Você está na página 1de 9

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010.0803.1709.

19100

Elaboração de Projetos Executivos para Construção de Infraestrutura da Sede do


Projeto:
Parque Estadual da Serra da Concórdia (PESC).

Protocolo nº: 20100803170919100

Item: Contratação de consultoria PJ especializada para realização de projetos executivos


Assunto: para implantação da infraestrutura da Sede do Parque Estadual da Serra da Concórdia

Aquisição de materiais e
Obras e Instalações x Prestação de Serviços
equipamentos
INFORMAÇÕES

1. JUSTIFICATIVA

O Parque Estadual da Serra da Concórdia (PESC), situado no distrito de Barão de Juparanã, município de
Valença, foi criado através do Decreto Estadual 32.577, de 30 de dezembro de 2002, com área total de 804,41
hectares.
A relevância da criação dessa unidade de conservação de proteção integral consiste em preservar um dos
últimos remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual do Médio Vale do Paraíba do Sul, bem como os
mananciais existentes. Sendo assim, o PESC assegura a preservação da Mata Atlântica local, de espécies
raras, endêmicas e ameaçadas de extinção ou insuficientemente conhecidas da fauna e flora nativas e também
a proteção dos recursos hídricos da região.
Um dos objetivos principais do PESC é integrar corredores ecológicos capazes de garantir a preservação da
diversidade biológica regional, proporcionando o desenvolvimento de iniciativas que conciliem a viabilidade
econômica da região com utilização racional dos recursos naturais, bem como estimular as atividades de
recreação, educação ambiental e pesquisa científica.
Atualmente, ainda ocorrem alguns crimes ambientais na zona de amortecimento do PESC tais como incêndios
em áreas de pastagens e caça predatória, o que vem sendo coibido através de notificações aos proprietários
rurais e fiscalização periódica.
Com o exposto acima, se justifica a necessidade da implantação da sede do PESC, de maneira a consolidar as
atividades ligadas à administração, controle, fiscalização, pesquisa científica e uso público, contratando através
deste TdR os projetos necessários para a licitação das obras, valorizando o patrimônio natural.

2. IDENTIFICAÇÃO

Contratação de consultoria PJ para realização de serviços referentes à elaboração de projetos executivos para
implantação de infraestrutura física em Barão de Juparanã, no município de Valença, prevendo estudo para
zoneamento da área, que abrigará guarita/ pórtico, sede administrativa, centro de visitantes, café/ lanchonete e
lojinha, casa do chefe e alojamento de guarda-parque, conforme este termo de referência, que estabelece as
condições técnicas a serem obedecidas na elaboração dos projetos.
Cada item deste TdR que se relaciona a serviços, etapas e produtos deve ser considerado para cada edificação
ou atividade.

3. OBJETIVO DO TRABALHO

3.1 Objetivo Geral: implantar infraestrutura de apoio à administração, fiscalização e uso público da unidade,
conforme atividades abaixo:
3.1.1 Elaboração dos Projetos de Arquitetura e Complementares de todas as edificações e de
urbanização e paisagismo, em nível executivo, conforme programa básico e áreas
aproximadas a seguir:
3.1.1.1 Pórtico/ Guarita com sanitário – 10m²;
3.1.1.2 Sede administrativa: recepção, sala do chefe, sala dos técnicos, sala de reunião,

1/9
acervo técnico/sala de estudos, dois banheiros com chuveiro, área de serviço com
tanque e lava pés, depósito, banheiro de serviço com chuveiro, copa/cozinha e 2
alojamentos para funcionários/pesquisadores (masculino e feminino )com banheiro
completo – 130 m²;
3.1.1.3 Centro de visitantes: com recepção, área para exposições (temporária e permanente),
auditório para 50 pessoas, depósito, almoxarifado, banheiros – 150 m² e
estacionamento para 10 carros e um ônibus de turismo – 250 m²;
3.1.1.4 Café/lanchonete e lojinha (estudar a possibilidade de integração com o centro de
visitantes): cozinha, vestiário para funcionários, balcão para venda de bebidas e
alimentos, balcão para venda de souvenires, espaços interno e externo para mesas e
cadeiras – 40 m²;
3.1.1.5 Casa do chefe; com varanda, sala de estar/jantar, copa/cozinha, área de serviço,
banheiro, dois quartos e garagem coberta para um carro - 100 m²;
3.1.1.6 Alojamento de guarda-parques; com varanda, sala de convivência (estar/jantar),
cozinha, área de serviço com lava-pés, dois alojamentos para 4 pessoas cada
(beliches), dois banheiros, sala para administração para 2 pessoas, depósito,
almoxarifado/oficina, estacionamento coberto para dois carros – 220 m²;
3.1.1.7 Estudo e especificações para a implantação de equipamentos e mobiliário destinados
ao uso público, como estacionamentos, mirantes, decks, bancos e áreas de lazer e
contemplação por toda a área, além de proposta para o acesso, considerando as
barreiras artificiais (linha férrea, estrada).

