Você está na página 1de 20

Sociologia

Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues


E-mail: matheus.bortoleto@cnecuberaba.edu.br

Colégio Cenecista Dr. José Ferreira

"A liberdade é o direito de fazer o


próprio dever."
Augusto Comte.
Positivismo - Augusto Comte
• Nasceu em Montpellier – 19/01/1798.
• Morreu em Paris - 05/09/1857.
• Estudou na Escola Politécnica em Paris,
que teve papel marcante em sua
concepção de ciência e de mundo.
• Teve grande influência em sua formação
o estudo do “Esboço de um quadro
histórico dos progressos do espírito
humano” – escrito por Condorcet.
• Tornou-se secretário de Saint-Simon, do qual
recebeu profundas influências. (1817).
• Posteriormente, iniciou, em sua casa, um Curso de
Filosofia Positiva.
Principais obras:
• Política positiva ou tratado de sociologia instituindo
a religião da humanidade.
• O catecismo positivista ou exposições sumárias da
religião universal.
O Amor por princípio, Ordem
por base e Progresso por fim.
Ordem e Progresso
1) Humano – aperfeiçoar, primeiro, o físico, depois intelectual, e
por fim a moral. (conexão para dar condição à ação).
2) O governo organiza a vida prática, pois é necessário separar
teoria da prática.
3) O proletariado como detentor da vida prática também está
ligado ao progresso
4) A mulher pela sua natureza de passividade representa a
conservação. ("Superiores pelo amor, mais dispostas a subordinar
a inteligência e a atividade ao sentimento, as mulheres
constituem espontaneamente seres intermediários entre a
Humanidade e os homens.")
Principais temáticas trabalhadas

A sociedade só pode ser convenientemente reorganizada por


meio de uma completa reforma intelectual do homem.
Fornecer aos homens novos hábitos de pensar de acordo com o
estado das ciências de seu tempo.
Principais temas trabalhados.
Primeiro – Filosofia da história.
Segundo – Fundamentação e classificação das ciências
baseadas na filosofia positiva.
Terceiro – Sociologia determinando as estruturas e os processos
de modificação da sociedade, que permitisse a reforma prática
das instituições.
Progresso do espírito

