Você está na página 1de 18

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA – UNIFOR-MG

CURSO DE ESTÉTICA

ANA LAURA RIBEIRO VENANCIO


ANNIELY PORTO MARQUES
DANIELE PEDROSA CORREA
IZABELLA CAMPOS RESENDE
KELLEN KARINY E SILVA
PRISCILA MARIA ALVES

SABÕES E DETERGENTES

FORMIGA-MG
2015
ANA LAURA RIBEIRO VENANCIO
ANNIELY PORTO MARQUES
DANIELE PEDROSA CORREA
IZABELLA CAMPOS RESENDE
KELLEN KARINY E SILVA
PRISCILA MARIA ALVES

SABÕES E DETERGENTES

Trabalho apresentado à disciplina


de Química como requisito parcial
para obtenção de nota.
PROFESSORA: Tânia Aparecida
de Oliveira Fonseca
FORMIGA-MG
2015

Introdução

Ao passar dos anos os homens foram aperfeiçoando técnicas para


tornar o dia a dia melhor, uma delas foi relacionada à higiene, onde o sabão foi
criado. Nota-se pela historia do sabão que o mais antigo em meio a tantos,
como os sabonetes, xampus, cremes dentais e outros. O sabão comum,
produto de higiene originado de folhas, raízes, nozes, frutos e cascas que
formavam espumas que ajudou na lavagem de roupas. Hoje com matérias
primas diferentes o sabão contem ácidos carboxílicos triterpênicos penta
cíclicos e outros. Confere-se neste a química agindo na composição dos
sabões, detergentes e derivados da higiene, os similares entre eles, a
produção, os benefícios para nossa pele e os contra quando o mesmo nos
causam alergias e irritações.
Sabão, um redutor da tensão superficial

Para compreender como atua o sabão, é necessário conhecer o


conceito de tensão superficial, uma propriedade dos líquidos que se relaciona
intimamente com as forças de atração e repulsão entre as moléculas. Quanto
maiores as forças de atração existentes entre as moléculas do líquido, maior
será a tensão superficial. Estas moléculas estarão mais atraídas umas pelas
outras, conferindo ao líquido uma maior viscosidade e uma menor tendência a
esparramar-se.

As moléculas que constituem o sabão possuem característica polar e


apolar (cadeia carbonada: parte apolar da molécula, extremidade - 𝐶00− 𝑁𝑎+ :
parte polar). Estas moléculas, quando entram em contato com líquidos, polares
ou apolares dissolvem-se, interagindo com as moléculas deste líquido. Ocorre,
uma redução do número de interações entre as moléculas do líquido
dissolvente e, como consequência, reduz-se amplamente sua tensão
superficial. Por isso, sabões e detergentes são chamados de substâncias
tensoativas. Como efeito, observa-se que quando coloca sabão em água e
agita a solução, forma-se espuma em sua superfície.

OBSERVAÇÕES: Sabões alcalinos são mais eficientes que os próximos da


neutralidade. Seu poder de limpeza é maior devido ao aumento de interações
que realizam com as sujidades. Por outro lado, a alcalinidade excessiva torna-o
impróprio para a utilização, devido a sua ação cáustica.

O poder espumante de um sabão está ligado diretamente ao efeito


detergente, mas a espuma nem sempre é poder de limpeza. Muitas vezes as
indústrias de produção de sabões podem adicionar espessantes ao produto
final. Essas substâncias reduzem mais ainda a tensão superficial produzida
pelo sabão, aumentando, a produção de espuma. O contrário também é
verificado, certos sabões recebem uma carga de aditivos que reduzem seu
poder espumante (sabões em pó para máquinas de lavar roupa, por exemplo).
A molécula que constitui o sabão pertence à função química, sal; logo,
possui pelo menos uma ligação com característica tipicamente iônica, e,
portanto, polar. Essa polaridade, bem como o tamanho da cadeia carbonada
apolar, possibilita que o sabão se dissolva em substâncias polares e apolares e
até mesmo em ambas simultaneamente. É essa propriedade que atribui ao
sabão seu poder de limpeza.

Observe os desenhos á seguir, que demonstram como atua o sabão nas


sujidades.

