Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FFLCH-DLCV-AFLP

Sintaxe do Português I – 1o semestre -2018


Profa. Maria Aparecida Torres Morais

(I) Objetivos: (i) Levar o aluno a refletir sobre um conjunto de fenômenos


sintáticos, do português brasileiro (PB), falado e escrito, analisando-os e descrevendo-os,
com base em instrumentos teóricos proporcionados pela gramática gerativa e
documentação empírica; (ii) Levar o aluno a refletir sobre os processos de variação e
mudança de natureza morfossintática que hoje separam o PB do português europeu (PE).

II- Conteúdo Programático

1. Conceitos fundamentais

1.1. A visão descritiva e explicativa da Linguística como ciência da linguagem humana.


O quadro teórico gerativista: a faculdade da linguagem ou gramática universal (GU);
a competência linguística ou gramática internalizada na mente dos falantes de uma
determinada língua, denominada Língua-I(nterna), e o desempenho linguístico,
Língua–E(xterna); gramaticalidade e agramaticalidade no julgamento dos falantes a
respeito das sentenças de sua língua materna. O conhecimento linguístico adquirido
no período de aquisição da língua materna e o conhecimento linguístico adquirido
com o letramento.

1.2.A visão normativa dos estudos tradicionais: as noções de certo e errado. Construções
socialmente aceitas e formas de prestígio.

1.3. Textos básicos:

CASTILHO, Ataliba T. de (2005) Estudos de Língua Falada: uma entrevista com Ataliba
Teixeira de Castilho. Revista Virtual de Estudos da Linguagem. REVEL. Vol.3 .
no 4.
CASTILHO, Ataliba T. de (2009). Ensinando o português brasileiro. Em: O ABC do
Português: 1ª Oficina de Aperfeiçoamento de Professores de Português como
segunda língua. Georgetown University.
MIOTO, C. et. Al. (2007) Novo Manual de Sintaxe. São Paulo. Editora Contexto. 3a
edição. Unidade 1.

NEGRÃO, E. et. Al. (2002) A competência linguística. In: FIORIN, L. (org.) Introdução
à Linguística. I. Objetos Teóricos. São Paulo. Editora Contexto. pp. 95-119
2

2. A estrutura de constituintes

2.1. A noção de sintagma.

2.2. Testes para a estrutura de constituintes: pronominalização, passivização,


topicalização, clivagem, interrogação, ambiguidades estruturais.
2.3. A teoria X-Barra.
2.3.1. A estrutura do sintagma nominal (SN).
2.3.2. A estrutura do sintagma adjetival (SA).
2.3.3. A estrutura do sintagma verbal (SV).
2.3.4. A estrutura do sintagma preposicional.(SP)

Textos básicos:

MIOTO, C. et. Al. (2013) Novo Manual de Sintaxe. São Paulo. Editora Contexto.
Unidade 2.
NEGRÃO, E. et. al. (2003) Sintaxe: explorando a estrutura da sentença. In: FIORIN, L.
(org.) Introdução à Linguística II. Princípios de Análise. São Paulo. Ed Contexto.
pp. 111-136.

3. A estrutura argumental da sentença: tipos de predicados

3.1. Caracterização dos predicadores e argumentos.


3.2. A noção de papéis temáticos.
3.3. A transitividade verbal.
3.3.1. Predicados transitivos: objeto direto, objeto indireto e complementos oblíquos.
3.3.2. Predicados intransitivos e inacusativos.

Textos básicos.

MIOTO, C. et. Al. (2007) Novo Manual de Sintaxe. São Paulo. Editora Contexto.
Unidade 3.
DUARTE, M.E.L. (2007) Termos da Oração . In: VIEIRA S.R.& BRANDÃO, S. F.
(Orgs.) Ensino de Gramática. Descrição e uso. São Paulo. Editora Contexto. pp.
186-204.
CIRIACO, L. e CANÇADO,M. (2006). Inacusatividade e Inergatividade no PB.
Cadernos de Estudos Linguísticos. 46 (2).

4. Aspectos de variação e mudança na história do português brasileiro

4.1. O objeto direto e suas diferentes realizações. Aspectos sincrônicos e


diacrônicos.
4.2. O objeto indireto. Aspectos sincrônicos e diacrônicos.
4.3. Os pronomes clíticos e a colocação pronominal: aspectos sincrônicos e diacrônicos.
4.4. A perda do sujeito nulo no PB: aspectos sincrônicos e diacrônicos.
3

Textos básicos:

KATO, M. E DUARTE, M.E. (2004) Restrições na distribuição de sujeitos nulos no


Português Brasileiro. In : Sintaxe das línguas brasileiras. Veredas. 18.1.
ROBERTS & M. A. KATO. (2018). Português brasileiro. Uma viagem diacrônica.
São Paulo. Editora Contexto.
TORRES MORAIS e RIBEIRO, I (2005). Contraste da Sintaxe dos Clíticos no Português
Europeu e Português Brasileiro. Linha D´Água . no 17. São Paulo. Humanitas
FFLCH-USP. pp 21-48

III- Avaliação.

1. Trabalho em grupo sobre um tema de sintaxe do português.


2. Fichamentos.
3. Exercícios.
4. Prova individual.

IV- Gramáticas

GRAMÁTICAS

BECHARA, Evanildo (1999). Moderna Gramática Portuguesa. Edição revista e


ampliada. Rio de Janeiro: Editora Lucena.
CASTILHO, Ataliba T. (2010) Nova gramática do português brasileiro. São Paulo.
Editora Contexto.
CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley (2001) Nova Gramática do Português
Contemporâneo. 3 ed. revista. Riso de Janeiro: Ed. Nova Fronteira.
MATEUS, Maria Helena Mira et alii (2003). Gramática da Língua Portuguesa. 5a. ed.
revista e aumentada. Lisboa: Ed. Caminho.
ROCHA LIMA, C.H. (2003) Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 43a ed. Rio
de Janeiro:Ed. José Olympio.

V- Outros textos.

Ao longo do semestre os alunos devem ler textos complementares a respeito dos temas
trabalhados. Estes textos serão disponibilizados no Stoa.