Você está na página 1de 17

RESUMO DE HISTÓRIA DA ARTE - PROF.

LEONARDO
Email: leo_nickson@hotmail.com
________________________________________________________________

1. DEFINIÇÃO

- A arte é o estudo do belo.


- Deve-se destacar que a noção de beleza
é relativa (varia conforme o local, época e
as preferências de cada indivíduo).
- através da arte o homem expressa seus
sentimentos.

- GÊNEROS ARTÍSTICOS: pintura,


escultura, arquitetura, música, teatro,
fotografia, cinema, etc.

2. PRÉ- HISTÓRIA 3. ARTE EGIPCIA

PALEOLÍTICO - Arte ligada à religião e crença na vida


após a morte.
PINTURA: Arte rupestre (pintura na parede
das cavernas). ARQUITETURA: Pirâmides (grandes
túmulos para os faraós).

-Xamãnismo: acreditava-se que a pintura PINTURA: seguia a “lei da frontalidade”


atraía o espírito dos animais. (cabeça e membros de perfil e tronco de
frente).
ARQUITETURA: Monumentos Megalíticos
(construções feitas com grandes pedras).
- Ex: Stonehenge.

ESCULTURA: teve como característica o


naturalismo (cópia do real sem deformá-lo).
NEOLÍTICO Sua função era garantir um corpo para a
ESCULTURA: pequenas estátuas vida após a morte.
femininas com função de atrair a fertilidade.
- Ex: Vênus de Willendorf. 4. ANTIGUIDADE CLÁSSICA: ARTE
- a pintura no neolítico ganha formas GREGA
simplificadas, o que posteriormente dará
origem a escrita. ESCULTURA (período clássico): conquista
do “movimento”.
-Materiais utilizados: mármore e bronze.
-Princípios estéticos: simetria, harmonia,
elegância e proporcionalidade.
Ex: discóbolo.

5. ANTIGUIDADE CLÁSSICA: ARTE


ROMANA
- A arte romana recebeu influência grega
(ideal de beleza) e etrusca (arcos).

ARQUITETURA
- As esculturas do período helenístico
- Os romanos foram “práticos”,
focaram no nu feminino e na
desenvolvendo uma arte ligada ao
dramaticidade. Ex. Lacoonte e seus filhos.
urbanismo.
- Aquedutos: sistema de transporte de
águas.
-Sistema de estradas: ex. via Ápia.
-Cloaca máxima: sistema de esgotos.
-Termas: banhos públicos.
- Coliseu: anfiteatro onde ocorriam as lutas
dos gladiadores.

ARQUITETURA: Paternon (mesmos


princípios estéticos da escultura).

- Utilização da proporção áurea (1,618)

PINTURA: destaque para as pinturas


eróticas nas paredes de Pompeia.

ESCULTURA: influência grega, porém


representavam pessoas importantes
(principalmente imperadores)

- Três estilos de capitéis desenvolvidos


pelos gregos: (da esquerda para direita: 6. IDADE MÉDIA: ARTE BIZANTINA
dórico, jônico e coríntio).
- Desenvolveu-se na parte oriental do
Império Romano
- A arte foi utilizada como forma de difusão
da fé cristã. (TEOCENTRISMO)
MOSAICO: pedaços de pedras coloridas
lado a lado. Apresentavam temas políticos
e religiosos.

PINTURA: se desenvolveu nos vasos de


cerâmica.
- Dois estilos: figuras negras e figuras
vermelhas.
ÍCONES: pinturas de figuras religiosas. 8. IDADE MÉDIA: ARTE GÓTICA
Utilizava-se a técnica do afresco (pintura
nas paredes com a massa ainda fresca) e a CONTEXTO: corre na Europa entre o
tinta era a têmpera (a base da gema de século XII e XIV. Neste período, a Europa
ovo). Ex. Mãe de Deus Odiguítria. vivia o desenvolvimento das cidades e do
comércio.
- O termo “gótico” foi empregado de forma
pejorativa pelos renascentistas, que
julgavam a arte medieval como rústica e
pouco desenvolvida.

