Você está na página 1de 117

Conversores CC-CA: Inversores

Teoria Básica de Inversores

Inversores de Onda Quadrada (Inversores SQW)


Inversores Modulados (Inversores PWM)

Eletrônica de Potência 2

Prof. Dr. Carlos Alberto Canesin


Índice

Inversores de onda quadrada (SQW)

 Introdução
 Inversor meia ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor ponte completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Introdução

Generalidades: Conversão de energia CC/CA


iS

+
uE = Inversor uS
-

Fonte primaria Carga


de energía

 Inversores: conversão CC-CA


 Tipicamente se busca obter um sinal senoidal na carga
 Aplicações:
 Alimentação de motores CA
 Sistemas de alimentação ininterrupta (UPS)
 Reatores eletrônicos
 Outros
Introdução

Considerações para o fluxo de energia


iS u
S

+ L
uE = Inversor uL
uS R iS
-
uR
Fonte primaria Carga Carga indutiva
de energía
energia

Um inversor deve
poder trabalhar nos
4 quadrantes

4 1 2 3
Introdução

Considerações para o fluxo de energia

iS iS uM
+ L
+
uE = Inversor uL
uS uM
- uS

Funcionamento
como retificador
Formas de onda com carga RL Introdução
Quando a carga é puramente resistiva, a corrente tem a mesma forma de
onda da tensão;
Com uma carga com características indutivas é necessário fazermos
algumas observações, considerando que a corrente nos interruptores
deverá ser bidirecional

V0

iL

L
V0 R

iL

Excitando uma carga RL com uma forma de onda de tensão quadrada,


a forma de onda da corrente é conforme mostrado na figura acima
Formas de onda com carga RL (II) Introdução
Esta forma de onda de corrente exige que os interruptores
sejam bidirecionais
V0

M1 M3
V0
Vin
iL iL

M4 M2

iM1,
iM2

iM3,
iM4

Corrente negativa
Formas de onda com carga RL (III) Introdução
Para conseguir tal condução de corrente bidirecional, se utilizam diodos

Os MOSFET possuem diodo Com Bipolares e IGBTs é


intrínseco. Não é necessário necessário o diodo em anti-
diodo adicional paralelo (alguns IGBTs já o
possuem encapsulados)

iM

Corrente negativa
Introdução

Especificações básicas de um inversor:


• Capacidade de ajuste da amplitude da tensão de saída
• Possibilidade de ajuste da freqüência da tensão de saída
• Eliminação/redução de harmônicos na tensão de saída

Outras especificações:
• Obtenção de isolamento galvânico
• Minimização de tamanho e peso
• Simplificação do circuito de controle: inversores auto-
oscilantes
• Melhorar as comutações: inversores ressonantes, ou, com
técnicas de comutação não dissipativa
Introdução

Parâmetros característicos de um inversor:

• O sinal de saída idealmente é SENOIDAL


• Distorção do harmônico n:
vn
Dn 
v1
Onde vn é a amplitude do harmônico n

• Distorção Harmônica Total:

v2  v3  ...  vn  ...
2 2 2

THD  ·100
v1
Introdução

Classificação dos Inversores

Alimentação em Tensão (VSI-Voltage Source Inverter)


corrente contínua Corrente (CSI-Current Source Inverter)

Monofásicos
Tensão alternada de
saída Trifásicos

Meia Ponte
Estrutura da etapa
de potência Ponte Completa
Push-Pull

Forma de controle da Onda quadrada (SQW)


estrutura de potência Modulação por Largura de Pulso (PWM)
Ressonantes
Inversores de onda quadrada (SQW)
 Introdução
 Inversor em Meia Ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor em Ponte completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Inversor Meia Ponte

Inversor Meia Ponte: funcionamento básico


Q+
VE/2 on off on off

Q+
Q-
off on off on
uS
VE/2 u
S
Q- V/2
E

-V/2
E

 Tipicamente se utilizam sinais de controle com Razão Cíclica


de 50% e complementares para os interruptores
 A tensão de saída é uma onda quadrada de amplitude VE/2
Inversor Meia Ponte

Inversor Meia Ponte: implementação prática

VE/2
VE/2
Q+
Q+
VE iiS
S

VE/2
Q-
Q- uS
uS
VE/2

• Funcionamento em quatro quadrantes  diodos


• Fonte única CC  divisor capacitivo
• Isolamento  Transformador
Inversor Meia Ponte

