdo, quando se aciona o botão das luzes de emergência.

Luz-espia de cor azul no quadro de instrumentos


Luz-espia O que significa O que fazer

FARÓIS ALTOS
A luz-espia acende-se ativando os faróis altos.

Símbolos de cor vermelha visualizados no display


Símbolo O que significa O que fazer

PRESSÃO DO ÓLEO DO MOTOR INSUFICIENTE


O símbolo acende-se com luz fixa, juntamente com a mensagem visualizada no
display, quando o sistema detectar uma pressão insuficiente do óleo do motor. Nota
Se o símbolo se acender durante a marcha, desligar imediatamente o motor e
Nota
Não utilizar o veículo até que a avaria tenha sido eliminada. O acendimento do dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
símbolo não indica a quantidade de óleo presente no motor: o controle do nível
deve ser sempre efetuado manualmente.

116
Símbolo O que significa O que fazer

AVARIA AIRBAG
O acendimento do símbolo indica uma avaria no sistema de airbag. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
O display mostra a mensagem específica.
AVARIA NO ALTERNADOR
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
O acendimento do símbolo com o motor ligado indica uma avaria no alternador.
FECHAMENTO DAS PORTAS INCOMPLETO
O símbolo acende-se quando uma ou mais portas não se encontram correta-
Fechar corretamente todas as portas.
mente fechadas. Com as portas abertas e o veículo em movimento, é emitido
um sinal acústico.

FECHAMENTO INCOMPLETO DO CAPÔ DO MOTOR


O símbolo acende-se quando o capô do motor não está corretamente fechado.
Fechar corretamente o capô do motor.
Com o capô do motor aberto e o veículo em movimento, é emitida uma sinaliza-
ção acústica.
FECHAMENTO INCOMPLETO DA TAMPA DO PORTA-MALAS (se equipado)
O símbolo acende-se quando a tampa do porta-malas não está corretamente
Fechar corretamente a tampa do porta-malas
fechada. Com a tampa aberta e o veículo em movimento, é emitida uma sinali-
zação acústica.

117
Símbolo O que significa O que fazer

Dirigir-se imediatamente àRede de Assistência Jeep.

AVARIA DO CÂMBIO AUTOMÁTICO Nota


A condução com o símbolo aceso pode provocar graves danos no câmbio
O símbolo acende-se, juntamente com a mensagem visualizada pelo display e
automático, provocando a sua ruptura. Além disso, provocar o sobreaquecimento
uma sinalização acústica, quando é detectada uma avaria no câmbio automático
do óleo: o seu eventual contato com o motor quente ou com os componentes
do escape a alta temperatura pode provocar incêndios.
Nota
TEMPERATURA EXCESSIVA DO ÓLEO DO MOTOR
Se o símbolo se acender durante a marcha, parar imediatamente o veículo e
O símbolo acende-se em caso de sobreaquecimento do óleo do motor.
desligar o motor.

Símbolos de cor amarelo âmbar visualizados no display


Símbolo O que significa O que fazer

AVARIA DO SISTEMA SENTRY KEY / TENTATIVA DE ARROMBAMENTO


Avaria do sistema Sentry Key.
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
O símbolo acende-se para assinalar a avaria do sistema O símbolo acende-se
para assinalar a avaria do sistema Sentry Key.
Tentativa de arrombamento
O símbolo acende-se ao colocar a chave de ignição na posição MAR, junta-
mente com a visualização de uma mensagem específica, para assinalar que
ocorreu uma possível tentativa de arrombamento na presença de alarme.

118
Símbolo O que significa O que fazer

Para o procedimento de reativação do sistema de corte de combustível, consul-


INTERVENÇÃO DO SISTEMA DE CORTE DO COMBUSTÍVEL
tar a seção “Sistema de corte de combustível” no capítulo "Em caso de emer-
O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem especí-
gência". Se não for possível restabelecer a alimentação de combustível, dirigir-se
fica) em caso de intervenção do sistema de corte do combustível.
à Rede de Assistência Jeep.

POSSÍVEL PRESENÇA DE GELO NA ESTRADA


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem especí-
fica) quando a temperatura exterior é igual ou inferior a 3ºC (37°F).

Nota
Em caso de avaria no sensor de temperatura externa, os números que indicam o
seu valor são substituídos por traços.

119
Símbolo O que significa O que fazer

ÓLEO DO MOTOR DEGRADADO (se equipado)


Versões Diesel: o símbolo é visualizado no display, em algumas versões jun-
tamente com uma mensagem específica. O símbolo permanece visualizado por Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
ciclos de 3 minutos com intervalos de símbolo apagado de 5 segundos até que
Nota
o óleo seja substituído. A partir do momento em que se acende o símbolo, o óleo degradado do motor
Versões gasolina: o símbolo é visualizado no display apenas durante um inter- deve ser substituído logo que possível e nunca além de 500 km após o primeiro
valo de tempo limitado. acendimento do símbolo. Não respeitar as informações acima indicadas pode
Nota causar danos graves no motor e a anulação da garantia. O acendimento deste
Após a primeira sinalização, a cada partida do motor, o símbolo continuará símbolo não está relacionado com a quantidade de óleo presente no motor;
a acender-se no modo indicado anteriormente até o óleo ser substituído. Em portanto, em caso de acendimento intermitente da mesma, não é absolutamente
algumas versões o display visualiza uma mensagem específica. necessário acrescentar mais óleo ao motor.

O acendimento do símbolo não deve ser considerado um defeito do veículo, mas Nota
assinala que a utilização normal do veículo levou à necessidade de substituir o Se o símbolo piscar durante a marcha, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
óleo. A degradação do óleo do motor é acelerada por uma utilização do veículo
em percursos breves, impedindo que o motor atinja a temperatura de regime.

AVARIA DO SENSOR DE PRESSÃO DO ÓLEO MOTOR


O símbolo acende-se com luz fixa, juntamente com a mensagem visualizada
pelo display, em caso de avaria no sensor de pressão do óleo do motor.
AVARIA NO SENSOR DE CHUVA
O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem especí- Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
fica) em caso de avaria do sensor de chuva.

120
Símbolo O que significa O que fazer

AVARIA DO SENSOR CREPUSCULAR (se equipado)


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem especí- Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
fica) em caso de avaria do sensor crepuscular.
Nota
A presença de água no circuito de alimentação pode provocar graves danos no
sistema de injeção e irregularidades no funcionamento do motor. Caso o símbolo
PRESENÇA DE ÁGUA NO FILTRO DO DIESEL (versões Diesel)
seja visualizado no display (juntamente com a visualização de uma mensagem
O símbolo acende-se com luz fixa durante a marcha (juntamente com a visu-
específica), dirigir-se assim que possível à Rede de Assistência Jeep para a
alização de uma mensagem no display) para assinalar a presença de água no
operação de sangria. Sempre que a mesma sinalização se verificar imediatamente
interior do filtro de diesel.
a seguir a um abastecimento, é possível que tenha sido introduzida água no
tanque: nesse caso, desligar imediatamente o motor e contatar a Rede de
Assistência Jeep.

121
Símbolo O que significa O que fazer

AVARIA DAS LUZES EXTERNAS


O símbolo acende-se para assinalar uma avaria nas seguintes luzes:

● Luzes diurnas (DRL)


● Luzes de estacionamento
● Indicadores de direção do reboque (se presente)
A avaria pode dever-se a uma lâmpada queimada ou ao respectivo fusível de
● Luzes do reboque (se presente)
proteção queimado ou à interrupção da ligação elétrica. Proceder à substituição
● Luzes de posição
da lâmpada ou do respectivo fusível. Contatar a Rede de Assistência Jeep.
● Indicadores de direção
● Luz de neblina traseira
● Luz de marcha a ré
● Luzes de freio
● Luzes de placa

122
Símbolo O que significa O que fazer

LIMPEZA DPF (filtro de partículas) em curso (apenas versões Diesel com


DPF)
Deslocando a chave de ignição para a posição MAR, o símbolo acende-se, mas
deve apagar-se após alguns segundos. O símbolo acende-se de modo fixo para
assinalar que o sistema DPF precisa de eliminar as substâncias poluentes reti- Nota
das (partículas) através do processo de regeneração. A velocidade de marcha deve ser sempre adequada à situação do trânsito e às
O símbolo não se acende sempre que o DPF se encontra em regeneração, mas condições atmosféricas, sempre respeitando leis vigentes. É possível desligar o
somente quando as condições de condução exigirem a sinalização ao condutor. motor mesmo com a luz-espia acesa; porém, interrupções repetidas do processo
Para fazer com que o símbolo se apague, manter o veículo em movimento até a de regeneração podem causar uma degradação precoce do óleo do motor. Por
regeneração terminar. esse motivo, é sempre aconselhável aguardar que o símbolo se apague antes de
A duração do processo é de 15 minutos, em média. As condições ideais para desligar o motor, seguindo as indicações acima indicadas. Não é aconselhável
terminar o processo são atingidas mantendo o veículo em marcha a 60 km/h concluir a regeneração do DPF com o veículo parado.
com regime do motor superior a 2000 rpm.
O acendimento do símbolo não deve ser considerado uma anomalia e, por isso,
não é necessário levá-lo à oficina. Em algumas versões, juntamente com o acen-
dimento do símbolo, o display visualiza a mensagem específica.
AVARIA NO SISTEMA KEYLESS ENTER-N- GO
O símbolo acende-se, juntamente com a visualização de uma mensagem, em Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
caso de avaria no sistema Keyless Enter-N-Go.

AVARIA NO SISTEMA DE CORTE DO COMBUSTÍVEL


O símbolo acende-se, juntamente com a visualização de uma mensagem, em Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
caso de avaria no sistema de corte do combustível.

123
Símbolo O que significa O que fazer

AVARIA NO SPEED LIMITER


Dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência Jeep para eliminar a avaria.
O símbolo acende-se em caso de avaria do dispositivo Speed Limiter.

TEMPERATURA EXCESSIVA DO ÓLEO DO CÂMBIO AUTOMÁTICO


O símbolo acende-se em caso de sobreaquecimento do câmbio, após uma utili-
Aguardar, com o motor desligado ou no mínimo, a desativação do símbolo.
zação particularmente exigente.
Nesse caso, é efetuada uma limitação do desempenho do motor.
AVARIA DO GANCHO DE REBOQUE
Dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência Jeep para eliminar a avaria.
O símbolo acende-se para assinalar a avaria do gancho de reboque.

AVARIA NO SISTEMA DE ÁUDIO Dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência Jeep para eliminar a avaria.

Símbolos de cor branca visualizados no display


Símbolo O que significa O que fazer

VELOCIDADE LIMITE ULTRAPASSADA


O símbolo acende-se quando é ultrapassado o limite de velocidade definido (por
ex. 120 km/h) através do Menu do display.
Em algumas versões, é visualizada uma mensagem específica e é emitida uma
sinalização acústica.

Nota
Para algumas versões/mercados, acende-se também um outro símbolo de cor
vermelha.

124
Símbolo O que significa O que fazer

HILL DESCENT CONTROL (se equipado)


Símbolo aceso com luz fixa: ativação do sistema Hill Descent Control.
Símbolo aceso com luz intermitente: desativação do sistema Hill Descent
Control.

CRUISE CONTROL ELETRÔNICO


O símbolo acende-se em caso de ativação do Cruise Control eletrônico.
SPEED LIMITER
O símbolo acende-se em caso de ativação do Speed Limiter.

Mensagens visualizadas no display


Mensagem no
O que significa O que fazer
display

AVARIA NA TRAÇÃO INTEGRAL (se equipado)


SERV 4WD Dirigir-se imediatamente à Rede de Assistência Jeep para eliminar a avaria.
A mensagem acende-se para assinalar a avaria do sistema de tração integral.
SISTEMA BLIND-SPOT MONITORING (se equipado)
Bloqueio do sensor
BLIND-SPOT No display é visualizada uma mensagem específica em caso de bloqueio do
Liberar o para-choque de eventuais obstáculos, limpando-o de impurezas.
MONITORING sensor do sistema Blind-spot Monitoring. Nesse caso, os LEDs localizados nos
espelhos retrovisores externos estão acesos com luz fixa.
É também emitido um sinal acústico.

125
Mensagem no
O que significa O que fazer
display

Sistema não disponível (se equipado)


A causa de mau funcionamento pode dever-se à tensão insuficiente da bateria
ou a eventuais avarias no sistema elétrico. Contatar, logo que possível, a Rede A causa de mau funcionamento pode dever-se à tensão insuficiente da bateria
BLIND-SPOT
de Assistência Jeep para a verificação do sistema elétrico. No display é visu- ou a eventuais avarias no sistema elétrico. Contatar, logo que possível, a Rede
MONITORING
alizada uma mensagem específica em caso de bloqueio do sensor do sistema de Assistência Jeep para a verificação do sistema elétrico.
Blind-spot Monitoring. Nesse caso, os LEDs localizados nos espelhos retroviso-
res externos estão acesos com luz fixa.
SISTEMA PARKSENSE
Bloqueio dos sensores
A mensagem é visualizada no display em caso de bloqueio dos sensores do Liberar o para-choque de eventuais obstáculos, limpando-o de impurezas.
sistema ParkSense.
PARKSENSE
É também emitido um sinal acústico.
Sistema não disponível A causa de mau funcionamento pode dever-se à tensão insuficiente da bateria
No display é visualizada uma mensagem específica em caso de não disponibili- ou a eventuais avarias no sistema elétrico. Contatar, logo que possível, a Rede
dade do sistema ParkSense. de Assistência Jeep para a verificação do sistema elétrico.

MANUTENÇÃO PROGRAMADA (SERVICE)


MENSAGENS
Quando a manutenção programada ("revisão") está perto do prazo previsto, des- Contatar a Rede de Assistência Jeep que procederá, para além das operações
"SERVICE"
locando a chave de ignição para a posição MAR, no display aparece a indica- de manutenção previstas no "Plano de manutenção programada" o zeramento
(MANUTENÇÃO
ção "Service" seguida do número de quilômetros ou dias (onde previsto) que da referida visualização (reset).
PROGRAMADA)
faltam para a manutenção do veículo.

126
COMPUTADOR DE BORDO Área superior do display (A)
DISPLAY Hora, Gear Shift Indicator (indicações da mu-
Descrição dança de velocidade) (se equipado), engate
da mudança (apenas versões com câmbio au-
O veículo pode estar equipado com display
tomático, temperatura exterior, indicações da
multifuncional ou multifuncional reconfigurá-
bússola (onde presente), data.
vel, capaz de oferecer informações úteis ao
condutor durante a condução do veículo. Área central do display (B)
Com a chave ignição na posição STOP (e a Velocidade do veículo, mensagens de adver-
chave extraída, para versões com chave me- tência/eventuais sinalizações de avaria.
cânica), com a abertura/fechamento de uma
Área inferior do display (C)
porta, o display ativa-se mostrando durante
Quilômetros totais percorridos e ícones de
alguns segundos a hora e os quilômetros to-
eventuais sinalizações de avaria.
tais percorridos.
DISPLAY MULTIFUNCIONAL RECON-
DISPLAY MULTIFUNCIONAL
FIGURÁVEL
No display são visualizadas as seguintes in-
formações: No display são visualizadas as seguintes in-
formações:

127
GEAR SHIFT INDICATOR (Se equi-
pado)
O sistema Gear Shift Indicator (GSI) sugere ao
condutor que efetue uma mudança de veloci-
dade através de uma indicação específica no
display.

Área superior do display (A)


Hora, temperatura exterior, indicações da
bússola (se equipado), data.

Área central do display (B)


Velocidade do veículo, mensagens de adver-
tência/eventuais sinalizações de avaria.

Área inferior do display (C)


Quilômetros totais percorridos, indicadores
digitais da temperatura do líquido de arrefeci-
mento do motor e do nível de combustível.

128
Através do GSI o condutor é avisado que a Permitem selecionar e interagir com as op-
passagem para outra marcha permitiria uma ções do "Menu principal" do display (consul-
economia em termos de consumos. tar o parágrafo "Menu principal").
Quando no display aparece o ícone SHIFT ● / : pressionar e soltar os botões
UP ( SHIFT), o GSI sugere passar para para ter acesso ao Menu principal e para
uma marcha com relação superior e quando percorrer para cima ou para baixo as
aparece o ícone SHIFT DOWN ( SHIFT), várias opções do Menu e dos submenus.
o GSI sugere passar para uma marcha com ● / : pressionar e soltar os botões
relação inferior. para ter acesso às telas de informações
A indicação permanece visualizada no display ou aos submenus de uma opção do Menu
até que seja efetuada uma mudança de mar- principal.
cha ou até as condições de condução entrem
OK: pressionar o botão para ter
em um perfil de missão tal que não é neces-
acesso/selecionar as telas de informações
sária uma mudança de marcha para otimizar
ou os submenus de uma opção do Menu
os consumos.
principal. Manter o botão pressionado
durante 1 segundo para redefinir as funções
BOTÕES DE COMANDO visualizadas/selecionadas.
Estão localizados no lado esquerdo do vo-
lante. Acesso aos submenus: depois de ter seleci-
onado a opção de Menu desejada, pressionar
o botão para ter acesso aos vários sub-
menus.

129
Saída do Menu principal: pressionar o botão OPÇÕES DO MENU Info veículo (Informações sobre o estado
. O Menu é constituído pelas seguintes opções: do veículo)
Esta opção de Menu permite visualizar no
● VELOCÍMETRO display as informações relativas ao "estado"
MENU PRINCIPAL
O Menu principal é composto por uma série ● INFO VEÍCULO do veículo (consultar indicações abaixo).
de opções cuja seleção, realizável através ● DRIVER ASSIST (algumas versões) ● Pressão dos pneus
dos botões de comando, permite o acesso ● ECONOM. COMB. Visualização das informações relativas ao
a diversas opções de escolha e definição ● TRIP sistema TPMS (se equipado) (para mais
indicadas a seguir.
● ÁUDIO informações, consultar o capítulo "Segu-
Nota ● AVISOS rança").
A modalidade de visualização das opções ● CONF. DISPLAY ● Temperatura do líquido de arrefecimento
do Menu (indicações maiúsculas ou minús- do motor
● CONFIG. VEÍCULO
culas) varia em função do tipo de display. Visualização da temperatura do líquido de
Velocímetro arrefecimento do motor.
Nota
Para algumas entradas está previsto um Esta opção de Menu permite visualizar no ● Temperatura do câmbio (se equipado)
submenu. display a velocidade do veículo. Visualização da temperatura do câmbio
Uma vez visualizada a velocidade no display, automático (se equipado).
Nota
pressionando o botão OK é possível definir a ● Temperatura do óleo do motor
Na presença de sistema Uconnect™, algu- unidade de medida ("km/h" ou "MPH") para
mas opções do Menu são visualizadas e Visualização da temperatura do óleo do
visualizar a velocidade. motor.
geridas no display deste último e não no
display do quadro de instrumentos (con- ● Tensão da bateria
sulte as indicações no suplemento especí- Visualização do valor de tensão (estado
fico). de carga) da bateria.
130
● Serviço (manutenção programada) ção MAR, no display aparece a indicação escolhendo entre "mpg" ou "l/100 km"
Visualização em km (ou mi) e dias restan- "Service" seguida do número de quilôme- ou "km/l".
tes para a inspeção de manutenção. tros/milhas e dias que faltam para a manu- ● Autonomia
tenção do veículo. Contatar a Rede de As-
Selecionando esta opção, é possível es-
Nota sistência Jeep que realizará, além das ope-
colher a unidade de medida da autono-
O "Plano de Manutenção Programada" rações de manutenção previstas no "Plano
mia, escolhendo entre "km" ou "mi".
prevê a manutenção do veículo em de manutenção programada" o zeramento
intervalos preestabelecidos (consultar o da referida visualização (reset). Trip (Trip A/Trip B)
capítulo "Manutenção e cuidados com o Esta opção de Menu permite visualizar as in-
seu veículo"). Driver Assist (Assistência ao condutor) (se
formações relativas ao "Trip computer" (para
equipado)
Esta visualização aparece automatica- mais informações, consultar as indicações no
Este menu informa as configurações vigen-
mente, com o comutador de ignição na parágrafo "Trip computer" neste capítulo).
tes do Cruise Control Adaptativo. As informa-
posição MAR, quando, no momento da ções apresentadas dependem do estado do As informações visualizadas no display, para
manutenção, faltam 2000 km ou, onde sistema. o Trip A e para o Trip B, são:
previsto, 30 dias e é reproposta a cada
colocação do comutador de ignição na Econom. Comb. (Consumo de combustí- ● Distância (km ou milhas).
posição MAR ou, para algumas versões, vel) ● Consumo médio (mpg, ou l/100km ou
a cada 200 km. Abaixo deste limite, as Esta opção de Menu permite definir a unidade km/l).
sinalizações são repropostas a intervalos de medida do "Consumo de combustível" e ● Tempo de viagem (horas/minutos/ segun-
mais frequentes. A visualização será em do valor de "Autonomia". dos).
km ou milhas de acordo com a seleção
efetuada na unidade de medida. ● Consumo médio / Consumo instantâneo Áudio (Visualização de informações áudio)
Selecionando estas opções, é possível Esta opção de Menu permite visualizar, no
Quando a manutenção programada ("revi- escolher a unidade de medida do
são") está perto do prazo previsto, des- display do quadro de instrumentos, as in-
consumo médio e do instantâneo,
locando a chave de ignição para a posi-
131
formações presentes no display do sistema tão das duplas chamadas (primeira recebida - Display de velocidades (versões com dis-
Uconnect™. segunda em espera, etc.). play multifunções reconfigurável e câmbio au-
tomático)
As informações visualizadas são: Avisos (Mensagens memorizadas)
Esta opção de Menu permite visualizar no Selecionando esta função, é possível selecio-
● "Rádio (AM ou FM)": visualização do nar a modalidade de visualização das indica-
display as mensagens de informação/avaria
nome da estação de rádio (se disponí- ções relativas ao câmbio automático, esco-
memorizadas pelo veículo.
vel), frequência e ícone gráfico lhendo entre as seguintes opções:
● "MP3": visualização do título ou do nú- - Versões equipadas com display multifun-
mero da faixa em reprodução. ções reconfigurável ● "Single digit": na parte direita do display
será visualizada a letra relativa à posição
● "USB": visualização do título ou do nú- Nestas versões, a cor de fundo do display va- assumida pela alavanca do câmbio au-
mero da faixa em reprodução. ria em função da prioridade de avaria visuali- tomático (P,N,R ou D). Após cerca de 2
● "iPod": visualização do título da faixa (se zada: segundos, a letra será visualizada na po-
disponível). sição central.
● Mensagens de avaria com prioridade
Ver telefone: baixa: display de cor amarela. ● "Full PNRD" (definição predefinida): na
● Mensagens de avaria com prioridade alta: parte direita do display serão visualizadas
No display do quadro de instrumentos podem simultaneamente as letras PNRD e será
ainda visualizar-se as informações relativas display de cor vermelha.
evidenciada a posição assumida pela ala-
à modalidade Telefone (apenas se tiver sido Def. Display (Modificação das definições vanca de câmbio. Durante o funciona-
ativada a função "Ver telefone", ver opção de do display do quadro de instrumentos) mento na modalidade sequencial ("Au-
Menu "Def. Veículo"). Esta opção de Menu permite modificar a visu- toStick"), em vez da letra D será visuali-
As informações visualizadas no display dizem alização das informações no display e a sua zada a marcha engatada.
respeito ao estado de conexão do celular (te- posição.
- Para cima à esquerda/Para cima à direita
lefone ligado ou desligado), as chamadas te-
lefônicas ativas/recebidas/em espera e a ges-
132
Selecionando esta opção, é possível visuali- Selecionando esta função, é possível efetuar Uconnect™ (consultar instruções no
zar, no display, as informações relativas a: o reset (e restabelecer as definições predefi- suplemento específico).
nidas) das seguintes grandezas:
● Bússola (se equipado). - Versões com display multifunções reconfi-
● Temperatura exterior. ● "Em cima à esquerda": bússola gurável
● Data (dia/mês). ● "Área central": hora Nestas versões estão presentes unicamente
● Hora (horas/minutos). ● "Em cima à direita": temperatura as opções de menu "Display" (é possível se-
● Estado do dispositivo de partida (versões lecionar apenas as opções "Ver telefone" e
Def. Veículo (Modificação das definições "Ver navegação"), "Segurança" e "Segur./ As-
com sistema Keyless Enter-N-Go). do veículo) sisten." (é possível selecionar apenas a opção
● Escala em MPH (milhas) (se equipado). Esta opção de Menu permite modificar as "Volume dos avisos").
definições relativas a:
- Área central Todas as outras opções são visualizadas e
● "Display" geridas no display do sistema Uconnect™.
Na área central do display é possível visualizar
todas as informações acima indicadas e, além ● "Unidade medida"
- Display
disso: ● "Hora & Data"
Selecionando a opção “Display” é possível ter
● "Segurança"
● Informações de áudio aceso às seguintes definições:
● "Segur./Assisten."
● Data (dia/mês/ano)
● "Luzes" ● "Idioma": permite selecionar o
● Opção do menu idioma em que visualizará as
● "Portas & Bloq. Portas"
● Distância percorrida A (Trip A) informações/advertências.
● Distância percorrida B (Trip B) Nota ● "Ver telefone" permite visualizar, no dis-
Para todas as outras possíveis regulagens, play do quadro de instrumentos, as infor-
- Reposição das definições predefinidas consultar as indicações no suplemento mações relativas à modalidade Telefone

133
visualizadas no display do sistema Ucon- ● "Formato": regulagem do formato da hora ● "Beep cintos segurança": esta função só
nect™. "12h" (12 horas) ou "24h" (24 horas). é visualizável após a desativação efetiva
● "Ver navegação": permite visualizar, no ● "Regula data": regulagem do dia, mês e do sistema SBR por parte da Rede de
display do quadro de instrumentos, as ano. Assistência Jeep (consultar o parágrafo
informações relativas à modalidade Na- “Sistema SBR” no capítulo "Segurança".
vegação. - "Segurança" ● "Hill Start Assist": ativação e desativa-
Selecionando a opção "Segurança" é possível ção do sistema Hill Start Assist (consultar
- "Unidade medida" o parágrafo “Sistema HSA” no capítulo
efetuar as seguintes regulagens:
Selecionando a opção "Unidade medida" é “Segurança”).
possível selecionar a unidade de medida a uti- ● "Passenger AIRBAG": ativação e
desativação do airbag do lado do - "Segurança/Assist."
lizar para a visualização das várias grandezas.
passageiro. Proteção do passageiro Selecionando a opção "Segurança/Assist." é
As opções possíveis são: ativada: acendimento, com luz fixa, do possível efetuar as seguintes regulagens:
LED ON localizado no painel de
● "Imperial" (Sistema Inglês)
instrumentos. Proteção do passageiro ● "ParkSense": seleção do tipo de sinaliza-
● "Métrico" desativada: acendimento, com luz fixa, ção fornecida pelo sistema ParkSense.
● "Personalizado" do LED OFF localizado no painel de ● "Vol. ParkS. tras.": seleção do volume
instrumentos (se equipado). das sinalizações acústicas fornecidas
- "Hora & Data"
● "Beep velocidade": definição do limite de pelo sistema ParkSense.
Selecionando o menu "Hora & Data" é possí- velocidade do veículo (km/h ou mph), ul- ● "Vol. ParkSense": seleção do volume das
vel efetuar a regulagem do relógio. trapassado o qual o condutor é avisado sinalizações acústicas fornecidas pelo
As opções possíveis são: através de um sinal sonoro e visual (visu- sistema ParkSense.
alização de uma mensagem e um símbolo ● "Vol. ParkS. diant.": seleção do vo-
● "Acertar hora": regulagem das horas e no display). lume das sinalizações acústicas forneci-
minutos. das pelo sistema ParkSense.
134
● "Vol. Side Dist Warn" (se equipado): sele- ● "Follow me": definição do atraso de apa- ● "Destran. remot." (para
ção do volume das sinalizações acústicas gamento dos faróis após a desativação versões/mercados, onde previsto):
do sistema SideSense. do motor. permite escolher se pretende abrir as
● "Side Dist Warn" (se equipado): seleção ● "Faróis ao Abrir": ativação da intermitên- portas ou apenas a do lado do condutor
do tipo de sinalização fornecida pelo sis- cia dos indicadores de direção em fase quando pressionar o respectivo botão na
tema SideSense de abertura das portas. chave com telecomando.
● "Sensor chuva": habilitação e desabilita- ● "Sensor faróis": regulagem da sensibili- ● "Passive Entry" (se equipado): ativação
ção do acionamento automático do lim- dade de acendimento dos faróis. do fechamento automático das portas.
pador do para-brisa em caso de chuva. ● "Luzes diurnas": ativação/desativação
● "Volume avisos". das luzes diurnas. TRIP COMPUTER
O "Trip computer" permite visualizar, com a
● "Manunt. freios" (se equipado): ativação ● "Luzes cornering": ativação e desativação
chave de ignição na posição MAR, as medi-
do procedimento para efetuar a manuten- das luzes cornering (se equipado).
das relativas ao estado de funcionamento do
ção do sistema de frenagem.
- "Portas & Bloq. Portas" veículo.
● "Auto Park Brake" (se equipado): ativação
e desativação do engate automático do Selecionando a opção "Portas & Bloq. Portas" Esta função caracteriza-se por duas memó-
freio de estacionamento elétrico. é possível efetuar as seguintes regulagens: rias separadas, denominadas "Trip A" e "Trip
B", nas quais são registrados os dados das
- "Luzes" ● "Fechamento aut. portas": ativação e "missões completas" do veículo (viagens), de
desativação do fechamento automático modo independente uns dos outros.
Selecionando a opção "Luzes" é possível efe-
das portas com o veículo em movimento.
tuar as seguintes regulagens: Ambas as memórias podem ser reiniciadas:
● "Sinal lum. Trancar": ativação da inter- reset - início de uma nova missão.
● "Luzes habitáculo": seleção da intensi- mitência dos indicadores de direção em
dade da iluminação das luzes do habitá- fase de fechamento das portas. O “Trip A” e o "Trip B" permitem a visualização
culo. das seguintes medidas:

135
● Distância percorrida ● Pressão longa do botão: zeramento (re- SISTEMA DE DIAGNÓSTICO DE
● set) das medidas e início de uma nova
Consumo médio
missão.
BORDO
● Tempo de viagem (duração da condução) SISTEMA OBD
Nova missão O Sistema de Diagnóstico de Bordo (OBD
Para efetuar a reinicialização das medidas,
pressionar e manter pressionado o botão OK - On Board Diagnosis), presente em algu-
Inicia a partir do momento em que foi efetuada
nos comandos no volante. mas versões, efetua um diagnóstico contínuo
um zeramento (reset):
dos componentes relacionados com as emis-
Nota ● “Manual” através da pressão do botão sões gasosas produzidas pelo veículo. Além
Os valores "Autonomia" e "Consumo ins- OK. disso, indica por meio do acendimento da luz-
tantâneo" não podem ser zerados. ● “Automático” quando a "distância percor- espia no quadro de instrumentos, acom-
rida" atinge o valor de 99999,9 km (cerca panhada de mensagem no display (algumas
Grandezas visualizadas versões), a condição de falha de componen-
de 62140 milhas) ou quando o "tempo
● Distância percorrida: indica a distância de viagem" atinge o valor de 999.59 (999 tes do sistema de controle do motor.
percorrida desde o início da nova missão. horas e 59 minutos). O sistema OBD tem como objetivos:
● Consumo médio: representa a média ● Depois de cada desligamento e conse-
dos consumos desde o início da nova quente nova ligação da bateria. ● manter sob controle a eficiência do sis-
viagem. tema.
● Tempo de viagem: tempo decorrido ● sinalizar um aumento de emissões devido
desde o início da nova missão. a um funcionamento irregular do veículo.
● sinalizar a necessidade de substituir os
Botão "OK" componentes deteriorados.
● Pressão breve do botão: visualização das
várias medidas. O sistema dispõe também de um conector
que permite a leitura dos códigos de erros

136
memorizados na central eletrônica, em con- mos elevados. Em algumas versões o display
junto com uma série de parâmetros específi- exibe mensagem específica. ADVERTÊNCIA
cos de diagnóstico e funcionamento do mo- Se, girando a chave para a posição MAR,
Nessas condições, é possível continuar a a luz-espia não se acender, ou se
tor. Tal verificação é possível para os agentes
dirigir, sempre evitando esforços do motor acender de modo fixo/intermitente durante
encarregados de fiscalização de trânsito, me-
e altas velocidades. O uso prolongado do a marcha, contatar o quanto antes a Rede
diante a interface do sistema com instrumen-
veículo, com a luz-espia acesa, pode provocar de Assistência Jeep
tos adequados.
danos ao mesmo. Nesse caso, procure a
Rede de Assistência Jeep. A funcionalidade da luz-espia pode ser
LUZ-ESPIA DE AVARIA DO verificada pelos agentes de fiscalização
SISTEMA DE DIAGNÓSTICO DE Quando o mau funcionamento desaparece,
do trânsito ou em eventuais programas
BORDO/CONTROLE DO MOTOR apaga-se a luz-espia, mas o sistema memo-
oficiais de inspeção de veículos. Respeite
Em condições normais, girando a chave de riza a sinalização.
as normas vigentes.
ignição para a posição MAR, a luz-espia Se a luz-espia se acende de modo intermi-
(amarelo âmbar) se acende, mas quando o tente é indicação de possível dano no ca-
motor funcionar deve apagar-se. talisador. No caso de acendimento intermi-
tente, soltar o pedal do acelerador, reduzindo
Se a luz-espia permanece acesa, ou se acen-
a velocidade, até que a luz-espia se apague.
der durante a marcha, é indicação de funci-
Prossiga a marcha em velocidade reduzida e
onamento imperfeito do sistema de controle
procure a Rede de Assistência Jeep.
do motor. O acendimento fixo da luz-espia
indica mau funcionamento no sistema de ali-
mentação/ignição, que poderá provocar au-
mento de emissões do escape, possível perda
de desempenho, má dirigibilidade e consu-

137
3
SEGURANÇA
CARACTERÍSTICAS DE SEGURANÇA ATIVA . . . . . . . . . 142
DISPOSITIVOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 142
SISTEMA TC (Traction Control) . . . . . . . . . . . . . . . 142
Intervenção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 142
SISTEMA PBA (Panic Brake Assist) . . . . . . . . . . . . . 143
SISTEMA HSA (Hill Start Assist) . . . . . . . . . . . . . . . 144
SISTEMA DST (Dynamic Steering Torque) . . . . . . . . . 145
SISTEMA ERM (Electronic Rollover Mitigation) . . . . . . 145
SISTEMA TSC (Trailer Sway Control) . . . . . . . . . . . . 145
Intervenção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 146
SISTEMA HDC (Hill Descent Control) (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 146
Habilitação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 146
Ativação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 147
Desativação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 148
Desabilitação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . 148
DESABILITAÇÃO DOS SISTEMAS DE SEGURANÇA
ATIVOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 148
Sistemas habilitados . . . . . . . . . . . . . . . . . . 148
Sistemas parcialmente desabilitados . . . . . . . . . 149
Sistemas desabilitados . . . . . . . . . . . . . . . . . 149
Versões equipadas com dispositivo
Selec-Terrain™ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 150
139
DIREÇÃO ASSISTIDA ELÉTRICA - SPORT . . . . . . . . . 151
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO (se equipado) . . . . . . . 151
SINALIZAÇÕES DE ANOMALIAS . . . . . . . . . . . . 151
FREIOS ABS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 152
SISTEMA ABS (Anti-lock Braking System) . . . . . . . . . 152
Intervenção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 152
CONTROLE ELETRÔNICO DE ESTABILIDADE . . . . . . . . 154
SISTEMA ESC (Electronic Stability Control) . . . . . . . . 154
Intervenção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 154
CINTO DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE SEGURANÇA . . . . . . . 156
REGULAGEM EM ALTURA DOS CINTOS DE
SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 157
AVISOS PARA A UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE
SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 158
MANUTENÇÃO DOS CINTOS DE SEGURANÇA . . . . . . 159
SISTEMA DE ALARME DO USO DO CINTO DE
SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 160
SISTEMA SBR (Seat Belt Reminder) . . . . . . . . . . . . 160
COMPORTAMENTO DA LUZ-ESPIA DOS CINTOS DE
SEGURANÇA DOS LUGARES DIANTEIROS . . . . . . . . 160
COMPORTAMENTO DOS ÍCONES DOS CINTOS
DE SEGURANÇA DOS LUGARES TRASEIROS (se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 161

140
PRÉ-TENSIONADORES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 162
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 162
LIMITADORES DE CARGA . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163
SEGURANÇA PARA CRIANÇAS . . . . . . . . . . . . . . . . 164
TRANSPORTE DE CRIANÇAS EM SEGURANÇA . . . . . 164
ADEQUAÇÃO DO DISPOSITIVO DE RETENÇÃO
INFANTIL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 166
A INSTALAÇÃO DE UM ISOFIX . . . . . . . . . . . . . . . 168
ADEQUAÇÃO DOS ASSENTOS DE PASSAGEIROS
PERMITIDOS PARA INSTALAÇÃO DE CADEIRINHA
ISOFIX . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 170
SISTEMAS DE SEGURANÇA SUPLEMENTARES . . . . . . . 171
AIRBAG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 171
AIRBAGS FRONTAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 171
Airbag frontal lado motorista . . . . . . . . . . . . . . 171
Airbag frontal lado passageiro . . . . . . . . . . . . . 172
Airbag para joelhos (knee bag) do lado do motorista
(Se equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
Airbag frontal do lado do passageiro e cadeirinhas
para crianças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
Desativação dos airbags lado do passageiro: airbag
frontal e airbag lateral para a proteção da bacia, do
tórax e das costas (se equipado) . . . . . . . . . . . . 173
AIRBAGS LATERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174
Side bags . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174
Window bag . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174

141
CARACTERÍSTICAS DE SEGU- SISTEMA TC (Traction Control) Intervenção do sistema
RANÇA ATIVA O sistema intervém automaticamente em caso A intervenção do sistema é assinalada pela
de patinação, de perda de aderência em piso intermitência da luz-espia no quadro de
DISPOSITIVOS molhado (aquaplaning), aceleração em pisos instrumentos, para informar o condutor que o
No veículo estão presentes os seguintes dis- escorregadios, com neve ou gelo, etc. de veículo está em condições críticas de estabi-
positivos de segurança ativa: uma ou ambas as rodas motrizes. lidade e aderência.
● TC (Traction Control) Em função das condições de patinação, são
● PBA (Panic Brake Assist) ativadas duas lógicas de controle diferentes:
ADVERTÊNCIA
● HSA (Hill Start Assist)
● Se a patinação envolve ambas as rodas Para o correto funcionamento do sistema
● DST (Dynamic Steering Torque) motrizes, o sistema ASR intervém redu- TC, é indispensável que os pneus sejam
● ERM (Electronic Rollover Mitigation) zindo a potência transmitida pelo motor. da mesma marca e do mesmo tipo em
● TSC (Trailer Sway Control) ● Se a patinação envolve apenas a uma das todas as rodas.
● HDC (Hill Descent Control) rodas motrizes, ativa-se a função BLD
Além disso, devem ter principalmente o
(Brake Limited Differential) travando auto-
● ABS (Anti-lock Braking System) tipo e dimensões prescritas e estar em
maticamente a roda que patina (é simu-
● ESC (Electronic Stability Control) perfeitas condições de conservação e com
lado o comportamento de um diferencial
a pressão dos pneus de acordo com o
Para o funcionamento dos sistemas, consultar autobloqueante). Isto provocará um au-
previsto no manual.
as páginas seguintes. mento de transferência de torque motor
na roda que não está patinando. Essa
função permanece ativa mesmo forem se-
lecionadas modalidades "Sistemas parci-
almente desativados" e "Sistemas desa-
tivados" (consultar as páginas seguintes).