CARACTERÍSTICAS: verticalidade,
luminosidade, vitrais coloridos, três arcos
na entrada, paredes finas, rosácea.
Ex. Catedral de Notre-Dame.

7. IDADE MÉDIA: ARTE ROMÂNICA


- Ocorre na Europa medieval entre o século
XI e XII;
- As catedrais possuíam as seguintes
características: um arco na entrada,
horizontalidade, paredes grossas, poucas
janelas, pouca iluminação interna. Ex. Sé
velha de Coimbra.

9. IDADE MODERNA: ARTE


RENASCENTISTA

- Os renascentistas negaram a arte


medieval, buscando influência na arte
grecorromana (clássica).
- Valores da época: antropocentrismo,
racionalismo, cientificismo, naturalismo,
realismo, hedonismo.
- Técnicas: tinta a óleo, pintura em tela,
sfumatto (gradação de tons), perspectiva
- Pintura românica: temática religiosa, (3D), utilização da matemática (proporção).
função didática, afresco, - os temas são religiosos, mitológicos e
desproporcionalidade, colorismo. laicos.
Ex. Cristo em majestade.
PINTURA: Leonardo da Vinci (Obra:
Monalisa).
-temas: principalmente religiosos, mas
também ocorreram temas mitológicos e
laicos.

PINTURA: Caravaggio (obra: Tomé)

ESCULTURA: Michelângelo (Obra: David).

ESCULTURA: Bernini (obra: David)

ARQUITETURA: seguiu os princípios


clássicos (funcionalidade, elegância,
solidez, simetria, harmonia).
Ex. Capela Pazzi.

RENASCIMENTO FORA DA ITÁLIA


-destaque para os seguintes artistas: 11. NEOCLASSICISMO (SÉC. XVIII e XIX)
Bosch, Holbein, Dürer e Brueguel.
CONTEXTO: Ocorriam na Europa as
revoluções burguesas (Rev. Francesa e
Industrial). O neoclassicismo é a arte a
serviço dos ideais revolucionários.
Importante lembrar que nesta
época surgem as academias de arte, que
retomam a antiguidade clássica como
modelo para a elaboração artística.

CARACTERÍSTICAS:

-racionalismo (em oposição a emoção da


10. BARROCO (SÉCULO XVII) arte barroca)
- retomada dos ideais clássicos
CONTEXTO: com a reforma protestante, a -temas políticos e mitológicos
Igreja Católica reage através da - obra de arte perfeita (idealismo)
contrarreforma, que entre outras medidas,
buscou difundir a fé católica através das
artes.

CARACTERÍSTICAS:

- Incitar a fé através da emoção


- Dualismo (fé X razão, corpo X alma...)
- realce (sombra X luz)
- Assimetria
- drama
PINTURA: Louis David- Juramento dos 14. ART NOUVEAU (SÉC. XIX)
Horácios (obra acima)
CARACTERÍSTICAS:
ARQUITETURA: Panteão Nacional
- A “Arts and crafts movement” defendia a
união entre a produção industrial e a
artesanal. Este princípio também norteou a
“art nouveu”.
- decoração
-linhas sinuosas
- design de interiores
-oposição à forma mecânica, reprodutivista.
- destaque para Gustav Klimt na pintura

ARQUITETURA
Ex: Vitor Horta.

12. ROMANTISMO (SÉC. XIX)

CARACTERÍSTICAS: valoriza a emoção, o


presente, a imaginação, nacionalismo, etc.
PINTURA: Delacroix (Obra: liberdade
guiando o povo).

