Você está na página 1de 15

100 Dicas

Para
Escrever
2
100 Dicas Para Escrever

01 Custas só se usa na linguagem jurídica para designar


despesas feitas no processo. Portanto, devemos dizer: "O
filho vive à custa do pai", no singular.

02 Não existe a expressão à medida em que. Ou se usa à


medida que, correspondente a à proporção que, ou se usa
na medida em que equivalente a tendo em vista que.

03 O certo é a meu ver e não ao meu ver.

04 A princípio significa inicialmente, antes de mais nada:


Ex.: A princípio, gostaria de dizer que estou bem. Em
princípio quer dizer em tese. Ex.: Em princípio, todos
concordaram com minha sugestão.

05 À-toa, com hífen, é um adjetivo e significa "inútil",


"desprezível". Ex.: Esse rapaz é um sujeito à-toa. À toa,
sem hífen, é uma locução adverbial e quer dizer "a esmo",
"inutilmente". Ex.: Andava à toa na vida.

06 Com a conjunção se, deve-se utilizar acaso, e nunca


caso. O certo: "Se acaso vir meu amigo por aí, diga-
lhe..."Mas podemos dizer: "Caso o veja por aí...".

07 Acerca de quer dizer a respeito de. Veja: Falei com ele


acerca de um problema matemático. Mas há cerca de é
uma expressão em que o verbo haver indica tempo
transcorrido, equivalente a faz. Veja: Há cerca de um mês
que não a vejo.

08 Não esqueça: alface é substantivo feminino. Ex.: A


alface está bem fresquinha.

3
09 Além pede sempre o hífen: além-mar, além-fronteiras
etc.

10 Algures é um advérbio de lugar e quer dizer "em algum


lugar". Já alhures significa "em outro lugar".

11 Mantenha o timbre fechado do o no plural dessas


palavras: almoços, bolsos, estojos, esposos, sogros, polvos
etc.

12 O certo é alto-falante, e não auto-falante.

13 O certo é alugam-se casas, e não aluga-se casas. Mas


devemos dizer precisa-se de empregados, trata-se de
problemas. Observe a presença da preposição (de) após o
verbo. É a dica para não errar.

14 Depois de ditongo, geralmente se emprega x. Veja:


afrouxar, encaixe, feixe, baixa, faixa, frouxo, rouxinol,
trouxa, peixe etc.

15 Ancião tem três plurais: anciãos, anciães e anciões.

16 Só use ao invés de para significar ao contrário de, ou


seja, com idéia de oposição. Veja: Ela gosta de usar preto
ao invés de branco. Ao invés de chorar, ela sorriu. Em vez
de quer dizer em lugar de. Não tem necessariamente a
idéia de oposição. Veja: Em vez de estudar, ela foi brincar
com as colegas. (Estudar não é antônimo de brincar).

17 Ainda se vê e se ouve muito aterrisar em lugar de


aterrissar, com dois esses. Escreva sempre com o esse
dobrado.

4
18 Não existe preço barato ou preço caro. Só existe preço
alto ou baixo. O produto, sim, é que pode ser caro ou
barato. Veja: Esse televisor é muito caro. O preço desse
televisor é alto.

19 Ainda se vê muito, principalmente na entrada das


cidades, a expressão bem vindo (sem hífen) e até
benvindo. As duas estão erradas. Deve-se escrever bem-
vindo, sempre com hífen.

20 Atenção: nunca empregue hífen depois de bi, tri, tetra,


penta, hexa etc. O nome fica sempre coladinho. Exemplos:
O Sport se tornou tetracampeão no ano 2000. O Náutico
foi hexacampeão em 1968. O Brasil foi bicampeão em
1962.

21 Veja bem: uma revista bimensal é publicada duas vezes


ao mês, ou seja, de 15 em 15 dias. A revista bimestral só sai
nas bancas de dois em dois meses. Percebeu a diferença?

22 Hoje, tanto se diz boêmia como boêmia. Nelson


Gonçalves consagrou a segunda, com a tonacidade no mia.

23 Cuidado: Eu caibo dentro daquela caixa. A primeira


pessoa do presente do indicativo assim se escreve porque o
verbo é irregular.

24 Preste atenção: o senador Luiz Estêvão foi cassado. Mas


o leão foi caçado e nunca foi achado. Portanto, cassar (com
dois esses) quer dizer tornar nulo, sem efeito.

25 Existem palavras que só devem ser empregadas no


plural. Veja: os óculos, as núpcias, as olheiras, os
parabéns, os pêsames, as primícias, os víveres, os afazeres,

5
os anais, os arredores, os escombros, as fezes, as
hemorróidas etc.

