Você está na página 1de 40

Temor de Vir

Pouco

Sermão nº 1177

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2019
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Temor de vir pouco / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
40p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
“Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a
promessa de entrar no descanso de Deus,
suceda parecer que algum de vós tenha falhado.
Porque também a nós foram anunciadas as
boas-novas, como se deu com eles; mas a
palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto
não ter sido acompanhada pela fé naqueles que
a ouviram.” (Hebreus 4: 1, 2)

A pressão geral do apóstolo Paulo é confiante


e até jubilante; onde, em toda a esfera da
revelação, você encontra uma escrita mais
ousada do que aquela que vem de sua caneta?
"Portanto, agora não há condenação para os que
estão em Cristo Jesus". "Porque estou
convencido de que nem a morte nem a vida,
nem os anjos, nem os principados, nem os
poderes, nem as coisas presentes, nem as coisas
futuras, nem a altura, nem a profundidade, nem
qualquer outra criatura, poderá nos separar do
amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso
Senhor.” “Quem intentará acusar o eleitos de
Deus?” “Eu sei em quem tenho crido, e estou
convencido de que Ele é capaz de guardar aquilo
que eu confiei a Ele”. Paulo é o grande doutor da
fé e mestre da plena certeza. Você não encontra
nada em seus escritos que encoraje dúvidas e
medos ou leve os santos à escravidão da
ansiedade e da suspeita. No entanto, no texto
3
diante de nós, Paulo não fala tanto de fé como de
temor, e não nos exorta tanto à ousadia quanto a
um tremor reverente, para que de alguma
maneira não suceda que não cheguemos ao
descanso que Deus prometeu.

Antes de concluirmos o discurso desta manhã,


seremos capazes de mostrar que tal cuidado é
bastante consistente com o ensinamento usual
do apóstolo, e é, de fato, uma parte essencial
dele. Ele nos queria cautelosos, para que assim
pudéssemos estabelecer uma base sólida para a
confiança.

Aquele, que teve o cuidado de construir bem sua


casa, e de edificá-la sobre uma rocha, é o
homem que pode estar em paz no dia da
tempestade.

O santo temor de hoje traz a plena certeza dos


dias por vir. Era importante que o ensinamento
do apóstolo fosse de natureza completa e
equilibrada. Somente pessoas insensatas
permitem que qualquer qualidade de seu
caráter destrua outra; um equilíbrio moral deve
ser direcionado e mantido.

O professor de plena segurança também deve


inculcar vigilância ou ele será um instrutor
unilateral; pois é mais provável que a ousadia e
4
a confiança sejam preservadas em sua
integridade, se temperadas com o sal do santo
temor, sem o qual a fé pode tornar-se
descuidada, e a completa segurança
degenerada em presunção.

O apóstolo, aqui, nos exorta a temer sobre um


assunto da maior importância; ele dava tal valor
ao descanso que Deus reservou para o Seu povo
que ele temia que qualquer um dos Seus irmãos
sentisse falta dele, ou parecesse perder isso.

Não me admiro que um homem tão forte na fé


como ele era, e tão cheio de expectativa santa do
descanso prometido, devesse sentir um alarme
zeloso, para que nenhum dos que se
comprometeram com ele não conseguissem
alcançar o objetivo desejado.

Todo pai amoroso não tem medo de que seu


filho não tenha sucesso na vida? O amor nunca
pensa em alguém amado jogado no mar sem
uma certa ansiedade, nem podemos ver nossos
amigos atravessando o oceano da vida sem um
terno temor por eles.

Esse temor nos suplica que sejamos cautelosos


e atentos. Meu sincero amor a suas almas me
leva a insistir em advertências santas como as
do meu texto. Ser muito corajoso, sem cuidado,
5
nunca é sábio - na vigilância está a nossa
segurança!

A este assunto eu me dirigirei de todo meu


coração, confiando que o Espírito de Deus
também possa despertar seus corações para
dar-lhe a consideração que merece!

I. Primeiro responderemos ao inquérito, se o


temor referido no texto se refere
principalmente a si próprio? “Temamos,
portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de
entrar no descanso de Deus, suceda parecer que
algum de vós tenha falhado. "

Agora, o apóstolo não pode ter pretendido dizer


que devemos temer que não cheguemos ao
paraíso por falta de mérito!

Ora, meus irmãos e irmãs, não há um homem


vivo, nem alguém jamais viveu, nem alguém
jamais viverá, que venha ao céu se ele tentar
esse caminho! O mérito humano não é o
caminho para o céu! Desde a hora em que nosso
primeiro pai quebrou a lei, a perfeita
manutenção da lei foi impossível para todos
nós! Nem é a observância da lei que é colocada
diante de nós no evangelho de nosso Senhor
Jesus Cristo como o caminho da aceitação com
Deus. “Por obras da lei nenhuma carne será
6
justificada; porque pela lei vem o conhecimento
do pecado”. O justo viverá pela fé, e é na questão
da fé que somos advertidos a temer, ou seja,
contra a falta de fé!

O apóstolo teria, com indignação, rejeitado a


ideia de que a corrida evangélica seria realizada
ao pé do Sinai, e que seu prêmio seria uma
recompensa por boas obras!

Repetidamente ele declarou claramente: “Não é


das obras, para que ninguém se glorie”, mas
pela graça divina, como o puro dom da boa
vontade e misericórdia de Deus. Não devemos,
portanto, torcer suas palavras em uma injunção
legal, pois elas nunca foram destinadas a ter tal
significado!

O grande ponto com o qual devemos nos


preocupar é que não cheguemos ao descanso
celestial por falharmos na fé que nos dará o Seu
descanso!