Superfície com sujidades.

Colocando apenas água na superfície, não ocorre interação significativa


entre as moléculas de água (polares) e as que constituem a sujeira (geralmente
apolares).

Acrescenta-se sabão à mistura e observa-se a dissolução da sujeira


ocorre devido à formação de ligas intermoleculares entre a sujeira e a parte
apolar da molécula do sabão, hidrofóbica, a parte da molécula de sabão que
não interage com as moléculas de água. Essa falta de afinidade ocorre devido
à pequena possibilidade de interação intermolecular das moléculas da água
com as de substâncias apolares. Os tipos de interação são diferentes.

Observa-se que a parte polar da molécula de sabão, hidrofílica, parte da


molécula que possui afinidade com a água, devido à facilidade de realizar
interações intermoleculares com ela, também começa a interagir com as
moléculas de água (os processos mostrados nessas duas últimas figuras
ocorrem simultaneamente).

O Sabão começa a retirar a sujeira da superfície. Observe que a sujeira


também está presa à superfície por forças de Van Der Walls.

Ocorre a formação de micelas solúveis em água e dessa forma pode-se


eliminar a sujeira da superfície. Observe que, quando realizamos a limpeza de
uma superfície, auxiliamos a atuação do sabão ao esfregarmos a superfície.
Biodegradabilidade do sabão e detergentes

Ambos são produtos biodegradáveis, uma substância que pode ser


degradada pela natureza. Essa possibilidade muitas vezes é confundida com o
fato do produto ser poluente ou não. Ser biodegradável não indica que um
produto não causa danos ao ecossistema, mas, que o mesmo é decomposto
por microrganismos (geralmente bactérias aeróbicas), aos quais serve de
alimento, com facilidade e num curto espaço de tempo.

A ação dos sabões em águas duras

Se desejarmos limpar uma superfície suja com o auxílio de sabão e de


um tipo de água que possua sais de cálcio ou magnésio, verificaremos que a
limpeza será dificultada pela perda de poder tensoativo do sabão. Tais águas,
conhecidas por águas-duras, são assim chamadas por possuírem,
principalmente, sais de cálcio e magnésio14 (𝐶𝑎2+ e 𝑀𝑔2+ ) dissolvidos. Nessas
águas ocorre uma interação entre a molécula do sabão e os sais de cálcio ou
magnésio.

O produto desta reação precipita como um sal insolúvel. É este o fato


que o impossibilita de exercer a função de limpeza. A adição de sabão à água
dura favorece uma reação de substituição de íons sódio ou potássio, existentes
na molécula de sabão, pelos íons de cálcio ou magnésio, existentes na solução
aquosa. Como os sais formados são insolúveis, verifica-se, como efeito, a
formação de um precipitado.

Tensoativos: uma nova classificação


Os tensoativos são as substâncias utilizadas para limpeza mais
conhecidas, práticas, eficazes, seguras e difundidas no mundo. São moléculas
anfifílicas - têm afinidade pela água e óleo - portanto, capazes de diminuir a
tensão interfacial entre estas duas substâncias, permitindo que as mesmas se
misturem.

Sabemos que tanto sabões como detergentes pertencem a um mesmo


grupo de substâncias químicas - os tensoativos. Estas interações reduzem a
tensão superficial do líquido, pois são de natureza diferente das interações
entre as moléculas do líquido.
Existem quatro tipos de tensoativos. Os sabões e os e detergentes
pertencem ao mesmo grupo de tensoativos, chamados de tensoativos
aniônicos.