Inversor Meia Ponte: formas de onda e esforços


u(
GEQ+
)

u(
GEQ-
)
VE/2
Q+ D+
i u
S
S

VE/2 iS
Q-
D- uS
i(Q
+)

i(D
+)
Carga R-L
u
(
C
EQ
+
)
V
E
Inversor Meia Ponte

Inversor Meia Ponte Assimétrico


uA
VE
Q+
VE C
uS
Q- u u VE/2
A S

-VE/2

 Comportamento equivalente ao Meia Ponte monofásico


 A componente continua da tensão de saída se elimina mediante
uso de capacitor série C
Inversor Meia Ponte

Inversor Meia Ponte: Resumo das características

1) Onda quadrada de saída: alto conteúdo harmônico

2) Amplitude de saída não controlável

3) Freqüência de saída variável

4) A tensão suportada pelos interruptores é o dobro da


amplitude da tensão de saída

5) Os sinais de controle dos interruptores não estão na


mesma massa: circuito de controle complexo (isolado)
Inversores de onda Quadrada
 Introdução
 Inversor meia ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor Ponte Completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Inversor “push-pull”

Inversor “push-pull”

uGE(Q+)
N1

N2 uS uGE(Q-)

VE N1
uS N2
VE·
N1

Q- Q+
Inversor “push-pull”

Inversor “push-pull”: funcionamento básico

u
GE(Q
+)
VEE
V E N
E 1

N
N22 u
GE(Q
-)
N2 -V
V
VE
E
E N
N11
VE
VE N
VE E 1 u
S

Q- Q+

u
C
E(
Q+)
Inversor “push-pull”

Inversor “push-pull”: resumo das características

1) Onda quadrada de saída


2) Topologia com isolamento
3) Os sinais de controle de ambos interruptores estão na
mesma massa: controle simplificado
4) A máxima tensão sobre os interruptores é o dobro da
tensão de entrada VE
5) Qualquer assimetria nos sinais de controle pode levar o
núcleo do transformador à saturação
Inversores de onda Quadrada
 Introdução
 Inversor meia ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor Ponte Completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Inversor Ponte Completa

Inversor Ponte completa

Q1 Q3
Q1 Q
Q333
VVEEE uS

Q2 -V0EE
+V Q4
Q2 Q
Q444

Quatro interruptores: maiores possibilidades de controle


• Interruptores da diagonal Q1-Q4  uS=+VE
• Interruptores da diagonal Q2-Q3  uS=-VE
• Interruptores da parte superior Q1-Q3  uS=0
• Interruptores da parte inferior Q2-Q4  uS=0
Inversor Ponte completa

Inversor ponte completa: funcionamento


Controle sem deslocamento de fase

Q1
Q4 on off on

Q1 Q3 Q2
VE uS Q3 off on off
uS
Q2 Q4 VE

-VE

• Permite manejar o dobro de potência em relação ao meia


ponte, para o mesmo esforço nos interruptores
Inversor ponte completa

Inversor ponte completa

Método de análise alternativo: derivação a partir da meia ponte


v
B

v A v A B
v
A v
AB

VE/2
Q1 Q3
v B

VE/2
Q2 Q4
Componente
fundamental

• Sinais de controle de cada ramo desfasados 180º entre si


Pode-se modificar a amplitude de saída modificando
• Tensão de saída igual ao dobro de cada meia ponte em separado
a fase relativa entre ambas os ramos?

Controle por deslocamento de fase


Inversor ponte completa

Inversor em Ponte Completa


Controle com deslocamento de fase
v
B
v
vvvAAA vvvvvvvAAAABBBB
v B ABBB
AAAAB
A v
AB
vB
VE/2 vB
Q1 Q3 vB
vB
v vB
v B v Bv BaB
VE/2
Q2 Q4
Componente
fundamental

• Pode-se ajustar a amplitude de saída mediante o ângulo a


Inversor Ponte Completa

Inversor Ponte Completa


Controle com deslocamento de fase

Q1
on off on

Q1 Q3 Q2
VE off on off
uS
Q3
Q2 Q4 off on off

Q4
on off on

a
Inversor ponte completa

Inversor ponte completa


Controle com deslocamento de fase

Q1 Q2 Q1

Q1 Q3
VE uS Q4 Q3 Q4

Q2 Q4 uS

• Pode-se ajustar a amplitude de saída uS através do ângulo a


• A forma de onda obtida é mais próxima de uma onda senoidal:
menor conteúdo harmônico
Inversor ponte completa