Observe o segundo versículo do texto, pois isso


deixa claro o suficiente - “Porque também a nós
foram anunciadas as boas-novas, como se deu
com eles; mas a palavra que ouviram não lhes
aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela
fé naqueles que a ouviram.” Para isso, portanto,
devemos dar atenção sincera; nós devemos
7
fazer com que a fé seja misturada com a nossa
audição da palavra!

O caminho para o céu é pela fé - devemos temer


que tenhamos uma fé falsa, uma fé vacilante ou
uma fé temporária - e assim ficaremos aquém
do descanso celestial.

Note, então, que nos torna particularmente


ansiosos que não cheguemos a compreender
plenamente a espiritualidade da fé.

Os judeus no deserto viram os sacrifícios, mas


não olhavam para o grande sacrifício. Eles viram
o sangue derramado no altar, mas seus olhos
não olhavam para o sangue que, na plenitude
dos tempos, seria derramado por muitos para a
remissão de pecados. Eles olhavam para as
lavagens e as diferentes limpezas, mas não viam
que seu espírito precisava ser renovado e sua
natureza mudada. Eles estavam contentes com
os rituais externos e sentiam falta do significado
interno; eles não reconheceram que a fé no
Deus vivo é o ponto grandioso e essencial!

Temo que muitos religiosos de todas as


denominações sejam insuficientes nisso; estão
satisfeitos porque assistiram aos seus
sacramentos e às suas cerimónias, ou estão
bastante contentes porque tomaram o seu lugar
8
num culto simples e sem adornos; mas o poder
misterioso do Espírito Santo não é sentido, nem
sua ausência é lamentada por eles. As coisas
externas sendo feitas, eles concebem que tudo
está feito!

Alguns leem um capítulo das Escrituras e


repetem uma oração diária, com a plena
convicção de que a prática certamente lhes fará
bem, embora não meditem sobre o que leem,
nem derramem seus corações em suas orações!
Como muitos papistas descansam em seu
crucifixo, e não vêm, em alma, a Jesus, e muitos
protestantes podem repousar em sua Bíblia, ou
em sua forma de oração e ficarem longe da
verdadeira comunhão com Deus! Muitos se
contentam com as conchas da religião,
enquanto é o núcleo, apenas, que pode
alimentar a alma.

O joelho dobrado não é nada; o coração


prostrado é tudo! Os olhos erguidos não são
nada; o olhar da alma para Deus é aceitável! A
audição de boas palavras e a repetição delas em
oração ou canto resultarão em muito pouco; se
o coração estiver ausente, a coisa toda será tão
morta quanto uma pedra!

Nós devemos nascer de novo! O batismo não


vale nada além disso; devemos viver
9
espiritualmente sobre o Redentor morto; o pão
e o vinho da Ceia do Senhor não valem nada se
não nos alimentarmos de Jesus!

“Com o coração o homem crê para a justiça.” A


natureza interior, a alma, deve ser vivificada,
pois “Deus é Espírito, e os que o adoram devem
adorá-lo em espírito e em verdade”.

Eu vos exorto, irmãos e irmãs a temerem que


algum de vocês fique aquém disso, pois, se o
fizerem, ficarão aquém do descanso que resta
para o povo de Deus!

"Rasgai os vossos corações e não vossas vestes."


Aproximem-se de Deus com os vossos corações,
pois, se não, os vossos lábios o insultam!

Não importa quão ortodoxo você seja no credo,


nem quão atento aos ritos, até mesmo, da
própria Igreja de Cristo, a menos que seu
espírito, seu eu interior, esteja reconciliado com
Deus, perdoado por Jesus Cristo, e você tenha
acesso ao Pai no poder do Espírito através de
Jesus.

Esta exortação deve ser repetida em todas as


ruas da nossa cidade! A grande maioria dos
cristãos professos precisa ser admoestada com
relação a isso, pois em todos os lugares a religião
10
do espetáculo é estabelecida, e a religião do
coração é negligenciada!

O exterior da religião é enfeitado com belas


igrejas, órgãos, altares e enriquecido com
aprendizado e eloquência - mas a vitalidade da
piedade e o cuidadoso discipulado
consciencioso são totalmente desprezados!

A exortação de nosso texto nos leva a dizer, em


seguida, que devemos ter cuidado para não
deixarmos de discernir o fato de que todo o
caminho da salvação é da fé. Muitos nem
mesmo aprenderam essa verdade elementar do
evangelho! Eles supõem que a religião é uma
questão de atendimentos de exercícios
religiosos, observâncias de preceitos morais e
coisas semelhantes; eles pensam que, enquanto
sua vida é regular, e seus hábitos são
respeitáveis, eles podem permanecer pacíficos
na convicção de que as coisas estão bem
corretas; ou, de qualquer modo, eles se
endireitarão, num destes dias, embora eles mal
saibam como!

Quem ler esta Bíblia atentamente descobrirá


que o caminho da salvação corre em outra
direção; repousa, de fato, aqui - “Aquele que crê
no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não
crê não verá a vida, mas a ira de Deus permanece
11
sobre ele”. “É pela fé para que seja pela graça.“
“Pela graça, sois salvos, mediante a fé.”

