Você está na página 1de 4

MATERIA: Dentística

DATA: 14/11/17
AULA: 09 AVALIAÇÃO: AP2
ASSUNTO: Acabamento e Polimento
TRANSCRITO POR: Helena Diniz ;p

Acabamento e Polimento
O Acabamento transforma o material de textura rugosa para uma forma mais refinada.
Fazemos uso em variados materiais como ionômero, resina, amalgama, ppr, pt etc. Seria
a remoção das imperfeições mais grosseiras da superfície
No polimento, após o termino do processo de acabamento, nós damos o brilho, pode ser
obtido por: polimento, deposição eletrogalvanica, selante de fossas e fissuras,
vitrificação (?). Existem várias técnicas dependendo do material que se trabalha para
conseguir um melhor polimento dos materiais odontológicos.

Objetivos do acabamento:
- ajuste da oclusão/ponto de contato (desgaste) (eventualmente o profissional tem a
possibilidade de corrigir erros na escultura ou melhorar a escultura, acentuar os
desenhos anatômicos)
- adaptação marginal as vezes temos um sobrecontorno um aumento de volume daquela
região ou na interface dente/restauração no angulo cavossuperficial - esmalte e
restauração no mesmo nível
- recontorno de forma: melhorar o contorno de cuspides, cristas, vertentes ou de uma
vestibular etc (em posteriores e anteriores).
- alisamento das superfícies ásperas.

Para garantia de um acabamento ideal fazemos uso de partículas abrasivas (grossas,


mais duras), podem estar incorporadas na broca ou em outros sistemas como a taça de
borracha ou discos, feltros etc. Alguns sistemas já terão na sua composição essas
partículas.

Polimento
Processo usado para tornar a superfície do substrato lisa e brilhante. No polimento a
superfície q vai revestir o instrumental normalmente são partículas abrasivas também
porem mais finas e com menor dureza do que as do acabamento. Independente dos
materiais em que estaremos trabalhando.
- O polimento é o processo mais refinado que os de acabamento, produz refinamento
das partículas, produz ranhuras tão lisas e finas que não são visíveis as condições
normais.
Partículas grossas -- >>>> finas (refinamento, diminuição das ranhuras)

Objetivos
 Evitar acúmulo de placa bacteriana
 Facilita a higienização (ex: pasta de dente possui abrasivos para dar lisura e
polimento no esmalte)
 Manutenção da integridade do periodonto (menos acumulo de placa, mais
facilidade de higienização)
 Aumento da resistência do material metálico - uma superfície rugosa está mais
ávida a oxidação e corrosão
 Melhora a função mastigatória
 Diminuição do padrão de desgaste das superfícies - uma restauração sem
acabamento algum vai estar áspera, com a mastigação ou fala ela ser uma lixa
para o dente antagonista.
 Reduzir a pigmentação - tudo vai grudar ali com mais facilidade, bactérias,
resíduos alimentares, entao a pigmentação vai ser alterada com o tempo, vai ser
manchado.
 Questão estética - sem o polimento devido a pigmentação, o escurecimento da
restauração vai ferir a estética do paciente.

Processos

Existem duas possibilidades de trabalhar com acabamento e polimento: o corte (broca


multilaminada) e o desgaste (diamantada).

 Corte - instrumentos cortantes ou emprego de qualquer instrumento laminado ex


brocas carbide ou multilaminadas
 Desgaste - remove pequenas partículas do substrato através da ação de
substâncias abrasivas unidas ou coladas a outro cilindro ou disco.

Abrasivo

 Tamanho

De acordo com o tamanho ele vai mudar de características mesmo sendo o mesmo
material, a forma de ação é mudada. Um grande vai ter característica de abrasividade,
de acabamento, uma pequena vai ter ação de polimento.

Exemplos de produtos abrasivos: discos de acabamento, pasta de polimento, de


profilaxia, pasta de dente

 Dureza

Quanto maior a dureza das partículas maior o desgaste do substrato.

(quadro de dureza dos materiais)**

Devido ao grau de dureza do diamante nao utilizamos com a alta rotação, o risco de
exposição pulpar é grande.

 Forma das partículas: um abrasivo quadrado ou esférico por exemplo.

 Velocidade, pressão e lubrificação.


 Partículas de até 10 micrômetros são consideradas partículas finas, de 10 a 100
partículas abrasivas medianas, e grossas acima de 100.até aproximadamente 500.
 Velocidade - em uma maior velocidade haverá mais contato, mais agressividade,
um maior desgaste

 Força de aplicação (pressão) - como se segura a alta ou baixa rotação


 Independente do material em que estivermos fazendo acabamento e polimento é
muito importante q haja uma lavagem de uma etapa pra outra, pra q o primeiro
componente utilizado n atrapalhe na ação do seguinte.