3.2 Objetivos Específicos:


3.2.1 Elaborar diagnóstico, zoneamento e estudos preliminares de arquitetura e paisagismo;
3.2.2 Elaborar anteprojeto de arquitetura, paisagismo e complementares;
3.2.3 Elaborar projetos executivos de arquitetura, paisagismo e complementares;
3.2.4 Elaborar memorial descritivo, caderno de especificações, planilhas orçamentárias, cronogramas,
perspectivas, maquete eletrônica e entregar ARTs.

4. SERVIÇOS, ETAPAS E PRODUTOS

4.1 Serviços:
4.1.1 Diagnóstico – identifica as caracteríscas do terreno e do entorno e realiza levantamento das
edificações existentes, apontando potencialidades.
4.1.2 Zoneamento de usos – localiza no terreno os principais acessos e ligações, atividades e
edificações.
4.1.3 Projeto de arquitetura – abrange as soluções de agenciamento dos espaços internos e
externos das edificações para atendimento do programa de necessidades, assim como o
tratamento plástico a ser dado em seus elementos externos e internos. Inclui o layout de
todas de todas as edificações, com especificação de mobiliário;
4.1.4 Projeto urbano-paisagístico – gera soluções dos espaços externos de modo a integrar as
edificações, prevendo acessos, estacionamentos e demais áreas previstas neste TdR,
especificando materiais, soluções de drenagem e todas as espécies vegetais utilizadas.
4.1.5 Projeto de estrutura – conjunto de elementos gráficos, como memoriais, desenhos e
especificações, que visa definir e disciplinar a execução de parte da edificação considerada
resistente às ações e coações atuantes.
4.1.6 Projeto de instalações elétricas – abrange as redes internas e externas de energia para
alimentação de equipamentos eletro-eletrônicos e aparelhos de iluminação, devendo ser
estudada proposta para sistema complementar de iluminação e de aquecimento de água com
energia solar, contempla todos os cálculos e especificações necessários;
4.1.7 Projeto de instalações especiais de telefonia e lógica – abrange as redes internas de

2/9
monitoramento, lógica e telefonia, contempla todos os cálculos e especificações. O projeto de
lógica deverá ser submetido à GETEC (Gerência de Tecnologia de Informação) para
apreciação da concepção e avaliação da compatibilidade com o sistema do INEA (Instituto
Estadual do Ambiente).
4.1.8 Projeto de instalações hidro-sanitárias – inclui as redes de alimentação e distribuição interna
de água, rede interna e despejo final de esgotos sanitários, rede de coleta e de esgotamento
de águas pluviais, dimensionamento dos elementos e cálculos;
4.1.9 Prevenção de incêndios – conjunto de elementos gráficos, como memoriais, desenhos e
especificações, que visa definir e disciplinar a instalação de dispositivos de detecção e
alarme de incêndio; prevê cálculos e especificações;
4.1.10 Memorial descritivo e caderno de especificações – contém descrição das soluções adotadas
nos projetos e inclui a indicação detalhada de todos os cálculos e especificações dos
materiais, sistemas e equipamentos que serão empregados na obra;
4.1.11 Planilhas orçamentárias – elaboração de planilha de custos com quantitativos de todos os
materiais e serviços necessários para realização da obra, no padrão EMOP, especificando na
íntegra as referências e textos dos ítens;
4.1.12 Cronograma físico-financeiro de execução do projeto – indica tempo e valores por etapas.
4.1.13 Perspectivas – abrange ilustrações das soluções internas e externas da proposta; devem ser
entregues no mínimo uma perspectiva interna e uma externa de cada edificação e uma geral
de todo o conjunto.
4.1.14 Maquete eletrônica – representa cada edificação e o conjunto volumetricamente. Deve
representar também o paisagismo.
4.1.15 ART – Anotação de Responsabilidade Técnica junto ao conselho responsável de todos os
componentes dos serviços, inclusive os subcontratados.