A comissão que nosso Senhor deu aos apóstolos


no Monte das Oliveiras, foi esta: “Ide por todo o
mundo e pregai o evangelho a toda criatura.
Aquele que crer e for batizado será salvo; aquele
que não crê já está condenado”. Ele não disse:
“Para aquele cuja vida é ordeira, a fé não é
importante”, mas Ele fez da fé um elemento
absolutamente essencial! Não nos detenhamos
diante disso, nem estaremos em paz até
podermos reivindicar a promessa: “Aquele que
crer e for batizado será salvo”. A fé é essencial, e
precisamos tê-la. Em suma, devemos confiar no
sangue e na justiça do Senhor Jesus Cristo;
devemos renunciar a todas as outras confianças
e nos lançar inteiramente sobre Ele! Caso
contrário, certamente nunca entraremos no
descanso reservado aos crentes.

Aqui vamos nos examinar com grande


ansiedade, pois em muitos pontos podemos
ficar aquém. Por exemplo, podemos falhar em
referência ao objeto de nossa fé. Um homem
pode dizer: “Eu tenho fé”, mas surge outra
questão: “Em que você tem fé?” “Bem, eu tenho
fé no que senti”. Então, livre-se dela! O que você
sentiu não é um objeto de fé, ou de ser confiável
em tudo.
12
“Tenho fé”, diz outro, “nas doutrinas que me
foram ensinadas”. Fico feliz que você acredite
nelas, mas lembre-se, as doutrinas não são o
Salvador; um homem pode acreditar em todas
as doutrinas da verdade de Deus, e ainda assim
ele pode estar perdido. Um credo não pode
salvar, nem um dogma pode redimir.

Qual é o objeto da fé, então?

É uma pessoa. É uma pessoa viva, divina e


designada!

E quem é essa pessoa? Ele não é outro senão


Jesus, o Nazareno, que é o Filho de Deus, Deus
sobre todos, abençoado para sempre e ainda o
Filho de Maria, nascido neste mundo por nossa
causa!

Nenhuma fé salvará um homem que não


repouse em Jesus Cristo como Deus! Nós
devemos depender de um Cristo inteiro, ou
então nossa fé não é a fé dos eleitos de Deus;
devemos crer em Sua própria humanidade e nos
regozijar nos sofrimentos que Ele suportou;
devemos crer em Sua divindade assegurada e
nos regozijar no mérito que aquela divindade
transmitiu ao Seu sofrimento; devemos crer em
Cristo como um substituto para nós, sofrendo
para que não soframos, fazendo expiação em
13
nosso favor à lei quebrada de Deus, para que
Deus possa ser justo e ainda o justificador
daquele que crê! Se não fixamos nossa fé nesta
base, nossa fé não é obra do Espírito Santo, pois
Sua obra sempre tende a glorificar a Cristo!

Irmãos e irmãs, tenhamos muito cuidado aqui,


pois se a nossa fé for forte, mas repousar sobre
um fundamento fraco, será como um
construtor que colocou um bloco de granito
sobre uma base de areia; de nada servirá ter fé
firme a menos que essa fé tenha uma base
substancial!

Se o erro é cometido sobre a pessoa de Cristo, é


fatal, pois destrói a fundação; se a própria
fundação é falsa, todo o edifício apenas
apressará a queda final. Construa com
segurança, portanto, na sólida rocha de Deus
em carne humana, redimindo-nos pelo
sacrifício de Si mesmo. “Não há outro
fundamento que possa ser estabelecido do que
o que já foi posto.” “Não há nenhum outro nome
dado debaixo do céu entre os homens pelo qual
devamos ser salvos.” Portanto, descanse em Sua
pessoa abençoada e em Seu trabalho acabado,
ou você certamente fica aquém do seu
descanso.
14
Observemos aqui que a qualidade de nossa fé
deve ser um objeto de nosso cuidado ansioso e,
por suas qualidades, eu mencionaria, primeiro,
que deve ser simples.

Confiar em parte em Cristo é mortal - nossa fé


deve ser totalmente não misturada. Se eu
dependo em parte da justiça de Cristo, em parte
sobre as influências ocultistas transmitidas por
um sacerdote, em parte pelos sacramentos, em
parte por meu próprio arrependimento, em
parte por minha fé manifesta; em parte sobre
qualquer coisa, estou perdido para sempre!
Jesus será um salvador inteiro ou nenhum
salvador. Eu devo jogar todo o meu fardo sobre o
peito dele, e me apegar a ele, somente, pois
nenhum outro pode me levantar da destruição!

Olhem bem para a simplicidade de sua


confiança, meus irmãos e irmãs, e tenham
cuidado para não misturar autoconfiança com
sua fé; tudo o que está girando na natureza deve
ser desvendado; cada fio dela deve ser
destruído!

Você acha que pode ajudar a Cristo? Você ligaria


uma formiga com um serafim? Se você fez, eles
seriam um par muito mais igual do que Cristo e
você! Abomine, deteste, aborreça tudo como a
confiança em si mesmo, ou em seus
15
semelhantes, ou em sacramentos, ou em
credos, ou em qualquer coisa que seja, exceto
Jesus Cristo, seu Senhor –

“Em Cristo, a rocha sólida, permaneço;

Todo outro fundamento é afundar em areia”.

Essa fé deve ser tão real quanto simples. Não lhe


valerá simplesmente dizer: “Creio em Jesus”.
Você deve realmente fazê-lo.

Muitas vezes os homens nos dizem: “Somente


creia em Jesus e você será salvo” - que têm a
ideia de filhos concebidos pela fé como uma
ninharia e imaginaram que, crer será
suficiente! Mas pensar que você crê e
realmente tem fé são coisas muito diferentes.
Confiar somente em Jesus não é uma questão
pequena; “Esta é a obra de Deus que você creia
naquele que Ele enviou”. Que sua fé não seja
apenas real, mas intensa e sincera, séria e viva!
Deixe a sua confiança ser sincera, pois “Com o
coração se crê para a justiça”. Você sabe com
que coração os soldados confiaram em seus
comandantes; eles entraram na luta e foram
superados em número, mas sentiram que seu
líder era tão habilidoso na guerra, e estavam tão
certo de ganhar que eles permaneceram
destemidos sob terríveis ataques! E seus
16
batalhões permaneceram firmes como paredes
de ferro em meio a mísseis mortais. Com fé
inabalável, eles descansaram na proeza de seu
líder e conquistaram a vitória! Tal deve ser
nossa confiança em Cristo.