Inversor Ponte Completa: Resumo das características

1) A tensão de saída pode assumir três valores: VE, -VE e 0

2) Permite o controle da amplitude da tensão de saída

3) Permite reduzir o conteúdo harmônico da tensão de saída

4) Os esforços de tensão nos interruptores são iguais à


tensão máxima de saída
Inversores de onda Quadrada
 Introdução
 Inversor Meia Ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor Ponte Completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Análise do conteúdo harmônico

Análise do conteúdo harmônico


Meia Ponte, Push-Pull e Ponte Completa sem deslocamento

V
E
Fourier 
22V
Vn  pico    EVE1sen
cosnn d 
n  0
-V
E

Vn 1,4
VE 1,2

1 Componente fundamental:
4 VE
V1  pico  
0,8
0,6

0,4
0,2 Elevado THD: 48%
1 3 5 7 9 11 13 15 17 19
n
Análise do conteúdo harmônico

Análise do conteúdo harmônico


Ponte Completa com deslocamento de fase

VE  a
Fourier 
44 V2 2
   a 
Vn  pico
pico   Vsen
E
E 
  n  n   d
cos para nn1,13,,35,,...
para 5,...
n   0   2 2 
-VE

 a
2 2

 O ângulo de deslocamento a
1

0,8
o
permite ajustar a componente
1 fundamental da tensão de
0,6
saída
0,4 THD 3
o
 O conteúdo harmônico
0,2 5
o
o depende do ângulo a
7
0
0 0,5 1 1,5 2 2,5 3
a
Inversores de onda Quadrada
 Introdução
 Inversor Meia Ponte
 Inversor “Push-Pull”
 Inversor Ponte Completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada (SQW)


Problema do controle do Inversor Meia Ponte

VE/2 uGE(Q+)
Q+
iS
uGE(Q-)
VE/2
Q-
uS

td

• É necessário incluir “tempos mortos” para evitar curto-circuitos


pontuais do ramo inversor devidos aos tempos de comutação
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada (SQW)


Problema do controle do inversor Meia Ponte

u
C
K

Q
T VC1
VC2
+
Q
uCK
Lógica de controle VC1 VC2
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada (SQW)


Problema do controle do inversor Meia Ponte

Circuitos integrados específicos:


Lógica
VC2 • SG3524
de controle
Reloj +
• LM3525
uCK
VC1 • ...
Lógica de controle
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Problema do controle do Inversor Meia Ponte

VE/2
Q+
u iS
?
GE

VE/2
Lógica Q-
de controle uS
u
GE

Os sinais de controle não estão referidos para o mesmo ponto:


É necessário isolamento
Opções:
• Transformador de pulsos para o transistor superior
• Fonte isolada + optoacoplador
• Circuitos integrados específicos para o controle de meia ponte
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: Transformador de pulsos

+VE

driver

Fonte
para o
controle
lógica de
controle driver

Transformador de pulsos
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: Transformador de pulsos + Driver

+UCC

Controle
Control

Transformador
Transformador de pulsos
de pulsos para para o controle
o controle de umdeMOSFET
um MOSFET
Controle de Inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: optoacoplador + fonte isolada

+VE

d
riv
er

lógica de
controle d
r
i
ver

• É necessário o emprego de uma fonte isolada para o circuito de


controle do transistor superior
Controle de Inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: optoacoplador + fonte isolada

+VE
Fonte
isolada

driver

Fonte
para o
controle
lógica de driver
controle

Fonte isolada para o driver superior


Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: optoacoplador + fonte isolada

Obtenção de “fonte isolada” utilizando-se a técnica “bootstrap”


+VE
CBOOT
DBOOT
driver

Fonte
para o
controle lógica de
controle driver

• Redução de custo: uma única fonte para controle


Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: optoacoplador + fonte isolada

Obtenção de “fonte isolada” utilizando-se a técnica “bootstrap”


+VE
C BOOT
D BOOT
driver

Fuente
Fonte
para
para el
o
controle
control lógica de
controle
control driver

• Quando o transistor inferior conduz, CBOOT carrega-se com energia


proveniente da fonte de controle através de DBOOT
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: circuitos integrados específicos

Família IR21xx: controle de Ponte de MOSFET + “bootstrap”

IR2110: High and low side driver

Controle independente dos


transistores superior e Alimentação auxiliar “bootstrap”
inferior
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle Meia Ponte: módulos específicos