15. INVENÇÃO DA FOTOGRAFIA

A primeira fotografia permanente


surge nesta época, possibilitando novas
experiências estéticas na pintura.
13. REALISMO (SEC. XIX)
CRONOLOGIA
CONTEXTO: surge na época das grandes
transformações técnicas e sociais - existem relatos que Leonardo da Vinci
provocadas pela revolução Industrial. Tem utilizava a câmara escura para compor
como características a ausência de suas pinturas.
idealizações, denúncia sobre a questão 1826: Primeira fotografia permanente;
social do trabalho. 1837: Daguerre cria uma câmera portátil e
com revelação mais rápida.
PINTURA: Courbet (Obra: quebradores de 1861: primeira fotografia colorida;
pedras) - Muybridge desenvolve estudo sobre o
movimento que posteriormente dará origem
ao cinema.

-Importante destacar que a fotografia


também é uma forma de arte, já que a
escolha da cena pelo fotógrafo pressupõe
sensibilidade e intencionalidade artística.
- No Brasil, os principais fotógrafos foram
Marc Ferrez (retratou a paisagem e a
realidade social do final do século XIX e
início do XX) e Sebastião Salgado (realizou
fotojornalismo, fazendo fotografia de PAUL CEZZANE: sua tendência
denuncia social). geometrizante vai influenciar o cubismo.

18. VANGUARDAS ARTÍSTICAS


EUROPÉIAS (MODERNISMO)
16.IMPRESSIONISMO (SÉCULO XIX - CONTEXTO: A Europa vive a Belle
BELLE ÉPOQUE) Époque, período que vai do final do século
XIX até 1914. Vive-se a euforia das
CARACTERÍSTICAS: cidades, do luxo e desenvolvimento
capitalista. A eclosão da 1ª guerra mundial
- estudo da luz (as cores dos objetos vai provocar o questionamento sobre a
mudam conforme a incidência da luz solar) suposta superioridade européia.
-captar o momento. - A arte modernista irá refletir estes dilemas
-pinceladas leves, sem contorno nítido ao romper com a arte academicista
(criticado na época). tradicional e criar novas concepções
artísticas.
Ex. Monet (Obra: Impressão, nascer do sol) - Vanguarda significa um novo estilo, uma
nova concepção estética.

FAUVISMO
- violência nas cores
- simplificação das formas
-ausência de crítica
Ex. Henri Matisse (Obra: A dança)

- Destaque também para Degas (pintava


bailarinas em movimento) e Renoir (pintava
a vida da alta burguesia no final do XIX).

17. PÓS- IMPRESSIONISMO FUTURISMO


-postura política direitista (arte ligada aos
CARACTERÍSTICAS: Parte do ideais fascistas)
impressionismo, aglutinando diversos - exaltação das máquinas e da velocidade
artistas com características próprias. O que -apologia à guerra
os une é preocupação com o estudo da - a arte representa o movimento dos
cor. objetos.
Ex. Bocionni (obra: “continuidade de tempo
- VAN GOGH (Obra: trigal com corvos) e espaço”)
EXPRESSIONISMO - automatismo psicológico: cria-se sem
pensar previamente, para que a
- deformação, pessimismo, contorção, inconsciente aflore neste ato.
medo, ansiedade, exaltação do “feio”. - Ex. Salvador Dali (Obra: a persistência da
-Ex. Edward Munch (“O grito”) memória)

ARTE ABSTRATA
- liberdade de criação, ausência de relação
CUBISMO com o real, fuga da realidade.
Rompeu com a imitação perfeita da Ex. Mondrian - abstracionismo geométrico.
natureza; desintegração da figura em
formas geométricas, escultura africana
como influência para a composição dos
rostos; bidimensionalidade;
Ex. Pablo Picasso (“Guernica”)