26 Pouca gente tem coragem de usar, mas o plural de


caráter é caracteres. Então, Carlos pode ser um bom-
caráter, mas os dois irmãos dele são dois maus-caracteres.

27 Cartão de crédito e cartão de visita não pedem hífen. Já


cartão-postal exige o tracinho.

28 Catequese se escreve com esse, mas catequizar é com z.


Esse português...

29 O exemplo acima foge de uma regrinha que diz o


seguinte: os verbos derivados de palavras primitivas
grafadas com esse formam-se com o acréscimo do sufixo -
ar: análise - analisar, pesquisa - pesquisar, aviso - avisar,
paralisia - paralisar etc.

30 Censo é de recenseamento; senso refere-se a juízo.


Veja: O censo deste ano deve ser feito com senso crítico.

31 Você não bebe a champanhe. Bebe o champanhe. É,


portanto, palavra masculina.

32 Cidadão só tem um plural: cidadãos.

33 Cincoenta não existe. Escreva sempre cinqüenta.

34 Ainda tem gente que erra quando vai falar gratuito e dá


tonicidade ao i, como de fosse gratuíto. O certo é gratuito,
da mesma forma que pronunciamos intuito, circuito,
fortuito etc.

6
35 E ainda tem gente que teima em dizer rúbrica, em vez
de rubrica, com a sílaba bri mais forte que as outras.
Escreva e diga sempre rubrica.

36 Ninguém diz eu coloro esse desenho. Dói no ouvido.


Portanto, o verbo colorir é defectivo (defeituoso) e não
aceita a conjugação da primeira pessoa do singular do
presente do indicativo. A mesma coisa é o verbo abolir.
Ninguém é doido de dizer eu abulo. Para dar um jeitinho,
diga: Eu vou colorir esse desenho. Eu vou abolir esse
preconceito.

37 Outra vez atenção: os verbos terminados em -uar fazem


a segunda e a terceira pessoa do singular do presente do
indicativo e a terceira pessoa do imperativo afirmativo em
-e e não em -i. Observe: Eu quero que ele continue assim.
Efetue essas contas, por favor. Menino, continue onde
estava.

38 A propósito do item anterior, devemos lembrar que os


verbos terminados em -uir devem ser escritos naqueles
tempos com -i, e não -e. Veja: Ele possui muitos bens. Ela
me inclui entre seus amigos de confiança. Isso influi
bastante nas minhas decisões. Aquilo não contribui em
nada com o progresso.

39 Coser significa costurar. Cozer significa cozinhar.

40 Outro verbo danado é computar. Não podemos


conjugar as três primeiras pessoas: eu computo, tu
computas, ele computa. A gente vai entender outra coisa,
não é mesmo? Então, para evitar esses palavrões, decidiu-
se pela proibição da conjugação nessas pessoas. Mas se
conjugam as outras três do plural: computamos,
computais, computam.
7
41 A pronúncia certa é disenteria, e não desinteria.

42 Nas expressões é muito, é pouco, é suficiente, o verbo


ser fica sempre no singular, sobretudo quando denota
quantidade, distância, peso. Ex.: Dez quilos é muito. Dez
reais é pouco. Dois gramas é suficiente.

43 Há duas formas de dizer: é proibido entrada, e é


proibida a entrada. Observe a presença do artigo a na
segunda locução.

44 A palavra dó (pena) é masculina. Portanto, "Sentimos


muito dó daquela moça".

45 Já se disse muitas vezes, mas vale repetir: televisão em


cores, e não a cores.

46 Cuidado: emergir é vir à tona, vir à superfície. Por


exemplo: O monstro emergiu do lago. Mas imergir é o
contrário: é mergulhar, afundar. Veja o exemplo: O navio
imergiu em alto-mar.

47 Dia a dia (sem hífen) é uma expressão adverbial que


quer dizer todos os dias, dia após dia. Por exemplo: Dia a
dia minha saudade vai crescendo. Enquanto que dia-a-dia
é um substantivo que significa cotidiano e admite o artigo:
O dia-a-dia dessa gente rica deve ser um tédio.

48 O correto é dizer deputado por São Paulo, senador por


Pernambuco, e não deputado de São Paulo e senador de
Pernambuco.

49 Descriminar é absolver de crime, inocentar.


Discriminar é distinguir, separar. Então dizemos: Alguns
8
políticos querem descriminar o aborto. Não devemos
discriminar os pobres.

50 A confusão é grande, mas se admitem as três grafias:


enfarte, enfarto e infarto.

51 Outra dúvida: nunca devemos dizer estadia em lugar de


estada. Portanto, a minha estada em São Paulo durou dois
dias. Mas a estadia do navio em Santos só demorou um
dia. Portanto, estada para permanência de pessoas, e
estadia para navios ou veículos.

