Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS


DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

PROGRAMA ANALÍTICO

DISCIPLINA HISTÓRIA DO BRASIL IV


Cada Crédito corresponde a 15h/ aula
Profa. Responsável: Vânia Maria Losada Moreira

OBJETIVO DA DISCIPLINA:
A disciplina pretende introduzir o estudo sobre a história do Brasil no período entre 1930
e 1984.

EMENTA:
A Revolução de 30. A Era Vargas. O Estado Novo. A Democratização e os partidos
políticos. O Desenvolvimentismo e sua crise. O Golpe de 64. Os Governos Militares. A
Abertura Política. Redemocratização. Neoliberalismo, integração regional e Globalização
no Brasil.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Unidade I – A Revolução de 1930 e a Era Vargas.


1- A Revolução de 1930 .
2- 2- A Revolução Constitucionalista de 1932.
3- 3- Integralismo e comunismo.
4- 4- O Estado Novo, o populismo e a invenção do trabalhismo.
5- 5- Crise e deposição de Vargas.
Unidade II – Índios, Indigenismo e expansão das fronteiras nacionais
1. Marcha para Oeste
2. O Serviço de Proteção aos Índios e o indigenismo republicano
3. Os índios e o poder tutelar

Unidade III – O período democrático.


1- Os partidos políticos pós 1945.
2. Trabalhismo e populismo
3- A era JK.
4- Governo de João Goulart e Golpe de 1964.

Unidade IV – Da Ditadura Militar à redemocratização


1. O golpe e o Estado autoritário.
3. Estado autoritário e cultura
4. Estado autoritário e oposição

CRONOGRAMA

Aula 1

Apresentação do curso e organização dos seminários

Aula 2

MARTINS, José de Souza. A aliança entre capital e propriedade da terra no Brasil: a


aliança do atraso. In: O poder do atraso. São Paulo: HUCITEC, 1994, pp. 52-92.

FERREIRA, Marieta de M. e SÁ, Surama C. “A crise dos anos 20”. In: FERREIRA,
Jorge e DELGADO, Lucília de Almeida Neves (orgs.). O Brasil republicano – o
tempo do liberalismo excludente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp
387- 415.

Aula 3

CAPELATO, Maria Helena Rolim. “O Estado Novo: o que trouxe de novo?”, in:
FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucília de Almeida Neves (orgs.). O Brasil
Republicano – o tempo do nacional-estatismo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003. pp 107- 143.

LENHARO, Alcir. A pátria como família. In: Sacralização da política. 2 ed. São Paulo:
Papirus, 1986. p. 19-51.

Aula 4

D’ARAUJO. Maria Celina. Estado, classe trabalhadora e políticas sociais. In


FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. O tempo do nacional- estatismo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, vol. 2, pp. 213-239.

VELLOSO, Monica Pimenta Velloso. Os intelectuais e a política Cultural do Estado


Novo. In: FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. O tempo do nacional-estatismo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, vol. 2, pp. 145-179

Aula 5

Filme Xingu, seguido de debate

Aula 6

LIMA, Antônio Carlos de Souza. O governo dos índios sob a gestão do SPI. In: CUNHA,
Manuela Carneiro da. História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das
Letras, 1992. p. 155-172.

SETH, Garfield. As raízes de uma planta que hoje é o Brasil: os índios e o Estado nação
na era Vargas. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, no 39, p. 15-42,
2000.

Aula 7

FLORES, José Manuel. Credo vermelho: índios, comunistas e revolta no sul de Mato
grosso em meados do século XX. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 30, no
61, p. 379-400, maio-agosto 2017.
http://dx.doi.org/10.1590/S2178-14942017000200005

BANIWA, Gersem. A conquista da cidadania indígena e o fantasma da tutela no Brasil


contemporâneo. In: RAMOS, Alcida Rita (org.). Constituições nacionais e povos
indígenas. Belo Horizonte, Humanitas, 2012. p. 206- 227.

Aula 8
Avaliação
Aula 9

MARTINS FILHO, João Roberto. Forças Armadas e política, 1945-1964. In: FEREIRA,
Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O tempo da experiência
democrática – da democracia de 1945 ao golpe civil-militar de 1964. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp.97-126.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves. Trabalhismo, nacionalismo e


desenvolvimentismo. In FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 167-204.

Aula 10

MOREIRA, Vânia Maria Losada. Os anos JK: industrialização e modelo oligárquico de


desenvolvimento rural. In: FEREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida
Neves. O tempo da experiência democrática – da democracia de 1945 ao golpe
civil-militar de 1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 155-194

FERREIRA, Jorge; GOMES, Angela de Castro. O plebiscito: a hora e a vez de João


Goulart. In: 1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014. p. 127-142.

Aula 11

REIS FILHO, Daniel Aarão. O colapso do colapso do populismo ou a propósito de uma


herança maldita. Em: FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história. Rio
de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 319-377.

