Você está na página 1de 20

O cardápio contra o Câncer

O câncer é uma doença aterrorizante que vem crescendo num ritmo alarmante
em todo o mundo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 14 milhões de pessoas


desenvolvem câncer todos os anos, e esse número deve subir para 21 milhões
em 2030.

E, anualmente, o mundo perde 8,8 milhões de pessoas por causa da doença que
é responsável por uma em cada seis mortes no mundo.

E nós, brasileiros, não estamos isentos neste cenário.

A estimativa da OMS mostra que o número de mortes no Brasil por conta


da neoplasia maligna aumentou mais de 30% desde 2000. O tumor é a
segunda maior causa de morte no país, ficando atrás apenas das doenças
cardiovasculares.

O Observatório da Oncologia, entretanto, alerta que, se não acontecer uma


mudança substancial no combate do câncer, a enfermidade será a principal
causa de mortes dos brasileiros já em 2029.
Sem medo

A finalidade aqui, no entanto, não é te amedrontar, leitor. É mostrar que, diferente


do que é divulgado nas mídias, você não está sentenciado à morte por ter um
diagnóstico de câncer. É preciso mudar esta visão.

Vou apresentar soluções alternativas, diferentes daquelas que a medicina


clássica nos oferece e ensinar a tomar a decisão certa e consciente para tratar a
sua doença.

É preciso desmistificar e explorar o câncer mais a fundo, pois você pode estar
diante de uma oportunidade para tomar novas atitudes para com o seu corpo.

Ao longo deste conteúdo, vamos explorar o câncer, essa doença cheia de tabus
e altamente explorada pela Indústria Farmacêutica.

O mais incrível?

Os caminhos de fuga desta enfermidade, diferente do que você sempre


acreditou, são diversos.

O que é câncer?
É preciso encarar o câncer não só como uma doença e, sim, como mensageiro
do seu organismo, sinalizando que algo está errado.

Para isso, é preciso compreender por que um tumor aparece.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) define como câncer mais de 100 doenças
que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células.

E esses tumores, que invadem os tecidos e órgãos, podem ou não espalhar para
outras partes do corpo (processo de metástase).

Existem estágios da proliferação anormal das células:


Agente oncoiniciador: provoca o dano genético das células, iniciando o
processo de carcinogênese. Exemplo: benzopireno, um dos componentes da
fumaça do cigarro.

Agente oncopromotor: transforma as células em malignas. O fator “maus hábitos


alimentares” faz parte desta divisão.

Agente oncoacelerador: atua no estágio final do processo, sendo responsável


pela multiplicação das células malignas.

É preciso entender que todo o processo ilustrado acima não ocorre de um dia
para o outro. Ele é desencadeado por hábitos diários e contínuos que praticamos
e que comprometem a nossa saúde.

Em outras palavras, o câncer é o resultado dos maus hábitos da nossa vida.

Ele é o mensageiro de que estamos lidando erroneamente com o nosso


organismo.

É um convite para pensarmos em gerenciar melhor a nossa saúde.

Depois de muita imersão e muitos estudos aprofundados sobre o assunto,


defendo que existem três grandes pilares que propiciam o surgimento do tumor:
a desnutrição, o conflito emocional e a intoxicação.
Todos esses problemas citados diminuem a imunidade do corpo e as células
NKs (Natural Killers – células exterminadoras naturais), que matam as células
cancerígenas com excelência.

Endireitando esses três componentes, criamos um ambiente corporal livre de


tumores.

Para você, leitor, que pensava que o tratamento para a doença estava só nos
métodos clássicos, como a quimioterapia, a resposta é: “Não existe uma única
solução para a cura do câncer. A abordagem é multifatorial!”.

Mas antes de te apresentar outros caminhos para erradicar o câncer, quero te


contar uma história.

Mate o câncer de fome!


Existem várias teorias sobre o surgimento do câncer no corpo de uma pessoa.

Talvez a mais famosa seja a ideia de que a doença é o produto de uma mutação
genética.

Porém, existe uma outra hipótese que defendo levantada pelo médico alemão
Dr. Otto Heinrich Warburg (1883-1970).

O cientista foi o único da história da medicina a ganhar dois Prêmios Nobel, um


deles em 1931 com a sua tese “A causa primária e a prevenção do câncer”.

O médico alemão provou de forma sólida que a causa primária do câncer é a


deficiência de oxigênio e que as células cancerígenas sobrevivem de açúcar.

A explicação é a seguinte: o alimento que nós consumimos desempenha uma


função importantíssima nos níveis do pH (potencial Hidrogeniônico) do corpo.

E para se ter uma vida saudável, livre de doenças, o nosso organismo precisa de
sangue levemente básico/alcalino de 7,4.
Porém, lamentavelmente, hoje nós consumimos altas quantidades de alimentos
tóxicos e produtores de ácido, como carne e açúcar, que deixam o sangue
acidificado.