142
sequentemente, aplica a pressão ideal aos
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA freios. Isso pode ajudar a reduzir os espaços
As presença do sistema TC não deve in- O sistema TC não é capaz de evitar aciden- de frenagem : o sistema PBA completa, por-
duzir o condutor a correr riscos. tes, incluindo os devidos a excessiva ve- tanto, o sistema ABS.
locidade em curva, condução em superfí-
O tipo de condução deve ser sempre ade- A assistência máxima do sistema PBA é ob-
cies de baixa aderência ou aquaplanagem.
quado às condições do piso da estrada, à tida ao pressionar muito rapidamente o pedal
visibilidade e ao trânsito. A responsabili- Dirija com responsabilidade e prudência. do freio. Além disso, para obter a máxima fun-
dade pela segurança na estrada é sempre cionalidade do sistema, é necessário pressio-
do condutor. nar continuamente o pedal do freio durante a
ADVERTÊNCIA frenagem, evitando pisar intermitentemente.
A capacidade do sistema TC nunca deve
ADVERTÊNCIA ser testada de forma irresponsável e peri- Não reduzir a pressão no pedal do freio até a
O sistema TC não é capaz de contrariar gosa. frenagem deixar de ser necessária.
as leis naturais da física e não é capaz O sistema PBA desativa-se quando se solta o
Evite comprometer a própria segurança e
de aumentar a aderência dependente das pedal do freio.
a de terceiros.
condições da estrada.
Dirija sempre com prudência e atenção.
SISTEMA PBA (Panic Brake Assist) ADVERTÊNCIA
O sistema PBA foi concebido para otimizar a O sistema PBA não pode contrariar as leis
capacidade de frenagem do veículo durante naturais da física e não pode aumentar a
uma frenagem de emergência. aderência dependente das condições da
O sistema reconhece a frenagem de emergên- estrada.
cia monitorando a velocidade e a força com (continuação)
que é pressionado o pedal do freio e, con-

143
SISTEMA HSA (Hill Start Assist) ao alcance do torque do motor necessário à
ADVERTÊNCIA (continuação) partida ou, em todo o caso, por um tempo
É parte integrante do sistema ESC e facilita o
Mantenha-se atento e seja prudente ao máximo de 2 segundos, permitindo deslocar
arranque nas subidas, ativando-se automati-
dirigir. facilmente o pé direito do pedal do freio para
camente nos casos seguintes:
o acelerador.
● Nas subidas:
ADVERTÊNCIA Passados os 2 segundos, mesmo que não
■ Versões com câmbio manual: veículo
O sistema PBA não pode evitar acidentes, tenha sido efetuado a partida, o sistema
parado em aclive com inclinação su-
incluindo os devidos a excessiva veloci- desativa-se automaticamente, libertando gra-
perior a 5%, motor ligado, freio pres-
dade em curva, condução em superfícies dualmente a pressão de frenagem.
sionado e câmbio em ponto morto ou
de baixa aderência ou aquaplaning. uma marcha diferente da marcha a ré Durante esta fase de largada é possível ouvir
Dirija com atenção e prudência. engatada. um ruído típico de desengate mecânico dos
■ Versões com câmbio automático: veí- freios, que indica o movimento iminente do
culo parado em aclive com inclinação veículo.
ADVERTÊNCIA superior a 5%, motor ligado, freio
A capacidade do sistema PBA nunca deve pressionado e alavanca do câmbio ADVERTÊNCIA
ser testada de forma irresponsável e peri- automático na posição D (Drive). O sistema HSA não é um freio de estacio-
gosa. ● Nas descidas: namento.
■ veículo parado em declive com incli- Não abandonar o veículo sem ter acio-
Não comprometa sua própria segurança,
nação superior a 5%, motor ligado, nado o freio de mão, desligado o motor
dos outros ocupantes presentes a bordo
freio pressionado e marcha a ré en- e engrenado a primeira marcha, estacio-
do veículo e de todos os outros utilizadores
gatada. nando o veículo em condições de segu-
da estrada.
rança (para mais informações, consultar
Na fase de partida, a central do sistema ESC
mantém a pressão de frenagem nas rodas até (continuação)
144
Em situações críticas (frenagem em pisos bitamente um obstáculo, sobretudo em con-
ADVERTÊNCIA (continuação) com aderência diferenciada), o sistema ESC, dições de estrada não ideais.
o parágrafo "Freio de estacionamento" no através da função DST, comanda à direção a
capítulo "Partida e operação"). Se forem verificadas essas condições, o sis-
atuação de um aumento adicional de torque
tema, ao intervir nos freios e na potência do
no volante destinado a sugerir ao condutor a
motor, limita a possibilidade de as rodas se le-
manobra mais correta.
ADVERTÊNCIA vantarem do solo. No entanto, não é possível
Podem existir situações em pequenas in- A ação coordenada dos freios e da direção evitar a tendência para o capotamento do veí-
clinações (inferiores a 8%), em condições aumenta a sensação de segurança e de con- culo se o fenômeno se dever a causas como
de veículo carregado, em que o sistema trole do veículo. a condução em elevadas inclinações laterais,
Hill Start Assist pode não se ativar, pro- o choque contra objetos ou outros veículos.
vocando um ligeiro recuo, e aumentando
o risco de uma colisão com um outro veí- ADVERTÊNCIA
culo ou objeto. O DST constitui auxílio à condução e não ADVERTÊNCIA
substitui o condutor na responsabilidade O desempenho de um veículo equipado
A responsabilidade pela segurança na es- da condução do veículo. com ERM nunca deve ser posto à prova
trada pertence sempre ao condutor. de modo irresponsável e perigoso.
A responsabilidade pela segurança na es-
trada pertence sempre ao condutor. Não coloque em perigo sua segurança e
SISTEMA DST (Dynamic Steering Tor- de outras pessoas.
que)
A função DST aproveita a integração do sis- SISTEMA ERM (Electronic Rollover
tema ESC com a direção assistida elétrica Mitigation) SISTEMA TSC (Trailer Sway Control)
para aumentar o nível de segurança de todo O sistema monitora a tendência para a eleva- O sistema utiliza uma série de sensores loca-
o veículo. ção das rodas do solo caso o condutor efe- lizados no veículo para identificar uma exces-
tue manobras extremas, tais como evitar su-

145
siva guinada do reboque e tomar as precau- Desse modo, é garantida a estabilidade do
ções necessárias para pará-lo. ADVERTÊNCIA veículo e a quilometragem em plena segu-
Em caso de reboques, recomenda-se rança sobretudo em condições de baixa ade-
Para contrabalançar o efeito da guinada do re- sempre o máximo cuidado durante a rência e inclinações elevadas.
boque, o sistema pode reduzir a potência do condução.
motor e intervir nas rodas em questão. O sis- O sistema pode encontrar-se em três modali-
tema TSC ativa-se automaticamente uma vez Nunca ultrapassar as cargas máximas per- dades diferentes:
detectada a guinada excessiva do reboque. mitidas (consultar o parágrafo "Pesos" no
capítulo "Dados técnicos"). ● Desligado: o sistema está desativado.
Intervenção do sistema ● Ligado: o sistema está ativado e pronto
Quando o sistema está ativo, no quadro de para intervir quando as condições de ati-
instrumentos começa a piscar a luz-espia ADVERTÊNCIA vação estiverem satisfeitas.
, a potência do motor é reduzida e pode O sistema TSC não é capaz de deter uma ● Ativo: o sistema controla ativamente a
sentir uma frenagem em cada roda, a seguir guinada de qualquer reboque. velocidade do veículo.
à tentativa de parar a derrapada do reboque.
Se o sistema se ativar durante a condu- Habilitação do sistema
O sistema só está ativo com o ESC ligado.
ção, reduzir a velocidade, parar o veículo
Para habilitar o sistema, pressionar o botão
Desativando o sistema ESC (pressionando o num local seguro e colocar corretamente a
específico (figura seguinte).
botão situado no console central), é também carga para impedir a guinada do reboque.
desativado o sistema TSC.
SISTEMA HDC (Hill Descent Control)
(Se equipado)
É parte integrante do sistema ESC e tem como
objetivo manter o veículo a uma velocidade
constante durante uma descida, atuando de
forma autônoma e diferenciada nos freios.
146
● A velocidade do veículo for inferior a 25
km/h.
● O freio de estacionamento elétrico (EPB)
estiver desengatado.
● A porta do lado do condutor estiver fe-
chada.

Ativação do sistema
Uma vez habilitado, o sistema HDC ativa-se
automaticamente se o veículo for conduzido
numa descida com inclinação suficientemente
alta, superior a 8%.
A ativação do sistema é assinalada pelo acen-
dimento, com luz fixa, do ícone no display.

A velocidade definida para o sistema HDC


pode ser regulada através do pedal do freio
e do acelerador (no intervalo de 1 km/h a 25
km/h). Uma vez atingida a velocidade dese-
jada, soltando ambos os pedais, o sistema
O sistema habilita-se se forem satisfeitas as HDC manterá a velocidade definida. Desse
seguintes condições: modo, o condutor pode regular a velocidade
e, se necessário, retomar o controle do veí-
● O dispositivo Selec-Terrain™ estiver na culo.
modalidade 4WD LOW.

147
Com a alavanca do câmbio em ponto morto, ● Abertura da porta do lado do condutor.
a regulagem da velocidade através do pedal ADVERTÊNCIA
● Superação da velocidade de 40 km/h
do acelerador não está disponível. O desempenho de um veículo equipado
(saída imediata da função HDC).
com HDC nunca deve ser colocado à
O condutor pode anular a qualquer momento A desativação do sistema é assinalada pelo prova de modo incauto e perigoso.
a intervenção do sistema HDC pressionando acendimento, com luz intermitente, do ícone
a fundo o pedal do acelerador ou do freio. Não coloque em perigo sua segurança e
no display. de outras pessoas.
Desativação do sistema
O sistema HDC é desativado, mas permanece
disponível, se for verificada uma das seguin-
DESABILITAÇÃO DOS SISTEMAS DE
ADVERTÊNCIA
tes condições: Uma utilização prolongada do sistema
SEGURANÇA ATIVOS
pode levar ao superaquecimento do Em função das versões, existem até 3 moda-
● A velocidade do veículo ultrapassar os 25 lidades de configuração dos sistemas de se-
sistema de frenagem.
km/h mas permanecer inferior a 40 km/h. gurança ativos presentes no veículo:
● O veículo estiver numa descida com in- Em caso de superaquecimento dos freios,
o sistema HDC, se ativo, será gradual- ● Sistemas habilitados
clinação não suficiente, inferior a 8%, ou
estiver em um terreno plano ou numa es- mente desativado após oportuna sinaliza- ● Sistemas parcialmente desabilitados
trada em subida ção ao condutor (apaga-se o LED no bo- ● Sistemas desabilitados
tão); só será possível reativá-lo quando a
● A alavanca do câmbio automático estiver
temperatura dos freios tiver descido o sufi- Sistemas habilitados
na posição P (Estacionamento).
ciente. A distância percorrível depende da Todos os sistemas de segurança ativos es-
Desabilitação do sistema temperatura dos freios e, assim, da inclina- tão habilitados. É a modalidade de funciona-
● Pressão do botão (figura anterior). ção, da carga e da velocidade do veículo. mento normal durante a condução de um veí-
culo de quatro rodas motrizes.
● Ativação de uma modalidade diferente de
4WD LOW.

148
Esta modalidade deve ser utilizada para a Sistemas desabilitados
maior parte das situações de condução. O Pressionando o botão no console central
sistema estará na modalidade "Sistemas ha- durante mais de 5 segundos, será comple-
bilitados" a cada partida do motor tamente desligado o sistema ESC, além dos
sistemas TSC. ERM; o sistema TC será limi-
Nota
tado apenas à ação de frenagem em cada
É aconselhável selecionar as modalidades
roda motriz. Os outros sistemas permanecem
"Sistemas parcialmente desabilitados" ou
habilitados.
"Sistemas desabilitados" apenas por moti-
vos de condução específicos. A ativação da modalidade é assinalada pelo
acendimento da luz-espia no quadro de
Sistemas parcialmente desabilitados
instrumentos (em algumas versões, junta-
Pressionando o botão (fig. seguinte) no túnel
mente com a visualização de uma mensagem
central durante menos de 5 segundos, du- A ativação da modalidade é assinalada pelo
no display).
rante a marcha do veículo, é possível desabi- acendimento da luz-espia no quadro de
litar o sistema TSC e limitar a intervenção do instrumentos (em algumas versões, junta- Nota
sistema TC apenas à ação de frenagem em mente com a visualização de uma mensagem Ao ultrapassar a velocidade de cerca de
cada roda motriz. Os outros sistemas perma- no display). 65 km/h, os sistemas se comportam como
necem habilitados. descrito para a modalidade "Sistemas par-
Para restabelecer a modalidade "Sistemas
cialmente desabilitados".
completamente habilitados" de funciona-
mento, pressionar novamente o botão no Para restabelecer a modalidade "Sistemas
túnel central. habilitados", pressionar novamente o botão
A modalidade "Sistemas completamente ha- no túnel central.
bilitados" será reativada automaticamente a
cada partida do motor.
149
A modalidade "Sistemas habilitados" será re- a segurança relativamente aos desempenhos
ativada automaticamente a cada partida do "off-road". ADVERTÊNCIA
motor. Com a modalidade "Sistemas parcial-
Nota mente desabilitados" selecionada, o
Versões equipadas com dispositivo Selec- Nas modalidades 4WD LOW, os sistemas sistema TSC (Trailer Sway Control) é
Terrain™ de segurança ativos são parcialmente de- desabilitado.
Nas versões equipadas com dispositivo sabilitados, a fim de garantir o máximo de-
Dirija com atenção e prudência.
Selec-Terrain™, a ativação de algumas sempenho em off-road e não será possível
modalidades de condução prevê a desati- reativá-los.
vação parcial ou total de alguns sistemas
de segurança ativos, a fim de otimizar o ADVERTÊNCIA
desempenho na modalidade específica. O estilo de condução deve ser sempre
ADVERTÊNCIA
adequado às condições do piso da es-
Com desativação parcial ou total dos siste- Quando a modalidade "Sistemas parcial-
trada, à visibilidade e ao trânsito.
mas de segurança ativos no quadro de instru- mente desabilitados" é selecionada, a in-
tervenção da função TC limita-se apenas A responsabilidade pela segurança na es-
mentos, acende-se a luz-espia .
à ação de frenagem em cada roda motriz trada pertence sempre ao condutor.
Nas modalidades "SAND" e "MUD", os sis- e a luz-espia acende-se no quadro de
temas de segurança ativos são parcialmente instrumentos.
desabilitados e preparados para garantir o
Na modalidade "Sistemas parcialmente
máximo do desempenho nas modalidades de
desabilitados", o valor de torque do motor
funcionamento específicas. Em todo o caso,
que pode exigir o sistema ESC não será
é possível reativá-los completamente a qual-
garantido e, assim, a estabilidade do
quer momento pressionando o botão no veículo será reduzida.
console central caso se pretenda privilegiar

150
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO (se equipado) esforço no volante, para dar uma sensação
ADVERTÊNCIA de condução adequada.
Para ativar/desativar a função, pressionar o
Quando a modalidade "Sistemas desabili- botão específico SPORT situado no painel na
tados" é selecionada, em caso de mano- A função SPORT proporciona uma resposta
parte central.
bras de emergência, o sistema ESC não mais rápida de aceleração, uma alteração
estará disponível. no tempo de mudanças do cambio para um
regime mais esportivo e um ligeiro aumento
A modalidade "Sistemas desabilitados" só no esforço na direção, para dar uma sensação
deve ser considerada para uma utilização de condução adequada. Esse programa de
fora de estrada. condução e útil em uma estrada sinuosa onde
a precisão da direção e mais desejada.
DIREÇÃO ASSISTIDA ELÉTRICA - Pressionar novamente o botão para desativar
SPORT a função e regressar ao programa de condu-
O veículo é equipado com um sistema de ser- ção normal.
voassistência por comando elétrico, que fun-
ciona só com a chave de ignição na posição Nota
MAR e motor ligado. Em fase de aceleração, utilizando a função
A ativação da função é indicada pela visuali- SPORT, é possível sentir vibrações na di-
Nota zação da luz-espia SPORT no quadro de ins- reção, que são características de um pro-
Em caso de rápida rotação da chave de trumentos. grama esportivo.
ignição, a completa funcionalidade da di-
reção assistida pode ser alcançada depois Pressionando o botão SPORT, a função é SINALIZAÇÕES DE ANOMALIAS
de 1-2 segundos. ativada e obtém-se um programa de con- Eventuais anomalias da direção assistida elé-
dução esportiva, caracterizada por uma res- trica são indicadas pelo acendimento da luz-
posta mais rápida de aceleração e um maior espia SPORT, acompanhada da mensagem

151
visualizada no display (Em algumas versões é veículo mesmo nas frenagens de emergência
visualizado um símbolo no display). ADVERTÊNCIA e otimizando os espaços de frenagem.
Antes de efetuar qualquer intervenção de
Em caso de avaria na direção assistida elé- manutenção, desligar sempre o motor e O sistema intervém na frenagem, quando as
trica, o veículo continua a ser manobrável com remover a chave do dispositivo de ignição, rodas estão próximas do bloqueio, tipica-
a direção mecânica. ativando o bloqueio da direção, principal- mente em condições de frenagens de emer-
mente quando o veículo se encontrar com gência ou em condições de baixa aderência,
Nota onde os bloqueios podem ser mais frequen-
as rodas levantadas do piso.
Nas manobras de estacionamento, ao efe- tes.
tuar um número elevado de giros do vo- No caso em que isto não seja possível
lante, pode verificar-se um endurecimento (necessidade de ter a chave na posição O sistema aumenta também a controlabili-
da direção; isto é normal e é devido à MAR ou o motor ligado), remover o fusível dade e estabilidade do veículo se a frenagem
intervenção do sistema de proteção con- principal de proteção da direção assistida se verificar numa superfície com aderência di-
tra o aquecimento excessivo do motor elé- elétrica. ferenciada entre as rodas do lado direito e do
trico de comando da direção, portanto, não lado esquerdo ou nas curvas.
pede nenhuma intervenção de reparação. Completa o sistema, o sistema EBD (Elec-
Na próxima reutilização do veículo, a di- FREIOS ABS
tronic Braking force Distribution), que permite
reção assistida retornará a operar normal- SISTEMA ABS (Anti-lock Braking Sys- repartir a ação de frenagem entre as rodas di-
mente. tem) anteiras e traseiras.
Trata-se de um sistema, parte integrante do
sistema de frenagem, que evita, com quais- Intervenção do sistema
quer condições do piso da estrada e de in- A intervenção do ABS é detectável através de
tensidade da ação de frenagem, o bloqueio e uma ligeira pulsação do pedal do freio, acom-
a consequente patinação de uma ou mais ro- panhada de ruído: este é um comportamento
das, garantindo, deste modo, o controle do perfeitamente normal do sistema em fase de
intervenção.

152
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
Quando o ABS intervier, e se sentir as Se o ABS intervier, é sinal que se está O sistema ABS não pode evitar acidentes,
pulsações do pedal do freio, não aliviar a atingindo o limite de aderência entre os incluindo os devidos a velocidade exces-
pressão, mas manter o pedal totalmente pneus e o piso da estrada. siva em curva, condução em superfícies
pressionado sem receio. de baixa aderência ou aquaplanagem.
É necessário reduzir a velocidade para
Dessa forma, obtém-se um espaço de fre- adaptar a marcha à aderência disponível. A responsabilidade pela segurança na es-
nagem ideal e compatível com as condi- trada pertence sempre ao condutor.
ções do piso da estrada.
ADVERTÊNCIA
O sistema ABS não pode contrariar as leis ADVERTÊNCIA
ADVERTÊNCIA naturais da física e não pode aumentar a As capacidades do sistema ABS nunca
Para ter a máxima eficiência do sistema aderência dependente das condições da devem ser testadas de forma irresponsável
de frenagem é necessário um período de estrada. e perigosa.
assentamento de aproximadamente 500
Dirija sempre com prudência e atenção. Não coloque em perigo sua segurança e
km.
de outras pessoas.
Durante esse período é aconselhável não
efetuar frenagens muito bruscas, repetidas
e prolongadas.

153
Além disso, também o torque distribuído pelo veículo está em condições críticas de estabi-
ADVERTÊNCIA motor pode ser reduzido de modo a manter o lidade e aderência.
Para o correto funcionamento do sistema controle do veículo.
ABS, é indispensável que os pneus sejam
da mesma marca e do mesmo tipo em O sistema ESC utiliza sensores instalados no
veículo para interpretar a trajetória que o con- ADVERTÊNCIA
todas as rodas.
dutor pretende seguir e compara-a com a tra- O sistema ESC não pode modificar as leis
Além disso, devem ter principalmente o jetória do veículo. Quando a trajetória dese- naturais da física e não pode aumentar a
tipo e dimensões prescritas e estar em jada e a trajetória real se afastarem, o sistema aderência dependente das condições da
perfeitas condições de conservação e com ESC intervém comparando o substerço ou o estrada.
a pressão dos pneus de acordo com o sobre-esterço do veículo.
previsto no manual. A responsabilidade pela segurança na es-
trada pertence sempre ao condutor.
● Subesterço: verifica-se quando o veículo
está rodando menos do que o suposto
CONTROLE ELETRÔNICO DE relativamente ao ângulo do volante pro-
ESTABILIDADE gramado. ADVERTÊNCIA
O sistema ESC não pode evitar acidentes,
SISTEMA ESC (Electronic Stability ● Sobre-esterço: verifica-se quando o veí-
culo está rodando mais do que o suposto incluindo os devidos a velocidade exces-
Control) siva em curva e condução em superfícies
O sistema ESC melhora o controle direcional relativamente ao ângulo do volante pro-
gramado. de baixa aderência ou aquaplaning.
e a estabilidade do veículo sob diversas con-
dições de condução. Dirija com responsabilidade e prudência.
Intervenção do sistema
O sistema ESC corrige o sobre-esterço e o A intervenção do sistema é assinalada pela
subesterço do veículo, repartindo a frenagem intermitência da luz-espia no quadro de
nas rodas apropriadas. instrumentos, para informar o condutor que o

154
“Apoia-cabeças” no capítulo “Conhecendo
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA o seu veículo”.
A capacidade do sistema ESC nunca deve O desempenho do sistema ESC não deve
ser testada de forma irresponsável e peri- levar o condutor a correr riscos inúteis e Todos os lugares nos bancos do veículo estão
gosa. injustificados. equipados com cintos de segurança com três
pontos de fixação, com respectivo enrolador.
Não coloque em perigo sua segurança e O tipo de condução deve ser sempre ade-
de outras pessoas. quado às condições do piso da estrada, à O mecanismo do enrolador intervém bloque-
visibilidade e ao trânsito. A responsabili- ando o cinto em caso de frenagem brusca
dade pela segurança na estrada pertence ou de forte desaceleração devido a um cho-
ADVERTÊNCIA sempre ao condutor. que. Esta característica permite, em condi-
Para o correto funcionamento do sistema ções normais, o livre deslizamento da correia
ESC e ASR é indispensável que os pneus no cinto, de modo a adaptar-se perfeitamente
sejam da mesma marca e do mesmo tipo
CINTO DE SEGURANÇA ao corpo do ocupante.
em todas as rodas. DESCRIÇÃO
O condutor deve respeitar (e fazer respeitar a
Nota
Além disso, devem ter principalmente o todos os passageiros) as disposições legisla-
Prestar a máxima atenção às informações tivas locais relativas à obrigação e formas de
tipo, marca e dimensões prescritas e estar fornecidas nas páginas seguintes. De fato,
em perfeitas condições de conservação e utilização dos cintos de segurança.
é de fundamental importância que os siste-
com a pressão dos pneus de acordo com mas de proteção sejam utilizados do modo Apertar sempre os cintos de segurança antes
o previsto no manual. correto para garantir a máxima segurança de iniciar a viagem.
possível ao condutor e aos passageiros.

Nota
Para acesso a descrição sobre a regu-
lagem dos apoios de cabeça, consultar

155
UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE SEGU- Para desapertar o cinto, pressionar o botão Com o veículo estacionado em estradas com
RANÇA C e acompanhar o cinto durante seu recolhi- forte inclinação, o enrolador pode bloquear, o
Colocar o cinto de segurança mantendo o mento de modo a evitar que fique torcido. que é normal. Além disso, o mecanismo do
tronco ereto e apoiado contra o encosto. enrolador bloqueia o cinto a cada extração
rápida ou em caso de frenagens bruscas,
Para apertar os cintos, segurar na lingueta de ADVERTÊNCIA choques ou curvas a velocidade elevada.
engate A e introduzi-la na sede da fivela B,
Não pressionar o botão C durante a mar- Colocar os cintos de segurança dos lugares
até ouvir um estalido de bloqueio.
cha. posteriores como ilustrado na figura seguinte.
Observe sempre as recomendações deste
manual.

ADVERTÊNCIA
Se ocorrer colisão, os passageiros dos
bancos traseiros que não estiverem
usando os cintos, além de estarem infrin-
gindo as leis de trânsito serão expostos a
um grande risco.
A não utilização dos cintos traseiros cons-
Se, durante a extração do cinto, este se tituem um perigo também para os passa-
bloquear, é necessário deixá-lo enrolar um geiros dos lugares dianteiros. Nota
pouco e puxá-lo novamente evitando mano- Ao voltar a colocar o banco posterior da
bras bruscas. posição rebatida na de utilização normal,
prestar atenção à reposição correta do
156
cinto de segurança, de modo a garantir
uma imediata disponibilidade. ADVERTÊNCIA (continuação)
efetuada em correspondência com uma
REGULAGEM EM ALTURA DOS CIN- das posições estabelecidas.
TOS DE SEGURANÇA
É possível efetuar a regulagem em altura em
ADVERTÊNCIA cinco posições diferentes.
A regulagem em altura dos cintos de segu- Para efetuar a regulagem em altura, de cima
rança deve ser feita com o veículo parado. para baixo, é necessário pressionar os botões
Dirija sempre com segurança. A (localizados em ambos os lados do punho
B) e fazer deslizar o próprio punho para baixo.
O regulador em altura desloca-se de baixo Regular sempre a altura dos cintos de segu-
ADVERTÊNCIA para cima mesmo sem pressionar os dois rança, adaptando-as ao corpo dos passagei-
Depois da regulagem em altura, certificar- botões A. ros: esta precaução pode reduzir considera-
se sempre de que o cursor no qual está velmente o risco de lesões em caso de cho-
fixado o anel está bloqueado numa das que.
posições previstas.
A regulagem correta obtém-se quando o cinto
Efetuar, portanto, com o botão A passa cerca de metade entre a extremidade
pressionado, o deslocamento para baixo do ombro e o pescoço.
para permitir o estalido do dispositivo
de fixação, se a liberação não tiver sido

(continuação)

157
AVISOS PARA A UTILIZAÇÃO DOS sobre a bacia e sob a barriga. À medida que a
ADVERTÊNCIA
CINTOS DE SEGURANÇA gravidez prossegue, a condutora deve regu-
Se o cinto tiver sido submetido a uma
lar o banco e o volante de modo a ter o pleno
forte solicitação como, por exemplo, após
ADVERTÊNCIA controle do veículo (os pedais e o volante de-
um acidente, o mesmo deve ser substi-
vem ser de fácil acessibilidade). Todavia, é
Para garantir a máxima proteção aos ocu- tuído completamente junto com as fixa-
necessário manter a máxima distância possí-
pantes do veículo, recomenda-se manter ções, os parafusos e o próprio sistema
vel entre o ventre e o volante.
o encosto na posição mais ereta possível pré-tensionador.
e o cinto bem aderente ao tórax e à bacia.
Fazer a substituição mesmo se o cinto
Para garantir o correto funcionamento do não tiver apresentando danos visíveis, pois
cinto, não utilizar o banco excessivamente estes equipamentos podem ter perdido
reclinado durante os percursos de utiliza- suas propriedades de resistência.
ção do veículo. Colocar sempre os cintos
de segurança, tanto nos lugares dianteiros
como traseiros. Viajar sem utilizar os cin- Respeitar (e fazer observar aos ocupantes do
tos aumenta o risco de lesões graves, ou veículo) todas as disposições legislativas lo-
de morte, em caso de colisão. cais referentes à obrigação e às modalidades
de utilização dos cintos. Apertar sempre os
cintos de segurança antes de iniciar a viagem.
O uso dos cintos é necessário também para
as mulheres grávidas: para elas e para o bebê A correia do cinto de segurança não deve es-
o risco de lesões, em caso de colisão, é menor tar torcida. A parte superior deve passar no
se tiverem os cintos colocados. ombro e atravessar diagonalmente o tórax. A
parte inferior deve aderir à bacia e não ao
As grávidas devem posicionar a parte inferior abdômen do ocupante. Não utilizar dispositi-
do cinto muito em baixo, de modo que passe
158
vos (molas, fechos, etc.) que impeçam o con- ● Após um acidente de uma certa gravi-
tato dos cintos de segurança com o corpo dade, substituir o cinto de segurança
dos ocupantes. usado, mesmo que aparentemente não
esteja danificado. Substituir também o
cinto de segurança em caso de ativação
dos pré-tensionadores.
● Para limpar os cintos de segurança não
utilizar detergentes agressivos, branquea-
dores ou corantes e qualquer outra subs-
tância química que possa enfraquecer as
fibras do cinto. Lavá-los à mão com água
e sabão neutro, enxaguá-los e deixá-los
MANUTENÇÃO DOS CINTOS DE SE- secar à sombra.
GURANÇA ● Evite que os enroladores sejam molhados:
Para a correta manutenção dos cintos de se- o seu correto funcionamento é garantido
gurança, observar atentamente os seguintes só se não sofrerem infiltrações de água.
Cada cinto de segurança deve ser utilizado
só por uma pessoa: não transportar crianças avisos: ● Substituir o cinto de segurança quando
ao colo dos passageiros utilizando os cintos estiverem presentes sinais de desgaste
● Utilizar sempre os cintos bem esticados, ou cortes.
de segurança para a proteção de ambos. De não torcidos; certifique-se que estes des-
modo geral, não apertar nenhum objeto à lizem livremente sem impedimentos.
pessoa.
● Verificar o funcionamento do cinto de se-
gurança do seguinte modo: engatar o
cinto e puxá-lo com força.

159
SISTEMA DE ALARME DO USO tica em simultâneo com a intermitência da
luz-espia durante cerca de 105 segundos.
DO CINTO DE SEGURANÇA
SISTEMA SBR (Seat Belt Reminder) 60 80 Uma vez ativado, este ciclo de sinalizações
O sistema SBR avisa os passageiros dos 40 100 permanece ativo por toda a sua duração (in-
lugares dianteiros e traseiros (onde previstos) dependentemente da velocidade do veículo)
da falta de colocação do próprio cinto de 20 120 ou até que os cintos de segurança sejam
segurança. apertados.
0 140
O sistema assinala a falta de colocação dos Quando é acoplada a marcha a ré, durante o
ciclo de avisos, o sinal sonoro é desativado e
km/h

cintos de segurança através de sinalizações MPH

visuais (acendimento de luzes-espia no qua- a luz-espia acende-se com luz fixa. O ciclo
dro de instrumentos e de ícones no display) e de sinalizações será reativado assim que a
através de uma sinalização acústica (consul- Com o veículo parado, se o cinto de segu- velocidade ultrapassa novamente os 8 km/h.
tar os parágrafos seguintes). rança do lado do condutor for desafivelado
ou o cinto de segurança do lado do passa- Nota
COMPORTAMENTO DA LUZ-ESPIA geiro estiver desafivelado (com o passageiro O sistema Start&Stop (se equipado) é de-
sabilitado caso o cinto de segurança seja
DOS CINTOS DE SEGURANÇA DOS sentado), a luz permanece acesa com luz fixa.
desafivelado durante o funcionamento do
LUGARES DIANTEIROS Assim que se ultrapassa o limite dos 8 km/h veículo. Veja maiores informações no tó-
Quando a chave de ignição é girada para po- durante alguns segundos (variáveis em fun- pico Sistema Start&Stop.
sição MAR, a luz-espia (consultar figura ção das condições do veículo), com os cintos
seguinte) acende-se durante alguns segun- de segurança do lado do condutor ou do lado
dos, qualquer que seja o estado dos cintos do passageiro (com o passageiro sentado)
de segurança dianteiros. desafivelado, ativa-se uma sinalização acús-

160
COMPORTAMENTO DOS ÍCONES
DOS CINTOS DE SEGURANÇA DOS
LUGARES TRASEIROS (se equipado)
Os ícones são visualizados no display (figuras
seguintes - versões com display multifuncio-
nal ou versões com display multifuncional re-
configurável) passados alguns segundos de-
pois da chave de ignição ser colocada na po-
sição MAR e, após cerca de 30 segundos,
apagam-se.
A seguir ao fechamento de uma porta, ou a
seguir a uma mudança de estado de colo- A: cinto de segurança do lugar traseiro es-
cação dos cintos, os ícones acendem-se no- querdo.
vamente durante cerca de 30 segundos para B: cinto de segurança do lugar traseiro central.
depois se apagarem.
C: cinto de segurança do lugar traseiro direito.
Os ícones visualizados no display indicam:
Nota
Nas versões equipadas com display multi-
funcional, em caso de cinto de segurança
desapertado, acende-se o ícone .