FICO, Carlos. O golpe de 1964 e o papel do governo dos EUA. In: FICO, Carlos;
FERREIRA, Marieta de Moraes; ARAUJO, Maria Paula; QUADRAT, Samantha
Viz. Ditadura e democracia na América Latina. Balanço histórico e perspectivas.
Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2008, pp. 53-76.

Aula 12

Documentário – O dia que durou 21 anos, de Camilo Galli Tavares

Aula 13

TOLEDO, Caio Navarro de. 1964: o golpe contra as reformas e a democracia. Revista
Brasileira de História. São Paulo, v.24, n. 47, pp.15-28, 2004.

BORGES, Nilson. A doutrina de segurança nacional e os governos militares. In:


FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. O tempo da ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,
vol. 4, pp. 13-42.

Aula 14

ROLLEMBERG, Denise. Esquerdas revolucionárias e luta armada. In: FERREIRA,


Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil Republicano. O tempo da
ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, vol. 4, pp. 207-242

ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares de; WEIS, Luiz. Carro-zero e pau-de-arara: o


cotidiano da oposição de classe média ao regime militar. In: SCHWARCZ, Lilia
Moritz (org). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das
Letras, 1998, n. 4, pp. 319-410.

Aula 15
Avaliação

MÉTODO
Debate sobre os textos;
Aulas expositivas; Seminários; Análises de filmes; Pesquisas individuais e/ou em grupo;

AVALIAÇÃO
Provas escritas (duas, ver cronograma) Seminários
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ABREU, Alzira Alves de et alii. Dicionário histórico, biográfico brasileiro pós 1930. Rio
de Janeiro: Editora FGV/CPDOC, 2001, 5v.
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2001.
FEREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil Republicano. Rio
de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,4 Vols.
MARTINS, José de Souza. O poder do atraso. São Paulo: HUCITEC, 1994, pp. 95-144.
GOMES, Ângela de Castro (Org.). A Invenção do Trabalhismo. São Paulo, Rio
de Janeiro: Vértice/IUPERJ, 1988.
SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Getúlio Vargas a Castelo Branco. 1930/1964. Rio de
Janeiro: Saga, 1969. _____. Brasil: de Castelo a Tancredo. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1988.
WEFFORT, Francisco Correia. O Populismo na Política Brasileira. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1980.

COMPLEMENTAR:
ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e oposição no Brasil (1964-1984) 3 ed.
Petrópolis: Vozes, 1985.
ANTUNES, Priscila Carlos. SNI & ABIN: uma leitura da atuação dos serviços secretos
brasileiros ao longo do século XX. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.
AQUINO, Maria Aparecida de. Censura, imprensa, Estado autoritário (1968-1978).
Bauru: Educ, 1999.
ARAUJO, Maria Paula N. A utopia fragmentada: as novas esquerdas no Brasil e no
mundo na década de 1970. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2000.
ARMANDO FILHO. O Integralismo. São Paulo: Editora do Brasil, 1999. AUGRAS,
Monique. O Brasil do Samba-Enredo. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.
1998.
BENÍCIO, Manuel. O Rei dos Jagunços. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.
BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda. Razões e significados de uma distinção
política. São Paulo: Ed. UNESP, 1995.
BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda. Razões e significados de uma distinção política.
São Paulo: Ed. UNESP, 1995. BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola &
PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. 7 ed. Brasília: Ed. da UnB,
1995.
BOITO JR., Armando (org). O sindicalismo brasileiro nos anos 80. São Paulo: Paz e
Terra, 1991. CALLADO, Carlos. Tropicália, a história de uma revolução musical.
São Paulo: 34, 1997.
CARDOSO, Fernando Henrique e FALETO, Enzo. Dependência e Desenvolvimento na
América Latina: Ensaio de Interpretação Sociológica. Rio de Janeiro: Editora
Guanabara, 1970.
CARDOSO, Mirian Limoeiro. Ideologia do Desenvolvimentismo: Brasil JK. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, 1978.
CAREIRO, Maria Luiza Tucci. Minorias silenciadas: história da censura no Brasil. São
Paulo: Edusp, 2001.
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2001.
CASTRO, Celso. Os militares e a República. Rio de Janeiro: Zahar, 1995. D’ARAÚJO,
Maria Celina et alii. Visões do golpe: a memória militar sobre 1964. Rio de
Janeiro: Relume-Dumará, 1994.
DEL PRIORI, Mary (Org.) História da Criança no Brasil. São Paulo: Contexto,
1998. DOIMO, Ana Maria. A vez e a voz do popular. Rio de Janeiro: Relume-
Dumará, 1995.
FAORO, Raimundo. Os Donos do Poder. Porto Alegre: Globo, 1979.
FAUSTO, Boris. A Revolução de 1930. São Paulo: Brasiliense, 1987.
FERREIRA, Elizabeth F. Xavier. Mulheres, Militância e Memória. Rio de Janeiro:
Fundação Getúlio Vargas, 1996.
FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2001. FICO, Carlos. Versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura
militar. Revista Brasileira de História. São Paulo, v.24, n. 47, pp. 29-60, 2004.
FONTANA, Josep. História: análise do passado e projeto social. Bauru/SP: EDUSC,
1998.
FOOT HARDMANN, F e LEONARDI, V. História da Indústria e do Trabalho no Brasil.
São Paulo: Global, 1982.
FREITAS, Marcos Cezar de (Org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva. São Paulo:
Contexto/USF, 1980.
GOLDENSTEIN, Lídia. Repensando a dependência. São Paulo: Paz e Terra,
1994. GOMES, Ângela de Castro (Org.). Velhos Militantes. Rio de Janeiro:
Zahar, 1988.
GORENDER, Jacob. Combate nas trevas. A esquerda brasileira: das ilusões perdidas à
luta armada. 4 ed. São Paulo: Ática, 1990.
GRAMSCI, Antonio. Poder, política e partido. São Paulo: Brasiliense, 1990. GRAMSCI,
Antonio. Poder, política e partido. São Paulo: Brasiliense, 1990.
IANNI, Octávio. A Luta pela Terra. Petrópolis: Vozes, 1981. IANNI, Otávio. O colapso
do populismo no Brasil. 4 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.
LEFORT, Claude. Pensando o político. Ensaios sobre democracia, revolução e liberdade.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991, 23-36. LINHARES, Maria Yedda (Org.).
História Geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1990. LUSTOSA, Isabel.
História de Presidentes: A República do Catete. Petrópolis: Vozes/Fundação Casa
Rui Barbosa, 1989.
MANTEGA, Guido. A Economia Política Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1984.
MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo. Novos estudos sobre exclusão,
pobreza e classes sociais. 2 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002, pp. 25-47.
MATTOS, Marcelo Badaró. Trabalhadores e Sindicatos no Brasil. Rio de Janeiro: Vício
de Leitura, 2002.
MELLO, João Manoel Cardoso de. O Capitalismo Tardio. São Paulo:
Brasiliense. MELLO, João Manuel Cardoso de. O capitalismo tardio. 2 ed. São
Paulo: Brasiliense, 1998.