Lei dos três estados – todas as


ciências e o espírito humano
como um todo desenvolvem-se
por meio de três fases distintas:
1ª Teológica
• A explicação sobre os acontecimentos e os
fenômenos ocorre a partir da crença na
intervenção de seres pessoais e
sobrenaturais. O mundo torna-se
compreensível somente através das ideias de
deuses e espíritos.
•A mentalidade teológica também
desempenhava o papel de coesão social,
fundamentando a vida moral.
• A explicação sobre os acontecimentos e os fenômenos
ocorre a partir da crença na intervenção de seres
pessoais e sobrenaturais. O mundo torna-se
compreensível somente através das idéias de deuses e
espíritos.
• Paralelamente à funções de explicação da natureza, a
mentalidade teológica também desempenhava o papel
de coesão social, fundamentando a vida moral.
• Confiando em poderes imutáveis, fundados na
autoridade essa mentalidade teria como forma política
correspondente a monarquia aliada ao militarismo.
Nas palavras do Autor
“No estado teológico, o espírito humano, dirigindo
essencialmente suas investigações para a natureza
íntima dos seres, as causas primeiras e finais de todos
os efeitos que o tocam, numa palavra, para os
conhecimentos absolutos, apresenta os fenômenos
como produzidos pela ação direta e contínua de agentes
sobrenaturais mais ou menos numerosos, cuja
intervenção arbitrária explica todas as anomalias
aparentes do universo.”
COMTE, A. Curso de Filosofi a Positiva. In: COMTE, A. Comte: Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultura, 2005, p. 22.
Três períodos sucessivos:
A) Fetichismo – uma vida espiritual, semelhante à do
homem, é atribuída aos seres naturais.
B) Politeísmo – esvazia os seres naturais de suas vida
anímicas. Atribuía a animação desses seres não a si
mesmos, mas as outros seres, invisíveis e habitantes de
um mundo superior.
C) Monoteísmo – transição para o estado metafísico.
Reúne todas as divindades em uma só. Aumenta a
distância entre os seres e seus princípios explicativos.
2ª Metafísica
• Atribui forças para explicar os diferentes grupos de
fenômenos em substituição às divindades da fase
teológica. Fala-se em forças físicas, forças
químicas, força vital.
• Diferença: metafísica coloca o abstrato no lugar do
concreto e a argumentação no lugar da imaginação.
• Para Comte, o estado metafísico se caracteriza pela
dissolução do teológico.
Nas palavras do Autor
“No estado metafísico, que no fundo nada mais é do que
simples modificação geral do primeiro, os agentes
sobrenaturais são substituídos por forças abstratas,
verdadeiras entidades (abstrações personificadas)
inerentes aos diversos seres do mundo, e concebidas
como capazes de engendrar por elas próprias todos os
fenômenos observados, cuja explicação consiste, então,
em determinar para cada um uma entidade
correspondente.”
COMTE, A. Curso de Filosofi a Positiva. In: COMTE, A. Comte: Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultura, 2005, p. 22.
3ª Positiva
• Caracteriza-se pela subordinação da imaginação e da
argumentação à observação.
• A visão positiva dos fatos abandona a consideração das
causas dos fenômenos e torna-se pesquisa de suas leis,
entendidas como relações constantes entre fenômenos
observáveis.
• Empregar o mesmo método para todos os campos científicos
– convergências e homogeneidade de teorias.
• A previsibilidade científica permite o desenvolvimento da
técnica e, assim, o estado positivo corresponde à indústria,
Nas palavras do Autor
Enfim, no estado positivo, o espírito humano, reconhecendo a
impossibilidade de obter noções absolutas, renuncia a procurar a
origem e o destino do universo, a conhecer as causas íntimas dos
fenômenos, para preocupar-se unicamente em descobrir, graças ao
uso bem combinado do raciocínio e da observação, suas leis
efetivas, a saber, suas relações invariáveis de sucessão e de
similitude. A explicação dos fatos, reduzida então a seus termos
reais, se resume de agora em diante na ligação estabelecida entre
os diversos fenômenos particulares e alguns fatos gerais, cujo
número o progresso da ciência tende cada vez mais a diminuir.
COMTE, A. Curso de Filosofi a Positiva. In: COMTE, A. Comte: Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultura, 2005, p. 23.
Positivismo - Características

1) Empregar o mesmo método para todos os campos


científicos – convergências e homogeneidade de teorias.
2) A unidade de conhecimento não é apenas individual,
mas também coletiva – fundamento intelectual da
fraternidade entre os homens, possibilitando a vida
prática em comum.
3) O conhecimento das relações constantes entre os
fenômenos torna possível determinar seu futuro
desenvolvimento. Caracteriza-se pela previsibilidade. Ver
para prever.
Classificação das
Ciências
•A complexidade crescente permite
estabelecer a seguinte sequência:
matemática, astronomia, física, química,
biologia e sociologia.
• A sociologia estuda a sociedade, onde os
seres vivos se unem por laços independentes
de seus organismos. O fim essencial de toda
filosofia positiva, pois consegue se instaurar
em toda a sua plenitude.
Plenitude Positivista - Sociologia
"A totalização do saber somente poderia ser
alcançada através da sociologia, na qual
culminaria a formulação de “um sistema
verdadeiramente indivisível, onde toda
decomposição é radicalmente artificial [...],
tudo relacionando-se com a Humanidade,
única concepção completamente universal”
Reforma das Instituições
1) A sociologia conduziria à política e à reforma intelectual
dos homens, que conseqüentemente, reorganizaria toda a
sociedade.
2) A tarefa a ser cumprida deveria, ser portanto, a
instauração do espírito positivo na organização das
estruturas sociais e políticas para isso seria necessário
uma nova elite científico-industrial, capaz de formular os
fundamentos positivos da sociedade e desenvolver as
atividades técnicas correspondentes a cada uma das
ciências, tornando-as bem comum.
3) Formulação de uma religião da Humanidade.
Sentido de Humanidade
Os diferentes chefes práticos (governos), tendem a
estabelecer uma hierarquia nascida das relações
naturais de seus diversos trabalhos .
“Deus sob o regime provisório, a Humanidade na
ordem definitiva”
“Nenhuma sociedade se pode desenvolver e
conservar sem um sacerdócio qualquer.”
“Só o poder teórico é capaz de consagrar os
governantes e de proteger os governados.”