Os ícones são visualizados em função dos


respectivos cintos de segurança dos lugares
traseiros e permanecem acesos durante cerca

161
de 30 segundos desde a última mudança de res traseiros se apagam, independentemente Nota
estado do cinto: do estado do cinto (ícone vermelho ou verde). Todas as luzes-espia/ícones se acendem
quando pelo menos um cinto passa de
● Se o cinto de segurança estiver apertado, Nota apertado para desapertado ou vice-versa.
o ícone correspondente será de cor verde No que diz respeito aos bancos traseiros,
● Se o cinto de segurança estiver desaper- o sistema SBR indica apenas se os cintos
de segurança estão desapertados (ícone
PRÉ-TENSIONADORES
tado, o ícone correspondente será de cor
vermelho) ou apertados (ícone verde), mas DESCRIÇÃO
vermelha.
não indica a presença de um eventual pas- O veículo é dotado de pré-tensionadores para
Se um cinto de segurança traseiro for desa- sageiro. os cintos de segurança dianteiros que, em
pertado, juntamente com o acendimento do caso de choque frontal violento, recolhem al-
respectivo ícone no display, será ativado tam- Nota guns centímetros a correia dos cintos, garan-
bém um sinal sonoro (3 "bips"). As luzes-espia/ícones permanecem apa- tindo assim a perfeita aderência dos cintos ao
gados se, colocando a chave de ignição na corpo dos ocupantes, antes de iniciar a ação
Além disso, os ícones voltam a acender-se posição MAR, todos os cintos (dianteiros e de retenção.
durante cerca de 30 segundos sempre que traseiros) estiverem apertados.
uma das portas traseiras é fechada. A ativação efetiva dos pré-tensionadores é
Nota reconhecida pelo recuo da correia do cinto
Caso sejam desapertados vários cintos de se- em direção ao enrolador.
Para os lugares traseiros, os ícones
gurança, a sinalização visual (de cor vermelho
ativam-se alguns segundos após a coloca- Além disso, o veículo possui um segundo dis-
intermitente) tem início e termina de modo in-
ção da chave de ignição na posição MAR, positivo de pré-tensionamento (instalado na
dependente para cada luz-espia.
independentemente do estado os cintos área do friso) e a sua ativação é reconhecível
O ícone ficará verde quando for apertado o de segurança (mesmo que os cintos de pelo encurtamento do cabo metálico.
respectivo cinto de segurança. segurança estejam todos apertados).
Durante a intervenção do pré-tensionador
Decorridos cerca de 30 segundos desde a úl- pode-se verificar uma ligeira emissão de
tima sinalização, os ícones relativos aos luga-
162
fumaça que não é nociva e não indica um
princípio de incêndio. ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
O pré-tensionador é utilizável somente Intervenções que implicam impactos, vi-
O pré-tensionador não necessita de qualquer uma vez. brações ou aquecimentos localizados (su-
manutenção ou lubrificação: qualquer inter- periores a 100°C) por uma duração má-
venção de modificação das suas condições Após a sua utilização, dirija- se à Rede
xima de 6 horas na área próxima ao pré-
originais invalida a sua eficiência. de Assistência Jeep para a substituição
tensionador podem provocar danos ou ati-
completa dos dispositivos, incluindo os
Se, devido a eventos naturais excepcionais vações.
cintos de segurança.
(por ex.: inundações, marés cheias, etc.), o Dirigir-se à Rede de Assistência Jeep
dispositivo tiver sido atingido por água e/ou sempre que se tiver de intervir nesses
lama, é necessário dirigir-se à Rede de Assis- ADVERTÊNCIA componentes.
tência Jeep para proceder à sua substituição. Em hipótese alguma deve-se desmontar
Nota ou intervir nos componentes do dispositivo LIMITADORES DE CARGA
Para ter a máxima proteção pela ação do pré-tensionador.
Para aumentar a proteção em caso de aci-
pré-tensionador, utilizar o cinto de segu- Qualquer reparação deve ser feita por pes- dente, os enroladores dos cintos de segu-
rança mantendo-o bem aderente ao tronco soal qualificado e autorizado. Procure rança dianteiros estão equipados, no seu in-
e à bacia. sempre a Rede de Assistência Jeep terior, com um dispositivo que permite dosar
adequadamente a força que atua no tórax e
nos ombros durante a ação de retenção dos
cintos em caso de colisão frontal.

163
SEGURANÇA PARA CRIANÇAS Nota de retenção apropriado para seu peso e al-
TRANSPORTE DE CRIANÇAS EM Somente o banco traseiro deverá ser usado tura.
para o transporte de crianças, por se tratar
SEGURANÇA Nota
da posição mais protegida.
Todas as crianças cujas características físi- Verifique sempre a legislação em vigor no
cas (idade, altura e peso) as impeçam de uti- Nota país e suas determinações.
lizar os cintos de segurança com os quais O transporte de crianças no banco dian-
o veículo é equipado originalmente, deverão teiro só é permitido em casos previstos Para a melhor proteção em caso de colisão,
ser protegidas por dispositivos de retenção conforme legislação em vigor. Nesses ca- todos os ocupantes devem viajar sentados e
apropriados, seguindo rigorosamente as ins- sos, deverão ser observadas as recomen- protegidos pelos sistemas de retenção ade-
truções do fabricante do dispositivo. dações de utilização e montagem para quados (cintos de segurança, dispositivos de
cada grupo de dispositivo de retenção in- retenção infantil, etc.).
fantil, conforme detalhado na tabela de Nota
ADVERTÊNCIA montagem no capítulo seguinte: "Adequa- Cada sistema de retenção é projetado ex-
GRAVE PERIGO: nunca utilizar dispo- ção do dispositivo de retenção infantil". clusivamente para a segurança de uma cri-
sitivos de retenção infantil voltados contra No Brasil as exceções são: ança; nunca transportar duas ou mais cri-
o sentido de marcha no banco dianteiro anças no mesmo dispositivo de retenção
com o airbag do lado do passageiro habi- • Veículo dotado exclusivamente de ban- infantil ao mesmo tempo.
litado. cos dianteiros;
Nota
A ativação do airbag em caso de colisão • Quantidade de crianças a serem trans-
Não permitir que os cintos de segurança
pode ocasionar lesões graves ou mortais portadas exceder o número de assentos
se apoiem no pescoço da criança.
à criança transportada. dos bancos traseiros. Nesse caso, a cri-
ança de maior estatura deverá ser trans-
portada no banco dianteiro com o sistema

164
Nota Nota antes de colocar a criança no dispositivo
Nunca transportar crianças no colo e Aconselha-se verificar na Rede Assisten- de retenção infantil.
nunca utilizar o mesmo cinto para proteção cial Jeep a disponibilidade de dispositivos
de mais de um ocupante ao mesmo tempo. de retenção infantil da Linha Jeep Acessó- Nota
rios, especificamente desenvolvidos para Em caso de acidente, substituir o disposi-
Nota uso nos veículos Jeep. tivo de retenção infantil por um novo.
Não permitir que a criança utilize o cinto
de segurança diagonal debaixo dos braços Nota
ou por trás das costas. Não afixe ou sobreponha nenhum mate-
rial nos dispositivos de retenção infantil.
Nota Tal prática pode comprometer o funciona-
Durante todos os percursos de utilização mento adequado dos mesmos e oferecer
do veículo, garantir que a criança perma- riscos a criança.
neça com os cintos adequadamente afive-
lados. Nota
Mesmo desocupados, os dispositivos de
Nota retenção infantil devem estar corretamente
Confira se o dispositivo de retenção infan- afixados para evitar seu deslocamento no
til é compatível com seu veículo e verifique interior do veículo. Se preferir, remova-os
na tabela de montagem as posições possí- do interior do veículo quando não estive-
veis para instalação. Siga corretamente as rem em uso.
informações de instalação contidas no ma-
nual de montagem disponibilizado pelo for- Nota
necedor do dispositivo de retenção infantil. Não movimente os bancos do veículo com
a criança alojada em seu dispositivo de
retenção infantil. Realize todos os ajustes

165
ADEQUAÇÃO DO DISPOSITIVO DE RETENÇÃO INFANTIL
Tabela de utilização
TIPO DE DISPOSITIVO / GRUPOS DE PESO ADEQUAÇÃO PARA A CRIANÇA

Bebê conforto / Grupos 0, 0+ Até 1 ano de idade / (até 13 kg)

Cadeirinha / Grupos 1, 2 Entre 1 e 4 anos / Grupo 1 (9 a 18 kg) , Grupo 2 (15 a 25 kg)

Assento de elevação / Grupo 3 Entre 4 e 7,5 anos / (de 22 a 36 kg)

Nota
Não utilize dispositivos de retenção infantil que não possam ser corretamente instalados em seu veículo. Estes devem estar devidamente
fixados pelos cintos e não devem possuir interferência com demais partes internas do veículo. Verifique sempre o manual do equipamento
para efetuar a montagem corretamente.

Grupo 0 / 0+ Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3

166
Tabela de montagem
Categoria Banco dianteiro (passageiro) Banco traseiro (assento central) Banco traseiro (assentos laterais)

Grupo 0/0+ (< 13 kg) U* X U1

Grupo 1 (9 a 18 kg) U** X U1

Grupo 2 (15 a 25 kg) U** X U1

Grupo 3 (22 a 36 kg) U** X U1

U = Instalação compatível com sistemas universais (utilizando o cinto de segurança).


X = Proibida a montagem nesse assento.
1 = O banco do passageiro localizado a frente do dispositivo de retenção infantil deverá ser ajustado na posição mais a frente possível para evitar o contato da criança e ou do dispositivo
de retenção infantil com o banco.
* = Mover o assento do passageiro frontal na posição mais recuada possível. Instalação permitida somente com airbag desativado.
** = Mover o assento do passageiro frontal para a posição imediatamente a frente da coluna onde o cinto é fixado, garantindo que o cinto esteja tensionado após a instalação do disposi-
tivo de retenção infantil.

167
A INSTALAÇÃO DE UM ISOFIX A título de demonstração, a figura seguinte é
Os bancos traseiros laterais do veículo estão um exemplo de cadeirinha de criança ISOFIX
equipados com fixações ISOFIX. grupo universal 1.

Estas fixações permitem que você monte sis-


temas de retenção infantil ISOFIX, sem usar
os cintos de segurança do veículo, mas, ajus-
tando o assento de criança diretamente às
três âncoras disponíveis no veículo.
É possível efetuar a montagem mista de dis-
positivos de retenção infantil com tecnologia
ISOFIX e os convencionais em lugares dife-
rentes do mesmo veículo.
Para instalar um dispositivo de retenção in-
fantil ISOFIX, é necessário fixá-lo às duas ân-
coras metálicas A localizadas na parte infe-
rior do banco traseiro, no ponto de encontro
com o encosto do banco, em seguida prender
a correia superior, Top Tether (disponível em
conjunto com a cadeirinha) em B localizado
na parte inferior atrás do assento, para uma
adequada ancoragem.

168
Não utilize o mesmo gancho de ancoragem
ISOFIX para instalar mais de um dispositivo
de retenção infantil ao mesmo tempo.

Nota
A figura anterior é apenas indicativo para
a montagem. A montagem deve ser rea-
lizada de acordo com as instruções con-
tidas no dispositivo de retenção infantil e
seu manual de instalação. O encaixe cor-
reto do dispositivo ISOFIX é evidenciado
por um clique.
Os outros grupos são cobertos por as-
sentos ISOFIX específicos, e somente po-
dem ser usados se especificamente testa-
dos para este veículo (certifique-se no ma-
nual do dispositivo de retenção infantil se
o mesmo é indicado para este veículo).

169
ADEQUAÇÃO DOS ASSENTOS DE PASSAGEIROS PERMITIDOS PARA INSTALAÇÃO DE CADEIRINHA ISOFIX
Banco dianteiro Banco traseiro (assento Banco traseiro (assentos
Categoria de peso Categoria dimensional Dispositivo
(passageiro) central) laterais)

Grupo 0 (< 10 kg) E ISO/R1 X X IL

E ISO/R1 X X IL

Grupo 0 + (< 13 kg) D ISO/R2 X X IL

C ISO/R3 X X IL (*)

D ISO/R2 X X IL

C ISO/R3 X X IL (*)

Grupo 1 (9 a 18 kg) B ISO/F2 X X IUF

B1 ISO/F2X X X IUF

A ISO/F3 X X IUF

X = Proibida a montagem de dispositivo com ISOFIX nesse assento.


IL = Instalação compatível com dispositivos ISOFIX de categoria semiuniversal, homologados especificamente para este veículo. Necessário consultar a lista de veículos aprovados no ma-
nual do dispositivo de retenção infantil para certificar-se da possibilidade de uso neste veículo.
IL(*) = Montagem possível mediante regulagem do banco anterior.
IUF = Instalação compatível com dispositivos ISOFIX categoria universal com montagem orientada para a frente do veículo homologados para este grupo de peso.

Nota
Consulte sempre a legislação vigente no país relativa ao uso de dispositivos de retenção infantil.

170
SISTEMAS DE SEGURANÇA AIRBAGS FRONTAIS ● Choques frontais contra objetos muito
Os airbags frontais (motorista e passageiro) deformáveis, que não afetam a superfície
SUPLEMENTARES frontal do veículo (por ex., impacto do
e o airbag para os joelhos do condutor (se
AIRBAG para-lamas contra o guard rail)
equipado) protegem os ocupantes dos luga-
O veículo está equipado, conforme a versão, res dianteiros nas colisões frontais de gravi- ● Encaixe do veículo sob outros veículos
com: dade média-alta, através da interposição da ou barreiras de proteção (por exemplo
● Airbag frontal para o motorista. almofada entre o ocupante e o volante ou o sob caminhões ou guard rails).
painel de instrumentos.
● Airbag frontal para o passageiro. A não ativação nas condições acima descri-
● Airbags laterais dianteiros para a proteção A não ativação dos airbags nos outros tipos de tas deve-se ao fato de os airbags poderem
da bacia, tórax e costas (Side bag) do choque (lateral, posterior, capotamento, etc.) não oferecer qualquer proteção adicional re-
motorista e do passageiro. não é portanto sinônimo de funcionamento lativamente aos cintos de segurança e, por
irregular do sistema. isso, a respectiva ativação seria inoportuna.
● Airbags laterais para a proteção da ca-
beça dos ocupantes dos lugares diantei- Os airbags frontais (motorista e passageiro) A não ativação, nestes casos, não indica uma
ros e dos ocupantes dos lugares traseiros não são substituíveis, mas complementares avaria do sistema.
laterais (Window bags). ao uso dos cintos de segurança, que é obriga-
tório, como prescrito pela legislação vigente. Airbag frontal lado motorista
A posição dos airbags está assinalada, no veí- É constituído por uma almofada de enchi-
culo, com a indicação "AIRBAG" situada no Em caso de colisão, uma pessoa que não
mento instantâneo contida num vão especí-
centro do volante, no painel de instrumentos, utilize os cintos de segurança é projetada para
fico localizado no centro do volante.
no revestimento lateral ou numa etiqueta pró- a frente e pode bater na almofada ainda em
ximo do ponto de abertura do airbag. fase de abertura. Nessa situação, a proteção
oferecida pela almofada fica prejudicada.
Os airbags frontais podem não ativar-se nos
seguintes casos:

171
Airbag frontal do lado do passageiro e
cadeirinhas para crianças
As cadeirinhas que se montam no sentido
contrário ao de marcha não devem NUNCA
ser montadas no banco dianteiro com airbag
do lado do passageiro ativo, uma vez que
a ativação do airbag, em caso de choque,
poderia produzir lesões mortais na criança
transportada.

ADVERTÊNCIA
Airbag frontal lado passageiro Airbag para joelhos (knee bag) do lado do Algumas versões têm airbag frontal do
É constituído por uma almofada com enchi- motorista (Se equipado) lado do passageiro SEMPRE ATIVO.
mento instantâneo contida num adequado O airbag para joelhos é constituído por uma
Nesses casos, é proibido o transporte da
compartimento situado no painel de instru- bolsa de enchimento instantâneo contida em
criança no banco dianteiro.
mentos, com um maior volume em relação à um vão específico situado sob a cobertura
do lado do condutor. da coluna inferior à altura dos joelhos do
motorista. O Knee bag fornece uma proteção Seguir SEMPRE as recomendações presen-
adicional ao motorista em caso de impacto tes na etiqueta situada no para-sol do lado do
frontal violento. passageiro.

172
play” no capítulo “Conhecendo o seu painel
de instrumentos”).
Na moldura, situada no painel de instrumen-
tos, estão presentes os LEDs OFF e
ON.
Colocando a chave de ignição na posição
MAR, os dois LEDs acendem-se durante al-
guns segundos. Caso isso não aconteça,
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep. Du-
rante os primeiros segundos, o acendimento
dos LEDs não indica o real estado da prote-
Desativação dos airbags lado do passa- ção do passageiro, mas tem apenas o obje- Proteção do passageiro ativada: o LED
geiro: airbag frontal e airbag lateral para a tivo de verificar o seu correto funcionamento. ON acende-se com luz fixa.
proteção da bacia, do tórax e das costas A seguir ao teste, com a duração de alguns
(se equipado) segundos, os LEDs indicarão o estado da pro- Proteção do passageiro desativada: o LED
Caso seja necessário transportar uma criança teção do airbag do passageiro. OFF acende-se com luz fixa.
numa cadeirinha virada no sentido oposto
Os LEDs podem acender-se com intensida-
ao sentido de marcha no banco dianteiro, é
des diferentes, conforme as condições do
necessário desativar o airbag frontal do lado
veículo. A intensidade pode variar durante o
do passageiro e o airbag lateral dianteiro (Side
mesmo ciclo de chave.
bag).
Para a desativação dos airbags, atuar no
Menu do display (consultar o parágrafo “Dis-

173
AIRBAGS LATERAIS Side bags São constituídos por dois tipos de almofadas
Para aumentar a proteção dos ocupantes, nos encostos dos bancos dianteiros que pro-
em caso de choque lateral, o veículo está tegem a área da bacia, do tórax e das costas
equipado com airbags laterais dianteiros (Side dos ocupantes em caso de colisão lateral de
bag) e airbags de cortina (Window bag). gravidade média-alta.
São assinalados pela etiqueta "AIRBAG" cos-
turada no lado exterior dos bancos dianteiros.

Window bag
É constituído por uma almofada “de cortina”
alojada por trás dos revestimentos laterais do
teto e coberta por acabamentos adequados.

174
Têm o objetivo de proteger a cabeça dos
ocupantes dianteiros e traseiros em caso de ADVERTÊNCIA (continuação) ADVERTÊNCIA (continuação)
colisão lateral, graças à sua ampla superfície abertura do airbag do passageiro e, por talar cadeirinha infantil virada no sentido
de desenvolvimento. outro lado, causar lesões graves aos ocu- oposto ao sentido de marcha no banco di-
pantes do veículo. anteiro. Em caso de colisão, a ativação
Em caso de choques laterais de baixa gravi- do airbag pode produzir lesões mortais na
dade, a ativação dos airbags laterais não é criança transportada, independentemente
necessária. ADVERTÊNCIA da gravidade da colisão.
A melhor proteção por parte do sistema em Conduzir mantendo sempre as mãos no Portanto, desativar sempre o airbag do
caso de colisão lateral obtém-se mantendo volante, de modo que, em caso de ativa- lado do passageiro quando no banco di-
uma correta posição no banco permitindo, ção do airbag, este possa encher-se sem anteiro do passageiro se instala uma ca-
desse modo, um correto desdobramento do encontrar obstáculos. deirinha para crianças montada no sentido
Window bag. Não conduzir com o corpo debruçado para oposto ao sentido de marcha. Além disso,
a frente mas manter o encosto numa posi- o banco dianteiro do passageiro deve ser
ção ereta, apoiando bem as costas. regulado para a posição mais recuada,
ADVERTÊNCIA para evitar possíveis contatos da cadeiri-
Não aplicar adesivos ou outros objetos no nha para crianças com o painel. Reativar
volante, no painel na área do airbag do imediatamente o airbag do passageiro as-
ADVERTÊNCIA
lado do passageiro, no revestimento lateral sim que se tiver desinstalado a própria ca-
O transporte de crianças no banco dian-
do lado do teto e nos bancos. deirinha.
teiro é proibido, salvo exceções indicadas
Não colocar objetos no painel no lado do anteriormente neste capítulo. Em tais ca-
passageiro (por exemplo, celulares) uma sos excepcionais, na presença de airbag
vez que poderiam interferir com a correta do lado do passageiro ativado, NÃO ins-

(continuação) (continuação)

175
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA (continuação)
Para a desativação dos airbags, utilize Não apoiar a cabeça, os braços ou os Nesse caso, os pré-tensionadores ou os
o Menu do quadro de instrumentos (se cotovelos na porta, nas janelas e na área airbags podem não se ativar em caso de
equipado). do window bag. acidente ou, em um número de casos
mais limitado, ativar-se de modo errado.
Consultar o capítulo “Conhecendo o seu Essas precauções têm o objetivo evitar
Antes de prosseguir, contatar a Rede de
painel de instrumentos” no parágrafo “Op- possíveis lesões durante a fase de enchi-
Assistência Jeep para o imediato controle
ções do menu”. mento.
do sistema.

ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
ADVERTÊNCIA
Não prender objetos rígidos aos cabides e Não colocar nunca a cabeça, os braços e
Em algumas versões, em caso de avaria do
às alças de sustentação. os cotovelos fora das janelas.
LED OFF (situado na moldura presente
Poderiam interferir com a correta abertura Evite acidentes. no painel de instrumentos), acende-se a
dos window bags e, por outro lado, causar luz-espia no quadro de instrumentos.
lesões graves aos ocupantes do veículo.
ADVERTÊNCIA Atenção às sinalizações.
Se a luz-espia não se acender girando
a chave de ignição para a posição MAR,
ou ficar acesa durante a marcha, é possível
que esteja presente uma anomalia nos
sistemas de retenção.

(continuação)

176
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA (continuação)
Na presença de Side bags, não cobrir o en- Se o veículo tiver sido objeto de roubo ou no banco dianteiro do passageiro na pre-
costo dos bancos dianteiros com revesti- tentativa de roubo, se tiver sofrido atos de sença de airbag do passageiro ativo.
mentos, coberturas ou capa para bancos. vandalismo, inundações ou alagamentos,
Portanto, desativar (se equipado) sempre
mandar verificar o sistema de airbags.
Estes podem prejudicar o funcionamento o airbag do lado do passageiro quando
do sistema. Esse procedimento deve ser realizado na no banco dianteiro do passageiro se ins-
Rede de Assistência Jeep. tala uma cadeirinha para crianças mon-
tada no sentido oposto ao sentido de mar-
ADVERTÊNCIA cha. Além disso, o banco dianteiro do pas-
Não viajar com objetos ao colo, em frente ADVERTÊNCIA sageiro deve ser regulado para a posição
ao tórax nem com cachimbos ou lápis na Com a chave da ignição na posição MAR, mais recuada, para evitar possíveis conta-
boca, etc. mesmo com o motor desligado, os airbags tos da cadeirinha para crianças com o pai-
podem ser ativados também com o veículo nel. Reativar imediatamente o airbag do
Em caso de colisão com intervenção do passageiro assim que tiver desinstalado a
parado, caso este sofra choque de ou-
airbag, poderão causar danos graves. própria cadeirinha. Por fim, recordar-se
tro veículo em movimento. Assim, mesmo
com o veículo parado, se estiver presente que, se a chave de ignição se encontrar na
alguma exceção prevista na Lei que justi- posição STOP, nenhum dispositivo de se-
fique a instalação da cadeirinha no banco gurança (airbags ou pré-tensionadores) é
dianteiro, as cadeirinhas de crianças que ativado em caso de colisão; a falta de ati-
se montam no sentido oposto ao sentido vação de tais dispositivos, nestes casos,
da marcha NUNCA devem ser instaladas não pode ser considerada como sinal de
avaria do sistema.
(continuação)

177
Nota
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
A entrada em funcionamento dos airbags
A avaria da luz-espia é indicada com o O airbag não substitui os cintos de segu- liberta uma pequena quantidade de pós:
acendimento, no display do quadro de ins- rança, mas aumenta a sua eficácia. estes não são nocivos e não indicam um
trumentos, de um ícone de avaria do air- princípio de incêndio. No entanto, o pó
Dado que os airbags frontais não intervêm
bag e pela visualização de uma mensagem poderá irritar a pele e os olhos: neste caso,
em caso de colisões frontais a baixa ve-
específica. Não são desativadas as cargas lavar com sabão neutro e água.
locidade, colisões laterais, colisões trasei-
pirotécnicas.
ras ou capotamentos, os ocupantes estão
Nota
Antes de prosseguir, contatar a Rede de protegidos, além dos eventuais airbags la-
Assistência Jeep para o imediato controle terais, pelos cintos de segurança que, por- Todas as intervenções de controle, repa-
do sistema. tanto, devem estar sempre apertados. ração e substituição inerentes aos airbags
devem ser efetuadas na Rede de Assistên-
cia Jeep.
Nota
ADVERTÊNCIA Nota
Não lavar os bancos com água ou vapor
A intervenção do airbag está prevista para sob pressão (à mão ou nas estações de Em caso de sucateamento do veículo,
tipos de colisões de gravidade superior à lavagem automáticas para bancos). dirigir-se à Rede de Assistência Jeep para
dos pré-tensionadores. desativar o sistema de airbags.
Nota
Em colisões compreendidas no intervalo Nota
entre os dois limites de ativação, é normal A ativação dos airbags frontais e/ou late-
rais é possível se o veículo for submetido a A ativação de pré-tensionadores e airbags
que somente os pré-tensionadores entrem é decidida de modo diferenciado, com base
em funcionamento. fortes colisões relacionadas à área inferior
da carroceria (ex. colisões violentas con- no tipo de colisão. A não ativação de
tra grades, passeios, quedas do veículo um ou mais airbags não indica um mau
em grandes buracos ou depressões de es- funcionamento do sistema.
trada, etc.).

178
4
PARTIDA E OPERAÇÃO
PARTIDA DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 188
PROCEDIMENTOS INICIAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . 188
PROCEDIMENTOS PARA VERSÕES FLEX . . . . . . . . . 189
Versões com câmbio manual . . . . . . . . . . . . . . 189
Versões com câmbio automático . . . . . . . . . . . 189
PROCEDIMENTO PARA VERSÕES DIESEL . . . . . . . . 190
Versões com câmbio manual . . . . . . . . . . . . . . 190
Versões com câmbio automático . . . . . . . . . . . 190
Versões FLEX e DIESEL com Keyless
Entry-N-Go . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 190
PARTIDA APÓS INATIVIDADE PROLONGADA . . . . . . . 191
FALTA DE PARTIDA DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . 191
Avisos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 191
Partida do motor com bateria da chave eletrônica
(Keyless Enter-N-Go) descarregada . . . . . . . . . . 191
AQUECIMENTO DO MOTOR LOGO APÓS A
PARTIDA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 192
ARREFECIMENTO - VERSÕES TURBO . . . . . . . . . . . 192

179
SISTEMA START&STOP (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . 192
CONHECENDO O SISTEMA . . . . . . . . . . . . . . . . . 192
ATIVAÇÃO E DESATIVAÇÃO DO SISTEMA . . . . . . 192
FUNCIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 193
Câmbio manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 193
Condições que inibem a parada do motor
(Autostop) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 194
Câmbio automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195
PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . 196
Função de “Economia de energia” (previstos para
algumas versões/mercados) . . . . . . . . . . . . . . 196
IRREGULARIDADE NO FUNCIONAMENTO . . . . . . . . 197
Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197
INATIVIDADE DO VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . 197
PARTIDA DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . 198
RECOMENDAÇÕES PARA DESLIGAR O MOTOR . . . . . . 199
PROCEDIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 199
Veículos equipados com chave eletrônica (Keyless
Enter-N-Go) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 199

180
FREIO DE ESTACIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . 200
ELÉTRICO (EPB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 200
Acionamento manual do freio de
estacionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Desengate manual do freio de estacionamento
elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 202
MODALIDADE DE FUNCIONAMENTO DO FREIO DE
ESTACIONAMENTO ELÉTRICO . . . . . . . . . . . . . . . 202
SAFE HOLD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 203
TRANSMISSÃO MANUAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 204
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 204
Velocidade econômica para troca de marchas . . . . 204
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA . . . . . . . . . . . . . . . . . 205
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 205
DISPLAY . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 205
ALAVANCA DE CÂMBIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 206
BORBOLETAS DE MUDANÇA DE MARCHAS NO
VOLANTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 207
POSIÇÕES DA ALAVANCA . . . . . . . . . . . . . . . . . 207
Estacionamento (P) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 207
Marcha a ré (R) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 208
Ponto morto (N) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 208
Drive (D) - Marcha para a frente automática . . . . . 209
AutoStick - Modalidade de mudança manual
(sequencial) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 209
Avisos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 209

181
FUNÇÃO DE EMERGÊNCIA DO CÂMBIO (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 210
BLOQUEIO DE IGNIÇÃO E POSIÇÃO DE
ESTACIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 210
SISTEMA DE INIBIÇÃO DO ENGATE DE MARCHAS SEM
O PEDAL DO FREIO ACIONADO . . . . . . . . . . . . . . 211
AVISOS GERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 211
TRAÇÃO INTEGRAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 212
TRAÇÃO INTEGRAL JEEP ACTIVE DRIVE 4WD e JEEP
ACTIVE DRIVE 4WD LOW . . . . . . . . . . . . . . . . . . 212
TRAÇÃO INTEGRAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 212
Ativação da tração integral . . . . . . . . . . . . . . . 213
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO DA MODALIDADE 4WD
LOW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 214
Ativação da modalidade 4WD LOW . . . . . . . . . . 214
Desativação da modalidade 4WD LOW . . . . . . . . 215
SELEC-TERRAIN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 215
SELEÇÃO DA MODALIDADE DE CONDUÇÃO . . . . . . . 215
LIMITADOR DE VELOCIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . 217
SPEED LIMITER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 217
ATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO . . . . . . . . . . . . . . . . 217
PROGRAMAÇÃO DA VELOCIDADE LIMITE . . . . . . . . 218
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO . . . . . . . 218
ULTRAPASSAGEM DA VELOCIDADE
PROGRAMADA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218

182
INTERMITÊNCIA DA VELOCIDADE
PROGRAMADA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218
DESATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO . . . . . . . . . . . . . . 218
Desativação automática do dispositivo . . . . . . . . 219
CONTROLE DE VELOCIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . 219
CRUISE CONTROL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 219
ATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO . . . . . . . . . . . . . . . . 219
DEFINIÇÃO DA VELOCIDADE DESEJADA . . . . . . . . . 220
ALTERAÇÃO DA VELOCIDADE . . . . . . . . . . . . . . . 220
Aumento da velocidade . . . . . . . . . . . . . . . . . 221
Utilização do dispositivo em montanhas . . . . . . . 221
Diminuição da velocidade . . . . . . . . . . . . . . . . 221
VOLTAR A CHAMAR A VELOCIDADE . . . . . . . . . . . . 221
DESATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO . . . . . . . . . . . . . . 221
ASSISTENTE DE ESTACIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . 222
SISTEMA PARKSENSE (Se equipado) . . . . . . . . . . . 222
Sensores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 222
Sinalização acústica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223
Distâncias de detecção . . . . . . . . . . . . . . . . . 223
Sinalização no display . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . 224
SINALIZAÇÃO DE ANOMALIAS . . . . . . . . . . . . . . . 224
FUNCIONAMENTO COM REBOQUE . . . . . . . . . . . . 224

183
SISTEMA ACTIVE PARKSENSE (Se equipado) . . . . . . . 225
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . 227
FUNCIONAMENTO DO SISTEMA . . . . . . . . . . . . 227
DESCRIÇÃO DO ESTACIONAMENTO PARALELO E
PERPENDICULAR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 228
Ativação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 228
Escolha do tipo de estacionamento . . . . . . . . . . 228
Escolha de um dos lados . . . . . . . . . . . . . . . . 228
Busca por uma vaga de estacionamento . . . . . . . 228
Manobra . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 229
Fim da manobra . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 229
INFORMAÇÕES IMPORTANTES . . . . . . . . . . . . 229
SISTEMA DE ALERTA DE DISTÂNCIA LATERAL (Se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 231
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . 232
FUNCIONAMENTO COM UM REBOQUE . . . . . . . 232
INFORMAÇÕES IMPORTANTES . . . . . . . . . . . . 232
CÂMERA DE RÉ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 233
PARKVIEW® rear back up câmera . . . . . . . . . . . . . 233
Ativação/desativação da câmera . . . . . . . . . . . . 233
VISUALIZAÇÕES E MENSAGENS NO DISPLAY . . . . . . 234
Visualizações no display . . . . . . . . . . . . . . . . 234
Mensagens no display . . . . . . . . . . . . . . . . . . 235

184
SISTEMA DE MONITORAMENTO DA PRESSÃO DOS
PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 235
TPMS (Tyre Pressure Monitoring System) (se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 235
Etiqueta Anatel TPMS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 237
Exemplo operacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238
SINALIZAÇÃO INSUFICIENTE DA PRESSÃO DOS
PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 239
SISTEMA TPMS TEMPORARIAMENTE
DESATIVADO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 239
Mensagem de verificação TPMS . . . . . . . . . . . . 239
Desativação do sistema TPMS . . . . . . . . . . . . . 240
SISTEMA DE MONITORAMENTO INDIRETO DA PRESSÃO
DOS PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 240
iTPMS (Indirect Tyre Pressure Monitoring System) (se
equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 240
Procedimento para realização do reset . . . . . . . . 241
CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO . . . . . . . . . . 241
REABASTECENDO O VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . 245
PROCEDIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245
SISTEMA FLEX (combustível etanol e/ou gasolina) . . . . 247
MOTORES DIESEL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 248
Funcionamento a baixas temperaturas . . . . . . . . 248
REABASTECIMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 248

185
PROCEDIMENTO DE ABASTECIMENTO . . . . . . . . . . 249
Abertura da tampa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
Abertura de emergência da tampa do bocal do
reservatório de combustível . . . . . . . . . . . . . . 249
Abastecimento de emergência . . . . . . . . . . . . . 250
DICAS DE DIREÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
DESCRIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL . . . . . . . . . . . . . . . 251
Manutenção do veículo . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
Cargas inúteis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
Porta-bagagens/porta-esquis . . . . . . . . . . . . . 251
Dispositivos elétricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251
Climatizador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Acessórios aerodinâmicos . . . . . . . . . . . . . . . 252
ESTILO DE CONDUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Intervenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Manobras inúteis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Troca de marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Velocidade máxima . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Aceleração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Condições de utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Situação do trânsito e condição das vias e
estradas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 253
Paradas ou interrupções de trânsito. . . . . . . . . . 253
TRANSPORTE DE PASSAGEIROS . . . . . . . . . . . . . 253
TRANSPORTE DE ANIMAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . 253

186
GASES DE DESCARGA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 253
SUGESTÕES PARA A CONDUÇÃO FORA DE ESTRADA
(Versões com tração integral) . . . . . . . . . . . . . . . . 254
Utilização da tração integral (4WD LOW) . . . . . . . 254
Córregos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 254
Água corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
Trechos alagados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
Condução com neve/ lama/areia . . . . . . . . . . . . 255
Condução em subida . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
Condução em descida . . . . . . . . . . . . . . . . . . 256
Após a condução em trechos fora de estrada . . . . 256
GANCHO DE REBOQUE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 257
REBOQUE DE ATRELADOS . . . . . . . . . . . . . . . . . 257
Pontos de fixação do engate de reboque . . . . . . . . . 259
Utilização de guinchos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260

187
PARTIDA DO MOTOR ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
PROCEDIMENTOS INICIAIS Enquanto o motor não estiver ligado, o Alguns cuidados são necessários no pri-
Antes de ligar o veículo, regular o banco, os servofreio não está ativo. meiro período de viagem.
espelhos retrovisores internos e externos e
apertar corretamente o cinto de segurança. Diante disso, é necessário exercer um es- Nos primeiros 1600 km, não exigir o má-
forço no pedal de freio muito maior do que ximo desempenho do veículo (por ex., ace-
Para a partida do motor, nunca pressionar o o habitual. lerações excessivas, distâncias demasia-
pedal do acelerador. damente prolongadas nos regimes máxi-
Se for necessário, no display podem mos, frenagens excessivamente bruscas,
visualizar-se mensagens que indicam o ADVERTÊNCIA etc.).
procedimento para efetuar a partida. Para os veículos catalisados deve ser com-
pletamente evitado a partida com empur-
rão, reboque ou aproveitando as descidas. ADVERTÊNCIA
ADVERTÊNCIA Com o motor desligado, não deixar a
Essas manobras podem causar o afluxo
O motor consome oxigênio e libera gás chave de ignição na posição MAR.
de combustível no conversor catalítico e
carbônico, monóxido de carbono e outros danificá-lo irremediavelmente. Esta atitude evita o consumo indesejável
gases tóxicos. de energia da bateria.
É perigoso deixar o motor funcionando em
local fechado.