19. OP ART

CONTEXTO
DADAÍSMO
O mais radical dos movimentos O período pós-segunda guerra vai
vanguardistas, baseou-se na barbárie da ficar marcado pela guerra fria, consumismo
primeira guerra, non-sense; repúdio ao (EUA), desenvolvimento tecnológico,
domínio da consciência; movimentos de contestação (mov. Hippie,
- ready-made: escolhe-se um objeto e o tira protestos na Europa, etc.) As
de seu uso convencional para torná-lo uma manifestações artísticas do período estarão
arte. ligadas a este contexto.
- ex. Duchamp (Obra: roda de bicicleta).
CARACTERÍSTICAS

Compõe-se de obras em que


figuras geométricas em preto-e-branco ou
coloridas são combinadas de modo a
causar no observador sensações de
movimento (psicodelia)
- Ex. Pal-ket

SURREALISMO
Parte do dadaísmo; aquilo que
subjaz a noção do real, acrescenta a razão
a imaginação, o inconsciente.
A psicanálise irá influenciar a elaboração
do estilo;
EXEMPLOS:
20. POP ART (SÉCULO XX)
INSTALAÇÃO: O espaço para a compor a
CARACTERÍSTICAS: obra de arte. (Ex. Helio Oiticica - grande
- Eleva temas da vida cotidiana e objetos núcleo)
comuns a categoria de “obra de arte”.
- impessoalidade do objeto produzido em
massa.
- criação do mito Marlin Monroe pela
repetição da imagem
- estilo neutro e documental (sem
sentimento, pensamento)
- fotos e filmes passam a ser arte de
museu.
- crítica ao consumismo da sociedade LAND-ART: Ocorre a intervenção na
americana pós-segunda guerra. natureza para compor a obra. (Robert
- utilização da serigrafia Smithson- cais ou pier em espiral)
Ex. Andy Warhol (quatro latas de sopa
Campbell)

ARTE CONCEITUAL: a ideia sobre a obra


é que a define com obra de arte. (JOSEPH
21. ARTE CONTEMPORÂNEA KOSUTH - “uma e três cadeiras”)
(SEGUNDA METADE DO SÉC. XX)

CARACTERÍSTICAS:

- Utilização de novos suportes e materiais


para a arte, diferentes dos tradicionais:
qualquer coisa é material para a arte.
-Ampliação dos temas e técnicas
tradicionais da arte.
-Participação do público para interagir com
a obra.
-Busca de uma maior aproximação com a PERFORMANCE: A ação passa a ser tão
vida, com a realidade cotidiana atual, com importante quanto a obra em si. (Ex:
as coisas do mundo, da natureza, da expressionismo abstrato de Pollock)
realidade urbana.
-Caráter político, aliado a uma preocupação
existencial ou às subjetividades.
-Articulação de diferentes linguagens –
dança, música, pintura, teatro, escultura,
literatura etc.
-Volta-se mais decididamente para o
espaço – incorporando-o à obra e/ou
transformando-o –, seja ele o espaço da
galeria, o ambiente natural ou as áreas
urbanas; a arte deixa de estar
exclusivamente em locais tradicionalmente - “GRAFFITI”: arte urbana que surge como
consagrados a ela, como museus e forma de protesto entre grupos
galerias. marginalizados na sociedade. Aos poucos
ganha status de arte, inclusive sendo ARTE INDÍGENA
levado aos museus.
Existe uma diferenciação que pode
se estabelecer entre a arte indígena
brasileira e a produzida pelos povos Maias,
Incas e Astecas. Estes produziram
construções arquitetônicas monumentais,
como pirâmides que lembram as egípcias.

- A arte indígena no Brasil caracteriza-se pela


produção de artefatos de uso cotidiano.
“Grafitti” realizada por Crânio Ex: balaio, rede, cerâmica, armas, instrumentos
musicais, diademas, ocas, malocas, etc.
- importante destacar a diferença entre
pichação (vandalismo) e grafitti (arte sem
realizada com permissão das autoridades).