Família SKHIxx: controle de uma ponte de IGBTs

SKHI61: 6-pack driver


• Sinais de controle isolados para
um ou vários ramos de IGBTs
• Acoplamento isolado mediante
optoacopladores ou transformador
• Entradas digitais compatíveis
CMOS ou TTL
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Problema de controle do Inversor “Push-Pull”

• Sinais de controle referidos a um


ponto comum
N1
• É necessário introduzir tempos
uS
N2 mortos nos sinais de controle
N1
VE
• Qualquer assimetria no
transformador ou nos sinais de
Q- Q+ controle levam o núcleo a
saturação
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Problema de controle do inversor “push-pull”

N1-

uS
N2 Idealmente:
VE N1+
tON+ = tON-
Q- Q+ N1+ = N1-
tON- tON+

Fluxo núcleo
VE
f  tON 
N1 
f = f
VE
f  tON 
N1 
tON+ tON-
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Problema de controle do inversor “push-pull”

N1-

uS
N2 Na prática:
N1+
 f  f
VE

Q- Q+
tON- tON+

f f
finc
tON+ tON-
Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Problema de controle do inversor “push-pull”

Conclusões do funcionamento do “Push-Pull”:


• Não é necessário isolamento para os sinais de controle

• É preciso incluir tempos mortos nos sinais de controle

• O núcleo do transformador tende a trabalhar na saturação em


parte do período:

Maiores perdas no material magnético e interruptores


Controle de inversores SQW

Controle de inversores de onda quadrada


Controle de Inversor em Ponte Completa

Q1 Q3
VE uS
driver driver
Q2 Q4

fase 0 fase 180-a

Mesma problemática que em Meia Ponte:


• É necessário isolamento dos sinais de controle
• É preciso incluir tempos mortos nos sinais de controle dos
transistores de um mesmo ramo (braço)
Inversores de onda Quadrada
 Introdução
 Inversor em Meia Ponte
 Inversor “push-pull”
 Inversor em Ponte Completa
Sem deslocamento de fase
Com deslocamento de fase

 Análise do conteúdo harmônico


 Controle de inversores de onda quadrada
 Conclusões
Conclusões

Conclusões:

Alimentados em tensão monofásicas


Há alguma forma de reduzir
Onda quadrada
Meia Ponte
o conteúdo harmônico e
Conversão facilitar a filtragem? Alto
CC/CA Push-pull
conteúdo
harmônico
Inversores Onda quadrada
Ponte Completa
Inversores modulados
Conclusões

Introdução aos inversores modulados:

VE/2
Q+
uS
VE/2 u
S

uS -VE/2
VE/2
Q-

• Modificando a proporção de tempo em que estão conduzindo


os interruptores se pode modificar o “valor médio” de saída
Conclusões

Introdução aos inversores modulados:

uS
VE/2

-VE/2

• Freqüência de comutação dos interruptores muito maior do que


a freqüência fundamental da tensão de saída  fácil filtragem
Conversores CC-CA: Inversores

Inversores Modulados (Inversores PWM)

Eletrônica de Potência 2

Prof. Dr. Carlos Alberto Canesin


Índice

Inversores Modulados (PWM)


 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia Ponte
Ponte Completa
Controle Bipolar
Controle Unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Introdução

Problema de filtragem nos inversores de onda quadrada


Filtro
+ +
VD
Carga
- -
Vn atenuação

VD

tempo
50 150 250 350 450 Hz

Freqüência de corte
Introdução

Problema de filtragem nos inversores de onda quadrada

Vn
atenuação

VD

tempo 50 150 250 350 450


Hz

Os harmônicos não podem ser


eliminados por estarem
próximos à fundamental

 Elevado conteúdo harmônico de baixa freqüência na tensão de


saída:
filtragem difícil
 A situação se agrava se a freqüência de saída é variável
Índice

Inversores PWM
 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia ponte
Ponte completa
Controle bipolar
Controle unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR
+
VD

-
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T T T
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


VR VD
+
VD

-
T T T T T
VR media
VD

tempo
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Podem ser obtidos sinais senoidais?
VR
+ VD
VD

-
tempo
Valores médios muito
VR media próximos de uma
distribuição senoidal
VD

Apenas valores
positivos
VD>VR>0 0
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Modulação senoidal-triangular
Para gerar os sinais de controle dos interruptores de forma que se
consiga formas de onda SENOIDAIS são necessários dois sinais:

Um sinal de referência: é a forma de onda que se pretende conseguir na


1 saída. Neste caso, desejamos que seja uma senóide.

