Você está na página 1de 3

Direito Administrativo II

Eficácia do ato administrativo

I. Eficácia dos atos administrativos: noção

» Validade: aptidão intrínseca do ato para produzir os


efeitos jurídicos correspondentes ao tipo legal a que
pertencem, uma consequência da sua conformidade
com a ordem jurídica. Tem a ver com momentos
intrínsecos ao próprio ato, pelo que os vícios a ela
relativos afetam a própria vitalidade do ato administrativo

» Eficácia: efectiva produção dos efeitos. Tem a ver com


factos ou circunstâncias extrínsecas do próprio ato,
condicionando apenas a operatividade do mesmo.

2 F. Paula Oliveira

1. Atos válidos, mas ineficazes

» atos de eficácia diferida (a que falta a fase integrativa da


eficácia ou sujeito a termo suspensivo)

» atos de eficácia condicionada (sujeitos a condição


suspensiva)

» atos de eficácia suspensa (por decisão administrativa, por


decisão judicial ou por determinação da lei: no recuso
hierárquico necessário)

2. Atos inválidos mas eficazes: o caso dos atos anuláveis: produzem os


seus efeitos até serem anulados. Passado o prazo de impugnação, o ato
torna-se inopugnável. Assim, enquanto não passa o prazo de impugnação,
tem eficácia provisória, passando esse prazo, passa a ter eficácia definitiva

3 F. Paula Oliveira

Fernanda Paula Oliveira 1


Direito Administrativo II

II. Tipos de eficácia

1. Atos de eficácia imediata (a produção dos efeitos dá-se


exatamente no momento constitutivo: artigo 127º n.º 1) e
atos de eficácia diferida (o critério é o do momento em que
se verifica a eficácia)

2. Atos de eficácia (imediata ou diferida) retroativa ou


prospetiva (o critério das situações jurídicas afectadas
pelos efeitos do acto)

3. Eficácia instantânea (o ato produz-se num determinado


momento, esgotando aí a sua eficácia: a nomeação;
revogação) e eficácia duradoura (prolongam a sua
operatividade no tempo: concessão): o problema da
sucessão de normas no tempo

4 F. Paula Oliveira

III. Contagem da eficácia

» Atos de eficácia ex nunc (atos recetícios, sujeitos a termo inicial ou


condição inicial)

» Atos de eficácia ex tunc:

» No caso de atos de eficácia diferida, os efeitos contam-se desde o


momento constitutivo do ato: retrotração (o caso da aprovação)

» A situação da retrodatação: os efeitos do acto contam-se desde o


momento em que o cto deveria ter sido praticado (e não foi)

» A situação de retroatividade: os atos administrativos produzem


efeitos sobre situações jurídicas constituídas antes da sua prática

5 F. Paula Oliveira

IV. Suspensão e cessação da eficácia

» Suspensão da eficácia: cessação temporária da eficácia. Termina ou


com a renovação da eficácia, ou com a sua cessação definitiva

» Cessação da eficácia: desaparecimento definitivo do ato da ordem


jurídica:

» desaparecimento do sujeito ou do objeto do ato (morte


do funcionário nomeado ou queda do imóvel mandado demolir)

» prática de um ato que visa estes efeitos (revogação ou


anulação)

» inserção de determinadas cláusulas

» condição resolutiva

» termo final

6 F. Paula Oliveira

Fernanda Paula Oliveira 2


Direito Administrativo II

Condição resolutiva: a condição é uma cláusula


acessória pela qual a eficácia de um acto fica dependente
da verificação de um acontecimento futuro e incerto; se a
condição for resolutiva, a sua verificação determinará a
cessação dos efeitos do acto

Termo final: cláusula acessória pela qual se determina


que os efeitos do acto ao qual está aposta cessem a partir
de um certo momento, que poderá ser um acontecimento
(de verificação certa, desconhecendo-se a data) ou uma
data ou período de tempo

7 F. Paula Oliveira

Fernanda Paula Oliveira 3

Interesses relacionados