- “BODY ART” ganha status de arte dentro


de um contexto de culto ao corpo.
Enquanto grupos da sociedade buscam se
adequar aos padrões de beleza impostos
pela mídia, outros grupos buscam realizar
modificações no corpo com forma de
contestação aos padrões estéticos
estabelecidos. Ex. de diadema
Ex: tatuagem, piercing, etc
2. MISSÃO ARTÍSTICA HOLANDESA –
SÉCULO XVII

CONTEXTO: Com a União Ibérica, os


espanhóis eliminam o acordo comercial
entre Brasil e Holanda. Em represália, os
holandeses se instalam no nordeste
brasileiro, trazendo urbanistas, botânicos,
pintores, etc.

CARACTERÍSTICAS:

-Retratou paisagens, tipos étnicos, fauna e


flora;
-criavam quadros fantasiosos para vender
___________________________________ na Europa;
-A inovação está na escolha de temas
HISTÓRIA DA ARTE BRASILEIRA profanos (não religiosos);

-FRANS POST: primeiro paisagista da


1. PRÉ-HISTÓRIA BRASILEIRA E ARTE
América (obra: vista do Itamaracá)
INDÍGENA

ARTE RUPESTRE

No Brasil existem diversas


manifestações de arte rupestre espalhadas
pelo território. Estas inscrições nas paredes
das cavernas revelam o modo de vida da
população da época e são muito parecidas
com a arte rupestre europeia.
Albert Eckhout: pintou tipos humanos,
costumes e natureza morta do Brasil
colonial. (Obra: Tapuia)
3. BARROCO NO BRASIL (SÉC. XVIII) 4. MISSÃO ARTÍSTICA FRANCESA –
SÉC. XIX
- O Barroco é a raiz da arte brasileira, pois
aqui não houve a arte clássica CONTEXTO: As guerras napoleônicas
renascentista. Neste sentido, a criação provocam a vinda da família real ao Brasil.
ocorre a partir do diálogo entre as D. João VI contrata pintores franceses com
diferentes etnias (europeu, indígena e o intuito de criar uma academia de arte no
negro) Rio de Janeiro (AIBA) aos moldes do
- Bahia: arquitetura de igrejas com neoclassicismo.
fachadas simples e interiores talhados em
ouro. NICOLAS TAUNAY: paisagista.
Ex. Igreja de São Francisco (BA)

JEAN DEBRET: retrata a nobreza e cenas


do cotidiano, principalmente a escravidão.
As suas obras sobre os indígenas são
fantasiosas.
- Minas Gerais: o principal artista foi
ALEIJADINHO com suas esculturas em
pedra-sabão na Igreja de São Francisco de
Assis.

5. ARTE BRAILEIRA NA SEGUNDA


METADE DO SÉCULO XIX

- Os artistas deste período estão ligados a


- MANOEL DA COSTA ATAÍDE: pintura em Academia Imperial de Belas Artes (AIBA).
perspectiva no teto da igreja de São A preocupação comum destes artistas era
Francisco de Assis. a construção de uma identidade nacional
ao Brasil, tendo como modelo a civilização
europeia.
PEDRO AMÉRICO: retratou temas bíblicos LASAR SEGALL:
e históricos sob uma ótica nacionalista e -Introduziu o modernismo no Brasil;
seguindo o estilo neoclássico - influência do expressionismo e do
Obras: Tiradentes esquartejado, cubismo em suas obras;
independência ou morte, etc). - retrata o sofrimento humano e suas
impressões sobre o Brasil.

VITOR MEIRELLES: mesclou romantismo


e classicismo para retratar temas
históricos.
Obras: primeira missa, Moema, etc.
ANITA MALFATTI:
- influenciada pelo expressionismo;
- criticada em sua época por ser
modernista;

ALMEIDA JÚNIOR: sua temática


regionalista o torna um precursor da arte
moderna brasileira.
-Obras: o violeiro, caipira picando fumo,
etc.

- Ainda pode-se destacar a obra de Victor


Brecheret, que realizou esculturas
modernas que fogem do naturalismo e
Vicente do Rego, que pintou seguindo uma
temática nacional sobre o índio.