188
de partida, não sendo necessário manter a ● Posicionar a alavanca de câmbio em
ADVERTÊNCIA chave girada na posição AVV todo o tempo ponto morto.
Pisar no acelerador antes de desligar o até que o motor dê a partida. ● Pisar no pedal de embreagem, sem pisar
motor não tem nenhuma utilidade.
Após girar a chave para a posição AVV, o sis- no acelerador.
Esta atitude provoca um consumo inútil de tema irá ativar o motor de partida pelo tempo ● Colocar a chave de ignição em MAR e
combustível e é prejudicial, especialmente necessário ao funcionamento do motor. Em aguardar que as luzes-espia se apaguem.
para os motores com turbocompressor. caso de não funcionamento do motor, o sis- ● Girar a chave de ignição para a posição
tema irá interromper a tentativa de partida AVV e soltá-la.
PROCEDIMENTOS PARA VERSÕES após um tempo máximo de 10 segundos, oca-
sião em que poderá ser efetuada uma nova Versões com câmbio automático
FLEX Para dar a partida no motor deverão ser se-
tentativa de ligar o motor.
A tecnologia de partida a frio empregada no guidos os procedimentos descritos a seguir:
veículo se baseia no aquecimento prévio do Nota
etanol, quando necessário, no sistema de in- O sistema de aquecimento do combustível ● Verificar se o freio de estacionamento está
jeção, indicado pela luz-espia . Essa so- pode ser ativado com a abertura da porta acionado.
lução dispensa o uso de reservatório auxiliar do motorista. Este processo é indicado ● Verificar se a alavanca de câmbio está
de gasolina para partida a frio, caso o etanol pela luz-espia na posição P (Estacionamento) ou N
seja o combustível preponderante no tanque (Neutro).
de combustível. Versões com câmbio manual ● Pisar no pedal de freio, sem pisar no
Para dar a partida no motor deverão ser se- acelerador.
Nas versões equipadas com chave eletrônica,
guidos os procedimentos descritos a seguir:
o motor liga quando é pressionado o botão ● Colocar a chave de ignição em MAR e
do dispositivo de partida. ● Verificar se o freio de estacionamento está aguardar que as luzes-espia se apaguem.
O veículo está equipado com um sistema de acionado. ● Girar a chave de ignição para a posição
partida que faz a gestão automática do motor AVV e soltá-la.

189
PROCEDIMENTO PARA VERSÕES ● Pisar no pedal da embreagem, sem pisar Nas versões equipadas com chave eletrônica,
DIESEL no acelerador. o motor liga quando é pressionado o botão
● Girar a chave de ignição para a posição do dispositivo de partida.
ADVERTÊNCIA AVV e soltá-la. Em caso de não funcionamento do motor, o
O acendimento da luz-espia de modo Nas versões equipadas com chave eletrônica, sistema irá interromper a tentativa de partida
intermitente após a partida ou durante uma o motor liga quando é pressionado o botão após um tempo máximo de 10 segundos,
condução prolongada assinala uma ano- do dispositivo de partida. ocasião em que poderá ser efetuada uma
malia no sistema de preaquecimento das nova tentativa de ligar o motor.
velas. Em caso de não funcionamento do motor, o
sistema irá interromper a tentativa de partida Nota
Se o motor ligar, é possível utilizar regu- após um tempo máximo de 10 segundos, Se, com a chave de ignição na posição
larmente o veículo, mas é preciso dirigir- ocasião em que poderá ser efetuada uma MAR, o símbolo no display permanecer
se imediatamente à Rede de Assistência nova tentativa de ligar o motor. aceso juntamente com a luz-espia , re-
Jeep.
Versões com câmbio automático por a chave de ignição na posição STOP e
Proceder do seguinte modo: depois de novo em MAR. Se a luz-espia (ou
Versões com câmbio manual o símbolo no display) permanecer acesa,
Proceder do seguinte modo: ● Engatar o freio de estacionamento elétrico voltar a tentar com as outras chaves forne-
e posicionar a alavanca de câmbio na cidas. Se, mesmo assim, não for possível
● Engatar o freio de estacionamento elétrico posição P (Estacionamento) ou N (Ponto ligar o motor, dirigir-se à Rede de Assis-
e posicionar a alavanca de câmbio no morto). tência Jeep.
ponto morto
● Girar a chave de ignição para a posição Versões FLEX e DIESEL com Keyless
● Girar a chave de ignição para a posição AVV e soltá-la. Entry-N-Go
MAR: acende-se a luz-espia no qua-
Proceder do seguinte modo:
dro de instrumentos.

190
● Engatar o freio de estacionamento elétrico ● Se o motor não ligar dentro de 10 segun- em eventuais pessoas que se encontrem nas
e posicionar a alavanca de câmbio na dos, voltar a colocar a chave de ignição proximidades.
posição P (Estacionamento) ou N (Ponto na posição STOP, aguardar 5 segundos
Não tentar a partida do motor rebocando ou
morto). e deixar arrefecer o motor de partida; em
empurrando o veículo. Estas manobras pro-
● Acionar o pedal de freio sem pisar no seguida, repetir o procedimento de par-
vocariam a entrada de combustível no con-
acelerador. tida.
versor catalítico que, na partida do motor, se
● Pressionar o botão START. ● Se o motor não ligar após 8 tentativas, inflamaria, provocando o sobreaquecimento
deixar arrefecer o motor de partida du- e danos no próprio conversor.
● Se o motor não ligar, voltar a pressio-
rante pelo menos 10 segundos e, em se-
nar o botão START e aguardar 10 a 15 Em caso de bateria descarregada, é possível
guida, repetir o procedimento.
segundos antes de repetir a manobra de efetuar uma partida de emergência ligando-a,
partida. Nota através de cabos adequados, a uma bateria
Uma partida após inatividade prolongada auxiliar ou à bateria de outro veículo. Toda-
PARTIDA APÓS INATIVIDADE PRO- do veículo particularmente difícil, pode via, esta manobra pode ser perigosa se efe-
LONGADA também ser provocada pelo parcial tuada de modo incorreto. Consultar o pa-
Quando o veículo não for ligado ou conduzido descarregamento da bateria. Nesse caso, rágrafo "Partida de emergência" no capítulo
durante pelo menos 35 dias, é aconselhável consultar o parágrafo "Partida de emer- "Em emergência".
ter os seguintes cuidados. gência" no capítulo "Em emergência".
Partida do motor com bateria da chave
Para ligar o motor, proceder do seguinte eletrônica (Keyless Enter-N-Go) descarre-
FALTA DE PARTIDA DO MOTOR
modo: gada
Avisos
● Girar a chave de ignição na posição AVV Não tentar a partida do motor deixando com- A falta de resposta do dispositivo de partida
e soltá-la posteriormente, repetindo os bustível ou outro líquido inflamável no interior ao pressionar o respectivo botão pode signi-
procedimentos informados nos tópicos da tomada de ar do corpo de borboleta: esta ficar que a bateria da chave eletrônica esteja
anteriores. operação pode provocar danos no motor e descarregada. Assim, o sistema não irá de-
tectar a presença da chave eletrônica a bordo
191
do veículo e visualizará no display uma men- ARREFECIMENTO - VERSÕES SISTEMA START&STOP (SE
sagem específica. TURBO EQUIPADO)
Neste caso, apoiar a extremidade arredon- Antes de desligar o motor, mantê-lo em mar- CONHECENDO O SISTEMA
dada da chave eletrônica (lado oposto rela- cha lenta durante alguns minutos de modo a
O sistema Start&Stop desliga automatica-
tivamente ao qual se encontra o corpo me- permitir uma lubrificação adequada do turbo-
mente o motor sempre que o veículo esti-
tálico) no botão do dispositivo de partida e compressor. Este procedimento é particular-
ver parado (atendendo as condições de fun-
pressionar o próprio botão através da chave mente aconselhado após uma condução exi-
cionamento do sistema) e reinicia quando o
eletrônica. Deste modo, aciona-se o disposi- gente.
condutor acionar o pedal da embreagem para
tivo de partida para ligar o motor. Após o funcionamento com plena carga ou, versões com câmbio manual ou quando ele
em todo o caso, com fortes solicitações de retira a pressão sobre o pedal de freio para
AQUECIMENTO DO MOTOR LOGO potência, manter o motor em marcha lenta de versões com câmbio automático.
APÓS A PARTIDA 3 a 5 minutos antes de desligá-lo.
Este procedimento aumenta a eficiência do
Proceder do seguinte modo:
Este período de tempo permite ao óleo lubrifi- veículo através da redução no consumo de
● Colocar lentamente o veículo em movi- cante e ao líquido de arrefecimento do motor combustível, reduz as emissões de gases
mento, fazendo o motor rodar em regime eliminar o calor excessivo da câmara de com- nocivos e a poluição sonora.
médio, sem solicitar acelerações bruscas bustão, rolamentos, componentes internos e
turbocompressor. ATIVAÇÃO E DESATIVAÇÃO DO SISTEMA
● Evitar procurar, desde os primeiros quilô- Para ativar/desativar o sistema manualmente,
metros, o máximo de desempenho. É pressione o botão A localizado no console.
aconselhável aguardar que o indicador da
temperatura do líquido de arrefecimento
do motor comece a subir.

192
câmbio for colocado em ponto morto (Neutro)
e o pedal da embreagem for liberado. ADVERTÊNCIA
Para o correto funcionamento do sistema,
Não se deve engatar nenhuma marcha sem o nível de carga da bateria deve estar
acionar o pedal da embreagem durante o acima do limite preestabelecido.
Autostop.
Observe sempre as recomendações deste
Nota manual.
O desligamento automático do motor é
habilitado apenas depois de superar uma
Autostart (repartida automática) sem ação
velocidade de cerca de 5 km/h, para evitar
do motorista
repetidos desligamentos do motor quando
conduzir a uma velocidade baixa. Para garantir o conforto do ocupante, a redu-
A desativação do sistema Start&Stop é indi- ção de emissões, a segurança e a integridade
Modo Autostart (repartida automática) do sistema, o motor pode ser religado auto-
cada por uma mensagem exibida no display
e/ou no quadro de instrumentos (dependendo Com a função Start&Stop habilitada, pressi- maticamente sem a ação do motorista.
da versão). Nestas condições o LED loca- one o pedal de embreagem para permitir a Nesse caso, se o câmbio não se encontrar no
lizado sobre o botão é ligado. repartida do motor. ponto morto, uma mensagem no quadro de
Caso o câmbio esteja em ponto morto, ao instrumentos irá solicitar ao motorista o aci-
FUNCIONAMENTO começar a pisar na embreagem para o engate onamento da embreagem através de mensa-
Câmbio manual da marcha, o motor já será ligado. gem específica no display e luz-espia no
Modo Autostop (desligamento automático) quadro de instrumentos.
Com a função Start&Stop habilitada e com o
veículo parado, o motor irá desligar quando o

193
Caso o pedal da embreagem não seja pres-
sionado dentro de aproximadamente 3 mi-
nutos, uma mensagem será exibida no dis-
play (Off ou Start&Stop não disponível), neste
caso a repartida automática estará desabili-
tada, sendo necessário efetuar a repartida do
veículo através da chave de ignição.

Condições que inibem a parada do motor


(Autostop)
Por questão de conforto, de redução de emis-
sões e de segurança, o motor não é desligado
sob as seguintes condições:

● Inclinação superior ao valor preestabele-


cido para garantir a segurança de funcio-
namento do sistema.
● O motor ainda está frio.
● O nível de carga da bateria abaixo do
limite preestabelecido.
● A porta do condutor não está fechada.
● O cinto de segurança do motorista não
está afivelado.
194
● O climatizador Dualzone (se equipado) colhida pelo usuário, conforme descrito no ligar o motor só será possível utilizando a
está na modalidade MAX-AC ou em capítulo "Climatização". chave de ignição.
processo de desembaçamento MAX-DEF
Condições para repartida do motor (Autos- Nota
(led do botão aceso) a uma alta
tart) Nos casos de desligamento do motor de
velocidade de ventilação.
forma indesejada, por exemplo, no caso
● O climatizador está na modalidade Por questão de conforto, de redução de emis-
de uma liberação repentina do pedal de
(MAX/AC). sões e de segurança, o motor pode reiniciar
embreagem com marcha engatada, se o
● A marcha a ré foi acionada (por exemplo, automaticamente sem qualquer intervenção
sistema Start&Stop estiver ativado, você
para as manobras de estacionamento). do condutor, se ocorrerem as seguintes con-
poderá ligar o motor pressionando o pedal
dições:
● Ocorreu reabastecimento recente. Esta da embreagem.
condição é temporária (ver advertências ● Nível de carga da bateria abaixo do limite
Câmbio automático
no tópico “Sistema flex” neste capítulo). preestabelecido.
Modo Autostop (desligamento automático)
● O capô está aberto ou destravado. ● Ocorreu a depressão do sistema de freio,
devido ao acionamento do pedal de freio Em veículos de transmissão automática, se o
Nota repetidas vezes. sistema Start&Stop está ativado e o veículo é
Com o modo AUTO ativado no climati- parado (parar por um tempo suficiente para
● Veículo em movimento, por exemplo, nos
zador Dualzone (se equipado), o sistema o sistema atuar) o motor é automaticamente
casos de estar trafegando em descidas.
Start&Stop pode ser desativado de acordo desligado nas seguintes condições:
com a temperatura interna requerida e con- ● O motor foi desligado através do sistema
dições ambientais, visando manter a tem- Start&Stop por um tempo maior que o ● Alavanca de velocidades na posição D.
peratura do habitáculo refrigerada. preestabelecido. ● Pedal do freio pressionado.
Nota Nota Nota
A utilização do ar-condicionado pode ini- Se a embreagem não for pressionada após O desligamento automático do motor é
bir o autostop de acordo com a opção es- os três minutos depois de desligar o motor, habilitado apenas depois de superar uma
195
velocidade de cerca de 5 km/h, para evitar Por motivo de segurança, o Start&Stop po-
repetidos desligamentos do motor quando derá ser desabilitado involuntariamente. Será
conduzir a uma velocidade baixa. visualizado no quadro de instrumentos a men-
sagem de Start&Stop não disponível.
Modo Autostart (repartida automática)
Em caso de transmissão automática, o motor
é automaticamente religado quando:

● Com a função “Start&Stop” habilitada,


liberar o pedal do freio para permitir a
repartida do motor, desde que o câmbio
PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA
esteja na posição de Drive (D).
Quando o motor é desligado automatica-
Se o câmbio encontra-se fora da posição de mente pelo sistema Start&Stop e o motorista
Drive (D) o veículo vai partir automaticamente. desafivela o cinto de segurança, abre a porta
do motorista ou o capô, a partida do mo-
tor só será permitida pela chave de ignição.
ADVERTÊNCIA Esta condição é assinalada ao condutor por
Para o correto funcionamento do sistema, mensagem exibida no display ou pelo acendi-
o nível de carga da bateria deve estar mento da luz-espia no quadro de instrumen-
acima do limite preestabelecido. tos.

Esteja atento às recomendações desse Função de “Economia de energia” (previs-


manual. tos para algumas versões/mercados)
Se, com uma repartida automática do motor,
o motorista não executar qualquer ação no

196
veículo por um período de tempo de cerca de INATIVIDADE DO VEÍCULO
3 minutos, o sistema Start&Stop, em algumas Em casos de inatividade do veículo esteja
versões, desliga o motor a fim de evitar o atento à carga da bateria.
consumo de combustível. Nestes casos, a
partida do motor só será permitida pela chave Efetuar o seguinte procedimento:
de ignição. Caso seja necessário desconectar o cabo
massa (-) da bateria, o mesmo deve ser feito
Nota
através do falso polo do sensor A, como a
É possível manter o motor em funci-
seguir:
onamento, desabilitando o sistema
Start&Stop.
● Remova o engate rápido C do falso polo
IRREGULARIDADE NO FUNCIONA- negativo D.
MENTO
Em caso de mau funcionamento, o sistema
Start&Stop é desligado. O condutor é infor-
mado da anomalia pela sinalização da luz-
espia, juntamente com uma mensagem visu-
alizada no display (algumas versões). Neste
caso, dirigir-se a Rede de Assistência Jeep.

Advertência ● Pressione o botão B do engate rápido


O funcionamento do sistema Start&Stop para soltá-lo do falso polo.
poderá ficar prejudicado caso não sejam
utilizados acessórios genuínos Jeep.

197
● Para recolocar o cabo, empurrar no sen- evitar que seja descarregada pela corrente tirar a chave de ignição quando o veículo
tido contrário até ouvir o click da trava, stand-by do veículo. estiver parado e com outras pessoas pre-
certificando-se do travamento. sentes dentro do veículo.
O sensor A não pode nunca ser des- PARTIDA DE EMERGÊNCIA
Durante o reabastecimento de combustí-
conectado do polo, exceto no caso de Em caso de partida de emergência com ba- vel, assegurar-se de que o veículo esteja
substituição da bateria. teria auxiliar, não conectar o cabo negativo (-) desligado com a chave na posição OFF.
da bateria auxiliar ao terminal negativo E da
Nota bateria do veículo. Conectar a um ponto de Em caso de ar-condicionado de controle
Antes de continuar com o procedimento, massa motor/câmbio (siga o procedimento de manual, se você deseja dar prioridade ao
aguarde pelo menos 1 minuto para posici- “Partida com bateria auxiliar”). conforto climático, é possível desativar o
onar a chave de ignição na posição STOP. sistema Start&Stop a fim de permitir o
funcionamento contínuo do sistema de ar-
Nota condicionado.
A bateria para veículos com sistema
Start&Stop possui características que são
específicas para esta versão e visam
ADVERTÊNCIA
garantir o perfeito funcionamento do
ATENÇÃO:
sistema. É imprescindível que, para
substituição da bateria, dirija-se à Rede Nos veículos com “Start & Stop”, para
de Assistência Jeep. manter o HCSS (Sistema de aquecimento
para partida a frio) em condições normais
Nota
de funcionamento, deve-se preservar as
Caso o veículo permaneça inativo por mais Nota
características originais do veículo (rádio,
de 10 dias, deve-se desconectar o engate Antes de abrir o capô, é preciso assegurar- multimídia).
rápido do polo negativo da bateria para se de que o veículo esteja desligado e a
chave na posição OFF. É aconselhado re-

198
Não remover o sensor IBS A (Sensor inteli- RECOMENDAÇÕES PARA DES- automático com alavanca numa posição di-
gente da bateria) do polo negativo da bateria, ferente de P (Estacionamento). Neste caso,
pois o sistema Start & Stop poderá ficar ino-
LIGAR O MOTOR para desligar o motor, é necessário pressio-
perante. PROCEDIMENTOS nar prolongadamente o botão do dispositivo
Para desligar o motor, proceder do seguinte de partida ou pressioná-lo 3 vezes consecu-
modo: tivamente no espaço de poucos segundos.
Neste caso, o motor desligará e o dispositivo
● Estacionar o veículo numa posição que
de partida será posicionado em STOP.
não constitua perigo para o trânsito.
● Engatar uma mudança de marcha Com o sistema Keyless Enter-N-Go, é possí-
(versões com caixa manual) ou vel abandonar o veículo com o motor ligado,
posicionar a alavanca de câmbio em P levando consigo a chave eletrônica, sem que
(Estacionamento) (versões com câmbio o motor se desligue. O veículo assinalará a
automático). presença da chave a bordo do veículo ape-
● Com o motor em marcha lenta, Girar a nas em caso de fechamento das portas.

Nota chave de ignição para a posição STOP. Desligando o veículo (passagem da posição
Após substituição da bateria o sistema MAR para STOP), a alimentação dos acessó-
Avisos
Start&Stop (se equipado) pode ficar tem- rios é mantida durante cerca de 3 minutos.
porariamente indisponível. Com o motor desligado, não deixar a chave
Abrindo a porta do lado do condutor com o
de ignição na posição MAR.
quadro de instrumentos aceso, será emitido
Veículos equipados com chave eletrônica um breve sinal acústico, para lembrar ao
(Keyless Enter-N-Go) condutor que desligue o veículo. No display
Com velocidade do veículo superior a 8 km/h será visualizada uma mensagem específica.
é, em todo o caso, possível desligar o motor,
mesmo para veículos equipados com câmbio
199
Quando a chave de ignição está na posi- caso de forte inclinação). Nas versões com
ção STOP, o funcionamento dos levantado- câmbio automático, posicionar a alavanca
res dos vidros elétricos permanece ativo du- de câmbio na posição P (Estacionamento).
rante cerca de 3 minutos. A abertura de uma
das portas dianteiras anula esta função. Nota
Em caso de avaria na bateria do veículo,
Depois de um percurso desgastante, antes de para desbloquear o freio de estaciona-
desligar o motor, deixar o motor em marcha mento elétrico, é necessário efetuar a
lenta para permitir que baixe a temperatura substituição da bateria.
no interior do vão do motor.
O freio de estacionamento elétrico pode ser
FREIO DE ESTACIONAMENTO engatado de duas formas:
ELÉTRICO (EPB) ● Manualmente, puxando o interruptor no
Nota
O veículo está equipado com um freio de console central.
Antes de abandonar o veículo, engatar
estacionamento elétrico (EPB), que garante ● Automaticamente nas condições de "Safe
sempre o freio de estacionamento elétrico.
um desempenho ideal. Hold" ou de "Auto Park Brake".
O freio de estacionamento elétrico está equi- Nota
pado com um interruptor, localizado no con- Para estacionar o veículo, desligar o motor,
sole central, um motor com pinça para cada acionar o freio de estacionamento, engatar
roda traseira e um módulo de controle eletrô- a 1ª marcha e deixar as rodas viradas em
nico. direção ao meio-fio (guias) do passeio. Se
o veículo estiver estacionado em uma des-
cida íngreme, aconselha-se também a tra-
var as rodas com um calço. cunhas ou pe-
dras posicionadas à frente das rodas (em

200
Acionamento manual do freio de estacio- Se engatar o freio de estacionamento com o
namento ADVERTÊNCIA (continuação) pedal do freio pressionado, pode perceber-se
Certificar-se ainda de que as crianças não um ligeiro movimento do pedal.
acionem inadvertidamente o freio de esta-
ADVERTÊNCIA Nota
cionamento elétrico, o pedal do freio ou a
Durante as manobras de estacionamento alavanca da câmbio automático. Em caso de luz-espia de avaria EPB acesa,
em estradas com inclinação, é imprescin- algumas funcionalidades do freio de es-
dível engatar o freio de estacionamento, a tacionamento elétrico serão desativadas.
primeira marcha se estiver em subida, a Neste caso, o condutor é responsável pelo
ADVERTÊNCIA
marcha a ré em descida (na presença de acionamento do freio de estacionamento
câmbio automático, posicionar a alavanca O freio de estacionamento elétrico deve
ser sempre engatado quando se abandona do veículo em condições de completa se-
em "P") e virar as rodas dianteiras. gurança.
o veículo.
Se o veículo for estacionado em inclina-
Atue sempre com segurança. Se, em circunstâncias excepcionais, for ne-
ções acentuadas, bloquear as rodas com
cessário solicitar a intervenção do freio com
um calço.
o veículo em movimento, manter o interrup-
Para engatar manualmente o freio de estacio- tor no console central puxado durante todo o
namento elétrico com o veículo parado, puxe tempo em que se pretende a intervenção do
ADVERTÊNCIA brevemente o interruptor localizado no con- próprio freio.
NUNCA deixar as crianças no interior do sole central.
veículo sem vigilância, nem abandonar o A luz-espia pode acender-se se o sistema
Durante o engate do freio de estacionamento
veículo com as portas destravadas num hidráulico estiver momentaneamente indispo-
elétrico, pode perceber-se um ligeiro ruído
local facilmente acessível às crianças. nível e a frenagem solicitar assistência dos
proveniente da parte traseira do veículo.
motores elétricos.
(continuação)
Além disso, acendem-se automaticamente as
luzes de freio (stop), como aconteceria para
201
uma frenagem normal efetuada através da pisar no pedal do freio, e depois pressionar MODALIDADE DE FUNCIONAMENTO
pressão do pedal do freio. brevemente o interruptor no console central. DO FREIO DE ESTACIONAMENTO
Para interromper a solicitação de frenagem Durante o desengate, pode perceber-se um ELÉTRICO
com o veículo em movimento, soltar o inter- ligeiro ruído proveniente da parte traseira do O freio de estacionamento elétrico pode fun-
ruptor no console central. veículo e pode notar-se um ligeiro movimento cionar de acordo com as seguintes modalida-
do pedal do freio. des:
Se, através deste procedimento, o veículo
for freado até atingir uma velocidade inferior Nota ● "Modalidade de acionamento dinâmico":
a aproximadamente 3 km/h e o interruptor Nas versões equipadas com câmbio esta modalidade é ativada puxando con-
for mantido puxado, será engatado definitiva- automático, nunca utilizar a posição P tinuamente o interruptor durante a con-
mente o freio de estacionamento. (Estacionamento) em substituição do dução.
freio de estacionamento elétrico. Quando ● "Modalidade de acionamento estático e
Nota
estacionar o veículo, engatar sempre o libertação": com o veículo parado, o freio
A condução do veículo com o freio de es-
freio de estacionamento elétrico para de estacionamento elétrico pode ser en-
tacionamento elétrico engatado, ou a utili-
evitar lesões ou danos provocados pelo gatado puxando uma única vez o inter-
zação repetida do freio de estacionamento
movimento incontrolado do veículo. ruptor localizado no console central. Por
elétrico para "amaciar" o veículo, pode-
outro lado, para desengatar o freio, aci-
riam provocar graves danos no sistema de Nota one o interruptor e, ao mesmo tempo, o
frenagem. Para veículos com câmbio manual, se pedal do freio.
soltar o pedal da embreagem ao mesmo
Desengate manual do freio de estaciona- ● "Drive Away Release" (para
tempo que se pisar no acelerador, o freio
mento elétrico versões/mercados, onde previsto): o
de estacionamento elétrico desengata-se
Para desengatar manualmente o freio de es- freio de estacionamento elétrico será
automaticamente.
tacionamento, a chave de ignição deve estar desativado automaticamente se for
na posição MAR. Além disso, é necessário detectada a intenção do condutor
de mover o veículo (em marcha à

202
frente ou marcha a ré). Para algumas central juntamente com o acendimento ● A porta do lado do motorista estiver
versões/mercados pode ser necessário da luz-espia no quadro de instrumen- aberta.
também que o cinto de segurança do tos. Cada engate automático do freio de ● Não tiverem sido detectadas tentativas
lado motorista esteja afivelado. estacionamento pode ser anulado pressi- de pressão do pedal do freio ou, nas
● "Safe Hold": quando a velocidade do veí- onando o interruptor no console central e, versões equipadas com câmbio manual,
culo for inferior a 3 km/h e, para as ver- ao mesmo tempo, deslocando a alavanca do pedal da embreagem ou do pedal do
sões com câmbio automático, a alavanca do câmbio automático para a posição P acelerador.
das mudanças não estiver na posição P (Estacionamento) ou a chave de ignição
(Estacionamento) e se foi detectado a in- para a posição STOP (versões com câm- O freio de estacionamento elétrico é acionado
tenção do condutor de sair do veículo, o bio manual). automaticamente para impedir que o veículo
freio de estacionamento elétrico será en- se desloque.
gatado automaticamente para colocar o SAFE HOLD A função Safe Hold pode ser temporariamente
veículo em condições de segurança. É uma função de segurança que engata auto- excluída pressionando no interruptor locali-
● "Auto Park Brake": se a velocidade do maticamente o freio de estacionamento elé- zado no console central e, ao mesmo tempo,
veículo for inferior a 3 km/h, o freio de es- trico caso o veículo se encontre numa condi- no pedal do freio, com o veículo parado e a
tacionamento elétrico será engatado au- ção não segura se: porta do lado do motorista aberta.
tomaticamente quando a alavanca das
● A velocidade do veículo for inferior a 3 Uma vez excluída, a função será reativada
câmbio for deslocada para a posição
km/h quando a velocidade do veículo atingir os
P (Estacionamento) (versões com câm-
● A alavanca de câmbio não estiver na po- 20 km/h ou quando a chave de ignição for
bio automático), ou quando a chave de
sição P (Estacionamento) (versões equi- deslocada na posição STOP e, em seguida,
ignição se encontra na posição STOP
padas com câmbio automático). para MAR.
(versões com câmbio manual). Quando
o freio de estacionamento estiver enga- ● O cinto de segurança do motorista não
tado e aplicado às rodas, acende-se o estiver afivelado.
LED situado no interruptor no console

203
TRANSMISSÃO MANUAL câmbio na posição desejada (o esquema para a ré, aguardar pelo menos 2 segundos com
DESCRIÇÃO o engate das marchas encontra-se no pomo o pedal da embreagem totalmente pressio-
da alavanca). nado, para evitar danificar as engrenagens.

ADVERTÊNCIA Para engatar a marcha a ré a partir da posição A utilização do pedal da embreagem deve es-
Para mudar as marchas corretamente, é de ponto-morto, levantar o anel A situado tar limitada exclusivamente às mudanças de
necessário pisar fundo no pedal da em- sob o pomo e, simultaneamente, deslocar a marchas. Não conduzir com o pé apoiado
breagem. alavanca para a esquerda e depois para a no pedal da embreagem mesmo que ligeira-
frente. mente. Em algumas circunstâncias, a ele-
Por isso, o piso sob os pedais não deve ter trônica de controle do pedal da embreagem
obstáculos. Verificar se os tapetes estão pode intervir interpretando o estilo errado de
sempre bem estendidos e não interferem condução como uma avaria.
no deslocamento dos pedais, diminuindo
o seu curso. Velocidade econômica para troca de mar-
chas
Nota
ADVERTÊNCIA Para veículos com câmbio mecânico, a uti-
Não conduzir o veículo com a mão apoiada lização de marchas inadequadas para a si-
na alavanca de câmbio. tuação em que se trafega (ex.: manter en-
gatada uma marcha alta como a 3ª, 4ª ou 5ª,
O esforço exercido, mesmo leve, a longo com o veículo em baixa velocidade) pode
prazo, pode desgastar os elementos inter- gerar desconforto na condução e ruídos
nos na caixa de câmbio. provenientes do câmbio, assim como cau-
Nota
A marcha a ré apenas pode ser engrenada sar danos ao sistema.
Para engatar as marchas, pisar a fundo no com o veículo totalmente parado. Com o
pedal da embreagem e colocar a alavanca de motor ligado, antes de engrenar a marcha
204
Para obter a máxima economia, recomenda- disponível devido à posição "modalidade se-
mos observar os seguintes limites de veloci- ADVERTÊNCIA (continuação) quencial" para a alavanca de câmbio.
dades para trocas de marchas: no deslocamento dos pedais, diminuindo
o seu curso. DISPLAY
Limites em km/h
O display (versões com display multifunções)
Velocidade para troca ou (versões com display multifunções recon-
Marchas Nota
de marchas (km/h) figurável) pode visualizar:
Não conduzir com a mão apoiada na ala-
1ª - 2ª 18 vanca de câmbio, porque o esforço exer-
● Na modalidade automática: a posição
cido, mesmo se ligeiro, com o tempo pode
2ª - 3ª 32 selecionada (P, R, N, D).
desgastar os elementos internos da caixa
de velocidades. ● Na modalidade de condução Manual (se-
3ª - 4ª 45
quencial): o engate da mudança (superior
ou inferior), efetuado manualmente, atra-
4ª - 5ª 62
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA
vés da indicação numérica.
DESCRIÇÃO
O veículo pode estar equipado com câmbio
ADVERTÊNCIA automático comandado eletronicamente, no
Para mudar as marchas corretamente, é qual a mudança de marchas acontece auto-
necessário pisar fundo no pedal da em- maticamente em função de parâmetros ins-
breagem. tantâneos de utilização do veículo (velocidade
do veículo, inclinação da estrada e posição
Por isso, o piso sob os pedais não deve ter
do pedal do acelerador).
obstáculos. Verificar se os tapetes estão
sempre bem estendidos e não interferem A possibilidade da seleção manual das mar-
chas de velocidade está, em todo o caso,
(continuação)

205
dança inferior na modalidade de condu-
ção sequencial.

O esquema para o engate das marchas está


indicado na moldura localizada ao lado da
alavanca de câmbio.

A /C

ALAVANCA DE CÂMBIO

P
A alavanca pode assumir as seguintes posi-

R
– N
+ D
ções:

● P = Estacionamento.
● R = Marcha a ré.
● N = Ponto morto. A marcha engatada é visualizada no display.
● D = Drive (marcha para a frente automá- Para selecionar uma marcha, pressionar o
tica). botão A e deslocar a alavanca para a frente
● AutoStick: + passagem para a mudança ou para trás.
superior na modalidade de condução ma- No caso de utilização do câmbio na modali-
nual (sequencial); – passagem para a mu- dade "sequencial", ativada deslocando a ala-
206
vanca de D (Drive) para a esquerda, são al- também de alavancas do tipo "borboleta", POSIÇÕES DA ALAVANCA
cançáveis as posições para + ou para –. Es- localizadas atrás do volante, que irão Estacionamento (P)
tas posições são instáveis. funcionar em velocidade superior a 9 km/h,
pressionando-as contra o volante na parte
Para sair da posição P (Estacionamento), ou ADVERTÊNCIA
central das mesmas.
para passar da posição N (Ponto morto) para Nunca utilizar a posição P
a posição D (Drive) ou R (Marcha a ré) quando Estando o veículo em movimento, acionar a (Estacionamento) em substituição do freio
o veículo é parado ou se desloca à baixa alavanca tipo "borboleta" direita B para inserir de estacionamento elétrico.
velocidade, é necessário pisar também no uma marcha superior ou a alavanca esquerda
Quando se estacionar o veículo, acionar
pedal do freio (consultar a opção "Sistema de A para inserir uma marcha inferior.
sempre o freio de estacionamento elétrico
inibição do engate de marchas com o freio
para evitar movimentos acidentais do veí-
engatado" neste capítulo).
culo.
Nota
NÃO acelerar durante a passagem da po-
sição P (ou N) para outra posição. ADVERTÊNCIA
Se a posição P (Estacionamento) não esti-
Nota ver engatada, o veículo pode deslocar-se
Depois de selecionar uma marcha, aguar- e provocar lesões nas pessoas.
dar alguns segundos antes de acelerar.
Esta precaução é particularmente impor- Antes de sair do veículo, certificar-se de
tante com o motor frio. que a alavanca de câmbio está na posição
P e que o freio de estacionamento esteja
BORBOLETAS DE MUDANÇA DE MAR- acionado.
CHAS NO VOLANTE
Além da alavanca de câmbio, localizada no
console central, algumas versões dispõem
207
Ao estacionar em subida, antes de colocar a
ADVERTÊNCIA alavanca de câmbio na posição P, acionar o ADVERTÊNCIA
Antes de deslocar a alavanca de marchas freio de estacionamento; caso contrário, pode Engatar a marcha a ré apenas com o
da posição P (Estacionamento), colocar a ser difícil deslocar a alavanca de câmbio a veículo parado, o motor em marcha lenta
chave de ignição na posição MAR e pisar partir da posição P. e o acelerador totalmente solto.
no pedal do freio.
Para verificar o efetivo engate da posição P: Esta ação poderá preservar a caixa de
Caso contrário, a alavanca de marchas câmbio
poderia ser danificada. ● Deslocar completamente para a frente a
alavanca de câmbio, até ao fim de curso.
Ponto morto (N)
Esta posição integra o freio de estaciona- ● Certificar-se de que no display apareça a
mento, bloqueando o câmbio. Com a ala- letra P.
ADVERTÊNCIA
vanca de câmbio nesta posição, é possível li- Com o pedal do freio solto, certificar-se de Não posicionar a alavanca de marchas em
gar o motor. que a alavanca de câmbio não se desloque N (Ponto morto), nem desligar o motor
Nota da posição P. para percorrer uma estrada em descida.
Nunca tentar selecionar a posição P com o Marcha a ré (R) Este tipo de condução é perigoso e reduz
veículo em movimento. Antes de abando- Selecionar esta posição apenas com o veículo a possibilidade de intervenção em caso de
nar o veículo, colocar sempre a alavanca completamente parado. repentinas variações do fluxo do tráfego
de câmbio nesta posição, acionando tam- ou da superfície da estrada. Corre-se o
bém o freio de estacionamento. risco de perder o controle do veículo e
provocar acidentes.
Ao estacionar num terreno plano, colocar pri-
meiro a alavanca de câmbio na posição P
e, em seguida, acionar o freio de estaciona-
mento.