Um sinal de portadora: é aquele que estabelece a freqüência de


2 comutação. Por simplicidade, utiliza-se um sinal triangular.

Portadora - Saída
Referência
+

Saída Comparador

Bipolar
Observa-se que, existem dois
tipos de modulação usuais Unipolar
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Modulação senoidal-triangular
TA+ se VControl>VTriangular
Qual fechamos?
TA- se VControl<VTriangular

TA +
VD/2 DA+

A
0
t
TA -
VD/2
DA -
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Modulação contínua-triangular
VControle
TA +
VD/2 t
DA+
A
0
+
-

VA0
TA - VD/2
VD/2 + + +
DA -
- - -
-VD/2

O valor médio da tensão é positivo


Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Modulação contínua-triangular
VControle
TA +
VD/2 t
DA+
A
0
+
-

VA0
TA - VD/2
VD/2 + +
DA -
- - -
-VD/2

O valor médio da tensão é nulo


Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Modulação contínua-triangular
VControle
TA +
VD/2 t
DA+
A
0
+
-

VA0
TA - VD/2
VD/2 +
+ +
DA -
- - -
-VD/2

O valor médio da tensão é negativo


Generalidades

Generalidades sobre modulação:


<VA0>Tt função de: VControle ; VTriangular ; VD
VPT
VC VC TT
T1= T2=TT/2-2T1
VPT 4

T1 T2 T1 VD 1  TT 
VA 0   T1  T2  T1  
TT/2 Tt
2 TT  2 
TT
VD/2
VD VC
VA0 Tt

VA0 2 VPT

-VD/2
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Modulação senoidal-triangular

VC VPT

V A0 tempo
VD/2

-VD/2 tempo
TT/2 TT
T1 T2 T3
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Modulação senoidal-triangular
Vcontrole
Vtriangular

V A0 <VA0>TT
VD/2

-VD/2
VD VC (t )
VA0 (t ) Tt

2 VPT
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em amplitude (ma)
|VPT|

|VPC|

ma<1, Sistemas modulados


|VPC|
ma=
|VPT|
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em amplitude (ma)

|VPT|

|VPC|

ma<1, Sistemas modulados


|VPC|
ma=
|VPT| ma>1, Sistemas sobremodulados

As equações deduzidas Não são válidas para


os sistemas sobremodulados
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em amplitude (ma)
Se ma<1, a amplitude da freqüência fundamental é linearmente
proporcional à ma: V =m ·V
1 a in

Isto implica que poderemos controlar a amplitude da tensão de


saída controlando o valor de ma.

Se ma >1, a amplitude da tensão de saída aumenta ao aumentar ma


de forma não linear. Este efeito é denominado de sobremodulação.
V1
4
Vin

Vin Vreferencia fsenoidal
ma  
Vportadora ftriangular

1 3.24 ma
Generalidades

Sobremodulação
Generalidades sobre
modulação:

Vsen > Vtri

Aumenta a tensão de saída e piora


V0 o conteúdo harmônico

V1
4
Vin

Se ma aumenta muito, a Vin


tensão de saída passa a ser Quadrada
quadrada.
Sobremodulação
Linear

1 3.24 ma
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em freqüência (mf)
ft fportadora ftriangular Ao aumentar a
mf= mf  
fc
freqüência da portadora
freferencia fsenoidal (ou aumentar mf)
Amplitude aumentam as
freqüências do
harmônicos
característicos
f
50 Hz mf· 50 Hz 2mf· 50 Hz

Estando muito separadas a fundamental dos primeiros harmônicos, será fácil


filtrar. O tamanho do filtro diminui se mf é grande.
Entretanto, aumentando a freqüência de comutação, aumentam as perdas.
Recomenda-se para a freqüência de comutação: f < 6kHz ou f > 20 kHz

f
6 kHz 20 kHz
Freqüências Audíveis
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em freqüência (mf)

ft mf>21, inversores muito modulados


mf=
fc
Generalidades
Generalidades sobre modulação:
Índice de modulação em freqüência (mf)

ft mf>21, inversores muito modulados


mf=
fc mf<21, inversores pouco modulados

Deve-se tomar algumas precauções ao selecionar a


freqüência de comutação nos inversores pouco modulados
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Considerações com mf < 21

•Sinais sincronizados
• “mf” inteiro-ímpar
VA0 •Derivadas opostas
entre sinais

Inteiro: Evitar subharmônicas indesejáveis;


Simetria de Quarto de Onda: Somente conterá
harmônicas ímpares
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Considerações: Derivadas opostas entre sinais