 Tensoativos Aniônicos

Os tensoativos aniônicos possuem, como grupo hidrófilo, um radical com


carga negativa. Dentre os tensoativos aniônicos encontramos os sabões e os
detergentes comuns

 Tensoativos Catiônicos

Os tensoativos catiônicos possuem como parte hidrofilada da cadeia um


radical com carga positiva, nestes tensoativos quem interage com a água é
uma parte da molécula que possui caráter positivo, ao contrário dos tensoativos
aniônicos. Por suas propriedades germicidas, estes são muito utilizados como
desinfetantes. São produzidos a partir de derivados alquil ou aril do cloreto,
brometo ou sulfato de amônio. Também podem ser obtidos a partir da piridina,
do imidazol e da isoquinolina. Os produtos obtidos são chamados de
quaternários de amônio.
A Figura 4 apresenta a parte hidrófila da estrutura dos detergentes
catiônicos e um composto catiônico muito usado como bactericida. Observe na
figura abaixo um tensoativo catiônico.
Os tensoativos catiônicos não são compatíveis com os aniônicos quando
se deseja um produto de limpeza. Ao formarem parte da composição de um
mesmo detergente, irão interagir e anularão a parte hidrófila perdendo a função
de limpeza. A reação entre os dois compostos irá originar tensoativos
anfóteros.

 Tensoativos Não-Iônicos

Os tensoativos não iônicos não apresentam radicais com cargas


elétricas, interagindo com as moléculas de água por meio de pontes de
hidrogênio. São obtidos a partir de alguns álcoois de cadeia longa ou fenóis
alquilados em reações com epóxidos (Figura 5). São, junto com os tensoativos
aniônicos, os mais adequados para a remoção de sujeira por lavagem, pois, na
água, tanto a superfície das fibras do tecido como as partículas de sujeira são,
em geral, carregadas negativamente.

Os tensoativos não iônicos, por não reagirem com as sujidades, ficam


mais “livres” para interagir com os grupos de hidrofóbicos formadores da
sujeira.

Uma vantagem em relação aos tensoativos catiônicos, facilmente


removidos do meio aquoso por reagirem com grupamentos hidrófilos das
sujidades que apresentam cargas negativas. Interagem pouco com os grupos
hidrofóbicos das moléculas formadoras das sujeiras. Podem ocorrer interações
do tensoativo catiônico com as cargas negativas das fibras dos tecidos, ficando
ele aderido e dando a impressão de que o tecido continua sujo.

Figura 1 - Reação de obtenção de um tensoativo não iônico

Estes tensoativos são mais utilizados em produtos cosméticos devido ao


seu elevado custo de produção.
 Tensoativo Anfótero

São tensoativos que possuem, na mesma molécula, grupos hidrófilos


positivos e negativos. Sua estrutura possui, geralmente, um ânion carboxilato
ligado a uma amina ou cátion quaternário de amônio. Possuem crescente
aplicação em xampus e cremes cosméticos. A Figura abaixo mostra a estrutura
de um tensoativo anfótero.

AS SIMILARIDADES ENTRE SABÕES E DETERGENTES

As Similaridades entre sabões e detergentes

Pertencem a um mesmo grupo de substâncias químicas - os


tensoativos, são redutores de tensão superficial e possuem as características
comuns submetidos à agitação, produzem espuma são utilizados para limpeza.
As características de estrutura molecular possuem, um ponto de
polaridade na molécula - ambos são sais, possuem característica polar e apolar
na mesma molécula, como parte apolar da molécula, grandes cadeias
carbonadas (mais de 8 carbonos). A facilidade de degradação também tem
motivo comum: cadeia carbônica linear. Atuam de forma semelhante, em
relação à limpeza.

DIFERENÇAS ENTRE SABÕES E DETERGENTES

As diferenças encontradas entre os sabões e detergentes

Atuam em águas duras e águas ácidas os detergentes, não perdem sua


ação tensoativa, já os sabões reduzem e podem perder seu poder de limpeza
os sais encontrados em aguas duras tais como os íons, cálcio, magnésio
formado pelas reações dos detergentes não são completamente insolúveis em
água o que permite ao tensoativo sua permanência na solução e possibilidade
de ação. Em águas ácidas, os detergentes são menos afetados por terem
acidez e insolúvel em água, permanecendo, devido ao equilíbrio das reações
químicas, em solução e mantendo sua ação de limpeza.
Sabões com menor poder tensoativo tem menor poder de limpeza que
os detergentes, por possuírem gorduras não saponificáveis, os sabões
agridem menos a pele. Os detergentes quando utilizados para a lavagem de
louças, retiram a gordura natural presente nas mãos, causando o
ressecamento e irritações da pele. A grande vantagem na utilização do sabão
está no fato deste ser sempre biodegradável e de ser produzido a partir de
matéria-prima renovável - os óleos e as gorduras. Observe a reação que ocorre
entre o sabão quando em águas ácidas.