 Pressão leve - a mão não deve fazer força, deve haver delicadeza no acabamento
e polimento. Primeiro ou você vai desgastar muito a sua restauração se você
colocar muita força, ou você vai desgastar o sistema de de acabamento e
polimento sendo utilizado e a terceira possibilidade é gerar um calor muito
grande sobre a superfície, e calor em excesso não é bom nem pro dente nem pra
restauração. Muitas vezes a gente faz lubrificação durante os processos para
reduzir o calor, você tem um veículo aquoso, uma pasta, um gel, as vezes você
pode usar o produto sobre a superfície, você ta dissipando o calor nestas
situações.

Exemplo: o glicerol ajuda a amenizar o calor.

Etapa operatória

Quando a gente termina uma restauração de amalgama ela vai ficar fosca, um aspecto
feio. Fez a restauração, lógico se tiver a restauração alta você não pode deixar o
paciente ir embora, você faz um acabamento na 1° sessão, quando estiver alto
marcamos com o carbono, e fazemos o desgaste com uma broca diamantada e vai
começar a desgastar e tirar só o ponto que foi marcado pelo carbono, repetimos quantas
vezes for necessário, e no final a oclusão ta equilibrada e balanceada, todos no mesmo
tamanho, na mesma posição, porque se tiver os quatro batendo mas essa aqui tiver
batendo mais, sinal que ainda está alto, então você vai desgastando até ficar com as
cúspides regulares, ai o acabamento do polimento do amalgama só pode ser de 48, 124
ou daí pra mais ai ele volta uma semana depois que seja pra você fazer o acabamento
dessa restauração.

Então, o acabamento que vocês fazem no laboratório sempre é melhor que do que vocês
fazem na policlínica, pois normalmente a gente aqui no laboratório não tem saliva ou
umidade, e nem todo professor que pede pra fazer acabamento com o isolamento.

A primeira etapa é usar as brocas, esse tipo de broca multilaminada em baixa rotação de
acordo com o formato você vai escolher o melhor para cada região. Então normalmente
essas pontas mais afiladas a gente usa pra vestibular, p vertente de cúspide porque ela
tem uma área grande e você consegue fazer esse movimento, e as esféricas menores a
gente trabalha evidenciando o sulco principal e o secundário, então a gente precisa usar
as brocas pra fazer um bom acabamento e polimento. O acabamento acaba sendo um
pré polimento, ele começa a tirar as ranhuras, as irregularidades e já alisando um pouco
essa superfície, um alisamento grosseiro, não um alisamento igual o polimento geral.
Depois que a gente usa as brocas a gente vai usar as taças de borracha, específico para
amalgama, a gente sempre passa da cor escura pra mais clara (sempre, em todos os kits),
fazendo a lavagem entre o uso de cada uma. A granulação dessas brocas são diferentes.
Por último podemos pegar uma taça de borracha ou uma escova de Robson, existe um
produto que se chama almagloss, que misturamos um pó rosa com a água e damos um
polimento com ela, ou o pó do óxido de zinco que misturamos com álcool.

A questão da resina composta, como a gente vai usar, vamos usar a mesma coisa a
diferença é que as brocas são diferentes, elas são utilizadas em alta rotação, são os kits
da granulação F e FF, a F é a dourada com o pescoço vermelho e a FF é prateado com o
pescoço amarelo, são brocas mais efetivas. Ai quando batemos o carbono e tá alto,
vamos desgastando.
Por que nao passamos a broca em toda restauração de resina como no amalgama?
Porque o amalgama é mais grosseiro, já a resina quando a finalizamos com o pincel ela
ja fica mais lisa e polida do q com a utilização da broca. O ideal é que a gente nao
utilize broca quanto menos brocas melhor.

*3 diferentes pontas abrasivas para resina composta.

Por último, na resina composta a gente obrigatoriamente tem que passar o disco de
feltro com as pastas de polimento, temos as pastas universais vc passa uma pasta só, ou
coloca no dente ou passa no feltro e vai trocando os discos. Se nós utilizarmos várias
pastas, de granulações diferentes, fazemos a troca de disco a cada pasta. Por último
podemos passar o disco mesmo sem pasta nenhuma pra dar o polimento final.

Nos excessos entre as restaurações o aluno quer passar uma lixa, mas a gente precisa
saber que ela deve ser passada em S, ou corremos o risco de remover o ponto de
contato. A gente pode usar a lâmina 12 de bisturi que só corta na ponta, ai vc vai alí
passa no dente seja anterior ou posterior e passa com ela pela vestibular ou lingual e tira
o excesso lá na cervical, mas não mexe com o ponto de contato, o que é o recomendado.

Interesses relacionados