O que quer que desencoraje nossa esperança; o


que quer que contradiga a promessa - a nossa é
a de repousar em Jesus com toda a nossa alma e
força - pois essa fé se une ao Cordeiro e traz
salvação através do Seu nome. Cuidado com
uma fé nocional, uma fé histórica, fé que lida
com afirmações, teorias e opiniões; adquira
uma confiança entusiástica que se lança aos pés
perfurados, e fica lá, ou só sobe para marchar à
frente daquele que disse: "Está consumado",
quando Ele abaixou a cabeça e entregou o
espírito. Oh, que nós nunca pareçamos sem
chegar a tal fé como esta! Mas também devemos
cuidar para que não venhamos a curar o
funcionamento interno da fé sobre nossa
natureza. A verdadeira fé anda de mãos dadas
com o arrependimento. Uma fé que nunca
chorou é uma fé que nunca viveu. Fé sem
arrependimento está morta; o ódio ao pecado
sempre acompanha uma sensação de perdão.

A fé é a assistente inseparável da regeneração,


mesmo quando a luz acompanha o nascer do sol.
Quando a fé entra na alma, o coração muda, o
17
homem se torna uma nova criatura em Cristo
Jesus - ele recebe nova vida e, com ela, novas
faculdades, novas esperanças, novos temores,
novos amores, novos ódios, novos prazeres e
novas dores. “Eis que faço novas todas as
coisas”, é a voz de Cristo quando Ele entra no
coração pela fé! Agora, amado, você está
mudando radical e totalmente? Se não, não é
para eu recuar declarando a verdade de Deus
para você - por mais reformado e por mais
devoto que você possa parecer, você fica aquém
do descanso divino, pois “você deve nascer de
novo”. deve ser o novo nascimento em seu
espírito, ou então você não é contado entre os
escolhidos de Deus, e entre os salvos você nunca
pode se sentar no céu! Examine-se, para que não
seja enganado –

“Vãs são suas fantasias, voos aéreos,

Se a fé é fria e morta.

Ninguém, a não ser um poder vivo,

une a Cristo a cabeça viva.

Graça, como uma semente não corrompida,

permanece e reina no interior.

Princípios imortais
18
proíbem os filhos de Deus de pecar.”

A fé também deve ser julgada pelo seu poder


sobre o caráter. O homem que realmente
acredita em Jesus se torna um homem de
oração. Nunca teve um homem de fé e que ainda
desprezou o propiciatório. “Eis que ele ora”, é
uma declaração semelhante a: “Eis que ele
acredita”.

E quanto às suas orações particulares, então,


meus queridos amigos? Elas são
negligenciadas? Elas são executadas de uma
maneira desleixada? Não vou perguntar tanto
quanto às suas orações formais, quanto ao
espírito de oração - o seu coração, todo o dia,
sobe a Deus em clamores silenciosos e gemidos
secretos? Você fala com Deusa partir da sua
alma mais íntima por trechos enquanto está no
seu trabalho? Você diz: "Meu Deus, meu Pai, me
ajude", quando ninguém poderia dizer que seus
lábios estão se movendo? Se você não tem o
espírito de oração, está destituído de um dos
sinais mais seguros de vida espiritual - e pode
concluir que sua fé está morta e que você está
aquém do descanso de Deus.

A verdadeira fé age sobre nós, levando-nos à


obediência.
19
Quando cremos em Jesus, desejamos fazer tudo
o que Jesus nos diz. Muitos cristãos ficam aquém
daqui; eles querem fazer o mínimo que podem e,
ainda assim, manter uma consciência tranquila;
eles não leem algumas partes da Bíblia por
medo de descobrir deveres que seriam
inconvenientes de se atender! Fechar os olhos
para a luz celestial é um trabalho perigoso! Não
negligencie intencionalmente o menor
mandamento de nosso Senhor Jesus Cristo, pois
um ato de desobediência intencional sobre um
ponto que pode parecer não essencial pode
provar suficientemente que sua profissão está
estragada porque você não se deleita na lei de
Deus. “A fé deve obedecer à vontade do Pai,
assim como confiar em Sua graça.”

Um Deus perdoador ainda é zeloso por sua


própria santidade. Quando da maldição Ele nos
liberta, Ele torna nossas naturezas limpas. Nem
Ele enviaria Seu Filho para ser o ministro do
pecado.

A fé opera em nós, separação dos pecadores;


aqueles que creem em Jesus não podem entrar
nos prazeres dos ímpios; eles têm alegrias mais
elevadas; como a águia, desprezam a carniça da
qual se alimentam os abutres do mundo. Será
visto um anjo que se revolta com o imundo e o
profano, desfrutando de suas tolices e rindo de
20
seus excessos? No entanto, o herdeiro do céu é
semelhante aos anjos, e seria uma vergonha
para ele se inclinar àquilo que encanta apenas a
parte mais inferior da humanidade. "Santo,
inofensivo, imaculado, separado dos
pecadores", é o grande apóstolo e sumo
sacerdote de nossa profissão - e Seus
verdadeiros discípulos O imitam!