7. A SEMANA DE ARTE MODERNA E O


MODERNISMO

A semana de arte moderna


6. ANTECEDENTES DO MODERNISMO representa a ruptura da arte brasileira com
o academicismo desenvolvido desde a
CONTEXTO: As cidades brasileiras criação da AIBA no século XIX. Mistura-se
procuram se modernizar aos moldes das a influência das vanguardas artísticas
cidades européias. As tecnologias européias com uma arte voltada a temática
desenvolvidas pela revolução industrial essencialmente nacional.
começar a chegar ao Brasil, como o carro,
o telefone, etc. As vanguardas artísticas
européias começam a influenciar a DI CAVALCANTI
produção artística brasileira. - retrata a mulher mulata e seu
sensualismo.
TARSILA DO AMARAL 8. DÉCADA DE 30 E 40

Fase pau Brasil: O modernismo torna-se a tendência


- retrata a oposição entre campo /cidade; dominante nas artes brasileiras deste
progresso e tradição da realidade brasileira período (segunda fase).
da época.
- utiliza cores caipiras PORTINARI
- inspiração cubista
- Retrata temas históricos e o sofrimento
das massas brasileiras, principalmente do
trabalhador rural;
- múltiplas influências: renascimento,
cubismo, muralismo mexicano.

Fase antropofágica:
- manifesto antropofágico (a arte europeia
deveria ser assimilada e transformada em
arte essencialmente brasileira).
- rompimento com o cubismo e ATELIÊS COLETIVOS
aproximação do surrealismo;
Obra: Abaporu. - NÚCLEO BERNADELLI: buscou a criação
de uma escola de arte com inclinação
modernista, em oposição a AIBA. Buscou a
profissionalização do artista.

MILTON DA COSTA
-Desenvolveu um estilo que uniu Cubismo
e Lirismo.

Fase Social: demonstra a preocupação


com a condição dos trabalhadores no
Brasil.
- Obras: operários e segunda classe

- GRUPO SANTA HELENA: formou-se em


São Paulo com artistas de classes
populares, em geral auto-didatas.

ARTISTAS:

ALFREDO VOLPI
-considerado um dos maiores coloristas
brasileiros;
- Parte da pintura figurativa para temas 8. DÉCADA DE 50
geométricos.
- ficou conhecido como pintor de - Na arquitetura pode-se citar a construção
bandeirinhas, que fazem referência a de Brasília, que tem como características a
cultura popular brasileira (Festa Junina). sinuosidade das construções projetadas
por Niemeyer. Este é o maior arquiteto
modernista do Brasil.

- realização da 1ª Bienal de SP, com uma


tendência à abstração que influenciou
GUIGNARD posteriormente o surgimento da arte
concreta no Brasil.
CARACTERÍSTICAS:
-impressão aquosa CONCRETISMO
-decorativismo;
Expressão de sentimentos como tristeza, - oposição ao naturalismo;
abandono, saudosismo, etc. - caráter geométrico (linhas, cores, formas)
- ausência de ideias (somente formas)

NEOCONCRETISMO
- ruptura com o movimento concretista
ARTE NAÏF - opõe-se ao excessivo cientificismo do
- Também chamada de arte primitivista ou concretismo, abrindo espaço para o
ingênua, tem como característica a desenvolvimento da arte contemporânea
simplicidade, sendo elaborada por artistas no Brasil.
que não seguem os padrões acadêmicos
de arte. -LIGIA CLARK
Ex: Mestre Vitalino (obra: Lampião e Maria - superação do suporte, onde a obra de
Bonita) arte vai além dos moldes do quadro.
-arte sensorial.
Ex: “os bichos”
- HELIO OITICICA

- fuga da bidimencionalidade: tira a pintura


do quadro e a leva para o espaço;
- participação do espectador – arte
sensorial;
- teórico de sua própria obra;
- invenção pura em oposição a
representação