52 E não esqueça: exceção é com ç, mas excesso é com dois


s.

53 Lembra-se dos verbos defectivos? Lá vai mais um: falir.


No presente do indicativo só apresenta a primeira e a
segunda pessoa do plural: nós falimos, vós falis. Já pensou
em conjugá-lo assim: eu falo, tu fales... Horrível, não é?

54 Todas as expressões adverbiais formadas por palavras


repetidas dispensam a crase: frente a frente, cara a cara,
gota a gota, face a face etc.

55 Outra vez tome cuidado. Quando for ao supermercado,


peça duzentos ou trezentos gramas de presunto, e não
duzentas ou trezentas. Quando significa unidade de massa,
grama é substantivo masculino. Se for a relva, aí sim, é
feminino: não pise na grama; a grama está bem crescida.

56 É freqüente se ouvir no rádio ou na TV os entrevistados


dizerem: Há muitos anos atrás... Talvez nem saibam que
estão construindo uma frase redundante. Afinal, há já dá
idéia de passado. Ou se diz simplesmente Há muito anos...
9
ou Muitos anos atrás. Escolha. Mas não junte o há com
atrás.

57 Cuidado nessa arapuca do português: as palavras


paroxítonas terminadas em -n recebem acento gráfico,
mas as terminadas em -ns não recebem: hífen, hifens;
pólen, polens.

58 Item não leva acento. Nem seu plural itens.

59 O certo é a libido, feminino. Devo dizer: Minha libido


hoje não está legal.

60 Todo mundo gosta de dizer magérrima, magríssima,


mas o superlativo de magro é macérrimo.

61 Antes de particípios não devemos usar melhor nem


pior. Portanto, devemos dizer: os alunos mais bem
preparados são os do 2o grau. E nunca: os alunos melhor
preparados...

62 Atenção: Ele interveio na discórdia, e não interviu.


Afinal, o verbo é intervir, derivado de vir.

63 Essa história de mal com l, e mau com u, até já cansou:


É só decorar: Mal é antônimo de bem, e mau é antônomo
de bom. É só substituir uma por outra nas frases para tirar
a dúvida.

64 Pronuncie máximo, como se houvesse dois s no lugar


do x. (mássimo)

65 Toda vez que disser "É meio-dia e meio" você estará


errando. O certo é: meio-dia e meia. Ou seja, meio dia e
meia hora.
10
66 Não tenho nada a ver com isso, e não haver com isso.

67 Nem um nem outro leva o verbo para o singular: Nem


um nem outro conseguiu cumprir o que prometeu.

68 Toda vez que usar o verbo gostar, tenha cuidado com a


ligação que ele tem com a preposição de. Ex.: A coisa de
que mais gosto é passear no parque. A pessoa de que mais
gosto é minha mãe.

69 Lembre-se: pára, com acento, é do verbo parar, e para,


sem acento, é a preposição. Portanto: Ele não pára de
repetir para o amigo que tem um carro novo.

70 E tem mais: pelo, sem acento, é preposição (contração


da preposição por com o artigo a) e pêlo, com acento, é o
cabelo.

71 E quer mais? Pêra, a fruta, leva acento, só para


diferenciar de uma antiga preposição também chamada
pera. Já o plural dispensa o acento: peras. Dá para
entender? O jeito é decorar.

72 Ainda tem mais uma palavra com acento diferencial:


pôde, terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do
verbo poder. É para diferenciar de pode, a forma do
presente. Então dizemos: Ele até que pôde fazer tudo
aquilo, mas hoje não pode mais. Percebeu a diferença?

73 Pôr só leva acento quando é verbo: "Quero pôr tudo no


seu devido lugar". Mas se for preposição, não leva acento:
Por qualquer coisa, ele se contenta.

11
74 Fique atento: nunca diga nem escreva 1 de abril, 1 de
maio. Mas sempre: primeiro de abril, primeiro de maio.
Prevalece o ordinal.

75 É chato, pedante ou parece ser errado dizer "quando eu


vir Maria, darei o recado a ela". Mas esse é o emprego
correto do verbo ver no futuro do subjuntivo. Se eu vir,
quando eu vir. Mas quando é o verbo vir que está na
jogada, a coisa muda: quando eu vier, se eu vier.

76 Só use quantia para somas em dinheiro. Para o resto,


pode usar quantidade. Veja: Recebi a quantia de 20 mil
reais. Era grande a quantidade de animais no meio da
pista.

77 O prefixo recém sempre se separa por hífen da palavra


seguinte e deve ser pronunciado como oxítona: recém-
chegado de Londres.

