Você está na página 1de 2

Química II

Aulas de Problemas

Aula II: Termodinâmica: Entropia, Energia de Gibbs e Constante de Equilíbrio.


Cinética: Lei de velocidade

1. Calcular ∆Sº (universo) para a decomposição de 1 mol de água líquida para formar
hidrogénio gasoso e oxigénio. A reacção é espontânea nestas condições a 25ºC?
R: ∆sistSº = + 163,3 J/K.mol; ∆sistHº = + 285,83 kJ/mol; ∆vizSº = − 958,68 J/K.mol; ∆univSº = − 795,4 J/K.mol.
A reacção não é espontânea porque a variação global da entropia do universo é negativa.

2. Considere a reacção de decomposição do trióxido de enxofre em SO2 e O2:

2 SO3 (g) 2 SO2 (g) + O2 (g)

a) Calcule ∆Grº a 25 ºC.


b) Calcule a gama de temperaturas em que a formação dos produtos é favorável.
c) Qual a constante de equilíbrio para a reacção a 1500 ºC?
R = 8,314 J/K.mol.
R: a) ∆rGº = 141,82 kJ/mol.

b) ∆rHº = 197,86 kJ; ∆rSº = 187,95 J/; T = 1052,7 K = 779,6 ºC. Para T > 1052,7 K a reacção passa a ser
espontânea em condições padrão. A partir de 1052,7 K no equilíbrio a reacção favorece os produtos.
c) K = 1x104

3. Uma das fontes de corrosão em sistemas de aquecimento a água é a presença de oxigénio


dissolvido. A sua remoção é feita com hidrazina (N2H4) que reage com O2 para dar N2 e H2O.
a) Escreva e acerte a equação química respectiva. Identifique o oxidante e o redutor da
equação redox.
b) Calcule ∆Hrº, ∆Srº e ∆Grº para esta reacção envolvendo 1 mol de N2H4 a 25 ºC.
c) A reacção em causa é exotérmica e o calor libertado é usado para aquecer a própria água do
sistema de aquecimento. Calcule a variação de temperatura expectável num sistema de
aquecimento com 5,5x104 L de água. Assuma que não há perdas de energia para o exterior.

1
d) Considere que a massa de água no sistema de aquecimento é 5,5x104 Kg. Que quantidade de
O2 (em moles) estará presente no sistema se ele for cheio com água saturada em O2? Assuma
que a solubilidade de O2 em água a 25 ºC é 0,000434g/100g de água.
e) Assuma que a hidrazina é comercializada em soluções 5% em água. Que massa desta solução
seria necessária para consumir o O2 dissolvido (calculado em d)).
f) Considerando que o N2 se escapa na forma gasosa calcule o volume de N2 (g) produzido a
273K e 1,00 bar. R = 0,008314 bar.dm3/K.mol
R: a) N2H4 (l) + O2 (g) → N2 (g) + 2H2O (l)
b) ∆Hrº = - 622, 29 kJ; ∆Srº = 4,87 J/K; ∆Grº = - 623,75 kJ
c) ∆T = 0,0027 K
d) 7,5 moles
3
e) 4,8x10 g de solução
3
f) 170 dm

4. Os dados abaixo indicados referem-se às velocidades iniciais obtidas para a reacção da


piridina com o iodeto de metilo numa solução de benzeno a 25º C, com diferentes
concentrações de reagentes.

[C5H5N] (molL−1) [CH3I] (molL−1) Velocidade inicial (mol/L.s)

1,00x10−4 1,00x10−4 7,5x10−7

2,00x10−4 2,00x10−4 3,0x10−6

2,00x10−4 4,00x10−4 6,0x10−6

a) Qual a equação cinética para esta reacção?


b) Qual a constante de velocidade para esta reacção?
c) Qual a velocidade inicial para esta reacção quando as concentrações de
piridina e de iodeto de metilo forem respectivamente 5,00x10−5 e 2,00x10−5?

-8
R: a) v = k[C5H5N] [CH3I] ; b) k = 75L/mol.s; c) 7,5x10 mol/L.s