NELSON LEINER: crítica ao consumismo e


a mitificação de artistas da televisão.
Também cria obras que levantam o
questionamento sobre o que é uma obra de
arte.
Obra: “a – doração” (Roberto Carlos no
altar com os santos católicos)
9. DÉCADA DE 60 E 70

CONTEXTO: o período ficou marcado pela


ditadura militar no Brasil. Os artistas
ligados à exposição “nova objetividade
brasileira” possuem como característica
comum o engajamento nas questões
políticas e sociais do Brasil. Em relação a
estética, seguiram a linha do
neoconcretismo, ou seja, seguiram as
conquistas da arte contemporânea.

ARTISTAS

CARLOS VERGARA: crítica a ditadura


militar. (instalação “berço esplêndido”)

CILDO MEIRELES: Trabalha com arte


conceitual, principalmente levantando uma
crítica ao imperialismo norte-americano no
Brasil.

RUBENS GERCHMAN: trabalha com o


imaginário nacional e questões do
cotidiano. Segue o estilo da pop art.
Obra: Lindonéia

FRANS KRAJCBERG

-Discute questões ambientais ao elaborar


esculturas com madeira queimada em
áreas de desmatamento.
ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA

- crítica a rigidez do estilo moderno.


- reavaliação do papel dos estilos históricos
- engloba diversos estilos como o
vernacular, o high tech, sustentável, etc.
Ex. Ópera de Sidney

A flor do mangue

VIK MUNIZ

- Realiza sua obra com diversos materiais,


fazendo releituras de obras famosas.
-Destaque para seu documentário “lixo
extraordinário”, onde realizou várias obras
com lixo reciclável. Discute questões
ambientais, sociais e de arte
contemporânea.
No Brasil: Masp, Pinacoteca, Hotel
Tambaú, Ponte, JK, etc.

2. HISTÓRIA DA MÚSICA BRASILEIRA


_________________________________
- Importante destacar a diferença entre
TEMAS música erudita (composta por sinfonias,
óperas, de elaboração sofisticada, etc) e a
1. ARQUITETURA NO SÉC. XX música popular (de caráter simplificado,
elaborada pela e para a população
ARQUITETURA MODERNA comum).
- Na música erudita brasileira destaca-se
- Rejeição aos estilos históricos Carlos Gomes (estilo romântico) e Villa-
- Duas máximas: menos é mais, e a forma Lobbos (estilo modernista).
segue a função. Ou seja, os exageros - A música popular brasileira é bastante
ficam de fora da arquitetura moderna. rica, devendo se destacar para fins de
- utilização do ferro (proporcionam os vãos vestibular os seguintes estilos:
livres e os arranhas-céus)
- utilização do concreto armado. MÚSICA CAIPIRA (OU SERTANEJO DE
- Ex. nos EUA: (Empire State Building) RAIZ)
- diferencia-se do sertanejo atual pelos
instrumentos utilizados (mais rústicos,
geralmente violão e viola) e pela letra
(geralmente relacionadas ao homem do
campo).
Ex. menino da porteira, interpretada por
Tonico e Tinoco

- No Brasil:Edifício Martinelli (SP) As obras


de Niemeyer (destaque para os prédios de
Brasília).
BOSSA NOVA MÚSICA DE PROTESTO
- mistura elementos como o jazz e o samba
para compor um estilo minimalista, - faziam crítica a ditadura militar, sendo
basicamente de voz e violão. mundo de seus representantes exilados na
- música elaborada por elementos da época.
classe média brasileira. - destaque para chico buarque, com suas
-projeção internacional. letras com críticas implícitas `ditadura.
Ex: “chega de saudade”; por Tom Jobim e Ex.”Cálice, de Chico Buarque
Vinícuis de Moraes.

