Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO
Curso de Psicologia
Estágio Supervisionado em Formação de Professores

PLANO DE AULA
Data 22/10/2015 – Aula 6

Professores
Turma A: Caroline Machado, Dhimmy Fraga, Enoe Isabela, Luan Gonçalves
Turma B: Camilla Baptista, Patrícia Eiterer, Pedro Neves

Objetivo Geral

Esclarecer a importância da afetividade na relação das auxiliares educativas com as


crianças em seu processo de aprendizagem.

Objetivos Específicos

 Compreender o contexto histórico-econômico-social da criança atual


 Relacionar o conceito de mediação em Vigotsky e a qualidade das interações
sociais que a criança estabelece com a aprendizagem
 Conceituar a afetividade diferenciando-a de emoções e sentimentos, segundo a
teoria de Walllon

Metodologia
- Uso de data-show;
- Uso de vídeo;
- Atividade em grupo.

Bibliografia Básica

GALVÃO, I. As Emoções: Entre o orgânico e o psíiquico. In: ______. Henri Wallon:


uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis: Vozes, 1995. p. 57 -
67.
Tassoni, E. C. M. (2000). Afetividade e aprendizagem: a relação professor-aluno.
Psicologia, análise e crítica da prática educacional. Campinas: ANPED.

Bibliografia Complementar
CASTRO, Lucia Rabello de. Re-visitando a infância contemporânea: passagens,
possibilidades e destinos. In: COLOQUIO DO LEPSI IP/FE-USP, 3, 2001, São Paulo.
Available from:
<http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032
001000300013&lng=en&nrm=abn>. Acess on: 15 Oct. 2015.

IANISKI, G.M. A criança e seu espaço na sociedade contemporânea. In: IX Congresso


Nacional de Educação - EDUCERE e III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia.
PUCPR, 2009. p. 3048 - 3060.

ANEXO

Atividade

Discuta com o seu grupo cada situação apresentada a seguir e procurem refletir sobre
possíveis formas de atuação em cada uma delas.

Situação 1:
“Uma criança do meu agrupamento é muito agressiva com as outras. Está sempre
gritando, arremessando objetos nos colegas, beliscando e mordendo sem um motivo
aparente.”

Situação 2:
“Uma criança do meu agrupamento é excessivamente afetuosa e por vezes até mesmo
atrapalha a realização do trabalho com as outras crianças por exigir abraço, beijo e
’colo’ a todo momento.”

Situação 3:
“Uma criança do meu agrupamento se parece muito comigo na infância! Temos os
mesmos gostos, a aparência é bem semelhante... sempre lembro da minha infância
quando a vejo. Eu sempre a abraço, coloco no colo... é a menininha mais bonita e fofa
da turma!”

Situação 4:
“Tem uma criança do meu agrupamento que não suporto! Ela é cínica, respondona,
birrenta, está sempre reclamando de tudo e pirraçando os colegas... Minha paciência é
sempre menor com ela em relação às outras crianças. Assim, me irrito em várias
situações em que ela está envolvida. Quando ela derruba comida da colher ou deixa cair
o copo na refeição... Céus! Dou logo um grito com a criança, sem nem pensar!”