O que vocês dizem sobre a sua fé, meus irmãos e


irmãs? É desse tipo que separa você do mundo?
Isso lhe inspira a lutar contra a tentação? Isso
leva você a vencer o pecado? Isso impele você a
andar com Deus? Isso lhe coloca na luz onde
Deus habita? Lembre-se de que o texto, metade
do qual é frequentemente citado, e o resto
intencionalmente esquecido: “Se andarmos na
luz como Deus está na luz, temos comunhão uns
com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, Seu
Filho, nos purifica.” Marque bem que a
purificação pelo sangue se une à caminhada na
luz (luz de Deus) - por que isso é tão raramente
mencionado? Caminhe com Deus, irmão, e
então você está limpo! Mas se não há caminhada
com Deus, você pode muito bem temer que sua
fé não seja desse tipo, que traz os santos para o
seu descanso eterno. Eu ficaria feliz em falar
com muitas lágrimas e súplicas dolorosas neste
momento, de modo a pressionar estes
pensamentos solenes em suas mentes, pois,
21
meus irmãos, há razão para temer que uma
promessa seja deixada de entrar neste
descanso, alguns de nós fica aquém disso! Não
recuse examinar-se, pois há necessidade
urgente disso! Eu não ouso fazer nada menos do
que implorar a você para cuidar do assunto
imediatamente!

II. Perseguindo o mesmo assunto, nosso


segundo ponto é o seguinte: QUE
CIRCUNSTÂNCIAS PODEM SUGERIR A
NECESSIDADE PARA ESSE TEMOR?

O primeiro é isso. É certo que muitos


professantes apostatam. Nós cantamos
verdadeiramente agora mesmo –

“Quando alguém volta do caminho de Sião,

Ai, que números fazem!”

Os apóstatas lotam os portões do inferno! A


verdadeira fé é, em todos os casos, imortal e não
pode ser destruída! Se os homens realmente
tiverem entrado no descanso de Deus pela fé
viva, nunca se afastarão dele, pois “os dons e a
vocação de Deus são sem arrependimento”.
Aquele que começou uma boa obra em nós, a
realizará até o dia de Jesus Cristo. Aqueles que
não conseguem entrar nesse descanso podem
22
ter pensado que acreditavam, mas nunca
acreditaram; eles podem ter tido uma crença
sincera de que eram filhos de Deus, mas não
eram! Eles se enganaram e confundiram o
nome da vida pela própria vida.

Agora, se os outros apostatarem, não podemos


nós também?

Se realmente acreditamos que não


apostatamos, talvez nossa fé não seja real; nossa
vela pode ter sido acesa por nossa própria
chama, e se assim for, certamente irá se apagar.
Nada além do trabalho do Espírito Santo durará
até o fim.

Note, ainda, que nós mesmos conhecemos


outros, que tememos, estejam muito enganados
e falham na verdadeira salvação. Não devemos
julgar - Deus nos livre de que devamos, mas não
podemos deixar de suspeitar, pelas ações de
alguns de nossos colegas professantes, que sua
profissão abrange um bom negócio que é
insensato; eles não poderiam agir como se
estivessem realmente convertidos. Nós, com a
maior caridade, esperamos o melhor, mas não
podemos esconder de nós mesmos com temor e
tremor que uma grande massa de professantes
é tão mundana, tão apegada a toda diversão
insignificante, tão renunciada a si mesma e tão
23
negligente de qualquer coisa zelosa. serviço de
Deus, que eles não podem ser cristãos, embora
professem ser assim. Bem, se pensarmos nos
outros, não pode acontecer que alguém ou
outro esteja pensando em nós? E o que é muito
pior - pois é de pouca importância o que as
pessoas pensam de nós - pode ser verdade que
seja assim! Embora tenhamos muito que seja
moralmente excelente, pode ser que estejamos
destituídos da verdadeira obra da graça divina e,
assim, ficarmos longe do descanso que é dado à
fé. Sugiro isso a todos vocês - sugiro a mim
mesmo acima de tudo - e estou preparado para
cumprir os testes necessários.

Ainda, mais, lembre-se, existem alguns


professantes que sabem que não estão no
descanso. “Nós que acreditamos, entramos em
Seu descanso”, mas você sabe que não está no
descanso. Não estou abordando alguns que
afirmam ter fé e, no entanto, não têm paz? Você
não ousa sentar e relatar seus testemunhos
espirituais; você não ousa passar por um exame,
porque suspeita que está espiritualmente
insolvente; você não gosta muito de procurar
um sermão porque está consciente de que há
algo podre no estado da Dinamarca, algo errado
em seu coração! Você sabe que é assim, pois
quando você tem uma pequena doença, ou
medo da morte, você treme terrivelmente!
24
Agora, se você correu com os lacaios e eles se
cansaram, o que você fará quando lutar com os
cavalos? E se na terra da paz, em que confiaste,
te cansaste, o que farás na enchente do Jordão?
Se você não pode aguentar um pouco de tremor
pela verdade de Deus quando eu, seu frágil
companheiro, estou pregando, como você vai
suportar o pavor tremendo do último pregador,
que dirá: "Esta noite sua alma é exigida de você"?
Como você vai suportar a voz trovejante do
grande Juiz de Todos?

Coloco-lhe outra questão: não há professantes


aqui que ainda não estejam contentes com
Jesus? Você toma o jugo do seu Salvador como
uma necessidade, mas não como um deleite! E
quando você precisa se divertir, você corre para
o mundo; não é este um indicio seguro de onde
está seu coração? Se você não consegue
encontrar a sua alegria mais rica em Cristo; se
Ele não é o seu principal deleite, então está claro
que você já está aquém do Seu descanso, pois
para um verdadeiro santo não há música como
o Seu nome encantador, e não há deleite como
comunhão com Jesus!