208
Corresponde à posição de ponto morto de um assim, características de condução ideais em Com a alavanca de câmbio na posição D
câmbio manual. Com a alavanca na posição todas as mais clássicas condições de utiliza- (Drive), para ativar a modalidade de condu-
N é possível ligar o motor. ção do veículo. ção sequencial, deslocar a alavanca para a
esquerda (indicação – e + na moldura). No
Engatar a posição N em caso de paradas AutoStick - Modalidade de mudança ma- display será visualizada a marcha engatada.
prolongadas com o motor ligado. Acionar nual (sequencial)
também o freio de estacionamento elétrico. Em caso de frequentes mudanças de marcha Deslocando a alavanca de câmbio para a
(por ex. quando se conduz o veículo em con- frente para o símbolo – ou para trás para o
Drive (D) - Marcha para a frente automá- símbolo + efetua-se a mudança de marchas.
dições de carga pesada, em estradas em incli-
tica
nação, com forte vento contrário ou durante o - Desativação
Utilizar esta posição em condições de marcha
reboque de atrelados pesados), é aconselhá-
normais. Para desativar a modalidade de condução
vel utilizar a modalidade Autostick (mudança
A passagem da posição D para a posição sequencial) para selecionar e manter uma re- sequencial, voltar a colocar a alavanca de
P (Estacionamento) ou R (Marcha a ré) só lação fixa mais baixa. câmbio na posição D (Drive) (modalidade de
deve ocorrer depois de soltar o pedal do condução "automática").
Nestas condições, a utilização de uma mu-
acelerador, com o veículo parado e com o
dança mais baixa melhora o desempenho do Avisos
pedal do freio pressionado.
veículo e prolonga a duração do câmbio, li- ● Em superfícies escorregadias, não efetuar
Esta posição assegura o engate automático mitando as mudanças de marchas e evitando reduções de marchas: as rodas motri-
das relações mais adequadas às exigências fenômenos de sobreaquecimento. zes podem perder aderência, com con-
de marcha e a máxima economia em termos sequente risco de patinagem do veículo,
É possível passar da posição D (drive) para a
de consumo de combustível. que pode provocar acidentes ou lesões
modalidade sequencial, qualquer que seja a
nas pessoas.
Nesta posição, o câmbio efetua automati- velocidade do veículo.
camente as mudanças de marchas, selecio- ● Para selecionar a mudança correta para
- Ativação a máxima desaceleração (freio do motor),
nando a relação mais adequada entre as dis-
poníveis para a marcha à frente, garantindo, basta manter pressionada a alavanca de

209
marchas para a frente (–): o câmbio passa No display pode ser visualizado o símbolo . Nota
para uma modalidade de funcionamento Em caso de avaria temporária, é aconse-
em que a desaceleração do veículo pode Em caso de eventual "emergência do câm- lhável dirigir-se o mais rapidamente possí-
ser efetuada com facilidade. bio", dirigir-se imediatamente à Rede de As- vel à Rede de Assistência Jeep.
● O veículo manterá a relação selecionada sistência Jeep.
pelo condutor até que as condições de Avaria temporária BLOQUEIO DE IGNIÇÃO E POSIÇÃO
segurança o permitam. Isto significa, por DE ESTACIONAMENTO
exemplo, que o sistema procurará evitar Em caso de avaria temporária, é possível res- Versões equipadas com sistema Keyless
a desativação do motor, retrocedendo de tabelecer o correto funcionamento do câmbio
Enter-N-Go: esta função requer o posici-
forma autônoma, caso o regime do motor em todas as marchas para a frente proce- onamento da alavanca de marchas em P
seja demasiado baixo. dendo do seguinte modo:
(Estacionamento); em seguida, colocar a
● Parar o veículo. chave de ignição na posição STOP.
FUNÇÃO DE EMERGÊNCIA DO CÂM-
● Deslocar a alavanca de câmbio para P Versões equipadas com chave mecâ-
BIO (Se equipado) (Estacionamento). nica:esta função requer o posicionamento da
A função do câmbio é constantemente moni- alavanca de marchas em P (Estacionamento)
● Colocar a chave de ignição na posição
torada para detectar eventuais anomalias. Se antes de extrair a chave do dispositivo de
STOP.
detectar uma condição que poderia provocar partida.
danos câmbio, ativa-se a função de "emer- ● Aguardar cerca de 10 segundos depois
gência do câmbio". de ligar o motor. Se a bateria do veículo estiver descarregada,
● Selecionar a marcha pretendida: se não a chave de ignição, se inserida, permanece
Nesta condição, o câmbio permanece na 4ª bloqueada na respectiva sede.
detectar mais o problema, o câmbio volta
marcha, independentemente da marcha se-
a funcionar corretamente. Para extrair mecanicamente a chave, consul-
lecionada posições: P (Estacionamento), R
(Marcha a ré) e N (Ponto morto) continuam a tar o parágrafo “Desbloqueio da alavanca de
funcionar.

210
marchas automática” no capítulo “Em emer- ● Selecionar a posição R (Marcha a ré), ou a posição P (Estacionamento), desligar
gência”. passar de R para uma outra posição ape- o motor e extrair a chave do disposi-
nas com o veículo completamente parado tivo de partida (para versões com chave
SISTEMA DE INIBIÇÃO DO ENGATE e o motor em marcha lenta. mecânica). Com a chave de ignição na
DE MARCHAS SEM O PEDAL DO ● Não efetuar mudanças de marchas en- posição STOP (extração da chave permi-
FREIO ACIONADO tre as posições P (Estacionamento), R tida), o câmbio é bloqueado na posição P
Este sistema impede o deslocamento (Marcha a ré), N (Ponto morto) ou D (Drive) (Estacionamento), para impedir eventuais
da alavanca de marchas da posição P com o motor ligado num regime superior movimentos acidentais do veículo.
(Estacionamento) se tiver pisado no pedal do à marcha lenta. ● Quando descer do veículo, remover sem-
freio. ● Antes de engatar qualquer marcha, pisar pre a chave mecânica do dispositivo de
fundo no pedal do freio. partida e fechar todas as portas. Nunca
Para colocar ao câmbio numa posição dife- deixar eventuais crianças sem vigilância
rente de P (Estacionamento), a chave de igni- Nota no interior do veículo.
ção deve estar na posição AVV (motor ligado Manter pressionado o pedal do freio en- ● Nas versões equipadas com Keyless
ou desligado) e o pedal do freio deve estar quanto se desloca a alavanca das mudan- Enter-N-Go, não deixar a chave
pressionado. ças para uma posição diferente da posição eletrônica próxima do veículo (ou num
P (Estacionamento) e AutoStick. local acessível às crianças) e não deixar
AVISOS GERAIS
● A movimentação inesperada do veículo o dispositivo de partida ativado. Uma
A inobservância das instruções fornecidas a criança pode acionar os levantadores de
seguir pode provocar danos na caixa de câm- pode provocar lesões nos ocupantes ou
naqueles que se podem encontrar nas vidros elétricos, outros comandos ou dar
bio: partida inadvertidamente o motor.
proximidades imediatas. Não abando-
● Selecionar a posição P (Estacionamento) nar o veículo com o motor ligado: an- ● É perigoso colocar ao câmbio numa po-
apenas com o veículo completamente pa- tes de sair do habitáculo, acionar sem- sição diferente de P (Estacionamento) ou
rado. pre o freio de estacionamento elétrico, N (Ponto morto) num regime do motor su-
deslocar a alavanca das marchas para perior à marcha lenta. Se não pisar fundo
211
no pedal do freio, o veículo pode acelerar tamente aquecido. O completo funcio- mesmo tempo, economia em termos de emis-
rapidamente. Engatar a mudança apenas namento do câmbio será ativado assim sões e consumos.
com o motor no regime de marcha lenta, que a temperatura do óleo atingir o valor
A transmissão é, de fato, constituída por um
pisando fundo no pedal do freio. preestabelecido.
dispositivo de transferência de potência PTU
● Se a temperatura do câmbio ultrapas- (Power Transfer Unit) capaz de desligar todo
Nota
sar os limites de funcionamento normais, o eixo traseiro imediatamente ao comando
Durante a utilização da roda sobressalente,
a central do câmbio pode modificar a do câmbio quando as condições o permiti-
após cada partida do motor, o veículo pre-
sequência de engate das marchas e re- rem (por ex. em caso de marcha em autoes-
cisa permanecer em movimento constante
duzir o torque motriz. trada) e por um acoplamento traseiro capaz
acima de 10 km/h por cerca de 40 segun-
● Em caso de superaquecimento da caixa dos ininterruptos. Esse procedimento é de modular rapidamente a quantidade de tor-
de câmbio, no display é visualizado o para que a transmissão automática reco- que necessário para desprender o veículo ou
símbolo . Neste caso, a caixa de nheça a presença da roda sobressalente e, melhorar a sua dirigibilidade em pisos de es-
câmbio pode funcionar de modo incorreto então, possa realizar as trocas de marcha trada irregulares.
até que arrefeça. normalmente.
● Durante a utilização do veículo e tem- TRAÇÃO INTEGRAL
peratura externa extremamente baixa, o TRAÇÃO INTEGRAL A tração nas quatro rodas motrizes (4WD) é
funcionamento da caixa de câmbio pode TRAÇÃO INTEGRAL JEEP ACTIVE completamente automática na modalidade de
sofrer variações com base na tempera- condução normal.
DRIVE 4WD e JEEP ACTIVE DRIVE
tura do motor e da caixa de câmbio, bem
4WD LOW Nota
como em função da velocidade do veí-
O veículo está equipado com um inovador sis- Não é possível efetuar a mudança de mo-
culo.
tema capaz de transferir para o eixo traseiro dalidade quando o veículo ultrapassar a
● A ativação da embreagem do conversor de modo completamente automático toda a velocidade de 120 km/h.
de torque e da 8ª ou 9ª marcha é inibida tração necessária para se desprender facil-
até que o óleo do câmbio esteja corre- mente de qualquer situação garantindo, ao

212
Ativação da tração integral
Os botões para a ativação da tração integral,
se disponíveis, estão localizados no disposi-
tivo Selec-Terrain™ e permitem selecionar:

● 4WD LOCK (versões com câmbio ma-


nual e automático): desativa a função
de desativação do eixo de transmissão,
garantindo a imediata disponibilidade do
torque ao acoplamento traseiro. Esta fun-
ção é selecionável na modalidade AUTO
e automática nas outras modalidades de
condução.

● 4WD LOW (versões Trailhawk com câm-


bio automático) enfatiza os desempenhos
"off-road" do veículo em todas as moda-
lidades de condução.

213
● 4WD LOW (versões com câmbio automá- SNOW/SAND/MUD ou ROCK (versões Trai-
tico) enfatiza os desempenhos "off-road" lhawk) e o 4WD LOW não tiver sido anterior- ADVERTÊNCIA
do veículo em todas as modalidades de mente ativado. O correto funcionamento da função 4WD
condução. depende dos pneus: devem ser todos das
A ativação de uma função (por ex. 4WD LOW) mesmas dimensões, do mesmo tipo e da
desativa automaticamente a outra. mesma circunferência.
Nota A utilização de pneus com dimensões di-
Em algumas versões, a pressão do botão ferentes tem efeitos negativos no compor-
4WD LOW ativa automaticamente também tamento dinâmico do veículo.
a funcionalidade 4WD LOCK. Uma poste-
rior pressão do botão 4WD LOW deixará
ativa a funcionalidade 4WD LOCK. Por ou- ADVERTÊNCIA
tro lado, a uma posterior pressão do botão Não conduzir a velocidades superiores às
4WD LOCK, serão desativadas ambas as permitidas pelas condições da estrada.
funcionalidades.
Dirija sempre com segurança.
Nota
A função 4WD LOW só é aconselhável para
pisos de estrada irregulares e escorrega- ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO DA MO-
dias. DALIDADE 4WD LOW
Ativação da modalidade 4WD LOW
Com o veículo parado, chave de ignição na
posição MAR ou com o motor ligado, deslo-
A função 4WD LOCK pode ser ativada me- car a alavanca de câmbio para a posição D
diante a pressão do respectivo botão ou
quando o seletor for rodado de AUTO para
214
(Drive), R (Marcha a ré) ou N (Ponto morto) e SELEC-TERRAIN
pressionar uma vez o botão 4WD LOW. O dispositivo Selec-Terrain™ combina as ca-
Em algumas versões, com a modalidade en- racterísticas dos sistemas de controle do veí-
gatada, no display é visualizada a mensagem culo com a possibilidade de intervenção do
"4WD LOW". O LED localizado no dispositivo condutor, de modo a fornecer o melhor de-
Selec-Terrain™ poderia ficar intermitente até sempenho em qualquer tipo de terreno.
ao final do engate.
SELEÇÃO DA MODALIDADE DE
Desativação da modalidade 4WD LOW CONDUÇÃO
A desativação pode ocorrer a qualquer velo- Girar o manípulo A para selecionar a modali-
cidade compreendida entre 0 e 120 km/h. dade desejada.
Em algumas versões, no display a mensagem
"4WD LOW" apaga-se uma vez concluída a
desativação.
Neste caso o LED no botão 4WD LOW está
apagado.

Nota
Se as condições para engatar a função
4WD LOW não forem satisfeitas, no display
é visualizada uma mensagem específica
indicando as instruções para a conclusão
da introdução solicitada.

215
A rotação do manípulo, se a funcionalidade tempo adversas. Utilizar para a condução fora de estrada com elevada aderência.
4WD LOW não tiver sido anteriormente ati- em trechos fora de estrada superfícies Esta modalidade garante o máximo de-
vada, ativará automaticamante a funcionali- com baixa aderência como, por exemplo, sempenho "off-road". Esta modalidade
dade 4WD LOCK. pisos da estrada cobertos de neve. Na deve ser utilizada para enfrentar obstácu-
modalidade SNOW, conforme as condi- los superáveis a baixa velocidade como,
Nota ções de funcionamento e para versões por exemplo, aclives de grandes dimen-
Não é possível efetuar a mudança de mo- com câmbio automático, esta última po- sões, sulcos profundos, etc.
dalidade quando o veículo ultrapassar a deria engatar a 2ª marcha (em vez da 1ª)
velocidade de 120 km/h. durante a partida, a fim de reduzir ao mí- Na partida do motor, é automaticamente se-
nimo a deslizamento das rodas. lecionada a modalidade AUTO (LED aceso ao
● AUTO (Automático): a modalidade lado da mensagem AUTO).
de tração nas quatro rodas motrizes ● SAND (Areia): modalidade de condução
com funcionamento contínuo e fora de estrada para a utilização em su- Girando o manípulo A, o LED ao lado da men-
completamente automático pode perfícies com baixa aderência, como pi- sagem AUTO permanece aceso. Por outro
ser utilizada para a condução em sos arenosos. A transmissão é definida lado, os outros LEDs acendem-se sequenci-
estrada e fora de estrada. Esta para oferecer a máxima tração. almente, em função dos ressaltos comunica-
modalidade equilibra a tração para ● MUD (Lama): modalidade de condução dos ao próprio manípulo indicando, assim, ao
garantir manobrabilidade e aceleração fora de estrada para a utilização nas su- condutor qual a nova modalidade pedida.
melhoradas relativamente a um perfícies com baixa aderência, como pi- Uma vez atingida a modalidade pretendida
veículo com tração com duas rodas sos de estrada cobertos de lama ou relva (LED ao lado da respectiva mensagem aceso),
motrizes. Esta modalidade reduz ainda o molhada. basta manter o manípulo em posição até
consumo de combustível, uma vez que ● ROCK: esta modalidade está disponível que o sistema Selec-Terrain™ se ative para
permite desligar, onde as condições o apenas com funcionalidade 4WD LOW efetuar o engate da modalidade selecionada.
permitirem, o eixo de transmissão. ativa. O dispositivo define o veículo para
● SNOW (Neve): esta modalidade permite maximizar a sua tração e permitir a mais Enquanto o sistema define o veículo segundo
ter maior estabilidade em condições de alta capacidade para virar em superfícies a modalidade pedida, o LED relativo à pró-

216
pria modalidade começa a lampejar (por um É possível programar a velocidade máxima
tempo mínimo de meio segundo até um tempo com o veículo parado ou com o veículo em
máximo de cerca de 5 segundos). movimento. A velocidade mínima programá-
vel é de 30 km/h.
Quando o LED se acende com luz fixa e, ao
mesmo tempo, se apaga o da modalidade Quando o dispositivo está ativo, a velocidade
AUTO, significa que a nova modalidade sele- do veículo depende da pressão do pedal ace-
cionada foi corretamente ativada. lerador, até ser atingida a velocidade limite
programada (consultar a opção "Programa-
Caso não seja possível efetuar a ativação da
ção da velocidade limite").
modalidade pedida dentro de 5 segundos, o
LED relativo à própria modalidade deixará de
lampejar, enquanto o LED relativo à modali-
ATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO
dade anteriormente ativa (modalidade AUTO) Para ativar o dispositivo, pressionar o botão
A ativação do dispositivo é assinalada pela vi-
continuará aceso, com luz fixa. A no volante.
sualização do símbolo no display (de cor
Tudo isto será igualmente válido para qual- branca nas versões com display multifunções
quer passagem posterior entre diferentes mo- reconfigurável), juntamente com uma mensa-
dalidades do dispositivo Selec-Terrain™. gem específica, e pelo último valor de veloci-
dade memorizada.
LIMITADOR DE VELOCIDADE Se o Cruise Control eletrônico tiver sido an-
SPEED LIMITER teriormente ativado, é necessário pressionar
É um dispositivo que permite limitar a veloci- duas vezes o botão A . A primeira pres-
dade do veículo a valores programáveis pelo são desliga a função anteriormente ativada, a
motorista. segunda pressão ativa o Speed Limiter.

217
PROGRAMAÇÃO DA VELOCIDADE no display (de cor verde nas versões com INTERMITÊNCIA DA VELOCIDADE
LIMITE display multifunções reconfigurável). PROGRAMADA
A velocidade limite pode ser programada sem Desativação do dispositivo: pressionar o bo- A velocidade programada começa a lampejar
necessariamente ativar o dispositivo. tão CANC. A desativação do dispositivo é as- nos seguintes casos:
Para memorizar um valor de velocidade mais sinalada pela visualização do símbolo no ● Quando se tiver pressionado o pedal do
alto do que o visualizado, pressionar breve- display (de cor branca). acelerador e a velocidade do veículo tiver
mente o botão SET +. A cada pressão do bo- Reativação do dispositivo: pressionar o botão ultrapassado a velocidade programada.
tão corresponde um aumento da velocidade RES. ● Ativando o sistema após ter definido um
de cerca de 1 km/h enquanto que, mantendo limite inferior à efetiva velocidade do veí-
o botão pressionado, obtém-se um aumento
ULTRAPASSAGEM DA VELOCIDADE culo.
de 5 km/h.
PROGRAMADA ● Quando o dispositivo não for capaz de
Para memorizar um valor mais baixo do que o Pressionando o pedal do acelerador total- reduzir a velocidade do veículo devido à
visualizado, pressionar o botão SET – . A cada mente até o "fundo" (fim de curso), é possível inclinação da estrada.
pressão do botão corresponde uma diminui- ultrapassar a velocidade programada mesmo ● Em caso de aceleração brusca.
ção da velocidade de cerca de 1 km/h en- quando o dispositivo está ativo (por ex. em
quanto que, mantendo o botão pressionado, caso de ultrapassagem). DESATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO
obtém-se uma diminuição de 5 km/h.
O dispositivo é desativado até reduzir a velo- Para desativar o dispositivo, pressionar o bo-
cidade abaixo do limite definido, então se re- tão A .
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO DO DIS-
ativa automaticamente.
POSITIVO Nota
Ativação do dispositivo: pressionar os botões A ativação do Cruise Control eletrônico ou
SET + ou SET –. A ativação do dispositivo é da funcionalidade HDC (Hill Descent Con-
assinalada pela visualização do símbolo trol) provocará a desativação do disposi-
tivo.
218
Desativação automática do dispositivo Para assegurar um funcionamento correto, o
Cruise Control eletrônico foi concebido de ADVERTÊNCIA
O dispositivo desativa-se automaticamente
em caso de avaria no sistema. Neste caso, modo a desligar-se em caso de acionamento Em caso de funcionamento defeituoso ou
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep. simultâneo de várias funções. Neste caso, avaria do dispositivo, dirigir-se à Rede de
é possível reativar o sistema pressionando o Assistência Jeep.
CONTROLE DE VELOCIDADE botão e redefinindo a velocidade desejada Dirija sempre em segurança.
CRUISE CONTROL do veículo.
É um dispositivo de assistência à condução,
de controle eletrônico, que permite manter o ATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO ADVERTÊNCIA
veículo a uma velocidade desejada, sem ne- O Cruise Control pode ser perigoso onde
cessitar de pisar no pedal do acelerador. Este ADVERTÊNCIA o sistema não for capaz de manter uma
dispositivo pode ser utilizado a uma veloci- Para utilizar o Cruise control, observar velocidade constante.
dade superior a 40 km/h, em longos trechos alguns cuidados muito importantes com Em algumas condições, a velocidade pode
de estrada retos, secos e com poucas vari- relação ao câmbio. ser excessiva, com o risco de perder o
ações de velocidade (por exemplo percursos
Durante a condução com o dispositivo ati- controle do veículo e provocar acidentes.
em autoestradas).
vado, não posicionar a alavanca de mar- Não usar o dispositivo em condições de
A utilização do dispositivo não é vantajosa chas em ponto morto. trânsito intenso ou em estradas irregulares
em estradas extraurbanas com muito trânsito. sinuosas, congeladas, com neve ou lama.
Não utilizar o dispositivo na cidade.
Os botões para o comando do Cruise Control Para ativar o dispositivo, pressionar o botão
eletrônico estão localizados no lado direito do .
volante.
A ativação do dispositivo é assinalada pelo
acendimento da luz-espia no quadro de

219
instrumentos e, em algumas versões, pela Nota positivo: ao soltar o acelerador, o veículo
visualização de uma mensagem no display. É perigoso deixar o dispositivo ligado prosseguirá à velodade selecionada.
quando não está sendo utilizado. De fato,
Se o Speed Limiter estiver ligado, é necessária Em caso de necessidade (por exemplo, em
existe o risco de ativá-lo involuntariamente
uma dupla pressão do botão para acionar e perder o controle do veículo devido a um caso de ultrapassagem), é possível acelerar
o Cruise Control (como a primeira pressão excesso de velocidade imprevisto. pisando no acelerador: ao soltar o pedal, o
desativa o Speed Limiter, a segunda ativa o veículo irá reposicionar na velocidade anteri-
Cruise Control). Nota ormente memorizada.
O dispositivo não é compatível com as fun-
Ao enfrentar trechos em descida e com o dis-
cionalidades 4WD LOW e HDC. Se estas
positivo ativado, é possível que a velocidade
forem ativadas enquanto estiver utilizando
do veículo aumente ligeiramente em relação à
o Cruise Control eletrônico, o dispositivo
selecionada.
será desativado automaticamente. Du-
rante a utilização dessas funções, o Cruise Nota
Control eletrônico não estará, em todo Antes de pressionar os botões SET + (ou
caso, disponível. SET –), o veículo deve viajar a velocidade
constante em terreno nivelado.
DEFINIÇÃO DA VELOCIDADE DESE-
JADA ALTERAÇÃO DA VELOCIDADE
Proceder do seguinte modo: Nota
A pressão do botão SET + (ou SET –) per-
O dispositivo não pode ser ativado na 1ª ● Ativar o dispositivo (consultar as indica-
mite diminuir ou aumentar a velocidade em
marcha ou em marcha a ré: é aconselhável ções anteriormente descritas).
1 km/h definida através do Menu do display
ativá-lo com velocidades iguais ou superiores ● Quando o veículo tiver atingido a veloci- do quadro de instrumentos ou, em função
à 3ª. dade desejada, pressionar o botão SET
+ (ou SET –) e soltá-lo para ativar o dis-
220
das versões, do menu do Uconnect™ (con- tável e é, portanto, preferível desativar o dis- DESATIVAÇÃO DO DISPOSITIVO
sultar suplemento específico). positivo. Uma ligeira pressão no pedal do freio, a
pressão do botão CANC ou a pressão normal
Aumento da velocidade Nota
no pedal do freio durante a diminuição da
Uma vez ativado o Cruise Control eletrônico, é O dispositivo mantém memorizada a velo-
velocidade do veículo desativam o Cruise
possível aumentar a velocidade pressionando cidade mesmo em subida e em descida.
Control eletrônico, sem apagar a velocidade
o botão SET +. Uma ligeira variação da velocidade em le-
memorizada.
ves subidas é perfeitamente normal.
Mantendo o botão pressionado, a velocidade
A velocidade memorizada é apagada nos se-
definida continuará a aumentar até soltar o Diminuição da velocidade guintes casos:
botão, depois será memorizada a nova velo- Com o dispositivo ativado, para diminuir a
cidade. velocidade, pressionar o botão SET – . ● Pressionando o botão ou desligando
Por outro lado, a cada pressão do botão SET + no volante.
Mantendo o botão pressionado, a velocidade
obtém-se o aumento de 1 km/h da velocidade definida continuará a diminuir até soltar o bo- ● Em caso de avaria do Cruise Control ele-
definida. tão, depois será memorizada a nova veloci- trônico.
dade.
Utilização do dispositivo em montanhas O dispositivo Cruise Control eletrônico
Nas versões equipadas com câmbio automá- Por outro lado, a cada pressão do botão SET - desativa-se, também, pressionando o botão
tico, em caso de percurso em montanhas, obtém-se a redução de 1 km/h da velocidade ou deslocando o dispositivo de partida
o dispositivo pode reduzir autonomamente a definida. para STOP.
velocidade engatada para manter a veloci-
dade definida. VOLTAR A CHAMAR A VELOCIDADE
Em estradas com forte inclinação, a diminui- Para chamar a velocidade definida anterior-
ção ou o aumento de velocidade pode ser no- mente, pressionar o botão RES e soltá-lo.

221
ASSISTENTE DE ESTACIONA- ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
MENTO Para permitir o funcionamento correto do Para eventuais intervenções nos senso-
SISTEMA PARKSENSE (Se equipado) sistema, é indispensável que os sensores res localizados no para-choque, dirigir-se
Sensores estejam sempre limpos de lama, sujeira, exclusivamente à Rede de Assistência
neve ou gelo. Durante a limpeza dos Jeep.
ADVERTÊNCIA sensores, ter o máximo cuidado para não
Intervenções no para-choque efetuadas
os riscar ou danificar; evitar a utilização
A responsabilidade pelo estacionamento de modo incorreto podem, de fato, com-
de panos secos, ásperos ou duros. Os
e por outras manobras, potencialmente prometer o funcionamento dos sensores
sensores devem ser lavados com água,
perigosas, é sempre do condutor. de estacionamento.
eventualmente com a adição de shampoo
Ao efetuar estas manobras, certificar-se para carro.
sempre de que não estão presentes pes- Os sensores de estacionamento, situados no
Nas situações de lavagem que utilizam
soas (especialmente crianças) nem ani- para-choque traseiro, têm a função de detec-
equipamentos com jato de vapor ou de alta
mais ao longo da trajetória que se pre- tar a presença de eventuais obstáculos que
pressão, lavar rapidamente os sensores
tende percorrer. Os sensores de estaci- se encontrem próximo da parte traseira do
mantendo o bico para além dos 10 cm de
onamento constituem uma ajuda para o veículo.
distância.
condutor, embora este nunca deva reduzir
a sua atenção durante manobras potenci- Os sensores avisam o condutor da presença
almente perigosas, mesmo se executadas de obstáculos, através de um sinal sonoro
a baixa velocidade. intermitente e, quando presentes, também
com sinalizações visuais no display do quadro
de instrumentos.

222
cerca de 30 cm e para imediatamente se Uconnect ™ (para mais informações, consul-
a distância do obstáculo aumentar. tar o suplemento específico).
● Permanece constante se a distância entre O sistema assinala a presença de um obs-
veículo e o obstáculo permanecer inalte- táculo visualizando um único arco numa das
rada. Se esta situação se verificar para os áreas possíveis, com base na distância do
sensores laterais, o sinal é interrompido objeto e na posição em relação ao veículo.
após aproximadamente 3 segundos para Se o obstáculo for detectado na área cen-
evitar, por exemplo, sinalizações em caso tral traseira, no display será visualizado, com
de manobra junto a paredes ou muros. o aproximação do obstáculo, um único arco
Quando o sistema emite uma sinalização primeiro fixo, depois intermitente, juntamente
acústica, o volume do sistema Uconnect™, com a emissão de uma sinalização acústica.
se acionado, é automaticamente reduzido Se o obstáculo for detectado na área traseira
Sinalização acústica
pelo sistema ParkSense®. esquerda e/ou direita, no display será, por sua
Engatando a marcha a ré e no caso de pre-
sença de um obstáculo traseiro, é ativada vez, visualizado um único arco intermitente na
Distâncias de detecção
uma sinalização acústica que varia com a dis- zona correspondente e o sistema emitirá uma
Se os sensores detectam diversos obstácu- sinalização acústica em intervalos aproxima-
tância do obstáculo ao para-choque. los, é levado em consideração apenas aquele dos ou fixa.
Frequência da sinalização acústica: que se encontra mais próximo.
Em geral, o veículo está mais próximo do
● Aumenta com a diminuição da distância Sinalização no display obstáculo quando no display é visualizado
entre veículo e obstáculo. As sinalizações relativas ao sistema Park- um único arco intermitente e a sinalização
● Torna-se contínuo quando a distância que Sense® são visualizadas no display do qua- acústica se tornar contínua.
separa o veículo do obstáculo é inferior a dro de instrumentos apenas se tiver sido se-
A cor visualizada no display depende da dis-
lecionada a opção "Sinal acústico e display"
tância e da posição do obstáculo.
no interior do Menu "Definições" do sistema

223
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO com luz fixa. O LED acende-se, também em SINALIZAÇÃO DE ANOMALIAS
Para desativar o sistema, pressionar o botão caso de avaria no sistema ParkSense®. Eventuais anomalias dos sensores de estaci-
indicado na imagem a seguir. Pressionando o botão com o sistema em onamento são assinaladas, durante o engate
avaria, o LED lampeja durante cerca de 5 da marcha a ré, pelo acendimento do símbolo
segundos, depois permanece aceso com luz no quadro de instrumentos e pela respectiva
fixa. mensagem visualizada no display (consultar
o parágrafo “Luzes-espias e mensagens” no
Ao posicionar a chave de ignição em MAR, capítulo "Conhecendo o painel de instrumen-
o sistema ParkSense® mantém na memória tos").
o último estado (ativado ou desativado) pre-
sente quando ocorre desativação do motor. FUNCIONAMENTO COM REBOQUE
O funcionamento dos sensores é automati-
Nota
camente desativado no ato da introdução da
Depois de tê-lo desativado, o sistema Park- conexão do cabo elétrico do atrelado na to-
Sense® permanece nesta condição até à mada do gancho de reboque do veículo.
posterior reativação, mesmo em caso de
A passagem de estado do sistema, de ativado passagem da chave de ignição de MAR Os sensores reativam-se automaticamente
para desativado e vice-versa, é, de qualquer para STOP e depois novamente para MAR. retirando a cavilha do cabo do atrelado. Antes
forma, sempre acompanhada da visualização de utilizar o sistema ParkSense®, é aconse-
Caso esteja corretamente ativado, sistema lhável desmontar o conjunto de esfera do gan-
de uma mensagem específica visualizada no
ativa-se automaticamente quando se engata cho de reboque e o respectivo engate quando
display do quadro de instrumentos.
a marcha a ré. o veículo não for utilizado para operações de
Quando o sistema está ativado, o LED situado reboque. A inobservância desta prescrição
Ao contrário, o sistema desativa-se automati-
no botão está apagado. Ao contrário, se o pode provocar lesões pessoais ou danos em
camente deslocando a alavanca de marchas
sistema estiver desativado, o LED está aceso veículos ou obstáculos já que, quando é emi-
para uma posição diferente da marcha a ré.
tido o sinal sonoro contínuo, a esfera do gan-
224
cho de reboque encontra-se já numa posição de auxílio ao estacionamento pode-se de- onamento. A instalação do gancho de
muito mais aproximada do obstáculo relativa- ver à presença na superfície do sensor de reboque fixo impede a possibilidade de
mente ao para-choque traseiro. gelo, neve ou lama. um funcionamento correto dos sensores
● O sensor detecta um objeto não exis- de estacionamento. No caso de veícu-
Além disso, os sensores poderiam detectar o
tente ("interferência de eco") provocado los equipados com gancho de reboque
conjunto da esfera do gancho de reboque e
por interferências de carácter mecânico, extraível, seja original ou instalado após
o respectivo engate (conforme a dimensão e
por exemplo: lavagem do veículo, chuva a aquisição do veículo, para evitar um
a forma), fornecendo uma falsa indicação da
(condições extremas de vento), granizo. funcionamento incorreto dos sensores, é
presença de um obstáculo na zona atrás do
recomendável desengatá-lo da travessa
veículo. ● As sinalizações enviadas pelo sensor po-
sempre que não for necessário para re-
dem ser igualmente alteradas pela pre-
Nota bocar um atrelado.
sença nas proximidades de sistemas de
Durante as manobras de estacionamento, ultrassons (por ex. freios pneumáticos de ● A presença de adesivos nos sensores.
prestar sempre a máxima atenção aos obs- veículos pesados ou martelos pneumáti- Prestar atenção para não sobrepor qual-
táculos que se possam encontrar por cima cos). quer adesivo nos próprios sensores.
ou por baixo do sensor. Os objetos coloca-
● O desempenho do sistema de auxílio ao
dos a curta distância, em algumas circuns-
estacionamento pode ser igualmente in- SISTEMA ACTIVE PARKSENSE (Se
tâncias não são detectados pelo sistema e equipado)
fluenciado pela posição dos sensores,
portanto podem danificar o veículo ou ser
por exemplo, variando os alinhamentos
danificados.
(devido ao desgaste dos amortecedores, ADVERTÊNCIA
Existem algumas condições que podem influ- suspensões) ou substituição dos pneus, O estacionamento e outras manobras po-
enciar no desempenho do sistema de estaci- excesso de carga ou modificações com o tencialmente perigosas são sempre de res-
onamento: objetivo de rebaixar o veículo ponsabilidade do motorista. Ao execu-
● O gancho de reboque na ausência de tar essas operações, certifique-se sempre
● Uma sensibilidade reduzida do sensor e reboque poderia interferir com o correto
diminuição do desempenho do sistema (continuação)
funcionamento dos sensores de estaci-
225
ADVERTÊNCIA (continuação) ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
que não há outras pessoas (especialmente Caso queira parar o volante com as mãos Intervenções na área dos sensores
crianças) ou animais no local onde você durante uma manobra, é aconselhável no para-choque devem ser realizadas
quer estacionar. pegá-lo firmemente pelo aro externo. somente na Rede de Assistência Jeep.
Os sensores de estacionamento auxiliam Não tente manter as mãos no aro interno A aplicação incorreta da pintura pode afe-
o motorista, mas este jamais deve desviar ou segurar os raios. tar o funcionamento dos sensores de es-
sua atenção durante manobras potencial- tacionamento.
mente perigosas, mesmo as realizadas em
baixa velocidade. ADVERTÊNCIA O sistema ajuda o motorista a avaliar uma
O funcionamento do sistema baseia-se em vaga de estacionamento de acordo com a lar-
vários componentes: sensores de estaci- gura do veículo e gerencia automaticamente
ADVERTÊNCIA onamento dianteiros e traseiros, sensores o movimento do volante durante a manobra.
Tanto a busca por uma vaga de estacio- laterais, sistema de direção, rodas, sis-
namento quanto as respectivas manobras tema de freios e painel de instrumentos. O sistema utiliza os sensores dianteiros, tra-
para estacionar devem seguir as leis de seiros e laterais localizados nos para-choques
O mau funcionamento de um destes com- dianteiro e traseiro.
trânsito vigentes.
ponentes pode afetar o funcionamento do
Observe sempre as prescrições desse ma- sistema.
nual.