MENDONÇA, Sônia Regina de. Estado e Economia no Brasil: Opções de


Desenvolvimento. Rio de Janeiro: Graal, 1985. MORAIS, Fernando. Olga. São
Paulo: Alfa-Ômega, 1985. MOTA, Guilherme. Ideologia da Cultura Brasileira
(1933-1974). São Paulo: Ática, 1985.
NOVAIS, Fernando (Dir.). História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Cia das Letras,
1997. OLIVEIRA, Francisco. Crítica à Razão Dualista, O Ornitorrinco. São
Paulo: Boitempo Editorial, 2003.
ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. 3 ed. São Paulo: Brasiliense,
1985. PRADO, Luiz Carlos Delorme; EARP, Fábio Sá. O “milagre” brasileiro:
crescimento acelerado, integração internacional e concentração de renda (1967-
1973). In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil
Republicano. O tempo da ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,
vol. 4, pp. 207-242.
PREBISCH, Raul. Dinâmica do desenvolvimento latino-americano. Rio de Janeiro:
Fundo de Cultura, 1954. REIS FILHO, Daniel Aarão. O colapso do colapso do
populismo ou a propósito de uma herança maldita. In: FERREIRA, Jorge (org.).
O populismo e sua história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 319-
377.
SADER, Emir. A Transição no Brasil. Da ditadura à democracia?. São Paulo: Atual,
1990.
SCHWARCZ, Lilia Moritz. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na
intimidade. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz (org). História da vida privada no
Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, n. 4, pp.173-244.
SILVA, Francisco Carlos Teixeira. A modernização autoritária: do golpe militar à
redemocratização 1964/1984. In: LINHARES, Maria Yedda. História Geral do
Brasil. 9 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999, pp. 351-384.
SINGER, Paul. Interpretação do Brasil: uma experiência histórica de desenvolvimento.
In: FAUSTO, Boris (org). História Geral da Civilização Brasileira. O Brasil
republicano. Economia e cultura. São Paulo: DIFEL, t. III, v. 4, p.211-245, 1983.
SOSNOWSKI, Saúl; SCHWARTZ (orgs). Brasil: o trânsito da memória. São Paulo:
Edusp, 1994.
SOUZA, M. do C. Campelo de. Estado e Partidos Políticos no Brasil. São Paulo: Alfa-
Ômega, 1976. TAVARES, Maria da Conceição. A política econômica do
autoritarismo. In: SOSNOWSKI, Saúl & SCHWARTZ (org). Brasil: o trânsito da
memória. São Paulo: Edusp, 1994.
TAVARES, Maria da Conceição. Da Substituição de Importações ao Capitalismo
Financeiro. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1972.
TOLEDO, Caio Navarro. 1964: o golpe contra as reformas e a democracia. Revista
Brasileira de História. São Paulo, v.24, n. 47, pp. 13-28, 2004.
VIANA, Luís Werneck. Liberalismo e Sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1978. ZALUAR, Alba. Para não dizer que não falei de samba: os enigmas da
violência no Brasil. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz (org). História da vida privada
no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, n. 4, pp.245-318.

Você também pode gostar