4.2 Etapas/Produtos:
4.2.1 Diagnóstico: deverá ser representado através de planta de situação e desenhos
esquemáticos, indicando as características do terreno e do entorno, assim como orientação
solar, ventos dominantes, dimensões, relevo, principais acessos e demais observações feitas
na visita técnica.
4.2.2 Zoneamento dos Usos: deverá ser representado através de planta de situação e desenhos
esquemáticos, propondo o estudo de massas: localização das edificações, áreas de lazer e
acessos.
4.2.3 Projeto de paisagismo será desenvolvido em três etapas, a saber:
4.2.3.1 Estudo preliminar- deve complementar o estudo inicial de arquitetura, identificando
acessos e massas.
4.2.3.2 Anteprojeto – definição de todas as áreas externas através da planta de situação
do terreno; definição de acessos e áreas destinadas a uso público, especificação
dos materiais e espécies vegetais a serem utilizados.
4.2.3.3 Projeto Executivo – planta de situação definitiva e demais desenhos que forem
necessários, especificação de revestimentos e acabamentos de áreas externas,
espécies vegetais, definição e detalhamento de mobiliário, equipamentos, aspectos
construtivos e sistemas de drenagem.
4.2.4 Projeto de Arquitetura, a ser desenvolvido em três etapas, a saber:
4.2.4.1 Estudo Preliminar – constitui a configuração inicial da proposta, contendo a
soluções plásticas e técnicas, atendendo as principais exigências do programa de
necessidades. Deverá ser apresentado através de: planta de situação, planta-
baixa, cortes e perspectivas com definição de todos os espaços e equipamentos
necessários para cada espaço ou edificação.
4.2.4.2 Anteprojetos – abrange o desenvolvimento da solução arquitetônica adotada, que
deverá orientar as propostas das demais disciplinas, deverá ser apresentado
através de: planta de situação ajustada de acordo com o projeto de paisagismo,

3/9
planta baixa, cortes, fachadas e especificação dos materiais e revestimentos de
pisos, paredes, tetos, bancadas e outros elementos que se façam necessários.
4.2.4.3 Projetos executivos – desenvolvimento e detalhamento do anteprojeto aprovado, a
fornecer todas informações arquitetônicas necessárias à construção. Compreende
os elementos do anteprojeto e todos detalhes necessários para a perfeita execução
da obra, tais como plantas de teto, planta de paginação do piso, detalhamento dos
banheiros e cozinhas, detalhamento das escadas e outros elementos que se façam
necessários, inclusive layout e especificação de mobiliário.
4.2.5 Projeto estrutural será desenvolvido em duas etapas, a saber:
4.2.5.1 Anteprojeto – constando todos os desenhos de formas e respectivos quadros de
quantidades estimadas, além das soluções técnicas adotadas;
4.2.5.2 Projeto Executivo – constando de plantas, cortes e detalhes cotados, com
dimensionamento dos elementos estruturais e distribuição de ferragens
necessárias à sua execução;
4.2.6 Projeto de instalações elétricas (força e iluminação) será desenvolvido em duas etapas, a
saber:
4.2.6.1 Anteprojeto – planta de situação com os pontos de iluminação externa, de caráter
funcional; planta baixa de cada pavimento, com indicação dos principais pontos de
iluminação e alimentação elétrica dos ambientes internos.
4.2.6.2 Projeto executivo – planta de situação definitiva com os pontos de iluminação
externa, de caráter funcional, com a rede elétrica externa, tipo subterrânea, para
atender as cargas de iluminação; planta baixa definitiva de cada pavimento, com
indicação de todos os pontos de iluminação e alimentação elétrica dos ambientes e
a rede elétrica interna, para atender as cargas de luz, força e ar condicionado,
tubuladas em baixa tensão; entrada, quando em baixa tensão, tipo subterrâneo
(área) com medição de energia; quadros especiais de distribuição de luz e força
localizadas nos diversos recintos e blocos; planilhas das cargas de luz e força;
Sistema de proteção contra raios, quando necessários; listagem das características
dimensionais e construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações.
4.2.7 Projeto de instalações de telefonia e lógica, será desenvolvido em duas etapas, a saber:
4.2.7.1 Anteprojeto – planta de situação e localização indicando o tipo de entrada e o
ponto de abastecimento; plantas baixas, conforme a subdivisão iniciada no projeto
arquitetônico, indicando a posição e tipos dos pontos telefônicos.
4.2.7.2 Projeto executivo – planta definitiva de situação e localização, com as mesmas
informações do anteprojeto; plantas baixas definitivas, de cada pavimento e de
cada setor com as mesmas informações do anteprojeto, além de antena e caixas
de distribuição; corte esquemático, mostrando todas as prumadas, com as
respectivas caixas de passagem e de distribuição; as especificações de materiais
constarão de listagem das características dimensionais e construtivas dos materiais
a serem utilizados nas instalações.
4.2.8 Projeto de instalações hidro-sanitárias, será desenvolvido em duas etapas, a saber:
4.2.8.1 Anteprojeto – planta de situação das instalações hidrosanitárias externas,
indicando a localização das redes externas de alimentação de água, inclusive
reservatórios, irrigação e propósitos afins, de pequeno porte; rede externa e
despejo final de esgotos sanitários; rede de coleta e despejo de águas pluviais;
Planta baixa de cada pavimento, indicando a posição e o tipo dos diversos
aparelhos sanitários, dos pontos de alimentação e consumo, a posição das colunas
de água, de esgotos, de águas pluviais e de ventilação, além dos elementos de
comando.
4.2.8.2 Projeto executivo – planta de situação definitiva das instalações hidrosanitárias
externas, indicando a localização e o dimensionamento das redes externas de
alimentação de água, inclusive reservatórios, irrigação e propósitos afins, de
pequeno porte; rede externa e despejo final de esgotos sanitários; rede de coleta e
despejo de águas pluviais; plantas baixas definitivas de cada pavimento e de cada