Agora, se você já não consegue descobrir a


doçura da religião, não poderia temer que não
seja um possuidor dela? Ó senhores, peço-lhe
que tenham temor de não alcançar a fé viva que
25
lhes dará o Seu descanso, pois alguns de vocês
não são indiferentes e negligentes? Muitos
professantes não vão a seus lugares de culto
sem coração? Eles não são meros formalistas,
inclinando a cabeça como se fossem movidos
por máquinas, mas destituídos de adoração de
coração? Eles não se importam se a igreja de
Cristo prospera ou não! Nunca lhes custa uma
noite sem dormir, se o reino de Jesus vem ou o
anticristo triunfa! Eles mostram muito mais
preocupação com a ascensão e queda do Cônsul,
ou uma mudança no Gabinete, ou o estado das
plantações, do que sobre o reino de Deus e as
coisas que contribuem para a glória do
Altíssimo!

Agora, onde há essa indiferença e descuido, não


parece que você não está chegando perto do
descanso sagrado?

Alguns professantes são destituídos de energia


ou zelo; eles servem a Deus como se estivessem
em um sonho; eles realizam todos os trabalhos
piedosos como se tivessem tomado uma tintura
de ópio ou xarope calmante. De fato, eles olham
para a religião como se ela fosse uma espécie de
consolo, tendo o propósito de acalmá-los!

Agora, se o reino dos céus sofre violência, não


parece que essas pessoas estão aquém disso?
26
Conhecemos outros, que estão bem despertos,
mas são cativos, críticos, murmurando; eles
parecem estar aquém do espírito de Cristo, não
parecem? Não vou julgá-los, mas o que podemos
dizer deles? Eles não se parecem muito com o
seu Mestre; o atributo do amor não é muito
aparente.

Conhecemos alguns que não fazem nada por


Jesus! Eles apoiam nossas escolas para meninos
pobres? Eles não têm interesse neles! Eles
pregam o evangelho? É claro que eles nunca
tentam isso, embora possam falar bem o
suficiente em uma reunião política!

Eles poderiam visitar os doentes? Ah não! Eles


não têm tempo! Eles poderiam ensinar na
escola dominical? Não, eles não suportam
crianças! Eles poderiam abrir uma reunião em
casa? Não, não é uma coisa que eles aprovam.
Leões estão no caminho; não há nada que eles
possam fazer - sim, nada que eles façam!

Muitos, também, daqueles que professam


pertencer a Cristo, dão a Ele de suas posses, as
probabilidades e os fins nus, as pequenas
migalhas debaixo de suas mesas. Agora, eu não
digo que tais avarentos não são cristãos, mas eu
digo que não sejamos como se eles fossem para
que não parecermos ficar aquém!
27
Quando leio a vida de mártires que se doam para
queimar por Cristo - e vejo o mundanismo
desses cristãos que não podem sequer suportar
uma palavra de zombaria dirigida a eles, tenho
certeza de que eles parecem estar longe disso.

Quando vemos os homens na primeira linha da


batalha prontos para correr, que julgamento
podemos formar deles? São estes os soldados da
cruz? Serão estes mais do que vencedores? Eles
deixam a adoração pura de Deus porque não é
respeitável, e eles se afastam da religião
respeitável para o mundo! Onde está o sangue
de seus avós, se vovô valeu a pena mencionar, se
você tem vergonha de suportar o opróbrio de
Cristo? Certamente você parece estar aquém do
que Jesus merece! Quando vejo a
autoindulgência de muitos professantes, a
completa ausência de qualquer sacrifício por
Cristo, a falta de qualquer coisa como ardor e
zelo pela propagação da verdade de Deus, ou a
oração pela expansão do reino do Redentor, sou
muito severo se eu digo que muitos parecem
estar aquém disso? Aqui, então, há argumentos
para a santa ansiedade. irmãos e irmãs, pode ser
que até agora eu esteja me dirigindo a alguns
que estão ansiosos para evitar a ofensa da cruz,
que cortam e cortam para agradar seus vizinhos,
que consideram que a reputação do mundo é
maior do que toda a riqueza. tesouros de Jesus,
28
que fazem provisão para a carne, e pensam que
moda, crédito e respeitabilidade são tudo. Estes
são os homens cujo deus é o mundo e que se
importam com as coisas terrenas. Que Deus
tenha misericórdia de tais coisas e tenha
misericórdia de nós por nunca nos permitir cair
em maus caminhos!

III. Em terceiro lugar, que verdades solenes


exigem o temor sugerido no texto? Se
realmente não tivermos o paraíso, teremos
perdido toda a sua felicidade e glória para
sempre; para nós, nenhuma visão do
crucificado; nenhuma visão do Rei em sua
beleza! E nós teremos perdido o céu com esta
agravação, que começamos a construir, mas
não conseguimos terminar! Seremos
eternamente cobertos de vergonha! Os
condenados no inferno vão rir de nós porque
professamos ser diferentes deles e, no fim das
contas, não fomos. Se eu devo estar perdido, não
me deixes perder como um pretendente à
religião, pois a masmorra interior da prisão
infernal é para aqueles que agiram como Judas,
que vendeu o seu Senhor por moedas de prata,
ou recuaram por outros meios!

Ter ido um pouco para o céu, e então perder


isso, tornará a perda dele mais intolerável. E se
29
você beber do cálice sacramental e beber para
sempre do cálice dos demônios?