E esta acidez pode atrapalhar o desempenho das atividades celulares, pois


expulsa o oxigênio do interior delas, impossibilitando a respiração aeróbica.

Dessa maneira, ocorre uma modificação no interior das células para que
elas consigam sobreviver sem o oxigênio, com a respiração anaeróbica. Elas
começam a respirar por meio da fermentação da glicose, isto é, do carboidrato,
do açúcar.

Sim, açúcar é o principal combustível para as células cancerígenas.

E o câncer é nada mais do que um mecanismo de sobrevivência que certas


células adquirem para continuarem vivas num ambiente ácido e carente de
oxigênio.

Desta forma, o Dr. Otto mostrou também que apenas privar uma célula de 35%
de seu oxigênio durante 48 horas, poderia convertê-la em cancerígena.
Você, leitor, que consegue ler em inglês e está interessado em se aprofundar
mais no assunto, tenho uma sugestão.

Em 2012, o Dr. Thomas Seyfried publicou um livro chamado “Cancer as is


metabolic dieases” (traduzindo, câncer como uma doença metabólica).

Esta leitura me ajudou muito em meus estudos sobre o câncer e acredito que
você irá gostar.
Agora, a pergunta que fica é: como transformar o meu corpo em um ambiente
desfavorável para o câncer?

1. Diminua o açúcar

Se o carboidrato alimenta o câncer, é possível matar o câncer de fome, evitando


o consumo de açúcar.

Desta forma, a primeira coisa que um paciente oncológico precisa é se


preocupar com a carga de glicose que está sendo ingerida. Ela precisa ser a
mínima possível.

E o segredo de uma alimentação com baixo teor de açúcar está numa dieta que
só foi divulgada pelas mídias como um método prioritariamente estético.

Estamos falando da Dieta Cetogênica, que é focada no consumo de gorduras


boas ao invés de carboidrato.

Os exemplos de gorduras boas são: azeite, abacate, nozes, castanha-de-caju,


amêndoas, ovo, óleo de coco, peixes gordos (que possuem ômega 3 e 9, como
salmão, atum e sardinha), linhaça e chocolate amargo.

Porém, um detalhe é bem importante:

No caso de um câncer, dispense o consumo de gordura saturada das carnes.

Nada contra ela. Mas quando as consumimos, a proteína animal que está
presente no alimento, estimula o mTOR, uma proteína do nosso corpo que
implica em alguns processos de carcinogênese, motivando o crescimento do
câncer.

Por isso, um paciente oncológico precisa adotar a dieta cetogênica, sendo quase
vegetariano e consumindo gorduras vegetais benéficas.

2. Mais oxigênio no seu corpo

Nos Estados Unidos, existem hospitais que já estão curando câncer por meio da
dieta cetogênica combinada com o oxigênio hiperbárico.
Este tratamento é bastante eficaz, já que o oxigênio é para a célula cancerígena
o que o sol é para o vampiro.

O oxigênio para a célula cancerígena (que não faz respiração aeróbica) é tão fatal
quanto o sol é para o vampiro! Portanto, aumentar a circulação de oxigênio no
corpo é mais uma forma de matar o câncer.

E os métodos naturais para oxigenar o corpo são:


- Respirar de forma correta

Pode soar meio óbvio. Porém, muitas vezes, quando as pessoas estão passando
por algum tipo de emoção, esquecem de respirar de maneira fisiológica.

Numa situação de dor ou estresse, por exemplo, a nossa respiração se torna


curta e rápida.

Por outro lado, quando estamos apaixonados, ou seja, inundados pelos


neurotransmissores ligados ao bem-estar, nós suspiramos.

Uma pesquisa feita pelos cientistas da University of Leuven, Bélgica, mostrou


que respirar corretamente nos traz inúmeros benefícios. Além de ajudar a
oxigenar o corpo e enfraquecer as células cancerígenas, melhora a digestão,
a eliminação de toxinas corpóreas, o equilíbrio dos órgãos e a diminuição da
ansiedade.

E o método não tem muito segredo.

Apenas pare um pouco o que você estiver fazendo e preste atenção em


seu processo de inalar e expirar o ar. Já é um bom começo para oxigenar
corretamente o seu corpo!

- Praticar atividades físicas

Uma outra forma de aumentar oxigênios no seu organismo é praticar exercícios


aeróbicos, como corrida, caminhada e natação, diariamente.

Eles não só ajudam a aumentar o oxigênio, mas também ajudam a eliminar as


substâncias tóxicas do nosso corpo.
3. Evitar alimentos que acidificam o corpo

Por último, uma outra forma de repelir as células cancerígenas é evitar o


consumo de alimentos que tornam o nosso organismo ácido.