4/9
setor, com as mesmas informações do anteprojeto; perspectivas isométricas das
tubulações que abastecem os conjuntos sanitários, lavanderias e cozinhas; planta
baixa do barrilete de distribuição de água; cortes esquemáticos dos diversos
blocos, indicando o pé direito, os desvios necessários e outros elementos
característicos das instalações hidráulicas, para edificações com mais de dois
pavimentos; detalhes dos reservatórios de água de suas ligações e das bombas de
recalque, quando existir; detalhes dos dispositivos de despejo final de esgotos
sanitários (fossa, filtro, etc.); listagem das características dimensionais e
construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações.
4.2.9 Projeto de prevenção de incêndios:
4.2.9.1 Anteprojeto – apresentação de todas as plantas que possuam instalação e alarme
de incêndio, com indicação dos dispositivos;
4.2.9.2 Projeto executivo – plantas definitivas com esquema elétrico da fonte de instalação,
lista detalhada de equipamentos e materiais da instalação e respectivas garantias.
4.2.10 Memorial descritivo, perspectivas, caderno de especificações, planilhas orçamentárias e
cronograma físico-financeiro, maquete digital e ART deverão ser entregues após a aprovação
do projeto executivo.

4.3 Forma de apresentação dos produtos


4.3.1 Os produtos de todas as etapas de trabalho deverão ser apresentados à GEPRO/DIBAP –
INEA sob a forma de relatórios técnicos, em cadernos impressos, coloridos, em formato e
escala compatíveis para cada etapa.
4.3.2 Os relatórios técnicos das etapas iniciais referentes a zoneamento de usos e estudos
preliminares serão apresentados em apenas 1 (uma) cópia impressa (GEPRO) e 2 (dois)
CDs gravados (GEPRO e contratante).
4.3.3 Os relatórios técnicos da etapa de anteprojetos de arquitetura, estrutura e demais instalações
serão apresentados em 2 (duas) cópias impressas (GEPRO e PESC) e 3 (três) CDs
gravados (GEPRO, PESC e contratante).
4.3.4 Os relatórios técnicos da etapa de projetos executivos de arquitetura, estrutura e demais
instalações serão apresentados em 3 (três) cópias impressas (2 GEPRO (arquivo e
empreitera que executará obra e PESC) e 4 (quatro) CDs gravados (2 GEPRO (arquivo e
empreitera que executará a obra), PESC e contratante).
4.3.5 Todos os produtos dos relatórios técnicos deverão ser fornecidos em meio digital, através de
CDs gravados nos formatos e ferramentas utilizadas para sua elaboração/edição – Word,
Excel, Autocad e/ou outras soluções usuais e também em pdf.
4.3.6 As representações gráficas das soluções adotadas em todos os projetos deverão ser feitas
através de desenhos digitalizados, elaborados conforme exigências das normas da ABNT,
em escalas, padrões e legendas compatíveis, compreendendo, entre outros tipos de
representação necessários ao entendimento da proposta, plantas de situação, plantas
baixas, plantas de teto refletido, cortes, fachadas, vistas e elevações, detalhes e pormenores,
ilustrações e perspectivas.
4.3.7 Os carimbos de todas as pranchas, assim como as capas de todos os relatórios técnicos dos
produtos, deverão conter as seguintes informações:
Governo do Estado do Rio de Janeiro / Secretaria de Estado do Ambiente – SEA/
Instituto Estadual do Ambiente – INEA
Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas – DIBAP
Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral – GEPRO
Projeto: Implantação da Sede do Parque Estadual da Serra da Concórdia
Projeto financiado com recursos de compensação ambiental e executado pelo FMA...,
processo...
Descrição da prancha: Número da prancha:

5/9
Escala: Setagem: Data, inclusive correções:
Responsável pelo projeto, CREA: Desenho:
4.3.8 Nos desenhos dos estudos preliminares constarão as soluções de organização dos espaços,
com layout de lançamento do mobiliário básico, a solução plástica adotada e as principais
características construtivas.
4.3.9 Nos desenhos dos anteprojetos, representados nas escalas 1/50 e/ou 1/75, serão indicadas
as soluções arquitetônicas adotadas e as propostas para os sistemas e redes de
infraestrutura, devidamente cotadas e com especificação básica de materiais de acabamento.
4.3.10 Nos desenhos dos projetos executivos, representados nas escalas 1/50 e/ou 1/75, constarão
as soluções definitivas adotadas, com indicação de todos os pormenores que constituem a
obra a ser executada, incluindo as especificações do mobiliário, materiais de acabamento,
dos sistemas construtivos e equipamentos.
Considerando as características do terreno e do entorno (topografia, ventos dominantes, insolação
etc), os projetos elaborados neste contrato poderão ser implantados em outras unidades de
conservação a critério do INEA, resguardando a autoria do projeto. No caso de necessidade de
alguma modificação será consultado o autor. O projeto passa a ser propriedade do INEA, o qual
respeitará a legislação pertinente aos direitos autorais.

5. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES E PRAZOS

O prazo total para realização do serviço é de até 160 dias após assinatura do contrato.
Poderá haver prorrogação do prazo, caso exista a necessidade, desde que ocorra uma justificativa por escrito
pela contratada ao INEA e este submeter a aprovação ao contratante, além de um novo cronograma. Segue
cronograma:

1º mês 2º mês 3º mês 4º mês 5º mês


Atividades
15 10 5 15 10 5 5 10 15 5 10 15 15 10 5
dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias dias

Diagnóstico,
Levantamento e x
Estudos Preliminares
Avaliação do
diagnóstico,
x
levantamento e
estudos preliminares
Anteprojetos x x x
Avaliação dos
x x
anteprojetos
Projetos executivos x x x

Avaliação dos
x
projetos executivos
Memorial descritivo,
perspectivas,
caderno de
especificações, x x
planilhas,
cronograma,
maquete e ARTs
Avaliação do
memorial descritivo,
perspectivas,
caderno de
x
especificações,
planilhas,
cronograma,
maquete e ARTs

6. FORMA DE PAGAMENTO

6/9
O pagamento será efetuado após a aprovação de cada etapa, em no máximo 10 dias úteis, contra a
apresentação e aceite da fatura/ nota fiscal dos serviços prestados, após apreciação e aprovação dos produtos
relacionados e emissão do parecer técnico de aceite de cada etapa pela GEPRO.