78 Não esqueça: retificar é corrigir, e ratificar é


comprovar, reafirmar: "Eu ratifico o que disse e retifico
meus erros.

79 Quando disser ruim, diga como se a sílaba mais forte


fosse -im. Não tem cabimento outra pronúncia.

80 Fique atento: só empregamos São antes de nomes que


começam por consoante: São Mateus, São João, São Tomé
etc. Se o nome começa por vogal ou h, empregamos Santo:
Santo Antonio, Santo Henrique etc.

81 E lembre-se: Seção, com ç, quer dizer parte de um todo,


departamento: a seção eleitoral, a seção de esportes. Já
sessão, com dois s, significa intervalo de tempo que dura
uma reunião, uma assembléia, um acontecimento
12
qualquer: A sessão do cinema demorou muito tempo. A
sessão espírita terminou.

82 Não confunda: senão, juntinho, quer dizer "caso


contrário". E se não, separado, equivale a "se por acaso
não". Veja: Chegue cedo, senão eu vou embora. Se não
chegar cedo, eu vou embora. Percebeu a diferença?

83 Tire esta dúvida: quando só é adjetivo equivale a


sozinho e varia em número, ou seja, pode ir para o plural.
Mas só como advérbio, quer dizer somente. Aí não se
mexe. Veja: Brigaram e agora vivem sós (sozinhos). Só
(somente) um bom diálogo os trará de volta.

84 É comum vermos no rádio e na TV o entrevistado dizer:


"O que nos falta são subzídios". Quer dizer, fala com a
pronúncia do z. Mas não é: pronuncia-se ss. Portanto,
escreva subsídio e pronuncie subssídio.

85 Taxar quer dizer "tributar", "fixar preço". Tachar é


"atribuir defeito", "acusar".

86 E nunca diga: Eu torço para o Flamengo. Quem torce


de verdade, torce pelo Flamengo.

87 Todo mundo tem dúvida, mas preste atenção: 50% dos


estudantes passaram nos testes finais. Somente 1% terá
condições de pagar a mensalidade. Acreditamos que 20%
do eleitorado se abstenha de votar nas próximas eleições.
Mais exemplos: 10% estão aptos a votar, mas 1% deles
preferem fugir das urnas. Quer dizer, concorde com o mais
próximo e saiba que essa regra é bastante flexível.

88 Um dos que deixa dúvidas. Há gramáticos que aceitam


o emprego do singular depois dessa expressão. Mas pela
13
norma culta, devemos pluralizar: Eu sou um dos que
foram admitidos. Sandra é uma das que ouvem rádio.

89 Veado se escreve com e, e não com i.

90 Esse língua portuguesa tem cada uma: tem viagem com


g e viajem com j. Tire a dúvida: viagem é o substantivo: A
viagem foi boa. Viajem é o verbo: Caso vocês viajem, levem
tudo.

91 O prefixo vice sempre se separa por hífen da palavra


seguinte: vice-prefeito, vice-governador, vice-reitor, vice-
presidente, vice-diretor etc.

92 Geralmente, se usa o x depois da sílaba inicial -en:


enxaguar, enxame, enxergar, enxaqueca, enxofre, enxada,
enxoval, enxugar etc. Mas cuidado com as exceções:
encher e seus derivados (enchimento, enchente, enchido,
preencher etc.) e quando -en se junta a um radical iniciado
por ch: encharcar (de charco), enchumaçar (de chumaço),
enchiqueirar (de chiqueiro) etc.

93 Não adianta teimar: chuchu se escreve mesmo é com


ch.

94 Ciclo vicioso não existe. O correto é círculo vicioso.

95 E qual a diferença entre achar e encontrar? Use achar


para definir aquilo que se procura, e encontrar para aquilo
que, sem intenção nenhuma, se apresenta à pessoa. Veja:
Achei finalmente o que procurava. Maria encontrou uma
corda debaixo da cama. Jorge achou o gato dele que fugiu
na semana passada.

14
96 Adentro é uma palavra só: Meteu-se porta adentro. A
lua sumiu noite adentro.

97 Não existe adiar para depois. Isso é redundante, porque


adiar só pode ser para depois.

98 Afim (juntinho) tem relação com afinidade: gostos


afins, palavras afins. A fim de (separado) equivale a para:
Veio logo a fim de me ver bem vestido.

99 Pode parecer meio estranho, mas pode conjugar o


verbo aguar normalmente: eu águo, tu águas, ele água, nós
aguamos, vós aguais, eles águam.

100 (Finalmente, chegamos ao centésimo item). E por


falar nisso, centigrama é palavra masculina: dois
centigramas.

15