(VA0 )n
ma=0,8 e mf=5
VD /2
1
0.8
0.6
0.4
0.2

0 5 10 15 20 25
(VA0 )n
VD /2 harmônicos
1
0.8
0.6
0.4
0.2

0 5 10 15 20 25
harmônicos

Menor conteúdo harmônico em baixa freqüência


Importante para mf<9
Generalidades

Generalidades sobre modulação:


Considerações com mf > 21
Com valores de mf grandes, as componentes subharmônicas são
pequenas mesmo quando os sinais triangular e senoidal não estão
sincronizados (mf não é inteiro). Se a freqüência da tensão de saída é
constante, é possível utilizar PWM assíncrono.

Em aplicações de motores, a freqüência da tensão de saída deve variar


para controlar a velocidade do motor. Nestes casos, as componentes
subharmônicas podem dar lugar a correntes de valor elevado.
NÃO se aconselha o uso de PWM assíncrono em aplicações de motores.
(Quando da variação de velocidade, a modulação PWM
assíncrona leva à índices de modulação não inteiros)

Com valores de mf grandes, os valores dos harmônicos são independentes


do valor de mf.
Se mf < 9, os harmônicos podem depender do índice de modulação.
Generalidades
Generalidades sobre
Harmônicos na modulação PWM
modulação:
Cálculo da série de Fourier
Com mf inteiro ímpar, a saída tem simetria ímpar e a série de Fourier
pode ser expressa como:

v 0 (t )   Vn ·sen(n0 t )
n1

Cada harmônico Vn é calculado somando o harmônico n de cada um


dos p pulsos de um período completo: p pulsos
p
Vn   Vnk
k 1

pulso k
O conteúdo harmônico de um pulso k qualquer será:
T
2
Vnk   v(t )·sen(n0 t )d(0 t )
T0
Generalidades
Harmônicos na modulação PWM Bipolar
No caso da comutação bipolar, os harmônicos aparecem em:
mf, 2mf*, 3mf, 4mf*, 5mf, 6mf……
Além dos harmônicos nestas freqüências, também aparecem
harmônicos nas freqüências adjacentes:

Modulação Bipolar
mf ±2, mf ±4 VAB
Vn 2mf ±1, 2mf ±3, 2mf ±5
etc….

tempo
f/f0 f0=50 Hz
1 mf 2mf 3mf 4mf

Coeficientes de Fourier normalizados Vn/Vin


ma=1 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1
n=1 1.00 0.90 0.80 0.70 0.60 0.50 0.40 0.30 0.20 0.10
n=mf 0.60 0.71 0.82 0.92 1.01 1.08 1.15 1.20 1.24 1.27
n=mf±2 0.32 0.27 0.22 0.17 0.13 0.09 0.06 0.03 0.02 0.00
Generalidades
Harmônicos na modulação PWM Unipolar

No caso da comutação unipolar, o conteúdo harmônico é menor e os


primeiros harmônicos aparecem à freqüências mais elevadas. Sendo:

2mf, 4mf, 6mf……


Além dos Modulação Unipolar
harmônicos nestas VAB
freqüências,
também aparecem Vn
harmônicos nas
freqüências
adjacentes como tempo
no caso anterior
f/f0
1 2mf 4mf
f0=50 Hz
Coeficientes de Fourier normalizados Vn/Vin
ma=1 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1
n=1 1.00 0.90 0.80 0.70 0.60 0.50 0.40 0.30 0.20 0.10
n=2mf ±1 0.18 0.24 0.31 0.35 0.37 0.36 0.33 0.27 0.19 0.10
n=2mf±3 0.21 0.18 0.14 0.10 0.07 0.04 0.02 0.01 0.00 0.00
Índice

Inversores PWM
 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia ponte
Ponte completa
Controle bipolar
Controle unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Inversores monofásicos

Meia Ponte
VD=100V
Freqüência=50Hz
ma=0,8
mf=15 ft=750Hz

TA + DA+
VD /2
A
0
- + VA0
50V
VD /2 TA -

DA -

VD VC (t )
VA0V(tA)0 (Ttt )Tt   0,8  sent 
100 -50V
tempo
2 2 VPT
Inversores monofásicos

Meia Ponte
VD=100V
Freqüência=50Hz
ma=0,8
mf=15 ft=750Hz

TA + DA+
VD /2
A
0
- +
(VA0)n
VD /2 TA -
60
DA -
50
40
30
20
Harmônicos encontram-se nas 10
proximidades dos múltiplos de mf. 1 15 30 45 60
harmônicos
Inversores monofásicos