Atividades Valor

Diagnóstico, Levantamento e Estudos


20%
Preliminares
Anteprojetos 30%
Projetos Executivos 30%
Memorial descritivo, perspectivas, caderno de
especificações, planilhas, cronograma,maquete 20%
e ARTs
Desembolso 100%

7. HABILITAÇÃO TÉCNICA

A empresa a ser contratada deve possuir experiência comprovada em projetos de arquitetura com conceitos de
conforto ambiental e energias renováveis ou já ter elaborado projetos em parques e/ou outras unidades de
conservação.
Deve respeitar as legislações vigentes, as características do terreno e a minimização dos impactos ambientais;
deve ser apto a exercer as atividades perante o CREA e apresentar ART de todos os serviços.
Deve possuir ainda, como equipe mínina:
um arquiteto coordenador;
um projetista de instalações;
um calculista;
um paisagista;
um consultor em sustentabilidade.
Os profissionais participantes da equipe deverão ser os mesmos que assinarão as ARTs.

8. PRAZO

8.1 Realização de visita técnica - marcar após assinatura do contrato;


8.2 Entrega do diagnóstico, levantamento e estudos preliminares – 15 dias após a visita técnica;
8.3 Entrega dos anteprojetos – 30 dias após a aprovação do diagnóstico, levantamento e estudos
preliminares;
8.4 Entrega dos projetos executivos – 30 dias após o aceite dos anteprojetos;
8.5 Memorial descritivo, perspectivas, maquete, caderno de especificações, planilhas, cronograma, e ARTs –
30 dias após o aceite dos projeto executivos;
8.6 O prazo total para execução dos serviços é de até 145 dias após assinatura do contrato;
8.7 Visitas às obras – marcar uma durante a realização dos serviços e outra no final, antes do aceite final.

7/9
9. OBRIGAÇÕES

9.1 Obrigações do INEA:


9.1.1 Prestar as informações e os esclarecimentos que venham a ser solicitados, bem como
disponibilizar-se para reuniões;
9.1.2 Supervisionar e acompanhar o desempenho dos projetos e suas etapas, assim como
convocar a qualquer momento o executor para prestar esclarecimentos ou sanar dúvidas;
9.1.3 Avaliar medições e produtos de cada etapa em até 10 dias, no máximo.

9.2 Obrigações da contratada:


9.2.1 Considerar a inserção de conceitos de uso racional/renovável de energia e materiais, conforto
ambiental e arquitetura bioclimática, considerando o entorno, os ventos dominantes, a
orientação solar e as características do terreno (áreas alagadiças, acessos etc);
9.2.2 Inserir no projeto conceitos de acessibilidade universal;
9.2.3 Compatibilizar os projetos de arquitetura e complementares a fim de permitir a construção
sem necessidade de alteração posterior;
9.2.4 Atentar ao problema de umidade ascendente, recorrente em unidades de conservação;
9.2.5 Apresentar os projetos com detalhamento de projeto executivo, visando à licitação imediata
das obras;
9.2.6 Submeter o trabalho a ser desenvolvido à aprovação da Gerência de Unidades de
Conservação de Proteção Integral (GEPRO) da DIBAP/ INEA e do chefe da unidade;
9.2.7 Executar todos os serviços e apresentar todas as informações contidas nos projetos
rigorosamente em consonância com as normas da ABNT;
9.2.8 Obedecer ainda todas as indicações da licitação e do contrato jurídico;
9.2.9 Realizar visita técnica à área, com o objetivo de desenvolver diagnóstico e estudo preliminar;
9.2.10 Realizar pelo menos duas visitas durante a execução das obras para qualquer
esclarecimento.
9.2.11 Estar durante a consultoria em contato com o chefe da unidade, com a equipe da
GEPRO/INEA e contratante para troca de informações, documentos e orientações técnicas,
definição de tarefas, prazos e critérios para aprovação, adequação de estudos à execução e
agendar visita técnica;
9.2.12 Realizar o serviço objeto deste estudo dentro da boa técnica e em conformidade legal e
fornecer sempre que solicitado informações e documentos necessários ao desenvolvimento
do projeto;
9.2.13 A proposta apresentada deverá conter no preço global todos os componentes do custo,
inclusive gastos com passagens, diárias, combustível, cópias, plotagens, projetos
subcontratados, bem como quaisquer gastos oriundos de obrigações eencargos fiscais,
tributários, trabalhistas e previdenciários;
9.2.14 Apresentar a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART dos projetos junto ao CREA/RJ,
assinada e quitada.
9.2.15 Estar disponível durante a execução das obras para sanar qualquer dúvida e resolver
qualquer problema relativo aos serviços prestados.
9.2.16 Cumprir todas as diretrizes, realizar todas as tarefas e entregar todos os produtos deste TdR.

8/9
9/9

Interesses relacionados