TROPICALISMO
- tinha como proposta a mistura de ritmos
como o rock, bossa-nova, bolero, baião
jazz, samba, etc. 3. HISTÓRIA DO TEATRO
Ex. Alegria, Alegria, de Caetano Veloso
GRÉCIA

- Na Grécia antiga, os festivais anuais em


honra ao deus Dionísio (Baco, para os
latinos) compreendiam, entre seus eventos,
a representação de tragédias e comédias.

Tragédia: Sófocles (obra: Édipo Rei)


Comédia: Aristófanes (Obra: greve de
sexo)
ROCK
- os principais representantes no Brasil
foram Cely Campello e A Jovem Guarda.
- não apresentavam crítica social,
inserindo-se no cotexto da cultura de
massa na época.
-era da televisão. Máscara grega
Ex. “o calhambeque, de Roberto Carlos.
IDADE MÉDIA

- O teatro era utilizado como veículo de


propagação de conteúdos bíblicos, tendo
sido representados por membros da igreja.

TEATRO MODERNO

- Destaque para a commedia dell’arte.


Características:
- mambembes: cia de atores itinerantes
- improvisação
- pantomima (mímica)
-participação de mulheres.
- O teatro elisabetano também ocorre nesta - Os primeiros filmes coloridos surgiram em
época, com o foco nos sentimentos meados da década de 30, mas somente na
humanos. O grande teatrólogo desta época década de 50 se tornaram dominantes.
é Willian Shakespeare.
CINEMA BRASILEIRO
TEATRO CONTEMPORÂNEO
- O tema mais recorrente nos vestibulares
- Apesar dos inúmeros estilos, as ideias é o Cinema Novo. No início da década de
de Bertolt Brecht ganham destaque. 60, um grupo de jovens cineastas começa
-A mensagem social contida na peça a realizar uma série de filmes imbuídos de
deveria ser o ponto principal do teatro. forte temática social. Entre eles está
Gláuber Rocha, cineasta baiano e símbolo
TEATRO NO BRASIL do Cinema Novo. Diretor de filmes como
“Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964) e
- O teatro moderno tem como destaque a “O Dragão da Maldade Contra o Santo
figura de Nelson Rodrigues, com o Guerreiro” (1968).
chamado realismo carioca. Este apresenta
a vida da classe média e seus problemas,
como traições, hipocrisia, loucura, etc.
Obra: Vestido de noiva.

5. EXPRESSÃO CORPORAL: DANÇA


Nelson Rodrigues
- A dança é uma importante forma de
- O teatro do oprimido teve como líder manifestação cultural de um povo.
Augusto Boal, que desenvolveu o chamado - Além da sua ligação com a música e com
teatro invisível, onde os expectadores se a cultura, a dança também tem relação
envolvem na peça com os atores, estreita com o esporte, como o caso da
rompendo os limites do palco. Visava levar ginástica rítmica.
a platéia a uma postura ativa em relação a
realiade social e política. CLASSIFICAÇÃO:
- A dança pode ser identificada pelos trajes,
4. HISTÓRIA DO CINEMA local realizado, tipos de passos, e a
música.
- Apesar de não ser um assunto tão
recorrente nos vestibulares, vale destacar DANÇA CLÁSSICA: está relacionada a
alguns aspectos da história do cinema. música erudita. Possui leveza de
- Em 1895 os Irmãos Lumière fazem a movimentos e está relacionada a cultura
primeira exibição pública do chamado europeia do séc. XIX. Ex: valsa e balé.
“cinematógrafo”.
- Até a década de vinte os filmes eram DANÇA POPULAR: criadas pelas camadas
mudos, ocorrendo a transição para o populares. Geralmente são mais animadas
cinema falado no final desta década. Os e informais. Ex: Funk, Hip Hop, Samba, etc.
gêneros que se destacam desta época são
os filmes de faroeste e a comédia pastelão, DANÇA FOLCLÓRICA: danças ligadas a
sendo Charlie Chaplin o destaque. raiz de um povo. Ex tarantella,

Você também pode gostar