Reação de um detergente quando em águas ácidas.

Reações entre os sabões e cálcio, presente nas águas duras.

Reação entre um detergente e cálcio, presente em águas duras.


Aditivos comuns encontrados em sabões e detergentes

Aparecem em todas as fórmulas de produtos de limpeza agentes


quelantes, como os fosfatos, retiram-se íons de metais que estão presentes na
água e reduzem a ação do sabão ou detergente como os íons cálcio e
magnésio, componentes que tornam a água dura e prejudicam a ação dos
tensoativos aniônicos (sabões e detergentes). Auxiliam na eliminação estes
dois grupos:
- Agentes quelantes: trifosfatos e boratos e Precipitantes: carbonatos,
silicatos e metassilicatos.

O carbonato de sódio e o bicarbonato de sódio são utilizados para


corrigir o pH dos detergentes neutralizando sua acidez natural. Fosfatos como
o trifosfato de sódio auxiliam na redução da acidez da água, para eliminar
odores como anti-sépticos são o bórax (tetraborato de sódio hidratado ) e o
óxido de zinco. Em sabões em pó para máquinas são encontrados clarificantes
ópticos corantes para eliminar manchas enzimas chamadas porteasse de
serina proteínas que catalisam reações específicas, auxiliando assim a
eliminação de substâncias indesejáveis que causam as manchas .

Um agente quelante.
Formação do oxigênio ativo ([O]) a partir do perborato de sódio.

Os fosfatos são os aditivos presentes em maior percentual na


composição dos detergentes, aumentam a eficácia, baratearem o custo do
produto final e serem atóxicos, são, aditivos utilizados na fabricação dos
sabões e detergentes os que causam maiores problemas ao meio ambiente.
Os fosfatos atuam nos mananciais como um verdadeiro adubo que plantas
aquáticas e algas utilizam para seu desenvolvimento. A excessiva reprodução
destas plantas causa uma
eutrofização das águas.

A toxidade dos tensoativos

Pode tornar-se grave, dependendo do grau de intoxicação e do tipo de


produto que a causa. Os sabões, excessivamente alcalinos, irritam a pele, com
uso diário pode, inclusive, causar dermatites. O contato prolongado do sabão
com a mucosa ocular determina lesões graves, e a sua ingestão pode causar
vômitos, cólicas abdominais e diarreia.
Os tensoativos aniônicos como o lauril benzeno sulfonato linear são
mais tóxicos que os sabões, os detergentes aniônicos e os sabões, podem
causar dermatites e irritam a mucosa ocular com maior facilidade. Os sintomas
de ingestão são surgimento de náuseas seguidas por vômitos, cólicas
abdominais e diarreia.
Dentre os surfactantes catiônicos existem alguns com grau de toxicidade
relativamente grande para estes tipos de produto. O Cloreto de
Dimetildiestearilamônio, em testes realizados com ratos por via oral, descobriu
que podem causar distúrbios digestivos, hipotensão, confusão mental, fraqueza
muscular, dificuldade respiratória, podendo levar o indivíduo à morte por
asfixia, precedida por convulsões. Em contato com a pele, deve imediatamente
a lavar com água e sabão. Os surfactantes não iônicos são os menos tóxicos
são os alquiletoxilato,
TENSOATIVOS RESOLVENDO PROBLEMAS ECOLÓGICOS
Tensoativos resolvendo problemas ecológicos

Investindo em pesquisas para encontrar alternativas para produção de


tensoativos biodegradáveis e de menor custo uma pesquisa realizada por J.A.
Costabile da QUIMASA S/A, publicada na revista Cosmetics & Toiletries de
Janeiro/Fevereiro de 1993, chamou a atenção para a possibilidade de obtenção
de um tensoativo não-iônico a partir do farelo de soja. A grande produção de
soja faz seja a principal matéria prima do grão de soja se obtém o óleo e o
farelo de soja, em análise por cromatografia líquida e de absorção atômica, foi
caracterizado como um polímero natural rico em carbono, oxigênio e nitrogênio.