226
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO FUNCIONAMENTO DO SISTEMA
Para ativar o sistema, pressione a tecla : Durante a busca por uma vaga de estacio-
o visor do painel de instrumentos exibirá as namento, o sistema usa os sensores laterais,
instruções necessárias para a realização da que são ativados automaticamente quando o
manobra. motor está em funcionamento e a uma velo-
cidade inferior a 30 km/h.

As luzes de LED também se acendem no caso


de uma falha no sistema Active ParkSense®. Durante a manobra, e diante da detecção de
Se a tecla é pressionada durante uma avaria obstáculos, o condutor também recebe infor-
no sistema, o LED pisca por cerca de 5 mações oferecidas pelos sensores de estaci-
segundos e depois é desativada. onamento (4 dianteiros e 4 traseiros) que for-
necem informações extras sobre a distância
a ser mantida dos obstáculos à frente e atrás
do veículo.
227
Se a função Active ParkSense® for ativada Escolha do tipo de estacionamento torista, empurrar o indicador de direção
depois de ter sido desativada, os sensores Sistema ativado: LED constantemente para baixo.
do ParkSense® são ativados mais uma vez aceso/Sistema desativado: LED desligado.
Busca por uma vaga de estacionamento
e permanecem nesta condição somente du- Durante a busca e até que a marcha a ré
seja engrenada, pode-se selecionar o tipo de Através dos sensores laterais, o sistema faz
rante o movimento do estacionamento.
estacionamento desejado: uma busca contínua por uma vaga de estaci-
DESCRIÇÃO DO ESTACIONAMENTO PA- onamento que seja adequada para as dimen-
RALELO E PERPENDICULAR ● "Paralelo": o veículo procurará uma vaga sões do veículo.
Para estacionar nos sentidos paralelo e per- de estacionamento paralela ao sentido da
Enquanto procura, o veículo deve seguir seu
pendicular, atenção aos seguintes pontos: condução.
trajeto a uma velocidade inferior a 30 km/h e
● "Perpendicular": o veículo procurará uma observar uma distância entre 50 cm e 1,5 m
Ativação vaga de estacionamento perpendicular ao dos veículos estacionados.
O sistema é ativado pressionando a tecla : sentido da condução.
depois de selecionado, o modo de busca fica Uma vaga de estacionamento paralela será
ativo no sistema. Considerando que o sis- Escolha de um dos lados considerada adequada se suas dimensões fo-
tema reconhece as vagas de estacionamento Para a escolher um dos lados e executar a rem cerca de 80 centímetros maiores que as
mesmo quando esta função não foi seleci- manobra correta, atuar da seguinte forma: do veículo e, no caso de vaga de estaciona-
onada, ela pode ser ativada imediatamente mento perpendicular , suas dimensões deve-
● Para escolher o modo de busca por rão ser cerca de 1 m maiores que as do veí-
após o veículo ter passado próximo a uma
vaga de estacionamento apropriada para ele. uma vaga de estacionamento e a mano- culo.
O sistema então, através da tela no painel de bra a ser realizada do lado do passageiro,
colocar o indicador de direção no centro Nota
instrumentos, informará ao motorista quais os
procedimentos para a realização de uma ma- (desativado) ou empurrar para cima. Durante a busca, a velocidade do veículo
nobra correta. ● Para escolher o modo de busca por não deve ultrapassar os 30 km/h; quando
uma vaga de estacionamento e a ma- atingir os 25 km/h, o motorista recebe um
nobra a ser realizada do lado do mo- aviso para diminuir a velocidade; caso a ve-

228
locidade ultrapasse os 30 km/h, o sistema Durante a manobra, o veículo pode ser freado, Fim da manobra
será desativado (neste caso, ele pode ser e, mesmo que permaneça parado, a marcha A manobra semiautomática termina quando
reiniciado pressionando a tecla ). a ré pode ser liberada temporariamente (para a mensagem de manobra concluída aparecer
permitir a passagem de um pedestre pela área no visor. No final da manobra, retomar o
Manobra de manobra, por exemplo). controle do veículo e, se necessário, terminar
Durante a manobra, os movimentos do veí- de estacionar manualmente.
A manobra de estacionamento será interrom-
culo podem ser controlados pelo acelerador,
pida nos seguintes casos: INFORMAÇÕES IMPORTANTES
pelos pedais do freio e da embreagem (nas
versões com câmbio manual), ou pelos pe- ● Se a velocidade do veículo estiver acima ● Se os sensores sofrerem algum impacto
dais do acelerador e do freio (nas versões dos 7 km/h. que altera suas posições, a operação re-
com câmbio automático). Depois que uma alizada pelo sistema poderá piorar consi-
● Se o volante move-se (voluntária ou in- deravelmente.
vaga de estacionamento for localizada, você voluntariamente) segure-o firmemente ou
deverá engrenar a ré, largar o volante e usar impeça que ele se mova. ● O sistema atinge um desempenho supe-
os pedais: o sistema manejará o volante au- rior depois que o veículo percorre cerca
tomaticamente para executar a operação de ● Se a superfície irregular da pista ou obstá- de 50 km (sistema de "autocalibração").
estacionamento na respectiva área. culos diante as rodas interferir nos movi-
mentos do veículo, impedindo-o de seguir ● Se os sensores estiverem sujos, cobertos
Embora seja possível aproveitar as informa- o caminho correto. por neve, gelo, lama ou tiverem sido re-
ções provenientes dos sensores de estaci- pintados em comparação com suas con-
onamento durante uma manobra (durante a Nota dições originais, a operação do sistema
marcha a ré, é aconselhável deixar a área dos A manobra será desativada caso, após 3 pode piorar drasticamente. É extrema-
sensores de som traseiros continuamente ao minutos, a operação de estacionamento mente importante que os sensores sejam
alcance), é sempre aconselhável manter aten- não seja concluída. mantidos sempre limpos para que o sis-
ção ao redor. tema funcione adequadamente. Durante
a limpeza fique atento para não riscá-los
ou danificá-los; evite usar panos secos ou

229
ásperos. Os sensores devem ser lavados atenção se o veículo e sua trajetória são ● Pode ser impossível realizar algumas ma-
com água limpa e, se necessário, com realmente compatíveis com a vaga de es- nobras em curvas muito fechadas.
shampoo para carros. Nos serviços de la- tacionamento identificada pelo sistema. ● Preste muita atenção para garantir que as
vagem que utilizam jatos de vapor ou de ● O uso de (um ou mais) pneus ou rodas de condições continuem favoráveis durante
alta pressão, limpe os sensores rapida- tamanhos diferentes daqueles fornecidos a manobra de estacionamento (observe
mente, mantendo os jatos de vapor/bicos com o veículo podem afetar o funciona- por exemplo, se há pessoas e/ou animais
de alta pressão a pelo menos 10 cm dos mento do sistema. na vaga de estacionamento, veículos em
sensores. movimento, etc.) e intervenha imediata-
● Se houver algum reboque (com o engate
● A proximidade com fontes ultrassônicas devidamente acoplado), o sistema se de- mente, se necessário.
(freios pneumáticos de caminhões ou fu- sativará automaticamente. ● Durante as manobras de estacionamento,
radeiras pneumáticas, por exemplo) pode preste atenção aos carros que se aproxi-
● No modo "busca em andamento", o sis-
influenciar negativamente o desempenho mam pela direção oposta. Respeite sem-
tema pode identificar um local equivo-
do sensor. pre as leis de trânsito.
cado para efetuar a manobra (um entron-
● Os sensores podem detectar um obstá- camento, calçadas, pontos de passagem
culo inexistente (ruído de eco) devido a Nota
na rota, etc.).
ruídos mecânicos, como durante a lava- Não se garante a correta operação do sis-
● No caso de manobras para estacionar tema se o veículo estiver equipado com
gem do veículo, no caso de chuva, vento
em estradas em declive, o desempe- correntes antiderrapantes ou com estepe
forte e granizo, por exemplo.
nho do sistema pode piorar, podendo até temporário.
● Os sensores podem não detectar objetos desativar-se.
de um determinado formato específico ou Nota
● Se uma manobra de estacionamento está
de determinados materiais (polos muito A função informa ao motorista apenas so-
sendo realizada entre dois veículos já es-
finos, vigas de reboques, painéis, redes, bre a última vaga de estacionamento pos-
tacionados nas faixas dos dois lados,
buchas, obstáculos para delimitar estaci- sível (paralela ou perpendicular) detectada
pode ser que o sistema leve o veículo
onamento, pavimentos, latas de lixo, veí- pelos sensores de estacionamento.
sobre a faixa.
culos a motor, etc.). Preste sempre muita
230
Nota
ADVERTÊNCIA
Algumas mensagens exibidas são acom-
panhadas de sinais sonoros. Qualquer repintura ou retoques na pintura
na área dos sensores do para-choques
devem ser realizadas somente na Rede de
SISTEMA DE ALERTA DE DISTÂNCIA
Assistência Jeep.
LATERAL (Se equipado)
A aplicação incorreta da pintura pode afe-
ADVERTÊNCIA tar a operação dos sensores estaciona-
Para que o sistema funcione corretamente, mento.
os sensores devem estar limpos e sem
vestígio de lama, sujeira, neve ou gelo. A função do sistema de alerta de distância
Tenha cuidado para não riscar ou danificar lateral é detectar a presença de obstáculos
os sensores ao limpá-los. Evite usar panos próximos às laterais do veículo através de
secos, ásperos ou duros. sensores de estacionamento localizados no
Os sensores devem ser lavados com água para-choque dianteiro e traseiro.
limpa e, se necessário, com shampoo para O sistema avisa o motorista com um sinal
carros. Nos serviços de lavagem que sonoro e, quando equipado, com indicações
utilizam vapor ou jatos de alta pressão, visuais na tela do painel de instrumentos.
limpe os sensores rapidamente, mantendo
o bico a pelo menos 10 cm dos sensores.

231
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO namento podem acontecer pela presença ● A presença de um gancho de reboque
O sistema consegue funcionar somente de- de: gelo, neve, lama ou camada espessa sem o respectivo reboque também pode
pois de percorrer uma curta distância e se de tinta na superfície do sensor. interferir no correto funcionamento dos
a velocidade do veículo estiver entre 0 e 18 sensores de estacionamento. Antes de
km/h. ● O sensor pode detectar um obstáculo ine- utilizar o sistema ParkSense, recomenda-
xistente ("interferência de eco"), devido a se remover do veículo o conjunto da es-
O sistema pode ser ativado/desativado atra- interferências mecânicas, como durante fera do gancho de reboque e os respec-
vés do menu "Configurações" do sistema lavagem do veículo, no caso de chuva, tivos acessórios quando este último não
Uconnect™ (para mais informações, consul- (vento forte) e granizo, por exemplo. é utilizado para operações de reboque.
tar o suplemento específico). O descumprimento dessa recomendação
● Os sinais enviados pelo sensor também
FUNCIONAMENTO COM UM REBOQUE podem ser alterados pela presença de pode levar a ferimentos pessoais ou da-
O sistema é desativado automaticamente sistemas ultrassônicos (como sistemas nos ao veículo ou obstáculos, uma vez
quando o plugue elétrico do reboque é de freio pneumático de caminhões ou fu- que, quando o sinal sonoro contínuo for
inserido na conexão do gancho de reboque radeiras pneumáticas, por exemplo) pró- emitido, a esfera do gancho de reboque
do veículo. Os sensores traseiros são auto- ximos ao veículo. estará mais próxima do obstáculo que o
maticamente reativados quando o plugue do para-choque traseiro. Se quiser deixar
cabo do reboque é removido. ● O desempenho do sistema assistente de o gancho de reboque sem o reboque, é
estacionamento também pode ser influ- aconselhável procurar a Rede de Assis-
INFORMAÇÕES IMPORTANTES enciado pela posição dos sensores, al- tência Jeep para as operações de atu-
Algumas condições podem influenciar o de- guma alteração na configuração do tra- alização do sistema ParkSense, já que
sempenho do sistema de alerta de distância jeto (causada pelo desgaste dos amor- os sensores centrais podem detectar o
lateral: tecedores, suspensão), troca de pneus, gancho de reboque como sendo um obs-
sobrecarrega do veículo ou operações de táculo.
● Uma redução na sensibilidade do sensor e ajuste que rebaixam o veículo. ● A presença de etiquetas nos sensores
uma consequente diminuição no desem-
pode prejudicar o correto funcionamento
penho do sistema assistente de estacio-
232
do sistema. Portanto, não coloque adesi-
vos nos sensores. ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
A responsabilidade pelo estacionamento Para o funcionamento correto, é indispen-
e por outras manobras, potencialmente sável que a câmera esteja sempre limpa
CÂMERA DE RÉ perigosas, é sempre do motorista. Ao de lama, sujeira, neve ou gelo. Durante
PARKVIEW® rear back up câmera efetuar estas manobras, o condutor deve a limpeza da câmera, prestar a máxima
A câmera de ré está situada na tampa do certificar-se sempre de que no espaço de atenção para não riscá-la nem danificá-la;
porta-malas. manobra não estejam presentes pessoas evitar a utilização de panos secos, áspe-
(especialmente crianças) nem animais. ros ou duros. Utilizar panos de nylon ou
algodão sem fiapos.
A câmera constitui uma ajuda para o con-
dutor, embora este nunca deva reduzir a A câmera deve ser lavada com água limpa
sua atenção durante as manobras potenci- e, eventualmente, usar shampoo para au-
almente perigosas, mesmo se executadas tomóvel. Nas estações de lavagem que
a baixa velocidade. Além disso, prosseguir utilizam máquinas com jato de vapor ou
sempre a uma velocidade moderada, de de alta pressão, limpar rapidamente a câ-
modo a poder frear a qualquer momento mera mantendo o bico a mais de 10 cm de
no caso de presença de um obstáculo. distância. Além disso, não colocar adesi-
vos na câmera.

Ativação/desativação da câmera
Sempre que se aciona a marcha a ré, no
display é visualizada a área circundante ao
veículo, como captada pela câmera traseira.

233
As imagens são visualizadas no display junta- VISUALIZAÇÕES E MENSAGENS NO
mente com uma mensagem de advertência. DISPLAY
Quando a alavanca de marchas é deslocada Visualizações no display
para a posição de marcha a ré, se a função Atuando nas definições do sistema Ucon-
específica nas definições do sistema Ucon- nect™ é possível ativar a visualização em li-
nect™ estiver ativa, a imagem da câmera con- nhas guia no display. Se ativada, a grade é
tinuará a ser visualizada até 10 segundos após posicionada na imagem para evidenciar a lar-
o desengate da marcha a ré, a menos que a gura do veículo e o percurso em marcha a ré
velocidade do veículo não seja superior a 13 previsto com base na posição do volante.
RADIO MEDIA NAV PHONE MORE

km/h, ou que a alavanca de marchas esteja Uma linha central tracejada sobreposta indica
na posição P (Estacionamento) (versões com o centro do veículo para facilitar as manobras
câmbio automático) ou ponto morto (versões de estacionamento ou o alinhamento com o
com câmbio manual) ou ainda que a chave de gancho de reboque. As diferentes regiões
ignição esteja na posição STOP. coloridas indicam a distância da parte traseira
Quando a alavanca do câmbio não estiver na do veículo.
posição de marcha a ré, no display do sistema Veja a seguir as distâncias aproximadas para
Uconnect™ ativa-se um botão gráfico para cada região.
a desativação da visualização da imagem da
câmera.

Nota
A imagem visualizada no display pode ficar
ligeiramente deformada.

234
● Região Vermelha (A) - 0 ÷ 30 cm de do porta-malas, certificar-se de que a tinta
distância da parte traseira do veículo não entre em contato com a câmera. ADVERTÊNCIA
A pressão dos pneus deve ser verificada
● Região Amarela (B) - 30 cm ÷ 1 m de
Nota com pneus frios; se, por qualquer motivo,
distância da parte traseira do veículo
Durante as manobras de estacionamento, se verificar a pressão com os pneus quen-
● Região Verde (C) - 1 m ou superior de prestar sempre a máxima atenção aos obs- tes, não reduzir a pressão mesmo que seja
distância da parte traseira do veículo táculos que se possam encontrar por cima superior ao valor previsto.
Mensagens no display ou por baixo do campo de ação da câmera.
Repetir o controle com os pneus frios.
Se a tampa do porta-malas estiver levantada,
a câmera não identificará qualquer obstáculo SISTEMA DE MONITORA-
na parte traseira do veículo. No display será vi- MENTO DA PRESSÃO DOS ADVERTÊNCIA
sualizada uma mensagem de aviso específica. PNEUS Caso sejam montadas uma ou mais rodas
Neste caso, baixar a tampa do porta-malas TPMS (Tyre Pressure Monitoring Sys- sem sensor (por ex. em caso de instalação
pressionando em correspondência com a fe- tem) (se equipado) da roda sobressalente), o sistema deixará
chadura até ouvir o estalido da mesma. de estar disponível e traços (– –) serão exi-
bidos nas posições dos valores de pres-
Nota ADVERTÊNCIA são de todas as rodas.
Em algumas circunstâncias, como, por A presença do sistema TPMS não isenta o
condutor de regularmente verificar a pres- No display será visualizada uma mensa-
exemplo, presença de gelo, neve ou lama
são dos pneus, inclusive o sobressalente gem de aviso até serem montadas nova-
na superfície da câmera, a sensibilidade
e da correta manutenção. mente as rodas com sensores.
da câmera pode ficar reduzida.
O sistema não serve para assinalar uma
Nota
eventual avaria de um pneu.
Se, a seguir a intervenções de reparação,
se tornar necessário voltar a pintar a porta

235
enviar à central de controle as informações
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA relativas à pressão de cada pneu
O sistema TPMS não é capaz de assinalar Quando um pneu é desmontado, convém
perdas imprevistas da pressão dos pneus substituir também a guarnição de borra- Nota
(por ex. em caso de furos em um pneu). cha da válvula: dirigir-se à Rede de As- Este equipamento não tem direito à prote-
sistência Jeep. ção contra interferência prejudicial e não
Nesse caso, parar o veículo freando com
pode causar interferência em sistemas de-
cautela e sem efetuar manobras bruscas. As operações de monta-
vidamente autorizados.
gem/desmontagem dos pneus e/ou rodas
requerem precauções particulares. Para Este produto está homologado pela ANATEL
ADVERTÊNCIA evitar danificar ou montar incorretamente (Agência Nacional de Telecomunicações) de
A pressão dos pneus pode variar em fun- os sensores, a substituição dos pneus acordo com os procedimentos regulamenta-
ção da temperatura externa. e/ou rodas só deve ser efetuada por dos pela Resolução 242/2000, e atende aos
pessoal especializado. Contatar a Rede requisitos técnicos aplicados.
O sistema pode indicar temporariamente de Assistência Jeep.
uma pressão insuficiente. Nesse caso, A sequência numérica impressa acima do có-
controlar a pressão dos pneus a frio e, digo de barras identifica o número de homo-
se necessário, restabelecer os valores de O veículo pode estar equipado com sistema logação do junto à ANATEL.
enchimento. de monitoração da pressão dos pneus TPMS
(Tyre Pressure Monitoring System), capaz de O código de barras e os algarismos localiza-
assinalar ao condutor uma eventual pressão dos abaixo da imagem das barras contêm da-
insuficiente dos pneus com base na pressão dos do fornecedor do equipamento.
a frio indicada no capítulo "Dados técnicos".
O sistema é constituído por um sensor trans-
missor de radiofrequência montado em cada
roda (na roda no interior do pneu), capaz de

236
Etiqueta Anatel TPMS

A visualização no display (versões com dis- A pressão de enchimento varia com base na
play multifuncional e versões com display temperatura de cerca de 0,07 bar (1 psi) a
multifuncional reconfigurável) ocorre da se- cada 6,5°C (12°F). Isto significa que à dimi-
guinte maneira. nuição da temperatura externa corresponde a
uma diminuição da pressão dos pneus. Re-
gular sempre a pressão de enchimento dos
pneus a frio. Esta última é definida como a
pressão dos pneus após pelo menos 3 horas
de inatividade do veículo ou uma quilometra-
gem inferior a 1,6 km após um intervalo de 3
horas.
A pressão de enchimento a frio não deve ser
superior à máxima indicada na parte posterior
237
do pneu: para mais informações, consultar o das. Pode ser necessário conduzir o veículo Nota
parágrafo "Rodas" no capítulo "Dados técni- até 20 minutos a uma velocidade superior a O sistema TPMS foi concebido para as ro-
cos". cerca de 25 km/h até que o sistema TPMS das e os pneus originais. As pressões
possa receber estas informações. prescritas e os consequentes limites de
A pressão dos pneus aumenta durante a con-
alarme definidos com o sistema TPMS fo-
dução do veículo. É uma condição normal e Exemplo operacional ram estabelecidos com base na dimensão
não requer qualquer regulagem da pressão. Imaginando que a pressão de enchimento a dos pneus montados no veículo. A utiliza-
O sistema TPMS assinala ao condutor a even- frio (assim, com o veículo parado há pelo me- ção de pneus sobressalentes de dimensão,
tual presença de uma condição de pressão de nos 3 horas) prescrita seja igual a 2,3 bar (33 tipo e/ou desenho diferentes dos originais
enchimento insuficiente se esta descer abaixo psi), se a temperatura ambiente for de 20°C pode ser causa de funcionamento anômalo
do limite de advertência por qualquer motivo, (68°F) e a pressão dos pneus detectada for do sistema ou de danos nos sensores. As
incluindo os efeitos da baixa temperatura e a de 1,95 bar (28 psi), uma descida da tempera- rodas montadas em pós-venda podem pro-
normal perda de pressão do pneu. tura para -7°C (20°F) provoca uma diminuição vocar danos nos sensores. A utilização de
da pressão dos pneus, em cerca de 1,65 bar vedantes para pneus em pós-venda pode
O sistema TPMS parará de assinalar a condi- (24 psi). Esta pressão é suficientemente baixa provocar danos no sensor do sistema de
ção de pressão insuficiente quando esta for para ativar a luz-espia . controlo da pressão dos pneus (TPMS). A
novamente igual ou superior à de enchimento
seguir à utilização de vedante para pneus
a frio prescrita. Se for assinalada uma pressão O aquecimento dos pneus devido à condução
em pós-venda, é aconselhável dirigir-se à
insuficiente dos pneus (luz-espia acesa no do veículo pode provocar um aumento da
Rede de Assistência Jeep para mandar efe-
quadro de instrumentos), aumentar, assim, a pressão dos pneus até cerca de 1,95 bar
tuar o controle dos sensores. Após o con-
pressão de enchimento até atingir o valor a (28 psi), mas a luz-espia permanecerá, trole ou a regulagem da pressão de enchi-
frio prescrito. de qualquer forma, acesa. Nessa situação, mento, remontar sempre o tampão da vál-
a luz-espia só se apagará depois dos pneus vula para evitar a infiltração de humidade e
O sistema atualiza-se automaticamente e a
estarem cheios ao valor de pressão a frio sujeira que poderiam danificar o sensor de
luz-espia apaga-se assim que o sistema
prescrito para o veículo. controle da pressão dos pneus.
recebe as pressões de enchimento atualiza-

238
SINALIZAÇÃO INSUFICIENTE DA Em algumas versões, no display é visualizada ● Aplicação, em aftermarket, de películas
PRESSÃO DOS PNEUS uma mensagem específica e traços "– –" em coloridas am vidros que interferem com
Se for detectado um valor de pressão insufi- vez do valor da pressão, para assinalar a as ondas de rádio emitidas pelo sistema
ciente em um ou vários pneus, acende-se a impossibilidade de detectar o sensor. TPMS.
luz-espia no quadro de instrumentos e no Colocando a chave de ignição em STOP e ● Utilização de conjuntos roda/pneu sem
display são visualizadas as mensagens espe- novamente em MAR, a sequência de sinali- sensores para sistema TPMS.
cíficas. O sistema evidencia ainda de forma zação repete-se onde a avaria ainda estiver ● A roda sobressalente não dispõe de sen-
gráfica a posição do pneu ou dos pneus ca- presente. sor de controle da pressão do pneu. Por-
racterizados por uma pressão insuficiente. É tanto, a pressão do pneu não é controlada
também emitido um sinal acústico. A luz-espia apaga-se quando a condição pelo sistema.
de avaria desaparece e, em algumas versões,
Nesse caso, parar o veículo, verificar a pres- em vez de traços, é novamente visualizado o Nota
são de enchimento de cada pneu e enchê-los valor de pressão. O veículo pode estar equipado com roda
ao valor correto de pressão a frio indicado sobressalente com ou sem sensor TPMS
pela mensagem visualizada no display ou no Poderia verificar-se uma anomalia do sistema
original para medir a pressão dos pneus.
menu dedicado ao sistema TPMS. nos seguintes casos:
A roda sobressalente pode não estar equi-
● Distúrbios a radiofrequência particular-
SISTEMA TPMS TEMPORARIA- pada com um sensor TPMS. Uma vez mon-
mente intensos podem inibir o correto
MENTE DESATIVADO tada, durante a marcha, acende-se a luz-espia
funcionamento do sistema TPMS. Esta
Mensagem de verificação TPMS condição será sinalizada por uma men- (intermitente durante cerca de 75 segun-
Na presença de avaria no sistema, além de sagem específica no display. A sinaliza- dos e depois acesa com luz fixa). Essa condi-
ção desaparecerá automaticamente as- ção continua até que seja montada no veículo
emitir um sinal acústico, a luz-espia pisca
sim que as interferências da radiofrequên- uma roda equipada com sensor TPMS origi-
durante 75 segundos e depois permanece
cia deixarem de interferir com o sistema. nal.
acesa com luz fixa. .

239
Roda sobressalente de dimensões normais Desativação do sistema TPMS SISTEMA DE MONITO-
(sem sensor TPMS): uma vez montada, du- O sistema TPMS pode ser desativado subs- RAMENTO INDIRETO DA
rante a marcha, acende-se a luz-espia tituindo as rodas equipadas com sensores
(intermitente durante cerca de 75 segundos TPMS por outras que não as possuam. Em PRESSÃO DOS PNEUS
e depois acesa com luz fixa). Essa condição seguida, conduzir durante pelo menos 20 mi- iTPMS (Indirect Tyre Pressure Moni-
continua até que seja montada no veículo uma nutos a uma velocidade superior a cerca de toring System) (se equipado)
roda equipada com sensor TPMS original. O 25 km/h. O veículo pode ser equipado com sistema de
sistema é, assim, restabelecido e a luz-espia monitoramento da pressão dos pneus iTPMS
O sistema TPMS emitirá um sinal sonoro, a
apaga-se. (Indirect Tyre Pressure Monitoring System).
luz-espia ficará intermitente durante cerca
Roda sobressalente de dimensões normais de 75 segundos e, em seguida, permanecerá Este sistema utiliza parte das informações
(com sensor TPMS): uma vez montada, du- acesa com luz fixa e no display do quadro disponíveis na central de freio para verificar o
de instrumentos será visualizada a mensagem estado de enchimento dos pneus.
rante a marcha, a luz-espia apaga-se.
"Verificaçao do sistema TPMS" e traços (– –)
Este sistema tem o objetivo único e exclusivo
Nota no lugar dos valores de pressão.
de evitar que o motorista conduza o veículo
Em todos os casos acima indicados, é A partir do ciclo de partida seguinte, o sistema por longas distâncias com os pneus vazios,
aconselhável verificar a pressão de enchi- TPMS não emitirá qualquer sinalização acús- aumentando o consumo de combustível e a
mento do pneu sobressalente antes de co- tica e no display não será mais visualizada emissão de poluentes. Embora este sistema
meçar a conduzir o veículo. a mensagem "Verificação do sistema TPMS", possa informar que um ou mais pneus este-
mas os traços (– –) permanecerão visualiza- jam furados, não exclui a responsabilidade do
Nota
dos no lugar do valor da pressão. condutor de verificar a integridade e desgaste
Em caso de substituição dos pneus, ao
dos pneus (presença de bolhas, cortes, obje-
conduzir o veículo durante breves perío-
tos estranhos, etc.) antes de cada percurso.
dos, pode ser necessário um pouco de
tempo antes que o sistema seja restabele- O sistema necessita de um tempo de auto-
cido. aprendizagem das condições em que se en-
240
contram os pneus (aproximadamente 20 mi- ● Recalibragem dos pneus (inclusive ou mais pneus ou deixar de fornecer sinais
nutos) a partir do momento em que é reali- quando a mensagem de pressão baixa quando necessário.
zado o reset. Este procedimento depende do não tenha sido previamente exibida).
modo de condução do veículo e das condi- Procedimento para realização do reset
● Substituição de um ou mais pneus.
ções da via em que o veículo é conduzido. A ● Pressionar o botão ou para acessar
● Rodízio dos pneus.
condição ideal e mais eficaz é em linha reta e o menu.
com velocidade constante. ● Utilização do estepe.
● Navegar até a Info “veículo” e pressionar
● Alteração das condições de carga do veí-
O reset é necessário para: culo.
● Acessar o menu “pressão pneus” através
● Definir o ponto de referência absoluto
para o consecutivo monitoramento dos da tecla
pneus. ADVERTÊNCIA ● pressionar e segurar a tecla até que a
● Apagar quaisquer avisos emitidos sobre O reset do sistema iTPMS não poderá ser mensagem de reset seja exibida.
a pressão dos pneus. realizado com o veículo em movimento.
Este procedimento deve ser realizado SEM-
● Apagar os dados armazenados de apren- Esta operação deve sempre ser feita com PRE que um ou mais procedimentos acima
dizagem e desencadear uma nova fase o veículo estacionado. sejam realizados. Caso contrário, o sistema
de aprendizagem. não oferecerá informações confiáveis quanto
● Minimizar influências que poderiam inter- Antes de realizar o reset, encher os pneus à pressão dos pneus.
ferir na medição como o desgaste, posi- nos valores de pressão nominais que podem
ção do pneu e características de veloci- CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO
ser encontrados no capítulo E do manual –
dade. Algumas situações de condução podem re-
pressão dos pneus. Caso o reset não seja
tardar a detecção de baixa pressão de pneus,
O reset deve ser realizado nas seguintes con- efetuado nos casos anteriormente descritos,
tais como:
dições: o sistema pode fornecer falsos sinais de um

241
● Direção esportiva caracterizada por frea- até que seja montada no veículo a roda de
das e acelerações bruscas e mudanças dimensão normal e efetuado o reset. O sis-
rápidas de direção. tema é, assim, restabelecido e a luz-espia
● Pisos muito irregulares. apaga-se.
● Pisos de baixa aderência.
● Alteração da condição de carga do veí-
culo em comparação ao momento do re-
set.

Caso o veículo trafegue por estradas irregula-


res durante muito tempo, o sistema pode ser
temporariamente inibido, pois os sucessivos IMPORTANTE: o condutor não deve reali-
impactos sofridos pelos pneus prejudicam a zar o reset no caso descrito anteriormente.
aquisição precisa dos dados. Assim que o sistema voltar a receber sinais
precisos da condição de enchimento dos
Neste caso, uma mensagem será exibida no pneus, a luz-espia se apagará e o sistema
display e a luz-espia lampejará por 75 voltará a funcionar normalmente.
segundos, permanecendo acesa após esse
período para informar que o sistema não está Se o sistema detectar que um ou mais pneus
operante. estão com pressão abaixo da condição inicial
de monitoramento do sistema (realizada após
Uma vez montada a roda sobressalente, o sis- a calibração e reset), deverá indicar através de
tema ficará temporariamente inibido, durante um pop-up na tela seguido pelo acendimento
a marcha, acende-se a luz-espia (intermi- da luz-espia no quadro de instrumentos
tente durante cerca de 75 segundos e depois
acesa com luz fixa). Essa condição continua
242
As mensagens disponíveis para indicação do
sistema iTPMS são:

● Reset efetuado (indicação de reset efetu-


ado no sistema).
● Pressão dos pneus não disponível (o
monitoramento está temporariamente
inibido).
● Verificar pressão nos pneus (mensagem
de advertência quanto à diferença de
pressão nos pneus).

No display será visualizado para algumas


mensagens:

● Calibragem OK.

243
● Um ou mais pneus com diferença de Após o enchimento dos pneus, deve-se re-
pressão. alizar o reset do sistema através do qua-
dro. Caso contrário as informações forneci-
das pelo sistema não serão precisas.

ADVERTÊNCIA
o sistema apenas auxilia na condução do
veículo. O condutor nunca deve tomar
menos cuidados ao dirigir. A responsa-
bilidade da direção é sempre confiada ao
O sistema iTPMS assinala ao condutor a even- condutor, que deve levar em conta as con-
tual presença de uma condição de pressão dições de tráfego para dirigir com segu-
de enchimento diferente da condição no mo- rança.
mento do reset. Se esta descer abaixo do
limite de advertência por qualquer motivo, in- O condutor deve manter sempre uma dis-
cluindo os efeitos da baixa temperatura e a tância segura do veículo à frente.
normal perda de pressão do pneu.
Se for assinalada uma diferença de pressão
dos pneus (luz-espia acesa no quadro de
instrumentos), verificar o valor de pressão dos
pneus a frio e encher até atingir o valor a frio
prescrito.