Evite:

Você, leitor, que consegue ler em inglês e está interessado em se aprofundar


mais no assunto, tenho uma sugestão.

Mude a ecologia do seu corpo


Viu como não é impossível matar as células cancerígenas?

Além desses métodos que nós explicamos a partir da teoria do Dr. Otto Warburg,
existem outras formas de estar longe do câncer. E o segredo está em mudar a
“ecologia do corpo”.

Como já mencionei antes, depois de muitos estudos, concluí que existem três
grandes pilares que incentivam o surgimento do tumor: a desnutrição, o conflito
emocional e a intoxicação.

A desnutrição

O Instituto Ludwig de Pesquisa do Câncer, vinculado à Universidade e Oxford,


já demonstrou que a falta de nutrientes incentiva as células tumorais a adquirir
caráter agressivo, aumentando as chances de uma metástase.
Também de acordo com um artigo publicado no PubMed, reputado site que
reúne pesquisas e estudos científicos, o fator desnutrição é muito comum nos
pacientes oncológicos e a sua intensidade varia de acordo com a localização
do câncer. Em neoplasias malignas de câncer na cabeça e no pescoço, por
exemplo, cerca de 40% dos pacientes estavam desnutridos antes do diagnóstico
e do tratamento.

Por isso, a atenção aos nutrientes que você está ingerindo é um dos tratamentos
mais importantes e fundamentais contra o tumor.

E quais são os alimentos recomendados para a reversão do câncer?

Mirtilo

O Mirtilo, também conhecido como blueberry, possui uma substância bem


interessante que age contra a neoplasia maligna: os bioflavonóides.

Os bioflavonóides, também conhecidos como vitamina P, são compostos


solúveis em águas que são geralmente encontrados na polpa de frutas e
vegetais.

São poderosos antioxidantes (um composto importante que age contra


a danificação celular) e já foram comprovados pela ciência que são
efetivos antialérgicos, anti-inflamatórios, anti-hemorrágicos, antivirais e
imunomoduladores (controlam o sistema imunológico).

E, no caso do câncer, os flavonóides destroem os agentes carcinogênicos,


inibindo e expulsando as células cancerosas.

Além disso, o mirtilo tem em sua casca uma alta quantidade de resveratrol, uma
das substâncias antioxidantes naturais mais potentes que existem.
Framboesa

Frutas vermelhas também podem ajudar na prevenção da neoplasia maligna.

Quem dá a coloração avermelhada para as frutas como framboesa é o ácido


elágico, que possui forte ação antioxidante e age contra vírus, bactérias e
parasitas.

Estudos internacionais vêm relacionando o ácido com a diminuição de tumores


malignos porque ele estimula enzimas detoxificantes que removem células
cancerígenas.

Para consumir o mirtilo e a framboesa em quantidades benéficas, a recomen-


dação do Dr. Lair é substituir as sobremesas e doces por uma xícara destas
frutas.

Cúrcuma

A cúrcuma, o condimento base do curry, é outro alimento que eu recomendo.

Conhecido também como açafrão da terra, ele chama atenção na área científica
por atuar nas três fases do processo de carcinogênese: bloqueia a iniciação, a
promoção e a progressão do câncer.

Além da sua força contra o câncer, graças ao seu poder antioxidante e anti-
inflamatório, a Cúrcuma age contra a oxidação e a inflamação das células
nervosas. Como foi atestado pelo Annals of Indian Academy of Neurology,
o ingrediente se mostrou efetivo para a reversão de Alzheimer e doenças
degenerativas.

E o mais legal: ela não tem efeito colateral.


Os indianos comem o alimento quase que diariamente, e não foi observado
nenhuma manifestação maléfica, afirma o consultor.

Desta forma, a recomendação é que você consuma cúrcuma diariamente,


usando como tempero no preparo de carnes, frangos, ovos, arroz, feijão e outras
refeições.

Se preferir, já existe no mercado a opção de consumir o alimento na forma de


suplementação em cápsula.

O conflito emocional

É comprovado por diversos estudos que o conflito emocional é um fator de risco


para o surgimento do câncer, já que é uma das principais fontes de oxidação do
organismo, deixando as células oxidadas, “enferrujadas”.

E o resultado de uma célula enfraquecida afeta o sistema de proteção natural


do corpo como NKs (Natural Killers). As NKs ficam vulneráveis ao adoecimento e
não conseguem agir efetivamente contra as células cancerígenas.

Todavia, dentre todos os cenários emocionais possíveis, o vilão que mais se


destaca é o estresse.

De acordo com a International Stress Management Association (ISMA), sete em


cada dez pessoas estão no alvo do estresse crônico.

E de acordo com as pesquisas, ele é o ponto em comum de todas as doenças


crônicas. Porém, o adoecimento em função deste inimigo é perfeitamente
evitável.