Deve ser a própria desgraça lembrar, quando


perdido: “Eu costumava ouvir o evangelho e
professava acreditar; sentei-me com os santos
de Deus e cantei seus hinos; inclinei a cabeça e
juntei-me ostensivamente às suas orações - e
agora estou para sempre banido do Deus do
amor; em vez do descanso sabático, eu sinto
miséria infinita! E em vez das canções dos
santos, eu ouço o uivar dos espíritos perdidos
para sempre!”

Ó meus irmãos e irmãs temam que vocês


venham a perder o descanso! Não, comece mais
cedo; tema que você pareça estar aquém disso,
pois aquele que tem medo da aparição, será
libertado da realidade!

IV. E agora para fechar, COMO O NOSSO


TEMOR SERÁ EXERCIDO? Eu devo me debruçar
sobre isso um momento para evitar erros. Nosso
medo de não ter descanso não deve nos levar à
incredulidade, porque, nesse caso, isso nos faria
fracassar imediatamente. Como já mostrei, o
caminho é pela fé. Portanto, não tenho medo de
acreditar, mas sim de temer a desconfiança e a
descrença. Eu não devo duvidar da promessa, ou
eu imediatamente ficarei aquém do Seu
30
descanso. Os tradutores, ao inserir a palavra
“nós” no texto, obscureceram o significado. Não
há promessa para nós de que alguma vez
venhamos a faltar; toda promessa é certa. O
texto fala de uma promessa que é deixada para
os crentes, e assim deixada que alguns devem
entrar. Você pertence a alguns? Essa é a
questão! Você entra se você é um verdadeiro e
genuíno crente no Senhor Jesus; se a palavra de
Deus que você ouve é misturada com fé, de
acordo com o segundo verso do meu texto. Mas
se a palavra que você ouve não é misturada com
fé, não há promessa feita a você de que você
deve entrar no descanso de Deus - e você deve
ficar aquém do que é prometido à fé, porque
você não tem fé. A promessa é feita ao crente em
Cristo!

Eu, portanto, temerei duvidar de meu Senhor,


temer desconfiar dele, temer suspeitar de Sua
veracidade; eu crerei que Ele veio ao mundo
para salvar os pecadores; eu crerei que Ele é
capaz de salvar perfeitamente os que vêm a Deus
por Ele. Não hesitarei em confiar nEle, pois temo
duvidar do Deus que não pode mentir, para que
não se diga de mim: "Ele não pôde entrar por
causa da incredulidade".

Em seguida, o apóstolo não quer nos fazer


permanecer em pé de dúvida se somos salvos ou
31
não, pois isso seria ficar aquém do descanso de
Deus. Um homem não pode descansar enquanto
está em dúvida sobre sua própria salvação e, de
fato, muitos textos ensinam a doutrina da
segurança! Nos é dito que “O Espírito testifica
com o nosso espírito que somos filhos de Deus.”
Agora, Paulo não se opõe, nem nos opõe ao
testemunho do Espírito Santo dentro de nós! Se,
de fato, acreditei em Jesus Cristo, então fui salvo
e não devo duvidar de que estou salvo. Eu sou
obrigado a acreditar, e assim entrar em Seu
descanso. Tenho medo de não ter plena
consciência da minha própria salvação pessoal
quando confio em toda a minha alma com
Cristo. O que o apóstolo quer que façamos,
recordo do capítulo em que meu texto se
sustenta, é manter firme nossa profissão.

Se você acreditou em Jesus, apegue-se a ele! Se


a sua cruz, de fato, é o seu apoio, segure-se a ela
como para a vida eterna, nunca deixe ir! E
quando você é tentado por novas noções ou por
pretensas religiões antigas, diga a todas elas: “Se
todas as formas que os homens inventam
atacam minha alma com arte traiçoeira, eu as
chamaria de vaidades e mentiras, e ligaria o
evangelho ao meu coração.” Agarre-se a isso, e
então você não será enganado.
32
Em seguida, submeta-se a toda a palavra de
Deus, pois é viva e eficaz; ela vai procurar sua
alma mais íntima até as juntas e medulas -
habitualmente deixe-a fazer isso. Nunca tenham
medo de suas Bíblias. Se há um texto da
Escritura que você não ousa ler, humilhe-se até
que possa; se o seu credo e as Escrituras não
concordarem, corte o seu credo em pedaços e
faça com que ele esteja de acordo com este
Livro! Se há alguma coisa na igreja à qual você
pertence que seja contrária à inspirada palavra
de Deus, deixe essa igreja! À lei e ao testemunho
- há o infalível mapa da fé! Siga-o de perto, e se o
fizer, você não precisa ter medo de ficar aquém,
pois este livro não pode desviá-lo! Siga-o ao pé
da letra e seja preciso, mesmo que os homens
riam de você por ser muito particular; guarde-se
em todo jota e til, e ao espírito vivo dele - e você
não virá abaixo. Então, corra corajosamente ao
trono da graça; como o capítulo conclui. Lá você
obterá a misericórdia de Deus e encontrará
graça para ajuda em tempos de necessidade.
Apegue-se ao propiciatório como Joabe aos
chifres do altar. Ore muito, ore sempre; clame a
Deus por ajuda. Sua ajuda vem das colinas
eternas, e à medida que você se torna mais e
mais prevalecente na oração, você sentirá que
você não está aquém, pois Deus lhe ouve, e Ele
não lhe ouviria e responderia dia a dia se você
fosse afinal de contas, falhar na fé que traz a
33
alma para o seu descanso. Em uma palavra,
acredite plenamente! Se fomos cristãos meio-e-
meio, sejamos cristãos inteiros! Se nós temos
dado a Deus um pouco do nosso tempo, um
pouco da nossos bens, um pouco de nós
mesmos, vamos ser batizados no Senhor Jesus
Cristo! Vamos ser sepultados com Ele,
entregues a Ele totalmente, não mais
aspergidos com um pouco de graça que nos
basta para nos salpicar com piedade suficiente
para nos tornar decentes, mas para sempre
mortos para o mundo e vivos para Deus em
novidade de vida! Vale a pena? Ó tu que és
comprado com sangue, Jesus é digno de todo o
teu ser? Você professa ser cristão! Então, eu
cobro dessa profissão para responder a minha
pergunta! A fé de Deus e o reino de Deus valem
todo o seu ser? Eu sei qual é a sua resposta se
você for sincero. Você dirá: “Se eu tivesse dez
mil línguas, nenhuma deveria ficar em silêncio.
Se eu tivesse dez mil corações, daria tudo a Ti!”