Meia Ponte
Tabela de conteúdo harmônico mf >9 e ímpar
ma
h 0,2 0,4 0,6 0,8 1
1 0,2 0,4 0,6 0,8 1
Fundamental

mf 1,242 1,150 1,006 0,818 0,601


mf2 0,016 0,061 0,131 0,220 0,318
mf4 0,018
2mf 1 0,190 0,326 0,370 0,314 0,181
2mf3 0,024 0,071 0,139 0,212
2mf5 0,013 0,033
3mf 0,335 0,123 0,083 0,171 0,113
3mf2 0,044 0,139 0,203 0,176 0,062
3mf4 0,012 0,047 0,104 0,157
3mf6 0,016 0,044

4mf 1 0,163 0,157 0,008 0,105 0,068


4mf3 0,012 0,070 0,132 0,115 0,009
4mf5 0,034 0,084 0,119
4mf7 0,017 0,050
Inversores monofásicos

Meia Ponte
Sobremodulação ma>1
VD=100V
ma=1,2
mf=15 (VA0)1>VD/2

(VA0)N
harmônicos de
50 baixa freqüência
VA0
30
50
10
1 15 30 45 60
harmônicos
50
tempo
Os efeitos aparecem no conteúdo
harmônico
Inversores monofásicos

Meia Ponte
(VA0)1 Sobremodulação ma>1
VD /2
Linear Sobremodulação Quadrada

4/
Um sinal quadrado pode ser
1 interpretado como um caso
extremo de sobremodulação

•• Equações
Equaçõesdeduzidas
deduzidasnão
são
são
válidas
válidas
•• Relação
Relaçãonão
linear
linear
entre
entre
ma emaa
efundamental
a fundamental
1 3,2 ma
•• OOvalor
valorda
dafundamental
fundamentaléé
4limitadoaa2V
limitado /π
VDD/2
Índice

Inversores PWM
 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia ponte
Ponte completa
Controle bipolar
Controle unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Inversores monofásicos

Ponte Completa
Controle bipolar

VD/2 TA + TB +

VD A

0 B
VAB
VD/2 TA - TB -
Inversores monofásicos

Ponte completa
Controle bipolar

TA+ e TB- são fechados juntos


VD/2 TA + TB +

VD A

0 B
VAB
VD/2 TA - TB -
VD

-VD
Inversores monofásicos

Ponte completa
Controle bipolar

TA+ e TB- são fechados juntos


VD/2 TA + TB +
TA- e TB+ são fechados juntos

VD A

0 B
VAB
VD/2 TA - TB -
VD

-VD
Inversores monofásicos
Ponte completa
Tensão VAB (Controle bipolar)

VA0
VD/2 TA + TB + VD/2

-VD/2
A+ +
VD
- VB0 tempo

-0
VD/2
B
TA - TB -
+ - -VD/2
VD/2
VAB VAB=VA0-VB0 tempo
VD

-VD
tempo
Inversores monofásicos
Ponte completa
Tensão VAB (Controle bipolar)

Sinais de controle: ma e mf

VA0
VD/2
Todos os resultados obtidos para
meia ponte são aplicáveis -VD/2
alterando VD/2 para VD VB0 tempo
VD/2

-VD/2
VAB VAB=VA0-VB0 tempo
VD
Não se melhora o conteúdo
harmônico

-VD
tempo
Inversores monofásicos
Ponte completa
Funcionamento com controle unipolar
Modulação Bipolar Modulação Unipolar
VAB VAB

tempo
tempo

•Não necessita duas fontes de •Não necessita duas fontes de


corrente contínua corrente contínua
•Somente UM sinal de •DOIS sinais de controle
controle
•Melhora o conteúdo
harmônico
Inversores monofásicos
Ponte completa
Funcionamento com controle unipolar: seqüência de disparo
VCA VCB