O farelo de soja sofre hidrólise em meio ácido dando origem a


aminoácidos, presentes no farelo de soja podem ser separados por
centrifugação. Se reagirmos o óleo de soja (contém ácido graxo) com os
aminoácidos obtidos da hidrólise teremos tensoativos não iônicos ainda
aproveita-se o farelo e o óleo de soja.

Benefícios dos sabonetes para a pele

Um dos cuidados básicos e constante para manter a pele limpa e


saudável é lava o rosto e corpo com sabonetes adequados para o seu tipo de
pele.

Quando se lava o rosto com sabonete você consegue desobstrui os poros,


dissolver a sujeira e a maquiagem, remover o excesso de oleosidade ainda
retira as células mortas da pele com uma esfoliação leve. Além disso, Prepara
a pele para receber com maior facilidade a hidratação e proteção, com uma
pele limpa evita-se até a formação de cravos e espinhas Usar produtos
específicos para o rosto é fundamental. Dicas de Sabonetes para casa tipo de
pele:

 Sabonete para Pele Oleosa o ideal seria para remover a oleosidade


sujeira e maquiagem sem deixar a pele ressecada, mantem o pH da
pele, preservando a defesa natural, o sabonete não provoca cravos,
desenvolvido para a pele oleosa, reduzindo a oleosidade excessiva e
removendo impurezas. Proporciona uma pele limpa, sem ressecar.
Contém extrato glicólico de calêndula, que possui ação regeneradora e
cicatrizante, com ação antisséptica, emoliente e suavizante.
 Sabonete para pele oleosa ou mista com tendência a acne: regulariza a
secreção sebácea e reduz a oleosidade, formada pela combinação de
ácido salicílico e agentes reguladores da formação do sebo permitindo
uma higiene adaptada às necessidades das peles oleosas.
 Sabonete para pele sensível: possuem suaves agentes de limpeza por
ser uma pele sensível

Utilização dos detergentes

Já o detergente é utilizado na limpeza consegue comunicar com


substâncias polares (água), e apolares (sujeira). Ocorrendo a formação
gotículas de gordura aprisionadas por moléculas do detergente. Assim
elementos como a água e o óleo perdem a capacidade de se manterem
separados. Sempre que possível, evite o uso do detergente, busque
alternativas de limpeza com produtos caseiros e igualmente eficientes, pois o
detergente é derivado do petróleo, que é matéria prima poluente.
Conclusão

A partir deste trabalho concluiu-se que os sabões e detergentes são


tensoativos que se comunica com substancias polar e apolar.

Os sabões apresentam uma desvantagem quando a limpeza é feita com


água que contenha cátions de cálcio, magnésio ,e ferro pois os ânions dos
sabões possam interagir com esses cátions, originando compostos insolúveis ,
que se precipitam e formam a chamada água dura. Dessa forma, os sabões
não conseguem remover a sujeira e a gordura, mas, no entanto é indispensável
para higiene pessoal que nos proporciona sensação de limpeza e bem estar.

Os detergentes tem a vantagem sobre os sabões de que eles nunca


reagem com os cátions da água dura e realizam limpeza independentemente
da água usada, e é utilizado da na limpeza doméstica.
Referências

CHANG, Raymond. Quimica geral: conceitos esseciais. 4 ed. Porto Alegre.


Editora AMGH. 2010.

Beleza e Saúde. Disponível em: <http://belezaesaude.com/lavar-rosto-


diariamente/> Acesso em: 22 mai. 2015

Detergentes, como funcionam e quais alternativas. Disponível em:


<http://www.ecycle.com.br/component/content/article/component/content/article
/63-meio-ambiente/2305-detergente-o-que-e-como-funciona-sintetico-
tensoativo-organico-polar-apolar-gordura-fosfato-eutrofizacao-compostos-
conama-resolucao-ressecamento-pele-agua-dura-irritacoes-alternativas-
bicarbonato-de-sodio-vinagre.html>Acesso em: 23 mai.2015