Ó irmãos e irmãs, não fizemos o suficiente para


Deus porque não amamos a Deus o suficiente!
Nós não somos poderosos porque não somos
intensos. Se estivéssemos em chamas com
amor, deveríamos ser muito diferentes; mas nós
somos frios, carnais, mundanos, e indiferentes -
e seremos curtos se não mudarmos! Que Deus
em infinita misericórdia faça com que a fé que
34
está em nós cresça até que afete toda a nossa
natureza e o zelo dela nos consuma! Amém.

PARTES DAS ESCRITURAS LIDAS ANTES DO


SERMÃO - HEBREUS 3: 12-19; 4.

Hebreus– 3

1 Por isso, santos irmãos, que participais da


vocação celestial, considerai atentamente o
Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão,
Jesus,

2 o qual é fiel àquele que o constituiu, como


também o era Moisés em toda a casa de Deus.

3 Jesus, todavia, tem sido considerado digno de


tanto maior glória do que Moisés, quanto maior
honra do que a casa tem aquele que a
estabeleceu.

4 Pois toda casa é estabelecida por alguém, mas


aquele que estabeleceu todas as coisas é Deus.

5 E Moisés era fiel, em toda a casa de Deus, como


servo, para testemunho das coisas que haviam
de ser anunciadas;

6 Cristo, porém, como Filho, em sua casa; a qual


casa somos nós, se guardarmos firme, até ao
fim, a ousadia e a exultação da esperança.
35
7 Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se
ouvirdes a sua voz,

8 não endureçais o vosso coração como foi na


provocação, no dia da tentação no deserto,

9 onde os vossos pais me tentaram, pondo-me à


prova, e viram as minhas obras por quarenta
anos.

10 Por isso, me indignei contra essa geração e


disse: Estes sempre erram no coração; eles
também não conheceram os meus caminhos.

11 Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no


meu descanso.

12 Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça


haver em qualquer de vós perverso coração de
incredulidade que vos afaste do Deus vivo;

13 pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada


dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim
de que nenhum de vós seja endurecido pelo
engano do pecado.

14 Porque nos temos tornado participantes de


Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim,
a confiança que, desde o princípio, tivemos.
36
15 Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz,
não endureçais o vosso coração, como foi na
provocação.

16 Ora, quais os que, tendo ouvido, se


rebelaram? Não foram, de fato, todos os que
saíram do Egito por intermédio de Moisés?

17 E contra quem se indignou por quarenta


anos? Não foi contra os que pecaram, cujos
cadáveres caíram no deserto?

18 E contra quem jurou que não entrariam no


seu descanso, senão contra os que foram
desobedientes?

19 Vemos, pois, que não puderam entrar por


causa da incredulidade.

Hebreus– 4

1 Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a


promessa de entrar no descanso de Deus,
suceda parecer que algum de vós tenha falhado.

2 Porque também a nós foram anunciadas as


boas-novas, como se deu com eles; mas a
palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto
não ter sido acompanhada pela fé naqueles que
a ouviram.
37
3 Nós, porém, que cremos, entramos no
descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei
na minha ira: Não entrarão no meu descanso.
Embora, certamente, as obras estivessem
concluídas desde a fundação do mundo.

4 Porque, em certo lugar, assim disse, no


tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no
sétimo dia, de todas as obras que fizera.

5 E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão


no meu descanso.

6 Visto, portanto, que resta entrarem alguns


nele e que, por causa da desobediência, não
entraram aqueles aos quais anteriormente
foram anunciadas as boas-novas,

7 de novo, determina certo dia, Hoje, falando


por Davi, muito tempo depois, segundo antes
fora declarado: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não
endureçais o vosso coração.

8 Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso,


não falaria, posteriormente, a respeito de outro
dia.

9 Portanto, resta um repouso para o povo de


Deus.
38
10 Porque aquele que entrou no descanso de
Deus, também ele mesmo descansou de suas
obras, como Deus das suas.

11 Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele


descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o
mesmo exemplo de desobediência.

12 Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e


mais cortante do que qualquer espada de dois
gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e
espírito, juntas e medulas, e é apta para
discernir os pensamentos e propósitos do
coração.

13 E não há criatura que não seja manifesta na


sua presença; pelo contrário, todas as coisas
estão descobertas e patentes aos olhos daquele
a quem temos de prestar contas.

14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como


grande sumo sacerdote que penetrou os céus,
conservemos firmes a nossa confissão.

15 Porque não temos sumo sacerdote que não


possa compadecer-se das nossas fraquezas;
antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa
semelhança, mas sem pecado.

16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente,


junto ao trono da graça, a fim de recebermos
39
misericórdia e acharmos graça para socorro em
ocasião oportuna.”

40