VA0 VD/2

-VD/2
VB0

VAB VD

-VD

tempo
Inversores monofásicos
Ponte completa
Funcionamento com controle unipolar: conteúdo harmônico
(VA0)n
VD
1
0.8 ma=0,8 Modulação Bipolar
0.6 mf=9 VAB
0.4
0.2
1 9 18 27
harmônicos tempo
(VAB)n
VD
1 Modulação Unipolar
0.8 ma=0,8 VAB
0.6 mf=9
0.4
0.2
1 9 18 27
harmônicos
tempo
Anulam-se os harmônicos próximos à freqüência da triangular e seus
múltiplos impares (mf, 3mf,..)
Inversores monofásicos
Ponte completa
Meia ponte
Ponteoucompleta
ponte completa com controle
com controle bipolar:
unipolar:
tabela de conteúdo harmônico mf >9 e ímpar
ma
h 0,2 0,4 0,6 0,8 1
1 0,2 0,4 0,6 0,8 1
Fundamental

mff 1,2420 1,1500 1,0060 0,8180 0,6010


mff2 0,0160 0,0610 0,1310 0,2200 0,3180
mff4 0,0180
2mf 1 0,190 0,326 0,370 0,314 0,181
2mf3 0,024 0,071 0,139 0,212
2mf5 0,013 0,033
3mff 0,3350 0,1230 0,0830 0,1710 0,1130
3mff2 0,0440 0,1390 0,2030 0,1760 0,0620
3mff4 0,0120 0,0470 0,1040 0,1570
3mff6 0,0160 0,0440

4mf 1 0,163 0,157 0,008 0,105 0,068


4mf3 0,012 0,070 0,132 0,115 0,009
4mf5 0,034 0,084 0,119
4mf7 0,017 0,050
Índice

Inversores PWM
 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia ponte
Ponte completa
Controle bipolar
Controle unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Inversor trifásico PWM
Inversores trifásicos a partir de monofásicos

Inversor
1

Inversor
2

Inversor
3
Inversor trifásico PWM

Ponte trifásica com modulação PWM

TA + TB + TC +
VD/2

0 A B C
VD/2 TA - TB - TC -

Neutro
(se for necessário)
Inversor trifásico PWM
Ponte trifásica com modulação PWM
Tensão entre fases

VCA(t) VCC(t)) VCB(t)) Sinais de controle


defasados 120º
FB=120º
VA0
VD /2
VB0
-VD /2
VD
VD /2
VB0
ma FB
2
-VD /2 VD V
VAB (VAB)1 ma A0
VD
2
0.8
-VD  120 
tempo VAB  2  VA0  sen 
 2 
Inversor trifásico PWM
Ponte trifásica com modulação PWM
Conteúdo harmônico
Empregando mf múltiplo de 3 se obtêm sinais idênticos defasados
de 120º em cada semiponte. Como resultado os harmônicos
múltiplos de 3 são eliminados
(VAB)n
VD (V )
AB 1

(VA0)n 1 =ma × 3
VD 2
60 0.8
50 m a=0,8
0.6 m f =15
40
30 0.4
20 0.2
10
1 15 30 45 60 0 15 27 30 33
harmônicos harmônicos
Conteúdo harmônico de uma Conteúdo harmônico de uma
semiponte tensão entre fases
Inversor trifásico PWM
Ponte trifásica com modulação PWM
Conteúdo harmônico da tensão entre fases
ma
h 0,2 0,4 0,6 0,8 1
1 0,122 0,245 0,367 0,490 0,612
Fundamental

mf 2 0,010 0,037 0,080 0,135 0,195


mf4 0,005 0,011
2mf1 0,116 0,200 0,227 0,192 0,111
2mf5 0,008 0,020
3mf2 0,027 0,085 0,124 0,108 0,038
3mf4 0,007 0,029 0,064 0,096
4mf1 0,100 0,096 0,005 0,064 0,042
4mf5 0,021 0,051 0,073
4mf7 0,010 0,030

mf múltiplo de 3, ímpar e maior que 9


Inversor trifásico PWM
Aplicações de Inversores trifásicos

M Motores

Equipamentos industriais de
potências superiores a 2-5kW (aprox.)
-Sistemas de alimentação
-Máquinas de solda
-etc.
Índice

Inversores PWM
 Introdução
 Generalidades sobre modulação
 Inversores monofásicos
Meia ponte
Ponte completa
Controle bipolar
Controle unipolar

 Inversor trifásico PWM


 Conclusões
Conclusões

Conclusões:

 Obviamente há muito conteúdo na literatura para o aprofundamento


dos estudos dos inversores PWM (monofásicos e trifásicos);
 O aluno deverá buscar conhecimento necessário na literatura,
principalmente para o projeto dos elementos de filtro, e, dispositivos
analógicos e digitais para a implementação da modulação PWM;
 Os inversores PWM são elementos de extrema importância para a
produtividade industrial atual, e, elementos vitais para o
aproveitamento dos recursos energéticos alternativos e geração
distribuída.