244
A pressão de enchimento a frio não deve
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ser superior à máxima indicada na parte
A presença do sistema iTPMS não isenta O sistema iTPMS não retira do condutor a externa do pneu: para mais informações,
o condutor de regularmente de verificar a obrigação de verificar a pressão dos pneus consultar o parágrafo “rodas e pneus” no
pressão dos pneus, inclusive o sobressa- regularmente. capítulo “Dados técnicos”.
lente e da correta manutenção.
O mesmo não é um sistema substituto de A pressão dos pneus aumenta durante a
O sistema não serve para assinalar uma manutenção ou de segurança. condução do veículo. É uma condição
eventual avaria de um pneu. normal e não requer qualquer regulagem
da pressão.
ADVERTÊNCIA
ADVERTÊNCIA O sistema pode não ser eficaz na sinaliza- REABASTECENDO O VEÍCULO
A pressão dos pneus pode variar em fun- ção de perda súbita de pressão dos pneus PROCEDIMENTOS
ção da temperatura externa. O sistema (por exemplo: furo ou rasgo em um pneu).
Antes de efetuar o abastecimento, é impor-
pode indicar temporariamente uma pres-
Nesse caso, parar o veículo com cuidado tante certificar-se do tipo de combustível cor-
são insuficiente.
e sem fazer mudanças bruscas de direção. reto.
Nesse caso, controlar a pressão dos pneus
Além disso, desligar o motor antes de efetuar
a frio e, se necessário, restabelecer os
Nota o abastecimento.
valores de enchimento.
por realizar uma checagem indireta da
pressão dos pneus através da central de
freio, o sistema não disponibiliza o valor
da pressão em cada pneu e somente
informa ao condutor se os pneus estão
em uma condição diferente da que foi rea-
lizada o reset no momento da calibragem.
245
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
Não colocar na extremidade do bocal ne- Não utilizar o celular próximo da bomba Não adicionar outro tipo de gasolina no
nhum objeto/tampão não previsto no veí- de abastecimento de combustível. tanque (ex.: gasolina de aviação), não
culo. homologada para uso automotivo.
Esta atitude pode provocar incêndio.
A utilização de objetos/tampões não Outros tipos de gasolina podem provocar
conformes podem provocar aumentos danos irreversíveis no conversor catalítico.
de pressão no interior do reservatório, Os dispositivos antipoluentes exigem o uso
criando condições de perigo. exclusivo de gasolina sem chumbo.
Nota
Nota Se o veículo estiver em trânsito por ou-
De acordo com regulamentação vigente tros países, certifique-se de que o abaste-
ADVERTÊNCIA estabelecida pela ANP (Agência Nacional cimento seja feito somente com gasolina
Não se aproximar do bocal do tanque de Petróleo) a gasolina normalmente dis- que não contenha chumbo em sua compo-
de combustível com fósforos ou cigarros ponível no mercado brasileiro não deve sição.
acesos, pois há perigo de incêndio. conter chumbo em proporções que pos-
sam causar danos ao conversor catalítico
Evitar também aproximar demais o rosto
dos automóveis.
do bocal, para não inalar vapores nocivos. ADVERTÊNCIA
Nunca introduzir, nem mesmo em casos
de emergência, a mínima quantidade de
gasolina com chumbo no tanque.
Observe sempre as recomendações deste
manual.

246
proporção que o usuário julgar conveniente
ADVERTÊNCIA para o uso. ADVERTÊNCIA
O conversor catalítico ineficiente provoca Não utilizar combustíveis diferentes dos
emissões nocivas no escapamento. Caberá ao usuário a análise sobre qual pro- especificados.
porção dos dois combustíveis é mais conve-
Além disso, poderá poluir o meio ambi- niente para o seu tipo de utilização, conside- O sistema somente está preparado para
ente. rando as diversas variáveis (preço do com- funcionar com etanol e gasolina automoti-
bustível, consumo, desempenho, etc.). vos.

ADVERTÊNCIA A central eletrônica de controle de injeção


A chave de ignição deverá permanecer está preparada para “gerenciar” a interação ADVERTÊNCIA
desligada enquanto o veículo estiver entre os dois tipos de combustível (etanol Não adaptar o veículo para funcionamento
sendo abastecido. ou gasolina) possibilitando um funcionamento com GNV (Gás natural veicular).
sempre regular em todas as situações de
Esse procedimento visa a garantir o funci- utilização. As características do sistema FLEX não
onamento correto do sistema e evitar er- possibilitam a conversão.
ros de indicação do instrumento no painel. No uso normal o sistema Flex não requer cui-
dados ou procedimentos especiais, excetu-
ando a observação das advertências de uti- Nota
SISTEMA FLEX (combustível etanol lização presentes neste capítulo e os pontos Os motores flex podem apresentar níveis
e/ou gasolina) de manutenção específicos. de ruídos diferentes, dependendo do com-
O sistema FLEX foi projetado para proporcio- bustível utilizado (etanol ou gasolina) bem
Nota como percentual de mistura. Este compor-
nar total flexibilidade na alimentação do motor
Durante o processo de aprendizado de tamento é normal e não afeta o desempe-
do veículo, permitindo a utilização de etanol
combustível, após o reabastecimento, a nho do motor.
ou de gasolina indistintamente. O combus-
função Start&Stop pode ficar temporaria-
tível pode ser adicionado no reservatório na
mente inoperante.

247
Nota MOTORES DIESEL Em caso de abastecimento com óleo diesel
Após um abastecimento, o sistema Flex Funcionamento a baixas temperaturas não adequado à temperatura de utilização, é
necessita de um pequeno tempo de adap- recomendável misturar o óleo diesel com um
tação (aproximadamente 10 minutos) com aditivo especial, introduzindo no reservatório
ADVERTÊNCIA
o veículo funcionando, para reconhecer o primeiro o anticongelante e, em seguida, o
Utilizar somente o óleo Diesel especifi-
combustível que está no tanque (etanol ou óleo diesel.
cado (S10) da linha automotiva. O uso de
gasolina).
outros produtos ou misturas pode danifi- No caso de utilização/estacionamento pro-
Esta recomendação é importante, sobre- car de modo irremediável o motor com a longado do veículo em regiões montanho-
tudo, quando tenha ocorrido a troca do consequente perda da garantia pelos da- sas/frias, é recomendável efetuar o abasteci-
combustível que estava sendo utilizado nos causados. mento com o óleo diesel disponível no local.
(ex.: etanol em vez de gasolina). O veículo Além disso, nestes casos, sugere-se manter
Em caso de abastecimento acidental com
deve cumprir um percurso mínimo (pelo no interior do reservatório uma quantidade de
outros tipos de combustível, não ligue o
tempo anteriormente especificado) para combustível superior a 50% da capacidade
motor e proceda ao esvaziamento do re-
que o sistema assimile o novo combustível. útil.
servatório. Se, pelo contrário, o motor tiver
Este procedimento irá minimizar eventuais funcionado mesmo que por um período
brevíssimo, é indispensável esvaziar, além
REABASTECIMENTO
problemas na próxima partida do veículo,
principalmente se o motor estiver frio. do reservatório de combustível, todo o cir- Para garantir o reabastecimento completo do
cuito de alimentação. depósito, efetuar duas operações de abaste-
cimento após o primeiro estalido da pistola
de abastecimento.
Com temperaturas baixas, o grau de fluidez
do óleo diesel pode tornar-se insuficiente de- Evitar posteriores operações de abasteci-
vido à formação de parafinas, com o conse- mento que possam provocar anomalias no
quente funcionamento anormal do sistema de sistema de alimentação.
alimentação de combustível.
248
PROCEDIMENTO DE ABASTECI- ● Abrir a tampa A, atuando no ponto indi-
MENTO cado pela seta.
O "Capless Fuel" é um dispositivo situado ● Inserir a pistola no bocal e proceder ao
no bocal do depósito de combustível; este abastecimento.
abre-se e volta a fechar-se automaticamente ● Terminado o abastecimento, antes de re-
aquando da introdução/extração da pistola de mover a pistola de abastecimento, aguar-
abastecimento. dar pelo menos 10 segundos para permitir
A tampa do bocal do reservatório de que o combustível flua no interior do re-
combustível desbloqueia-se quando o fecha- servatório.
mento centralizado das portas é desligado ● Em seguida, retirar a pistola de abasteci-
e bloqueia-se automaticamente ligando o mento do bocal e fechar a tampa A.
fechamento centralizado.
O procedimento de abastecimento anterior-
Abertura da tampa mente descrito está indicado na etiqueta B
Para efetuar o abastecimento, proceder como situada no interior da tampa do bocal do re-
indicado a seguir: servatório de combustível. Na etiqueta está
também indicado o tipo de combustível a ser
utilizado.

Abertura de emergência da tampa do bo-


cal do reservatório de combustível
Em caso de emergência, é possível abrir a
tampa do bocal do reservatório de combustí-
vel atuando pelo interior do porta-malas.
Proceder do seguinte modo:
249
● Atuando pelo interior do porta-malas, gi- Abastecimento de emergência
rar o gancho A no sentido anti-horário e, Se o veículo permanecer sem combustível
em seguida, retirá-lo puxando-o para o ou o circuito de alimentação estiver comple-
interior do porta-malas. tamente vazio, para introduzir novamente o
combustível no reservatório, proceder do se-
guinte modo:

● Abrir o porta-malas e retirar o respectivo


adaptador A, localizado na bolsa de fer-
ramentas ou, para algumas versões, no
porta-ferramentas à direita do estepe.

● Abrir a tampa do bocal do reservatório de


combustíveis, seguindo o procedimento
anteriormente descrito
● Puxar o cordão para desbloquear a fe-
chadura da tampa do combustível. ● Inserir o adaptador no bocal, como in-
dicado a seguir e proceder ao abasteci-
● Abrir a portinhola do combustível
mento.
pressionando-a.
● Reposicionar corretamente o cordão e o
gancho no interior da respectiva sede.

250
DICAS DE DIREÇÃO Pneus
DESCRIÇÃO Controlar periodicamente a pressão dos
pneus com um intervalo não superior as
Os veículos fora de estrada são caracteriza-
4 semanas: se a pressão estiver muito
dos por uma maior altura ao solo e por uma
baixa, os consumos aumentam, porque a
via proporcionalmente reduzida, para torná-
FUEL
resistência ao rolamento é maior.
los adequados às mais variadas condições
DED
UNLEA

que distinguem a condução fora de estrada. Cargas inúteis


As características de projeto fazem com que Não viajar com o porta-malas sobrecarre-
o seu centro de gravidade seja mais alto rela- gado. O peso do veículo e o seu alinhamento
tivamente ao dos veículos tradicionais. Uma influenciam fortemente os consumos e a es-
das vantagens oferecidas pela maior altura ao tabilidade.
● Terminado o abastecimento, remover o solo é a melhor visibilidade da estrada.
Porta-bagagens/porta-esquis
adaptador e voltar a fechar a tampa. Retirar o bagageiro ou o porta-esquis do teto
ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL
● Por fim, voltar a colocar o adaptador depois de utilizados. Estes acessórios dimi-
A seguir são indicadas algumas sugestões nuem a penetração aerodinâmica do veículo,
na bolsa de ferramentas ou no porta-
úteis que permitem obter uma economia de tendo uma influência negativa nos consumos.
ferramentas, conforme a versão, no porta-
combustível e uma contenção das emissões Em caso de transporte de objetos especial-
malas e fixá-la no local apropriado.
nocivas. mente volumosos, utilizar de preferência um
Nota reboque.
Manutenção do veículo
A lavagem do vão do bocal através de um
Zelar pela manutenção do veículo efetuando Dispositivos elétricos
equipamento de alta pressão deve ocorrer
os controles e as intervenções previstas no Utilizar os dispositivos elétricos apenas du-
a uma distância de pelo menos 20 cm.
"Plano de manutenção programada". rante o tempo necessário. O vidro traseiro
térmico, os faróis suplementares, os limpado-

251
res dos vidros e a ventoinha do sistema de dos, deste modo, o motor aquecerá mais ra- cremento de consumo de combustível é de
aquecimento, absorvem uma notável quan- pidamente. aproximadamente 30%.
tidade de corrente, provocando por conse-
Manobras inúteis Tentar manter uma velocidade uniforme, den-
guinte um aumento do consumo de combus-
Evitar acelerar quando estiver parado nos se- tro do possível, evitando freadas e retomadas
tível (até +25% em circulação urbana).
máforos ou antes de desligar o motor. Esta desnecessárias, que consomem combustível
Climatizador última manobra, como também a "dupla em- e aumentam, simultaneamente, a emissão de
A utilização do climatizador provoca um au- breagem", são inúteis e provocam aumento poluentes. Aconselha-se a adotar um modo
mento dos consumos: quando a temperatura dos consumos e da poluição. de dirigir prudente, tratando de antecipar as
externa o permitir, utilizar de preferência a manobras para evitar perigo iminente e de
simples ventilação. Troca de marchas respeitar a distância de segurança em relação
Tão logo as condições do trânsito o permi- aos veículos que trafegam logo a frente.
Acessórios aerodinâmicos tam, utilizar as marchas mais altas. O uso
O uso de acessórios aerodinâmicos, não cer- de marchas baixas para obter uma boa res- Aceleração
tificados para tal fim, pode prejudicar a aero- posta do motor provoca aumento inevitável Acelerar de forma violenta, induzindo o mo-
dinâmica e os consumos. do consumo. Da mesma forma, a insistência tor a funcionar em rotações elevadas, pena-
em manter marchas altas em trechos de baixa liza notavelmente o consumo de combustível,
ESTILO DE CONDUÇÃO velocidade, além de aumentar o consumo e a as emissões de poluentes e a própria durabi-
Intervenção emissão de poluentes, acelera o desgaste do lidade do mesmo; convém acelerar gradual-
motor. mente e não ultrapassar o regime de torque
Não deixar aquecer o motor com o veículo pa-
máximo do motor.
rado nem em marcha lenta, nem em regime
Velocidade máxima
elevado: nestas condições, o motor aquece Condições de utilização
O consumo de combustível aumenta propor-
muito mais lentamente, aumentando os con- Trajetos muito curtos e partidas frequentes
cionalmente em relação à velocidade que o
sumos e as emissões. É aconselhável partir com o motor frio não permitem que o motor
veículo desenvolve; como exemplo, pode-se
logo e lentamente, evitando regimes eleva- atinja a temperatura ideal de funcionamento,
dizer que passando de 90 a 120 km/h, o in-
além de significar um incremento de consumo
252
e de emissão de substâncias nocivas da or- TRANSPORTE DE PASSAGEIROS TRANSPORTE DE ANIMAIS
dem de 15 a 30%. Nota A intervenção dos airbags pode ser perigosa
É extremamente perigoso deixar crianças para um animal que se encontre no banco di-
Situação do trânsito e condição das vias e
no interior do veículo estacionado quando anteiro. Assim, é aconselhável colocar os ani-
estradas
a temperatura exterior for muito elevada. mais no banco traseiro, no interior de gaiolas
O consumo elevado de combustível está li- adequadas retidas pelos cintos de segurança
O calor no interior do habitáculo pode ter
gado diretamente a situações de trânsito in- do veículo.
consequências graves ou mesmo mortais.
tenso, sobretudo nas grandes cidades, onde
se trafega durante a maior parte do tempo uti- Nota Além disso, lembre-se ainda que, em caso de
lizando marchas baixas e as paradas em se- Nunca viajar no vão de carga interno. Em frenagem brusca ou de acidente, um animal
máforos são muito frequentes. caso de acidente, eventuais pessoas que não adequadamente retido poderia ser proje-
se encontrem no interior do porta-malas tado para o interior do habitáculo, com o risco
Também os percursos sinuosos, como estra- de se ferir e ferir os ocupantes do veículo.
das de montanha, ou trechos em mau estado estariam mais expostas ao risco de lesões
de conservação, influenciam negativamente o graves ou mesmo mortais.
GASES DE DESCARGA
consumo. Nota As emissões da descarga são muito perigo-
Paradas ou interrupções de trânsito. Certificar-se de que todos os ocupantes sas e podem ser letais. De fato, contêm mo-
Durante as paradas prolongadas, motivadas do veículo usem corretamente os cintos de nóxido de carbono, um gás incolor e inodoro
por trânsito interrompido, o melhor a fazer é segurança e que eventuais crianças estão que, se inalado, pode provocar desmaios e
desligar o motor. corretamente posicionadas nas respecti- envenenamentos.
vas cadeirinhas.
Para evitar inalar o monóxido de carbono,
seguir as indicações abaixo:

● Não manter o motor ligado em espaços


fechados.

253
● Se, por qualquer motivo (por ex. trans- ria adjacentes para identificar eventuais com- corregadios ou inacessíveis, em descida ou
porte de cargas volumosas), for necessá- ponentes partidos, danificados, deteriorados em subida em inclinações e para aumentar a
rio conduzir com a tampa do porta-malas ou que tenham sofrido deslocamentos rela- tração a baixas velocidades.
aberta, fechar todos os vidros e ativar a tivos à posição de montagem correta. Para
A utilização desta modalidade deve estar limi-
velocidade máxima do ventilador do cli- estas operações, dirigir-se à Rede de Assis-
tada a situações extremas, como neve, lama,
matizador. NÃO ativar a modalidade de tência Jeep.
areia, isto é, quando é necessário dispor de
recirculação de ar.
Soldas abertas ou conexões desapertadas uma maior potência de reboque a baixa velo-
● Caso seja indispensável permanecer podem permitir infiltrações de gases de des- cidade.
a bordo do veículo parado com o carga no interior do habitáculo.
motor ligado, regular o sistema de Córregos
ventilação/aquecimento e acionar Verificar o sistema de descarga sempre que o Apesar do veículo estar em condições de atra-
o ventilador de modo a introduzir veículo for elevado para operações de lubrifi- vessar cursos de água, é necessário respeitar
ar externo no habitáculo. Ativar a cação ou de substituição do óleo. Substituir algumas precauções.
velocidade máxima do ventilador. os componentes conforme necessário. Para
estas operações, dirigir-se à Rede de Assis- A travessia de cursos de água profundos re-
Uma manutenção adequada do sistema de tência Jeep. quer extrema atenção para garantir a segu-
descarga constitui a melhor proteção contra rança e evitar danos no veículo. Em caso de
infiltrações de monóxido de carbono no habi- SUGESTÕES PARA A CONDUÇÃO ter que atravessar cursos de água, antes de
táculo. iniciar, procurar estabelecer a profundidade
FORA DE ESTRADA (Versões com
da água e as condições do fundo, incluindo a
Se for detectado um ruído anómalo do sis- tração integral) eventual presença de obstáculos.
tema de descarga, a presença de gases de Utilização da tração integral (4WD LOW)
descarga no interior do habitáculo, ou se a Durante a condução fora de estrada, pressio- Depois de ultrapassar um córrego, verificar
carroceria ou a parte traseira do veículo es- nar o botão 4WD LOW, se equipado, no dis- todos os níveis dos líquidos dos reservatórios
tiverem danificadas, mandar verificar todo o positivo Selec-Terrain™ para obter uma maior do vão do motor. Os córregos podem, de fato,
sistema de descarga e as regiões da carroce- tração e um maior controle em terrenos es- provocar danos não cobertos pela garantia.

254
Nota Evitar reduções bruscas de velocidade em Condução em subida
Ao atravessar um córrego, não ulltrapassar estradas com gelo ou escorregadias, já
a velocidade de 8 km/h. que a ação de frenagem do motor pode ADVERTÊNCIA
fazer patinar o veículo, com consequente Se o motor desligar, o veículo virar ou não
Água corrente perda de controle. se conseguir avançar em marcha retilínea
Em caso de rápido deslizamento da água com
Trechos alagados na parte alta da montanha ou de uma es-
aumento imprevisto do nível (por ex. durante
Evitar percorrer trechos alagados com pro- trada em inclinação, nunca tentar efetuar
um temporal), aguardar a descida do nível
fundidade da água superior a 48 cm e dosar uma inversão de marcha.
da água e/ou a diminuição da velocidade da
corrente antes de iniciar a travessia. adequadamente a marcha de modo a reduzir Esta operação provocaria o capotamento
ao mínimo a formação de ondas. Não ultra- do veículo. Recuar no trecho em inclina-
Nota passar a velocidade de 8 km/h. ção procedendo com o máximo cuidado,
Se tiver de atravessar cursos de água cor- colocando a alavanca de câmbio na posi-
rente, evitar fazê-lo se a profundidade for Condução com neve/ lama/areia
ção de marcha a ré. Não percorrer uma
superior a 22 cm. Na presença de uma espessa camada de inclinação em descida com o câmbio em
neve, lama ou areia, se se estiver transpor- ponto morto e apenas com o uso do freio.
A esse propósito, sugerimos consultar a Rede tando uma carga ou se pretender ter melhor
de Assistencia Jeep sobre a disponibilidade controle do veículo a baixas velocidades, en-
de instalação de acessórios específicos para gatar uma marcha baixa e, se necessário, se- Antes de enfrentar uma subida, verificar as
a transposição de locais alagados. lecionar a modalidade do sistema 4WD ade- condições do topo e/ou do outro lado. An-
Nota quada ao terreno em questão atuando no dis- tes de enfrentar uma subida com forte inclina-
positivo Selec-Terrain™. ção, colocar as mudanças numa marcha mais
Aumentar o regime do motor até causar
baixa e selecionar a modalidade 4WD LOW.
um excesso de rotações pode provocar a Para manter a direção do veículo, não reduzir
patinação das rodas e a perda da tração. a marcha mais do que o necessário.

255
Em subidas particularmente acentuadas, en- lerar e manter a marcha constante virando Após a condução em trechos fora de es-
gatar a 1ª marcha e selecionar a modalidade lentamente as rodas dianteiras para a es- trada
4WD LOW. querda e para a direita. Esta manobra fa-
vorece a aderência e assegura a tração ne- ADVERTÊNCIA
Nota cessária para completar a subida.
Se o veículo desligar, ou perder força mo- A presença de material abrasivo nos
triz numa colina acentuada, engatar o mais Condução em descida freios pode provocar um desgaste
rapidamente possível a marcha a ré, pro- Colocar uma marcha baixa e o sistema 4WD excessivo ou comprometer o seu correto
curando retomar "motricidade/ aderência" na modalidade 4WD LOW ou selecionar o funcionamento.
às rodas, evitando tanto quanto possível sistema HDC. Se o veículo tiver sido conduzido em ambi-
intervenções bruscas nos freios e no vo- entes particularmente poeirentos, mandar
Deixar que o veículo desça lentamente ao
lante e mantendo uma trajetória adequada. verificar os freios e limpá-los, se necessá-
longo da inclinação e que as quatro rodas
Recuar lentamente em descida, mantendo rio.
sintam a ação de frenagem do motor. Deste
sob controle a velocidade do veículo ape-
modo, será possível manter sob controle a
nas com a ação do freio do motor. Se, para
velocidade e a direção do veículo. Os percursos fora de estrada sujeitam o veí-
manter o controle do veículo, for necessá-
rio recorrer aos freios, aplicar uma pressão Quando se percorrem descidas em monta- culo a solicitações superiores àquelas a que
gradual e evitar bloquear ou fazer patinar nhas, a ação repetida nos freios pode provo- estaria sujeito em estradas normais.
as rodas. car o seu sobreaquecimento até comprome- Depois de efetuar um percurso fora de es-
ter totalmente a eficácia da ação de frenagem. trada, certificar-se de que o veículo não so-
Nota Evitar, se possível, frenagens bruscas ou re- freu danos. Em particular, verificar o seguinte:
Nunca proceder na diagonal em trechos petidas reduzindo as velocidades.
em subida ou em descida, trafegue sem- ● Inspecionar cuidadosamente a parte da
pre em direção retilínea. Se as rodas per- carroceria do veículo. Verificar os pneus,
derem aderência enquanto estiver se apro- a estrutura da carroceria, a direção, as
ximando do topo de uma subida, desace-

256
suspensões e o sistema de descarga para vibrações, certifique-se de que nas rodas
detectar eventuais danos. não ficam presos corpos estranhos que ADVERTÊNCIA
poderiam comprometer o seu equilíbrio. A FCA FIAT CHRYSLER AUTOMÓVEIS
● Inspecionar o radiador para identificar
BRASIL LTDA não se responsabiliza pela
eventuais resíduos de lama e/ou detri-
garantia de peças e acessórios não genuí-
tos: se presentes, removê-los. GANCHO DE REBOQUE nos instalados no veículo.
● Certificar-se de que os elementos de fi- REBOQUE DE ATRELADOS
xação (parafusos, cavilhas) dos compo- A instalação inadequada de peças e aces-
nentes da transmissão, da direção, das sórios pode acarretar danos à carroceria,
ADVERTÊNCIA
suspensões e do chassis não estão desa- não sendo passíveis de cobertura de ga-
O sistema ABS com que o veículo está
pertados: se estiverem, dirigir-se à Rede rantia.
equipado não controla o sistema de frena-
de Assistência Jeep. gem do reboque.
● Certificar-se de que não permaneçam en- Nota
Assim, é necessário ter um cuidado espe-
roscadas plantas ou arbustos: de fato, Para o reboque de atrelados, o veículo deve
cial em superfícies escorregadias.
poderiam incendiar-se ou provocar even- ter um gancho de reboque homologado e
tuais danos nas tubulações, nas guarni- um sistema elétrico adequado. A instala-
ções e no eixo de transmissão. ção deve ser efetuada por pessoal especi-
ADVERTÊNCIA
● Após uma utilização prolongada em ter- alizado.
Nunca modificar o sistema de frenagem
renos lamacentos, arenosos, com cursos
do veículo para o comando do freio do Nota
de água ou similares, verificar e limpar o
reboque. Montar eventualmente espelhos retroviso-
mais rapidamente possível o radiador, a
ventoinha, os discos e as pastilhas dos res específicos e/ou suplementares respei-
O sistema de frenagem do reboque deve
freios, as condições dos pneus. tando a legislação vigente.
ser completamente independente do sis-
● Se, após a utilização em terrenos lama- tema hidráulico do veículo.
centos, lodosos ou similares, se sentirem

257
Nota a velocidade máxima não deve ultrapassar
Recordar que o reboque de um atrelado re- os 100 km/h.
duz a possibilidade máxima de um veículo
para superar aclives, aumenta os espaços Nota
de frenagens e os tempos para uma ultra- Um eventual freio elétrico ou outro (por ex.
passagem sempre em relação ao peso to- guincho elétrico, etc.) deve ser alimentado
tal do mesmo. diretamente pela bateria através de um
cabo com seção não inferior a 2,5 mm2.
Nota
Nos percursos em descida, engate uma Nota
marcha baixa, em vez de usar constante- Além das derivações elétricas é admitido
mente o freio. ligar ao sistema elétrico do veículo só o
cabo para a alimentação de um eventual
Nota freio elétrico e o cabo para uma lâmpada de
O peso que o reboque exerce no gancho iluminação interna do atrelado com potên-
de reboque do veículo, reduz em iguais cia não superior a 15 W. Para as conexões
valores a capacidade de carga do próprio utilizar a central pré-instalada com cabo da
veículo. Por uma questão de segurança bateria com seção não inferior a 2,5 mm2.
e para não ultrapassar o peso máximo
rebocável, é necessário ter em conta o Nota
peso do reboque em plena carga, incluindo A utilização de cargas auxiliares diferentes
os acessórios e as bagagens pessoais. das luzes externas (por ex. freio elétrico,
guincho elétrico, etc.) deve ser realizada
Nota com o motor ligado.
Respeitar os limites de velocidade para os
veículos com atrelados. Em todo o caso,

258
Pontos de fixação do engate de reboque
O reboque deve ser instalado utilizando a predisposição original no veículo para receber o dispositivo.
Na ilustração estão os pontos de fixação que devem ser sempre respeitados na instalação posterior do dispositivo de reboque.

VISTA POSTERIOR VEÍCULO

VISTA INFERIOR
VEÍCULO

Pontos de ancoragem reboque/guincho


Pontos de
ancoragem
VISTA LATERAL VEÍCULO reboque/
guincho

Pontos de ancoragem reboque/guincho

259
Utilização de guinchos
O conjunto de suporte e guincho pode ser
instalado no veículo a critério do proprietá-
rio. Se for necessária a sua utilização, há um
local apropriado na parte traseira do veículo,
utilizando a mesma predisposição para o re-
boque, para receber o dispositivo. Para uma
devida instalação do dispositivo de suporte e
guincho é necessário desmontar e montar pe-
ças do veículo, dessa forma, é necessário co-
nhecimento técnico e ferramentas especiais.

ADVERTÊNCIA
Para instalação posterior do dispositivo de
suporte e guincho, procure sempre a Rede
de Assistência Jeep.
Respeite os dados constantes nas ins-
truções de montagem/instalação do fabri-
cante do suporte e guincho. Em caso
de instalação incorreta do dispositivo, há
risco de acidente.

260
5
EM CASO DE EMERGÊNCIA
SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS . . . . . . . . . . . . . . . . 265
PROCEDIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 265
INDICAÇÕES GERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 265
TIPOS DE LÂMPADAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 265
Tipos de lâmpadas presentes no veículo . . . . . . . . . . 267
SUBSTITUIÇÃO DE UMA LÂMPADA EXTERNA . . . . . . 269
Grupo óptico dianteiro superior . . . . . . . . . . . . 269
Grupo óptico dianteiro superior . . . . . . . . . . . . 270
Grupo óptico dianteiro inferior . . . . . . . . . . . . . 270
Indicadores de direção laterais . . . . . . . . . . . . . 271
Grupo óptico traseiro superior . . . . . . . . . . . . . 273
Grupo óptico traseiro inferior . . . . . . . . . . . . . . 275
Terceira luz de freio (brake light) . . . . . . . . . . . . 277
Luzes de placa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
SUBSTITUIÇÃO DE UMA LÂMPADA INTERNA . . . . . . 278
Luz interna dianteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 278
Luz do espelho de cortesia no para-sol . . . . . . . . 278
Luz do porta-luvas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 279
Luz interna traseira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 280
Luz do porta-malas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 280

261
FUSÍVEIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 281
GENERALIDADES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 281
Pinça de extração dos fusíveis . . . . . . . . . . . . . 282
ACESSO AOS FUSÍVEIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO COMPARTIMENTO DO
MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284
Desbloqueio do parafuso de fixação e
desmontagem da tampa da central dos
fusíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284
Montagem da tampa da central dos fusíveis e
bloqueio do parafuso . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284
Central porta-fusíveis no polo positivo da
bateria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284
Fusíveis na central do compartimento do motor . . . . . 286
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO PAINEL DE
INSTRUMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289
Fusíveis na central do painel de instrumentos . . . . . . . 290
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO PORTA-MALAS . . . . . 292
Localização da central do porta-malas . . . . . . . . . . . 293
Fusíveis na central do porta-malas . . . . . . . . . . . . . 293
TROCA DE PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 295
PROCEDIMENTOS PARA SUBSTITUIÇÃO . . . . . . . . . 295
Indicações gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 295
Bolsa porta-ferramentas . . . . . . . . . . . . . . . . 297
Informações importantes sobre o macaco . . . . . . 299

262
REMONTAGEM DA RODA DE UTILIZAÇÃO
NORMAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 302
Versões com rodas de aço . . . . . . . . . . . . . . . 302
Versões com roda de liga leve . . . . . . . . . . . . . 302
Após a operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 302
PARTIDA DO MOTOR COM BATERIA AUXILIAR . . . . . . . 303
PARTIDA DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . 303
PARTIDA COM BATERIA AUXILIAR . . . . . . . . . . . . . 303
Ligação dos cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 304
Retirada dos cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 305
PARTIDA COM MANOBRAS DE INÉRCIA . . . . . . . . . 306
SISTEMA DE CORTE DE COMBUSTÍVEL . . . . . . . . . . . 306
GENERALIDADES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 306
Procedimento para restabelecer o correto
funcionamento do veículo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307
REABASTECENDO EM SITUAÇÃO DE
EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308
PROCEDIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308
SE O MOTOR SUPERAQUECER . . . . . . . . . . . . . . . . 308
PROCEDIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308
ALAVANCA DO CÂMBIO AUTOMÁTICO . . . . . . . . . . . 308
DESTRAVAMENTO DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . 308
RETIRADA DE EMERGÊNCIA DA CHAVE DE
IGNIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 310

263
REBOCANDO O VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 311
SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . 311
Reboque do veículo - condições gerais . . . . . . . . . . 312
VERSÕES COM TRAÇÃO DIANTEIRA (FWD) . . . . . . . . 313
Versões com câmbio manual . . . . . . . . . . . . . . 313
Versões com câmbio automático . . . . . . . . . . . 313
VERSÕES COM TRAÇÃO INTEGRAL (4WD) E CÂMBIO
AUTOMÁTICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313
REBOQUE DO VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313
ENGATE DO ANEL DE REBOQUE . . . . . . . . . . . 313
Dianteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 314
Traseira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 314
EXTINTOR DE INCÊNDIOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 315
RECOMENDAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 315

264
SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS ADVERTÊNCIA
a localização dos fusíveis, consultar "Fu-
PROCEDIMENTOS síveis” neste capítulo.
As lâmpadas halógenas devem ser manu-
seadas tocando exclusivamente na parte Nota
ADVERTÊNCIA metálica. Se o bulbo transparente entrar Quando o clima é frio ou úmido ou após
Modificações ou reparações do sistema em contato com os dedos, isto reduz a in- chuva forte ou lavagem, a superfície dos
elétrico realizadas fora da Rede Assisten- tensidade da luz emitida e pode também faróis ou das luzes traseiras pode emba-
cial Fiat , de modo incorreto e sem ter em prejudicar a duração da lâmpada. çar e formar condensação no interior das
consideração as características técnicas lentes. Trata-se de um fenômeno natural
Em caso de contato acidental, esfregar a
do sistema podem causar anomalias de devido à diferença de temperatura e umi-
lâmpada com um pano com álcool e deixar
funcionamento e perigo de queimaduras. dade entre o interior e o exterior da lente
secar.
que, no entanto, não indica uma anoma-
Risco de incêndio.
lia e não compromete o normal funciona-
INDICAÇÕES GERAIS mento dos dispositivos de iluminação. A
● Antes de substituir uma lâmpada verifique condensação desaparece alguns minutos
ADVERTÊNCIA que os respectivos contatos não estejam após o acendimento dos faróis, a partir do
As lâmpadas halógenas contêm gás sob oxidados. centro do refletor, estendendo-se progres-
pressão. sivamente para as bordas.
● Substituir as lâmpadas queimadas por
Em caso de ruptura, é possível a projeção outras do mesmo tipo e potência.
de fragmentos de vidro. TIPOS DE LÂMPADAS
● Depois de substituir uma lâmpada dos
No veículo estão instaladas as seguintes lâm-
faróis, verificar sempre a sua correta ori-
padas:
entação.
● Quando uma lâmpada não funciona, an-
tes de substituí-la, certificar-se de que o
fusível correspondente está íntegro: para

265
Lâmpadas totalmente de vidro (tipo A): es-
tão inseridas à pressão. Para extraí-las é ne-
cessário puxar.
Lâmpadas de baioneta (tipo B): para extraí-
las do respectivo casquilho, empurrar o bulbo,
girá-lo no sentido anti-horário e depois extraí-
lo.
Lâmpadas halógenas (tipo C): para remover
a lâmpada, girar o conector de lado e extraí-lo.
Lâmpadas halógenas (tipo D): para remover
a lâmpada, girá-la no sentido anti-horário,
Lâmpadas com descarga de gás xênon
(tipo E): para remover a lâmpada, dirigir-se à
Rede de Assistência Jeep.

266
Tipos de lâmpadas presentes no veículo
Lâmpadas Tipo Potência

Luzes de posição dianteiras/Luzes diurnas (D.R.L) P21/5W 21/5W

Luzes de posição traseiras P21W 21W

Faróis altos/baixos (halógenos) H4 60/55W

Faróis altos/baixos (com descarga de gás xênon)) D5S 25W

Indicadores de direção dianteiros PY21W 21W

Indicadores de direção laterais no espelho retrovisor externo WY5W 5W

Terceira luz de freio (brake light) LED _

Luzes de placa W5W 5W

Faróis de neblina H11 55W

Luzes traseiras de neblina W16W 16W

Luz de marcha a ré W16W 16W

Luzes internas dianteiras W5W 5W

Luzes dos espelhos de cortesia (para-sóis) W5W 5W

Luz interna traseira (versões sem teto solar) W5W 5W

267
Lâmpadas Tipo Potência

Luzes internas traseiras (versões com teto solar) W5W 5W

Luz do porta-malas W5W 5W

Luz do porta-luvas W5W 5W

268
SUBSTITUIÇÃO DE UMA LÂMPADA
EXTERNA
Grupo óptico dianteiro superior
- Faróis altos/baixos (halógenos):
Para substituir a lâmpada, proceder como
indicado a seguir:

● Operando pelo interior do compartimento


do motor, remover a tampa A atuando na
respectiva lingueta.

● Remover, extraindo-o para fora, o grupo


da lâmpada e do casquilho C desligando- ● Instalar o novo grupo da lâmpada e do
o do conector D; casquilho, certificando-se de que está
corretamente travado.
● Em seguida, inserir o grupo da lâmpada
e do casquilho no interior da respectiva
sede, certificando-se de que está corre-
tamente travado.

Nota
Efetuar a operação de substituição da
lâmpada apenas com o motor desligado.
● Puxar o grupo da lâmpada e do casquilho Certificar-se ainda de que o próprio
B e, em seguida, extraí-lo para fora.

