Você está na página 1de 4

Plásticos

Polipropileno (PP) são especialmente desenvolvidos de modo que suportam


perfeitamente as baixas temperaturas de congelamento a que são submetidos conservando a qualidade
do seu produto.

Polipropileno (PP) para linha de doces em corte. são produzidos com matéria-prima especial de modo que
superam as expectativas quanto a alta performance quando submetidos as altas temperaturas de envase.

Produzimos embalagens para diversas aplicações no mercado, que podem


conter variadas características, sejam elas técnicas ou visuais. Diferenciação em alguns segmentos por
possuírem aplicação de furo, alças, aba adesiva, sanfonas, picotes, válvulas desgaseificadoras e
embalagens com válvula lateral.

Potes em Polipropileno (PP) para toda linha de laticínios. Os tamanhos e


modelos são diversos cada qual específico para produtos como manteiga, requeijão, queijo cottage,
queijo minas, coalhadas, iogurtes, creme de leite e o que mais sua empresa necessitar. Os potes para
laticínios são especialmente produzidos de modo que atendam ás suas necessidades de uma embalagem
que seja adequada ao seu produto e ao seu processo produtivo seja ele automático ou manual, e tendo
alta performance quando submetidos às condições de envase a quente e refrigeração após o envase. Os
potes e copos para laticínios podem ser produzidos com pigmento branco (leitoso), potes transparentes e
sobretampas de diversas cores tais como: vermelha, amarela, verde, azul claro, azul escuro, branca e
transparente para todos os tamanhos de potes.
Polipropileno: Motivos para aplicar na produção de embalagens

Um dos versáteis termoplásticos, o Polipropileno vem sendo cada vez mais utilizado na composição de
embalagens. Considerado inerte química e biologicamente, esse tipo de plástico derivado do propeno
possui autorização do Ministério da Saúde para ter contato com diversos produtos, desde fármacos até
alimentos perecíveis ou não.

O uso do polipropileno (PP) pode trazer benefícios para os processos industriais, um vez que ele
apresenta vantagens competitivas, se comparando com outras matérias- primas conforme explica o
engenheiro da Braskem Lucas Polito, “Sua versatilidade, baixo custo e bom desempenho em diversos
processos de transformação ampliam as oportunidades de aplicação no mercado”.

Pontos Positivos do Polipropileno

_ Por se tratar de uma resina com alta versatilidade de aplicação e processos, o polipropileno apresenta
diversas vantagens em relação a outras matérias-primas.

_ baixa densidade tornando-as mais leves, menos custo de transporte e gera menos gasto no processo
produtivo;

_ O termoplástico possui ótimo processabilidade, garantindo menores ciclos fabris e produtividade para a
indústria;

_ Interação com alimentos envasados que pode ocorrer sem acarretar danos, tendo em vista que esse
tipo de plástico é um material atóxico;

_ Transparência, brilho, resistência e acabamento superficial deve ser ressaltada”

Processamento do polipropileno O polipropileno pode ser processado de três formas diferentes. São elas:

Termoformagem Esse processo é empregado para a produção de artigos descartáveis e embalagens


rígidas, como aquelas usadas para margarina, cream cheese, sorvetes e bebidas. As embalagens feitas
com o polipropileno, mediante termoformagem, proporcionam a manutenção da qualidade e do sabor dos
produtos, além de segurança, inviolabilidade , leveza, facilidade no uso e praticidade, podendo ser
levadas aos dois extremos de temperatura( do freezer ao micro-ondas) sem prejuízo algum.

Extrusão Ocorre quando o objetivo é produzir filmes plásticos, utilizados amplamente na indústria de
embalagens, como BOPP (polipropileno bi-orientado) usado no envase de diversos produtos alimentícios,
com excelentes propriedades mecânicas e baixa permeabilidade e gases, podendo ser metalizado ou
não.

Injeção Muito utilizado na produção de utensílios domésticos e baldes para aplicações na indústria
alimentícia, garante alta produtividade e acabamento nos artigos finais de plástico.

Se você nunca prestou atenção neste símbolo presente em recipientes plásticos, é hora de dar mais
atenção a este que parece um simples detalhe, mas diz tudo a respeito do material de origem.

Vejamos então o que significa cada um dos símbolos presentes ao fundo de garrafas e copos
descartáveis, potes para margarina, embalagens de sucos, potes de iogurte, embalagem de produtos de
limpeza, etc.
O triângulo com um número dentro identifica a origem do plástico.

Primeiramente é preciso saber que, independente da numeração, todos os plásticos são polímeros, o que
podemos perceber até na nomenclatura. Mas o principal objetivo neste contexto é alertar para a
identificação do plástico e, afinal, qual deles é prejudicial à nossa saúde?

1. As embalagens PET, identificadas pelo número 1, são feitas a partir do Polietileno tereftalato. São
empregadas em garrafas para água mineral e refrigerantes.

2. A sigla PEAD (Polietileno de Alta Densidade) é referente às embalagens para produtos químicos
domésticos (limpeza).

3. Os plásticos PVC (Policloreto de vinila), também identificados por V, são empregados em tubos e
conexões para água, lonas, calçados, bolsas de sangue e soro, brinquedos, etc.

4. O Polietileno de baixa densidade (PEBD) é o polímero usado para produzir sacos de lixo, filmes em
geral, entre outros.

5. A sigla PP identifica o Polipropileno, os plásticos com esta classificação podem ser usados para
fabricar embalagens para margarina, seringas descartáveis, utilidades domésticas.

6. O Poliestiremo, representado pela sigla PS, tem uma vasta utilização, é empregado no feitio de cabines
de TV, copos descartáveis e embalagens em geral.

7. A classificação 7 é para as resinas plásticas, entre elas podemos citar o PC.


É aqui que mora o perigo! O Policarbonato (PC) mais utilizado é o Bisfenol A (BPA), é empregado em
embalagens de alimentos em geral, óculos de sol, cd’s, etc.

Já está comprovado que a presença de BPA no organismo está associada a doenças cardiovasculares e
diabetes, portanto este plástico pode trazer danos à nossa saúde. Se for, por exemplo, aquecer seu
almoço no micro-ondas e utilizar um recipiente tipo 7 (termoplástico), vai fazer com que a substância
tóxica seja transferida mais facilmente para o alimento. Portanto, cuidado ao escolher as embalagens
plásticas de sua cozinha!