Em linhas gerais, o estresse em excesso é um fator que desequilibra todo o


organismo, a produção de hormônios, a conexão entre os neurotransmissores, o
funcionamento dos músculos, dos órgãos e também do sistema imunológico.

E um dos processos existentes nas manifestações dos tumores cancerígenos é o


“estresse oxidativo”.

Nestas situações, as células enferrujam e perdem a capacidade de regeneração


de forma adequada e alinhada.

Por causa desta falha, podem ainda multiplicar-se de maneira desorientada.


E o que estressa as células? As mesmas coisas que nos estressam.

Quando há acúmulo de ações estressantes, o organismo armazena radicais


livres, que são uma espécie de sujeira inflamatória.

Sem esta capacidade de “faxina” por parte das células, a bagunça é espalhada
por todos os lados. E o funcionamento do organismo é, obviamente, alterado e
os processos cancerígenos acionados.

Ainda mais se o estressado for fumante, sedentário e obeso. A presença de mais


fatores de risco potencializa o adoecimento.

Desta forma, um dos caminhos práticos que aliviam a tensão psicológica é a


automassagem.

Reserve cinco minutos após acordar para


esticar bastante os braços, alongar a
coluna, vértebra por vértebra, alongar as
pernas e o pescoço.

Você desperta com mais disposição.

Além disso, invista na automassagem na


hora de escovar os dentes.

Com as pontas dos dedos indicador e


médio, faça círculos nas bochechas, perto
da região da boca, na ponta do nariz
e na testa. Respire fundo durante este
processo.

Outro caminho para driblar o estresse oxidativo é melhorar as suas noites de


sono.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Michigan, os brasileiros estão


entre as pessoas que têm o pior sono, ficando para trás apenas dos habitantes
de Cingapura e do Japão.
É um dado bem preocupante, uma vez que a função do sono é extremamente
importante para o nosso corpo.

Ele, além de amenizar o estresse e fortalecer o sistema imunológico, contribui


para a restauração, a termorregulação (regulação da temperatura corporal), a
consolidação da memória e aprendizado, e o repouso para organismo.

Desta forma, a estratégia fundamental para dormir melhor é estar no escuro


absoluto e dispensar todos os eletrônicos perto do lugar onde você dorme.

Além disso, recomendo que você converse com o seu médico sobre a
melatonina, um hormônio natural que, quando usado de maneira correta, ajuda a
combater a insônia.

E a redução do café também é uma alternativa. Se você toma mais do que duas
ou três xícaras por dia, a sugestão é reduzir para uma no máximo, ou nenhuma
em caso de extrema sensibilidade.

No lugar do cafezinho, você pode apostar no consumo de chás de folhas de


maracujá ou melissa, que têm efeito relaxante e indutores de sono.

Eles podem ser tomados ao longo do dia e também 30 minutos antes de dormir.

Intoxicação

O câncer também pode ser causado por alguma toxina que não deveria estar
circulando no nosso corpo ou por alguma substância inflamatória.

Para eliminar todos esses invasores, o segredo é fazer um poderoso detox, uma
faxina no corpo, investindo em uma microbiota intestinal saudável.

Assim, se possível, dedique os seus pratos em alimentos ricos nos seguintes


componentes:

– Vitaminas do Complexo B: arroz integral, aveia, fígado bovino, peixes, brócolis,


abacate, ervilhas, verduras, ovos, tomates, cenoura, cogumelos, verduras e
legumes.
– Magnésio: espinafre, alcachofra, grão de bico, sementes de abóbora, beterraba
e quinoa.

– Selênio: gema de ovo crua e castanha-do-pará.

– Zinco: feijão, nozes e broto de feijão.

– Glutationa: aspargos, abóbora, quiabo e frutas secas.

Uma vacina anticâncer


Por último, falaremos de uma poderosa arma contra o câncer que ainda poucas
pessoas conhecem: a vitamina D3.

Apesar de vivermos num país tropical, estamos com deficiência desta vitamina
vital que é indispensável para o funcionamento do corpo, associada à proteção
de uma variedade imensa de doenças crônicas.

A vitamina D3 administra quase 10% do genoma do corpo humano e, de acordo


com as evidências, funciona como uma “vacina” contra o câncer.

Para este efeito, a minha recomendação é que você mantenha os níveis da


substância acima de 50 nanograma por mililitro de sangue.

E a melhor forma de enriquecer a vitamina no nosso corpo é tomando sol 10 a 15


minutos por dia sem nenhum protetor solar.

Esses poucos minutos vão contribuir para a prevenção e o tratamento do câncer.

Consegui te convencer de que o tratamento do câncer é multifatorial e que


existem diversos caminhos alternativos?

Espero que tenha gostado desta conversa reveladora.

Até a próxima.