269
motor está frio, para evitar o perigo de ● Girar no sentido anti-horário (no disposi-
queimaduras. tivo esquerdo) ou no sentido horário (no
dispositivo direito) e remover os grupos
Grupo óptico dianteiro superior da lâmpada e do casquilho: D = luzes de
- Faróis altos/baixos com descarga de xênon: posição/luzes diurnas (D.R.L.), E = indica-
Para a substituição destas luzes, dirigir-se à dores de direção.
Rede de Assistência Jeep.

Grupo óptico dianteiro inferior


Contém as lâmpadas das luzes de posi-
ção/luzes diurnas (D.R.L.), dos indicadores
de direção e dos faróis de neblina.
- Luzes de posição/luzes diurnas (D.R.L.) e ● Remover os conectores elétricos C.
indicadores de direção dianteiros:
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

● Virar completamente as rodas.


● Utilizando a chave adequada, desapertar ● Substituir a lâmpada queimada: para ex-
os parafusos A e remover a tampa B. trair a lâmpada, pressionar delicadamente
(1 - fig. seguinte) e, ao mesmo tempo,
girá-la no sentido anti-horário (2).

270
- Faróis de neblina:
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

● Virar completamente as rodas.


● Utilizando a chave adequada, desapertar
os parafusos A e remover a tampa B.

● Inserir a nova lâmpada, pressionado e ● Girar no sentido horário o grupo lâmpada-


girando no sentido horário, assegurando- casquilho E e, em seguida, substituir a
se do correto travamento. lâmpada.
● Em seguida, inserir os grupos da lâm- ● Inserir o novo grupo lâmpada/casquilho,
pada e dos casquilhos no interior das certificando-se do correto travamento.
respectivas sedes e girá-los no sentido ● Voltar a ligar o conector elétrico.
anti-horário (lado direito) e no sentido ho-
● Por fim, voltar a montar a tampa B, aper-
rário (lado esquerdo), certificando-se de
tando a fundo os parafusos de fixação A.
que está corretamente travado. ● Atuando na lingueta C, remover o conec-
● Voltar a ligar os conectores elétricos. tor elétrico D. Indicadores de direção laterais
● Por fim, voltar a montar a tampa B, aper- - Indicadores de direção laterais nos espelhos
tando a fundo os parafusos de fixação A. retrovisores externos (se equipado):

271
Nota ● Remover a lâmpada C desprendendo-a
O procedimento é descrito a título indica- do casquilho D.
tivo. Para a substituição da lâmpada, é
aconselhável dirigir-se à Rede de Assistên-
cia Jeep.

Para substituir a lâmpada, proceder como


indicado a seguir:

● Remover a calota A do espelho retrovi-


sor externo, atuando como indicado na
figura.
● Atuando no ponto indicado pela seta,
remover o grupo transparente B.
● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de
que está corretamente travada.
● Remontar o casquilho D no grupo trans-
parente B.

272
certificando-se de que está corretamente
travado.

Grupo óptico traseiro superior


Contêm as lâmpadas das seguintes luzes:

● Luzes de freio
● Indicadores de direção

Para substituir as lâmpadas, proceder do se-


guinte modo:

● Abrir a tampa do porta-malas.


● Atuando no ponto indicado pela seta, ● Desapertar o dispositivo de fixação B.
remover a tampa A. ● Desligar o conector elétrico atuando no
dispositivo C.

● Por fim, remontar corretamente a


calota A do espelho retrovisor externo,
273
● Remover o grupo óptico traseiro, ● Desapertar os quatro parafusos de fixa- ● Substituir a lâmpada em questão: E / G =
extraindo-o para fora como indicado na ção D e remover o grupo do casquilho. luzes de freio; F = indicadores de direção)
figura seguinte. (as lâmpadas E e G acendem-se sempre
simultaneamente).

274
● Voltar a montar a tampa A, certificando- Grupo óptico traseiro inferior
se do seu correto travamento.
ADVERTÊNCIA
Antes de proceder à substituição das lâm-
padas, aguardar para que se esfriem.
PERIGO DE QUEIMADURAS!

Contêm as lâmpadas das luzes traseiras de


neblina (lado esquerdo) e marcha a ré(lado
direito).
● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
que está corretamente travada. guinte modo:
● Voltar a montar corretamente o grupo ● Utilizando a chave de fenda, desapertar
do casquilho no grupo óptico traseiro, ● Por fim, fechar a tampa do porta-malas.
os parafusos A e B e remover a tampa C.
apertando a fundo os quatro parafusos
de fixação.
● Voltar a posicionar o grupo óptico traseiro
no veículo.
● Apertar a fundo o dispositivo de fixação
do grupo óptico traseiro e voltar a ligar o
conector elétrico.

275
● Girar no sentido horário o casquilho D e
substituir a lâmpada em questão.

● O parafuso superior A é facilmente aces-


sível, enquanto que para desapertar o pa-
rafuso inferior B é necessário inclinar de
forma adequada a chave de fenda, como ● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de
sugerido na figura seguinte. que está corretamente travada.
● Remontar o casquilho na respectiva sede
e girá-lo no sentido horário, certificando-
se do correto travamento.
● Voltar a montar corretamente a tampa C,
apertando os parafusos.

276
Terceira luz de freio (brake light) ● Girar para a direita o porta-lâmpada B,
O brake light possui iluminação a LED. Para a extrair a lâmpada C e substituí-la.
sua substituição, dirigir-se à Rede de Assis-
tência Jeep.

Luzes de placa
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

● Remover a luz de placa A com o auxí-


lio de uma chave de fenda apropriada,
desprendendo-a pela lente.

● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de


que está corretamente travada no casqui-
lho.
● Por fim, voltar a montar os transparentes.

Nota
Para a remoção das luzes de placa, atuar
com a chave de fenda, fornecida, no ponto
indicado anteriormente. Antes de efetuar a
remoção, proteger (por ex. com um pano) a

277
ponta da chave de fenda, para não danificar ● Atuar nas aletas B e remover o grupo do
os próprios grupos do transparente. casquilho C.
● Substituir as lâmpadas D, retirando-as
SUBSTITUIÇÃO DE UMA LÂMPADA para fora.
INTERNA
Luz interna dianteira
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

● Remover o conjunto da luz interna A


atuando nos pontos indicados pelas se-
tas.
● Inserir novas lâmpadas, certificando-se
de que ficam corretamente travadas.
● Remontar o grupo do casquilho C na
respectiva sede, certificando-se de que
está corretamente travado.
● Por fim, remontar o conjunto da luz interna
A na respectiva sede, certificando-se de
que esta corretamente travado.

Luz do espelho de cortesia no para-sol


Para substituir a lâmpada, proceder do se-
guinte modo:

278
● Levantar a cobertura A do espelho e ex- ● Abrir o porta-luvas.
trair a plafoniera B. ● Inserir os dedos no interior da sede ilus-
trada na ffigura seguinte, retirar a lâmpada
e substituí-la.

● Substituir a lâmpada puxando-a da base


e, em seguida, inserir a nova lâmpada,
empurrando-a no conector.
● Remontar a plafoniera B, certificando-se
de que está corretamente travado.
● Por fim, baixar a cobertura A do espelho.

Luz do porta-luvas
Para substituir a lâmpada, proceder como
indicado a seguir:

279
● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de - Versões com teto solar:
que está corretamente travada.
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
● Em seguida, fechar o porta-luvas, guinte modo:
certificando-se do correto travamento.
● Baixar a alça de segurança, atuando no
Luz interna traseira sentido indicado pela seta, remover a
- Versões sem teto solar: plafoniera A.
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

● Atuar no ponto indicado pelas setas e


remover a lente A.
● Substituir a lâmpada W5W. ● Inserir a nova lâmpada, certificando-se de
● Recolocar a lente A. que está corretamente bloqueada entre
os próprios contatos.
● Montar a plafoniera A introduzindo-a na
sua correta posição, primeiro de um lado
e depois pressionando no outro lado até
● Substituir a lâmpada B desprendendo-a ouvir o estalido de travamento.
dos contatos laterais.
Luz do porta-malas
Para substituir as lâmpadas, proceder do se-
guinte modo:

280
● Abrir o porta-malas extrair a plafoniera A FUSÍVEIS
atuando no ponto indicado pela seta. GENERALIDADES
● Abrir a proteção B e substituir a lâmpada.
ADVERTÊNCIA
Nunca substituir um fusível avariado por
fios metálicos ou outro material de recu-
peração.
RISCO DE INCÊNDIO.

ADVERTÊNCIA
● Voltar a montar a plafoniera A na sua cor- Se for necessário efetuar uma lavagem do
reta posição, introduzindo-o primeiro de compartimento do motor, ter cuidado para
um lado e depois pressionando no outro não insistir diretamente com um jato de
lado até ouvir o estalido de travamento. água na central dos fusíveis e nos motores
dos limpadores do para-brisa.
Evite danos aos componentes.

281
ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
No caso de o fusível interromper-se nova- Antes de substituir um fusível, certificar-se
mente, dirigir-se à Rede de Assistência de que se colocou o comutador de ignição
Jeep. em STOP, se retirou a chave, se mecânica,
e que se desligou e/ou desengatou todos
RISCO DE INCÊNDIO.
os acessórios.
Evite danos às instalações elétricas.
ADVERTÊNCIA
Não substituir em caso algum um fusível Pinça de extração dos fusíveis
por outro de capacidade diferente do es- Para substituir um fusível, utilizar a pinça
pecificado. acoplada na tampa da central dos fusíveis do
Extrair a pinça, segurando-a como indicado
PERIGO DE INCÊNDIO. compartimento do motor.
na figura seguinte e, em seguida, retirá-la para
cima.

ADVERTÊNCIA
No caso de intervenção de um fusível
geral de proteção (MAXI-FUSE, MEGA-
FUSE, MIDI-FUSE), contatar a Rede de
Assistência Jeep.
Pessoal especializado corrigirá o inconve-
niente.

282
Para utilizar a pinça, atuar nos pontos indica-
dos pelas setas.

Depois de a ter utilizado, voltar a colocar


a pinça na respectiva sede, procedendo do
seguinte modo:

● Manter a pinça aberta.


● Introduzir a pinça na respectiva sede,
empurrando-a para baixo, até ouvir o es-
talido de travamento efetivo.

283
ACESSO AOS FUSÍVEIS vel é visível na tampa. Depois de ter subs-
Os fusíveis estão agrupados em três centrais tituído um fusível, certificar-se de que se
localizadas no compartimento do motor, por fechou corretamente a tampa B.
baixo do quadro de instrumentos e no interior
Montagem da tampa da central dos fusí-
do porta-malas.
veis e bloqueio do parafuso
● Fixar corretamente a tampa B à caixa,
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO
fazendo-a deslizar completamente de
COMPARTIMENTO DO MOTOR cima para baixo.
A central está situada ao lado da bateria.
● Atuar no parafuso, utilizando a respectiva
Desbloqueio do parafuso de fixação e chave de fenda fornecida.
desmontagem da tampa da central dos ● Girar lentamente o parafuso no sentido
fusíveis ● Girar lentamente o parafuso no sentido horário até encontrar resistência (não for-
● Atuar no parafuso (figura seguinte), utili- anti-horário até encontrar resistência (não çar para além do limite).
zando a respectiva chave de fenda forne- forçar para além do limite). ● Aliviar lentamente o parafuso.
cida.
● Aliviar lentamente o parafuso. ● O fechamento efetivo é assinalado pela
● A abertura efetiva é assinalada pela saída fixação, na respectiva sede, de toda a
de toda a cabeça do parafuso da respec- cabeça do parafuso.
tiva sede.
Central porta-fusíveis no polo positivo da
● Remover a tampa B, fazendo-a deslizar bateria
completamente para cima, como indi- Uma segunda central porta-fusíveis está si-
cado na figura. tuada no polo positivo da bateria. Para ter
● A numeração que identifica o compo- acesso aos fusíveis, atuar nas presilhas A e
nente elétrico correspondente a cada fusí- retirar a tampa B.

284
Para a substituição destes fusíveis, dirigir-se
à Rede de Assistência Jeep.

285
Fusíveis na central do compartimento do motor
FUSÍVEL CORRENTE (A) CIRCUITO DE PROTEÇÃO - UTILIZADORES

F01 70 Alimentação para cargas controladas pelo Body Computer

F02 70 Alimentação para cargas controladas pelo body computer e da caixa de fusíveis do porta-malas

F03 20 Alimentação para cargas controladas pelo body computer

F04 30 Alimentação das válvulas do ABS

F05 70 Alimentação da direção elétrica

F06 30 Alimentação para a 1ª velocidade do radiador

F07 50 Alimentação para a 2ª velocidade do radiador

F08 30 Alimentação +30 para central do câmbio automático e seletor de marchas

F09 10 Alimentação para central de injeção

F10 15 Alimentação da buzina

F11 25 _

F11 10 Alimentação para VVT e sensores sonda lambda para (versão 1.8)

F11 15 Sinal do aquecedor diesel, medidor de massa de ar (MAF), sensor lambda (versão 2.0 Diesel)

F14 10 Blow-by heater

286
FUSÍVEL CORRENTE (A) CIRCUITO DE PROTEÇÃO - UTILIZADORES

F15 40 Alimentação da bomba ABS

F16 10 Alimentação +15 da central de injeção e da central de câmbio automático

F17 10 Alimentação para bobinas de injeção, injetores, central de injeção (versão 1.8 ou 2.0 Diesel)

F17 15 _

F18 20 Alimentação para a tomada de energia traseira

F19 7,5 Alimentação do compressor do ar-condicionado

F20 7,5 Alimentação do sinal do 4X4

F21 15 Alimentação da bomba de combustível

F22 7,5 Alimentação para central de injeção e sensor Camshaft (versão 1.8)

F22 20 Alimentação da central de injeção (versão 2.0 Diesel)

F23 30 Alimentação para o inversor 127 V ou 230 V

F24 15 Alimentação +30 para central câmbio automático

F30 20 Alimentação para a tomada de energia traseira

F81 60 Alimentação "Glow Plug Diesel"

F82 40 Alimentação aquecedor do filtro diesel

287
FUSÍVEL CORRENTE (A) CIRCUITO DE PROTEÇÃO - UTILIZADORES

F83 40 Alimentação para o ar-condicionado

F84 30 Alimentação +30 para transmissão 4X4

F87 5 Alimentação para o seletor de câmbio automático

F89 30 Alimentação para o desembaçador do vidro traseiro

288
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO PAI- Para a substituição dos fusíveis, dirigir-se à
NEL DE INSTRUMENTOS Rede de Assistência Jeep.
A central está situada no lado esquerdo da
coluna de direção e os fusíveis são livremente
acessíveis pela parte inferior do painel de
instrumentos.

289
Fusíveis na central do painel de instrumentos
UTILIZADORES FUSÍVEL AMPERES

Relés T08, T10, T14 F31 7.5

Vidro elétrico dianteiro (lado passageiro) F33 20

Vidro elétrico dianteiro (lado motorista) F34 20

Luzes internas traseiras, alarme, climatizador, passive entry, rádio, comandos do volante, porta USB F36 15

Quadro de instrumentos, sistema 4x4 F37 10

Dispositivo Safe Lock (destravamento da porta do lado do motorista para versões onde previsto)/ destravamento das portas/fechamento centrali-
F38 20
zado/destravamento elétrico da tampa do porta-malas

ABS, direção elétrica F42 7.5

Bomba do lavador do para-brisa/ lavador do vidro traseiro F43 20

Levantador elétrico do vidro traseiro esquerdo F47 20

Levantador elétrico do vidro traseiro direito F48 20

Teto solar/sensor de chuva e crepuscular/blind spot/sistema de estacionamento/estabilizador de tensão F49 7.5

Sistema airbag F50 7.5

Câmera de ré, alarme, seletor de terreno, ajustes das luzes internas, luz de freio auxiliar F51 7.5

Comutador de ignição, alimentação do quadro de instrumentos F53 7.5

290
UTILIZADORES FUSÍVEL AMPERES

Tomada 12 V F94 15

291
CENTRAL PORTA-FUSÍVEIS DO
PORTA-MALAS
Para ter acesso aos fusíveis, atuar no ponto
indicado pela seta e remover a tampa A.

Nota
A configuração da central porta-fusíveis do
porta-malas varia em função dos equipa-
mentos presentes no veículo.

292
Localização da central do porta-malas
Os fusíveis estão situados em uma central localizada no lado esquerdo do porta-malas.

Fusíveis na central do porta-malas


FUSÍVEIS CORRENTE (A) CIRCUITO DE PROTEÇÃO - UTILIZADORES

F2 30 Alimentação do amplificador de áudio

293
FUSÍVEIS CORRENTE (A) CIRCUITO DE PROTEÇÃO - UTILIZADORES

F3 20 Alimentação do teto solar

F4 15 Alimentação do regulador lombar do banco do motorista

F5 30 Alimentação do motor de movimentação do banco do motorista

F6 7,5 Alimentação do motor de ajuste lombar do banco do motorista

F7 30 Alimentação do motor de movimentação do banco do passageiro

F8 20 Alimentação da cortina elétrica do teto solar

294
TROCA DE PNEUS ADVERTÊNCIA ADVERTÊNCIA
PROCEDIMENTOS PARA SUBSTITUI- É extremamente arriscado tentar substituir As características de condução do veí-
ÇÃO uma roda no lado do veículo próximo da culo, com a roda sobressalente montada,
Indicações gerais faixa de rodagem. são alteradas. Deste modo, deve-se evitar
A operação de substituição da roda e o uso acelerações e frenagens violentas, mudan-
Certificar-se de que o veículo esteja sufi-
correto do macaco e da roda sobressalente ças de direção bruscas e curvas a grande
cientemente longe da estrada, para evitar
requerem a observação das seguintes pre- velocidade. A durabilidade média do pneu
ser atingido.
cauções. sobressalente é de 3000 km.
Transcorrida esta quilometragem, o pneu
ADVERTÊNCIA deve ser substituído pelo original ou por
ADVERTÊNCIA outro sobressalente com as mesmas ca-
Se deixados no habitáculo, a roda com o
Assinalar a presença do veículo parado racterísticas do que guarnece o veículo.
pneu furado e o macaco constitui um sério
segundo as disposições vigentes: luzes de
perigo para a segurança dos ocupantes
emergência, triângulo de sinalização, etc.
em caso de acidentes ou de frenagens
As pessoas a bordo devem sair do veículo,
bruscas. ADVERTÊNCIA
esperando que se efetue a substituição e
A roda fornecida é específica para o veí-
afastando-se do perigo do tráfego. Por esse motivo, voltar a colocar sempre,
culo: não utilizá-la em um veículo de mo-
quer o macaco quer a roda com o pneu
Em qualquer condição de estrada deve-se delo diferente nem utilizar rodas sobres-
furado, no respectivo alojamento.
utilizar os calços embaixo das rodas. salentes de outros modelos no veículo. A
roda sobressalente só deve ser utilizada
em caso de emergência. A sua utilização
deve ser reduzida ao mínimo indispensá-

(continuação)

295
ADVERTÊNCIA (continuação) ADVERTÊNCIA (continuação) ADVERTÊNCIA (continuação)
vel e a velocidade não deve ultrapassar a de outros modelos ou objetos diferentes. introduzir ferramentas de qualquer espé-
velocidade de 80 km/h, indicada na pró- Em nenhum caso utilizá-lo para operações cie entre a roda e o pneu.
pria roda conforme o modelo/versão. de manutenção ou reparação por baixo do
Verificar regularmente a pressão dos
veículo. Nunca se posicionar por baixo do
Na roda sobressalente encontra-se apli- pneus e da roda sobressalente, respei-
veículo elevado.
cado um adesivo com os principais avi- tando os valores indicados no capítulo
sos acerca da utilização da própria roda Caso seja necessário operar por baixo do "Dados técnicos".
e das respectivas limitações de utilização. veículo, dirigir-se à Rede de Assistência
O adesivo não deve de forma alguma ser Jeep. O posicionamento incorreto do ma-
removido nem coberto. Na roda sobressa- caco pode provocar a queda do veículo le- ADVERTÊNCIA
lente nunca se deve aplicar nenhuma ca- vantado: utilizá-lo apenas nas posições in- Não lubrificar as roscas dos parafusos an-
lota de roda. dicadas. Não utilizar o macaco para capa- tes de montar os pneus, pois estes pode-
cidades superiores à indicada na etiqueta rão soltar-se espontaneamente durante a
nele aplicada. utilização do veículo!
ADVERTÊNCIA
Em nenhuma circunstância os parafusos
O macaco é uma ferramenta estudada e
ADVERTÊNCIA devem ser lubrificados.
concebida apenas para a substituição de
uma roda, em caso de furo ou danos no Uma montagem incorreta da calota da
respectivo pneu, no veículo em que é for- roda (se equipado), pode provocar a res- Para substituir a roda, proceder como a se-
necido ou em veículos do mesmo modelo. pectiva separação quando o veículo esti- guir:
Nunca deve ser utilizado de outras formas ver em marcha. É absolutamente proibido
como, por exemplo, para levantar veículos manusear a válvula de enchimento. Não ● Parar o veículo, desligar o motor, en-
gatar 1ª marcha ou marcha a ré (para
(continuação) (continuação) versões com câmbio automático, colo-

296
car a alavanca do câmbio na posição P malas. Para ter acesso à roda sobressa- Nota
(Estacionamento)) e acionar o freio de es- lente, proceder do seguinte modo: Para informações importantes sobre o
tacionamento do veículo. ● Depois de abrir o porta-malas, segurar no conjunto roda e pneus sobressalente,
● Certificar-se de que esteja em uma posi- puxador A e levantar o plano de carga B, consultar o capítulo "Manutenção e
ção que não constitua perigo para o trân- segurando-o com uma mão. cuidados com seu veículo" na seção
sito e permita substituir a roda, atuando "Rodas e Pneus".
com segurança, o mais longe possível da
Bolsa porta-ferramentas
borda da pista da estrada. O terreno deve
A bolsa porta-ferramentas está localizada à
ser compactado, ter superfície plana e
direita da roda sobressalente no porta-malas
firme e não ser escorregadio.
e está fixada através de correias específicas.
● Assinalar a presença do veículo parado
de acordo com as disposições vigentes
(luz de emergência, triângulo, etc.).
● É necessário que as pessoas a bordo des-
çam do veículo e permaneçam à espera
da troca da roda em local seguro, fora do
perigo do trânsito.
● Caso seja obrigado a parar o veículo para ● Retirar a roda sobressalente de sua sede,
a troca da roda ao longo de uma estrada desapertando o dispositivo de fixação (se
inclinada, especialmente se muito acen- necessário, utilizar a chave de roda para
tuada ou em um terreno instável, calçar as retirar o dispositivo de fixação).
rodas do veículo para evitar o movimento.
● Retirar a roda sobressalente do interior do
● A roda sobressalente está situada por porta-malas.
baixo do tapete de revestimento do porta- Para algumas versões, o porta-ferramentas
está localizado debaixo da roda sobressalente
297
com algumas ferramentas acima e à direita do A: o macaco.
estepe. A B: a chave de fenda (em algumas versões está
debaixo do macaco).
C C: o funil adaptador para o reabastecimento
de emergência.
D: o pino para a centragem da roda (se equi-
pado) (deverá ser utilizado a operação de
B montagem da roda sobressalente).
E: a porca especial antifurto (se equipado)
D (deverá ser utilizada na operação de monta-
gem/desmontagem dos parafusos da roda)
(em algumas versões está debaixo do ma-
E caco).
H F: o gancho de reboque.
No interior da bolsa porta-ferramentas ou no
F G: a chave de roda, para a desmonta-
porta-ferramentas, dependendo da versão, gem/aperto dos parafusos da roda e para o
encontram-se: G acionamento do macaco.
H: a chave específica para acionamento de
emergência do teto solar (se equipado).

298
Informações importantes sobre o macaco ● Para isso, posicionar o calço A na parte oportuno que nenhum ocupante perma-
● O macaco não necessita de qualquer re- de trás, na roda diametralmente oposta neça a bordo do veículo.
gulagem. àquela a substituir, para evitar movimen- ● Se o veículo estiver equipado com rodas
● O macaco não pode ser reparado: em tos indesejados do veículo quando este é de liga, em que o cobre-cubo cobre os
caso de avaria, deve ser substituído por levantado do solo; conforme esquema a parafusos, utilizar com muita atenção a
outro genuíno. seguir. chave para desprender o cobre-cubo an-
● Nenhuma ferramenta, além da manivela tes de levantar o veículo.
de acionamento, pode ser montada no ● Antes de levantar o veículo, aliviar, sem
macaco. remover, os parafusos na roda com o
pneu vazio utilizando a chave A. Enquanto
Nota a roda ainda está apoiada no solo, basta
Levantar o veículo até que a roda se eleve rodar os parafusos uma volta no sentido
o suficiente para realizar a retirada e colo- anti-horário.
cação da roda sobressalente.
Nota
● Com o veículo e as pessoas em segu- O levantamento do veículo além do neces-
rança conforme orientado previamente, sário pode torná-lo menos estável: pode
proceder de acordo com as indicações a deslizar do macaco e ferir as pessoas pró-
seguir: ximas. Não levantar o veículo além da al-
● Avisar as pessoas, eventualmente pre-
● Caso seja obrigado a parar o veículo para sentes, que o veículo está prestes a ser le- tura necessária para retirada da roda. Er-
a troca de pneu ao longo de uma estrada vantado: é necessário, portanto, afastar- guer o veículo com o macaco posicionado
inclinada, especialmente se muito acen- se das suas proximidades e, sobretudo, de forma inadequada poderá danificar o
tuada ou em um terreno instável, calçar as ter o cuidado de não lhe tocar até o veí- veículo e , até mesmo, fazer com que ele
rodas do veículo para evitar o movimento. culo ser baixado novamente. É, aliás, caia. Para ajudar a evitar ferimentos pesso-
ais e danos no veículo, assegure-se de que

299
o macaco esteja posicionado no local ade-
quado antes de efetuar o procedimento.

● Levantar o veículo até que a roda se


eleve o suficiente para realizar a retirada
e colocação da roda sobressalente.
● Posicionar o macaco sob o veículo, nos
● Remover os parafusos e a roda (para ver-
pontos indicados junto à roda a substituir.
● Inserir a chave D no hexágono A do ma- sões equipadas com tampão da roda,
caco B e girá-la no sentido horário até in- retirá-la depois de ter aliviado os 4 para-
serir firmemente o suporte do macaco na fusos que a fixam e, por fim, desapertar o
zona de elevação da longarina por baixo último parafuso e extrair a roda).
da porta, tendo o cuidado de manter ali- ● Remover a chave do macaco e inserir o
nhado o próprio suporte com o entalhe in- pino para a centragem no cubo da roda
dicado pelo símbolo no revestimento (em caso de roda de liga) para facilitar a
por baixo da porta. montagem da roda sobressalente.

300
● Certificar-se que a roda sobressalente Nota
está, nas superfícies de contato com o Se for obrigado a fazer a troca de pneu no
cubo, limpa e sem impurezas que pode- interior da faixa de rodagem ou em suas
riam, em seguida, causar o afrouxamento proximidades, prestar a máxima atenção
dos parafusos de fixação. aos veículos em trânsito.
● Montar a roda sobressalente.
Nota
● Instalar e apertar os parafusos sem os Prestar particular atenção, durante a utili-
apertar totalmente. zação da chave para a desmontagem dos
● Se utilizado, remover o pino de alinha- parafusos da roda: pode ter extremidades
mento. pontiagudas.
● Acionar o macaco e baixar completa-
● Reposicionar o macaco, as ferramentas, Nota
mente o veículo.
o calço e o pneu vazio no interior do Certificar-se de que a roda sobressalente
● Apertar os parafusos, passando alterna- esteja montada com a válvula virada para
damente de um parafuso para o oposto, porta-malas, certificando-se do seu cor-
reto travamento. fora. A roda pode ficar danificada se mon-
segundo a ordem numérica ilustrada na tada incorretamente.
figura seguinte. Em caso de dúvidas so- Nota
bre o torque de aperto dos parafusos, Caso o veículo seja equipado com roda Nota
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep. de liga leve, não utilizar o dispositivo de Se o veículo estiver equipado com cobre-
bloqueio, pois o comprimento do parafuso, cubo ou calota, não tentar montá-los na
dimensionado para estepe com roda de roda sobressalente.
chapa de aço, não permite a fixação da Nota
roda de liga leve.
Para evitar lesões em pessoas, o aperto
final dos parafusos só deve ser efetuado
quando o veículo tiver as rodas no solo,
301
para evitar que o próprio veículo caia do seguida, causar o afrouxamento dos pa- ● Através da utilização da chave fornecida,
macaco. rafusos de fixação. apertar os 5 parafusos seguindo a ordem
● Montar a roda de utilização normal e en- anteriormente ilustrada.
Nota
roscar um parafuso em um dos orifícios ● Voltar a inserir o tampão da roda, tendo
Depois de ter percorrido cerca de 40 km,
roscados, sem apertá-lo. o cuidado de orientar bem os três pés de
parar e verificar o correto aperto dos para-
● Montar a calota da roda, fazendo coincidir plástico nas respectivas sedes presentes
fusos.
o furo com a meia-lua e com o parafuso na roda. Prestar atenção para não romper
Nota já enroscado; em seguida, inserir os 4 os próprios pés forçando o tampão.
Na primeira oportunidade, providencie a parafusos restantes.
Após a operação
reparação do pneu furado. Evite rodar com ● Baixar o veículo e retirar o macaco. Proceder do seguinte modo:
a roda sobressalente.
● Através da utilização da chave fornecida,
apertar os parafusos seguindo a ordem ● Colocar o macaco e as outras ferramentas
REMONTAGEM DA RODA DE UTILI- anteriormente ilustrada. na bolsa ou porta-ferramentas, conforme
ZAÇÃO NORMAL a versão, e acomodá-los no porta-malas.
Seguindo o procedimento anteriormente des- Versões com roda de liga leve ● Colocar a roda sobressalente no respec-
crito, levantar o veículo e desmontar a roda ● Certificar-se de que a roda normal está, tivo vão do porta-malas.
sobressalente. Em seguida, voltar a montar a nas superfícies de contato com o cubo,
● Reposicionar corretamente o tapete de
roda de utilização normal procedendo como limpa e sem impurezas que podem, em
revestimento do porta-malas.
descrito a seguir. seguida, causar o afrouxamento dos pa-
rafusos de fixação.
Versões com rodas de aço
● Introduzir a roda no cubo e, utilizando a
● Certificar-se de que a roda normal está, chave fornecida, apertar os parafusos.
nas superfícies de contato com o cubo,
limpa e sem impurezas que podem, em ● Baixar o veículo e retirar o macaco.

302
PARTIDA DO MOTOR COM BA- normas, recomendações e procedimentos
ADVERTÊNCIA
descritos no capítulo "Partida e operação
TERIA AUXILIAR - Start&Stop - Inatividade do veículo". Não se aproximar da ventoinha de arrefeci-
PARTIDA DE EMERGÊNCIA mento do radiador, pois o eletroventilador
A não observância a esse tópico pode acar- pode começar a funcionar e causar lesões.
retar danos ao veículo.
ADVERTÊNCIA Respeite sempre as prescrições desse
Antes de abrir o capô do motor, desligar o manual.
veículo, certificando de que a chave de ig-
nição esteja na posição STOP. Respeitar
o indicado na placa aplicada sob o capô ADVERTÊNCIA
do motor. Quando se encontrarem outras Retirar qualquer objeto metálico (por ex.
pessoas no veículo, aconselha-se extrair anéis, relógios, pulseiras), capaz de pro-
sempre a chave. O veículo deve ser aban- vocar um contato elétrico acidental.
donado sempre depois de ter extraído a
chave ou de a ter girado para a posição Perigo de graves lesões!
STOP.
Durante as operações de abastecimento
de combustível, certificar-se de que o veí-
PARTIDA COM BATERIA AUXILIAR ADVERTÊNCIA
culo está desligado (comutador de ignição A bateria do veículo está localizada no com- As baterias contêm ácido que pode quei-
na posição STOP). partimento do motor, atrás do grupo óptico mar a pele ou os olhos. As baterias geram
esquerdo. hidrogênio, facilmente inflamável e explo-
sivo.
Nota
Para conectar ou desconectar os cabos (continuação)
da bateria, ter especial atenção às

303
de estacionamento e certificar-se de que
ADVERTÊNCIA (continuação) a ignição está desligada.
Assim, não aproximar chamas ou disposi-
tivos que possam provocar faíscas. Nota
Não ligar diretamente os terminais nega-
tivos das duas baterias! Se a bateria au-
Nota
xiliar estiver instalada em outro veículo,
O terminal positivo (+) da bateria está certificar-se de que entre este último e o
protegido por um elemento de proteção. veículo com a bateria descarregada não
Levantá-lo para ter acesso ao terminal. existem partes metálicas acidentalmente
Proceder do seguinte modo: em contato, já que pode criar-se uma li-
gação à massa com o risco de provocar ● Ligar uma extremidade do cabo utilizado
● Acionar o freio de estacionamento, deslo- graves lesões nas pessoas eventualmente para o positivo (+) ao terminal positivo (+)
car a alavanca P (Estacionamento), para presentes nas proximidades. do veículo com a bateria descarregada.
versões equipadas com câmbio automá- ● Ligar uma extremidade do cabo utilizado
tico, ou para ponto morto, para versões Nota para o positivo (+) ao terminal positivo (+)
equipadas com câmbio manual e, em se- Se efetuado de modo incorreto, o proce- do veículo com a bateria auxiliar.
guida, colocar o comutador de ignição na dimento descrito a seguir pode provocar
● Ligar uma extremidade do cabo utilizado
posição STOP. graves lesões a pessoas ou danificar o sis-
para o negativo (–) ao terminal negativo
tema de recarga de um ou de ambos os
● Desligar todos os outros acessórios elé- (–) da bateria auxiliar.
veículos. Seguir criteriosamente as indica-
tricos presentes no veículo. ● Ligar a extremidade oposta do cabo utili-
ções fornecidas a seguir.
● Se utilizar a bateria de outro veículo, esta- zado para o negativo (–) a uma massa do
cionar este último ao alcance dos cabos Ligação dos cabos motor (uma parte em metal do motor
utilizados para a ligação, acionar o freio Para efetuar a partida de emergência, proce- ou da caixa de câmbio com a bateria des-
der como indicado a seguir:

304
carregada) longe da bateria e do sistema Se, depois de algumas tentativas, o motor não
de injeção de combustível. ligar, não insistir inutilmente, mas contatar a A
● Ligar o motor do veículo com bateria auxi- Rede de Assistência Jeep.
liar, deixando-o funcionar alguns minutos Caso seja necessário recorrer frequentemente
em marcha lenta. Em seguida, ligar o à partida de emergência, mandar verificar a
motor do veículo com a bateria descarre- bateria e o sistema de recarga do veículo na
gada. Rede de Assistência Jeep.

Nota
ADVERTÊNCIA Siga as instruções a seguir para conectar o B
Não ligar o cabo ao terminal negativo (–) da engate rápido ao polo negativo da bateria.
bateria descarregada. A faísca resultante
● A - Leve o terminal do engate com a
poderia causar a explosão da bateria e
alavanca aberta até o polo da bateria.
provocar lesões graves.
● B - Pressione firmemente para baixo o
Utilizar exclusivamente o ponto de massa engate até a base do borne.
específico; não utilizar qualquer outra ● C - Feche a alavanca do engate.
parte metálica exposta.
Nota C
Caso o veículo permaneça inativo por mais
Retirada dos cabos
de 10 dias, deve-se desconectar o engate
Uma vez ligado o motor, retirar os cabos,
rápido do polo negativo da bateria para
seguindo a ordem inversa relativamente à
evitar que seja descarregada pela corrente
acima descrita.
stand-by do veículo.

305
PARTIDA COM MANOBRAS DE INÉR- ● A desativação da ventilação do climatiza-
dor. ADVERTÊNCIA
CIA
Depois do impacto, caso se sinta cheiro de
Evitar absolutamente a partida por empurrão, ● Acendimento das luzes de emergência
combustível ou se verifiquem vazamentos
por reboque ou utilizando as descidas. (para desativar as luzes, pressionar o bo-
no sistema de alimentação, não reativar o
tão situado no painel de instrumentos).
Nota s